Pub SAPO pushdown

E porque hoje é o dia dele, que venha o sol

terça-feira, maio 03, 2016

Na semana passada, quando publiquei aqui no blog este look em que aparecia de saia, não faltou quem viesse comentar o facto de eu estar demasiado branca. Bem, a verdade é que não estou demasiado branca.  Eu sou branca, sempre fui, e é normal que em Abril, não tendo ainda feito nenhuma praia (tirando quatro ou cinco dias no início do ano, em férias) não haja vestígios de bronze. Se gostava de estar o ano inteiro com aquele arzinho dourado e resplancedente? Claro.  Se vivo bem com a minha "brancura"? Também. A minha relação com o sol mudou ao longo dos anos. Longe vão os tempos em que corria para a praia aos primeiros raios, mesmo que estivéssemos em Fevereiro. E ainda mais longe vão os tempos em que, em plena época balnear, ficava horas e horas a torrar ao sol, com poucos ou nenhuns cuidados com a pele. Agora já não embarco nessas aventuras. Continuo a amar praia, calor, verão e essas coisas todas, mas tenho muitíssimo mais cuidado com as horas de exposição, uso sempre protectores com o índice máximo,  e mais depressa me apanham debaixo do chapéu, à sombrinha, do que esticada debaixo de um sol escaldante. Até porque posso passar os três meses de Verão ao sol que nunca conseguirei ter mais do que uma corzinha. Sou branquelas, é a vida. Mas reconheço a importância do sol. E sou muiiiiiiiiiiiito mais feliz com sol do que com chuva. Passo a vida a dizer que nasci para viver num clima tropical, por mim era Verão o ano inteiro. O sol tem um influência incrível na vida das pessoas, sobretudo no seu bom humor, fica logo tudo mais bem disposto, com outra energia. Agora mesmo, estou a escrever numa esplanada no Chiado que está a rebentar pelas costuras de tanta gente. Somos um povo-caracol, aos primeiros raios de sol vem tudo para a rua, e ainda bem.

E já que falamos de sol, aproveito para vos informar que hoje se celebra o Dia Internacional do dito. Não fazia ideia de que havia um dia dedicado ao tema, mas ainda bem, porque se há coisa que merece ser celebrada é o sol. E é impossível falar de sol sem falar em vitamina D, que tanta falta nos faz, Sobretudo a nós, mulheres. Isto porque somos as mais afectadas pela deficiência de vitamina D. Confesso que não faço ideia se os meus níveis estão bons, maus ou assim-assim, mas já tenho a receita lá em casa para ir fazer análises e tratar do assunto.  A vitamina D está directamente ligada à calcificação dos ossos, à absorção do cálcio e à tonificação dos músculos, mas também a doenças cardíacas, diabetes, infecções, etc e tal. 

O sol, que tantos de nós tememos (e que tantos de nós usamos em excesso) é a principal fonte de vitamina D. Para terem uma ideia, basta expor as mãos e a cara ao sol meia-hora por dia, entre as 11h00 e as 15h00, sem protector, para absorvermos a nossa dose diária de vitamina D. "Entre as 11h00 e as 15h00? Mas isso não é a pior altura para se estar ao sol?", perguntam vocês, já em pânico. Sim e não. "Sim" se ficarem ao sol por tempo indeterminado, "não" se respeitarem os 15 a 30 minutos diários, sem uso de protector. Isto porque os protectores solares anulam a síntese cutânea de vitamina D.

A grande maioria de nós faz a sua vidinha em espaços fechados. Estamos o dia inteiro no escritórios, saímos para almoçar num qualquer restaurante, vamos ao ginásio, voltamos para casa, vamos ao cinema, e assim se passam os dias, com muito pouca exposição solar. Para além disto, ainda fazemos uma alimentação pobre em vitamina D. Tudo isto vai ter consequências na nossa saúde, sobretudo nos ossos, que ficam mais frágeis e susceptíveis a fracturas.  Isto é ainda mais preocupante com o envelhecimento, sobretudo na altura pós-menopausa, em que a carência de estrogénio nos obriga a cuidados reforçados.

Posto isto, prevenção é palavra de ordem e a forma mais simples de o fazer é através de análises que diagnosticam o défice de vitamina D. Não dá trabalhinho nenhum, é só pedir a receita ao médico de família. Ao mesmo tempo, podem ir fazendo algum trabalho paralelo. Por exemplo, a tal meia hora de exposição solar diária, uma alimentação saudável e rica em salmão, sardinhas e leguminosas, a prática de exercício físico regular e, se necessário, suplementação de vitamina D. Entretanto vou fazer as minhas análises e depois logo vos digo se ando a apanhar sol a mais ou a menos. Desconfio seriamente que é a menos.

Post em parceria com a HSJ Consultores

39 comentários:

  1. Por esses motivos e mais alguns o meu filho desde que nasceu que toma vitamina D diariamente por indicação da pediatra, pois previne uma série de doenças e malformações no seu crescimento e isto é aconselhado a todas as crianças que vivem em paises como Portugal ou com menor exposição solar e paises frios.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ana, converse com outro médico, é capaz de estara dar vitamina D a mais ao seu filho, a não ser que saia pouco de casa.
      Portugal, Espanha e Grécia são os países europeus com maior exposição solar, mesmo no inverno, e costuma ser suficiente para uma criança ou adulto normal (a não ser que haja carências particulares).

      Mafalda

      Eliminar
    2. "Portugal ou outros países com menor exposição solar"??? A sério? Bastou-me 5 segundos no google para perceber que Portugal é um dos países europeus com maior exposição solar, só para tirar dúvidas, caso eu estivesse a alucinar.

      Eliminar
    3. Mafalda é guideline dar suplementação da vitamina D às crianças pelo menos até aos 2 anos.

      Eliminar
    4. A tal vitamina D chama-se Vigantol (suponho eu), o meu filho tomou, e todos os bebés que conheço também...aliás eu há 29 anos também tomei....logo não, não é falha da pediatra em questão, muito pelo contrário :)
      O nosso pais tem muita exposição solar, mas o suposto é os bebés apanharem pouco (ou nenhum) sol direto...

      Sónia

      Eliminar
    5. Todos os bebés tomam vigantol até um ano de idade. Vigantol são gotas de vitamina d que previne por exemplo o raquitismo. Apos um ano não é necessário

      Eliminar
    6. 10 min por dia dão a dose necessária de vit D. Em países como Portugal não é necessária a suplementação com vit D (agora se viver na Suécia, a história é outra)
      Anabela

      Eliminar
    7. Maria, isso não é verdade. O pediatra da minha filha nunca receitou tal suplemento.

      Eliminar
    8. Mas devia Simplesmente Ana

      Eliminar
    9. É verdade sim, é aconselhado todas as crianças tomarem suplemento de vitamina D, pois essa vai-se buscar directamente ao sol e nenhuma criança no nosso pais fica exposta ao sol todos os dias do ano sem protector solar durante meia hora para absorver a quantidade necessária de vitamina D. E Portugal é um pais com baixa exposição solar sim, temos sol meia duzia de meses no ano e no inverno o tempo em que existe sol é no mesmo horário que as crianças estão nos infantários e a dormir por isso não apanham sol e muito menos se expoe crianças ao sol sem protector sol e com ele a vitamina D não é absorvida.

      Eliminar
    10. Anónimo das 15:32, é ridiculo dizer que o nosso país tem baixa exposição solar. Uma coisa é as crianças não estarem expostas a ele pelos motivos que referiu, outra totalmente diferente que o nosso pais tem pouca exposição solar. Muito pelo contrário. Devia viver na Bélgica, Inglaterra, etc durante 1 ano para ver o que é pouca exposição solar LOL

      Eliminar
  2. Gostei da definição de povo-caracol. Sou exatamente assim, muito mais feliz com sol. E já tenho o hábito de passar trinta minutos diários ao sol sem protetor. À pala disso -e do dia de praia que fiz no passado fim-de-semana- as minhas pernas já estão bronzeadas (o que, na realidade, me é indiferente, apenas bronzeio com imensa facilidade).



    Perdida em Combate | PASSATEMPO Birds of a Feather

    ResponderEliminar
  3. Acho desnecessário, esses comentários do 'tás branca, bla bla bla'! Quando a cada dia que passa sabemos bem, ou talvez não, dos perigos do sol :)
    Passo o meu verão branquinha, sem escaldões e a prevenir problemas de pele futuros!

    ResponderEliminar
  4. Somos mesmo mais felizes com o sol. Tenho também o hábito de passar uns minutos ao sol, mas 30 minutos seriam demais, no meu caso. Eu ganho cor com muita facilidade e em pouco tempo, sendo a cara a parte do corpo que mais rapidamente a apanha. Se o fizesse, em duas semanas estaria com um bronzeado bem forte e pouco saudável.
    Por isso prefiro colocar as pernas ao sol.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É correcto o uso das duas formas, mas obrigado :)

      Eliminar
  5. Eu gosto de bom tempo mas não do calor abrasador do verão.

    Sou branquelas, evito o sol e uso protector solar. Para mim o que importa é proteger a minha pele.

    Há pouco tempo fiz análises e como é de esperar... tenho grande deficiência de vitamina D.

    ResponderEliminar
  6. Somos de facto mais felizes ao Sol! Só é pena o facto de eu me ter de ir embora para a cinzenta Inglaterra hoje a tarde :(
    Quanto a pele branca - branca mais branca que eu não há. É que nem no Verão a coisa pega! Mas já estou conformada ;P

    Days of Blues

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sónia, realmente o sol torna-nos mais alegres,e está triste por ter que ir para a cinzenta Inglaterra, mas olhe que quando está lá sol aquilo é muito bonito também, e eu já apanhei lá muitos dias de sol,pois passo lá muitos meses porque tenho lá os filhos, e adoro aquele País e os ingleses são mais educados e simpáticos do que aqui, pelo menos desta cidade onde moro. Por isso aproveite, e olhe que o sol daqui não é tudo, é agradável, mas lá também se tem qualidade de vida. Felicidades.

      Manuela

      Eliminar
  7. E um post sobre os trapitos usados na MET GALA 2016? :)

    ResponderEliminar
  8. E coincidência, ou não, na próxima quarta-feira é o dia do euromelanoma, e serão realizados rastreios de cancro cutâneo por todo o país.

    ResponderEliminar
  9. Por acaso acho que tens uma cor de pele bem bonita e que as fotografias ficaram excelentes.

    Paula

    ResponderEliminar
  10. PIPOCAAA!!! E um post acerca dos vestido da Met Gala 2016??!! Há tanto, mas tanto material para comentar!! Vá láááá´.... Preciso de rir! Por favoooor!! :) :) :)

    ResponderEliminar
  11. O post é muito informativo, embora a exposição não tenha de ser 30 minutos, menos basta. Além disso tenho a lhe fazer um reparo. Não é necessário uma mulher ir para o médico de família a pedir análises para ver se tem vitamina D ou não. Alias, desde que a pessoa tenha esses cuidados e esteja assintomática, não tenha nenhum problema de saúde major e não esteja na menopausa, nem sequer tem indicaçao para fazer as análises. Só é dinheiro mal gasto para o estado (porque a saúde tem custos), vai dar uma sensação de falsa segurança e, a fazer mudanças, na maioria é incentivar a exposição solar controlada. Só numa pequeníssima minoria é que seria para dar suplemento

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. "se respeitarem os 15 a 30 minutos diários"

      Eliminar
  12. A minha geração (30/40 anos) nunca tomou suplementos e a falta de vitamina D não foi um problema com destaque nesta geração nem nas anteriores. Talvez tenha sido porque brincavamos muito ao ar livre.

    Saiam de casa, as crianças podem apanhar um pouco de sol em todas as idades. Então e as crianças africanas? Não podem apanhar sol? A minha filha é branca e foi criada em África e apanhou sempre sol moderado desde que nasceu, nem havia como evitar.

    Beijos. Marisa

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Em Africa é verao o ano inteiro, as crianças apanham sol o ano inteiro muito diferente de Portugal e outros paises. E sim as crianças da sua geração tomavam óleo de figado de bacalhau para o raquitismo que era bastente frequente, só que agora com o avanço da ciencia é substituido pela vitamina D. E sim neste geração oa pais e os médicos entipiam as crianças de vitaminas, coisa que agora só é receitada quando há um défice ou um problema de saúde que o justifique. Eu pertenço a essa faiza etária a cada vez que tomava aitibiótico lá vinha a caixa das vitaminas coisa que agora não é usada e dava-se vitaminas às crianças para "crescerem mais fortes". O meu filho tem 2 anos e meio e só tomou vitaminas e ferro desde que nasceu (prematuro) até começas a comer carne, mas a gota diária de vitamina D continua....

      Eliminar
    2. Não, a geração 30/40 não tomava óleo de fígado de bacalhau, nunca tomei nem conheço ninguém da minha idade que tenha tomado e também nunca tomei qualquer tipo de vitaminas. Não era prática habitual e não conheço casos de raquitismo que indiquem que esta geração foi mal cuidada.

      Eliminar
    3. A "questão" foi quem mencionou erradamente "geração de 30/40", quando queria mencionar grupo etário nos 30/40!...nascidos nos 70'- 80', ou seja, gerados/geração de 70'ou 80! Sendo Óbvio, que são raras as pessoas entre os 30-40 anos que tenham tomado " o adorável óleo de fígado de bacalhau" à colher ou em cápsulas...
      Já os seus pais ou avós, nascidos nos 30', 40',50'certamente que o consumiram...à colherada e à força, como muitos relatam!):

      Eliminar
  13. As farmacêuticas agora estão a apostar nesta treta da falta de vitamina D. É o produto do dia. Há que aumentar as vendas. É assim que se faz negócio!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não é treta nenhuma, a minha mãe tem os valores da vitamina D muitissimo baixos e mesmo com exposição ao sol (que nos meses de inverno no nosso pais é quase impossivel pelo menos no interior norte) o organismo dela não absorve a vitamina D do sol e mesmo com o suplemento a coisa não melhora muito. O meu filho com 2 anos e meio desde que nasceu que toma uma gota diaria de vitamina D pois no nosso pais não há exposição solar diária todos os dias do ano muito menos nas crianças que não devem apanhar sol sem protector solar

      Eliminar
    2. O caso da sua mãe é um caso patológico. Num adulto ou criança normal, a absorção da vitamina D faz-se naturalmente.

      Eliminar
    3. Totalmente de acordo anon. 16.53,...Pena que existam muitos progenitores...que se deixem levar pelas "balelas" de muitos pediatras, entupindo os filhotes com medicação e suplementos desnecessários!
      Se providenciarem às crianças um regime alimentar adequado e equilibrado(MAcs/pizzas/bolicaos/gomas e similares totalmente proibidos,ou o menos possível, comida pronta ou pré-pronta de bebé ou criança a evitar ou só excecionalmente...) que inclua muita sopa de vegetais às principais refeições, vegetais no prato principal, fruta diariamente e mais de 1 peça, opção por peixe sempre que possível ou carnes brancas a título de proteína,e produtos lácteos com pouco açúcar...
      Será meio caminho andado para termos crianças saudáveis sem necessidade de suplementos!
      Mas dá trabalho...lá isso dá, para descascar legumes(muitos) dia sim dia não... e por vezes para convencê-Los a não ingerir porcarias!(:

      Teresa

      Eliminar
  14. Aqui, ao contrário de Portugal a suplementação com vitaminda D é constante e banal porque lá está, exposição solar nao ha muita (Noruega). Um dos mprodutos que mais vendemos na farmacia é mesmo vitamina D por causa disso mesmo :)

    ResponderEliminar
  15. sou branquelas, ao meu lado a Pipoca parecia bem bronzeada. mas tenho história familiar de melanoma, por isso na dúvida entre contribuir para um futuro eventual melanoma e uma eventual e assintomática falta de vitamina D... que falte a vitamina D.

    recomendo este fantástico filme, "Dear 16 years old me" :) : https://www.youtube.com/watch?v=DI4e-XSwf2w

    ResponderEliminar

Teorias absolutamente espectaculares

AddThis