Pub SAPO pushdown

É preciso falar disto #13: o caso Lovely Pepa e o cyber bullying

segunda-feira, janeiro 29, 2018

Num qualquer dia de Verão do ano passado fui ao ginásio de manhã. Voltei para casa,  peguei no Mateus e saímos para almoçar. Antes, passagem rápida pelo banco para tratar de um assunto qualquer cá da minha vidinha. Ia ainda de cabelo meio molhado, apanhado às três pancadas, sem maquilhagem, um macacão, umas sandálias rasas, a despreocupação estilística de um típico dia de férias. Uns dias mais tarde, num dos muitos blogs de ódio criados para acossar bloggers (preferencialmente, os que tenham algum sucesso), alguém deixava um qualquer comentário do estilo "vi a Pipoca no banco com o Mateus. O cabelo todo oleoso, um macacão fluorescente, umas sandálias de plástico de ir para a praia, um horror. Afinal aquela produção toda de maquilhagem e saltos altos é só para o blog, que decepção". Era isto. O meu cabelo molhado passou a oleoso, o meu macacão de ganga quase branca passou a fluorescente, as minhas sandálias de corda e camurça passaram a "de plástico" e eu passei de cuidada a desleixada. Quem conta um conto acrescenta muitos pontos. E assim se deu a queda de um mito. 

Sucede que eu sou uma pessoa com uma enorme capacidade de reter informação de merda, coisas que não interessam para nada.  E lembro-me que nesse dia, no banco
, só estavam mais um velhote e uma mulher na fila, além de mim. Ora como não estou propriamente a ver o velhote a seguir blogs, menos ainda do estilo do meu, concluí que o comentariozinho odioso foi deixado por aquela mulher. E isto assustou-me. Mais do que me assustar, acho que me preocupou saber que alguém me viu ali, num situação absolutamente banal, e sentiu necessidade de ir a correr lançar mais achas para a fogueira de um hate blog. Dá para ter uma existência mais miserável? Passo a vida a dizer que os blogs me fizeram perceber que, na vidinha real, há pessoas tão más como nos filmes e nas novelas. E que elas andam aí, mais perto do que julgamos. Infelizmente, algumas partilham o mesmo banco do que nós.

Quando criei o blog, há 14 anos, não o criei a pensar que um dia teria sucesso, que me faria mais ou menos conhecida, que ganharia dinheiro com ele. A coisa foi acontecendo. E se os primeiros dois ou três anos foram uma alegria, com o blog a ser frequentado apenas por quem gostava efectivamente de o ler e a ser comentado de forma civilizada (mesmo por quem discordava), aos poucos isto foi-se transformando num cambalacho. Começaram os insultos gratuitos, os comentários de ódio, começou a aparecer gente cuja única ocupação na vida parecia ser detestar-me e fazer questão de o manifestar em todos os posts. Ao fim de uns seis ou sete anos de blog vi-me obrigada a impor a moderação de comentários, porque percebi que muita gente achava que liberdade de expressão equivalia a dizer todas as atrocidades que se lhes atravessassem pela cabeça. Confundiu-se liberdade com má criação, com maldade, com uma data de coisas que eu não quero no meu espaço. Porque, ao fim do dia, é mesmo disto que se trata: do MEU espaço. Um espaço que ninguém é obrigado a frequentar. Enchi o saco, deixou de me apetecer ser saco de pancada para gente frustrada, comecei a moderar comentários e a enviar directamente para o lixo todos os que me pareciam ofensivos ou desenquadrados.

Não sou egóica ao ponto de achar que toda a gente tem de concordar comigo. Que toda a gente tem de gostar daquilo que eu gosto. De pensar aquilo que eu penso. De se identificar com o que faço, com o que visto, com os meus ideais, com o que seja. E acho, mesmo, que da discussão de ideias resultam coisas interessantes. Farto-me de publicar comentários que discordam de mim, muitos até que nem abonam propriamente a meu favor. Não sou propriamente a blogger-diva que só quer palmadinhas nas costas. Mas há outros, muitos, todos os dias, que nunca chegam a ver a luz do dia. Pela agressividade, pelo despropósito, pela maldade. Há coisas muito duras de ler, que magoam, que fazem mossa. Ao fim de tantos anos, acho que até já consigo lidar bastante bem com o ódio que se dissemina diariamente a meu respeito. Apago comentários, não frequento determinados blogs e páginas de Facebook, peço aos meus amigos para não me contarem as coisas que lêem a meu respeito... Viver na ignorância é, em alguns casos, o melhor. Ou, pelo menos, a melhor forma de se conseguir alguma paz de espírito.

O que mais me incomoda é, provavelmente, o sentimento de injustiça. Ter gente que não me conhece de lado nenhum a tecer todo um conjunto de julgamentos de valor só com base naquilo que eu escrevo (e que está longe de ser a minha vida toda), a inventar merdas, teorias sem sentido, é coisa que me dá assim a voltinha ao estômago. Mas se há  uns anos fazia questão de publicar todos esses comentários e de lhes dar resposta (porque sentia que se não o fizesse estava a dar razão à pessoa que os tinha escrito, aquela coisa do quem cala consente), agora estou-me a cagar. Mesmo. Porque raio me há-de chatear a opinião que UMA pessoa qualquer tem de mim, se há outras 500 que pensam o oposto? Se as pessoas que me interessam - a minha família, os meus amigos - me conhecem, sabem o que sou, então a opinião de estranhos só merece um lugar: o caixotinho do lixo virtual. Mas, óbvio, não sou uma alma assim tão abnegada. Aquela coisa de apanhar na cara e oferecer a outra face não dá para mim. E se há dias em que calho a estar mais lixada com a vida, então haverá resposta.

Ao longo de 14 anos, como imaginam, já li de tudo. Do mais soft ("és horrível", "és fútil", "és obesa", "és feia de magra", "és ridícula") ao mais hardcore. Já me perguntaram se o meu filho tem Trissomia 21, já gozaram com a minha família, com os meus amigos, já me acusaram de ser má mãe, já me desejaram a morte. E eu dou por mim a olhar para tudo o que escrevi neste blog e pergunto-me "a sério? A sério que há alguém que me odeia ao ponto de me desejar a morte?". Quão doente é que se pode ser? Estou longe de ter o típico blog cor-de-rosa-fofinho. Verdade que tenho opinião sobre as coisas, não sou uma anémona. Verdade que, para muitos, sou demasiado irónica, sarcástica, corrosiva. Verdade que há quem não empatize com o meu humor, ou sequer o perceba. E acredito que, para muita gente, possa não ter uma imagem simpática, amistosa, fofinha. Percebo isso tudo. Mas não sou, de todo, uma pessoa maldosa, com mau fundo, mal intencionada, capaz de promover ódio. Não é a minha cena. "Ah, mas gozas com a roupa das pessoas", "ah, mas fazes piadas com algumas situações". Certo, isso tudo. Mas alguma vez escrevi alguma coisa que justifique o ódio todo que algumas pessoas me têm? Não creio.

Há quem se defenda usando a cena do "estás exposta, aguenta-te". Certo, há uma parte da minha vida que está exposta. Mas há uma data de pessoas que estão expostas no vosso dia-a-dia, na vossa realidade. A senhora do café, os vossos amigos, a vossa família, os vossos colegas de trabalho, a malta do ginásio. E se não chegam ao pé dessas pessoas e lhes despejam uma data de atrocidades na cara, porque é que acham que o podem fazer via net? Porque na vida real há uma coisa chamada "decoro". E outra chamada "coragem". Na net são todos uns heróis, escondidos atrás do vosso computador, a debitar anormalidades atrás de um ecrã. Na vida de todos os dias é que a coisa é mais difícil. E bastava isso. Bastava que muita gente fizesse o exercício de pensar "eu diria isto a alguém que estivesse à minha frente? Não. Não teria coragem, não seria apropriado, não faria sentido". Então, se não diriam isso a alguém, ao vivo, porque raio sentem que o podem dizer via net, a alguém que não conhecem de lado nenhum? Em 14 anos de blog nunca ninguém veio ter comigo, ao vivo, para dizer que me detesta, que me acha uma palerma, uma arrogante, o que seja. Quem vem ter comigo é quem gosta de mim, quem tem qualquer coisa simpática para me dizer. Ou outros? Vão a correr para as caixas de comentários dos blogs de ódio, escudados no seu anonimato, a acharem-se os maiores lá da rua deles.

Esta conversa toda não é nova, mas vem a propósito da denúncia que a espanhola Alexandra Pereira, do Lovely Pepa, fez na semana passada. Num vídeo de meia hora, a blogger conta que sempre foi acossada (primeiro, na adolescência, depois por causa do blog), que sempre foi vítima de comentários de ódio, e que as coisas não param. Que sempre optou por ignorar, na esperança que o cyber bullying acabasse, mas que ao ver que ia ficando sempre pior, tinha decidido falar sobre o assunto. O ponto alto é quando denuncia a Vogue espanhola, que no seu site permitia fóruns, sem qualquer tipo de controlo sobre os conteúdos publicados. Um desses fóruns era exclusivamente dedicado à Alexandra Pereira e, basicamente, era um depositário de mais de 70 mil comentários de ódio. Sim, ela contou-os e até publicou alguns deles no seu vídeo. Moral da história: a Vogue acabou com os fóruns, apagou aquilo tudo e viu-se obrigada a emitir um comunicado a pedir desculpa. Não só à Lovely Pepa como a muitas outras mulheres (bloggers, actrizes, apresentadoras) que também foram visadas naqueles fóruns. Um pequeno passo para o mundo, um grande passo para acabar com o cyber bullying.

Acho que quando gerimos um espaço ao qual tanta gente tem acesso, temos de ter algum cuidado com os comentários que aceitamos. Não somos os autores dos mesmos, mas não deixamos de ter alguma responsabilidade. Por aqui, é raro o dia em que não vêm cá deixar comentários a destilar ódio sobre outras bloggers. Às vezes pode escapar-me uma coisa ou outra, por distracção, mas geralmente não aceito nada desse género, não faz sentido, é só estúpido. Até porque sei que isso é só abrir a porta a que venham mais e mais comentários odiosos. Faz-me muita confusão que páginas de revistas, jornais ou programas de televisão não façam qualquer tipo de moderação dos comentários publicados. Aquilo é um campo aberto de anormalidade, de maldade, de violência verbal, de preconceito, de tudo e mais alguma coisa. Enche-me de vergonha que as pessoas possam fazer comentários assim. Ou melhor, enche-me de vergonha (e medo) que haja quem pense efectivamente assim. Essas pessoas existem, comem e dormem como nós, têm empregos, uma vida normal. Mas depois são uma merda. Não há outra palavra, são uma merda.

Há uns tempos fui convidada para ir a um programa de televisão. Não me pagaram nada, tirei duas ou três horas do meu fim-de-semana para ir até lá. No final do programa, fui à página de Facebook do dito programa, e não só os gestores da página tinham puxado algumas das frases que eu tinha dito descontextualizando-as para gerar "click bait", como havia uma data de comentários de uma agressividade inacreditável. O programa era sobre futebol, portanto estão a imaginar os espécimes que por ali apareceram a comentar. Enviei, na hora, uma mensagem ao apresentador do programa a perguntar como é que era possível que deixassem um convidado ser tratado assim. Como é que permitiam aquele tipo de comentários? Como é que não protegiam minimamente as pessoas que se disponibilizavam para ir até lá? Moral da história: não voltei ao programa, recusei os convites seguintes, ah, e tal, não vai dar. 

Moral da história, este post não é, de todo, para me vitimizar. Já ando aqui há muito tempo, já conheço as regras do jogo e já sei que há gente assim, genuinamente má. Infelizmente, isto não vai mudar grande coisa, mas sou pela lei do retorno. Acho que quem faz determinado tipo de comentário, daqueles mesmo, mesmo odiosos, mais tarde ou mais cedo acabará por pagar. A vida encarrega-se desta gente. Acho que a Alexandra Pereira teve muita coragem em expor a situação, sobretudo envolvendo um meio de comunicação tão influente como a Vogue. Esta responsabilização é importante, é urgente, os meios de comunicação têm de fazer a sua parte, mesmo que isso implique perderem algumas visitas ou "gostos". Porque não pode valer tudo.

A coisa que mais me perguntam é "como é que aguentas aqueles comentários?". Não sei. Não há uma fórmula. Em 97% dos casos já só me consigo rir com o nível de imbecilidade que anda por aí. Apago, ignoro, sigo em frente. Mas depois há aquelas coisas que, pelos requintes de malvadez, me fazem pensar um bocadinho. Sobretudo na existência miserável que muita gente leva. Criar blogs de ódio a outros blogs? Deixar comentários horríveis? Ir para páginas de Facebook despejar atrocidades? Pessoas, por favor. Façam voluntariado, adoptem um peixinho dourado, façam desporto, viajem. E tenham juízo. Sobretudo, tenham juízo, que muitas já têm idade para isso.

205 comentários:

  1. Muito bom o texto! Nunca comento, porque tenho noção do meu péssimo português, especialmente em forma de escrita!
    Que seja sempre iluminada para continuar o seu trabalho!
    M

    ResponderEliminar
  2. Quer saber a minha opinião? Existem pessoas que passam mais tempo a invejar a vida das outras do que a fazer alguma coisa pela vida delas e depois claro, ficam num estado de inveja e de desespero que tentam falar mal das outras para se sentirem melhores. É a única justificação. Porque eu já tenho tanta coisa com que me preocupar na minha vida que lá me importa se a pipoca (ou seja quem for) está gorda, magra... Se está vestida demasiado de preto ou demasiado de florescente. E mais? É triste serem as mulheres a emitir este género de coisas. Bem, isto dava pano para mangas... Anda muita gente de merda e infeliz por trás de comentários em anónimo...de lamentar. E sabe que mais? São esses que lhe dão os comentários. Porque pessoas que eu que a seguem religiosamente e a adoram nem perdem tempo a comentar às vezes, limitamo-nos a pensar cá para nós. Essas invejosas acabam por lhe dar ainda mais sucesso... Só gente amarga e infelizmente existe mais do que pensamos.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Concordo tanto com este comentário!

      Eliminar
  3. Muito bem. Eu gosto de si, e dos seus dois rapazes. No outro dia vi-vos e queria ir dizer olá, mas fiquei com vergonha. Estavam numa festa de uma criança, na vossa vidinha. Vi-vos felizes. Fiquei também feliz. Porque afinal são tão giros ao vivo como aqui nas fotos e na televisão ;-) Adiante. Mas não sei como aguenta. Vê a Teoria do Big Bang? A Penny diz "love trumps hate". E é verdade. Beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A pergunta não era para mim, mas que se lixe, respondo eu :) sim, vejo e também adoro essa frase. Haja corajosas como eu e tu que acreditamos nela!

      Eliminar
  4. Bem sei que também é o vosso trabalho, mas acho que têm muita paciencia...eu já tinha acabado com o blog 500 vezes, deixado de permitir comentários, batido em pessoas, sei lá...até a mim me dá cabo dos nervos e não é nada comigo!

    ResponderEliminar
  5. Concordo em absoluto. Acho odioso e imperdoável massacrar e ofender outras pessoas, só porque estas são corajosas o suficiente para exporem as suas vidas online. Porém isso não dá direito a ninguém de opinar e destilar ódio. A boa educação e o respeito são para com todos os demais seres humanos, até para aqueles com quem não simpatizamos. Não sei como a Ana aguenta. Para mim a fama e o tornar-me uma "figura pública" seriam autênticos pesadelos em que todos nos invejam e criticam. Não há nada de mais valioso que o nosso anonimato.

    ResponderEliminar
  6. Pipoca posso só saber o que chama às publicações em que diz mal de vestidos, cabelos e até de pessoas...por exemplo, Luciana Abreu, Sofia Alves...entre outras...muitas...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Chamam-se “publicações a gozar com roupas”. Do mesmo modo que gozam com a minha roupa e eu publico muitos desses comentários. Eu estou a falar de insultos, de coisas de um nível completamente diferente, incomparável.

      Eliminar
    2. Isto ����

      Eliminar
    3. As suas publicações a gozar com seja o que for são cyber bullying e não há volta a dar. Amor com amor se paga. Vejo imensos blogues, giros, com qualidade, Blog da Carlota, Mini Saia, Style it Up, que têm um registo completamente diferente. Porquê o seu ser assim? Para ter mais seguidores? Realmente depois vêm para aqui as suas fãs defender com unhas e dentes o seu blog e atacarem quem faz o mesmo que a pipoca. Haja coerência minha gente!

      Eliminar
    4. Para as que não gostam: o quê que andam aqui a fazer??
      Não sabem diferenciar as realidades, é pena.

      Eliminar
    5. Esses blogs não têm um registo completamente diferente, muito pelo contrário, são todos iguais uns aos outros, ou muito parecidos, nunca dão uma opinião sobre nada, é tudo lindo e maravilhoso. Além disso, são os chamados blogs de moda/beleza. O blog da Pipoca já existia antes desses todos e sempre teve um registo diferente, humorístico. Querer que a Pipoca seja igual a todos esses blogs seria só perder a sua essência.

      Eliminar
    6. Anónimo 07:56: Já que fala de coerência, duas questões, uma delas retórica: se gosta tanto dos outros e não gosta deste blog, porquê dar-se ao trabalho de vir cá ler e ainda comentar (gaste o tempo nos que gosta)? E o blog da Pipoca, adivinhe de quem é? Da Pipoca! Por isso, ela escreve o que quer no espaço DELA!

      Eliminar
    7. Pipoca, diz que são “publicações a gozar com roupas”... uma pergunta (e transcrevendo o que publicou): "diria isto a alguém que estivesse à sua frente?" Gozaria com a roupa de alguém que estivesse cara a cara consigo?

      Eliminar
    8. Cara amiga anónima das 07h56, só umas notinhas: cada um dos blogs que fala têm um registo completamente diferente porque estão MESMO numa categoria diferente! E com isto voltamos à mesma conversa, para quê descredibilizar este para enaltecer os outros? São diferentes e já todos percebemos o que gosta mais... fique por lá! Sabe, nem todos temos que gostar do mesmo, mas há bastantes de nós que gostam deste - ou não tivesse ele ganho novamente o prémio dos Blogs do Ano. Faço minhas as suas sábias palavras - haja coerência, minha querida!

      Eliminar
    9. Anónima das 07h56 se gosta tanto de coerência o que anda aqui a fazer? Não gosta têm sempre um dos 3 blogues que enumerou à escolha. Para mim o blog da Pipoca mete esses 3 blogs num canto :)

      Beijinhos Pipoca!

      Vanessa Alves

      Eliminar
    10. Desculpem, blogs com qualidade??? Sim, põem uns outfits porreiros, umas coisas engraçadas, agora qualidade? Goste-se ou não da Pipoca, dentro deste género de blogs é a das poucas que escreve alguma coisa de jeito e sabe escrever, a outra é a SMS. O que a pipoca faz não é fácil, e quem acha o contrário esteja à vontade para me provar o contrário.

      Eliminar
  7. Muita força e paciência Ana! Mas de facto não percebo pq os jornais não cortam os comentários ... teriam que contratar um estagiário e não tem dinheiro? N se percebe!

    ResponderEliminar
  8. Só para dizer que não conheço a Pipoca pessoalmente, mas simpatizo muito consigo, acho-a elegante, com estilo, classe e simplicidade. Aprecio também o seu sentido de humor.
    Continue assim.
    "Cagando e andando"

    ResponderEliminar
  9. ❤❤❤ x 1000 (e que tal começarmos a espalhar amor?)

    ResponderEliminar
  10. Não sei se terá alguma coisa a ver com isto do bullying, mas já viu a sua expressão na capa do livro "Estilo disse ela", e que agora está tão diferente? Mais serena para menos serena.

    ResponderEliminar
  11. Olá Pipoca! Raramente comento mas às vezes lá calha. A mim mete-me nojo que as pessoas falem como falam e a primeira razão de todas: NINGUÉM obriga ninguém a ler um blog! É que se fosse assim uma coisa do género, eu tenho obrigatoriamente que lidar com uma pessoa e ela cheira mal que tresanda, apesar de eu não ter coragem (não tenho!) de dizer, podia ser uma coisa que se aceitasse. MAS PORQUê, PORQUE é que nós lemos blogs À BORLA e alguns (MUITOS!) têm a real lata de tecer comentários tão imbecis?
    Eu por vezes até tenho vontade de comentar coisas como "a sua menina fica com ar tontinho de laço tão grande na cabeça, e ela é tããão bonita sem isso", mas até essas coisas eu tenho mesmo medo de comentar e ser mal interpretada! Abstenho-me sempre! Daqui vai um abraço e este apoio na luta contra os imbecis! Beijinhos. Nádia V.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Concordo :) Nádia não vale a pena fazer comentários nesses blogues. Sei por experiência própria que nem os publicam!!

      Eliminar
    2. Eu às vezes escrevo na mesma. Não são publicados mas são lidos pela destinatária e é o que me interessa ;) Não numa perpetiva de dizer mal mas mesmo como a 1ª anónima diz, porque às vezes caem num exagero que acho que chega a prejudicar os próprios miúdos e espero que o meu comentário lá chegue e faça algumas pensar...

      Eliminar
  12. Pipoca, aquele blogue publica comentários de bradar aos céus.
    Já li lá certas coisas... que enfim, parece que toda a maldade do mundo se juntou ali, naquela xafarica.
    É deixá-las lá, todas juntinhas e amigas.

    Por acaso, gostava de as ver ao vivo e a cores. Isso é que era.

    ResponderEliminar
  13. Do melhor que já li. Parabéns pelo seu trabalho. Sou leitora assídua do blog e gosto

    ResponderEliminar
  14. Há muitas pessoas com demasiado tempo livre e vidas desinteressantes que tentam descarregar a frustração no sucesso e felicidade dos outros. Não fazem nada de útil e tentam que outros não façam!! Muita força para suportar esta malta, Pipoca. E muito sucesso!!

    ResponderEliminar
  15. Pipoca parabéns. Por muito que sejam pessoas que nao interessam, doi e magoa. Tens mais pessoas contigo do que contra, que continue sempre esse a ser o parâmetro.
    Maria

    ResponderEliminar
  16. Pipoca, depois de ler o teu texto, tenho a dizer que não posso discordar. Acho que se vive muito no mundo do faz de conta, para não falar do cor-de-Rosa. Não sou pessoa de ler muitos blogues, apesar de gostar de ler, mas algumas temáticas são bastante interessantes. Só posso dizer que ser Blogger não é fácil, pois “consome“ muito Tempo, além de que arranjar tema todos os dias e até em dias em que se está de rasto é de louvar. Hoje em dia penso não haver limites, faz-se o que se quer e diz-se o que se quer. No outro dia também no facebook vi que alguém tinha publicado a fotografia de alguém aleijado e que se tinha perdido eventualmente. O comentário tinha a fotografia da pessoa, e perguntava de alguém conhecia. A minha pergunta como burra que sou foi de, „porque publicar a fotografia de alguém indefeso nas redes sociais em fez de se ligar a polícia?” Fiz um comentário que a meu ver não escandalizava ninguém e não usei palavrões, pois não obtive durante 5horas comentários do género “és uma ignorante”, “não sabes nada”, “ vai tratar da tua vida “ etc. Este é um tema diferente mas não deixa de ser ciber bullyng. Na minha pequena opinião da vida, penso que este mindo está a ficar “podre” pois a maldade é tanta que as pessoas só se sentem realizadas em denegrir a imagem dos outros, ou seja, só conseguem ter um ego grande quando maltratam os outros. Posto isto, deixa-me dizer que 14 anos é muito, mas que virão muitos mais, não deixes que pessoas pobres de espírito de afetem a alma, porque elas vivem apenas de mexericos e na realidade não querem mais da vida porque se calhar “dá muito trabalho” .

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Já me aconteceu num blogue...Fazer um comentário que não tinha nenhuma intenção maldoso, apenas acrescentar informação diferente. Foi interpretado de uma forma e gozado pela autora que fiquei sem perceber de onde veio aquilo. Nunca mais lá voltei e era um blogue que estava a conhecer e a gostar!

      Eliminar
  17. Pipoca,adorei o texto. É lúcido e assertivo, como é necessário que seja. Nunca entendi essa pobre gente que se alimenta do ódio que sente dos outros, daqueles que sente como bem sucedidos. Sim, porque acredito que, na maioria dos casos esse ódio tem outro nome: inveja!

    ResponderEliminar
  18. Olá. Não tenho muito o hábito de comentar mas de facto é inadmissível haver pessoas tão tacanhas de espírito e tão cobardes de feitio. Quem se dá ao trabalho de insultar e maltratar os outros, atrás de um ecrã de computador, só pode ser uma pessoa mesquinha e frustrada. Não entendo de onde sai tanto ódio. É preciso ter mesmo muita paciência.

    ResponderEliminar
  19. Pipoca,adorei o texto. É lúcido e assertivo, como é necessário que seja. Nunca entendi essa pobre gente que se alimenta do ódio que sente dos outros, daqueles que sente como bem sucedidos. Sim, porque acredito que, na maioria dos casos esse ódio tem outro nome: inveja!

    ResponderEliminar
  20. E tu, eras capaz de dizer à Sofia Alves, na sua cara, pela frente, que ela é uma bimba do pior? Não, só consegues aqui, onde te escudas com a ironia, sarcasmo e seguidores que dizem amém a tudo o que dizes?
    Qual é a diferença de chamares bimbo a torto e direito às pessoas e as pessoas te chamarem a ti?
    Isso já não é ciber bulling... tá certo!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não gosto da forma mas concordo com o conteúdo.

      Eliminar
    2. Se passava na rua pela Sofia Alves e lhe gritava "és uma bimba", assim, a propósito de coisa nenhuma? Provavelmente não, era só um bocado estranho. Mas já houve famosas que me vieram pedir "satisfações" sobre o que escrevi sobre a roupa delas e respondi que era o que achava e que estávamos apenas a falar sobre trapos. Há quem se esteja a cagar, há quem leve a coisa muito a peito. Ainda assim, se a coisa mais grave que disse sobre alguém em 14 anos de blog foi chamá-la de bimba, ao pé do tipo de comentários que me deixam então sou uma menina de coro. Também já me chamaram bimba, parola, etc e eu publiquei alguns desses comentários. O meu texto refere-se a outro tipo de agressão, muito diferente.

      Eliminar
    3. Da mesma forma como não se percebe como alguém é capaz de destilar ódio gratuito por outro alguém, apenas se é capaz de entender que outro alguém defenda esse tipo de atitudes se for do mesmo “tipo”. Ou, como é possível compara-se algum tipo de piada ou comentário (mesmo que fosse um comentário de mau gosto) sobre a roupa ou estilo de alguém com injúrias encomentarios de ódio?!? Como é possível não se entender a diferença ou querer justificar uma coisa com outra...?!?

      Eliminar
    4. Como se pode comparar comentários a desejar que o filho tenha cancro ou que morra com comentários sobre roupa?

      Eliminar
  21. Muito bom, Pipoca! Continue a dar sempre a sua opinião e nunca se iniba de a dar, com "receio" de comentários maldosos e de "polémicas" que se possam gerar.
    É disto que gosto em si. Do conteúdo.
    Todos sabemos que não tem cabeça de anémona ahah

    ResponderEliminar
  22. Pipoca, só uma nota que penso ser importante. Trazer à luz é dar nome às coisas:

    "Há uns tempos fui convidada para ir a um programa de televisão. Não me pagaram nada, tirei duas ou três horas do meu fim-de-semana para ir até lá. No final do programa, fui à página de Facebook do dito programa, e não só os gestores da página tinham puxado algumas das frases que eu tinha dito descontextualizando-as para gerar "click bait", como havia uma data de comentários de uma agressividade inacreditável. O programa era sobre futebol, portanto estão a imaginar os espécimes que por ali apareceram a comentar. Enviei, na hora, uma mensagem ao apresentador do programa a perguntar como é que era possível que deixassem um convidado ser tratado assim. Como é que permitiam aquele tipo de comentários? Como é que não protegiam minimamente as pessoas que se disponibilizavam para ir até lá? Moral da história: não voltei ao programa, recusei os convites seguintes, ah, e tal, não vai dar."

    O nome do programa deveria ter sido partilhado, na esperança de que peçam desculpa, senão irá apenas acontecer a mesma coisa a outros convidados. Pode ser que dando nomes as coisas, estas comecem a mudar devagarinho.

    ResponderEliminar
  23. Pipoca, quero só deixar um beijinho e dar força! Gosto mesmo de ti e és uma boa companhia aqui em Berlim! 😉 Continua com esse teu humor tão característico e a tua boa escrita! Sou tua fã! Eheheh

    ResponderEliminar
  24. Pipoca, continue, apesar de todos esses comentários!
    Adoro ler o seu humor, a ironia e a frontalidade em dizer o que muitos pensam mas não têm coragem de dizer.
    Votos de muito sucesso!

    ResponderEliminar
  25. Sinceramente, há gente com muito tempo livre para curar fóruns so para dizer mal de bloggers.ja pareço a minha avo, mas ha tantas matas para limpar....

    ResponderEliminar
  26. Obrigada pelo texto. Já me perguntava há algum tempo como é possível virem aqui e dizer determinadas coisas e aberrações de opiniões. Porque é preciso de vir até aqui, de propósito, dizer que não gostam de si... quando podiam ir a outro lado e não ler nada do que diz.
    Fico contente que tenha a pele mais dura... mas mesmo assim, desejo-lhe força, sinto que deve precisar de vez em quando.

    ResponderEliminar
  27. Pipoca desculpa, mas já vi falarem mal de outras bloggers aqui na caixa de comentários. Numa dessas situações até tinha várias respostas ao comentário inicial, sempre a falar mal e a insultar a rapariga... achei feio e muito mauzinho da tua parte permitires isso, mas visto que já tem 1 ou 2 anos, acredito que já não aceites esse tipo de comentários. Quanto ao resto, as bloggers/youtubers desta vida devem comprar paciencia ás paletes, porque vocês aturam com cada maluco! Como diz a Alexandra no video, se quem passa a vida a desejar mal aos outros fizesse algo de produtivo, secalhar seria tão bem sucedido quanto vocês.

    Mariana

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Recordo me dessa situação. Falavam do blog da gata de saltos altos se não me enganam

      Eliminar
    2. Essa mesma blogger faz ou fazia o mesmo a outras

      Eliminar
    3. O que mais há na blogosfera, são bloggers a permitir que se fale de outras bloggers, sem filtro e moderação. Há um mês, estalou o verniz entre mummy bloggers. Moderação nos comentários? Uma delas alegou que não tinha reparado, e a outra que tentou filtrar, só filtrou até um certo nível. Foi uma vergonha, porque basicamente só andavam a discutir a fisionomia de umas e outras. E podíamos "viajar" até ao hate blog mais conhecido desta praça, onde as caixas de comentários são do mais rasca que há.

      Eliminar
    4. Não foi bem assim. Os comentários são de seguidoras num dos blogs dias antes de um evento desse blog, portanto acredito que a blogger não tivesse tido tempo para reparar neles. Já no outro blog, aproveitaram-se disso e descarregaram inúmeros comentários e essa blogger aprovou todos e ainda tentou passar como a vítima e a mais correcta.

      Eliminar
    5. Li coisas em ambos os blogs. Embora num tenha sido mais agressivo.

      Eliminar
    6. Bolas ando mesmo a leste desses Blogs... É que nem faço ideia quais são os Hate Blogs

      Eliminar
  28. Gostei imenso de ler o seu post, como todos os que escreve. Vou lhe enviar esta frase que li há tempos e que acho muito realista: " O silêncio é a única resposta que devemos dar as tolos, porque onde a ignorância fala, a inteligência não dá palpites, é desperdício de saliva tempo."

    Manuela

    ResponderEliminar
  29. Há muitos anos que a leio. Há tantos que me permite ter formado uma opinião sobre si que se foi alterando com o tempo. Gostava muito mais da antiga Pipoca. Da menos “artificial”. Acho que criou uma personagem com a qual me vou cada vez mais deixando de identificar. Mas se isso me dá o direito de querer o seu mas?! Obviamente que não! Espero que seja muito feliz. No dia em que “lê-la” for penoso para mim ao ponto de a achar insuportável deixo de a ler. Simples. O seu bem enquanto ser humano espero que esteja sempre salvaguardado. E se não for pedir muito, ressuscite a velha pipoca que tenho saudades de a ler

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu também acho que já fui mais "genuína", no sentido em que escrevia tudo o que me passava pela cabeça, sem qualquer tipo de filtro. Agora penso 328 vezes antes de escrever o que quer que seja, porque sei que haverá sempre quem se melindre, quem não perceba o que é uma piada, quem vá deixar 395 comentários idiotas. E, muitas vezes, não me apetece.

      Eliminar
    2. Não é o facto de "ser piada" que diminui a gravidade de algumas coisas que a Ana diz... chamar bimba a outra mulher não se torna menos grave por lhe atribuímos um tom sarcástico ou de piada. A maldade e a gravidade continua lá... e é exatamente a isso que a Alexandra Pereira apela

      Eliminar
    3. Exactamente. Mas depois vem o argumento de que não percebemos as piadas, de que é preciso assinalar que é humor, que é sarcasmo. Quando, no fundo, é só maldade e falta de educação.
      Parece que “a pimenta no cu dos outros para mim é refresco”.

      Eliminar
    4. Por isso é que às vezes custa pedir-te para seres mais genuína, mais de "gancho", mais caustica... No final da história, tens que te proteger.

      Eliminar
    5. Eu sou uma pessoa muito direta!Como podem imaginar, neste país de hipócritas, cínicos e impostores, tenho tido muitos dissabores à conta disso. Mas, Ana, prefiro mil e uma vezes, que me digam sinceramente o que está errado comigo, porque revela algum cuidado e preocupação, do que o desprezo de ironizar e gozar com o meu nome, porque é mesmo uma falta de respeito.

      Eliminar
  30. Marta PCarvalho29 janeiro, 2018 21:27

    O que costumo dizer ao meu filho e q uma parte muito significativa das pessoas sao parvas, e transversal a todas as idades e gereacoes. Sao provavelmente pessoas q nunca foram amadas nem em crianca nem na velhice.e desrcarregam em quem esta nais proximo ou mais exposto e a internet vulnaberiza nos.Tem cortina e facilita p quem nao e capaz de dizer olhos nos olhos"es um perfeito anormal"...:).Mas se essas pessoas sao limitadas nao lhes podemos dar importancia...claro q e um longo caminho e muitas vezess é muito dificil filtrar...mas a unica opiniao que conta e daqueles que gostam mm de nos e estao la a frente da batalha conosco...o resto é ruido ..:) MC

    ResponderEliminar
  31. Excelente texto e sentir, como sempre!
    Realmente há pessoas tremendamente más. Insípidas no reflexo que veem no espelho...
    Pipoca, força! Para muito(a)s de nós, segues a ser uma estrela que brilha, quando mais precisamos de luz! Sobretudo nos dias mais cinzentos, onde os sonhos se abafam com tanta tristeza e crueldade que há no mundo.
    Tua fã, desde o início! =)

    ResponderEliminar
  32. Nunca comento, mas já agora: o “cancro da sociedade são as venenosas que tentam atropelar insultando e denegrindo a imagem de quem acham que ofuscam as suas miseráveis vidas”
    Um bj grande Pipoca. Não a conheço, não sigo o seu blog, vim cá parar por indicação de alguém q mencionou o seu texto. Muito bem escrito, muito bem expresso e muito bem dito

    ResponderEliminar
  33. Pois eu continuo a desejar que por cada estupidez sem tamanho que lhe dizem, devia cair-lhe três milhões de coisas boas para compensar. Sei lá o próximo contrato com a marca X triplicar honorários, mais marcas no seu encalço, gente com extremo bom fundo à sua volta, mais e melhores viagens e saúde a dar com pau para estar cá muito aninho a pintar a cara, e vestir o corpinho. Vá, e a comer lentilhas e a beber suminhos detox (go Arrumadinho go!), e choco feito!

    Já disse e repito, estás cada vez mais gira, mulher, melhor ar, mais brilho no rosto (até te imaginei grávida, valhamedeus!), mais tudo de bom. Havias de ser obrigada a ser uma espécie de Angelina Jolie (mas em modo, és tu que os pares a todos!) que era para aprenderes a não ser tão gira e engraçada! Vá lá ver! Botai mais uma criança no mundo (ou um magote delas) e continua a partilhar (o que muito bem entenderes) connosco!

    Beijinhos nessas bochechas fofas, sua gata! (e só para te encanitar... gatos, felinos, felinos, leão muahahahahah)

    ResponderEliminar
  34. Mais alguém corre os comentários todos à procura do quadradinho cor de rosa com a Pipoca para ver onde já deu barraca e qual foi a resposta hilariante?! Ahah também tenho saudades da Pipoca mais genuína, mas quando vejo certos comentários compreendo o porquê de de resguardar mais hoje em dia. Mas adoro os dias em que textos destes aparecem. Espero poder continuar a ver muitos destes (não pelo tema, mas por mostrar a Pipoca de que mais gostamos!) Um beijinho com desejos de felicidades, esses sim valem a pena deixar :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E quando vejo muitos comentários é sinal que já deu merda e nessa altura quase que dá vontade de ir buscar pipocas e ficar a assistir ao "espectáculo"...

      Eliminar
  35. Há já alguns anos que a leio. Ou vou lendo.
    Deixe-me que lhe diga. Não concordo com muito daquilo que diz, não me revejo em muitos dos seus valores, não gosto nada do seu clube de futebol, não gosto de muitos aspectos da sua cidade.
    Mas sigo-a. E sabe porquê? Porque acho que, possivelmente, ainda aprendo alguma coisa consigo. Gosto da sua escrita. Gosto de alguns temas (as viagens que a Pipoca e que eu gostava de fazer, talvez um dia as faça; as fotografias que a Pipoca tira com uma enorme qualidade e que eu espero um dia poder tirar as minhas com o mesmo tipo de qualidade).

    Apesar disso, de não gostar de muitas coisas; não acho que eu ou outra pessoa qualquer tenha o direito de a insultar ou de a ofender. É estúpido e isso vira-se contra as pessoas que cometem estes actos.

    Uma coisa, como sabe bem; é discordar e iniciar uma discussão saudável, com troca de argumentos. Outra coisa é um insulto.

    Gostaria que aceitasse as minhas saudações, vindas de um leitor que, provavelmente, seria um leitor muito improvável do seu blog. :-)

    Ass: Jorge Monteiro

    ResponderEliminar
  36. Concordo em absoluto! E é por isso que não consigo entender que as bloggers exponham os filhos e os sujeitam ao mesmo tipo de comentários...

    ResponderEliminar
  37. Uma carrada de "gente" mal acabada! Eu não sou seguidora de nenhum blog em especial, mas tenho que dizer, que este tipo de criaturas, não valem o desgaste e por muito dificil que seja, diga em alto e bom tomm "- VAO FAZER SEXO, QUE TÊM FALTA DELE", Beijinho Pipoca, solidaria consigo com todos e Bem Haja pelo desabafo

    ResponderEliminar
  38. Obrigada Pipoca por este texto. Mais do que a denúncia do cyber bullying acho que tocaste num ponto bastante importante que é a responsabilidade das marcas e canais de televisão na gestão de páginas nas redes sociais. Eu não sou uma figura pública, não tenho a minha vida exposta mas um dia aceitei fazer uma reportagem para falar de um projecto meu com refugiados na Grécia. Assim que a reportagem foi publicada no Facebook pelo canal choveram comentários onde desejavam que fosse violada, que uma bomba me caísse em cima ou que fosse e nunca mais voltasse... Lembro-me que estava a almoçar e só corri para a casa de banho. Fiquei atordoada e com receio de encontrar as mesmas pessoas que comentaram na rua. Fiquei com medo que encontrassem a minha página pessoal no Facebook. Foram centenas de comentários e gestão 0 do canal de televisão nacional. E eu não conseguia parar de ler aquilo tudo e consumir (tal como disseste) toda aquela merda.
    É preciso que quem gere e facilita plataformas para comentários, se responsabilize para os gerir também - e isto ainda não acontece!

    ResponderEliminar
  39. Conheço esse blog e lembro me de um comentário do género, e houve outro comentário a dizer que sim que já tinha visto a pipoca e que concordava que nem sempre era aquilo que mostra no blog, mas who cares? A pipoca às vezes tem o cabelo oleoso e? Também nos todos, foi não sei onde mal vestida e? Não é melhor nem pior que ninguém, todos temos dias bons e maus, e há sempre alguém que nos aponta o dedo e? É a vidinha, claro que quem é mais público sujeita se, mas isso são ossos do ofício, por algum motivo não fecham os blogs e vão trabalhar noutra coisa, é porque mesmo com os haters compensa, e admira me muito uma blogger como a pipoca andar a ver esse tipo de blogs e ficar tão constrangida com comentários desses, tem de ser superior, deus que é deus não agrada a todos, acho que toda a gente sabe que a pipoca não está SEMPRE impecável como o resto do mundo também não está, humanizar as figuras públicas precisa-se, também tem dias maus

    ResponderEliminar
  40. Ainda há pouco tempo (dois meses?) houve uma celeuma muito feia entre duas bloggers portuguesas e não vi ninguém a dizer que é preciso falar disto. Disto de as mulheres serem as piores inimigas umas das outras.

    Também não gostei da história sobre a Sofia Alves, e não sou fã dela tal como não sou fã da Pipoca. Simplesmente acho que ninguém deve ser desagradável com ninguém, nem mesmo com pretextos de que são só trapos ou de que é sentido de humor ou sarcasmo.

    Aplaudo a Alexandra Pereira por ter denunciado uma revista tão importante como a Vogue sem medo e com determinação e fiquei satisfeita por a Vogue ter retirado o tal Fórum.

    Espero que a maioria das mulheres aprenda a não ser desagradável com a próxima, seja em que circunstância for e sem pretextos. Que as pessoas aprendam a ser civilizadas e bem educadas, gentis com as outras.

    ResponderEliminar
  41. COncordo em absoluto com tudo. O que mais me irrita nesta vida são as pessoas que falam falam falam e que depois, quando têm oportunidade calam-se que nem ratos e fingem que não é nada com elas. Comparo isso a virem para os blogs destilar veneno mas na vida real devem ser bichos do mato que nunca dizem aquilo que pensam. Porque as pessoas podem estar em desacordo e discordar. Mas falar mal só porque sim e ser maldoso é ridículo.

    ResponderEliminar
  42. Olhe que é preciso ser uma pessoa bem mal com a vida quando prefere passar o seu tempo a alimentar um blog tão triste, tanto a pessoa por de trás como os comentadores, do que realmente a passar um tempo de qualidade. A Pipoca é que a sabe toda, continue assim! :)

    ResponderEliminar
  43. Pipoquita, o que vale é que continuam a ser muitos mais o que gostam de ti mesmo quando discordamos
    Que se lixem os haters..se não lhe derem atenção vão acabar por desistir
    Beijoca grande

    ResponderEliminar
  44. E quando voltas com a rubrica "espelho meu, espelho meu haverá comentador mais parvo do que o meu?"
    É sempre divertida e muito boa para nos rirmos da imbecilidade de algumas pessoas ;)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Que saudades dessa rubrica!

      Eliminar
  45. Pipoca, ontem na França houve uma multidão que andou literalmente à pancada, com mãos ensanguentadas, a arrancar cabelos e atirar velhos ao chão para conseguir agarrar potes de Nutella que estavam com 70% de desconto. Diz-me com toda a sinceridade, o que esperavas realmente recolher deste mundo?
    Tens o defeito de ser uma figura pública, de seres bonita e poderes viajar pelo mundo inteiro. Achavas mesmo que as pessoas iam ficar todas felizes por ti? A tua família acredito que sim, os teus amigos (verdadeiros) também, agora...os outros, num país onde o ordenado mínimo é de 500 e poucos Euros e onde nem um milésimo da população deve conseguir fazer um milésimo daquilo que fazes, porque o fariam?
    Ninguém fica contente com a felicidade dos outros a não ser que também possam usufruir dessa felicidade. Pensa desta forma, alguém que compra um Jaguar e depois mete-se a conduzi-lo pela aldeia inteira para meter raiva aos amigos, está à espera de recolher deles que género de sentimentos? respeito? admiração? mas é óbvio que não! poderá recolher alguns sorrisos, daqueles que aparecem imenso no mundo do facebook, mas a única coisa que ele conseguirá recolher verdadeiramente será apenas aquilo que ele conseguiu semear. Raiva e inveja.

    Obviamente que o planeta é de todos e que ninguém deve deixar de brilhar só porque há pessoas que não suportam a intensidade da nossa luz nem aceitam a sombra que porventura conseguirás fazer-lhes, mas também não devias ficar tão espantada com tudo aquilo que vês e que podes estar a recolher presentemente do mundo à tua volta. As coisas só valem pela importância que lhe damos. Quanto mais depressa aceitares isso, mais possibilidades terás...de ser feliz.

    (Ps: E quem te garante que a "má língua" não foi alguém do pessoal que trabalha no Banco em vez da velhota? Se pensares bem, metade deles deve passar uma boa parte do dia a viajar pela Net...)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Gosto tanto deste pensador!

      Pensei o mesmo sobre a cena do banco.

      Eliminar
    2. Francisco, com o devido respeito, essa teoria não faz sentido nenhum. Como eu mostro algumas coisas da minha vida (nomeadamente roupa ou viagens) estou a "semear raiva e inveja"? Portanto, o problema não é das pessoas que, em vez de poderem ficar contentes (ou, pelo menos indiferentes) com o meu "sucesso" e ambicionarem também coisas melhores para si, se dedicam a espalhar ódio. Não, o problema é meu, que como mostro essas coisas, estou a "recolher" o que mereço. Certo. É mais ou menos como aquela tese de que mulheres de mini-saia estão mesmo a pedir para serem violadas.

      Eliminar
    3. não é Francisco o Catequista?

      Eliminar
    4. Este "pensador" já arranjava vida própria, está sempre aqui a comentar,e acha-se o dono da verdade, nao vendo que nao diz nadinha de jeito. Entao agora a Pipoca nao devia de mostrar nada porque as outras pessoas vao invejar??? a serio??? é mais um que nao vê que ele faz parte do problema, o problema nao es tu Pipoca mas a inveja de seres como estes que nao tem mais nada que fazer e em vez de mudarem as proprias vidas, preferem deitar os outros abaixo... loool sem duvida o teu Number 1 fan este Pensador , Pipoca! :)

      Eliminar
    5. Carambas, até me senti mal com o comentário do Francisco. Tive uma vida de merda durante muito tempo. Demasiado tempo. Sempre fui capaz de sorrir a felicidade dos outros. E não...não sou anjo. Sou normal e também me revolto com a sorte. Daí a revoltar-me porque amigos, familiares ou simples conhecidos tiveram uma vida do caraças vai uma grande distância.
      Quero acreditar que o Franacisco não se expressou bem.

      Eliminar
    6. O pensamento do Francisco, é o que se chama: nivelar por baixo. O reflexo do português. Ámen.

      Eliminar
    7. Pipoca, nós os portugueses sempre fomos muito dados a extremos. Para nós, raramente existem meios termos, se uma coisa não tiver tudo é porque não tem nada. Assim, se o "sentido" não for aquele que gostamos de ouvir ou aquele que queremos discutir, dizemos sempre que não faz sentido nenhum. Esta talvez seja a forma mais antiga (e educada) de querer reduzir alguém a nada, mas é também o tipo de coisas que se pode esperar da populaça...e não de alguém com o teu tipo de cultura. Dito isto, e também eu com o devido respeito, não me passa pela cabeça que o meu comentário não tenha feito sentido nenhum para ti, ou pelo menos ao ser humano que vive por detrás do personagem a que chamas de "Pipoca mais doce". Para os anónimos que comentaram a seguir a ti, acredito sinceramente que não tenha feito sentido nenhum, agora, para ti? Não, não acredito de todo, a não ser que toda a imagem que te esforçastes por transmitir durante estes últimos 14 anos não passe de uma falácia.

      Acredito sinceramente que a tua reacção tenha sido feita a quente, de alguém que, lamento dizê-lo, não terá percebido (ou não terá sentido interesse em perceber) a essência da minha mensagem. Mas faço aqui um mea culpa. Esqueci-me de incluir um termo importante. Daqueles termos que muitas vezes fazem a subjectividade humana transformar um comentário fantástico num comentário "sem sentido nenhum". Assim, onde lês:"a única coisa que ele conseguirá recolher verdadeiramente será apenas aquilo que ele conseguiu semear" deve-se ler "a única coisa que ele conseguirá recolher verdadeiramente será apenas aquilo que ele conseguiu semear INVOLUNTARIAMENTE" (pus em letras garrafais para que não haja nenhum tipo de dúvidas). Pronto, foi este o meu único pecado e pelo facto peço-te as minhas desculpas.

      Espero que desta forma a minha mensagem já consiga recolher de ti outro tipo de avaliação agora que sabes que não é de todo um ataques à tua pessoa (porque o faria?). Vê as coisas desta forma. Vejo que tens ali 12 mil e tal seguidores ali na coluna ao lado. Julgas mesmo que aquelas 12 mil pessoas estão aqui porque gostam de ti? Os seguidores no mundo dos blogues são como os amigos no mundo do facebook, as pessoas que menos gostam de nós são sempre aquelas que mais vezes visitam o nosso perfil e observam as nossas fotografias. Porquê? Para descobrir os nossos "podres" como é óbvio. Nunca disse que fosse tua intenção semear inveja mas, infelizmente, como és uma figura pública e passas a imagem de que só te acontecem coisas boas na tua vida, acabas por fazê-lo indirectamente. Alguém que leva uma vida triste ou banal, ou uma vida com muitas problemas, na qual nada de bom acontece, certamente não olhará para ti e dirá:"tive mais outro dia de merda na minha vida de merda mas sinto-me feliz por saber que a Pipoca anda a gozar à grande". Por isso, não as pessoas não se dedicam a espalhar ódio...mas não conseguem evitar por vezes espalhar a sua frustração. A frustração de não ser como tu. E não, nunca disse que merecias nada disso (porque o faria?), apenas tentei explicar-me que não é nenhuma razão de espanto, de um jeito que, aparentemente, só eu sei fazer, por veres as coisas que as pessoas são capazes de fazer contigo. É apenas subjectividade humana.

      Quando disse que ninguém deve deixar de brilhar só porque há pessoas que não suportam a intensidade da nossa luz, quis mesmo dizer que não vais deixar de ser quem és só porque existe pessoas no mundo que não suportam o teu sucesso. Sinto pena que não tenhas compreendido isso. Por saberes escrever tão bem...julguei que também soubesses interpretar melhor os textos.

      Sinto muito que tenhas tido uma ideia errada.

      Eliminar
    8. Sou eu que estou a ficar tola ou ninguém percebeu aquilo que o Francisco quis dizer? Nem sequer a Pipoca percebeu.

      Eliminar
    9. Eu percebi! Eu! Eu! Concordo inteiramente com o pensador e com quem diz que as mulheres são terríveis umas para as outras. É, infelizmente, a realidade. Se usassem o tempo que gastam a destilar ódio por essa internet para fazer algo positivo talvez não fossem tão frustadas. Só alguém muito frustrado e invejoso é que pode escrever os comentários que por aqui aparecem.

      Eliminar
    10. Anónimo(11:08), tem toda a razão. Estou mesmo a precisar de arranjar outra vida porque aqui não se aprende nada. Só as futilidades parecem ter real valor. Acho que vou tentar arranjar uma vida nova, de anónimo como a sua (ou de catequista se houver falta de opção), para ver se consigo dizer alguma coisa de jeito e viro o fan Number 1 de alguém...

      Eliminar
    11. Anónimo(11:15), porque acredito que o erro não esteja na minha capacidade de expressão mas sim na interpretação incorrecta que você fez ao texto do meu comentário, convido-o(a) a relê-lo.

      Eliminar
    12. Maria Machado, num país onde as classes sociais com maior grau de representatividade são as baixas e média-baixas, é natural que, por vezes, se queira nivelar por baixo para se transmitir uma ideia geral. Pode ficar espantada com aquilo que vou dizer mas...a Net não é um luxo apenas ao alcance da classe alta e média-alta. Eu sei, um espanto, é de deixar a gente de boca aberta...

      Eliminar
    13. Anónimo (00:47, 23:35 e 00:56), obrigado.

      Eliminar
    14. Francisco, não sei que idade terá, mas para pensador e catequista revela ter muito pouca fé!
      Não me parece que todas as pessoas que "visitam" o blog da Pipoca o façam com o intuito de coscuvilhar, invejar e denegrir a a vida da rapariga. Ainda, que se possa considerá-la figura pública, também o Claudio Ramos o é - vejam lá - Acho que só depois de escrever mais uns livros é que lhe reconheceremos o verdadeiro mérito, mas ela ainda é nova, há-de lá chegar. Gosto da AGM, gosto da forma como aborda determinados temas, sem peneiras, sem fachadas, sem querer ser perita. Gosto quando este blog se debruça sobre coisas loucas e outras do quotidiano, que não apenas malas e batons e vivendas imaculadas e meninas de babette. Ainda assim, não me parece que a AGM, qual única estrela no céu brilhe tanto que ofusque a luz das outras. Você, que perde o seu tempo a tornar-se no fã n.º1 de alguém, Aproveite para encontrar amor próprio. No entanto gosto muito de ler os seus comentários, uma vez que já é um habitué por aqui e é verdade, sou anónim(o), mas não sou invejosaaaa, só vivo na clandestinidade...

      Eliminar
    15. Anónimo (11:59), pelo teor da pergunta creio que se impunha responder entre os 70 e 80 anos e assim poderiam sempre dizer que não passo de um velho rabugento...
      Mas não, felizmente para mim ainda estou muito jovem e levo uma vida muito boa. Mas há duas coisas que manifestamente não sou. Não sou "Pensador" e muito menos "Catequista". Para ser pensador teria que sentir mais empatia pelo mundo à minha volta e para ser catequista teria que acreditar em alguma religião. Para além disso "Pensador" e "Catequista" são 2 termos que nunca poderiam conjugar-se. Se fosse pensador nunca poderia ser catequista e se fosse catequista nunca poderia ser pensador. De repente lembrei-me que afinal não são duas mas sim 3 coisas, porque também não sou fã de ninguém a não ser de mim próprio. Sim, admito que sou um grande convencido, com demasiado orgulho nisso, confesso, o que me leva a achar um pouco estranha essa sua recomendação para que eu tente encontrar um bocadinho de amor próprio. Por mais pequeno que fosse o bocadinho, se porventura conseguisse encontrá-lo...ainda podia explodir de tanto "convencimento".

      Também gosto muito daquilo que a AGM escreve e da forma como ela aborda determinados assuntos, mas isso não me obriga a valorizar tudo aquilo que ela diz e a gostar dela enquanto pessoa. Há uma diferença entre "personagem" e "individuo" e eu sei sempre reconhecê-la. Por alguma razão admiro imenso os textos da Pipoca mas não sou capaz de voltar a ver um video dela. Simplesmente porque o "rosto" apresentado nos vídeos não se coaduna com a imagem que eu mentalmente criei através dos seus textos, que, a meu ver, é muito mais interessante. Gostava de explicar esta ideia de uma forma mais clara e sucinta mas, tal como tinha dito, não sou nem nunca serei pensador. Sou apenas tudo aquilo que mostro ser menos aquilo que escondo. Como os outros, quis eu dizer...

      Obrigado por gostar de ler os meus comentários e espero que possa gostar também deste. :)

      Eliminar
    16. Francisco o "prega secas"😂😂😂

      Eliminar
    17. Anónima (00:27), a maluca do riso...

      Eliminar
    18. É curioso que a Pipoca não referiu nenhuma velhota na fila do banco. Referiu um velhote e uma mulher ( ao ser tratada como tal, supoe-se que não seria velha).

      O Francisco aqui ja contou o conto e (adivinhem?) acrescentou um ponto.

      Eliminar
    19. Ricardo, de tudo aquilo que eu disse foi só isso que conseguiu reter? bem...sempre é melhor que o "prega secas"...
      A diferença entre eu e muitos é que eu, ao contrário deles, gosto de focar-me no essencial. Picuinhices nunca foram o meu forte. Mas não se preocupe que aquilo que não falta por aqui é gente adepta disso, logo, terá sempre alguém com quem conversar.

      Eliminar
    20. O uffff uffff vá mas é pregar para outra freguesia! E sim, também o acho alta seca!

      Eliminar
    21. Anónimo (23:09), eu pregar até pregava mas não sei onde posso encontrar pregos com a sua qualidade...

      (E esta? já foi mais molhada?) :)

      Eliminar
    22. Francisco, se um dia fores pregar para outra freguesia não te esqueças de dizer onde podemos te encontrar. :)

      Eliminar
    23. alta seca porquê? por ter tido a coragem de dizer na cara da pipoca aquilo que ela se nega aceitar? havia de haver mais como ele isso sim.

      Eliminar
  46. Os cães ladram e a caravana passa! Tem um dos melhores blogs portugueses que da um enorme gosto visitar. Nunca e perda de tempo e, por vezes, há coisas que só sei porque aqui venho. Merece ser premiada pelo seu trabalho e que se lixe quem o venha desvirtuar!

    ResponderEliminar
  47. Moss Pipoca, já leio o seu blogue há mais tempo do que conheço o meu marido... e já o aturo há 12 anos! Continua assim, ler o que escrevias muitas das vezes era o ponto alto do meu dia, as únicas gargalhadas que me ouviam...infelizmente há de tudo neste mundo. Mas já são muitos anos e consegues que esses comentários te passem ao lado. Desculpa la tratamento por tu... até comecei pelo você, mas bolas sou mais velha e ja te "conheço " há 14 anos.

    ResponderEliminar
  48. Marta pCarvalho30 janeiro, 2018 00:21

    Por defeito de profissão e não só,sou total adepta do retorno:)

    ResponderEliminar
  49. Acho sinceramente que há determinados comentários que bloggers e outras personalidades da televisão e etc têm de engolir: sobre roupas, conteudos que expõem, opiniões que dão, etc. É lá está, se a pipoca comenta os looks dos outros porque não aceitar também os comentários que dizem "pirosa" ou " parece uma peixeira do Bulhão"? É o tipo de humor que usa e portanto é normal que atraia isso.
    E quem diz pipoca, diz outras bloggers que se irritam bastantes vezes no hate blog mais famoso, e irritam se porque lhes tocam nas feridas. Mas se se expõem têm de aguentar opiniões contrárias e pessoas que não gostam delas.
    Agora, não gostar de determinada pessoa ou do que ela diz ou usa não pode nunca levar a que se ameace, se deseje o mal dos outros, etc. Isso é um nível completamente diferente, imperdoável e que na minha opinião deveria ser punida.
    Mas repito! Comentários de "aquela fulana esta a vender os filhos" ou "a pipoca com aquelas calcas parece a Simara" sao cenas que as bloggers têm de digerir. Tudo o que passe disto é só hediondo.

    ResponderEliminar
  50. Pipoca, eu entendo perfeitamente o teu ponto de vista. Efetivamente não sei o que é ser figura pública e reconheço que é uma posição maioritariamente "ingrata", porque estão expostos ao público e são reconhecidos / seguidos (diariamente) e são tidos como "modelos" comportamentais/estéticos/éticos etc etc. E, consequentemente, alvo de comentários positivos e negativos. Acima de tudo, são alvos da idolatria (aplicando o mito "de que nunca podem falhar") e da inveja (aplicando o pensamento de desejo "eu também gostava de". Muito sinceramente, acho que por detrás de um(a) hater está uma pessoa que a admira em demasia e peca por canalizar essa mesma "suprema" admiração para o lado errado - caindo na inveja e na pura maldicência. O que não concordo. Tal como dizes e bem, uma coisa é tecer comentários sobre looks/outfits, outra completamente diferente é destilar ódio e atingir o ego ou a índole da pessoa. Isso já ultrapassa barreiras do aceitável a nível ético. E portanto, só para concluir, acho muito bem que haja uma gestão cuidadosa de comentários difamatórios nas plataformas online e as bloggers - mais do que ninguém - têm esse direito. Pipoca, considero-te muito inteligente, e acima de tudo, és humilde e não usas máscaras (és frontal, mas cívica). Isso diferencia-te na blogosfera e na Imprensa cor-de-rosa ou futebolística etc. Não te apoquentes com a inveja, apaga o que tiveres que apagar e valoriza quem te admira pelo que és e pelo que fazes. Continua a ser genuína, porque a tua verdadeira essência levou-te onde estás hoje.

    Um beijinho grande,
    Patrícia R.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Mais uma com o argumento da inveja? ???não há outros motivos?

      Eliminar
    2. Para este caso não! E eu eu coço-me sempre que oiço esse argumento de inveja quando alguém não concorda com uma opinião ou não gosta de uma camisola- Mas não é disso que falamos. Não estamos a falar de não gostar de roupa ou até do aspeto físico. Mas porque é que alguém desejaria a morte a alguém que nunca que lhe fez mal? Só mesmo estando corroído pela inveja e tendo muito má índole ( e nem isso justifica tanta maldade).
      Acho alguma piada as pessoas acharem que podem dizer tudo só porque as pessoas são públicas e se expõem... como a pipoca diz há uma coisa que se chama educação. Algumas não têm, podem ser rudes e não ter filtro, dizerem o que pensam sobre um vestido ou até o aspeto. Mas não significa que não tenham boa índole. E aqui falamos além disso, além da educação, de pessoas com má índole que desejam e não têm problema nenhum em assumir que desejam a morte de outro.

      Eliminar
  51. A minha vénia à Pepa pela coragem e outra a ti e à tua forma inteligente como escreves e expões as tuas ideias!
    Tenho um blogue pequenino e recente e antes do escândalo da Alexandra, eu já tinha escrito sobre esta falta de respeito cibernética.
    No fundo, não temos liberdade de expressão porque não podemos escrever as nossas ideias mais genuínas ou lá vêm os indignados...

    Tens muita razão e acredito na pressão que é ser autora dum blogue com a dimensão do teu.

    Beijinho
    Carla

    ResponderEliminar
  52. Sabendo qual o blog não foi difícil ler o comentário, alguém que diz que viu uma blogger na rua e ficou desiludida porque achou a pessoa mal cuidada ( mesmo não sendo verdade ) porque não tinha a mesma aparência que aparece no blog não me parece que queira cometer um crime de ódio, que tenha desejado à pipoca a morte como eu já vi alguns tresloucados a escreverem, pessoas sem mínima noção, mas neste caso parece me apenas uma consequência directa de quem tem visibilidade

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Mas para a Pipoca é incrível alguém ser capaz de a julgar pelo aspecto. A mesma Pipoca que julga os outros com rubricas já bem conhecidas.

      Eliminar
    2. Oh, minha boa alma, não percebeu nada do que eu disse. Eu estou-me nas tintas para se as pessoas me acham feia, gorda, o que seja. Estou mesmo. O exemplo que eu dei, do banco, foi para mostrar que a mesquinhez das pessoas lhes dá até para inventar. E a mulher que me viu não veio deixar o comentário aqui no meu blog, foi deixá-lo num blog de ódio, que incita outras pessoas a serem maldosas, num efeito bola de neve imparável, o que diz muito sobre a real intenção dessa senhora.

      Eliminar
    3. Cara anónima das 4h05, leu bem o comentário sobre a PMD nesse blogue? E acha que não tinha maldade nenhuma, mesmo?
      Na minha terra dizer que a pessoa estava toda oleosa, é chamá-la de porca. Ponto.
      Maldade nenhuma, claro que não... apenas... desiludida.
      Enfim.

      Eliminar
    4. Curiosos os seus argumentos. Ora não percebemos nada do que escreve, ora não temos sentido de humor ou inteligência para apreciar o seu sarcasmo. Ou então são só trapos.

      Quando chama bimba do pior a alguém são só trapos, não percebemos o que disse ou não atingimos o sarcasmo? Ou é maldade para com outra mulher?


      Eliminar
    5. Qual a diferença mesmo? A pipoca chama uma de bimba mal vestida e outra diz que acha a pipoca desmazelada, não são tudo comentários negativos? Uma coisa é desejar a alguém a morte ou dizer que a criança parece ter uma doença, isso é simplesmente maldoso e muito estupido, outra é dizer olha vi aquela fulana e não gostei ou aquela tipa é uma grande saloia, acho é que não pode haver dois pesos e duas medidas, nós dizemos mal dos outros mas também sabemos que os outros dizem mal de nós, além disso o que a pipoca diz numa rede social tem um enorme peso, o que um anónimo diz num blog manhoso não tem peso algum, quantas pessoas efectivamente lê aquele lixo? Curioso que de repente estão todos muito solidários mas se for necessário são os primeiros depois a apontar o dedo, eu tenho mais medo de quem se faz meu amigo do que o contrário e que bom saber que há tanta gente por aqui que é incapaz de chamar bimba a alguém, a parte boa de se ter um blog rentável é ter acesso a bens materiais que de outra forma não se teria, a parte má é esta, a exposição para o bem e para mal, mas engraçado que não vejo as celebridades, sejam de que campo for, a desistirem da exposição para serem completos anonimos, é porque continua a compensar. Se está nas tintas para o que pensam nem perca tempo com situações dessas e já agora também não fale dos outros

      Eliminar
    6. E esta gente a dar-lhe com o "bimba". Não têm mais nada a que se agarrar? Parece que é um crime de lesa-pátria apelidar de bimba alguém que se veste mal. Querem mesmo comparar isso a desejar que a pessoa morra, que a família toda tenha cancro, etc e tal? A Pipoca bem diz que há muita gente que tem dificuldade em entender portugês. Está explicado.

      Eliminar
    7. Anónimo 12.05 penso que tem de aprender a ler melhor, essa tentativa de defender a blogger até roça o ridículo, já se concordou aqui que é muito diferente desejar a morte da família ou dizer se a alguém que está mal vestida mas o caso foi o segundo, não li no exemplo demonstrado ninguém a desejar mal à blogger em causa, ponha lá melhor os óculos. Esta tudo muito sensível mas lá fora na vida real aí eu gostava de assistir

      Eliminar
    8. Se o blog que fala é o que penso (um quase homónimo?) não acho que seja um blogue de ódio. É um blogue que ironiza outros blogues, com trapos ou coisas que se lá diz. Da mesma forma como a pipoca ironiza com roupas e outras coisas - por exemplo comentários. Critica sarcásticamente, ridiculariza muita coisa: roupas, publicidade encapotada, publicidade mal feita, posts/opiniões sobre assuntos, comentários a incongruências de atitudes das autoras dos blogues... Mas nunca vi a autora incitar ao ódio ou com comentários de ódio pessoais ou relativos a filhos e parentes. São níveis completamente diferentes, conforme a própria pipoca admite. Nunca vi por exemplo, comentários deixados de crítica ao aspeto físico/plásticas, etc. como já vi em mummy/lifestye blogues (uma situação grave com poucos dias, resultantes de uma batalha de egos, conforme alguém mencionou por aqui), que é bem mais grave e que me deixou muito decepcionada pela atitude das autoras.

      Eliminar
    9. Acho que são coisas diferentes. Um comentário sobre uma imagem pública de alguém é uma consequência direta de essa pessoa ter visibilidade. Este exemplo do "cabelo oleoso" é sobre alguém que (anonimamente) vai colocar no espaço público um (suposto) episódio da vida privada de outra pessoa (essa sim, completamente identificável). Se o episódio for verdadeiro, acho o comentário muito feio. Se o episódio for inventado, acho feio e doentio. Quanto ao ficar-se desiludido por a pessoa não ser sempre como mostra no blog... isso parece-me só imaturidade. Ana

      Eliminar
  53. 🤔🤔🤔👏👏👏🤗🤗🤗

    ResponderEliminar
  54. Escrita fantástica,cativa o leitor! Parabéns pipoca e força
    Beijinho adoro acompanhar-te

    ResponderEliminar
  55. Olá Ana.
    Sou seguidor assídua porque me diverte.
    Quero dizer-lhe que há uns meses passámos uns dias no mesmo hotel, eu com a minha família, a Ana com a sua, e gostei de ver a normalidade que aparentava, entre filhos e marido, na maior descontracção, de jardineira e chinelo no pé.
    Não somos todos assim?
    Beijinhos e força.

    ResponderEliminar
  56. Pipoca,
    É com muito orgulho que fiz parte do teu blog e vi-te crescer. Digo com honra que te conheço e que, para mim, és a melhor blogger. Não te deixes ir abaixo. Também houve pessoas que disseram nos comentários que eu era péssimo actor e desisti (ajudou nunca mais me terem chamado para castings e trabalhos). Não faças como eu. Portugal precisa do teu sarcasmo (até porque é a única coisa que eu percebo do que escreves, pois já não conheço ninguém famoso e não percebo nada de roupas e trapos que tanto falas).

    Menino do BPI

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Caramba, eu já frequentava este blog no tempo do Menino do BPI 🙂

      Eliminar
  57. Olá Pipoca. Sempre achei que quem tem problemas pessoais(de qualquer género) é quem faz esse tipo de comentário. Precisam descarregar as suas frustrações em alguém e nada mais fácil, hoje em dia, do que ir a net e fazer Um Dó Li Tá pra escolher a vítima. Isso SÓ tem a ver com quem publica e não com o destinatário, que pode ser qualquer um. Simples assim.

    ResponderEliminar
  58. Pipoca, sempre gostei da tua postura de aprovares comentários que iam contra a tua opinião, quando não eram mal educados/intencionados. No entanto, quem te contraria é sempre atacado de forma infantil, desproporcionada e mal educada pelos teus fãs. Sei que isso implicaria que tu ou a tua equipa tivessem de perder tempos infinitos com a aprovação de comentários, mas acho que seria positivo elevar a fasquia nesse aspecto. Sim, isto não tem a gravidade dos relatos da Alexandra, mas o que é que o comentário "deixe-me adivinhar...tentou ir trabalhar para uma loja Zara mas é tão feia e torta que foi descartada?" acrescenta ao teu espaço?

    ResponderEliminar
  59. Não tenho por hábito comentar.
    Mas hoje vou fazê-lo.
    Para dizer mal, estamos cá todos, e infelizmente, é sempre o género feminino.
    Tenho a minha opinião: quem não gosta não lê, não segue.... Afinal é tão fácil.
    Se não gosto de feijoada, não a como. Se não gostam do blog, porque se dão ao luxo de perder tempo a ler????
    Realmente, não percebo.
    Anabela Lourenço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Fico muito triste quando vejo atribuírem isto ao género feminino. Se calhar neste blogue vê-se isso porque a maior parte dos seguidores é do género feminino. Como os seguidores da Alexandra.
      Mas vão ver os foruns de jornais, de desporto... estejam num meio grande onde a maioria é do sexo masculino e analisem se muda assim tanta! A maldade é do humano, infelizmente, não é de homens ou mulheres!
      Nós realmente somos a nossos principais detratoras!

      Eliminar
    2. Anónimo(12:31): Concordo plenamente consigo. Se formos ler comentários doutros fóruns ( eu já evito ler) vê-se quanta maldade existe, e quer sejam homens ou mulheres, é tudo igual. Que tristeza de Mundo este! As pessoas só estão felizes destilando veneno sobre os outros, mesmo sem os conhecerem. Que as nossas crianças aprendam mais que os adultos, a serem mais unidas, isso também devia ser ensinado nas escolas, espero que sim.

      Eliminar
  60. As pessoas são más, ponto. Invejosas, ponto. Não há quem nunca tenha sentido na pele a agulha da malvadez. Também tenho dúvidas se haverá alguém q nunca tenha sentido uma pontadinha de inveja. O pior é que já se espalhou e até os mais pequeninos são assim.

    ResponderEliminar
  61. Creio que a maior parte das pessoas que faz um tipo de comentário ao ponto de desejar a morte a outra pessoa sem sequer a conhecer é porque não está de muito bem com a vida. Ou então é só porque gosta de ver o circo a arder. Eu também venho aqui opinar sobre muitas das coisas que a Pipoca escreve, e nem sempre estou de acordo com o que aqui leio, mas ao ponto de lhe desejar mal a si e à sua família vai uma grande distância. Aliás, nem sei como é que se pode desejar tal coisa a pessoas que nem sequer se conhece. Agora, uma coisa me parece, a Pipoca ás vezes, sob a capa do sarcasmo e da piada fácil, também é muito acutilante e muitas das vezes também não cultiva a harmonia, porque praí 90% das vezes que responde a comentários é aos comentários maldosos e sem jeito nenhum. Nesse sentido, não entendo o motivo de "dar conversa" a quem não quer conversar mas apenas desconversar e vir deitar achas para esta fogueira. Acho mesmo que a Pipoca deve ignorar fortemente esses comentários, pois estou em crer que, ao dar visibilidade aos mesmos é uma forma de os alimentar. E quem diz a Pipoca, diz as dezenas de blogs que por aí há e as caixas de comentários do FB que são extremamente mal geridas, aceitando todos os comentários ao invés de os seleccionar. Lá por uma empresa, ou um órgão de comunicação social, ou uma instituição ter uma rede social aberta ao público, não quer dizer que tenha de estar sujeito a todo o tipo de comentários e mais alguns. Se as pessoas não sabem ser civilizadas, então acabou-se a caixa de comentários. Ou então só comenta quem deixar o e-mail, por exemplo. Bem haja Pipoca.

    ResponderEliminar
  62. Eu só sei que não tinha estaleca nenhuma para receber certos e determinados comentários. Essa questão de ter ido ao banco em modo descontraído e ter-se gerado esse tipo de comentário é simplesmente asquerosa. Parabéns por apesar de tudo ter continuado a ter força para manter este blog vivo. Ser uma mulher bonita e bem sucedida hoje em dia não é nada fácil...

    ResponderEliminar
  63. Com as devidas adaptações, este poderia ser um texto da autoria do meu marido. E ele só joga futebol.

    ResponderEliminar
  64. Como diz a/o comentador/a acima, as pessoas são más. Também têm muita dificuldade em se meterem nos sapatos dos outros o que talvez resolvesse muito. O pior é que na grande maioria das vezes acham que criticar ou não concordar com algo, implica automaticamente o insulto, o ataque, a falta de respeito. Se gostava de poder viajar à conta de uma transportadora e ir para um hotel com piscina privada? Errh, óbvio. Mas não posso e não é por a Ana poder, que venho para aqui chamar-lhe nomes. Na realidade eu quero é que ela poste mais fotos, para sonhar mais um bocadinho. Todos gostávamos, mas provavelmente não estaríamos dispostos a fazer o que é preciso, incluindo ficar sem apoios sociais, caso isto dê para o torto e pagar os impostos de um trabalhador independente (suponho que haja lágrimas de sangue ao trimestre). Ou fazer mestrados e cursos de edição, para ter mais hard skills. Se às vezes lhe sai ao lado. Sai, pois. Aquela dos óscares, foi uma, mas também quem é que iria adivinhar que a miuda estava ali pela make a wish? Continuava a parecer uma maltrapilha, mas o retorno que ela teve como se andasse à paulada pelo IPO, foi uma coisa completamente despropositada. Se continuo ansiosamente pelos comentários aos vestidos das galas desta vida? Podem crer, são de morrer a rir. Quantos vezes não estou a olhar para uma e a pensar o que é lhe passou pela cabeça para levar aquilo, quando sendo tão gira nem precisava de muito?
    O caso da Alexandra é completamente diferente e por ela ter escondido tão bem os efeitos que tinham nela, ainda mais chocantes. Eu sou um bocado bicho do mato/besta e não conseguir ver tudo. Ver que alguém que durante anos teve aquele blog, se esforçou, correu atrás e que com mérito tem um negócio, é atacada daquele modo, é assustador. A única vez que vi aqui um comentário a aproximar-se daquilo, foi quando a Ana contou o que aconteceu ao irmão e alguém disse que devia ter sido ela (ou qualquer coisa assim). É horrível, asqueroso e pior, tóxico. E tem que haver um purga, até em nós suponho. Agora, vou ver gifs de animaizinhos e restaurar a fé na humanidade.

    ResponderEliminar
  65. Há uns anos, eu seria a senhora do banco a julgar-te pela forma como estavas vestida e pouco arranjada. Não iria para um fórum, mas comentaria com as amigas. Mas hoje em dia, se te visse no banco "desleixada", a primeira coisa que iria pensar era "olha, afinal ela é um comum mortal... não está produzida 24h por dia". É tão bom ver que as pessoas que admiramos e que normalmente vemos sempre impecáveis, são pessoas como nós! Hoje em dia penso assim porque decidi evitar falar mal de outras pessoas, de cuscar a vida dos outros, de sentir inveja... às vezes é difícil, mas assim que me apercebi que todos esses comportamentos são reflexos das minhas inseguranças, torna-se mais fácil porque me permite crescer e aprender acerca de mim própria. A verdade é que, desde que o teu macacão não impacte a minha vida, eu não quero saber se é rosa fluorescente ou amarelo às riscas. You do you!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Concordo consigo. Eu também já vi a Pipoca no supermercado, normalíssima, como qualquer uma de nós. Aliás, mal seria se a Pipoca fosse para o Continente fazer compras com a sua família, como eu a vi, vestida como se fosse para uma festa. Aliás, só comentei mesmo com o meu namorado que o Arrumadinho é um homem bem jeitoso e ele comentou que a Pipoca é uma mulher bem jeitosa. É esta coisa do "ser frontal", quando, na realidade, 1.º: não temos de ser frontais a toda a hora, 2.º: confunde-se muuuuito frontalidade com má educação e agressividade.

      Eliminar
    2. Concordo consigo, muita gente diz que é frontal porque não é hipocrita, mas muitas vezes a má educação e a agressividade é horrível. Já me aconteceu, e como sou um pouco tímida, (muito timida) nem sempre consigo responder. Uma vez um familiar disse que sempre dizia o que tinha a dizer, fosse a quem fosse e que às vezes é que já tinha recebido respostas desagradáveis. Eu disse-lhe que quem diz o que quer sujeita-se a ouvir o que não gosta. Para meu espanto ficou calada, sei que não estava habituada a ouvir-me falar assim. Acho que neste caso consegui ser frontal sem ser mal educada e fazer a pessoa pensar um ou pouco.

      Eliminar
    3. Anón. 01 fev. 10:02h: As pessoas que se dizem muito frontais têm a tendência de abusar dessa frontalidade e por vezes tornam-se insuportáveis. Eu conheço muitas. Também sou não diria tímida, mas não consigo responder de certa forma às pessoas, contenho-me com medo de não as ofender,levo nas orelhas do eu mardo por ser assim pois ele diz que me acham fraca e abusam. Mas com a idade vamos aprendendo e começamos a ter mais capacidade de resposta a essas pessoas que se dizem "frontais", e já me acontece me dizerem: Ah, mas dantes não eras assim. Faça o mesmo, não permita que lhe digam tudo o que entendem, pois algumas valem-se disso e abusam.

      Eliminar
  66. Ana, que texto maravilhoso. Sigo-te à uns cinco anos pelo menos, e compreendo-te perfeitamente. Se já fazes triagem de comentários por aqui, imagino se não fizesses. Leêm-se coisas verdadeiramente horrorosas, de pessoas que andam de mal com a vida e que não têm onde depositar a sua frustração. Este texto é o espelho daquilo que, provavelmente acontece com todos quanto têm uma exposição em virtude da sua vida profissional. E é o espelho de como a nossa sociedade é pequena e frustrada. Custa ver alguém com sucesso e ter uma página onde o espelha. A malta roe-se de inveja de não conseguir ter uma vida "fácil" como pensam que tu e outros bloggers têm. Mas não há vidas fáceis. Cada um fará o seu caminho. E se cada um se dedicar menos a cobiçar e mal dizer o quintal do vizinho para tratar do seu, verão a facilidade com que levam a vida. O caminho faz-se caminhando. E tu és tudo de bom!
    Um grande beijinho.
    Adriana

    ResponderEliminar
  67. E depois também há aquelas pessoas que até desejam tudo de bom e muito sucesso às outras, mas atenção, não podem é estar melhor do que as próprias! O blog da Pipoca sempre foi uma inspiração para mim, identifico-me com o tipo de escrita e venho cá sempre que posso. Muitos parabéns e continuação de bom trabalho!
    ***

    ResponderEliminar
  68. Cavalheiro do Aeroporto30 janeiro, 2018 11:41

    Se ainda houvesse cavalheirismo...

    ResponderEliminar
  69. Depois de ler todos estes comentários e a opinião e vivência de cada pessoa, só posso afirmar uma coisa: Viver é MUITO difícil e complicado.

    ResponderEliminar
  70. Só eu é que tou super curiosa em relação ao tal hate blog e que nunca ouviu falar dele? Vá, digam lá o nome do dito cujo! (Desculpem, não resisti.. lolol)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A febre dos hate blogs já passou, mas há por aí uma que foi ficando e actualmente já nem se foca neste blogue.

      Eliminar
  71. Acho que a pipoca tem um corpão mas há qualquer coisa na cara que para mim não resulta, não acho transcendalmente bonita, uns dias veste se muito bem noutros sai ao lado, umas vezes gosto muito como escreve outros passo à frente, mas desejo lhe felicidades para ela e os seus, e até fiquei contente quando soube que tinha voltado com o marido, e só porque não acho tudo perfeito se calhar já sou invejosa, e já lhe desejo um mal gigante, pessoas cresçam, há toda uma selva lá fora, perdem tempo com coisinhas que não interessam nada, a caravana passa e as figuras públicas somam, se não houvesse estes mexericos o número de visualizaçoes não aumentava e as empresas não andavam atrás

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Branquela flácida e cheia de sinais na pele qd se vê em bikini. Se n gostar do comentário a Sofia Alves tb n gostou q a chamasse bimbalhona e vive!

      Eliminar
    2. Que comentário mais parvo! Que necessidade teve de comentar o aspecto físico? Alguém lhe pediu a opinião?

      Eliminar
    3. WHAAAAAAAT?? A sério que isto ainda existe??

      Senhor(a) do "branquela flácida", só a/o queria ver de biquinha. Corpãããão ;)

      Eliminar
    4. Também vou fazer um vídeo contra o bullying que as pessoas branquelas sofrem ahahah. Há quem nao goste de apanhar sol, há quem apanhe sol e não mude de cor, há quem tenha medo de cancro na pele, há quem não ache bonito uma cor Lili Caneças 1990...

      Eliminar
  72. Espero que tenha servido para aprender que para ter piada não é preciso dizer mal de ninguém. E que nenhum argumento justifica dizer mal de outra pessoa. Se não gosta que digam mal de si, não faça o mesmo com os outros. É bem simples.

    ResponderEliminar
  73. Ana, nem todas as pessoas são más e difíceis. A maioria de nós lê o blog porque se diverte e tem prazer em lê-la...A maturidade é conseguir gerir a situação com fair-play e tirar gozo do seu espaço. Beijo

    ResponderEliminar
  74. Pipoca, já fui leitora assídua do blog. Eu vinha ler o que escrevia animada e com expectativa, acabando sempre satisfeita com o tempo que passava neste espaço. Isso mudou e raramente me lembro de cá vir espreitar. Se me permite dizê-lo, sinto que se acomodou. Não evolui, não inova e com tantas bloggers a surgir penso que começa a ficar esquecida para um público mais jovem.
    Acho muita piada ao seu sarcasmo e ironia, mas também acho que já passou muitas vezes o limite do que considero aceitável e engraçado. Mesmo não sendo de má vontade, por vezes a Pipoca atiça o mal dizer ao falar de penteados de jornalistas extremamente profissionais que podem não ligar às "modas" como a maioria de nós liga, os "trapos" de muitas figuras públicas com comentários a roçar o "too much" (algumas delas podem efetivamente ficar incomodadas com os respetivos comentários). O que quero com isto dizer, é que me chocava mais se o comentário da senhora do banco fosse dito em relação a uma pessoa que nunca critica o aspeto físico de outras, quer no instagram, quer no blog. OBVIAMENTE não me refiro a comentários excessivos a desejar a morte, isso ninguém merece ouvir/ler independentemente da profissão, do género, orientação sexual.
    Aproveito este meu comentário para referir um assunto que se tornou tabu neste espaço. Faço parte do grupo de pessoas que tem curiosidade em saber o que se passou com o Manolo. Não considero isto um crime, simpatizava com o cãozinho, sempre quis ter um e nunca consegui criar condições, é normal que uma pessoa se pergunte o que se passou. Não acompanho o blog nem a página do instagram 24h por dia, é normal que não saiba tudoooo o que aborda nos diretos, por exemplo. A curiosidade nem sempre tem um fundo maldoso, e no meu ponto de vista o secretismo em torno deste assunto ainda aumenta mais a curiosidade das pessoas. Nunca imaginei a Ana uma pessoa dada a tabus e por muito que entenda que há aspetos da sua vida que não tem de partilhar, se inicialmente nos incluiu no assunto, penso que não faz sentido ignorar as questões dos seus seguidores.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Se, como você própria diz, não segue a Ana 24 horas por dia, se calhar deveria admitir que não há secretismo e que ela já explicou o que se passa com o cão. Talvez várias vezes. Umas 6000. E você não leu. O que quer mais?! Irra, até enjoa.

      Eliminar
    2. Pois... vi imensos post sobre o manolo, mas nenhum sobre o que lhe aconteceu.
      Alguém que ele se divide entre a casa dela e do enteado... mas nenhuma foto mais nestes anos, nenhuma história ou report? Tenho concordar com o autor do comentário que aumenta a curiosidade de quem a segue há tanto tempo porque não é normal a falta de notícias no contexto deste blogue

      Eliminar
    3. Mas será tão difícil de compreender que o que incomodou a Pipoca não foi a crítica ao aspeto dela? O que motivou aquele parágrafo foi a diferença entre o que a senhora viu e o que descreveu depois no comentário. A senhora, no fundo, decidiu melhorar (neste caso piorar!) o relato do avistamento de forma a mostrar como a Pipoca é tão banal. Se a senhora se tivesse limitado a descrever o que ela levava vestido e como ficou desiludida com a simplicidade, não havia ali aquele primeiro parágrafo.

      E ainda alguém me há-de explicar como é que a piada sobre o penteado dos anos 80 "atiça o mal"!

      Eliminar
    4. Tanta porcaria por causa de nada, mas alguém duvida que quando os fotógrafos saiem e as produções acabam são pessoas iguais a todos os comuns mortais? Ficou chateada com direito, mas no referido comentário há mais outra pessoa a dizer que também já a viu e confirma o que a primeira disse, pronto há duas pessoas nesta vida que acham a dona do blog desmazelada, quem é que aqui sabe como anda esta gente no seu dia a dia e nem tem de saber, mas é engraçado ver a legião de defensoras tão irritadas a troco de nada quando neste blog tantas vezes são comentados factos pouco abonatórios de outras pessoas, ainda alguém se lembra do caso da rapariga dos Oscares? Qual mesmo a diferença....? Pois.

      Eliminar
    5. Já estive sentada ao lado da Ana e garanto-vos que tinha o cabelo lavadinho e muito brilhante! Estava bem-disposta e normalzinha, tal e qual como nós, restantes mortais, que afinal é o que ela é. Mas, conheço gente com reputação mundial, intelectuais, cineastas, músicos, que não têm problemas nenhuns em ir a palestras e conferencias a pingar óleo e com a caspa a decorar os ombros. Pior, pior é o hálito de alguns, sim, e vocês todos os conhecem, mas não têm blogues, por isso não há comentários.

      Eliminar
    6. Qual é a diferença? Vou citar um comentário ali de cima que explica a diferença.

      "Acho que são coisas diferentes. Um comentário sobre uma imagem pública de alguém é uma consequência direta de essa pessoa ter visibilidade. Este exemplo do "cabelo oleoso" é sobre alguém que (anonimamente) vai colocar no espaço público um (suposto) episódio da vida privada de outra pessoa (essa sim, completamente identificável). Se o episódio for verdadeiro, acho o comentário muito feio. Se o episódio for inventado, acho feio e doentio."

      São fundamentais aqui as palavras imagem pública e vida privada. Quando a Pipoca comenta as fatiotas dos Óscares, está a comentar a imagem pública. O que a anónima do banco fez foi comentar a imagem de uma figura pública num momento privado e, mais uma vez, acrescentar uns detalhes oleosos para dar cor ao relato.

      A diferença é essa. Não me lembro de alguma vez ter lido a Pipoca a comentar o aspeto de ninguém na sua vida privada.

      Eliminar
  75. O ódio espalhado por este mundo virtual fora, faz-me ter medo do futuro. Eu continuo a pensar que o que motiva as pessoas é a inveja, a inveja de ver que a pipoca conseguiu vingar no mundo dos blogs, a inveja de ver que a pipoca se calhar nem precisa de comprar a roupa gira que veste, a inveja da pipoca que viaja mais num ano que a maioria de nós na vida toda. Inveja daquela que corrói e que ao invés de fazer as pessoas trabalharem, para alcançarem o mesmo, faz com que debitem estupidez por este mundo virtual fora. Eu sigo a pipoca desde o inicio, também gostava mais "dessa" pipoca, mas considero perfeitamente normal a evolução que aconteceu. Aposto que há pessoas tão más que terão ficado felizes perante a ideia do casamento ter acabado, assim como ficarão felizes se o Mateus tiver dificuldades na escola e os pais tiverem um problema de saúde.
    Há muito que percebi que o que mais pode enervar é alguém é ousar ser feliz, as pessoas ficam revoltadas perante alguém com uma vida feliz e perante isso acabam por chamar (por trás do teclado) feia, gorda, rabo grande, bimba...
    Espero que, pelo menos, aos filhos, se os tiverem, não consigam passar os valores que não têm.

    ResponderEliminar
  76. Viver significa aprender. Maturidade não significa o quanto você viveu, significa o quanto você aprendeu. Lá estou eu om outra frase: " Guardar raiva é como segurar um carvão em brasa com a intenção de atirá-lo a alguém; é você que se queima."

    ResponderEliminar
  77. Bravo! 👏🏻👏🏻👏🏻

    ResponderEliminar
  78. Pipoca, não poderia estar mais de acordo com tudo o que está descrito. As pessoas cada vez mais se escondem por detrás de um computador e acham que vale tudo, sem nenhum pudor estão ali apenas a deixar um comentário maldoso e mal educado e por vezes se for para dizer bem nem sequer se dão a esse trabalho. O que me assusta mais é no que se está a tornar a nossa sociedade. Este texto é o espelho de quem infelizmente está exposto seja com vídeos, blogs etc. as pessoas libertam as suas frustrações com esse tipo de mensagens. Infelizmente as pessoas são invejosas porque não conseguem perceber que isto é um trabalho. Este é um sentimento muito pobre mas que afeta muitas pessoas, em vez de lutar pelas coisas é mais fácil acusar os outros de que se esforçam para correr atrás dos seus objetivos. Tenho pena que os meios de comunicação que falam de tanta coisa que por vezes não traz valor acrescentado, não fale sobre o cyberbulling.

    ResponderEliminar
  79. Bem....

    Só tens de guardar o que realmente importa e tudo o resto colocar de lado.

    Ana, não te preocupes, já não vais ter de ir ao psicólogo, resolvi a questão:
    Usavas macacão fluorescente porque estavas num ato de loucura profunda, por isso ias levantar dinheiro para levar o Mateus a fazer uma permanente, porque está visto que os caracóis são falsos e comprar alface para o almoço, porque queres escrever um livro: "100 maneiras diferentes de comer alface".

    As pessoas que perdem tempo a deixar maus comentários deveriam olhar a sua volta e pensar no que vai mal nas suas vidas. Porque não tem mais nada que fazer.

    Porque ao longo destes 10 anos que sigo blogues infelizmente deparei-me com alguns que fecharam as suas contas por comentários desse género, quando tentavam dar a conhecer o seu trabalho e não serem as melhores do mundo.

    Deixo aqui um artigo de blogues e youtubers que se juntaram para criar uma Campanha contra estereótipos e bullying nas redes.
    https://elpais.com/tecnologia/2018/01/29/actualidad/1517245300_066356.html

    Não gostam, não leiam a Pipoca, comprem e comam-nas.

    Beijinhos
    Beba

    ResponderEliminar
  80. Conhecendo te apenas daqui e pelo que vejo, dá para entender que tens uma vida boa, seja porque compras ou porque te oferecem muita coisa, mas tens. Ainda por cima és gira, inteligente, tudo te fica bem e pareces uma miúda feliz. E isso causa muita comichão a muita gente. Eu tenho pena de quem vive só para odiar, só para destilar ódio e desejar mal aos outros. Que existências miseráveis. Atacam o próprio, a família e até os filhos. Gosto muito de ti, do que escreves, das tuas opiniões e identifico me com quase tudo o que leio. Escreves coisas interessantes e futilidades. Fazes piadas e falas sério. E ajudas.... já te vimos ajudar o IPO, por exemplo. Isso faz de ti uma Santa?? Não, mas faz de ti alguém que eu fui gostando cada vez mais e como eu, muitos mais.
    Espero mesmo que isto nunca te derrube e que possamos celebrar os teus 50 anos de blog.
    Beijinhos para ti e para todos os lesados desses comentários de merda, feitos por gente infeliz.

    ResponderEliminar
  81. Pipoca, as pessoas que destilam ódio escudadas atrás de um comentário anónimo sofrem de um grande mal da humanidade: chama-se dor-de cotovelo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Entre ser Anónimo e assinar Carmen, consegue explicar a diferença?

      Eliminar
    2. Pensei o mesmo. Podia ter escrito Carmen, Cidália, Maria de la Salete que não difere do anonimato.

      Eliminar
    3. Verdade, Anónimos 20:06 e 20:45. Mas a Carmen não critica quem faz comentários anónimos. Critica quem se esconde atrás do anonimato para escrever comentários maldosos. Não é a mesma coisa.

      Eliminar
    4. Eu percebi, mas de que me vale colocar um nome, ou até criar um perfil público se o mesmo for falso? Mas concordo e percebo que a ideia seja criticar que atrás do anonimato de um écran, somos todos muitos fortes.

      Eliminar
  82. É preciso ter muito tempo livre para se andar a falar mal deste e daquele atrás de um computador.
    Sério... não entendo essas pessoas, eu cá não gasto o meu tempo a fazer esse tipo de coisas, acho parvo só. Não vou dispensar parte do meu dia a falar mal de uma pessoa que não gosto e que sigo só porque sim. Se não gosto não sigo, aqui ninguém é obrigado a nada.
    Felizmente no meu blog não recebo muito hate, já recebi um ou outro comentário foleiro e por ser disparatado e não acrescentar nada de útil à discussão passei a moderar os comentários também, porque há gente que acha que a liberdade de expressão lhes permite ser rancorosos, maldosos, e no direito de achincalhar e julgar alguém só porque sim! Pior, julgar o todo por uma parte, porque aqui as bloggers deste mundo partilham uma pequena parte do seu dia na net. Desengane-se quem acha que isto dos blogs traduz na totalidade o nosso dia!

    Kiss kiss.*Jo
    Jo & Company Style

    ResponderEliminar
  83. O mal da humanidade? INVEJA. A infeliz pode ter um Mercedes Benz 2018, mas ai da vizinha que se comprar um Fiat 1980. Como é que possível. a vizinha? Um pobre coitada, de onde tirou de dinheiro para o Fiat 1980? Isso é só um exemplo estúpido que estou a dar. .....Ou ainda aquela tipa que tem tudo, é rica, vida de sonho, casa e carro de luxo, mas se a prima comprar um brinco no chines situado na Bósnia, a infeliz vai até a Bósnia só para comprar um brinco de alta igual ao da prima pobre, mesmo que ela prefira Pandora. O povo anda infeliz, mesquinho, pequeno, maldoso, invejo, maligno, e a internet contribuiu e mto para a humanidade se deteriorar enqto seres. Pipoca, fico feliz que tu tenhas aprendido a não dar mais valor a isso, não merecem. Não merecem e se esquecem todos eles que todos nos vamos para o mesmo buraco após a morte, com ou sem money, com ou sem SOTORA, com ou sem carro, com ou sem apto XPTO, com ou sem familia de comercial de margarina; todos, nisso DEUS foi justo, o fim é igual... para todos.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Anón.30 Jan. 21:59. Concordo em absoluto com o que disse, para quê tanta inveja, tanta maldade, se o fim é igual para todos. Mas a maior parte não pensa nisso, só pensam quando vão ao funeral doutras pessoas e nesse momento refletem que afinal não vale a pena tanta coisa para depois acabarmos assim. Depois esquecem e voltam a ser o que eram, mesquinhas, mázinhas, etc. O ideal é não ter gente desta por perto.

      Eliminar
    2. Anónimo 31 janeiro, 2018 09:05
      Mesmo, qto mais longe melhor. As pessoas so sao boazinhas nesta hora, sairam de lá, já esquecem e voltam a espalhar maldades.

      Eliminar
  84. de uma vez por todas, oh suas BIMBAS (sarcasmo, ou nao...) CHATAS CARRAPATAS PIOR QUE MELGAS, se não gostam, se vos incomoda, se não aguentam de inveja, se vos vira os fígados do avesso, por favor...DESAPAREÇAM! DE-SA-PA-RE-ÇAM! RUA! TÁ A ANDAR DAQUI PARA FORA!
    pessoas chataaaaaaas!
    voltai para raio dos blogs chatinhos, assim-assim, bem feitinhos, todos muito bem, chatos!

    ResponderEliminar
  85. Infelizmente até nesta caixa de comentários estão alguns dignos de muita vergonha!
    Atrás de um ecrã, alapadinhas em casa, tudo se diz. É uma falta total de respeito.
    Se não se gosta, não se segue! Se não interessa, procura de coisas mais importantes!
    Tenho pena de quem vive simplesmente para tentar "emerdar" a vida dos outros! Resolvam os seus problemas com vocês mesmos, e acreditem que a vossa vida melhora, e nao precisam destilar este ódio gratuito!

    ResponderEliminar
  86. Concordo com tudo o que escreveu. Acredito que haja imensos bloggers, youtubers e outros influenciadores digitais a sofrer de cyber bullying e, apesar de muitos dizerem que ignoram, eu acredito que magoe, que doa.

    No entanto, no posso deixar de ficar triste pelo favor de apesar de vocês sofrerem com os haters, às vezes esquecerem se de proteger os vossos seguidores. A caixa de comentários serve precisamente para isso: comentar! Sejam opiniões de acordo ou não com o post em questão, desde que sejam feitos com respeito. Lembro me de uma vez não ter gostado de um vestido que a pipoca estava a usar e comentei que desta vez não me tinha agradado. Choveram respostas ao meu comentário a dizer que eu era uma invejosa, que devia de ser gorda e feia, triste com a vida,.. uma pessoa ignora, mas também magoa! Já visto acontecer várias vezes com outros leitores. Todos temos direito a nossa opinião, não somos obrigados a gostar Sempre e às vezes seria bom que os bloggers também pensassem que não só os haters fazem bullying. Os fanáticos, por vezes, conseguem ser bem piores

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tem muita razão anónimo 07:58.

      Além disso muita gente ignora que a liberdade de expressão não inclui a liberdade de ofender. A primeira é um direito, a segunda não.

      Eliminar
    2. Tem toda a razão! É um enjoo em tudo o que é blog! Passam a vida a elogiar a dona do "sítio", mesmo que ela só use uma uma parra ao colo: Ah! Que linda, gira, fabulástica... Como se houvesse pessoas que só existem para gabar os outros, sem qualquer espírito crítico. Isso sim, dar-me-ia medo se tivesse um blog!! Ter alguém sempre a "babar" letras cada vez que aparecesse!! Que eu saiba um blog também vive disto e quanto mais polémico, mais comentários gera e mais dinheiro a blogger aufere. Claro, que há dias em que a Ana está melhor do que outros e é normal que comentemos educadamente, mas somos logo bombardeados com um chorrilho de elogios que vão desde gorda sem nunca faltar o inbejosaaaa!

      Eliminar
  87. Há uns anos, quando começaste o blog, era cliente assídua. Gostava do teu espírito witty e divertido, tens um sentido de humor brutal, escreves muito bem e és uma mulher muitíssimo inteligente. Foste criando uma personagem, que evoluiu com o crescimento do blog. E eu fui gostando menos e menos da personagem. Quando transformaste isto num catálogo, deixei de ler. Não me interessam montras, interessavam-me os teus textos - como este, como tantos que escreveste ao longo dos anos. Não gosto da Pipoca-personagem, porque é o que conheço daqui. Não sei se gosto da Ana Margarida ou não, não a conheço. Há uns anos, estivemos juntas num evento (tenho um blog uns meses mais antigo do que o teu e de vez em quando lá calhava). Fomos apresentadas e achei que, por estares num evento da blogolândia, estavas em personagem. Não gostei. A pose arrogante e de diva, como se fosses a melhor do mundo, era tudo menos empática. Não te enganes: és a melhor blogger portuguesa. Mas o que te sobra em genialidade falta-te em humildade e ali, em modo Pipoca, odiei o que vi. Mas, de novo: acredito que aquela não era a Ana, mas sim a Pipoca. Ontem, quando te chamei a atenção para os phones que tinhas a saltar da mala, enquanto descias a Joaquim António de Aguiar, abriste um sorriso que me pareceu sincero e agradeceste a dica com a maior das simpatias. Ali, sim, acho que vi a Ana e não a Pipoca. E gostei do que vi, naturalmente.
    Isto tudo para dizer que acredito que os ataques que sofres não são dirigidos a ti, Ana, mas sim a ti, Pipoca. Obviamente, quem não gosta tem bom remédio e deve seguir caminho - é o que faço normalmente, mas hoje li alguém falar sobre este teu post, percebi que era dos tais que eu gostava de ler e vim cá parar. Ainda assim, acredito mesmo que a Ana dá mil a zero à Pipoca e tenho mesmo, mesmo, pena de que te tenhas transformado numa montra (a melhor cá do burgo, é certo, mas ainda assim apenas uma montra) e que tenhas passado a escrever muito menos do que nos tempos áureos da coisa. E tenho pena de não conhecer a Ana, que me parece bem mais interessante do que qualquer Pipoca que possas construir.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Este comentário deixou-me baralhada, mas se não vem ao blog como sabe que a Pipoca escreve muito menos... Cá para mim, é daquelas que diz que não passa e depois está cá batida todos os dias, mas em segredo claro, ou então ouviu alguém falar ;)
      Mas todo o comentário é estranho, a Pipoca é uma personagem, normal, é essa personagem que vende e que faz disto a remuneração dela, e ela sempre deixou isso claro.
      Quanto aos comentários para lá do aceitável, só mentes muito perturbados fazem tais coisas.
      À Pipoca, desejo um bom trabalho.

      Romar

      Eliminar
    2. Vamos lá desbaralhar a senhora, então.

      Ontem vi no Facebook um post de uma amiga minha, onde ela partilhava este texto da Pipoca e dizia que concordava com a posição dela. Resolvi vir ler. Na verdade, ignoro a maioria das coisas que vejo no Facebook mas ontem apeteceu-me. Fazer o quê? É crime?

      Não, não venho cá todos os dias. Nem todos os meses, sequer. Sei que deixou de escrever como escrevia porque a) dei pela mudança e b) não vivo num buraco. E ainda há tempos, tipo Outubro ou Novembro, já nem sei, calhei a aterrar aqui e dei-me ao trabalho de navegar nas 4 últimas páginas do blog. Nessas páginas, contei 3 posts que não eram publicidade/patrocínios. Ora isto é um rácio claramente fraco para os meus gostos. Prefiro blogs sem publicidade. Prefiro textos com sumo do que propaganda seja ao que for. Defeito meu, é a vida.

      Eu sei que a Ana vive disto. A fonte de rendimento da Ana é uma personagem chamada Pipoca. Eu sei. Nada contra. Mas não é a minha cena. Não gosto da personagem, como não gosto de outras. Mas disse - e repito - que o que conheço da Ana (que, na verdade, é apenas a atitude que ela teve para comigo ontem, na rua, numa situação em que não tinha holofotes apontados a ela e onde podia ser só a Ana) é bem mais agradável do que o que conheço da Pipoca.

      Acho que não é assim tão difícil entender. Mais: não fui, em momento nenhum, ofensiva ou indelicada no meu comentário anterior. Mostrei antes duas realidades com que contactei em alturas diferentes da vida. Só isso.

      Eliminar
  88. Ainda? Caros, na troposfera está um dia lindo para um almoço na esplanada. Vamos?

    ResponderEliminar
  89. E pelo menos hoje, já é a segunda vez que cá vem.
    Está a estragar as estatísticas ;)

    ResponderEliminar
  90. "A vida encarrega-se desta gente."
    Provavelmente ja se encarregou.
    Por isso é que agora vivem frustrados e destilam a frustracao onde "podem"!

    ResponderEliminar
  91. Pois eu à uns meses atrás passei por si no Chiado, e gostei muito de me cruzar consigo, fiquei a olhar disfarçadamente com vontade de lhe dizer olá, e apreciei a sua maneira casual e simpática na amena cavaqueira com outras amigas. Também já me cruzei consigo a correr em Vilamoura, mas cada uma segue a sua vidinha e não têm que destilar ódios, se gostam fica-se contente, se não se gosta segue-se a vidinha.

    ResponderEliminar
  92. Muitas palminhas! Adorei o post! Acho o tema super pertinente e concordo que como "dona" do seu blog tem uma responsabilidade pelos conteudos nele exibidos ainda que sejam comentários escritos por outros.
    Tal como o Facebook tem o dever de controlar os conteudos que la são publicados. Acho que devemos focar mais energias em responsabilizar pessoas do que em escrever e espalhar odio. Nao podemos deixa a cultura do odio continuar impune! O mundo precisa de mais amor e nao de odio. Sugestoes construtivas sim, Odio NAO!

    Obrigada por partilhares os teus pensamentos de forma honesta :)

    Nao sou nada de comentarios mas desta vez teve que ser!

    ResponderEliminar
  93. Concordo inteiramente com a tese que estes comentarios a destilar odio sao originados por pessoas de mal com a vida. Aceito que nem todos temos a mesma sorte e as vezes e quase impossivel reprimir a inveja de outros que (a luz das redes sociais) parecem ter vidas mais faceis e felizes. Agora o que acho mesmo assustador e que nao haja uma auto-censura quando toca a exibir esses sentimentos tao pequenos. Pois que tambem me apetecia ter tantas malas gucci/chanel/prada como a pipoca, or ir a tantos sitios giros, e verdade, agora dai a desancar na autora do blog por causa disso vai uma grande distancia. Mesmo que me apetecesse tal coisa, vergonha teria de ter tal vontade, quanto mais expressa-la. E se fosse realmente algo que me chateasse (que nao e), pois o mais acertado seria deixar de me torturar e passar a ler outras blogs de criaturas infelizes que me fizessem sentir melhor com a minha vidinha. Agora para os que efectivamente acham que o que esta mal no mundo e a pipoca e bloggers afim, e insistem em continuar a vir aqui (ou a outros blogs) para uma experiencia masoquista seguida de um regenerador discorrer de insultos, se calhar o mais saudavel serial parar uns bons minutos e pensar no porque desse comportamento. O que e que esta mal afinal? Provavelmente a causa sera interna, e nao externa.

    ResponderEliminar
  94. Fónix voltei, depois de ontem ter caído no canal SIC Mulheres e ver aquelas figuras que se dizem de nível a avacalharem com uns e outros, lembrei de vir cá comentar. "Atão" "senhôuras" Já da Passadeira Vermelha ninguém diz nada? Aquilo já não é bullying? Uma a ofender a outra so pq discorda da opinião, a ofender a xpto pq publicou um desabafo na propria rede social, ora isso sim devia ser vergonhoso uma SIC MULHER apresentar um programa ridículo daquele.Uma bando de descompensadas a humilharem-se umas as outras e a falar mal da vida alheia, bem coisa de TUGA mesmo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Apoiado.É vergonhoso. Nem chega a ter graça nenhuma, nem tem ponta pro onde se lhe pegue. credo.
      MC

      Eliminar
  95. Pensei em escrever qualquer coisita... Mas com tanto texto pensei... Nahhhh WTF Ana tem razão no que escreveu, quem não gosta não perca tempo

    ResponderEliminar
  96. Pensei em escrever qualquer coisita... Mas com tanto texto pensei... Nahhhh WTF Ana tem razão no que escreveu, quem não gosta não perca tempo

    ResponderEliminar
  97. Olá pipoca, que inveja que tenho de si,mas é inveja da boa :).
    Adora ler tudo aquilo que escreve. Quem me dera saber escrever coma a Ana.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não sabe escrever "Coma a Ana"...? :))

      Eliminar
  98. Eu só acho que devia publicar fotos em top less e assim... ;)

    ResponderEliminar

Teorias absolutamente espectaculares

AddThis