Pub SAPO pushdown

Ainda agora estava em Amesterdão e agora já estou cá

22.8.16

Este ano, quando o homem completou 40 bonitas primaveras, o meu presente para ele/nós foi uma viagem a Amesterdão. Não tanto pela cidade (que é maravilhosa, mas que ambos já conhecíamos), mas porque era lá que ia actuar o Louis CK, que é só assim um dos comediantes que ele mais adora neste mundo e que é absolutamente genial. E então lá fomos. Foram só quatro ou cinco dias, mas muito bem apoveitadinhos, com muitos quilómetros nas pernas a percorrer a cidade, com muitas fotografias (tenho uma máquina nova e ando numa excitação), com muita paz e sossego. Acho que foi das viagens em que mais museus visitámos e se vão a Amsterdão nos próximos tempos não podem mesmo perder:

- A exposição do Helmut Newton no FOAM, o museu da fotografia de Amesterdão: o Helmut Newton foi um dos maiores fotógrafos de moda de sempre, tinha uma visão absolutamente revolucionária para o tempo (nasceu em Berlim em 1920), com uma carga erótica fortíssima. A exposição é muito, muito boa.

- Passámos por acaso no Joods Historich Museum (o museu judeu) e acabámos por entrar para ver duas exposições: uma sobre a vida da Amy Winehouse (que dá vontade de ressuscitar e matar de novo, por ter desperdiçado tanto talento) e outra sobre fotografia na União Soviética. Foi lá que dei de caras com uma das fotografias mais poderosas de sempre, do Alexander Rodchenko, e que se calhar muitos conhecem por ser a capa de um livro da Elena Ferrante:



- No MOCO (museu de arte contemporânea) vimos mais duas exposições: uma do Banksy e outra do Andy Warhol. A segunda não achei nada de especial, porque já vi exposições mais completas do Warhol, mas a do Banksy surpreendeu-me. Acho-o genial pela forma como transmite mensagens duras de uma forma ou tão sarcástica ou tão suave. 

De resto, Amesterdão é uma cidade do caraças, uma das poucas na Europa onde eu seria capaz de morar. As pessoas são super simpáticas (apesar de não se ensaiarem nada em passarem-nos com uma bicicleta por cima), a cidade é linda, descobrimos lojas e restaurantes fantásticos e o tempo, apesar de fresquinho, ajudou à festa. Deixo-vos algumas fotos:


Diz que está na moda #39

18.8.16
Alerta, alerta, amantes de ténis (vulgo coisinhas mais confortáveis que alguém alguma vez se lembrou de criar para enfiarmos os pezinhos), há modelos novos (e outros não tanto) que estão a caminho para se instalarem como os must-have da estação. Fiquem de olho ou corram e agarrem-nos se puderem.

A Pipoca está loucaaa #144

17.8.16
Agosto vai a meio o que significa que Setembro está cada vez mais perto. Sim, é chato, percebemos que o Verão se aproxima do fim a passos largos mas, por outro lado, é um dos meus meses preferidos. Porque é óptimo para mudar, recomeçar, para fazer planos, definir objectivos. É assim uma espécie de Janeiro, mas com bom tempo. Setembro é perfeito para muitas coisas e uma delas pode ser renovar o roupeiro. Porque se vai começar um trabalho novo, porque se quer dar uma melhorada no estilo, porque estamos fartinhas de usar sempre o mesmo ou só porque... apetece. E o passatempo desta semana, em parceria com a Gracedition, pode dar uma enorme ajuda. Isto porque temos dois vouchers de 250 euros cada para usar em compras online no site da marca (válidos até 30 de Setembro). Para além disso, TODOS os participantes recebem um desconto de 15%


A Gracedition é uma marca 100% portuguesa, com colecções de edição limitada e que alia o design e a sofisticação a materiais de alta qualidade. O mote da marca é "be trendy, but be original", a pensar em mulheres que querem estar atentas às tendências sem perderem o seu próprio estilo. 

1- Fazer um "gosto" na página de Facebook da Gracedition;
2- Registar-se no site (canto superior direito do site);
3- Preencher o formulário abaixo até ao próximo dia 21 de Agosto (permitida apenas uma participação por endereço de e-mail, participações repetidas não serão consideradas);

Os vencedores serão escolhidos aleatoriamente através do Random.org. Boa sorte a todos.

Relativamente ao passatempo ZAXY da semana passada, as vencedoras foram:
Joana Romão, Lisboa
Núria Rodrigues, Maia
Marisa Olveira, Lisboa

Parabéns às vencedoras (que serão contactadas por e-mail) e obrigada a todos os participantes.

Querido, vamos mudar o quarto

12.8.16

A minha casa anda a precisar de levar uma grande volta. Do quarto do Mateus ao meu, passando pela sala e pelo escritório, apetece-me mudar tudo. TU-DO! Para o fazer, preciso de método e de definir prioridades, duas características com as quais não fui abençoada. Meto as ideias na cabeça e quero que fiquem prontas ontem e, preferencialmente, sem me darem trabalho. Mas isto vai mesmo ser uma empreitada. E eu ando a ganhar coragem para me dedicar a ela. O quarto do Mateus parece-me o mais fácil. Vou trocar-lhe a cama, arranjar mais arrumação e está feito. O problema é mesmo o meu. Quando mudámos para esta casa

Diz que está na moda #38

11.8.16

Os Adidas Gazelle, nascidos nos longínquos e loucos anos 60, estão de volta em todo o seu esplendor. A verdade verdadinha é que nunca se sumiram de vez, foram sempre sendo adoptados por esta ou aquela tribo, mas agora chegaram aos pés de tudo o que é fashion-it-coiso-girl e boom!, é vê-los a sair que nem pãezinhos quentes. Sou suspeita, acho-lhes muita graça e tenho duas cores às quais tenho dado muito uso (os pretinhos clássicos que vão com tudo e os rosa clarinhos/pêssego-ou-lá-o-que-é-aquilo).  Prestem atenção, que se ainda não os viram vão começar a vê-los por tudo quanto é lado. Deixo-vos alguns dos modelos disponíveis e mais uns looks para se inspirarem.

Hotéis sem crianças? Sim, mas...

10.8.16


Quando o Mateus tinha uns oito ou nove meses tentei reservar um hotel para irmos passar o fim-de-semana e foi-me dito que não aceitavam crianças. Não fiquei minimamente incomodada. Na verdade, até pensei "olha que boa ideia, quando me apetecer ir para um sítio sem berros e sopa a voar é mesmo para aqui que venho". Mas, naquele fim-de-semana em específico, queríamos mesmo levar o Mateus, por isso pus-me em busca de outras opções e rapidamente as encontrei. Porque, feliz ou infelizmente, a oferta para famílias continua a ser bastante ampla e para todos os gostos. São infinitamente mais os espaços que contemplam as crianças do que aqueles que lhes vetam a entrada, e ainda bem que assim é. Mas eu - e falo exclusivamente por mim - gosto de saber que também posso ir para um sítio children free, onde não há saltos em bomba para a piscina ou sprints no restaurante. Não me lixem, sabe bem.

Vem isto a propósito de

O país está a arder

10.8.16

É uma tristeza ver tanta área consumida, ver pessoas a perderem tudo, ver os bombeiros a multiplicarem-se num esforço desumano. Nestas alturas queremos ajudar, mas sentimo-nos sempre um bocadinho impotentes ou sem saber qual a melhor forma de o fazer. Do que fui lendo por aí, penso que o mais fácil talvez seja contactar os bombeiros da área de residência e perguntar o que lhes faz falta. Há pouco li que os bombeiros de Cascais, por exemplo, estavam a pedir água engarrafada, barras de cereais e fruta fresca. Há também algumas instituições que já se estão a organizar para recolher fundos. A Cáritas Portuguesa é uma delas e criou a conta solidária "Cáritas ajuda a Madeira". A conta está disponível na Caixa Geral de Depósitos com o número 0035 0697 0059 724 013 028. Se puderem fazer um donativo, por menor que seja, fará seguramente a diferença.

Se souberem outras formas de ajudar os bombeiros e as populações atingidas, por favor partilhem na caixa de comentários.

*foto agência LUSA

E o ouro para o mais gostosão vai para...

9.8.16
E eis que chegaram os Jogos Olímpicos e uma pessoa fica muito feliz porque, finalmente, pode ver o badmington, o ténis de mesa, o lançamento do martelo e uma catrefada de outras modalidades às quais ninguém liga nenhuma, mas que nos JO ganham todo um novo alento. Pela parte que me toca, sou menina para passar horas a ver a ginástica rítmica, o vólei feminino (para me babar para cima daqueles rabos esculpidos pela mão Deus) ou os saltos para a água. E depois, claro, é a Cidade Maravilhosa, e temos lá os nossos meninos, e a Telminha, essa grande benfiquista, já sacou uma medalha, portanto é tudo de bom. Estive acordada até às tantas a ver a cerimónia de abertura, que achei assim um coisa do outro mundo (Brasil a sambar na cara dos inimigos), e suspirei de alívio por a Gisele ter desfilado pela última vez, porque ninguém merece ter de estar a levar com aquelas pernas, aquele cabelão, aquela perfeição ambulante. Raça da mulher, que se reforme e me desapareça da vista. 

Booooooom, mas há vários outros motivos pelos quais vale a pena assistir aos Olímpicos. Motivos mais nobres. Motivos que fazem com que se passe a dar todo um novo valor à natação, ao triplo salto ou ao boxe. Motivos que justificam que não se pregue olho a noite inteira, se preciso for, a ver repetições, e não interessa nada que no dia seguinte seja preciso ir trabalhar. Só há Jogos a cada quatro anos, por isso não nos moam o juízo. Como eu sei que vocês são pessoas com vidas preenchidas e trabalhos a sério (não é como eu), dei o corpo ao manifesto e entreguei-me à tarefa, duríssima, de escolher os vinte atletas mais gostosos dos Jogos Olímpicos 2016. É óbvio que não é uma lista estanque, é óbvio que haverá muitas outras selecções com exemplares dignos de vir aqui parar, é óbvio que haverá sempre alguém a sugerir um moço do Laos, ou do Lesoto ou do Palau, mas, meus amigos, não tive tempo para percorrer (salvo seja) os atletas de mais de 200 países. Mas acho que temos aqui 20 bons - muito bons - exemplares. O que vos sugiro é que os percorram (salvo seja, novamente... e infelizmente) e que atribuam a medalha de ouro ao mais gostosão. Sou honesta, não vos digo que é um trabalho fácil, por isso percebo perfeitamente que tenham de ver a lista várias vezes, ampliar as fotos, apreciar os detalhes. É um trabalho moroso, mas se queremos qualidade e um resultado fidedigno, temos de nos dedicar a isto com rigor. Sejam fortes, coragem:



AddThis