Pub SAPO pushdown

Crédito à habitação ou "ah, então é isto o mundo dos crescidos"

quarta-feira, janeiro 17, 2018

Já com uma casa em vista (figas! Façam muitas figas!) começou agora a fase de fazer a peregrinação pelos vários bancos para ver qual será o sortudo que nos irá conceder um crédito. Sim, gosto de ver sempre o copo meio cheio: não somos nós que temos a sorte de ter um banco que nos queira dar uma mãozinha, o banco é que vai ter o enorme privilégio de nos acolher no seu seio, de receber mensalmente a nossa esforçada contribuição*. Atitude! Atitude é o que é preciso.

Ontem comecei a tratar disso e, antes da primeira reunião, confesso que
sentia um certo nervosismo, mais ou menos como se estivesse a caminho de um exame da faculdade. Para começo de conversa, lixa-me esta coisa de não ser rica. Lixa-me, pronto, o que é que querem? E nem sequer digo "rica de capitais próprios", que seria, ter de trabalhar para ganhar dinheiro?** Eu vivia muito bem de rendimentos alheios, de heranças, preferencialmente à conta de um marido rico. *** Tinha tanto perfil para dondoca, tanto. ****. Mas não. Quis Deus que fosse um ser remediado, que tem de trabalhar (arrrggghhh) e que, tal como a maioria dos mortais, não tem dinheiro suficiente para bancar uma casa a pronto.

E perante este cenário eu começo logo a achar que assim que entro no banco já os senhores do mesmo estão a abanar a cabeça e a questionar todas as minhas escolhas de vida. Como quem diz "sim senhora, muito bonito, agora com 37 anos é que se lembrou de comprar casa. Agora que isto está tudo altamente inflacionado é que esta achou que era boa ideia. Bem dizem que as bloggers não devem muito à inteligência. ***** Blo-gger! Isto agora qualquer merda é profissão. E sempre toda pipi, sempre com boas carteiras, mas depois para comprar uma casinha anda aos caídos, se não for o banco a emprestar não tem onde cair morta".

Depois entramos naquela parte em que temos de lhes passar para as mãos o nosso extracto bancário, e lá começo eu a imaginar o que vai na mente dos senhores: "127 euros na Zara e ainda Janeiro vai a meio. Está explicado porque é que vai dar uma entrada tão miserável, eu até tinha vergonha de dar uma entrada destas. Olha para isto, a quantidade de refeições fora. Em vez de comer em casa, que sai tão mais em conta. Também não me admira, nem deve saber estrelar um ovo. ******". E a pessoa a ter de pôr o seu ar mais humilde e abnegado, sempre a responder "sim, senhor do banco", "tem razão, senhor do banco", "nunca tinha visto as coisas nessa perspectiva, senhor do banco", porque é esta gente que vai decidir se vamos ou não poder mudar para uma casa nova, por isso convém tratá-los nas palminhas. Isto enquanto nos enchem o cérebro de spreads, euribors, TAEGs e outras coisas que eu vivia bem sem conhecer.

E pronto, como podem ver, estou a adorar este novo mundo. Isso e a parte em que nos passam para a mão as 482 folhas com a simulação de crédito e ficamos a saber quão empenhados estaremos nos próximos 40 anos. A chamada "cordinha na garganta". Até parece que a consigo sentir aqui à volta do pescoço. Esta coisa de imaginar que só perto dos 80 acabarei de pagar uma casa (se lá chegar!) revolve-me o estômago de uma maneira que nem vos passa pela cabecita. Isso e o facto de ter de empenhar quase todas as minhas poupanças nisto. Eu gosto de saber que tenho o meu pequeno pé de meia no banco, a postos para qualquer eventualidade, lá sossegadito para o que der e vier. Pensar que esse pé de meia vai ficar substancialmente reduzido também me aumenta o nível cardíaco. E não é no bom sentido.

Decididamente, não estou preparada para o mundo dos crescidos. Parem o tempo. Quero voltar a ter onze anos, quando a única casa para a qual eu tinha de poupar era a da Barbie.

*ironia
** ironia
*** ironia
**** ironia
***** ironia (bem... quer dizer...)
****** verdade, mas só porque nunca tentei, não como ovos

296 comentários:

  1. Agora já contou, mas a partir de agora segredinho para não estragar. Vai correr bem. Só para animar multiplique o valor da prestação pelo número de meses que vai pagar. 40anos*12 meses=480 meses, 480 meses*700€=336 000€, e só pediu 200 000€:D então não é muito melhor comprar, ou se é...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Onde raios foi a Diana buscar esses cálculos? A pipoca não falou em dados concretos!

      Eliminar
    2. Pipoca eu pedi ajuda ao dr Financas e eles ajudaram imenso

      Eliminar
    3. Eu sou a gerente do banco, quem mais?

      Eliminar
    4. Excepto que juros e spread pagam-se apenas face ao capital em dívida, pelo que a prestação não é constante, mas decrescente.

      Eliminar
  2. Só espero que não seja no Alto dos Moinhos :P

    ResponderEliminar
  3. Pipoca, ainda ontem nos pedia opiniões de locais para viver e agora diz que já tem uma casa em vista?? Muito rápidos vocês! Agora, para paga, e por termos sido tão bonzinhos a indicar locais (embora praí 89,45% das pessoas tenha indicado as Colinas do Cruzeiro), no mínimo, devia-nos dizer onde é que vai comprar casa! Pronto, vá, não precisa de nos dizer o nome da rua nem o número da porta, mas a zona! Era O mínimo! :)

    ResponderEliminar
  4. Porra não comes cebola, não comes ovos, como vives tu??

    E sexo fazes? *****i-r-o-n-i-a também :P

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pipoquinha, pelo sim pelo não, pede um bocado mais de dinheiro,não vás precisar de uma protese da anca depois de umas cambalhotas com o teu homem. 😂 e muitas figas para a casa nova.

      Eliminar
    2. Ahahahahaha...!!! ao Anónimo17 janeiro, 2018 18:49.
      Top, Top

      Eliminar
  5. Vais comprar casa?? Nunca será tua verdadeiramente se não pagares IMI por exemplo penhoram te .

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. IMI só depois de paga.... daqui a 40 anos :D e condomínio.... seguro... obras no condomínio... na casa do vizinho... limpeza do prédio... porteiro... é só somar :D

      Eliminar
    2. IMI... Tem-se isenção por uns anitos, contudo não me parece que seja pelo mesmo numero de anos do empréstimo.

      Eliminar
    3. IMI só depois de paga? COMO é? XD

      Eliminar
    4. Ai jasus que eu ando a pagar IMI de uma casa que ainda não acabei de pagar!!! Anónimo, explique lá essa teoria, faxfavori!!

      Eliminar
    5. Ai paga se paga se, não se pagar era antigamente, agora IMI paga se é bem xD

      Eliminar
    6. Isso é que era bom!!!
      Isenção durante 6/7 anos, para aí, e depois já se paga, infelizmente.

      Eliminar
    7. 6/7 anos? Em Lisboa só tive isenção durante 3 anos.

      Eliminar
    8. Isenção 6/7 era no tempo das vacas gordas, agora é 2/3 anos e é com sorte porque depende do valor da casa...

      Eliminar
    9. Mas será que as pessoas não entendem que o que o banco empresta é apenas dinheiro?? As pessoas compram a casa e são proprietárias! O que o banco tem é uma garantia real - hipoteca - que, em caso de incumprimento, o faz poder "ficar com a casa". Os compradores são proprietários! Deixem-se dessa coisa de que a casa "nunca é nossa" porque a mesma é nossa desde o dia da escritura de compra e venda! Por isso é que é o proprietário e não o banco a pagar o IMI!

      Eliminar
    10. A isenção actualmente é de 3 anos

      Eliminar
    11. Isenção é durante 3 anos.

      Eliminar
    12. Anónimo18 janeiro, 2018 10:24, não, não é sua. É sua, SE... (condicional a) pagar o empréstimo até ao fim. O que só saberá se consegue ao fim de 30 ou 40 anos.

      Eliminar
    13. Cara anónima das 11:35. A casa é SUA! A partir da escritura a casa e sua! Nem a volta a dar. O contrato que faz com o banco é um contrato de mútuo com hipoteca. Ou seja, o mútuo não é mais do que um empréstimo. A venda é feita pelo vendedor, logo, a casa fica registada em seu nome, podendo ser penhorada, vendida, arrendada (casos em que provavelmente terá de haver consentimento do banco), quiçá, até destruída! A casa é sua e exerce sobre ela o inerente direito de propriedade.

      Eliminar
    14. Nem todas as casas estão isentas de IMI!

      Eliminar
  6. Eu tenho 27 anos e comprei a minha primeira (e provavelmente última) casa há um mês. Casa essa que vou ficar a pagar até ter uns 67 anos ou lá o que é. E também tive que pôr todas as minhas poupanças e mais algumas na entrada. Dói, dói mesmo muito, mas pronto, ao menos cada renda que pagamos é para uma casa mesmo nossa. Sendo que quando a acabarmos de pagar já teríamos comprado umas 10 a pronto. Mas adiante. É espectacular ter uma casa só nossa :D (É tentar acreditar nisto!)

    ResponderEliminar
  7. Voltei ao Sexo e a Cidade, quando a Carrie tentou um empréstimo no banco para comprar a casa! Com todo o dinheiro que tinha gasto em sapatos dava para pagar a entrada! Queres malas e sapatos??? Agora aguenta! (Estou a brincar! Tudo a correr bem!)

    ResponderEliminar
  8. Tenho 27 anos e comprei uma casa de 200mil e só me faltam 100 mil euros. Ehehrrehheeh todas as minhas economias eu abato na casa e em vez de ter uma prestação suave agora optei por uma prestação mais alta pk neste momento da minha vida posso. Aos 35 tenho a casa paga. E depois aí e só curtir

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Caramba! Faço 27 este ano e só comecei a trabalhar há ano e meio :P

      Eliminar
    2. Pois mas eu trabalhava e estudava a noite.

      Eliminar
    3. Comprei com o meu marido o ano passado a pronto uma de 250 mil (temos 30 anos) gastámos todas as nossas poupanças nela (ficámos com a conta quase a zeros mesmo) e os nossos pais emprestaram-nos o restante. Em 5 anos pagamos-lhes tudo de volta (a transferir mensalmente o que pagávamos antes de renda), com a vantagem de não ter créditos e de ter efectivamente comprado a casa pelo preço que estava à venda (e não por x% mais com juros, seguros, comissões, etc).

      Eliminar
    4. Isso é ter muita sorte. Quem dera

      Eliminar
    5. Tenho 37 anos, juntei dinheiro durante 8 anos, comprei uma casa, pedi metade do valor de empréstimo, houve bronca no banco e quando comecei efectivamente a pagar(há 3 anos atrás) já só faltavam dois terços do valor pedido. Todos os anos vou ao banco e abato na dívida, começo o ano seguinte apenas com os dois ordenados na conta, pro ano acabo de pagar... Cada um tem as suas prioridades e respeito quem prefere alugar, mas para mim nada vale mais que ter a nossa casa (honestamente não tenciono viver noutro local, adoro a santa terrinha) e não ter dívidas.

      Eliminar
    6. Anónimo das 22.30 se comprou a pronto bem podia ter negociado o valor, se quem pede empréstimo negoceia sempre, quanto mais a pronto, onde a escritura é muita rápida e o vendedor não está dependente de uma avaliação do banco positiva, o valor de venda pode ser sempre negociado, eu pelo menos nunca comprei uma casa pelo seu valor de venda!

      Eliminar
  9. Como tudo na vida sao opcoes.tenho 32 anos e comprei agora com o meu marido uma casa por 230.000€ a pronto. Para mim era impensavel pedir credito e ficar a dever prestacoes ao banco.e se fico desempregada?e se tenho um problema de saude? Nao ia conseguir viver com isso.se tivesse um ordenado mais baixo teria comprado um apartamento mais barato ou continuava a arrendar (actualmente pagamos 350€ por um T3). Mas claro q isto significa q durante muitos anos poupei tudo o que podia,e muitas pessoas diziam q eu nao vivia a vida em condicoes,q era forreta e tal.por ex tenho um colega com um nivel salarial ate maior que o meu mas paga 3 emprestimos ( de 1 apartamento, de 1vivenda e de 1 carro xpto de 60.000€). Sao opcoes de vida. Com isto nao quero criticar os outros, mas mostrar q mts vezes o pedir credito é uma consequencia de outras opcoes de despesa q se fazem. (Ps: nao, obviamente nao moro em lisboa, q la as casas sao mais caras, eu sei, isto é preço de pequena cidade do Norte)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Adoro gente que não se toca...

      Eliminar
    2. Mesmo para quem compra casa a crédito, existem seguros que garantem as situações de desemprego,
      Morte ou doença.

      Eliminar
    3. Mas olhe que eu tenho 32 anos e não ganhei 230000€ quanto mais poupar .. é uma felizarda :)

      Eliminar
    4. Desculpe a pergunta, mas ganha o salário médio português? Não veja isto como uma crítica, mas é de louvar com essa idade ter conseguido pagar a pronto, tendo em conta as despesas "normais" de uma vida (renda, saúde, comida, internet, transporte, etc).

      Eliminar
    5. As pessoas ao longo da vida vão recebendo dinheiro. No batizado, nos aniversários, no casamento etc etc. basta querer mto uma coisa para isso acontecer.

      Eliminar
    6. As pessoas ao longo da vida vão recebendo dinheiro. No batizado, nos aniversários, no casamento etc etc.

      Eliminar
    7. Comprei com o meu marido, ou seja eu paguei metade, portanto 115.000€. Comecei a ganhar 1000€ e agora ganho 1400€ (liquudos). Quanto a despesas morei com os meus pais ate me casar aos 28 anos, portanto nao pagava renda nem tinha grandes despesas com habitacao ( so pagava as despesas tipo de saude, carro, roupa, saídas,...). É por isso q falo de opcoes: tenho colegas q preferiram ir p lisboa, q la os salarios sao mt maiores e q agora ganham quase 2000€. É verdade, mas os custos pelo q vejo tb sao maiores. Eu pude poupar ficando a morar com a familia.


      E para o anonimo das 20:41 nao percebi o seu comentario. Quer desenvolver? Ou foi so atirar uma posta de pescada sem sentido?

      Eliminar
    8. Oh sim, até imagino a anónima das 19:36 a receber 30 paus da avózinha no 15* aniversário e a pensar "ah, este vai direitinho para o mealheiro, porque aos 30 tenho de comprar a minha casa de sonho a pronto!". Acredito que seja uma questão de boa gestão e muita poupança, mas também acredito que haja uma grande ajuda a nível familiar (nem que seja ao ter os estudos universitários pagos, não ter pago rendas e vivido sempre em casa dos pais etc etc). Mas que bom para si! Felicidades na casa nova!

      Eliminar
    9. Vão? Eu só recebo dinheiro mesmo da entidade patronal.

      Eliminar
    10. Anonima das 22:08 engana-se redondamente :-)

      Todo o dinheiro que recebi foi guardado. Repito: todo! Foi uma questao de educacao dos meus pais: as minhas prendas de batizado e 1a comunhao foram logo para certificados de aforro dos ctt. E eu fiz sempre o mesmo: tudo o que juntava la ia para os ctt. E depois de 3 em 3 meses la vinha o extracto com o dinheirinho a aumentar c os juros. Claro q essa nao foi a principal fonte do meu dinheiro, mas foi o empurrao inicial e foi o habito q se criou em poupar. Mas claro q nao pensava aos 15 anos especificamente na casa, mas na ideia geral de poupar para festa de casamento, carro e mais tarde sim, aos 20 anos ja pensava na casa. Eu nasci num meio rural, portanto o objectivo de vida aqui passa por tirar um curso, arranjar emprego, casar, ter casa propria, filhos. Por isso desde cedo pensei q queria ter casa como os outros mas q queria tentar nao pedir emprestimo. Quanto á ajuda familiar, para mim, para o meio onde estou isto nao é ajuda, é o normal, é expectavel q os pais paguem o curso aos filhos e nao lhe cobrem renda nem comida enquanto eles vivem em casa. Depois ha outras pessoas como a minha irma que preferiu ir trabalhar para o Porto e obviamente la paga renda e tem mais despesas, mas isso foi uma decisao dela, poderia ter ficado em casa como eu e poupar mais. Por isso nao vejo como uma questao de ter sorte ou nao ter ajuda familiar , é mais no sentido se a pessoa aproveita ou nao essa possibilidade.

      Eliminar
    11. Eu e o meu marido trabalhamos desde os 22 anos, temos 30, sempre ganhámos à volta de 1300€ limpos cada um, poupamos em imensas coisas, mas também gastamos noutras (viagens, comer fora aos fins de semana, ir a sítios/fazer coisas, mais do que ter coisas) e também comprámos a pronto uma de 160 mil com o dinheiro que poupámos.

      Eliminar
    12. Podem achar estranho mas até começar a trabalhar, todo o dinheiro de abonos de família, aniversários, Natal... era depositado pelo meu querido Pai na minha conta bancária. Nunca pude usar um tostão, porque sempre me explicaram que era para quando "fosse grande" poder fazer o que quisesse. Hoje somos um casal de professores, ganhamos cerca de 1000€/cada, a chegar aos 40. Apesar de muitos anos a pagar rendas e andanças por meio Portugal, hoje temos 1 moradia e 2 caros pagos. Para mim, valeu a pena. E sim, é possível!

      PS - Aplicamos a mesma fórmula com os nossos filhos. Nós pagamos o que eles precisam e os € deles vão para o banco. O de 6 anos tem 15000€ no banco...

      Eliminar
    13. Tenho que dar os parabéns. Foram bastante regrados para conseguirem tanto dinheiro. Tenho que vos dar os parabéns. Eu tenho dinheiro para abater o meu empréstimo mas já ando a pensar comprar uma segunda casa a pronto para alugar. Sou da opinião que dinheiro gera dinheiro.

      Eliminar
    14. Desde que eu nasci que os meus pais também me incutiram essa lógica de poupança. Sempre puseram uma parte do ordenado numa conta para mim e só me deram acesso a ela quando fiz 21 anos. Tinha lá 25 mil. Em vez de gastar esse dinheiro, comecei a trabalhar nessa altura e apliquei a mesma lógica de poupança. Todos os meses pôr algo de parte e tudo o que é extra (subsídio de natal, de férias, reembolso do IRS, prémios de mérito da faculdade, prendas de casamento) foram directamente para lá. Hoje tenho 35 anos, 0 créditos, casa paga a pronto com o meu marido e já viajei por 45 países (nossa prioridade). Não ganhamos mal, mas também não é nenhuma fortuna (entre os mil e os 1500 líquidos cada ao longo destes anos).

      Eliminar
    15. Imaginando que começou a trabalhar aos 24, a ganhar desde sempre 1400 líquidos, até à data dá pouco mais do que aquilo que disse ter investido. Se diz que gastou dinheiro com saídas, carro, etc, não sei como poupou os 100 mil. Só se faz como algumas pessoas que conheço, que são super "poupadas" e estão sempre à espera que os outros paguem.

      Eliminar
    16. Também tiveste hipótese porque não tiveste necessidade de usar esse dinheiro para outras coisas. Os meus pais também me criaram uma conta em criança e todo o dinheiro que me davam ia para lá. Paguei parte do mestado com ele e ficou quase a zeros. Entretanto comecei a trabalhar e as primeras poupanças serviram para pagar uma pós graduação. Neste momento, estou a juntar para comprar um carro.

      Eliminar
    17. Respeito e parabenizo a vossa ideia de poupança. Eu própria, com 30 anos, também estou sozinha a comprar um apartamento a pronto no valor de 80k (2/3 poupados por mim, 1/3 oferecido pelos meus pais ao longo da minha vida). Sei exactamente o que custa ouvir em tom de crítica de outras pessoas porque não vou jantar fora sempre que me apeteça ou não saio de fim de semana cada mês ou ainda que podia ter um carro mais recente e não tenho porque sou agarrada. No entanto, permita-me fazer um comentário: No seu caso -parece-me que- não foi apenas a poupança que fez ao longo da sua vida mas um conjunto de factores (que não o seu emprego) que lhe permitiram ganhar dinheiro. Pegando no exemplo do seu filho que com 6 anos tem 15k, o que quer dizer que em média ganhou 2.500€ por ano. Vamos ser sinceras e admitir que isso não é normal. Eu se ganhasse 100euros por ano era um luxo. Com 18 anos, não devia ter 2k no banco. Isto para dizer que por vezes não é só o acto de poupar mas também uma questão de ter sorte e ter pessoas à nossa volta que permitam que a conta bancária cresça. Mas mais uma vez, parabéns por saber definir prioridades!

      Eliminar
    18. 2500€ por ano em dinheiro para uma criança não só não é normal, como é altamente anormal! Há aqui uma grande falta de noção na maioria destes exemplos de gente poupadinha. As pessoas gabarem-se de poupar o dinheiro dos outros ou conseguido à custa dos gastos dos outros (trabalhar e não sair de casa dos pais, a sério?) e acharem que são bons exemplos de alguma coisa! Qual é o problema de pedir um crédito à habitação, desde que se cumpram as prestações? É alguma vergonha? Eu pedi dois, uma hábito, a outra arrendei. A renda da segunda paga os dois créditos e ainda sobra. Em Lisboa!

      Eliminar
    19. Anónimo18 janeiro, 2018 09:30, 2.500€ por ano para uma criança não é normal porquê? São 200€ por mês. Se cada pai tirar 100€/mês do ordenado para pôr numa conta poupança do filho, dá perfeitamente. Não é normal para alguém que ganha o salário mínimo, claro. Para quem ganhe 1.000€ ou 1500€, como referiram aqui, dá perfeitamente. Eu e o meu marido ganhamos nessa ordem de valores, começámos a trabalhar aos 22 anos e estamos fora de casa dos pais desde essa idade e temos gastos fixos no valor de 2 salários mínimos. Ou seja, todo o extra que ganhamos é potencialmente poupança. Claro que, como ganhamos mais, damo-nos a certos luxos como ir comer fora aos fins-de-semana e viajar sempre que podemos. Mas a lógica é e sempre foi poupar uns 500€/mês cada um. Com isso comprámos uma casa a pronto aos 30 anos (em Lisboa). Quando tivermos um filho, vamos criar essa ideia da conta para ele e uma parte do que pouparmos vai para lá. A ideia aqui é de que não é propriamente preciso ser-se milionário ou viver à custa de outros para se poder ter os gastos que se quer. E, quanto ao crédito, não há mal nenhum em tê-lo, simplesmente o spread vai sempre variar se o contraiu por 30 ou 40 anos e vai acabar a pagar 2 ou 3 casas à custa disso, mais comissões, seguros, etc e está sempre "nas mãos" do banco. O que não é propriamente um bom negócio.

      Quanto à "sorte de ter pessoas à nossa volta que permitam que a conta bancária cresça", isso é como tudo, é preciso sorte quando se nasce. Se se nasceu numa família em que os pais sempre estudaram e trabalharam para ter ordenados nessa linha do que temos agora, somos filhos únicos e os nossos pais sempre promoveram a ideia de poupança e no-la transmitiram desde cedo, claro que é "sorte". A mesma "sorte" esperamos nós transmitir aos nossos filhos. Mas com essa "sorte" também vêm valores associados, porque se eu fosse uma estróina que iria gastar o dinheiro que os meus pais pouparam ao longo da vida em saídas à noite, estampar carros, malas e roupa, etc (como muitos fazem), eles não teriam confiado em mim para me dar essa conta aos 21 anos. E ainda hoje referem com orgulho que eu nunca toquei nesse valor e ainda o fui mas é engordando ao longo do tempo, na mesma lógica do que eles me ensinaram.

      Eliminar
    20. Minha nossa, tanta gente a comprar casas a pronto porque poupou tudo tudo tudo. Como fizeram para poupar todos os tostões? Não comeram? Viveram à conta dos pais até que idade? Tiveram uma herança? É que eu comprei uma casa de 150.000 e teve de ser com um protocolo de 100% financiamento, senão nem isso.

      Eliminar
    21. Qual o drama de trabalhar e viver em casa dos pais? Com a maioria dos empregos sendo precários, é quase inevitável.

      Eliminar
    22. Anonimo das 5:59

      Entao eu explico: 1200€ liquidos de salario sao 16800€ por ano, o que ao longo de 10 anos sao 168.000€!! Eu comecei a trabalhar aos 22 e tenho 32. Quando morava com os meus pais gastava cerca de 400€ por mes. Os meus pais nao me cobravam renda de casa, nem me faziam pagar agua, luz ou comida. Isso para mim é o normal, estranho seria que os meus pais me cobrassem dinheiro por viver com eles. So compreendo isso no caso em q os pais tinham dificuldades financeiras e os filhos obviamente têm de contribuir para as despesas da casa. Eles nao me deram nenhum dinheiro extra como vejo aqui alguns pais q colocam x por mes na conta dos filhos. Nao tinham essa possibilidade. O que eu tinha era o normal de aniversario, natal e festas religiosas (tipo batizado e profissao de fe). Ao contrario de outros miudos q ficavam c o dinheiro e gastavam , eu sempre poupei. E depois isto rende juros, portanto o valor que tinha aos 18 anos ate aos 32 anos teve um bom aumento com os juros. Por outro lado tambem tinha boas notas e ganhava premios de merito na secundaria e faculdade. Sabem q o governo da 5 salarios minimos por ano aos melhores alunos de cada universidade? ( em coimbra sao para os 40 melhores) Nao é sorte, é estudo e esforço. Assim qd comecei a trabalhar ja tinha 30.000€ na conta, por isso ate chegar aos 115.000€ aos 32 para pagar a minha parte na casa nao foi dificil. E quanto ao carro, o meu foi 4.000€ em segunda mao.claro q tive colegas q compraram carros novos, pois sao opcoes.

      Resumindo: obviamente q ha mts pessoas a ganhar salario minimo e q por muito q se esforcem nunca conseguism comprar casa a pronto. Mas tb ha mtas pessoas com salarios medios (1000 a 1500 liquidos) q poderiam faze-lo se quisessem poupar e abdicar de outras coisas. Aí é q eu digo q sao opcoes de vida.

      Eliminar
    23. Um miúdo de 6 anos tem 15000 no banco? Deprimi! Onde é que se reclama pelos parentes pobretanas que tenho?

      Eliminar
    24. Ena!! Assim, também eu! Mas, fico mais feliz em saber que gastei um balúrdio, para a florista entregar em casa de minha mãe (distante) um ramo de peónias, porque ela merece. Sempre trabalhei e estudei e fazia questão de pagar a conta da nossa mulher-a-dias, para não sobrecarregar os outros. cada um é como é. Eu não consigo poupar à conta de ninguém. Mesmo quando vou saír com o marido fico constrangida, se for ele a arcar com todas as despesas.

      Eliminar
    25. Como funcionária bancária devo dizer, com todas as letras, que há aqui muitos mentirosos.

      Eliminar
    26. Anónimo das 9.50 acabou por dizer tudo no segundo parágrafo. Há uma diferença muito grande entre "eu paguei uma casa a pronto porque poupei" e "eu paguei uma casa a pronto porque poupei E porque os meus pais pouparam também para mim". Não me vão dizer que foi com os 50 euros que a avó dava no natal todos os anos e os 500euros que cada um poupou todos os meses que conseguiram chegar aos 200k (e valores acima que muitos mencionaram). Obviamente ninguém tem de dizer de onde é que vem o dinheiro mas também não convém induzir outras pessoas em erro dizendo "consegui poupar 100k" quando na verdade 30k vêm de prendas de casamento que por sinal foi pago pelos pais, 35k vêm de poupanças e 35k vêm de depósitos/prendas/heranças dos pais. Mas isto sou eu que faço a separação de "dinheiro que eu poupei do meu ordenado" e "dinheiro que os meus pais me deram" (ver o meu comentário acima da compra da minha casa).
      Mas mais uma vez digo e reforço a ideia de que é preciso cabeça para saber controlar o que está na conta bancária, seja o que se poupa no dia a dia, seja ofertas de pessoas terceiras.

      Eliminar
    27. "Foi só com o meu trabalho"... pois. E os paizinhos a sustentarem os filhos até aos 30 não entram na equação... Não me lixem...

      Eliminar
    28. Anónimo18 janeiro, 2018 10:12, está aí acima bem explicado como fizemos. Eu e o marido trabalhamos desde os 22 e estamos fora de casa dos pais desde essa altura. Sempre ganhámos 1300€ limpos cada um. Poupamos cerca de 500€/mês cada mais todos os extras (subsídio de Natal, férias, reembolso do IRS, prémios da Faculdade, prendas de familiares quando casámos). Temos 30 e comprámos casa no ano passado. 9 anos de poupança de 500€/mês + extras = cerca de 60 mil cada um. Tínhamos 120 mil do nosso dinheiro para avançar para uma casa. Os nossos pais sempre pouparam para nós (somos ambos filhos únicos) e avançaram com os 40 mil que faltavam. Comprámos a pronto uma de 160 mil.

      E, com um salário de 1300€ a poupar 500€/mês, ainda nos sobram cerca de 300€ POR PESSOA para gastos extra todos os meses. Seja porque é preciso comprar uns óculos, seja ir comer fora ao fds, seja viajar, seja obras no telhado do prédio, dá perfeitamente.

      Eliminar
    29. Anónimo das 09.50 de hoje, a ganharem entre 1000 e 1500€, a pouparem metade cada um, comiam o quê, e moravam aonde, entre os 22 e os 30? Desculpem a minha admiração. Uma renda de 400+/-, água, luz, gás, comida, passes, medicamentos e vá roupa, como é que é possível? Não é uma crítica, pode servir como ensinamento. Fico feliz por haver tanta poupança, mas pensem que a maioria das pessoas ganha o ordenado mínimo. E mesmo quem ganha 1000€ e tenha de pagar tudo, não lhe sobra nada.

      Eliminar
    30. Morango Azul lol! Não deve ter visto nas notícias que, em 2017, metade das vendas no sector imobiliário foi feita a pronto :) e não são só estrangeiros!

      Eliminar
    31. Anónimo18 janeiro, 2018 11:19 bem verdade! Também estudei em Coimbra e ganhei prémios de mérito 3 anos consecutivos ;) 2.500€ cada um, directos para a conta poupança que os meus pais me criaram!

      E também o que me "choca" mais não é que alguém que ganhe o salário mínimo não faça estas opções (claro). É ter colegas que ganham 2 mil ou mais limpos, têm 45 anos e ainda têm a casa para pagar e só se queixam que não têm dinheiro para nada!

      Eliminar
    32. vou deixar de me incluir nos leitores da pipoca! É só gente abonada!! ganho 700 euros, o meu marido 800. Pagamos 350 de empréstimo da nossa casa. Todas as despesas de uma casa. Dois filhos, um a estudar na universidade, se tudo correr bem o mais novo ainda vai apanhar lá o irmão. Vivemos no Algarve, logo filho na universidade implica outra renda e muitaaaaas despesas. Não viajo , raramente comemos fora. Sou uma leitora fora do publico alvo , pronto .

      Eliminar
    33. Diana, respondo-lhe:

      - Vivemos 4 anos em Lisboa num t1 a pagar 450€ + 4 anos em Lisboa também num t2 a pagar 600€;
      - Durante a semana levamos sempre marmita para o trabalho/jantamos em casa. Compramos tudo no supermercado, gastamos cerca de 50€ por semana=200€/mês. Ao fim-de-semana almoçamos ou jantamos fora, mas sempre em restaurantes baratitos, gastamos cerca de 100€/mês;
      - Durante 3 anos um de nós precisou de passe (35€/mês), mas o outro conseguia ir a pé e, desde há 4 anos, que vamos ambos a pé para o trabalho e para tudo o que precisamos de tratar no dia-a-dia (vivemos no centro);
      - Água/luz/gás cerca de 50€/mês
      - Ginásio para os dois: cerca de 50€/mês
      - Consultas/medicamentos felizmente não precisamos muito, apenas duas de rotina por ano e temos seguro de saúde dos nossos trabalhos;
      - Pacote tv/telemóveis/net: 50€/mês;
      - Roupa, coisas para a casa, prendas, etc compramos sempre em promoções. Por exemplo, neste momento já não dou prendas de aniversário aos amigos (porque já não é comum fazer-se a festa com todos), mas dou aos filhos dos amigos (bebés/crianças). Tenho 5 dessas crianças que fazem anos no 1.º semestre do ano. Estou a aproveitar agora os saldos para já comprar esses presentes todos, guardo-os e vou distribuindo nas datas festivas.

      Total de gastos fixos: cerca de 1.100€/mês para 2 pessoas. Uma vez que o nosso rendimento líquido é de 2.600€/mês, temos uma poupança potencial de mais de metade.

      Eliminar
    34. Diana, eu explico: dando valores reais de 2016 ( ainda nao fiz a conta a 2017 lol )

      Salario liquido anual 19.981 ( da cerca de 1427€ por mes , pago 14 vezes). Gastei 9400€, ou seja cerca de 783€ por mes ( as pessoas as vezes esquecem q recebemos 14 vezes mas so vivemos 12 meses), ou seja a poupança do ano foi 10.581€. Tenho renda de 350€, pagamos agua, luz, gas.comida é no continente e sempre aproveitando taloes de desconto,roupa da primark e afim. Viajamos para o estrangeiro 1 vez por ano em low cost ( easyjet,pensoes bnb e a comer sandes).jantamos fora 1x por semana. Nao temos filhos e obviamente q eu estando com o meu marido ( q ganha o mesmo) as despesas sao divididas.eu gasto cerca de 100€ por mes com o meu carro em gasolina.

      Sim ja sei q ha pessoas q vivem sozinhas, q ganham salario minimo, q têm filhos p sustentar, q têm elevadas despesas de saude, etc, etc. so disse q quem tirar o curso no tempo expectavel e começar logo a trabalhar aos 22 anos, com um salario razoavel, aos 32 tendo um marido q pague os outros 50% é normal q consiga pagar uma casa. É so fazer as contas.

      Eliminar
    35. Ter ajuda familiar é tão bom! É tão bom ter os pais a pagarem-nos festas de casamento, a darem-nos entradas para a casa, a encherem-nos os frigoríficos e a pagarem-nos creches aos filhos. T
      em muita sorte em terem ajuda familiar.
      Eu não tenho qualquer ajuda, não casei (não tive quem me pagasse o casamento) e não pude comprar uma casa a pronto tendo que pedir ao banco. Choca-me que pessoas como a autora deste comentário diga: "comprei agora com o meu marido uma casa por 230.000€ a pronto. Para mim era impensavel pedir credito e ficar a dever prestacoes ao banco".

      Eliminar
    36. Que tipo de trabalho vocês têm? Na zona onde moro é rara a pessoa que ganha acima de 1000€ líquidos (incluído licenciados, infelizmente). Como não há outras alternativas, as pessoas sujeitam-se com um salário tão baixo

      Eliminar
    37. Melhor aluna de tudo desde a primária até ao doutoramento, melhores classificados (só 8) de toda a Universidade e nunca vi um tusto, zero. Mas há aqui quem quase tenha comprado casa por ter as mesmas notas que eu. No mesmo país. Boa. Afinal já não é só esforço na equação, nem poupança, nem sacrifícios, começa a ser distrito onde se nasceu, tias que se tinha, padrinhos que nos calharam, pais, agregado familiar, rifas na festa da aldeia, cabelo comprido no concurso da Pantene, Miss Escola, etc... E lembrar que estas pessoas, de 30-40 anos, se recebiam prendas monetárias no aniversário, eram valores que hoje são 5-10 euros...a não ser que viessem de famílias ricas. Porque a minha família vive muito bem e o que eu recebia de uma tia era uma nota de 500 escudos=2,5 euros!!! (hoje a mesma tia dá-me uma nota de 5 euros e é a única que me dá dinheiro). Mesmo que poupasse todo o dinheiro de aniversários desde que nasci, aos 20 anos teria uns 150 euros ahahah Mas de facto lembro-me de colegas com o escalão A mas que entre madrinhas e tias faturavam 700 euros no Natal e 1000 nos anos, devem ser os que estão a comentar agora aqui (o que também me deixava a pensar porque é que as tias não lhes ofereciam então comida já que podiam dar estas quantias, uma vez que escalão A na altura era igual ao estado ter de pagar até as refeições dos miúdos). Enfim, eu é que fui uma gastadora, quem me mandou gastar as notas de 500 escudos da minha tia, hoje até as vendia no OLX por 5 euros e rendiam quase o dobro do valor real!!

      Eliminar
    38. A conclusão que eu tiro ao ler todos estes comentários é que ou anda tudo a mentir ou então ganham salários bem elevados!!!
      Esta gente que diz que aos 30 ou antes compraram a pronto casas com valores altíssimos só podem viver às custas dos pais ou não sei.. acho altamente improvável.. se assim for então quando chegam á reforma vai ser milionários porque nunca mais na vida vai ter despesas!!!
      Eu e o meu marido a ganhar 550 euros cada um infelizmente é impossível comprar a pronto e até pedindo empréstimo vai ser muito complicado.. e até não sou exigente, a casa que vou comprar custa 100mil.
      Por muito que se tente poupar é dificil

      Eliminar
    39. Quer criticar, sim. E quando diz que é forreta, se calhar é avarenta. E há pessoas que não percebem a diferença entre uma coisa e outra. Eu conheço algumas pessoas que só conseguem sentir prazer a comer uma refeição de mcdonalds, porque qualquer coisa mais cara lhes traz sofrimento mental. E tenho muita pena das pessoas que são escravas do dinheiro. Que são autênticos tio patinhas, sem necessidade. Tinha esse objectivo da casa a pronto e ESSA compra trouxe- lhe obviamente prazer. Mas comprar uma casa a pronto não quer dizer rigorosamente nada. Há quem tenha empréstimos bancários, porque opta por não se descapitalizar. Consegue negociar juros baixos, porque tem capitais próprios como garantia bancária, e pode fazer investimentos doutra natureza. Ou pura e simplesmente ter o dinheiro disponível, sem ter que recorrer à venda da casa para fazer face a algum imprevisto. Os empréstimos bancários não são nada de espectacular. Podem ser uma execente ferramenta para nos ajudar a ganhar mais dinheiro. Felicidades na sua vida espartana.

      Eliminar
    40. Anónimo18 janeiro, 2018 13:25 se foi a melhor aluna da primária e até ao doutoramento e não está numa situação de estar a ganhar pelo menos 1.500 euros limpos (que foi o que comentámos acima que ganhamos), então algo de errado se passa consigo. Ou tirou um daqueles cursos que não dão para nada (tipo Turismo Lazer e Património), ou, se não arranja trabalho nesses valores em Portugal, já se devia ter mandado para o estrangeiro. É muito fácil desculpar o nosso insucesso e o sucesso dos outros acusando-os de "sorte", "cunhas" e "família" e nós é que somos uns coitadinhos que não têm sorte nenhuma. Olhe eu durante o meu curso fiz 3 trabalhos para me candidatar a prémios de mérito e ganhei os 3. Fiz um curso de Verão no estrangeiro com bolsa da Faculdade e sabe o que me disse o professor coordenador? Temos 3 bolsas para oferecer e só você se candidatou. A maioria das pessoas está demasiado focada na sua autocomiseração para tentar fazer algo melhor das suas vidas e procurar boas oportunidades. Então em Portugal adoram este discurso do coitadinho... somos todos salário mínimo, mães solteiras e fazemos 3h de transportes diariamente para ir trabalhar. Não querem essa merda de vida? Desejavam ter aquela que veem noutras pessoas? Então façam por isso! Ninguém o vai fazer por vocês. Trabalho desde que acabei o curso, já estive entre Portugal e o estrangeiro sempre a saltar de oportunidade em oportunidade de modo que nunca estive sequer 1 mês desempregada, mudei de casa uma série de vezes, estive longe do meu marido uns meses porque surgiu uma boa oportunidade lá fora, sempre ganhei acima dos 1300€ limpos e tenho sorte? Tenho sorte de ter uns pais fantásticos e poupados que me "sustentaram" em casa até aos 22 anos e me pagaram o curso. A partir daí fiz-me à vida e comprei uma casa sem créditos aos 30. Se quiser acreditar que isso foi tudo uma falcatrua porque, se não fosse, seria a dona de casa desesperada que você é e que isso é inevitável a toda a gente 8que não mexe uma palha, só se for).

      Eliminar
    41. Oi??? Pessoa das 14:46, que alucinação!

      "seria a dona de casa desesperada que você é" Ah??? Ahahah mas sabe ler???

      Mas eu falei do meu emprego ou de quanto ganho? Eu só disse que neste país, nem todas as universidades e escolas públicas dão prémios monetários! Algumas dão desconto nas propinas (metade) outras nem isso. Do mesmo modo, há escolas secundárias no mesmo distrito, umas dão dinheiro, outras apenas "os parabéns". E fiquei surpreendida que haja aqui quem tenha feito tanto dinheiro só por isso, que não duvido, mas há muitas universidades públicas que, na loucura, o máximo que fazem é um desconto de x% nas propinas dos melhores alunos. Mas ainda bem que disto deduz o meu emprego, o meu ordenado, a minha vida, olhe diga-me por favor se em Março ainda haverá neve na Torre para eu marcar de antecedência.

      Eliminar
    42. "(...) Ou tirou um daqueles cursos que não dão para nada (tipo Turismo Lazer e Património)(...)"
      eu tirei TLP e ganho mais de 1.000€ limpos. Não muito mais é certo mas também só comecei agora a trablhar!

      Eliminar
    43. Qt aos premios as pessoas têm de se candidatar, as vezes nao aabem mas eu andava sempre atenta a isso.

      Qd eu disse q era impensavel pedir credito, estou a dizer q para MIM era impensavel, eu preferia continuar a arrendar. É a minha opiniao sobre a minha vida, posso te-la? Q os outros peçam emprestimos cada um sabe de si, so comentei a minha vida

      Qt ás prendas da familia e padrinhos era sempre entre 25€ a 50€ por pessoa.

      Qt ao emprego comecei como auditora e agora sou directora financeira numa pequena empresa. O meu marido fez carreira academica (mestrado, doutoramento e posdoutoramento sempre com bolsas) e depois mudou p o privado para engenheiro de desenvolvimento.

      Mais alguma duvida?

      Eliminar
    44. Nota: não são certificados dos CTT, são títulos de dívida pública, que calham ser comercializados via CTT (actualmente também nas lojas do cidadão).

      Eliminar
    45. "somos todos salário mínimo, mães solteiras e fazemos 3h de transportes diariamente para ir trabalhar. Não querem essa merda de vida? Desejavam ter aquela que vêem noutras pessoas? Então façam por isso!"...
      Claramente não é mãe. Claramente vive num mundinho só seu e nem repara no que se passa à sua volta. É triste.
      Deveria aplaudir "mães solteiras e fazemos 3h de transportes diariamente para ir trabalhar", ou que têm 2 ou 3 empregos para sustentar os filhos. Não faz ideia do que isso é. Eu também não, não sou mãe solteira e vivo relativamente bem, mas sei o que é ter filhos e querer dar-lhes tudo. Acho admirável mães que o conseguem fazer sozinhas, acho mais admirável isso do que poupar (à custa ou não dos pais, não interessa, os meus também me ajudaram) 150 mil euros até aos 30 (ou lá quanto era). Os meus pais além de me ajudarem financeiramente, ensinaram-me o que era humildade e empatia, saber colocar-me no lugar do outro, valores mais importante do que os valores monetários, agradeço-lhes por isso.

      Eliminar
    46. Anónimo18 janeiro, 2018 17:53, a questão aqui é só uma: as pessoas fazem escolhas de vida ruinosas e depois admiram-se de quem está melhor que eles (pior, acusam essas pessoas de tudo e mais alguma coisa menos de mérito e sageza nas suas escolhas). O que merece sempre aplausos é a coitadinha do salário mínimo, solteira, 3 filhos para criar e 3 empregos. Não é a diretora financeira ou advogada que ganha 3x o salário mínimo e comprou casa a pronto e tem um bom pé-de-meia antes de ter filhos (se os quiser ter). Essa é certamente uma manhosa que se encostou aos pais, ou está a mentir, ou vive numa bolha, ou não sei quê. E esse pensamento é que é ridículo!

      Eliminar
  10. Comprar será sempre melhor que arrendar .. pensa que aos 64 , no meu caso , vai estar paga .. ao ser arrendada vou pagar renda toda a vida .. já pra não falar nesta coisa muito nossa , a casa fica pra minha querida filha Eduarda . Claro que vou pagar 2 casas mas o negócio dos bancos é esse mesmo , dinheiro , azar pra nós que precisamos .

    ResponderEliminar
  11. Pipoca parabéns.
    Se fosse arrendada Tb ia pagar até ao fim da vida.
    Mas se tem capacidade para fazer 12 viagens por ano (valor de entrada de uma casa) Tb terá capacidade para pagar a casa num instante. Basta querer! Felicidades.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pois, mas as viagens não são pagas pela Pipoca

      Eliminar
    2. 12 viagens é o valor de entrada de uma casa onde? No interior de Portugal?

      Eliminar
  12. Pipoca,
    É a primeira vez que me atrevo a escrever nesta caixa estranha, mas não podia deixar de o fazer.
    Trabalhei 23 anos na Banca e acredite que pior que a sensação de corda na garganta e acabar mesmo por ser enforcada pelo Senhor do Banco ��
    Pense friamente se para uma simulação tem 482 folhas, imagine quantas terá quando assinar o contrato...
    Sugiro... a ler tudo muitooooooo bem e muitas vezes, dê aos familiares chegados e amigos e caso possa a um advogado também.
    A Banca depois de estar algum tempo sem permitir acesso a crédito... Volta em grande forma,e com contratos muito bem feitos para que não volte acontecer o que se passou com esta crise....
    Tenha realmente atenção até porque depois de pagar a casa até aos 80 anos o mais certo é nem conseguir deixa la ao seu filho... Porque existe uma cláusula no contrato muito subtil que dita exactamente isso...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Gostava de saber do que fala, infelizmente conheço alguns casos de pessoas que faleceram e as casas ficaram para a mulher .. e também pessoas que acabaram de pagar o crédito e foi assim , acabou , está feito , gostei muito destes 30 anos . Gostava mesmo de saber do que fala .

      Eliminar
    2. Depende se o crédito habitação tem seguro de vida. Tendo, quando a pessoa morre a casa fica para os herdeiros. Não tendo, a casa não fica paga e a alternativa será vender a alguém próximo, mas com novo empréstimo. Infelizmente o crédito habitação é do pior onde nos podemos meter. Quando não há problemas com as casas, com desempregos ou doenças, tudo bem. Mas se houver algum destes, ou os três, não há cá seguros, tribunais, câmaras municipais, decos que ajudem.

      Eliminar
    3. Desconheço essa cláusula e gostaria que aprofundasse esse assunto.

      Eliminar
    4. ??? Mas que cláusula é essa? Numa
      Compra e venda, ainda que com mutuo, nunca vi uma cláusula de reversão de propriedade. Coisa diferente será na aquisição de direito de superfície, como já vi fazerem

      Eliminar
  13. Pipoca,
    É a primeira vez que me atrevo a escrever nesta caixa estranha, mas não podia deixar de o fazer.
    Trabalhei 23 anos na Banca e acredite que pior que a sensação de corda na garganta e acabar mesmo por ser enforcada pelo Senhor do Banco 😁
    Pense friamente se para uma simulação tem 482 folhas, imagine quantas terá quando assinar o contrato...
    Sugiro... a ler tudo muitooooooo bem e muitas vezes, dê aos familiares chegados e amigos e caso possa a um advogado também.
    A Banca depois de estar algum tempo sem permitir acesso a crédito... Volta em grande forma,e com contratos muito bem feitos para que não volte acontecer o que se passou com esta crise....
    Tenha realmente atenção até porque depois de pagar a casa até aos 80 anos o mais certo é nem conseguir deixa la ao seu filho... Porque existe uma cláusula no contrato muito subtil que dita exactamente isso...

    ResponderEliminar
  14. Não comes ovos? Mas são tãoooo bons :D

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ia-me finando com uma intoxicação alimentar, depois de ter comido um ovo estrelado. Tinha cinco ou seis anos. Depois disso nunca mais. Assim muito de vez em quando como ovo ovo cozido, mas só a clara, não gosto muito da gema. É uma vida muito triste.

      Eliminar
    2. Então... e os bitoques???? Vida muito triste, nesmooooo!

      Eliminar
  15. Eu comprei casa há 8anos. A prestação tem se mantido baixa. Vou ser sincera, se quisesse conseguiria amortizar o valor da dívida a pronto, cerca de 120.000. Neste momento não o faço porque acho que não compensa uma vez que as taxas de referência dos empréstimos estão baixas. Eu e o meu marido trabalhamos há cerca de 15 anos, com um rendimento mensal global líquido de cerca de 3.000, ele tem carro de serviço e gasolina paga, o que nos permite poupar. Contudo levo marmita para o almoço, não fumo, entre outras limitações. Ou seja, tento levar uma vida regrada mas viajo (não tantas vezes quanto quereria), alguns fds fora, bastantes refeições fora aos fds. Economizo numas coisas para gastar noutras. Não sei se é o melhor, mas é aquilo que sinto que deve ser. Tudo o que temos tem sido a sangue, suor e lágrimas.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sangue, suor e lágrimas com um rendimento líquido de 3000 euros? Experimente um rendimento líquido de 1500, por casal com um filho, aí sim, teria razões para chorar.

      Eliminar
    2. Eu quis dizer que foi tudo nosso esforço. Para ganharmos esse montante trabalhamos muito, há hora de entrada mas não há hora de saída. 12 horas por dia se for preciso, tentar ver quem vai buscar a filha ao colégio, sempre a correr e em stress . Nós também temos uma pequenina de 3 anos e quero ensinar lhe o valor das coisas. Não lhe vou dar tudo.
      Mas tenho noção que sou uma privilegiada. Não quis ofender ninguém.
      Acredito que seja um esforço enorme para pagar as despesas. E depois ainda questionam porque é que a taxa de natalidade é tão baixa em Portugal

      Eliminar
    3. experimente ser sozinho com um filho ganhar 887€ ter zero de pensao, e suportar tudo sozinha. pediatras, rendas, despesas casa, arranjos e seguros do carro, etc etc etc etc e depois piem. eu mal chego ao fim do mes quanto mais poupar pro que seja! ahahaha ha gente que nao sabe nada desta vida e ainda acha que esta mal! sabe o que lhes digo? trabalho pra ter futuro e dar futuro ao miudo. o dinheiro vai e vem. nasci em berço de ouro e ja nao estou no mesmo patamar. mas pelo menos sei ser feliz sem nada ou com tudo. e sei organizar me sem stress em qualquer situação. sejam felizes!

      Eliminar
    4. Igual por aqui só que ganho 550 e 100 de pensão em que mundo vive esta gente? Beijinhos boa sorte para si e filhote

      Eliminar
    5. Pronto, já cá faltava a habitual medição de pilinhas!
      É óbvio que ha sempre quem esteja pior do que nós. Mas devemos ficar satisfeitos por isso? É isso que nos deve motivar?!?

      Eliminar
    6. Porque que uma pessoa não pode dizer que ganha mais do que o normal sem que lhe caia gente em cima? É assim tão mau trabalhar a sério e ganhar bem? Só tem é merito próprio e sorte! Meu Deus...

      Eliminar
    7. Anónimo18 janeiro, 2018 09:29, concordo. É legítimo criticar esta senhora porque "ganha bem" (só mesmo em Portugal é que um casal que ganha 3 mil limpos é quase acusado em praça pública de ser milionário lol) e então é porque "tem sorte" e isso "não veio de trabalho dela" e não é legítimo criticar estas senhoras que se metem em opções de vida que envolvem ter filhos, estarem sozinhas a cuidar deles e ganharem o salário mínimo porquê? Olhe eu se ganhasse o salário mínimo não tinha filhos. Para depois me vir queixar que não tenho dinheiro para nada e que sofro para cuidar deles? Por favor.

      Eliminar
    8. Anónimo18 janeiro, 2018 09:53
      Excelente!

      Eliminar
    9. Não, é mau trabalhar muito, uma vida inteira, sacrificar a família e não se ter nada.

      Eliminar
    10. "estas senhoras que se metem em opções de vida que envolvem ter filhos, estarem sozinhas a cuidar deles e ganharem o salario minimo porquê?" MAS ALGUÉM COM JUÍZO TOMA UMA OPÇÃO DESTAS PARA PASSAR FOME? QUANDO SE PLANEOU O FILHO A SRA ESTARIA SOZINHA? Mas vocês vivem em que mundo? "Se ganhasse o ordenado mínimo não tinha filhos?" Felizmente quem tem menos acaba por ser mais feliz com o que tem porque dá valor a tudo o que conseguiu com muito esforço. Eu ganho menos 400€ que ganhava antes da crise. E com muita sorte, pq na minha área s´me ofereciam o ordenado mínimo. Estou a fazer outra coisa, pq tive a sorte de me escolherem. Porque senão que remédio tinha eu estar a ganhar o ordenado mínimo. O meu filho nasceu antes da crise, o que é que lhe fazia agora? Metia-o dentro da barriga outra vez?

      Eliminar
    11. Exato anónimo das 09h53, disse tudo.
      Estas pessoas não se enxergam, mesmo.
      É o típico: Estás melhor que eu? Sabes lá tu o que é sangue, suor e lágrimas...
      Claro que sabem, é o deles!

      Eliminar
    12. Deixe lá comentador, eu estou consigo. Eu e o meu marido temos um rendimento líquido mensal de cerca de €4.500.00 e ainda assim (pasmem)!tenho de fazer contas à vida!

      Eliminar
  16. Serei a única a sentir-me pobre e miserável por trabalhar sem nenhuma interrupção (desemprego) desde os 18 anos, ter 27 e não ter dinheiro para dar de entrada para uma casa quanto mais paga-la a pronto... (Antes de ler estes comentários quando pensava nos meus feitos não achava que me tivesse dado mal mas se calhar estou enganada. Tenho casa própria - a pagar ao banco - carro próprio, empresa própria, marido e 2 filhos [próprios já agora]. Enfim quem nasceu lagartixa não chega a jacaré)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Lol estou na mesma

      Eliminar
    2. Subscrevo!!!

      Eliminar
    3. Rita, tenho 24, e também trabalho desde os 18. Mas sempre tive que ajudar em casa (e continuo a faze-lo)... ainda assim, dentro do possível, tento poupar. Mas ao contrário de si não tenho casa própria (nem caminho para lá, infelizmente) nem empresa própria. Por isso, não se deu nada mal!
      Há sempre alguém pior que nós, não é verdade? Pois bem... ca estou eu lol

      Eliminar
    4. Deixa lá que eu tenho 27, carro próprio, casa própria também a pagar ao banco, estou efectiva no meu trabalho, mas não tenho marido nem filhos nem dinheiro no banco :P

      Eliminar
    5. Estamos juntas 💪🙈

      Eliminar
    6. Não Rita... não é a única. As circunstâncias da vida de cada um são muito díspares. Nem todos conseguimos ao longo da vida poupar as prendas que recebíamos... sabe-se lá o esforço que os pais faziam para nos dar todas as condições. Tenho 27 anos, eu e o meu namorado, juntos, não auferimos mais de 1500€ por mês, os dois licenciados e mestres, os dois supostamente a trabalhar na área. Com renda, passes, combustível, despesas de saúde, alimentação... pouco dá para poupar quanto mais para comprar casa ou ter filhos. Claro que em teoria todos podem poupar. Na prática, da vida de casa um, só cada um sabe.

      Eliminar
    7. Estamos juntas! Eu e o marido juntos ganhamos 1600/mês. Com renda, carro, despesas de casa e do bebé... Se conseguirmos poupar umas migalhas é milagre. E não, ainda não nos demos ao "luxo" de viajar e por aí fora...Somos os dois licenciados e mestres... é triste mas é a realidade.

      Eliminar
    8. Somos todas Ritas, com os pés no chão, felizmente. Tem que ter muito orgulho do que conseguiu. Há sempre quem esteja melhor e pior. Nós fizemos o melhor que conseguimos. E cabeça erguida. Se não houvessem lagartixas não havia jacarés. Não diga isso. Os grandes patrões de Portugal são riquissimos a pagar ordemados miseráveis. Não é a Rita que está errada.

      Eliminar
    9. "Dois filhos próprios" Ahahahahahah!! Muito bom!Oh Meu Deus,o que a Pipoca foi arranjar com a compra da casa!Faço ideia,os comentários (em casa),dos que vieram para aqui dizer que são muito poupados,tiveram uns pais muito poupados,têm tudo etc,acerca do seu pedido de empréstimo!!!Boa Sorte e Saúde para se gozar dela com a Família!

      Eliminar
  17. Uma pessoa pensa que está bem na vida aos 24 anos mas depois de ler estes comentários sinto-me uma pobretanas! Bolas, porque é que não poupei todas aquelas notas de 5€ que a minha avó me dava 😂

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Só tenho menos um ano, mas é mesmo isso!!

      Eliminar
    2. Oh Mariana, e eu eram as notas de 500$ que a minha querida avó me dava quando ia à terra dela. Mas fiquei com a técnica de fazer o seu arroz doce que vale mais que tudo.

      Eliminar
    3. Mesmo! Também tenho 24 anos e achava que estava bem na vida mas afinal :|
      Estou a pensar em todo o dinheiro que os meus padrinhos me davam no Natal e nos anos... porque é que os meus pais não o investiram em Certificados de Aforro ? PORRRQUUUUEEE ?

      Eliminar
  18. A rapariga do vestido azul18 janeiro, 2018 00:01

    Depois de ler tantos cometários de pessoal super poupado estou a entrar em depressão ao pensar que com 32 só tenho uns trocos :(

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Haja alguém como eu... e como a maioria dos portugueses!

      Joana

      Eliminar
    2. Nunca me senti tão deprimida depois de ler comentários os comentários de um post!

      Eliminar
    3. Não digo depressão, mas eu que até me achava uma pessoa poupada, acho que se calhar não poupo assim tanto... Mas pronto, isto é porque nos começamos a comparar com outros, que é o grande mal de internets, redes sociais e afins... Se calhar nem estamos assim tão mal, os outros é que calha estarem melhor (ou não, se calhar compram casas a pronto e não são assim tão felizes...).

      Eliminar
    4. E eu aqui a bater nos 32 anos e a pensar o mesmo... Chiça...

      Eliminar
  19. Noção pessoas não são rendimentos de 600€ que pagam casas a pronto e não venham com a história de que é a poupar nos CTT porque a grande maioria paga renda e contas básicas de sobrevivência e o que sobra é para esticar até ao final do mês não vá o PNEU do carro furar...por ex claro

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Há quem só possa comprar algumas coisas com o dinhero de prendas, etc. Vir aqui dizer que se poupou o suficiente para casas de 200 000 euros porque nunca gastaram o dinheiro das prendas é omitir que nunca precisaram do dinheiro das prendas para nada.

      Mas isso já não fica tão bem.

      Eliminar
    2. Omitir o quê? Nao percebi. Os meus pais sempre me deram casa, comida e roupa lavada (como se costuma dizer) e pagaram-me o curso. Logo nao precisei de gastar o dinheiro das prendas. Claro q ha pessoas q tiveram de pegar nesse dinheiro por ex para pagar o curso. Mas por outro lado eu tinha colegas q gastavam logo o dinheiro q recebiam em brinquedos, playstation, telemoveis, roupa de marca, ida a festivais, etc. É a isso q me refiro qd digo q sao opcoes. Eu nunca comprei um telemovel por mais se 25€

      Eliminar
    3. Exactactamente isso. Se tivessem tido que pagar curso, carro, vestuário e demais despesas e ainda ajudar os pais ao invés de ser sustentados por estes se calhar já não se gabavam.

      E sim, sustentados. Porque se moramos numa casa onde não pagamos água, electricidade, gás, alimentação e outras despesas básicas inerentes a uma casa, somos sustentados por quem o faz.

      Eliminar
    4. Quando foi bebe tb gastou fraldas, leite e outras coisas. Os seus pais pediram- lhe esse dinheiro de volta? No meio onde estou, na minha cultura é normal q os pais paguem curso aos filhos e os deixem morar em casa enquanto sao solteiros. Quando trabalham os filhos pagam as suas despesas proprias ( roupa, saude, ferias, carro,etc) mas nao pagam despesas da casa dis pais. A nao ser q os pais sejam mesmo muito pobres e precisem de ajuda financeira.

      E para concluir: eu nao me estou a gabar. Ha pessoas q nao têm as mesmas condicoes q eu quer familiares, quer de salario. Ha pessoas q tendo as mesmas condicoes preferem gastar em roupa, viagens, carros e estao na boa como isso. Mas depois ha pessoas q tendo as mesmas condicoes q eu, estoiram o dinheiro noutras coisas e dp vêm-m dizer ai q sorte tens, tb queria pagar a casa a pronto como tu, e essas sim irritam-me!!

      Eliminar
  20. Vá não está sozinha nessa luta, ainda devemos ser alguns.

    ResponderEliminar
  21. Acho que um post sobre poupança, alguer de casas, zonas Lisboa, vinha a calhar. Li todos os comentários, é perceptível a precariedade de uns ( na qual me encontro) e felizmente outras melhores condições. Que tal um post sobre "dicas do que deves saber aos 30" corrido de poupanças, relacionamentos tudo... gostava mesmo 🤔😊

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Muito bom! Aos 30 não, aos 23 😂😂

      Eliminar
    2. Dicas gerais para todas as idades vá

      Eliminar
    3. Sim. Também quero essas dicas. Até porque não é só comprar a casa. Há que mobilar, há que fazer face a uma série de despesas inerentes à aquisição? Como é que fazem? E que negociatas paralelas é que têm, além de vender toda a tralha no "OLX", porque a mim, dão-me sempre uma bagatela...

      Eliminar
    4. Comprar toda a tralha no "OLX" xD comprei parte da mobília no OLX e nos grupos do facebook do IKEA! Tudo a metade do preço que em loja, tudo em boas condições.

      Eliminar
  22. Bem vinda Pipoca ... ao mundo dos adultos...

    ResponderEliminar
  23. Tenho 38 anos. Casei aos 20 e um ano antes comecei a construir a minha casa, juntamente com o meu namorado, depois marido. Pedimos um empréstimo, claro...
    Hoje temos 2 filhos, a casa quase paga (faltam cerca de 40.000, 00 €) que só não pago de uma vez porque os juros estão baixissimos e prefiro manter esse dinheiro para uma eventualidade.
    Carros é que já não consigo comprar a prestações. No ano passado troquei de carro, mas paguei a pronto. Mete-me confusão andara pagar um carro que está velho quando acabar de o pagar. Preferi comprar o carro a pronto e continuar a pagar o empréstimo da casa.
    Quando me perguntam se estou arrependida de ter casado tão nova, penso no que tenho desta idade e respondo logo que não! Só assim, consegui ter aos 38 anos, um filho quase de maior idade, uma casa quase paga e carro novo (vou mudando cerca de 5/6 anos, compro novo).
    Os nossos ordenados não são muito grandes (média de 2000,00€/mês - os dois juntos), mas vivemos no norte, numa cidade pequena onde o nível de vida é mais baixo e os filhos andam em escolas publicas.
    Cada um deles já tem o seu pé de meia. Caso possa pagar-lhes os estudos - que é o que vou tentar fazer - esse dinheiro fica para eles começarem a vida deles. Mas caso eu não consiga, tenho a certeza que pelo menos a faculdade está assegurada.
    Mas sei que nem todos têm a mesma "sorte" e outros têm mais ainda.
    É assim a vida, não adianta estar a chorar com a vida dos outros.
    Eu costumo dizer que quem me dera que os meus amigos e familiares estejam melhjor que eu. Se eu precisar podem socorrer-me, se estiverem pior... nada feito.

    ResponderEliminar
  24. O que tenho visto por aqui, é uma medição de pilinhas que não fica bem a ninguém.

    No entanto, gosteria de dizer que a vida que cada pessoa vive deriva de um conjunto de circunstâncias e de escolhas que são feitas. As escolhas perduram, mas as circunstâncias podem mudar.

    Já tive colegas que tiveram trabalhos muito bem pagos, casadas e com uma vida XPTO. Agora, estão num call-center corridas a salário mínimo. Da mesma maneira que tenho amigas qUE começaram no call-center e hoje estão bem na vida...

    Não é vergonha pedir um crédito bancário aos 37, aos 40 ou aos 50 anos. Vergonha é não cumprir os contratos. Quem pode comprar a casa a pronto... Os meus Parabéns. Quem tem rendimentos que permitam ter uma vida boa, parabéns! Quem ainda não está no nível de vida que quer... Não desistam. Se há coisa que está crise da Troika me ensinou é o facto de nada ser eterno.

    A sério. Não meçam pilinhas que não vale a pena.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu sou contabilista numa empresa e tenho portanto acesso ao salario de cada um. E por conversas sei quem tem casa/emprestimo, gastos e vejo o carro q têm . O que conta nao é so o salario, ha pessoas com salarios mais altos e bem endividadas e outras com salarios mais baixos e com casa paga.por ex tenho um colega q comprou um apartamento usado, T3 por 80.000€, ou seja ele deu 40.000€ e a mulher tb. E foi a pronto e tem um salario medio na empresa. Mas poupa mt, nao viaja p fora etc. depois ha os colegas com salario superior q fartam-se de viajar, carros de topo, roupa de marca e emprestimo para vivenda de 250.000€. Pois, sao opcoes. E detesto qd as pessoas com salarios acima de 1000 liquidos dizem, ai tem mt sorte quem pode pagar a pronto. Olha, poupassem como os outros!!!

      Eliminar
    2. Caro anónimo, leia por favor o meu comentário outra vez. Eu escrevi que a vida de cada um leva é o resultado das circunstâncias e das ESCOLHAS que cada um faz. Há quem possa pagar uma casa à pronto? Porreiro!

      Escusamos é passar a vida a dar lições de economia familiar e de poupança da mesma maneira como se medem pilinhas. Só isso.

      Eliminar
    3. Curioso, já eu oiço justamente o contrário. Dizerem-me que tenho sorte por já ter visto metade mundo. Olha não comprassem a pronto, não deixassem de viver para ter uma coisa. Já agora acha que um salário líquido acima de 1000€ é uma fortuna? Sabe que isso em Lisboa é a renda de um t2? E o resto? Comida, contas, etc? Dá para poupar o quê mesmo? Mas para dar o exemplo de um T3 por esse preço, ou é uma barraca, ou vive numa terriola, logo esses 1000€ de facto devem render porque não conhece outra realidade.

      Eliminar
    4. Concordo anónimo das 12:38, a minha escolha sempre foi viajar e viver a vida com saídas, jantares fora aos fins de semana, festivais e programas com os amigos. Não tenho ainda casa própria, mas se isso implicar um dia um empréstimo de 200mil, que seja. É a minha escolha, a minha forma de gerir o meu dinheiro e o que me faz feliz. Portanto é isso mesmo, não meçam pilinhas :)

      Eliminar
    5. Na zona onde moramos é um bom T3. Eu pagava 350€ de renda por T3 e comprei uma vivenda (250m2) por 230.000€. É uma pequena cidade a 25km de Coimbra. E sim, eu sei a realidade de lisboa, estive la 6 meses a trabalhar e desisti e tenho amigos q continuam la. Financeiramente nao compensa: voces ganham mais em lisboa mas os preços tb sao mt mais caros. Aqui com 1000€, 1300€ liquidos ja se faz uma boa vida.

      Eliminar
  25. Abençoados os que conseguiram poupar e comprar as coisas a pronto. Desejo-vos a maior sorte do mundo para que assim continuem a vida fora. Eu tenho 43, sou licenciada, mestrada (antes de Bolonha, daqueles a sério) já passei por situações críticas na vida, incluindo divórcio e novo casamento. Já pedi vários empréstimos ao banco para casas e carros. Já troquei de casa várias vezes. Arrendei apenas uma vez e achei que estava a deitar dinheiro Fora pq não era minha. Era no entanto, um descanso porque não havia surpresas com despesas extra (infiltrações, canos rotos, pinturas....e mais IMI). Ainda assim preferi voltar a comprar. Pago menos de prestação do que se alugasse e é património. Será talvez a única coisa que os meus filhos vão herdar (bem, ela quer a minha roupa e sapatos...). Não sou poupada. Não dá. Vai tudo para eles e para a casa. O resto, desculpem mas gasto festivais, uma ou outra refeições fora, férias...cada vez menos, é verdade pq as despesas são sempre avultadas. Em casa não nos falta nada desde o abacate (sempre) às toalhitas para limpar o rabiosque. Os meus filhos têm dinheiro no banco que sai da nossa conta diretamente. O dinheiro que recebem em ocasiões especiais, poupam para as suas coisas ( são novos, pre adolescentes) e conseguem comprar a PlayStation, telemóvel, TV para quarto, bonecas....porque prefiro assim do que eu dar. Até porque não posso dar tudo. Vou andar nesta vida até morrer porque nem tento os jogos da sorte. Mas sinto que vamos vivendo e sei que, ainda que haja pessoas melhor do que eu, há aquelas que infelizmente lhes falta até para comer e dar aos seus filhos. Aos mais sovinas que aqui apareceram: o tio patinhas tinha muito dinheiro mas estava sozinho. Peguem nalgum do vosso dinheiro e comprem comida para uma família carenciada, ração para uma instituição de solidariedade animal ou outra causa que vos seja querida. Partilhem. Eu faço isso. Dou muito do pouco que tenho.
    Pipoca: boa sorte. É duro. De repente uma série de responsabilidades...mas vai correr bem e o Mateus vai herdar uma casa. Isso é um grande empurrão na vida. Quem não teve, sabe ao que me refiro.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Percebo e concordo com o tom do seu comentário, mas não vale a pena desmerecer as licenciaturas pós-Bolonha... é que, para quem estuda pós-acordo, não há outra escolha. Isso não significa que os seus estudos não sejam "a sério" (ainda que eu discorde do Bolonha).

      Eliminar
    2. Subescrevo na integra tudo o que escreveu. Para mim, o comentário mais sensato de todos. Parabéns!

      Eliminar
    3. Eu não tive. Sei bem o que refere. Por isso agora estou a tentar comprar. Bem haja.

      Eliminar
  26. O engraçado é ver gente nitidamente mimada que nasceu com o cu virado para a lua não viveram nada ainda , a dizer que poupou tudo , tudo , e então assim conseguiu... conseguiu porque lhe deram essa oportunidade , nunca precisou realmente desse dinheiro, se mal chega para orçamento familiar como não usar dinheiro de presentes para comprar roupa para filho...pois há vidas assim.Mas acho engraçado dizerem que conseguiram por mérito , claro com quem os banco em tudo também eu..

    ResponderEliminar
  27. Caro Anónimo das 18.53 de 17/1/2018. Fui buscar à minha cabeça loira. Casas em Lisboa decentes por 200 000€ não é fácil, eu disse decentes. Barracas há por aí muitas. Logo parti desse valor, a Pipoca falou em 40 anos. É só fazer as contas. Claro que a Pipoca não falou em mais nada e não vai falar. Mas se ela se mudar para o meu lado da cidade que não tem metro, eu depois venho aqui contar-lhe que a vejo todos os dias.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Verdade, uma casa minimamente decente em Lisboa (em termos visuais), com uns míseros 60/70m², começa ali nos 250k e já são escassas. A maioria já está ali na fasquia dos 300k.

      Eliminar
    2. Esse anónimo não existe...

      Eliminar
    3. Comprei no ano passado t2 de 80m² por 230 mil renovada há menos de 1 ano em Entrecampos. Procurem bem que podem contrar algo bom!

      Eliminar
    4. Não, não existo caro anon das 13:35h...ando apenas há meses a ver casas atrás de casas e sou eu que invento estes valores. Ou então temos conceitos diferentes daquilo que consideramos minimamente aceitável. De que me vale comprar um apartamento mais barato uns 50k numa zona que acho foleira, num prédio antigo, e todo por remodelar? Quem anda à procura de casa sabe perfeitamente quanto custa um apartamento T2 no centro de Lisboa, remodelado ou novo. Veja o exemplo do comentador das 14:36h, 230k com 80m, não é assim tão diferente dos tais 250k que referi. Também tenho visto a esse valor mas até agora nenhum que gostasse. Resta-me continuar a procurar pancientemente.

      Eliminar
    5. *pacientemente

      Eliminar
  28. Também ando a passar pelo mesmo processo...como te compreendo...

    ResponderEliminar
  29. Não percebi a maioria dos comentários.
    O post da Ana, que me fez rir porque carregado de ironia e boa disposição, acabou por me deixar indisposta com a caixa de comentários.
    A sério, minha gente, acham mesmo que alguém quer saber se compraram a vossa casa a pronto ou a prestações?
    Todos sabemos como poupar, se depois de pagas as contas sobrar dinheiro.
    Disse "se", porque conheço muita gente a quem não sobra um tostão. Prioridades ou necessidades?
    Ana, força com essa casa. :)

    ResponderEliminar
  30. Agora imagine... Uma pessoa tem 25 anos, não tem pais que ajudem em NADA, só de renda paga metade do ordenado, fora as outras despesas, por uma casa arrendada...E sabe que comprando casa, mesmo com seguros etc, a mensalidade passaria s ser mais baixa... Mas como não tem bens para garantia nem fiadores ... Nem sequer entra pra estatística no que à concessão de crédito diz respeito. Este mundo é uma Merda.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Estou exactamente nessa situação. Até temos um óptimo rendimento, mas como não tivemos uma base de suporte para trás, não temos fiadores nem garantias, e o bom rendimento só começou a ser bom há coisa de dois anos pq antes era só médio e a viver em Lisboa ao preço que custa uma renda nunca deu para grandes poupanças, não vejo grande perspectiva de conseguir um empréstimo. É frustrante pq pagaríamos de prestação muito menos do que pagamos de renda, mas como não conseguimos ou é muito difícil um crédito a 100% não vai dar.

      Eliminar
  31. Li todos os comentários e respeito todas as situações e opiniões. Não costumo comentar mas só para referir que não se pode pensar que se vai pagar até aos 65 anos a prestação. Comprei apartamento com recurso a crédito bancário para pagamento da maior parte do valor pois dei um pouquinho de entrada, todas as poupanças, pequenas, que tínhamos conseguido aos 27 anos (acho que não chegavam aos 10K), altura em que casamos. Tenho 45, vendi o apartamento o ano passado, pouco faltava para liquidar o empréstimo porque fui abatendo ao longo dos anos quando dava jeito ou compensava, por exemplo, quando as taxas de juro subiram e a prestação aumentou, peguei nalgum que tinha poupado e abati para reduzir a prestação. Marido e eu tb temos salários baixos, vivemos como escolhemos, lá está, as escolhas, as prioridades de cada um, ninguém tem nada com isso, claro. Neste momento procuramos uma pequena moradia até determinado valor, valor esse que poderíamos pagar a pronto, no entanto, vamos recorrer a crédito bancário para uma pequena parte desse valor, a intenção será de +-30% do valor total a investir será com recurso a crédito, porque não queremos ficar sem poupanças e, na eventualidade de algo correr mal, podemos sempre abater esse valor a qualquer momento. São opções. O meu contexto, comecei a trabalhar (a ser explorada :)) com 13 anos para ajudar os meus pais, estudei sempre à noite. O meu primeiro salário a sério, o mínimo, no recibo porque até aí nada, foi aos 18 anos, e depois fui vivendo. Não tive ajudas de ninguém, paguei em solteira / pagamos depois de casados sempre tudo com o nosso esforço. Estudos, carta, carro velho, casamento, etc. e até decidir casar entregava o meu salário quase na totalidade aos meus pais. O resto tentava juntar e foi assim q ao longo dos anos consegui pagar a carta, um carro velho, o 1º, juntar um pouco para dar entrada na casa. Marido ainda tinha menos que eu pois tinha que ajudar a mãe também... São vidas, e só com regra se alcança aquilo a que nos propomos. Ah, tb viajei, não tanto como gostaria, mas lá está, outras prioridades... Boa sorte a todos

    ResponderEliminar
  32. Bem-vinda AGM,
    vais ver que nem sentes nada! Agora é só a burocracia inicial e depois é pagar a renda, como sempre fizeste, mas pelo menos é o vosso "ninho".

    ResponderEliminar
  33. Ora bem, 4 coisas: 1ª adorei o seu texto fez-me dar umas boas gargalhadas! 2ª pense só que muito pior seria "pagar" uma casa ao Senhorio até aos 80 anos (ou mais se tudo correr bem) e essa sim nunca seria sua! 3ª Há uma verdade irrefutável: o banco "vive" de empréstimos. Ponto. 4ª Há coisas na vida em que não vale a pena pensar demais (isto não é não pensar de todo) são como andar de bicicleta: montar e pedalar! Boa sorte!

    ResponderEliminar
  34. Dados Pordata, 47% das famílias portuguesas têm um rendimento anual inferior a 10 000€ (dados de 2015)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ahahah. Mas falta aí a economia paralela. Quantas pessoas eu conheço q nao declaram nada ou so o salario minimo e ganham mt mais por fora. Sim claro q ha mts familias com esses valores, mas nao sao 50% dos portugueses

      Eliminar
  35. Aos 19 anos emigrei, aos 21 pedi um crédito com o meu namorado (agora marido) ao banco, para comprar um apartamento novo, não tenho vergonha nenhuma de ter pedido o crédito (é o único que temos) e também não tenho vergonha de admitir que foi graças a termos os pais dele como fiadores que nos aceitaram o crédito com menos dinheiro de entrada.
    A verdade é que há muita gente que nasce com sorte, e há outros que têm que procurar por ela. Neste momento tenho 23 anos, e sei que ainda faltam 28 para ter o crédito liquidado, se tiver dinheiro para abater é óptimo, mas se não tiver paciência, o que quero mesmo é continuar a cumprir com a minha parte todos os meses.
    Bárbara - Lemonade, we made. :)

    ResponderEliminar
  36. Meus amigos vamos todos ver videos sobre poupanças pode ser? Canal "Me Poupe" no youtube...

    Assusta-me que haja quem nem uma reserva de emergência tenha (reserva de emergência é o valor do vosso custo de vida durante 6 meses... numa conta de liquidez diária e com uma taxa de juros o mais próximo possível da inflação - para que o vosso dinheiro não esteja a desvalorizar). Nada de pensar em comprar casa a pronto se nem têm uma reserva para se alguma coisa falhar... Baby steps

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Também foi uma questão que me surgiu quando li os comentários acima cheios de contas de como conseguiram poupar cento e tal mil euros para uma casa. Deram tudo e ficaram sem nada na conta? E a reserva de emergência?

      Também vejo esse canal do youtube e passo a vida a recomendá-lo. Há aqui muitos comentadores a precisar de uma ajudinha no campo financeiro que não perdiam nada em ir espreitar :)

      Eliminar
    2. Eu fui uma das que disse acima que comprei a pronto com o marido e ficámos com a conta a zeros. A questão é que, com a nossa capacidade de aforro e com o passar de pagar uma renda para não pagar nada (nem prestação), essa capacidade de aforro tornou-se muito maior, porque a renda era o maior peso nas nossas despesas. Ou seja, apesar de termos ficado com a conta a zeros, passados 3 meses já lá temos 5 mil euros e a cada mês vamos acumular mais, por isso, quando e se alguma coisa acontecer, já teremos a reserva de novo acumulada.

      Eliminar
    3. Se tiveres uma casa paga a pronto...
      O custo de vida durante 6 meses em valores líquidos... também não há-de ser de outro mundo. lol lol

      Eliminar
    4. Eu dou uma das q vai comprar a pronto. Sobram-me 5000€, mais do q suficiente pq tal como disseram acima, deixo de pagar renda logo começo ainda a poupar mais por mes

      Eliminar
  37. Embora não concorde inteiramente com este artigo, porque naquele parágrafo que dizem que ao final de não sei quantos anso ficou mais barato arrendar esquecem-se que, ao final desses anos, um tem uma casa sua e outro não, deixo-vos aqui isto que é recente e pertinente. Acredito que quem faz estas coisas tenha pesquisado mais que eu e portanto talvez valha a pena lerem:

    http://expresso.sapo.pt/sociedade/2017-07-23-Dicas-de-poupanca-comprar-casa-ou-arrendar-

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Note que os valores de pagamento ao banco indicados nesse artigo para a opção de compra são apenas os custos com dívida e similares. Não referem o reembolso do capital emprestado. Na prática, se a casa, ao fim dos 30 anos, não tiver valorizado ou desvalorizado, o valor reembolsado será exatamente igual ao da casa e, portanto, não precisa de entrar neste cálculo (que aqui surge demasiado simplificado).

      Em geral, se a pessoa tiver de pedir dinheiro emprestado para comprar uma casa, é financeiramente melhor arrendar. Se o indivíduo puder comprar a casa com dinheiro próprio, em princípio comprar e arrendar serão financeiramente semelhantes, dependendo de se conseguir um bom negócio num ou noutro.

      Dito isto, claro que pode haver vantagens não financeiras numa opção ou na outra. Quem compra casa pode, por exemplo, fazer-lhe obras para a colocar ao seu gosto (no meu caso, esta é uma das principais razões para ter casa própria apesar de saber que arrendar poderia compensar-me ligeiramente mais). Por outro lado, quem arrenda pode mudar de casa muito mais facilmente se a sua vida ou composição familiar se alterarem.

      Não vou aqui colocar todos os elementos relevantes para a decisão financeira porque este espaço não é a isso adequado mas, dado que sou mestrado em gestão e doutorado em economia, sinto-me à vontade para dizer que já pensei no assunto e que tenho bastante confiança nas minhas conclusões.

      Eliminar
  38. Acho uma tremenda falta de consciência algumas coisas ditas aqui, conseguiram poupar porque sempre viveram em casa dos pais, onde não precisavam contribuir para nada, cama, comida e roupa lavada, quando já estão a trabalhar e têm um ordenado...não é correto (fora as poupanças que os pais lhes vão fazendo)
    Os nossos pais devem criar-nos, educar, amar, não nos faltarem com nada se possivel, ajudar, mas a partir do momento em que os filhos têm um emprego, ganham o seu próprio dinheiro, moralmente devem deixar de viver à custa dos pais, mesmo eles podendo, o dinheiro é deles, serve para eles agora descansarem, viajarem, viverem se calhar o que não viveram enquando cresciamos, nós como filhos temos que ter a responsabilidade de cuidar de nós. Falo por experiência propria e porque tenho 2 filhas, uma delas com 18, que quer ir estudar para Inglaterra, vai começar a trabalhar para isso, candidatou-se a emprestimos para estudantes, quer juntar estes meses cá e trabalhar lá, porque segundo ela, nunca lhe passaria pela cabeça que tivesse que ser eu a pagar os estudos enquanto ela tem capacidade para trabalhar, não fui eu que disse, foi ela, ela sabe que a mãe tem 2 filhas, que não é um banco e que se quer as coisas dela e pode tem que lutar, como a mãe o fez.
    Atenção que não estando a medir pilinhas, até tenho um ordenado bom, mas um dia vou querer também poder desfrutar mais da vida do que faço agora.
    Claro que estou aqui para tudo o que elas precisarem, mas filhos que vivem à custa dos pais para poderem depois viver à grande não é a minha forma de ver as coisas.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Melhor resposta!

      Eliminar
    2. Desculpe, mas eu vivo em casa dos meus pais (porque tenho contrato de trabalho a termo certo e, caso tivesse saído, provavelmente acabaria por voltar ano e meio depois) e não considero que dê muita despesa... é o gás, a água e a eletricidade (compro a minha comida), e seria por eu não viver cá que teriam outro padrão de vida.

      Eliminar
  39. Cada um nasce na família que nasce, não há volta a dar. E mesmo entre famílias da mesma "classe" as opções de cada uma são diferentes.
    Os meus pais, por exemplo, mesmo ganhando pouco mais que o smn sempre fizeram questão de nos pagarem tudo (casa, roupa, etc) até saimos de casa (saímos quando quisemos sair) e mesmo trabalhando nunca quiseram um tostão nosso.
    Mas conheço pais que mesmo tendo muito mais posses, sempre exigiram aos filhos que comtribuissem para a casa.
    São opções.

    ResponderEliminar
  40. Arrendar compensava se as rendas fossem decentes. Já valeu a pena arrendar (sem custos com IMI's, obras, condomínios, etc).
    Neste momento as rendas são absurdas e quase que se paga menos de prestação ao banco do que de renda.

    ResponderEliminar
  41. Vai para aqui um destilar de veneno e uma dor de cotovelo que até enjoa. Se há quem tenha a sorte de ter familiares que podem e querer ajudar, ainda bem! Não somos melhores porque não tivemos essa sorte e conseguimos tudo pelo nosso esforço sofrido. Até parece que a vida só tem valor se for sofrida. Ainda bem que há quem não precise de se sacrificar para ter o que quer que seja!

    Acredito que com disciplina e muito sacrifício conseguimos sempre poupar. Bem sei que há muita gente que tem salários baixos, mas mesmo nesses casos é sempre possível poupar. Não podem querer ter o mesmo que os que ganham 1000€ têm, mas ganhando 500€, e é isso que as pessoas não entendem. A questão de "ah mas eu vivo na capital e tu vives na terriola, claro que podes poupar mais" também já enjoa. São escolhas! Se querem muito poupar e ter dinheiro para pagar casas a pronto, também podem escolher viver numa terriola e não numa cidade grande. Não se façam é de coitadinhos com as consequências das vossas escolhas. Se querem viver na cidade, aceitem que vão pagar mais por isso e parem de acusar os outros que vivem nas terriolas como se tivessem a vida facilitada.

    ResponderEliminar
  42. 13:36h: E se eu um dia por qualquer fatalidade não puder pagar o IMI ( que me subiu para o triplo ) e o condomínio? A casa deixará de ser minha, e no meu caso comprei a pronto pagamento, já nem tenho divida ao banco.

    ResponderEliminar
  43. Inevitavelmente, a vida de cada um depende das escolhas que se fazem... Os meus pais conseguiram construir uma casa muito boa aos 45 anos paga por eles a pronto, mas sem dúvida com muito muito esforço e abdicaram de muita coisa para isso! Não havia férias, poucos jantares fora, nada de fins de semana aqui e ali, mas conseguiram e também conseguiram dar-me uma licenciatura a mim e à minha irmã! Logicamente que lhes devo muito, mas na realidade não sei se farei essas opções porque penso que na vida também temos que usufruir alguma coisa, os meus pais não viveram muita coisa que podiam ter vivido e não sei se essa será a minha opção de vida... Não é nada de extraordinário contrair um empréstimo para uma casa, principalmente para quem não tem rendimentos mensais por aí além, é a única forma de se poder ter uma casa, mas também é verdade que viver com a sombra de um crédito a vida toda é muito difícil...
    De qualquer forma, com 25 anos, a trabalhar há cerca de 3 anos, acho que não estou nada mal, um carro novo pago e um mestrado quase pago também e algumas viagens... São opções de vida, mas é certo que, independentemente das ajudas e oportunidades da vida, o dinheiro é de quem o poupa, não de quem o ganha!

    ResponderEliminar
  44. Também não percebo como é possivel ter comprado casa a pronto ou ter juntado dinehiro para comprar grande parte da casa aos trinta e tal anos...pelo menos casas em lisboa. Ou já se tem grande parte do dinheiro antes de começar a trabalhar, ou tem-se ajuda familiar. É impossivel poupar o suficiente para comprar uma casa ou parte desta apenas poupando parte do ordenado. Até para reunir a entrada e as despesas do processo é dificil... o que se faz para poupar tanto? Não se come? Compra-se 3 peças de roupa em 10 anos? Não se investe em formação e outras coisas necessárias? Enfim, mistérios da vida.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Caro anónimo... não é impossível. Depende de quanto se ganha e de quanto se gasta. Tenho 28 anos e acabo de comprar a minha primeira casa. Dei entrada do meu bolso, e sim... foi possível.

      Eliminar
    2. No resto do país nao sao tao caras. Comprei vivenda por 230.000€ com o meu marido. Logo tive de arranjar 115.000€ em 10 anos, sendo q comecei a trabalhar aos 22 e vivi em casa dos pais ate aos 28 anos.

      Expliquem-me uma coisa quem fala em "ajuda" da familia como se nao fosse normal. Mas os vossos pais expulsaram-vos de casa aos 18 anos? Ou sentiram-se na obrigacao de ir pagar renda e despesas p outro apartamento qd podiam ficar c os pais? Eu percebo isso qd nos casamos pq queremos ter o nosso espaço com o marido, mas sendo solteira pq haveria de ir morar sozinha???

      Eliminar
    3. No seu caso é capaz de ser mais difícil porque não sabe ler. Mas, quando aprender, leia os comentários acima e veja como se consegue. É mais fácil dizer que não se consegue do que tentar conseguir.

      Eliminar
    4. Como se os comentários acima fossem a fórmula mágica para conseguir comprar casa e que me está a escapar por completo... o valor da poupança mensal para comprar casa tem de ser alto. Considerando o pouco que se ganha em início de carreira, as despesas todas que se tem quando se sai de casa e as despesas correntes da vida que não podemos evitar, como poupar o suficiente para atingir os valores necessários para comprar? Para a grande maioria das pessoas nao acredito que seja uma questao de ser mais facil dizer que não se consegue, mas mais uma questão de as pessoas não terem como poupar o suficiente, mesmo que cortem o máximo de despesas possível. Mas claro que cada caso é um caso, e depende muitissimo do valor da casa.

      Eliminar
  45. Pipoca do meu coração escreves que é uma maravilha. Este texto está o máximo! eu quero lá saber se vais pagar a casa até aos 40 ou até aos 80, se a compras a pronto ou ás prestações, com empréstimo ou sem empréstimo. Não me interessa. desenrasca-te! Mas muitos parabéns por esse sentido de humor!
    Fã nº 1 da tua escrita.

    ResponderEliminar
  46. Adorei os comentários acima, até acho estranho que sejam pessoas que vivem num país como o nosso e que gosta de viver acima das possibilidades... Isto são pessoas que terão folhas de Excel, e as alimentam, deste os 2 anos de idade. Ora bem eu tenho a necessidade de vos apresentar uma pessoa comum, que paga a prestação da casa todos os meses, porque não poupei os escudos todos que recebi desde o berço.
    Família dava dinnheirinho e eu comprava o que os meus pais não me podiam dar, fosse um fato de treino, um blusão de penas,uns óculos de sol, umas calças de ganga de marca ou, mais tarde, uma passagem de na longínqua Espanha (era o que havia, os meus pais não faziam férias e poupavam na roupa. Tinha uma conta poupança que, quando pude, gastei em férias.

    Comecei a trabalhar depois de acabar a licenciatura, comprei um carro novo a crédito que depois vendi quando tive carro de serviço.

    Os meus pais pagaram o casamento e os presentes serviram para a entrada da casa comprada de acordo com as nossas possibilidades, que só será nossa daqui a muitos anos, porque nós defendemos que a vida é para ser vivida e não para estar preso a uma casa xpto, e isso implica ter amigos em casa, fazer férias, ir jantar fora poucas vezes mas a sítios bons,convidar pais e sogros para jantares, dar presentes melhores a familiares nossos que podem menos, passar fins de semana fora sozinhos, com filho, com pais, com sogros. Não gastamos dinheiro em televisões enormes,tecnologias de ponta, ou renovação da decoração de casa, mas gostamos de outras coisas, para as quais é preciso dinheiro.
    Escrevo este texto para exorcizar a minha vida gastadora, mas também para que as pessoas normais, que não poupam desde o batizado e não compraram casa a pronto não se sintam tão mal.
    Sónia

    ResponderEliminar
  47. Esta ideia de comprar casa também é um bocado Tuga... Lá fora ninguém tem casa...só arrendam

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E arrendam a quem? Ao espírito Santo? Alguém há-de ser o proprietário.

      Eliminar
    2. Tanta parolice. Em Inglaterra, quase ninguém compra casa em Londres porque não podem. Os preços são insanos e só quem é rico é que compra. Daí a denúncia das casas compradas por oligarcas russos e que permanecem desabitadas.

      Em relação a outros países, é só ler jornais estado-unidenses, brasileiros, franceses, etc, para parar de se dizer essa estupidez.

      Eliminar
  48. Pipoca, como quase sempre, adorei o post.
    Ri-me imenso.
    Só posso desejar boa sorte e que tudo corra bem.
    E aproveitar para deixar um pedido, mas pequenino: Casa nova, decor novo, post novos sobre decoração????
    Please ( inserir imoji de gato a fazer olhinhos de bambi).

    Quanto aos restantes comentários, não consigo mesmo perceber a raiva que tanta gente tem.

    Acho óptimo que existem pessoas que consigam poupar. Com elas gosto de aprender.
    Tenho pena, que tal como eu, existem pessoas que não são tão boas na arte da poupança e que existem pessoas que não o podem fazer pelas mais variadas razões.
    A elas, também desejo boa sorte.
    Embora não practique, a mim ensiraram que devemos tentar poupar tudo o que podermos, mas sem deixar de lado a vida.
    Como pessoa imigrada que fui durante muitos anos, vi muitos Portugueses a pouparem tudo e mais alguma coisa, chegando agora à idade da reforma e cansados, sem vida, sem nada além de histórias para contar que se resumem ao seguinte: casa -> trabalho -> casa -> trabalho.
    Uma vida inteira, filhos também e não fizeram mais nada.
    Por outro lado, também conheço pessoas que podiam poupar 50€ por mês, sem terem que abdicar de nada ( saidas com amigos, ajudar em casa, comprar roupa, etc) e nunca o fizeram e quando a vida não foi tão meiga, sem ajuda dos pais / amigos estavam mesmo sem 1 tostão.
    Há de tudo nesta vida.
    Vamos tentar aprender com quem podemos aprender algo.
    Ignorar quem não acrescenta nada à nossa vida.
    Mas nunca desejar mal aos outros. Não há necessidade.
    Pela parte que me toca, eu posso poupar alguma coisa por mês, por isso, este ano vou fazer por isso. E se chegar ao fim do ano com 200€ poupados, ficarei contente. Já é alguma coisa. Um passo de cada vez.

    S.A.

    ResponderEliminar
  49. Será que alguma alminha sabe me dizer se existe algum banco que empresta a 100%??????
    Pago uma prestação de 800 euros e queria comprar casa pk acabaria por pagar mtooooo menos.

    ResponderEliminar
  50. Comprar casa a pronto está sobrevalorizado. Tenho 32 anos, eu e o meu marido temos rendimentos de cerca de 15000 euros/mês, 3 empresas de faturação elevada e varias propriedades bem localizadas. Claro que muitas destas coisas derivam do facto dos meus pais já terem feito uma grande parte do caminho. Mas de qualquer forma tenho crédito à habitação na mesma. Porque? Comprei uma casa relativamente média para as nossas possibilidades (apartamento t3 no centro do Porto, não preciso de uma quinta em nenhures ou um solar), pago uma prestação sensata e o crédito não é necessariamente para evitar: é para gerir. Como não estou descapitalizada, posso continuar a reinvestir e vou começar o processo de aquisição de edifício para um hotel. A minha situação é muito particular. Mas ninguém é melhor que ninguém só porque compra casa e pronto e nalguns casos fazer isso pode ser mesmo estúpido.

    ResponderEliminar

Teorias absolutamente espectaculares

AddThis