Pub SAPO pushdown

Xô, diabetes!

terça-feira, fevereiro 18, 2020

A idosa que habita dentro de mim vive com o pânico constante de algum dia vir a padecer de uma doença grave. Não há volta a dar, a hipocondria é uma cena que me assiste e acho que tão cedo isso não vai mudar. Ao mínimo sintoma é ver-me ligar para todos os amigos médicos que tenho, que já sabem do que a casa gasta e que me dizem sempre qualquer coisa como “isso não é nada”.
O passo seguinte é ligar para a Saúde 24, descrever todos os sintomas e maleitas passadas e encaminharem-me para o médico assistente. Em último recurso, acabo a fazer a pior coisinha que um hipocondríaco pode fazer: uma pesquisa no Google. Isto tem tanto de mau como de bom: por um lado, já me auto-diagnostiquei umas 368 doenças que não tinha (mas estava plenamente convencida que sim), por outro, já tenho praticamente uma licenciatura em Medicina, de tanto que já li (estou a brincar, médicos, não se enervem, cuidado com a tensão).

Mesmo sabendo que há mil e trezentas coisas que não devia fazer/comer porque são meio caminho andado para vir a ter um problema qualquer, a verdade é que continuo a fazê-las. Uma delas é enfardar gordices, assim forte e feio. Gosto de comer doces, pronto. Gomas, chocolates, não posso ter nada à mão que desaparece em menos de nada. Mas este ano estou no foco e tenho-me portado MIITO BEM, sem grandes pecados a assinalar.

Eu sei que às vezes abuso um bocadinho e que qualquer dia dou por mim e tenho o médico a dizer-me que estou a duas bolas de Berlim de ter Diabetes, mas como boa hipocondríaca que sou, também passo a vida a fazer análises. Eu sei que, supostamente, e se tudo estiver dentro da normalidade, basta fazer exames de seis em seis meses, mas e quando começo a sentir pontadas ali para o fígado? E aquela dor de cabeça que não passa por nada? É que nisto das doenças sigo um bocado o lema de “mais vale prevenir do que remediar” e sei que há doenças que são silenciosas, chegam assim quase sem dar sinal, como  acontece com a Diabetes Tipo 2. Ora este tipo de diabetes é daqueles que pode aparecer a qualquer altura da nossa vidinha. Um dia estamos alapadas a comer um pacote de amêndoas e no dia a seguir temos de andar a ler rótulos para perceber se podemos ou não comer aqueles cereais ao pequeno-almoço.

É que se acham que a diabetes é só coisa de velhotes e grávidas, então estão muito enganadinhos. Sabiam que em 2015 já mais de um milhão de pessoas entre os 20 e os 79 anos tinham diabetes em Portugal? E em todo o mundo são mais de 425 milhões! Milhões, pessoas, MILHÕES! Sendo que para aí 90% desta gente toda tem Diabetes Tipo 2. E porquê? Porque, tal como disse, esta é uma doença que não se faz anunciar. Não damos por ela e aparece quando menos se espera, de tal maneira que depois damos por nós a pensar que se calhar era melhor termos feito mais passeios a pé, comido menos gordices ou ido mais vezes ao ginásio. Não posso falar muito, que também não meto os pés no ginásio desde Junho ou coisa que o valha, mas ao menos vou fazendo análises.
O que a maioria das pessoas provavelmente não sabe é que a Diabetes Tipo 2, se não for diagnosticada e controlada, pode trazer vários problemas a longo prazo, inclusive provocar AVC’s, causar ataques cardíacos, retinopatia, problemas renais e, em casos mais graves, obriga até à amputação de membros inferiores (tipo dedos dos pés). Tudo cenários muito agradáveis, como estão a ver.

Por isso é que a melhor forma de impedir que venham a ter Diabetes Tipo 2 é prevenir e, acima de tudo, antecipar. Estar atento aos sinais do corpo já é meio caminho andado, e se começarem a notar que estão muitas vezes com fome ao longo do dia, que vão muitas vezes à casa de banho, estão sempre cansados ou que têm a visão mais turva, vão ao médico, falem com ele sobre este assunto e façam análises se for preciso. Lá está, “mais vale prevenir do que remediar.”

MLR code: MPR-PT-100085_Jan202

2 comentários:

  1. Olá então já aprendeu com a cocó na fralda a ser hipocondria isso não vale tem que arranjar outros assuntos

    ResponderEliminar
  2. Se tudo estiver bem "basta" fazer análises de 6 em 6 meses? O seu médico assistente faz-lhe essa recomendação? (atenção, estou espantada por achar demasiada frequência. Isso é a periodicidade recomendada a quem já tem diabetes e tem a doença controlada, não a quem é saudável!)

    ResponderEliminar

Teorias absolutamente espectaculares

AddThis