Pub SAPO pushdown

À borla também eu

quinta-feira, julho 05, 2018
Sempre que aqui no blog falo de alguma coisa - viagem, produto, restaurante - há sempre, SEMPRE um comentário que diz qualquer coisa como "pois, à borla também eu". Podem não ser estas as palavras exactas, mas a ideia anda à volta disto. Não falha, é fatal como o destino. Os exemplos mais recentes foram agora com o babyshower, não faltaram comentários, vários, a reforçar essa ideia, num tom entre a revolta e a injustiça.  

Para muita, muita gente, é inconcebível que alguém
receba cenas à pala. Regra geral, o problema não é os outros receberem. O mal é não serem eles a receber. Isso é que causa mesmo chatice. É muito aquela coisa "mas o que é que esta tem a mais do que eu para lhe darem tanta coisa?". A resposta é simples: tenho uma plataforma que chega a muita gente. É só mesmo isso que nos distingue. Não duvido que muitos de vós sejam mais inteligentes, mais giros, mais simpáticos, mais altruístas... enfim, mais boas pessoas assim em geral. Não duvido mesmo. Mas... quem são vocês? E não o pergunto em tom de desdém, menos ainda de superioridade. Mas para as marcas, aquelas que oferecem coisas, quem são vocês? Qual é o vosso raio de acção? O vosso nível de influência? Acredito que sejam muito populares no vosso círculo de amigos, que tenham centenas de contactos na vossa lista telefónica mas... quem é que sabe disso? Só mesmo vocês.

Eu consigo perceber mais ou menos que isto chateie. Também dou por mim a olhar para bloggers internacionais e a perguntar-me "mas por que raio é que a Chanel entope esta miúda de carteiras e eu nicles?". Mas passada a invejite e o despeito, olho para os números. E vejo que têm milhões de seguidores. E que eu sou só o fim desta cadeia alimentar. Ao pé delas, sou zerinhos para algumas (muitas) marcas.

Não nos enganemos: (quase) tudo isto é um negócio. Se uma marca me oferece alguma coisa, não é por simpatizar comigo, por achar que eu sou uma jóia de moça e que mereço muito. Não há almoços grátis. As marcas esperam um retorno. Esperam que eu fale delas nas minhas plataformas e que, com isso, cheguem a todos aqueles que me seguem. A mim dá-me jeito, porque muitas vezes sou paga e/recebo cenas fixes, a elas dá-lhes jeito porque publicitam-se. A chamada "win-win situation". Os blogs e instagrams desta vida são meios tão válidos como outros quaisquer. Provavelmente até mais eficazes do que um modelo publicitário mais tradicional, como uma página numa revista ou um anúncio de televisão.

Todos os estudos vão nesse sentido: o grosso da publicidade está a migrar para o online. Para terem uma ideia, em 2017 o investimento publicitário em papel foi de 34 milhões contra os 134 milhões do digital. Porquê? Porque é lá que estamos todos, pessoas cada vez menos dispostas a pagar por conteúdos, sejam eles quais forem. E, por isso, é lá que as marcas também querem estar. Podem comunicar de forma diferente, fazer coisas mais disruptivas, saber a quantas pessoas a mensagem chegou e, em alguns casos, ter até noção do impacto que essa comunicação teve nas vendas. Não acontece com tudo aquilo que menciono, é óbvio, mas muitas marcas fazem-me chegar o feedback que por ter falado do produto x ou y, o mesmo teve mais procura, em alguns casos até esgotou.

Quando o blog foi criado, nunca me passou pela cabecita que pudesse vir a despertar interesse comercial, não foi pensado com esse objectivo. Há (quase) 15 anos, as marcas estavam muiiiiiito longe de estar para aí viradas. Era um novo mundo que estava a começar e acho que ninguém percebeu logo a dimensão que viria a ter. As primeiras propostas só me começaram a aparecer ao fim de vários anos de blog, quando algumas marcas, mais pioneiras, olharam para esta nova forma de comunicar e lhe reconheceram potencial. Hoje em dia já não é bem assim. Diria que 90% das pessoas que criam blogs ou viram youtubers/instragramers, ja o fazem com um propósito claro: tentar obter vantagens, sejam elas quais forem (dinheiro, sucesso, reconhecimento, produtos grátis, viagens, etc e tal). Nada contra, é normal (apesar de, em muitos casos, já me parecer tudo meio clonado e mais do mesmo).

A maior parte das pessoas não tem a mínima ideia de como funciona este negócio. E acham que, por ser pago ou oferecido, toda a gente aceita tudo. Vivemos todos num imenso paraíso onde o dinheiro só nos entra na conta, nunca sai. Férias, refeições, roupa e calçado, produtos de beleza, renda da casa, escola dos putos, consultas médicas, gasóleo, contas da luz, é tudo uma maravilha. Só que não. No meu caso em específico, e tendo em conta que o blog é o meu trabalho, cobro um valor às marcas que me querem estar associadas. E, sinceramente, parece-me justo. Se estão a usufruir do meu espaço, da minha escrita, da minha criatividade, da minha influência (seja ela qual for) e dos meus seguidores, se foi o que eu escolhi para fazer da vida, então tenho de ser paga (porque, lá está, também me caem contas na caixa de correio). Significa isto que aceito TUDO o que me propõem, desde que seja pago? Não, longe disso.  Eu sei que para algumas pessoas é difícil acreditar, mas recuso muita coisa. Porque não me identifico, porque me parece difícil de comunicar, porque acho questionável, porque acho que não terá interesse para os meus leitores... enfim, por vários motivos. Deixo de ganhar dinheiro com frequência, mas prefiro isso a ter que vender a alma ao diabo.

E depois há coisas que, muitas vezes, não são pagas monetariamente, mas que valem a pena na mesma. Tipo, uma viagem incrível. Ou um carro (não, nunca me ofereceram nenhum). Mas uma vez mais, repito, não vale tudo. Há muitas marcas que dizem que gostavam de me oferecer isto ou aquilo e eu digo que não. Ou então enviam simplesmente, numa de lançar o barro à parede, tipo "vamos mandar e pode ser que ela até fale, mesmo sem lhe pagarmos". Umas vezes falo (se acho giro/útil/interessante), outras vezes não. E há muitas coisas de que falo espontaneamente, sem que haja qualquer contrapartida por detrás. A rubrica "Negócio da China" é um bom exemplo. Foi criada com o objectivo de dar a conhecer marcas portuguesas e nenhuma me paga por isso, faço-o voluntariamente. Em muitos casos, quase todos, as marcas só sabem que falei delas quando vêem a publicação no blog.

Já o disse, dúzias de vezes, que o blog me deu oportunidades que, de outra forma, dificilmente teria. Sobretudo se tivesse continuado a trabalhar como jornalista e a ganhar mal e porcamente. Se hoje viajo mais, se vou a restaurantes fixes ou se até posso comprar uma ou outra coisa mais cara, ao blog o devo. Mas também trabalho para isso, também me dedico a este projecto de corpo e alma há já uma porrada de anos, também invisto tempo e dinheiro, também tento reinventar-me E eu sei que parece uma coisa levezinha, fácil de se fazer, sobretudo quando comparado com profissões "a sério" e onde quase se sempre se tem muito menos retorno. Mas dá trabalho, dá mesmo, e eu faço questão que praticamente tudo neste espaço seja gerido por mim.

Toda a gente acha que é muito fixe viajar, mas se calhar já não achariam tão fixe ter de andar SEMPRE de computador atrás, e máquina fotográfica, e registar tudo o que se faz, e se vê, e se come, e com quem se fala. O que para vocês são só férias, para mim é trabalho, é uma preocupação constante. Não é uma queixa, é uma constatação. E claro que é melhor estar preocupada à beira de uma praia paradisíaca na Tailândia do que fechada num escritório em Lisboa, mas não deixa de ser cansativo. E de implicar muitas horas de trabalho quando se regressa, para tentar relatar a experiência da melhor forma possível. 

Alguém me deixou um comentário há pouco tempo a dizer que só falo daquilo que me pagam ou me oferecem, que se for eu a pagar fico calada. Não é completamente verdade, mas até faz algum sentido. Porque das poucas vezes que viajo ou faço alguma coisa sem ser a trabalho, quero é usufruir da experiência e não ter de estar preocupada com fotografias, filmagens, responsabilidades contratuais, etc e tal. A questão é que o que para mim É e DÁ trabalho, para muita gente é só boa vida e estar sempre a laurear a pevide. Há quem continue um bocadinho parado no tempo e tenha alguma dificuldade em perceber estas novas profissões, mas elas existem. E sim, implicam esforço, dedicação, polivalência e muitas e muitas horas de trabalho se queremos as coisas bem feitas (ontem, por exemplo, estive das dez da manhã às oito da noite a editar UM vídeo, só parei meia hora para almoçar).

Para terminar, volto ao início e à questão do "à borla também eu". A quem tende a menosprezar o trabalho de um blogger, eu sugiro que crie um. Mas assim a sério. Larguem a vossa profissão e atirem-se de cabeça, que foi o que eu fiz. Se acham fácil, se acham que não implica esforço algum, se acreditam que os seguidores caem do céu e que as marcas só nos oferecem coisas porque são queridas, então tenho a certeza que também conseguirão. Pelo caminho, espreitem só os resultados do estudo Figuras Públicas e Presença Digital 2018, realizado pela Markest, com o objectivo de conhecer a imagem que os portugueses têm das figuras públicas e a opinião sobre as suas principais características associadas à publicidade. Pode ser que ajude a perceber porque é que não há borlas para todos.


191 comentários:

  1. Assim é que é falar.

    ResponderEliminar
  2. O empreendedorismo causa sempre imensa inveja porque às vezes é só uma ideia que gera "milhões". E goste-se deste blog ou não a verdade é que ganhou esta batalha dos blogs, foi pioneira. E só por isso... clap clap clap.

    Invejators gonna invejate, e de caminho, aumentar as visualizações deste blog. Mais uma win-win situation :)

    ResponderEliminar
  3. Boa pipoca! ☺ bem falado
    Por isso e que eu sigo este espacinho ja prai a uns 14 anos!!! (Seguidora old school)

    ResponderEliminar
  4. Percebo tudo, concordo inteiramente. Só vê quem quer, e quem segue tem que perceber que isto não é Hobbie, é trabalho. Já tive fases que deixei de ler, outras que segui tudo mas continuo a cá vir porque gosto de a ler. Também gosto de cinema, tenho que pagar bilhete. Aqui tenho que gramar com recomendações pagas, parece-me justo. Continua!

    ResponderEliminar
  5. achei tão oportuno após a crónica do Guilherme Duarte

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A crónica do Guilherme, que estava excelente, ironizava os wannabes, os fakes que não sabem ao que andam e seguem uma fórmula estereotipada. Duvido que ele tivesse em mente uma profissional a sério como a Pipoca.

      Eliminar
    2. Não li a crónica do Guilherme Duarte, mas hoje em dia as bloggers/influencers/seja o que for, são um alvo fácil de piadas, um bom saco de pancada. O que não deixa de ser giro, tendo em conta que muitos humoristas (não é o caso do Guilherme) também vivem de borlas e patrocínios. Ou gostavam de viver.

      Eliminar
    3. -_-
      sonooooooooo

      Eliminar
    4. Para achar que o Guilherme Duarte se referia à Pipoca, é porque não está de todo dentro do 'mundo' das influenciadoras digitais. Vá ao youtube / instagram, pesquise um pouco por umas quantas jovens que fazem do youtube vida e logo percebe melhor a crónica do Guilherme.

      Eliminar
    5. Ae leu com atenção a crónica do Guilherme, reparou que ele menciona claramente as influencers que não tem conteúdo nenhum para além de publicidade descarada. Ora isso não é de todo o caso da Pipoca, que conteúdo não lhe falta...por issox mesmo que a pipoca tivesse lido a crónica, de certeza que não enfiava o barrete.. :)

      Eliminar
    6. Esse/a anónimo/a das 11:52 é mesmo pateta!! Ou então é um/a adolescente!!

      Eliminar
    7. sabe uma coisa
      Anónimo05 julho, 2018 12:30 o que adoro ser pateta = )

      Eliminar
    8. 11:52 e 16:12 - há quem perceba modificar ou adaptar comportamento como uma forma de evoluir de acordo com as circunstâncias e também há quem teime em ficar na "caixa" que construiu para si.
      Qual a melhor opção?

      Eliminar
  6. Caramba, a inveja - se há uma coisa que era bom conseguirmos mudar em nós, e que só nos ia beneficiar a todos, e ajudar a que nos unissemos e criássemos sinergias que seriam benéficas para todos era deixarmos de ser invejosos do bem dos outros, o acharmos que os outros conseguem sempre as coisas sem mexerem uma palha, o que não é assim - yeah, you may say I'm a dreamer ......

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Concordo a 100%. Digo mais: eu não tenho inveja de ninguém, a não ser de quem come e não engorda. :D

      Eliminar
  7. U go Pipoca *palmas*
    Aplaudo-a de pé, pela coragem e determinação que teve em largar tudo para se dedicar a uma coisa de futuro incerto.

    Desculpa a expressão, mas é uma mulher com tomates!

    ResponderEliminar
  8. À uns anos quando comprava uma Máxima ou uma Elle a revista era grossa, muitas páginas de publicidade. Esta semana comprei a Máxima porque "oferecia" um creme da Rituals e achei a revista muito fina, a publicidade já não enche a revista.
    Gosto de ler blogs, gosto de ler o teu blog e gosto de babar com algumas das cenas que recebes :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Há uns anos!!!! Não é dificil...

      Eliminar
    2. Anónimo das 13h19, isto não é um blog de correcção, mas aproveitando a sua ajuda, fica a fica difícil e não "dificil", sim?

      Eliminar
    3. Obrigada pela correção! Fico feliz pela parte dos acentos ter corrido bem na primária (apesar de um corretor automático ajudar... o seu erro obriga a conhecimentos de português). Duas notas:
      correção já não tem c antes do ç (imagino que seja uma daquelas criaturas que é contra o acordo, apesar de nunca ter lido o mesmo, mas depois nem português antes ou depois do acordo escreve)
      . Não percebo a parte do "fica a fica". É o que da (também sei que tem acento) escrever nervosa. Para a próxima respire fundo e sorria.

      Eliminar
    4. Ai o telemóvel a tramar-me :) - "fica a dica" e não "fica a fica" ;) Escrever nervosa nunca, que sou uma pessoa serena e bem disposta e sim, escrevi sem recorrer ao acordo que li, estudei e apliquei quando necessário. Veja só que até trabalhei em educação anos e anos, área na qual tenho um mestrado (mas sim, foi na primária que aprendi os acentos). Em contexto profissional escrevo com acordo, no pessoal quase nunca. E há tantos escritores, artistas e blogguers que também não o usam. Só mais uma dica - não trate as pessoas por criatura - diz tão mais de si do que mim. Para terminar, não costumo corrigir as pessoas, porque não me compete, nem sou o supra sumo da escrita, não é a minha área nem ganho dinheiro com tal, mas não resisti ao seu "dificil" depois de corrigir outra pessoa. Fique bem!

      Eliminar
    5. Correcção pode continuar a levar c antes do ç porque nada obriga a que no dia-a-dia as pessoas optem por escrever com o novo acordo, pelo que não pode ser considerado um erro.

      Eliminar
    6. Trabalhou anos em educação? Isto explica a razão por ser tão comum o erro que deu então. Ah e achar que criatura é ofensivo. Lá está. É o mestrado.ou não é nervosa, porém ofende-se com pouco.
      Quanto à Maria de facto o mundo é livre até pode escrever "à muito tempo" se quiser e o Fernando Pessoa também foi contra o acordo de 1911 e a verdade é que ninguém o lê atualmente como ele escrevia. Logo por mim pode ser uma verdadeira purista e escrever como era antes de todos os acordos (os meses eram antes do acordo da década de 40 com minuscula logo tenha atenção). Também pode continuar a escrever recepção mas está a escrever no português do Brasil. Porque em Portugal perde o "p". Mas como a Maria diz cada um escreve como quer.

      Eliminar
    7. Assim como assim a Pipoca também não usa o Acordo. Eu também não o uso. E de certeza estarão aqui muitas mais pessoas que também não usam.

      Eliminar
    8. Adoro quando querem meter no mesmo saco a falta de acento em "dificil" e a troca de um tempo verbal (há, do verbo haver) pela crase da preposição a com o artigo a (à). Um é uma falta de atenção, já o outro... é um erro crasso de português que está difícil de erradicar e que quando alguém vem apontar é logo apelidado de "chatinho"...

      Eliminar
    9. Anónima da 01:05 a mim parece-me que você é que está nervosa até mais não. Até se engana na pontuação :D Deixe lá os erros dos outros mulher e vá comer pipocas!

      Eliminar
    10. Foi o que escrevi: cada um escreve como quer, pode não estar correto mas existe liberdade artística. Mas peço coerência e que escrevam então antes da Reforma de 1911 e o Acordo de 45. Ah e respeitem a forma como o Fernando Pessoa queria ser lido (que foi contra a Reforma de 11) e quando o citarem escrevam com a ortografia da época. É um sinal de respeito pelo poeta.

      Eliminar
    11. Anonimo das 14.09 obrigada!

      Anonima 14.15 não sabe que tratar as pessoas por você é ma (falta o acento, eu sei) educação.
      De facto dei uma falha ali na pontuação, admito (todavia, numa so - tem acento- frase a anonima - tem acento- não acerta..). e agradeço.
      Não estava, mas tinha razões para ficar nervosa :
      - pessoas que afirmam trabalhar em educação e que dão um erro básico, mas que explica porque perdura o mesmo.

      - e outro problema constante que é tratar as pessoas por você. Pode tratar por a X, a anonima... eu sei lá... mas você é uma falta de educação espero que não fale dessa forma com quem não conhece.

      Eliminar
    12. Anónima das 17:34, eu sou a Anónima que trabalhou em educação e esse foi o meu último comentário - o de ontem às 20h24. Os seguintes não são meus. Lamentavelmente accionei (sem acordo) os comentários e continuo a receber notificações para este post e para estes comentários desnecessários e que só fogem ao assunto de um post da Pipoca. Não queria chegar a este ponto, nem irritá-la, nem causar tanto sururu só por ter brincado com a situação de ter corrigido outra pessoa e ter cometido um erro - sim, não comparável com o À, mas achei irónico e lamento se isso a transtornou ao ponto de tentar provocar-me e pegar na minha educação para tal. Tudo de bom para si.

      Eliminar
  9. Parabéns pela excelente explicação. Talvez alguns haters ou invejosos percebam, ou talvez sejam casos perdidos. Mas foi uma exemplar descrição de uma nova profissão ainda pouco compreendida!

    ResponderEliminar
  10. As pessoas consideram sempre, normalmente se ganham mal, têm trabalhos muito exigentes e mal pagos, têm vidas de trampa, ter apenas dinheiro para os bens essenciais, ter um marido que não ajuda, não ter tempo nada, que o que tu fazes não é trabalho!
    Já diz a minha mãe, que os quer bom que os arranje! é bem mais fácil criticar o suposto facilitismo do que lutar por algo melhor
    Sandra

    ResponderEliminar
  11. Go, go, go Pipoca!
    Adorei que falasses disto. Eu não "sofro" muito com isso porque tanto o meu blog como o canal são mini-mini-mini mas, ainda assim, acho importante tocar nestes pontos... mais que não seja para ver se os haters desandam!

    ResponderEliminar
  12. Pipoca, acho sinceramente que não é a pipoca que causa 'especie' mas sim tantas e tantas que publicitar tudo é mais alguma coisa. Se num dia apelam a uma alimentação saudável e com biológicos, no outro dia fazem publicidade ao McDonalds. Ou fazem ainda publicidade só porque sim, como a polémica com a Rita Pereira e a publicidade ao cartão de crédito, em que a fofinha dizia q ia pagar as viagens em prestações. Menos.
    Há poucas bloggers a trabalhar como deve ser e a respeitar o leitor, e a pipoca sabe disso.

    ResponderEliminar
  13. Ana,
    totalmente solidária com a sua "indignação" por esse tipo de comentários. Até porque, apesar de não a conhecer, acredito que todo o seu sucesso é fruto de anos de trabalho, investimento pessoal, exposição pública (que tem também muitos senão), inteligência e capacidade de escrita criativa. Todas estas qualidades reunidas numa só pessoa conduzem sempre ao sucesso!
    E a Ana foi efectivamente pioneira nesta área e abriu portas para outras pessoas também conseguirem desenvolver uma actividade profissional nesta área!
    O problema, na minha humilde opinião, está do lado das marcas! As pessoas à frente do marketing das empresas não têm sido muito inteligentes a gerir esta interacção com os blogers. Para mim, um produto publicitado em 10 blog ao mesmo tempo perde toda e qualquer credibilidade... porque é impossível que dez pessoas achem o produto fantástico e maravilhoso, em simultâneo, só com menção de aspectos positivos e nenhum negativo... isto para mim não faz sentido enquanto consumidora! Poderá eventualmente fazer sentido às pessoas de publicidade (sou da área da saúde), mas para mim como consumidora, isto é um descrédito total para o produto... adicionalmente a isto, ainda se coloca o problema de os textos serem na maior parte das vezes sofríveis e pobrezinhos de conteúdo... porque uma coisa é pagarem-lhe 500, 1000, 2000 euros (não sei, não quero saber quanto) por um texto e a marca sabe que vai ter um texto engraçado, encaixado muitas vezes numa quasi experiência pessoal, enfim...sempre um texto publicitário, mas que na maior parte das vezes vale a pena ler como um conteúdo por si, e não só pela publicidade. Agora isto não se passa na maior parte dos outros blogs (porque lá está foram criados com um objectivo puramente comercial, e muitas vezes os texto estão recheados até com erros ortográficos).
    Tudo o resto é pura dor de cotovelo... mas olhe para isso nada como publicitar um bepanthene! :) pode ser que ajude as pessoas nesta situação difícil de olhar sempre para o lado e nunca para si...
    Bj
    Carla

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Subscrevo na íntegra este comentário!
      (Exceto a parte do bepanthene que não é propriamente eficaz na dor de cotovelo ihihih, brincadeira)

      Eliminar
    2. Ahahahahahah Ahahahahahah. muito bom este comentário!! Excelente texto Ana.👏

      Eliminar
    3. De acordo com essa parte de as marcas investirem em 10 blogs e, ao mesmo tempo, quererem uma comunicação espontânea. É impossível e alerto sempre as marcas nesse sentido. Acho muito pouco eficaz.

      Eliminar
    4. É isto. Nada contra haver acordos com marcas e a Pipoca consegue fazer muito bem a fusão entre publicidade e relato pessoal.
      O problema é quando, de repente, 10 bloggers acordam com uma súbita vontade de proclamar o quão maravilhosas são as pastilhas da louça da marca x ou o protector solar da marca y. Fica só ridículo..

      Eliminar
    5. De facto, para alguns de nós cai muito mal quando as marcas fazem isso, mas no fundo a coisa deve funcionar. É o efeito moda. Ver o mesmo produto de repente em todo o lado deve criar uma sensação de necessidade, de moda, de bora lá comprar isto imediatamente já que toda a gente está a usar.

      Eliminar
    6. Totalmente de acordo!! Quando todooooos os blogs referem que usam, por exemplo, a latinha x da vasenol, a mim consumidora, só me parece que a marca está desesperada em publicitar o produto, descredibilizando-o totalmente. Resultado?? Não pesquiso sobre ele, passo a frente nas publicações e consequentemente, nunca compro.

      Eliminar
  14. Belíssimo texto, percebo que seja um trabalho com muito investimento, onde se aposta o corpo e alma, e no meio de tantos ou se faz por gosto e com muito trabalho ou é só mais um. Mas antes de toda esta moda de influencers e publicidades, unboxings e recebidos, já alguns bloguers tinham notoriedade e tinham porquê? porque interessavam-nos as pessoas, as suas opiniões, a sua identidade tal como eram, porque inspiravam....agora com tanta publicidade cada vez estão mais concentrados nisso e vão perdendo a sua essência e individualidade, quem é que se identifica com uma pessoa que transfere a sua individualidade para um veículo publicitário? que praticamente só tem posts de publicidades, hastags de marcas, fotos de marcas, vídeos de marcas etc. Não foi por nada disso que passei a seguir os bloguers ou influencers... e cada vez os sigo menos. Percebo as contas por pagar...mas existe um exagero pelo qual vão perdendo a credibilidade. Como é que eram antes desta onda de publicidade? muitos já nem se devem lembrar.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É mesmo isto. Farta de blogs onde quase todos os conteúdos têm uma finalidade comercial. Há poucos que ainda conseguem manter a sua autenticidade, mantendo na mesma algumas parcerias comerciais. Eu percebo todos os pontos de vista que a Pipoca apresenta como influencer e como blogger, mas atentem no seguinte: não há fórmulas eternas e, tal como o exemplo que se dá em relação à imprensa, daqui a uns anos vamos assistir ao fim deste tipo de plataformas, pelo menos da forma como estão construídas, então eu vou ler um blog que só publicita? Desinteressante, no mínimo, mesmo que cruze essa comunicação com a sua personalidade. Apenas mais uma opinião para o debate.

      Eliminar
  15. Pipoca, perdoa-me por ser uma picuinhas do pior, mas tecnicamente o dito "elo mais fraco" da cadeia alimentar é o início e não o fim. O fim da cadeia alimentar é basicamente o "rei da selva", porque é o predador mais forte, daí ficar no final. E percebi que querias dizer que eras a mais fraquita, quando comparada com as bloggers internacionais (embora discorde, onde têm elas o teu humor?). Perdoa-me, não resisti :P Que continues a receber muitas cenas à pala para nos mostrares!!!

    ResponderEliminar
  16. Desculpa mas isto parece um “fishing for cumpliments”... não precisas de justificar te , eu já vim aqui muito ,atualmente estou muito virada para o Instagram. Bjos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. *compliments

      Pipoca - ideia para um texto: pessoas que querem ser modernaças e escrever em inglês mas não sabem inglês...

      Eliminar
    2. Eu sei que era compliments. Enganei me.

      Eliminar
    3. Pipoca ideia para um texto: pessoas que se acham o supra sumo do domínio da escrita (em português e outras), e passam o tempo a corrigir os erros dos outros...será altruísmo, ou uma frustração qualquer que é minimizada a apontar os erros nos outros e assim sentirem se superiores, do estilo "escrevo melhor do que tu"?
      Não me serviu a carapuça, raramente dou erros, mas irritam me os professores de bancada das redes sociais..

      Eliminar
    4. Antes do texto sobre pessoas que não sabem inglês eu sugiro a publicação de um texto sobre as pessoas que não sabem falar/escrever português, a nossa língua mãe, e o estado do ensino no que à língua portuguesa diz respeito.

      Eliminar
    5. Tudo depende da forma como os erros são corrigidos, neste caso a resposta foi rude, no entanto sim acho que os erros devem ser apontados, para que as pessoas realmente aprenderem e não para rebaixar as pessoas, como pareceu ser este caso... apesar de nunca sabermos como as pessoas do outro lado vão reagir mesmo que o erro seja apontado de forma "educativa"....


      Não considero de todo que possua o domínio da língua portuguesa mas a sua pouca modéstia foi engraçada devido ao erro na frase anterior (*sentirem-se)! a minha religião é o humor! :D


      Eliminar
    6. Adorei o comentário Anónimo das 12:28, que raramente dá erros, mas que num só comentário escreve "supra sumo", "sentirem se" e "irritam me". Que pena que o "raramente" se tenha manifestado logo aqui em público...E se há coisa que adoro também são virgens ofendidas. As pessoas põem-se a jeito, comentam um blog que é visto por milhares e milhares de pessoas todos os dias, dizem o que lhes apetece, mas se alguém lhes corrige um erro ortográfico, Deus me livre que já é frustração...

      Eliminar
    7. Eu não assumo a substituição do hífen por um espaço em comentários, mensagens, etc. como um erro. Não o faço, mas acho que está subentendida a presença de um «-». Simplesmente, é mais chato escrever o hífen no teclado do telemóvel - portanto, e para não ficar tudo junto, usa-se um espaço... Nada de dramático. Acho que ninguém escreveria "sentirem se" por achar ser esta a forma correta, seria muito estranho.

      Eliminar
    8. Anónimo das 16:05, é claro que é um erro!
      Culpar o telemóvel é só ridículo dado que o dicionário vai memorizando as palavras. Tem é de as escrever correctamente alguma vez na vida.
      Com ou sem acordo ortográfico, dar-se ao trabalho de justificar o não uso do hífen dessa forma revela preguiça ou simplesmente estupidez. Simples!

      Eliminar
  17. Se tens este sucesso todo é porque o merece e trabalhaste sempre para isso!
    Também tenho um blog super bebé e sigo-te aos anos e sem duvida que foste uma inspiração que para que tivesse coragem de me aventurar nisto.
    Tenho o meu trabalho de 8h por dia quando assim é, e não sendo especialista, o blog já dá muito trabalho. Quando gostas do que fazes e queres ter cuidado e fazer o melhor, perdemos sempre mais tempo mas com gosto.
    Parabéns Pipoca!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Somos duas, subscrevo tudo o que a rritaarocha escreveu,este ano decidi finalmente criar um blogue por causa da pipoca que é sem dúvida uma grande inspiração, e sim um blogue dá um trabalho dos diabos, ainda por cima ter que conciliar com um emprego de quase 10 horas.O meu blogue até que é bem pequenino em comparação ao blogue da pipoca mais doce, que aliás tem conteúdo de muita qualidade, e sim, ela até pode receber coisas, mas vê-se que o blogue dela é um reflexo de si mesma e não apenas uma rampa para publicitar produtos, e para mim isso faz toda a diferença.

      Eliminar
  18. Um pouco num outro sentido eu dizia ontem ao meu marido que NÃO gostava de ter a vida de blogger/youtuber. Isto veio no seguimento do vídeo que a Maria Vaidosa colocou sobre o primeiro banho da filha. Uma pessoa que vive do youtube tem de andar sempre com a câmara de filmas na mão... deve ser tão cansativo! Nem se consegue aproveitar o momento (eu sou aquela pessoa que vai aos concertos e não tira fotos/filma... posso não ficar com um recordação para a vida, mas pelo menos aproveitei o momento ao máximo e não estive ali com a atenção dividida entre ver/ouvir e olhar para a máquina para ter a certeza que está a ficar alguma coisa de jeito). Ora então, dizia eu... comecei a pensar que a rapariga nem sequer no primeiro banho da filha conseguiu aproveitar o momento, porque "teve" de filmar para mostrar aos seguidores, para consolidar a sua posição no mundo digital.
    Percebo a sua indignação com o tema Pipoca - e por isso lhe deixo aqui o meu testemunho totalmente contrário à maioria dos que recebe! :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Possivelmente não foi mesmo o primeiro banho..

      Eliminar
    2. Era o que ia dizer... foi só para a “câmara”

      Eliminar
    3. A vida de um youtuber não é bem assim. Pode parecer que os youtubers passam a vida a filmar, mas a verdade é que eles só filmam fragmentos do seu dia a dia. Há muita coisa que nós, seguidores, não vemos. Se reparar, o vídeo do primeiro banho publicado pela Maria Vaidosa só tem 2 minutos. Acha que o banho durou 2 minutos? Claro que não. Além disso, era o namorado dela que estava a filmar, pelo que ela pode aproveitar o momento (e ele também, estar a segurar na câmara não impede que ele usufrua do momento).
      Outra coisa, ela não "teve" que filmar o primeiro banho, ela fez isso porque quis. Aliás, acho que nenhum dos seguidores estava a contar com esse vídeo tão especial e tão íntimo, portanto se ela não tivesse publicado esse vídeo ninguém protestaria e a sua posição no mundo digital seria a mesma.

      Eliminar
    4. Mas acha que aquele foi MESMO o primeiro banho da bebé? :) Eu também filmei um para recordação pessoal e privada, obviamente sem estar editado. Aparte o conteúdo, que podia ter sido muito desinteressante em outro canal, o nível de edição daquele casal fez com que fosse uma partilha que gostei de ver.

      Eliminar
    5. Pipoca...deixe lá, como vê não são só as suas palavras que as pessoas não entendem, não é só a sua ironia, nem as suas "aspas" que as pessoas não vêem! Acontece o mesmo com algumas das suas comentadoras, como aconteceu aqui!
      É óbvio que eu imagino que não tenha sido o primeiro banho, mas sou só eu que acho que sendo o 1º ou 10º que é uma coisa demasiado íntima para se fazer um vídeo para estar disponível no mundo inteiro? Também é mais do que claro que ela não teve de fazer esse vídeo... por alguma razão lá estavam as aspas na palavra! Também é óbvio que o banho não demorou 2 minutos... por amor de Deus!
      Ninguém ia reclamar a falta do vídeo... mas alguém duvida que tenha sido uma jogada de marketing? A posição dela no mundo digital manter-se-ia se ela não tivesse colocado o vídeo do banho - mas tal como a Cherry refere é um vídeo de um momento especial e íntimo que faz com que os seguidores se sintam mais próximos da youtuber em questão..
      Caso não tenham reparado, o meu comentário era no sentido de fazer perceber à Pipoca que apesar de existir muita gente a invejar o lado bom deste tipo de vida/trabalho e esquecer-se do lado mais trabalhoso, eu sou ao contrário, em que preferia abdicar do lado bom, para evitar o lado mais trabalhoso/exposição de intimidade, etc... a intenção do comentário não era de todo dizer mal da Maria Vaidosa ou do tipo de conteúdos que faz - até porque gosto bastante dele e sigo-a há algum tempo.

      Eliminar
    6. Eu não achei que fosse,até porque so primeiro banho do bebé é dado na maternidade. Poderá ter sido o primeiro banho em casa se calhar :).

      Eliminar
  19. Parabéns, tem muito mérito!

    ResponderEliminar
  20. Ai Pipoca, percebo a essência da tua mensagem mas fiquei um bocadinho triste. Sei que deves ter motivos para te sentir chateada mas escusavas de ser tão incisiva. Não me senti visada pela tua critica mas no entanto uma afirmação tua fez-me sentir que estavas a meter-me no mesmo que elas. Quem são vocês? Caramba, tinhas mesmo necessidade de dizer isso?
    Sei que não sou ninguém para o mundo, mas era perfeitamente escusado estar a ser constantemente relembrada disso. Senti-me pisada. Peço-te desculpa mas pela primeira vez desde que cá venho, achei-te uma pessoa muito narcisista.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Se leu o texto, percebeu a mensagem e esse "quem são vocês?". A pergunta é feita da perspectiva das marcas e de quem investe em publicidade. É o que explica que uns tenham cenas à borla e outros não. Resume-se a visibilidade.

      Eliminar
    2. Leia outra vez....interpretar Português....

      Eliminar
    3. Sentiu-se pisada?
      Acho que ficou bem claro o que a Ana queria dizer com aquilo. A mesma explica o quis dizer.
      Essa auto-estima deve estar mesmo em baixo para achar que a pipoca está a relembrá-la que não é ninguém.
      Minha senhora eleve essa auto-estima, nem tudo é sobre nós.

      Eliminar
    4. #Quem sou eu?#
      Salvei/ajudei a salvar a vida de centenas de pessoas.

      Eliminar
    5. Anónimos das 12:51 enquanto salvava vidas publicitava sobre marcas e influenciava as pessoas que salvava? Porque é disso que aqui se está a falar! Se salva vida, bom para si, mas estamos estamos a falar de influenciadores/bloggers e o quanto as marcas investem em publicidade...enquanto "salva vidas" quer publicitar a marca "Quem disse Berenice"?

      Eliminar
    6. Aposto que leu essa frase e parou de imediato, uma vez que logo na frase seguinte, a Ana explica o sentido dessa pergunta.

      Eliminar
    7. E eu pergunto quem é você AGM neste universo de bloggers?em Portugal vai se safando mas quando se andam por outras bandas e se regressa aqui ....sem comparação possível. Inveja?zero. Não trocava o meu emprego com o seu mas é q não mesmo pq sei onde estarei daqui a 20 anos já este blog...Ah e moderem se seguidoras obcecadas,tou a dar a minha opinião q é tão válida como a de qq um.Confesso q tou farta da conversa da inveja q por aqui circula. Inveja do quê???puxar pela mona a toda à hora e momento para agradar a gregos e troianos.Socorro!

      Eliminar
    8. Vivo em Portugal, trabalho em Portugal e escrevo exclusivamente em português. A minha (eventual) influência cinge-se ao meio em que me movo.

      Quanto a saber onde é que vai estar daqui a 20 anos... boa sorte com essas certezas todas.

      Eliminar
    9. Acho que a Pipoca esteve e foi bastante pertinente. Muitas pessoas não tem noção do que é um blogger a "tempo inteiro". Exige empenho e dedicação, tal como outro trabalho qualquer.
      Foi otimo, ter explicado como funciona para as pessoas terem uma visão diferente do que é ter um blog "a sério".

      Eliminar
    10. Ao (À) Anónimo de05 julho, 2018 16:12 - não diria que tem inveja, mas azedume sobra-lhe com fartura. Ninguém sabe onde estará daqui a 20 anos, cada um trilha o seu caminho. Foque-se no seu e seja feliz.

      Eliminar
    11. Anónima das 16h12, primeiro, mesmo que quisesse não conseguiria nunca ter um blogue de sucesso... com a sua escrita... portanto acredito que não seja inveja e que não queira trocar com a Pipoca, porque sabe que não pode e nunca conseguiria chegar onde ela chegou!
      Segundo, não sabe e não pode saber onde estará daqui a 20 anos, nem em termos pessoais, nem em termos profissionais, não seja presunçosa dessa maneira.

      Eliminar
    12. Anonima das 16:12 tem de me dizer onde comprou a sua bola de cristal para conseguir fazer futurologia, porque o comum dos mortais não sabe dizer onde estará daqui a 20 anos, mas gabo-lhe a certeza que tem...olhe eu nem sei onde vou estar daqui a um mês, quanto mais daqui a 20 anos.

      Eliminar
    13. Se não morrer e nem eu nem os meus mais próximos adoecerem,sim sei onde estarei daqui a 20 anos.E claro falo a nível profissional.Obrigado Ana e restantes pela preocupação .Bom tinha mais algumas coisas para dizer mas tenho de ir dar um mergulho....e daqui a uns 20 min estender me ao sol.besos*

      Eliminar
    14. Quem se sente pisada por esta pergunta da Pips claramente sofre de síndrome de inferioridade

      Eliminar
    15. Ah e anonima das 17h52 ao menos sei ler e interpretar...quer que lhe faça um desenho?? Que discurso tão infantil...A Ana não precisa desse tipo de defensoras.Que coisa tão portuguesa essa teoria da inveja.

      Eliminar
    16. Oin??? Mas acabei de lhe dizer que sabia que não era inveja, nem acho que seja. É uma constatação de que sabe que não conseguiria ter um blogue de sucesso, porque não escreve bem. E já agora, também não sabe interpretar bem.
      E continuo a achar que em termos profissionais não saberá onde vai estar daqui a 20 anos, essa afirmação é de uma presunção que dá dó.

      Eliminar
    17. Oh ceus ao que esta alminha me obriga. Continuo a dizer q não sabe interpretar...mas onde é q eu escrevo q gostava de ter um blogue??até me fez rir...mas já que insiste tem toda a razão,não tenho capacidade para tal assim como não conseguiria trabalhar num ipo com crianças por ex.Percebeu onde quero chegar?Não escrevo bem:) mas já leu algum artigo meu??Quanto ao meu futuro prifissional não é presunção é um facto. Tenha dó de outras coisas,coisas q realmente mereçam a pena.

      Eliminar
    18. Cada vez que visito este blogue, só ouço falar de inveja nos comentários. Será que o blogue da Pipoca só vive disso?

      Eliminar
    19. Ler um artigo seu???? Ah, ah, ah, não boa alma, basta ler os seus comentários para ver como escreve mal.

      Eliminar
    20. Finalmente alguém me percebeu....

      Eliminar
    21. O q eu gosto qd as pessoas gostam de "comer" palavras...
      'Tou a achar que será um futuro de blogues em modo "palavreado.come"

      Eliminar
    22. Anónimo das 22h59 às vezes também me questino sobre isso, a verdade é que se fala muito de inveja aqui no blogue.Sinceramente sem necessidade nenhuma.Anónimo das 00h48 menos um bocadinho...Não foi você que falou em presuncao?É uma pessoa muito coerente sem dúvida.

      Eliminar
    23. Presuncao? Não sei o que é isso.

      Eliminar
    24. E estupidez já ouviu falar? Deve ser bem presunÇosa sim! Os seus comentários falam por si.

      Eliminar
    25. Para terminar, lhe digo que não, não sou estúpida, nem presunçosa, mesmo nada. E a teoria da inveja, também é para mim muito redutora. Nunca lhe disse nos meus comentários que achava que tinha inveja.
      Pela sua escrita e pelo que nos foi dado a entender, já deu para perceber que não mora em Portugal, nada contra, foi provavelmente à procura de uma vida melhor, mas não fique com a mania que quem cá ficou são todas pessoas estúpidas e ignorantes, não somos e pasme-se, também conhecemos bloggers internacionais.
      O meu primeiro comentário foi no sentido de criticar quem acha que sabe exatamente onde estará daqui a 20 anos e sim, continuo a achar que quem assume essas certezas todas na vida não está a ver as coisas com clareza. Tanta coisa pode acontecer...
      E dizer a outra pessoa que sabe exatamente onde estará em termos profissionais e a outra provavelmente não terá nada, é muito presunçoso da sua parte (foi o que disse à Pipoca).

      Desejo-lhe tudo de bom e não tenciono voltar a respoder-lhe, sou demasiado bem educada para este "bate boca" - foi a anónima que primeiro utilizou as expressões como obcecadas, alminha, mona, etc.

      P.S. E sim, não escreve bem.

      Eliminar
    26. Cara anonima sou eu, a leitora que não sabe escrever.Sim porque os comentários escritos antes deste não foram todos ( mal) escritos por mim.A única razão que me traz cá novamente é fazer lhe entender que eu jamais escrevi que "a outra provavelmente não terá nada".Será que uma pessoa tão inteligente como você não percebeu que eu apenas quis dizer que eu era incapaz de viver na incerteza deste mundo dos blogues???Que tal como ela, a minha pergunta do quem é você tem exatamente a mesma intenção?Não sou a maior fã da PMD mas gosto de alguns textos e por isso mesmo cá venho com alguma regularidade.Alias,ao contrário do que possa pensar,que este blog exista até a AGM nos recomendar pomadas para a artrose. E porque tanta comichão lhe faz eu ter o meu futuro profissional assegurado?Ah e não,não trabalho fora de portugal.Cheira me que deve ser muito nova dado o discurso tão infantilizado"foi você que começou blabla".Faça isso,ficamos por aqui.Felicidades*

      Eliminar
  21. Gostei do texto, maaaaas continuo a ter saudades de quando o blog tinha mais textos pessoais/espontâneos e menos publicidade. Percebo a mudança e faz parte mas, para mim, perdeu em qualidade, e não acho que as duas coisas sejam incompatíveis.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Concordo. Sinto falta de textos sobre leitura, temas atuais, coisas do dia a dia...

      Eliminar
  22. O "problema" disto tudo é a forma como o consumidor portugues se deixa influenciar. Se desse mais importancia a outras coisas talvez nao tivessemos tantos bloggers ou figuras publicas como cara de grandes marcas. É o marketing que temos hoje em dia e só mudará quando a mentalidade do portugues mudar tambem. Duvido que algum dia isso cá acontecer.

    ResponderEliminar
  23. Afff, God bless the Popcorn! Estive para comentar o video do babyshower pq fiquei chocada com algumas coisas. Confesso que depois não tive tempo para o fazer e acabou por passar. Mas o que mais me chocou nem foram tanto os comentários invejosos mas aqueles disfarçados de inocentes (e.g. "se não querias presentes, pq tinhas uma mesa para as ofertas? Sim, pq eu bem a vi no video")... WTF??? Esta gente não tem vida? Não recebe pessoas? Não faz um lanchinho em casa com amigos? Quantas vezes eu convido pessoas para cerveja e caracois e apesar de dizer que não é preciso nada alguém aparece com um pãozinho para fazer torradas? Pessoas, não sejam pequenas. Olhem para vocês, olhem para as vossas vidas. Não são assim tão diferentes, é tudo uma questão de escala :)

    ResponderEliminar
  24. Tudo este sucesso é merecido devido ao seu trabalho e dedicação ao longo de tantos anos. Apesar do blog andar um pouco mais parado gosto de vir aqui todos os dias porque aqui há conteudo. Agora a moda é esta praga de youtubers e instagrammers que publicitam tudo e mais alguma coisa.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Apesar do blog andar um pouco mais parado...gosto de vir aqui todos os dias porque aqui há conteúdo.

      Parado mas com conteúdo. Contrassensos...

      Eliminar
  25. Continua o bom trabalho!! Não ligues aos invejosos!!

    ResponderEliminar
  26. E onde é que entram os impostos? Nas cenas “não monetárias”?
    Concordo e compreendo que as marcas estejam a apostar no digital mas não me faz sentido que quem receba os produtos/serviços não seja tributado. Pois de eu quiser fazer um babyshower tenho de pagar iva sobre os serviços que lhe estão associados... a minha única questão prende-se com isto mesmo.
    O resto são ossos do ofício.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ser tributado em ofertas???
      What?
      Que lógica é essa?
      Quando lhe oferecem alguma coisa a sra por acaso paga impostos sobre isso?

      Eliminar
    2. Se contratar todos os serviços necessários para um babyshower, sim, tem de pagar IVA. Se os mesmos forem oferecidos, não tem, é simples.

      Eliminar
    3. Parece-me que "oferecer" a um profissional de "ofertas" não é "oferecer". É uma contrapartida por algo ( post, foto, comentário em alg plataforma, expectativa que venha a ser divulgado, etc) por isso deve ser tributado.

      Eliminar
    4. 12:29h vá ler o código de IRS para ver o tipo de coisas que podem ser tributadas para ser ainda mais surreal... Ninguém paga é um facto, mas que estão na lei lá isso estão.

      Eliminar
    5. Mas se não pagou e foi oferecido, vai pagar impostos sobre o quê?! xD

      Eliminar
    6. Quando uma marca oferece um produto é a marca que paga o IVA desse produto, não se preocupe que o Estado não fica sem o imposto.

      Eliminar
    7. sobre o valor do bem, ou criar-se uma tabela, tipo IRS, em que ofertad ebens com vaores de x a y paga x por cento e etc. Agora, qualquer coisa deve pagar. O empresário também paga pela matéria prima que recebe. Se recebe bens para fazer publicidade (porque tem influência, claro) deve pagar por aquilo que recebe (o comum do trabalhador, também paga IRS e SS pelo trabalho que desempenha, ou não. Um médico pode ser um supra sumo (é assim?) que não deixa de pagar impostos. e é algo mais que os outros, tem um quid que os outros (colegas e cidadãos) não têm. Só compreenderia que assim não fosse, se recebesse o artigo, como oferta, e nao fizesse publicidade. aí sim seria oferta. tudo o resto, sao ossos do oficío, tem de pagar imposto.

      Eliminar
    8. Ora então vejamos:
      Eu vou ter um filho e tenho de comprar um carrinho, dispenso de x+iva, as bloggers recebem o bem para promoção e utilização pessoal do mesmo é certo, não dispendem de qualquer valor e não pagam imposto.
      Se a marca quiser utilizar um outdor como veículo de comunicação tem de pagar o serviço mais o iva do Serviço.
      Ainda vamos ver legislação fiscal sobre esta matéria, e não vai faltar muito...

      Eliminar
    9. E depois tem outras questões legais como o disclaimer publicitário.
      O texto do babyshower não é um "post escrito em parceria com" e em lado nenhum a Ana diz que os serviços lhe foram oferecidos, embora também não diga que pagou por eles. A mim não me choca e presumi que não os tivesse pago (pensei apenas que tinha pago o espaço mas pelos vistos nem isso foi preciso). Ainda bem para a Ana e, sim, tenho inveja mas não acho injusto nem me tira o sono (acho que é o que chamam de inveja boa, certo?).
      Houve algumas pessoas que alertaram para isto, umas com mais educação que outras, efectivamente só na resposta aos comentários é que a Ana explicou textualmente e com todas as letras que não pagou por nenhum dos serviços que publicitou, ainda que considere que pagasse, se fosse necessário. Isto não é evidente no texto, embora não seja negado.

      Eliminar
    10. Já há legislação para as ofertas. A marca que oferece líquida IVA, ponto.

      Eliminar
  27. Muitos parabéns Pipoca por mais um post frontal e honesto para calar os haters :). As pessoas acham que nós, bloggers, achamos que somos mais que os outros e que, por isso, temos o direito de receber cenas grátis, mas não, nós não somos mais que os outros, aquilo que nos distingue é, como disse e muito bem, o facto de ter uma plataforma que influência pessoas.
    O grande problema aqui é que as pessoas ainda não reconhecem que um blog é, de certa forma, um negócio também, e é por isso que torcem o nariz quando vêem bloggers a ganhar dinheiro ou a receber coisas grátis.
    Como eu adoro estes textos, são os meus preferidos!
    Beijinhos
    Blog: Life of Cherry

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Cherry, se for verdade isto ser mais um post frontal e honesto para calar os haters, isso quer dizer que os posts anteriores não resultaram em nada e que os haters estão muito longe de se calar. Nem acredito sequer que haja um post que resulte ou um blogger capaz de calar seja quem for, e na melhor das hipóteses apenas poderão eliminar/barrar os comentários para dar a ilusão de que foram calados...

      Eliminar
  28. pois, à borla também eu...!!!
    :D

    ResponderEliminar
  29. Sempre foi assim e sempre será: as pessoas acham sempre que os outros é que têm a vida facilitada e que eles são umas vítimas injustiçadas. Se é assim com empregos "normais", imagina com os youtubers/influencers/bloggers, que para muitos não fazem nada e vivem de presenças e de publicidades. As pessoas olham para o vizinho e invejam o carro, a casa, as férias... Acham sempre que os seus trabalhos são os piores, mais cansativos, mais exigentes e que são sempre eles os melhores em tudo mas ganham pouco, ao contrário dos outros que têm empregos menos exigentes, menos cansativos, mais fáceis e ganham mais. A relva do vizinho é sempre mais verde. Só que nem todos os que se queixam estão dispostos a ir atrás do que querem, ficam simplesmente ressabiados com a aparente sorte dos outros. Ninguém quer ter preocupações, fazer sacrifícios, superar-se... queriam que as coisas caíssem do céu. Claro que depois ver uma fulana que "simplesmente escreve um blog" ter uma vida aparentemente fácil e as pessoas ainda lhe dão coisas, cai mal a muita gente pequenina, com este tipo de pensamento.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Por norma e (quase) sempre,é isso mesmo! Inveja pura,ou porque não têm iniciativa ou porque não têm habilitações, para quê estudar?? Pois....

      Eliminar
    2. Excelente comentário. Esta história da vida boa dos blogs é igual à dos emigrantes Somos ricos e temos tempo e mimimi ... Mas pegar na vidinha para sair da zona de conforto, está quieto!!! Já disse a várias pessoas que 'se tivessem a minha vida' também faziam e aconteciam que as fronteiras estão abertas. Mas não é melhor criticar a galinha da vizinha que é sempre melhor do que a minha

      Eliminar
  30. Só ha uma coisa que me chateia nas bloggers portuguesas, não sendo propriamente o teu caso porque estou mais a pensar nas bloggers mais focadas e produtos de beleza/make up. Ora essas bloggers NUNCA são capazes de dizer mal de um produto. São todos optimos e maravilhosos! Sabendo perfeitamente que isso não é verdade, até pq ha produtos que não se adaptam à nossa pele ou que são simplesmente uma bosta. Mas não, nunca são capazes de dar um opinião sincera e informada. Nesse aspecto prefiro seguir bloggers francesas, que independentemente das marcas lhes oferecer produtos têm a coragem de emitir uma opinião sincera mesmo que vá contra uma marca.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Nessa área não consigo seguir absolutamente nenhuma por causa disso mesmo. Chega a meter algum nojo tanta hipocrisia. É tudo bom? Não venham com tretas!

      Eliminar
    2. Ainda há algumas credíveis. As primeiras e que não são da moda nem recebem mil produtos... Acho que o fazem por amor à camisola. Destaco as minhas favoritas: makedown, the skin game, croquette à portuguesa e let's talk about beauty. As duas primeiras são farmacêuticas, a última é médica. Com as primeiras aprendi IMENSO sobre formulações de produtos, coisas que não se devem misturar, ingredientes a evitar...

      Eliminar
    3. Também gosto muito da Cláudia
      Gusmão, dá opiniões sinceras e explica de forma simples os componentes dos produtos cosméticos, pois tem formação na área, recomendo muito!

      Eliminar
    4. É isso! Há uns tempos estava a ver uns storys de uma youtuber e ela estava a falar da marca de maquilhagem X, a fazer um unboxing todo xpto e a dizer o quão bons todos os produtos sâo. Entretanto passaram uns dias (semanas, talvez), e ela fez um vídeo para o canal em que organizava toda a sua maquilhagem. Ora que muito do que ela tinha da tal marca X (e de outras que já a vi elogiar) foi parar ao lixo! Ora porque já não gosta, não é bem o tom dela, a qualidade não é assim tão boa. Fiquei incrédula! A rapariga deu meia dúzia de coisas a uma amiga e o resto foi fora. Quando alguém se queixou disto nos comentários ela lá inventou que ia fazer um sorteio com aqueles produtos mas... para mim, perdeu toda a credibilidade e deixei de seguir na hora.

      Eliminar
    5. Concordo, a Make Down, a pele que habito e the skin game fazem excelentes reviews sem se poupar a criticas validas.

      Eliminar
    6. Joana, penso que quererá dizer coquete à portuguesa e não croquete :)

      Eliminar
    7. Sim, era coquette, a estupidez da escrita inteligente pregou uma partida :-) E reitero as opiniões aqui, não tinha mencionado a Cláudia Gusmão e a Pele que Habito, muito boas também. Além de preferir estas meninas porque me interesso mais por skincare do que por maquilhagem, sei que as opiniões são totalmente sinceras, mesmo que esporadicamente recebam um produto para testar. Ainda me lembro da makedown dizer que um champô da fructis era somente um bom detergente para pincéis xD

      Eliminar
  31. Se largaste a tua profissão é porque podias ( e acho que fizeste muito bem) mas não há cá pão para malucos, deves achar que todos nascem com essas possibilidades de um dia "virar" a mesa, e fazer realmente o que deseja.
    Teorias....da treta.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Quando larguei o meu trabalho como jornalista já tinha o blog e acreditava (mais ou menos) no potencial dele, mas não tinha nenhuma garantia de que iria funcionar. Podia correr mal e ter de voltar a dedicar-me ao jornalismo ou a outra coisa qualquer. Largar o que estamos a fazer para nos dedicarmos a outra coisa que nos realize mais comporta alguns riscos. Mas sim, acredito que todos nascem "com essas possibilidades de um dia virar a mesa e fazer o que realmente deseja". Se dá trabalho? Sim. Se tem riscos? Sim. Se pode correr mal? Também.

      Eliminar
    2. Interpretar Português, sabe o que é??? Vá lá ler outra vez o post....

      Eliminar
    3. Líricos...!!

      Eliminar
    4. Depende da fase da vida... eu acho que o anónimo se deve estar a referir a pessoas que já têm filhos e portanto responsabilidades que as impedem de correr certos riscos.

      Eliminar
    5. Como diria alguem "todos querem ter o que eu tenho, mas ninguem quer fazer/arriscar o que fiz/arrisquei".

      Eliminar
    6. Ai a sério, não há cu que aguente. Quantos anos tem anónimo? Não nasceu ontem, pois não? Já se sabe que há pessoas que têm mais facilidades na vida, um sistema de apoio grande, que têm a possibilidade de correr mais riscos do que outros porque têm alguém que ajuda por trás... Não digo que seja o caso da Pipoca porque não sei se é, de facto, mas sabemos que existem estas realidades. Tal como existem realidades em que as pessoas depende única e exclusivamente delas e não têm esse apoio. A diferença é que há pessoas que se sentem mais confortáveis correndo riscos porque sabem que terão apoio se correr mal e outras que correm riscos maiores porque não têm rede de apoio. De qualquer forma, é sempre uma escolha pessoal que qualquer um pode tomar, correndo mais ou menos risco. Depende do perfil de cada um, de ser mais ou menos avesso ao medo, à incerteza... É como trocar de trabalho: quanta gente está insatisfeita e quer mudar, mas não o faz por medo de não arranjar nada melhor e ficar sem forma de pagar contas? E quantas há que arriscam, na mesma situação? Varia de pessoa para pessoa. Agora "nem toda a gente pode virar a mesa" é que é estúpido. Toda a gente pode, não temos é todos os mesmos tomates para o fazer.

      Eliminar
    7. Eu estudei arte durante um total de 6 anos da minha vida e à um ano larguei tudo para me dedicar à profissão de maquilhadora, ainda não sou rica mas estou feliz acredito muito mais no meu potencial. E mais já tive muitas mais oportunidades em um ano como maquilhadora do que 3 anos em artes + 3 anos numa licenciatura.E só me arrependo de uma coisa de não ter ido para maquilhadora mais cedo.

      Portanto ya se sentes que tas numa profissão de caca porque não arriscas em algo que adores e faças a tua profissão?

      Eliminar
  32. Lembro me do post que fizeste a anunciar que ias deixar o jornalismo (acho que na altura estavas na time out) e que ias profissionalizar o blog, na altura pensei,que enorme risco, ir do certo para o incerto. Na altura, profissionalizar um blog era uma novidade, e era um grande risco,pois as marcas em Portugal ainda não viam isto como um negócio (pagar a cash) . Obviamente que existe um antes e um após no blog. Mas na minha opinião a Ana conseguiu não perder a essência do blog. Acho que se identifica minimamente com o que publicita, além de o fazer de uma forma criativa e intimista. Só um aparte, por norma não vejo os comentários aos póst pois acho que raramente trazem algum de bom, dividem se entre os que dizem sim a tudo e os que odeiam tudo. Mas fiquei curiosa como iriam comentar este post e fiquei agradavelmente surpreendida

    ResponderEliminar
  33. Eu só questiono o retorno... será que as marcas têm mesmo retorno do que investem? Devem ter mas mesmo assim causa me estranheza pois quem lê o blog pipoca e outros do género não me parecem ter um desafogo monetário que possam adquirir certos produtos caros que são publicitados. E genuinamente isso causa me estranheza ... Catarina

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Também tenho essa dúvida.
      Para alguns produtos ou serviços acho uma jogada óptima o investimento nos blogs mas alguns fico muito na dúvida em que medida será compensador... Os valores que se praticam por publicidade nos blogs são já muito avultados de acordo com os rumores que por aí circulam e não percebo como alguns negócios podem ter retorno com um investimento desses...

      Eliminar
    2. estou emigrada e leio a pipoca, muitas coisas (em termos de cosmeticos principalmente) que ela recomenda por aqui eu vou no minimo pesquisar mais sobre. ja comprei algumas coisinhas assim. roupas e bolsas e sapatos nem tanto porque temos gostos muito diferentes mas creio que teria o "desafogo monetário" para muitas coisas por aqui e trabalho nas limpezas ;)

      Eliminar
  34. Gostei do texto. Acho que, no seu geral, temos um problema cultural. Não será, certamente, exclusivamente português, mas que o temos, temos. Ou seja, o português adora criticar tudo e adora fazer ver ao outro que há sempre um pior cenário. Se o vizinho do lado tem dor de cabeça, ai a sua é muito pior, ele que nem se queixe. Se o vizinho do lado tem o carro xpto, que parvoíce, para que é que precisa de um carro tão bom se só anda 5 kms por dia. Se a Pipoca fez uma viagem à borla e lhe deram milhentas coisas para a filha que vai nascer, é só porque não faz nenhum e vive à conta o blogue. É assim em tudo, o português. E isto até se nota nos próprios comentários da Pipoca. Já repararam que a Pipoca, praí em 99,9% das vezes que responde a comentários, só o faz aos comentários tolos e agressivos? Porque não agradece um elogio? Porque não demonstra solidariedade com um comentário mais sentido de alguma leitora? Isto para dizer que nós, no geral, somos mesmo assim. Criticamos por criticar, e quem não o faz (ainda que não de forma recorrente) que atire a primeira pedra. O que é curioso, é que muitas das vezes até nem é por mal, mas pronto, olha, há que dizer qualquer coisa e lá vem mais uma crítica. E aquilo sai-nos assim, da boca pra fora. Basta ir às redes sociais e ver o destilar de frustração que práli vai. Chega a ser confrangedor. O computador veio trazer este nosso geniozinho mau à tona, porque agora, sob a capa de um ecrã, todos podemos ser quem quisermos, inclusivamente, um comentador que só vem atirar achas para a fogueira para ver o circo a arder. Cabe-nos contrariar esta tendência e passarmos a ser menos críticos e mais elogiosos. O mundo tinha tanto a ganhar.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É bem verdade. Eu sou a favor da crítica construtiva - especialmente quando solicitada - e da cultura do elogio.
      Dizer mal por dizer... é maldoso.

      Eliminar
    2. E dizer bem ou fazer elogios à alguém sem sentir o que se diz, também não é menos maldoso...

      Eliminar
  35. Obrigada, pipoca, pela franqueza e verdade. A diferença passa por aí. Mesmo.

    ResponderEliminar
  36. Do ponto de vista de quem é o alvo de muita dessa publicidade, no que diz respeito às roupas e produtos de beleza, a mim que não tenho pachorra para andar nas lojas, dá-me imenso jeito "receber" as vossas sugestões e lá vou eu ao site ver em detalhe. No que diz respeito aos produtos de beleza tb gosto de estar a par das novidades e ter as opinião de quem já experimentou com mto pouco esforço da minha parte.
    Se isso implica que mtas bloggers recebam produtos grátis e façam publicidade ... por mim continua a valer a pena

    ResponderEliminar
  37. As pessoas que acham isto fácil deviam tentar fazer um texto (ou vídeo) por dia durante 30 dias.

    ResponderEliminar
  38. Cavalheiro do Aeroporto05 julho, 2018 14:30

    Uma das reflexões que faço algumas vezes é sobre se os/as bloggers da moda (uso este termo sem qualquer conotação negativa mas apenas para que se perceba ao tipo de blog a que me refiro) se vão saber reinventar com o passar da idade e dos tempos. Há muito blogs que são visitados porque são de "pessoas giras" (não apenas fisicamente falando) mas que um dia poderão perder o tal encanto porque simplesmente envelheceram, seja fisicamente, seja no gosto, etc. Será que os consumidores os vão continuar a acompanhar? Será que as/os bloggers vão conseguir continuar a saber manter as pessoas interessadas?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Isso é uma questão muito pertinente, mas eu acho que não haverá problema para as "grandes" bloggers. Porque o público delas (e neste caso particular da Pipoca mais doce) está bem estabelecido e vai envelhecer com elas, e acompanhar essa mudança/evolução nos gostos!
      Isto, claro, considerando que não se perdem pelo caminho, não vendem a alma ao diabo e não quebram a relação de confiança que existe! 😉
      No meu caso particular sigo a PMD desde as vésperas do seu casamento, estava eu a organizar o baptizado da minha filha (que foi no mesmo dia). Descobri o blog por acaso, numa pesquisa, fiquei fã, e acompanhei a evolução de vida da Ana. E acho que continuarei por cá nos próximos anos... é uma questão de identificação! Quando o público está estabelecido, acompanha pela vida fora... e certamente como eu, os restantes milhares serão assim também!
      Qualquer dia estaremos avidamente à espera de recomendação sobre as melhores isoflavonas, depois as melhores fraldas, o melhor spa para tratar o reumático, enfim... 😃
      Carla

      Eliminar
    2. Cavalheiro, tudo começa...e tudo acaba, e seguramente que a Pipoca Mais Doce também não vai ser uma excepção à regra. Hoje ela é a preferida dos internautas porque continua relativamente jovem e bonita e ainda não sofreu os desgastes do tempo mas daqui alguns anos vai aparecer uma miúda qualquer muito mais jovem, gira e bonita, e todos aqueles que hoje visitam este espaço...amanhã vão migrar para lá. A Pipoca poderá reinventar o que quiser que não servirá de nada. Ninguém quer saber dos velhos. A não ser, claro, que a filha dela cresça depressa e daqui a 20 anos seja o novo rosto da Pipoca Mais Doce...

      Eliminar
    3. 23:18h depende. O que me interessa a mim que tenho mais de 30 anos logo estou mais próxima da pipoca, uma miúda mais gira e mais nova? Absolutamente nada. Quem sempre acompanhou pq se identifica não vai passar a seguir uma pita só por ser mais nova e gira. Os dramas de uma miúda de 20 não me vão interessar quando eu tiver 50. Mas se a pipoca com 50 e muitos estiver aqui a escrever sobre os dramas da vida nessa idade, provavelmente cá estarei.

      Eliminar
    4. Cavalheiro do Aeroporto06 julho, 2018 11:56

      Anónimo das 23:18, isso era quase argumento de filme...:)

      Anónimo das 8h59, uma das questões, a meu ver, é se a maioria das pessoas aos 50 ou 60 ainda tem paciência para visitar blogs. Os conteúdos podem mudar mas a vontade do público alvo também muda. Eu acho que a resposta pode estar mais nesta segunda parte do que propriamente na primeira. Depois há ainda a questão do tipo de produto, não olhando ao conteúdo. O formato blog viverá daqui a uma ou duas décadas?

      Eliminar
    5. Cavalheiro na minha opinião, os blogues têm os dias contados, já se fala nisso e eu acredito, não leio blogues como lia há uns anos. Prefiro o instagram e outras redes sociais virão.

      Eliminar
    6. 08:59h o que não falta no mundo são exemplos de Bloggers que há alguns atrás tiveram alguma notoriedade e sucesso e agora que ficaram mais velhas, os contadores de visitas caíram a pique. Quando a Pipoca ficar mais velha, decerto ela conseguirá manter algumas admiradoras que a acompanharam desde sempre mas o mundo está sempre a crescer e pertence aos mais novos...e os mais novos não querem nada com os velhos. Se quiser tomar uma bebida num bar, não vou procurar aquele que tiver uma "velhinha" a servir no balcão. Procuro sobretudo aquele que tiver gente gira, interessante e bonita. E todas as marcas que hoje pagam o sustento da Pipoca sabem disso...

      Eliminar
    7. Áhahah pois eu como consumidor prefiro madurices e agora??

      Eliminar
    8. Anónimo 12h33, e agora? revele a sua idade e pergunte às marcas se eles tem interesse em apostar nas suas preferências. O mundo pertence aos mais novos, lembra-se de eu dizer isso, certo?

      Eliminar


  39. Existe, de facto, muita inveja com o sucesso dos outros e as pessoas implicam, só para chatear..
    A sociedade está completamente alterada e a forma como as pessoas pensam, e os próprios processos, ainda estão alinhados com umas décadas atrás.
    É uma empresa, com um negocio perfeitamente definido. Investe, recebe as contrapartidas, paga custos e impostos…No meio também dá emprego.
    Não existem ofertas, existem contrapartidas, na sequencia dos investimentos que faz.
    Como qualquer empresa, umas terão sucesso, como é o casa da sua, e outras não, faz parte:)

    ResponderEliminar
  40. Ana, descanse muito e vá escrevendo uns textos para o pessoal quando conseguir. De resto, já cá escrevi outras vezes que não vale a pena estar sempre a justificar-se. Eu acho mesmo que o que a distingue de todas as outras bloggers é mesmo o facto de fazer o seu trabalho de uma forma mais honesta. Nas entrevistas e artigos sempre falou directamente que o blogue é o seu trabalho e é um negócio. Mas aqui não vale a pena estar sempre a responder a críticas em forma de post. Sei bem que é difícil estar grávida e enfiada em casa (comigo foi logo ao 5.º mês de gestação), mas não se apoquente tanto.
    Ana Carlos

    ResponderEliminar
  41. A expressão é "mal e parcamente" e não "mal e porcamente". Deixe lá os suínos em paz.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tem toda a razão.

      https://ciberduvidas.iscte-iul.pt/consultorio/perguntas/mal-e-parcamente--mal-e-porcamente/21180

      Eliminar
  42. Gostava que as bloggers/instagramers/vloggers/influencers/etc. da nossa praça assinalassem sempre a publicidade, quer seja no blogue, no FB ou no Instagram. Nos blogues lá vão dizendo que escreveram em parceria com x e y ou que foram convidadas, mas isto passa muito ao lado no IG. Recentemente comecei a ver uma menina fit famosa a assinalar os seus posts no IG como publicidade (onde se costuma escrever a localização) e gostei da honestidade. Pelo lado contrário, temos, por exemplo, uma blogger que até há pouco tempo dizia sempre que tinha os trocos contados e até dava dicas de poupança, mas de repente passa a fazer almoços e brunches e férias em tudo o que é lado com a sua família de 5 pessoas e a mostrar os seus vídeos e fotos de exercícios sempre com a indicação da Reebok. O patrocínio nunca é referido no Instagram. Porquê? Mesmo que se perceba claramente que a maior parte das coisas são ofertas, porque não indicar isso mesmo? Não têm de ter "vergonha", também faz parte do trabalho delas.

    ResponderEliminar
  43. Ao contrário de vários comentários daqui venho em primeiro caso dizer que não me sinto de todo incomodada com o "E quem são vocês?", uma vez que é uma pergunta retórica completamente realista e que se aplica provavelmente também a muita das bloggers portuguesas do ponto de vista internacional - não querendo, de todo, incomodar alguém. São realidades diferentes, com visões e estatutos diferentes.
    E primeiro ponto, não sou seguidora do teu blog, cai aqui "por acaso". Não sou seguidora de nenhum blog neste momento, o tempo não mo permite - também trabalho muitas vezes mais de 10 horas só com pausas para almoçar. O que ainda vou fazendo é ver instastories de algumas bloggers.
    Pormenores à parte, a verdade é que me sinto um bocado frustrada com este mundo que se criou. Porque para quem anda à procura de produtos de qualidade começa sim a duvidar da veracidade e da honestidade das coisas que se publicam. Porque lá está, toda a gente precisa de ganhar dinheiro e se o mundo digital é o vosso sustento é normal que o aceitem. Eu também o faria no vosso lugar. Mas isso não me deixa de me sentir frustrada. Neste momento quem ande à procura de reviews - e vou falar muito no meu caso que é o caso da maquilhagem - já se questiona o quanto o produto valerá o dinheiro que se dá por ele. Há marcas que já sei que gosto e que são boas e que compro (é mais para saber as novidades que sigo as bloggers confesso). No entanto, dizendo respeito a produtos/marcas novos, o pé atrás está lá. Porque se dantes servia ir ver outras bloggers para ver segundas opiniões, agora isso não ajuda assim tanto. No fim todas são pagas pelas mesmas marcas (ou têm imensas em comum). É um sentimento de dúvida sobre o poder confiar nas vossas opiniões ou não.
    Um dos primeiros passos é assinalarem todas as parcerias pagas, obviamente. Mas não resolve o problema (nem tão pouco tenho uma sugestão). Mas há 8 anos atrás, quando eu me comecei a interessar pela maquilhagem, as vossas opiniões pareciam mais reais e sinceras.
    Por favor, não leves isto como uma crítica dirigida (nem a ti nem às bloggers no geral), que não é minha intenção insinuar que não são sinceras, é só a impressão que passa.
    Boa sorte com o blog :)

    ResponderEliminar
  44. Pronto , ok. A Madonna merece os 15 lugares de estacionamento ... ao preço da uva mijona . É uma win win situacion . Ganha ela porque estaciona a sua frota e ganha Portugal pq é publicitado
    ohomemdecaxemira

    ResponderEliminar
  45. Parabéns Pipoca por este post com vários esclarecimentos.
    Pode ser que algumas pessoas que aqui vêm, finalmente percebam como é que funciona a dinâmica do digital :)
    Por mim falo, que comecei a trabalhar há 14 anos em comércio eletrónico (na mesma empresa em que estou até hoje) e lembro-me que na altura era a tostões.
    Hoje, é a milhões.
    Ninguém se engane ou mantenha o mesmo pensamento: a vida está em constante mutação e a um ritmo alucinante. Estamos na era digital e muitas das formas de marketing modificaram-se nos últimos 10 anos.
    Agora preparem-se, que o que vem aí é a era da inteligência artificial.

    ResponderEliminar
  46. Deixem a Ana receber o que tiver de receber, só a paciência para ler os comentários, é de ficar maluquinha...

    ResponderEliminar
  47. Deixem a Ana receber o que tiver de receber, só a paciência para ler os comentários, é de ficar maluquinha...

    ResponderEliminar
  48. BOF de hoje: are influencers really worth the money? A must read. Acho lindo essa merda do produtos não pagam contas. Mas se é um trabalho pago, tenham compromisso com o mesmo com o profissionalismo sobre o qual se querem fazer pagar. E isto está longe de acontecer com os influenciadores portugueses

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Mas haverão influenciadores ( reais ) portugueses? Sou só eu que acho a palavra influenciadores um pouco parvinha, então publicidade sempre houve, e agora precisamos que a pessoa X diga é maravilhoso e vamos todos comprar mesmo sabendo que foi paga para dizer isso, somos algum rebanho que não sabe escolher sozinho? Pronto a mim não conseguem influenciar e acredito que a maioria das pessoas também não

      Eliminar
    2. No Instagram assim que vejo no perfil "influencer" é meio caminho andado para não seguir

      Eliminar
    3. Sim, existem influenciadores em portugal... não tenham dúvidas.
      E isso não significa que vou comprar uma coisa só porque aquela pessoa disse ou porque aquele ou o outro têm... significa que dão visibilidade aos produtos, estabelecimentos, estilos de vida até... por aí. Há muita coisa que não conheceríamos se não aparecesse num blog ou no IG ou outra plataforma online.

      Eliminar
    4. Diana, ainda gostava de saber a quem se refere? Sabe que há toda uma população, e nós somos 11 milhões, e esses influenciadores tem apenas alguns milhares de seguidores, que não fazem a mínima ideia quem sejam essas pessoas e pasme-se fazem viagens, fazem compras, fazem a sua vida, ainda esta semana alguém fez um post deste assunto e referiram nomes que eu nunca ouvi na vida, aliás, não conheço um único youtuber e tenho pouco mais de 30 anos, se eu ao jantar de família falar de bloggers, influencers, youtubers, não fazem ideia quem sejam, há toda uma vida lá fora ( e até de consumo ), e isso de darem visibilidade.... depende muito do público que lê ou vê os vídeos e isso de se não aparecer num blog ou instagram as pessoas nem lá chegavam.... não sei como se viveu até há 5 anos atras. A pipoca para mim foi pioneira, quanto ao resto muita barata tonta que não sabem bem o que há-dem fazer mais para continuar a terem público

      Eliminar
  49. Muito bem dito. É um trabalho, sem dúvida alguma, e a maioria de nós não faz a menor ideia do verdadeiro trabalho e da preocupação constante que se tem em arranjar novos conteúdos, fazer boas fotos, editar tudo, escrever bem etc etc. E fazer disso vida então, imagino que deva ser bem exaustivo. O meu blog é só mesmo pessoal, criado com um objetivo muito óbvio, e nunca sequer sonharia em tentar viver dele. Parabéns para quem consegue, admiro muito essa dedicação :)

    ResponderEliminar
  50. Deixa as maquinas e o computador em casa... senta te e escreve tranquila como fazias antes sem tanta publicidade e texto feito. Volta a ser genuina e tranquila. Mt menos trabalho, mt menos pressão e as marcas vao te pagar na mesma. Menos posts desses,mais caros e mais posts dos de antigamente. Et voila

    ResponderEliminar
  51. Tudo certo. Mas pelo meio da publicidade que tens/queres fazer (e que normalmente aqui é feita de forma bem mais conseguida do que noutros blogues), não te esqueças que o traz muita gente aqui de forma regular - pelo menos o que me traz a mim... :) - são os outros textos sem publicidade. Tipo rir à gargalhada com um post sobre lençóis de flanela! (e ter uns 400 comentários à pala disso :p)

    ResponderEliminar
  52. Numa cultura em que tudo é fast e descartável, que se ambiciona sempre por novidades, e o que é hoje "top", amanhã está ultrapassado, e as pessoas se fartam rápido de tudo, eu pergunto me o que acontecerá a esta geração que se despediu dos seus trabalhos para viverem de publicidade nos blogs, daqui a 10, 20 ou 30 anos, é que todas elas ainda são muito jovens ou estão a fazer um (bom) pé de meia que lhes vai permitir viver os próximos 40 ou 50 anos que ainda têm de vida, Deus o permita, ou então.... e não é o caso da pipoca mas aqueles que alcançaram sucesso por causa dos bebés gordinhos, eles vão crescer e ficarem adolescentes oleosos, qual será o plano B.

    Quanto às empresas, devem ter departamentos de marketing carregados de analfabetos, as pessoas estão fartas da publicidadezinha que geralmente começa por uma historieta qualquer inventada à pressão, que no caso deste blog a Ana sempre foi muito boa a inserir publicidade, e depois verem o mesmo produto em mais 500 blogs ao mesmo tempo, é passar um atestado de estupidez as pessoas e isso senhores, irrita e faz o objectivo oposto, ninguém compra, e por ultimo deviam escolher melhor o público alvo de determinado blog, então nos hotéis é gritante, preço por noite desajustado à maioria das pessoas que lêem blogs, atenção eu disse maioria, há sempre exceções, mas pronto, eu acho que eles pagam mas depois não fazem o trabalho de casa de ler os comentários que enchem as caixas dos blogs. Saudades do tempo em que quase considerávamos uma blogger uma amiga virtual em que se ela dizia ando a por o creme X e adoro é porque era mesmo verdade e a essência do que era um blog se perdeu, é esperar pela próxima novidade das redes

    ResponderEliminar
  53. Ola pips, não faço ideia há quantos anos a sigo mas recordo me que quando a comecei a seguir estava a pipoca a estudar em Madrid. Já faz uns aninhos bons. Visito a quase diariamente mas confesso que qd começou a entrar mais publicidade neste espaço fiquei com saudades suas. Achei q o blog tinha perdido um bocadinho de alma por uns tempinhos mas, entretanto e felizmente, consegiu conciliar as coisas, a parte q é negócio/ publicidade com aquilo q é a alma deste blog q é você, a sua escrita e opiniões. Está de parabéns por tudo. Gosto muito de a seguir e a ter por “perto” :) beijinhos a si e a sua família linda

    ResponderEliminar
  54. Só tenho pena de já não conseguir distinguir, no universo dos blogs, as opiniões verdadeiras das patrocinadas. Opiniões genuínas. Comecei a seguir blogs por essa razão... para saber aquele creme que era realmente bom, aquele restaurante escondido com comida de babar, peças de roupa (achados) que motivavam verdadeiras perseguições... enfim. Agora é tudo tão forçado e falso... mesmo que haja alguma escolha da parte das bloggers, é uma escolha feita apenas dentro da panóplia de ofertas. E desta forma a credibilidade de qualquer post de opinião fica comprometida, do meu ponto de vista, claro. Não quero com isto dizer que há publicidade a coisas que desagradem à bloggers que fazem as publicações, mas é tudo mt tendencioso. Impossível negar.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É mesmo isto, a mim interessa me mais ler a caixa de comentários com opiniões genuínas de anónimos que pagam, experimentam e têm uma opinião sincera sobre um produto do que aquilo que as bloggers debitam, pode ser injusto, mas fico de pé atras se estão a ser sinceras, porque quando nos pagam a nossa opinião se calhar não pode ser muito verdadeira não é..... portanto continuo a vir aqui ao blog quando quero pesquisar algo mas para ler a opinião das pessoas que nada ganham em falar bem ou mal e posto isto se alguém quiser recomendar um creme anti-rugas para os olhos que também faça milagres para as olheiras sinta-se à vontade ;)

      Eliminar
  55. Muito bom post! Como blogger (em part-time) este texto diz-me muito. Andar de portátil atrás quando se viaja não é maravilhoso e esta vida inclui muitas horas sentadinha a escrever e a editar fotos para o blog. Mas muita gente não tem noção do trabalho que um blog dá.
    Como leitora posts com publicidade podem chatear um bocadinho mas se forem bem feitos e se o produto me interessar até os leio.
    Acompanho este blog há muitos anos e se alguém merece coisas à pala é a Pipoca :D

    Beijinhos e parabéns pelo sucesso x

    ResponderEliminar
  56. Nada contra o blog ou a pipoca que, leio como forma de entretenimento (como antigamente lia uma revista cor de rosa);
    Mas «estar a editar um video entre as 10-20h com meia hora para almoço» como argumento para dureza de trabalho indicia uma visão muito simplista do mundo do trabalho, não?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Que tipo de trabalho acha que as pessoas da área do audiovisual desenvolvem? Creio que era só um exemplo para ilustrar que as vezes quando vemos um vídeo de 15 minutos, este pode ter 10 horas de trabalho em cima. Não falou 15 minutos para câmara e ficou pronto a fazer upload. Eu que as vezes, no meu anonimato, faço trabalhos que incluem estar 10 horas na mesma tarefa ao computador, sei bem o que isto pode ser desgastante mentalmente. Parece que não saímos do sitio, prefiro quando tenho várias tarefas menores do que quando tenho uma gigante.

      Eliminar
    2. No meu entendimento, 10 H com 30' de intervalo para almoço (uma ou outra vez ) para editar um vídeo define, eventualmente, um dia aborrecido e pouco produtivo.

      Eliminar
    3. Compreendo, o que para uns é brincadeira, para outros pode ser penoso. Depende da experiência e das valências que cada um tem. Ainda assim concordo com o comentário, 10h a editar parece mais uma brincadeira do que um trabalho nas ascensão da palavra.

      Eliminar
  57. É isso pipoca! As pessoas não entendem que isto é publicidade e a publicidade paga-se! Porque raio haverias tu de publicitar Marcas num blog com tantas visualizações se não recebesses nada por isso?! Faz todo o sentido. E acho que concluiste da melhor forma. Quem quiser que faça o mesmo e verifiquem por si mesmos se é simples ou não.
    A net está inundada de blogs abandonados e por algum motivo será.
    Não é fácil, e dá trabalho, e como tal faz todo o sentido alguma compensação.

    ResponderEliminar
  58. Ana, confesso que não me identifico com tudo o que escreves, principalmente no que toca ao benfica, dá-me uma certa urticária, a modos que salto sempre esses posts. Já sigo o blog há uns anos, e confesso também que o visitava com mais frequência antes de se tornar tão comercial. Chorava, literalmente, tipo lágrimas a cair de tanto rir com alguns posts que escrevias no "inicio" da tua humilde carreira. Chegava a ler posts teus ao telefone com amigas, porque a piada era tanta e qtinha que partilhar naquele momento com alguém. Aora virou-se mais para a vertente publicitária, com algum humor à mistura, mas acho que foi perdendo a sua essência. Venho cá uma vez de 2 em 2 semanas. Hoje pensei, será que a pipoca já teve a filhota? Vê lá tu que nem sei às quantas ando... No entanto e contudo, percebo o motivo. Estás no direito de arrumares a casa como bem entenderes. Se podes ganhar algum com isso, óptimo! Se entretanto receberes tipo duas viagens ao mesmo tempo, para a mesma data e como só podes ir a uma, envia, não há cá problema, eu faço o jeitinho e ainda tiro fotos! :D

    ResponderEliminar
  59. Boas,

    Foi muito clara a mudança de rumo neste blog, a meu ver, e enquanto leitora, quando isto passou de lazer a negócio, a nivel de conteudos.

    Percebo enquanto meio de subsistencia da autora obviamente, no entanto, para mim perdeu bastante interesse.

    Quase tudo o que era espontaneo, desapareceu. :)

    Muitas felicidades, MT

    ResponderEliminar
  60. Eu tenho um blog e ninguém me oferece nada...é estranho, não é? Não, se calhar eu é que só faço um post quando o Rei faz anos, muitas vezes nem o divulgo e não me dedico à coisa a 100%. Talvez eu inveje a Pipoca quando recebe coisas incríveis mas, lá está, sempre que penso "o que é que ela tem que eu não tenho?" vêm-me umas 753 coisas à mente e perco logo a vontade de a insultar e de lhe rogar pragas por ter tantas borlas. É como o Cristiano Ronaldo, enerva-me que o rapaz tenha tantos milhões, mas depois também me lembro que sempre chutei mais canelas do que bolas de todas as vezes que tentei jogar futebol e desisto da vontade de o amaldiçoar. Cenas da vida :P

    ResponderEliminar
  61. Como também temos o caso "raro" de uma conta de Instagram cheia de boa onda da Marcia D'Orey, já ter sido capa de uma revista com grande sucesso em Portugal e na verdade acho genuíno porque ela não fez muito por isso, simplesmente aconteceu.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. "ela não fez muito por isso" a não ser que seja a própria Márcia, também não parece que possa afirmar uma coisa dessas sem saber todos os detalhes.

      Eliminar
  62. Realmente a sorte nem sempre está ao lado de todos, mas revelou inteligência e ousadia em aproveitar uma oportunidade (ainda que com risco) que teve. E aí é que está toda a diferença!! Parabéns!!
    (mas acredito que em TUDO na vida é preciso ter sorte: 90%: trabalho/empenho + 10%: sorte, que faz diferença)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A sorte protege os audazes.

      Eliminar
    2. Principalmente se o "audaz" tiver uma boa almofada por detrás das costas...

      Eliminar
  63. E está tudo dito.
    Fiel seguidora, quase, desde o inicio. E porquê? Porque apesar do crescimento, mais que merecido, dos números (visitas, seguidores), a Pipoca começou do zero e mantém-se fiel a si mesma. Não há a Pipoca antes e depois. Há a Pipoca que foi (vai) acompanhando tendências, mas sem grandes malabarismos. E é por isso que me mantenho por cá e porque me identifico com muito (praticamente tudo) do que é partilhado.
    Parabéns Pipoca!

    blogdamariafrancisca.blogspot.pt

    ResponderEliminar
  64. A Pipoca Mais Doce é o único blog que sigo. Não existe sequer outro algum que abra de tempos em tempos. Acho a Ana muito profissional. Gosto que a pessoa por traz do blog seja “fiável” na forma como aborda as marcas e comenta os produtos. Sigo pela escrita, sigo pelo conteúdo (todas as temáticas, claro que umas mais interessantes para mim do que outras).
    Força Ana :)

    ResponderEliminar

Teorias absolutamente espectaculares

AddThis