Pub SAPO pushdown

Rio maravilha #3: Angra dos Reis

quarta-feira, março 01, 2017

Quando viajo tendo a fugir de excursões como o Diabo foge da cruz. Acho sempre que são caras, quase sempre mal organizadas, e aquela coisa da obrigatoriedade de andar sempre com um grupo atrás e de não poder estar o tempo que quero a ver o que quero, causa-me algum nervosismo. Por isso evito. Ou é para ver alguma coisa absolutamente imperdível, ou então deixo-me estar sossegada. Mas, desta vez, no Rio, vacilei. O guia que nos levou do aeroporto ao hotel apresentou-nos algumas propostas e acabámos por decidir ir passar um dia a Angra dos Reis, a 150 km do Rio, em modo excursão. Tirando a viagem de autocarro até lá (uma estopada), o programar era giro: um passeio  num barco que ia parando em várias ilhas, para a malta poder mergulhar, ficar estendida ao sol ou dar uma volta. Foi o dia todo nisto e foi mesmo giro, sobretudo porque as praias são maravilhosas, a água é óptima e as ilhas são muito bonitas. No Rio a praia não é nada de especial, o mar é um bocado agreste, por isso foi bom mergulhar em águas mais calminhas e transparentes. Não tirei muitas fotos, porque estava mesmo uma de sopas e descanso (aproveitar mais, registar menos), mas ficam as fotos possível, dá para ficar com uma ideia daquele pequeno paraíso.

Novidades fresquinhas #73

quarta-feira, março 01, 2017
A Furla faz noventa anos (uoooooohhhhhhh!) e decidiu comemorar em grande, com uma colecção cápsula de um dos seus modelos mais icónicos (e o meu preferido), a Metropolis. São nove exemplares, cada um deles inspirado numa década da vida da Furla. Ou seja, dos anos 20 do século passado aos anos 2000, com detalhes específicos de cada uma dessas épocas. Por exemplo, a carteira dos anos 20 inspirou-se na Art Déco, a dos anos 30 no jazz, a dos 60 nos Beatles, a dos anos 80 no rock, and so on, and so on. A colecção só chega em Maio e, tenho para mim, os precinhos não serão nada simpáticos (tendo em conta que uma Metropolis "normal" custa 250€), mas há ali três ou quatro que podiam muito bem dar início a uma relação séria comigo. Pela parte que me toca, estou disponível.


A UBER é fixe

terça-feira, fevereiro 28, 2017


Apesar de continuar a ser grande utilizadora do metro para as deslocações casa-trabalho-casa, a UBER já é praticamente o transporte que mais uso. Não é propriamente novidade, já aqui falei várias vezes das qualidades do serviço e do quanto sou fã, por isso é normal que dê por mim a utilizá-lo cada vez mais. Muitas vezes dou por mim a pensar "ora bem, tenho de ir até não sei onde, tenho de pegar no carro, gastar gasolina, perder uma vida à procura de estacionamento, pagar estacionamento, enervar-me no trânsito... esquece, vai de UBER". 

E é o que faço. Gosto de muitas coisas na UBER (o preço, a comodidade, os carros limpinhos, a musiquinha boa, os motoristas simpáticos e prestáveis e que me fazem rir, o facto de às vezes nos oferecerem água ou rebuçados, as iniciativas solidárias) mas uma das minhas preferidas é, talvez, o facto de não ser uma empresa estagnada. Nota-se uma preocupação efectiva com os clientes (coisa que vai rareando nos dias que correm), há sempre novos serviços a surgirem. O mais recente é o uberSTAR, que já está em funcionamento em Lisboa e no Porto, as duas primeiras cidades europeias a oferecerem esta opção, e que fui convidada a experimentar.

E o que é o uberSTAR, perguntam vocês? Estão a perguntar? Sim? Ok, eu explico: é um serviço desenhado para os utilizadores que usam a UBER com mais regularidade, disponibilizando-lhe os motoristas com maior pontuação. Para quem não sabe como isto funciona, depois de cada viagem de UBER atribuímos entre uma e cinco estrelas, conforme o que achámos do serviço (e os motoristas fazem o mesmo em relação aos passageiros). Isto faz com que cada motorista tenha a sua pontuação. Com o uberSTAR podemos pedir, sem um custo adicional, uma viagem com os motoristas com as pontuações mais altas da cidade. Aqueles que, segundo os utilizadores, foram mais simpáticos, cuidadosos, com uma boa condução. A crème de la crème da UBER. =)

Isto é uma mais valia para os clientes (gosto de saber que estou em mãos, se bem que nunca tive o mínimo problema nas inúmeras viagens que já fiz), mas é também uma forma de reconhecer e premiar os melhores motoristas. E eu acho isso fixe. 

Quem é que pode ter acesso ao uberSTAR? Um cliente que complete, no mínimo, doze viagens mensais nas cidades nacionais. Quando o fizer, no mês seguinte terá acesso automaticamente a este novo serviço, assim como a várias outras vantagens: ofertas exclusivas e horários alargados em futuras iniciativas on-demand, como o UberICECREAM ou o UberTREES.

Estou numa de UBERizar o país. =)

A Pipoca está loucaaa #187

terça-feira, fevereiro 28, 2017

Pensavam que por ser Carnaval não havia passatempo? Claro que há, e é MA-RA-VI-LHO-SO! Ora bem, eu sei que vocês são pessoas que se preocupam com a pele, que estão atentas às novidades no mundo da beleza e que, claro, não se importam nada de receber uns produtinhos de quando em vez. Certo? Certo. Então vão ficar a dar palminhas de contentamento quando souberem que, em parceria com o Boticário-do-meu-coração, tenho cinco produtos da nova linha Make B Cuidados Faciais para vos oferecer. Esta linha, que tem como rosto a gira da Mariana Monteiro, apresenta variadíssimos produtos divididos em soluções por necessidade, e não por idade ou tipo de pele. No total, são sete produtos  divididos em três fases: tratamento, pré e pós maquilhagem. Um detox com vitamina C pura, um multiprotector com FPS 50, um primer antioleosidade ou um desmaquilhante micelar são apenas algumas das muitas novidades desta nova linha que chegou às lojas Boticário no dia 22.

Para se habilitarem a receber estes pack de cinco produtos, só têm de:

Óscares 2017: está tudo estragado

segunda-feira, fevereiro 27, 2017

Meus amigos, vi por aí rasgadíssimos elogios a este Vuitton da Alicia Vikander, e Deus sabe como sempre a defendi, mas este vestido não vai lá nem com molho de tomate. É um misto de dama antiga, com sevilhana e bailarina de can-can, com deixa-me aqui pôr umas transparências meio porquitas, e matar isto tudo com a sandália que usava para sair à noite nos tempos em que ouvia o cd do Fido Dido. Como diz uma amiga minha, parece aquele emoji da bailarina, mas na versão de luto. Como se não fosse suficientemente "estou-me a cagar para isto tudo", ainda me leva um penteado "fui a Carcavelos mas não quis molhar o cabelo". Socorrooooooooooooooooo! Desgosto da noite.


E qual é assim o grande life goal de qualquer pessoa? Ir aos Óscares, que são só a cerimónia a que mais gente assiste, e mostrar o pipi ao mundo inteiro, em directo. Que maravilha, isso é que foi arejar. Bravo, Blanca Blanco (nome mais redundante de sempre). Uma pessoa até quase se esquece que levavas duas alcachofras nos ombros, feitas em papel de parede dos anos 70. É assim mesmo, sua confiançuda.

Ah, e tal, o glamour de Hollywood dos anos 50. My ass, isto é só de fugir. E achava eu que ela tinha estado mal o ano passado, por comparação estava um arraso. Não consigo gostar de decotes de pontas pontiagudas, não consigo gostar do comprimento do vestido, não consigo gostar das sandálias (primas das da Alicia Vikander) e não consigo gostar daquele bocado de vestido que parece uma nuvem negra a persegui-la. Melhores dias virão.

Obrigada, Halle Berry, lá onde está de certeza que a Whitney Houston apreciou a homenagem. Depois houve só aquele problema de teres sido apanhada pelas redes de pesca de uma embarcação de Caxinas, mas conseguiste safar-te a tempo dos Óscares. 

Ninguém disse à Leslie Mann que foi a Emma Watson ficou com o papel de Bela no "A Bela e o Monstro". Mas bom esforço. Gosto muito do ar "tenho um Smart estacionado debaixo da saia e vocês nem fazem ideia".

Janelle Monae, o Rio de Janeiro ligou. Quer o fato da porta-bandeiras da Unidos da Tijuca de volta. Favor entregar rápido que o Carnaval é já amanhã.

A Octavia Spencer envolveu-se numa luta com gansos selvagens e sabemos bem quem é que ganhou.

Afinal a Faye Dunaway conseguiu uma proeza pior do que atribuir o prémio de melhor filme ao La La Land.

A Ava duVernay não arranjou onde ficar, já estava tudo cheio em LA, por isso acabou por pernoitar debaixo do vestido e ainda conseguiu abrigar a Simara.
Quando se fala em vestido feio, penso que temos aqui um belíssimo exemplar.

Cynthia Erivo e a colcha.

Óscares 2017: e começamos a derrapar

segunda-feira, fevereiro 27, 2017
Sabes, Charlize, quando nos habituam a dar sempre o seu melhor, depois não se admitem falhas. Tu eras aluna de 5 mas, pelos vistos, relaxaste, e então vai de me apareceres com um vestido que te acrescenta um bom meio metro de diâmetro, que te assenta mal, que te faz parecer um saquinho de batatas novo rico, assim em dourado. Valha-me santa Dior. Bem, este período levas um 3, para ver se no próximo te esforças mais.

Óscares 2017: vestidos "sim senhora, safaram-se"

segunda-feira, fevereiro 27, 2017
A Taraji só não vai para a lista dos preferidos porque este modelo já se viu aí umas 350 vezes, não traz nada de novo. Agora, eu gostava era comer o que ela anda a comer para estar com este corpaço. Sacana.

Óscares 2017: os "preferidos" (dentro do género)

segunda-feira, fevereiro 27, 2017
As últimas edições dos Óscares têm sido fraquitas no que diz respeito a trapos, mas esta, benzáDeus, tem entrada directa para o top das mais mornas e sem sal. Para começo de conversa, faltaram ali alguns pesos pesados, gente com quem uma pessoa sabe que pode contar. Cadê uma Cate Blanchett? Cadê uma Julianne Moore? Cadê uma Jennifer Lawrence? Cadê uma Sofia-boazona-Vergara? Cadê a deusa Gwyneth? Não estavam para aí viradas? Tinham o jantar ao lume? Já estão fartas disto? Uma pena. Uma pena porque foi tudo muito aborrecido, tudo muito sem graça, tudo muito pouco esforçado. E, posto isto, desta vez não tenho um preferido, um que me corte a respiração, um pelo qual fosse capaz de dar um rim, um que me tenha dado palpitações. Foi tudo assim nhé. Ainda assim, houve alguns que se destacaram no meio do enorme bocejo que foi a noite de ontem. Aqui ficam os meus "preferidos":

Estava quase a sucumbir de tédio quando a Viola Davis surge, qual lady in red, e me fez agradecer a todos os santinhos. Ahhhh, um bocadinho de cor, um bocadinho de alegria para os meus olhos. O vestido não é de cortar a respiração, que não é, mas é simples, é bonito, a cor fica-lhe lindamente, todo o conjunto resulta e a Viola passeou-se por ali como quem diz "estão a ver, suas bimbas? É só isto, não inventem". O Oscar foi tão, tão, tão merecido, que prestação incrível, que actriz do caralho caraças.

Que barracada, senhores, que barracada

segunda-feira, fevereiro 27, 2017

A coisa parece ser bastante simples: os nobres membros da Academia juntam-se para escolher os vencedores dos Óscares, passam a informação confidencial a alguém, e esse alguém só tem de escrever os nomes num papel, enfiá-los num envelope e entregá-los ao apresentador de cada categoria na grande noite do cinema. Não tem nada que enganar, certo? Errado. Muito errado. 

Ontem o mundo assistiu, em directo,  a uma das maiores barracadas de sempre.

Mateus, I am your mother

quinta-feira, fevereiro 23, 2017
Ontem foi dia de Carnaval na escola do Mateus, o que significava, claro, que toda a criançada tinha de ir trajada a rigor. Eu gostava muito de ser uma pessoa prendada e dada à costura, para criar o mais incrível disfarce de sempre, mas não sou, por isso peguei no miúdo e levei-o à loja da Disney, para que escolhesse o que mais gostasse. Havia muita variedade, mas para a idade dele já estava tudo um bocadinho escolhido (pais precavidos que compram as máscaras logo em Setembro), por isso a coisa resumiu-se a um "queres ir de Chapeleiro Louco, de Buzz Lightyear, de Darth Vader, de Woody do Toy Story, de Vaiana ou de Elsa do Frozen?". Experimentámos uns quantos fatos, eu estava mais inclinada para o Buzz, ele queria todos, por isso teve de ser uma chamada via Facetime para o pai a decidir. Maluquinho como ele é pelo Star Wars, já sabia que ia escolher o Darth Vader, e assim foi, fato de Darth Vader com máscara, com luvas, com barulhos, toda uma loucura. 

Ontem acordei o Mateus toda excitada, a achar que ele ia amar ir mascarado para a escola, mas , aparentemente, eu era a única entusiasmada naquela casa, porque ele montou toda uma birra, que não queria, que não queria, que não queria. Comecei a ver a vida a andar para trás, ainda pensei mandá-lo à paisana para a escola, mas tinha a certeza que assim que lá chegasse e visse todos os meninos mascarados ia começar a choramingar por ser o único sem fato. Então lá recorri a toda a paciência e pedagogia possíveis para as oito da manhã - quando tudo o que quero é despachar-me -, convenci-o de que ia ser a coisa mais espectacular de sempre, que ia ser uma grande festa e blá-blá-blá-whiskas-saquetas, e ele lá entrou no fato. Como é óbvio, o efeito espectacular perdeu-se um bocado quando tive de lhe pôr os dois acessórios que arruinam todos os fatos de carnaval da miudagem: os sapatos e o casaco. Quem nunca foi um homem aranha ou uma fada de botas ortopédicas e kispo que ponha o dedo no ar? É o flagelo do nosso carnaval, nada a fazer. Ainda pensei comprar-lhe umas botas pretas de propósito, mas achei que não valia a pena, dificilmente as voltaria a calçar. Quanto ao casaco... teve de ser. É Fevereiro, está frio e prefiro um Darth Vader descaracterizado do que um constipado.

 Bom, depois da birra em casa, chegou à escola e claro que entrou logo no espírito carnavalesco, ao ver uma quantidade de Chases da Patrulha Pata, e bombeiros, e Dras. Brinquedos, e Brancas de Neve, e polícias, e outros Darth Vader e sei lá mais o quê. Ao ponto de hoje ter pedido para ir novamente vestido à Darth Vader. No way. Desconfio que até ao Carnaval propriamente dito não vai querer outra coisa. E o que eu adoro os caracóis a saltarem por todo o lado? <3 p="">







AddThis