Pub SAPO pushdown

Hotéis sem crianças? Sim, mas...

quarta-feira, agosto 10, 2016


Quando o Mateus tinha uns oito ou nove meses tentei reservar um hotel para irmos passar o fim-de-semana e foi-me dito que não aceitavam crianças. Não fiquei minimamente incomodada. Na verdade, até pensei "olha que boa ideia, quando me apetecer ir para um sítio sem berros e sopa a voar é mesmo para aqui que venho". Mas, naquele fim-de-semana em específico, queríamos mesmo levar o Mateus, por isso pus-me em busca de outras opções e rapidamente as encontrei. Porque, feliz ou infelizmente, a oferta para famílias continua a ser bastante ampla e para todos os gostos. São infinitamente mais os espaços que contemplam as crianças do que aqueles que lhes vetam a entrada, e ainda bem que assim é. Mas eu - e falo exclusivamente por mim - gosto de saber que também posso ir para um sítio children free, onde não há saltos em bomba para a piscina ou sprints no restaurante. Não me lixem, sabe bem.

Vem isto a propósito de
algumas queixas que foram apresentadas recentemente na ASAE por pais que não gostaram de saber que o hotel X e Y não aceita crianças. Sentiram-se lesados, sentiram que estavam a interferir com a sua liberdade de escolha, sentiram que os filhos estavam a ser discriminados, e então vá de se manifestarem. A ASAE entrou em campo e aplicou algumas multas aos hotéis "infractores". Mas a verdade é que a legislação é pouco transparente sobre o assunto, um bocadinho vaga, não diz nem sim nem sopas. Se, por um lado, garante que "é livre o acesso aos empreendimentos turísticos", por outro assume que "a entidade exploradora ou responsável pelo empreendimento turístico pode recusar o acesso ao mesmo a quem perturbe o seu funcionamento normal". E é aqui que a coisa se complica, porque cada um lê isto como entende. E os proprietários de um hotel podem entender que as crianças perturbam o "funcionamento normal" do seu espaço e, por isso mesmo, barrar-lhes a entrada.

Pela parte que me toca, nunca vi a coisa como uma proibição mas sim como uma recomendação. Que acatei sem dramas. E acho que era assim que isto devia funcionar. Ao fazer uma reserva, seja por telefone ou pela net, os hóspedes deveriam ser sempre informados de que o hotel não é recomendado a menores de 12, ou de 16 ou o que for. Recomendado, não proibido. Mas isto entra aqui num patamar escorregadio, que é o de assumirmos que os pais, mesmo depois de avisados, vão perceber a mensagem e não se vão apresentar no hotel com os seus quatro filhos e ainda mais três sobrinhos que vieram passar o fim-de-semana. Felizmente, Portugal tem uma oferta de hotéis muitíssimo diversificada, de norte a sul, por isso qual é exactamente a necessidade de nos querermos enfiar com os putos num espaço todo fancy, e zen e só com 10 quartos e que está mesmo a pedir sopas e descanso? O mais provável é que nem os  putos se divirtam, nem os pais aproveitem, por isso talvez seja sensato escolher outro sítio, mais em conformidade com o "modo familiar". A esta altura já alguns de vós estarão para aí a dar saltos de indignação, do género "mas então eu não tenho liberdade de ir para onde bem quiser e levar os putos todos atrás, se me apetecer? Qué lá isso de não me deixarem entrar com o rebanho?". Eh pá, pois... Terem liberdade eu diria que têm, mas é só uma questão de bom senso. E é só pensar que a nossa liberdade, muito provavelmente, irá interferir com a dos outros.

Vocês conhecem-me de há muito. E não foi, de todo, por ter sido mãe, que de repente passei a achar que tudo o que os putos fazem é admirável, e  admissível e desculpável porque "coitadinhos, são só crianças". Do mesmo modo que também não acho que todos os comportamentos menos desejáveis sejam fruto de uma má educação. Não são. Por mais bem orientadinhos que sejam, os putos são imprevisíveis, gritam, fazem birras, atiram-se para o chão, correm, pulam, e nem sempre isso tem a ver com educação ou falta dela. Tem a ver com... serem putos. Falo pelo exemplar cá de casa. Não há uma vez que grite, faça birras ou tenha comportamentos menos aceitáveis que não seja chamado à atenção. É repreendido, quando se justifica é posto de castigo, nunca deixamos passar em branco berrarias ou faltas de educação. Mas, lá está, isso não significa que ele não tenha vontade própria e não se passe da cabeça só porque sim. Posto isto, e porque com três anos muitos dos comportamentos ainda são bastante voláteis e ao sabor do vento, somos nós que optamos por não o levar para determinado hotel ou para determinado restaurante. Adaptamos as nossas escolhas à idade e ao feitio dele e deixamos os outros programas para fazer sozinhos. Porque se a nós, tantas vezes, nos apetece enfiar-lhe uma rolhinha na boca para estar calado um segundo, imaginamos que os outros também não estejam para levar com esse filme. Sou um bocado nazi com isso, quando vamos a algum lado ando sempre em cima do Mateus para não chatear os outros (e Deus sabe como ele consegue alapar-se a estranhos).   Do mesmo modo que quando nós estamos sem miúdos também agradecemos muito não ter de ouvir guinchos  e choros alheios. Há tantos hotéis mesmo fixes para levar a criançada que, lá está, me parece despropositado querermos enfiar-nos em espaços que estão mesmo a pedir sossego. Mas, repito, isto deverá ser sempre uma recomendação e não uma proibição. Uma recomendação que ficará assente no bom-senso dos pais que, já se sabe, nem sempre é o mais apurado.

E porque é que eu acho que isto deve ficar apenas pelo campo da recomendação? Porque temo que a proibição possa ser um pressuposto para, de repente, os hotéis começarem a definir critérios mais perigosos a nível de exclusão. Hoje é um hotel que proíbe crianças, mas e se amanhã for um hotel que proíbe mulheres, ou homossexuais, ou ciganos ou negros? Se a lei assumir que cada um pode fazer o que quiser, será que não estamos a abrir a porta a comportamentos potencialmente discriminatórios? Lembro-me daquela cena do "A Vida é Bela", em que o Josué pergunta ao pai porque é que numa loja está um cartaz a dizer "entrada proibida a judeus e a cães". O pai, naquela eterna tentativa de lhe mostrar um mundo menos cinzento, diz que cada um faz o que quer, e que conhece uma loja de ferramentas onde não podem entrar espanhóis nem cavalos, e uma farmácia onde não podem entrar chineses nem cangurus. O miúdo acha aquilo estranho e responde "mas na nossa livraria pode entrar toda a gente". O pai diz-lhe que a partir de agora não, que também vão pôr um aviso à porta: "do que é que tu não gostas?", pergunta. "De aranhas? Ok,  eu não gosto de visigodos. A partir de amanhã vamos pôr "entrada proibida a aranhas e visigodos". =) Eu também acho que há sítios que não são apropriados a aranhas e a visigodos, mas proibi-los é capaz de ser excessivo. Por isso prefiro acreditar que as aranhas e os visigodos terão discernimento suficiente para perceber que há lugares melhores e onde poderão estar mais à vontade. Sem queixinhas à ASAE.




260 comentários:

  1. Grande VÉNIA! e uma enorme SALVA DE PALMAS!!!
    Concordo a 100% com o seu ponto de vista.

    ResponderEliminar
  2. Oh, essa cena do La vita è bella <3

    Eu já estive num hotel só para adultos, em Albufeira. Uma das primeiras coisas que se lê ao entrar no site é precisamente o aviso de que se trata de um hotel Adults Only, sendo a idade mínima de 16 anos. Não o escolhemos devido a essa característica - os meus pais queriam um hotel na zona da Falésia e calhou termos ficado nesse. Na verdade, e talvez por não conviver com crianças, não me incomodam muito os gritos e as bombas para a piscina - como não tenho que as aturar na minha vida, nunca estou num estado de exaustão ao ponto de precisar urgentemente de paz e sossego.

    Concordo que deverá ser uma recomendação e não uma proibição. Aliás, se me insurgi contra a barbearia que expulsa mulheres, seria hipócrita achar aceitável que um hotel proíba terminantemente a estadia a uma criança - ou a um preto, ou a um cigano, etc.

    Kill Your Barbies

    ResponderEliminar
  3. Já fiquei em hoteis para adultos fora do país, e a diferença vai muito para além de não aceitarem menores de 18 anos.O serviço é todo dedicado a adultos, os restaurantes, a comida, as atividades, as valencias, a animação...Todas as sinergias do hotel se dedicam a adultos, por isso as próprias instalações costumam ser um pouco mais luxuosas e o serviço mais cuidado e com detalhes que só os adultos reparam ; normalmente também são mais carotes (auch!).Adoro crianças!!!...mas em férias a dois gosto mais de outro tipo de resort menos familiar ;)
    Lá fora, especialmente nas caraíbas há muitos resorts deste genero, onde é mesmo proibido a menores de 18 anos...não aceitam reservas para crianças nem adolescentes, e as pessoas já sabem ao que vão, nem as crianças dariam qualquer valor ás condições oferecidas por estes hoteis ... mas também há outros milhares de hoteis para toda a familia (a esmagadora maioria) por isso há lugar para todos :)

    ResponderEliminar
  4. Concordo com a Ana.
    O nosso País tem tanta oferta hoteleira à escolha que não penso ser necessário levantar tanta poeira.
    E há que pensar nos miúdos também. As férias são para eles também. Quanto mais entretidos estiverem, mais os pais também descansam.
    Divertir-se-ão mais num hotel onde existem bastante outras crianças para brincarem, com kids club e várias actividades direccionadas para eles ou num hotel onde as outras crianças são raras e os olhares acusatórios possivelmente frequentes?
    E existem tantos hotéis giros para crianças!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É exatamente este o meu ponto de vista...Dará uma criança valor a um hotel onde a animação é só para adultos? Onde as piscinas são mais tipo spa que parque de diversão? Onde não há crianças para brincar...? ;)

      Eliminar
    2. Mas isso não interessa nada, o que interessa é que eu sou mãe e tenho filhos para os outros levarem com eles. Estou a ser irónica, concordo a 100% mas há pais que acham que ser pais é um dom e os filhos são o melhor do mundo e toda a gente tem que ter a mesma opinião.

      Eliminar
  5. Concordo em 300%. Espetacular. Acredito que a nossa opinião mude depois de sermos pais.
    O que acho que é extremamente idiota é o facto de os pais se anularem totalmente por isso. Não me venham com falsos moralismos como "As crianças são seres humanos e não monstros" e os bla bla bla de pessoinhas mesquinhas e irritantes.
    Existem milhões de hotéis aonde aceitam os miúdos de bom grado, não entendo este mimimi só porque 2 ou 3 não aceitam.
    Férias sem gritos, berros, sopa a voar, bombas para a piscina e todas as mil coisas que os putos inventam, são do melhor que existe.
    Depois de ser mãe já não terei isto mas foi uma escolha minha, porque raio é que haveria de obrigar pessoas a viverem com a minha escolha?!
    Beijinhos pipoca.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não tenho filhos nem penso ter, mas as crianças são seres humanos e não são monstros.
      Já estive em hóteis para de 18 anos e posso dizer que a ausência de crianças não é sinónimo de descanso para os demais.
      Falar alto, discussões e bombas na piscina também acontecem nestes hotéis, pois infelizmente apesar de muitos deles serem carotes, há muita falta de bom senso da parte de alguns frequentadores.

      Eliminar
  6. Um bom treino para isso é ir de férias com o cão. Levo a minha cadela par todo o lado, já conheceu 10 países comigo. Primeiro temos de escolher hotel que permita a estadia, e depois restaurantes e actividades que permitam a entrada.
    Até hoje só tive problema num restaurante em Amsterdao, onde me disseram que não podíamos entrar.
    Eu não tenho filhos, mas sinto que quando os tiver estou mais do que preparada para planear férias com "restrições".

    ResponderEliminar
  7. Bravo! Maravilhoso, este texto.

    Teresa - "Chá(nax) das 2"
    (http://chanaxdas2.blogspot.pt)

    ResponderEliminar
  8. Vou para Ibiza em setembro uma semana e escolhi um hotel assim só para adultos. O filhote de dois anos vai ficar em casa com os avós e por isso decidimos que queríamos um sítio onde pudessemos "descongestionar" um bocadinho desta vida de pais.
    Concordo em tudo contigo! =)

    www.anafernandes.ch

    ResponderEliminar
  9. Lá está, tem que ser uma recomendação....até porque é bastante hipócrita quando um hotel no Minho proibe entrada a homossexuais e adeptos de futebol é a revolta total porque ah e tal é discriminação, e depois aplaude-se hotéis que proibem a entrada a crianças...
    E se as crianças incomodam os hóspedes? Se calhar também há hóspedes incomodados por dois homossesuais aos beijos da piscina, ou por adeptos de futebol aos gritos a ver o jogo.....
    Pessoalmente não tenho nada contra ambos, estou simplesmente a comparar duas situações que no fundo são bastante comparáveis, e não sei porquê, uma gerou uma revolta daquelas, e outra é por muita gente encarada como absolutamente banal...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Comparamos homossexuais aos beijos na piscina a crianças aos berros e bombas na piscina? E eu a julgar que compararíamos homossexuais aos beijos na piscina a heterossexuais aos beijos na piscina...

      Quanto a comparar crianças aos berros com adeptos aos berros ou qualquer pessoa aos berros. Sim é uma boa comparação!

      Mas já agora, adultos homossexuais, heterossexuais, adeptos de futebol ou badminton... entra o bom senso e o saber ter um comportamento adequado a cada situação. Eu num estádio de futebol, não sou eu num hotel de certeza... Da mesma forma que eu tenho demonstrações de carinho com o meu namorado (dar as mãos, um abraço ou um beijo nos lábios) na rua ou num hotel e não acho inaceitável... nem para qualquer tipo de sexualidade. O que sai do cariz de carinho e entra num cariz sexual deve, obviamente, ser deixado para a privacidade, independentemente da sexualidade do casal!

      Eliminar
  10. "a entidade exploradora ou responsável pelo empreendimento turístico pode recusar o acesso ao mesmo a quem perturbe o seu funcionamento normal"
    Como é que a entidade sabe, antemão, que determinada criança vai perturbar o normal funcionamento do hotel? Não sabe, logo, é descriminação toda a proibição. Esta recusa de acesso tem mais que ver com outras situações e não propriamente com a idades da clientela. Antes crianças do que bêbedos (ou outros intoxicados).

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Vê-se mais crianças mal educadas do que o contrário, antigamente não havia estas proibições e agora há. Comecem a educar bem os pirralhos que talvez a coisa mude.

      Eliminar
    2. Normalmente os bares abrem cedo e não haveria problemas de levar crianças, porque será que é proibido ? Já nem se pode lá fumar, não será discriminação ? Hoje em dia com o airbnb já podem inclusive alugar uma casa para toda a famelga, se há meia dúzia de hotéis que não permitem crianças acho muito bem. Devia haver mais sítios assim - restaurantes, cafés etc Farta de aturar crianças insubordinadas e pais permissivos que acham que os filhinhos são especiais e podem fazer tudo.

      Eliminar
    3. isso do discernimento tem muito que se lhe diga, se assim fosse os hotéis não se sentiriam na obrigação de impor estas regras.Convenhamos, ir de férias para um hotel e estar uma criança a chorar a noite toda, estar a tomar o pequeno almoço com crianças a mexerem na comida e a correrem de um lado para o outro, gritarias na piscina... Senhores pais, comecem a dar educação às vossas crianças e aprendam quando a criança está aos gritos num local público a recatarem-se e deixarem as outras dezenas de pessoas descansarem em paz em vez de estarem a ouvir o berreiro das vossas crias.

      Eliminar
    4. Antigamente os "pirralhos" eram educados a toque de porrada, é normal que fossem mais calminhos - tinham medo. Para além de que muito daquilo que os pais consideram inaceitável são apenas as crianças a descobrir o mundo.

      Eliminar
    5. Só diz isso dos pais não darem educação quem não tem filhos de certeza! Eu também quando via um miúdo aos gritos fazia logo juízos de valores. Agora que tenho um filho com 1 ano e 4 meses que aprendeu agora a dar uns gritos fantásticos, daqueles de partir cristal, vejo que não tem nada a ver com educação! Que lhe posso fazer? Por fita cola na boca? Dar lhe um estaladão cada vez que se lembra de o fazer? Regra geral quando está feliz com alguma coisa? Apenas tenho o bom senso de o levar a passear até lhe passar a cena.

      Eliminar
    6. Anónimo, acho muito bem e saudável que as crianças descubram o mundo.
      Mas se o fazem aos berros, a correr ou a atropelar outros e a perturbar o descanso dos outros que também pagaram para estar ali, então seria melhor que o fizessem num sitio onde isso seja permitido.
      Se vamos para um hotel que é familiar, já sabemos que o nosso descanso poderá ser interrompido pelas brincadeiras das crianças e por algumas mais "energéticas". Se, por outro lado, os adultos, pais ou não, desejam um espaço onde possam realmente descansar, acho muito bem que estes existam.
      Tudo exige bom senso. Se há pais que controlam os seus rebentos, há outros que, porque pagaram para estar ali, os largam e não querem saber se estão a perturbar os outros hóspedes. Por meia dúzia de pais assim, pagam todos os outros. É a vida!

      Eliminar
    7. Sim, anónimo das 15:55, não estava em específico a falar de hotéis, apenas a responder ao outro comentário. Eu acho que as crianças devem estar em sítios onde possam correr e brincar à vontade, não acho que devam ser super restringidos e limitados. Por isso talvez um hotel até nem seja o ambiente ideal.

      Eliminar
    8. Não anónimo das 15:24 os pirralhos não tinham medo, eram mais caliminhos porque sabiam que os pais eram pais e que exigiam respeito.

      As crianças podem descobrir o mundo e brincar e ser crianças sem incomodar as pessoas em redor, a questão é que hoje em dia não sabem como o fazer porque os pais não as ensinam. Não lhes sabem impor regras nem fazê-las entender que a sua liberdade termina onde a dos outros começa.

      Não me venham com psicologias baratas, crianças a berrar a plenos pulmões sem razão aparente não é normal; crianças a correr e a ir contra outras pessoas sem que os pais lhe ensinem que é suposto pedir desculpa quando isso acontece não é normal; crianças a dar ordens aos pais e a fazer exigências e os pais com paninhos quentes(que agora ninguém lhes pode abrir os olhos sequer )a tentar "apaziguar" o pestinha não é normal; crianças a incomodar pessoas que estão a trabalhar e os pais a ignorarem o facto não é normal.

      O vintage está na moda, pena que a educação já não esteja.

      Eliminar
  11. Eu até pensava que a situação era legal...fiquei admirada quando li a notícia da ASAE e pensei que as multas fossem porque não estaria indicado de inicio, na reserva, ou qq outra situação menos clara.

    ResponderEliminar
  12. Eu sei que é aborrecido e irritante mas... as crianças são pessoas! Pasmem-se. São pessoas com direitos com qualquer outra pessoa e com mais alguns por serem crianças (e pessoas!). Como é descriminação proibir a entrada por sexo, raça ou religião penso que será igualmente discriminatório proibir entrada pela idade num local que não tem qualquer motivo aparente para o fazer (não é um ambiente perigoso para uma criança com música alta e fumo como uma discoteca). É um hotel. E se as crianças se portam bem ou não não depende do facto de serem crianças mas sim de terem pais que lhes dão educação ou não, mas isso será uma questão individual e não de todas as crianças. E eu nem sou fã de crianças. Mas sou pela liberdade e pela luta contra a descriminação. Quanto à questão da "recomendação"... não retira gravidade ao problema porque se se recomendasse que não eram bem vindos idosos, ou indianos, ou mulheres ninguém ia achar bem,fosse proibição ou recomendação.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Repito, não é verdade que o mau comportamento derive apenas de falta de educação por parte dos pais. Se um bebé de seis meses chora ininterruptamente a culpa é dos pais?

      Eliminar
    2. O meu filho de 1 ano resolveu/aprendeu a dar uns gritos horríveis de furar os tímpanos...não é mal educado mas que lhe posso fazer? Meter fita cola na boca? Já me aconteceu ir a restaurantes e dar lhe para esses concertos. Claro que tenho o bom senso de o levar a passear até que lhe passe,que ninguém tem que levar com gritaria durante a sua refeição.

      Eliminar
    3. Se calhar com 6 meses é melhor não ir para esses sítios....

      Eliminar
    4. Mesmo por serem pessoas acho que as crianças merecem ir para hoteis adequados ás mesmas...mas se os pais gostam de as levar para ambientes mais sossegados, sem animação e sem piscina para crianças, o que fazer?

      Eliminar
    5. Eu também sou pela liberdade e sou contra a descriminação.
      Então onde fica também a minha liberdade e o meu direito ao sossego?
      Tem razão quando diz que o portar bem ou mal não é consequência de se ser criança, mas sim da educação que os pais lhes dão e do controle que têm sobre os filhos. Mas assim como se vêem famílias amorosas e brincalhonas, também se houve miúdos e pais aos berros e a importunar os demais. E eu sou obrigada a levar com isso? Não tenho hipótese de escolha?
      Ouvi há algum tempo uma mãe chamar a atenção de um pai sobre a algazarra que os filhos estavam a fazer numa piscina para crianças, tanta que as outras crianças tinham receio de entrar também. O pai respondeu, alto e bom som, que quem não gostasse de ouvir, fosse para o quarto (do hotel) ou ficasse em casa. Eu, mesmo não estando com crianças, senti-me incomodada e aproximei-me do senhor. Disse-lhe que ía dali a momentos fazer queixa dele à Direcção do hotel e que se ele não gostasse, sempre poderia ir para o quarto ou para casa. Infelizmente, este caso não é único, senão não haveria limitações de idade em alguns hotéis.

      Eliminar
    6. Essa da animação é uma boa desculpa. Metade das vezes que vou a um hotel não procuro a animação do hotel. Procuro uma boa cama, com um quarto com bom aspeto e limpo (principalmente a casa de banho). Vou lá dormir. Chego, descanso e levanto-me... quanto muito tomo pequeno almoço. Mas para que precisa a minha filha de animação quando não a vamos aproveitar? Posso compreender alguns argumentos, não tenho uma opinião totalmente formada, mas que há adultos bem mais perturbadores do que crianças isso também os há... em hotéis, restaurante, cinema, etc.

      Eliminar
    7. Não, pipoca. Quando um bebé chora não é culpa dos pais. Mas incomodarmo-nos com o choro de um bebé e acharmos que essa família não temno direito a usufruir do mesmo que nós é perigoso. A má educação é o que mais incomoda, e ter crianças a correr pelo buffet ou a mandar bombas na piscina é falta de educação e os pais têm de ser chamados à atenção pelas unidades hoteleiras até porque há geralmente normas de segurança, nas piscinas, por exemplo, que devem ser cumpridas. De resto vou dar-te um exemplo real que aconteceu há alguns anos a conhecidos meus: num hotel na Alemanha um grupo de portugueses e cabo verdianos foram aconselhados a sair da piscina porque outros hóspedes se sentiam incomodados e não iam à piscina enquanto eles lá estivessem. O grupo saiu porque se sentiu extremamente incomodado. Neste mundo há pessoas que se incomodam com coisas que nem imaginamos. Mas a descriminação é crime e não deve ceder a incómodos pessoais.

      Eliminar
    8. Anónimo das 16:36: essa é a sua experiência. Sempre que fiquei num hotel passei lá boa parte dos dias da estadia, muitas vezes fazendo lá as três refeições. A maioria dos hóspedes de hotéis em zonas balneares passa pelo menos metade do dia no hotel. E quando era criança apreciava muito o kids club com animação específica para a minha faixa etária.

      Eliminar
    9. Anónimo10 agosto, 2016 16:36 Então tem o assunto resolvido. Normalmente os hoteis só para dultos têm condições que os outros hoteis não têm.Se lhe basta um quarto limpo com wc limpo, basta uma pensão, nem precisa de procurar hoteis. Acho que o que se está aqui a falar é mais do genero resorts e hoteis com mais comodidades, são esses que normalmente são para adultos.

      Eliminar
    10. 17.12 e 09.18 não, o que estamos a falar aqui é de hotéis em geral e de uma lei para todos os hotéis. Toda a gente começou sim, a falar de férias de praia, o que é diferente! Nesse contexto "resort" ou férias exclusivas de praia, entendo o argumento. Tirando isso não! E não, não me basta uma pensão - a não ser que seja algo de muito surpreendente e inovador. Quando digo um quarto com bom aspeto é mesmo isso que quero dizer... o seu aspeto interessa-me muiiito! Tem que ser visualmente apelativo para mim e no mínimo um 4 estrelas (paranóias? pode ser, mas com um com as suas exigências). E por último, quem sabe se uma pensão basta para mim ou não sou eu...
      Ou também querem impor entrada limitada a hotéis para quem fica lá "X" horas durante o dia, senão não vai usufruir do hotel só pode ir para uma pensão!

      Eliminar
    11. Se soubesse mesmo do que fala, saberia que os hoteis para adultos são hoteis com mais comodidades e com ofertas para adultos que não se adequam a crianças.Se acha que não precisa de nada disso, então o problema para si nem se coloca.Eu tanto durmo em pensões por esse mundo fora como durmo no Ritz, e não os uso para estar lá Xis horas, como está a insinuar, porque tenho casa própria para quando quero "estar xis horas".Pelo que percebi a anónima é que usa os hoteis só para passar lá umas horas: "Procuro uma boa cama, com um quarto com bom aspeto e limpo (principalmente a casa de banho). Vou lá dormir"

      Eliminar
  13. Acho que a ideia da recomendação é uma boa aposta. Realmente a proibição leva-nos para a discriminação. Se um hotel recomenda certas idades, à partida os pais iriam perceber que talvez seja um hotel mais luxuoso e virado para o descanso e não vão enfiar ali putos que vão achar aquilo a maior pasmaceira. Depois se temos um filho que é uma paz e adora cenas zen e massagens,nesse caso,porque não levar?! o mesmo seria num hotel por exemplo recomendado para idosos,em que à partida sabemos que serão idosos na sua maioria e portanto actividades direccionadas para eles,o mesmo para gays,etc... fica na consciência de cada um e se a pessoa se desloca a determinado hotel sabe para o que vai e tem consciência de que ali se vai sentir bem. Já levei a minha filha a restaurantes requintados e no geral é uma criança bem comportada,mas não quer dizer que naquele dia não esteja em dia não. Sei que é uma criança e irrequieta e que estar num sitio desses para ela é simplesmente chato,portanto evito por ela e por nós que passamos o tempo a pedir para estar quieta e falar muito baixo,porque qualquer pio se ouve ali.

    ResponderEliminar
  14. Adoro a expressão "negros"... Ironias à parte, concordo com tudo o que a Pipoca refere no seu texto. Acho também que as pessoas no seu geral são muito sensíveizinhas. Tudo as incomoda, não se pode "dar um peido" (desculpem-me a expressão, mas não me ocorre nada melhor para expressar a coisa) que é tudo um drama, e queixas e afins. Tanto hotel que praí há, arrisco quase a dizer que são mais os que aceitam crianças e têm actividades para as mesmas do que o contrário, e, ainda assim, têm de implicar com os outros hotéis que colocaram esta "recomendação" quanto à entrada de crianças. Francamente, acho que a ASAE tem bem mais do que se preocupar com "assuntos" destes, que, na realidade deveriam ser um "não assunto".

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pelos vistos você é que é sensivelzinha ao incomodar-se com a expressão "negros". Prefere dizer pretos? Essa mania de que dizer "negros" é que discrimina e que se deve dizer pretos, enfim.

      Eliminar
    2. Cara anónima das 15:29, pelos vistos também é sensivelzinha...

      Eliminar
    3. Ninguém disse que ao dizer "pretos" estava a discriminar. Acho é que se deve chamar as coisas pelos nomes (salvo seja). Sempre se disse brancos e pretos e isto não é racismo nenhum. É apenas identificar um traço distintivo de uma pessoa, uma característica diferenciadora, digamos assim. Tal como dizer, quando, por exemplo, quer explicar a outra pessoa de quem está a falar "aquela moça, que é muito magrinha" ou "aquele rapaz que tem os olhos azuis". Só isto.

      Eliminar
    4. Sempre se disse onde e desde quando? Eu sempre ouvi dizer negros e pretos sempre ouvi dizer com um tom pejorativo/de insulto.

      Eliminar
    5. Cara anónima das 16:16, não vou perder mais o meu tempo a explicar-me. Ficamos assim. Cada um chama o que quiser e pronto. Para mim, chamar "negros" não faz sentido, só isso.

      Eliminar
    6. Adora a expressão negros? Não estou a ver qual é o problema. Sim, é o termo politicamente para falar de uma raça, dado que a palavra preto tem uma história pejorativa. Uma pessoa negra prefere, primeiro de tudo, ser chamada de pessoa. E se a tiverem de a descrever, prefere ser chamada de negra. Você prefere ser chamada de branca ou cara de cu pálido? Escolha você.

      Eliminar
    7. Anónima das 21:18, palmas para a sua falta de educação. Seja BRANCA ou PRETA, isso já ninguém lhe tira. Para si chamar preto é pejorativo, para mim não é.

      Eliminar
    8. "preto" é má-educação sim; é racista, sim; talvez lhe possamos vedar a entrada em hotéis para não ouvir essas barbaridades.

      Eliminar
    9. Que ridícula esta anónima! Chamar preto não tem que ser necessariamente depreciativo. Se se pode dizer branco porque não se pode dizer preto? Depende daquilo que se diz.

      Eliminar
    10. Toda a gente com 2 dedos de testa e alguma cultura sabe que, na língua portuguesa, a expressão "pretos" é pejorativa. É como, na língua inglesa, a expressão "niggers". É mal educado usá-la e não tem a ver com ser a cor a que se refere, nem se é ofensivo para certas pessoas e outras não. É por uma questão cultural e histórica que não fica bem usá-la.

      Eliminar
    11. Anónimas das 21:18 e das 12:34 (ainda não percebi se é a mesma pessoa), como é que acha que os africanos nos chamam?? Não é de brancos?? Nunca na vida identifiquei uma pessoa de "preta" com qualquer intuito racista. Apenas refiro esta palavra, como acima disse, como uma característica sem qualquer intenção de identificar a raça. É apenas como referir que uma pessoa é alta ou baixa. Não me diga que não entendeu isso dos comentários acima? Apenas acho que referir "negros" é que me parece despropositado, como se chamar "pretos" fosse ofensivo, porque para mim não o é. Tenho amigos pretos e trabalho com pretos. Não sou, nem nunca fui racista, quero lá saber se as pessoas são brancas, pretas ou amarelas ás pintas, isso é-me completamente igual. Realmente dizer-se qualquer coisa neste blog que fuja ao padrão de certas pessoas é sinónimo de levar com má educação em cima e ofensas gratuitas. Realmente compreendo cada vez mais a Pipoca.

      Eliminar
  15. Concordo em absoluto com a opinião dos 2 anónimos das 13:39 e das 13:40.
    A Pipoca já tinha falado aqui do hotel que tentou marcar.
    Só que no início deste texto diz "foi-me dito que não aceitavam crianças. Não fiquei minimamente incomodada" - não ficou incomodada com a proibição?!?!?
    Ok, agora assume a que deve ser só recomendação, mas não ficou incomodada com a proibição...
    Provavelmente ficou escandalizada com a situação do hotel do Minho... uns são homossexuais, outros são crianças... qual a diferença? Muitas vezes os adultos são mais barulhentos que as crianças.
    "Como é que a entidade sabe, antemão, que determinada criança vai perturbar o normal funcionamento do hotel? Não sabe" - pois, não sabe presume, como presume em todas as outras situações de acordo com as suas convicções.
    "a entidade exploradora ou responsável pelo empreendimento turístico pode recusar o acesso ao mesmo a quem perturbe o seu funcionamento normal. E é aqui que a coisa se complica, porque cada um lê isto como entende" - o problema é cada um ler como entende!

    ResponderEliminar
  16. Concordo a 100%! O que não faltam por aí são hoteis virados para as famílias, não percebo porque se considera o fim do mundo adults-only! Vou ter é pena das crianças que serão levadas para esses hoteis por pais (bem teimosos diga-se de passagem) porque não vão ter animação nenhuma. E acima de tudo bom senso, se o hotel não recomenda a ida de crianças, procuram outra coisa!

    ResponderEliminar
  17. "E os proprietários de um hotel podem entender que as crianças perturbam o "funcionamento normal" do seu espaço e, por isso mesmo, barrar-lhes a entrada." Claro, e até pode haver um que entenda que a Pipoca é feia e pode perturbar o bem estar dos seus hóspedes que é tudo gente gira. E a Pipoca ia compreender perfeitamente, nada incomodada! AHAHAHAHAH

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ahahahahahahahahahah!

      Muito bom!!!

      Eliminar
    2. Ai que boa gracinha.

      Eliminar
    3. Muito estúpido, isso sim! Ele há com cada argumento! Mas não admira. Portugal nunca teve tantos licenciados, isso é um facto. Mas alguns, valha-me Deus. São incapazes de argumentar com racionalidade (e, sim isso existe!), é só mandar atoardas para o ar. Haja paciência.

      Eliminar
    4. Com certeza! Então são licenciados e dizem essas coisas?!! Ai ai ai!

      Eliminar
  18. Concordo em absoluto!

    ResponderEliminar
  19. Será que também podem estender essa norma a transportes públicos? �� Depois de um dia de trabalho apetece tudo menos levar com os berros dos garotos que estão a sair da escola. eheheh

    ResponderEliminar
  20. Os primeiros a não querer ir para um hotel não recomendado para crianças deveriam ser os pais das crianças, qual o intuito de levar crianças para um hotel que não está preparado para as receber?
    O facto de ser uma recomendação e não uma proibição tem muito que se lhe diga, se por um lado abre a hipótese a descriminações, por outro abre também outras questões, será que todos os hotéis terão de aceitar animais no futuro?
    Pessoalmente não acho que a proibição a crianças seja discriminatória, há vários locais onde a idade barra a entrada, porque não ser fator de admissão num hotel se o é num bar ou discoteca?
    Talvez possam colocar a questão ao contrário, não deveriam os hotéis que recebem crianças ter mais condições para isso? É que alguns não têm, os pais deveriam reclamar com esses e não com os outros.

    ResponderEliminar
  21. O problema é que há pais que não têm bom senso. Será certo assumir que "vamos dizer que não é recomendado porque as pessoas têm bom senso??"

    ResponderEliminar
  22. Acho muito bem, no outro dia fui jantar com uma amiga e um casal levou o filho mal educado que passou o jantar aos berros incomodando quem lá estava. Eu e a minha amiga queríamos conversar um pouco descontraídas e foi impossível. Nos hotéis também concordo e nos ginásios visto que muitas vezes vou treinar e há as criança de 7 anos ( normalmente do sexo oposto...) a olhar. Há zonas próprias mas é melhor chatear quem não quer ter nada a ver com o assunto do que ser discreto. Como tudo na vida passa muito pela educação e cada vez mais se vê pais a educarem mal os filhos, a deixarem fazer tudo o que querem. Com os animais é a mesma questão, os donos irresponsáveis e que os educam mal. Mesmo para casais que tenham filhos e que queiram um momento de sossego terão um sítio para tal.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Isso do ginásio concordo! No meu ginásio há um balneário só para os pais trocarem as crianças, mas até aos 6 anos podem levá-las para os balneários dos adultos. Acho é que ou aos 6 anos as crianças já são um bocado grandotas para isso, ou há ali mães a levarem miudos mais velhos! Já me aconteceu ver lá miudos a olhar e ao lado de quem me sentiria mal a trocar de roupa...

      Eliminar
    2. É horrível, eu ter que me despir com uma criança de 7 anos a olhar. Mais uma vez os pais é que têm que ter esse discernimento, os ginásios já tem essa opção mas poucos a seguem porque dá mais jeito vestir as crianças ao pé dos outros e incomodar. Acho que hoje em dia ter filhos é que é de um extremo egoísmo. OS paizinhos acham que as crianças podem fazer tudo, incomodar 3ºs. As coisas estão tão fora de controlo que há hotéis a proibir crianças. No meu entender deviam proibir os pais :D

      Eliminar
  23. Ana, essa mestria com as palavras faz-me ficar doida.
    Adoro estes textos, e adoro a forma como fala dos assuntos mais susceptíveis.

    Em relação a hotéis sem crianças não poderia concordar mais. Gosto de ir em modo família mas caramba guinchinhos, bombas, correrias não é o que mais gosto quando vou em modo relax.

    Pessoas, há tanta coisa com que nos preocuparmos... Deixem lá os hotéis sem criancinhas.

    ResponderEliminar
  24. Campo perigoso, muito perigoso. Areias movediças, visão turva e águas agitadas. :) Isto tudo para dizer que esse é um assunto controverso e concordo com a tua opinião em muitos pontos.

    Lembrei-me daquele hotel no norte que foi noticiado não há muitos meses por vedar a entrada a gays e lésbicas, entre outros:

    "Estimado hóspede", diz o aviso, "caso se encontre numa das quatro situações abaixo indicadas, queira fazer o favor de não prosseguir com a sua reserva, ou de a cancelar caso a mesma já tenha sido concretizada, sob pena de ser vedada a admissão às nossas instalações: adeptos de futebol; frequentadores/adeptos de festivais de música de verão; gays e lésbicas; consumidores de estupefacientes e quaisquer substâncias psicotrópicas.
    Fonte: http://www.dn.pt/sociedade/interior/hotel-no-minho-veda-entrada-a-gays-e-lesbicas-5211299.html"

    As pessoas tacanhas e conservadoras, com mentes que ficaram presas no tempo pensam assim e olha, se calhar ainda bem que há um lugar ideal para elas. :)

    Já em relação às crianças e animais, é verdade que pela imprevisibilidade dos seus comportamentos podem definir um determinado ambiente e há pessoas que não estão para levar com isso. O bom é que haja oferta para todos os gostos (até mesmo para as mentes tacanhas e conservadoras que não se importam de estar num alojamento que imponha as condições de reserva acima mencionadas).

    ResponderEliminar
  25. Não tenho filhos ainda, mas viajo com frequência (4 ou 5 viagens ao estrangeiro por ano + uns quantos fins-de-semana em Portugal) e nunca a questão de crianças nos alojamentos onde fiquei foram um problema. È certo que, quando viajo, faço-o num estilo de "backpacking" e, por isso, fico em alojamentos baratos que normalmente são procurados por outros viajantes do mesmo género e não por famílias. Mas há sempre um ou outro casal com filhos, bem como os há nos voos, viagens de transportes públicos, restaurantes, museus, etc e nunca me incomodaram ou me fizeram desejar estar num sítio onde a entrada lhes fosse proibida. Até acho engraçado observá-los e ver os comentários que fazem, a dinâmica com os pais, o seu comportamento... mas isto talvez porque quero ser mãe em breve e vou querer continuar a viajar quando assim for, por isso é um tema que me interessa e não me incomoda. Não sei o que é ir sozinha, ou em casal, para um resort cheio de famílias, admito que não seja agradável, mas também não é o tipo de férias que procuro, por isso não posso comentar. Apenas digo que eu, à partida e pelo perfil (casal na casa dos 20 e muitos), até seria se calhar o público-alvo desses hotéis que proíbem crianças, mas é-me indiferente que o não façam e não é um aspecto que me fará optar por escolher, ou recusar, determinado alojamento.

    ResponderEliminar
  26. Toda a gente fala destes hoteis na perspetiva de não haver incomodo e de serem discriminatórios para as crianças...No entanto os hoteis para adultos costumam se-lo sobretudo porque não são adequados para crianças...do mesmo modo que há hoteis para nudistas, hoteis para pessoas com animais, hoteis para swing/troca de casais...Não percebo porque é que os pais sujeitariam uma criança a um hotel para adultos onde não há nada dedicado às crianças, do mesmo modo que eu não iria para um hotel para nudistas porque gosto de me manter vestida em publico :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Penso que por vezes os pais, na tentativa de conseguirem descansar, poderão pensar num hotel que preencha os seus requisitos enquanto homens/mulheres e não enquanto pais.
      Barulhentos e incomodativos, não é exclusividade das crianças. Adultos também o sabem ser muito bem.
      Mas a oferta é tanta e para todos os gostos, que acho esta discussão desnecessária.

      Eliminar
    2. Concordo inteiramente consigo Célia, é uma discussão estéril, pois não vislumbro qualquer discriminação, mas sim uma mera questão de opção por
      unidades hoteleiras tradicionais ou pelas mais específicas/restritas.
      Ele há crianças...e crianças mal educadas, impertinentes, birrentas...e maioritariamente por causa dos paizinhos que não sabem sê-lo! É a minha opinião de mãe de dois rapazes que nunca me envergonharam e que são sempre elogiados pela sua forma de estar.

      MDM

      Eliminar
    3. Concordo com tudo o quedisse Célia, também acho uma discussão desnecessária, especialmente quando o argumento tem a ver com barulho e mau comportamento, argumento que nunca referi porque apesar de ser expetavel (são crianças!) não é regra e pode ser tanto de adultos como de crianças:)

      Tal como referi algures, opto por este tipo de hoteis quando não viajo com crianças e nessa situação tenho expetativas diferentes nas minhas ferias e viagens, espero outro serviço por exemplo e outras instalações, e até agora sempre foi assim que aconteceu.Se viajar com crianças elas são a minha prioridade e nem escolheria um hotel deste genero, escolheria sempre um hotel com instalações e ambiente adequado para crianças.
      Mas é esta a minha opinião que vale o que vale...no estrangeiro o que mais há é hoteis exclusivos para determinado tipo de hospedes, não por descriminação mas porque os outros hospedes nunca se inseriam nesse ambiente, e é absolutamente pacífico.

      Tal como referi lá em cima não iria para um hotel para nudistas, mas também não diria que estava a ser discriminada por me recusar a andar nua! :D

      Eliminar
  27. Não me choca que haja hotéis exclusivamente para adultos. Nunca estive em nenhum mas parto do pressuposto que sejam hotéis onde se procura um ambiente mais zen e sofisticado, sem kid´s club, piscinas infantis, buffet a pensar em crianças, etc.

    Mas também devo dizer que das poucas vezes que fui mesmo incomodada num hotel não foi por crianças. Foi mesmo por adultos: bêbedos que chegavam às tantas da noite a falar altíssimo e a bater com portas; um casal a discutir no quarto ao lado.

    Resumindo: hotéis sem crianças não garantem comportamentos civilizados.

    ResponderEliminar
  28. Ó pá...há adultos bem piores que crianças. Que horror existirem hotéis que não "aceitam" crianças...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Horror é estarmos a entrar numa Era onde as crianças são surpreendentemente mal educadas, onde há autores a escreverem livros sobre esta temática e hotéis a proibirem dada a gravidade do assunto. Comecem a educar os filhos e acabam com o horror :)

      Eliminar
  29. Concordo em absoluto!
    Não tenho filhos mas acho que há espaço para tudo. E de facto, ir para um hotel com crianças por todo o lado pode não ser o mais agradável para pessoas que procuram descansar e algum sossego. Se um hotel recomenda a presença de crianças a partir de uma certa idade, porque não procurar outro?
    Há uns tempos estive num hotel que tinha zona adults only e a zona familiar. Como a minha irmã era menor de 18 anos, tivemos de ficar na zona familiar. Pois que os pais das crianças deixavam os miúdos com as amas do hotel e iam para as partes dos adultos, incluindo restaurantes, enquanto que os filhos iam ao monte, a correr para os buffets e a distribuir gritaria para pessoas que por lá tentavam jantar tranquilamente na zona familiar. Onde é que está o bom senso nisto?
    O mesmo se passa em certos restaurantes ou zonas que eu posso sentir que se tivesse um filho não o levava para lá, para não incomodar outros com birras ou por não achar adequado por causa do ambiente e se calhar há pais que não pensam assim. Para eles está tudo ótimo e para mim e para outros talvez não. Isto é tudo super relativo e é um assunto que dá pano para mangas :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não dá assim tanto pano para mangas...são crianças, o melhor do Mundo! Não devem ser vistas como fardos e muito menos como coisas.

      Eliminar
    2. E quando as crianças são vistas como fardos pelos pais? Tantas vezes vemos os miúdos entregues às porcarias dos ipads "e agora fica aí sossegadito que os adultos estão a querer descansar e divertir-se".
      Se se é pai, deve-se cuidar, orientar e educar. É um fardo no gozo das férias? Vêem mais cansados das férias do que quando foram?
      Deixem-nos nos avós ou arranjem babysiter. Senão poderão ser um fardo para terceiros.
      Desculpem, mas vê-se cada episódio no periodo de férias que dá que pensar porque este pessoal quis ter filhos!

      Eliminar
    3. Lá está, muitas pessoas tem filhos or capricho ou para ceder a pressões sociais e familiares. Nem todas as pessoas nasceram para ser mães/pais, acho que ter um filho é muito mais do que ir passar férias ou dar brinquedos ou ipads. Envolve trabalho árduo e educação e hoje em dia vejo muito poucas pessoas com paciência ou interesse para isso. Deixam-se levar por um capricho, tem filhos para os outros cuidarem ou para agarrar casamentos. Sei que a vida hoje é bastante complicada mas os nossos avós e pais criaram-nos em condições muito piores. Sempre quis ter crianças até que olhei à minha volta e vejo amigos ' arrependidos', penso realmente porque quereria fazê-lo e chego à conclusão que sim, TER um filho e um ato de profundo egoísmo e não o contrário.

      Eliminar
    4. Egoísmo para quem realmente não os quer ter,certo?! Quando se fala acerca de pais tem de se ter consciência de uma coisa.Há crianças e crianças. Posso dizer-vos que a maioria dos meus amigos com filhos relatam que estes dormem a noite toda. Ora a minha tem 7 anos e é raro dormir 8h seguidas,desde sempre. Ainda esta noite acordou 2 vezes e há noites em que acorda mais. Amo-a tanto...dou-lhe todo o meu amor e carinho, é um doce de miúda no geral,mas a falta de descanso torna-nos em pessoas que não conhecemos. Por vezes só queremos e precisamos de paz e tê-la só faz de nós melhores pais. Não me arrependo nunca de a ter tido, é um amor sem igual e quero ter mais filhos,e só não os tive ainda devido a esta falta de descanso que me faz ter a certeza de não ter condições para mais noites em branco. Acho que ter um filho é tudo menos egoísta.

      Eliminar
    5. É egoísta porque queremos tanto ter e deixar descendência que não olhamos a incómodos a terceiros pelaa nossa escolha, sejam os avós, homens que não querem ter filhos e levam com a surpresa ou pessoas que simplesmente querem descansar num hotel e têm que levar com birras e gritos de desconhecidos.Isso sim é egoismo, podem não ser egoistas para os vossos filhos por se anularem por eles mas pelos adultos que vos rodeiam são egoistas e muito! Sou mãe/pai e toda a gente à minha volta tem que compreender e/ou suportar a minha decisão. Haverá algo mais egoista que isso ?

      Eliminar
  30. Quem não quer ser incomodado nos hotéis que fique em casa.
    Os avós não deverão ser os educadores,nem muito menos servem como depósito de netos.
    As pessoas querem os filhos tipo mascotes e nas férias não estão para atura-Los. Filhos são para sempre e não há férias para se tirar dos filhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Looooool Pipoca! Estás a ofender a mãe do Ruca ou não vês os desenhos animados com atenção! A mãe do Ruca também sai a sós com o marido e deixa os filhos com os avós ou com a baby sitter! Esta anónima fofinha não sabe o que é a felicidade de uma criança quando fica com os avós nem tão pouco a dos pais quando estão a sós :)

      Eliminar
    2. HAHAAHAHAHAHAHAHAHAHAHA ANA AHAHAHHAHA NÃO AGUENTO!! Que resposta tão boa!!

      Eliminar
    3. Anónimo das 16:05 concordo consigo.

      É muito giro esta questão de deixar os miúdos com os avós apenas e só porque eles gostam.

      E os avós por serem avós deixaram de ter vida? E os avós são "obrigados" a ficar com os netos apenas e só para os próprios filhos descansarem a cabecita?

      Ninguém tem obrigação de ficar com os nossos filhos (e a mim dava-me muito jeito, que tenho 3 entre os 18 meses e os 5 anos) e muito menos os avós, que já criaram os pais e ainda ficam com os netos.

      Se queremos ter filhos, temos que saber que somos nós que temos que ficar com eles e tomar conta deles e não vê-los como uma "encomenda" que quando não dá jeito ir connosco, metemos em casa dos avós e já está!

      Just saying...

      Eliminar
    4. Tanta mistura de conceitos e tanto disparate...

      Eliminar
    5. Anónima das 16.05
      Confusa a sua intervenção, para além de disparatada.
      Não há férias dos filhos?
      Mas agora os pais são escravos, ora esta é que é linda!!!! Bela maternidade!
      Se um pai quer descansar dos filhos tem todo o direito.
      Se um avô quer descansar do neto, também tem todo o direito!
      E se eu quero ir para um hotel adult friendly também tenho todo o direito!
      Já agora, caso seja mãe, o que está a fazer no computador a esta hora? Melhor ir entreter a sua criança, que não é nenhuma mascote para que a senhora fique a gastar tempo no computador com assuntos secundários!

      Eliminar
    6. Discordo desta questão dos avós, se estivermos a falar de um cenário de bom senso.
      Tenho um filho de 6 anos que simplesmente adora ficar em casa da avó de vez em quando (hoje está lá, falei com ele há pouco e pediu-me para ficar mais uma noite - e eu estava a ouvir a avó toda derretida a dizer que o menino não precisava de outra muda de roupa, porque com o calor que está a roupa é lavada à noite e de manhã está seca e pronta a usar). Sei que a minha mãe adora ter os netos e os sobrinhos-netos todos juntos (ontem eram só 7...) de vez em quando. Acho perfeitamente normal e saudável que isso aconteça. Todos saem a ganhar: os avós sentem-se úteis por poderem dar uma mãozinha aos filhos (e hoje em dia muitos filhos precisam desta ajuda), sentem-se preenchidos emocionalmente e muitos aproveitam para quebrar a rotina das suas vidas e romperem com a solidão; os netos passam tempo com os avós, experienciam outra forma de estar na vida, gozam do amor dos avós e da sua disponibilidade para lhes passarem a herança histórica familiar (de uma perspetiva diferente da dos pais); os pais gozam de uma pausa na rotina familiar e podem aproveitar para fazerem um plano a dois ou simplesmente para tirarem uma folga das refeições pensadas, a horas, banhos, etc.
      Não me parece adequado apelar à não construção de laços familiares e depois esperar-se que os mais novos não abandonem os velhos. As relações duradouras, sejam de que tipo forem, pressupõem dedicação, tempo para crescerem e serem fortes.
      Para mim, esta é a base da educação para a família.
      Ana

      Eliminar
    7. Anónimo das 16h05, você é o supra sumo do egoísmo..."quem não quer ser incomodado nos hotéis que fique em casa". Até parece mentira...é de pessoas como você de que eu tenho medo, que só veem o próprio umbigo. Aposto que acha os seus filhinhos os melhores do mundo e que mais nenhuma pessoa importa.

      Eliminar
    8. Ter um filho é nos dias de hoje um ato de egoísmo. O meu namorado foi pai há 6 anos porque a mulher dele na altura já tinha 36 anos, o casamento deles estava por um fio e ela decidiu ' esquecer-se' da pílula. Resultado, quando a criança tinha 3 meses eles separaram-se. Já para não falar dos avós a pagarem despesas e a cuidarem de crianças quando já têm idade para descansarem e gozarem as poucas economias levam com as decisões iluminadas dos filhos.

      Eliminar
    9. Concordo completamente consigo anonimo das 16h05! Mas que raio de luxo é esse? Agora também vão proibir as crianças de esplanada no café? Se os pais estão incomodados com o facto de incomodar, não vão, ponto. Isso pertence a cada um e à sua sensibilidade e bom senso. E ainda bem que existem "mães de Rucas" para trazer ao mundo um pouco de bondade e de juizinho!

      Eliminar
    10. Oh anónimo das 16h05 isto é com cada uma heinn? Já eu que ainda não tenho filhos, mas pretendo ter, rezo a todos os santinhos que me mantenha a sanidade mental depois de ser mãe... é que cá na minha modesta opinião ter filhos não é nenhuma prisão ou penitência, mas quem a ouve falar até parece que é... Os avós não servem para depositar os filhos, "servem" para muitas outras coisas... E sim, espante-se, uma mãe e um pai também têm direito a descansar só os dois ou mesmo a mãe com amigas ou pai com amigos ou com quem quiserem... e espero também nunca pensar que posso impingir os meus filhos aos outros e achar que tudo bem... é mais ou menos igual a quando os nossos amigos nos mostram o video do casamento... Nós não queremos ver, obrigada!

      Eliminar
    11. hahahaha avós servem como depósitos de netos...sim,o melhor é as crianças passarem 2 meses de férias de veráo no ATL porque os pais só têm direito a um mês por ano...e o resto das férias ATL,porque os pais já gastaram o mês no verão. Pois eu sempre passei os meses de férias nos meus avós e tios e posso dizer que foi o melhor da minha infância. E triste ficava eu quando via os meus colegas saírem da escola e irem para casa dos avós e eu não podia por viverem a 300km de distancia. A minha filha adora ir para os avós e eles adoram ficar com ela. Ela é mimada até dizer chega e é muito feliz com todos eles e eles com ela. Não sei que tipo de relações têm com a vossa família,mas é muito triste ler coisas como estas. E bem queriam os meus avós nos seus 80 anos estar pertinho de nós para eu poder "despejar" a minha filha e eles serem felizes com a bisneta. Que pensamentos tristes que para aqui vão.

      Eliminar
    12. Anónimos das 16:05 e das 16:47, há avós que adoram ficar a tomar conta dos netos a tempo inteiro e adoram passar férias com os netos (sem os pais. Não se sentem um depósito. Há outros avós que gostam de ficar apenas umas horas, almoçar, passear e devolver aos pais. São tipos de avós diferentes, ambos com o seu valor.
      Se o vosso caso é o segundo (ou se não confiam o suficiente nos vossos pais), é um problema vosso, não critiquem quem tem outras opções.

      Eliminar
  31. Até que enfim um post com muito sumo, dos que dão para pensar e opinar. Estou 255% de acordo. Estas recomendações não são nada redutoras. Quem quer "levar" com as criancinhas ao berros vai para onde pode levar as criancinhas aos berros e as outras pessoas não se importam, até porque também têm criancinhas aos berros. Quem que ir para um hotel mais "sossegado" deve ter essa opção. Há demasiados hoteis no país e no estrangeiro para achar essas recomendações discriminatórias. É um caso de “amigo não empata amigo” E parem com essa coisa que as crianças são o melhor do mundo e o futuro e blá, blá, blá, whiskas saquetas.

    ResponderEliminar
  32. Concordo completamente. E se dantes não existiam hotéis que excluíssem crianças, basta pensar que dantes as crianças não eram tão mal educadas. E que se alguma se pusesse a jeito muitas pessoas chamariam a atenção não só dos pais como do próprio miúdo. Agora não se pode dizer nada, os paizinhos pensam que isto é só direitos, mas os outros também têm direito ao seu sossego.
    E para todos aqueles que acham que as suas crianças podem incomodar os outros: pensem que haverá uma altura qualquer que vocês quererão ter sossego. Pode não ser agora, pode até ser quando forem mais velhos, mas toda a gente tem direito a ter sossego. E, já agora, não vivam como satélites dos vossos filhos, isso não trás nada de bom no futuro.

    ResponderEliminar
  33. Há-de ser avó e querer ter os netos só para sim um bocadinho. Depois verá!

    ResponderEliminar
  34. Vou já procurar um hotel sem canalha! Que maravilha :D

    ResponderEliminar
  35. Pois eu concordo que haja hotéis e ate restaurantes que não aceitam crianças!! Acho é que há poucos. E devia haver multas para os pais que deixam os filhos aos berros nos meio de um shopping ou a correr num restaurante. Se calhar de o em pregado deixar cair a comida em cima dos putos, a culpa ainda é dele.
    Já há condomínios que não aceitam animais ( meus ricos gatos, não davam para mim ), para quando os que não aceitam crianças? Isso é que era uma grande ideia.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ai ao que isto chegou...comparar crianças com animais... Pois bem, nada mais escreverei pois devo estar a responder a uma vaca, cabra ou galinha!

      Eliminar
    2. Está a responder a uma gata... Miau!!

      Eliminar
    3. Ahahahahaahahhahahhaha pois então prepare-se para quando for mãe/tia pagar muitas multas!!! Há com cada coisa!!

      Eliminar
    4. Anónimo das 17h35 veja lá se o tiro não lhe sai pela culatra.

      Eliminar
    5. Já há condomínios assim, eu acho graça as pessoas que acham mal: Eu não tenho filhos tenho que levar com os vossos mal educados e não haver nenhuma entidade que me proteja visto que não vos posso dar uma galheta nem chamar a atenção quando o vosso petiz se porta mal porque coitadinho é criança. Os pais têm a mania de achar que os filhos são os melhores do mundo, os mais inteligentes e espertos, os mais bem educados e quando são mal educados normalmente dizem que tem sono. Sejam pais a sério, não sejam permissivos e irresponsáveis. Tomem a rédea da situação e se o vosso filho não se sabe comportar a culpa pode não ser vossa nem dele mas seguramente não é daqueles que procuram sossego e que têm o direito de pagar um hotel/ restaurante sem levar com os filhos mal educados dos outros.

      Eliminar
  36. Eu tenho duas filhas pequenas e penso fazer férias sempre com elas (até porque não tenho com quem as deixar) mas acho muitíssimo bem que existam hotéis onde as pessoas possam descansar sem ser importunados por crianças.
    Com crianças há sempre gritos, choros, barulho e um rebuliço que é normal e desejável em crianças saudáveis. As pessoas é que não têm que levar com isso.
    Lembro-me de, antes de ter filhos, estar numa esplanada a ler e, de repente, uma criança se lembrar de fazer uma birra estridente e me deixar com os nervos em frangalhos. É muito incomodativo. Hoje, tenho filhos, e penso exatamente da mesma maneira.
    Claro que é bom ser uma recomendação e não uma proibição, até porque cada pai conhecerá os seus filhos e se uns são muito sossegados, outros não conseguem estar 5 minutos num sítio sem fazer um "banzé". Eu, que sei o que a casa gasta, nunca me lembraria de levar as minhas filhas para um hotel recomendado apenas a adultos. Mas isso sou eu.
    Já agora podiam alargar a recomendação a alguns restaurantes e bares (digo eu).

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Concordo totalmente consigo.

      Eliminar
  37. Concordo com a Ana.
    Acho que também "fazem falta" hoteis e sitios que não permitem crianças. às vezes sabe bem descansar sem ouvirmos gritos :)
    Se bem que confesso que ao fim de algum tempo sentimos saudades do barulho das crianças, dos risos e até dos gritos! :)

    Um beijo Ana!

    ResponderEliminar
  38. idade não é sinónimo de inteligência... nem dinheiro é garantia de educação e civismo !!!

    posto isto, acho que se as unidade hoteleiras não podem ter restrições por idade... senão um dia temos hotéis a barrar a entrada a pessoas com IRS baixo, carro de baixa gama, gordos, feios e velhos só porque sim ! já nem vou para questões de opção sexual !?

    portanto... admito apenas que os hotéis possam ter uma zona kids-free da mesma maneira que alguns têm serviço babysitter ou um kids club onde os miúdos podem ter atividades durante o dia ou à noite a sua animação !

    Mas não tenho algum problema com essa coisa dos hoteís que restringem a admissão a crianças... a liberdade funciona para os 2 lados, simplesmente deixaria de frequentar e recomendar... mesmo quando for só com a minha esposa !

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Aí está, o problema é as pessoas como o senhor misturarem alhos com bugalhos. Uma pessoa feia, velha ou gorda tem menos probabilidade de perturbar o descanso de quem paga para descansar do que crianças. Não me choca minimamente a proibição de crianças nos hotéis nem perturba ninguém. Havendo oferta para famílias, qual é o problema? Será que muitas pessoas com filhos desejam intimamente perturbar a vida de quem não tem? Para que quem não tem tenha uma amostra da sua vida? Não percebo a afronta com a oferta destes hotéis...

      Eliminar
  39. Até concordo com a Pipoca.
    Não tenho filhos, mas nunca me senti incomodada pelas crianças fosse onde fosse. Inclusive existia uma que quando se marcavam férias e nos era dito que por exemplo a criança não poderia jantar na mesa com os adultos, esse era um local a riscar. infelizmente já não contamos com a sua presença junto de nós.
    Estava eu a dizer que nunca me senti nem sinto incomodada por crianças. Há as mais fáceis de controlar e há as mais difíceis. Mas são crianças e todos nós já o fomos também.
    Custa-me isso sim, ser incomodada por adultos. Adultos supostamente responsáveis, que não respeitam os outros, que gritam às 6 da manhã num hotel e acordam o piso inteiro (porque decidem voltar bêbados de uma qualquer festa sem crianças!), adultos que se portam piores que crianças e se atiram para as piscinas achando que têm 5 anos (se calhar até têm), adultos que falam alto nos restaurantes e que dizem asneiras como se estivessem em casa ou em qualquer estádio de futebol.
    Basicamente incomodam-me os adultos que não se sabem comportar como tal e de acordo com o local onde estão. As crianças venham elas ;)

    Ana

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Lá está, o problema são os pais das crianças, porém não podem impedir ' os pais de crianças mal educadas' porque senão ninguém se acusava ! Acho bem haver essa diferenciação assim como acho bem haver o barbeiro onde só entram homens porque minhas senhoras, havia um ginásio onde também só deixava entrar mulheres e não vi nenhuma virgem ofendida falar de descriminação.

      Eliminar
  40. Ja fiquei hospedada em vários hotéis apenas para adultos. E a designação correta será essa mesmo, (só adultos/adults only). Na minha perspectiva acho um excelente conceito... Da mesma forma que acho perfeito os hotéis que se dedicam, quase em exclusividade, a famílias com crianças. Mas, como sempre, tendem a haver pessoas que, devido a uma possível ignorância, acham que as suas crianças estão a ser excluídas da sociedade. Mas NÃO. A meu ver, os hotéis para adultos têm uma programação e uma animação diferente, bem como a comida, ( que a meu ver também é diferente), e todo o hotel tem ofertas mais indicadas para pessoas adultas. Assim como os hotéis que se dedicam mais às famílias, terão animação, comida e programação mais adequada às crianças. Já me hospedei nos dois " géneros" de hotéis e a diferença é considerável. No entanto, ao invés de criticar a iniciativa, dos hotéis que se dedicam mais a crianças, sempre aplaudi esse feito. E quando começaram a aparecer hotéis só para adultos aplaudi igualmente. Como também acho perfeito os hotéis que aceitam animais, e respeito os que não aceitam. Não vejo necessidade dos pais se revoltarem, pois a oferta de hotéis para famílias continua a ser bastante superior. Ao invés de se preocuparem com isso ( e caso tenham essa possibilidade) deviam hospedar-se nesses ditos hotéis de vez em quando, e sem filhos, para namorarem um pouco e desfrutarem de um tempo sem crianças... Fazer programas de adultos... poder ler um livro sossegados à beira de uma piscina ( sem que para isso estejam a ouvir as brincadeiras tão típicas das crianças) ou poderem desfrutar da espreguiçadeira na praia, sem terem de ouvir os típicos gritos das crianças. É de extrema importância para um casal poder despender de um tempo a sós, fazer programações, também elas, típicas de adultos. Mas infelizmente, muitas mães/país, assim que têm filhos, esquecem-se rapidamente das regras para um casamento feliz. Enfim... Bem haja a todos aqueles que não se prendem a estes preconceitos.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Completamente de acordo com a Susana!

      Eliminar
    2. Sem dúvida!

      Eliminar
    3. Concordo 100%...Toda a gente anda aqui a falar do comportamento e das birras e do barulho, quando na verdade tratam-se de conceitos diferentes de hoteis, independentemente das crianças serem bem ou mal comportadas.Nos adult only onde estive a idade mínima eram os 18 ou 21 anos, nem estamos a falar de crianças...

      Eliminar
  41. Era uma maravilha que houvesse voos não recomendados a crianças. Já fui para o Dubai com crianças e bebes na fila da frente a chorar e gritar o tempo todo. Cansa.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Realmente... então e avião não fez assim uma escala qualquer ali num deserto para largar os putos?

      Eliminar
    2. Devia era haver esse mesmo deserto para largar os pais :)

      Eliminar
    3. Ai sim? Eu pergunto-me se comentários como estes, de haver deserto para deixar os pais, são só gracinhas ou há mesmo um sistema cerebral a pensá-lo. Claro, onde já se viu, um bebé a chorar e os pais permitem? Os meus filhos, muito chorões em bebés, ai tinham um mês ficavam logo de castigo, não há cá faltas de educação. Toda a gente sabe que bebés que choram são o espelho da má educação uterina. Vocês estao incomodados? Pois exponencializem isso a mil se querem sequer imaginar como se sentem esses pais, porque é a eles que cabe essa responsabilidade, são eles que muito nervosos se meteram no avião e para quem a viagem parecerá interminável sem nada poderem fazer. À semelhança de outras pessoas aqui, as unicas birras e choro que me incomodam são as dos meus filhos, porque sao responsabilidade minha e eu é que tenho de ir lá resolver. Um bebé a chorar na mesa ao lado? Nao so nao me incomoda como fico com pena por saber o panico em que os pais se estao a sentir e fica a vontade de ir la pegar-lhes um pouco no bebe para que eles possam comer sossegados.

      Eliminar
  42. Belissimo e inteligente texto, Pipoca.

    ResponderEliminar
  43. Quem quer descansar que fique em casa.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Está a brincar? Então uma pessoa não tem o direito de querer descansar num hotel, com as comodidades associadas?

      Eliminar
    2. Troll alert!

      Eliminar
    3. quem quer ter filhos que os faça e passe férias em casa. A senhora ter filhos é um direito seu, eu querer descansar sem levar com os berros das suas crias é um direito meu !

      Eliminar
    4. Dos pais que conheço, a maioria queixa-se que chega de férias mais cansado do que quando foi! Se assim é, de acordo com a sua teoria, esses pais, se querem descansar, deveriam ficar em casa, correcto?
      Que ridículo! Todos temos direito ao descanso, pais ou não pais! Para isso existe uma diversidade tão grande de hotéis, para todos os gostos e bolsas!

      Eliminar
  44. Curiosa a relação: as duas economias mais fortes da Europa, Alemanha e Reino unido. Os casais têm no mínimo 2 filhos. Levam-nos para todo o lado.
    A questão que coloco é que sociedade é a nossa que só quer mostrar que tem um filho para mostrar que o sabe vestir bem e que consegue procriar.
    Para um país que saiu há pouco tempo de uma ditadura, aquilo que vejo é futilidade. Muita parra e pouca uva. Parece que não se passou nada para as gerações seguintes.
    Tudo é temporário ou em part-time: os trabalhos, as relações e até os filhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Concordo plenamente.

      Eliminar
    2. Não se pode comparar a educação que há nesses países com o que se passa noutros. Nesses países há esses hotéis há muito mais tempo bem como se pode andar com animais para todo o lado. Chama-se civismo coisa que cá há cada vez menos. Até há bem pouco tempo as pessoas atiravam lixo dos carros em andamento, há bem pouco tempo as pessoas levavam o animalzinho à rua e não apanhavam os cocós. Ainda hoje acontece.

      Eliminar
    3. Se acontece. Na minha rua é a tristeza absoluta. Impossível andar sem olhar para o chão. Que gente porca!Há cartazes por todo o lado e cocó por todo o lado. Com o calor é um cheirete que não se pode. Efim...ainda temos muito que andar.

      Eliminar
    4. A minha vizinha, aos dias de hoje, atira lixo pela janela fora... Preferia ficar com 100 crianças num hotel do que com essa "senhora".

      Eliminar
    5. Por acaso a Escócia (reino unido) é dos sítios que conheço com mais hóteis e restaurantes onde as crianças não são bem-vindas. Acho que a grande diferença é que não é considerado nenhum drama: quem quer ir a esses locais não leva os filhos, quem quer levá-los escolhe outro hotel ou restaurante. simples. sem dramas, protestos e complicações.
      já agora, vivi em Londres e dizer que os "casais levam os filhos para todo o lado" é um grande exagero.

      Eliminar
    6. Na minha rua é cocó por todo o lado e já apanhei uma senhora, para aí de 60 e tal anos, a ir embora deixando um "presente" do seu cão, chamei-a a atenção e ainda ficou toda abespinhada! Falta de noção e de civismo totais! Mil vezes crianças. Se bem que já apanhei também uma mãe a mandar a sua filha fazer cocó no chão no meio da rua (suponho que ela se estivesse a queixar de estar aflita) e a miuda fê-lo e aquilo ficou ali... dessa vez nem disse nada, de tão paralizada que fiquei a olhar para a situação.

      Eliminar
  45. A sério???? Sou assistente de bordo e o que acaba de dizer é discriminação. Discriminação é crime.
    Se não quer correr o risco, alugue um avião só para si.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Só tenho a dizer que faço cerca de 20 voos por ano (alguns superiores a 10h) e nunca estive num voo em que um bebé me incomodasse. Posso ouvir um choro ou queixume durante uns minutos, mas não passa disso.

      Eliminar
    2. Quer comparar um voo com a agitação das férias???

      Eliminar
    3. Trabalha a bordo e diz "alugue um avião"? Já não há glamour nenhum nestas pirralhas que trabalham a bordo... É frete, fretar um avião.
      Pois também eu gostaria que existissem voos children-free, especialmente em classe executiva.
      Bem como restaurantes. E hotéis, claro.

      Eliminar
    4. Também é discriminação dizer que quem quer descansar que fique em casa!

      Eliminar
  46. Por mim é na boa. Não me importo que andem crianças pelo hotel desde que, assim que gritem ou correm à maluca os pais possam ser chamados à atenção. E que esses pais percebam que a liberdade deles acaba onde a dos outros começa. E os outros não têm que levar com as suas crias.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. infelizmente isso não acontece. Ainda ontem vi duas crianças aos pontapés a um caixote do lixo num estacionamento com o pai e a mãe a sorrirem e incentivarem e quando lhes perguntei se achavam bem os exemplos que estavam a dar a crianças disseram que não me preocupasse porque se eles partissem os pais pagavam. Isto realmente está tudo doido!

      Eliminar
    2. Eu diria que teve a sorte de não lhe responderem mal anónimo 11/08.50h... A última vez que me dei ao trabalho de chamar a atenção para um comportamento de " puro vandalismo infantil"(a criatura do demo encontrava-se com um pau a partir um écran de uma TV que jazia junto do eco ponto verde)fui insultada pelo " adorável petiz" com cerca de 9 anos, e brindada com silêncio dos papás que assistiam à espetáculo!
      Enfim...para alguns, comportamentos próprios de quem descobre o mundo, e de progenitores que se pautam pelas novas "teorias educacionais"...defensores de que umas boas e oportunas palmadas, são um verdadeiro crime de agressão física/maus tratos físicos; se gritarem com os filhos, estão a maltratá-los psicologicamente e os meninos poderão ficar traumatizados...pelo que, é preferível,muito menos trabalhoso e stressante, ignorar e deixar andar o barco...quando "crescerem" logo se farão adultos civilizados, respeitadores e responsáveis !?!(;

      MDM

      Eliminar
    3. Olhe amigo/a, já vi coisas de pais permissivos por serem crianças que lhe digo: estamos a criar uma geração de medíocres que têm a mania que são especiais. tristeza

      Eliminar
  47. Não podia concordar mais contigo Pipoca !! Aliás nas minhas últimas férias optei por um hotel que não era permitido para menores de 12 anos ... e não há nenhum problema com isso senhores.

    ResponderEliminar
  48. Susana
    Regras para casamento? É casada? Tem filhos?
    Não me parece nada.
    A propósito, género, só diz respeito ao sexo, que será masculino ou femínimo.
    Regras básicas de português.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Regras para casamento sim. Nunca ouviu?
      Tentativa frustrada de destruir um óptimo texto...

      Eliminar
  49. Que comodidades associadas?
    Se algum dia for mae/pai, quero ve-lo/a a manifestar-se

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sou mãe mas já estive em hoteis só para adultos.Não têm piscina para crianças só para adultos, o SPA é acima da media, os shows são para adultos e são mais tardios, não têm entetenimento para crianças, as comidas são mais requintadas, os restaurantes normalmente são a carta, priveligia-se a qualidade dos quartos, o serviço é muito diferente, é mais pormenorizado, com mais detalhes...Daquelas coisas que só quem já esteve neste tipo de hotel pode perceber. Não, nunca levaria os meus filhos para estes hoteis, íam aborrecer-se de morte.

      Eliminar
  50. E tudo muito lindo quando não nos toca a nós.
    Eu também pensava que nunca ia ser mãe. E fui da pior maneira. Com gravidez de alto risco e sempre internada.
    Alguém que se atreva a dizer mal das crianças. São a coisa mais pura deste mundo! Quase todos vocês têm muito que aprender com elas!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Já certos pais não se pode dizer o mesmo.. Minha senhora lamento imenso a sua situação mas para mim o melhor do mundo é não ter que levar com filhos mal educados dos outros quando estou num hotel. Lá porque acha que os seus filhos merecem tudo e as crianças são o melhor do mundo e podem fazer o que quiserem eu não acho. Acho sim que nada é mais importante que o meu sossego e sanidade mental coisa que nunca a vai incomodar, ao contrário de crianças mal educadas. A culpa é dos pais obviamente.

      Eliminar
    2. São a coisa mais pura do mundo, então aquelas que exercem bullying em outras crianças até aplaudo de pé.
      Há muita gente que não entende que tal como há todo o tipo de adultos também há todo o tipo de crianças.

      Eliminar
    3. Pois eu não acho que as crianças sejam o melhor do mundo. Não as discrimino positiva nem negativamente. O melhor do mundo (pelo menos no sentido que sugere) são as boas pessoas, e isso não tem idade. Estou convencida de que se diz que o melhor são as crianças porque há tantos adultos podres e sem valores. Mas essa não é a minha realidade, e já conheci adultos mais 'puros' que muitas crianças.

      Eliminar
    4. Sim, sim, principalmente com algumas das mais insuportáveis, que berram, guincham, limpam o solo com birras, voltam-se contra os progenitores, agredindo-os com pontapés, palmadas e gritos...perante total INCAPACIDADE de controle dos pais, que se limitam a assistir, encolhendo-se envergonhados, sem agir!
      Cada um é livre de retirar destas "cenas tristes" as conclusões que entender...inclusive, " a de que temos muito que aprender com as crianças impertinentes e mal educadas"!(:

      Obs: seria de facto muito interessante, se os adultos em qualquer momento e por qualquer motivo fútil de mínima contrariedade, desatassem ao pontapé, chapada, gritos, choro compulsivo, a rebolar pelo chão com birra...em qualquer espaço público...
      Acrescento que tenho dois filhos, modéstia à parte, bem formados e educados, os quais, quando de tenra idade nunca manifestaram quaisquer dos comportamentos descritos, talvez por sorte, feitio, personalidade(dirão alguns...)mas creio, que eu e o meu marido soubemos educá-los, nunca consentimos "certos comportamentos", quando necessário(poucas vezes)levaram palmadas, castigos...nunca nos envergonhamos de chamá-los à atenção em público!(:

      Teresa

      Eliminar
    5. Milhões de mulheres passaram pelo mesmo minha senhora, não sendo por isso que passarão o resto da vida a consentir tudo e mais alguma coisa dos seus desejados e adorados filhos, bom senso precisa-se!(sou mãe de duas crianças, já pari duas vezes...opino com conhecimento de causa e fundamento...há crianças mal educadas e intoleráveis, em regra por culpa exclusiva dos pais...mas concordo que existem exceções, como em tudo na vida!

      Eliminar
  51. Anónimo das 16:38:
    Só tenho um adjectivo:Ridícula!
    A opinião vai mudar e de que maneira quando parir com dores!
    Quando estiver com mais de 48 horas de trabalho de parto, depois vaí saber dar valor e defender seus filhos!!!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não é por parir com dores que é melhor mãe e dá mais valor aos seus filhos do que outras mulheres...

      Eliminar
    2. Mas faça isso longe dos que não os quer ter nem aturar os dos outros! É tão simples ! Porque a minha decisão de não ser mãe nunca a irá incomodar, já a sua incomoda muito. Não é por ter um ventre parideiro que tem o direito de impor que toda a população seja solidária ou compreensiva com os seus filhos. ( se for o caso). Porque a senhora tem o direito de levar o pirralho para onde quer e eu tenho que levar com ele mas se lhe disser algo relativo à educação ( ou falta dela ) já não vai gostar.

      Eliminar
    3. Defender é levar para um hotel sem nada para crianças, só com adultos? Grande defesa!Mais me parece castigo!

      Eliminar
    4. Ser mãe e defender os filhos não tem nada a ver com ter o cuidado de não importunar os outros!
      Se a senhora tem filhos, isso foi uma opção sua, de mais ninguém.
      E não seja ridícula! O que é que a senhora sabe da vida das outras mulheres que aqui escreveram e que são mães, para falar de dores??? A minha mãe também tece 48 horas em trabalho de parto! Acha que é isso que lhe dá mais direito do que as demais?
      Temos que aturar as suas crianças (que tanto podem ser adoráveis como insuportáveis) porque a senhora teve 48 horas em trabalho de parto?
      Por favor caia na realidade, e a realidade não é a vida dos outros girar em torno da sua e da sua prole!

      Eliminar
    5. Ui, só tive 2 horas em trabalho de parto e poucas dores... Serei menos mãe que esta adorável anónima? Amo menos as minhas filhas?
      Nunca li tanto disparate num só comentário...

      Eliminar
    6. E eu que fiz cesariana?? Se calhar acho que sou mãe mas não sou.. Se calhar é também por isso que acho que ninguém tem de levar com o choro ou berros do meu filho. E que acho que toda a gente tem direito de procurar locais sossegados para descansar de um ano inteiro de trabalho. E que acho que, por isso mesmo, deveriam existir hotéis, restaurantes, etc, child free. Quem tem filhos tem muitas oferta, não precisa de querer ir logo para aqueles que não aceitam crianças.

      Eliminar
    7. Caríssima Anónima das 23:14
      Claramente se refere a mim, pela hora que colocou.

      Não pari nenhuma criança, é verdade.
      Se esteve com mais de 48 horas de trabalho de parto, eu estive um pouco mais de 24.
      De si saiu um filho vivo, de mim infelizmente foi-me tirado morto.
      De todos os adjectivos que me passam pela cabeça ao pensar em si, nenhum me parece suficiente, pelo que só me ocorre dizer-lhe que tem toda a razão em dar valor e defender os seus filhos e já agora educá-los e orientá-los, mas que não faz mais nada do que a sua obrigação, pois pô-los no mundo sem que eles pedissem; de outro modo seria uma péssima mãe.
      Temo que após ter passado pelas minhas dores, a minha opinião não mude. Porque a sua obrigação não é certamente a minha obrigação.

      Em hipótese remota, digo-lhe que gostaria, genuinamente, de um dia destes encontrar um miúdo em um qualquer hotel a incomodar as outras pessoas, gostaria de me dirigir à mãe e chamar a atenção e adoraria descobrir que afinal essa mãe era a Anónima. Acredite que me faria muito feliz nesse dia...

      Eliminar
  52. isto o calor tem efeitos colaterais muito sérios.

    ResponderEliminar
  53. Anónimo das 23:14, não se está a discutir o valor dos filhos. Claro que filhos tem valor!
    O que se discute é se se pode recomendar hotéis a partir de certa idade o, que a meu ver, não faz mal nenhum. Viajo imenso dentro dos EUA (vivo cá) e este é um conceito nada de novo aqui, aliás é normal pessoas solteiras ou mesmo casais, preferirem ficar em hotéis só para adultos. O mesmo se passa quanto estou em Portugal. A oferta para adultos é muito diferente quando comparado para hotéis para adultos e crianças. Porque haveria uma criança de ficar aborrecida num hotel somente para adultos e porque haveria adultos ´sofrer´com o barulho de crianças? Não me diga que o hotel é hotel... é muito diferente estar numa piscina de hotel só com adultos do que com crianças. Isto não é querer discriminar, é só ter espaços para diferente clientela ou para gostos diferentes.

    ResponderEliminar
  54. EUA = país exemplar
    Lolololol

    ResponderEliminar
  55. Se existem hotéis onde podem estar crianças ....honestamente não vejo qual é o drama de existirem outros que estas não podem frequentar!!!'
    E sim, sou mãe . E pela minha filha dou tudo....mas que me sabe muito bem de quando em quando estar dois dias só em modo "adulto".....ahhhh sabe sim!!!!
    Crucifiquem me por isso.

    ResponderEliminar
  56. A discriminação é um problema que assola a nossa sociedade. Somos discriminados por sermos mulheres, por sermos homossexuais, por sermos de determinada religião...a sério, vamos discriminar pessoas por terem filhos!? Não me parece correto.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Nada contra opções sexuais e religião. Não de afeta, logo não incomoda.
      Se discrimino pais que não se querem dar ao trabalho de educar crianças e as deixam importunar os demais, desculpe, discrimino sim. Porque aí já está a interferir com o meu sossego e descanso.
      E há uma questão que não está a ser pensada. Um hotel é um negócio, que tem um determinado perfil e cujas regras deverão ir ao encontro do alcance desse perfil. Não é o hotel que se tem que adaptar ao cliente, é o cliente que se tem de adaptar ao hotel, por isso tem poder de escolher o hotel que deseja. Senão, todos os hotéis ream bem mais baratos, para se adaptarem à bolsa da maioria das pessoas!

      Eliminar
    2. Portanto, afirmando "Se discrimino pais que não se querem dar ao trabalho de educar crianças e as deixam importunar os demais, desculpe, discrimino sim." está a partir do princípio que, toda e qualquer criança que efetue qualquer ruído, movimento, que importune, é falta de educação? Ou não tem filhos, ou é irmão/irmã dos seus filhos e são os avós que os criam. Acho incrível que existam pessoas que achem que uma criança ser criança é sinal de falta de educação.

      Eliminar
    3. Então tem de ir ver o significado de discriminação. Algumas coisas não o incomodam a si...pr exemplo há pessoas que ficam incomodadas de virem duas pessoas do mesmo sexo aos beijos e vamos fazer o quê!? Proibir essas pessoas de demonstrarem o seu carino e afeto em público!? Proibir essas pessoas de entrarem em alguns hotéis ou restaurantes!? A mim incomoda-me ter mulheres vestidas com burkas a meu lado...faço o quê? O remédio que tenho é tentar afastar-me, pois não as posso proibir de andarem vestidas como gostam. Desculpe mas é a mesma coisa.

      Eliminar
  57. Ai Pipoca, santa paciência. Esta mentalidade tacanha do século 19 que continua a "prender" as mulheres aos tachos na cozinha e às crias é demais para a minha pessoa. Apoio totalmente hotéis kids free assim como apoio hotéis para as famílias. Haja bom senso.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. De bom senso precisa a Jéssica. Compreendo que se sinta assim. Dever ser uma pessoa revoltada com os próprios pais por lhe terem dado o nome Jéssica e isso deve estar a refletir-se no seu ódio por crianças...são crianças, não crias pois crias têm os animais.

      Eliminar
    2. Caro anónimo, nós seres humanos somos animais sim, pertencemos à classe dos mamíferos! quando a anonima se refere a crias não está a utilizar nenhum insulto.

      Eliminar
    3. Ui, se a jessica está revoltada, que dirá o Anónimo11 agosto, 2016 11:52 que nem nome apresenta...E agora vá ao dicionário ver a definição de cria.Vá lá.

      Eliminar
  58. E quando é que os hotéis reagem aos adultos que "reservam" durante a noite as todas as espreguiçadeiras (dá uma má imagem ao hotel) e pedem aos mesmos para não as colocarem a beira da piscina, onde uma pessoa circula?
    E reagirem também contra os adultos que no buffet não serem egoístas e comerem tudo, cheguei a ver um casal sem filhos em que cada um levava 2 pratos cheios da mesma comida(só falta levarem as cadeiras para a zona onde se serve), a não ficarem com os utensílios de servir só porque sim? E já agora adultos que berram do elevador para os filhos correrem o mais depressa possível para guardarem a melhor mesa? E aos que às 06h30 da manhã falam aos berros nos corredores? Esses adultos não são considerados uns "monstrinhos"? Concordo com hotéis para adultos, mas depois do que passei numas férias com o meu namorado, em que tínhamos 25 anos na altura e ainda não tinhamos filhos, também chega a ser um risco ir para um hotel "kids free".
    Estar de férias fora de casa é como comprar uma casa, nunca sabemos que vizinho nos vai calhar.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Acho que o grande problema aqui e que noto da maioria destes comentários é o tipo de férias que os portugueses preferem: hotel com piscina e praia ao lado, buffets e tudo incluído. Eu passo as minhas férias de mochila ás costas a visitar o máximo de coisas possíveis, fico em hostels/alojamentos baratos/apartamentos e passo neles apenas o tempo de dormir, o resto do dia estou fora a visitar coisas e não tenho qualquer stress durante as férias com outros hóspedes, sejam eles adultos ou crianças.

      Eliminar
    2. Completamente! Como já tinha comentado, os adultos são mil vezes piores que as crianças!

      Eliminar
    3. Anónimo das 11h04, sou o das 09h50. Já fiz esse tipo de férias, fiz interrail e foi uma experiência incrível, acampei em muitos sítios em Portugal (fizemos 22 dias a acampar em 3 parques diferentes, norte, centro e sul) e quando resolvemos ir para um hotel foi a experiência que foi. Descansamos mais a acampar do que num hotel ;)

      Eliminar
  59. A questão a meu ver nem tem tanto ver com proibição ou recomendação, mas sim adequação!Se hotéis explicarem aos/às pais/mães que o seu empreendimento turístico não dispõe de serviços e infraestruturas adequados para crianças, de modo a que as mesmas gozem de uma divertidas férias, acho que os/as pais/mães compreenderiam... Eu compreenderia e tenho filhos! Os hóteis direcionam a sua oferta para um target e esse target pode não incluir crianças e não incluindo obviamente não estarão preparados para as receber. A única coisa que me incomoda nesta questão que levantaste (e depois de ler alguns comentários aqui deixados)é perceber que as crianças são, na generalidade, percecionadas como um estorvo, um incomodo... São um estorvo nos hotéis, nos cafés, nos restaurantes, etc. Isto não devia acontecer. Elas são o nosso futuro! Os gritos, o choro, as correrias e a brincadeira são comportamentos perfeitamente normais nas crianças! Têm muito pouco a ver com falta de educação! Eu gosto de crianças, diverti-me com as crianças e quero um mundo com muitas crianças ;)

    ResponderEliminar
  60. Xinapá Pipoca este tema tornou-se uma batalha, larga-se os hotéis kids free e passa-se à questão da educação, dos pais malcriados, dos voos sem crianças ...... dassss ..... ainda falam das crianças vejo aqui tanta gente ressabiada, tudo é problema.... sou mãe vou para hotéis com e sem filhos, porque me apetece, quando me apetece, e sinceramente é um tema indiferente, não procuro esses hotéis porque não sinto necessidade, pelos vistos não vivo com dois monstros (os meus filhos) fazem birras, 2 alinham mais em parvoíces, e sim fico cansada, preciso de descansar como todas as outras mães, mas quando vamos a 2 vamos para onde nos apetece e não para um refugio zen, mas porque não sinto essa necessidade, não significa que outros não precisem. Agora entrarmos no extremo de eliminem as crianças dos aviões dos restaurantes, dos hotéis com argumentos de... eu escolhi não ser mãe por isso não tenho que levar com a sua... porra a sério? já somos assim tão egoístas? então e não foi já criança? Não fez birras? Acho que há mercado para tudo, e há espaço para todos, mas sinceramente incomoda-me muito mais certos adultos do que gritos de miúdos....

    ResponderEliminar
  61. Acho-te muito sensata mas muitas vezes pergunto-me se várias opiniões que tens seriam exatamente as mesmas se não tivesses qualquer escape ao filho. Se não houvessem avós disponíveis e não soubesses o que era um dia por tua conta desde que ele nasceu. É que, coincidência ou não, os pais que se sentem incomodados por crianças alheias e que defendem o descanso são os que, pasme-se, ja se fartam de o ter por terem mil e um apoios. Os que, por circunstâncias das suas vidas, nunca mais souberam o que é uma saída a dois ou um dia sem responsabilidades alheias, são muito mais tolerantes e não se incomodam com o ruído de outras crianças, pois só o facto de não serem as suas e não terem de ser eles a resolver, é descanso suficiente.
    Quem mais descansa é que se sente sempre muito cansado e a necessitar de descanso e quem não tem direito a descansar nunca é que parece que ainda vai tendo forças para ser tolerante e, sobretudo, relativizar isso (falam que os miudos hoje em dia é que sao mais mal educados, mas do que recordo e videos antigos que vejo, antigamente eram exatamente igual..os adultos é que eram diferentes, não se incomodavam tanto com o que é normal nas crianças).

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Excelente ponto de vista! Concordo na totalidade! Mas é normal no mundo em que vivemos, o egoísmo e a intolerância está a apoderar-se da sociedade...

      Eliminar
    2. Subscrevo este comentário! A maioria das pessoas que vejo a queixar-se não o fazem sobre doenças ou mortes, que são as únicas coisas que realmente escapam ao nosso controle e não conseguimos mudar. Só se queixam de coisas do dia-a-dia que podiam perfeitamente alterar e são os mais privilegiados e os que mais têm que estão constantemente insatisfeitos e a queixarem-se de coisas da vida. Têm tudo e ainda querem mais, ou estão mal com o que têm...

      Eliminar
  62. Anónimo das 09:50
    Excelente observação.

    ResponderEliminar
  63. Deixará de ser demais para a sua pessoa quando tiver filhos.

    ResponderEliminar
  64. ahah, vida é bela, melhor filme de sempre... e sim podes proibir a entrada a aranhas e visigodos em qualquer sitio! elas nao sabem ler eles já não existem, é essa a beleza da cena a personagem é genial

    ResponderEliminar
  65. MARAVILHA!!! É Isto mesmo!! Perceberam Pais que acham que os seus filhos podem tudo porque…"tadinhos são crianças"…Bom Senso e perceberem que há sítios em que as pessoas querem mesmo descansar…

    ResponderEliminar
  66. Tenho 2 putos giros.. um com 4 anos e uma com 9 meses.. são o meu coração..
    Quando tento ter um fim de semana sem eles, só para respirar, dormir ou ir à casa de banho sem 2 ou 4 olhos a mirar-me gosto de ir para locais onde sei que não vou ter aquilo que tenho todos os dias... sinto que necessito mesmo de paz e silencio para ser uma melhor mãe..para ter mais paciência para as birras e apreciar o quão maravilhoso é ter 2 filhos lindos e com saúde.
    Ter saudades deles também é bom! E eles desenvolverem as suas relações com os avós sem pais por perto também é importante!
    Por isso, gosto de saber que existem estas opções, se calhar um pouco drástico dizer que não aceitam crianças, mas se assim não for, tal como diz a pipoca, se disserem só que não aconselham o Hotel deles para crianças, acho que há muitos pais que vão na mesma só porque sim..
    Beijinhos papás! E apreciem momentos com filhos e momentos a 2, é vital para qualquer relação!

    ResponderEliminar
  67. Claro que há inúmeras formas de os hotéis poderem ser child-free sem o dizer. Ausência de camas-extra; piscinas interiores de spa vedadas a menores; restaurantes gourmet com oferta totalmente desadequada a crianças.... e ainda bem. É preciso oferta para todos os gostos. Agora confesso que me faz muito menos impressão crianças a correr e a brincar nas piscinas que os maluquinhos da animação que nos querem arrastar para todas as actividades. E ainda pior são aqueles casais nojentos que aproveitam as estadias em resorts e piscinas para praticar o amor em público e acreditam que ninguém percebe o que estão a fazer.

    ResponderEliminar
  68. Portanto, segundo algumas cabeças um hotel não pode simplesmente selecionar o seu publico... então pronto, sendo assim, acho inaceitável que os hoteis da Quinta do Lago descriminem as pessoas que não têm dinheiro para lá ficar! É altamente discriminatório barrar a entrada a alguém porque não tem dinheiro para pagar a estadia! E os nudistas? Porque não podem fazer nudismo nas piscinas dos Hoteis? Agora não posso andar nu onde quero só porque os outros se sentem incomodados! Os nudistas antes de serem nudistas são pessoas, seres humanos como outros quaisquer, que optam por não gastar dinheiro em fatos de banho! A sério...com tanta coisa engraçada onde queimar tempo e há quem se dedique a queimar minutos com inutilidades.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Que argumentos estapafúrdios! Se reservar o hotel na quinta do lago não lhe aparece no local da reserva "Só para quem tem dinheiro"... se for pobre, mas tiver aquele dinheiro, reserva e pronto! E por acaso em sítios públicos o nudismo é proibido por lei não porque às outras pessoas não apetece ou se sentem incomodadas

      Eliminar
  69. Há anos que hotéis nas ilhas espanholas e não só dizem "only adults"... porquê agora o espanto?? porque é em Portugal? tristeza!

    ResponderEliminar
  70. Não vejo aqui pais ofendidos por não poderem levar os filhos para motéis. É outra oferta, será que outros estabelecimentos não podem fazer o mesmo? Get a life, people.

    ResponderEliminar
  71. Viva Portugal! E as futilidades que se apoderam cada vez mais das gerações.
    Trabalhar o corpo, vestir e comer bem, spas, relaxar....as nossas preocupações são tantas...

    ResponderEliminar

Teorias absolutamente espectaculares

AddThis