Pub SAPO pushdown

Dez dicas fortíssimas para esquecer alguém

quinta-feira, março 31, 2016


Todos os dias me caem na caixa de mail pedidos de ajuda para tudo e mais alguma coisa. A grande maioria é muito ao género "socorro, o que é que visto num casamento/baptizado/baile de finalistas/entrevista de emprego/primeiro encontro/ida a casa dos sogros/passear o cão". Mas há de tudo um pouco. Que curso escolher, se devem mudar de profissão, o contacto do meu cabeleireiro ou dramas amorosos. E é neste último campo que me sustenho. Porque não quero ter esse tipo de responsabilidade na vida das pessoas, porque só ouço um lado da história e há sempre dois, porque sei que às vezes sabe bem ouvir uma opinião isenta mas eu não me vejo com esse conhecimento todo para poder dar palpites. Mas há um tema que me toca ao coração: como esquecer alguém. Como ultrapassar uma relação falhada. Como apagar da nossa vida um qualquer traste que sambou em cima do nosso coração mas que, sabe-se lá porque raio, continuamos a achar que podia vir a ser o pai dos nossos filhos. 

O tema das dores de alma sempre me interessou e sempre achei que era desvalorizado. Quando nos partem o coração, quando nos sentimos a rastejar na lama num misto de amor e ódio, a tendência generalizada do nosso círculo é para nos passarem a mão pelo pêlo e dizerem coisas quentinhas como "ele não te merecia" ou "não há nada que o tempo não cure". Invariavelmente, a vontade é responder "EU SEI QUE PASSA, CARALHO, MAS EU QUERO QUE PASSE JÁ, E ENQUANTO NÃO PASSA QUERO QUE ELE RASTEJE ATÉ MIM PARA EU PODER ESPEZINHÁ-LO ATÉ OS OLHOS LHE SALTAREM DAS ÓRBITAS". Ninguém disse que temos de ser boas pessoas e ter pensamentos positivos quando nos estilhaçam o coração. Ideias destas são perfeitamente aceitáveis. 


Esquecer alguém é lixad... é fodido. É fodido, desculpem lá, não há outro termo. Porque nos dá aquele aperto no estômago (o que às vezes se traduz em falta de apetite, o que até é bom), porque nos torna seres amorfos e sem vontade de fazer o que quer que seja, porque nos obriga a checar o telemóvel quatro vezes por minuto para ver se o desgraçado deu notícias, porque nos faz viver numa montanha russa emocional. Num dia achamos que já estamos óptimas, que já esquecemos, vamos mas é sair, e conhecer pessoas, e fazer quatro cursos ao mesmo tempo. E no dia seguinte voltamos a afundar-nos na tristeza, nas perguntas circulares que não nos saem da cabeça (o que é que falhou? Porque é que não deu? Será que ainda vai dar?), nos pensamentos típicos de quem não sabe que o melhor ainda está para vir, tipo "se não é ele não vai ser mais ninguém". Construímos conversas imaginárias, antecipamos respostas a perguntas que, muito provavelmente, nunca chegarão, temos discursos de hora e meia programados no disco rígido da mente. Been there, done that...

É por este assunto me tocar que achei imperativo reunir aqui algumas ideias para esquecer gajos que nos lixaram a vida.  Sim, vamos já assumir que a culpa é sempre deles, para facilitar a coisa. Para isso, pedi ajuda ao meu grupo mais próximo de amigas. Entrei no nosso chat de WhatsApp e anunciei: "estou a escrever um post com os melhores conselhos para esquecer gajos e relações que correram mal. Quais são os vossos?". Conhecendo-as como conheço, já sabia que viria dali muito suminho. E veio. Das sugestões mais conservadoras às mais destrambelhadas, há de tudo um pouco. Pelo meio, entusiasmaram-se e misturaram "conselhos para esquecer um homem" com "melhores maneiras de nos vingarmos de um cabrão".  Vamos a isto:

1- "Comer outro gajo, comer chocolates, no fundo comer".  Ok, certo. Concordo em parte. Comer outros gajos liberta-nos a mente durante um bocado,  alivia a tensão sexual e, se for bom, então é só ganho. Mas isso não preenche o vazio. Volta-se para casa e continuamos a querer que o outro se lembre que nós existimos. Quanto a enfardar chocolates, já estou como outra amiga minha: "comes chocolates e depois não comes gajo nenhum". Calma aí com as barritas Kinder. Uma caixa de quatro tudo bem (vá, oito), quatro ovos Kinder tamanho XL já é capaz de ser demasiado açúcar à conta de um só gajo (ver mais sobre isto no ponto 8).

2- "Renovar o stock de cuecas". Tudo o que seja mudança é positivo, mas renovar a lingerie poderá servir apenas para nos lembrar da nossa vidinha sexual mais parada do que a defesa do Sporting quando sofreu o golo do Mitroglou em Alvalade. Se calhar deixamos isso para quando houver alguma perspectiva de darmos um baile funk no nosso pipi.

3- "Fazer uma lista de tudo em que o gajo não prestava". Ok, aqui já começamos a falar mais a sério. Eu acho, mesmo, que isto ajuda. Peguem num folha A4, dividam-na ao meio, e de um lado escrevam os prós e os contras. A ideia é que, no final, a lista de contras seja sete vezes maior do que a lista dos prós, por isso metam a carne toda no assador, minhas amigas. Tudo serve. Não sabia pendurar um quadro, falava demasiado na mãe, ficava péssimo de gorro, não vos dava beijos na boca depois de lhe fazerem sexo oral, fazia dietas mais rigorosas do que as vossas, nunca deixou que lhe pusessem rímel só para ver como é que ficava, era incapaz de sair da cama quando lhe pediam, encarecidamente, que vos fosse fazer uma tosta às quatro e meia da manhã. TUDO CONTA! Até os orgasmos que tiveram de fingir.

4- "Aparecer com alto par de mamas". Eh pá, umas boas mamas são sempre umas boas mamas, mas não sei se vale a pena tanto trabalho só por causa de um gajo. Se vos apetecer força, pode ser visto como um investimento a médio prazo, já a pensar em relações futuras, mas não sei se terá grande efeito no vosso ex. 

5- "Fazer desaparecer tudo o que vos fizer lembrar dele". Certo. Pode ajudar. Livrem-se de fotos LOGO, ponham a andar coisas que ele vos ofereceu (bem, as coisas boas podem ficar),  doem tudo o que é dele a uma instituição (preferencialmente antes de ele ter tempo de recolher as coisas, só assim naquela do requinte de malvadez), não passem a vida a tentar cruzar-se com ele nos sítios onde costumavam ir (café, ginásio, etc e tal), apaguem o número de telemóvel, apaguem-no do Facebook, apaguem-no do Instagram, apaguem-no, apaguem-no, apaguem-no. 

6- "Começar uma relação com um gajo que ele odeie". Ou com o pai dele. Ou mesmo o irmão. Ou ambos. E ainda dizer que a natureza foi mais generosa com o irmão, porque sai ao pai. Ok, ok, ok, vamos acalmar. Enrolarem-se com um gajo que ele odeia pode servir para lhe causar ali algum transtornozinho, mas ele também pode estar só a cagar-se para isso (é bastante provável). E, relembro, a ideia é esquecê-lo. Tudo o que fizerem com o objectivo de o provocar vai no sentido oposto a esquecer. Concentrem-se, mulheres, concentrem-se.

7- "Chorar e deixar que passe". Ok, de volta às ideias (mais ou menos) sensatas. Contrariamente às correntes que defendem que temos de ser fortes e que homem nenhum merece as nossas lágrimas, eu acho que temos de carpir algumas mágoas. Chorar alivia, e mais vale isso do que andar sempre a simular uma cara alegre e a ferver por dentro. Mas calma lá com o choro. A minha teoria é: definam um tempo de choro. Vai ser um dia? Uma semana? Um mês e meio? Tudo bem, seja o que for, chorem o que tiverem para chorar, deitem tudo cá para fora, mas findo o prazo acabou. Depois disso, bola prá frente que atrás vem gente. 

8- "Ouvir músicas de fazer chorar as pedras da calçada". No período de maior dor não só estão autorizadas a enfardar chocolates (ver ponto 1), como a ver a Bridget Jones em repeat e a ouvir aquilo que eu chamo de "músicas para velar uma relação". Aqui fica o meu top 5:
    - "Love Ridden", da Fiona Apple;
    - "I can´t make you love me", dos Bon Iver;
    - "Vete", dos Marlango
    - "Trajetória", da Maria Rita
Se a coisa for mesmo muito, muito, muito grave, estão autorizadas a ouvir João Pedro Pais e a ler Pedro Chagas Freitas.

9- "Tempo. Isto vai lá com tempo". Desculpem, não me atirem já com uma pedra ao olho, eu sei que fui a primeira a dizer que ninguém quer ouvir falar de "tempo", mas a coisa resulta mesmo. A grande merda é que não depende de nós. Não podemos estipular "ok, vou estar na merda durante um mês e 18 dias e depois fico fina". Era fixe, mas não dá. O tempo é uma grande, grande incógnita e, quando estamos no fosso, parece que cada dia tem 340 horas. E, pior, não é garantido que cada dia seja sempre melhor do que o anterior. Porque terão dias fixes e dias em que se sentirão verdadeiras ratazanas de pêlo deprimido. Até que um dia, não sabem muito bem como, a coisa passou. Ou, pelo menos, já não dói. A meta é essa. Até lá, tentem não pensar na outra pessoa vinte vezes mais do que aquilo que pensam em vocês. E não entrem na espiral destrutiva de "o problema é meu", "não sou suficientemente boa", "óbvio que ele ia acabar comigo", "de certeza que já arranjou outra". Sosseguem esses corações e tentem ver o copo meio cheio. Mais não seja o copo de gin.

10-  Se tudo falhar, venha a vingança. Há pessoas assim, que só conseguem avançar depois de berrarem, de baterem portas, de enviarem cerca de dois milhões de sms ou de elaborarem um plano de vingança. Se for esse o caso, aqui ficam algumas dicas das minhas amigas:
- Imprimir fotos dele e distribuir no Rossio a dizer que é um cabrão (quem diz Rossio diz avenida dos Aliados ou praia de Quarteira em Agosto);
- Contratar uma russa para entrar pelo escritório dele e fazer um escândalo, berrando que tem de assumir os dois filhos que lhe fez;
- Pôr cocó de cão nos puxadores da porta do carro dele (esta operação exige levar toalhetes para não deixar vestígios visíveis);
- Pedir a um amigo vosso que ligue para o escritório dele e deixar recado: "diga ao Luís que o namorado ligou". Se puderem garantir que o recado é entregue à secretária ou recepcionista o efeito é maior, de certeza que toda a gente vai ficar a saber;
- Criar um blog chamado naoandemcomestecabrao.sapo.pt ou shortdickman.sapo.pt

Se tiverem mais dicas úteis é mandar vir. Estarão a ajudar muita mulher neste nosso Portugal.

(não é preciso avisar que este texto está carregado de parvoíce, exagero e ironia, ou é?)

211 comentários:

  1. Gosto tanto deste registo :)

    ResponderEliminar
  2. Sofrer por amor só é aceitável se o parceiro tiver morrido, porque vejamos:

    - Se a relação acabou por desamor da minha parte, estou tranquila;
    - Se acabou por desamor da parte dele, só dói nas primeiras semanas, embora doa muito. Depois racionalizo que quem perde é ele e deixa de existir para mim;
    - Se acabou por traição da parte dele, então é um palhaço e não era quem eu pensava.

    De resto, concordo com a 3, 5, 7 e 9. Para músicas prefiro o Cell Block Tango do Chicago, ahah. No final da minha última relação criei um blog chamado "Só me saem duques" para tentar que as pessoas partilhassem histórias de cretinos com quem andaram, mas a coisa não teve adesão.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Amei....e estou exactamente na 4 semana de choro, chocolates e jantares que os amigos do coraçao. Vai melhorar....eu sei, pq não ha outra hipótese. Coragem :)

      Eliminar
    2. Nádia, só dói nas primeiras semanas? Era bom era... Se a si lhe sucede isso, acredite, não era amor o que sentia. Eu que não sou piegas posso-lhe dizer que é um sofrimento brutal e demora muitos meses, às vezes anos, às vezes uma vida.... Espero que nunca saiba do eu estou a falar.

      Eliminar
    3. Eu há 13 mases que descobri que um cabrão me traia e pu-lo a andar. Há pouco tempo que deixei de chorar mas ainda penso nele. Infelizmente ainda gosto dele. Pergunto-me se algum dia deixarei de gostar.

      Eliminar
    4. Anónimo das 16:29... Talvez não, ou talvez as pessoas tenham formas diferentes de processar as coisas. Ao início também me parece que a tristeza vai durar para sempre, mas o choro inicial é tanto que acho que sofro tudo em pouco tempo. Depois racionalizo e deixo de conseguir sofrer por quem não gosta de mim, há qualquer coisa em mim que se revolta e não me deixa ser aquela pessoa que sofre por quem já não a quer. Tenho a certeza de que sofreria anos por uma companheiro morto... mas por alguém que me deixou?

      Eliminar
    5. Amei!!!! Gosto particularmente da vingança do cócó :)

      Eliminar
  3. espero nunca vir a precisar deles mas fiz nota mental de alguns :D

    ResponderEliminar
  4. Falta-te aí a "Like Clockwork" dos QOTSA!

    ResponderEliminar
  5. As duas últimas do ponto 10 são as melhores :D

    ResponderEliminar
  6. Adorei as dicas :)
    Aposto que ate as mulheres deprimidas pos gajo..estão a rebolar de rir :)

    Muito bom!

    ResponderEliminar
  7. Os seus textos por momentos parecem os do Por Falar Noutra Coisa mas, em versão feminina. Género daqueles que se veem nas páginas de Facebook.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Verdade!!! :) Já tinha reparado nisso há uns tempos... Sou fã dos dois. :)

      Eliminar
  8. Muito bom e tudo verdade!!! :)
    eu assumo.. eh eh eh

    ResponderEliminar
  9. Bem adorei TUDO! Pra mim cá vão mais dicas: - imaginá-lo de pijama com uma crise de diarreia ( nem o homem mais lindo fica bem nesta foto ) - relembrar fortemente aqueles pormenores irritantes que nunca demos valor ( voz irritante, tiques estranhos, sotaque manhoso, aquele BMW à pato bravo, a mãe dele, enfim TUDO o que vos irritava e no fundo não queriam ver ) - imaginá-lo a pedir esmola em noite de chuva( sim esta é desumana mas ocorria-me também lolll )sei lá tanta coisa no fundo quando o esquecemos é MESMO quando não nos lembramos sequer de fazer estas parvoíces.

    Vou agora mais longe Pipoca... e que fazer para esquecer um Amor que nunca tivemos?? Pois... deixa estar não quero ser motivo de chacota :P

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É esse mesmo o meu problema, ando a tentar esquecer alguém que nunca tive e acho que é bastante pior pq há sempre muito p pensar em como poderia ter sido... Isto tudo piora pq tenho de estar c ele tds os dias. Tento pensar que ele não merece e não pensar que o problema é meu, dar tempo, pensar em todas as coisas negativas, mas está complicado :(

      Eliminar
    2. The best I never had :)
      I get it!

      Eliminar
    3. Meninas, been there, done that, com uma pequena diferença:
      anos mais tarde, já tinha esquecido há algum tempo, aparece-me o homem à frente. E eu estava melhor. E mais gira. E mais interessante. Ele continuava o máximo. Mas aí já foi ele a querer. Adiante...
      Envolvemo-nos e... o que é que eu descobri? Que além de se babar pior que um bebé quando lhe estão a nascer os dentes, tinha uma pila do tamanho de um baton.
      Andei anos a chorar por aquilo?

      Aposto que esses vossos amores que nunca tiveram têm a pila metida para dentro. :) é avançar!
      Força!

      LRC

      Eliminar
    4. O que poderia ter sido e não foi... por duas vezes com a mesma pessoa, com um intervalo de 15 anos... Aceitar que nem tudo depende de nós.

      Eliminar
    5. Same here! Dona Pipoca, voto nesse texto para aqueles que querem esquecer quem não têm nem nunca tiveram, mas que infelizmente têm de ver todos os dias!

      Eliminar
    6. Vou rir durante muito tempo à conta da "pila do tamanho de um batom". Ahahahahahahahahahah!

      Eliminar
    7. Same here. E nao sou a Dona Pipoca e tenho de ver o pintarolas todos os dias.

      Linnnnndoooooo.
      Raizuparta.

      Eliminar
    8. "pila do tamanho de um batom" AHAAHHHHAAH made my day!!!!

      Eliminar
    9. Meninas aquilo que "nunca tivemos" é muito pior na realidade do que aquilo que fazemos na nossa cabeça. Podem ter a certeza. Exactamente porque nunca tivemos imaginamos uma coisa perfeita, uma coisa que não existe.

      Tive pelo menos 4 paixões inicialmente zero correspondidas, mas duas delas acabaram por acontecer e foram a maior desilusão de sempre, porque uma coisa que nunca foi real leva a nossa imaginação a um infinito sem limites e que não é possível...

      O melhor ainda está por vir, podem crer :)

      Eliminar
    10. É verdade... como fazer para esquecer um Amor que nunca tivemos é a pergunta que se impõe. Já tive desgostos amorosos, é horrível de facto. É querer dormir para não ter que pensar na outra pessoa, é perder o ar que se respira, é um reboninar constante do pensamento e questionarmo-nos constantemente no "porque é que não deu certo". Enfim... Mas, por experiência própria, sei que tudo passa. O tempo é realmente o melhor amigo. As lembranças ficam lá, mas a mágoa vai-se embora e, quiçá, até dar lugar à amizade (sobretudo se esta já existia antes da relação). Mas o que fica entalado na garganta para sempre é a frustração de nunca se ter tido quem se quis sempre realmente. Esse amor que sempre se sentiu por outra pessoa e que nunca se teve oportunidade de demonstrar verdadeiramente. Ficam sempre os "ses" pelo caminho. É horroroso. Não tenho outra palavra. Podia até nem dar certo, mas sem se tentar nunca saberemos não é verdade? Mas, nesse caso, seria preferível olhar para trás e pensar que se tentou e não deu certo do que se ficar pelo meio do caminho. É doloroso. Entretanto, a vida corre com normalidade, mas "aquela" pessoa está sempre lá no pensamento, e haverá sempre um espacinho guardado no coração para ela, ainda que essa pessoa não nos tenha querido. O amor é assim mesmo, irracional e inexplicável.

      Eliminar
    11. anónimo das 19:11, same here! xD

      Mas já estou a ver que anda por aí muita gente com amores que não foram e podiam ter sido e como seriam se fossem e que se prolongam durante uma vida. pensei q fosse caso único. desde os tempos do secundário que tenho um assim. entretanto eu já tive outras pessoas, ele tb e quando finalmente nos envolvemos nao deu. nem sei mto bem porquê.

      Eliminar
    12. "Aposto que esses vossos amores que nunca tiveram têm a pila metida para dentro. :)"
      AHAHAHAHAHAHAHAHAHAHHAHAHAHAH
      Lindo!!! Obrigada por estas gargalhadas :)

      Eliminar
    13. Desculpem-me o que irei dizer, não tenciono parodiar com os vossos sentimentos, mas nunca pensei que existissem em pleno séc. XXI...tantos amores platónicos(:
      E sim tive um, aos 12 anos, por um colega de turma, nunca passou disso...depois, tive vários reais e correspondidos durante a adolescência, acontece a todas ou quase todas...mas em idade adulta!?!
      Caras comentadores, caiam "na real", não se iludam, o "homem ideal" só existem em sonhos, por vezes aquele que vos quer bem está bem próximo e não o vêem, atentem, por vezes o "choninhas" com o qual não podem..."bem trabalhadinho/customizado" pode transformar-se num belo Príncipe que vos amará como merecem! Olhem bem em redor!

      Armadaemconselheira

      Eliminar
    14. Same here! E quando têm 99% de certeza de que ele sente o mesmo por vocês mas, por medo-sabe-se-lá-de-quê, ninguém se chega à frente? 2 coninhas autênticos!!! Ainda por cima ele é mesmo giro, à partida não teria motivos para ser inseguro... Até porque namoradas têm sido umas atrás de outras. 13 anos nesta platonice estúpida!!! Agora já chega, vou mesmo partir para outra. Até porque fiquei a pensar na história do batom... Ahahahahahahah!

      Eliminar
    15. No meu caso (anónima das 10:08) não é propriamente um amor platónico (isto para a anónima das 16:52). Eu tive um relacionamento (não um namoro, chamemos-lhe mais uma amizade colorida, a qual não evoluiu para namoro porque ele nunca quis) com a pessoa que referi no meu comentário. Creio que as outras leitoras também se referiam a pessoas reais com quem tiveram algum tipo de relacionamento. No meu caso, só quis transmitir que essa pessoa é e sempre será especial, ainda que ele não tivesse nunca querido o mesmo que eu. Mas também nunca me enganou ou deu falsas esperanças do que quer que fosse, simplesmente as coisas são como são. Mas entendo o que quis dizer :)

      Eliminar
    16. Eu tenho todos os neurónios da minha cabeça às voltas. O que fazer quando sem se dar por ela, surge um amor imenso por um colega de trabalho que é casado, tem filhos e a mulher dele é tua colega também e uma pessoa espectacular e que adoras?...

      Eliminar
    17. Anónimo das 21:57, o que fazer? Afastar - se! É isso que deve fazer. Com o tempo, vai passar e, se não passar, paciência! Se é casado e tem filhos, não se meta no caminho e arranje outro. Desculpe a minha sinceridade, mas tem de ser...

      Eliminar
    18. Meu Deus, que situação (anónimo das 21:57)...! Não sei muito bem o que lhe diga... Talvez tentar conhecer outras pessoas e tentar afastar-se o mais que puder. Isso inclui desviar a atenção para outras coisas/pessoas, evitar interpretar pseudo-sinais da parte dele, não ir ver o Facebook dele... Eu sei que é muito fácil falar, mas parece-me mesmo que é melhor não alimentar isso, dada a situação. A menos que tenha a certeza de que ele sente o mesmo e quer ficar consigo... Enfim, de qualquer forma, estou solidária consigo e aqui vai um beijinho. Coragem! ;)

      Eliminar
    19. Para anónima das 21:57: mude de emprego o quanto antes. Longe da vista, longe do coração (nem sempre é assim, mas neste caso creio que seja melhor do que andar sempre a esbarrar com o dito cujo logo pela fresquinha). O tempo depois fará o resto. Agora, saia daí, JÁ!

      Eliminar
    20. Anónima do homem casado com a mulher simpática: a única coisa que isso quer dizer é que gosta da vida que ele parece trazer e quer o mesmo para si. É muito fácil apaixonarmo-nos por alguém que parece ser o pacote completo. Ele é: de outra pessoa. Vá em busca do mesmo para si e não se meta em aventuras que só vão arruinar a vida de todos os envolvidos.

      Eliminar
    21. Sou o anónimo das 21.57. Os meus pais são divorciados há muito anos e eu sei bem o que me custou. Prezo demasiado a família para sequer pensar em poder por uma em causa por minha culpa.
      Jamais pensaria em contribuir para o fim de um casamento ou desfazer uma família.
      Prefiro viver sem viver esse amor do que viver com essa culpa é peso na consciência.
      Evito-o o mais possível. Ele às vezes pergunta-me se estou chateada com ele. Nem sei sequer se ele faz ideia do que sinto.
      Ainda por cima, além de ser um homem lindo, é uma excelente pessoa, um bom marido e um pai maravilhoso.
      Vou esperar mais um tempo, e jamais alguém saberá o que sinto.
      Se continuar sem conseguir lidar com a situação, vou procurar outro trabalho.

      Eliminar
  10. muitas saudades destas escritas pipoquianas...! :)

    ResponderEliminar
  11. chorando a rir!!! http://clienteperfeito.blogs.sapo.pt/

    ResponderEliminar
  12. LOL isto está só muito bom! :p

    ResponderEliminar
  13. dar o numero de telemovel dele a todos os nossos engates(mas claro os engates acham que estao a ter o nosso numero de telemovel) aquilo vai ser um inferno.

    ResponderEliminar
  14. "Se calhar deixamos isso para quando houver alguma perspectiva de darmos um baile funk no nosso pipi." Ainda não li o resto. Só tive necessidade de dar ênfase a esta frase. A melhor!! Ahahah

    ResponderEliminar
  15. Welcome back Pipoca! Tinha saudades deste tipo de textos :)

    ResponderEliminar
  16. Absolutamente brutal, o que me ri com isto... deixo uma música deprimente para quando o cabrão é cabrão e nós somos palermas o suficiente para lhe dar duas ou três oportunidades... garanto que se vos acontecer choram baba e ranho (não no sentido literal, calma lá!) com esta música

    https://www.youtube.com/watch?v=-FsWe2sc7mA

    e como é de músicas brasileiras que se faz o luto de uma relação para quando tudo passar deixo esta

    https://www.youtube.com/watch?v=aUCrEEcVkVw

    Espero ter sido útil...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Porra! Estava a ouvir essa música agora mesmo e a pensar que me tinha esquecido de a incluir no meu top. MA-RA-VI-LHO-SA!

      Eliminar
    2. Concordo taaanto! Adriana Calcanhoto Rula nos meus momentos depressivos lol também ouvi muito Bom Iver!
      Deixo ainda: https://www.youtube.com/watch?v=-2U0Ivkn2Ds (quando ainda temos esperanças lol)

      Eliminar
    3. Desculpem lá mas a música pós-separação mais dramática é The Blower's Daughter do Damien Rice. É o equivalente musical do Titanic!

      Eliminar
    4. Já que se fala em Adriana Calcanhoto aqui está uma das músicas integrantes da banda sonora do meu primeiro desgosto de amor...corria o ano de 2001 e eu tinha 17 anos. Todas as lágrimas que chorei servem agora para ver com precisão o quanto era totó...mas foi muito bom para ganhar calo. Na desilusão seguinte já não fizeram de mim farinha!
      http://youtu.be/q4y-Sjt94DM
      Já a música continua a ser apaixonante...o que não acontece com o meu ex! Looool

      Eliminar
    5. Falando em cantoras brasileiras e músicas deprimentes de fim de relação, ouçam a "O que me importa" da Marisa Monte!!!
      https://www.youtube.com/watch?v=VbnhERsHB20
      A "Depois" dela também é bem deprimente!

      Eliminar
    6. Curioso, eu passei por uma situação semelhante, mas chorei ao som de Linkin Park, porque não suporto músicas a puxar a lágrima e precisava de chorar com energia, como que purga!!!
      (não sei se me fiz entender)

      Eliminar
    7. Ótimas sugestões, mesmo!!!AHAHAHAHAHAHHAHA para o 6...
      Ainda incluía esta no NÃO OUVIR, SOB HIPÓTESE ALGUMA https://www.youtube.com/watch?v=RB-RcX5DS5A

      Eliminar
  17. Eu que estou a passar pelo fim de um relacionamento de longos anos fartei-me de rir com este teu texto. Está maravilhoso.
    Obrigada por me fazeres dar umas boas gargalhadas
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  18. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. andas.te = andaste
      falas.te = falaste
      senti.me = senti-me
      de nada!

      Eliminar
  19. Ahahaha muito bom! Concordo com praticamente tudo. Além de que é muito importante valorizar-nos acima de tudo, mostrar-lhe que estamos de bem com a vida e que não rastejarmos por ninguém. Ah, e o tempo, esse malvado que teima em ser tão indeterminado... Efetivamente resulta. Aliás, comigo tem resultado.

    MR

    ResponderEliminar
  20. 'Contarem-me': E quando o teu 'ex' vira amigo das tuas melhores amigas e começa a comer as tuas amigas?
    Neste caso era mesmo uma bomba atómica!!!
    Aconteceu... 😀

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Melhor ainda é quando o 'ex' engravida a nossa melhor 'ex' amiga enquanto ainda está connosco....e depois casam e são felizes para sempre!!

      Aconteceu comigo e para melhorar a festa vivemos todos felizes cá na terra.....

      Devo ter feito muito mal em outra vida!!!

      Beijinho Pipoca

      Eliminar
    2. Anónimo das 16:42, autch! Felicidades para si!

      Eliminar
    3. Anónimo das 16h42 tenho a certeza que deve ter sido uma das pessoas que atirou pedras a Cristo... ;) nesse caso eu utilizava o ponto 10...

      Eliminar
    4. Oh ..... és tu?
      Tenho uma amiga a quem aconteceu isto...
      Sofreu muito, mas deu a volta e hoje é casada com um homem maravilhoso, é uma sexy mama e a outra está gorda que nem um pote (valha-lhe isso :):)

      Eliminar
    5. Anón. das 16:42 : Você livrou-se foi duma bela peste! Pela atitude dele, não a merece, e que no futuro encontre alguém que realmente a faça feliz. Ou então faça como a minha filha que ficou tão decepcionada com os homens que agora diz que não quer mais ninguém e vive só para o filho.

      Eliminar
    6. eu diria que se livrou de 2 pestes

      Eliminar
  21. Colocar o tlm dele num site como: " acompanhante Kátia luxo e prazer garantidos " loll

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Aaaaaaaaaaaaaah, adoro! Como é que não pensei nisto?!? Muito bom!

      Eliminar
    2. A melhor de todas!!!! TÃO BOM!

      Eliminar
  22. Eu estou a passar por isso e já não consigo ouvir falar do tempo. Nem do tempo, nem do "é melhor agora do que depois", nem do "tu mereces melhor".
    É fodido, é mesmo muito fodido e na verdade o que mais desejamos é que a porcaria do tempo passe, até alcançarmos aquele dia em que ele não é a primeira pessoa em quem pensamos assim que acordámos.
    Não sei quanto tempo vai doer, tal como diz a Pipoca, cada pessoa terá o seu tempo, o que me tem ajudado é isto:
    1- Os amigos. Aqueles mesmo, mesmo amigos, que nos ouvem, que permitem que contemos as mesmas histórias mil vezes ao dia, não se chateiam e no final ainda nos levam para os copos.
    2 - A família, que me distrai. Não tenho filhos, tenho muitos primos e eles são sem dúvida uma distracção.
    3- Não parar em casa. Ter o tempo sempre ocupado, para pensar o menos possível.
    4 - Sair muito com os amigos ao fim de semana. Beber copos e dançar como se ninguém estivesse a ver. Porque na realidade não estão, estão a olhar para o telemóvel.
    5 - O blog. Tentar dedicar-me às minhas coisas, fazer aquilo que gosto.
    6- Chorar quando preciso, chorar mesmo e se for necessário ainda coloco a nova música da Aurea, para chorar um bocadinho mais. Mas conseguir parar, dizer "agora chega".
    Basicamente ainda não consigo deixar de cuscar as redes sociais e ainda acordo todos os dias a pensar na mesma coisa, mas o dia em que isso não acontecerá está mais perto do que ontem. A quem está a passar pelo mesmo: estamos juntas, é uma merda, mas somos muitas a passar pelo mesmo :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É sempre bom ver que não estamos sozinhas. Principalmente quando toda a gente à volta acaba relações como se nada fosse e em 2 semanas já tá ali do melhor... Por aqui vão 7 meses e continua a doer tanto. A cereja no topo do bolo foi ficar a saber que "anda a sair com outra pessoa". Yay -.-

      Eliminar
    2. Acho que estás no bom caminho! fiz isso tudo quando estive na mesma situação e devo dizer que há muito tempo que não saia tanto e diverti-me imenso! Para além disso ía mt ao ginásio, distraia-me, divertia-me e ainda dei um up ao corpo! :)

      Eliminar
    3. Força!
      Acho que chorar é o melhor remédio.

      Eliminar
    4. Mais uma! Aqui! :)

      Eliminar
    5. Graças a Deus que não estamos sozinha! Às vezes penso que eu sou a única estupida por andar a sofrer feita parva e a única neste mundo a ser rejeitada por um gajo (quem é o gajo que se dá ao luxo de rejeitar uma rapariga, anyway?)

      Eliminar
    6. Mais uma aqui...
      Ainda doi muito, doi que sa farta... não consigo esquecer 8 anos de um momento para outro, embora ele tenha conseguido :(

      Eliminar
    7. Idem ha um ano a chorar baba e ranho... Por 11 anos...Ja mora com outra... em menos de um ano

      Eliminar
    8. Beijinhos a todas meninas!
      De coração apertado por vos ler! :\

      Eliminar
    9. Ui, a mim também me falavam do tempo e que viriam outros e eu não queria outros, queria-o a ele e ninguém me compreendia e apetecia-me esfolar todos os que vinham com mimimis...e Depois afinal, afinal toda a gente tinha razão caramba.Toda a gente menos eu tinha razão...Se custou? Durante meses pensava que morria, acordava a chorar e a chorar me deitava.Uma boa porcariaaaa (Um belo desperdicio de tempo também). Mas a raça do tempo afinal, afinal custou a passar mas puff...do nada a coisa passou. (E sim vieram outros, mais precisamente o meu marido, que mete o outro a um canto...e olha que a fasquia já estava muito elevada). :) (Força)

      Eliminar
    10. Eu tinha mais duas terapias ótimas.. Cabeleireiro e Sessões de destralhanço, arrumações e limpeza!

      Eliminar
    11. Quem diz que não custa mente...dói e muito, mesmo a nível físico :(

      Eliminar
  23. Não sou fã daquelas músicas brasileiras que eu nem sei em que género se inserem, mas durante um desgosto se amor uma amiga mostrou me a música "aí que dó"

    Ouvi em modo repeat e esqueci o!

    ResponderEliminar
  24. Não quero melindrar ninguém mas para o esquecer é mesmo importante não fazer nada disto, é esquecer e pronto. Senão ao tentarmos esquece lo estamos a lembrá-lo cada vez mais! Tontas pá! :P Sandra

    ResponderEliminar
  25. Aaah a Pipoca está de volta! Mais textos neste registo, por favor!! ;)

    ResponderEliminar
  26. De volta aos grandes textos (este e os dos últimos dias). É isto que há anos me faz voltar aqui. A inteligência, a perspicácia, o sentido de humor, numa escrita deliciosa.

    ResponderEliminar
  27. AHAHAH, ai que eu morro a rir!

    Mónica Rodrigues dos Santos
    http://cupcakewomen.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  28. Eheheheh e a saga do MELHOR DA PMD continuaaaa, valha-nos o Cristo (com todo o respeito)! Simplesmente LINDO;) Tão mas tão bom que estou lavada em lágrimas... de tanto rir. Pleaseeeeee PMD continua assim, exige-se este registo neste blogue por favor. Cláudia Cunha

    ResponderEliminar
  29. Boa, Pipoca! Adorei! Venham mais posts assim para fugir à rotina :))))

    ResponderEliminar
  30. I've been there...
    Hoje, que já me esqueci da coisa, volta e meia dou comigo a pensar "bom, bom foi quando o xx acabou, perdi 4kg em menos de um mês"
    Há sempre um lado bom ;)

    ResponderEliminar
  31. Para mim a melhor vingança é por o nº dele nos classificados do Correio da Manhã: linda,alta e peluda. Tauuuuu!
    E principalmente pensar isto: há tanta coisa pior na vida,mas tanta. Por isso chorar por uma cabrão que me deixou por msg de tlm.... pfff Puta que o pariu!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A pobre mãezinha pode não ter culpa da criatura que pariu...

      Eliminar
  32. Uiii, welcome back Pipoca! :)
    Isso de estar no fundo e ter de carpir as mágoas e dar tempo ao tempo é sabido, eu diria, por todas as portadoras de um cromossoma X.(aqui está um exemplo: http://ashistoriasdaanita.blogspot.pt/2014/08/ainda-nao-se-fez-luz.html).
    Quanto a músicas...tenho de deixar uma sugestão: "Não vale a pena" - Maria Rita. É ouvir assim a modos como se fosse um mantra :)

    ResponderEliminar
  33. Ler "O Principezinho", a cena melhora depois da leitura. Já o usei várias vezes!!! Ler o Principezinho ao sol com uma fatia de cheesecake ainda potencia mais o cuidado reparador daquela obra literária!
    E CrossFit, além de malharam a bunda malham os olhos a ver os abs dos crossfiters e percebem que há homens bem giros por aí! (Esta ainda não foi testada em caso de broken heart, mas já está em carteira não vá acontecer)!!!

    ResponderEliminar
  34. Eu costumo gostar muito dos teus textos, mas confesso que conseguirem que eu solte uma grande e espontânea gargalhada é difícil (neste caso o problema não és tu, sou eu :-D). Aconteceu hoje quando cheguei à parte "diga ao Luís que o namorado ligou".

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Concordo,Esta é mesmo top!
      Aqueles 100% heteros...ficam fulos para não dizer a outra palavra... !

      Eliminar
  35. Esta tua maneira de escrever é o real motivo pelo qual te leio há praí milhentos anos.

    Muito bom!

    ResponderEliminar
  36. Pipoca, eu nem sou grande fã deste blog, sigo por causa dos ocasionais textos irónicos que gosto de ler... Mas este post estava no momento exacto na hora exacto. Estou a viver a pior fase da minha vida sentimental e sinto-me absolutamente ridícula com isto tudo. Estou a sofrer montanhas e vales por um relacionamento que nem o chegou a ser e que durou 2 meses. Já namorei 3 anos e não senti nem 1/4 disto. Dói fisicamente e, como uma vez deu na anatomia de grey, não são ondas. É constante.
    E o pior de tudo é que ele é que foi realmente o merdas da situação. E quem se sente na merda agora sou eu, que não consigo lidar com isto. Obrigada pelo sorriso que conseguiste pôr-me na cara.

    PS: caso leias isto, pf não me recomendes música brasileira. era a nacionalidade do merdas.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Também já namorei 3 anos e não passei por aquilo que estou a passar agora - saímos apenas 1 semana, mas bastou p ficar completamente in love! Era o homem dos meus sonhos, mas nunca mais me disse nada lol e é horrível saber lidar C a rejeição..

      Eliminar
    2. No meu caso não foi bem rejeição. Houve envolvimento até eu perceber que havia uma namorada pelo meio.

      Eliminar
  37. Obrigada por este post. Nunca ninguém morreu de desgosto, é o que me digo todos os dias. Apesar de a cabeça (e a indústria do cinema) me dizer que toda a gente já passou por isso, eu não fazia ideia do que era sentir que se está partido, o que era essa coisa de ter o coração partido. A coisa de pensar nisso a toda a hora, sentir dor que parece que nunca mais vai desaparecer, de achar que vou ficar triste para sempre; pior, achar que vou «ser» triste para sempre. Por isso, obrigada por este post :) é bom encontrarmos forma de nos rirmos dos nossos demónios. Continua, todos os dias, a ser o meu primeiro pensamento e a última coisa de que me lembro. Continuo - pacientemente - à espera que passe. Só pode passar, não é?
    Beijinhos e obrigada

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não vai ficar triste para sempre, não vai "ser" triste para sempre e vai passar :) Garanto-lhe!
      Força **

      Eliminar
  38. Fartei-me de rir com o texto, Pipoca.

    Isto depois também depende muito do traste.

    Há uns 5 anos estava a passar por esta fase. Apesar de tudo, tive a vida facilitada porque o acéfalo não tinha ponta por onde se pegasse. Claro que, ainda hoje, percebo porque é que me apaixonei loucamente, mas, efetivamente, não havia ali nada. Demorei uns bons anos a pôr um fim na relação, mas consegui ser eu a ter a última palavra. Isto também ajuda.

    Coisas que me ajudaram:
    1. Sentir-me gata (para ninguém em especial. Só mesmo para os sentir a babar, mesmo que não se faça nd);
    2. Fazer as coisas que não tínhamos feito porque isso nos ia roubar tempo com o traste (até porque nunca se sabe se o grande amor da nossa vida não está em algum desses sítios);
    3. Ouvir músicas poderosas, que nos façam sonhar connosco a desfilar no meio de uma multidão que nos cobiça eheh;
    4. Sempre que vier aquela coisa do "não me apetece começar tudo de novo", ir chorar para casa dos pais, ou de outro alguém que nos faça sentir os melhores do mundo;
    5. Cumprir objetivos (acabar teses, acabar um livro, arrumar as fotografias lá de casa, qualquer coisa);
    6. Viajar (mesmo que sozinha) para sítios onde nos sintamos bem e seguros - pode ser uma viagem ali ao lado, mas qualquer coisa que nos faça sair e ver outras pessoas;
    7. Não responder às mensagens do acéfalo (no caso de ter sido ele a acabar e ser ele o culpado de tudo) - isso vai deixá-lo louco, apesar de também nos deixar a nós eheh;
    8. Se há algum sítio onde costumavam ir os dois, mas que adoram, vão lá já e habituem-se a ir lá muitas vezes, caso contrário, o lugar morre para vocês, sendo que as únicas recordações são com ele;
    9. (Agora vou ser miserável) Dar conversa a um tipo qualquer que nos esteja a arrastar a asa, só para ouvirmos alguém de fora mostrar-nos quão espetacular somos (pode ser uma coisa via facebook, principalmente, se não estiverem muito interessadas);


    Pronto, acho que é isto... :p

    Beijinhos, Pipoca...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Boas sugestões...embora não haja uma "receita" igual para todas...como em tudo, os casos concretos divergem muito, cada uma tem de ter a força e a motivação para encontrar formas de ultrapassar a situação!(:

      Eliminar
    2. Adorei estas sugestões!

      Eliminar
  39. a propósito do ponto 6: eu comecei a namorar com o amigo dele ahah

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Aconteceu-me o mesmo e sem querer, porque felizmente já estava bem resolvida. Acabei por lhe dar a maior chapada que poderia ter dado.

      Eliminar
  40. Maravilhosa!!! Espectacular!! Adorei!!

    ResponderEliminar
  41. e o que fazer quando és tu que pintas a manta, dáva-lo por garantido e que ele faria tudo por ti e depois de tantas zangas em que lhe dás a volta ele diz-te nos olhos - não quero mais? como dás a volta a esta decisão? nada custa mais do que saber que a culpa foi nossa e não do cabrão..

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É o chamado abre alhos e aprender que nada nem ninguém é garantido! Há que regar para a jardim crescer ;)

      Eliminar
    2. Ei caramba. Abrir alhos não! Deixa cá um cheiro...

      Eliminar
    3. É a tal situação recorrente, de que só damos valor aquilo que tivemos, quando já não temos...): por vezes também acontece com eles...

      Eliminar
    4. Primeira coisa a fazer: talvez mudar a atitude, ver o que fez de errado e tentar melhorar na próxima relação.
      E parar de chamá-lo "cabrão"?
      Se pensa que a culpa foi sua, porque chamá-lo assim?

      Eliminar
    5. ahahah célia não sou a anonima, mas não ligue tanto aos comentários, há pessoas que chamam de «cabrao», deixá las....

      Eliminar
  42. Muito muito bom Pipoca. Estou a passar por isso neste momento depois de tantos anos com a mesma pessoa mas já me serviu de umas boas gargalhadas :)

    ResponderEliminar
  43. Após alguma melancolia eis que a AGM está imparável e algo dada ao "hardcore"!Como só visito o blogue há cerca de 3 anos, vou-me familiarizando com este registo, que para mim é relativamente novo. Sem falsos moralismos,achei hilariante, GOSTEI! Dei boas gargalhadas! Embora nunca tenha passado por nenhuma rejeição na vida(vários namoros sem importância e um casamento sólido há muito vigente) concordo plenamente com o "clichê- o tempo encarrega-se de curar todas as feridas", para quem estiver a padecer...pode parecer "gozo", mas na generalidade é verdade...e para a frente é que é caminho!
    Vibrei com as sugestões de vingança do ponto 10! A pôr imediatamente em prática...gaja de fibra, não deixa nenhum filho de sua mãe a rir-se!!!
    A título de solidariedade feminina, desejo que todas as jovens e menos jovens que estejam a passar por tormentas amorosas, se valorizem e se lembrem que depois da "tempestades vem a bonança"! E caso tenham uma família que vos apoie, amigos "sinceros" com quem possam desabafar, "desopilar"...., de preferência idade inferior a 30 anos...e "0" filhos... deixem-se de dramas, deixem correr a vida, sorriam(:

    Maria do Mar/MDM

    ResponderEliminar
  44. Muito Bom :)
    Facto: o tempo ajuda mesmo, a perda de apetite também (perdi 10kg)

    ResponderEliminar
  45. "baile funk no nosso pipi."

    MORRI!

    ResponderEliminar
  46. OMG, o que estou para aqui a rir. Merci, por isso.

    ResponderEliminar
  47. Lendo isto comprovo que o meu namorado é maravilhoso. Faz-me tostas as tantas da madrugada xD

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E o meu beija-me na boca depois de lhe fazer sexo oral:-D

      Eliminar
  48. Tão bom, ahahahhahahahha! Muito bom mesmo! :D

    ResponderEliminar
  49. Adorei pipoca, és a melhor sem dúvida :)
    Apesar do tema ser "triste" foi dos meus post's favoritos... tens de fazer coisas idênticas.

    Beijinhos para ti e para os teus (especialmente para o Mateus que é um amor de criança) :D

    ResponderEliminar
  50. adoro o teu blog
    comecei ha pouco tempo o meu e tenho me inspirado em algumas dicas tuas para o fazer

    beijinhos :)

    fragrantjanuary.wix.com/fragrantjanuary

    ResponderEliminar
  51. mariana simões31 março, 2016 22:03

    bem vinda de novo PIPOCA

    ResponderEliminar
  52. "Sim, vamos já assumir que a culpa é sempre deles"...

    A culpa é sempre partilhada. Poderá ser mais de um ou de outro mas para mim será sempre partilhada.
    Assumir a nossa parte da culpa (com a devida ponderação) ajuda a superar a "crise". Se calhar ajuda mais do que simplesmente despejar a garrafa de vinagre para cima da "salada"..

    No meu caso pessoal assumir os meus próprios erros (e a aceitá-los)ajudou bastante.

    Praticar a política da "terra queimada" também.

    Apaguei o número de telemóvel dela. Apaguei todas as fotos dela. Apaguei todas as mensagens e e-mails dela. Mandei para África (quase toda) a roupa que ela me tinha oferecido. Dei ao meu irmão, irmã e cunhado todos os perfumes e demais merdinhas que ela me ofereceu (era ver a felicidade na cara deles a contrastar com a minha imensa infelicidade!!).

    Aquela Mulher deu cabo de mim.
    Mas sobrevivi.
    E sobretudo cresci.

    ResponderEliminar
  53. Estes conselhos tinham-me dado jeito há uns 5 anos atrás! Ahh! Às vezes é tão difícil esquecer, vive-se tudo com tanta intensidade que nem se imagina uma vida sem essa pessoa. É horrível. Digo já que comer outro gajo não funciona! Pelo menos para mim. Sou mais adepta de chorar, ouvir músicas super melancólicas e verdade seja dita: o tempo cura mesmo!!

    Beijinhos Pipoca ;)
    www.luz-e-poeira.blogspot.pt

    ResponderEliminar
  54. Para mim, nada como imitar o Justin Timberlake. Se ele esquecer a Britnet Spears, de certeza que funciona.
    https://www.youtube.com/watch?v=DksSPZTZES0
    Se a coisa continuar a bater fundo, resolvem a questão com a sequela
    https://www.youtube.com/watch?v=qrZ5XGuBadk

    ResponderEliminar
  55. A ex mulher do meu marido agarrou nas coisas todas dele e abandonou à porta do prédio dos pais dele. Mas nada de sacos ou malas, ficou tudo espalhado ao Deus de Ará. Se alguém quiser a ideia :b

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Deus de Ará. Ahahaha.

      Eliminar
    2. Deus de Ará??!!!!!! "Deus dará", criatura.

      Eliminar
    3. Um dia serás tu a espalhar as coisas. Querida, a história repete-se.

      Eliminar
  56. Era deste texto que eu precisava há 8 anos atrás (Janeiro 2008) quando o filho da mãe (literalmente, pois deixou-me por causa dela) me deixou a troco de um carro!! De um carro!!! Filho único, filho da mãmã, a mãezinha não estava a gostar que o filho estivesse a sair debaixo da asa dela e então ofereceu-lhe um carro em troca de me deixar... e não é que o filho da mãe me deixou após 4 anos de relação?! 4 anos!!!! Sofri horrores, entrei em depressão, chorei, chorei muito, meses, quase um ano... depois de quase um ano e depois de saber que ele já estava com outra (e com o seu belo carro), acordei um bocado para a vida! Disse para mim mesma que não queria mais ninguém na minha vida, e não quis, até em Janeiro de 2011 o meu actual marido me fazer ver que nem todos são uns trastes, que não temos de viver com as mágoas do passado e que podemos realmente amar e sermos amadas de verdade! Neste momento sou casada e feliz com o homem que realmente me preenche e que é a minha alma-gémea (se é que elas existem).
    Depois de passar o momento de agonia que passei, e quando o meu cérebro já conseguia raciocinar correctamente, agradeci o facto daquela relação ter acabado.
    Primeiro, a mãe dele era do piorio, fez-me a vida negra durante aqueles anos de relação e ainda hoje estou para perceber como aguentamos 4 anos juntos e como eu aguentei tudo aquilo...se não tivéssemos acabado, ainda hoje vivia no inferno com ela.
    Segundo, fez-me crescer e perceber que não temos de nos rebaixar a alguém que só nos faz mal só porque a amamos... amores há muitos e quando nos temos de rebaixar e deixarmos de ser nós próprias, não é amor, não é nada!
    Terceiro, foi à conta daquela merda de relação ter acabado que me permitiu estar um tempo sem ninguém (que eu achava que seria para sempre) e mais tarde conhecer o homem da minha vida!! Sim, hoje posso dizer que tenho o homem da minha vida ao meu lado!! :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. "Segundo, fez-me crescer e perceber que não temos de nos rebaixar a alguém que só nos faz mal só porque a amamos... amores há muitos e quando nos temos de rebaixar e deixarmos de ser nós próprias, não é amor, não é nada!" Revejo-me tanto neste frase. Felizmente também acordei para a vida. Só agora, é verdade, mas acordei :)
      Um beijinho e muitas felicidades

      Eliminar
    2. Conclusão: eu iria ter com a dita senhora, com um sorriso iluminado, e agradecia-lhe, sinceramente, por tido sido uma bruxa, por ter conseguido acabar com a sua relação com o filho dele e por lhe ter mostrado que o filho não presta enquanto ser humano (e que isso se deve em parte à educação que a dita senhora lhe deu).
      Terminava com dois beijinhos na face e ainda a convidava para beber um chá.

      Eliminar
    3. Olá Patrícia, embora o motivo tenha sido outro... revejo-me em tudo aquilo que disse. O que vale é que o que não nos destrói, torna-nos mais fortes!

      ;)

      Eliminar
    4. Patricia, tambem a minha relação terminou e agora estou naquela fase que já percebi que ele não prestava para mim (o gajo ao fim de um mês já tinha outra) mas também não me consigo ver com mais ninguém. O nosso cérebro prega-nos partidas do caraças, é que por um lado não prestava, mas por outro, por mais que olhe à minha volta não me consigo ver com ninguém. Mas....sendo uma pessoa positiva e depois de ler a tua história quero acreditar que há males que vêm por bem e que como no teu caso ainda vou encontrar alguém que me faça muito feliz. Sao historias como a tua que dão esperança. Raio de fases estas por que temos que passar!!! Já me disseram para parar de pensar nisto que quanto menos esperar ele aparece. Mas....como se consegue parar de pensar nisto???! Alguém me diz?

      Eliminar
  57. Sai de uma relação de 8 anos e fiz o mesmo, exeto dar as roupas... mas a verdade é que não as consigo vestir.

    Mas infelizmente não consigo ver onde errei, talvez um dia consiga perceber...

    Aquele homem também deu cabo da minha vida, acabou com todos os nossos planos e sonhos.

    Ninguém morre de amor é certo, mas não é fácil gerir tudo isto.

    Porém continuo viva e é o que importa! É possivel viver sem ele!

    ResponderEliminar
  58. Chorei baba e ranho quando terminei com o meu ex. sim, fui eu que terminei, tive sangue frio e sabia que não merecia aquilo, merecia muito mais do que aquela escravidao de relação. no entanto, meses depois (sonsa) achei que não o conseguia esquecer e procurei o na tentativa (sonsa) de reatar. quis também ver a minha reacçao em estar com ele novamente. qual não é o meu espanto...ele tinha rapado o cabelo e estava muito mais gordo. what?!?! tava horrível!! ahhhh e tal se amasses mesmo gostarias à mesma. tá bem ,tá. nem, com manteiga de amendoim. thank god! arrumei logo o assunto, lavei a roupa suja que tava entalada e ainda trouxe o meu purificador de ar que estava lá esquecido.
    credo!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ahah adorei! E sim, a aparência influencia muito, digo por experiência própria! Daqui a nada aparecem aquelas a dizer "se pensas isso, ele também não te merecia"...

      Eliminar
  59. E, contudo, às vezes, não se esquece. Colam-se os cacos e segue-se em frente. Mas a cicatriz fica. E por vezes dói. Os pensamentos voltam, o aperto no peito também. E depois, guarda-se tudo outra vez e fecha-se a sete chaves. Fica escondido, mas está lá, pronto para nos desassossegar... Será mesmo possível esquecer totalmente?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu acho que não se esquece, que o mal que nos fizeram não se esquece, que as cicatrizes na alma ficam. E talvez seja melhor assim, para não cair vezes sem conta nos mesmos erros. Treze anos, um filho, uma vida e tudo desapareceu em frente aos primeiros olhos azuis de vinte anos que encontrou. Muitos são trastes, sim, mas ainda assim há homens bons. Queria dizer que quando isso tudo aconteceu ajudou-me o tango, por isso aconselharia às mulheres que estão a caminhar esse calvário uma atividade que agarre e que preencha a alma, seja ela qual for (dança, musica, desporto, meditação, culinária um leque de escolhas muito vasto). Tudo passa, somos mais fortes que isso.

      Eliminar
  60. Estamos juntas ladys! estou a passar por isso agora e este post iluminou-me xD
    Perdi a virgindade com ele, e 1 mês depois mandou-me passear porque não se conseguia apaixonar lol
    chorei baba e ranho 1 semana inteirinha ao ponto de não abrir os olhos x)
    a minha mãe já andava desesperada e os meus amigos coitados sempre a ouvir as mesmas histórias e a reconfortarem-me conforme passava.
    Dói? uii se dói, mas a verdade é que o tempo cura, os amigos curam, a família cura e termos ocupações cura :D
    beijinhos, e *girls power*

    ResponderEliminar
  61. Estes posts são incríveis, porra! Queremos mais, Pipoca, por favor!!! =)

    ResponderEliminar
  62. Que saudades que eu já tinha destes textos maravilhosos!
    se dói? dói muito mas, ultrapassamos tudo com o tempo...ao fim de algum tempo olhamos para trás e respiramos de alívio.

    ResponderEliminar
  63. Voltou ao registo antigo! adoro.

    ResponderEliminar
  64. O meu ex acabou comigo depois de 6 anos juntos (a viver juntos). Nada apontava para este desfecho e isso foi o que doeu mais. Mas não o odiava pois teve uma conversa comigo e fez tudo bem (pensava eu). Descobri que afinal já andava com outra há algum tempo. Passei muito mal e perdi 10 quilos em semanas. Um familiar meu morreu e ele foi ao funeral dar-me os pêsames. Lá estava eu, magra e de braço dado com um amigo (que ele pensou ser o novo namorado). Eu fui ter com ele e, com um sorriso, agradeci-lhe a presença. Isto curou-me. Ser "the bigger person" trouxe-me paz para a alma.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Filipa, pela sua atitude deve ser um ser humano maravilhoso e com muito boa formação. Parabéns, e muitas felicidades no seu futuro.
      Manuela

      Eliminar
  65. não consigo perceber a necessidade de escrever com palavrões...eu sou do Norte as não gosto nada de ver/ouvir/ler uma senhora a dizer tanta asneirada...a Ana não precisa disso! é esperta, cativa...eu sou fã do seu blog...mas não gosto de ler esses palavrões...não fica bem! Pode ser marketing seu...não acredito que o faça no seu dia a dia...não estou a ser puritana...fui educada assim! É apenas um conselho/sugestão...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Mas porque caralho é que as mulheres não podem dizer palavrões? Olha que merda.

      Eliminar
    2. Poder, podem. Se fica bem? Não. Mas também é só a minha opinião :)
      (não sou eu o Anónimo das 10h19)

      Eliminar
    3. Eu também não gosto de ouvir palavrões, e não é "falso moralismo", se os digo? Claro que sim, os menos cabeludos...e vulgares como "merda", porra...mas maioritáriamente a solo! No entanto, quando os palavrões são proferidos em recato, em momentos que os exigem ou, estão contextualizados...como é o caso do post, não me chocam e depois acredito que a AGM não anda pela Rua a proferi-los!
      Aliás, é muito deselegante e "reles" uma adolescente, jovem adulta ou senhora, dizer palavrões em público!
      Mas cada um sabe de si!

      MDM

      Eliminar
    4. Os palavrões em textos bem escritos são figuras de estilo.

      Eliminar
  66. Oh pah eu sofri miseravelmente por um ex namorado meses a fio depois do fim de 3 anos de namoro...é daquelas coisas que só se explica a quem passou por elas...estava fisicamente doente...E eis que passado mais de 2 anos o "pacheco" liga-me para sairmos...pensei que fosse à filme, o reencontro, o que sonhei tantos meses acontecia finalmente, inacreditavelmente...E sim, ele continuava igual a ele mesmo,giro,charmoso e tudo e tudo...mas mesmo sem o saber eu já não estava igual, apenas pensava que estava...Andei ali presa mais de 2 anos e este encontro libertou-me!E ainda bem, passada uma semana conheci o homem que é hoje o meu marido (há 14 anos)e por acaso o homem da minha vida ...já lá vão 18 anos mas ainda me recordo como se fosse hoje :)

    ResponderEliminar
  67. Muito bom, Pipoca!
    Também eu já fui trocada por outra (ainda por cima com o mesmo nome). Chorei baba e ranho e só mesmo com o tempo é que passou...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Bem pior do que ser trocada por outra...é descobrir que namorou 5 anos, esteve casada durante 8 anos, teve dois filhos, e descobrir que o pai deles se envolveu com outro "pai" de um coleguinha de Colégio do vosso filho mais velho...o que acham?! Aconteceu(acredito não ser caso único)parece surreal, dois lares desfeitos, duas mulheres abandonadas e traumatizadas...com filhos, e um casalinho gay super feliz na casa dos quarenta! Como sobreviver a um trauma destes?

      Eliminar
    2. Porque é que ser trocada por um homem é pior que ser trocada por uma mulher?

      Eliminar
    3. Eu costumo dizer que a ser trocada prefiro ser trocada poe um homem. Afinal se for trocada por uma mulher, o "defeito" pode ser meu, afinal o material é identico, já por um homem... não tenho meios de competir... :)

      Eliminar
  68. Pipoca, adorava ver-te a dizer isso num vídeo... ou numa palestra tipo TED Talk. Acho que levas o maior jeito para a coisa, tens um sentido de humor incrível. Acho que este tipo de abordagem a temas sérios, que tocam tantas pessoas... ganham imenso com a expressão corporal e facial e chegam de uma forma muito mais eficaz!

    Parabéns por este texto!

    "love ridden" da Fiona
    "metal heart" (https://youtu.be/iIybTlAD2Ow)
    "remember me" (https://youtu.be/__resJTBFf4) da Cat Power
    "mentiras" (https://youtu.be/SxslVLpzBuo) ou qualquer uma da Adriana Calcanhoto!

    ResponderEliminar
  69. Quando há filhos pelo meio é que é uma caca porque não se consegue esquecer que o traste existe já que temos que estar sempre a falar com ele por causa das crianças. E por mais FDP que ele seja, temos que manter a cabeça fria porque os miúdos não devem ser apanhados no meio. E quando ele nunca teve tempo para os filhos, nem nunca ponderou ir às reuniões da escola (que seca, dizia), e também não tinha horário para levar as crianças ao futebol ou ao ballet... Mas agora anda armado em super pai e a mãe é que alimenta mal as crianças, é que não se preocupa com as dificuldades na escola, etc., etc., etc. E afinal agora já tem tempo para tudo, aprende a cozinhar (nem um copo tirava do armário) e até quer partilhar as crianças 15 dias para cada um (para ter que pagar menos pensão de alimentos...). Tirar um traste destes da nossa cabeça, isso sem, é um pesadelo... Sim a culpa é minha porque o deixei fazer (ou não fazer) todas essas coisas, mas eu só queria mesmo não ter que ver, ouvir ou saber sequer que semelhante traste existe...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Situações muito típicas nos dias de hoje (infelizmente...)
      o que eu gostava de ter notas de 500€ por cada processo de RPP !

      Eliminar
  70. Olá Pipoca! Leio o teu blog diariamente mas não podia deixar de comentar este post que me levou às lágrimas de tanto rir!!!
    Está demais, A-DO-REI! AMEI! Tu tens imenso jeito!

    Adorei as partes de:
    "baile funk no nosso pipi"
    "não vos dava beijos na boca depois de lhe fazerem sexo oral"
    "Até os orgasmos que tiveram de fingir".

    Beijoca :)

    ResponderEliminar
  71. Sem exagerar, o melhor texto do Blog nos últimos tempos! Finalmente a Pipoca está de volta! Sem filtros nem constrangimentos. Exactamente o que me faz ler este Blog há anos.

    ResponderEliminar
  72. Sugestões musicais.

    Para carpir em Brasileiro (no auge da cena... ) - https://www.youtube.com/watch?v=p8MWcWT5e8c

    Em Inglês mesmo só para espetar facas no coração - https://www.youtube.com/watch?v=f2fCcggNkTs

    Para carpir em Português - (na recuperação) - https://www.youtube.com/watch?v=4rkt_-aJ1nA&list=RD4rkt_-aJ1nA#t=10

    ResponderEliminar
  73. One last cry (Marina Elali). Passaram 10 anos e ainda choro baba e ranho quando a ouço. Parece que volto a sentir tudo outra vez. Há uns tempos a professora de localizada teve a infeliz ideia de por esta musica nos alongamentos. Tive de sair a meio para não fazer cenas... É incrível o poder uma música. É incrível o quanto se pode amar alguém que não estava destinado a ficar ao nosso lado. Noutra vida quem sabe...

    ResponderEliminar
  74. Para ressacas emocionais, não há nada como música pirosa com mensagens de empowerment feminino.
    Para mim, esta está no top:
    https://www.youtube.com/watch?v=NCdILJzFwPY

    ResponderEliminar
  75. é usar as "brasileiradas" para quando tudo passar :D
    coitados, ahahaha

    https://www.youtube.com/watch?v=-hA1FyISU00

    https://www.youtube.com/watch?v=geFj_kMvasQ

    ResponderEliminar
  76. tu és mesmo a Maior!!! O que eu adoro...
    Grande Mulher pá!!!

    ResponderEliminar
  77. Diferente, mas ainda assim relacionado com isto: como lidar com/superar o fim de uma amizade de longa data? Sem ter havido qualquer drama ou desentendimento, apenas o afastamento normal das vidas que vão seguindo direcções diferentes, mas que custa tanto quando se trata de pessoas com quem (julgávamos nós) tínhamos uma ligação profunda? Sei que é uma dor muito diferente, mas não deixa de ser o final de uma relação, ainda por cima um final lento e pouco claro... Podemos desentender-nos a sério com um amigo, finito, acabou, mas quando se trata deste afastamento gradual de uma das partes, confesso que me custa bastante a superar, fico com a cabeça num molho de brócolos, a pensar se terei feito/dito alguma coisa de errado... E dicas para superar isto?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Siga...não ligue, é o curso normal da vida...mas será que o que a unia a essa pessoa era somente uma profunda amizade?!(dispenso respostas, sugiro só que reflita) :-)

      Eliminar
    2. Estou na mesma situação. Nunca perdi muito tempo a penar por homem nenhum, mas o afastamento de uma amiga que eu tinha como irmã, sem que eu sequer consiga perceber bem o que aconteceu para ela ter-me riscado da sua vida, magoa-me profundamente.
      Ana

      Eliminar
    3. Sim, estou a falar mesmo sobre amizade, nada de sentimentos ambíguos ;) a questão é que eu valorizo muito a amizade, sobretudo se já vem dos tempos de infância, como é o caso. Racionalmente, percebo que as pessoas mudem, e ainda bem, no entanto é difícil aceitar essa perda. É certo que outras pessoas vão entrando na nossa vida e enriquecendo-a, mas o vazio deixado por quem sai dói bastante (anónima 18:52)

      Eliminar
    4. Ana, é porque ela não era verdadeiramente sua amiga, era falsa e você não tinha ainda percebido. Mas deixe lá, esqueça,pois amigos verdadeiros há muito poucos,eu falo por experiência própria, e às vezes mais vale só do que mal acompanhado. Força!

      Manuela

      Eliminar
    5. Por que não vai falar com ela e lhe pergunta a razão do seu afastamento? Se calhar aconteceu alguma coisa entre vocês, da qual não deu conta. Se é que realmente isso a perturba, e se está preparada para ouvir alguma coisa de que pode não gostar. ;)

      Eliminar
    6. Tambem já me aconteceu isso, com a minha melhor amiga de um total de 18 anos. Foi muito duro, muito, há muitas formas de amor e uma bela amizade é sem duvida um amor precioso.
      No nosso caso tambem nao nos zangamos, nunca em tantos anos, o que nos aconteceu foi que fomos ficamos cada vez mais diferentes, a vida foi-nos afastando . Não concordo nada com as outras anonimas que dizem que provavelmente é mais do que amizade ou que a sua ex amiga era uma falsa, nada disso!
      Simplesmente há historias de amor fraternal que duram 1 ano, 10 anos, 20 anos e outras uma vida inteira.
      A sua e a minha duraram X tempo e merecem um luto, tudo o que perdemos e estimamos merece luto.


      ps: no meu caso tambem foi ela a "acabar "comigo, fiquei triste, magoada e ofendida, agora 4 anos depois já percebo e até concordo que tinhamos-nos tornado pessoas diferentes .

      Eliminar
  78. Muito boas dicas que deste. E bem que estou a precisar de algo pra me animar o dia. Gostei especialmente dos planos de vinganças (se bem que nunca seria capaz de pôr algum deles em prática ahahahah :)Quanto a sugestões, quanto a mim não sei, acho que já disseste basicamente tudo

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É com essa falta de coragem que muitos FDM ficam a RIR!
      Coragem teve uma amiga minha, que lhe fincou à socapa e pela calada da noite, 4 golpes de tesoura, um em cada pneu do seu estimado "Leon Sport", o gajo até suspeitou e ameaçou-a com denúncias... mas por falta de provas...,restou-lhe a alternativa de gastar uns bons euros em pneus novos!eheheh! Abençoada, entre as traídas, a danada soube fazê-la(com uma ajudinha...) !
      O FDM, teve que esperar pelo subsídio de férias, para poder comprar os pneus...Ficou apeado, e a andar de transportes públicos, deixou de se passear de "Leon" com a "loura oxigenada":-)


      Eliminar
  79. O Pablito Alborán também é bom... Em todos os sentidos... Ahahahah! ;)

    ResponderEliminar
  80. Voltastiiiiiii!!! Andavas desaparecida! Onde andavas escondida mulher? Eu ja pouco andava por cá, porque ia perdendo o interesse e a esperança de voltar a ler estes teus textos. Pensei que tivesses mudado de personalidade... que a outra pipoca fosse um passado distante. Que seca tu andavas! (Desculpa, sem ofensa, mas é a verdade) E que bom que afinal ainda existes!! Welcome back!

    ResponderEliminar
  81. Não podia ser mais oportuno este texto. O que me ri a ler depois de tantas lágrimas... estou neste momento a passar pela situação. Namoro de anos e anos, 18 anos de casamento, filhos... e de repente o meu mundo caiu. Traiu-me, confrontei, não negou mas não mostra arrependimento e mantêm a outra... continuamos a viver juntos mas sei do que continua a manter a cena com a outra. Estou completamente perdida...não sei o que faça e só espero neste momento o rebentar da nossa relaçao. Podem dizer e porque não o fizeste já? É verdade... os filhos falam mais alto, estou desempregada. Mas sei que é inevitável. Nunca mostrou arrependimento, nem saiu a frase tipica "foi um deslize não volta a acontecer"
    Só posso dizer o que sinto a mim mesma e neste momento viver de aparências. Sabendo que continua com a puta que escolheu. Claro que para ele é muito confortável. Mantém tudo igual, a casa, o casamento e os filhos e vai "brincar" com a outra qdo lhe apetece...
    Sinto-me perdida :(

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Em primeiro lugar, tenha em mente que a culpa não foi/é sua. Concentre-se em si, em melhorar o que puder em si e em sentir-se bem. A autoestima é fundamental. O facto de estar desempregada também pode fazer com que sinta que tem menos valor... Mas não acredite nisso! Invista em si, porque é a pessoa mais importante da sua vida, tem muito valor e merece respeito, lealdade e ser feliz. Tente ocupar o seu tempo com coisas e pessoas positivas/divertidas, que lhe fazem bem. Mesmo estando desempregada e tendo filhos, tente arranjar um tempinho para si. Há coisas que fazem a diferença sem ser preciso gastar muito dinheiro... Ah e tente manter uma convivência pacífica com ele, sem se mostrar rancorosa e insegura. Mostre-se superior e poderosa! ;) Quando ele fizer algo que seja bom, agradeça-lhe (não se foque só no mau). De certeza que ele tem qualidades - qualidades essas que fizeram com que se apaixonasse por ele. Tal não significa que deva ser passiva e submissa, atenção. Se tiver algo menos "agradável" para lhe dizer, diga e faça-o numa perspectiva de sentimentos e não de ataque (exº: "Eu sinto-me frustrada e triste com 'isto ou aquilo'...", em vez de "Tu és um 'isto e aquilo'...!"). Assertividade é isso mesmo, expressar-se, mas com respeito - o que também acaba por contribuir para um ambiente familiar melhor e para dar um bom exemplo aos seus filhos. Falando neles, tente poupá-los ao máximo e não lhes fale mal do pai. Resumindo, tente melhorar a sua autoestima e tornar a sua vida mais alegre e positiva, focando-se em coisas boas. Quem sabe se, fazendo isso, ele depois não acorda para a vida e vê a mulher maravilhosa, segura e independente que tem, mandando a outra dar uma curva? De qualquer maneira, faça-o por si e não por ele. Mesmo que acabem por seguir caminhos diferentes, acredite que vai tudo correr pelo melhor! Eu sei que não é fácil, mas acredite! ;)

      Eliminar
    2. Mas porque é que a outra é uma puta? Ela sabe que ele é um homem casado e com filhos? Se o sabe, então tem razão, é uma mulher que não vale nada. Mas se é apenas uma mulher que está a ser enganada, então tratá-la mal não lhe adianta de nada.

      De qualquer forma, primeiro que tudo devia estar a sua sanidade mental, a sua auto estima e o respeito por si mesma. E esse homem não lhe tem nem amor nem respeito, está a humilhá-la em todos os aspectos. Peça ajuda a familiares, a amigos ou a alguma associação. Mas na situação em que está não pode continuar.

      Eliminar
    3. Agradeço as palavras sábias e de força e que me ajudarão a vencer a batalha!
      Filhos em primeiro lugar que não sabem e não têm q sofrer com a atitude do pai. Nunca o atacarei ou falarei mal dele com eles. O problema é do casal não deles. E eu começo a aprender e a ver que posso ser forte e que serei forte venha o que vier.
      Há outra chamo de puta porque o é!! Conhece-me, sabe que ele é casado e com filhos!! No confronto com ele quando disse que sabia, desculpou-a e que a culpa era só dele... WTF?? Vou conseguir ultrapassar sim. Mas não com ele nem por ele!! Pelos meus filhos e por mim!!
      Obrigada :)

      Eliminar
    4. Ainda acrescento! Nunca falarei com a dita senhora porque não me rebaxarei a esse ponto. Ela sabia muito bem nunca se estava a meter quando começaram. E se continua é porque quer!! Não foi enganada. Foi por que quis tanto como ele. Escolhas que só me convencem que há pessoas muito baixas.

      Eliminar
    5. Só para me solidarizar com a anon.(19.54)e acrescentar:mantenha todo o "equilíbrio possível" e o "savoir fair necessário"...toda a FORÇA!(:
      Aplaudo o anónimo sensato(00.34),pelo excelente comentário/resposta dirigida à anónima, repleto de ótimos e sábios conselhos...

      Quanto à anon. INGÉNUA(3.04.15.57),se fosse a si tinha-me abstido de comentários..., na era das "Redes sociais"...em que tudo se sabe, ao ritmo de um Clic, a "coitadinha da cabra" não sabe...nem tem como saber que o homem com quem anda enrolada é casado e pai de filhos?!? Ok! E o pai Natal distribui prendas todos os Natais... Ou é uma jovem donzela...de tenra idade com muito para aprender na vida...ou nem sei o que lhe diga!):—

      Eliminar
    6. Para mim, homem/mulher casada que trai, é o único a ter culpa porque é ele/ela que deve respeito e fidelidade a quem está casado.
      O/a outro/a é apenas uma pessoa de mau carácter, sem respeito por ninguém. Mas não acho que seja o/a outra/o que tenha de por o travão e dizer: "ah e tal é melhor não que és casado/o" Pode (deve) mas a pessoa que tem um relacionamento é que tem de saber o que quer para si.
      Esta é apenas a minha opinião, que nunca na vida iria descabelar a "outra", mas sim o meu companheiro, porque é ele que me deve respeito.

      Eliminar
  82. Só posso dizer que são dicas bem sábias. E não há ninguém melhor para falar do assunto do que quem já passou pela tempestade ahah
    Beijinhos, http://ocaisdaquela.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  83. Ana Garcia Martins, quando vi o título pensei: “queres ver que agora vai dar-lhe para a auto-ajuda amorosa?!”. Mas o texto está ótimo. Não achei que tenha assim tanta parvoíce e ironia, porque sejamos honestos, todos nós temos pensamentos muito maquiavélicos de vez em quando, mas são só pensamentos.
    Sugiro outro tema para escrita, algo do género: “como voltar a acreditar em alguém depois da pessoa que achávamos a mais amorosa do planeta se ter revelado um psicopata sem escrúpulos?” Acho que poderia ajudar muita gente.
    Bom texto!
    Sandra

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Também voto neste como o próximo texto pipoca. Porque é difícil confiar novamente em alguém depois do maior cabrao do mundo passar pela nossa vida!

      Eliminar
  84. É a primeira vez que comento neste blog, apesar de o ler desde sempre. Absolutamente maravilhoso este post. O que me ri e identifiquei. Parabéns Pipoca!

    ResponderEliminar
  85. Muito bom Pipoca!
    Muitos parabéns, disseste tudo e foi hilariante :)
    Obrigada, beijinhos

    ResponderEliminar
  86. Adorei a parte de dar um baile funk ao nosso pipi :D muito bom!

    ResponderEliminar
  87. Não, não precisas de dizer, mas para quem está na situação deu um gozo ler que nem imaginas.
    Sorrisos vá! :)

    ResponderEliminar

Teorias absolutamente espectaculares

AddThis