Pode ser que assim seja mais fácil

31.10.14
Sabendo do meu, vá, ligeiro pânico receio em andar de avião, a Samsonite fez-me chegar dois produtos de extrema utilidade, numa tentativa (fofinha, admito) de tentar minimizar o meu sofrimento. Pois que me chegou cá a casa um In Flight Confort Kit, que inclui uma daquelas almofadinhas insufláveis óptimas, um tapa-olhos (desconheço se há um nome mais técnico para isto), tampões para os ouvidos e ainda uma bolsinha transparente. Para além disto, recebi ainda uma manta de viagem, macia que só ela, e que não ocupa espaço nenhum. Obrigada, Samsonite. Se com isto me conseguirem pôr a dormir já é uma bela ajuda!




Hoje deu-me para isto #238

31.10.14

A Margarida precisa de ajuda!

31.10.14
Entre ontem e hoje foram muitas as pessoas que me enviaram e-mails a pedir para divulgar a história da Genny, à qual é impossível ficar indiferente. A Genny foi morar com o marido para o Dubai, em busca de um vida melhor. Anteontem, aconteceu o impensável: devido a um estado de pré-eclampsia, a Genny teve de fazer uma cesariana e a Margarida nasceu, assim, às 25 semanas, com apenas 410 gramas. Não têm seguro que cubra os custos hospitalares, que são de cerca de mil euros por dia para cada uma, mãe e bebé, e a situação está a ganhar contornos dramáticos. Os amigos criaram uma página de Facebook, para alertar o máximo de pessoas, e estão a pedir a todos que contribuam com o que possam. Aparentemente, nada pode ser feito a nível político ou diplomático, por isso a Genny e a Margarida dependem apenas da boa vontade alheia. A reportagem passou esta noite na SIC, mas é preciso mobilizar ainda mais pessoas. Deixo-vos o link para a página de Facebook onde poderão consultar toda a informação, nomeadamente as formas de ajudar:

https://www.facebook.com/ajudar.genny.gui?fref=photo

Deixo-vos também um texto escrito pela Sílvia Torres da Silva, uma das pessoas que estão a mobilizar esforços para que a Genny e a Margarida tenham o apoio que tanto precisam:

"Ontem, revirei a despensa à procura do peso da Margarida. 410 gramas. Queria 410 gramas. Ali estava. Peguei na lata incrédula. Envolvi o alumínio em pano, para me abstrair do frio e das arestas. Fechei os olhos. Margarida! Como é possível? Como embalar 410 gramas? Como suportar a incerteza de cada instante, sob o peso esmagador destes 410 gramas? Assim nasceu a Margarida. Ou melhor, nasceram-na. Cesariana de emergência às 25 semanas de gestação. As circunstâncias da vida ficam a dever-lhe 15 semanas. As circunstâncias da vida deixam os pais da Margarida a dever uma fortuna incomportável ao hospital, longe, muito longe de casa, no Dubai, para onde se mudaram, como tantos portugueses, nestes tempos de má memória, em perseguição do concreto, tão concreto como o que vestem e comem, ou não fossem os sonhos um luxo interdito.
Sonhemos, então, com o elementar: a vida da Margarida. Tomemos os seus 410 gramas como ponto de partida. Apoiemos estes pais – o Gonçalo e a Genny, ainda ensombrada pelo risco da sua própria situação clínica, ainda internada, certa de que não terá como pagar os cuidados que agora lhes prestam, a ela e à filha, lá longe, muito longe de casa.
É de peso a nossa força, gigantesca a nossa dimensão de portugueses! Somos nós e esses 410 gramas. Vamos ajudar a Genny e a Gui."

Aaaaaaaaai, as bolachas!

30.10.14
Depois de aqui vos ter falado das bolachas Gullón, tenho a dizer que o consumo cá por casa continua animado, ao ponto de ter conseguido eleger o meu top três:


As Tortitas de milho e chocolate negro, os Barquilhos de baunilha (e os de chocolate também, pronto) e as Ronditas, todos da linha Diet Nature, conquistaram um lugarito no meu coração. E por aí, há preferidas? Vocês partilhem, que o meu coração é grande e cabem sempre mais umas quantas!

Pintar o cabelo e ser solidário? Sim, é possível!

30.10.14
E no dia em que falamos da prevenção do cancro a mama, nada como falar-vos aqui de uma acção que associa a beleza à solidariedade. Depois do sucesso da edição do ano passado, está aí mais uma edição da Hairstylist Week. E o que é a Hairstylist Week, perguntarão os meus leitores mais abstraídos do mundo? Pois bem, é um projecto solidário que, de 10 a 16 de Novembro, vai permitir que façam um serviço de coloração e brushing por apenas 25€. Este preço promocional será praticado em 120 salões aderentes, de Norte a Sul do País, com dois euros a reverterem a favor da Associação Laço, para uma bolsa de investigação sobre as causas do cancro da mama e do cancro metastático.


Vai ser muito fácil aderir a esta iniciativa. No final do mês, a Redken irá disponibilizar uma aplicação na sua página de Facebook onde poderão consultar os salões aderentes. Depois, só têm de escolher, fazer uma marcação por telefone e imprimir o voucher disponível nessa mesma aplicação. Para que a onda de solidariedade seja enorme, a organização da Hairstylist Week convida todos os aderentes a partilharem selfies com a sua nova coloração de cabelo, utilizando os hashtags #coloragainstcancer e #hairstylisweek e desafiando os seus amigos a participarem.


Fui convidada, juntamente com a Luísa Barbosa e a Vanda Miranda, para ser uma das embaixadoras deste projecto e, claro, aceitei o convite de imediato.  Espero que aproveitem esta acção, porque o preço é realmente convidativo (quem, como eu faz coloração, sabe que estes serviços costumam custar uma pequena fortuna), porque podem visitar alguns dos melhores salões e, claro,  pela causa associada, que é tão relevante.

Hoje deu-me para isto #237

30.10.14

Contra o Cancro da Mama, lutar, lutar!

30.10.14


Comemora-se hoje o Dia Nacional da Prevenção do Cancro da Mama, o cancro mais comum entre mulheres, um dos mais mortíferos, mas também um dos que, se detectado atempadamente, tem uma alta taxa de sucesso no seu combate. Segundo a Liga Portuguesa Contra o Cancro, são detectados em Portugal  4500 novos casos todos os anos. A prevenção é a palavra de ordem, por isso é MUITO importante que estejam atentas ao vosso corpo e a todos os sinais, que façam o auto-exame da mama, que se sejam acompanhadas a nível ginecológico ou que, se têm mais de 45 anos, participem no Programa de Rastreio do Cancro da Mama.


Saibam mais sobre os Factores de Risco no site da Liga Portuguesa Contra o Cancro e, se possível, participem também no peditório nacional de 31 de Outubro a 3 de Novembro. Vejam também aqui como ajudar a Associação Laço, que financia bolsas de investigação na área do Cancro da Mama.

Relembrar-vos ainda que a t-shirt que desenvolvi em parceria com a Swarovski para a iniciativa Swarovski Pink Hope, continua à venda nas lojas da marca e que os 25 euros do custo revertem integralmente para a Laço.

Os quatro piscas não servem para a eternidade!

29.10.14
Morando numa rua que tem comércio a dar com um pau, o pão nosso de cada dia aqui por estas bandas é chegar ao carro e ter algum a bloqueá-lo em segunda fila. Acontece-me para aí três vezes por semana. As pessoas abandonam os seus carros alegremente, em quatro piscas, e lá vão às suas comprinhas. Quando digo "compras" não é um salto à padaria ou uma entrada por saída na farmácia para comprar um medicamento. Não, as senhoras (são quase sempre senhoras) vão comprar malinhas e vestidos com toooooda a calma do mundo, indiferentes ao facto de estarem atravancadas no meio da estrada. E depois, claro, lá tenho eu de buzinar para o bairro inteiro ouvir. Ontem estive mais de dez minutos a buzinar, já consumida pelos nervos, a ver o tempo a passar. Às tantas lá apareceu a senhora, com o seu saco de compras, e perante o meu "não pode deixar o carro aqui e ir à sua vida, pelo menos esteja atenta para o caso de alguém buzinar", a única coisa que obtive foi silêncio do outro lado. Enfiou-se no carro e ala que se faz tarde, com um ar ligeiramente incomodado. Acho isto lindo. Desconfio que as pessoas acreditam que o simples facto de accionarem os quatro piscas é, por si só, suficiente, é o que legitima a acção. Se estão em quatro piscas então podem demorar o tempo que quiserem, não vale a pena porem-se com pressas nem buzinadelas que não é isso que vai fazer com que se despachem mais rápido. Depois, sabem que o máximo que vão encontrar quando regressarem é alguém furioso por ter estado à espera. Regra geral ninguém chama a polícia, porque se é um facto que as pessoas demoram a vir tirar os seus caros, também é verdade que a polícia consegue demorar ainda mais. Por isso deixam-se estar tranquilamente, se calhar até ouvem uma buzina ao longe, mas nem dão ao trabalho de ir ver se é o carro delas. E quando voltam, ao fim de uma vida, parece que ainda ficam à espera que sejam os outros, os lesados, a pedir desculpa por terem buzinado e incomodado. Só falta dizerem "não viu que eu tinha os quatro piscas ligados? Quando temos os quatro piscas ligados não há problema nenhum em atrasarmos a vidinha dos outros". Pessoas, tenham juízo. Ou um bocadinho de civismo, vá. Só um bocadinho.

Desafio Verão a Mil: a vencedora

29.10.14

No início do mês falei-vos aqui do Obesimed®Forte e do desafio Verão a Mil, que incentivou as portuguesas a perderem peso de forma saudável. Foram eleitas 13 mulheres com excesso de peso, que foram relatando a sua experiência e partilhando receitas, dicas de desporto, vídeos, etc. A grande vencedora já foi conhecida, chama-se Alexandra Alcobia e eu tive a oportunidade de lhe fazer umas perguntinhas. Gostei muito da sinceridade e simplicidade com que respondeu, como percorreu todo este processo e reconheceu que não foi fácil, mas que valeu muito a pena. Acho que é um óptimo testemunho para quem está a passar pela mesma luta e precisa de alguma motivação. Na verdade, acho que a Alexandra é um óptimo exemplo, seja para quem for. Acho imensa graça quando diz que antes só pensava em ficar no sofá a comer e a ver séries, e que agora é a primeira a desafiar a família para caminhadas e para comerem de forma saudável. Vale a pena ler.




Como correu todo este processo de perda de peso?
Decorreu de forma natural e sem stress, sempre com objectivos pessoais. Todas as semanas estabelecia num post it o peso que queria perder e no final de cada semana apontava  o que realmente tinha perdido. Umas semanas alcançava o objectivo, outras nem tanto, na semana seguinte esforçava-me mais e perdia o que queria perder nessa semana e mais o que faltava da anterior. É claro que tive uma grande ajuda do Obesimed®Forte, mas também tive que ter muita força de vontade e motivação, porque desde o primeiro minuto tive noção que não existem milagres. Se realmente queria perder peso então, como em tudo na vida, teria de trabalhar para isso. Trabalhei, trabalhei e muito, mas valeu e continua a valer a pena!

Quantos quilos perdeu?

Hoje deu-me para isto #236

29.10.14

AddThis