Pub SAPO pushdown

Têm seguro de saúde da Multicare? Então não o usem

quarta-feira, julho 09, 2014
Foi mais ou menos quando comecei a trabalhar, talvez há uns dez anos, que decidi fazer um seguro de saúde. Sempre tive assistência médica através do trabalho dos meus pais, mas quando comecei a descontar isso acabou-se e então achei prudente ter um seguro. Escolhi a Multicare já nem sei bem porquê, talvez por ser a mais conhecida, ou uma das mais conhecidas. A verdade é que, ao longo destes anos, sempre achei que aquilo era uma entidade um bocado estranha. Para me explicarem qualquer coisa tinha de estar meia hora ao telefone e passar por 14 departamentos, nunca percebi muito bem como é que funcionavam os reembolsos (enviava as facturas e esperava pelo melhor) e achava toda a assistência ao cliente assim um coisa meio etérea. Mas pronto, a verdade é que também nunca tive chatices de maior, a cobertura de serviços é boa, por isso deixei-me estar. Aliás, não só me deixei estar como incluí o Mateus no meu seguro e fiz um up-grade do mesmo, já tinha o seguro mais elevado de todos.  E tudo corria relativamente bem até ter ido ao médico em Abril e o cartão da Multicare não passar. Oi? Como assim? Liguei de imediato a saber o que se passava e fui informada que o serviço estava suspenso por falta de pagamento desde Fevereiro. E aqui entra a parte do assumir de culpas. Na data em que o pagamento caiu eu não tinha esse dinheiro disponível na minha conta à ordem, porque nunca lá tenho muito dinheiro, só o essencial para o dia-a-dia. Segundo me disseram depois, foi enviada uma carta a avisar que o pagamento seria cobrado no dia x. Uma vez mais, culpa minha que não vi a carta, ou que a vi e não prestei a devida atenção. Certo é que o pagamento chegou (é anual) e a cobrança não foi feita por falta de dinheiro na conta. Tudo bem, uma vez mais, sublinho, a culpa foi minha. Mas o seguro foi cancelado de imediato e ninguém me avisou. Ninguém tentou fazer nova cobrança, ninguém tentou averiguar o que se passava. Foi preciso eu ir ao médico DOIS MESES depois para me dar conta da situação. Cancela-se um serviço e não se avisa o cliente, fantástico. Ainda por cima estamos a falar de um seguro de saúde, não é propriamente o mesmo que cancelarem-nos o telefone por falta de pagamento. 

Mas bom, assim que soube o que se estava a passar pedi para que dissessem como proceder para pagar o que estava em falta e reactivar o seguro. Seguiram-se muitas e muitas chamadas para a Multicare ao longo destes últimos meses, sempre a ouvir coisas diferentes. Que a situação estava a ser analisada, que estava no departamento não-sei-quê, que precisava de aprovação de não-sei-quem, mas que iam entrar um contacto, telefonar, enviar um mail, um pombo correio, sinais de fumo. Nada. Nunca me disseram nada. Tive de ser eu a andar a ligar para lá uma catrefada de vezes para voltar a ter seguro de saúde. Perante a prolongada falta de respostas, peguei em mim e fui à agência onde tinha feito o seguro, na esperança que alguém me ajudasse a resolver um problema que me parecia de fácil solução. Era pagar e pronto. Pois, não era pagar e pronto. Na agência acabaram por me explicar o que se estava a passar, o diálogo foi mais ou menos assim:

Senhor da Fidelidade: mas ninguém lhe disse que o serviço tinha sido anulado?

Eu: não… só me disseram que estava suspenso por falta de pagamento. Desde Abril que ando a tentar pagar e ninguém me diz como, já liguei uma data de vezes…
Ele: pois… mas o que estou aqui a ver é que o seu seguro não foi reactivado devido ao alto índice de sinistralidade.
Eu: como? O que é que isso quer dizer?
Ele:  o índice de sinistralidade está associado ao número de ocorrências.
Eu: está a dizer-me que o seguro foi cancelado porque o usei demais?
Ele: pois, é mais ou menos isso. O nosso departamento comercial considera que não é vantajoso renovar o seu contrato. 
Eu: está a dizer-me que me cancelaram um serviço que eu contraí porque, efectivamente, eu dei uso a esse serviço?
Ele: a senhora também tem uma empresa, deve compreender que há alguns clientes que não nos interessam.
Eu: não, de facto não compreendo nem vejo como é que isso pode ser aplicado ao meu caso. Tenho uma loja de roupa,  vou dizer a um cliente que não me interessa que ele faça lá compras para eu não ter de pagar mais IVA?
Ele: mas a senhora não trabalha com sinistros!
Eu: pois não, nem quero! Esse é o vosso core, é o vosso negócio, não é o meu! E, já agora, o que é que se considera um alto índice de sinistralidade? Usar o seguro uma vez por mês?
Ele: não foi só uma vez por mês…
Eu: então foi o quê?
Ele: isso não sei, não tenho aqui os dados.
Eu: muito bem, como é que posso fazer uma reclamação formal?
Ele: eu vou pedir ao departamento comercial que volte a analisar a situação. Vão dizer que não, mas de qualquer forma espere que lhe envie um mail na segunda-feira a confirmar (isto foi a uma sexta)
Eu: mas se já me está a dizer que não vão aceitar para que é que tenho de esperar até segunda-feira?
Ele: eu só não lhe quero criar falsas expectativas.
Eu: não me está a criar qualquer espécie de expectativa. A partir do momento em que tratam os clientes desta forma, como imagina não tenho qualquer interesse em continuar ligara a uma empresa assim. Até porque o que não faltam aí são empresas concorrentes interessadas em que alguém lhes compre um seguro. De qualquer forma fico à espera do mail e agradeço que no mesmo indiquem que o seguro foi cancelado devido ao alto índice de sinistralidade, tal como me disse.

O mail chegou e o que é que dizia? Que o contrato não é reposto por falta de pagamento do prémio. Vai-se a ver e o discurso mudou. Lá devem ter percebido que era chato (e estúpido e talvez ilegal) dizerem que o meu seguro foi cancelado porque eu o uso em excesso e dou prejuízo à casa, por isso agora dizem que foi pela falta de pagamento. A Multicare deve estar a nadar em dinheiro (e está) para deitar fora clientes que em dez anos só se atrasaram no pagamento uma vez e que pagam o prémio máximo. Se eles quisessem mesmo que eu tivesse pago teriam insistido. Mas não, limitaram-se a cancelar o seguro sem sequer me avisarem disso. Nem um telefonema, nada. Pelo meio, cancelaram também um seguro de um bebé. Não é espectacular?

Ainda estou para perceber o que é isso de "alto índice de sinistralidade". É um facto que no ano passado devo ter usado mais o seguro. Estava grávida, havia mais exames, mais análises, mais tudo, mas nem sequer usei o seguro para o parto, fui para um hospital público, por isso gostava mesmo, mesmo, mesmo de saber onde é que me excedi. Quando contraímos um seguro é-nos dada uma tabela com os plafonds. Quando os ultrapassamos o problema é nosso, pagamos do nosso bolso. Ora se isso não me aconteceu, porque é que consideram que eu uso demasiado o seguro? O Mateus, então, acho que mal o usou. Entre passar o período de carência e lhe cancelarem o seguro, deve ter ido a uma consulta ou duas. De qualquer forma, ninguém vai ao médico ou se põe a fazer exames porque não tem coisas mais divertidas com que ocupar o dia. Vou ao médico quando preciso, e foi para isso que fiz um seguro, PARA O PODER USAR QUANDO PRECISO!

O problema é que parece que isto é prática comum. O cliente deixa de ser economicamente interessante e a seguradora põe-no a andar. Ala que se faz tarde, que aqui só nos interessam clientes que pagam muito e gastam pouco. Possivelmente isso está para lá algures nas letrinhas pequenas do contrato, confesso que ainda nem fui ver. Para já, para já, estou só absolutamente indignada com a ligeireza como as coisas são resolvidas, com a falta de comunicação e com a total falta de respeito para com o cliente. No mínimo, acho vergonhoso, sobretudo tendo em conta que era cliente há tanto tempo e que nunca lhes dei qualquer espécie de chatice. Se têm seguro de saúde com a Multicare é bom que comecem a usá-lo menos, porque pode bem acontecer-vos o mesmo.

Fosse o nosso sistema nacional de saúde uma coisa altamente eficiente e mandava-os dar uma curva, não queria mais seguro nenhum. Como não é, lá vou eu fazer um novo seguro de saúde, passar por um novo período de carência, e trá lá lá lá lá, que é disso que as seguradoras gostam. Como é que uma coisa que é suposto dar-nos saúde nos esfrangalha o sistema nervoso? Não é um contra-senso? Enfim. Quando regressar trato da reclamação. Não posso fazer mais nada, mas sempre fica lá no livrinho para se lembrarem da cliente abusadora que gastava uma fortuna em consultas.

269 comentários:

  1. Pipoca,
    O nosso SNS não é o bicho de 7 cabeças que pintam. Há aquele mito de que tudo funciona mal e por isso já nem vou usar.
    O SNS, tal como os privados, tem coisas boas e coisas más.

    Eu tive uma gravidez de risco, tive um filha com RCIU (nasceu com pouco peso) e que recusava o alimento no primeiro mês de vida. Fomos sempre seguidas no SNS, por excelentes profissionais e sempre muito atenciosos. A minha filha passou por uma série de especialidades no hospital público só porque sim, porque nasceu com um peso inferior ao aceitável e poderia hipoteticamente ter alguma sequela. Felizmente não teve e hoje, passado 2 anos, continua a ser seguida no hospital público e no centro de saúde e nunca nestes 2 anos tive de a levar a um pediatra particular, mesmo quando adoece é à médica de família e ao hospital que recorro.

    Ana

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu também tinha má impressão do SNS. Mas recentemente a minha avó e mãe foram seguidas pelo SNS e foram exemplares.

      Eliminar
    2. também nunca tive problemas com o SNS

      Eliminar
    3. Não tenho nenhuma razão de queixa do SNS, demora mais, sim, demora, mas não há almoços grátis e rápidos.

      Eliminar
    4. Bem verdade!!,
      Eu cá recorro sempre ao SNS, não tenho razão de queixa, sim, é preciso às vezes ter paciência para os funcionários, mas também não é preciso entrar a matar como muitas vezes vejo. Muitas vezes a reacção de quem está atrás do balcão é uma consequência da nossa abordagem. E se por vezes levo com má cara, respondo com simpatia, educação e até demonstração de solidariedade por quem atura certas coisas.
      Não custa Nada.
      Depois de um parto, duas operações e dezenas de consultas, tou aqui cheia de saúde.
      Susana

      Eliminar
    5. A minha mãe ainda hoje espera por uma cirurgia de colocação de prótese numa anca pelo SNS, ou seja há quase 3 anos.....não tivesse ela recorrido ao seguro de saúde dela que por acaso nem é Multicare e ainda hoje estava à espera. Pelas opiniões que aqui li, noto de facto que, das duas uma: ou os seguidores deste blog são pessoas com imensa sorte no que concerne aos SNS ou então são as dezenas de milhar de pessoas que se queixam que o fazem sem razão nenhuma!
      Eu tenho Médis para as minhas filhas desde sempre e atá a data não tive razão de queixa... Neste momento eu e o meu marido temos SaudePrime por facilidades com o Banco com que trabalhamos e estamos a consderar seriamente agregar as miudas. É 3 vezes mais barato que a Médis e as condições são bastante semelhantes.
      Enfim, seguradoras à parte, a minha opinião é que compensa largamente ter seguro de saúde. Quer em termos de rapidez em consultas, exames e etc e tal..... Na minha opinião o SNS devia ser facultativo.... quem quisesse aderia, quem preferisse um seguro de saúde optava por esse meio.
      Mas é a minha opinião.

      Eliminar
    6. É por existirem seguros destes com fins lucrativos que o nosso SNS se está a afundar. E é assustador pensar que no futuro podemos depender exclusivamente de seguradoras que têm como objectivo lucrar com a saúde e despachar aqueles que não lhe interessam, ou seja, aqueles que precisam, que estão doentes e que recorrem aos serviços.

      Eliminar
    7. As seguradoras começam a mostrar a verdadeira pele! Andaram sorrateiras, ganharam terreno e agora q o sns estáva ser pilhado...começam a sentir conforto para mostrar como são. E muito está para vir! SNS precisa de existir e como o caracteriza: de excelência, como é reconhecido e invejado internacionalmente. Basta ver q quando sao casos dificeis...passam do privado para o SNS. Sou profissional de saude....se soubessem como todo o negocio saude privado é estruturado e as conversas q mos fazem...arrepiavam-se

      Eliminar
    8. Patricia Pinto, realmente não tenho queixa nenhuma do SNS, tenho médica de família na qual consigo marcar consulta com menos de uma semana de antecedência e sempre me marca os exames que preciso com a maior rapidez possível (também nunca fiz nenhum urgente). Em relação a operações nunca precisei, talvez daí estar satisfeita até agora.

      Eliminar
    9. Sim patrícia pinto. Aqui é só pessoas saudáveis graças a deus. Onde ja se viu esperar 3 anos por uma operação? Esperar 8 meses por uma consulta de dermatologia? O nosso SNS é lento, burocrático e mal estruturado. Quem acha o contrário é porque na realidade não precisa.

      Eliminar
    10. Jovens, entendam uma coisa:_

      Os médicos do SNS são precisamente os mesmos do privado! No SNS fazem exatamente as mesmas coisas do privado... Por vezes tem é que se esperar um bocadinho mais!

      Eliminar
    11. Anónimo 10 Julho, 2014 02:02,
      Infelizmente cá em casa quase todos já precisamos. Como disse em cima tive uma gravidez de risco, uma filha que não cresceu e recusava o alimento. Tem um pequeno problema no coração e é (muito bem) seguida no SNS.

      A minha mãe já teve de ser operada de urgência às varizes e o meu padrinho ao coração. Também a minha irmã teve uma gravidez de alto risco e nunca precisou de recorrer ao privado.
      Sei do que falo quando digo que o SNS também funciona bem, e digo isto de boca cheia porque estamos fartinhos de lhe dar uso.

      Se há maus médicos no SNS? Há claro, como há no Privado. Mas quando os problemas são mesmo graves para onde vão os doentes? Para o público não é? Onde estão as melhores unidades de neonatologia? Ah...pois é no é público. Tenho uma médica de família que vem a casa se preciso for, tenho enfermeiros de família que vêm a casa quando é preciso e estamos inseridos numa USF que nunca deixou de atender a minha filha em caso de urgência.

      Tendo em conta o que já tive de fazer desde que tive a minha filha, nunca teria possibilidades financeiras para o fazer no privado (e nem queria). O que seria de pessoas como eu? Morríamos todos? Pois que nestes 2 anos tivemos sempre um excelente atendimento. Mesmo em situações de urgência hospitalar (à qual recorro com ela em último caso) foi sempre bem atendida e o tempo máximo de espera que tive foi de 1 hora.

      Ana

      Eliminar
    12. Anónimo das 02.02 e Patrícia Pinto
      Tive um seguro de saúde na Saúde Prime e foram os maiores vigaristas que existem à face da terra. Só tive chatices e acabei por cancelar o seguro e não quero ouvir falar de semelhante gentinha. Assinei uma coisa e depois saiu outra!
      E agora para as duas senhoras, aqui não há só gente saudável. Gastei milhares de euros, sim senhora, em médicos particulares e exames para agilizar o meu processo, mas quando precisei de tratamentos (6 de quimio e 55 de radio) e duas mastectomias foi ao SNS (G. Orta e IPO) que recorri. E fui muitíssimo bem tratada!
      Foram os próprios médicos que me disseram que no privado ia pagar "couro e cabelo" e me aconselharam o SNS. E tenho ADSE, podia ter escolhido um particular. Nem tudo é mau no SNS! E nem tudo é bom no privado. Tenho uma tia que foi operada na Cruz Vermelha, deixaram-na sozinha após a cirurgia e ela sofreu um AVC. Quando deram por isso já era tarde, desde há 22 anos não fala, ficou cega de uma vista e anda com o auxílio de muletas!
      Como podem constatar nada é perfeito. Como em tudo é preciso sorte!

      Eliminar
    13. Eu tive 2 gémeas no SNS. Nasceram antes de tempo, com baixo peso e sem autonomia para se alimentarem.
      Tiveram alta ao fim de 10 dias e nunca mais tiveram uma consulta que fosse, para perguntar como correu.
      Foi feito um telefonema, para confirmar se estavamos bem e nem foi comigo que falaram...
      Como em tudo o SNS, é um sistema que depende das pessoas que nele trabalham :(
      E pela minha experiência, não funciona bem... em muitos sítios :(

      Eliminar
    14. Eu não disse que tudo era mau no nosso SNS há coisas boas e más como no privado. Mas as listas deespera ssão enormes, consultas de dentistas são nulas a saúde resume-se a quê? Às vossas consultas e gravidezes de risco? Às vossas operações de urgência? A saúde tem de ser para todos e em todas as áreas. Não devemos ter um ter um IPO perfeito e depois simplesmente a restante saúde ficar esquecida caros anónimos das 11:49 e 12:21. Necessitar de uma consulta de dermatologia também pode ser uma urgência. Há doenças da pele gravíssimas que não vamos esperar 1 ano por uma consulta. E isto é só um exemplo, pois há muita coisa que funciona mal ou simplesmente não funciona como um simples dentista. É óptimo saber que o SNS funciona para algumas pessoas pois é para isso mesmo que ele existe mas ele deveria funcionar para toda a gente e em todas as doenças. Há pessoas a morrer em urgências à espera em hospitais públicos !!!!

      Eliminar
    15. CM,

      Não sei há quanto tempo, nem onde, teve as suas gémeas.
      Aqui em Braga, no Hospital Público, todos os bebés prematuros, com baixo peso, ou gémeos (que normalmente são prematuros e de baixo peso) são automaticamente seguidos pelo Hospital de Braga e fazem uma série de exames para despistar possíveis sequelas.

      Também os bebés que por algum motivo passam pela neonatologia ficam com consulta de acompanhamento marcada que poderá ter seguimento, ou não, mediante a evolução do bebé.

      Eliminar
  2. Eu tenho seguro Multicare e o problema que tive com eles, foi quando 6 anos depois de ter feito a apolice (e que raramente dei uso) ter sido diagnosticada com uma doença crónica. Entao e sgeundo a companhia porque eu usei muito o seguro (pudera! exames, tratamentos e afins porque ai e tal tme uma doença cronica) o meu prémio triplicou! Quando telefonei a perguntar porquê, disseram-me que foi por ter usado muito. Ok. Entao e se eu reduzir o uso, voltam a baixar? Claro que sim! Isto foi em 2007/2008. Desde entao que uso praticamente 1 vez por ano. Nada mais. para as consultas e exames de rotina que tenho obrigatoriamente que fazer para monitorizar a doença (porque felizmente tenho estado controladA). E adivinha: nuuuunca baixaram o preço da apólice.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Então está na altura de mudar de seguradora. Ou tem dinheiro a mais e não sabe o que lhe há-de fazer?

      Eliminar
  3. Ahahahaah,
    Após este post aposto que lá virá a Multicare inventar mil desculpas e blábláblá dizendo que foi tudo um mal entendido. A verdade é que não é nada assim, são uns abusadores e mal formadfos que gozam na cara de quem lhes paga os salários.

    ResponderEliminar
  4. Antes de mais dizer que depois de lido o testemunho efectivamente o seu seguro foi cancelado pela sua falta de pagamento e não foi re-activado pela seu alto índice de sinistralidade. São coisas distintas! Se a pipoca não tivesse falhado com o contrato não lhe iriam cancelar o seguro pelo seu alto índice de sinistralidade.
    Depois, acho estranho o bebé ter período de carência. O meu filhote usou o nosso seguro na consulta dos 7dias! Mas seria condição do seu seguro talvez!
    E não...não trabalho com seguros. Mas acho mal as pessoas queixarem-se quando não têm razão. Todos sabemos que nos seguros funciona assim: não pagamos é cancelado. Quer novamente, faz outro. Onde é que falharam os senhores da fidelidade: em não explicar isso no seu 1º telefonema!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Podiam não cancelar o seguro pelo alto índice de sinistralidade, mas fariam como me fizeram a mim, aumento do prémio de 50%...

      Marta S.

      Eliminar
    2. Até aí tudo certo, mas a partir do momento que um cliente/segurado tenta pagar e tenta resolver a situação ou reactivam no momento ou no mínimo têm uma conversa congruente, andarem a falar de índices de sinistralidade e o diabo a sete só porque lhes apetece parecer inteligentes, só passa uma imagem de mau profissionalismo. Os senhores da multicare falharam no momento em que não reactivaram o seguro, porque se o problema fosse realmente a ausência de pagamento teriam activado o mesmo no momento.

      Eliminar
    3. Lembro-me de a Pipoca ter explicado que quando efetivamente deu conta de não ter pago, quis pagar! O que é estranho é não lhe disserem como é que poderia pagar para poder novamente ativar o seguro. A meu ver, ninguém que tenha um negócio recusa um cliente que queira pagar. Esquisito não é? E depois cobrirem a "alta sinistralidade" com isso é absolutamente ridículo.

      Eliminar
    4. Eu já falhei um pagamento com a Médis, tive plena consciência disso, enviei um mail a solicitar a regularização e no mesmo dia enviaram-me as referências. Paguei e foi reactivado.
      Quanto ao periodo de carência, e só posso falar pela Médis, em qualquer tipo de apólice existe. Seja para bebé seja para adulto.....

      Eliminar
    5. Sim, periodo de carência para um recém-nascido. Com o meu filho foi o mesmo... Procurei várias seguradoras e não encontrei nenhuma sem período de carência para recém-nascidos. Acabei por fazer na multicare, porque era cliente deles há pelo menos 5 anos, segura este que deixei de usar por excesso de dessinistralidade (i.é, deixei de ter consultas médicas suficientes, e o fornecedor deixou de me interessar - sim, o mercado funciona assim e não ao contrário como as seguradoras querem que funcione).
      Já agora só para o caso de voltar a ter filhos em que seguradora conseguiu fazer seguro para o seu recém nascido sem período de carência? Consegue-me isso por escrito de uma seguradora? gostava de ver.

      Eliminar
    6. Efectivamente isto não tem nada a ver com a multicare, Pipoca. O regime legal é assim mesmo (para qualquer tipo de seguro e não apenas seguros de saúde): não faz o pagamento da apólice, a mesma é imediatamente anulada, sem aviso. isto decorre da lei, não são condições da multicare. Aconteceria com uma médis, advance-care, ou qualquer outra.

      Eliminar
    7. Eu tenho seguro da Multicare através da empresa e o meu filho de 7 meses está incluído na apólice. Para os recém nascidos não terem período de carência tem de os adicionar à apólice cerca dos 6 meses de gravidez. Foi o que fiz. Não sei se aumenta o prémio uma vez que não sou eu que tenho o encargo com a empresa. Felizmente não tenho tido problemas com a Multicare, talvez por ser apólice de empresa. Estive gravida, fiz todos os exames no privado mas o parto foi no público e tenho usado o seguro para óculos e lentes de contacto, fiz recentemente várias remoções de sinais...o bebé vai à pediatra particular...estou aqui e estou a ser convidada a sair da apólice!

      Eliminar
    8. Tb tenho seguro pela Multicare através da empresa e só pude adicionar os meus filhos depois de eles nascerem mas usei logo o seguro na consulta dos 7 dias, penso que não tive nenhum período de carência.

      Eliminar
    9. Tenho seguro Multicare há já 11 anos. Sempre lhe dei muito uso e nunca me puseram problema algum. No último ano, porque o prémio era um bocadito carote, andei a informar-me de outros. Falei depois com a Multicare (numa loja qualquer. Já nem me lembrava onde o tinha feito!) e, com as mesmas regalias e, ainda outras adicionais, alterei o seguro e passei a pagar cerca de 25% menos. Anular o seguro por falta de pagamento é mesmo legal e válido para todos os seguros. Acontece o mesmo com os seguros automóveis. Como aliás já alguém referiu aqui. Ah e tenho ADSE, pela qual pago a módica quantia mensal de 85 euros. Por que será que mesmo assim tenho um seguro de saúde, hein? Pois! Em relação ao SNS, não se pode escolher ter ou não, pelo simples motivo de que não há nenhuma verba no salário que seja estipulado para ele, tal como acontece para os subsistemas de saúde. O SNS é para toda a gente, mesmo para quem não trabalha agora ou nunca trabalhou.Mas estou certa que se quiserem desistir desse direito e deixar de ir aos hospitais ou aos centros de saúde ou deixar de terem comparticipação nos medicamentos, o governo não se importará nadinha.... e, então a ministra da saúde....

      Eliminar
  5. Respostas
    1. Concordo!! A Medis é sem dúvida o melhor seguro de saúde no mercado!!! Nunca tive problemas... E já lá vão 13 anos, duas cesarianas, doenças crônicas e por aí fora!

      Eliminar
  6. Escandaloso e revoltante! Os seguros, com as suas letrinhas pequenas e posturas muito pouco éticas...

    http://ocantinhodomaria.blogspot.pt/
    http://fofissimosbabyshoes.blogspot.com/

    ResponderEliminar
  7. Experimente a medis. Não posso falar por toda a gente, mas a mim nunca me deu problemas.
    A situação mais ridícula que tive com a multicare foi precisar de fazer um exame médico de 400€ e ter que o pagar do meu bolso, porque a seguradora (multicare) demorava 15 dias a dar a resposta, se autorizava ou não a realização do exame. E eu precisava mesmo do exame, não podia mesmo estar à espera de resposta. Não digo que isto não seja prática recorrente com as outras seguradoras, mas este foi o meu grande problema com a multicare enquanto fui cliente deles.

    Mas mesmo no atendimento ao cliente sempre que ligava para lá demorava imenso tempo a obter uma resposta. Era atendida por vários operadores até chegar ao departamento correto. Na medis pelo menos, nesse aspecto, é mais rápido.

    Raquel

    ResponderEliminar
  8. Que ridículo!! Já tive Multicare e nunca me deu problemas, só quando o meu dentista os começou a tentar enganar e a cobrar mais do que devia. E eu é que levei com as culpas. Vergonhoso.

    Blog | Facebook |

    ResponderEliminar
  9. esses tipos são vigaros!

    ResponderEliminar
  10. Bem Pipoca isso é mesmo estranho, aconteceu-me há dois meses, o seguinte: tenho a minha conta de solteira onde só lá cai o seguro de saude e olha esqueci-me de por la dinheiro. Ora também tenho um texuguinho com 8 meses, uso o seguro todos os meses, e ele tem andado doente até tenho usado mais que uma vez por mês... Também só soube quando fui com ele de urgencia porque estava cheio de febre.
    Liguei para lá expliquei a situação e ficaram de mandar um mail a explicar comod evia proceder... no dia seguinte nada, voltei a ligar e disseram para aguardar mas que provavelmente só na semana seguinte teria resposta, isto numa quinta e a verdade é que a resposta chegou na segunda via mail, a pedir a transferencia e uma declaração de ausencia de sinistros desde a data de suspenção até À data da reposição e neste momento já tenho tudo ok...
    Mas eles até tinham razão em anular, porque eu recebi duas cartas deles, uma a suspender caso não pagasse até ao dia X e outra a dizer que o seguro estava anulado porque não paguei, eu raramente vou ver o correio. Mas como os contactei eles repuseram a apólice.E eu faço tudo no privado com o seguro de saude, foi consultas, parto, ecografias, exames, tudo, por isso não percebo que raio de justificação foi essa... Coisas estupidas das seguradoras é o que é!

    ResponderEliminar
  11. Eu acho que todas as seguradoras são assim, seja saúde, carros...uma pessoa usa e agrava o prémio :( Eu tenho seguro casa e carro porque é obrigatório, e de saúde porque a empresa onde trabalho o dá aos colaboradores. Espero que não matem o SNS.

    ResponderEliminar
  12. Não li o texto todo, mas, por lei, as seguradoras podem "descartar" os clientes, caso este lhes deem prejuízo. Por exemplo, és culpada em dois acidentes de viação, recebes logo uma cartinha em casa, informando-te que já não estão interessados em te "segurar" e não te renovam o seguro para o próximo ano. Simples. Só o tens de ir à procura de nova seguradora (há quem já nem consiga encontrar seguradora...)
    O Estado é bem melhor, não é? Deixa lá, também está quase a acabar.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O seguro automóvel é obrigatório. Se o tomador vir recusada a subscrição por 3 seguradores, o ISP nomeia um.

      Eliminar
  13. Ui, a Multicare. Também o tenho, mas já tive vontade de mudar várias vezes de há uns tempos para cá.

    ResponderEliminar
  14. Segundo ouvi dizer, para seguros de saúde, automóvel e afins, se não se pagam, cancelam. E essa questão de elevado índice de sinistralidade também não me é estranha - conheço casos idênticos mas no ramo automóvel! Quanto ao fazer ou não seguro de saúde, ando desde Janeiro a estudar isso e acho que ainda não é desta que me decido...

    ResponderEliminar
  15. Anda mal informada, com tanto que lê. Não sabe que todos os seguros, segundo dispositivo legal, desde há anos, são automaticamente anulados quando não é feito o pagamento anual? Espantosa a sua ignorância.
    Essa lei saiu mesmo para esse efeito, e começou com o seguro automóvel: permitir aos segurados mudarem sem grandes complicações. "não gosta, não paga mais e muda".
    Simple as that...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Esta deve trabalhar na Multicare!! Aqui o espanto não é só o facto de ser cancelada... mas o facto de a empresa não ter em consideração os cliente. Pode cancelar, está no seu direito, mas avisar? Uma carta? Um e-mail?
      E a resposta do senhor que a atendeu? WTF?
      É por respostas e maneira de pensar como a sua, que o povo está a ser "comido (enganado) vivo".
      Simple as that...

      Eliminar
    2. Aqui o problema não é o facto de não renovarem por falta de pagamento, penso que o que a Pipoca se queixa é o facto de aproveitarem essa "desculpa" para não renovarem devido ao seu alto nível de sinistralidade.

      Eliminar
    3. espantosa a sua arrogância..

      Eliminar
    4. Uau!!Parabéns ao seu douto conhecimento em dispositivos legais de seguros! Já agora agora, eu tenho uma dúvida relativa aos benefícios de algas marinhas no corpo humano!Não sabe?? Como não sabe? Uma coisa tão reles e depois sabe os dispositivos legais de seguros...que ignorância!

      Eliminar
    5. Simple as that....espero que saiba na ponta da língua todasssss as leis! Para mim sinistralidade, era apenas para os seguros relativos aos automóveis.

      Eliminar
  16. Eu, tal como toda a minha família, tenho médis e nunca tivemos problemas!! Atendimento fantástico...

    ResponderEliminar
  17. Tenho mesmo seguro de Multicare e por acaso nunca tive problemas mas lá está quase não uso provavelmente é mesmo por isso que nunca tive grandes problemas!!! Detesto estas confusões dos seguros desde os de saúde aos dos carros sinto mesmo os neurónios a serem sugados quando tenho lidar com esse tipo de situações :))
    Bj S

    ResponderEliminar
  18. Só tenho uma palavra: VERGONHOSO!

    ResponderEliminar
  19. Pois pela minha parte tenho um seguro de saúde da VICTORIA que em 20 anos (e mais dois filhos) nunca me deu chatices. Tenho-o usado sempre que necessito (menos nos partos, que foram em hospital público também) e inclusive vamos todos em Agosto aos States, onde também podemos usufruir do mesmo, em caso de necessidade. Isto não quer dizer que de um dia para o outro eles não possam "virar o bico ao prego" caso os números comecem a ficar desvantajosos para eles, que aí são todos iguais!...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Boa Tarde.

      Sou trabalhadora numa mediação de seguros e sim os da companhia de seguros Victoria são os melhores do mercado.

      Eliminar
    2. Pois não dá para agradar a gregos e troianos.. Eu ja entrei 2 x contra a Victoria na justiça... E ganhei! :) Desde o pessimo atendimento telefonico ate entraves e mais entraves para resolver coisas... Enfim...

      Ana

      Eliminar
    3. Eu tb tenho seguro Victoria e está longe de ser o melhor do mercado. Para atenderem o telefone é uma eternidade à espera. Tb já me aconteceu darem-me uma informação errada sobre um reembolso, e depois outro funcionário dar-me outra informação contrária, logo nesse telefonema mostrei a minha profunda indignação. Para me explicarem como se pedia uma pré autorização para uma ressonância magnética tb foi um Deus me acuda, pois conforme eu fazia as perguntas cada vez ficava menos esclarecida. Pode haver quem goste, pois nem tudo agrada a todos, quanto a mim, têm um péssimo serviço, as pessoas não me parecem competentes, ou pelo menos algumas delas.

      Eliminar
  20. Isto é só assustador! É que no meio disto tudo está um bebé e há zero preocupação com isso também... :(

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Por isso é que existe um SNS. Que seria das pessoas e dos bebés que não podem ter um seguro?
      É por isso que as crianças até aos 13 anos não pagam nada no SNS.

      Eliminar
  21. Não é a mesma seguradora, mas fiz um seguro, e um dia fui à ginecologista que por ver algo que suspeitou decidiu retirar uma amostra. O seguro mandou-me uma carta a dizer que não iria comparticipar a não ser que a médica enviasse um relatório a justificar o retirar da tal amostra. Isto está a ficar como nos USA.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Aconteceu o mesmo com a minha mãe. A médica retirou a amostra, fez o relatorio onde explicou que a intervenção tinha sido feita com urgência uma vez que a minha mãe estava a esvair-se em sangue. E a resposta deles foi simplesmente que não comparticipavam e que o exame deveria ter sido pedido com 15 dias de antecedência. Ora se a minha mãe foi de urgência a ginecologista como é que pedíamos com esta antecedência? Há coisas que não têm explicação...

      D*

      Eliminar
  22. As seguradoras em geral cobram demasiado para os serviços que prestam, essa situação que relatas é uma vergonha. A qualidade dos serviços deles deveriam ser muuuito acima do SNS, o que não acontece. Pagamos para termos melhor e acabamos por pagar 2x e continuar mal servidos. Ana

    ResponderEliminar
  23. Parece-me mais um problema da agência… até porque foi muito mal tratada. Eu tenho Multicare, infelizmente também já o usei excessivamente e não tive razão de queixa.. Aliás, pago o meu mensalmente (não é tão pouco assim) também me esqueci de colocar o dinheiro na conta e até um SMS me enviaram a dizer que iriam buscar o dinheiro outra vez no dia X. Bad luck..

    ResponderEliminar
  24. Olá
    Só para a informar que fazendo um novo seguro de saúde, noutra seguradora ou na mesma, não tem período de carência, porque já tinha um seguro, e só tem o período de carência no 1.º seguro que é feito.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Informei-me e isso só se aplica se o nosso seguro anterior tiver expirado há menos de um mês. Não é o meu caso, o seguro foi cancelado em Fevereiro. Lá está, se a Multicare me tivesse avisado eu podia ter arranjado um outro seguro de imediato, não tendo períodos de carência. Como só soube da situação dois meses depois já nem isso posso fazer.

      Eliminar
  25. G - DIREITO DE RESOLUÇÃO:
    1. Para além do estabelecido no ponto anterior relativo ao direito de livre resolução por iniciativa do Tomador do Seguro, o contrato, pode ainda, ser resolvido,
    a todo o tempo, por qualquer das partes, com fundamento em justa causa.
    2. A resolução por falta de pagamento de prémios opera nos termos indicados no ponto I infra.
    3. A resolução com fundamento em justa causa produz efeitos às 24 horas do próprio dia em que se verifique.
    https://www.multicare.pt/PresentationLayer/ResourcesUser_2009/1/Files/700/IPC_03_FM.pdf
    Você deve ter assinado uma coisa parecida.
    Está bem explicito que fica resolvido por falta de pagamento. E por resolução entende-se, terminação!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Se o real e legítimo fundamento(a Ana não o nega)para a resolução do contrato de seguro foi " a falta de pagamento ", não tivesse o Sr. da Fidelidade deitado mais a achas para a fogueira ao referir que a anulação se devia ao " elevado indíce de Sinistralidade "!!???! , verdadeiramente surreal e rídiculo, pois tal termo habitualmente,utiliza-se para ocorrências com bens móveis e imóveis, não sendo correcto no âmbito de seguros de saúde.
      Como sempre os seguros 80% das vezes só servem para nos levar o "dinheiro", quando deles necessitamos, " vá bater a outra porta", como costumo dizer... constituem uma despesa necessária e obrigatória.
      Compreendo e subscrevo a indignação da Pipoca, ainda que não tivesse pago atempadamente o seu seguro de saúde, creio que não é dessa forma que se tratam os segurados/clientes. E contra grandes males grandes remédios, Livro de RECLAMAÇÕES, é fácil e é barato RECLAMAR!

      Eliminar
    2. O que coloquei acima (às 15:05) está escrito nos impressos dos contratos que os clientes assinam. Não há qualquer margem para dúvida. Quem não paga o seguro do carro, por exemplo, está a manifestar não-interesse na manutenção do contrato. Aliás, esta lei foi mesmo elaborada para tornar mais simples as trocas quando o cliente não está satisfeito. Aqui não se trata de franquias ou erros no registo do número de sinistros. Não pagou. É simples: não usa. Tendo mediador, ele avisa mas muitas pessoas fazem directamente com a companhia seguradora. E essa não avisa.
      Uma questão: quando precisou de ir ao médico, dois meses depois, sabia que não tinha pago o seguro, certo?
      Já agora, veja la se o seguro do carro está pago. Esse pode ser pedido pela autoridade. Depois não se indigne!
      Uma sugestão: antes de escrever este tipo de publicações, informe-se para não fazer figuras pouco felizes.

      Eliminar
    3. E eu sugiro que o anónimo leia o meu texto com atenção para não dizer disparates. Eu vou repetir o que escrevi:

      "Mas o seguro foi cancelado de imediato e ninguém me avisou. Ninguém tentou fazer nova cobrança, ninguém tentou averiguar o que se passava. Foi preciso eu ir ao médico DOIS MESES depois para me dar conta da situação. Cancela-se um serviço e não se avisa o cliente, fantástico."

      Percebeu agora? O seguro foi cancelado em Fevereiro, ninguém me avisou, e eu só descobri quando fui ao médico, em Abril, e o cartão não passava. Acha mesmo que eu ia para o médico tentar usar o seguro se soubesse que estava cancelado?

      Dai-me Deus paciência...

      Eliminar
    4. Eu li bem, muito bem, você é que ainda não entendeu por isso vou explicar devagarinho:
      O seguro é cancelado quando não é pago. Você sabia que tinha de pagá-lo e certamente deveria ter uma ideia de quando ele cai na conta...Eles não têm de avisar, de acordo com a lei que saiu.
      Com toda a paciência...

      Eliminar
    5. Eu vou repetir, ainda mais devagarinho: "Acha mesmo que eu ia para o médico tentar usar o seguro se soubesse que estava cancelado?"

      Se eu soubesse que estava na altura de pagar o seguro teria passado dinheiro para a conta. Se eu soubesse que o seguro estava cancelado não teria ido ao médico. Tal como disse no texto (também não deve ter lido essa parte) assim que soube da situação liguei de imediato para a Multicare para a resolver.

      Eu não estou a tentar livrar-me da minha parte de culpa, porque já a assumi (leu essa parte ou também não?). O que me indigna é:
      a) o seguro ser cancelado e ninguém me dizer nada
      b) eu tentar resolver a situação assim que me dei conta de que estava (POR MINHA CULPA) em situação irregular e ninguém me explicar como
      c) eu ligar 30 vezes para resolver a situação e nada
      d) eu ir à seguradora e dizerem-me que o seguro não é reactivado devido ao elevado índice de sinistralidade

      Acha mesmo que uma seguradora não tem de avisar os clientes de que lhes vai cortar o seguro? Até podiam não querer renová-lo, mas um aviso era o mínimo.

      Eliminar
    6. Mas se não paga espera o quê? Você é que tinha o dever de verificar se tinha dinheiro na conta para o pagar... Ok, eles deviam ter avisado mas a preocupação de ver se o dinheiro lhe tinha saído da conta devia ser sua. O facto de não verificar isso mostra completo desinteresse. Não verifica as suas contas? Devia...

      Eliminar
  26. Mude para a médis. Tem boas coberturas, em termos de valores não é tão mais cara que todas as outras e falo por experiência própria, que utilizo há 6 anos! paga-se 15 euros por consultas de especialidade, só temos que pedir a referenciação por telefone e é imediatamente activada, são rápidos no reembolso, têm uma área de cliente online que facilita uma série de coisas e não complicam. Vai ver que vale a pena! E deixe a sua reclamação junto da multicare! Pode não mudar o mundo, mas deixa lá a sua marca!

    ResponderEliminar
  27. Tenho seguro da Multicare e ainda não tive qualquer problema, mas a verdade é que ainda mal o usei... Os seguros acabam por parecer todos uma aldrabice, porque se o usarmos muito ao que parece eles têm prejuízo e se o usarmos pouco então para quê tê-lo? É mais ou menos como os seguros dos telemóveis... Pagamos um dinheirão e se não o usarmos é uma treta, mas pode sempre ser preciso.

    ResponderEliminar
  28. Por acaso uso o mesmo seguro ;) obrigada pela informação.. tenho de ter cuidado :P eheh

    ResponderEliminar
  29. Acho muito bem que deixes lá uma reclamação. Tudo o que diz respeito a seguros é sempre muito giro quando é para nós pagarmos. Quando precisamos de "utlizar o serviço", "beneficiar (?) daquilo por que pagamos", aí sim, já há mil e um problemas.

    ResponderEliminar
  30. Faz-me lembrar eu com o Seguro do Carro. Em 5 anos tive dois acidentes (chapa batida), não me apeteceu - leia-se: já me vejo grega para pagar o seguro obrigatório, quanto mais ainda pagar os arranjos à parte - meti para o seguro. Olha, pimba, rescindiram comigo.
    Nota: Era a acompanhia Açoreana.

    susana

    ResponderEliminar
  31. Sou mésis há 11 anos e nem uma queixa, até à data!

    ResponderEliminar
  32. Ana: não posso deixar de me identificar com a sua situação. Tinha um seguro de uma concorrente e o ano passado, quando o meu filho nasceu, passei dois meses a reclamar (in loco, por email, telefone, fax) porque me incluíram os 3 dias que ele esteve internado nos cuidados neonatais do Hospital da Luz, no meu plafond de parto! Acabaram por me devolver os cerca de 1700€ que tive de pagar a mais e, entretanto, transferi-o para o Hospital S. Francisco Xavier, onde esteve internado mais uma semana.
    Também tinha a sua ideia em relação ao sistema nacional de saúde, mas depois de tudo o que tenho "visto" neste último ano em que tenho passado bastante tempo em hospitais, tenho a melhor impressão dos hospitais públicos e a pior dos privados. Sendo assim, o meu conselho é que deixe de pagar uma pequena fortuna por um seguro privado e passe a aproveitar os hospitais públicos, pois os impostos que paga servem para isso mesmo, e fica muito melhor servida (e diz-lhe isto alguém que nada tem a ver com a área da saúde!)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Mas olha que aqui no Algarve a situação nos públicos está caótica.

      Os médicos abandonaram em massa o Público e foi tudo para o particular e existem mesmo especialidades que desapareceram.

      Agora qualquer coisa que uma pessoa tenha, ou vai ao público ou a tem de ir a Lisboa.

      Eliminar
  33. Eu pago 5 ou 6 seguros, como tenho uma loja é seguro pro recheio, do trabalhador, do prédio, do catano... Só rezo a todos os santinhos para que nunca precise de accionar nenhum porque já sei que me vou lixar. Desde que soube que uns familiares que tinham uma loja de móveis, aquela porcaria ardeu, carbonizou os móveis todos e o seguro não cobriu nada porque os móveis não se desfizeram, basicamente ficaram de pé mas queimados... portanto podiam ser vendidos... já nada me espanta.

    ResponderEliminar
  34. Eu tentei fazer um seguro de saude ao meu cão e desisti depois de me aperceber que o seguro não cobria consultas de rotina, vacinação ou problemas estomatológicos ou doenças crónicas e que após os 7 anos de idade o seguro era cancelado?????????!!!!!!!!!!!!!!!! basicamente só poderia ser accionado se fosse atropelado e ainda assim... Quanto a mim e à minha familia também desisti porque nos exames médicos de "admissão" quando me perguntavam sobre doenças de familia a coisa dava para o torto. Como tenho pai diabético e com problemas cardiológicos e via hereditaria tenho o colestorol um pouco acima do normal, rejeitaram-me todas as propostas. Em conclusão se tem pais doentes crónicos com possibilidade de ser hereditário já não tem acesso a seguro mesmo que tenha 30 anos e seja saudavel. Eles só querem clientes saudáveis em que não haja probabilidade de utilizar os serviços médicos por muitos e bons anos! É ridiculo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Completamente ridículo!!! Não tenho nem nunca tive seguro de saúde, sempre utilizei o SNS até à data sem nenhuma complicação de maior mas lendo o que se escreve por aqui acho que nunca o vou fazer (a não ser que seja mesmo necessário).

      Eliminar
  35. Pois, os seguros são mesmo assim e particularmente irritante é a publicidade enganosa que lhes é descaradamente permitida do tipo "estamos consigo quando mais precisa", quando a realidade é precisamente a oposta (estarão sempre connosco enquanto não precisarmos "muito" deles).
    De qualquer modo, e até aproveito a situação para "publicitar" (salvo seja) um tipo de seguro de saúde que chegou a Portugal já há uns 3-4 anos, e que muito me espanta não ter tido uma solicitação muito maior, pois se tal tivesse acontecido (e espero que venha progressivamente a acontecer), talvez estas companhias tradicionais começassem a rever as suas atitudes. É um seguro de caráter mutualista, ligado a uma grande mutua francesa (onde a legislação relativa a seguros não permite estes abusos) e tem caraterísticas "fantásticas" como não ter exclusões, não ter limite de idade de permanência e, o que aqui está em causa, não poder rescindir unilateralmente o contrato. Sugiro-lhe que "passe" pelo site e dê uma espreitada. O seguro não pode ser subscrito a nível particular, só através de associações (como sindicatos, p. ex.), mas existe a possibilidade de aderir a uma associação, a ASDS (10€ anuais), que foi criada apenas com este intuito. É pena que grande parte das pessoas não saiba da "sorte" enorme que têm em poder aceder a um seguro com estas caraterísticas em Portugal; se a adesão fosse maciça, não só as outras companhias começavam a rever as suas políticas comerciais, como os próprios preços desta seguradora baixariam. Deixo-lhe o site, caso ainda não conheça e lhe interesse explorar (embora este não esteja muito atualizado, mas sempre pode ver os contactos): http://www.europamut.pt/mgen (a rede associada é a Advancecare)
    Votos de melhor sorte com o próximo seguro (eu tenho três!, dois que já tinha antes - um deles da Multicare..., e recentemente o da MGEN; os dois primeiros uso-os com todas as cautelas, são de reembolso, e agora com o da MGEN sinto-me muito mais à vontade; passei a usar os de reembolso para pagar os remanescentes da MGEN e provavelmente vou-me descartar do da multicare).
    Cumprimentos,
    Sílvia

    ResponderEliminar
  36. O nosso SNS é dos melhores do mundo. Tem algumas desvantagens, como o tempo de espera, principalmente em situações de urgência, porque em consultas não é assim tanto, é como numa clínica/hospital privado. Os médicos são os (ou dos) melhores, mas claro que isso também varia, há bons e maus profissionais em todo o lado.
    Eu também estive grávida, o meu pequeno tem 11 meses, sempre fui seguida no centro de saúde pelo meu médico de família, ecos e análises feitas no hospital, nunca tive que esperar em nenhum consulta ou exame. Fiquei com diabetes gestacional passei a ser seguida directamente no hospital (no inicio houve uma altura que até era seguida no centro de saúde e no hospital, até que decidimos fazer apenas o seguimento no hospital). O parto foi feito no hospital, cesariana. O meu pequeno nasceu 1 mês antes do tempo, esteve na neonatologia, que é um serviço excelente. Agora, embora esteja óptimo, como se tivesse nascidos com o tempo todo, é seguido pela pediatra neonatologista do hospital, que lhe tem marcado todos os exames que acha necessário, e no centro de saúde pelo nosso médico de família. São óptimos, o serviço é excelente, não tenho razão de queixa.
    Nunca uso o privado, a não ser que seja mesmo necessário, por exemplo dermatologia, se tiver agora uma mancha, não vou esperar 1 ano por uma consulta, acho que é nisso que peca o nosso SNS. De resto, nas coisas banais de consultas de rotina, o médico de família/centro de saúde é óptimo, e eu sou da área de saúde, do sector privado!
    Convém também referir que vivo na área do Porto, que terá seguramente uma rede melhor do que uma aldeia do interior, deduzo eu.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pois, é como eu. Tenho médico de família no centro de saúde que me encaminha para consultas da especialidade (às quais costumo ir no privado), mas exames e coisas do género sempre fiz no público. A minha médica de família é óptima mas lá está, moro numa cidade pequena, não faço ideia como funciona nos grandes centros.

      Eliminar
  37. deixe-me dizer-lhe, não é a MULTICARE, são os 'profissionais' que trabalham na MULTICARE, tal como em qualquer outra companhia de seguros, tal como nas finanças, nos bancos, nos hospitais, tudo gente com salário certo e garantido no final de cada mês que pode deixar para amanhã o que é prioritário hoje, gente a quem ninguém anda atrás porque toda a gente nesse meio sabe perfeitamente que pode ficar para depois -uma vez ou outra há alguém que degenera e até é atencioso, até faz qualquer coisinha, até ajuda ou resolve, é raro, mas existe

    Falando da alta sinistralidade, pois, não é nos seguros de saúde, é nos seguros em geral, os seguros, que funcionam para proteger o cliente são os mesmos que os mandam embora porque a protecção não lhes agrada. É triste, é assim, é seguros em Portugal

    (optando pelo serviço nacional de saúde pode sujeitar-se como eu a bater com os olhos num aviso com a informação 'fechado para férias' )

    ResponderEliminar
  38. Todas as empresas que existem é para fazer dinheiro.... Mesmo aquelas que supostamente é para ajudar.

    ResponderEliminar
  39. Cara Pipoca,

    E se houvesse um seguro de saúde...
    ...onde as pessoas são mais importantes que o seu passado clínico ou o seu estado de saúde actual e que como tal não tem exclusões de doença, doença grave ou pré-existências?
    ...que por isso mesmo dispensa questionário médico?
    ...que não tem limites de idade na adesão ou permanência?
    ...com períodos de carência reduzidos (90 dias para o parto por exemplo)?
    ...que não penaliza quem o utiliza bastante e como tal não tem resolução unilateral de contrato?
    ...que tem por base a experiente rede clínica da AdvanceCare?

    Pois esse seguro existe e está em Portugal desde 2009. É um seguro da MGEN (Mutuelle Generale de lÉducation Nationale) obrigatório para os professores em França. Um seguro 100% mutualista com as vantagens única acima e que não exclui os "rejeitados" e os "pouco rentáveis" das outras companhias.

    Convido-a, a a todos, a visitar o site da MUSSOC em www.mussoc.com para obterem mais informações acerca do seguro. Contacte-nos, teremos todo o prazer em lhe prestar todos os esclarecimentos que necessite.

    Bruno Andrade
    http://noutroregisto.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  40. "Fosse o nosso sistema nacional de saúde uma coisa altamente eficiente" - felizmente não teve, até agora, nenhum problema de saúde grave com o seu filho, que se bem recordo, nasceu num hospital público porque a sua médica não quis arriscar. Se tivesse, ou tiver, vai recorrer ao Público porque os privados em Portugal não têm estrutura para tal.
    Tive duas crianças no SNS, na Maternidade da Estefânia. Sempre fui acompanhada no SNS, tendo as minhas filhas seguro de saúde, só vou à CUF quando a pediatra do Centro de Saúde não está. Recebe-me e a elas sem marcação, todos os dias. Conhece a minha voz ao telefone, conhece as minhas filhas desde a barriga e é a minha ginecologista. Não pago planeamento familiar e do rastreio à mama, só pago eco-mamaria porque a mamografia é isenta para o SNS. Não entendo: se as pessoas já pagam, nos impostos, o SNS, o porquê de estupidamente pagarem seguros de saúde.
    A equipa de cardiologia pediátrica do Hospital de Santa Marta é das MELHORES da Europa!
    E quando a coisa dá pró torto, é nos Hospitais Públicos que se salvam vidas. Que ignorância revestida de alpinismo social. Irra

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Porquê? Eu explico. É verdade, o serviço público tem dos melhores médicos do país, talvez até da Europa. Também é capaz de ter das piores administrações da Europa. O meu avô teve um cancro terminal e estava a ser seguido no pulido valente. Já no seu mês final teve de ir duas vezes às urgências (do santa maria). Da primeira esperámos 12 horas (sim 12) para o meu avô ser internado só porque queriam estudar o caso dele. Note-se, o médico dele do pulido valente disse que fizeram a decisão errada e que o estado de saúde dele se tinha deteriorado por ter sido posto numa enfermaria com 5 homens e mulheres e por não ter ido logo para casa. Da última vez que foi às urgências e que os paramédicos suspeitavam que ele tivesse uma paragem cardíaca esperámos"só" 7 horas.
      Isto para não falar das habituais 3 ou 4 horas de espera para consultas de oncologia (no hospital santa maria) com pessoas literalmente a morrer.
      É por isto que eu tenho seguro, é por isto que dou uma batolada de dinheiro por mês. Se calhar os médicos são melhores, mas até hoje não tive de esperar mais de duas horas em privados (incluindo urgências).

      Eliminar
    2. Subscrevo este comentário.

      Eliminar
    3. TEM TODA A RAZÃO! Inflizmente muitos portugueses teimam em insistir no preconceito contra o SNS, acho que é BENZOCA.... levar os anjinhos ao privado, que hooorrrrorr os meus queridos a levarem com os micróbios e bactérias que contaminam e proliferam nos corredores e salas dos Hospitais Públicos !!!
      Verdade verdadinha, uma das minhas melhores amigas com parto privadíssimo no Hospital da Luz, pago a peso de ouro..., esteve 22 horas em trabalho de parto, porque a Asna da sua médica(Obstetra privada) entendeu que ela tinha de fazer a dilatação, entretanto " deu à sola/ foi-se embora porque o parto estava para o demorado", não voltou a aparecer... Resultado: como não conseguiu dilatar... acabou por ter de ser efectuada uma ceseriana de emergência por outro médico porque a bébé já quase não dá-va sinais de vida, teve que ser reanimada, estava toda rouxinha... foi um milagre ter sobrevivido. Situações similares acontecem no Público mas também no PRIVADOOOOO... É BOM NÃO ESQUECER !

      Eliminar
    4. Ó anónimo das 18h31, essa última frase deu cabo do raciocínio, deixe-me que lhe diga...

      Eliminar
    5. Bem sei que nos estamos a desviar do assunto, mas a verdade é que um dos grandes desperdícios de dinheiro na saúde pública tem origem nos privados. A quantidade de doentes que são transferidos para os hospitais centrais por negligência/capricho dos hospitais privados é demasiado alta.
      Um grande exemplo é na obstetrícia. Existem em Portugal hospitais privados cuja taxa de cesarianas aproxima-se dos 100%. Quando algumas destas intervenções corre mal (porque infelizmente correm) das duas uma: ou a mãe paga para continuar a receber cuidados nesse hospital (quando eles existem) ou então é transferida para os hospitais públicos. Este fenómeno de dumping dá cabo das contas dos hospitais públicos, porque têm de tratar uma situação que, se começasse no público, não aconteceria (a escolha, na maioria das vezes, de uma cesariana).

      Eliminar
    6. É verdade que o sistema nacional de saúde é óptimo em muitos aspectos,no entanto está farto de "matar" gente devido à incompetência de médicos que não querem saber.
      O meu pai desconta há quase 40 anos.Sempre foi ao médico apenas para consultas de rotina e quando precisou realmente teve de gastar quase 5000€,que levou anos e anos a juntar para poder fazer obras em casa,numa operação de urgência ou não teria recuperação possível.No publico teria de esperar cerca de um ano e neste caso nessa altura já não haveria solução para o problema.
      Enfim...poderia relatar N casos de pessoas que estiveram anos para perceberem que tinham cancro e quando finalmente resolveram fazer exames,estavam já em estado terminal e infelizmente já cá não estão para contar a história.
      A minha filha foi operada pelo SNS e foram fantásticos.Fez fisioterapia e não tive razões de queixa,mas e todos os casos de insucesso do nosso SNS e que tantas vezes acabam em morte?

      Uma tristeza....

      Eliminar
  41. Comigo Pipoca, foi mais ou menos o mesmo... Depois do meu filho nascer e após muita utilização por estar grávida, aumentaram-me o prémio mensal em 100%. Mandei-os passear e mudei de seguro, mas na altura fiquei indignada.
    Helena

    ResponderEliminar
  42. Se a culpa foi sua se por falta de pagamento foi cancelado é normal... Se eu for a loja da pipoca e não tiver dinheiro na conta não levo o produto!!!! Enfim devia ter olhado para a carta devia ter dinheiro na conta ... Agora o seu seguro não e responsavel

    ResponderEliminar
  43. O meu carro tinha um seguro contra todos os riscos. Certo dia partiram uma janela com uma pedra para roubar o rádio. Segundo a seguradora o carro foi vandalizado e só depois disso assaltado. Como o seguro não cobria actos de vandalismo não pagaram nada...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Exactamente. Não percebo a sua indignação. O seu carro tinha seguro de danos próprios e não devia ser o mais completo, ou teria cobertura através dos AcV. O carro nao desapareceu, pois não? Nem tentaram fazer com que desaparecesse, ou seja, nao se deu furto ou roubo na forma tentada ou consumada, no veículo seguro, ou em quaisquer componentes que comprometessem o funcionamento do dito. Lamento mas de facto o seu carro foi efectivamente vandalizado para chegarem ao rádio...

      Eliminar
  44. Já tive chatices com a Multicare e há realmente muita dificuldade em obter respostas e justificações claras e bem fundamentadas, seja por telefone ou por email (felizmente nunca foi nada tão chato como o episódio da Pipoca que justificasse ter de ir a um balcão). Mas volta e meia lá acontece, tenho de andar a ler as condições do meu seguro de trás para a frente, ligar para lá a chatear até obter um contacto de email de alguém que me possa resolver o problema, escrever mails muito bem explicadinhos que remetem para as condições contratadas, não receber resposta alguma e ao fim de uns dias lá me cair um reembolso na conta que não sei porque é aquele valor e não outro qualquer...além de que insistem em cair no erro de não me reembolsar à primeira medicamentos que estão previstos no meu plano, o que obriga a que tenha de perder o meu tempo a reclamar. Outra coisa que acontece frequentemente é o "sistema estar em baixo" obrigando a pagar consultas ou exames por inteiro...enfim, se não precisasse da porcaria do seguro cancelava-o, mas ainda vai dando jeito. As seguradoras têm vantagem e sabem-no, essa é que é essa.

    ResponderEliminar
  45. Olá,

    Um indice de sinistralidade muito alto é quando a companhia não está lucro com o seu seguro, ou seja, quando já esta a ter prejuizo

    ResponderEliminar
  46. Faz queixa ao Instituto de Seguros de Portugal! Tudo explicadinho com os documentos, os emails, e se possível o nome da pessoa com quem tiveste essa reunião.

    ResponderEliminar
  47. Bom post. Fazes bem em reclamar e em escrever este texto no blog.

    Eu também sou das que reclamam. Estou farta de gente a ganhar dinheiro à custa de quem trabalha.

    ResponderEliminar
  48. Ana, também já me aconteceu, pelo menos duas vezes, mas a apólice foi reposta, em algumas semanas. Tratei de tudo por e-mail.

    ResponderEliminar
  49. Olá Ana,
    em Portugal não existem seguros de saúde, existem sim cartões de desconto em serviços de saúde. Basta comparar com o seguro automóvel, que é completamente diferente.(Talvez porque seja obrigatório ter seguro automóvel).
    Isto já foi explicado e debatido em programas como o "prós e contras" da RTP, e no final chegou-se sempre à mesma conclusão, não existem seguros de saúde mas sim cartões de desconto.
    Pode ser que com a divulgação do seu caso as pessoas fiquem mais atentas ao que andam a pagar.

    ResponderEliminar
  50. Ola boa tarde
    Sou gestor de seguros e mediador das várias companhias de seguros e prestadores de serviço.
    Tenho pena em ver este tipo de publicações.
    Quando é um problema bastante fácil bastava pagar através do seu mediador e repor a apólice.
    Sendo que o problema deveria ter sido detetado pelo próprio mediador, visto que cerca de 1 mês antes do vencimento o mesmo recebe o recibo para efetuar a cobrança. E mesmo que não o tenha feito, também recebe comunicação da companhia a informar a anulação antes da mesma acontecer.
    Quanto a comunicação do srº fidelidade.
    Provavelmente é um srº "muito ocupado" que nem sabe o que diz.
    Índice de sinistralidade existe em bens ex: casa, carro, etc... e significa, a tx de rentabilidade do produto em causa, isto é prémios pagos verso custos com sinistros.
    Os seguros de saúde são exatamente o oposto dos seguros onde esse índice incide.
    Isto é tem capitais para as coberturas e preço protocolados com os prestadores o que tem sempre o mesmo custo para a companhia, usem ou não usem o seguro.
    A ideia é fazer o seguro de saúde para usar quem diz ou pensa o contrario deveria ir fazer o curso de mediação novamente.
    Como inicialmente lhe disse tenho mesma muito pena do que lhe aconteceu.
    Mas de uma coisa posso-lhe dar a certeza, que para a Multicare que é uma rede de prestadores de serviços esse tipo de situações não existe.
    Os prestadores pedem autorizações que são ou não são dadas consoante as coberturas e os prémios estarem ou não pagos.
    As suas reclamações deveram ser sempre direcionadas aos agentes comerciais que a assiste, ai é que se criou o problema.
    Se quiser algum tipo de esclarecimento ou ajuda deixo o meu email.
    c\ comprimentos
    Alexandre Couto
    alexandrecouto@fjseguros.pt

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Concordo. A responsabilidade é toda do seu mediador. Tenho seguros na Axa (vários) e se acontece não ter saldo para o débito direto ocorrer, a minha mediadora manda um email.
      Além disso o meu banco avisa que está a pagamento algo para o qual a conta não tem saldo.
      Mas como dito aqui anteriormente, o problema passa também pela indolência dos colaboradores, que têm o seu ordenado garantido e palas nos olhos. Para fazer contratos há um pseudo serviço de excelência prestado ao cliente que acaba assim que pagou o primeiro prémio.
      RitaCS

      Eliminar
    2. Sr. Solta Algarismo, isso que diz não é verdade!
      Comecei a ter seguro de saude com 26 anos ( tenho hoje 45). Na altura não existia Médis era ainda Império e foi sempre espectacular! Até ao dia que após 2 intervenções cirurgicas (com 27 e 31 anos) não me foi aceite o pagamento anual exactamente por " alto índíce de sinistralidade".
      Eu também lhe disse que pensava que isso era só com carros e afins, mas simplesmente recusaram continuar o contrato comigo. Tal como nós podemos renunciar a qualquer contrato assim também eles o fizeram e foi exactamente por essa razão! Explicadinho assim, sem papas na lingua!
      Quando a Império mudou para Médis quis tentar fazer novo seguro mas só me aceitavam após preenchimento de questionário e não cobriam aquelas zonas que já tinham sido objecto de intervenção, ou seja, se eu tivesse alguma recaida não tinha hipotese. Não fiz evidentemente! Afinal eu preciso de seguro de saúde para as minhas "doenças" não é para outra coisa qualquer!
      Tive assim sem seguro de saude durante cerca de 8 anos.Felizmente para mim - e infelizmente para eles - o meu seguro de saude é do trabalho ( logo feito por grupo e sem questionário) e é Médis :) - e já tiveram que pagar , e bem, por nova intervenção!
      Queriam safar-se não era? Lixaram-se bem que apanharam outra vez comigo mesmo sem saberem... eheheh
      Bjs

      Eliminar
  51. Eu optei pela medis, é certo que o pago há 4 ou 5 anos e só este ano é que o usei, mas parece-me um bom seguro.

    ResponderEliminar
  52. Bom, sendo uma situação chata devo dizer que as seguradoras têm como intuito fazer dinheiro se não vão à falência. Pode ser muito chato e pouco ético mas percebesse que prefiram clientes que efectuem poucos gastos mas "comprem" produtos caros. Enquanto essa questão não for regulamentada e não forem impedidos de descartar clientes o SNS continua a ser uma boa opção.
    Mafalda

    ResponderEliminar
  53. Olá boa tarde,
    Sugiro que escreva uma carta ao istituto de seguros . Vai ver que analisam bem a situação e caso tenha razão , a multicare terá que resolver em poucos dias . Bjs

    ResponderEliminar
  54. Eu tenho a Multicare, e nunca tive problemas. O ano passado, fiz "n" exames, cheguei a fazer vários por mês e em meses seguidos.
    Eu acho que no teu caso foi mesmo pela falta de pagamento.

    ResponderEliminar
  55. Tive recentemente o mesmo problema com a Medis...infelizmente é um mal geral.

    ResponderEliminar
  56. Cara Ana,
    Compreendo a sua indignação a qual se deve única e exclusivamente ao argumento referido pelo Sr. da Fidelidade: " Elevado indíce de Sinistralidade"( leia-se utilização excessiva do seguro de saúde durante o período gestacional....) como fundamento para a resolução do seu contrato de seguro, é demasiado caricáto, mas na actual conjuntura e vindo de uma seguradora.... nada nos poderá espantar!
    Em circunstâncias similares e perante outras entidades ( Bancos, Prestadores de serviços variados, Êntidades camarárias....) sempre que considero que os meus direitos foram de alguma forma "atropelados", enquanto pessoa ou consumidora, solicito de imediato o Livro de Reclamações e elaboro uma redacçãozinha.... Nos ùltimos 2 anos, já apresentei pelo menos (que me recorde) 4 reclamações, recebi as necessárias respostas no tempo oportuno e, todos os assuntos foram resolvidos a meu favor. Aconselho-a a Reclamar no Livrinho, pois a sua reclamação chegará ao supervisor das Empresas Seguradoras que operam no n/ país - ISP-Instituto de Seguros de Portugal. Se os Segurados nada fizerem as Seguradoras continuarão implacáveis... cobrando altos prémios e prestando o mínimo como contrapartida.
    Por experiência pessoal só posso dizer bem do SNS, bem sei que queixas não faltam, mas elas também existem no privado. Só para terminus de conversa (já vai longa) os meus filhos(15 e 9 anos) sempre foram e continuam a ser assistidos pelo mesmo Pediatra Privado desde recém nascidos(consultas de mera rotina, maleitas próprias das idades...), têm sido meninos saudáveis, contudo as três vezes que necessitaram de assistência urgente, o Pediatra esteve sempre de Férias no Estrangeiro( por coincidência), e recorri à Pediatria do HSB (S. Bernardo-Setúbal) onde fui e foram sempre muito bem atendidos, quer por rececionistas, enfermeiros, auxiliares e pediatras super atenciosos( tive sorte, talvez !) até à data só posso dizer bem do HSB. Reconheço que muitos portugueses alimentam um grande preconceito em torno dos serviços públicos de saúde, em todas as áreas e em todos os ramos de actividade existem bons e maus profissionais. Nem tudo é mau no nosso SNS. Experimente.
    Bjo.

    ResponderEliminar
  57. Pipoca, e tinha um seguro da Vitora e tive um acidente no estrangeiro (parti um dedo) eles vieram dizer que nao iam reembolsar os gastos porque partir um dedo nao é acidente... Acreditas? Tive de os meter no tribunal...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. "Partir um dente não é acidente"? Claro que não, é desporto, é hobby!!! Esses fulanos são malucos, certamente!

      Eliminar
    2. Nem dei conta de ter escrito dente e não dedo... :-)

      Eliminar
  58. Pois eu cá acho que uma boa opção era que todos pagassem o equivalente a um SEGURO ao SNS para podermos usufruír de um serviço de excelência, mas não, o SNS tem que ser gratuito, porque é o que vem na constituição e depois temos que lidar com este tipo de situações aflitivas. Acautelem-se porque as seguradoras, tal como a banca estão falidas e mais tarde ou mais cedo a bolha rebenta...não há volta a dar!!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Por acaso... está bem pensado. Andamos agarrados a instituições que na altura da sua criação eram uma excelente resposta. Com o passar do tempo as circunstâncias alteram-se, e em vez de se adaptarem e flexibilizarem as coisas, continuam agarrados a ideais de antanho. E isto nada tem a ver com políticas de direita ou esquerda, tem a ver com pragmatismo e eficiência. Quanto às seguradoras estarem falidas, aí já tenho as minhas dúvidas e até aposto que sucede o contrário. Esse pessoal sabe tratar da vidinha.

      Eliminar
    2. E as pessoas que não têm seguro porque não o podem pagar, fazem o quê? Que eu saiba ainda não estamos no capitalismo louco dos EUA e as pessoas ainda têm alguns (poucos) direitos como à educação e à saúde. Por amor de deus, pagar o SNS é ridículo. Só diz isso quem nunca passou dificuldades.

      Eliminar
    3. Anónimo das 17:44. Santa ignorância, a sua: o SNS já é pago por nós, ou pelo menos por todos os trabalhadores que pagam impostos, em Portugal.

      Eliminar
  59. Boa tarde

    Entendo que é uma situação que ninguem gosta de passar, mas se tem o seguro a pagar por desconto bancario e a companhia vai 2 vezes á conta e não consegue cobrar o recibo o que é que se quer esperar?? nem o ISP conforme o colega anonimo diz em cima pode fazer nada.
    Não é a defender a seguradora mas se a rentabilidade do seguro não for boa ou mais se for negativa com menos facilidade uma seguradora poderá repor a apolice em vigor

    ResponderEliminar
  60. tb tive problemas com eles, é denunciar e denunciar até que os clientes deixem de estar em tao grande numero...

    ResponderEliminar
  61. Ola Pipoca

    Isto dos Planos/seguros de saúde tem muito que se lhe diga, já desisti deles, o ultimo que tive então foi uma anedota, era da Saúde Prime,como todos prometia mundos e fundos, a primeira vez que o usei foi numa consulta de saúde oral e qual não é o meu espanto quando ao fazer o pagamento verifico que o valor da fatura apos ter apresentado o cartão Saúde Prime era superior ao valor da tabela praticado para o publico em geral na clinica consegue acreditar?? Ficou o cartão logo la no lixo!

    ResponderEliminar
  62. Aconteceu-me algo idêntico mas na Advancecare. Uma altura não sei quem enviou ordem de cancelamento do debito direto, depois de muita confusão, consegui pagar mas ainda hoje estou à espera do reembolso do valor da consulta que tive que pagar! Claro que não recebo nada pois já me puseram de lá para fora por alto índice de sinistralidade! Agora tenho outro mas confesso que até tenho medo de o usar não vá acontecer o mesmo :(
    Ana C.

    ResponderEliminar
  63. Já vivi uma situação também caricata com uma companhia de seguros (Liberty).
    Á cerca de oito anos comprei um carro em segunda-mão. A viatura tinha um ano e meio e tratei de fazer seguro com danos próprios (aka seguro contra todos). Por volta do 10º mês de vigência do contrato, estive envolvido num acidente. Foi por culpa minha, estava a chover, distrai-me e embati numa viatura que estava parada num semáforo. Tudo calmo, não houve feridos, os danos forma principalmente na minha viatura. Veio reboque e dei indicação para levarem a viatura para a oficina da marca na zona onde ocorreu o acidente.
    No dia seguinte fui contactado pela seguradora a questionar-me o porquê de colocar o carro a reparar naquela oficina. Fui informado que a seguradora tem uma rede de oficinas com quem têm protocolo e que deveria mudar para uma dessas oficinas. Ao perceber que nenhuma dessas oficinas era representante da marca expliquei que o carro era novo e era de todo o interesse ficar na marca. Sei fui contactado mais umas 3 ou 4 vezes por variadas pessoas para me demoverem da minha decisão. Começou a chatear um bocado mas lá tive de dizer umas 20 vezes sempre a mesma coisa até que desistiram. O carro foi reparado. Feliz da vida andava eu quando pouco tempo depois recebo uma cartinha da seguradora a informar que não iriam renovar o seguro após o contrato de um ano. Ponto final parágrafo. Embrulha.
    Depressa fiz outro seguro noutra seguradora. O que fica disto? Em que parte do contrato dizia que eu reparava a viatura onde fosse vantajoso para a seguradora? É muito fácil perceber nos dias de hoje que não passamos de números e cifrões. Tristes de nós é quando andamos iludidos com "relação mutúa".. "anos e anos de ligação", etc... ou dás lucro ou não dás. ou és "vantajoso" ou não és.

    ResponderEliminar
  64. Os seguros são fantásticos, ainda este ano me aconteceu uma coisa do género, mas com o seguro do carro. Nunca tinha tido um sinistro, tinha bonus no máximo, carta há quase 20 anos e tive o azar de ter dois toques numa semana, sendo eu culpada. Quando digo dois toques, foram toques mesmo, o meu carro não ficou amassado e os outros tiveram apenas uns arranhões. Isto acobteceu um mês antes do fim do meu contrato anual. Qual o meu espanto quando recebo, em vez do esperado recibo para pagamento, uma carta a dizer que a companhia denunciava o contrato e não o iria renovar porque o meu índice de sinistralidade era incomportável. São uns chupistas, é o que são. Acabei por arranjar outra companhia, nem pago mais pelo seguro, apesar dos dois sinistros.

    http://thelusofrenchie.blogspot.pt

    ResponderEliminar
  65. Os seguros são criados para obter lucro e serão ótimos para problemas de "saúde" leves, mas esperem quando os problemas apertarem... não vai haver "plafom" que resista... e será muito útil acarinhar o SNS, que com todos os seus defeitos está ainda aí para as situações de "aperto".Os serviços do SNS estão sujeitos a muitas oscilações pois são muito vastos e é natural que nem sempre correspondam às expectativas, mas não podemos comparar um serviço público com um privado, porque as variáveis em causa nada têm em comum, basta comparar o nº de consultas, cirurgias, gravidade dos casos de urgência...

    ResponderEliminar
  66. Depois de tantos comentários e apesar do não pagamento atempado, por parte da Pipoca, a situação mantém-se: não temos que nos sujeitar a este mercado sem escrúpulos. Foi muito bom saber sobre a actuação da Multicare !

    ResponderEliminar
  67. Lamento o que lhe aconteceu, é de facto uma situação muito má e compreendo a sua indignação. Mas honestamente o problema aqui parece ter sido do agente comercial onde fez o seguro (Fidelidade?) e não da Multicare.

    ResponderEliminar
  68. Há muito tempo que o meu seguro é o da Multicare e nunca me aconteceu tal coisa :O Sempre foi bastante eficaz e nunca me falhou nem tive qualquer tipo de programa.
    Que estranho :S

    ResponderEliminar
  69. Pipoca bem vinda ao mundo real das seguradoras e dos hospitais privados. Vou resumir senão passava aqui umas horas. Coloquei uma banda gástrica na CUF DESCOBERTAS em 2004. O seguro pagava tudo menos tratamentos de estética, entenda-se obesidade, como se a obesidade não fosse uma doença mas sim, por exemplo, o equivalente a colocar um par de mamas de silicone. Passei de 120Kg em 2004 para 47 em 2007. Porreiro fiquei uma brasa :) O que tem piada é que no decorrer destes três anos o seguro pagava todos os exames inerentes aos cuidados da banda gástrica ( endoscopias, apertar a banda, alargar a banda ... ) só não pagava os honorários médicos .... curioso.
    Em 2007 e, por ERRO MÉDICO que me perfurou o estômago ( e andei assim com o estômago de janeiro a setembro de 2007 ) lá fui outra vez para o hospital e, quase a morrer ... tive de pagar do meu bolso.
    Resumindo os seguros são uma aldrabice, o SNS não é pior que o privado e, o médico que quase me matou é o Professor Mendes de Almeida ( conceituado cirurgião que quase me matou e até hoje não quis reconhecer o erro médico ... piadaaaa das piadas ... o Pai dele era o Director Clinico da CUF ... ) fica a lição e o alerta ...

    ResponderEliminar
  70. Realmente vergonhoso.
    A Pipoca assumiu a sua culpa, apenas queria reactivar o seguro, e eles devem estar cheios de clientes mesmo, para se enrolarem dessa forma estúpida em desculpas tontas para não a aceitarem!
    É o respeito que têm pelas pessoas...E pessoas clientes há dez anos!
    Eu fui operada duas vezes ao nariz no SNS, o meu pai foi tratado no SNS, foram impecáveis. Espero que não deixem o nosso SNS desaparecer! Era uma enorme perda para os portugueses e um retrocesso na "evolução" do país.
    Tenho também um seguro óptimo, faz parte do meu pack salarial, que não é o Multicare, e também uso bastante, sem nunca ter tido problemas.
    Só uma coisa parva ocorreu. tenho um sinal nas costas que a minha dermatologista achou melhor retirar, fiz o pedido, e foi rejeitado. Só pagam se for comprovadamente maligno!!
    E eu fiquei a pensar "ah bom...enquanto não é nada e é simples então não se faz nada. Se se tornar cancerígeno então está bem, aí gasta-se balúrdios e deixa-se a pessoa numa situação de doença grave...."

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Isso é curioso.... Para saberem se o sinal é maligno, tem de ser retirado para se fazer exame histológico! Se não tiram não se sabe!

      Eliminar
  71. @anónimo das 21h59

    Tenha a coragem de se identificar caro(a) senhor(a).

    Mendes de Almeida

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. lol! Está-se mesmo a ver que Mendes de Almeida passa o tempo a pipocar...

      Eliminar
    2. Fui eu que escrevi e denunciei o Mendes de Almeida ( cirurgião filho ). Não preciso de me identificar aqui pois o senhor mendes de almeida sabe bem quem eu sou. Além da reclamação no livro de reclamações também houve uma queixa formal na ordem dos médicos. Não sabe quem sou? Então é porque pelos vistos faz "merda" com muita gente. PIPOCA grande luxo já viste?! O "dr da mula russa" também anda por aqui. Ahhh! Há pessoas mesmo cretinas.

      Eliminar
    3. Ai o que eu já me ri. Mas acho mal vir aqui difamar um médico.

      Eliminar
    4. Lavar a roupa suja num blogue tem muito que se lhe diga... Xô xô, que estas reclamações fazem-se nas entidades oficiais!

      Eliminar
    5. Não vejo diferença entre "difamar" uma seguradora ou um médico aqui no blog. Desde que a critica seja fundamentada, acho que vai dar ao mesmo.

      Eliminar
    6. Realmente que falta de chá. Sra fulana também posdo vir aqui escrever que é uma incompetente no seu trabalho (ah desculpe é desempregada)

      Eliminar
    7. Anónima da 01:31: Vai-lhe servir de muito andar aqui à batatada com e sobre o "Mendes de Almeida". -.-'

      Eliminar
  72. Eu trabalhei num Hospital Privado e realmente isso acontecia imensas vezes e com imensos clientes não só da multicare como em muitas outras seguradoras. Percebi que quando as pessoas mais precisavam ou por acidentes, doenças que tinham aparecido e mesmo a idade as seguradoras cessavam o seguro com os seus clientes. Os clientes revoltados muitas vezes mostravam as cartas recebidas pelas seguradoras... tinham pago toda a sua vida e porque chegaram a uma certa idade as seguradoras enviam uma carta a informar que não vão assegurar mais o seu cliente... isto é ridiculo. As seguradoras são simplesmente p'ra fazer dinheiro e pouco lhes importa o bem estar dos seus clientes... aliás acontecia muitas vezes que depois de imensos anos a pagar o seguro de saúde e sem usufruir desse dinheiro os clientes ficavam sem seguro simplesmente porque tinham ficado doentes. Énfim... dizer o que? as seguradoras são feitas para pessoas jovens saudáveis e com dinheiro!

    ResponderEliminar
  73. Os seguros podem ser agravados no prémio pela sinistralidade (termo que também se usa para saúde), mas não anula pela sinistralidade mas sim pela falta de pagamento. Se eu não pagar a casa fico sem casa, se não pagar o carro, fico sem carro, se não pagar o seguro, (e sim as seguradoras vão duas vezes à conta) fico sem seguro. Segundo amigos meus, a Multicare avisa por carta e/ou por sms a falta de pagameno. Se calhar a Sra. Pipoca não tem os dados atualizados!

    ResponderEliminar
  74. Eu tenho Mapfre em Espanha e funciona muito bem mesmo.

    ResponderEliminar
  75. que polémica aqui vai

    ResponderEliminar
  76. Sem tirar ou dar razão ao consumidor, na prática o que acontece é que as seguradoras têm margens de lucro muito baixas e literalmente não lhes interessa ter certo tipo de clientes. Nunca vai ser daqueles negócios tipo telecomunicações em que se liga para eles a tentar aderir e eles fazem de tudo para nos conquistarem. As seguradoras por vezes não têm qualquer interesse em ter sequer novos clientes. Em termos de gestão eles têm isso tudo bem estudado. É o modelo de negócio deles e duvido que mude.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Se é assim tão pouco proveitoso, porque é que existe este modelo de negócio?? Não me venham com tretas..... se há seguradoras aos montes é porque é dinheiro bom de ganhar!

      Eliminar
    2. Disclaimer: vou falar sem perceber do assunto (devo ser a única que não percebe).

      Duvido que as seguradoras tenham margens de lucro muito baixas. Por cada pessoa que precisa de usar o seguro em quantidade, há imensas que vão pagando sem utilizar. E na gestão de uns e outros, a seguradora dificilmente fica a perder. Agora, se a seguradora quer ter lucro cliente a cliente, isso já "explica" que "despache" um cliente que de facto se serve do seguro!

      Eliminar
    3. Pois, é por isso que ultimamente a publicidade aos seguros de saúde tem sido tão intensa. A Médis neste momento até dá uns "brindes". É porque dá prejuízo... Aliás, quem controla a negociata dos privados neste país, precisamente por ser um alto negócio, são as seguradoras e a ADSE. E é por ser negócio tão rentável, que digladiam clientela (não no caso da ADSE, cuja quase ausência de limitações - há pessoal que chega a fazer análises de 15 em 15 dias - a levará à insustentabilidade a curto trecho, para infelicidade dos privados que em tempos de crise têm os seus lucros praticamente advindos desse subsistema).

      Eliminar
    4. Vamos lá a ver... é um negócio e obviamente dá lucro! Posso até vir para aqui ser específica e dizer que os custos marginais deles são mais elevados do que noutros negócios e que têm menos custos fixos e portanto não têm a necessidade de ter um batalhão de clientes para dispersar esses mesmo custos. Sendo negócio e estando o mercado maduro (os seguros não são nada de novo ou revolucionário, não houve novas legislações nem são obrigatórios) é óbvio que há marketing e bem feito! Eles podem querer clientes mas querem clientes com alta taxa de rentabilidade e para isso precisam de divulgar, promover, etc. Entendam só que as empresas venderem muito não quer dizer que façam muito dinheiro, a EDP energia, por exemplo, faz biliões ao ano mas lucro são 80milhões o que é um nada comparado com o dinheiro que a empresa gera...

      Eliminar
  77. Uso o seguro do Imed, Açoreana Seguros e também já tive vários problemas. Normalmente dizem que há falha de comunicação e lá desembolso o dinheiro eu. Ainda hoje fui a uma consulta que devia custar 12,50 euros e cobraram-me 50. Acho que são todos mais ou menos iguais. Interessam-lhes é pessoas que pagam e não usam, pois claro.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E vai lá queixar-se a dizer que nao tinha dinheiro na conta, nao ligou a uma carta que recebeu... E? Foi um erro humano.

      Eliminar
  78. Pipoca, há que fazer queixa no Instituto de Seguros de Portugal, entidade reguladora na área dos seguros. (www.isp.pt)
    vidademulheraos40.blogspot.com.

    ResponderEliminar
  79. Não defenda o que não tem defesa. Digam a verdade. Os seguros são uma manobra comercial, não foram criados para defesa de ninguém, não servem os doentes. São úteis para pessoas saudáveis fazerem rotinas de forma mais cómoda e também dar-lhes algum poder negocial para conseguir melhores preços, somente e só isso..

    ResponderEliminar
  80. Pipoka vê o plano + saúde associado ao cartão das farmácias portuguesas, não tem período de carência e tem condições bem competitivas.

    ResponderEliminar
  81. Odeio a multicare! Precisei de por aparelho nos dentes, fiz o seguro, entrou em vigor em fevereiro e em maio dizem me que a parceria entre a multicare e a minha ortodontista tinha acabado, tipo oi? a minha sorte foi já ter posto os aparelhos, que são efectivamente o que me saiu mais caro, mas mesmo assim já tive montes de problemas, enfim, não aconselho mesmo a ninguém!

    ResponderEliminar
  82. Pipoca, nunca comento o blog, mas este assunto parece-me bastante pertinente.

    Em Novembro de 2010, foi-me diagnosticado um Linfoma, diagnóstico esse feito no Hospital da Luz, com a cobertura da Multicare, até então proporcionada pelo seguro que a minha mãe dispunha no seu emprego. A minha mãe foi despedida e, em Dezembro do mesmo ano perdi esse mesmo seguro. Tudo bem, na altura não teve muita importância porque passei automaticamente a ser seguida no IPO, um hospital de excelência, ímpar no atendimento, no tratamento, em tudo. Mas não é um hospital a que eu possa ir às minhas consultas de rotina, como posso ir num outro hospital.
    Posto isto, o meu pai fez novo seguro para a família, igualmente na Multicare. Foi bastante difícil que se aceitasse o meu caso, mas, a muito custo, a coisa deu-se.
    Dentro de pouco tempo, espero, irei ingressar no mundo profissional e começar a fazer os meus descontos, ou seja, lá se vai o seguro. E depois como é que vai ser?! Quem é que me vai querer fazer um seguro? Quem é que vai assegurar um doente oncológico?!
    É absolutamente ridículo, as companhias oferecem mundos e fundos, mas tudo vem com um asterisco. Ou porque se usa o seguro demais, ou porque teve (a infelicidade!) de ter cancro.
    O que interessa são as receitas, os clientes são meios para atingir os fins. É muito triste.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Se está assim tão aflita com a situação, já deveria ter pesquisado e apercebido que já existe no mercado, há algum tempo, um seguro de saúde mutualista que aceita todas as situações préexistentes, não faz sequer questionário médico (não faz rescisão unilateral, não aumenta prémios por aumento de risco, não tem limites de idade,...enfim, tudo aquilo de que aqui se queixam à fartazana). E não é um Cartão de Saúde (outro equívoco que agora abunda por aí), é mesmo um seguro, da MGEN. É comercializado pela Europamut, e trabalha com a rede Advancecare.
      Neste país só se sabem queixar, em vez de se darem ao trabalho de pesquisarem as oportunidades que têm. Enfim... (e já agora, também tive um linfoma, o que me fez arregaçar as mangas e procurar uma boa alternativa que me complemente o SNS).

      Eliminar
  83. ainda bem que nao optei por medicare na hora de escolher o seguro. tenho medis ja me aconteceu ser cancelado por falta de pagamento por minha culpa ,mas bastou pagar e ficou activo. recentemente alterei a mensalidade e nao houve qualquer problema, estou muito satisfeita. experimente medis :)

    ResponderEliminar
  84. Os meus primeiros meses de carro foram feitos sem seguro, a querida Liberty Seguros fez questão de cancelar o meu seguro com um e-mail que enviei, que era apenas para "não fazerem caso" de uma declaração amigável, que ia resolver a questão com a pessoa, só percebi que tinha ficado sem o seguro quando passado uns 3 meses dessa situação, aparecer um cheque em casa, ligar para lá, e me dizerem que tinha cancelado o meu seguro por mail... Conclusão: Alguém que tenha acesso ao vosso mail pode cancelar o vosso seguro na Liberty, ninguém vos liga a confirmar, ainda para mais, no meu caso, tinha o seguro há uma semana...

    ResponderEliminar
  85. Cara pipoca, se a conversa foi como diz, porque nao pediu o livro de reclamações quando foi à agência?

    ResponderEliminar
  86. Não deveria ter havido período de carência para o Mateus. Adicionei a minha filha ao meu seguro, antes de ela nascer, e nao teve período de carência. Aos 5 dias de vida jácestavamos a usar o seguro.

    ResponderEliminar
  87. oh pipoca deixa-te lá de tretas, eles tentaram fazer a cobrança certamente na data habitual (todos os anos deve ser no mesmo mês) e tu não tinhas o dinheiro disponível, esqueceste-te? Ok, acontece... Mas depois mandam-te uma carta e tu ou não viste ou não prestas-te atenção? Quer dizer, se por um lado ficas muito escandalizada porque eles te cortaram o seguro que é uma coisa tão importante e que tu utilizas tanto sem avisar, por outro estiveste-te bem a lixar quando foi a tua responsabilidade: não verificaste se tinhas lá o dinheiro, e sabes sempre em que data fazem a cobrança, e não ligas puto à carta que recebeste... Eu sei que estamos habituados a que estes serviços andem atrás de nós para pagar e liguem, mandem mails, cartas e que não nos larguem até pagarmos, mas desta vez tiveste azarito

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Lol exacto! Houve a tentativa de cobrança e a carta... e a Pipoca ignorou as duas... queria a Pipoca o quê? Que andassem atrás de si a implorar que pagassem porque a adorariam manter como cliente? Pelos vistos até é uma cliente que dá prejuízo, por isso nem lhes interessava renovar, logo, não fizeram nenhum esforço nesse sentido.

      Eliminar
    2. Há pessoa tão estúpidas, graças a Deus... Filhos, ide à escola aprender a ler. Onde é que a Pipoca se está a queixar por lhe terem cancelado o seguro por falta de pagamento, senhores?? A própria até afirma que foi a culpada por lhe terem cancelado o serviço...Leiam lá o texto outra vez, se faz favor. A Pipoca está indignada porque, quando tentou regularizar o pagamento para lhe reactivarem o seguro, lhe foi dito que a seguradora já não tinha interesse em continuar a ter contracto com ela porque deu demasiado uso ao seguro. Ou seja, enquanto lhes andou a encher o cú e não dava despesas, tudo muito bem. Como começou a dar uso ao serviço pelo qual pagou, já não lhes interessa. É isto que está mal, é sobre isto que a Pipoca se está a queixar. Gostavam que lhes fizessem o mesmo? Acham isto normal? Eu não acho, e fez ela muito bem expor a situação aqui no blogue para mais pessoas estarem informadas acerca da sacanice que são os seguros de saúde em Portugal. Como disse alguém algures lá para cima, não há verdadeiros seguros de saúde em Portugal. Há, sim, cartões que dão desconto em serviços de saúde, o que é muito diferente.

      Eliminar
    3. Sugiro uma leitura atenta da Lei geral dos seguros. De acordo com a mesma não existe a figura da reposição em vigor. Aliás a mesma lei diz CLARAMENTE que apólice anulada por falta de pagamento deve ser substituida por uma apólice nova. As seguradoras repoem apólices em vigor porque lhes convêm nos casos em que o fazem e recusam as reposições (PORQUE A LEI ASSIM O PERMITE) quando não interessa.

      Eliminar
  88. Pipoca,
    conheço uma situação semelhante à sua e NUNCA houve falta de pagamento.
    Tenho uma amiga que tem HPV e alem de tratamentos que teve de fazer todos os anos tem de fazer exames de rotina. Até que recebeu uma cartinha em casa a dizer que a seguradora não lhe renovava o contrato.... quando foi à agencia que lhe fez o seguro também lhe deram a explicação que deram a si... conclusão: às seguradoras só lhes interessa que não usem o seguro, porque se temos o azar de ter alguma doença crónica em que precisamos de tratamentos com frequência a seguradora manda-nos passear....

    ResponderEliminar
  89. Brasil-sil-sil-sil-sil-sil-sil.......opssss quer dizer Por-tu-gal * Por-tu-gal * Por-tu-gal
    Vergonhoso, não fosse eu conhecer a Pipoca achava que lia um blog brasileiro.
    E desculpem lá, mas como é se cancela e alega-se o motivo de excesso de uso?
    Nessas horas é que as conversas deviam ser gravadas....ao vivo e a cores...e não só para qdo lá telefonamos...Devia caber uma ação judicial!
    Já aos que disseram que o SNS é bom....estou aqui a rir-me imenso...mas fazer o que, deve ser uma questão de sorte.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O Brasil é para aqui chamado porque....? Há cada comentário.....dear lord!!

      Eliminar
    2. Santo Deus pq madame?
      Tá a se doer pq minha "SENHOURA"?
      Eu POSSO falar do BRASIL pq sou brasileiro e sei do que falo.O Brasil é a mesma M _ _ _ _ que Portugal. Já tb tive meu seguro lá suspenso por motivo parecido. Pq minha mãe idosa e que pagava mais de 800 euros por mes utilizava muito.
      Agora se a madame está a se doer pelo Brasil.... vai morar lá, mas vai morar lá com Reais no bolso e não com Euros, vamos ver se vc vai defender aquele merd....

      Eliminar
    3. Agora vêm as defensoras do SNS que foram assistidas magnificamente no seu parto de risco. E pensam que a saúde é isso.

      Eliminar
    4. Ao anónimo das 14:17 - sou acompanhada desde 2012 num hospital público, por causa de um problema de saúde crónico. Tenho uma médica espectacular e em todos os seviços pelos quais passei para fazer exames (e foram vários), talvez um tenha tido atrasos, por causa de uma urgência. Estive internada e só posso dizer maravilhas de toda a equipa: médicos, enfermeiros e auxiliares. Tenho uma médica de família espectacular. Atende sempre a horas, é super rigorosa e ouve-me, conhece o meu proboema de saúde e não me nega exames sempre que considera que os devo fazer. Confio 100% nela. Nunca fui assistida num parto, muito menos de risco e falo bem do sistema nacional de saúde. Porque só posso falar bem, não obstante ter tido já más experiências: atrasos, incompetências, faltas de educação e tanto mais. Mas não os julgo como um todo, porque há bons e maus profissionais em todo o lado. Porque, pasme-se, também já sofri de atrasos (bem longos) incompetências e faltas de educação no privado, tal como também já fui muito bem atendida no mesmo.
      Acho que temos uma sorte tremenda em ter um serviço que, não sendo gratuito como alguém referiu (pago todas as análises, exames, consultas, cirurgia, etc) está ao acesso de todos, mesmo dos mais carenciados.

      Eliminar
  90. O verdadeiro problema das seguradoras é não saberem interpretar as situações que acontecem aos seus clientes... ora o carro é assaltado mas não consideram "vandalismo", ora parte-se um dedo mas não é um "acidente"... Por isso é que temos de sempre ler as tais letrinhas minimas antes de assinar qualquer coisa. (Eu sei que é uma utopia, mas damos por nós e estamos embrulhados num problema a pagar uma mensalidade que não é propriamente uma pechincha sem saber que se caírmos de um precipicio ou alguém nos espetar o carro em cima, vamos estar com a cobertura do seguro). Tive Allianz e de vez em quando armavam-se em espertos mas até agora sempre cobriram tudo e não tive problemas.

    ResponderEliminar
  91. Também tenho multicare, para mim e para o meu filho e até agora não tenho razão de queixa. Mas tinha um seguro para os cães que foi cancelado porque eles acharam que eu ia muitas vezes ao veterinário com eles :S
    Pagar é bom para eles, mas o cliente usufruir do serviço, isso já é uma chatice, claro.

    ResponderEliminar
  92. Bem Pipoca a mim tambem ja me aconteceu cancelarem-me o seguro por falta de um mes de pagamento e ninguem me avisou. So descobri quando tive uma urgencia e me dirigi ao hospital da luz. Penso que podes pensar em reclamar junto do Instituto de Seguros de Portugal. E facill e tens de certeza uma resposta.

    ResponderEliminar
  93. Eu tive exactamente o mesmo problema com a Medis em que também tinha o prémio a cair numa conta pouco utilizada. A resposta deles foi que não tinham que avisar que iam cancelar o seguro porque caso o tivessem feito tinha 90 dias para regularizar a situação.O GRANDE problema eé que tinha este seguro há quase 20 anos com um prémio altíssimo devido a antecedentes de saúde e operações e agora nenhuma companhia segura o meu verdadeiro problema. Ainda se propuseram a fazer uma nova apólice, pelo dobro do valor, mas não incluindo o meu problema de saúde. Fiz queixa ao ISP mas não puderam ajudar. Para mim é inadmissível.
    Independente de eu faltar com o pagamento, ok eles têm toda a legitimidade, podiam ter feito uma chamada ou enviado uma carta.
    Mais tarde vim a saber que devido aos meus tratamentos tomaram esta posição para me expulsarem do seguro.

    ResponderEliminar
  94. Cara Ana,

    a situação que descreve é o lado obscuro dos seguros de saúde! Que ninguém se deixe iludir... aquilo é um negócio, é para dar dinheiro (e muito!) e portanto mexer com a saúde das pessoas é apenas um detalhe. Sempre que alguém se vê a braços com um problema de saúde que implique consumir recursos não poderá nunca vir a contar com um seguro de saúde. E eu acho que isto é algo que a população tem de interiorizar, e deixar-se de conversa fiada que fica bem em certos meios sociais, tal como, "Meu Deus, hospital público nem pensar!". Relembro que nos hospitais públicos é que estão os centros universitários e muitos centros de excelência em variadas patologias. Aquilo que nós, enquanto Povo, temos de lutar e exigir é a defesa do SNS. Porque esse sim, é de todos e para todos. E nós não temos de nos sentir menos por sermos "todos" nem de nos sentirmos diferentes/melhores por sermos "não todos", ou seja utilizar por serviços privados. Esta questão público/privado coloca-se praticamente nos países latinos e em desenvolvimento; em sociedades mais desenvolvidas esta questão nem sequer existe (o mesmo se passa na Educação... é exactamente o mesmo, com os mesmos problemas e as mesmas "peneiras" de quem utiliza).
    Recordo-lhe só o que contou acerca do momento em que soube que iria ter um bebé pré-termo. O que lhe disse a sua médica quando a contactaram? Se bem me lembro, recomendou-lhe um hospital público, certo? por essa razão teve de ir desterrada para Cascais. E digo-lhe que em boa hora o fez! Porque com o que está a contar aqui, provavelmente seria-lhe cortado o seguro no momento (teria provavelmente excedido qualquer parcela do plafond) e a devida assistência ao seu bebé seria feito a peso de ouro (a um preço que poucas carteiras suportam). E olhe que sei bem do que estou a falar, porque tive o azar de ter o meu filho internado quatro dias no hospital da Luz (no qual mesmo tendo ADSE, tive de deixar 2500 euros de adiantamento, pagos no momento, quando depois o hospital demorou 3 semanas a devolver-me 1000 euros após alta e acerto de contas), e assisti a uma situação destas (um casal, com um bebé na Neonatologia, a fazer a alta para hospital público porque já não podiam pagar mais).
    Por isso, e em jeito de conclusão, digo que gostei muito deste post! Penso que pode contribuir para alguma reflexão por parte de quem lê; e poderá ser também uma pequena contribuição para alinhar em determinadas prioridades. Aquilo pelo qual devemos todos lutar será sempre a Educação, a Saúde e a Justiça, de todos e para todos! Só assim poderemos ter um país melhor para os nossos filhos.

    bj

    Carla

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Desculpe mas de todas as vezes que fui ao hospital público por 2 entorses no pé, uma faringite, apendicite and so on and so on... foi um verdadeiro desastre. Daí o meu medico de familia estar no hospital privado e eu só vou ao hospital privado quando tenho algum problema de saúde e sou sempre muito bem atendida, tratada sem ter de esperar 6 horas para fazer um raio X!

      Eliminar
  95. As seguradoras são TODAS iguais... Quando não lhes interessa descartam-se praticamente sem aviso. No caso da Pipoca foi-lhes até conveniente que falhasse o pagamento. Conheço tantos casos de seguradoras que deixaram os clientes na mão. Ao meu mediador de seguros (!!) cancelaram o seguro de saúde quando começou a precisar dele, necessitou de colocar próteses nas ancas. A uma conhecida cancelaram o seguro da casa depois de um incêndio. A um colega (que foi internado depois de um grave acidente de mota a caminho do trabalho) não pagaram nada quando tentou acionar o seguro de acidentes de trabalho, pois as horas de trabalho que deixou de poder dar na altura "poderia dá-las mais para a frente", etc. Quando as pessoas descobrem um problema de saúde mais grave eles alegam que a pessoa já tinha esse problema antes de fazer o seguro e por isso não cobrem as despesas. Eu cá só tenho os seguros obrigatórios, carro, casa e acidentes de trabalho, e espero nunca precisar deles...

    Vera Silva

    ResponderEliminar
  96. Pipoca, Sendo a primeira vez que escrevo no seu blog, pense no seguinte ..... em caso de uma doença grave sabe onde vai parar?
    Claro que sabe ao SNS, por várias razões económicas que percebeu por experiência própria, mas a mais importante é que são os hospitais públicos que têm os melhores meios para todas as áreas!
    Num post anterior deste ano queixava-se do que paga ao estado, será que não está na hora de usufruir daquilo pelo qual paga?
    Eu já fui operada 2 vezes, o meu filho (tem 3 anos) uma vez :( e o meu marido duas (uma no privado correu MUITO MAL), pago uma fortuna ao estado em impostos ..... desculpe a franqueza mas quem come a carne também tem que roer os ossos.
    Eu marco consultas e solicito exames por email, tenho consultas do dia, peço baixa (por cauda do filho) por email .... a sério informe-se e poupe o seu dinheiro.
    Eu já tive seguro de saúde ..... e realmente é um atentado ao bolso porque é um negócio que tem de dar lucro!

    Isabel

    ResponderEliminar
  97. Vamos lá ver uma coisa, o seguro de saúde em Portugal ainda não é obrigatório. Portanto, é mais do que normal as seguradoras fazerem o que podem para ganhar dinheiro. É esse o seu objectivo: ganhar dinheiro através da venda de planos de seguros. Posto isto, também lhes cabe a si, definir que tipo de clientes querem ter para que possam prosseguir o seu objectivo, ou seja, ganhar dinheiro. Se estivéssemos a falar de um seguro automóvel, que é obrigatório, a história seria outra, porque aí não há solução, temos mesmo que o fazer. Mas com os seguros de saúde não. Muito menos a seguradora tem que manter contratos de seguro com quem não os paga, pois, está a dar-lhes prejuízo. Além de que houve claramente incumprimento contratual da parte de quem não pagou o prémio. Agora, o que acho deplorável no meio desta história, não é o cancelamento do seguro, mas sim a forma de agir da seguradora e dos seus empregados. Por isso (entenda-se, pela forma como foi tratada) a Pipoca devia fazer queixa e reclamar junto do Instituto de Seguros de Portugal (creio até que será para esta entidade que irá a queixa do livro de reclamações). Quanto ao SNS, certamente todos terão experiências negativas e positivas, tal como acontece com os privados. Agora, uma coisa é certa, quando algo de errado acontece no privado, para onde é que vai o doente? Para o público...Os seguros de saúde foram uma moda que se criou, parece que é fino ter seguro de saúde, e é à pobre ir para o público. Acho deplorável este tipo de pensamento, e acho deplorável que se trate o SNS da forma como se está a tratar, atirando os médicos para o privado porque no público são extremamente mal pagos. Há ainda muito para fazer nesta área para a saúde estar disponível para todos e da maneira que deve ser. Quanto ás seguradoras, são o que são... não é à toa que se diz que o seguro morreu de velho. Às vezes dão jeito, noutras nem tanto. Talvez o caso da saúde seja um destes últimos.

    ResponderEliminar
  98. Cara Ana Garcia,

    Caso necessite de alguma ajuda ou efectivar um Seguro novo, encontro-me ao seu inteiro dispor.

    Ass: Rita Sampaio (rita.sampaio@ambitoseguros.pt)

    ResponderEliminar
  99. Numa altura de crise como a que estamos a viver acredito que existam muitas pessoas que, mesmo sabendo que os seguros vão vencer, simplesmente não pagam. Ou porque raramente usam ou porque acham que não vão usar tão cedo, ou mesmo porque o dinheiro não estica e não dá mesmo. Ora, quando se vêm na necessidade de ir ao médico lembram-se que afinal querem re-activar o seguro. Ora o que seria das companhias se o fizessem a todos. Para isso temos as regras. Certamente na carta que enviam vem mencionado que caso não pague ficará sem ele. E não estamos a falar em dias, e sim meses. Atenção que não estou a dizer que é o caso da pipoca e que até acho que com a exposição pública que fez vai ser resolvido até com uma oferta ou algo semelhante. Mas a verdade é que eles não podem fazer isso a todos se não daqui a pouco ninguém pagava nos prazos e vinham meio ano depois (quando precisassem!) dizer que queriam re-activar.
    Tenho médis e estou satisfeita.

    ResponderEliminar
  100. ACONTECEU-ME EXACTAMENTE O MESMO MAS COM A ADVANCECARE. Tive o seguro 7 anos (+ coisa - coisa) e um dia misteriosamente a carta para pagamento não chegou. Só nos demos conta quando fomos uma urgência de pediatria a um fds e o cartão não estava activo. Ao reclamar na 2ª feira explicaram que estava cancelado por falta de pagamento. WHAT?!?!?!? Era a 1ª coisa a ser paga lá em casa. Pedi imediatamente novas instruções para pagamento nesse mesmo dia. NÃO PODE, APÓLICE CANCELADA, terá de fazer nova apólice. Fui à Açoreana Seguros no Porto onde "entre dentes" disseram que estávamos sinalizados por alto índice de sinistralidade e por esse motivo não seria aprovada nova apólice. Não reclamamos por escrito porque a versão oficial é a da falta de pagamento. É revoltante e vergonhoso......... Ainda hoje não consegui fazer um seguro decente com as condições que tinha!

    ResponderEliminar
  101. Também já ouvi coisas bem estranhas sobre eles e o não se conseguir falar com eles!

    ResponderEliminar
  102. Bom dia, gostaria antes de mais de lhe dizer que efectivamente o seu seguro de saúde foi anulado, única e exclusivamente por falta de pagamento, e que a desculpa de utilização excessiva se prende com o total desinteresse da companhia de seguros em reactivar o seguro, mesmo quando a Pipoca manifestou vontade de efectuar o pagamento por forma a reactivar o contracto. Cumpre-me referir que não sou utilizadora de seguro de saúde Multicare, apesar de o ter sido durante 25 anos, mas como trabalho na área e os meus pais são utilizadores da companhia em questão foi clara e evidente a mudança de politica de gestão dos contratos do seguro de saúde desde o inicio do ano.

    Assim, e por entender que o facto de se ter esquecido de ter provisão na conta à ordem não deve significar a anulação do contrato, uma vez que tem um agente mediador que deve informá-la da falta de pagamento (é o procedimento que adopto com os meus clientes), vinha por este meio apresentar-lhe os meus serviços gratuitos no sentido de tentar encontrar-lhe a melhor solução para a sua questão, uma vez que trabalho com as seguintes companhias: Allianz (o melhor produto do mercado relação capitais / preço), Médis, Saúde Prime, Victoria Seguros e Advance Care (Tranquilidade). Encontro-me totalmente à disposição para ajudar a Pipoca ou qualquer outro seguidor da Pipoca que se manifesta descontente, porque entendo que o mediador é fundamental para a relação positiva com a seguradora.

    ResponderEliminar
  103. Ah só para dizer que antes tinha medis e os meus pais deixaram de a poder pagar e eu quando fui reactivar a medis pedia lhes que n tivesse periodo de carência, então eles analisaram a situação e pediram me para pagar os meses que os meus pais n conseguiram pagar a apólice (só a minha parte) fiz e não tive problemas nenhuns :D... por isso não me venham com se deixarmos de pagar n existe volta a dar, existe sim... a médis foi muito correcta comigo e deixou me pagar o que estava em atraso e sem juros :D

    ResponderEliminar
  104. Pipoca, por força da minha profissão trabalho com uma seguradora, e confesso que nunca tive uma apólice de saúde cancelada por elevado índice de sinistralidade ( no caso das viaturas a situação reflecte-se no valor do prémio, e normalmente no de saúde também, com as devidas ressalvas da seguradora que não segura doenças pré existentes... o que na minha opinião não devia ser). Sou daquelas que acha que todos nós deviamos ter obrigatoriamente um seguro de saúde e as seguradoras, deviam respeitar os seus clientes, da mesma forma que nós o fazemos.

    De facto, quando uma apólice cancela por falta de pagamento, cancela, ponto, mas no teu caso foi uma suspensâo, ou seja, aguardavam pagamento.

    Uma sugestão que faço é fazer queixa ao Instituto de Seguros de Portugal, e saber até que ponto é legal esta postura, afinal, e mesmo não havendo uma resposta escrita, o cliente tem mais que fazer para simplesmente inventar uma historia destas, ainda para mais quando há meses que se disponibiliza para fazer o devido pagamento. Sou toda a favor de fazeres uso da imagem publica para dar a conhecer este caso, para que se veja bem o tratamento que é dado nestas questões.

    Se precisares de ajuda apita!

    ResponderEliminar
  105. Sou o brasileiro que lá acima citou que tb teve o mesmo problema no Brasil, com cancelamento do seguro de minha mae pq excesso de uso, so que no Brasil não adianta fazer nada. Aqui não sei, porque não passei por isso, se calhar tb não adiantava mto.- Tá aí a minha explicação pq q merd....do Brasil veio chamado a conversa....parce que c'est
    tous la même chose.......capito?...ou será que se eu falar em árabe entendem?
    DEAR LORD....madame.
    É isso aí Pipoca, bota a boca no trombone, como dizemos no Brasil.
    Tomara que a seguradora leia teu post e repense a atitude que teve.

    ResponderEliminar
  106. Pipoca, obrigada e parabéns porque partilhou este assunto connosco de uma forma muito directa e sem filtros. As seguradoras precisam de facto de rever o atendimento ao cliente porque o compromisso de atendimento e esclarecimento não é assegurado quando ocorrem problemas de falta de pagamento, por exemplo. Estamos a falar de seguros de saúde feito por humanos e para humanos por isso exige-se o mínimo de bom-senso e sensibilidade. Acredito que nessas empresas trabalhem pessoas competentes que saibam informar as suas equipas para prestar esclarecimentos via telefone ou email com todo o respeito e clareza. No entanto, para mim esta questão só me remete para algo que defendo. Vamos lá deixar estes senhores das seguradoras a falar sozinhos e voltar a acreditar no SNS. O nosso serviço nacional de saúde é dos melhores e só diz mal quem só conhece a realidade deste e de mais 3 ou 4 países. Os médicos e os enfermeiros dos nossos hospitais públicos são muito bons e merecem todo o nosso respeito e apoio. Optar por um seguro de saúde no privado é estar a encher os bolsos de quem brinca connosco e nos vira as costas quando mais precisamos.
    Solange Soares Marques

    ResponderEliminar
  107. Pois... Seguradoras... Eu tive um seguro de saúde da Açoreana (Advancecare) para mim e para o meu marido, quando infelizmente o meu marido teve que ser operado e, mesmo não tendo ultrapassado os limites que a apólice aplicava, aumentaram a mensalidade. Infelizmente passado meio ano ele teve que ser novamente operado qual não é o nosso espanto quando a Açoreana nos informa que não iriam renovar o contrato, pois houve um excesso de sinistralidade da parte do meu marido... Isto é de rir (sim, porque as pessoas adoecem porque lhes apetece e não tem nada mais interessante para fazer!!!)... Mas infelizmente parece-me que se tem vindo a tornar prática comum das seguradoras.

    ResponderEliminar
  108. Sra.fulana ou sr.fulano? Desempregada? Desempregado? Oh almas iluminadas! Acha mesmo que escrevia o que escrevi se não tivesse provas contra o "médico" mencionado? Oh gentinha cretina. Tratem-se no SNS ou no privado mas, tratem-se!

    ResponderEliminar
  109. infelizmente, as seguradoras funcionam de maneira a lucrar o máximo possível. só lhes interessam as pessoas que paguem os seguros e que não usufruam deles. por isso é que colocam os períodos de carência, se tiver doenças pré-existentes, as mesmas não são contempladas no seguro, e se tiver historial de família com doenças hereditárias, também esqueça que lhe façam o seguro. como começou a utilizar demais, não lhes dá lucro, logo descartaram-na, como fazem com todas as outras pessoas. Eu sempre fui atendia pelo SNS, tenho uma médica de família espectacular, e que às vezes não faz mais, devido aos cortes que se têm feito na saúde. Nos hospitais infelizmente a mesma coisa, porque só cortam, e tem que se fazer o mesmo trabalho com muito menos pessoas, e depois acontecem situações menos agradáveis :(

    ResponderEliminar
  110. Pois, tb aconteceu comigo. tinha seguro do carro na Liberty : tive dois pequenos acidentes : apenas chapa e danos irrisórios e fizeram-me o mesmo: cancelaram o seguro por elevado indice de sinistralidade. Fiquei estupefacta! Como te entendo Pipoca: até pensei que era só a mim que estas coisas aconteciam...Só lucros, gente que tenha acidentes não lhes serve...

    ResponderEliminar
  111. Pipoca,

    Aconteceu-me mais ou menos o mesmo - c/ a multicare - mas pelo que me lembro, recebi uma carta em casa a avisar que se nao pagasse, o contrato era denunciado e tenho quase a certeza que recebi uma a dizer que tinha sido revogado. Também não me chateei muito, porque tinha uma apólice que não era a que tinha pedido... também só percebi quando o cartão nao passou numa consulta. Marta

    ResponderEliminar
  112. Informação q poderá ser útil a quem pretenda mudar de seguradora: contactem a seguradora q pretende e informem-se sobre os períodos de carência quando se trata de transferência. Eu transferi da multicare para a medis e fui isenta de períodos de carência e o historial médico tendo em consideração é o do início do seguro da multicare (isto é importante para pessoas q entretanto descobriram alguma doença).

    ResponderEliminar
  113. Cara Pipoca não trabalho na Multicare mas numa parecida por isso vou-lhe explicar o que lhe devia ter sido explicado desde o início porque quase que aposto que isto que vou dizer foi o que aconteceu. Os seguros efectivamente anulam por falta de pagamento e isso já esta referido nas condições contratuais quando subscreve a apólice (este decreto surgiu para proteger o cliente de forma a que possa em caso de insatisfação mudar de seguradora sem ter que esperar pela renovação). Quando a Pipoca pediu para pagar já estamos a falar de uma reposição de apólice e como tal de certeza que a área de gestão de produto considerou que tendo em conta a chamada alta sinistralidade não vale a pena manter o cliente. É chato mas é assim que funciona em todas as seguradoras. Só condeno a falta de transparência em explicarem estas coisas aos clientes e o tempo que demoram para dar desculpa esfarrapada. E mais uma vez o mediador meteu os pés pelas mãos como é muito hábito. Como disse não trabalho nessa seguradora mas funcionam todas da mesma forma.
    Lara.

    ResponderEliminar

Teorias absolutamente espectaculares

AddThis