Pub SAPO pushdown

Loucas são as noites que passo sem dormir

sexta-feira, outubro 14, 2016
A propósito do Stilnoite - um suplemento alimentar à base de melatonina que relaxa, facilita o sono  e diminui os despertares nocturnos - fiz ontem um directo no Facebook sobre as noites e sobre as minhas horas de sono. Apesar de ter sido muito divertido e participado, confesso que os meus olhos ficam marejados de lágrimas saudosistas só de pensar neste tema, porque eu já fui uma pessoa que dormia muito e bem. Fui, tempo passado, onde é que isso já vai. A verdade é que a maternidade veio mudar radicalmente o meu sono. Isso e, provavelmente, o facto de já não ir para nova, dizem que vamos precisando de menos horas de sono à medida que envelhecemos. O que eu sei é que aquela coisa de deitar tarde e tarde erguer já lá vai há muito.

Lembro-me de morar com os meus pais e de ser
capaz de dormir um fim-de-semana inteiro, tipo urso a hibernar. Saía da cama apenas para cumprir as necessidades alimentares e lá voltava eu para debaixo das mantas. E era muito feliz assim. Quando me juntei com o senhor meu esposo, nos primeiros tempos isto foi um factor de discussão. Ele, todo dinâmico, a querer sair da cama pela fresca aos sábados e aos domingos para ir fazer coisas, para irmos andar de bicicleta, para irmos a uma exposição, para irmos ler para uma esplanada. Eu, a lontra, a querer ficar na cama até às duas da tarde. Quando, finalmente, me decidia a abandonar o edredon, já ele estava com umas trombas até Beja, a queixar-se de que tínhamos perdido metade do dia e mimimimi. Como se não bastasse, eu ainda insistia em dormir a sesta. Há coisa melhor num domingo chuvoso??? Não há. Mas se, para ele, uma sesta é um período de tempo que não vai além da meia-hora, para mim duas horas são o mínimo indispensável. O que, claro, dava azo a mais discussões.

Mas, apesar disso, eram belos tempos. Dormia a noite inteira descansadinha, nunca acordava, era um sono tranquilo, uma maravilha. E se muita gente acha que dormir é uma perda de tempo e que temos a eternidade toda para o fazer, eu gosto realmente de dormir, tenho prazer nisso, sobretudo no inverno. Gosto daquela coisa de estar ali no sofá, enroladinha numa manta, a ouvir a chuva lá fora e a pensar "vou dormir e estou tãaaaao feliz". Até que fui mãe e logo na gravidez comecei a perceber que os tempos áureos do sono tinham os dias contados.

À medida que a barriga ia crescendo e eu me transformava num cachalote, dormir tornou-se uma tarefa mais complicada. Levava mais tempo a adormecer, não arranjava uma posição confortável (SEMPRE dormi de barriga para baixo), acordava várias vezes para os xixis da praxe, já não era aquele sono contínuo e despreocupado. No fundo, era uma espécie de estágio para o que estava para vir e que quase todas as mães conhecem. Digo "quase" porque há sempre mães que garantem que têm/tinham bebés santos e que sempre dormiram 12 horas por noite, desde o primeiro dia de vida. Infelizmente, não me saiu um desses na rifa. O meu acordava uma data de vezes e houve ali uma fase particularmente terrível (entre os dois e os quatro ou cinco meses) em que o miúdo parecia apostado em lixar-nos a vida. Era um filme para o adormecer, ou então até adormecia a horas decentes para depois ficar acordado e a berrar entre as duas e as seis da manhã. Tantas e tantas noites assim.

Foi um período difícil, a privação do sono é capaz de levar uma pessoa à loucura, e eu só pensava que a minha vida ia ser assim para sempre. Não foi, claro. Há já muito tempo que o texugo dorme a noite inteira, das nove às nove (agora acorda mais cedo, por causa da escola), não me posso queixar. Mas o sono nunca mais voltou a ser o mesmo. Não sei se é uma espécie de aplicação que instalam nas mães, mas estamos em permanente estado de alerta. Parece que estamos a dormir, mas há sempre uma orelha levantada e atenta ao mínimo sinal de choro, tosse, engasganço ou grito por água/chucha/leite/boneco/xixi/cocó. E isto mantém-se mesmo nos dias em que ele dorme nos avós. E já nem aí consigo dormir até tarde. Na loucura, aguento-me na cama até às nove, mesmo que me deite tarde. Às vezes até insisto comigo mesma, "tu dorme, filha, tu dorme", mas não há volta a dar.

De quando em vez também sou acometida de insónias, que é só assim das coisas que mais odeio na vida. Porque a sensação de estar a desperdiçar tempo consome-me, sinto-me a estupidificar. São muitas as vezes em que acabo por sair da cama e ir para o computador trabalhar, porque estar ali às voltas de um lado para o outro dá cabo de mim. E as noites em que até vou para a cama a cair de sono e me ponho a pensar na vida (sobretudo em questões de trabalho) e isso me deixa completamente desperta? Aaaaaaaaaah, que nervos. Geralmente tento acalmar a mente, entrar ali num estado zen, não pensar em nada, mas há dias em que não dá. E fico a ver o sono a fugir, e eu a tentar agarrá-lo, e ele cada vez mais longe.

 Mas pronto, agora chegou o Stilnoite e eu estou a apostar todas as minhas fichas nisto. Não será para todos os dias (apesar de ser um suplemento natural,  não ter nenhuma contra-indicação nem causar habituação, iupiiiiii), mas aquelas alturas em que tiver mais dificuldades em adormecer ou em que acordo umas dez vezes por noite. Toca a todos, meus amigos.

E vocês, pessoas mais fofinhas do meu coração, o que me têm a dizer sobre as vossas noites? Há por aí mais gente com saudades de uma bela noite de sono retemperador? Hmmmm?


Post em parceria com o Stilnoite



82 comentários:

  1. Sempre acordei muitas vezes durante a noite, sempre tive noites em que passava horas (muitas horas) a rebolar na cama sem conseguir adormecer. Uma vez experimentei Angelicalm e jurei para nunca mais. Acordei com uma dor de cabeça que parecia que Miley Cyrus e sua bola tinham passado a noite a brincar na minha cabeça.

    ResponderEliminar
  2. Eu sempre dormi imenso, tal como tu. E muito bem. Zero dificuldades em adormecer e várias para acordar :) Um sono profundo, não ouvia nada nem ninguém. Mas de repente essa coisa que tu dizes ser de "mãe" apareceu-me. E eu não sou mãe... Acordo ao mínimo barulho, não consigo ter luz nenhuma no quarto e acordo sempre cedo, mesmo ao fim-de-semana. Mas não tenho grande dificuldade em adormecer, até porque me deito super tarde e acordo super cedo :P

    ResponderEliminar
  3. Pipoca, parabéns. Isto é saber fazer publicidade! No que respeita ao produto, para já, ainda não tenho necessidade. Ficamos a aguardar feedback da tua parte ;)

    ResponderEliminar
  4. Tenho uma bebé com 2 meses que dorme 7/8 horas por noite, e nos primeiros dias dormia 5/6... E agradeço a todos os santinhos apesar de não ser crente porque se há coisa que eu gosto é de dormir uma noite descansadinha. Não durmo muito, nunca dormi sestas nem quando era miúda, mas as noites são sagradas. E tenho um sono pesado... nem o ser mãe mudou isso. No início já estava a miúda a chorar, o meu namorado de pé, a luz acesa e eu ainda a dormir... mas penso que se estivesse sozinha o meu subconsciente me acordaria. De qualquer forma para compensar as boas noites de sono ela castiga-me mamando de hora a hora durante o dia mas pronto... por agora funciona bem assim.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Aqui também há um com dois meses... Que se puder passa a noite a mamar!!!😫😫😫😫

      Eliminar
    2. Também tive a sorte da minha bebé dormir a noite toda desde muito cedo. Agora vou ter outra e já seria sorte a mais se fosse igual. Ai, era tão bom...

      Eliminar
  5. Então, mas a Dra. Constança não tinha resolvido isso das noites do puto?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sim, resolveu. Quando recorremos a ela o problema ficou resolvido ou, pelo menos, melhorou muitíssimo. Mas há sempre fases. A nós os conselhos ajudaram muitíssimo, bastaram pequenas mudanças para vermos progressos enormes, mas os miúdos não são máquinas, têm vontade própria.

      Eliminar
    2. A Constança não é Dra., é Terapeuta de Bebés, whatever that means.

      Eliminar
    3. Talvez queira consultar a formação da Dra. Constança. Se é licenciada é Dra.

      Eliminar
    4. Ahahah se é licenciada é so licenciada, o que há é um costume de se chamar doutor e doutora a qualquer pessoa com uma licenciatura. (Professor) Doutor é para os doutorados. Mania dos títulos e do status.

      Eliminar
    5. Se é com abreviatura, serve para os licenciados, mas tal diferença esfuma-se na oralidade... P$#@a da titulocracia, que só torna mais tortuoso o longo caminho que temos para percorrer enquanto sociedade.

      Eliminar
    6. O título de Dr. é sim para licenciados, não é uma questão bde costume. Era mais valorizado e respeitado antigamente, hoje em dia é banal.
      Os doutorados são, como disse, Prof. Dr.
      São títulos, é verdade. Status nem tanto, esse tempo já passou.

      Eliminar
    7. A Constança é licenciada em Comunicação Social. É Doutora, querem ver?...

      Eliminar
    8. Doutor, Dr. e Professor Doutor são 3 coisas diferentes.
      Doutor = doutorado
      Dr. = licenciado
      Professor Doutor = doutorado que também é professor

      Eliminar
    9. Acho que o Dra. era apenas sarcasmo...

      Eliminar
    10. Só mesmo em Portugal os licenciados são doutores. De rir!! É só doutores!!

      Eliminar
    11. Prof. Doutor. é, obviamente, para professores doutorados. Nem todos os doutorados são professores.

      Doutor é um grau, não um título de tratamento. É doutor quem tirou um doutoramento.

      Eliminar
    12. Não se desgaste..., não vale a pena tanta explicação, estamos num país de Drrrrs, com o famoso tratado de Bolonha, qualquer bAcharel é Dr., qualquer um que frequente um curseco, é Dr; ainda virá o dia em que a simples frequência de um Workshop atribui o título de Dr!
      Os títulos honoríficos para certas pessoas continuam a ter algum peso...mormente, para aquelas que nem pela Universidade passaram!?!(;

      Eliminar
    13. Ai credo...tanta inveja dos licenciados que para aqui vai! É como diz o outro: "Estudasses!" Querem ver que eu que tenho um curso superior tenho de ser apelidado de forma igual ao meu colega com a 4ª classe!?

      Eliminar
    14. Os licenciados são Dr.?? Hahahaha... Então eu sou licenciada e ninguém me disse que posso acrescentar um "Dra" aos meus cartões e tal, só para o status?

      Dr. é quem tem um doutoramento ou quem é médico, não é quem tem uma licenciatura em Ciências da Comunicação (por exemplo). A minha avó ainda chama "Doutor" a toda a gente que tenha andado na Universidade, seja contabilista ou farmacêutico, mas eu pensava que esta adoração pelos títulos tinha ficado nas gerações mais antigas. Parece que não.

      Eliminar
    15. Anónimo das 13:31, então os doutorados têm de ser apelidados da mesma forma que um licenciado? Não. Se é licenciado não é Dr. nenhum, é simplesmente licenciado. Se tiver um mestrado então é mestre. Se tiver um doutoramento é Doutor. Uma excepção é o caso dos médicos, que apesar de serem mestres, têm o título MD que é "medical doctor", daí serem chamados de Doutores.

      Eliminar
    16. Só sou licenciada e a minha própria faculdade manda cartas a dizer Dra. Se tem lógica ou não, não me interessa. Abomino a mania dos títulos. Aliás, do que conheço do mundo, é uma mania muito portuguesa levada ao extremo. Pessoalmente a ideia que se merece ser tratado com mais respeito por se ter estudos só mostra que ainda temos que crescer muito como sociedade. Se não conheço alguém, dirijo-me a essa pessoa na 3a pessoa do singular (Sr, Sra e Você), quer seja doutor quer só tenha o 1o ciclo).

      Eliminar
    17. Anon. 13:21h, credo, não seja preconceituoso(a), em boa parte das organizações privadas, os colaboradores quer sejam licenciados ou não, são tratados pelo seu nome próprio ou apelido, o tratamento por Dr, Eng. Arq....está em desuso!Só mesmo pessoas com a mania de que são superiores aos outros, ou que se pretendem armar, é que querem ou exigem que as tratem com o título académico! Regra geral nunca são boas pessoas...É tão tacanho!):
      Sou licenciada há mais de 25 anos...no tempo em que as licenciaturas exigiam frequência universitária de cinco anos, mais 18 meses de estágio... sempre pensei assim, e estou-me mas tintas que me tratem ou não por Dra. no local de trabalho(:

      Eliminar
    18. Qual é o problema de ser apelidado de forma igual ao seu colega com a 4a classe???

      Eliminar
    19. Anónimo 13:21 - Claro que sim, porque ambos têm o mesmo valor como indivíduos, independentemente da escolaridade de cada um. As pessoas têm de se habituar a serem tratadas pelo nome próprio que consta do CC, e não por títulos, que é uma parvoíce do século passado.
      Ass.: Uma licenciada.

      Eliminar
    20. Anónimo das 13:21, curioso é achar, mesmo com uma formação dita superior, que deve ter tratamento diferenciado, quando a cultura, a educação e o know-how claramente não se adquire na Universidade, e o anónimo é um vivo exemplo disso, além do mais para a caixa do pingo doce tanto vale um licenciado como alguém com a quarta classe! Dignifique-se!

      Eliminar
    21. E que diferença lhe faz ser apelidado de doutor?? E rebaixar as pessoas sem estudos para quê? A p*ta da mania sempre fez mal a muita gente.

      Eliminar
    22. Só Constança, sem Dra! O meu papel não é o de um profissional de saúde. A licenciatura é Ciências da Comunicação, naturalmente que a habilitação para o trabalho com bebés não vem daí, mas da formação que há oito anos faço (e continuarei sempre a fazer) naquelas que são as minhas áreas de intervenção. Quanto à discussão... estou de acordo: também acho que há títulos a mais... Drs. deviam ser só os médicos :)

      Eliminar
    23. A minha chefe, Professora Doutora, sempre que vem alguém para cá trabalhar e se intitula de Dr., nada refere, mas pede-lhe o cartão de cidadão. Ficam com cada cara.... acabam de se liceniar e apresentam-secomo "Drª. Maria Albertina..."!!!!
      E não admite que ninguém a trate por Drª. muito menos Professora Doutora, somos todos iguais, desde ela, a nós (licenciados), à senhora que vem fazer a limpeza.
      Sr e Srª. é o tratamento entre todos!

      Eliminar
    24. Ser apelidado de não é ter tratado de forma diferente...é só mesmo ser apelidado de. Os advogados também são tratados por Dr. e são licenciados, qualquer é a diferença entre uma licenciatura em direito de uma outra!? Sou licenciada e no trabalho tratam-me por Dr.ª e qual é o problema!?

      Eliminar
  6. Aconteceu-me o mesmo que a ti, pipoca. Sempre amei dormir (e dormia muiiiito!), mas quando engravidei a coisa mudou. Por acaso tive sorte, a minha filha tem um sono sagrado desde os 2 meses, mas já eu passo noites inteiras a dar voltas na cama.. uma vez já no desespero experimentei valdispert noite e foi pior a emenda que o soneto! Acordei com uma dor de cabeça horrivel, super cansada.. pra nunca mais!! Por isso sorry pipoca, mas apesar do texto fantástico, desta vez não me convenceste! :P

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pessoalmente, passou-se exatamente o mesmo comigo, o Valdispert foi um autêntico logro!creio até que me deu mais espertina...valeriana e seus efeitos...grande tanga...Quando mais ansiosa e elétrica, recorro ao ATARAX xarope, antihistaminico, que usei há já uns anos, por prescrição médica para controle de prurido, acalma e provoca sonolência, não causa dependência, basta uma colher de sobremesa cheia, 15 minutos antes de deitar, et voilà...sono descansadinho, comigo é tiro e queda, para além de cada frasco custar somente cerca de 4€, comprimidos para dormir?!? Não obrigado.(;

      Teresa


      Eliminar
    2. Tem noção dos malefícios do Atarax?

      Eliminar
    3. Boa noite. A valeriana em certas pessoas pode ter o efeito antagónico, ou seja em vez de acalmar, dá energia, acontece 1 em cada 10 pessoas. Cada caso é um caso, e nem todas as pessoas reagem da mesma maneira. Tem outras plantas, como a passiflora, camomila, flor de laranjeira, que ajudam a relaxar e a dormir melhor;
      E claro o produto aqui apresentado, uma boa alternativa, para pessoas com dificuldade em adormecer, regula os ciclos de sono e afins😊
      Parabéns pelo blog😊
      Rf

      Eliminar
    4. Ó sim...só os médicos são doutores...esses deuses que infelizmente matam tanta gente...são licenciados com o os outros...em medicina...o curso que sai do bolsinho dos pobres dos contribuintes...pagamos para eles se formarem e depois toca a ir trabalhar para o privado!

      Eliminar
  7. Tão eu... em tudo...
    quanto ao "produto", aguardo um feedback...nunca se sabe....

    ResponderEliminar
  8. Bem que podia ter sido eu a escrever este texto... É mesmo isto! Apesar de a minha filha (com 7 meses) dormir muitíssimo bem também não consigo deixar de estar em alerta permanente, e desde que foi para o quarto dela só tem piorado! Saudades de dormir como antes, mesmo grávida não havia xixis nem descorfortos que me impedissem de dormir tranquilamente!

    ResponderEliminar
  9. Pipoca, a parceria não é com o Stilnoite... Estes pormenores fazem TODA a diferença em publicidade.

    (Alguém que trabalha na indústria.)

    ResponderEliminar
  10. Ai PMD, PMD, ai aiiiii, vai ver o que é não dormir quando tiver filho que já tem a carta e que sai à noite... aí sim, olhos de tão abertos que até doi;) Depois chegam a casa em segurança e lá voltamos, ou não, a dormir. Agora é a fase em que tem o Mateus perto de si, bem aconchegadinho na sua caminha e em que ele dorme das 9H às 9h... boooom muito bom! Depois é que doi...depois é que há insónias e das grandes que nem com o tal do Stilnoite lá vai, era bom era...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pode crer,outra fase..., com preocupações crescentes, e duplas insónias...só acalmamos e dormimos, quando se ouve a chave na ranhura da fechadura!
      The same here...mas nem pensar em comprimidos, quero estar + ou - desperta para ir vendo as horas, prefiro que partilhe a bandeirada de táxi com os amigos, em vez de conduzir, é sempre mais seguro, fico mais descansada!(:

      BfS

      Eliminar
  11. Sem certezas mas, eventualmente, o que o anónimo quererá dizer é que a parceria é com a empresa que comercializa o tal produto...a Sanofi. Mas não tem muito sentido uma vez que não está a "dar a cara" por todos os produtos da empresa mas apenas por este, acho eu...
    Mas quem sabe efetivamente com quem é a parceria não sou eu, nem o anónimo é (espanto!): apipocamaisdoce!:)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não que eu ligo a isso porque não ligo, mas entendo a questão da parceria ser com a Sanofi porque não dá para fazer parceria com um produto, mas sim com a empresa que o produz e comercializa. Seria o mesmo que dizer "Post em parceria com o Trio Love Poetic" quando na realidade é com a Chicco (o Trio Love Poetic é um carrinho da marca).

      Eliminar
    2. E se a Pipoca fizer publicidade à Lipton, é errado dizer-se "em parceria com a Lipton"? Tem de ser "em parceria com a Unilever"?

      Eliminar
    3. Pois Anonimo das 16:41, não seria com a Chicco, porque a Chicco também é apenas uma marca da Artsana. É a parceria é com a marca sim, não com o grupo/empresa.

      Eliminar
  12. Pipoca, identifico-me totalmente com este post! Até adormeço bem, mas não durmo uma noite em que não acorde mais do que uma vez, mesmo sem preocupações isso acontece. Esta situação afeta todo o meu dia. Comecei a tomar uns comprimidos, também naturais, para ver se a situação melhorava e nada, já andava a tomar 2 e a situação mantinha-se, até que os deixe de tomar, porque realmente não valia a pena. Assim, apesar de reagirmos de forma diferente, gostava que desse feedback sobre esses comprimidos para ver se faço mais uma tentativa. Obrigada.
    Pat

    ResponderEliminar
  13. Olá Pipoca
    para mim, o melhor sonífero é mesmo estar em PAZ.
    e acredito que é a chave do sucesso para (quase) tudo nesta vida.
    espero que consiga alcançar isso um dia.
    um grande beijinho

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sim, o melhor travesseiro é uma consciência tranquila.

      Eliminar
    2. Muito bom este comentário!!
      Que alfinetada! :))

      Eliminar
    3. Ó AGM, e eu que pensava que estava em Paz, afinal, atendendo à opinião dos(as) anon.16:18h,21:52,22.27...que a devem conhecer na privacidade...a Ana vive num verdadeiro inferno!?!):
      E não dormirá descansada por isso mesmo, talvez deva fazer um retiro espiritual..., que poderá eventualmente, ter um efeito como o "Melhoral",ou seja, se não fizer bem, também não lhe fará Mal!(;
      (Alerta:comentário ironico/sarcastico..., para prevenir más interpretações)

      Bfs.

      Eliminar
    4. Pipoca, sou a anónima das 16:18h...
      o meu comentário não era alfinetada nenhuma (penso que terá percebido isso).
      a paz de que falo nem todos a almejam, infelizmente. o mundo seria um sítio muito mais simpático e tolerante
      beijinhos a todas e sejam felizes

      Eliminar
  14. Já eu "não gosto" de dormir!
    Detesto, salvo raras excepções, acordar tarde no fim-de-semana. Sinto que perdi tempo precioso, apesar de saber que dormir é essencial.
    Já nos tempos de adolescência, deitasse eu às 10h da noite ou às 6h da manhã, acordava invariavelmente nunca depois das 8.30, sem despertador.
    E estar na praia às 8h da manhã? Adoro!!!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Já somos duas, também nunca fui "dorminhoca", e com o passar dos anos, quaisquer 6 horas de sono me chegam, para acordar bem disposta e ativa q.b!(:
      Detesto sestas, é preciso estar completamente de rastos...para dormir à tarde, é raríssimo, mas sempre que o faço, acordo super mal humorada, intratável mesmo!
      Sigo à risca o ditado:
      "Quem muito dorme, pouco aprende"! :-)

      MDM

      Eliminar
  15. Só preciso de saber onde se compra, se já está à venda...é mesmo urgente.
    Li atentamente todo o texto e parece que estou a olhar para um espelho, com a agravante de ter tido dois filhos com 15 meses de diferença e do mais velho ter sido o terror das noites até aos 10 anos.
    Passava noites em vigília, percorria todas as divisões da casa a tentar adormecer a criança, e todos os conselhos médicos só resultavam, no máximo, uma semana. Houve dias que não sabia como ia trabalhar, após noites loucas passadas entre as várias camas da casa.
    Desabituei-me de dormir bem. Cheguei a ir de férias sem os meus filhos, para descansarmos e acorda vezes sem conta, como se eles estivessem ai a clamar por mim.
    Hoje passados alguns anos e já com os filhos na faculdade, a morarem sozinhos,e a dormirem na paz dos anjos, ainda acordo de noite.... nunca mais fui a mesma e os sonos retemperadores, que eram tão necessários na juventude depois de exames ou de noitadas de amigas, nunca mais aconteceram.
    Apesar de ter tempo para dormir e de até adormecer bem, acordo vezes sem conta durante a noite e por isso existem momentos que só me apetece fugir para casa e esconder-me no meu sofá.
    Estou muito tentada a experimentar essa nova ajuda.....

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Em qualquer farmácia ou parafarmácia! :)

      Eliminar
  16. Tenho saudades de dormir 12 horas de seguida (o meu recorde foram 17 e ainda estou hoje para saber como ahaha)!
    Mas atualmente gosto imenso de acordar cedo, parecendo que não aproveitamos mais o dia.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O meu record foram 16h, no auge da adolescência e dos exames nacionais. Pura exaustão. :)

      Eliminar
  17. Só espero que não aconteça à Ana o mesmo que me aconteceu a mim há uns 2 anos! Estava eu a terminar o meu curso de Engenharia Electrotécnica e andava stressadíssima com o último exame (aquele cadeirão medonho que me atormentava já há alguns anos) decidi tomar um relaxante muscular para ver se a coisa melhorava e conseguia dormir em condições (nunca tinha tomado nada)...mas foi exactamente o oposto que se sucedeu. Comecei a sentir uma dormência no corpo, queria mexer-me na cama e não conseguia, queria virar-me (sem efeito), sair da cama (sem efeito) parecia um peso morto...os músculos relaxaram de tal maneira que não os sentia, contudo a cabeça continuava a mil à hora. Conclusão: foi a pior noite da minha vida, os níveis de ansiedade aumentaram e continuei sem dormir.
    Nunca mais repeti a experiência!!
    Bons sonhos ^_^

    ResponderEliminar
  18. Eu já experimentei vários destes calmantes naturais - alguns resultam, outros nem por isso. Comprei recentemente o de uma outra marca que foi caro e o resultado, nulo. Vou anotar este.
    Sofro do mesmo problema, apesar de a minha filha ter dormido bem desde que nasceu, inclusivamente passando às noites inteiras de sono aos 2 meses. Mas eu, de uns dois anos para cá - ela tem 4 anos -, estou com as minhas noites de sono iguais às da Pipoca. Quando não consigo mesmo voltar ao sono e são por volta das seis, faço o meu yoga. Ou leio. Mas afeta o meu humor, principalmente lá pelo final da tarde.
    Algo que ajuda bastante a manter o sistema nervoso , e por tabela o sono,"saudável" são zinco e magnésio. Comecei tomar um suplemento de alta concentração de magnésio e, para um reforço, como sementes de abóbora e de girassol antes de dormir (sementes ajudam o sono também, principalmente as de abóbora). Notei uma ligeira melhora, não custa tentar.

    ResponderEliminar
  19. Já experimentei, encontrei na semana passada e estou a gostar, muito mais relaxado e dormi melhor.. pelo menos não acordei, o que é frequente! ;)

    ResponderEliminar
  20. Quando trabalhava e estudava ao mesmo tempo o sono também começou a fugir. Por muito cansada que estivesse tinha o sono super leve, acordava a meio da noite sem razão aparente e andava em modo zombie. Lá veio um valdispert para casa e dei-me muito bem com ele. Zero de habituação e bem eficaz.
    Posto isto, e quando a caixinha acabar, ainda vou experimentar este.

    ResponderEliminar
  21. Um atarax, ajuda muito, é "tiro e queda", para questões de sono mais complicadas um lorenin fraquinho é do melhor.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O Lorenin é medicamento de outro campeonato..., causa dependência!):
      Quanto ao Atarax, é de facto eficaz, mas o mais aconselhável é tomá-lo em xarope, uma colher de sobremesa(como já foi dito por alguém acima), pois a dosagem é inferior à de um comprimido.(;

      Eliminar
  22. Pipoca, durmo mal mas já aceitei esta condição. Há dias que acordo às 2h da manhã e outros às 5.30 da manhã. Fico sempre uma hora sem dormir. Quando era mais nova, ficava muito ansiosa, agora já me habituei, até leio artigos ao meio da noite no tlm. Quando durmo oito horas fico com imensas dores de cabeça.
    Odeio estar na cama, só o faço pq tem que ser! E outra coisa, adorava ter um namorado como o Arrumadinho, sempre com vontade de acordar cedo e aproveitar logo a manhã para fazer coisas. Já o meu namorado é como tu:-)

    ResponderEliminar
  23. Boa noite, Ana!
    A minha filha joaninha ainda hoje aos dois anos é um castigo para dormir. A constança ajudou-me muito, pois percebeu como poderiam funcionar melhor as coisas connosco sem ideias pré concebidas. Acalmou-me também. Apesar de ainda demorar muito para adormecer e ainda acordar para mamar dorme muito melhor e eu já não stresso com isso. Agora ainda me custa um pouco voltar a adormecer, por isso este remédio pode ajudar se tomado nessas alturas, acho.
    Obrigada,
    Teresa

    ResponderEliminar
  24. Boa publicidade, parabéns! Para quem tem insónias - a privação de sono faz horrores à saúde mental - pode experimentar o LIVETAN 500, é considerado medicamento psiquiátrico, pela concentração de valeriana, e acreditem é muito relaxante, não tem efeitos secundários nem colaterais, não causa habituação e é de venda livre nas farmácias.
    Gostei especialmente da forma simples como a Pipoca escreve sobre assuntos sérios. A vinda de um filho altera sempre a dinâmica do casal e o tempo de dormir descansado acaba-se, e alguém especializado ajuda bastante, mas realmente as crianças têm vontade própria.

    ResponderEliminar
  25. Pipoca, experimenta acupunctura :)

    ResponderEliminar
  26. Como te compreendo!! Também sou como tu, adoro dormir! Não tenho filhos mas de alguns anos para cá o meu problema é adormecer. Porque adormecendo durmo a noite todinha. Mas lá está preciso de algo para me ajudar.É natural, descobri este produto há pouco tempo chama-se Stresscalm sono da Natiris. E é fabuloso.
    Espero que esse te ajude. Bjs

    ResponderEliminar
  27. Obrigada Pipoca por voltares a escrever sobre temas que tocam a todos...nomeadamente a parte em que falas sobre a dinâmica do casal, que é comum a muitos. Saudades desses temas e da possibilidade de ao falares da vossa relaçao (tu mantinhas ele activo) ser possível muitas de nós identificar-nos

    ResponderEliminar
  28. Eu gostava de ter nascido com aquela característica do nosso presidente que diz que só dorme 3 ou 4 horitas por noite e acorda naquele frenesim que se lhe conhece. Mas não, Deus nosso senhor pôs-me na terra com uma necessidade de dormir não umas 8, não umas 9 mas sim para aí umas 10 horas por noite para estar bem no dia a seguir. E ainda me abençoou com insónias frequentes como as que me atacaram agora e me fazem estar a ler blogues às 4 da manhã... Por isso se estivesse com alguém que ao fim de semana me quisesse arrancar da cama de manhã para fazer o que quer que fosse era divórcio na certa. Pudesse eu e era menina para passar o fim de semana inteirinho na cama, entre livros e mega sestas. Se há coisa que me faz feliz é dormir! Assim arranjei um mega preguiçoso como eu e só se estragou uma casa...

    ResponderEliminar
  29. Pois problemas com sono são muito complexos. Sou enfermeira a trabalhar por turnos. Tão depressa entro às 6h como às 13 ou como trabalho várias noites seguidas (não trabalho em Portugal). Obrigar o corpo a descansar em função do horário de trabalho é muito dificil e muitas são as vezes que a medicação é uma ajuda preciosa

    ResponderEliminar
  30. Tive uma fase de imensas insónias que melhorou com natação à hora de jantar. É um exercício completo mas não estafante e o efeito piscina-noite-casa quente era milagroso. Agora também tenho filhos e estou sempre tão cansada que adormeço com eles imensas vezes (levantar às 6.30 tem esse efeito.)
    A minha sogra queixa-se imenso e toma essas coisas todas, mas a verdade é que aquela cabeça nunca pára e raramente está em paz. Sem alfinetadas, mas acho a capacidade de "desligar" o complicómetro essencial para dormir bem. Aliás, a ansiedade arruina qualquer noite de sono. Tal como a maioria das crianças não precisaria de medicação se passasse mais tempo a fazer exercício na rua, os adultos também dormiriam melhor. (Salvo casos clínicos, óbvio)

    ResponderEliminar
  31. Eu também adoro dormir e para mim não há nada melhor do que não ter planos ao domingo e passar o dia a comer e ver séries. Sou feliz assim. :)

    ResponderEliminar
  32. Também adoro dormir, agora não consigo dormir tanto pois com a idade dorme-se menos, mas lembro-me de quando era bem novinha o meu pai ia ao meu quarto e dizia-me: Não durmas tanto, porque quem muito dorme pouco aprende.

    ResponderEliminar
  33. Eu não sei o que se passa mas no último mes aos fins-de-semana acordo sempre por volta das 7h e já não consigo dormir...Por mais que tente. Dá-me muita raivazinha especialmente por ser fim-de-semana. Já aos dias da semana, só me levanto quando o despertador toca às 8.40... Não é normal!

    http://6800milhas.blogspot.com/

    ResponderEliminar
  34. ja exprimentei aconselharam me na farmacia, tomo 1 e acordo menos vezes mas se tomar 2 durmo como um anjo. minhas noites eram um tormento.... para já estou super satisfeita com stilmoite

    ResponderEliminar
  35. Estava a pesquisar sobre o Stilnoite e vim parar a este post por mero acaso. Tomo o Stilnoite há uma semana e meia, todas as noites, e noto melhores resultados do que quando o tomava pontualmente apenas (se na noite anterior tinha tido dificuldade em adormecer, por exemplo). Até porque o Stilnoite toma-se 30 minutos a 1 hora antes de se ir dormir, para induzir o sono. Acho é que sonho mais que o normal, mas pode ser impressão minha. Mas fica aqui a minha recomendação: tomá-lo todos os dias. E em períodos de maior stress ou preocupação, tomo outro remédio natural que me tem ajudado a ter uns dias, e consequentemente umas noites, muito mais tranquilas: o Kalms Tablets.

    ResponderEliminar
  36. Como já dormiste muito na vida, agora podes passar uns meses acordada. Parece-me lógico.

    ResponderEliminar

Teorias absolutamente espectaculares

AddThis