Pub SAPO pushdown

O flagelo dos quatro piscas

terça-feira, outubro 18, 2016

(eu com os nervos)

Eu sei que este não é um assunto novo aqui por estas bandas, eu sei que já me queixei umas 200 vezes, mas como parece ser um tema sem resolução à vista é capaz de não ser má ideia voltar a ele. Refiro-me ao flagelo dos quatro piscas, essa arte tão nobre e tão portuguesa que consiste em deixar o carro parado na via pública enquanto se vai tratar de uma merda qualquer, atravancando o trânsito, bloqueando outras viaturas e, pior que isso, ignorando as buzinadelas insistentes para que venham tirar o carro. AHHHHHHHHHH, que nervos! Se me querem ver  pronta a matar alguém logo pela fresquinha é só fazerem-me isso, bloquearem-me o carro e deixarem-me ali 10 minutos a buzinar. Foi o que me aconteceu hoje e é o que me acontece quase sempre que tenho de sair de carro, já que a minha rua parece ser uma das eleitas para a prática do fenómeno dos quatro piscas. Há dias em que a fila de carros em segunda fila é ininterrupta, de uma ponta à outra da rua, quase sempre perante o olhar impassível da polícia, que anda sempre por ali. O trânsito fica absolutamente caótico, mas tuuuuuudo bem, não vale a pena chatearem-se a multar aquela gente toda. 

Mas bom, dizia eu que hoje foi mais um desses dias em que cheguei e... txanaaaaan, carro bloqueado por uma carrinha parada em quatro piscas.
Percebi que era um daqueles serviços que fornecem garrafões de água para escritórios, achei que tinham ido só fazer uma entrega e que não deviam demorar, por isso não buzinei logo, deixei passar uns minutos. Nada. Comecei a buzinar, assim ao de leve, e nada. Passaram mais cinco minutos (cinco minutos numa situação destas parecem 3 horas) e nada. Comecei a buzinar violentamente, já consumida pelos nervos, e nada. Um polícia veio espreitar, mas foi só mesmo isso, espreitar, quando viu que era "só" um carro em segunda fila voltou para a vidinha dele. E eu a buzinar, a buzinar. E entretanto já tinham passado mais de dez minutos e eu estava pronta a aviar lambadas em quem me aparecesse à frente.  Tinha saído de casa a horas para um compromisso e, entretanto, já estava atrasada, porque alguém me fez perder 15 minutos naquela brincadeira. 

Quando, finalmente, o homem da carrinha se digna a aparecer, a primeira coisa que me diz é "estava à espera do elevador, queria que fizesse o quê?". Pronto. Passei-me. Para já, era impossível que ele estivesse há 15 minutos à espera do elevador. Era um prédio de quatro ou cinco andares, não era um arranha-céus em Manhattan. Ele estava era a tratar lá da vidinha dele e, mesmo ouvindo buzinar, achou que não valia a pena estar a descer para enfiar a carrinha noutro sítio qualquer. E depois ainda me brinda com aquele "queria que fizesse o quê?". Comecei a explicar-lhe tudo o que eu queria que ele fizesse: que não deixasse o carro parado no meio da estrada, que não bloqueasse outros carros, que estivesse minimamente atento para ouvir eventuais buzinadelas, que se prontificasse a retirar a carrinha imediatamente assim que isso acontecesse e que, vá, na loucura, pedisse desculpa, parecia-me o mínimo. Como é óbvio, não pediu. Na verdade, calou-se enquanto eu lhe dava um sermão, já um bocado alterada por ele ser incapaz de pronunciar um simples "peço desculpa". Enfiou-se na carrinha e lá foi ele. E eis que arranco e, uns metros mais à frente, dou com ele novamente a parar em segunda fila e a sair da carrinha enquanto fumava o seu cigarrinho. Tinha lugares de carga e descarga MESMO ao lado, livres, mas, lá está, preferiu parar no meio da estrada. A senhora que estava no carro atrás dele nem queria acreditar. Começou a buzinar-lhe sem parar e abriu o vidro para lhe gritar que não podia deixar ali a carrinha, que estacionasse nos lugares de descarga. Uma vez mais, não quis saber, nem ai nem ui. Foi-se embora e nem uma palavra. O que me leva a concluir que há gente que faz disto modo de vida, num total desrespeito pelas outras pessoas. Não querem saber, estão-se a cagar, estacionam onde lhes dá jeito, ligam os quatro piscas e acreditam que isso é suficiente para poderem ficar ali tempos sem fim. E, na verdade, têm alguma razão, já que muito dificilmente são multados por isso, sabem que saem sempre impunes. 

Não estou aqui a armar-me em santa, de quando em vez também paro em segunda fila, quase sempre quando preciso de descarregar coisas à porta de casa. Mas demoro um minuto e, caso esteja a bloquear alguém, fico atenta e pronta a retirar o carro num instante. Era incapaz de ouvir alguém a buzinar e continuar a fazer o que estivesse a fazer, como se nada fosse.  Há gente na minha rua que deixa o carro em segunda fila e vai às compras! E não é ao supermercado, é mesmo a lojas de roupa. A sério??? Quantas e quantas vezes não dou por mim a entrar nas lojas das redondezas a perguntar "desculpe lá, o carro xpto é de alguém de aqui?". E lá aparece uma cabeça a espreitar de um provador e a dizer "só um bocadinho que eu já vou". Está tudo doido. Circular em Lisboa está um caos e, em grande parte, a culpa é destes estacionamentos indevidos e que deixam a cidade intransitável. Mas enquanto tanta e tanta gente continuar a achar que isto é uma cena perfeitamente aceitável, estando-se nas tintas para a confusão que provoca, tenho para mim que nada mudará. Isso e o facto de não haver um controlo mais apertado e multas nas situações mais abusivas. 

228 comentários:

  1. Pipoca nem sei por onde comece. Estou solidária contigo. O mais básico que me ocorre dizer é: mesmo com o Euromilhões JAMAIS moraria em Lisboa. Lisboa está um caos atualmente, é um trânsito infernal, é a falta de estacionamentos, são carros e pessoas por todo o lado, as ruas por vezes sujas a cheirar a xixi! Lisboa está muito Cosmopolita MAS a meu ver não está a ter arcaboiço para o ser...! Buinhos e calma :P

    ResponderEliminar
  2. Ora, Ora deixaram a Madame à espera... 5 minutinhos de espera. O meu marido faz essas descargas e descargas por ser motorista profissional e tanta vez se queixa que nas zonas de cargas e descargas estão ocupadas por carros ligeiros!! Susy

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A "madame" não esteve cinco minutos à espera, esteve QUINZE. E se a "madame" precisasse de ir a correr com um filho para o hospital ou tivesse outra emergência qualquer? Ou se, simplesmente, a "madame", que por acaso até tem o seu carro bem estacionado, não quiser ter de esperar nem sequer um minuto por alguém que está a infringir a lei? Não tem direito? Além disso, e como eu expliquei no texto, na segunda vez em que este indivíduo parou em segunda fila tinha lugares de descarga livres mesmo ao lado. Mas, simplesmente, esteve-se nas tintas para isso, preferiu deixar a carrinha em segunda fila e pronto. Acho lindo que as pessoas achem que quem defende os seus direitos está só armado em caprichoso.

      Eliminar
    2. É bem verdade!!! Tem toda a razão!

      Eliminar
    3. Estou solidária com a pipoca.
      Que nervos. Pior do que a atitude, é o facto do homem não se ter dignado a pedir desculpa.

      Eliminar
    4. Eu também sou uma "Madame"! Uma daquelas que fica louca com a falta de civismo e pior ainda com quem acha normal a falta de civismo! Não sou perfeita, longe disso, deixo o carro mal parado em dois locais onde nunca há lugar, para ir ao talho, à fruta e à farmácia (todas na mesma rua, percebe-se que não haja lugares), mas fico sempre em ânsias, à espera que buzinem e quando acontece pareço um cordeirinho a pedir desculpas e a correr. Para mim é a única coisa que se pode fazer: peço desculpa.
      Nessa mesma rua, há uns tempos, vinha eu da farmácia, com o filho doente e tendo o carro bem estacionado, apanho um carro a trancar-me a saída.
      Sabendo eu que por vezes faço o mesmo, não apitei logo, mas passou-se o tempo e apitei, apitei, apitei, apitei, apitei e nada...Passei-me e apitei tanto que veio pessoal à janela, mas a senhora quando chegou teve a lata de dizer que eu era aselha e que dava para sair! oi??? têm o carro a trancar-me, ouve apitar (mesmo à frente da frutaria onde estava) e continua a apalpar melões e tomates (isto sou eu a inventar, com os nervos) e quando chega em vez de um desculpe chama-me nomes? Eu fui muito clara e disse apenas que não conversava com pessoas mal educadas, ela com a filha pela mão mandou-me à merda.

      Eliminar
    5. descobri que também sou "madame", que chic!

      Eliminar
    6. Madame Susy: e se um dia tiver um familiar seu numa ambulância, em marcha de urgência, e se confrontar com um motorista profissional a bloquear o caminho? Durante quinze minutos e em paragem cardiorrespiratória? Tenha juízo, madame.

      Eliminar
    7. O marido da senhora que faz as "descargas e descargas" deve ser descarregador na kikas e deve ter ficado a braços com esta encomenda de mulher...

      Eliminar
    8. Oh Susy, se mete-se o "madame" onde o sol nao brilha ficava-lhe melhor!! é que perdeu uma bela oportunidade de estar calada, pois imagine lá que um dia destes ate pode ter um filho que é alergico a qq coisa e por acaso ate tem um choque anafilatico e a Susy que sai a correr de casa pq precisa de ir urgentemente ao hospital tem que pedir gentilmente ao seu marido que tire a porra da carrinha de 2a fila pq alguem esta a morrer... Sao so 5 min que podem fazer toda a diferença! Nao seja assim Susy!!!!!!!!! (ja agr desculpe la usar um filho seu como exemplo, mas que infelizmente pode ser um exemplo bem real!)

      Eliminar
    9. É precisamente por existir tanta alminha a pensar como esta susy (sim, com letra MINÚSCULA) relativamente a este assunto e outros que tal que o nosso lindo país está como está! Civismo, respeito, educação. Já ouviu falar?! Ah, porra!

      Eliminar
    10. Então eu devo ser mais "madame" que a Pipoca. Eu irrito-me com muito menos, por exemplo com aqueles condutores que de repente se lembram de lavar os vidros quando estão em movimento. E é só ver os 20 carros atrás a ter de fazer o mesmo, só porque uma excelência não soube fazer isso com o carro parado!
      Paula

      Eliminar
    11. Mais uma madame aqui! Da última vez foi na minha rua e também nem um pedido de desculpas. Pior, há sempre lugares, mas o senhor achou que deveria parar à porta do seu prédio e não estacionar nos lugares vagos, a 30 segundos de distância (e não, não tinha nenhuma incapacidade, nenhuma dificuldade). Quando saiu irritou-se comigo por estar a buzinar e ainda atirou um: não precisa de buzinar assim, esta rua deveria ser só para moradores. Também me passei (coisa rara, raríssima) saí do carro e expliquei-lhe que infelizmente foi necessário buzinar daquela forma porque estava com pressa e estava trancada e que também era moradora da rua e que isso não me daria o direito de trancar as pessoas que estacionavam bem e de as ignorar por minutos. Acho que ele não estava à espera, porque enfiou o rabinho entre as pernas e tirou o carro. Não há paciência. Isso e os que estacionam a ocupar dois lugares, tiram-me do meu estado zen.

      Eliminar
    12. Ora aqui está o típico pensamento do português "Quem está incomodado muda-se" não é madame susy? Ainda que quem esteja incomodado seja quem está cheio de razão como nesta situação que a Pipoca relatou.
      A falta de civismo é uma praga nacional.
      Olhe e não é preciso a "madame" ter alguma coisa urgente a fazer, é preciso é que quem acha que a rua é dele respeite o espaço dos outros.

      Eliminar
    13. O marido da Susy até pode ser motorista, mas motorista profissional....não me parece. Claro as pessoas esperam que eles façam o trabalho. LOL com cada uma...

      Eliminar
    14. D. Quero um blog: Tenha atenção à ortografia. "Metesse" e não "mete-se" e olhe lá os acentos. É que não pôs nenhum

      Eliminar
    15. Epáaa..madame? E eu tb sou lá obrigada a estar a gramar com isso e com maus motoristas? Que estipulem horário de entrega onde haja menos movimentos nas ruas, ahhhh mas nã nã não, o que?????????????? estar aberto ou estar a espera de uma carga após as 17hs? De jeito nenhum... Ora essa, estamos em Por-tu-gal!

      Eliminar
    16. Anónimo das 11:22, muito obrigado pelo reparo! Tem toda a razão? Mas olhe, fiquei tão irada com o "madame" que não me dei ao trabalho de reler o que escrevi! Mas fico feliz de saber que alguém se dá ao trabalho de ler os comentários para corrigir os erros! Afinal a nação não está perdida! :) :)

      Eliminar
    17. É muito podermos contar sempre com a Edite Estrela de serviço.
      Muito obrigada.

      Maria Francisca.

      Eliminar
  3. Pipoca por necessidade imperiosa viveria em Lisboa mas atualmente só mesmo por uma grande razão. Lisboa cheira a xixi cheira a cócó, cheira a lojas caríssimas misturadas com vagabundos nas ruas. Lisboa tem um trânsito infernal. Lisboa tem gente a cuspir para o chão. Lisboa tem locais lindos mas está overcrowed, acho que se escreve assim. Lisboa está cheia de entulho! e de obras... LOL Not!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ainda bem que é so Lisboa que "cheira a xixi cheira a cócó, cheira a lojas caríssimas misturadas com vagabundos nas ruas(...)".
      Realmente as pessoas pensam muito pouco antes de escrever. Se fizermos uma listas de cidades assim, vai ficar espantada. Vive numa redoma de vidro com internet? "LOL Not!" O que acontece é que simplesmente não olha à sua volta.

      Eliminar
    2. Vivo em Lisboa, na zona das Av. Novas e felizmente não vivo esses "filmes", porque o meu humilde prédio tem garagem. A baixa já há muito tempo que deveria ser interdita ao trânsito, excepto para residentes e transportes públicos. É o que acontece nas zonas históricas de qualquer cidade europeia e nem é preciso sair de Portugal!

      Eliminar
    3. Concordo,mas para isso era necessário que os transportes públicos funcionassem na perfeição. É que muitas vezes para quem mora fora de Lisboa compensa ir de carro e não de transportes. Entre o dinheiro que se gasta no passe de vários transportes e o tempo que se perde em transportes tendo em conta que são tantas as vezes em que nem sequer passam. Sou de Rio de Mouro e perdi a conta às vezes em que o comboio para por avarias ou se atrasa devido a estar superlotado. As vezes que esperei em outras zonas mais de 1h por um autocarro porque passando de 30 em 30 min,se um falhar só passa outro passado 30min. Quanto à falta de civismo,está cada vez pior. Cada um olha para o seu umbigo sem querer saber do que os rodeia.

      Eliminar
  4. Compreendo que em muitos sítios haja falta de estacionamento, mas as pessoas deveriam ter mais dois dedos de testa. Também já deixei o carro estacionado em segunda fila, mas, como tu, assim que oiço alguém a businar, vou logo tirar o carro. Há pessoas com muita lata e falta de bom senso.
    Beijinho* Confissões de uma Pecadora by Valentina ||
    Croquis - Home Decor

    ResponderEliminar
  5. Todos os dias, mas T-O-D-O-S os dias refilo e praguejo com esta situação dos carros em 2ª fila. É que para além de não deixarem sair do lugar os carros que estão a bloquear, revelam-se um verdadeiro inferno para a circulação. Como é que se compreende que numa avenida como é a Av 5 de Outubro, em Lisboa, existam sempre, eu repito, S-E-M-P-R-E carros em segunda fila, tornando a circulação numa verdadeira gincana - ora passa para a direita, ora tem de passar para a esquerda porque está um carro parado em 2ª fila??
    Eu costumo sempre dizer: mas quem é que estes condutores se acham e de onde é que me conhecem para ter a leviandade de achar que podem dispor de 1 minuto que seja da minha vida? É sempre SÓ um minutinho, para ir ali SÓ deixar/buscar uma coisinha, mas esse minutinho é meu!! Não tenho de o disponibilizar assim, SÓ porque as pessoas acham que o mundo gira em torno delas!
    Nota-se muito que este assunto me deixa em brasa?
    #respeitaosminutosalheios

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Passa-se o mesmo na Rua Castilho. Tem SEMPRE carros parados em 2a fila. SEMPRE!

      Eliminar
    2. E na Almirante Reis? Nunca por lá passaram e viram carros estacionados na FAICHA DA ESQUERDA?
      Já vi e várias vezes, a primeira das quais ia batendo no carro, pois nunca me passou pela cabeça que se "estacionasse" na faixa da esquerda, ao lado do separador, para fazer entrega do outro lado da rua.

      Eliminar
    3. Acho que a Av. da Igreja bate todas as ruas aos pontos. Nunca vi tanto carro em 2ª fila nem tanto condutor desesperado a buzinar. E vai para mais de 20 anos que me lembro de ser assim.

      Eliminar
    4. Veedade!a 5 de Outubro é uma vergonhaaaa sempre e um perigo

      Eliminar
    5. Célia Lopes na Almirante Reis é na faixa da esquerda para não incomodar o Eléctrico 28 😀

      Eliminar
    6. A primeira vez que vi isso na Almirante Reis fiquei de queixo caído. Acho que deve ser caso único no mundo inteiro...

      Eliminar
    7. Celia Lopes, na Av. Almirante Reis, a maior parte dos carros estacionados na faixa da esquerda pertencem aos próprios comerciantes, na grande maioria, de nacionalidade chinesa. E estão-se bem a borrifar.

      Eliminar
    8. Ai Célia Lopes, esse FAICHA até me feriu os olhos! Faixa querida. (desculpe lá, mas não resisti).

      Eliminar
    9. Faixa, Celia Lopes!!!!

      Eliminar
    10. Se tivessem lido o comentário todo, teriam visto que da segunda vez, faixa está correctamente escrito. PortantoS, se calhar (só se calhar) não vinham para aqui dar uma de letrados. Fica mal amiguinhoS.

      Eliminar
    11. Estes correctores não brincam em serviço...e nunca erram!(;

      Eliminar
    12. :) Têm razão! Obrigada!
      FAIXA DA ESQUERDA!
      Anónima, longe de mim maltratar os seus olhos :)

      Eliminar
    13. não é faixa, é via esquerda. uma faixa é um conjunto de vias.

      Eliminar
    14. Boa resposta Célia!(:
      Todas nós sabemos que os correctores ortográficos anónimos nunca erram...sempre prontos e atentos aos erros alheios...(;

      MDM

      Eliminar
    15. Os letrados repararam e' q a palavra estava mal escrita e ainda por cima em maiúsculas o' portanto!!

      Eliminar
  6. Pipoca, totalmente de acordo! Digo sempre que um dos maiores problemas de trânsito da cidade de Lisboa são os estacionamentos em 2ªfila, que parecem já ser muito consensuais. Não atrapalham apenas quem tem o carro estacionado atrás mas também quem circula na estrada (e tem que se desviar) e até as faixas BUS são utilizadas como estacionamento. Há ruas de Lisboa, como provavelmente a sua rua, em que a 2ªfila de carro já faz parte do cenário. Inaceitável! Mas o que fazer sobre isso se a polícia e a EMEL fecham os olhos?

    ResponderEliminar
  7. Em vez do sermão, teria sido mais produtivo mandares uma fotografia do sucedido para a empresa do troglodita. Talvez alguém o obrigasse a mudar de atitude.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tem razão, devia ter feito isso, com os nervos nem me ocorreu.

      Eliminar
    2. Uma vez, na Praça de Espanha, vi uma carrinha de uma empresa cujo condutor a parou em plena faixa de rodagem, saiu, comeu o seu lanche, atirou o lixo para o chão e seguiu caminho. Apontei a matrícula e a hora e enviei um e-mail para a empresa a denunciar.

      Eliminar
    3. Muito boa ideia!
      É de aplicar! 😉

      Eliminar
    4. Concordo consigo, mas sei que em alguns casos não adianta nada. Pipoca, como eu a entendo!! No Porto é a mesma coisa! Que nervos!!!!!!!!!!!!!!

      Eliminar
    5. Uma vez, também me trancaram o carro. Esperei, esperei, buzinei, esperei de novo, voltei a buzinar e nada... Saí do carro, com os nervos à flor da pele e entrei num café lá perto. Estava cheio e tive de falar alto para me fazer ouvir:
      - Está aqui o dono do carro com a matrícula nhe nhe nhe nhe?
      Um fulano qualquer, de cerveja na mão, responde:
      - Sim, é meu! Quer comprá-lo?
      Eu retorqui:
      - Não, mas quero que o vá tirar do sítio onde está, porque está a bloquear a minha saída! Mas veja lá se quer acabar a sua cerveja primeiro...
      Levantou-se logo e foi tirá-lo do sítio. Para não variar, também não me pediu desculpas.
      É só gente educada...

      Eliminar
    6. Pipoca tal já me aconteceu na minha cidadezinha de Torres Vedras. , e chamei a policia com o reboque. Já o reboque estava a chegar quando o sr. apareceu. E rebocaram no á mesma e levou multa. e depois ainda tem de pagar para levantar o carro. Acho que o sr. aprendeu a lição..

      Eliminar
    7. Passará mesmo por aí parte da solução, o pior é que o estado de exaltação da "vítima", turva-lhe a vista e a diminui-nos a capacidade de raciocínio!):
      Pessoalmente, perante situações similares, entro em modo "parafuso", parto para a agressão verbal e confesso, com ganas de "ir às ventas" ao energúmeno!

      MDM

      Eliminar
  8. É a típica falta de civismo português ao mais alto nível...
    Cris

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Exatamente!!

      Eliminar
    2. Exacto, PT no seu melhor!

      Eliminar
  9. Com todo o respeito pelos Polícias, que são muito maltratados neste país, mas por vezes só multam quando lhes apetece.
    Há uns anos, em Telheiras, não encontrei estacionamento para ir à Farmácia e deixei o carro parado em segunda fila. Eram 22h, zona residencial, não havia carros.
    Enquanto esperava que me atendessem, fiquei a olhar pela janela pra ver era preciso tirar o carro. Até que pára um carro da polícia.
    Fui ter com o Polícia expliquei que não havia lugar, mas que não estava atrapalhar o trânsito porque não havia trânsito. Ao que o Polícia me responde "A multa são 30 €". Eu pedi-lhe então que me passasse o auto de notícia e que pagaria depois a multa. E a resposta que obtenho é "Mas não tem aí 30 € e resolve-se já o assunto. Isto não é preciso auto de notícia. Pague os 30 € e fica encerrado."
    Como é óbvio, sem qualquer auto recusei pagar e o assunto morreu por ali.

    ResponderEliminar
  10. Pipoca, não é querer estar a defender a Polícia, mas julgo que nesse caso não fizeram nada porque o senhor estava (supostamente) a trabalhar. Tenho um amigo polícia que é um bocado implacável nisso das multas, mas que quando é em caso de trabalho (como seria esse) dá o desconto. O problema é que depois as pessoas abusam, como também parece ter sido o caso.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Certo, eu acho que nem 8 nem 80, e que há situações em que se pode ser um bocadinho mais complacente.

      Eliminar
    2. Vinha cá dizer o mesmo. Se se lembrar da empresa ainda vai a tempo de enviar um mail de reclamação. Não que lhe vão fazer alguma coisa a si, que já perdeu os sues 15 minutos devido à falta de civismo do Senhor. No entanto, na ausência de resposta adequada por parte da polícia (não foi um instantinho, foram 15 minutos), pode haver resposta pela entidade empregadora (ou não, pois no fundo só lhes interessa que a carga/descarga seja efectuada).

      Eliminar
    3. A polícia nunca questiona estas "pequenas" coisas, que, na vivência do dia-a-dia, se tornam grandes. Já vi homens a urinar na rua contra casas/muros, carros estacionados em 2a fila, pessoas que cospem/deitam lixo para o chão, homens que mandam bocas a mulheres que passam, altercações nas caixas de supermercado, etc e está polícia perto e não faz/diz nada.

      Eliminar
    4. Numa situação parecida até me ocorreu fazer isso mas depois... comecei a pensar se o idiota não teria filhos a depender daquele ordenado e que depois iriam passar dificuldades e desisti. Enfim, era o que ele merecia mas às vezes há histórias tão complicadas por trás.

      Eliminar
    5. Enganei-me, este comentário era mais acima, acerca das reclamações para as empresas.

      Eliminar
    6. A Suíça não é melhor do que Portugal, é diferente.
      A titulo de exemplo : conheço um individuo que foi "apanhado" pela policia a fazer xixi atrás de um arbusto. Foi detido, presente ao juiz, o qual lhe deu um raspanete e ainda pagou multa.

      Eliminar
    7. Anónimo das 16:45.
      Percebo o que quer dizer, mas a pipoca certamente também ia trabalhar. Mesmo que não fosse, não foi correto da parte do Sr, muito menos a arrogância com que a tratou quando chegou ao carro. Nada justifica a falta de civismo e educação.

      Eliminar
    8. Anónimo19 outubro, 2016 09:04, ora aí está o que eu ADORAVA que acontecesse em Portugal! Ontem à noite no meu bairro vi uma velhota a passear o seu cão, que fez cocó no meio do passeio e ela seguiu sem limpar. Chamei-a a atenção e ela só diz "ahh, não trouxe nada para limpar!" e segue caminho como se não fosse nada com ela, com o cão a urinar na paragem de autocarro. Nojo desta gente.

      Eliminar
  11. Ana, basta "tirar" a matrícula ligar à polícia e o Sr é multado. Se quiser fazer por escrito, com foto melhor ainda. O dito cujo recebe depois a multa em casa. Eu não sabia disto, mas foram os agentes que me informaram. Eu parei na passadeira, para o peão passar e a besta atras de mim chamo-me burra e ultrapassou quase atropelando o peão. Enfim ...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não basta dar informação da matrícula e passar à polícia, porque se não o que não faltaria de gente a enviar matrículas dos carros das pessoas que não gosta, inventar situações de infracção, para as pessoas serem multadas.
      A minha prima teve um acidente grave, provocado por uma ultrapassagem perigosa, ela despistou-se, houve testemunhas, havia a matrícula do carro e a polícia o que disse é que o carro em questão não podia ser identificado... Ficou em águas de bacalhau!

      Eliminar
  12. Infelizmente está meeeeesmo caótico conduzir em Lisboa!
    Bj S

    ResponderEliminar
  13. Nós vivemos na Suíça.
    O meu pai deixou o carro mal estacionado com os tais 4 piscas, numa zona onde não incomodava ninguém, para descarregar compras.
    Em menos de 10 minutos, a policia passou e foi multado em 250€. Tau.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pois mas isso é na Suíça que é um País onde as coisas funcionam, mas aqui em PT ainda estamos muitoooooooooooo atrasados!

      Eliminar
    2. Na suiça:

      5 min atraso m relação ao paquimetro : 40€
      Velocidade 50km apanhada a 64km 120€
      Aparentemente cortei passagem a uma senhora pela direita, recebi a multa em casa, nem me perguntaram nada 120€.
      Ah e aqui pagam-se as multas! Rapidamente nos tornamos condutores civilizados😉

      Eliminar
    3. Sim, eles não brincam.
      O carro estava num beco sem saída, ou seja, não estava a obstruir a passagem a ninguém.
      Ainda assim multaram, o meu pai pagou sem refilar, afinal o erro foi dele. Serviu-lhe de emenda, nunca mais o estacionou lá.
      Se as multas fossem pesadas e as autoridades competentes, a ver se não andava tudo mais na linha.
      Para gente selvagem, como foi o caso da pipoca referiu, só tratamento de choque.
      Para evitar este tipo de situações, é que, só me desloco de transportes públicos dentro da cidade. Carro, só ao fim-de-semana quando a cidade hiberna.

      Eliminar
    4. Se as coimas em Portugal fossem a 250€ cada vez que isso ocorresse e se o empregador as descontasse no vencimento do funcionário/condutor, você ia ver se não nos tornávamos rapidamente num país civilizado. Se a prevenção não resulta, a contra-ordenação resulta sempre, porque todos detestamos desperdiçar dinheiro a pagar multas! Vejam o que aconteceu com o uso dos cintos de segurança.

      Eliminar
    5. Por as leis aqui em PT serem brandas é que há estas baldas, se pagassem multas elevadas acabava-se logo o descaramento desses condutores que estacionam mal os carros, e depois nem um pedido de desculpa, e alguns ainda gozam e respondem mal aos outros. É uma tristeza o nosso País. Mas o que eu não percebo é como não copiam os bons hábitos desses países civilizados, deviam aprender com eles, e assim isto mudava.

      Eliminar
    6. Salario minimo na Suiça 3000€....

      Eliminar
    7. Informe-se! Na Suíça não ha salário mínimo.
      O rendimento mínimo que tem que ter para poder estar no país são 2000frs.(como garantia que não vai pedir ajuda social para permanecer no país.)

      Eliminar
    8. Anónimo das 15:07.

      Tal como disse o anónimo das 18:05, não existe teoricamente, um salário mínimo.
      Existem atividades para as quais existe uma regulamentação que o exige. Ex: construção; restauração...etc.
      A maioria delas não são reguladas.
      3000€ acredite que não é muito, as despesas são elevadíssimas. Ainda assim, vive-se relativamente bem.

      Eliminar
  14. Na Av Alvares Cabral acontecia segunda e terceira fila (!!), até que a polícia começou a bloquear (simmmmm a bloquear!). Foi espetacular ver a rua a ganhar largueza e o transito a circular.
    Como sempre - porque nem todas as pessoas têm bom senso - deviam aplicar isso em todo o lado. As pessoas têm de ir com mais tempo, estacionar longe e andar, paciencia. Se há abebias para isso, claro que o fazem. Eu mesma também o faço, mas à primeira buzinadela volto, e peço mesmo muitas desculpas. Assim como quando vou deixar o meu filho em casa da minha mãe, paro no meio da rua, a minha mãe vem busca-lo ao carro, algo que demora 40 segundos no total, mas lá está, se tenho um carro atrás peço mil desculpas. Os outros não têm de levar com aquilo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu e o meu namorado, onde quer que vamos, estacionamos onde é permitido, nem que fiquemos a 300m do sítio onde vamos. Depois chegamos ao sítio e é só carros em 2a fila...

      Eliminar
    2. Wow... 300m é o delirio total...

      Eliminar
    3. Anónimo19 outubro, 2016 11:21, pelos vistos, para quem faz questão de estacionar em 2ª fila mesmo em frente ao local onde quer ir, 300m é mesmo o delírio total. É que, sabe, em Lisboa nunca tive de pôr o carro mais longe que 300m do sítio onde quero ir, num estacionamento devidamente legal e sem incomodar ninguém. Mas parece que há muita gente que nem esse "esforço" faz.

      Eliminar
  15. Eu tenho uma rampa de garagem, individual, que está constantemente ocupada por pessoas que resolvem ir jantar ao restaurante da esquina e deixar o carro estacionado na minha rampa. Para essas pessoas é só 5m, para mim são 5m todos os dias, que as vezes são uma hora ou duas... Uma vez não conseguia sair da garagem e chamei o reboque (após uma meia hora de businadelas e o meu marido ter ido de taxi trabalhar) e no dia a seguir vandalizaram-me a casa. Às vezes estou a cozinhar e ouço a estacionar e lá vou à janela avisar que é uma garagem... a desculpa mais frequente é que não viram (rampa pintada a amarelo) outros é que passa se ocuparem meia rampa (a minha garagem só tem mesmo espaço para o carro entrar, dez centimetros de ocupação, o carro já não entra... Há mesmo muita falta de civismo. A última vez bateram-me no portão da garagem a tentarem estacionar na rampa e em cima do passeio...Eu acho que vou começar a fotografar e publicar no facebook para ver se ganham vergonha!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Coloquem vasos de cimento na rampa que usam para estacionamento, quando amolgarem os carros nos cimento desistem.

      Eliminar
  16. Av. Uruguai em Benfica, a segunda fila é um dado adquirido e para fazer 500 metros há sempre transito e filas por causa disto... mas lá está a descontração desta malta que estaciona em segunda fila e vai à sua vidinha é aflitiva e pior é quando chegam e nem olham nem pedem desculpa para quem está à espera. Que nervos!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Aí a desculpa é a farmácia... Quando vou nesse caminho de bicicleta nunca me posso desviar porque não é seguro para mim... E ao pé do Pingo doce?!?

      Eliminar
  17. "Circular em Lisboa está um caos e, em grande parte, a culpa é destes estacionamentos indevidos e que deixam a cidade intransitável. Mas enquanto tanta e tanta gente continuar a achar que isto é uma cena perfeitamente aceitável, estando-se nas tintas para a confusão que provoca, tenho para mim que nada mudará. Isso e o facto de não haver um controlo mais apertado e multas nas situações mais abusivas. "

    Ora aí está, concordo plenamente e esta é uma das situações de falta de civismo que mais me irritam em Lista (a par do cocó/lixo no chão)! Para mim e para o meu marido sempre será uma prioridade vivermos num local onde o carro possa estar estacionado a semana inteira e só o usarmos à noite/fins-de-semana. Porque para nós é um stress imenso andar a fazer gincanas com o carro porque a maioria dos condutores não cumpre regras e nós que cumprimos é que temos de nos chatear. Não dá. Quando vamos ao ginásio (na Avenida de Roma) ao fim-de-semana é sempre um filme de carros em 2a fila, às vezes com o condutor lá dentro a fumar ou a ler o jornal e à espera que nós sacrifiquemos o nosso carro a tentar passar entre o dele e outro estacionado. Ficam a olhar, como se não fosse nada com eles! E, se chamamos à atenção, ainda reclamam e nós é que somos os chatos! Fico passada. Então, como não posso mudar o mundo, prefiro não conduzir sequer e não me chatear. Prefiro demorar os meus 20min a pé para o trabalho (onde também tenho várias chatices, nomeadamente evitar ser atropelada na Praça de Espanha onde todas as manhãs há condutores a passar com o vermelho em passadeiras, ou a fazer marcha-atrás para cima delas com peões a passar), que ter de andar nesse stress.

    ResponderEliminar
  18. Estou a 100% nessa luta. Essa atitude só demonstra uma falta de civismo gritante. O mais grave é que num país em que se gosta tanto de multar esta atitude passa incólume aos srs agentes da autoridade.
    Este é o meu sonho: https://youtu.be/RxATFbG_aOo

    ResponderEliminar
  19. Por acaso a Pipoca não está a morar na Avenida Gomes Pereira pois não? É que essa parece a descrição do que se passa aqui todos os dias a toda a hora, mas com especial frequência ao fim de semana, já que os 4 cultos (sim 4!) que existem aqui na rua fazem as suas missas(?) quase todos ao mesmo tempo e as aventesmas que vêm para cá fazer-se de santas passam a vida a bloquear os carros da malta que cá mora e acham que têm todo o direito de o fazer! E ai de algum morador que tenha que parar atrás do carro desses fofinhos para tirar as compras e meter os sacos dentro do prédio, que eles começam logo todos enxonfrados a dizer que chamam o reboque (já vi eu uma fofa que passa a vida aqui metida num culto, que bloqueia toda a gente a toda a hora dizer isso a uma vizinha minha...). Adorava que a policia municipal (que vem cá de vez em quando fazer uma limpeza aos infractores) também viesse ao fim de semana, mas não temos essa sorte...

    ResponderEliminar
  20. Eu fico profundamente irritada com estas coisas do trânsito. Ainda hoje estava a passar na Av. Padre Cruz (eu ia na via mais à direita) e um senhor que ia ao meu lado deu o pisca da direita para sair num desvio. Problemas: já estávamos praticamente em cima desse desvio, e regra geral, quem quer sair à direita já deve estar na via à direita, para depois não passar à maluca à frente das outras pessoas. E até podia ter sido esse o caso, mas não, foi exatamente o oposto. O gajo demorou eternidades a sair completamente da via dele, e passou quase o tempo todo à minha frente a 2 km/hora. Claro que perdeu o desvio que queria, não esperava outra coisa, e aí lá acelerou para os 20 km/hora. Eu, que também queria sair num desvio mais à frente (e por isso dava-me jeitinho estar naquela via à direita) tive de o ultrapassar porque senão, a esta hora, ainda estava no carro. E se isto, que comparando com a sitação que tu descreves não é nada, já me tira do sério, nem quero pensar como seria se me tivesse acontecido o que te aconteceu.

    ResponderEliminar
  21. É ver a empresa para que esse senhor trabalha e fazer queixa.

    ResponderEliminar
  22. Loool o drama, o horror!!!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Havia de ser consigo para ver se gostava...

      Eliminar
  23. Moras na Duque d'ávila, Pipoca? Para mim, a par da 5 de Outubro; é a rua onde mais se estaciona abusivamente em 2a fila. É de arrancar o cabelo. Mas a polícia não ignora se for chamada; normalmente até dão uma desanda nos prevaricadores.

    ResponderEliminar
  24. Olá Pipoca,

    Moro em São Paulo, cidade que tem a fama (e o "proveito") de ter muito trânsito. Não é exagero. O trânsito é realmente insuportável ao ponto de serem compreensíveis atrasos a reuniões ou compromissos.
    Moro aqui há quase quatro anos e a verdade é que sempre que vou a Lisboa, fico mais irritada com o que vejo nas ruas do que aqui, em maioria graças a esses estacionamentos em segunda fila. Em Lisboa, há motoristas que inclusivamente param o carro em segunda fila em ruas com apenas uma faixa.
    Ora isto é uma coisa que pura e simplesmente não acontece em São Paulo por causa da polícia. Não há carros em segunda fila, não há carros estacionados em cima dos passeios (outra pérola alfacinha), não há passadeiras bloqueadas. Tudo porque a polícia está em cima do assunto - e bem.
    Estou solidária consigo e com a sua revolta porque eu própria fico com os nervos em franja quando vejo essas situações.

    ResponderEliminar
  25. Comigo ninguém ninguém se safa em 2ª fila. se eu buzino e em 5 a 10 minutos não aparece alguém, chamo a policia e o assunto fica resolvido. Já me aconteceu 2 vezes e a ultima estava a senhora no cabeleireiro. Teve de sair toda gadelhuda com a tinta no cabelo, tirar o carro e ainda foi multada!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Fez muito bem. :-D Adorava ver a dita cuja senhora em guedelha a tirar o carro.

      Eliminar
    2. Tenho a seguinte dúvida: ao chamar a polícia teve de lhes pagar alguma coisa? Já me disseram que em caso de acidente ou em situações como a que descreveu, temos de pagar pela deslocação da polícia.

      Eliminar
    3. Ahahah, muito bom!

      Eliminar
    4. Desculpe, mas tive de rir a imaginar a história. Acho que a lata dessa criatura suplanta qualquer outra cena que aqui tenham contado. Porque, apesar de não pintar o cabelo, tenho ideia de que é coisa muiiiiiito demorada. E deixa-se o carro em 2ª fila e com piscas ligados? Fantástico!

      Eliminar
    5. No meu cabeleireiro também é mesmo difícil estacionar. Eu vou pôr o carro num lugar legal, super longe, até ando 10 minutos a pé, mas há muitas senhoras que não, estacionam em
      2a fila, no meio da via e a bloquear carros estacionados. Depois é vê-las a correr para o meio da rua com as pratas na cabeça!

      Eliminar
    6. Se não estou em erro, isso de pagar é em relação aos reboques e paga quem está a prevaricar . Alguém pode confirmar isto?

      Eliminar
    7. Ja chamei o reboque e nunca paguei nada. Provavelmente paga o outro quando vai buscar o carro, leva com a taxa de deslocação.

      Eliminar
  26. Cláudia Azevedo18 outubro, 2016 19:02

    Pipoca, todos os dias me irrito profundamente com situações idênticas! Até já tive que mudar o percurso e tudo, antes que me desse um colapso nervoso logo às 8h00 da manhã. Eu passo a explicar o meu drama: os papás querem deixar os meninos na escola, até aqui tudo certo! E por acaso essa escola fica localizada numa rua super movimentada em Matosinhos e SÓ POR ACASO essa rua tem lugares de estacionamento quer de um lado quer do outro. Montes deles!!! Onde é que os pais param os veículos? Exacto, é isso: em segunda fila, em cima da passadeira, em cima do passeiro, em toda a parte menos nos lugares devidos para o efeito e SEM CONGESTIONAR O TRANSITO! Ok, respiro fundo e penso, bem.. vai ser só parar, dar tempo pra sair e arrancar. Engano! Vai ser parar, largar, beijar, acenar, confirmar que entra mesmo, conversar com o pai daquele e daquela que entretanto chegou, conversar com a funcionária e com o carteiro, e toda uma fila de trânsito incalculável atrás! Eu penso, mas será que sou invisível? E estes carros todos atrás de mim também? É muita falta de educação para ser verdade. Buzino sem fim, parecem nem ligar, mandam-me passar por cima, e eu só tenho vontade de parar o carro naquele mesmo instante e desatar aos socos!!!
    Não há paciência e com uma esquadra da policia a 100 metros.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Se calhar os estabelecimentos de ensino do sec.XXI também deviam contemplar estacionamento para o transporte das crianças, o problema é que continua a leccionar-se nas escolas do sr.Salazar, as quais não vêm remodelações, nem no interior nem no exterior!

      Eliminar
    2. Pois é anónimo....e quando as escolas são modernas e têm locais específicos para deixar e levar as crianças, e os paizinhos estacionam lá para ir buscar o filho, e a seguir vao fazer o seu lanchinho à pastelaria da esquina, e os pais que vêm a seguir que se lixem? Do melhor...

      Eliminar
    3. Isso acontece em praticamente todas as escolas de Matosinhos, mas a ESAG é demais (supondo pela distância que é essa ou o João de Deus). Estudei lá e de manhã por vezes tinha que fazer vários desvios entre carros, sujeita a levar uma pancada, pois a passadeira de entrada estava bloqueada.
      Gosto muito da minha terra, mas o pessoal para estacionar é terrível. Montes e montes de lugares de estacionamento, mas como andar 100 metros "causa joanetes" toca a meter tudo o carro no mesmo sítio.

      Eliminar
  27. Isso não é um mal apenas de Lisboa, é de todo o país, até localidades pequenas como a minha. Aqui há uns tempos saí de casa, entrei no carro, buzinei....e então vi o dono do carro levantar-se. De onde? Do café, esplanada, no meu prédio.Viu-me chegar, a esplanada estava a 2 metros do estacionamento de tanto, entrar, ligar o carro, buzinar, mas acabou ainda o cigarrinho e o café! Se pudesse matava o gajo, sério. Todos os dias "choro" por não ter assim um jipe velho, de ir para o monte, cheio de grelhas. Bem mais eficaz que a buzina, seria sem dúvida!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ahahahah :D eu também estou sempre a dizer que adorava ter um jipe desses! Que jeitinho me fazia!

      Eliminar
    2. É verdade! Vivi durante algum tempo nos Açores e quando não era o carro estacionado literalmente onde lhes aprouvesse, eram as vacas no meio da estrada em manhãs de nevoeiro (acho que não há cortes para os animais, pelo que vão deambulando enquanto pastam) a provocar graves acidentes.

      Eliminar
  28. Eu teria tirado a matricula e feito queixa do condutor a empresa.Afinal ele também é a imagem dessa mesma empresa. Por alguma razão algumas empresas ja tem na parte detrás dos veículos um número para o caso do condutor não ter uma condução correta.

    ResponderEliminar
  29. Pipoca, porque não "pede" à polícia actue? A situação já é inaceitável mas ver um polícia a "espreitar" e não fazer nada é ultrajante. Compreendo que estejam a trabalhar mas quando eu vou trabalhar não infrinjo as regras de trânsito. Não é desculpa. A pipoca tinha um compromisso mas podia ter o puto para levar ao hospital - porque tinha de esperar por um senhor que foi distribuir águas?
    Maria Inês

    ResponderEliminar
  30. Acho que nestes casos o "nem oito nem oitenta", quanto à actuação da polícia, não funciona. Infelizmente as pessoas só aprendem quando a carteira é afectada. Se as multas fossem elevadas, e aplicadas, as pessoas aprendiam num instante. Assim, continuamos com um perpetuar de falta de civismo.

    ResponderEliminar
  31. Penso que o que mais enerva nestas situações é mesmo quando as pessoas não pedem desculpas e ainda vêm todas chateadas e cheias de razão.

    A pior que já me aconteceu foi na baixa do Porto. Estava estacionada num lugar legal e quando ia a tirar o carro, estava completamente bloqueado. Esperamos 5 minutos, nada. Decidimos entrar nos cafés ao redor a perguntar se alguém era dono do carro, nada. Começamos a buzinar timidamente, nada. Buzinamos furiosamente, nada. Entretanto, passaram 35 minutos e começamos a ficar mesmo atrasadas para uma consulta. Digo à minha mãe que acabou a paciência, vou mesmo ligar à polícia. Enquanto o faço, ela volta a entrar no café mesmo em frente, que só tinha duas mesas ocupadas,e volta a perguntar se não sabem mesmo de quem é o carro, uma vez que vamos chamar a polícia. Nisto levanta-se uma grávida, que já lá estava quando entramos no café há meia hora atrás, e diz que o carro é dela. Pede para terminar a sobremesa e diz que depois tira o carro. Eu digo que preciso mesmo que ela tire o carro de imediato, que já perdemos 3 quartos de hora, que estamos atrasadas e não queremos ter de esperar mais 10 mins. Ela passa-se, começa a dizer que é uma falta de civismo (que irónico!), que estava a almoçar, etc, nem pediu desculpa!

    Fiquei na dúvida se eu é que estou errada por não achar correcto que se deixe o carro a bloquear outro durante pelo menos 45 mins, não se esteja com atenção, e ainda se zangue por ter de o ir retirar, nunca pedindo desculpa.

    ResponderEliminar
  32. Infelizmente é uma situação que acontece a todos. A última vez que isso me aconteceu foi mesmo à porta de casa, à noite, mas aí nem os 4 piscas tinha, porque o senhor lá terá achado que ninguém sai de casa à noite. Quando finalmente consegui descobrir de quem era o carro, lá veio o senhor e ainda me chamou de burra porque ele tinha deixado no tablier do carro o nº do prédio e do andar a avisar onde estava.
    Ouviu poucas e boas! :)

    ResponderEliminar
  33. Aqui na minha cidade já me aconteceu ambas as coisas. Já fui a uma loja e demorei mais tempo e estava um senhor a protestar. Pedi desculpa e ficou resolvido. Outra vez, queria tirar o meu carro e outro estava em segunda fila. Toquei vezes sem fim, telefonei à polícia que me disse que não tinha nenhum carro de reboque e passados 15/20m aparece-me a dona de uma loja que me pediu desculpa mas estava a atender uma cliente, ouviu-me a buzinar mas não podia sair da loja. OI? Será que não podia sair um minuto, podia até gritar de longe que não me importava.

    ResponderEliminar
  34. Isso também é coisa para me fazer "rodar a baiana"! Sou uma pessoa muito calma mas, estacionem um carro a bloquear o meu e ainda demorem para aparecer que fico a ferver logo! A melhor aconteceu-me numa rua com estacionamentos paralelos, perpendiculares à estada (acho que me faço entender). Estacionei muito bem no local apropriado, lugares vazios não faltavam, vou ao banco, demoro uns 15 minutos. Saiu do banco e está um carro estacionado perpendicularmente ao meu, ou seja, no seguimento da estrada!!!! Deve dar muito trabalho fazer a p*** da manobra para estacionar um carro! Começo a buzinar, deve ter passado um minuto mas eu já fervia... Sai a senhora de um outro banco, mete a cabeça de fora e diz "ai só mais 5min sff". Não!!! Não posso acreditar!!! Estacionamentos livres, o carro dela a impedir a minha saída, vê que estou a buzinar (não sou louca, se buzinho devo querer sair...) e diz-me aquilo?????? Já não sei o que lhe disse, mas sou do norte :) e devo-lhe ter respondido algumas caralhadas que ela ficou meia atarantada e foi logo tirar o carro! Claro que já vinha ela na direção do carro e eu ainda a disparatar "mas isto é uma vergonha, tanto estacionamento e impedem a passagem dos outros, bla bla bla" ainda devo ter ido metade do caminho a resmungar e a pensar como aquilo é possível!

    ResponderEliminar
  35. Já me aconteceu tanta vez! :)
    Deixava o carro bem estacionado e ia trabalhar.
    Quando voltava tinha sempre uma carro a bloquear-me a saída por gente que ia à estetecista ou café ali ao lado.
    Primeiro entrava e perguntava de quem era o carro e ouvia "já vai..." e vinham quando lhes apetecia e nas calmas
    Depois passei apenas a apitar ferverozamente assim que entrava no carro e passei a ouvir "está com pressa???"
    Por fim agora mal vejo o carro bloqueado ligo à GNR, explico que tenho o carro bloqueado há 30min, que buzino e ninguém aparece e que tenho o meu filho à espera de mim na escola.
    A GNR aparecia em 5min e curiosamente os donos do carros tb.
    Lá tiravam o carrinho, eu não trocava nem uma palavra com eles e lá ficavam a prestar contas aos srs. Guardas :)

    ResponderEliminar
  36. Vivemos num país onde " é tudo nosso". Não há cá respeito pelos outros, os outros é que têm de me satisfazer...
    Os famosos 4 piscas também me causam uma certa urticária. É coisa para me esfrangalhar os nervos também

    ResponderEliminar
  37. Mas vocês ainda estranham que estas coisas aconteçam no nosso País? É triste dizê-lo, mas é por estas e outras que somos um País atrasado e nem se se isto um dia vai mudar.

    ResponderEliminar
  38. Tem toda a razão, Pipoca. Não é só em Lisboa que isso acontece, parece-me um defeito nacional. Uma amiga que saiu, com muito tempo de antecedência, para um assunto de serviço com hora marcada e inadiável encontrou o carro trancado por outro em segunda fila. Esperou e esperou, buzinou e buzinou e nada. Quando se fez perigosamente tarde para ela, chamou a polícia e veio o reboque. Nessa altura, apareceu o dono do carro em causa e, de muito mau humor, disse "Podia ter esperado; eu só estava ali nas Finanças!" (como sabemos, as Finanças são serviços onde só se leva um minuto, na maior parte das vezes...). Moro junto a uma escola e, em múltiplas ocasiões, se a polícia não intervier, formam-se segundas filas nos dois sentidos com pais que só não enfiam os carros no pátio da escola porque não podem; atrapalham todo o trânsito e o movimento dos autocarros mas lá deixar o menino a uns metros da porta ou junto à passadeira onde um polícia da Escola Segura os ajudará isso é que não. Quando chove, é muito pior e lá vão de vez em quando as rampas das garagens servir de estacionamento enquanto vão buscar os infantes (nenhum com menos de 10 anos) para que não apanhem um pingo de chuva. São comportamentos completamente inaceitáveis, demonstrativos de um não saber (ou querer saber) viver com os outros. Por isso, polícia e reboque.

    ResponderEliminar
  39. Subscrevo!
    Moro ao lado de uma escola secundaria, todos os dias se instala o caos ao final da tarde quando os papas têm que ir buscar os filhos ao portão, crianças de 10º, 11º e 12º que, coitadinhos, não podem andar uns metros pela rua para permitir "esticar" a fila de trânsito... Não, é o vale tudo!
    A juntar ao caos de carros parados de qualquer modo, ainda há os pais que aproveitam para ir tomar um cafezinho, num instante!
    Tenho frequentemente carros parados à entrada da garagem, carros muitas vezes sem ninguém lá dentro! Foram já muitas às vezes em que fui dar voltas ao quarteirão para não atravancar ainda mais a rua, foram... Não são mais! Agora paro, no meio da rua, onde devo virar para a garagem e não passa ninguém! Não quero saber... Paro, buzino, até saírem da frente... Sexta-feira foram 13minutos!! Havia lugar para estacionar, mas a garagem estava bloqueada, e o senhor no cafezinho!! Farta da falta de civismo! É esta a educação que dão aos filhos!
    PS: A câmara até se viu obrigada a colocar mecos para proteger passeios, caso contrário nem a pé se passava!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. No pátio da escola? Na sala de aula!

      Eliminar
    2. Já vi nalgumas ruas mais movimentadas do Porto (exemplo de Antero de Quental em direcção a Arca d' Água) mecos na faixa bus, porque é sempre um sítio que parece bom para estacionar. As pessoas não percebem que depois o autocarro não tem onde encostar nas paragens e depois o autocarro é que tem de parar em segunda fila (uma rua que só tem uma faixa em cada sentido), e é tudo um ciclo vicioso para piorar o trânsito!

      Eliminar
  40. E por isto e mto menos que eu decidi viver no campo!Mesmo no monte!!!

    ResponderEliminar
  41. Aveiro é uma cidade bem mais pequena que Lisboa ou Porto e não há um dia que saia de carro após o trabalho que não tenha de me passar e buzinar a alguém.

    Continuo a dizer... Se em vez de andarem a espetar com radares em todo o lado para apanhar multas de velocidade, se andassem a multar a malta que comete infrações dentro de uma cidade (telemóvel, não parar em stops, fazer mal rotundas, estacionamento indevido) ganhavam MUITO mais dinheiro e andavam as cidades mais transitáveis.
    Mas é este o país pouco civilizado em que vivemos...

    ResponderEliminar
  42. Odeio, por aqui é prática constante, em ruas com uma faica para cada lado, em frente ao supermercado ou junto ao jardim do jogo de cartas. Aguardo ansiosamente o dia em que a polícia comece a multá-los a todos...

    ResponderEliminar
  43. Tem toda a razão Pipoca!! É mesmo um flagelo, e olhe que é nacional, cá por terras alentejanas, é mais para contarem as novidades.

    ResponderEliminar
  44. Há uns bons anos tive de sair de casa numa situação urgente. Cheguei ao carro e tinha uma carrinha a bloquear-me a saída. Como é recorrente no sitio em questão buzinei de imediato. A buzina do carro era estridente mas eu precisava MESMO de sair. Esperei uns largos e penosos 10 minutos quando vejo uma anta a esbracejar e grunhir qualquer coisa. Saiu do carro e pergunto se ainda acha que tem razão ao qual responde 'se está com pressa passe por cima'... escusado será dizer que foi, literalmente, o que me apeteceu fazer. Mandei-a para o 'buraco' de onde ela saiu e outras tantas 'brejeirices' que possam imaginar. Ainda hoje, cada vez que passa por mim com aquele ar de sonsa me apetece 'passar-lhe por cima'...

    ResponderEliminar
  45. Ia eu e uma amiga no meu carro numa rua com um só sentido e estreita (onde cabe apenas um carro) e lá está um senhor das descargas parado com os 4 piscas (a menos de 50 metros há um parque de estacionamento subterrâneo). Esperei 5 minutos e atrás de mim começou a formar-se fila. Pedi à minha amiga que viesse para o meu lugar, saí, entrei na carrinha, levei-a e meti-a no parque de estacionamento. Gostava de ter visto a cara do senhor quando lá chegou a não a viu. Azar. Ainda hoje me rio com isto.
    Susana Fernandes

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E assim mesmo!!! Mulher despachada!:)

      Eliminar
    2. E deixou a chave?! Até pensou nos outros, foi algo do género "se estiver a incomodar é só levar para onde quiser" ahah

      Eliminar
    3. Assim é que é! Mulher despachada!

      Eliminar
  46. Eu sou uma daquelas pessoas tontas que prefere andar 1km, mas deixar o carro bem estacionado, do que me armar em esperta e causar transtorno a alguém. Normalmente as multas ensinam chicos-espertos a ter juízo, é pena que não se apliquem nesses casos...

    ResponderEliminar
  47. Sou da raça filha da put* que não perde tempo em chamar o reboque quando tenho o carro bloqueado por outro. Isto porque eu, ao contrário destes energúmenos que não sabem estacionar, sou capaz de por o carro a 1km de distância de onde tenho que ir para não ter que o deixar em 2ª fila com os piscas. Santa paciência.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oh... Para quê chamar o reboque? Demoram mais tempo que a construção da Sé de Braga! :/

      Eliminar
    2. Mas quando se chama o reboque, e se entretanto o dono do carro aparece, quem paga o reboque?
      Tenho esta dúvida há muito tempo. 😜
      Susana

      Eliminar
  48. Só para informar de que numa situação semelhante levei uma multa de 60€ por estar a apitar na via pública... mas o palerma que me bloqueou tbm levou, menos mau!

    ResponderEliminar
  49. Onde vivo não temos esse problema, mas temos outro que para nós deve ter igual taxa de irritabilidade. De junho a setembro, aqui a terrinha fica lotada de turistas (a população triplica). Então é sair de casa pra trabalhar e encontrar os belos dos turistas a passear de carro e scooter a 10km/h, andar de bicicleta no meio da estrada (mesmo existindo ciclovia), estacionar em cima de passeios/passadeiras, cargas e descargas de passageiros em curvas/passadeiras, é uma festa! Nós adoramos ter cá pessoas, mesmo! Venham todos que nós queremos é trabalhar e Porto Santo é fantástico, perguntem à pipoca! Mas nem toda a gente por aqui está de férias, há quem tenha horários a cumprir.. diz que é a vida.

    ResponderEliminar
  50. Já me aconteceu isso várias vezes (ficar bloqueada por um chico-esperto com os 4 piscas, e ás vezes sem piscas). E eu nunca... NUNCA recebi um pedido de desculpas! Essas pessoas aparecem sempre (séculos depois de buzinarmos) todas indignadas como se elas tivessem razão.

    Já cheguei a ter de chamar o reboque para tirar o carro que me bloqueava... depois de esperar 30 minutos para tirar o carro. Mas infelizmente o reboque demorou outros 30 minutos e o chico-esperto chegou mesmo na hora, a tempo de se salvar. Sem pedir desculpa. E eu atrasadíssima para o trabalho.

    Revolta-me muito esta falta de respeito. Essas pessoas são animais que não sabem viver em sociedade.

    ResponderEliminar
  51. A "melhor" que me aconteceu foi numa zona de parque de estacionamento que existe em Alcântara por baixo da ponte. Um belo dia saio do trabalho mais cedo porque tinha uma consulta e quando chego ao estacionamento tenho o meu carro trancado. Fiquei logo em brasa... buzinei vezes sem conta até que 15 minutos depois aparece uma alma que foi só fazer não sei o quê não sei aonde... Que raiva...

    ResponderEliminar
  52. A mim deixa-me doida pessoas que estacionam e ocupam metade do passeio com a sua mega carrinha (que não foi feita para aquele lugar) e depois uma cadeira de rodas ou uma mãe com carrinho de bebé tem de ir para a estrada para passar.. Falta de civismo..

    ResponderEliminar
  53. Lisboa é uma porcaria para isso... e quando há lugares de descarga ou são pequenos (sim, pequenos! Tem carrinhas que só descarregam pela porta traseira e descarregam tamanhas cargas que ... Jesus!), ou estão ocupados por carros não autorizados, ou já estão ocupados por outras carrinhas...!
    Verdade seja dita, nem é preciso ir a Lisboa, nem ter carrinhas de descarga à mistura... no outro dia, num dos arredores de Lisboa, vi uma família a sair de casa e a dirigir-se para o seu carro... Bloqueado por um outro, completamente off (sem 4 piscas nem nada, como se ali, em segunda fila, fosse estacionamento normal!). Aquela família teve, na boa, MEIA HORA à espera que o doutor tirasse dali o carro! Eu fiz o jantar e comi e o senhor continuava a apitar e a apitar... até que lá apareceu o doutor, que ouvindo tamanha chinfrineira não fez nada!!

    Portugal é uma festa a cada dia que passa :D

    ResponderEliminar
  54. Sugestão:
    Fotografar e fazer um post no seu blog.
    Com um público tão vasto como a Pipoca tem certamente que faria um sucesso esta nova rubrica :)
    Beijinho
    Didi

    ResponderEliminar
  55. Isto não acontece só em Lisboa, a falta de civismo é uma constante e infelizmente faz parte de muitos. Eu vivo em Cascais e no outro dia uma "simpática" Sra. de um prédio vizinho decidiu estacionar em 2ª fila e bloqueou-me o carro. Posto isto fartei-me de buzinar e ela sem aparecer, quando apareceu em vez de pedir desculpa, só disse: calminha! E a seguir retirou o carro. A minha vontade era partir-lhe a cara à chapada e juro que iria ter muita calminha! :)
    Gente mal educada e falta de civismo, infelizmente abunda por aí!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Para a próxima chame logo o reboque e a vizinha depois que tente ficar calma quando chegar à rua e não encontrar o carro.

      Eliminar
    2. É isto que me deixa estúpida. Deixar em segunda fila já é mau que chegue, mas podiam ter a humildade e civismo de pedir desculpa, mas ainda aparecem cheios de razão! Wtf?

      Eliminar
  56. Nem de propósito neste exacto momento esta "montada uma caça" da psp à segunda fila aqui na minha rua. Eheheheh é vê-los a debandarem que é uma limpeza. Nunca esta rua esteve tão larga e limpinha. Mas também é a primeira vez que vejo aqui esta acção...

    ResponderEliminar
  57. O que eu me ri ontem com o direto!

    Beijinhos ♥
    Mónica Rodrigues dos Santos
    http://cupcakewomen.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  58. Ao ler atentamente estes textos, tiro a conclusão que a capital portuguesa está caótica, já não vou a Lisboa vai para 10 anos e tinha na altura a impressão que Lisboa era majestosa em tudo, foi no tempo da expo , passava muito tempo no colombo, enfim vinha de lá muito contente quando fazia o trajeto para minha casa no Porto. Como referi ao contrário de Lisboa, o meu Porto está soberbo, pouco trânsito, pessoas educadas, uma maravilha de cidade, se calhar um destes dias vai haver um refendo para mudar de capital e que ficava tão bem, Porto capital Portuguesa.gostava.

    Pipoquinha tens que te mudar para o Porto.

    Com carinho

    carlos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. "Porto... pouco trânsito"??? Essa teve imensa piada! Eu adoro, amo esta cidade de coração, mas todos os dias está caótica.

      Eliminar
    2. Lol ó senhor Carlos, eu adoro o Porto, é a minha segunda cidade de coração (foi lá que estudei), mas o trânsito é caótico. Aliás, eu fiquei uma pessoa muito mais stressada desde que comecei a andar de carro no Porto. E volta e meia quando vou lá em passeio ao fim de semana são vários os carros que vejo estacionados em segunda fila. Não é tão mau como em Lisboa, mas também acontece.

      Eliminar
    3. Sr Carlos. Não sei em que zona do Porto mora mas na baixa não é com certeza. É verdade que o trânsito não parece ser tão caótico mas há muita falta de civismo especialmente junto às escolas/colégios (passe na rua da Boavista pelas 18h) ou então junto às urgências do Sto. António por exemplo. E quando os taxistas param no meio de uma rua de sentido único para largar passageiros. Ui, nem falemos.

      Eliminar
    4. Estamos a exagerar um pouco, certo? Todos os dias de manhã ouço o "trânsito" na rádio e o Porto também está sempre caótico, pelo menos os acessos à cidade. Além disso, certamente não é no Porto que estão concentradas todas as pessoas educadas deste país... Mas vá, volte a Lisboa, que será cá bem vindo, e poderá ver como a cidade continua bonita.

      Eliminar
    5. Sou da zona das antas, perto do dragão, claro que tem trânsito mas sinto que as pessoas são mais relaxadas, sem o frenezim de uma capital como Lisboa, como disse não vou a lisboa há muito tempo, mas adoro essa cidade, tripeiro mas acima de tudo Português e com orgulho de pertencer a um país fantástico, agora falta de civisno, pessoas mal educadas, existe em todo o lugar, 4 piscas ligados pipoquinha é mato, tens que saber passar por entre os pingos de chuva e levar um pouco na desportiva, é tudo boa gente, concerteza que brevemente irei a Lisboa da qual já sinto saudade, mas irei de comboio, porque de carro, jamais salomé, beijinho á pipoquinha que é muito linda e muito querida no Porto.

      com carinho

      carlos

      Eliminar
    6. Vivi 3 meses no Porto e todos os dias ia da Miguel Bombarda ao São João, o trânsito era bem pior do que em Lisboa por menos opções de desvio. E parar à porta e em 2a fila banal. Na pastelaria em frente à igreja do Carvalhido, bloqueando uma faixa e os semáforos, era clássico e a toda a hora!

      Eliminar
    7. Eu só digo isto: Sta. Catarina, Marquês e Costa Cabral a partir das 17h30. Muito medo.

      Eliminar
  59. Pipoca, antes de mais, adorei a caricatura! Quanto ao seu texto, concordo em TUDO o que referiu. Conduzo no centro da cidade todos os dias e, de facto, o que se assiste é a uma absoluta falta de civismo por parte de muitos dos senhores automobilistas que por aqui andam. Não só quanto às empresas que têm que fazer cargas/descargas, mas também, como refere, a condutores que param o carro por tudo e por nada, e quem só falta enfiar o carro dentro da escola do filho, ou dentro da farmácia, ou dentro do supermercado. Para além destas situações, acresce ainda os taxistas (e uber e afins) que param, literalmente, em qualquer lado, para apanhar e largar passageiros, entupindo o trânsito enquanto, muitas vezes, estão a fazer trocos ou a passar facturas, o que, por vezes, pode levar alguns minutos, e quando poderiam ter parado 2 metros à frente, onde havia lugar para poderem estacionar. No entanto verifico ainda outra situação: junto ao lugar onde trabalho,na Av. da Liberdade, existe um hotel cujo edifício foi todo remodelado recentemente. Ora, não seria de, quando fizeram as obras de remodelação do edifício todo, fazer um desvio no passeio para permitir às carrinhas de turismo ou aos táxis que ali deixam e apanham clientes, pararem sem entupirem a faixa lateral da Avenida? No Parque das Nações, onde vivo, este problema também é frequente, junto ao hotel Arts, onde, invarialvelmente, todos os dias, autocarros de passageiros param à porta do hotel, bloqueando completamente o trânsito que se faz naquela faixa, o que, pelas 9 horas da manhã, gera um trânsito infernal naquela zona. Acho que, de facto, este combate só se faz com policiamento eficaz e com multas pesadas. Neste país é assim, infelzmente, em muitas situações, parece que as pessoas só aprendem se levarem um castigo. Estou, e estarei, sempre à vontade para falar destas situações pois nunca estaciono o carro em segunda fila e, se o fizesse, seria por absoluta necessidade e apressar-me-ia a pedir desculpa se algum incómodo causasse a outros por causa disso. É lamentável esta situação e só contribui para piorar a mobilidade na cidade.

    ResponderEliminar
  60. Se a AGM decidir avançar com uma petição à C.M.LX para acabar rapidamente com a febre dos 4 piscas em Lisboa eu assino.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu sugeria mais, já que o problema não é só em Lisboa: que o estacionamento em segunda fila tire pontos na carta! Aí as pessoas já se preocupavam! Pipoca avança com isso!

      Eliminar
    2. Sim, vamos avançar!! Ou pelo menos, que haja um movimento cívico qualquer!! Até porque quem estaciona em segunda fila, certamente também não há-de gostar que os outros o façam, pois isso também os estorva de alguma forma. Vamos nessa! Não faço ideia do que é que é preciso fazer, mas quero assinar!

      Eliminar
  61. Em Faro há ruas assim, onde por falta de estacionamento há uma certa tendência para o estacionamento em segunda fila. Claro que Não tem a mesma dimensão que Lisboa em termos de trânsito, mas dificulta a circulação automóvel. São ruas onde a polícia anda sempre na "caça à multa" e isso de certa forma desencoraja um pouco as pessoas (ainda que haja sempre quem arrisque). Isso de o polícia ver e não fazer nada, que relataste, é também uma parte do problema.

    ResponderEliminar
  62. Evito deixar o carro a trancar alguém, mas já o fiz, mas só numa situação em que são só mesmo uns minutos e de onde tenha visibilidade sufiente para ver o meu carro e me aperceber se alguém quer sair.
    Quando vou buscar o meu filho à escola, frequentemente estaciono em frente a garagens, mas NUNCA saio do carro e se a pessoa dá o pisca para entrar, peço desculpa, arranco e dou mais uma volta ao quarteirão.
    Mas quando saio do trabalho tenho montes de vezes o carro trancado por pessoas que estão no restaurante e muitas vezes é o proprio dono do restaurante, que vê muito bem para fora (tem um agrande montra envidraçada), vê-me a abrir o carro, a entrar, a começar logo a apitar (já nem espero porque sei que ele eme viu) e vem nas calmas!
    Já me passei completamente e disse-lhe das boas, mas não resulta, parece que ainda faz pior, de propósito. A sorte dele é que tenho mesmo pressa para ir buscar o meu filho e não posso ficar ali À espera da policia, senão entrava no carro, ligava à policia e ficava a ver a cena!

    ResponderEliminar
  63. JE SUIS MADAME. E passo-me com estas faltas de civismo e racionalidade.

    ResponderEliminar
  64. Multar as pessoas que estou efectivamente a transtornar o transito dá muito trabalho, mas multar uma pessoa que parou 5m (mesmo 5m) num local em que embora proibido não incomoda ninguém... isso já fazem.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Aconteceu-me o mesmo a mim. Carro parado por 5 minutos para ir à farmácia de urgência antes de ir de férias, num local onde não incomoda ninguém. 30€ de multa. Pessoas que estacionam em 2ª fila, pessoas que estacionam em cima de passeios, e etc. Nada, está tudo bem.

      Eliminar
  65. A polícia multa quem quer e quando quer.
    No Porto em frente à loja da Vodafone tem um largo/passeio(?!) enorme.
    Estavam lá alguns carros estacionados e parei lá o meu também para ir lá dentro ver se estava muita gente.
    Cheguei cá fora (2m depois) e já estava a ser bloqueada pela policia.
    Achei estranho porque não começaram de uma ponta da rua a bloquear todos os carros, não, foram só ao meu!
    Perguntei o porquê e só me diziam: não se preocupe com os outros, preocupe-se com o seu!
    Pois, os outros eram de pessoas conhecidas (de lojas, por exemplo) que estacionam ali todos os dias com o consentimento da policia.
    Enquanto que eu quando cheguei nem sequer o bloqueio estava completo, mas acabaram de bloquear comigo ali, tive de pagar para desloquear, mais a multa de estacionamento proibido.
    Paguei tudo! Estava mal estacionada, é certo. Pedi a identificação dos agentes e fiz queixa, com fotos, testemunhas e tudo em como ali havia "jogo de interesses".
    Se vai dar em alguma coisa, não sei, mas a verdade é que dias depois passei lá e não tinham lá carros estacionados.
    Fico furiosa quando a lei é só para alguns!

    ResponderEliminar
  66. Pois está bem, concordo com tudo e assino petições se for preciso.

    MAS e as fotos do casamento mais doce Senhores?!?

    ResponderEliminar
  67. Em Caldas da Rainha passa-se o mesmo e ninguém nunca faz nada.

    ResponderEliminar
  68. Quase 150 pessoas com uma condução exemplar, que não fazem transgressões, que cumprem todas as regras/leis da estrada e que não se identificam com estes comportamentos. Tudo gente perfeita! O certo é que hoje continou a haver gente a parar em 2a fila e a importunar os outros, mas felizmente não foi nenhum leitor da pipoca! :P
    (E sim, eu já parei em 2a fila e tb já fui bloqueada)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Mas o ideal seria sermos quase todos perfeitos ou não? Ou pelo menos tentar, e não tentar justificar os nossos erros.

      Eliminar
    2. Já comentei acima e posso só falar por mim. Nunca paro em 2ª fila. Nunca. E se o fizer, nunca será para fazer qualquer coisa que não uma urgência (fazer cargas e descargas que demorem mais do que breves minutos não é uma urgência; ir ao cabeleireiro não é uma urgência, ir ao supermercado "só" comprar pão não é uma urgência, parar o táxi mesmo à porta do prédio não é uma urgência). E se o fizer, serei a primeira a pedir desculpa por isso.

      Eliminar
    3. Há vários comentários, eu inclusive, a dizer que sim, por vezes, estaciono em segunda fila, mas sempre com o "olho no carro" e atenta a quem quer sair. E mesmo demorando um segundo, peço sempre desculpa e saio o mais depressa possível.
      E quando o fazem comigo (ainda hoje ao almoço me aconteceu), e demoram um segundo e pedem desculpa, não me importo nada, agora virem cheios de razão e mandarem-me "esperar" opu "passar por cima" é coisinha para me tirar do sério!

      Eliminar
    4. Ui, que 150 pessoas é cá uma amostra...

      Eliminar
    5. O mundo não se resume a quase 150 pessoas...

      Eliminar
    6. Eu posso afirmar mesmo que nunca estacionei em 2ª fila. Também ainda só tenho 4 anos de carta, mas conduzo todos os dias no centro do Porto. Portanto sim, há pessoas que não estacionam em 2ª fila.

      Eliminar
  69. Proponho já aqui um movimento, ao qual as pessoas que sofrem com este flagelo se devem juntar: #somostodasmadames
    Também detesto o chico-espertismo no trânsito e em estacionamentos. E detesto ainda mais que as pessoas que desrespeitam a lei não se dignem sequer a pedir desculpa e nos tratem como se esperar fosse a nossa obrigação! Epááááá. Dá vontade de os mandar ir dar uma volta, literalmente.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Por acaso este assunto era capaz de dar uma página de facebook engraçada... Desde que se tivesse o cuidado de preservar o anonimato das pessoas, claro.

      Eliminar
  70. Junto ao meu local de trabalho existe uma pastelaria..e apesar do estacionamento ser excelente, as pessoas dão se ao trabalho de fazer uma coisa fantástica, que é estacionar em segunda fila, mas em frente a lugares vazios, para irem tomar o seu cafezinho...se podiam estacionar e ocupar um lugar, deixando outros 2 para os outros? podiam....mas é muito mais fixe transformar um local cm óptimo estacionamento num local onde temos que ir estacionar longe, porque dá muito trabalho fazer uma manobra...enfim

    ResponderEliminar
  71. Também eu já me dabati diariamente com o tema dos 4 piscas, convido-vos a dar uma olhadinha a esta peqeuna crónica ;)

    https://joaoribeiroweb.wordpress.com/2016/10/07/eu-faco-o-que-eu-quero-com-os-meus-4-piscas/

    ResponderEliminar
  72. De lamentar..
    E fosse só nesse tipo de situação!
    O problema é que a falta de civismo também se verifica na ocupação de lugares que são reservados a pessoas com mobilidade reduzida e a veículos movidos a GPL.. isto mais em centros comerciais, e se dizemos algo a quem está a estacionar indevidamente ainda levamos com um "não tenho nada a ver com isso" ou com um "e então? eu estaciono onde eu quiser!!"..
    Enfim, é o que temos..

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Como tenho uma bebé pequena, tenho ficado no carro enquanto o meu marido vai fazer compras ao Lidl e tenho assistido a uma falta de civismo gritante. Num parque bastante grande, sempre com lugares vazios à disposição, as pessoas estacionam sem o menor pudor nos lugares destinados a pessoas com mobilidade reduzida. E saem do carro todas despachadas, sem problemas de consciência!

      Eliminar
  73. Quando se vive num país onde ninguém consegue fazer com que crianças a sair do berço cumpram as mais elementares regras de conduta dentro de uma sala de aula, todas estas e outras situações de falta de respeito, consideração, civismo e inteligência vão acontecer.
    Quando os pais destas crianças acham normal faltar ao respeito à autoridade de professores, educadores e funcionários das escolas e não incutirem aos seus rebentos valores e ética, este país continuará a ser o lodo que é.
    Exemplos como a Suiça devem ser analisados sim, mas não tanto em termos de economia mas antes em termos de que condutas são exigidas aos mais novos desde que eles percebem a diferença entre certo e errado.
    Olhem para a educação (falta dela) transmitida pelas famílias, senhores!
    "Enfim, é o que temos..." porque é o que permitimos. TODOS!

    ResponderEliminar
  74. Peço desculpa mas esqueci-me de acrescentar: experimentem ser professores, vá lá, durante um mês confrontando-se DIARIAMENTE com estes futuros chico espertos, mas em idade adolescente. E sentirem essa impotência de nada poderem fazer, porque quem de direito se está borrifando (a começar pelos pais).

    ResponderEliminar
  75. Nas Colinas do Cruzeiro em Odivelas, uma zona de construção recente com muitos lugares de estacionamento mas em que a preferência de uma grande parte de condutores é estacionar junto aos portões de garagens, em cima dos passeios e em 2ª fila de ambos os lados das ruas. Uma vergonha, falta de respeito e falta de civismo gritante.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sim! Horrível! Odeio passar por lá

      Eliminar
  76. O que me irrita é a incapacidade de muitas pessoas se porem na pele dos outros. Estacionam em segunda fila porque é urgente o que têm para fazer e só o fazem por um minutinho. Que tal pensarem que aqueles que ficam com os carros bloqueados também podem ter algo de muito urgente a fazer e não podem esperar nem um minutinho? (Já nem falo dos casos das pessoas com necessidades especiais - o anúncio que a Associação Salvador fez mostra muito bem as dificuldades por que passam essas pessoas só porque alguém achou que podia deixar o carro de qualquer maneira por "um minutinho").

    ResponderEliminar
  77. É por essas e por outras que só ando de metro ou Uber. Conduzir em Lx estava a levar-me o pouco juízo mental que ainda me resta...

    ResponderEliminar
  78. Na semana passada, em Aveiro (que nada tem a ver com o caos de Lisboa e se considera relativamente tranquila), em frente a uma pastelaria havia lugar de estacionamento. Estacionámos e fomos à nossa vida; tudo bem. Quando chegámos, um BMW a trancar-nos o carro. Entrámos, esperámos. Esperámos, buzinámos. Ninguém, zero sinais de vida. Buzinámos de novo. Sai da pastelaria uma beta com ar de pega, 20 anos e já dona de um Série 1, 2kgs de base, crop top, piercing no umbigo e baton rosa choque, cabelo negro:
    - É o meu carro que está a estorvar?
    - (Não estúpida, o nosso carro tem asas e é capaz de sobrevoar o teu para sair)
    Sim, pode retirar pf?
    - Não, não posso.
    E voltou para dentro da pastelaria. Lá dentro, a rir-se na nossa cara!
    Buzinámos. Ela voltou. Pedimos educadamente e mais uma vez para tirar o carro, até porque depois poderia ficar bem estacionada, no nosso lugar. Rejeitou.
    - Ok tudo bem, não há problema nenhum, chamamos a polícia.
    - Chame, vocês sabem quem eu sou? Não tenho medo da polícia e até fico aqui à espera deles.
    (Excelente!! 112 - PSP Aveiro pf - transferência de chamada - a caminho). 2 min depois, chega a polícia que se apercebeu logo do tipo de pessoa mal educada e mimada que era, ordenou que tirasse o carro, pediu-lhe os documentos e multou-a. A nós, "Tenham uma boa tarde e usufruam do vosso fim de semana"

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Isso dava azo para outro post, pessoas que respondem com um "sabem quem é que sou?". Infelizmente o dinheiro compra bens materiais, mas nunca comprará educação e valores.

      Eliminar
    2. Ahahaha, anónimo das 11.34, tão verdade! Da última vez que mo disseram eu respondi logo: Não e a senhora sabe quem eu sou? Ficou logo por ali.

      Eliminar
    3. Não tem nada a ver, mas lembrei-me: Há dias num jogo de futebol do meu filho (marmanjos de 20 e muitos anos, convém dizer), um cai, claramente a faze cena, porque tinham acabado de empatar.
      Saiu-me um "Coitadito está mesmo cheio de dores, levanta-te e joga" (mas isto em tom baixo, só ali para o meu marido. Mas houve quem ouvisse e gritou (GRITOU): "olha esta armada em médica, se acha que é fita, vá lá assisti-lo". Ri-me ao ouvir alguém dizer-lhe "olha que é médica mesmo, trabalha ali no hospital". O senhor ficou tão vermelho :)
      Como disse, não tem nada a ver, mas é engraçado o "quem pensas que és?" ou "pensas que és policia?" (e às vezes até é mesmo) :)

      Eliminar
    4. Mas que petulância, até mete nojo esse tipo de gente!

      Eliminar
    5. "Vocês sabem quem eu sou?" "Claro que sabemos, é a palerma que não sabe estacionar"

      Eliminar
    6. Mas era mesmo alguém conhecido?? Agora fiquei curiosa!! :)

      Eliminar
  79. liga para a empresa onde ele trabalha e faz queixa!

    ResponderEliminar
  80. Sou o anónimo de 19/10 das 20.17h e 20.28h
    O silêncio em relação à informação que acrescentei ao assunto em debate é gritante, e corrobora tudo o que eu disse: enquanto assobiarmos para o lado e contornarmos o que é ESSENCIAL, as queixas vão continuar.
    Ninguém quer comentar aquilo que está na origem de todos estes comportamentos?
    FORÇA nas queixas! Afinal é o que o português sabe fazer de melhor...

    ResponderEliminar
  81. Não querendo generalizar pq quero mesmo acreditar que a maioria até é bem formada, a geração que nasceu nos anos 90 (e muitos) anda muito cheia de si. São insolentes, egocêntricos e mal educados. É a geração do "eu" das redes sociais.

    ResponderEliminar

Teorias absolutamente espectaculares

AddThis