Pub SAPO pushdown

Grávida-queixinhas #3

sexta-feira, maio 11, 2018

Olhando assim de fora, acho que sou uma grávida relativamente fixe. Passada a fase dos enjoos-horribilis - e aí sim, queixei-me já pelos próximos 50 anos - acho que até não sou dada a grandes lamúrias ou exigências (prova disso é que este é só o terceiro "grávida-queixinhas" em seis meses). Na verdade, acho que devia abusar muito mais da minha condição de grávida para não mexer uma palhinha. Este segundo trimestre tem sido bastante tranquilo, bem melhor do que o primeiro. Já não tenho aquela vontade permanente de me arrastar, aquele sono de idosa de 87 anos, aquela falta de energia que me fazia variar apenas entre a cama e o sofá, a incapacidade de comer muito mais do que tomates crus, assim como se fossem maçãs (entretanto a lontra já come tudo novamente)... enfim, está tudo bem mais calminho. Ao ponto de às vezes até me
esquecer que estou grávida. Durante o dia a miúda mal se mexe,  a sonsa. Espera que eu me deite para começar o arraial de pontapés. Os meus rins têm sido vítimas de violência doméstica ao mais alto nível. É que é certinho, é eu deitar-me e ela passa-se da cabeça. Deve pensar qualquer coisa do género "então?? Estás quieta por quê? Levanta-te! Anda! Vai a sítios! Vamos embora mexer esse rabo, que não está propriamente pequeno. Anda, gorda! Corre".  Durante o dia é que ela está bem, sempre embaladinha de um lado para o outro, nem se dá por ela, uma jóia de moça.

Quase, quase a entrar no terceiro trimestre, começo a sentir uma ligeira limitação de movimentos. Já me custa um bocado baixar (tipo, para atar sapatos), dar banho ao Mateus, pegar-lhe ao colo é para esquecer, carregar cenas pesadas idem. Como o Mateus nasceu prematuro acho que agora também tenho uma certa tendência, nem sempre muito consciente, de ter mais alguns cuidados. Mas continuo a fazer a vidinha de sempre, sem grandes stresses. No outro dia, no curso de preparação para o parto (que já tinha aqui dito que estou a fazer no Centro do Bebé), falava da necessidade de a grávida usar uma coroa. E não era metaforicamente, é mesmo ter uma coroa lá em casa que enfia na cabeça sempre que sente que atingiu o seu limite e não lhe apetece fazer mais nada. Gosto desse conceito. Não sei se é muito exequível - sobretudo quando já se tem mais filhos - mas sou menina para adoptar.

Portantossss, a pessoa chega a casa e não quer mexer uma palhinha. Pega na sua coroa - que não precisa de ser daquelas mesmo como as das rainhas, com 452 quilos de pedraria, uma de dois euros da Tiger cumpre o mesmo efeito - e bota-a na cabeça. A partir daí, é como se estivesse coberta por um manto de invisibilidade. Não falem com a grávida, não interajam, não lhe toquem, não nada. Esqueçam que ela está ali. Nada de perguntas tipo "descongelaste bifes de peru para o jantar?". Shhhhhh, a grávida não quer saber desses probleminhas mundanos, a grávida está de coroa na cabeça, mais explícito do que isto só se tivesse pendurado ao pescoço um daqueles cartões a dizer "não perturbar". E então lá fica ela. Espojada no sofá. Ou na cama. Ou num banho de imersão. Indiferente ao caos que se pode estar a gerar à volta dela. A grávida não quer saber se o marido se está a ver aflito para estrelar um ovo. A grávida não quer saber se o outro filho está a tentar espetar um garfo no olho do cão. A grávida não quer saber se há 43 mil mails à espera de resposta no computador. A grávida está de coroa, o mundo que se fod*, desamparem a loja da grávida.

Era ou não era uma ideia bonita? Estou muito tentada a experimentar, mas por tempo prolongado. Ou seja, ponho a coroa hoje e só a tiro quando a criança sair de casa, lá para os 35. Parece-me óptimo.

PS.: aproveito o modo queixinhas para dizer que o exame da glicose é, provavelmente, das maiores provações pelas quais uma grávida tem de passar. Para quem nunca ouviu falar de tal coisa (abençoados sejam), é um teste que consiste em tirar sangue, beber uma mistela de 75 gramas de glicose com um sabor muito parecido a Super Pop Limão, tirar sangue ao fim de uma hora e depois tirar novamente sangue ao fim de duas horas. O objectivo é medir a quantidade de açúcar no sangue e evitar uma potencial situação de diabetes gestacional, mas o grande desafio mesmo é não vomitar aquela merda toda. Imaginem o que é estarem em jejum e, de repente, enfiarem no bucho o equivalente a uns 50 mil pacotes de açúcar. O organismo até fica meio abananado com tamanha violência. O passo seguinte é ter de controlar o anjo e o diabo que se instalam na nossa cabeça. O primeiro a dizer "tu és forte, tu consegues, não te esqueças que se vomitares vais ter de repetir o exame todo" e o cabrão do diabo a dizer "como é que estás a conseguir aguentar os enjoos? Manda isso cá para fora! Vá, sem medos! VO-MI-TA! VO-MI-TA! VO-MI-TA!". Não é fácil, meus bons amigos, a pessoa fica ali num dilema. O enjoo é tão grande que, de facto, ocorre-nos que a única solução para acabar com aquilo é mesmo botar para fora. Mas depois a ideia de ter de repetir tudo também não é fixe. No meu caso, optei por me deitar em plena sala de espera (já tinha feito o mesmo na altura do Mateus), até que uma funcionária, perante o meu ar esverdeado, teve a enorme bondade e simpatia de me deixar deitar num gabinete. Um grande bem-haja. Fica aqui o meu apelo/desafio à comunidade médico-científico-coiso: inventem qualquer coisinha mais fácil para fazer este teste, porque isto é pior do que o parto.

117 comentários:

  1. Apoio total no teste da glicemia! Muito pior que o parto!

    ResponderEliminar
  2. Nunca fiz o teste da glicemia (nunca estive nem vou estar grávida por isso pode ser que me livre) mas fiz uma endoscopia que me parece muito semelhante em termos de preparação...litro e meio de uma papa viscosa com sabor a limão (deve também ser uma variante do teu super pop) e uma vontade de "botar tudo cá pra fora"....brrrrrrrr...Felicidades neste último trimestre!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tendo já feito as 2, o da glicose é muito pior. Nunca mais bebi 7-up

      Eliminar
    2. Apenas uma curiosidade. Em que situações se toma esse preparado antes de endoscopia? Ja fiz 2 e nunca tomei nada. Obrigada

      Eliminar
    3. A diferença entre o teste de glicemia (fiz uns 4 ao todo de duas gravidezes) e a endoscopia é que no primeiro estamos grávidas e há cheiros, sabores e coisas, só coisas, com os quais não podemos de todo. E quando se faz o teste e na consulta a médica diz que vamos repetir em futuras análises para controlar? Eu só tinha comido algumas batatas doces assadas...


      Eliminar
    4. Endoscopia digestiva baixa, vulgarmente conhecida como colonoscopia. Essa é que requer preparação além do jejum, suponho que seja dessa que estão a falar.

      Eliminar
    5. Sim, o telemóvel traduziu para endoscopia, mas foi colonoscopia. Blheeeee

      Eliminar
  3. bemmm... estava a ler o relato do teste de glicémia e estavam a dar-me uns calores no estômago e um nó na garganta e já só me apetecia vomitar também! É mesmo isto! Raisparta o raio do teste!
    Tenho 2 filhos, o mau das minhas gravidezes foi só isto, mas hei-de lembrar-me eternamente!!! Ainda por cima no primeiro tive de repetir o teste pq os meus valores pós teste eram inferiores aos do jejum e a médica quis confirmar se não havia nenhum erro (afinal diz que não, é só 1 metabolismo rápido para xuxu a processar a cena...).
    Apesar de não ter a coroa, e já com a segunda criança nascida, há dias em que assobio para o lado e penso "que se f0d@, chorem para aí, comam o que há no frigorífico, paizinho faz-te à vida pq estou em introspeção. Tumbas!" (na verdade na maioria das vezes é apenas um profundo desejo, uma espécie de alucinação... mas pelo menos engano o meu cérebro ;)

    Felicidades,
    Ana

    ResponderEliminar
  4. Quando estive grávida da minha filha mandavam-nos ir à pastelaria e comer o bolo com mais creme e açúcar lá houvesse! Já lá vão 23 anos. Como as coisas mudaram

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Opaaaaaa, espetáculoooo! Isso é que era de valor. Ele há coisas que não deviam mudar nunca, estava perfeito assim...

      Eliminar
    2. Isso sim era de gente! Sempre se trincava algo com gosto! Agora aquela mistela, equivalente em calorias a 20 pastéis de nata, nem vale a pena lembrar. Sugiro a invenção de umas gomas! sempre seriam melhores!

      Eliminar
    3. Tenho 33 e a minha mãe diz que era assim! "Vá à pastelaria comer uma bola de Berlim e um galão cheio de açúcar". Este devia ser o procedimento médico dos nossos tempos!

      Eliminar
    4. E que tal uma petição para mudarem o sabor da mistela para uma coisa mais agradável ou então voltarem ao sistema antigo e só valem bolos e afins? ;)

      Eliminar
    5. Por muito mais tolerável que fosse esse método, não tinha, de todo, a mesma fiabilidade. Afinal qual a quantidade de açúcar ingerida no bolo? Varia de bolo para bolo! Como se podem estabelecer tabelas para analisar os resultados? Antigamente era o que havia, nos dias que correm não tem qualquer cabimento. Perdoem-me, gravidas! :)

      Eliminar
    6. Grávida há 29 e há 25 anos a solução também era a pastelaria. Mas também não conseguia... eu bebo tudo sem açúcar. Passaram a adoptar uma mistela doce mas com sumo de limão. Parecia uma limonada muito doce, não era assim tão mau, e eu vomito tudo e sempre, ainda hoje. Pipoca nas duas gravidezes vomitei todos os dias. Na segunda estive a correr para acasa de banho todas as minhas férias! Mas só engordei 5kgs em cada uma ;)
      Quanto à mistela, dia de análises, limão na mala.
      Tudo de bom, daqui a nada já passou <3

      Eliminar
    7. "a bola de Berlim e o galão" não enchem os bolsos da Indústria Farmacêutica. Ah pois é.
      Eu recusei a fazer o teste. Não tinha nenhum sinal/sintoma que alguma coisa não estaria a correr bem. Aliás, esse teste, nem é feito em grande parte dos países europeus.

      Eliminar
    8. Era exatamente assim. Eu escolhia um bábá ou uma bola de berlim com o dito galão. E quando foi do meu filho à 19 anos ainda vigorava a mesma receita.

      Eliminar
    9. Anónimo das 17.48 estou totalmente de acordo em relação à fiabilidade dos testes. Sou a anónima das 14.57 e como eng. Quimica dou-lhe toda a razão. Como mãe e infelizmente muito batida em doenças, posso dizer que a maioria dos exames eram evitáveis. Mas há que encher os bolsos da indústria em que a saúde se transformou. Os meus filhos sem as mariquices de hoje em dia são super saudáveis. Só gastei dinheiro em consultas de rotina.

      Eliminar
    10. No meu tempo não se fazia nada desses controles...e ainda bem!!!

      Eliminar
    11. Há 28 anos atrás já se bebia o super pop o que aliás tem lógica porque tem que ser controlado a quantidade de glicose que se ingere a minha mãe há 50 anos não teve direito a super pop era mesmo um soro com glicose puro e duro tudo depende da qualidade da saúde e não tem nada a ver com publico e privado, a minha mãe serviço privado eu serviço publico.
      Como não tive direito à coroa de grávida acho que me vou vingar e comprar uma que seja alusiva à passagem pela infância, ADOLESCÊNCIA e à idade de jovem adulto.

      Eliminar
    12. MM das 18:13.. pois é já viu? Quando estiver doente também não tome medicamentos , não va encher os bolsos de alguém! E nem vá ao médicos aqueles safados que só querem ganhar com consultas! Nem tome nada natural , já viu os agricultores a ganharem dinheiro? Essa “mistela” existe para resolver um problema que havia antigamente do teste não ser fidedigno devido não se saber quanto açúcar tinha sido ingerido como já referiram. E quantas pessoas há nesse momento fora em pre diabetes que só descobrem tarde de mais? Sabe que antigamente as pessoas não vivem até aos 90 anos.. por isso é muito bonito falar “à toa” da indústria farmacêutica quando não se pensa no resto.

      Eliminar
    13. E eu que também não tenho nem nunca tive "mariquices" com os meus filhos e vai-se a ver e por causa de um excesso de zelo de uma médica foi (felizmente) diagnosticada uma doença rara ao meu filho antes dele sequer ter sintomas. Essa do "eu nunca fiz isso e os meus são saudáveis" é muito gira até ao dia em que afinal há alguma coisa. Pior, quando as pessoas chamam os procedimentos de mariquices e depois quando alguma coisa passa despercebida já são os médicos que são incompetentes.

      Eliminar
    14. Eu fui das infelizes que vomitou a mistela e teve de repetir o martírio. Da primeira gravidez deram me a mistela sem sabor algum, preço água com açúcar, correu tudo bem. Na 2.ª gravidez deram me a mistela com sabor a laranja e foi como engolir duma vez brufen em xarope. Eu ainda hoje enjoo só de pensar no assunto. Seria para lá de espectacular fabricarem uns bolinhos com o equivalente em açúcar. Seria mesmo simpático. Boa sorte para as próximas grávidas.

      Eliminar
    15. A ideia de que este teste não é feito em grande parte dos países europeus é falsa porque felizmente não há uma incompetência generalizada pela Europa fora. Este é importante para a detecção de diabetes gestacional e se os médicos em Portugal sabem disto, os dos outros países também sabem. O que acontece noutros países é não ser feito o teste a todas as grávidas mas sim às grávidas que se inserem nalgum grupo de risco (de desenvolver diabetes gestacional). E obviamente a presença ou ausência de sintomas nada tem a ver com isto.

      Eliminar
  5. Pipoca o que me ri com a descrição da prova da glicose! 😂 fiz exatamente hoje o que lhe chamo “prova sem me vomitar toda na sala de espera de uma qualquer instituição de saúde em que dão uma bodega de açúcar a beber e ainda tiram sangue”....
    O meu diabo e anjo estiveram sempre lado a lado, mas lá venceu o anjo. Não sem ter de dizer ao analista que me estava a sentir pessimamente mal e tendo passado praticamente a tal “prova” sempre deitada.
    O mais hilariante foi dar a ler o teu testemunho ao senhor meu namorado e ele perceber que afinal a grávida-queixinhas que co-habita com ele afinal tem razão!
    Obrigada pela partilha!
    Tudo de bom com o resto da gravidez 😊

    ResponderEliminar
  6. A grávida está de coroa, o resto que se fod*

    ahahahahah belo slogan

    Sim esse teste é horroroso! Era mais fixe mandarem-nos comer um bolo.

    ResponderEliminar
  7. acho que eu enquanto bebé fui igual à sonsa piquena :-) o meu bebé nunca me fez isso, ai dele :-)
    estes dias devem estar a ser fáceis com o pai da criança em parte incerta do globo :D
    adoro a ideia da coroa e ainda bem que está melhor :-) vê-se que está bem pela sua cara. Aproveite bem os 3 meses que faltam. Nem acredito que já passou tanto tempo.
    Tinha mesmo que fazer esse teste horrível?
    beijinhos

    ResponderEliminar
  8. Querida Pipoca,
    Ser mãe é o melhor da vida, mas para quem tem um trabalho com horários e não tem empregada domestica essa coroa é apenas um sonho.
    ahahhahahahha vai pondo mas e a coroa agora pk depois do bébé nascer nem coroa nem aurela nem coisa que o valha, mas ser Mãe é a melhor coisa do mundo.
    Um beijinho e tudo a correr bem

    ResponderEliminar
  9. Fiz o teste cheia de medo, e afinal bebi tudo de uma vez (estava fresquinho), sem respirar. O pior foi depois da 1a análise o diabinho a tentar-me, mas também me deitei enquanto aguardava e acabou por correr tudo bem! é a minha 1a gravidez, ficaria feliz se fosse realmente pior que o parto em si!

    ResponderEliminar
  10. mil partos seguidos em vez do raio do teste :X

    ResponderEliminar
  11. Eu fiz esse exame "à maneira antiga": tirar sangue de meia em meia-hora. Foram 7 vezes. Nas últimas já nem se viam as veias nos braços, teve de ser mesmo no pulso, maravilha...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Se lhe acontecer novamente explique à enfermeira de serviço o que é um cateter. É que tal como a pipoca, fizeram-me colheita de sangue 3 veze e mesmo assim puseram cateter para não terem de estar sempre a picar.

      Eliminar
    2. Nem sempre é possível porque só os enfermeiros devem colocar cateteres e a maior parte das colheitas de análises são realizadas por técnicos de análises clínicas. Eles colhem sangue mas não colocam cateteres. Muitas clínica nem sequer os têm disponíveis.

      Sara

      Eliminar
    3. Sim, eu fiz esta análise num laboratório de análises clínicas normalíssimo (mas por azar, segundo a minha médica, consegui acertar no único que ainda faz esta análise desta maneira), não me lembro de lá trabalharem enfermeiros. :)

      Eliminar
    4. Nia, as enfermeiras sabem o que é um catéter, não precisam que lhes expliquem. Que mania que as pessoas têm de pensar que este ou outro profissional de saúde são enfermeiros quando alguma coisa não corre bem! Há mais grupos profissionais na saúde, sabia?

      Eliminar
    5. A PTGO (Prova de Tolerância à Glicose Oral) é recomendada a todas as grávidas (excluindo as já diagnosticadas com diabetes gestacional entre outros casos particulares) com 24-28 semanas de gestação. Como a PMD referiu, e bem, consiste em ingerir em jejum, após ter efetuado a primeira colheita, uma solução com 75 gr de glicose e efetuar duas colheitas uma hora e duas horas após a ingestão da solução. Normalmente, os laboratórios dispõem de preparados aromatizados, porém nenhuma grávida fá-lo de ânimo leve, como foi sugerido por aqui, o ideal é bebê-lo bem fresco! Essa prova é fundamental porque o diagnóstico da diabetes durante a gravidez tem um impacto significativo em vários aspectos da saúde materno-infantil e na saúde futura da mulher. Em caso de vómito, é necessário repetir a prova salvo indicação contrária pelo médico especialista em MGF ou GO. Como se trata de uma sobrecarga de glicose, em caso de tonturas, deve ser solicitado ajuda a quem efetuou a colheita: mudar de posição, apanhar ar fresco, etc. Uma nota muito importante: o uso de catéter é desaconselhado em contexto laboratorial. Outro aparte: os enfermeiros fazem colheitas mas quem estão devidamente credenciados são os técnicos superiores de diagnóstico e terapêutica de análises clínicas. :)

      Eliminar
    6. Eu sei em que consiste em prova. :) Aliás eu ia preparada para essa prova de 3 colheitas (jejum, 1h, 2h) por isso fiquei de boca aberta quando cheguei ao laboratório onde estava a fazer todas as análises mensais e me explicaram que faria a prova das 3h, com 7 colheitas (para fazer a curva da glicémia). Foi azar, não é o procedimento normal aqui, se tivesse ido a outro laboratório teria feito a prova das 2 horas, mas aquele faz daquela maneira. :)
      Quanto à bebida, eu tive de comprar na farmácia um pacote de 75 g de açúcar e no laboratório deitá-lo num copo de água à temperatura ambiente. Como aquilo não dissolve facilmente, enquanto bebia a água dava bem para mastigar o açúcar, blargh. Qual aroma, qual fresco, qual quê. :)

      Eliminar
    7. Fiz na maternidade e colocaram cateter. Fiquei muito agradecida.

      Eliminar
  12. Tive de o fazer 2 vezes, aos 5 e aos 7 meses porque continuava a emagrecer... Foi duro e, das duas vezes, só não vomitei tudo por sorte.

    ResponderEliminar
  13. Ahahaha...o exame da glicemia é lixado, nunca fiz um de jeito potque vomitava logo a seguir, eles bem tentavam mas o Gregório era mais forte.

    ResponderEliminar
  14. Ahahaha...o exame da glicemia é lixado. Nunca consegui fazer o Gregório vinha logo de seguida, eles bem tentavam mas logo de seguida...

    ResponderEliminar
  15. Pipoca vomitei a 20 minutos de terminar a segunda hora de sacrificio. Mas, primeiro perguntei se, na eventualidade de vomitar, se teria que repetir o dito exame. Ouvida a resposta, estomago vingou-se.

    ResponderEliminar
  16. Olá pipoca!
    Ainda estou na fase dos "enjoos horribilis" e tenho a energia de uma lesma.. ler estes posts sempre m«me fazem rir..obrigada!
    :)

    ResponderEliminar
  17. só para dizer que por acaso gostei bastante da mistela, e não me custou absolutamente nada fazer a bela da análise :P sim sou esquesita eu sei....(que tenha que o fazer novamente e me vomite toda, seria bom sinal...)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Gostar da mistela não gostei mas não me custou nada a fazer o exame. Giro giro era se nos obrigassem a fazer o exame no primeiro trimestre...

      Eliminar
    2. Também não me custou nada beber a mistela! O pior foi mesmo estar em jejum, e as horas de espera entre análises.

      Eliminar
    3. Também não me custou nada a fazer o exame, bebi aquilo bem, ia cheia de medo precisamente pelos horrores que ouvia, mas sinceramente foi muito tranquilo.

      Eliminar
  18. A sério que dizem isso da coroa? Por isso é que nunca teria paciência para esses cursos *facepalm* é tudo tão floribela...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Quando se falou deste assunto foi em jeito de piada e a dar o exemplo de um outro país qualquer onde se fazia isto (já não me lembro se Inglaterra ou Holanda). E, acredite, já é a segunda vez que estou a fazer o curso e é tudo menos Floribela. É bastante terra-a-terra, não há cá floreados sobre o que é a gravidez, o parto ou a maternidade.

      Eliminar
    2. Na Holanda não é de certeza. Aqui as gravidas não tem quaisquer "mordomias". Não há caixa no supermercado para gravidas, nem nos deixam passar à frente em filas, nem nos parques de estacionamento. A gravidez é vista com naturalidade e não como um problema ou "doença". Mesmo por isso só se fazem analises no inicio da gravidez. Se estiver tudo bem e sem queixas ja não se fazem mais testes. Ecos só às 12 e as 20 semanas. Não vale a pena entupir os serviços de saude com algo que é tão natural como a gravidez. Nem sequer fui acompanhada pelo ginecologista ou obstetra, apenas uma parteira. Os bebes nascem em casa se as pessoas assim o quiserem. A minha filha nasceu num hospital em Amesterdão e o meu filho nasceu há 10 meses na nossa casa, num ambiente super natural, apenas com a ajuda da parteira e deixando o meu corpo agir por si mesmo. Ambos os partos foram bem diferentes mas momentos muito bonitos e especiais. E sim sinto me muito orgulhosa por ter tido o meu filho em casa, de forma muito natural. O que para mim seria impensável e até ridiculo há 5 anos atrás.

      Eliminar
    3. Se uma gravidez estiver a progredir de forma natural sem complicações não percebo as cocosices em torno das grávidas, quando tive os meus filhos também não existiam lugares especiais de estacionamento, só usei nos últimos meses os lugares especiais nos transportes públicos, portanto a Holanda funcionar assim acho muito normal, em Portugal sempre se perdeu tempo com legislações que pouco ou nada interessam, acho bem mais grave não apoiarem as mães a ficarem com as crianças em casa no mínimo até terem 1 ano de idade

      Eliminar
    4. Eu fiz o curso e é óptimo (para quem tenha sentido de humor...): o parto e a maternidade são manancial para muita comédia. Nunca me tinha rido tanto aos sábados de manhã (tendo de acordar cedo...) como quando fiz o curso com a Enfermeira Luísa. Ainda que não aprendesse nada (que até aprendi), já teria valido pelo que me ri. Muito bom.

      Eliminar
    5. Anónimo da 01:15 ou nunca esteve grávida ou teve uma gravidez santa... Não pensaria que são cocozices se tivesse passado uma gravidez de merda, onde vomitava 20 vezes ao dia e tinha que continuar a minha vida de sempre. Não sabe o que é estar numa fila à espera e perder vez por ir vomitar à casa de banho do super mercado. Não sabe o que é estar numa fila e ter que perder a vez ao ir à pressa fazer xixi antes que se mijasse pelas pernas abaixa em plenos ctt... Se soubesse não dizia essas merdas de "cocozices de grávida". Queria-a ver com uma barriga de 8 meses aos encontrões em pé nos encostos dos autocarros se não tivessem que lhe ceder lugar. Enfim. O nosso país é uma tristeza por pensamentos comos os seus, que bota defeitos a uma coisa em que temos evoluído... Gravidez não é doença, certo. Mas pode ser um estado de debilidade por 9 meses. Se sabemos que é assim porque não agir preventivamente e ceder certas facilidades a pessoas que podem estar substancialmente numa situação física muito mais precária?! Em função das que estão bem... Não se preocupe que se eu me sentir bem sou a primeira a não ter interesse em usufruir desse tipo de vantagens, agora criticar que as haja... Por favor, vá só ali ver se esta grávida está na esquina.

      Eliminar
    6. Super evoluído isso aí na Holanda. Ainda bem que passei as gravidezes em Portugal. Quanto a mariquices de com gravidezes e partos, bom, é olhar para as estatísticas para ver quem tem razão.

      Eliminar
    7. Esse comentário sobre NA HOLANDA é que é fixe deve ser uma piada! Só pode... Têm ao menos noção das estatísticas relativamente ao que corre bem e mal em relação a partos e maternidade comparando Portugal e Holanda?! Estamos no topo minhas amigas, já a Holanda anda há anos a tentar mudar a triste realidade com que se depara... Mas pronto, Portugal está sempre mal e os outros países são sempre melhores em tudo... É o que o povacho fala, sem saber claro que neste caso é precisamente o contrário. Hja pachorra.

      Eliminar
    8. Portugal tem das taxas de mortalidade de parturientes e infantil mais baixas do mundo. E não é por acaso. Acho inconcebível que ainda hajam pessoas que acreditem que ter os bebés em casa, apenas com uma parteira seja o melhor. Concordo que há procedimentos nos hospitais que talvez sejam em demasia, veja-se o caso do número de cesarianas, e que têm de ser repensados mas ter uma equipa pronta a entrar caso algo corra mal faz a diferença em muitos casos. Veja-se o caso da Adelaide Ferreira, decidiu ter o bébé em casa, muito old fashion e tal. 80 HORAS EM TRABALHO DE PARTO ! 80! Para acabar num hospital com o bebé já em sofrimento. Não seria bem melhor ter ido para um hospital, ter pedido para ter um parto o mais natural possível e não ter passado por este horror? Acabou bem mas podia ter acabado muito mal. (https://lifestyle.sapo.pt/fama/noticias-fama/artigos/parto-complicado)

      A gravidez e o parto são coisas muito naturais, sim. Mas são coisas que podem também correr muito mal. Já pouco se ouve " Não conheci a minha mãe porque morreu durante o parto" . Esperemos que seja cada vez menos comum. E não o contrário.

      Eliminar
    9. 11.37 aquilo que descreveu nem todas as grávidas passam dessa forma tão intensa, eu por exemplo praticamente nem tive enjoos, mas há quem os tenha a gravidez toda, mas a anónima também escreveu ao início se a gravidez progredir de forma natural sem complicações, portanto penso que não estaria a falar de gravidezes como a sua que felizmente não são todas assim, também trabalhei das duas vezes até ao último dia, sempre fiz a vida normal, apenas mais devagar, há gravidezes muito boas e outras não tão boas

      Eliminar
    10. Anónimo das 23:18, concordo perfeitamente. Mas não temos como prever se teremos uma gravidez santa ou não, há que confiar no discernimento das pessoas. Eu se me sentir bem não faço questão de passar à frente em filas, mas soube-me pela vida poder faze-lo naqueles dias em que tinha a sensação de ir desmaiar a cada 10minutos... Ou seja faz sentido uma legislação que é pró-ativa em relação à grávida e existe para minimizar situações que (ainda bem) não têm sempre razão de ser, mas quando têm fazem toda a diferença. E mesmo quando não estava grávida nunca me fez espécie ceder vez a pessoas de idade, ou a pessoas com crianças de colo... Aliás já o fazia por iniciativa própria quando ainda nem era obrigatório. Acho que estas atitudes fazem muita diferença numa sociedade, se fossemos todos mais gentis com os outros o mundo era tão melhor... Só temos que fazer a nossa parte.

      Eliminar
  19. ahahah eu gravidérrima de gémeos e esfomeada por estar há horas sem comer, a mistela soube-me pela vida!! depois de a beber ainda me apetecia ir à pastelaria comer mais qq cosinha :D

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A mim também (e era só um), soube-me bem (mas eu nunca tive enjoos). Estava com uma fomeca... abendoado "sumo concentrado". Fresquinho... bem bom!
      Antes isso que picar o dedo 4x ao dia durante 6 meses (primeira gravidez). E nem tive diabetes! Se tivesse virava um coador.
      SM

      Eliminar
  20. Fiz hoje o teste da glicose e confirmo... aquilo sabe mesmo a super pop limão. A vontade que me deu de fazer um Sprint para vomitar aquilo fora

    ResponderEliminar
  21. Muita bom :D Estou grávida também de 6meses (25semanas e pico) fiz ontem essa maravilha de teste! Por acaso não foi tão mau quanto mo pintavam...bebi aquela coisa relativamente rápido, e não fiquei muito mal! AO final da primeira hora sentia-me meio estranha, mas julgo que até seria mais pela vontade de comer ou beber algo de jeito! Durante a tarde é que estive um bocado indisposta...não sei se efeitos retardados - se é que é possível - ou se pelo facto de estar um dia super quente! Ou então as duas coisas misturadas

    ResponderEliminar
  22. Na gravidez da mais velha, por um erro de alguém que ainda hoje não percebi, fiz o teste "alargado" (de 3 horas) e bebi 100 g de glicose. Ainda hoje, 9 anos volvidos, tenho arrepios de cada vez que alguém sequer diz a palavra glicose. Foi de tal maneira que desse dia em diante deixei de gostar das coisas tão doces como era habitual. Juro que foi literalmente de um dia para o outro. Num dia adoçava imenso o leite com café etc, no dia seguinte não suportava.

    ResponderEliminar
  23. Só aquela cor amarela de detergente já da nauseas. Em plena CUF descobertas,estive a modos que deitada num sofá da sala de espera, mas não vomitei! Beber aquilo outra vez é que nem pensar!!!

    ResponderEliminar
  24. Já me tinham dito que era mau, mas sem descrição de como era na realidade... Faço daqui a umas semanas, não devia ter lido isto ahahah. Fico contente que seja pior que o parto, segundo a vossa experiência ;)

    ResponderEliminar
  25. Pois eu só fiz o teste à terceira. Das duas primeiras, para além de vomitar, fiquei com uma valente diarreia!

    ResponderEliminar
  26. Eu vomitei três vezes, incontrolável... e o médico desistiu depois disto...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tentei fazer duas vezes, foi a desgraça na terceira tomei um comprimido para o enjoo e fui para o carro dormir 😁 na segunda gravidez comecei logo com batota... Comprimido para o enjoo !!

      Eliminar
  27. Uma dica de quem fez o teste de intolerância à glicose 3 vezes + 1 depois do parto (porque continuei com os valores altos): beber aquela coisa com água muito fresca. Ajuda MUITO!
    Na segunda vez que fiz ia vomitando e desmaiando. Fiz novamente na 3ª gravidez há umas semanas, com água muito fresca (dica da senhora que estava a fazer as análises) e até parecia mentira: nem um segundo de enjoo, nada.

    ResponderEliminar
  28. Vou fazer o meu para a semana. Fogo nao ajudou nada ler estes comentários todos...vamos ver como vai correr..

    ResponderEliminar
  29. Até tenho medo de escrever isto,mas..ADOREI o teste da glicemia! E também o fiz depois da criança nascer, pois tive diabetes gestacional.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Na primeira vez fiz apenas 1 mês depois do parto (risco de diabetes na gravidez), na segunda já fiz durante a gravidez, às 24 semanas. Apesar de não ter tido problemas (pois nunca enjoei) é uma sensação diferente.
      Na gravidez ficamos com o sabor na boca mais tempo. Mesmo assim não me posso queixar. Foi como beber um shot de sumo concentrado. Bebam um Sunquick puro. É (quase) a mesma coisa.
      Bebeu-se bem. :)
      SM

      Eliminar
  30. Uma perguntinha aqui de uma ignorante que ainda não tem filhos (e morre de medo de os ter, só de pensar em tudo o que daí advém): todas as grávidas têm de fazer esse teste?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Se vive em Portugal, sim. :)

      Eliminar
    2. Só não fazem as grávidas que à partida vão para cesariana.

      Eliminar
    3. Anónimo 21.47 não percebendo nada do assunto, porque não fazem as grávidas que vão fazer cesariana?

      Eliminar
    4. Têm de fazer é muito relativo. Informe-se!!!! Não têm de fazer nada que não queira, e nem só pq sim. Consentimento informado!!!!!

      Eliminar
    5. Anónimo das 21h47, o que é que uma coisa tem a ver com a outra? Este teste serve para saber se a grávida tem diabetes gestacional ou não. Não percebi a relação com a cesariana...

      Eliminar
    6. Só faz se quiser. O corpo é seu e pode recusar o que quiser. Em relação à cesariana uma coisa não tem rigorosamente nada que ver com a outra. Informem-se antes de comentar

      Eliminar
    7. No meu caso era dado adquirido que seria cesariana.Eram gémeos e eu sou hipertensa, e fiz o teste na mesma. A sorte foi que nao me custou nadinha :)

      Eliminar
    8. Ali em cima há um comentário de alguém que não fez por opção, uma vez que não tinha factores que apontassem para diabetes.

      Eliminar
    9. Tal como já foi respondido, este teste serve apenas para diagnóstico de diabetes gestacional. Não terão de o fazer apenas as mulheres que já têm diabetes previamente conhevida. E claro, todas aquelas que não o queiram realizar após assinatura do consentimento informado, conhecendo todos os riscos (vomito apenas) e benefícios do teste (deteção precoce de diabetes gestacional, prevenção de macrossomia e distócia de ombros, hipoglicemia do recém-nascido, etc).

      Eliminar
    10. Eu fiz o teste e fiz cesariana. Não percebi a relação. Se calhar está a confundir com o teste do cotonete no rabiosque (não me lembro do nome)

      Eliminar
    11. Há um teste de cotonete no rabiosque?!! Ai meu Deus, eu já tinha medo da gravidez, com estes relatos assim fica mais difícil..

      Eliminar
    12. Não fiz o teste na primeira gravidez porque tinha o valor da glicose em jejum ligeiramente alto, mas passei a gravidez a controlar os valores com testes ao sangue. Fiz o teste um mês depois do parto para confirmar que não tinha diabetes.
      Na segunda gravidez fiz e não me custou nada. Nunca tive problemas com enjoos, em beber coisas doces, nem picadas. Isso deve ajudar.
      Durante a espera (~2horas??) despachei bastantes páginas de um livro.
      A tortura do sono meses a fio é bem pior. :p
      SM

      Eliminar
    13. Anónimo das 01:05, desculpe que lhe diga, mas assusta-se com muito pouco! Que tenha medo dos enjoos, das trombofilias, dos maus estares da gravidez, do parto, pós-parto, etc, eu percebo...agora de um teste do cotonete no rabiosque??? Menos...muito menos

      Quanto a ser ou não ser obrigatório fazer este teste, obviamente ninguém é obrigado a nada! Lá voltamos à questão das vacinas...
      Pessoas que enchem a boca ao dizer "recuso-me" e sentem-se as maiores. "A indústria farmacêutica encher os bolsos às minhas custas?! Isso é que não. Era o que mais faltava"
      Não fazem as coisas para o seu próprio bem (no caso das vacinas até implica terceiros - imunidade de grupo), por pura teimosia.

      Eliminar
    14. Qualquer pessoa pode recusar qualquer exame, mas uma grávida tem que ter noção que ao recusar este exame não o está a recusar apenas para si, está a recusá-lo ao próprio filho. Existem mulheres que afirmam estar informadas e tal, mas duvido que tenham pensado numa situação de possível macrossomia associada à diabetes gestacional...numa mulher com diabetes gestacional é aconselhada uma indução antes das 41 semanas...imaginem parir um bebé com mais de 4kg e no momento do parto haver uma distócia de ombros grave...é um horror para quem assiste no parto vaginal...se a mulher recusou fazer a prova da glicémia, que poderia despistar a diabetes e programar uma indução para evitar um bebé macrossómico, que possa trazer problemas à saúde de mãe e filho, de quem é a responsabilidade? Pois, se calhar é melhor começar a pensar na saúde dos filhos logo durante a gravidez como felizmente a quase totalidade das mulheres o faz! Não é uma questão de lobbys farmacêuticos, pois em Portugal temos muita sorte por ter tantos rastreios gratuitos e abertos à população. É triste ver que há, hoje em dia, e não só nesta situação, pessoas que falam no "natural", no regresso ao "antigamente" e tentem influenciar a restante população, procurando "estudos" duvidosos. Devemos é lutar pela humanização nas salas de parto, não é por não fazer a prova da glicémia.

      Eliminar
    15. Cotonetes no rabo, 9 meses de desconforto, engordar, as dores do parto, passar dois ou três anos a mudar fralda e a viver para outra pessoa, as mamas que nunca mais voltam a ter a mesma aparência... as outras mulheres que me desculpem mas não entendo como a maioria está tão desejosa de se sujeitar a isto... seria o pior que me poderia acontecer.

      Eliminar
    16. Anónimo das 12h04, sim é verdade tudo isso, mas ganha muitas outras coisas, já pensou nisso?
      Sou mãe, mas não fundamentalista e percebo perfeitamente quem não queira ter filhos e respeito, mas que não seja apenas pelos motivos que aponta, como se não ganhasse nada em troca... Ganha tanto.

      Eliminar
    17. Nem toda a gente passa por 9 meses de desconforto, nem toda a gente sofre com dores no parto, nem toda a gente fica mais gorda depois de uma gravidez, nem toda a gente fica com um corpo mau mesmo que algo possa mudar. E mesmo que tudo isto aconteça, se calhar é porque vale a pena. Aliás, se calhar vale tão a pena que há pessoas que voltam a repetir para ter mais filhos. Ou então não, as mulheres são todas burras por se sujeitarem a isto e a Anónima é a única iluminada que consegue ver o quão horrível é ter filhos.

      Eliminar
    18. É bom para quem sente o apelo... para quem não sente e decide ser mãe por qualquer outro motivo, não se ganha muito em troca. E mesmo entre as que sentem, desconfio que haverá muitas a quem a maternidade tornou mais infeliz.

      Eliminar
    19. Se a mãe da anónima das 12:04 pensasse como ela, não tínhamos comentários destes!

      Eliminar
    20. A maternidade não fará feliz todas as pessoas. Mas também não faz feliz apenas aquelas que sentem esse apelo. Quantas não foram mães por precalços e hoje adoram sê-lo? E se querem ser compreendidas no vosso direito de não quererem ser mães, então não podem dizer disparates, atacando e falando como se fossem mais espertas que as outras burras todas que decidem desempenhar esse papel, questionando de forma desdenhosa o que um filho traz de bom. É óbvio que traz coisas boas, pode é realmente não ser suficiente para toda a gente.

      Eliminar
  31. Marta pCarvalho11 maio, 2018 21:32

    Ainda so li 3 paragrafros e ja chorei a rir,não é justo:)

    ResponderEliminar
  32. Eu fiz o teste e foi como se nada tivesse passado e senti-me sempre bem. A enfermeira que me fez as análises deu-me a bebida de sabor a limão com água fresca, bebi bem e não acho que seja assim tão mau quanto dizem...

    ResponderEliminar
  33. Uau... Eu fiz esse teste, não me custou absolutamente nada.

    ResponderEliminar
  34. Eu achei que sabia a calipo de limão. Estava super fresquinho e com o jejum, soube-me pela vida.
    Não consigo perceber essa aversão toda ao dito exame.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O meu era apenas água morna com muito açúcar mal dissolvido. Se calhar se tivesse bebido este, já entendia. Ou então basta pensar que há coisas que a si a enjoam ou das quais não gosta mas que para outras até sabem bem.

      Eliminar
    2. Exato, por não ter sentido enjoo ou ter gostado do sabor é que não consigo entender.
      De toda a maneira, li tanta gente a pôr este exame na lista dos piores momentos da gravidez que fui para o exame em nervos a pensar o pior... e depois... surpresa, foi na boa!
      Por um lado fiquei contente, por outro fiquei arreliada ter estado dias em stress sem motivo.

      Eliminar
  35. Calma, isto é novidade para mim. Não sabia que estavas grávoda :D PARABÉÉÉÉÉÉÉÉNS!!

    xo, https://diamonds-inthe-sky.blogspot.pt

    ResponderEliminar
  36. Marta pCarvalho12 maio, 2018 22:08

    Bem, já quase esquecer-se que está gravida é óptimo, a comparar com aqueles meses iniciais em que estava sempre mal disposta, sem conseguir comer nada e sem energia… a bebe anda entretida no passeio, bem disposta e dá tréguas..)
    Do que me lembro, aos 6 meses o corpo já esta mesmo diferente, os bebe já ocupam imenso espaço , e os movimentos ficam completamente limitados.
    A ideia da coroa é excelente, fica mais fácil para os outros perceberem quando se esta no limite. Mal se entrasse em modo gravida recebia-se uma com vários direitos automaticamente adquiridos. Uma coroa cai sempre bem mesmo da Tiger ( essa fica-lhe muito bem):)
    O manto da invisibilidad é fantástico ( em grande, alinhadíssimo com a coroa.), o que já me ri, era o sonho de qualquer mulher , gravida ou não gravida, mas para as gravidas é de facto merecido. A gravidez, por muito pacifica que seja, é sempre difícil ter o corpo a mudar.Ao primeiro teste de confirmação de gravidez, devia aplicar-se o manto invisível que faz desaparecer as preocupações dos jantares, animais, emails por ler (43.000…:) e tods as outras.
    Não me lembro de fazer esse teste, e se tivesse tomado isso acho que me lembraria.
    Eu ficava logo arrumada no primeiro round. Sou fracota com seringas e analises. Odiava tirar sangue todos os meses. Cheguei a desmaiar duas vezes (fraquita mesmo):), depois passei a levar com um saquino de acucar e ficava sempre deitada mais tempo.
    Que coisa tao mal inventada . Não sabem descobrir um teste mais simples, com um sabor agradável que não arruíne uma pessoa…Que coisa mais traumática, ao ponto a que chegamos, deve ser mesmo mesmo mau…Senhores Doutores, simplifiquem, por favor…

    ResponderEliminar
  37. Duas vezes fiz o teste e duas vezes que a sala de espera do laboratório ficou forrada a vomitado...

    ResponderEliminar
  38. Engraçado, fiz o tal teste nas duas gravidezes e achei perfeitamente normal, não custou nada de especial, era só muito doce.
    Mas estou solidária no tomate cru, jantei esse “prato” semanas a fio...

    ResponderEliminar
  39. Tenho 2 filhos, fiz o teste 2 vezes e não é nada do outro mundo. Custou-me um bocadinho beber aquilo, mas longe das descrições que para aqui vejo. Depois de despachar o "refresco" senti-me sempre bem. O mais chato deste exame, pra mim, é ter de ser picada 3 vezes num espaço de 2 horas. Quanto à coroa, na teoria é muito bonito, mas na prática as coisas não funcionam assim, especialmente quando já existem outros filhos. Beijinhos Pipoca, tudo a correr bem!

    ResponderEliminar
  40. Fiz o teste da glicose e mesmo sem estar grávida foi um horror. A analista deu-me a mistela bem fria e aconselhou-me a beber assim porque "à temperatura ambiente" é ainda mais intragável. Acho que é uma boa dica....

    ResponderEliminar
  41. Na primeira gravidez fiz o teste 2 vezes e das 2 fui parar às urgências! Na próxima vez que estiver grávida vou recusar fazê-lo. Para mim foi uma experiência traumática

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Mas o que lhe aconteceu? Pico de açúcar, sentiu-se mal com o jejum subsequente? Gostava de saber.

      Eliminar
  42. Também tenho má memória do dito exame na primeira gravidez. Desta vez disseram-me que o meu sangue estava tão bom que não precisava de fazer!! Achei esquesito. Mas eles é são os profissionais e não era eu que ia pedir para fazer beber aquela mistela... Moro na Suíça. Felicidades, pipoca. Que tudo lhe corra bem. Por aqui já estamos de 39 semanas e a rezar para que o miúdo queira vir rapidamente ao mundo. 😙

    ResponderEliminar
  43. Então e já se sabe o nome da criança? :)

    ResponderEliminar
  44. Ai, o pesadelo da glicose!!! Comecei a beber aquilo a pensar "não sabe assim tão mal" mas ao meio da coisa tanto doce já estava a enjoar a sério e parecia que nunca ia acabar de o beber. E depois, as 3 horas de espera em jejum foram um inferno. A determinada altura comecei a sentir imensas tonturas, suores... E eu que tinha ido sozinha porque era só beber uma coisinha e tirar sangue já estava a ligar ao meu marido "anda cá que eu vou desmaiar a qualquer momento". Para completar, a pressão da grávida ao lado que saiu correndo a vomitar e eu, cheia de vontade, "aguenta-te para não ter de repetir esta merda". Yep, sem dúvida, foi o pior momento da gravidez!

    ResponderEliminar
  45. ahh a mistela... eu cometi o erro de escolher LARANJA. natural, limao e laranja eram as hipoteses... eu q odeio sabores artificiais a laranja. big mistake :/

    ja tinha lido sobre o quanto a mistela era intragavel e q é mt melhor se estiver fria... e a senhora infermeira vira-me as costas abre um armario q estava repleto de frasquinhos e da-me um frasquinho e um copinho e diz-me q o tente beber em 15min, desejou-me coragem e bazou. ainda pensei q o armario fosse refrigerado.. mas nao... deram-me a mistela a temperatura ambiente. lembro-me q demorei mais de 10 minutos a beber metade e dps tive q ganhar coragem e beber a outra metade de penalti. :S

    Isto passou-se em Franca.

    ResponderEliminar
  46. Estive grávida há 9 anos e o meu médico nunca me mandou fazer o teste da glicose... Olha que pena.

    ResponderEliminar
  47. Pipoca, estas a praticar algum desporto agora na gravidez?

    ResponderEliminar
  48. Opa completamente....não me custa mesmo nada fazer o teste, mas a parte dos 50 mil pacotes de açucar pro bucho é só o desespero. Não há-duma-pessoa ficar logo com diabetes...bastava respirar aquilo!

    ResponderEliminar
  49. Fiz o teste nas minhas duas gravidezes e achei... doce. Como sou gulosa trocava por uma latinha de leite condensado. O parto foi francamente mais... intenso, sendo que o segundo foi rápido. Muitas felicidades Ana. Já podemos saber o nome da gajinha??!

    ResponderEliminar
  50. O meu conselho: há mais do que um sabor (nem sempre em stock) e o de limao é o menos enjoativo. Bebe se mto melhor frio e de penalti. Beber aos golinhos é mto pior.

    ResponderEliminar
  51. Eu devo ser única que não teve problema em beber esse preparado! Das duas vezes que estive gravida, a técnica que me fez as analises levava sempre limões e espremia 1 ou 2 . Bebia na boa!

    ResponderEliminar

Teorias absolutamente espectaculares

AddThis