Pub SAPO pushdown

Blog meu, blog meu, haverá comentador mais parvo do que o meu? #30

sexta-feira, março 23, 2018
A propósito de um dos meus últimos posts sobre gravidez, deixaram-me o seguinte comentário:


Ahhhh, este é daqueles mesmo como eu gosto. Mete preconceito, mete maldade, mete teorias da conspiração, mete delírio, são 450 episódios de uma novela mexicana condensados num só comentário. A parte boa é que traz à baila um tema pertinente: os filhos seguram casamentos?

Para começo de conversa, este comentário deve ter sido produzido pela mesma autora de um outro, deixado há umas semanas, e que dizia que eu era "psicologicamente dependente" do meu marido. Faz sentido, vem na mesma linha. Uma pessoa que acha que eu dependo de um homem (psicologicamente ou a qualquer outro nível), também deve achar que eu sou a "típica mulher que". Neste caso, a mulher que "dá o golpe da barriga" (expressão tão bonita) para segurar um homem. Porque esse, já se sabe, é o propósito máximo de qualquer mulher. Queremos lá saber de ser bem sucedidas profissionalmente, de viajar, de ter amigos, do que seja. Nós vivemos para manter um homem ao nosso lado, que sem eles somos umas anémonas desprovidas de vontade, sentido crítico, interesses ou espírito de iniciativa.

Não consigo explicar o quão retrógrada/saloia acho esta ideia de "dar o golpe da barriga para segurar o marido". Menos ainda consigo entender que alguém, no seu perfeito juízo, ache mesmo que isto é uma coisa que funciona na vidinha real, um plano infalível para prolongar uma relação até à eternidade. Mas, tenho novidades fresquinhas, não vai acontecer. Se a relação já estiver mais para lá do que para cá, pode acontecer uma de duas coisas:
1) Na melhor das hipóteses, continua igualmente má;
2) Na pior das hipóteses, descamba de vez.

O nascimento de uma criança é uma coisa assim a atirar para o avassalador. Também é uma coisa bonita, claro, mas acreditem que faz muito pouco pela sanidade mental de um casal. De repente, e sobretudo ali no início, fica tudo um caos, há um ser que depende de nós a todo o instante, não sobra tempo para nada, mal nos lembramos do nosso nome, as hormonas fodem-nos o sistema nervoso, dorme-se mal... é um cocktail explosivo que pode fazer com que, de repente, ande tudo aos berros lá em casa. São as acusações de um que faz mais do que o outro, é o pontapé nas costas a meio da noite quando o puto larga a berrar ("vai lá tu agora!"), é o "isto são horas de chegar a casa?? PASSEI O DIA TODO A OUVI-LO CHORAR, ESTIVE QUASE A ATIRÁ-LO DA JANELA!!!!",  é a paciência que está sempre por um fio.

Se isto tudo já é uma prova de fogo para um casal com uma relação saudável, imaginem para um que esteja tremido. Pode muito bem ser o início do fim. Para quem acredita que um filho segura um marido, qual é exactamente a base de sustentação desta teoria? Acham que ele não vai deixar a mulher primeiro porque está grávida e depois porque têm uma criancinha para cuidar? Sim, sim, fiem-se nisso, engravidem para manter um namoro/casamento, que é uma ideia espectacular. Conheço homens que deixaram a relação estando elas grávidas e outros que saíram de casa tendo a criança poucos meses. Há de tudo, para todos os gostos. Se as pessoas se sentirem insatisfeitas, vão embora de qualquer maneira. Até podem aguentar ali a gravidez, até podem aguentar os primeiros meses da criança (os homens, alguns, têm aquele sentimento de protecção e sentido de decência), mas não será um filho a fazer com que fiquem. Até porque podem (e devem!) continuar a exercer o seu papel de pais caso se separem, não precisam de um apêndice para nada.

Engravidar "à traição" é assim um golpe mesmo baixo. Uma coisa é um casal decidir, em conjunto, que vai dar esse passo. E aí, sendo uma acção concertada, até pode acontecer as coisas não estarem muito bem e a criança vir ali unir o casal de alguma maneira. Outra é uma mulher decidir isso unilateralmente. É impor a outra pessoa uma responsabilidade e um compromisso para a vida, uma coisa que, legitimamente, ela pode não querer. É forçar uma relação com essa pessoa. A sério que, se fizerem isso, acham mesmo que a outra vai ficar super feliz por saber que vai ter de lidar com vocês para todo o sempre? Ou não acham que lhes vai passar ali uma pequena vontade de vos estrafegar o pescoço? E a sério que estão mesmo dispostas a dar esse passo, trazer uma criança ao mundo, para segurar um homem? Tenham juízo. Mesmo.

Voltando ao meu caso, em específico, e ao comentário deixado, eu ainda conseguia perceber (mais ou menos) a acusação se este fosse o meu primeiro filho, agora... o segundo? Sabendo eu perfeitamente ao que vou? Se bem que quando eu engravidei do Mateus também houve quem deixasse comentários do género, tipo "esta não descansou enquanto não arranjou um filho". Ora bem, tendo em conta que já estávamos juntos há cinco ou seis anos, acho que não fui propriamente rápida. E, depois disso, esperei mais cinco anos para ir ao segundo, por isso não percebo bem o "mal teve oportunidade". Dois filhos em dez anos não é uma média espectacular, não dava lugar de pódio nas Olimpíadas da Fertilidade. Mas já decidi, assim que esta nascer engravido logo do terceiro. Tau, o homem nem vai ter tempo de pestanejar. E vai ser sempre assim, gravidez atrás de gravidez, até lhe passarem as ideias moderninhas de querer sair de casa. Ou então sai, mas leva um rancho de 12 filhos atrás. Quero ver se depois alguém lhe pega.

Repito: os filhos são uma coisa muito boa, mas não salvam casamentos, não unem casais. Muito pelo contrário, aumentam consideravelmente as probabilidades de poder andar tudo ao estalo. E se há coisa que eu sei, por experiência própria, é que nada nesta vidinha é garantido. Com ou sem filhos. De resto, querida anónima, leia menos TV Guias, que vai para aí uma grande confusão nessa cabeça.


350 comentários:

  1. Gentinha burra e sem nada para fazer a não ser comentar a vida alheia! Os filhos nunca salvaram relações, mas já acabaram com muitas e irão continuar a fazê-lo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Exacto! A pessoa que comentou naotem filhos lol

      Eliminar
  2. Eu parei de ler na parte "típica mulher que é deixada pelo marido", uma vez que nunca foi dito quem deixou quem (nem tinha que dizer), ter partido logo do pressuposto que a mulher é que é sempre deixada. Abomino este tipo de mentalidade. Como se não existisse homens que são deixados, ou melhor, pessoas que chegam a um consenso mútuo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Partiu do pressuposto não, a mim parece-me mais que foi uma tentativa de provocar a Ana para ficar a saber quem deixou quem, qual foi a razão e quem é que voltou. Devia estar à espera que a Ana dissesse ‘engana-se que foi por x’, como se alguém neste mundo tivesse alguma coisa a ver com isso, além do casal.

      Mas estou consigo, abomino este tipo de mentalidades que consideram a mulher tão fraca que é deixada e tem de lutar para o homem voltar. Santa Paciência.

      Eliminar
    2. Concordo plenamente! Odeio esta mentalidade tacanha que ainda acha que a mulher é sempre o elo mais fraco e que, mesmo que tenha sido deixada tem de rastejar para recuperar o seu precioso homem. Por favor! Metam-se nas vossas vidas e deixem a vida dos outros em paz. Boa gravidez, Ana!

      Eliminar
  3. "Golpe da barriga" só me faz lembrar quando eu tinha o meu barrigão gigante e me virava de repente e pumba, atropelava alguém :). Ou então o Panda do KungFu :D :D

    ResponderEliminar
  4. Epa as explicações que para aqui vão!!! Sem necessidade.

    ResponderEliminar
  5. Adorei! Obrigada por escrever aquilo que a maior parte das figuras públicas não admite... já agora pipoca. Responda-me a isto ou faça um post sobre isto: porque é que os casais famosos ficam sempre amigos qdo há uma separação? Só leio isto: separamo-nos mas continuamos amigos. Separamo-nos mas continuamos a dar-nos bem. Separamo-nos mas seremos sempre uma família porque temos um filho em comum.... É que não entendo! À minha volta, os casais que se separam, pelo menos no início (aí 10 primeiros anos) não se pidem ver um ao outro. Não entendo! De que matéria é feita a figura pública?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Exacto.. a outra era só love para a vida toda.. e pumbas ficaram amigos!

      Eliminar
    2. LOL a resposta deve resumir-se ao seguinte: têm uma imagem a preservar... Não querem passar a real ideia de que não se podem ver, porque embora seja verdade não é uma coisa "bonita" de se fazer e como sabemos na vida pública a aparência se não é tudo, é quase tudo.

      Eliminar
    3. Olá anónimo das 14h34! Eu tenho familiares separados com filhos em comum e que continuam a dar-se super bem. E garanto-lhe que não são famosos nem estrelas da Hollywood 😉.
      Beijinhos e muitos parabéns á familia pipoca&arrumadinho.
      Ana, muita força nessa hora 🤢😂

      Patrícia

      Eliminar
    4. Estive mais de 10 anos e mantive a amizade. Não o amor...depende de como se termina, em que momento se termina e porquê. Duvido que se o motivo fosse traição q manteria amizade. Agora qd é pq o amor morreu mas há respeito e carinho por querer ver bem quem fez parte da nossa vida tantos anos, acho saudável.
      Ao contrário dos casos em que perseguem ex, desejam mal...

      Eliminar
    5. Eu dou me muito bem com o meu ex marido. Somos amigos e continuamos a sair os 3 juntos. Eu e ele temos novos companheiros o que não complicou em nada a nossa relação.

      Eliminar
    6. Essa amizade tão "natural" a mim só me diz o seguinte: NUNCA se amaram verdadeiramente!

      Eliminar
    7. Anónimo 16h38.. tal e qual.Só acrescento que em algumas situações nos encontramos os 6. Tenho 2 filhos 😊

      Eliminar
    8. Eu não sou amiga do meu ex, mas mantenho uma relação cordial, para bem da sanidade mental do nosso filho.
      É claro que não houve traições, ninguém deixou ninguem, somos só duas pessoas que evoluíram de forma diferente, começaram a ter objectivos diferentes e por isso separaram-se. Mas temos uma dessas relações "estranhas" ao olhos de toda a gente, e eu já dei por mim a questionar se era suposto andarmos aos berros ou envenenar o nosso filho? Isto seria aceitável? Para mim não.

      AnaC

      Eliminar
    9. Não é difícil de responder a essa pergunta. Por serem figuras públicas, casam por uma questão de imagem e depois ficam amigos após o divórcio pela mesma razão...

      Eliminar
  6. Clap,clap, clap bravo!!!
    Não te conheço (nem sei porque te trato por tu) podia ser tua mãe (olha, deve ser por isso) mas concordo tantas vezes contigo :))

    "PASSEI O DIA TODO A OUVI-LO CHORAR, ESTIVE QUASE A ATIRÁ-LO DA JANELA!!!!" - eu disse essa mesmíssima frase há 28 anos.

    Felicidades
    Ana

    ResponderEliminar
  7. Que ideias tão estúpidas que vão na cabeça desta gente... Mas o pior é que há mesmo pessoas que fazem isso. E algumas ainda "seguram" o homem durante algum tempo, mas duvido que a relação melhore. Eu, não queria estar com um homem que não quer estar comigo, quanto mais ter um filho com ele.

    ResponderEliminar
  8. Verdade verdadinha! Um filho raramente une o casal se já estiverem mal. Até acho que acelera o processo de separação pelas razões que tu melhor que eu enunciaste. Há de tudo já tive uma amiga minha que manteve o seu homem devido à gravidez MAS acho mesmo que é um caso raro. Houve outro caso em que ambas as mulheres, a oficial e a amante, estavam grávidas e o homem acabou por ficar com a amante porque esta tinha mais dinheiro ( hoje aquilo vai de mal a pior pelo que sei... ). Há de tudo como disseste mas de facto pelo que sei, pois não sou mãe, acho que a ideia de dar o golpe da barriga é das piores ideias de sempre. Catarina

    ResponderEliminar
  9. Marta pCarvalho23 março, 2018 14:41

    Golpe da barriga é para lá de muito bom!!!.. Inspiração Novela Venezuelana:)
    Tenho de ler:)

    ResponderEliminar
  10. Concordo com tudo! E no seu caso é ainda mais estúpido dizerem isso... Já tinham um filho em comum, se o caso fosse usar um para segurar o marido!
    conheço quem em menos de 3 anos tenha tido 3... aí sim, acho que foi mesmo tentativa de segurar o homem... e resultou numa linda relação, que o senhor só consegue suportar estar na presença da senhora pelos filhos e quando a isso é obrigado. A relação, essa já acabou há muito, mesmo antes do último nascer!

    ResponderEliminar
  11. Hum esse anónima que me desculpe mas acho é que há aí um odiozinho de inveja amorosa contra si. Ou seja, alguém que gosta mas é do seu marido e sempre que pode manda os seus bitaites parvos. Muito provavelmente é alguém que vocês conhecem ou já conheceram.
    Leio a Pipoca há anos e acho que se houvesse lugar a "golpes" seria do seu marido em relação a si, pois a Pipoca é bem gira é bem sucedida, ganha bem etc e homens se ela quiser não lhe devem faltar... enfim que gente tão má e parva.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Cláudia Cunha23 março, 2018 15:22

      Ora aqui esta o verdadeiro argumento e cenas dos próximos capítulos da novela mexicano/venezuelana. Excelente (só que não)!

      Eliminar
    2. De facto a anónima, cheia de boas intenções, conseguiu pôr ali uma pitadazinha de veneno no comentário!

      Eliminar
    3. Ladies and gentlemen, please greet Mr. Sherlock Holmes.

      Eliminar
    4. Este comentário consegue ser mais parvo do que o comentário que originou este post.

      Eliminar
  12. Olha eu jamais poderia dar esse golpe pois sou infértil. Mas acho deprimente quem o faz ou tenta fazer...

    ResponderEliminar
  13. Não podia concordar mais contigo, Pipoca. Tenho uma bebé de seis meses e a vida dá uma volta de 180 graus. Gente, mentalizem-se! Bebés não seguram casamentos. Mas uma coisa também garanto: são o melhor do mundo!

    ResponderEliminar
  14. As hormanas estão a trazer a "antiga" Pipoca devolta ��
    Só por isso voto em que engravides logo de seguida novamente ��
    Amei o texto!!!
    Brilhante!

    ResponderEliminar
  15. Suas parolas, nessa eu jamais cairia! Não gostar da minha namorada e ainda por cima chegar a casa e ela estar despenteada, chateada e com o puto aos berros, quem aguenta isto?? Eu não! Podiam engravidar mil vezes!!

    Vasco

    ResponderEliminar
  16. Pois eu acho que são os filhos (indiretamente) uma das principais causas das separações. Os filhos, apesar de ser o melhor que temos, vêm alterar por completo a rotina do casal, começam os stresses... e há muita gente que, com o passar do tempo, não consegue lidar mais com isso e separam-se. Por isso, o engravidar propositadamente NÃO segura relações, ainda para mais se estas já não forem saudáveis. O efeito será precisamente o contrário

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Concordo. Tenho duas filhas e em ambos os casos nos primeiros meses estivemos a um passo da porta para sair de casa, um e outro. Os filhos são incríveis, mesmo, mas também são uma espécie de bomba atómica na estabilidade da relação do casal.

      Eliminar
    2. Assino por baixo!!

      Eliminar
    3. Desculpem mas não concordo.Não entendo quando as pessoas dizem q um bebé pode acabar com uma relação! Mas afinal somos crianças ou acéfalos ?? O casal tem q se adaptar e ponto!nenhum filho pede para vir ao mundo.

      Eliminar
  17. Se filhos salvassem casamentos, não existiam divórcios de casais com filhos.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ora aí está! Na mouche

      Eliminar
  18. LOL a sério que não me sai mais que um LOL...
    Golpe da barriga?! Isso não era coisa de telenovela dos anos 90? É que nem agora as novelas se lembram do semelhante. Isso é tão redutor da condição feminina. Anda uma Beatriz Ângelo a abrir as portas ao sufrágio feminino em Portugal para tantos anos depois continuarmos com estas bostas destes pensamentos pacóvios da idade da doméstica dona de casa. Oh pá mentam-se na máquina do tempo e regressem aos anos 50 de onde nunca deviam ter saído. DEUS ME LIVRE!!! Gente que não evolui. Atrasos de vida alheia!

    ResponderEliminar
  19. Adorei a última frase!! kakakaka

    P.S: Esse/a anónima é claramente alguém que lhe dá muito prazer em chateá-la. Espicaçá-la!

    ResponderEliminar
  20. Ahahah...mas têm de haver estes comentários para nos rirmos um bocadinho!

    ResponderEliminar
  21. Conheço quem achasse que a relação estava "muito parada" e bora lá ter um filho!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Infelizmente inteligência é uma característica que não calhou a todos...

      Eliminar
  22. Ah, e concordo 100% com o que disse. Passei por isso. É tudo muito bonito até se ter um filho. Os primeiros tempos depois deles nascerem são mesmo um teste à resiliência de um casamento. DEpois, com o tempo tudo se vai compondo e ajustando. Mas Casamento que resiste a isso, acho que deve resistir a tudo. Bom a quase tudo!! Infelizmente há muitos casamentos que acabam nessa fase.

    O anónimo claramente está a falar sem conhecimento de causa. Ou melhor dizendo porque é BURRO (desculpem-me os burrinhos de 4 patas)!

    bj

    ResponderEliminar

  23. Pipoca ainda bem que tens sentido de humor, que paciência para aturar gentinha sem massa cinzenta!!!

    ResponderEliminar
  24. Concordo com a Pipoca em tudo o que disse. Só não entendo como é que alguém que detesta estar grávida e não esconde o abalo que são aqueles primeiros tempos, ainda assim quis ter um segundo filho... Mas também não tenho nada a ver com isso!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Porque...
      a) Como a própria Pipoca já chegou a comentar, depois do nascimento, facilmente nos esquecmos do sofrimento da gravidez e do próprio parto;
      b) A gravidez dura 9 meses, as alegrias que nos dão são para o resto da vida;
      c) Não é mãe, certamente não vai entender.

      Eliminar
    2. Lá estão as pessoas a tresler. Onde é que eu escrevi que detesto estar grávida? Não amo, mas também não detesto. E a gravidez do Mateus foi super tranquila. E é mesmo verdade que os primeiros dois ou três meses de uma criança são mais complicados. Nenhum destes motivos me parece suficientemente forte para não querer uma segunda gravidez.

      Eliminar
    3. Eu também não tenho nada a ver com isso... mas a Ana passa mesmo uma ideia negativa de estar grávida e de ter uma criança pequena em casa... não acho que seja realismo, é mesmo pessimismo.

      Eliminar
    4. Passo uma ideia negativa sobretudo DESTA gravidez. Como já disse, a do Mateus foi super tranquila. Ainda assim, não acho que seja esse estado de graça todo que muitas mulheres nos querem impingir. Quanto a ter uma criança pequena, não conheço uma alma que diga que os primeiros dois ou três meses foram pêra doce. Não é uma cena exclusiva minha.

      Eliminar
    5. Eu também não adorei estar grávida nem os primeiros meses de vida do bebé. Então agora isso é impeditivo para se desejar ter mais filhos? Para alguns será para outros não. Para mim não foi. Encontro muitas outras razões para mim mais válidas para não se ter filhos. Mas afinal o problema da baixa taxa de natalidade são os incómodos da gravidez.

      Eliminar
    6. Para quem não tem filhos e pensa ter, ñ é para ficar assustadas! Ninguém é igual a ninguém e ñ ha bebés iguais.Eu tive uma gravidez exelente, foi só barriga a crescer e tudo foi fácil. Aliás os primeiros tempos pós parto dão me ainda tantas mas tantas saudades!Tive mesmo sorte!Penso engravidar novamente qdo ela tiver uns 4 anos e às vezes dou por mim a pensar q vou passar por tudo de mau q ñ passei:) Por isso muita calma nessas cabeças.bj

      Eliminar
    7. Não, é realismo mesmo! A sociedade é que passa apenas uma ideia cor-de-rosa, errada!
      Eu detestei estar grávida, porque tive direito a todos os sintomas e porque não somos todas iguais, nem todas toleramos esses sintomas da mesma maneira, e fui ao segundo, porque queria muito dar um irmão ao primeiro e porque sempre ouvi que as gravidezes não são todas iguais. De facto a segunda não foi, mas continuei a não gostar, daí que não vá ao 3º.

      Eliminar
    8. Eu digo dempre que gostava que eles já viessem com 1 ano, e de cegonha!! Tenho um filho que tem 5 anos e estou à espera de outro bebé... na minha opinião é sempre a melhorar desde q nascem, cada fase é melhor que a anterior.

      Eliminar
    9. Detesto estar grávida! Tenho 3 filhos.. todos planeados!! Uma contradição a minha vida.. 🤷‍♀️🤷‍♀️🤦‍♀️

      Eliminar
    10. Fui eu que fiz o comentário inicial. E sim, sou mãe. Adorei estar grávida, detestei os 2 primeiros meses. Tenho medo de passar por tudo outra vez, já chegou uma. Mas isso sou eu...

      Eliminar
    11. Na primeira resposta a este comentário, alínea c), eu acrescento: as tristezas que nos dão também são para o resto da vida...

      Eliminar
    12. Amo ser mãe,estar grávida foi complicado, fiz tratamentos de fertilidade,os primeiros 3 anos do bebê foram complicados a nível de sonos, dormiu a primeira noite completa aos 6 anos. E sabe o que mais? Voltei a passar por tudo e tenho outro filho....o amor vence tudo e esquecemos a parte difícil e fica o melhor ❤️.

      Eliminar
    13. Eu tive uma gravidez otima, sem qualquer sobressalto, nao me custou nada (so a ultima semana porque estavam 42’C e tudo a arder e quase nao dava pra sair de casa), o parto foi rapido, sem dor e portanto melhor do que imaginei. Os primeiros meses foram diferentes da vida sem o bebe claro, mas nao foram dificeis, sem problemas na amamentaçao, sem grandes choros. Para mim o dificil foi voltar ao trabalho porque o tempo para as coisas de casa ficou muito curto! E dificil mesmo foi a partir dos 10 meses em que o bebe quer muita atençao e aí sim tive a noçao de que a minha vida tinha mudado e muito! Por isso, eu sou a alma rara em que tudo foi um mar de rosas desde a gravidez ate aos primeiros meses!

      Eliminar
    14. Adorei estar grávida e tive gravidezes daquelas sem enjoos, sem complicações, sem mazelas, no entanto, ser mãe até ao primeiro aniversário é extremamente difícil para mim. Abate-se uma tristeza profunda em mim, porque os meus filhos choram dia e noite e eu passo 24 horas com um deles e sinto-me anulada. Quem acha que ter filhos salva relações não está, obviamente, sentadinho na esquina da cadeira a jantar rapidamente numa sexta-feira à noite a tentar ler este post e os seus comentários quando, de repente, ouve :"Mamããããããã, já terminei! Vens limpar-me o rabo?" e o bebé de oito meses a chorar no quarto ao tentar adormecer no colo do pai. Isto é só uma amostra de 10 segundos.

      Eliminar
    15. “ o fim justifica o meio “ eu também não gostei de eStar grávida mas para ter a minha filha ou próximos vai ser assim .. que gente mais parva . Comparar a gravidez com ter filhos .. podias ser assim só 3 meses e tava ótimo :)

      Eliminar
  25. Isto deve ser das hormonas aos saltos porque a meios que não entendo porque é que a Pipoca respondeu.
    A imagem que veio à minha cabeça do golpe da barriga foi a Pipoca a cortar alguma coisa com a barriga... Enfim.

    ResponderEliminar
  26. Amen. Gente ignorante.

    ResponderEliminar
  27. Ai AGM,
    ...É que nem na Páscoa, as pessoas deixam de ser amargas e mazinhas, mas como bem disse, podiam ser malvadas e com a classe de uma Joan Collins nos idos anos 80, agora maldosas e foleiras!! Não há pachorra! Apague os comentários e vá de fim-de-semana descansada, que isto até faz mal à pele! Sim, porque só a comer amêndoas...

    ResponderEliminar
  28. Quando fiquei grávida do terceiro, também houve alguém que disse isso, mas passados 29 anos dele nascer e 36 de casamento ainda estamos cá!!!! ;)

    ResponderEliminar
  29. Isto vai soar mal, mas...Pipoca, eu adoro que existam estes comentadores no teu blog, creio que são mesmo uma espécie necessária! Sim, porque, é cada resposta tua mais acertada que é impossível não ficar deliciada!! Haja gente de mal com a vida, tempo a mais e inteligência a menos!

    ResponderEliminar
  30. Para mim é claro que uma mulher que faz destes comentários, pensa mesmo assim! Ela faria o golpe da barriga! Dá a entender ter baixa auto-estima e sentir que precisa de golpes para manter um homem. Dá-me pena... muito a sério.
    Quando me apercebo que se separam penso: olha, ela fartou-se de o aturar e precisa de folga!
    Quando me apercebi que se voltaram a juntar, penso: olha, ele lá foi persuasivo e conseguiu dar-lhe a volta. Tem mérito!
    Quando engravidou, pensei: epá, este gajo tem mesmo muito mérito!!! Como a convenceu a deixar-se engravidar???
    Um post sobre as que acham sempre que são os homens que “dão golpes” para manter as mulheres???

    ResponderEliminar
  31. Bom texto. Concordo plenamente.

    ResponderEliminar
  32. Estas pessoas sabiam estar felizes por uma nova gravidez mas não, têm sempre que falar mal. O ponto positivo disto tudo é que temos posts cómicos da Pipoca à custa destes comentários xD.
    Beijinhos
    Blog: Life of Cherry

    ResponderEliminar
  33. A mim quer-me parecer que alguma ressabiada quis "arrumar" a sua vida e viu a ideia perder asas...

    ResponderEliminar
  34. HAHAHAHA Golpe da barriga é muito bom lol e sim...quem acha que filhos salvam casamentos claramente não tem filhos :)

    ResponderEliminar
  35. Pois, eu concordo com o que escreveu a Pipoca e muita pena tenho que haja quem lhe deixe essas "postas de pescada" no blogue.
    Por outro lado, isto deixou-me a pensar nalgumas situações de mulheres que já conheci e, que embora não fosse bem "um golpe de barriga" (termo infeliz, é certo), estavam em relações instáveis mas confidenciavam-me que achavam que a paternidade poderia mudar o homem em questão para melhor. Elas tinham esperança (note-se que eram mulheres jovens e inteligentes) que, ao terem uma criança, pudessem "reanimar" o amor e ver a tão desejada mudança nos parceiros.
    Não estou a dizer que concorde com este ponto de vista e que seja um "golpe de barriga", mas fez-me pensar: será que esta mentalidade é assim tão invulgar? Eu gostava de pensar que não, mas as mulheres que conheci sentiam-se frágeis e tinham esta perspetiva em relação à maternidade...

    "Face Paint ou a História da Maquilhagem num Livro":
    https://tinyurl.com/yde8z4o6

    ResponderEliminar
  36. Ai Pipoca...e porque dizes que é uma mulher? Dá lá o beneficio da duvida pf lol

    ResponderEliminar
  37. A mim assusta-me o facto de existirem mulheres que querem ao seu lado um homem que não as ama.

    ResponderEliminar
  38. Uma pessoa que pensa assim não quer salvar casamento nenhum!! Quer continuar a enganar-se a si própria e manter a imagem social de uma união que na realidade não existe, vivendo de forma miserável numa relação que o mínimo que lhe poderá trazer é a indiferença do conjuge, porque tudo o resto será ainda pior, como a humilhação, a rejeição, a falta de amor-próprio, a falta de dignidade...Poderíamos explorar tudo isto em estilo novelesco, mas a realidade é bastante mais fria e cruel. Não se enganem, não vale a pena e não há relação que valha a nossa auto-destruição. Um casamento, com todas as suas dificuldades e vissicitudes tem que ser um porto de abrigo e não um penhasco para o suicídio.

    ResponderEliminar
  39. Abençoado anónima(o) do comentário do golpe da barriga.
    Se não fosse assim, não havia post da Pipoca. O q eu me ri😂😂😂.
    BJ. Mtas felicidades prós 4.

    ResponderEliminar
  40. Eu sou mãe de 2 e também acho que a maternidade não é a oitava maravilha do mundo. Estar grávida então não se fala, é um sofrimento só. Nunca vou conseguir entender as mães fofinhas que fazem floreados em tudo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E então os partos naturais como os meus(sem epidural não sr usava),foram a delícia....

      Eliminar
  41. Não consigo deixar de me lembrar do meu ex-namorado que acabou tudo comigo para ir para os braços da ex-namorada (que há meses lhe andava a mandar sms e combinar cafés) .Depois de pouco mais de 1 ano juntos ela engravidou com o propósito de o segurar (porque aquilo era galo de várias capoeiras). Conclusão, largou a rapariga com 8 meses de barriga. Adorei! Primeiro porque me livrei de um monte de merda, segundo porque ela ajudou a isso e como o karma é fodidíssimo, no fim disto tudo quem se lixou foi ela. :D

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Gostava de ficar sozinha aos 8 meses de gravidez? É muito importante ter um companheiro ao nosso lado ao longo se gravidez.Nem quero imaginar o quanto deve custar ser largada por alguém mas não seja má .Que medo

      Eliminar
    2. No fim de tudo quem se lixou foi a criança que nasceu... Nota-se que ainda não tem filhos, senão não falaria com essa ligeireza.

      Eliminar
    3. A sério??

      É por isso que as mulheres são mesmo as piores inimigas delas próprias.

      Eliminar
    4. Por estes pensamentos é que se vê como as mulheres são tão "unidas", não seja assim mázinha, só lhe faz mal e olhe que ainda pode vir a ter algum azar na vida, nunca devemos ficar felizes com a infelicidade dos outros. Mude esse pensamento, só lhe fará bem a si.

      Eliminar
    5. Deixa me só te lembrar que quem te devia fidelidade era ele, não ela.
      Voltamos ao mesmo. Culpar a mulher que desencaminha o pobre homem.

      Eliminar
  42. Até há imensos homens que fogem a sete pés de gravidezes e de bebés, portanto o tal golpe de barriga não é um tiro certeiro, é no mínimo arriscado.

    ResponderEliminar
  43. Não ligue a gente hipócrita.Seja FELIZ

    ResponderEliminar
  44. Eu não penso assim, quando muito penso nisto, mas no oposto, foi a pipoca que o deixou e ele agora insistiu no filho para a segurar! Perspectivas, mas que não interessam a ninguém!
    Agora o que de facto me faz confusão e já que falou nisto, que eu não puxaria o assunto, é como alguém (o vosso caso e de muitos que conheço), se separa há pouco (ou está a pensar nisso) e vai logo ter um filho. Como é que alguém passa de estar desiquilibrado numa relação ao ponto de se separar para 1 mês depois estar equilibrado ao ponto de ter 1 filho... Isto porque se fosse eu que chegasse ao ponto de me separar tinha que estar mesmo muito mal e mesmo pensando numa reconciliação nunca estaria logo disposta a engravidar, por isso não entendo, mas também não é para eu entender!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Já voltámos há um ano, não foi "há um mês". E antes disso havia uma relação de nove anos, não era de nove meses. Não somos propriamente desconhecidos.

      Eliminar
    2. Não perca tempo a responder a estes comentários! Merece ser feliz e respeitada. Agora que está novamente grávida, ainda mais, pois acredito que estes comentários maus e de má fé só pioram o seu estado, como é normal, e não é preciso ser mãe para se perceber, como é o meu caso. O que eu acho é que tudo isto é inveja, até porque tem a excelente capacidade de conciliar o tempo para a família, para os amigos, para o Mateus, para trabalhar, viajar, entre mais mil e uma coisas! É triste ver até que ponto uma pessoa tem que se esconder em anónimo para dizer o que pensa!
      Seja feliz e não dê importância a estas pessoas que só lhe querem mal. Força e continue a Pipoca fantástica que é :) Obrigada por nos divertir tanto!

      Eliminar
    3. Não é assunto que me interesse ou que dê importância quando aqui venho por isso nunca comentaria tal coisa por iniciativa própria mas tenho para mim a mesma teoria que o anónimo. Não ligues nem dês importância... é o filme que passa na minha cabeça ou a imagem que construí de ti e que não me faz gostar mais nem menos de vir aqui, que não venho cá pela tua vida pessoal.

      Eliminar
    4. Podem chamar-me pessimista, mas não acredito nas relações que, por qualquer motivo, já sofreram uma separação! Tenho uma relação de 17 anos, mas se alguma vez tivermos que dar um tempo acho que é o fim! Espero que não seja o caso da Pipoca! Não somos todos iguais!

      Eliminar
    5. Concordo com este último comentário e também me custa entender como é que alguém engravida neste contexto, mas desejo sinceramente estar enganada!

      Eliminar
    6. Anónimo de 23 Março, às 21:24... Que descrença! Não é por as pessoas terem passado uma fase menos boa e terem precisado de se afastar por uns tempos que significa que não há amor ou que, voltando a estar juntas, não é a mesma coisa. Às vezes as pessoas precisam mesmo de se separarem para perceberem o que querem, o que faz sentido. Vá por mim, que sempre disse que não percebia a cena de "dar um tempo" e depois de me ver numa relação de 7 anos, estive separada do meu namorado 3 meses e voltamos. Continuamos juntos e ainda mais felizes, agora com 11 anos de juntos. A vida não é a preto e branco.

      Eliminar
  45. Deve ser por isso que não existem filhos de pais divorciados..os filhos não permitem separações nem divórcios! enfim

    ResponderEliminar
  46. Ana, cheguei a desistir de ler este blog por causa destas serranas :). Ficava incomodada. Não é que desta vez ri-me a valer! Ainda bem. Recuperei o meu sentido de humor!

    ResponderEliminar
  47. Se filhos não seguram casamentos, porque engravidaste logo no ano em que estiveste separada?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Valha-me Nossa Senhora dos Períodos Férteis, que esta gente quer tudo ao detalhe, datas, dias, segundos, posições. Adoro estas teorias Sherlokholmianas: se engravidaste no mesmo ano em que estiveste separada, então é para segurar o casamento, é óbvio que não há outro motivo. Há um período por lei que deva ser respeitado e eu desconhecia? Tinha de ter deixado passar quanto tempo? O que é que era aceitável? Dois anos? Três?

      E depois ainda há os que deixaram aí comentários (que eu não aprovei) a dizer que nós acabámos no mês x, e que voltámos no mês y e que eu engravidei no mês Z e que, posto isto, ainda é demasiado cedo para estar grávida de novo (ah ah ah ah). As pessoas ainda não perceberam que o facto de só saberem das coisas em determinado momento não significa que esse seja o tempo real. É quando nós queremos, quando nos apetece, quando achamos ser a melhor altura. Não se ponham a fazer contas, vai sair tudo furado.

      Eliminar
    2. Exacto Pipoca isso são os vossos timmings que não têm de ser iguais aos dos leitores. Mas isso só percebe quem gosta mesmo te ti porque desculpa dizer te isto mas acho que tens aqui pessoas muito estranhas como leitores,pessoas que não gostam de ti credo! Gente tola!!
      P.S- Reforço esta ideia com o seguinte: dia X chove em Lisboa mas a Pipoca faz um Hoje deu me para Isto no dia Y raiando de Sol e calor, pois há almas que não percebem que o dia em que se posta não tem de ser mesmo "aquele" dia, e até disso reclamam, que está a nevar e como é que está Sol em Lisboa e o diabo a quatro! Arre porra que é demais!

      Eliminar
    3. Pipoca, páre de tentar dar esse ar de família feliz que, se antes da separação ainda podia pegar, agora não cola, sim? Pode ironizar o que quiser, mas já se percebeu que foi o seu marido a querer esse filho e que só veio porque voce não teve coragem de levar a separação a avante.

      Eliminar
    4. Pessoas que não percebem se está em directo ou em diferido! Felicidades para os 4!

      Eliminar
    5. Fo&@-se, carvalho, é cada cabeça doente. Bola pra frente pipoca. Haja pachorra. Desculpem os palavrões mas bem desfilavam aqui mais alguns. Desejo-te as maiores felicidades pipoca. Ju

      Eliminar
    6. Pois, pois... O comentário é totó, mas a resposta também não foi muito inteligente. Se calhar esperaram 2 anos para dizer que se tinham separado e 1 ano para dizer que afinal tinham voltado? Please...

      Eliminar
    7. Daqui a pouco só falta culparem a Pipoca por ter tido relações sexuais com o marido quando se reconciliaram, isto é preciso muita paciência! Não lhes ligue Pipoca, pois como bem sabe neste País gostam muito de dar bitaites sobre a vida dos outros. Seja feliz, e o essencial é que essa menina venha cheia de saúde, e vai trazer muita alegria no vosso lar.
      Manuela

      Eliminar
    8. Grande erro esse de partilhar q se está separada.Depois caem lhe em cima cabecinhas pensadoras destas.Ñ q me pareça muito ralada mas dá sempre algum incomodo.Mas por acaso
      quando soube da sua gravidez pensei que não tinha retomado a relação . De qq das formas que tudo corra bem*

      Eliminar
    9. Anónimo das 22:30, refiro-me a pessoas que dizem "vocês só publicaram uma foto juntos no Instagram em Maio, por isso só voltaram nessa altura". A sério? As pessoas vivem excessivamente a vida virtual e não se lembram que há uma vida real. Aparentemente, se não está escarrapachado nas redes sociais então é porque não existe.

      Eliminar
    10. Anónimo das 22:39, eu não estou "a tentar dar esse dar de família feliz". Nem de família triste. Nem de família assim-assim. Não estou a tentar dar ar nenhum. Se faz leituras enviesadas, o problema não é meu. Mas folgo em saber que tem uma teoria diferente: afinal o meu marido é que quis este bebé e eu só o vou ter porque sou uma lula sem personalidade que faz tudo o que ele quer. =) Tão bom. Portanto, não há nenhum cenário em que se considere que vamos ter um filho porque... TXANAAAAAAANNNN... ambos queremos e assim o decidimos, em conjunto. Nãaaaaooo... ou fui eu que dei o "golpe da barriga" ou foi ele que me obrigou. Pessoas, a sério...

      Eliminar
    11. Deixe.me acrescentar a minha teoria pura favor!!! Deixe, deixe! Sim? Sim? 😄
      Então é assim, eu... Acho... Que o arrumadinho voltou para a pipoca depois daquele texto magnífico, belo, sedutor, amoroso... Sobre a chegada ao aeroporto e naoter "ninguém" à espera.
      Pumba! Foi aqui! 'Arrumou-o' logo.
      Tenho dito. 😊

      Eliminar
    12. Oh valha-me nossa senhora da blogosfera!!! People get a life, leiam mais livros, vejam mais filmes, se têm mesmo de perder o vosso tempo a criar enredos da vida de pessoas que seguem nas redes sociais/blogosfera um conselho de amiga... vejam novelas, caso não tenham reparado os nossos canais de televisão nacionais estão cheios delas... e já agora sejam felizes de preferência com a vossa vida e não a destilar veneno para a vida de alguém que nem sequer conhecem... god

      Eliminar
    13. Ana não se justifique tanto. Para quê? Não vale a pena. Pessoas raivosas irao existir sempre. Felicidades.

      Eliminar
    14. Ana pare de responder.Está a dar corda demais e parece que necessita de se justificar. Não precisa mesmo pq a sua vida real ñ é este blog. Felicidades*

      Eliminar
  48. Hoje li a seguinte frase: "Uma mulher não nasce mãe, amãedurece..." até me vieram as lágrimas aos olhos pois não sou mãe , será que isso quer dizer que nunca vou ter maturidade?

    P.S Sejam boas umas para as outras!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Vai amadurecer com certeza, não se preocupe. Eu não tenho filhos nem vou ter e considero-me uma mulher com maturidade, consciente e acima de tudo com caráter. Já cuidei de crianças e correu muito bem, gosto muito, talvez seja por isso. Vivemos umas coisas, não vivemos outras. Seja muito feliz

      Eliminar
  49. Infelizmente ainda há muita mulher assim.
    Que engravidam só porque o namorado/ marido quer e tudo fazem pra o agradar. Também é uma forma de o agarrarem.
    As pessoas não sabem estar sozinhas.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Nao vejo qual é o problema nisso. Uma relaçao involve 2 pessoas, q nao têm necessariamente a mesma opiniao e por isso alguem tem de ceder. Eu vou ter filhos porque o meu marido quer, eu por mim nao tinha. Mas o meu marido tb queria estar num apartamento arrendado e acabamos de comprar uma moradia porque para mim era importante. É impossivel estarem sempre os 2 de acordo, terem sempre as mesmas opinioes, nunca ninguem ceder em nada. Claro q isto sao situacoes feitas ás claras, q ambos sabem e debatidas antes de casarmos. Ele sabia q eu nao gostava de ter filhos e vou ter por ele, tal como ele por ex voltou p Portugal por mim e deixou a carreira q tinha em Inglaterra. O que me faz confusao sao as pessoas q me dizem q me devia divorciar e nao ter filhos p n ceder. Entao assim ninguem se casava, se nao sao capazes de obter um compromisso de opinioes contrarias.

      Eliminar
    2. Anónima das 22:22, as pessoas dizem isso porque ter ou não ter filhos é uma das decisões mais importantes da vida de qualquer pessoa, não comparável com os outros exemplos que apontou. Trata-se de trazer uma vida ao mundo, com tudo o que isso implica durante décadas. Eu não quero ter filhos e não estaria com alguém que quisesse porque, lá está, não quero ser mãe, e ninguém deveria ser mãe (ou pai) sem querer realmente. Pode correr bem, mas há uma chance grande de a pessoa que não quer ter filhos vir a ressenti-los, ser infeliz e fazê-los infelizes. Todos sabemos que numa relação tem que haver cedências, mas em coisas como aquelas que referiu, não num assunto desta dimensão.

      Eliminar
    3. Anónima das 22h22 e possível sim estar sempre de acordo, ou pelo menos os desacordos serem só coisas pequenas tipo onde vamos jantar hoje ou que filme vamos ver ao cinema. Já não percebo tao bem o que une casais com objetivos de vida tão diferentes (arrendar ou comprar, ter ou não filhos, viver em Portugal ou no estrangeiro, etc). Eu estou com o meu marido há 8 anos (desde os 23) e nunca tivemos essas cedências, temos precisamente a mesma visão do que queremos da vida, daí ser a pessoa ideal para estar ao meu lado.

      Eliminar
    4. Sou a anónima das 19h09 e anónima das 23h48 era mesmo a esse ponto que eu queria chegar.;)

      Eliminar
    5. Eu percebo o q quer dizer. Mas qual é a alternativa? Eu amo o meu marido, e se tenho de escolher entre ter um filho e ficar c ele ou nao ter filhos e perde-lo, entao prefiro ficar c ele. E nao é no sentido generico de nao querer ficar sozinha e precisar de um homem, é q eu de facto quero estar com ele. No caso da Ana Ros ( blog maça de eva) correu bem. Ela sempre disse q nao queria ter filhos, nao precisava disso p ser feliz, mas como o companheiro queria, ela la teve p o fazer feliz. Eu espero ter a mesma sorte dela.

      Eliminar
    6. Anónimo 23:48, plenamente de acordo. Acho que isso tem de ser falado logo no início da relação e não estando em acordo é ir cada um à sua vida.

      Eliminar
    7. Anónimo das 22:22, a vida é sua, mas acho que faz muito mal em ter filhos, porque o seu marido quer. Não é propriamente a mesma coisa que fazer cedências em relação a uma viagem, um sofá ou uma casa. Nada é mais para toda a vida, que um filho. Eu também não quero filhos, se o meu marido quisesse,não tinha casado com ele. Jamais o faria abdicar de ser pai,mas também não ia ter um filho por ele.
      Espero que depois do bebê nascer, tudo mude e não se arrependa,porque se isso acontecer, vai passar a vida a acusar o seu marido. E isso não é bom para ninguém.

      Eliminar
    8. Anónimo das 22:22,comparar filhos a casas...priceless. Também tenho duas miúdas de 20 anos na minha terra que engravidaram para casar, o que é certo é que resultou. Pelos vistos isto são os novos tempos e eu é que estou velha e ultrapassada

      Eliminar
  50. O golpe da barriga é um truque como outro qualquer.
    Faço tudo por amor e não admito que se intrometem que tomo as devidas providências.
    Isto para dizer que sou feliz é por estar com o meu namorado.não é o trabalho, os meus pais ou que seja que me faz feliz. Nada se compara ao que sinto por ele.
    Se ele me deixar faço o que for preciso e vejo-me uma stalker, a comprá-lo com presentes e nem sei se não mataria uma mulher que se metesse com ele. Pancada levaria e o mais que a pudesse prejudicar.
    Não me vejo sem ele.e não se façam de independentes que como eu Há muitas mais.todos queremos é amor.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Isso não é amor, lamento...

      Eliminar
    2. Muito medo desta pessoa... credo, isso é obecessão, não é amor. Amor é querer estar em Liberdade com a outra pessoa e não por imposição de outrém. Que horror eu acho que há comentários só para provocar!

      Eliminar
    3. Cada vez mais há pessoas com problemas psicológicos.
      Antes isto fosse só para provocar. Tenho uma irmã psicóloga e sei que há casos destes do "fazerem tudo por ele " ou "só preciso dele".
      Que Deus te dê paciência,Pipoca

      Eliminar
    4. Engraçado como eu penso exactamente o contrario. Tenho imenso medo de ter fillhos, medo q isso estrague as nossas rotinas e a relaçao q temos enquanto casal e nos separe. Tenho uma ideia terrivel do horror q é gravidez, parto e primeiro ano do bebé. Tudo pelo q leio nos blogs. Nao percebo alguns comentarios q dizem q se passa uma ideia cor de rosa da maternidade... nao devem ler os mesmos blogs q eu...

      Eliminar
    5. Em nada concordo com o comentador inicial mas se não houvesse pessoal deste não veríamos tantos casos de homicídios e stalking nas notícias. Nem depressões e outros problemas.
      Autora..isso não é naaada saudável. Procure ajuda.Por si.

      Eliminar
    6. Este comentário é a gozar, certo?

      Eliminar
    7. Está explicado o não gostar,o meu medo desde sempre de ouvir que sou a luz,a razão de viver de um namorado.houve quem dissesse e não gostei.parecem pessoas sem vida ou personalidade.é que depois ainda ficam ou são como você.
      Não é armar-me mas tirando um filho não sei como alguém(não sendo adolescente) diz,pensa e sente que só precisa dum homem.dava-me jeito que não andava numa lufa-lufa para estar em todos os lugares que quero com quem gosto.

      Eliminar
    8. Ai que pessoas tão perfeitas por aqui andam.
      Não sei como ainda vejo verdadeiras cenas de ciúmes,stalking a exs(ou ainda na relação),perfis falsos,prejudicar exs no trabalho,furar pneus à atual,ameaças,chantagens... Se estamos com a pessoa para partilhar a vida é natural que estejamos em boa parte dependentes dela.
      Quem nunca fez algo do tipo que atire a primeira pedra.
      Só falta dizer a pipoca e as restantes que adorou estar separada ou quando se separou nas outras relações.que gente tão forte,alegre que nada a abala.
      A pipoca mudou muito por estar com o arrumadinho.ele deu-lhe amor-próprio,força,felicidade e não venha com histórias.a anónima das 19:20 ao menos foi sincera.a pipoca pode dizer tal como a Assunção Cristas que chegou onde chegou por ter um grande marido. Agora virem dar banhos de gente com classe e que não precisam de homem para nada..já pensaste como serias e a tua vida sem ele?!tu,eu e quase toda a gente podemos ser independentes mas só em dinheiro. Se estou com o meu marido é natural que faça tudo por ele e não me veja sem ele.como todos.nunca vi ninguém quando se separou aos saltos.se sim era porque já tinha outro/a.
      É difícil admitir que somos uns fracos que sozinhos nada conseguimos ser,nem felizes(se me separar vou para os meus pais que sozinha não fico.e como eu muita gente.e não é por dinheiro).
      Acredito que á aqui gente que pensa pior que a anónima das 19:20 e já fez pior.

      Eliminar
    9. Fale por si anónima 23:45 e 19:20.
      Credo!!!
      Só gente doida e doente!
      De vez de eu ir para pneumologia deveria ter ido para psiquiatria. Muita gente a precisar.
      Sara

      Eliminar
    10. Fazer tudo por um homem anonima.desculpe não a invejar.se calhar não amo o meu.

      Eliminar
    11. Anónima isso é total dependência mais que obsessão e posse.
      Não sei como consegue viver o dia a dia a ver a vida assim.
      Ninguém é de ninguém (nem os filhos) e ninguém é tudo. Ame-se a si primeiro. Não tem que se completar em alguém ser você completa.
      Olhe que um namorado ter dito que eu lhe bastava foi mais que meio caminho para o deixar. Gosto de pessoas independentes,lúcidas e com interesses.
      Talvez Livrei-me de boa que ainda diria que nunca ninguém gostaria mais de mim que ele ou ficava como você.Capaz de algo drástico até para com o seu amado.
      Saúde mental precisa-se e não é só o seu caso.

      Eliminar
    12. Falta aí muito amor próprio.

      Eliminar
    13. É preocupante a anónima das 23:45 achar que esse comportamento é normal. Não é normal nem saudável sermos "uns fracos que sozinhos nada conseguimos ser". Nunca senti isso na vida apesar de ter passado por términos dolorosos. Fiquei muito triste, destroçada até, mas nunca perdi de vista que sou uma pessoa inteira e não metade. E nunca fiz nenhum dos disparates que enumerou porque tenho demasiado amor próprio para andar atrás de quem não me quer. Se amo alguém que deixa de querer estar comigo o amor não acaba imediatamente, mas quebra-se a vontade de estar com essa pessoa, porque o amor romântico só existe na reciprocidade. Andarmos atrás de quem não nos quer é doentio.

      Eliminar
    14. "É difícil admitir que somos uns fracos que sozinhos nada conseguimos ser,nem felizes(se me separar vou para os meus pais que sozinha não fico.e como eu muita gente.e não é por dinheiro). "
      Credo!! Não, isto não é normal. E medir o mundo todo pela sua bitola também não. E se não têm amor próprio sozinhas tambem não têm ao lado de ninguém.

      Eliminar
    15. Era bom que certos comentários fossem a gozar.
      Profissionais da área sabem bem quanto é comum esta realidade de pessoas com a premissa da vida ser casar,filhos e casa.
      É urgente cultivar a auto estima e a saúde mental. Há coisas que não podem ser normais.são doentias

      Eliminar
    16. Isso é falta de amor.... pelo seu namorado, mas principalmente por si.

      Eliminar
    17. A senhora é extremamente doente e assustadora. Falar em matar?? Se a quiser deixar, algum dia, tem LIBERDADE de o fazer. Sabe o que é liberdade?
      O que disse é extremamente grave. Muito mesmo. NADA tem a ver com amor. A senhora é muito perturbada e espero nunca me cruzar consigo ou com alguém assim. Medo de gente doente...irra.

      Eliminar
    18. Alerta louca!!!!

      Eliminar
    19. Anónima 12:22 tem uma visão salutar.
      Gabo-lhe e invejo-lhe a sua lucidez nos momentos de ruptura.
      É natural perder-se amor próprio e se tentar durante um tempo. De forma ordeira, não desistir.
      Já fiz cenas que não me dignificam mas nunca como a anónima, cenas que lesam.

      Eliminar
    20. Não que concorde mas com o que vejo e como inda ninguém definiu o amor não sei sei se o amor não será fazer tudo abdicando de nós.
      Jamais associaria a a Ana aos comentário.

      Eliminar
    21. Não sei como á tanta depressão com pessoas tão bem resolvidas, cheias de amor próprio e que aceitam bem a separação. É normal tentar se e "dar-se com a cabeça na parede" e pasmem se que á casos que nos dao para "instintos animais".
      A maioria das pessoas nem consegue viver sozinha quanto mais ser feliz sem amor romântico! A vida resume-se a isso e depois a ter dinheiro para se gastar com o nosso amor. Ou querem ter um Ferrari para andarem sozinhos?
      Não se enganem nem aos outros para se sentirem melhores por serem felizes sem homem. Não pega. E por mim falo, que sozinha não me vejo.

      Eliminar
    22. O que para aqui vai....
      Estas pessoas têm problemas psicológicos e não têm noção.
      Não há que criticar e sim respeitar porque como doentes têm também esse direito.
      Sofia

      Eliminar
    23. Acho que não tenho de ter medo porque estas mulheres só fazem disparates e vivem para os homens.sou mulher estou safa.

      Eliminar
    24. Anónimo 12h22 não concordo que andar atrás de quem não nos quer é doentio. Pode-se ter o amor de quem não nos queria.
      Há quem goste de luta de ver que o outro merece a sua atenção.
      Andei 4 anos atrás do meu atual namorado com cartas,criando perfis sempre que me bloqueava(cheguei a ter dezenas) e viu que eu era persistente e gostou deu-me a oportunidade. Estamos juntos hà 8 anos.
      Também andei 2 anos para entrar em medicina. Se não tivesse ido atrás do que não me queria..

      Eliminar
  51. Onde é que a Pipoca arranja paciência para lidar com estes comentários?

    ResponderEliminar
  52. Minhas senhoras, sim, senhoras, parem de ser tão mesquinhas, invejosas, cruéis, ofensivas e acreditem que se fizessem um pouco de voluntariado, mas "voluntariado de coração" seriam muito mais FELIZES porque com a inveja que têm e a enorme dor de cotovelo que apresentam, não produzem nada de enriquecedor nesta vida!
    DEIXO UMA SUGESTÃO A TODAS FERVOROSAS SENHORAS QUE SOFREM DE UMA ENORME DOR DE COTOVELO: PROJECTO FAMÍLIA GLOBAL em CARNAXIDE- Façam voluntariado e vão ser muitooooo mais felizes!!! Acreditem!
    BRUNO R. " Sejam felizes, sejam solidárias"

    ResponderEliminar
  53. Este comentário hatter é assim tao demodé que nem merecia nenhuma resposta. Quem... Quem no sec XXI ainda consegue pensar assim?!
    Lol a minha filha ia-me matando o casamento, isso sim, o que no meu caso seria grave pois éramos um mega casal. Não matou, fortaleceu mas todos nós que somos pais sabemos a porrada que é...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Hatter?
      Se têm internet para vir aqui que tal usarem também para ir ao dicionário?
      Porque não escrevem em português o que não sabem escrever em inglês?

      Eliminar
  54. Ter um blog dá liberdade a que muitas alminhas frustradas deixem aqui os seus pensamentos mais ridículos... Quando o blog se tornou muito conhecido, a Ana já sabia que isto ia acontecer. Na minha opinião, não sei como é que ainda arranja paciência para responder a esta gente desmiolada. O que eu faria no seu lugar seria desativar os comentários. Haja pachorra.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O que já me ri com alguns comentários neste e no outro post, pff não apaguem as coisas giras!

      Eu acho que há comentários que são inventados, só pode, mas já me fizeram chorar, literalmente, a rir! Obrigada!!

      Eliminar
  55. Que gente anda neste mundo!Não me admira ele estar como está.
    Já eu fiquei pasma de tristeza por ti, por ver fotos vossas felizes em novembro de 2016 em NY e em dezembro estavam separados.
    O que se ganha com a infelicidade dos outros,neste caso da Ana?!
    Vivam e deixem viver!

    ResponderEliminar
  56. Marta pCarvalho23 março, 2018 23:03

    É pessoal (como diz) que gosta muita da Maria e na Ana (ainda devem existir) e não fazem a mínima ideia do que é ter uma vida própria, só sabem falar (mal) da vida dos outros.
    Fazem uns filmes, sob anonimato, que “não lembra ao diabo":)
    Golpe da barriga … fiquei curiosa como o “anonimo terá tanta sabedoria no assunto, provavelmente por experiencia própria, que só pode ter resultado mal.
    Por as mulheres nesse patamar tao “jurássico”, desclassifica-nos. Não sabemos tomar conta de nó e por isso temos de arranjar um bom sustento, até aos 109 anos…gostando ou não, desde que pague as contas …
    Se calhar não consegue perceber o raciocínio do anonimo porque não é possível perceber.
    desequilibrados (qualquer que seja o objectivo deles).
    A questão de ter filhos para segurar casamentos….Sim, eles vão segurar, mas é lá para baixo mesmo.(são as suas duas hipóteses):)
    Estando bem ou mal a relação, existe no inicio um desgaste enorme e vao-se criando dificuldades, que poderão ser ou não ultrapassadas.
    Quando me dizem que vão ter um filho, costumo dizer, “Parabens mas prepara-te para sobrevieres nos primeiros 3 anos. O objectivo é respirar e mantermo-nos á “tona de agua”.
    Todos passamos por isso, então quando temos o primeiro filho (eu só tenho um), aquilo vem tudo sabe-se lá de onde. Um dia estamos independentes a fazermos o que queremos e a seguir estamos a dormir, no melhor cenário, duas horas seguidas.
    Eu tenho um sono super pesado e por isso punha despertador de 3 em 3 hora para ter a certeza que acordava à noite…era desesperante.
    Nós já estávamos a ficar malucos de cansaço, já não se consegue raciocinar e as coisa mais insignificantes ficam com um peso enorme. Tudo nos chateia, cobramos tudo e discutimos à mínima coisa.
    Lembro-me de muitas noites, no inverno, depois de tratarmos de tudo e estar tudo impec,dava-mos o ultimo biberon para o menino dormir bem e irmos …fazer sexo? NÃO:), ..só descansar mesmo…e ele vomitava (por causa de alguma expectoração que às vezes tinha)…Foda-se ninguém merece, vai de voltar a limpar tudo:)
    Leva qualquer pessoa ao desespero, já para não falar da hora de preparação das coisas para uma simples saída de casa (biberon + esterilizado+comida+agua+manta+fraldas +roupa de muda++++…..desisto, já só volto a sair quando o menino fizer 18 anos…:)
    As coisas ultrapassam-se, os casais andam para a frente e adoram-se cada vez mais os filhos, mas não são certamente eles que seguram as pontas ( as pessoas têm de estar juntas porque gostam uma da outra e não pelos filhos).
    Acho que com o primeiro devemos complicar mais…
    Tal como diz, nesta vida nada é garantido, mais vale é ir aproveitando o presente..

    ResponderEliminar
  57. Não surpreende-me o comentário e os comentários.
    Como psiquiatra sei que há pessoas que não conseguem estar sozinhas do ponto de vista romântico porque ficam doentes (fisicamente e psicologicamente,mentalmente).E têm essa noção.
    Este tipo de amor está sobrevalorizado e a maioria das pessoas tem uma baixa auto-estima que pode originar depressão,obsessão,perseguição,"golpe da barriga",violência nos companheiros(ou atuais dos exs) e nos pais(pra lhes darem o dinheiro que querem pra segurar o outro),homicídio,suicídio.
    Nem imaginam os casos que me passam plas mãos.
    Não é só neste post do seu blogue que vejo gente meia louca,irracional,incoerente,desequilibradas emocionalmente,carente,faminta de atenção.
    Estes comentários espelham bem a sociedade.
    Felicidades pra si

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Como psiquiatra escrever "pra"..... e assim vai o português

      Eliminar
    2. Ui que os médicos para darem erros...

      Eliminar
    3. Pior do que isso é o “fisicamente e psicologicamente, mentalmente”. 🤮

      Eliminar
  58. Concordo contigo que um filho é uma prova de fogo a um casal.Sou mãe de gémeos e sei do que falo.se calhar sou má mãe por os meses iniciais não me deixarem saudades.e não invalida o ser capaz de dar a vida plos meus filhos, que sim,na hora.
    O estrondo dum filho pode ser tão grande que sei de casais que nos primeiros meses vão pra casa dos pais para serem ajudados (e por recearem acabar devido a atritos por tudo e por nada).
    Pelos comentários que leio,constato que tanta energia se desperdiça e há pra falar o mal,mas para fazer o bem e serem felizes... O nosso bem-estar está dentro de nós.quem escolhemos para nos acompanhar só nos pode ajudar,não fazer o que só nós podemos.
    Pra essa comentadora..a vida é muito mais que um homem.eles vão e vêem, como quase tudo na vida.os filhos ficam sempre e para sempre. Ainda há quem pense como ela ao ser vítima de violência doméstica desde adolescentes porque acham que se deve fazer tudo para agarrar um homem.
    Tenho medo de criar os meus filhos num mundo com gente desta.
    Beijo da Patrícia

    ResponderEliminar
  59. Pessoas que se põem a adivinhar.Como sabem quem deixou quem?!Ou se a vontade era só dum?!
    Por favor façam-me à felicidade que muitos comentários que aqui leio é de quem não é feliz.

    ResponderEliminar
  60. Não sei qual o espanto do comentário e doutros que aqui li.
    É normal que todo o tempo que tenhamos livre seja para estar com o namorado ou marido. Afinal por que estamos juntos?quem não tem filhos não é ele de quem mais gosta?quem mais nos faz feliz? Por mim estava sempre com ele.
    Certas pessoas devem ser as que dizem que são felizes sozinhas e vai-se a ver e não ficaram.ninguém é feliz sem parceiro.
    Quanto ao golpe da barriga,se o meu marido quiser e eu não por amor a ele engravido.
    Não á que julgar.todos sò queremos ser felizes à nossa maneira e da maneira mais fácil.

    ResponderEliminar
  61. Agora percebo tanta crítica quando a Ana viaja sem o Mateus. Mentes atrasadas! Já agora sexo só porque o homem quer.
    Tanta anémona.

    ResponderEliminar
  62. É um consolo ver gente pior que eu.
    Não é com orgulho que digo que já fiz cada porcaria e até ilegalidades por homens. O amor cega-nos, sei lá.
    A última já foi na casa dos 32 e procurei ajuda para gerir o que sinto quando apaixono-me, ficando presa e sendo totalmente irracional.
    Foi o melhor que fiz e aconselho um psicoterapeuta.
    Ri-me até com os comentários mais surreais mesmo pensando que também já fui uma dessas das que não concebia a vida sem amor e por mais que tivesse tudo o resto.a minha família sofria com o desprezo que eu punha.só via o namorado.fui uma namorada louca e o psicólogo ajudou a perceber a minha extrema carência.
    Também sei de casos que abandonaram os filhos porque os novos companheiros não os queriam.em tempos também seria capaz..hoje sinto nojo só de pensar fazer tal.
    Procurem um profissional e não destinem veneno na Ana que não tem culpa.

    ResponderEliminar
  63. Acho que a Ana está a dar se muito ao "trabalho" de explicar e justificar, quero acreditar que seja por causa das hormonas. Ficou tão calada na separação e reconciliação que este "carnaval" todo agora por causa da gravidez não deixa de ser estranho. Quem não deve não teme nem deve explicações...se está feliz deixe que os outros falem porque já sabe como é vão falar sempre...

    ResponderEliminar
  64. Pipoca és a maior!
    Inacreditável o que para aqui há de comentários!

    ResponderEliminar
  65. Concordo a 100% com a Pipoca! Quando estive grávida e me diziam "ah que saudades dessa barriga" eu só pensava "de quê? De não conseguir calçar, não puder dormir de barriga para cima, ter dores horríveis de costas, etc?" É claro que é fenomenal ter um bebé na nossa barriga, mas não é confortável! Eu adorei o dia do parto e o momento do parto em si, mas o processo da gravidez foi muito complicado. Mas foi complicado para mim, para a vizinha pode ser o mais fantástico e nem gostar do parto, ou tudo ser fantástico!
    E admito que nunca tinha discutido com o meu marido antes de termos a nossa bebé fofinha! Os dois primeiros meses foram terríveis, ela tinha os sonos trocados e ele tinha de trabalhar de dia e ela chorava a noite toda... Eu andava esgotada e tivemos as nossas primeiras discussões precisamente aí! Eu acho que os casais só decidem ter filhos quando estão num ponto de amor e felicidade tão grande que sabem que a vinda da bebé vai ser difícil mas que estão fortes o suficiente para aguentar a mudança drástica nas suas vidas! Seja primeiro, segundo ou terceiro filho! É maravilhoso, mas difícil!

    ResponderEliminar
  66. Olá pipoca,
    Esses comentários são mto tristes.
    Porque faz apenas rubrica dos comentários parvos e não faz a rubrica de comentários felizes???

    ResponderEliminar
  67. Querem ver que é bom ficar se sem quem ama se?
    Cada um faz o que for preciso para ser feliz e se é o golpe da barriga será que nem é dos piores.
    Antes cega que sem o meu conpanheiro. De que vale a saúde sem amar e ser amada?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Acha saudável obrigar alguém a ser pai sem que a pessoa tenha essa vontade? Que direito tem você de decidir dessa forma sobre a vida de outra pessoa?

      Eliminar
  68. Só não concordo numa coisa contigo Pipoca. Se uma relação já estiver mais para lá do que para cá, na melhor das hipóteses...ela pode sempre melhorar se as pessoas forem capazes de conversar sobre os problemas da relação e entenderem-se... :)

    ResponderEliminar
  69. A Ana é maior e vacinada como se costuma dizer,e se publica estes comentários,não vale a pena responder,porque do outro lado a inveja e ressabiento de certas mentes não compreende isso!São seres que não convivem bem com o sucesso dos outros e a projecção de outras vidas!E as redes sociais sob a capa do anonimato são a salvação. Quando a Ana anunciou a gravidez da bebê,quase toda a Imprensa falou nisso,e para mentes deformadas, o resultado está a vista! Tudo de bom para a sua FAMÍLIA:))

    ResponderEliminar
  70. "O amor é uma doença quando nele vemos a nossa cura". Vê-se!
    Nenhum homem tem que estar à frente do amor que nos temos a nós mesmas. Nem dar "golpes da barriga", aceitar violência, etc. Nós estamos primeiro.
    Se não conseguem façam tratamento. É mau para vocês viverem assim e para quem se cruze convosco. Saúde mental precisa-se.
    Até para ser boa mãe preciso de estar bem comigo.
    O amor é felicidade não a felicidade ou a todo o custo.
    O que aqui li é posse, doentio e não sei como alguém consegue viver convosco.
    O amor torna-nos maiores e leio comentários de pessoas mal amadas, más, velhacas, mesquinhas, invejosas, frustradas. Pelo que se vê não é o vosso marido que vos tira desse poço de infelicidade. Ou só querem vocês serem felizes?
    Deixem-se de esquemas para prender,prejudicar e sejam felizes.

    ResponderEliminar
  71. Pipoca não sei como ainda te surpreendes. A mulher é capaz de tudo. E ressacada,rejeitada, trocada vira bicho e um perigo!
    Já ouvi casa coisa mais fatalista de algumas em prol do namorado ou marido.. Como que dariam a vida por ele. Essa chegou a deixar o filho de outra relação para ir atrás dum, sem nada dizer.
    O golpe da barriga e a violência doméstica da qual acham normal ser vítimas ("é amor. Tenho de aguentar. Depois quem me quer?") são peanuts diante das asneiras e atrocidades que estão dispostas a fazer.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tem toda a razão nos seus delírios patéticos. As vítimas de violência adoram!! Adoram ser mortas! O que é uma mulher assassinada comparada com os delírios paranoides deste anónimo? Nada!

      Eliminar
  72. O melhor dos blogs são os comentários!!!!

    ResponderEliminar
  73. Como psicóloga os meus clientes recorrem em larga escala devido a problemas amorosos. Se não interviesse haveria casos com desfechos trágicos.
    É a vida amorosa a sua prioridade ou oxigénio até.
    Depois Há outros que procuram por não conseguirem encontrar o amor tendo repercussões na sua vida essa ausência.
    A grande maioria não vive bem sem amor e caso sim, viveríamos sozinhos. A solidão mata.
    Mesmo casos de ansiedade ou depressão a motivação das pessoas para tratar-se é para arranjarem outro amor, não por elas.
    A minha vida é isto todos os dias.

    ResponderEliminar
  74. Estou a ver que mereco um oscar.:D
    Separei-me por o meu namorado querer ter filhos e eu não.
    Gostava demais dele para achar correcto ele privar-se dum objectivo de vida por mim.
    Estou a ver que sou anormal.

    ResponderEliminar
  75. A maior parte das pessoas que deixam comentários mos blogs nunca leram um livro na vida, mas acham que podem opinar sobre tudo. Tadinhas.

    ResponderEliminar
  76. Dar o golpe da barriga além de retrógrado é baixo nível.
    É de alguém desprezível e que receio que não amará a criança.
    Desprezível e egoísta que não pensa nas Maravilhas de ser mãe só de estar emparelhada custe o que custar.
    Se a relação der para o torto vejo a descarregar no filho que a culpa foi dele e não cumpriu o papel de agarrar o pai para a mãe. Pobres filhos que crescerao com nódoas na sua personalidade.
    Dar o golpe da barriga é de quem não sabe o que é ser mãe, ter um filho.
    Ainda é mais desprezível vir para um blogue insinuar que a autora age assim.
    É de uma tremenda falta de chá. O ler o blogue não lhe dá esse direito nem a pretensão de conhecer a Pipoca.

    ResponderEliminar
  77. Que comentários..é duro ter um blog!
    Deixa lá Pipoca que como as mulheres são umas para as outras acho que têm inveja de tu teres um homem que quis te engravidar. Já ouvi "bater-lhes mas ao menos tem um homem". Quando a mulher vai deixar de existir só em prol dum homem?!
    Tudo a correr bem,Ana

    ResponderEliminar
  78. Ana, leio o seu blogue desde os tempos maravilhosos do Samsung Diva (não sente saudades?)e tenho a dizer que este post nem parece escrito por si. Muito menos os comentários que tem acrescentado. Diga o que quer, mas não se perca em explicações. Isto fere os olhos! Está grávida de uma menina, que coisa maravilhosa, está de novo com o seu marido, ainda bem, e o resto não interessa a ninguém. Não permita estes palpites, estas intromissões tão maldosas. Parece conversa de café de bairro.

    ResponderEliminar
  79. Mas desde qdo isso é novidade no teu blog?
    Há por aqui a ler-te muita gentinha baixa e invejosa, e que se julgam as maiorais. Deve ser da laia da que publica "amante detectada". São todas santas e puras.

    ResponderEliminar
  80. Mas é assim um golpe tipo karate kid ou uma murraça na tromba? Só para perceber (tenho a certeza que este pormenor é super importante!).

    ResponderEliminar
  81. Que breguice essa conversa do “golpe da barriga”! E que mania que as pessoas têm de comentar a vida dos outros... Eu também “dei o golpe da barriga”, mas foi a mim própria, que não durmo há 3 quase anos. Tratem-se e deixem a grávida em paz, c@r@/*

    ResponderEliminar
  82. Deve ser alguma mal amada...

    ResponderEliminar
  83. Sinceramente a Ana nem devia ter respondido ... são só invejas de quem não pode com sucesso dos outros.. faltam-lhes certas coisas de certeza... :-)

    ResponderEliminar
  84. Sou da tua opinião Pipoca.
    Vejo que o 'golpe da barriga' é o menos para muitas.
    Lamentável os pensamentos de muitas mulheres.

    ResponderEliminar
  85. Entre um marido e ter um filho escolho ficar com o meu marido. Se ele não quer não vou destruir a minha relação por um filho.
    Não estranho os comentarios que recebe que sei de pessoas que gostam mais dos maridos/esposas que dos filhos. E depois acham que todos são como eles como de agarrar um homem.os homens são como os comboios, perde-se um apanha-se outro

    ResponderEliminar

Teorias absolutamente espectaculares

AddThis