Pub SAPO pushdown

sexta-feira, outubro 31, 2008
Have a nice weekend

Qualquer coisinha vou estar por aqui


Com menos sol, talvez, mas por aqui.
sexta-feira, outubro 31, 2008
(Lux) Frágil, esta noite estou tão (Lux) Frágil

O Lux, essa discoteca que tantas e tão boas noites já nos proporcionou, arrumou a sua revista e lançou um jornal mensal (para o qual tive a grande, a enorme, a magnífica honra de ser convidada a escrever). Ora o jornal ganhou o seu espacinho na blogosfera e pode ser lido aqui.
sexta-feira, outubro 31, 2008
Depois admiram-se que eu prefira a Sábado


A Sábado faz capa com uma entrevista genial ao Miguel Esteves Cardoso. A Visão optou por ir buscar o pseudo-AVC que a Margarida Rebelo Pinto teve há 200 anos e que agora é tema de conversa em todas as entrevistas que dá. Tão grave. tão grave que chegou a deixá-la confusa e cansada. Coisas que eu sinto com frequência, mas no meu caso deve ser do trabalho.
domingo, outubro 26, 2008
Caros adeptos do Naval,

Voltarem para casa a dizer que fizeram tremer o Benfica não é o mesmo que dizer que ganharam ao Benfica, está bem? É que nem sequer fica para a história. "Ah, e tal, íamos ganhando". Não conta. Não vai para os livros. Está certinho?
domingo, outubro 26, 2008
Frase a reter do filme "Dois Dias em Paris"

"Crianças e ratos são portadores de doenças"
domingo, outubro 26, 2008
Eu ia escrever uma coisa deste género. Mas depois a Rititi fez o favor de escrever exactamente aquilo que eu penso, o que me facilitou a vida:

"A autora deste blogue, ou seja eu, continua a admirar-se com a quantidade de leitores novos, que todos os meses comentam e escrevem mails de desagrado, agradecimento, surpresa ou nojinho.
Por isso, nunca é demais um recordatório dos modos de uso desta casa:O Rititi é um blogue pessoalíssimo, que não dá explicações a ninguém, que não tem vocação de nada e que se está a cagar, em geral, para o que pensem os outros. Não tem responsabilidade social, nem quer ser o blogoamigo de ninguém nem dar exemplo ao povão, não tem linha editorial, não respeita as séries e contradiz-se sempre que pode. Tem comentários porque eu, que sou quem o escreve, assim o quero. Vejam lá se percebem: neste blogue censura-se e apaga-se tudo aquilo que eu considero insultuoso, troll, inecessário (e até tentativas de publicidade). Nunca houve nem haverá liberdade de expressão, porque no Rosa Cueca as regras não são democráticas. Aqui mando eu. Quem quiser imenso insultar-me que crie um blogue para esse efeito. Quem quiser publicitar o seu blogue, que seja imaginativo. Quem quiser ser troll, que se faça sócio de um clube de futebol. Porque nem todas as opiniões são válidas, porque não somos todos iguais e porque há gente que não merece ocupar este espaço".

Posto isto, só têm que substituir Rititi e Rosa Cueca por A Pipoca Mais Doce e ficam com a ideia principal.

Também o meu blog tem quase cinco anos, e também eu sempre optei por manter a caixa de comentários abertos, indo contra todos as pessoas (e foram muitas) que me aconselharam a fazer o contrário. Há pessoas a quem, simplesmente, não pode ser concedida a liberdade de expressão. Faz-lhes urticária, dá-lhes para a parvoíce, para a redução drástica de inteligência e discernimento. E como as minhas caixas de comentários têm servido, crescentemente, para destilar ódios, para juízos de valor, para ofensas e insultos, para avaliar a minha ética e profissionalismo, para agressões entre leitores, para revelar coisas sobre mim (que, se eu fizesse muita questão de tornar públicas, eu própria as teria publicado, certo?)... em suma, para tudo menos para comentar os posts em questão, a partir de agora a caixa de comentários é moderada.

É censura? Quero lá saber. Perdem-se leitores? Talvez. Mas quem manda aqui sou eu, e enquanto este não for um serviço pago, é assim que vai continuar a ser. Eu escrevo o que quero, vocês comentam o que eu deixo. Prepotente? Sim, cada vez mais.
terça-feira, outubro 21, 2008
A nossa relação está condenada

Ele usa champô dois-em-um.

Passatempo Salsa/Pipoca Mais Doce

terça-feira, outubro 21, 2008
Passatempo Salsa/Pipoca Mais Doce

Pois é, minhas queridas. Isto uma pessoa vai indo para velha e é ver a idade a subir e o rabo a descer. Ora foi a pensar em pessoas como eu que a Salsa lançou o modelo Wonder, que põe o rabo no sítio, como se quer. Só anda há um ano a erguer rabos por esse mundo fora, mas já é o modelo da Salsa mais vendido nos 22 países onde a marca está presente (há muito traseiro descaído por aí, é o que se conclui).
Bom, não que eu ache que as minhas leitoras precisem, estou confiante nos vossos rabos firmes, mas um parzito de calças nunca é demais. E é por isso que, em simpática colaboração com a Salsa, vamos aqui oferecer dois jeans Wonder. E o que é que têm que fazer para ganhar, o que é, o que é, o que é?
Enviar uma frase para apipocamaisdoce@gmail.com que inclua as palavras:
- Salsa
- Pipoca
- Wonder
Não tem nada que saber, não é?
As frases serão avaliadas por mim e pela Salsa, e as duas melhores concorrentes vão poder enfiar-se nuns Wonder e ostentar os seus rabos orgulhosamente. O passatempo também está aberto a homens, óbvio, que de certeza que as caras-metade vão gostar de ser brindadas com estas calças milagrosas.
As frases devem ser enviadas até ao final do mês. Dúvidas?
sexta-feira, outubro 17, 2008
Os meninos do Cão Azul (umas jóias de moços, tão queridos que são, cá beijinho na Pipoca) fizeram mudanças no blog, o IVA. E explicam porque é que deve ser lido:

"- Todos os dias tens actualizações e motivos para rir.
- Podes comentar todas as nossas notícias.
- Facilmente podes ler todas as nossas histórias num único site.
- Porque se não gostares enviamos-te um vírus que transforma o teu computador num Magalhães."

Por isso vão até lá que vale a pena. Ou então comprem-lhes t-shirts, que eles também agradecem.
segunda-feira, outubro 13, 2008
A mais bela declaração de amor

"Por ti comprava um Fiat Uno, modificava-o todo com material tunner até parecer um Ferrari, comprava material de som lá para dentro até chegar ao volume do Indústria e circulava por Lisboa de vidros abertos, música de martelos que se ouvia em toda a cidade. Usava boné, óculos de sol espelhados, camisa sem mangas e fio e pulseira de ouro grosso".

Estou conquistada.
domingo, outubro 12, 2008
Temos de falar

Mas quem é que no seu perfeito juízo ouve esta frase e ainda se dá realmente ao trabalho de ter uma conversa? Esta frase, só por si, não é suficientemente elucidativa? Não se sabe já o que é que de lá vem? Alguém tem conhecimento, na história dos relacionamentos, de algum "temos de falar" que tenha acabado bem? Não se iludam. A um "temos de falar" muito dificilmente se seguirá um "descobri que és a mulher da minha vida" ou um "junta a tua escova de dentes à minha". Ninguém cria tanto suspense para anunciar uma coisa boa. As coisas boas dizem-se, e pronto, já está. Até se dizem de repente, sem qualquer indicação prévia, que é para o efeito surpresa ser maior. Um "temos de falar" costuma ser dito via telefone, que é para depois uma pessoa ficar ali em sofrimento e em ânsias, a remoer até que chegue o dia da conversa, ai, o que é que ele/a me vai dizer, ai, o que é que eu fiz, ai, que é agora. E depois, já se sabe, leva-se com um "as coisas não estão a resultar... o problema não és tu, sou eu. Quer dizer, bem vistas as coisas o problema és tu, que estás gorda que nem um cachalote".
Eu acho que se facilitava a vida a toda a gente se ao "temos de falar" se juntasse um "pronto, então muita saudinha e até qualquer dia".

"Temos de falar. Pronto, então muita saudinha e até qualquer dia". Só isto! Mais nada! Não é muito mais fácil? Não se cumpre à mesma o objectivo? Não se diz o essencial? Não se evita tanta lavagem de roupa suja? A outra pessoa não percebe logo que está a levar com os pés? Então para quê complicar?
sexta-feira, outubro 10, 2008
"Tomara tu teres um blog de mulher. Tomara!"

Pois é. Afinal o meu blog é um blog de gaja, não de mulher, diz uma estimada leitora. Porque eu sou fútil. Porque falo de sapatos. Porque escolho a dedo a roupa que levo a festas. Porque me depilo e compro lingerie. Porque me queixo dos gajos. Porque andaram mulheres a queimar soutiens para agora vir eu, infame, assumir que gasto dinheiro comigo. Porque se lutou tanto pela igualdade de direitos (ou para que fossem, pelo menos, o mais parecidos possível), e agora venho eu falar de roupa. E de homens. E de idas ao cabeleireiro. E da cor que dou às minhas unhas.

Parece que mulher a sério só lê o The Economist. Mulher que é mulher não revela nunca o mais pequeno laivo de consumismo, sob pena de nunca na vida ser levada a sério. De nunca vir a conseguir um bom emprego. De nenhum homem lhe pegar. Mulher que é mulher não sai à rua de blush na cara, que não viemos ao mundo para ser alvo de desejo sexual. Estamos aqui para ser iguais aos homens, e se eles sobem na vida sem usar saltos altos, então nós também.

E é por isso que este é um blog fútil. Porque eu, pecadora, me confesso. E uso saltos, e pinto-me, e vou a festas quando as há, e compro sapatos a mais para aquilo que ganho. E, pior que tudo, ouso dizê-lo alto e bom som.

Para este blog ser como algumas pessoas gostavam, para provar que sou mesmo mulher, podia dizer que este ano já li 14 livros:

- "O Sonho Mais Doce", Doris Lessing (prémio Nobel, uau!);
- "O Estranho Caso de Dr. Jekyll e Mr. Hyde", Robert Lewis Stevenson
- "Extraordinariamente Alto e Incrivelmente Perto", Jonathan Safran Foer
- "Último Volume", Miguel Esteves Cardoso
- "Morder-te o Coração", Patrícia Reis
- "A Loja dos Suicídios", Jean Toulé
- "Closer", Patrick Morber
- "Hoje Não", José Luís Peixoto
- "El Amor en los tiempos de colera", Gabriel García Marquez (sim, até li em espanhol, que MULHER esperta que sou, não estão extasiados? Não estão a explodir em mini-orgasmos?)
- "A Tia Júlia e o Escrevedor", Mario Vargas Llosa
- "Os Homens que Odeiam as Mulheres", Stieg Larsson
- "Siddartha", Herman Hesse
- "O Amor é Fodido", Miguel Esteves Cardoso
- "Três Vidas", João Tordo

Para este blog ser muito interessante, tenho que dizer que já fui ao cinema 18 vezes este ano (é verdade, estive a contá-las).

E que fui a concertos, ao teatro, a espectáculos (e a mais não fui porque 30€ por um concerto é coisa que custa a dar. Antes sapatos, que sempre duram mais) :

- "Evil Machines"- São Luiz
- "Sangre Flamenca"- CCB
- "Trockadero"- Tivoli
- Portishead- Coliseu
- The Gift- Coliseu
- GNR- Pavilhão Atlântico
- Feist- Aula Magna
- Maria Rita- Coliseu
- Madonna
- Soulbizness
- "De Homem para Homem", com a Beatriz Batarda- Cornucópia
- "Coisas Maravilhosas", do Tiago Guedes, na Culturgest
- "No Dice", Teatro da Politécnica
- "Motor de Busca", David Marques, na Eira (é dança contemporânea. Não que os meus leitores não saibam, porque aqui só vem gente altamente erudita na esperança que um dia eu me torne esperta).

Pelo meio, imagine-se, ainda consigo ler semanalmente a Sábado, a Visão e o Expresso, e vejo todos os dias os site do Público, do New York Times e do El Pais. E no meio das idas às compras fiz um nível avançado de espanhol. E meti-me num curso de cinema. E noutro de escrita. Que tive que abandonar a meio porque, entretanto, comecei um mestrado em Marketing Management. Já para não falar que trabalho, e que não dormi com o meu chefe para estar aqui (mas não se sabe o dia de amanhã, e ele até é giro).

Podia ter escrito isto tudo, para pensarem "ahhhh... afinal ela até tem mais que três neurónios, fascinante". Só que se eu escrevesse isto tudo, os comentários seriam "deves ter a mania que és inteligente! Vai mas é comprar sapatos, é isso que as gajas fazem!" (e mais 5 euros por cada comentário que vai cair agora a dizer "pffffff.... convencida.... vem para aqui dizer os livros que leu e os concertos a que foi!").

E se eu escrevesse estas coisas... A QUEM É QUE ESSA MERDA INTERESSAVA?

Por isso, e para que não se iludam, este vai continuar a ser um blog fútil. Seguem-se mais fotos de sapatos e de vestidos. Seguem-se mais festas. Seguem-se mais dramas com o cabeleireiro. É que eu também sou isto. Não sou só isto, mas também sou isto.

P.S.: "Quando tiveres mais cabecinha e deixares de ser uma gaja completamente leviana e futil, talvez encontres o amor da tua vida", sentenciou outra leitora, daquelas que, seguramente, já leram o Guerra e Paz 18 vezes (incluindo a versão original, em russo). Não se preocupe: o amor que pode vir a ser o da minha vida gosta de mim assim. E fala de sapatos comigo enquanto ouvimos, abraçadérrimos, a banda sonora do "In the Mood for Love", do Wong Kar-Wai.
sexta-feira, outubro 10, 2008
O que eu gostava mesmo de saber...

... é porque é que todo e qualquer blog feminino leva logo com o rótulo de "Sexo e a Cidade". Ora bem, se uma gaja é gaja, é óbvio que vai falar de temas de gaja. Mas isso não quer dizer que se ache uma Carrie Bradshaw em potência. Se me dessem 5 euros por cada comentário que já aqui foi deixado ao longo de quase cinco anos e que diz qualquer coisa como "deves achar que isto é o Sexo e a Cidade", meus queridos, podia abrir a minha sucursal da Louboutin em Lisboa.

Não comecei a pensar em temas de gajas por ver o Sexo e a Cidade. Não comecei a gostar de sapatos por ver o Sexo e a Cidade. Não virei jornalista por ver o Sexo e a Cidade. Não comecei a falar de sexo com as minhas amigas por ver o Sexo e a Cidade. Não comecei a fazer a generalização fatídica ("os homens são todos iguais, uns trastes") por ver o Sexo e a Cidade. SOMOS GAJAS, (também) É DESTAS MERDAS QUE FALAMOS, umas mais outras menos!

Mas não, quatro vezes por semana lá vem o comentáriozinho viperino. "Isto não é Nova Iorque, tu não és a Carrie, mimimimimimi". Eu por acaso vou aos blogs de desporto dizer "deves ter a mania que isto é o Domingo Desportivo"? Eu por acaso vou aos blogs de culinária dizer "ah ah! Deves achar que és o Jamie Oliver!"? Eu por acaso vou aos blogs de moda dizer "oh filha, isto não é o Project Runway!"? Eu por acaso vou aos blogs de política dizer "andas a ver Canal Parlamento a mais"? Não vou, pois não? Então deixem-se de merdas e de rótulos e de tentativas forçadas de comparação. E convençam-se que as gajas gostam mesmo de sexo, da cidade, do Sexo e a Cidade, de sapatos e malas e roupa, de maquilhagem e penteados, de restaurantes e festas, de teatro e de cinema, de revistas e de jornais, de bola e da Bola. E que isso já é assim há uma catrefada de anos. Não começámos a ver a luz à conta do Sexo e a Cidade. Se calhar abrimos foi os olhos.
terça-feira, outubro 07, 2008
Estou preocupada com a crise

Por isso hoje peguei em mim e comprei mais um par de sapatos.

É que isto nunca se sabe quando é que vão ser os últimos.
terça-feira, outubro 07, 2008
Nota-se que a nossa vida deu um grande salto qualitativo...

... quando voltamos a investir em roupa interior.
segunda-feira, outubro 06, 2008
Há mais um gajo na net que acha que percebe de mulheres

E eu rio-me, claro.

Aqui.
segunda-feira, outubro 06, 2008
Fui só eu...

... que achei o novo programa dos Gato assim mesmo fraco, fraquinho, quase de bocejo?
domingo, outubro 05, 2008
Passatempo Pipoca- o vencedor

Ora então muito bem. Peço desculpa por só agora anunciar o resultado de mais um brilhante passatempo, mas este foi, de facto, bastante concorrido, e eu e os excelsos representantes do Governo Civil tivemos que avaliar os textos um a um.

Pois que o grande vencedor dá pelo nome de Nuno Silva e vai receber na sua alegre casinha uma bonita t-shirt Pipoca (já está a caminho, meu querido). Quanto ao jantar, dispensa, porque não mora em Lisboa (e não está para fazer 300kms só para vir jantar comigo... tudo bem, tudo certinho... assim se vê quem realmente interessa). Ora então aqui fica o texto vencedor:

Tu fazias a noite apetecer, com o teu vestido cinza, aquele que te esculpe a perfeição, e os sapatinhos Louboutin, os que te elevam acima das outras, em tudo o mais. Sentaste-te à minha frente, duas mesas mais além. Mandaste os rissóis de camarão embora, rejeitaste o vinho da francês, pediste a água natural e esperaste pelo prato de sempre. Imaginei-te a sonhar com uma deliciosa iguaria , daquelas confeccionadas pelo brilhante Ratattouille, a ratazana deprimida mais querida de Hollywood. Mas não. Na tua testa rodava a frase: “Comia o Quique Flores à colherzinha”, tal qual o nome de um vencedor de Buzz serpenteia pelo palco.

Por momentos quis ser Quique, cigano, ter pinta, esbanjar charme, apesar das patilhas. À minha frente uma deusa e eu estático a olhar, qual cão de loiça abandonado.

Até que me levantei. Atirei com o guardanapo para a mesa, fui até ti, olhei-te nos olhos, tu olhaste para mim... e lá se foi o Quique, lá se foram o vestido e os Louboutins, lá se foi tudo o mais. A noite foi só nossa. Os dois fomos um, qual Eusébio e Amália, as indestrinçáveis lontras que nos fazem amar o Oceanário.

Gostaram? A Pipoca gostou. Mas porque este foi realmente um concurso muito especial e participado, a Pipoca decidiu atribuir, como sempre, menções honrosas. E é tão, mas tão, mas tão generosa, que uma destas menções também vai receber uma t-shirt igual à que está ali ao lado, desenhada por esses grandes queridos que dão pelo nome de Cão Azul. Desta feita, quem escolhe o vencedor são vocês, por isso vamos lá a votar no vosso texto preferido, sim? Ora então aqui ficam eles:

Concorrente número 1: Fofocas do Dia

Benfica querido Benfica
Só me pões a stressar
tanta porcaria comi
uma lontra vou ficar

Durante o jogo morfei
Bons Rissóis de Camarão
Bolinhos de Bacalhau
E tudo que vinha a mão

O cão de loiça da sala
até voou pelo ar
foram 2 golos seguidos
nem m'estou a acreditar!

Não me posso descompor
o verniz eu vou quebrar
os sapatinhos louboutin
calçados, ai vão ficar!

No meio da confusão
vi ratazana deprimida
ai meninas o meu perdão
era lagartagem abatida

Agora vem o melhor
o treinador vem falar
ai QUIQUE,QUIQUE, QUIQUE
acho que vou desmaiar!

Eu não sei se aguento muito
ai que me dá uma coisinha!
Já sei bem o que lhe fazia
Comia o Quique Flores à colherzinha!

Concorrente número 2- Vasco Trigo

E quem está muito contentinho com mais um passatempo para a Pipoca ponha o dedo no ar! Vamos lá, quero ver!
Pois é, há muito que não havia ratazanas deprimidas aqui pelo estaminé a cirandarem, mas eis chegada a hora de mais um passatempo. Para não lhe dificultar muito a vida, o passatempo segue a lógica dos anteriores (que não houve): ou seja, terá que fazer rissóis de camarão (no formato que quisere, que o Vasquo não é ditador), que proporcionem uma refeição com final feliz (que para tristezas chegam-me as suas). Para a coisa ficar muito mais interessante, terá que incluir OBRIGATORIAMENTE as seguintes palavras/expressões dentro do rissol, qual sopa de letras:
- Pezinhos de coentrada

- Lémure
- Espetava o Daniel Oliveira à colherzinha
- Cristais Swarovski-
Abelha Pespineta
- Ténis Converse All Stars
Fácil, certo? Se for vencedora, será aclamada em apoteose aquando da comemoração do primeiro milhão de visitantes do Maxim (se lá chegarmos algum dia, claro está). E como se trata dum evento ultra-hiper-mega-marcante na história deste blog, para além da bonita t-shirt "Comia o Qiuque Flores à colherzinha", terá direito a... um jantarinho com um magnífico cão de loiça* da Marinha Grande! Não é espectacular??? Não está já em ânsia??? Não teme nem sequer conseguir sonhar com uns sapatinhos Louboutin fucsia esta noite??? Pois. Então vá lá à sua vidinha, que eu fico à espera do texto (que, como já sabe, deverá enviar para
vascotrigo@gmail.com).

*se preferir em alternativa receber como prémio uma visita ao Oceanário e mergulhar com a lontra Elisa, eu também percebo e posso tentar arranjar um tour personalizado com direito a desconto de cartão-jovem.

Concorrente número 3- Nestum Figo

O Eusébio olhou uma última vez para aquela que tinha sido a sua casa durante tantos anos. Os seus olhos percorreram os vários recantos, mas sem saudade. Estava farto da sua vida como lontra no Oceanário. Queria descobrir o mundo lá fora, conhecer todos aqueles lugares míticos, de beleza inenarrável, de que tanto tinha ouvido falar: Chelas, Olivais... Moscavide! Tinha chegado a altura. Estava tudo preparado para a fuga, o plano era perfeito. Foram meses de preparação, incluindo as explicações de matemática com o pinguim dos óculos, que até era engenheiro do Técnico mas não tinha conseguido emprego melhor do que ser pinguim lá no habitat antártico. Estava tudo calculado. Se fosse outro narrador, o Eusébio reveria mentalmente todo o plano mais uma vez, para aumentar o suspense, mas realmente não era necessário. O Eusébio apertou o fecho do fato de mergulho bem até acima e mergulhou.
A água estremeceu um pouco, mas não muito. A única a acordar foi a raia, que andava com aqueles pesadelos da caldeirada outra vez. Um rouxinol das Berlengas e mais uma ou outra ave rara que por lá dormiam, incluindo o Sr. Zulmiro da Segurança, reviraram-se na cama... mas ninguém deu por nada. O Eusébio encontrou a conduta de saída da água exactamente onde esperava, retirou a grelha, que até nem custou tanto a sair como nos filmes, susteve a respiração por mais uns segundos e avançou corajosamente pelo túnel escuro, tateando as paredes, até entrar noutra conduta onde a água corria com força e... uooooooaaaaaauuuu boing boing boing uaaaaaaaah splash! Ufff... finalmente pôde respirar! Tal como planeado, tinha encontrado o tubo que expelia a água do Oceanário. O Eusébio estava agora no canal subterrâneo que o levaria, a ele e a muitos outros detritos, à liberdade! Ao fundo via o ténue reflexo da lua lá fora [na realidade era um pirilampo extraviado -- o Eusébio não sabia, mas não via muito bem]. Emocionado, mas não sem algum receio, avançou com braçadas silenciosas. Estava seguro que ia na direcção certa, com a corrente, apesar do luar parecer estar cada vez mais longe. Talvez a lua no mundo exterior fosse diferente daquela que ele via todas as noites no telhado de vidro do Oceanário. "Tantas coisas novas que terei que aprender!", pensou o Eusébio para consigo próprio. Sentiu o corpo a aquecer com o entusiamo da vida nova que o esperava, e preparava-se para dar uma braçada mais vigorosa quando... ouviu um soluçar na margem do canal. Parou e viu, encolhida e a chorar, a lontra mais bonita que já alguma vez tinha visto na sua vida [na realidade, era uma ratazana deprimida]:
- Estás bem?, perguntou o Eusébio.- ?... sim... snif..., disse ela virando-se para o sítio de onde vinha a voz.
Os seus olhares cruzaram-se e fixaram-se por demorados segundos. Ela nunca tinha visto um rato tão grande, mas até gostava deles altos, e aquele fato de mergulho apertadinho não lhe ficava mal não senhor. "Que bigodes tão sexy!", pensou o Eusébio.
- Como é que te chamas?, perguntou ele.- Ratocas.- Que nome tão lindo!- E tu?- Eusébio.- Que nome tão lindo!
E finalmente a Ratocas esboçou um sorriso, limpando os olhos das lágrimas que ainda tinha pensado chorar.
- Porque estás tão triste?, perguntou o Eusébio.- Ora, é sempre a mesma coisa... só que desta vez foi pior!...
E a Ratocas contou o que se tinha passado:
Comia o Quique Flores à colherzinha uns rissóis de camarão, tranquilamente numa esplanada, quando foi supreendido por vários flashes. Eram os paparazos do Correio da Manhã! A sua superstição de se vestir de sevilhana, como a tia Lola, na véspera de cada jogo tinha sido descoberta! Ele até tinha pedido um Sumol de ananás em vez da habitual Coca Cola, para passar mais desapercebido, mas tinha sido traído pelos sapatinhos Louboutin! De facto, não eram muito sevilhanos, mas ora bolas, um mister já não pode ter bom gosto para sapatos?! Foi um escândalo, no dia seguinte estava na primeira página de quase todos os jornais, e também do 24 horas. O Jogo fez uma edição especial. Era o fim. Ainda se tivesse sido o Nuno Gomes, pronto, as pessoas compreendiam. Mas o Mister Flores?... Estava tudo acabado... se a autoridade no balneário já não era muita antes, imaginem agora... A própria águia Vitória perdeu o apetite.
- Já o ano passado fiquei assim... Quando o Fernando Santos contratou o Luís Filipe para o Benfica... O homem defendia tão bem como um cão de loiça, sendo que ao menos este último não marcava auto-golos... Mas isto agora... ainda é pior!...

- Não te preocupes, Ratocas, já passámos por pior, disse o Eusébio, preparando-se hesitantemente para lhe fazer uma festinha.
- Sim?, disse a Ratocas, pondo-se a jeito.
- Não te lembras do tempo do Artur Jorge?, disse o Eusébio acariciando meigamente a Ratocas.-
Oh, sim, tens razão... Oh, leva-me para longe daqui!, disse a Ratocas abraçando-se com força ao Eusébio.
- Queres vir comigo para Moscavide?, disse o Eusébio ansioso. Dizem que é muito bonito!
- Sim, também já ouvi dizer, tenho lá família
.- Vamos?, perguntou o Eusébio olhando fixamente para a Ratocas, tentanto não olhar de maneira muito óbvia para os seus bigodes... Mmm... e que bigodes! Nunca tinha visto uma lontra assim!
- Vamos!, respondeu a Ratocas com um grande sorriso, mirando o Eusébio de alto e baixo e pensando: "O danado do rato é um bocado esquisito, mas até é giro!".
A assim foram de mão dada para Moscavide, onde foram felizes para sempre, não sem antes passaram pelo estádio da Luz, para dar um pontapé no rabo do Nuno Gomes, o que foi totalmente injusto, mas soube muito bem.


Concorrente número 4- André Penim

Lá estava eu, mais uma ratazana deprimida no meio de tantas outras, à espera de pelo menos um empate do meu Benfica.
O resultado ao intervalo não é animador, portanto devoro os rissóis de camarão que trouxe de casa dentro da ‘tamparuére’(sim, que eu sei francês!) enquanto a minha mente imagina que como o Quique Flores à colherzinha. A acompanhar, um pequeno termo com Sunquick. Mas sem estar diluído em água, que aqui a Jessica Rubina é poupadinha, e assim com’assim, no final sempre dá aquele efeito de glosse nos lábios.

Começa a segunda parte. O meu Quiquinho optou por substituir o Cardozo pelo Nuno Gomes. Aquela Amélia... mais frágil que um cão de loiça. Ou como se diz em francês (sim, que a Jessica é fina)... un chien de louss. Ou un chien de loiçe? Olha, un chien du pxibéque, que é a mesma coisa.

Quinze minutos da segunda-parte. Mais um golo do Trofense. Decido ir ao tuálete. O Sunquick faz-me gases. Daquele tipo de gases 2 em 1. Cheiro e barulho num só. O meu mais velho chama-lhe o peido Head & Shoulders.

Ao regressar do wc cruzo-me com a lontra do segundo esquerdo. Tem a mania que é cheia de finesse só porque calça uns sapatinhos louboutin oferecidos pela irmã que vende o rabo ao engenheiro Azevedo e porque consegue manter os 92 kg desde que foi ao Tallon... em 1986. A pêga.

Lá foi ela pavonear-se para o meio da claque. De braços no ar, chama nomes ao árbitro enquanto a banha que sobrou do Tallon faz a ‘Hola’ ao som do tambor do Idalino. No corpo da besta, destaca-se a t-shirt do glorioso coladinha ao peito 38 copa D. Nas costas lê-se ironicamente o nome ‘Petit’. Sim, que aqui a Jessica Rubina é fina... e percebe francês.

Fim do jogo. Trofa faz a festa.


Concorrente número 5- Marta Teixeira

Eram já 3 da matina já quando acordei estremunhada com o basqueiro infernal proveniente do moquifo de cima. Esfreguei os olhos e pensei:
- Rais parta as lontras não conseguem dar uma em silencio!
Eram eles de novo, aquele mamifero balofo do vizinho e a histérica da mulher, a ‘Zabelinha, como ele lhe chamava, em conversações carnais. Tentei ignorar a batucada feita plo bater da cama , e dei mais uma volta no meu leito. Ao inicio foi dificil abstrai-me, mas depois imaginei aquelas tribos indigenas em danças funebres e guinxos indecifráveis e pouco a pouco o som foi-se desvanecendo.
Adormeci e voltei a acordei transtornada com um sonho deveras esquisso! Sonhei que saltei da cama, vesti o robe d’um rompante, calcei os meus sapatinhos Louboutin (pra meter respeito) e fui ao andar de cima, furiosa de cabelo no ar e olhar raivoso, bater à porta do Mamifero ruminante, disposta a partir-lhe o focinho à chapada por causa do barulho.

Abriu-me a porta, de cueca estampada e eu, antes que ele pudesse proferir palavra saltei lá para dentro antes que ele não me desse tempo de reclamar tudo o que eu queria:

- oiça laaaaaaaá, disse eu com o dedo espetado quase encostado ao nariz gorduroso dele, não esta a ver que horas são!!!!???

Ele saca dum prato de rissois de camarão, e diz:

- Oh menina, vai um petisco para acalmar?

A minha vontade era enfiar-lhe os rissois todos pela goela abaixo, mas o que me saiu foi:

- Olhe mais depressa Comia o Quique Flores à colherzinha! !!!

O homem arregalou-me os olhos, vermelhusco, e de repente achei que me ia atiçar com o cão de loiça da entrada, mas nao, deu uma de ratazana deprimida, e disse:

- errr....desculpe menina, sabe, é que temos tido alguns problemas e hoje fizemos as pazes...

Iaaaaaaaaaaaaac!!! Pensei eu, so de pensar NAKILO entre aquelas duas criaturas peçonhentas, e respondi-lhe:

- ah sim? E o cão não se leva à rua???? Aposto que esta aqui à porta desde manhã!! Atirei-lhe um olhar de desprezo e censura e acrescentei:

- Nem o SLB descia tao baixo! COM LICENÇA!!!!!!

Dei meia volta, bati a porta atras de mim com toda a força , e acordei.... Afinal tinha sido sóoo um sonho :DDD


Concorrente número 6- Xixinguita

Ok… eu vou confessar! Eu sou mesmo uma lontra! Passo a vida a comer rissóis de camarão e depois fico tão inchada que me sinto uma ratazana deprimida… Sou tão gulosa que até comia o Quique Flores à colherzinha se tivesse oportunidade!! Ai se não comia… Um destes dias enervei-me por não conseguir enfiar os meus sapatinhos Louboutin nos meus pezitos gordos…e atirei-os contra o maldito cão de loiça que parecia estar a fazer troça de mim…e parti-o em mim pedacinhos. Pronto…já confessei! Já estava a inchar ainda mais com tanto sentimento de culpa.

Concorrente número 7- Alexandra Botelho

"Que dia de merda" pensou, enquanto batia com a porta da rua e descalçava os seus sapatinhos Louboutin beringela, atirando-os pelo ar em voo certeiro até ao já esmurrado cão de loiça que e vaca da ex-sogra lhe tinha oferecido num Natal qualquer e que ela ainda não tinha tido disposição para pôr no lixo. Atirou-se para o sofá, sentiu as calças demasiado justas, a apertar as coxas: "tenho que voltar ao ginásio, estou gorda que nem uma lontra. Pudera, este mês tem sido vernissage pindérica atrás de vernissage pindérica, onde só servem vinho da pipa e rissóis de camarão. Que porra de trabalho este!" Pegou numa revista, para relaxar…tinha na capa a mulher do Quique Flores, estudou a foto com atenção: "Há! Então é esta puta com cara de ratazana deprimida que come o Quique Flores à colherzinha? Cabra! Deves ter mais florzinhas na testa que eu euros na conta!". Largou a revista e ligou a TV, por sorte ia começar um filme bom na Fox, a preguiça era imensa mas foi até à cozinha, era impossível ver um filme sem estar a comer uma pipoquinha doce. "A dieta começa amanhã".

Concorrente número 8- Pedro Almeida

Era uma vez..., ou melhor, em certa e determinada altura o menino Pedro ganhou um jantar com a menina Pipoca, ele teria preferido uma Playstation 3, mas enfim, a cavalo dado...adiante.
Vai daí, no famigerado jantar, a Pipoca insistia que queria RISSÓIS DE CAMARÃO de entrada, mas o empregado bem se esforçava por dizer que não tinham, só se fossem dois copos de vinho verde, mas a Pipoca queria porque queria e queria. O empregado já enervado exclamou:
- A senhora é uma LONTRA!
E a Pipoca começou a chorar, a chorar, a chorar...até que reparou numa mesa lá mais para o fundo do restaurante um vulto algo familiar.
Seria possível ser o sobrinho da grande e defunta Lola Flores ?
- É ele, é ele.
Gritou a Pipoca.
- COMIA O QUIQUE FLORES À COLHERZINHA.
Gritou ainda mais alto.
O cigano Quique ao ouvir isto e ainda pouco habituado à nossa língua, assusta-se, dá um salto da cadeira e foge com tal pressa que até derruba o CÃO DE LOIÇA que dá as boas vindas aos visitantes junto à entrada do restaurante.
A Pipoca fica inconsolável com a sua fuga e chora ainda mais e mais e mais.
- Não chores, Pipoca. Pareces uma RATAZANA DEPRIMIDA assim.
Disse-lhe eu, mas não consigo perceber porquê, ainda piorei mais a situação.
Agora até já soluçava a pobre da Pipoca e entredentes gemia.
- Quero uns sapatinhos...uns sapatinhos...
- Não chores mais, rataz....Pipoca. Eu ofereço-te uns Jimmy Choo.
- Não, não. Quero outros.
- Uns Manolo Blanihk ?
- Não! Se gostasses de mim e me conhecesses sabias qual a minha preferência...vocês homens são todos iguais!
Vai daí, saco de uma caixa que tinha escondido debaixo da mesa e presenteio-a com isto:
-Oh! Uns SAPATINHOS LOUBOUTIN!
E a Pipoca ficou tão contente, tão contente, mas tão contente, que se pôs logo a ligar para todas as amigas a ver qual se casava primeiro para poder estreá-los.
Nisto, Quique Flores aparece junto à porta do restaurante com uma águia no braço e exclama:
- Vitória! Vitória! Acabou-se la história!


Concorrente número 9- Nuno Teixeira

E lá estava eu, a caminho do local combinado. Eu, o vencedor do Passatempo Pipoca. Eu concorri pela t-shirt, que é bem fashion e dá para sair à noite, permitindo mandar umas dicas do género: "Isso são pipocas na t-shirt?", "Não, é milho. Mas se me aqueceres o suficiente...". Segui o meu caminho, inócuo, sem saber o que esperar. Afinal, só tenho um nome: Pipoca. E umas fotos do cabelo. A minha moral estava pior do que uma ratazana deprimida, mas se até as ratazanas hoje em dia entram em filmes, cozinham e ganham Óscares...O trânsito na segunda circular adensa-se. Ainda bem que saí de casa cedo. A Pipoca deve odiar atrasos. Olho para o carro à direita. Vejo um casal. Discutem a altos berros. Já nada é como antes. Ela falava, gritava, gesticulava... e ele tinha tanta reacção como um cão de loiça que jazia num qualquer jardim, munido de incertezas.Escurece. Ligo os médios. Olho para o relógio de designer. Tenho a certeza que foi desenhado por alguém, logo, digo que é de designer. Eu é que sei. Tenho tempo. Chego ao local combinado, com 15 minutos de antecedência. Nem sinal da Pipoca. Aliás, nem sinal de pessoa parada junto ao restaurante com um olhar vago, visto que não sei quem ela é e era esse o critério de reconhecimento: o olhar vago. Subtil?! O coração trabalha mais que o costume, e eu sem lhe pagar horas extra. Aguenta, meu trabalhador precário, pois serás recompensado. "E se me aparece uma lontra qualquer, ò cromo?!". Não, descansa órgão vital. Irás bombear o sangue para os sítios correctos. Tenho fé.Fui passear pela zona, desentorpecer as pernas rígidas, do frio, não do nervosismo. Ainda. A noite cai totalmente, a lua ilumina os passeios húmidos, pois a velhinha da casa ao lado esteve a regar as plantas. Passo por uma esplanada. Vejo que servem muitas sopas, o que é agradável. De repente, os meus olhos prendem-se numa pessoa. Julgo ser conhecida. Tinha umas fartas patilhas. E era mesmo. Na esplanada, com uma sopa ainda quente, comia o Quique Flores à colherzinha, notando-se agrado nos seus dentes amarelos. (viste como dei a volta à coisa?!) 5 minutos para a tão temida hora. A garganta está seca. Os pés começam a suar. Os nervos fazem com que eu ande com a delicadeza de um bêbado com sapatinhos Louboutin apertadinhos. Ou seja, nada bonito de se ver. Se ainda fossem uns Manolo... Questiono o meu look. Questiono como será a Pipoca, e mais, como será a t-shirt. Faço uma última visita ao WC, para ultimar os detalhes. E ainda bem que o fiz. Reparei que tinha entre 2 dentes marotos, um pedaço do lanche. Ah, malditos rissóis de camarão, que me iam lixando a vida.Saio. Vejo ao longe uma pessoa com olhar vago. Mas não era ela... Era um atleta olímpico a pensar numa desculpa. Esperem, o que vêm os meus olhos? Junto ao restaurante, à hora marcada, uma menina de costas. Reconheci imediatamente o cabelo. Aproximo-me. O meu fiel órgão agita-se (o coração, claro). E...-Olá! És o Nuno? Eu sou a Pipoca Vasconcelllos!! *Kiss*-Olá! Pensei que fosses mais alta...


sexta-feira, outubro 03, 2008
Qualquer dia dá-me um enfarte

E a culpa vai ser TODA do professor de hidroginástica. Como não lhe bastasse dar as aulas quase nu, lá no alto, para todas podermos apreciar o seu corpo de Adónis, hoje lembrou-se de ir para dentro de água e andar a saltitar, qual golfinho do Sado de pele lustrosa. Pior, aproximou-se de mim para me explicar a posição correcta do ombro. Eu devia ter uma daquelas ordens judiciais que me proibíssem de estar a menos de 2 kms dele, porque eu temo que isto vá acabar mal.

Banda sonora de hoje: I Was Born To Love You- Queen (a sério, eu não aguento)
sexta-feira, outubro 03, 2008
Acabou-se

Que ninguém mais neste blog ouse falar mal do Nuno Gomes, esse grandioso jogador do SLB que até golos de cabeça já me marca. Tento nessa língua, hã?
quinta-feira, outubro 02, 2008
Hoje não me consigo concentrar

Falta-me o tempo para tudo e para todos. E cada vez preciso mais de tempo. E estou feliz, e confusa, e apreensiva, e expectante. E tranquila. Sobretudo tranquila.

AddThis