Pub SAPO pushdown

quarta-feira, dezembro 30, 2009
A D. Salomé

Na primeira vez que fomos ver a casa sozinhos, já depois de a termos decidido alugar, tivemos de pedir a chave à D. Salomé, a porteira que vive na cave. A senhora foi um amor, disse que ajudava no que fosse preciso, que podia guardar coisas lá em casa, etc etc. Iniciámos a escalada até ao terceiro andar e, pelo caminho, encontrámos a vizinha do segundo, que nos disse "a D. Salomé é muito boa pessoa, mas já está assim um bocadinho maluca". Não levámos a senhora muito a sério, até porque foi a mesma pessoa que assim que viu os meus sapatos me disse "a menina a ver se tem cuidado a andar com esses saltos lá em casa, porque aqui em baixo ouve-se tudo, hã? Fica mesmo por cima da minha cabeça". E foi a mesma pessoa que quando soube que o meu homem tinha uma criança de dois anos lhe disse "a ver se ele faz pouco barulho, senão vou lá e mato-o". Ficámos logo a perceber que quem não batia muito bem era a vizinha, e fingimos que não percebemos quando ela disse que era enfermeira reformada, que se fosse preciso alguma coisa bastava bater à porta. Hã, hã, espera lá que já vou ter contigo para me dares uma injecção, sua velhinha psicopata.
Bom, mas falava eu da D. Salomé, a porteira. Nas primeiras noites que dormimos na casa o meu homem queixava-se que ouvia um galo. Eu achei que devia estar a alucinar, dei-lhe uma pancadinha na cabeça e disse "sim, sim... um galo... pois... eu também costumo ver passar pinguins, mas dura só alguns segundos". Claro que isto era no tempo em que eu dormia que nem uma pedra, um pequeno anjo de cabelo alourado. Entretanto vieram as insónias e comecei a ouvir os cabrões dos galos. Que cantavam à uma, às duas, às três, às quatro, às cinco, às seis, às sete e às oito. Ao fim de alguns meses, o meu homem achou que era altura de fazer queixa ao senhorio, dizendo-lhe que ou os galos desapareciam ou tinha de nos pôr vidros duplos no quarto. Da varanda da cozinha ainda tentámos vislumbrar onde raio estavam os bichos, mas o arvoredo no quintal da senhora não deixava ver nada. Ou seja, a hipótese de nos armarmos em atiradores furtivos caía por terra. O senhorio lá falou com a D. Salomé, e passou-nos a mensagem que ela ia matar seis dos SETE galos que tinha no quintal. SETE galos! Em pleno centro de Lisboa, como se estivéssemos numa aldeia remota de Trás-os-Montes. Fiquei com uma certa pena da bicharada chacinada mas, nas primeiras noites a coisa parecia, de facto, muito calma. Ouvia-se um galo de vez em quando, mas assim uma coisa remota. Mas, ultimamente, voltámos ao mesmo inferno, galos a cantar a toda a hora. Eu desconfio que a D. Salomé fingiu que matou os bichos, amordaçou-os em casa, e agora vai soltando um de cada vez, assim como quem não quer a coisa. E quem é que dorme descansado com galos a cantarem a cada meia hora?? Hmmmm??? Como se não bastasse, a D. Salomé ainda acha que é uma excelente ideia arrastar os caixotes do lixo algures entre as duas e as quatro da manhã. Nunca vi uma pessoa com tamanha obsessão pelos caixotes do lixo. Nem pensar deixá-los na rua, não vá algum larápio roubá-los. Por isso lá vai ela a arrastá-los antes de o camião passar e depois volta a recolhê-los. Faz barulho? Faz, mas o que é que interessa? Todos os dias vejo a mulher, mas não tenho coragem de lhe dizer nada. Até porque, efectivamente, ela não joga com o baralho todo. Ainda há dias me encontrou nas escadas pela 43ª vez e perguntou "é uma das meninas que mora no primeiro andar, não é?". E eu lá lhe disse que não, que era do terceiro. Posto isto, resta-me viver com este drama urbano que são os galos. Ou isso ou atirar-lhes milho envenenado pela janela. Já estive mais longe.
terça-feira, dezembro 29, 2009
Pequenada de mi corazón, os resultados do passatempo Braun só serão anunciados na próxima segunda-feira. Muitas e muitas desculpas.
segunda-feira, dezembro 28, 2009
Se um dia tiver filhos, fica desde já aqui instituído que não vão receber mais do que três presentes por Natal/aniversário. E, e...! O resto vai sendo doseado ao longo do ano, conforme o comportamento. Uma colega dizia há pouco que o sobrinho recebeu uns 60 presentes e ainda estava amuado por desconfiar que a irmã tinha recebido mais. Outra contava-me que os filhos receberam resmas de embrulhos, mas depois andavam entretidos a brincar com o papel que servia de protecção a umas molduras. Moral da história: os putos de hoje não ligam a nada. Eu adoro receber presentes, e muitos, pois claro, mas lembro-me da alegria que era rasgar os papéis quando era pequena. Que me lembre, nunca tive mais de três ou quatro presentes, e nada de grandes extravagâncias. Mas eram coisas que me deixavam realmente feliz, e que eu usava até já não dar mais. Hoje os putos nem sabem para onde se virar, com tanta coisa que recebem. Brincam dois dias com uma coisa, ficam fartos e já estão a pedir mais. Alguém me explica para que é que uma miúda quer dez Nenucos? Ou para que é que um miúdo quer quatro triciclos diferentes? Desconfio que isto é uma coisa muito portuguesa, mais ou menos como aquilo de encher os putos de comida, para ficarem viçosos e luzidios. Neste caso é enchê-los de presentes, como prova de amor, deixá-los com o quarto de brinquedos atafulhado e, mesmo assim, vê-los sempre com aquele ar insatisfeito e enjoadinho. E depois queixam-se que são mimados...
domingo, dezembro 27, 2009
Opções para os próximos minutos:

a) Ir tratar da pilha de loiça acumulada no lava-loiças;
b) Começar a fazer o jantar;
c) Enfiar-me debaixo do chuveiro com água a ferver durante, pelo menos, 45 minutos.

Aaaaaai, estou tão dividida...
domingo, dezembro 27, 2009
Querido Papai Noel,

Parece que, finalmente, começamos a falar a mesma linguagem. Já vais percebendo o que é que a menina gosta e o que é que a menina odeia. Moral da história: apenas DOIS presentinhos para trocar. Tudo o resto foi na mouche.

Ora então vamos lá ver a listinha:

- Uma mala de viagem vermelha-muito-linda, oferta do esposo (diz que a minha maravilhosa malinha cor-de-rosa está velha, que tem uma roda defeituosa, que custa muito a puxar e que, invariavelmente, é ele que acaba a arrastá-la);

- Uma máquina de pipocas, oferta do esposo (e que vai ser estreada hoje, enquanto assistimos a mais uma sessão dos Ídolos);

- Uma carteira da Furla, oferta do esposo (e eis o primeiro presente para troca... pareceu-me um bocadinho de avó, amanhã lá vou eu à Furla em busca de algo mais contemporâneo. Isto porque ele diz que a minha actual carteira também está velha...);

- Dois bilhetinhos para os Artic Monkeys, oferta do esposo (iupiiiiiiiiiiiiiiiiiii!);

- Um disco externo, para ver se começo a ordenar os milhões de fotos espalhadas pelos computadores, oferta do esposo;

- As duas primeiras séries do Irmãos e Irmãs, oferta do esposo (já acabei o Big Love e estamos a acabar o Dexter, por isso vem mesmo a calhar);

- Umas maaaaaaaaaaaravilhooooooosas galochas Hunter, verdongas como eu queria, oferta da madrinha Muxy;

- Uma saia e o pó transparente da M.A.C., oferta da madrinha Caty;

- Um saco para sapatos (podem dar-me mais cem??) e a Anna Karenina, oferta das madrinhas Di e Mary;

- Uma camisolinha (para trocar.. sorry!!!), oferta da madrinha Angie Popota;

- Umas pantufas Sonya Rykiel, que eu quero usar na rua, de tão giras que são, oferta da madrinha Ana;

- Produtos para a minha cara, oferta da sogra;

- Muitas e muitas pulseiras, oferta da tia do esposo;

- Dinheiro e muitas coisas para a casa, oferta dos papis.


Daqui a uma semana e meia seguem-se os anos. E depois é um ano inteiro sem receber nada. Buá. Hmmm... espera lá...entretanto temos boda. E boda = presentes...
quarta-feira, dezembro 23, 2009
Em contagem decrescente para sair do trabalho, alapar o rabo no sofá dos pais e não sair de lá nos próximos dois dias (excepto para ir até à cozinha buscar sonhos, filhós e lampreia de ovos).
segunda-feira, dezembro 21, 2009
Passatempo Braun/Pipoca Mais Doce

Isto agora é assim, um passatempo por semana, para dar saúde e alegria à minha pequenada. Este é o último antes do Natal, talvez o último do ano, por isso é aproveitar. O que está em jogo é uma escova iónica da Braun. Uma escova quê? Iónica! Quer isto dizer que dá cabo da electricidade estática e deixa o cabelo brilhante, brilhante, macio que só ele.

Para se habilitarem, só precisam de enviar uma FRASE (sim, desta feita é mesmo uma frase e nada mais do que uma frase) que meta as palavras Braun, Pipoca e cabelo catita. Têm até ao final da semana para participar, os resultados serão anunciados segunda ou terça-feira (conforme correrem os festejos natalícios). Temos DEZ escovas para oferecer, por isso vá, mi escrevam, vai (apipocamaisdoce@gmail.com).
segunda-feira, dezembro 21, 2009
Eu acho que já disse isto aqui, mas o que me alegra mesmo, mesmo, mesmo nas vitórias do Benfica contra o Porto, mais do que os 3 pontos, é saber que os super dragões têm de voltar para casa de trombas por essa A1 fora, enfiados em autocarros. Maravilha.




domingo, dezembro 20, 2009
Cá em casa já estamos em estágio. Que seja que Deus quiser. Perder por menos de dois é vitória.

sexta-feira, dezembro 18, 2009
A juntar ao ranho instalou-se-me uma daquelas dores de cabeça tão violentas que me apetece vomitar. Lá se vão os rissóis do almoço...
sexta-feira, dezembro 18, 2009
Oh senhores, eu quero lá saber dos aviõezinhos. Vou mexer-me tanto para os ir ver como me mexo para ir ver a parada de Carnaval da SIC (olha, aí está outra coisa que podemos oferecer). Frankly, my dear, i don't give a damn. E presumo que 97,6% dos lisboetas também não.
quinta-feira, dezembro 17, 2009
Passatempo Dress-a-Day

Ora então aqui estou eu mais uma vez para anunciar o feliz contemplado de um passatempo Pipoca. Como sempre, houve resmas de participações, mas só uma pode ganhar... oohhhhhhh. Bom, então sem mais demoras, quem ganhou foi a Ana Ferreira (que vai ser contactada via mail pela Dress-a-Day) e aqui fica o poema dela:

Um vestido por dia...
E eu mais nada vestia!
É de tarde e eu de folga...
decidi ir navegar...
chego a pipoca mais docec
omecei logo a babar!

Estava a espera de uns loubotin
ou de outra história do Benfica
quando olhei para a imagem,
qual princesa encantada,
um vestido lindo e florido
Já não pensei em mais nada!

Olhei com mais atenção
,pensei no casamento
,não me parece um vestido de noiva,
mas olhei mais um momento!
Um passatempo pipoca,
ora que grande em emoção!
Não participei em nenhum...
mas que óptima ocasião.

Ao ler as instruções,
fiquei ainda mais contente...
posso escrever um soneto,
ninguém vai reclamar,
A pipoca autorizous
ó me resta participar...

Duas quadras, três tercetos,
está visto que não sou capaz
Camões roubou-me o talento,
A pipoca trouxe o bom gosto,
Se não ganhar o vestido
estampa-se a tristeza no rosto!

Mas sei que a pipoca tem três
E a tristeza não parece atacar...so...
if the key is a dress-a-day,
I will buy one to keep the sadness away!

quinta-feira, dezembro 17, 2009
O Rui Rio está desgostoso por terem passado o Red Bull Air Race para Lisboa e pergunta: "então mas não se pode fazer um intercâmbio, não há nada que Lisboa nos possa dar em troca?". É claro que podemos. Ora então aqui ficam algumas sugestões:

- As noivas de Santo António. Temos todo o gosto em passá-las para o Porto. E, como brinde, oferecemos também as marchas populares da avenida.

- O estádio do Sporting. É levá-lo, que está ali a dar cabo da paisagem da segunda circular.

- A estátua do Cutileiro, instalada no cimo do Parque Eduardo VII. Ficava muito bem à entrada do estádio do Dragão.

- A árvore de Natal da Zon, que provoca engarrafamentos infinitos. E é tão grande que, mesmo no Porto, de certeza que a conseguimos ver ao longe. Levem-na.

- As touradas no Campo Pequeno. Não é por nada, é só porque moro na zona e nesses dias é impossível estacionar.

- A EMEL. Já não os posso ver.

- Todos os pombos da cidade. Também voam e são quase tão bonitos como os aviõezinhos da Red Bull.

Então? Que tal? Temos negócio?
quinta-feira, dezembro 17, 2009
Entretanto, transformei-me oficialmente numa máquina produtora de ranho. Das duas narinas.
quinta-feira, dezembro 17, 2009
À uma e quarenta a cama começou a tremer, as portas dos armários a bater. Pela segunda vez na minha vida, percebi que quando houver um terramoto a sério, vou desta para melhor. Não tive reacção alguma, para além de perguntar ao meu homem "também sentiste isto?". E ele "sim, mas pensava que eras só tu a tremer a perna" (????). Não me deu para pôr os sapatos a salvo, para lançar roupa pela janela, para correr para a rua em pijama com o meu porquinho mealheiro debaixo do braço. O único instinto foi saltar logo da cama e procurar o comando para pôr na SIC Notícias, enquanto ele se virava para o lado e continuava a dormir tranquilamente. Somos gente descontraída.
terça-feira, dezembro 15, 2009
Quando temos uma borbulha com três centímetros de altura plantada na nossa testa, agradecemos que não passem o dia a chamar-nos a atenção para esse facto. É que nós já nos demos conta disso. A sério. É assim tão difícil fingir que ela não está lá??
terça-feira, dezembro 15, 2009
Amanhã é o jantar com as madrinhas de casamento.
Quinta é o jantar de empresa.
Sexta é o concerto da Mariza e amigos no Campo Pequeno.
Domingo é o Benfica com os mafiosos.

Vamos ver como sobrevivo a isto tudo só com uma narina a funcionar.
terça-feira, dezembro 15, 2009
Só tenho ranho numa narina. Estou, portanto, mono-ranhosa. Achei que devia partilhar isto com vocês.
domingo, dezembro 13, 2009
Já agora, qual é o número para onde se deve ligar e votar para a Cláudia Vieira ser expulsa de apresentadora? É que tem tanto jeito para a coisa como eu para a renda de bilros.
domingo, dezembro 13, 2009
Só pela roupa que a Inês tem hoje nos Ídolos, vou votar nela. É a primeira vez que voto em programas deste género. Mas aquele vestido e aquela tiara merecem.
quinta-feira, dezembro 10, 2009
Passatempo Dress-a-Day/Pipoca Mais Doce

Há pouco tempo descobri um site magnífico que só vende vestidos. Todos eles originais, todos eles a 40€, todos eles com potencial para se instalarem confortavelmente no meu armário (eu, pecadora, me confesso, que já arrecadei três). E como há leitores que já não podem ouvir falar de vestidos de noiva, achei que podíamos falar antes destes, que também são muito giros. Aliás, mais do que falar, achei que giro, giro era oferecermos aqui um. Por isso, vamos lá embora a mais um passatempo.

Desta feita, o que vos peço é que completem a frase "Um vestido por dia...". E para que não haja grandes confusões, completem a frase como quiserem. Com três palavras, com sete, com um soneto, com um conto de ficção, o que quiserem, está bem? Estão completamente à vontadinha. O grande vencedor pode pode ir até ao site da Dress-a-Day e escolher um maravilhoso vestidinho.

As respostas devem ser enviadas até à próxima quarta-feira, para o mail do costume (apipocamaisdoce@gmail.com). O resultado é anunciado na quinta. Good luck!
quinta-feira, dezembro 10, 2009
Balanço da primeira ida às compras de Natal

Presentes comprados:
Dois

Coisas compradas para mim:
Três

Desconfio que isto vai correr muito mal.
quarta-feira, dezembro 09, 2009
Eu (muito excitada): hoje vi o Di Maria!!!!
Ele: onde?
Eu: na avenida da Liberdade. Ia num Mercedes branco, todo cromo. E eu chamei-o!
Ele: hã?
Eu: sim, parei o carro ao lado do dele e gritei "Di Mariaaaaaaaaaaaaaaaaaa".
Ele: ias sozinha no carro e começaste a gritar pelo Di Maria?
Eu (já um bocadinho envergonhada): sim...
Ele: e ele?
Eu: não me ouviu. Ia com o vidro fechado e estava com outra pessoa no carro.
Ele: e o que é que lhe ias dizer?
Eu: nada! Ia só dizer adeus e gritar pelo Benfica...

(moral da história: afinal há muita gente louca à solta em Lisboa)
quarta-feira, dezembro 09, 2009
Papai Noel,

Podes riscar a Anatomia de Grey da lista. Já comprei e já só sobram dois ou três episódios. Sim, passei o feriado em casa a consumir Anatomias compulsivamente. Ah, e esquece o Brothers and Sisters, também. Uma alma caridosa já se ofereceu para mo emprestar. Sendo assim, podes concentrar-te nos restantes pedidos.

Sempre tua (e também do meu futuro esposo),

Pipoca

Gosto da Inês

segunda-feira, dezembro 07, 2009

Esta miúda é o máximo. Tem 16 anos, mas uma maturidade e um estilo que muita gente nunca chegará a ter. Estou, literalmente, apaixonada por ela. Pode não ter uma voz de fazer estremecer a alma, mas tem muito mais para além disso. É a pose, são os movimentos, é à roupa à Miss Hepburn. E é por ela que eu vejo os Ídolos. Se ela não ganhar contrato-a para cantar no meu casamento.

domingo, dezembro 06, 2009
Para a A.

Vão dizer-te que isso vai lá com o tempo. Vão dizer-te, muitas vezes, que isso vai lá com o tempo. Não vais acreditar em nenhuma delas. Vais encolher os ombros por dentro, com a certeza absoluta que ninguém te entende. Que ninguém consegue perceber em quantas tiras está o teu coração rasgado. Na tua cabeça, vais rever tudo. Todos os dias. O que disseste, o que calaste, o que devias ter dito, o que ainda esperas poder dizer, o que ainda esperas poder ouvir. Exactamente três segundos depois de pensares que foi melhor assim, que antes agora que mais tarde, vais sentir que não. Que mais valia mais tarde. Que podia ter sido diferente. Que mais vale a solidão a dois do que esta, que vives agora sozinha. E depois volta a estar tudo bem. E pensas que foi melhor assim. E três segundos, exactamente três segundos depois, voltarás a ser a pessoa do coração às tiras. A chuva não ajuda. E sei que te sentes como o tempo lá fora. Mesmo que fosse verão, o teu quarto pareceria sempre cinzento ao olhares para o que sobrou. Agora parece pouco, com o tempo verás que é muito mais do que isso. Não queria ser mais uma a usar a desculpa do tempo, mas não tenho outra. Aliás, têm-me faltado as palavras. Faltam-me sempre, nestas ocasiões. E é por isso que, quase sempre, fico calada. Porque já estive aí e sei que não há palavras milagrosas. Porque sei que cada vez que o telemóvel toca são segundos de esperança infudada. E, depois, desilusão. Por isso digo o menos possível, porque sei que não são as minhas palavras que queres ler. O pior de tudo é isso. A expectativa. Os dias a passar e não acontece nada. Porque é que não acontece nada? Como é que não acontece nada? As perguntas multiplicam-se e atropelam-se. Há sempre mais perguntas, só não há ninguém para lhes dar resposta. Sei que não te vai apetecer dizer nada. Como sei que te vai apetecer falar, falar, falar, até à exaustão, na tentativa de encontrar alguma explicação que te faça sentido. Sei que não te vai apetecer sair da cama durante uma semana. Como sei que não vais querer parar um minuto, para não teres de pensar. Gostava de não dizer que isto passa com o tempo. Por isso prefiro não dizer nada.

Estou só a uma cadeira de distância. Dois números de diferença no telemóvel. E muito mais perto do que possa parecer.
domingo, dezembro 06, 2009
Querido Papai Noel,

Longe de mim querer ser chata mas parece que, efectivamente, a segunda parte da quinta série da Anatomia já chegou à Fnac, portanto acrescenta-a lá à minha lista. Entretanto também acabei de descobrir que há uma Barbie Louboutin à venda no net-a-porter, amorosa. Custa 115€ e é um amor. Pronto, fica a dica.


sexta-feira, dezembro 04, 2009
Querido Papai Noel:

Vamos lá ver se é desta que acertas e reconheces o meu bom comportamento. Sou humilde nos pedidos e, de facto, mereço. Talvez não tudo, tudo, mas vá, 84% do que aqui vou pedir. Claro que até à véspera de Natal ainda posso vir a acrescentar mais uma coisinha ou outra, nada de particularmente extravagante ou assim tão pesado que não possas atirar pela chaminé (sem provocar danos, sim?). Então cá vai:

Sapatinhos Hoss Intropia (fica ali para a R. Castilho. Gosto dos pretos e dos azuis, sem distinção)

























Relógios ODM (venda exclusiva no Campo Pequeno... sim, eu sei que já tenho dois, mas estes são diferentes e igualmente giros)












Caneta Montblanc Ingrid Bergman (sim, eu sei que é uma extravagância e que não estamos no tempo delas, mas eu gostava muito de ter uma caneta bonita. Só para variar um bocadinho das BIC com que costumo andar na mala).







Corrector de olheiras Erase Paste, da Benefit (é o melhor do mundo. O melhor! E dura uma vida. Vende-se na Sephora).





Galochas Hunter (são lindas, em qualquer cor. Eu queria mesmo a edição especial da Jimmy Choo, mas já andei a investigar e não vão chegar até nós. Ohhh... )








Buzz Concurso Universal para a PS3 (para eu continuar a provar que sou imbatível no Buzz... nomeadamente ao meu homem, que não consegue perceber como é que eu sou melhor do que ele).







Malonga Carolina Herrera (é um pedido repetido, mas pronto, como ninguém me tem dado ouvidos, sou obrigada a voltar ao mesmo)








Primeira série do Irmãos e Irmãs (também pode ser a segunda parte da 5ª série da Anatomia, que a Fnac disse que saía a 28 de Novembro e ontem fui lá e dizem que talvez só para o ano... trafulhas!!!)











Saia da Hoss Intropia (gosto muito. Muito, muito)

Andorinhas José Azevedo (já tenho duas iguais a estas penduradas na cozinha, mas não me importava de ter mais. Vendem-se na Cantar de Galo, na Lx Factory, e na The Wrong Shop, no Chiado)











Anna Karenina (já ando há uns tempos para o comprar, mas custa para cima de 40€)













Por agora é tudo, Papai Noel. Voltamos a falar em breve, sim? Obrigadinha.
sexta-feira, dezembro 04, 2009
Estou que não posso, recebi o meu primeiro presente de casamento. Veio parar-me às mãos um belíssimo cabaz de tupperwares, da própria da Tupperware. Sim, um cabaz, com lacinho e papel transparente e um monte de tupperwares lá dentro, daqueles que esticam e encolhem conforme a necessidade. E depois arrumam-se todos num suporte e já está. Fiquei maravilhada (mas não tanto como o meu homem, uma verdadeira fada do lar, até ficou com os olhos a brilhar de emoção). Senti-me assim tipo princesa Letizia, a receber coisas para o enxoval. Será que depois disto vou ter uma ourivesaria a criar-me uns brincos feitos à medida (ou uma roca, para o futuro bebé)? Pastelarias a fazerem bolos especiais para o evento? Lençóis bordados à mão? Um trem de cozinha???

O meu muito obrigada à Tupperware, a menina gostou muito. E vai dar-me um jeitaço para trazer o almoço para o trabalho. Obrigadinha. (no que toca a família e amigos, não se entusiasmem: dinheiro. Queremos dinheiro.).




quinta-feira, dezembro 03, 2009
Concurso Clinique/Pipoca Mais Doce- parte II (ou III)



Como é Natal e não queremos ninguém insatisfeito, menos ainda a minha pequenada, que tantas alegrias me dá (conforme os dias, claro), a Clinique e a minha pessoa acharam por bem corrigir o (meu) erro. Asssim sendo, voltámos a inspeccionar todas as frases enviadas (só as frases!) e escolhemos três, numa tentativa de remissão dos nossos pecados. Por isso, há mais três sortudas que vão ter um mega cabaz Clinique no sapatunfo de Natal. Ora então aqui vão as frases (uma vez mais, agradeço que as vencedoras enviem a sua morada e indiquem o tipo de pele). E a todos um bom Nataaaaaaal, a todos um bom Nataaaaal, e essas coisas.


Verónica Abril

"Papai Noel visto a fugir de centenas de leitoras da Pipoca em fúria por não lhes ter trazido o cabaz Clinique que elas tanto queriam."


Ana Domenti

"Querido Papai Noel, como sou uma loira com algum QI e como me portei bem este ano, podias lançar um feitiço à Pipoca para ela acreditar que eu sou a merecedora do mega-cabaz da Clinique, porque sei que não queres que chegue à tua idade com mais imperfeições que as estradas portuguesas."


Paula Vinagre

"A Clinique cria, a Pipoca oferece e o Papai Noel entrega: os 3 passos essenciais para o meu Natal ser Even Better!"

quarta-feira, dezembro 02, 2009
TRÊS MILHÕES!

E, com esta conversa toda, até deixei passar em branco esse grande acontecimento que foi o alcançar de três milhões de leitores. Lindo, lindo!




quarta-feira, dezembro 02, 2009
Senhor na rua (SR): Ah, que saudades que eu tenho da vida de estudante.
Eu (que não tinha percebido nada): Desculpe?
SR: A vida de estudante... já tenho saudades...
Eu: Pois... também eu.
SR: Mas já não é estudante? Achava que sim...
Eu: Não... há uns bons anos.
SR: Então e faz o quê?
Eu: Sou jornalista.
SR: Ah! Então no seu jornal deve ter recebido a notícia do meu livro. Eu enviei para todas as redacções. Foi a semana passada o lançamento, estavam lá 1800 pessoas.
Eu: Que giro... e é sobre quê?
SR: blá blá blá... (um nome gigantesco qualquer do qual eu só percebi que metia forcados). Mas sou um grande amigo e defensor dos animais.
Eu: hmm hmm...
SR: Deve começar a ver o livro aí nas montras. Vai estar em todo o lado. Tem 850 páginas e mais de mil imagens.
Eu: hmmm hmmm...
SR: A próxima vez que nos encontrarmos quero ouvir a sua opinião sobre o livro.
Eu: Está bem...

É o que dá ter quatro semáforos para atravessar nos Restauradores. Uma pessoa quer só ir aos Correios e leva tanto tempo a passar a estrada que tem de ter conversas destas. Claro que eu também tenho um qualquer poder especial para atrair este tipo de pessoas. Nada a fazer.
quarta-feira, dezembro 02, 2009
Mea culpa, mea culpa

Está tudo muito bem, está certinho. Dado o número de reclamações, justifica-se uma explicação e devido pedido de desculpas à minha pequenada. Eu sei que pedi uma frase e depois vai-se a ver e os vencedores apresentaram textos generosos. Isto já aconteceu outras vezes e eu já devia saber do que a casa gasta, pelo que deveria ter pedido frases, poemas, contos de ficção, teses de mestrado e textos assim em geral. Mas não, só pedi frases e agora, quais membros do governo civil, alguns leitores estão quase, quase a impugnar o concurso. Pronto, não se zanguem mais que eu prometo que não volto a repetir o erro. Mas deixem-me que vos diga que me dei ao trabalho de ir confirmar e das 500 "frases" enviadas só umas 100 é que eram, efectivamente, frases. No que toca às insinuações de que houve favorecimento de amigos, cunhas and so on, aí pára tudo. Enviei TODAS as frases à Clinique, e assinalei as minhas favoritas (cerca de 30). A escolha dos vencedores não foi feita por mim. E eu gostava muito, que gostava mas, infelizmente, não conheço o João Afonso, da Senhora da Hora, a Mariana Rosa, de Lisboa, nem a Andreia Oliveira, de Santa Marinha do Zêzere, Baião. Não são meus amigos, nem sequer conhecidos (pessoais ou virtuais). São apenas pessoas que concorreram com textos giros. E, como tal, ganharam. E merecem.

Ah, e também me esqueci de anunciar a resposta correcta. O nome da maquilhagem de Natal da Clinique é Black Tie Violets.

AddThis