Pub SAPO pushdown

Passatempo Tuc Tuc

sexta-feira, maio 25, 2018


Nisto dos filhos, como em quase todo, há quase sempre um lado bom e um lado mau. Do género, "que fixe que já não usa fraldas... mas agora é preciso ir com ele à casa-de-banho". Ou "ainda bem que já não dorme sesta... mas agora nós também já não podemos dormir".  Ou "que fixe que já come sozinho... mas demora uma hora e espalha comida num raio de sete quilómetros". Ou "ahhhh, já não é preciso levá-lo de carrinho para todo o lado... mas quando adormece lá temos nós de alombar com 15 quilos". Pois, é a vida. No que diz respeito ao último tema, o do carrinho, já nem me lembro da última vez que o Mateus andou num. Foi, seguramente, há mais de um ano. Não é um miúdo que faça grandes dramas para andar a pé, não é muito de pedir colo, por isso o "desmame" do carrinho correu bem. Mas às vezes bate uma saudade. Em mim, não nele. Se têm aí por casa crianças que estejam na fase de deixar o carrinho de bebé e passar para o próximo, vão gostar do passatempo de hoje. É que, em parceria com a Tuc Tuc, temos para oferecer um carrinho de segunda idade modelo TIVE, que é só assim uma fofinhice pegada. E podem escolher entre o carrinho Stories ou o People.


Há muitas coisas boas sobre este carrinho de passeio. É muito, muito fácil de manusear (tem uma dobragem compacta em formato livro, abre e fecha apenas com uma mão), adapta-se facilmente a todos os terrenos, pode ser usado por crianças até aos 15 quilos (e logo a partir do nascimento), tem suspensão nas rodas traseiras e dianteiras, pesa 8 quilos, tem encosto reclinável (dá um jeitão para as sestas, vão por mim) e... é lindão!


Para se habilitarem a levá-lo para casa só têm de:

Nem só de malas de viagem se faz a Samsonite

quinta-feira, maio 24, 2018
Tenho a certezinha absoluta que se fosse para a rua perguntar "o que é que lhe vem à cabeça quando pensa em Samonite?", toda a gente responderia "malas de viagem". É normal e é óptimo. Afinal, a Samsonite é mesmo a marca de viagem mais conhecida no mundo. Mas, a verdade, é que tem mais do que isso. Muito mais. E é cada vez mais uma marca de lifestyle, com uma data de produtos para todas as ocasiões. Prova disso são as linhas de mulher, que crescem a olhos visto e que trazem produtos pensados para uma mulher moderna, que anda sempre a mil, que tem de fazer 300 coisas por dia, que tem de se desdobrar em dúzias de tarefas mas, ainda assim, quer manter um ar moderno e feminino. 

Tenho acompanhado com especial curiosidade o desenvolvimento das colecções de carteiras, que estão cada vez mais giras. E práticas. Sempre a pensar no equilíbrio entre o estilo e o funcional e que sejam facilmente adaptáveis para uma data de situações, que tanto dêem para ir trabalhar como para um jantar de amigas. Porque, já se sabe, a grande maioria de nós somos pouco dadas às mudanças de carteira, não há cá tempo a perder. 

Nas lojas e no site da Samsonite podem encontrar todas as novidades.  A mais recente e assim mais txanan é, provavelmente, a linha My Samsonite, que pode ser personalizada com as nossas iniciais, o que as torna únicas e exclusivas.


Mas há também a novíssima linha Almond Blossom, em parceria com o Museu Van Gogh (e que está lindaaaaaa), ou a Karissa em parceria com a Swarovski. E, claro, não faltam mochilas e mais mochilas, que dão um jeitão. Uso muito em viagem, mas quero ver se começo a dar-lhes mais uso no dia-a-dia. Deixo-vos uma pequena amostra dos MUITOS modelos que podem encontrar na Samsonite. Se se apaixonarem por algum, sigam o vosso instinto, que a vida são dois dias e um é para comprar carteiras =)




Post em parceria com a Samsonite

Centro do Bebé: oito bons motivos para fazer o curso de preparação para o parto

quinta-feira, maio 24, 2018

Já vos tinha dito aqui que estava a fazer novamente o curso de preparação para o parto. Sim, eu sei que já sou mãe, mas isso está longe de fazer de mim uma especialista no assunto e, acreditem, ao fim de cinco anos já esqueci muita coisa. É mais ou menos como quando tiramos a carta: há uma data de informação que decoramos para passar no exame, mas depois apaga-se imediatamente da nossa mente. E eu sinto-me um bocado assim. Por uma questão de sobrevivência, acho que eliminei da minha cabeça todas as informações sobre a gravidez e sobre recém-nascidos, por isso achei que era uma boa ideia repetir o curso. E não estou nada arrependida. O primeiro foi feito no Espaço Cegonha mas, entretanto, grande parte da equipa saiu e abriu o Centro do Bebé. Incluindo a enfermeira Luísa Sotto-Mayor, que é só assim incrível. Por isso, desta vez não hesitei em ir atrás da equipa que me tratou tão bem da primeira vez. 

Há quem diga que basta ler uns livros, ver uns vídeos no You Tube ou falar com outras mães para ficarmos preparadas, mas eu acho que um curso de preparação para o parto nos dá outra bagagem. Não é tudo, mas é uma grande parte, tudo começa a ganhar contornos muito mais definidos. E é por isso que eu acho que toda a gente deve fazer. Se ainda estão com dúvidas, deixo-vos aqui oito bons motivos:

1- Convenhamos, numa primeira gravidez não sabemos coisa nenhuma, a malta nem sabe muito bem por onde é que os bebés saem. É muito do género "como assim, não vêm de Paris no bico de uma cegonha, todos eles enrolados em algodão e cenas fofinhas?". Estou, obviamente, a exagerar, mas o curso de preparação para o parto foi uma espécie de epifania, de repente fez-se luz sobre uma data de coisas. Verdade que a aprendizagem assim mesmo a sério começa com o bebé cá fora, mas eu senti que o "estágio" foi imprescindível, já não ia completamente às escuras. Preparem-se para falar de coisas como receios e expectativas, o plano de parto, a fisiologia da gravidez, a comunicação com o bebé in utero, sinais do trabalho de parto, partos induzidos ou por cesariana, amamentação, cuidados do bebé, alterações físicas e emocionais da mãe, pós-parto, etc etc.

O que é meu é vosso

quinta-feira, maio 24, 2018


E pronto, cheguei àquela altura da vida em que sinto a suprema necessidade de proceder a um destralhanço. A última venda que fiz do meu closet foi há um ano e meio por isso, e como imaginam, de lá para cá deu para acumular muiiiiiiiita coisa. E agora está  na hora de lhe dizer adeus. Não só porque já me vai faltando espaço (quando é que alguma vez o tive?), mas porque não me apetece mesmo ter tanta coisa (fica tudo um caos) e porque se perspectiva uma mudança para uma casa mais pequena, por isso mais vale ir já praticando o desapego.

Posto isto, o que é que vão poder encontrar nesta venda? Um bocadinho de tudo: acessórios (carteiras, colares, anéis, óculos de sol), calçado, roupa, cenas desportivas (ténis, equipamento), produtos de beleza e, talvez, livros (ainda estou a pensar se levo ou não). Tudo com muito, muito pouco uso ou mesmo a estrear e, claro, com precinhos muito simpáticos e amigos das vossas carteiras. Na próxima semana irei  mostrando, nas Instastories, algumas peças que terei à venda por lá. E porque nem só de compras se faz este grandiosíssimo evento, terão à vossa espera ofertas de algumas marcas, como a Rituals, a Loacker ou a Lays (se houver outras que se queiram juntar, é só dizer).

Não há valor de entrada mas, como acontece em todas as minhas vendas, peço-vos que levem algum produto para  doar à Ajuda de Mãe. A saber:
  • Roupa e Acessórios para grávidas e para bebés;
  • Material de Puericultura: esterilizadores, biberões, chuchas, termómetros;
  • Mobiliário de bebé: cadeirinhas, carrinhos, alcofas, camas de grades;
  • Produtos de higiene para as mães e para os bebés: champôs, gel banho, sabonete, creme de assadura, soro fisiológico;
  • Fraldas e toalhitas;
  • Produtos Alimentares:leite, enlatados, massas
  • Alimentos de bebé: leite em pó para biberão (de preferência de 3 meses) e papas.
  • Roupa e artigos de casa
Informações práticas:
- A venda vai acontecer no dia 2 de Junho, sábado, no hotel Sheraton (ali entre o Saldanha e o Marquês de Pombal). Começa às 11h00 (para não terem de saltar da cama muito cedo) e termina às 20h00;
- Não haverá multibanco, mas ali na zona não faltam sítios para levantar dinheiro;
- Também não costuma ser complicado estacionar ali pelas redondezas, mas há um parque de estacionamento subterrâneo mesmo em frente e o metro de Picoas fica a meia dúzia de metros;
- Peço-vos, por favor, que levem sacos. Eu terei alguns mas sei que não chegarão para toda a gente;

E pronto, acho que é isto. Espero ver-vos por lá, mais não seja para dois dedos de conversa. Se quiserem levar chocolates e bolinhos, a grávida-mamute agradece. Estou a brincar, já tenho comida armazenada no bucho para os próximos dez anos.

Está aberta a época do insuflável

quarta-feira, maio 23, 2018

Pessoas, mentalizem-se: se não tiverem um insuflável colorido e em forma de animal ou produto alimentar, vocês não existem. NÃO-E-XIS-TEM! Não vale a pena irem a uma praia, irem a uma piscina, se não for para apresentarem uma foto montados num donuts ou numa fatia de pizza. Flamingo não, que isso já é super Julho de 2017. Ainda assim, o insuflável não faz tudo, é preciso trabalhar a pose, trabalhar o melhor ângulo, arranjar maneira de fazer parecer que nasceram para aquilo, que passaram a vida toda a equilibrar-se num colchão altamente instável. E não é nada fácil, meus amigos. Por cada 500 fotos, só meia é que fica bem. Não faltam colchões por tudo quanto é loja, mas a Primark acaba de lançar a nova colecção e traz um bocadinho de tudo: sereias, hamburgers, conchas, tudo e mais alguma coisa. É espreitar.


Expo 98: como assim passaram 20 anos?

quarta-feira, maio 23, 2018

A Expo 98 faz 20 anos e eu tenho vontade de chorar. Não é de emoção, é mesmo de pena por o tempo ter passado tão depressa de lá para cá. Parece quase impossível, porque eu lembro-me tão bem que ia jurar que foi para aí há meia dúzia de anos. Na altura aquilo foi "o acontecimento", ninguém falava de outra coisa. Era o sítio onde todos queriam ir, quanto mais vezes melhor. Os bilhetes não eram baratos, até havia aquela versão com um chip dentro de um relógio Swatch desenhado de propósito para a Expo. A minha mãe teve direito a alguns bilhetes através do trabalho, consegui ganhar mais alguns em passatempos, e ainda lá trabalhei dois ou três dias. Foi logo na primeira semana da Expo e foi o meu primeiro trabalho na vida,

Os Globos são quando a Pipoca quiser

terça-feira, maio 22, 2018
Ai, pessoas, vocês são um público tão exigente, querem tudo para ontem, fica tão difícil acompanhar-vos. Entupiram-me o mail com pedidos de comentários aos Globos de Ouro, mas só agora consegui parar um segundo. E, confesso, o facto de agora tudo o que é cão e gato fazer comentários aos trapos (incluindo os que passavam a vida a gozar com as bloggers e a apelidá-las de tontas por fazerem isso), faz com que me passe logo metade da vontade. Mas pronto, vocês pediram muito, muito, e eu lá sou capaz de vos contrariar? Não sou, o que eu mais quero é ver os meus póneis felizes, portanto vamos lá a isto. Para começo de conversa, devo dizer que esta foi, provavelmente, a edição mais fraca no que toca a vestidos. Bem, assim de repente acho que tenho dito isto nos últimos anos, o que me leva a crer que a qualidade tem descido a pique. É que este ano não houve um, UM, que me tenha assim arrancado um suspiro ou um daqueles olhares tipo Harry-a-olhar-para-a-Meghan. Foi tudo muito a atirar para o morno. Posto isto, e sem qualquer ordem específica, vamos lá dar início ao desfile.



Acho que não vi ninguém a comentar o vestido da Iva Lamarão e, para mim, foi a grande surpresa da noite. Em bom. QUE-GRANDE-UAU para este Alberta Ferretti. O penteado, a maquilhagem, as jóias, estava só assim lindona. Vai a pessoa à espera de um vestido à-la-Fama-Show, todo ele decotes, todo ele rendas, todo ele mamas, todo ele plumas, todo ele sempre-quis-ser-patinadora-artística, e depois é isto. Um vestido lindo. Assim fica difícil.

Passatempo Bebé4D- Ecografias Emocionais

terça-feira, maio 22, 2018

A minha mãe nunca fez uma ecografia na gravidez. Na altura não havia disso, pelo menos de forma generalizada, por isso não viveu aquela coisa de ver o bebé, analisar o perfil, tentar perceber se aquilo eram os pés ou a cabeça. Ia às consultas, confiava no médico e rezava para que corresse tudo pelo melhor. E eu não consigo perceber isso. Era mais ou menos como viver sem internet. Por mim, assim que a pessoa engravidava o Estado oferecia-lhe um  "ecografia-fress-pass", para que pudesse ir espreitar o bebé sempre que lhe apetecesse. Eu era daquelas que ia estar caída no hospital todos os dias, não duvidem. Estou sempre ansiosa para ir à médica e confirmar que está tudo bem com a miúda, uma vez por mês é manifestamente pouco para mim. Para aí três vezes por dia penso

Ahhhhh, foi linda a boda real

segunda-feira, maio 21, 2018

E pronto, o Harry já era. Calma, o príncipe não se finou, não sejam dramáticos, apenas deixou o mundo dos solteiros, o sacana. Até há um par de anos, sempre achei mais graça ao William, mas agora sou completamente team Harry. Sempre foi mais esgrouviado do que o irmão, mas se em miúdo isso fazia só com que fosse só parvo, agora a irreverência dá-lhe todo um outro charme. E, convenhamos ainda não está tão careca como o William, benzóDeus, não há ninguém que

Hoje deu-me para isto #436: modo grávida com a SPRY

segunda-feira, maio 21, 2018

AddThis