Pub SAPO pushdown

Nem na própria mãe se pode confiar

quinta-feira, fevereiro 05, 2015
Mãe: queres levar pastéis de bacalhau?
Eu: não, isso é uma gordice.
Mãe: mas fiz há bocadinho, estão tão bons!
Eu: nãooooooooooo!
Mãe (amuada): pronto, não queres, não leves!
Eu: pronto, vá, eu provo um. Mas isto não está cheio de cebola?
Mãe: não, não pus cebola!
Eu: de certeza? Tu pões sempre!
Mãe: não tem!
Eu: nem daquela muito picadinha? 
Mãe: não!!! Tem muito bacalhau e pouca batata. Só!

Dou uma dentada, sempre altamente desconfiada e a inspeccionar o pastel de todos os ângulos. Dou a segunda dentada e TAU!, um bocado de cebola do tamanho de uma unha (comprida!).

Eu: estás a gozar comigo??? Olha para este bocadão de cebola!!!
Mãe: se não estivesses a olhar nem davas por ela!
Eu: achas mesmo que não via uma cebola daquele tamanho? Eu? És uma grande mentirosa!
Mãe: queres pêssegos?
Eu: NÃO! NUNCA MAIS CONFIO EM TI!

A sério, não há pachorra. Já não sei que mais fazer para explicar que não posso com a puta da cebola e que tentarem enganar-me não ajuda! Aaaaahhhhhhh , que inferno!

110 comentários:

  1. Adoooooooooro cebola

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E na caldeirada?????

      Cebola e batata, que se dane o peixe.

      Eliminar
    2. Desculpem interromper mas.. SIM! quilos de cebola em cima da batata, venham até mim!!

      Eliminar
    3. Na caldeirada sou toda de acordo muita cebola e batata e pimentooooooo

      Eliminar
  2. Ahahahahahah
    Também tenho episódios muito semelhantes a esse. Há coisas que nunca mudam...

    Vanessa S.
    De Saltos por Lisboa,
    desaltosporlisboa.blogspot.pt

    ResponderEliminar
  3. As mães têm dessas coisas.. a minha é igual! Nunca vou fazer isso ao meu filho.. acho eu :-)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Isso e o que nos dizemos seeeeempre. Acabamos invariavelmente a fazer o mesmo que elas. Sabe, quando dizemos: "Eu nunca, mas mesmo nunca vou fazer isto aos meus filhos!" Sabe-se la porque e o que acabamos exatamente por fazer. ;)

      Eliminar
  4. Todas as mães são iguais <3 <3

    ResponderEliminar
  5. E depois dizem que somos mariquinhas por não comermos cebola, que é mania e que se não soubermos nem damos conta...claro!! A minha mãe é tal e qual.

    ResponderEliminar
  6. O que eu agora me ri....ahahahahah

    ResponderEliminar
  7. Pensa: deste a primeira dentada, comeste e nem deste conta. Na segunda viste , e foi por isso que não comeste. E tudo psicológico!

    ResponderEliminar
  8. Chamar a sua mãe de grande mentirosa é de um nível que só visto. Espero que a sua mãe não acompanhe o seu blogue. Bom, pelo tratamento, provavelmente não...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Uhhhh, que acto de rebeldia da minha parte.

      Eliminar
    2. Visto que suponho que não tem conhecimento da relação da Pipoca com a mãe, não tem nada que opinar se é "de um nível" ou de outro. "Tratamento" é o que falsos moralistas precisam quando decidem tecer um juízo de valor baseado numa expressão que, para si, é falta de respeito - o chamar a mãe de mentirosa, que, neste caso, até foi um facto. Boa noite.

      Eliminar
    3. Conheço quem trate bem pior as mães...
      E pelos vistos a relação da Ana com a mãe é como a minha, de amizade e cumplicidade (agora ferida de morte 😕😆). o que denota ser uma relação saudável.


      Pipoca, não sêja possidônia, trate a sua mãe por "você", isso é educação. 😐

      Eliminar
    4. eu ainda hoje chamei a minha mãe de velha e a seguir desatamo-nos a rir as duas:
      MAE: as vezes gosto de ir ao ginásio só para por a roupa nos aquecedores enormes que eles têm e visto logo a seguir. não sou esperta?
      EU: sim, tu e as velhas todas que lá andam fazem isso
      MAE: tas me a chamar de velha?? :D :D :D

      é de uma cumplicidade e respeito enormes podermos chamar as maes do que quisermos sem elas levarem a mal. e elas a nós :) VELHAS MENTIROSAS ;))))

      Eliminar
    5. Pipoca, que horroooooor, chamar a mãe mentirosa!
      Vá-se penitenciar junto da sua mãe, já! Coma uma cebola.

      Eliminar
    6. Qual é o problema de tratar a Mãe por "tu"?? Não é sinal de respeito, conheço muito boa gente que trata a Mãe por "você" e que no entanto não têm respeito nenhum pela Mãe!

      Eliminar
    7. 1. Se a Pipoca não se tivesse incomodado não me teria respondido.
      2. Não é um acto de revolta, para mim é má educação
      3. Não, não conheço a mãe da Pipoca mas pelos visto todas vocês conhecem bem as duas e a relação que têm
      4. Mas onde é que é referido o "tu" e o "você"?
      Bom fim de semana a tod@s

      Eliminar
    8. Caro anónimo,

      Eu, que sou apenas leitora e nunca comentadora (por preguiça, confesso), vou abrir uma excepção para me dirigir à sua pessoa.

      Desde quando é que chamar a mãe de mentirosa, desde que num contexto de (clara) brincadeira/cumplicidade, é falta de educação? Na minha opinião, falta de educação é chamar-lhe coisas muito piores em situações desagradáveis como discussões e afins. Hoje chamei a minha irmã de mentirosa e aldrabona... Sabe o que aconteceu imediatamente a seguir? Desatámos as duas a rir. Antes de vir aqui tentar gerar polémica pare para pensar naquilo que vai dizer ;)

      E, já agora, não acho que a Pipoca se tenha sentido ofendida (não lhe sei dar certezas, claro, mas se fosse eu...). Acho, honestamente, que ela se riu bastante quando leu o seu comentário e achou que troçar um bocadinho da sua opinião (que, deduzo, seja descabida aos olhos dela) era engraçado. Até porque é mesmo.

      Eliminar
    9. Ainda bem que a Pipoca se riu bastante com o meu comentário, pelos vistos ao contrário da maioria de vós que, quais cães de fila, vieram em sua defesa. Desejo a todos uma boa vida e que não se arrependam de fazer comentários maliciosos publicamente das vossas mães ou familiares. Acredite Pipoca, isto conta-se às amigas e nem tod@s aqui o são...

      Eliminar
    10. Anónimo07 fevereiro, 2015 09:45, porque será que tenho a sensação que está a falar de algo completamente diferente? Conta-se às amigas? Estamos falar de mães a dissimular cebola ou de outra coisa?!

      Eliminar
  9. Eheheh muito bom!!!

    blogdamariafrancisca.blogspot.pt

    ResponderEliminar
  10. tua mãe tem razão! Se não olhasses nem davas por ela! lol

    ResponderEliminar
  11. Na dúvida fá-la jurar pela tua vida... ou pela do Mateus. A verdade vem logo ao de cima...

    ResponderEliminar
  12. Que coninhas pá! :D O que te custa dar uma dentada no pastel, fingir que não encontraste nada e cuspir o resto, sem a tua mãe dar por isso? Fazias a tua mãe Feliz!

    ResponderEliminar
  13. Passo o mesmo, mas com a minha avó, que teima temperar bifes com alho, que odeio, e pensa que não dou por ele! Como se o alho tivesse um sabor subtil!
    Quase 30 anos nisto... Já não há nada a fazer!!

    ResponderEliminar
  14. A minha mãe nesse aspecto e inofensiva.
    Pessoa mentirosa da minha vida: MARIDO!
    O cúmulo, mesmo agora! Faz uma salada de fruta para nos e mete lhe Bi de frutos vermelhos! E eu a dizer: isto sabe esquisito... Ele: não me sabe a nada! E de repente apanho o! E ainda se fez de inocente após boicotar os meus princípios alimentares e estragar a frutinha!
    Sofia

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. nos=nós, certo? Bi=Be=marca de sumo?

      Eliminar
    2. O anónimo está aí cheio de letra e nem sabe corrigir o nome do sumo!
      É B! e não Be ;)

      Eliminar
    3. Alguém respondeu por mim, portanto sim, trata-se de BI (marca de sumo)! E sim, seria "nos" se conseguisse escrever corretamente nesta coisa (tablete! Por vezes tem vida própria!).
      Mas concluindo, percebeu não percebeu? Obrigada pela importância! Bom fim-de-semana!
      Sofia

      Eliminar
  15. Por momentos pensei que estivesses a falar da minha mae...coisinha tão igual...credo!

    ResponderEliminar
  16. Ahahahah! Mas estou com a tua mãe: se não visses nem sentias! :P

    ResponderEliminar
  17. As mães são todas iguais! Haha

    ResponderEliminar
  18. Mãe querida mãe querida...
    Apetece-me cantar aquela música :))))))

    ResponderEliminar
  19. A sempre uma crença interior de que nos conseguem fazer ver a luz... Não é por mal... A minha tentou anos fazer-me o mesmo em relação a coelho... A malandreca, nunca me apanhou. :-)

    ResponderEliminar
  20. Ahah o que me ri! As mães são todas iguais! Ainda há dois dias contei como a minha mãe me enganou e me fez comer coelho a pensar que era porco (nem sei como não percebi)...
    Enfim, é triste quando já nem nas próprias mães se pode confiar!

    http://fuieuquedisseblog.blogspot.pt

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O sabor, origem e a fisiologia dos dois animais são realmente muito parecidos. Ah ah ah ah ah ah ah.
      A sua mãe deve ser uma ótima ilusionista para fazer passar coelho por porco.

      Eliminar
  21. Adoro a parte do "queres pêssegos?" é tããão a qualquer mãe... :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ahahah! Mesmo! Ia a dizer a mesma coisa, a parte com que mais me ri foi a do "Queres pêssegos?" Ahahahahah

      Eliminar
  22. Que mimada! Como já foi dito, se não te tivesses armado em sabichona a analisar todos os bocadinhos do pastel, nem tinhas reparado na cebola! Sinceramente, acho que só te quiseste armar em esquisita.. Mas olha, pronto, mais um tema para o blog, certo? Felicidades é tudo de bom para si é para a sua família

    Claudia Silva

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Realmente tenho em parte de concordar. Pipoca, acho que já é mais birra que outra coisa e na realidade tu nem notas a cebola. Porque pelos vistos deste uma dentada e só depois a viste lá, nem sequer lhe notaste o gosto. Não gostas de cebola ou não gostas da sensação de a trincar?

      Eliminar
    2. Gostei muito deste comentário, principalmente porque a pessoínha ainda não decidiu se te trata por Tu ou por Você.
      Olhe, vá cozer meias, Anónimo. Arranje outra coisa para fazer!

      Eliminar
    3. "Cozer" meias?
      Com ou sem cebola?

      Eliminar
    4. Cozer meias com cebolas?

      Eliminar
    5. Se calhar o anónimo queria mesmo mandar cozer meias, já que estamos numa de comida ahahah.

      Eliminar
    6. Eh pá, que mania que os iluminados têm de achar que quem não gosta de cebola não a nota. Eu noto. A léguas. Não preciso sequer de trincar, basta sentir o cheiro.

      Eliminar
    7. Noto cebola a léguas. Até pode estar líquida. Tanto no sabor dos alimentos como no cheiro. Noto SEMPRE.

      Mais que não seja, chama-se ter um bom palato e/ou bom olfacto.

      Mimados são vocês que acham que todos temos de ser iguais ao vosso padrãozinho,

      Eliminar
  23. A minha mãe costuma é enganar-me no nome do peixe ou da carne! Da carne é mais dificil... mas do peixe, leva-me como uma tonta! "Ah... é perca!" (Afinal não era nada disso.. era tipo, sei là, dourada!!!) E depois ri-se feita tonta!!!
    Assim são elas, e talvez assim o sejamos... Ehehehhe!

    ResponderEliminar
  24. Ah, mas este diálogo é-me familiar! Só que no meu caso eu sou a mãe e ela a filha... E é mais na parte das "gorrdisses" , não na cebola! E, Pipoca, mãe sofre...

    ResponderEliminar
  25. O que eu me ri com isto logo pela fresquinha! :)
    Por mais que tentem, nunca nos vão conseguir enganar. A mim também me tentam sempre espetar com os coentros no prato e quando vêem a careta que faço lá se mentalizam que eu não gosto mesmo. Mas tentam sempre impingir e dizem "mas quem é que não gosta de coentros??"
    Well, guess what? EU!! :(

    Coragem Ana! :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ah, ah! Eu também detesto coentros, só o cheiro... Blheee! A toda a gente insiste em dizer que são muito bons. Ora, se eu não gosto, é claro que vou sentir o mais leve saborzinho, e depois jå não consigo comer mais porque tudo me sabe a coentros... Ah e tal, não se come marisco e afins sem coentros. Eu como! :D

      Eliminar
    2. Eu odeio coentros, odeio!!!!! Fazem-me sempre lembrar uns insectos, cujo nome científico não conheço, que quando pisados (sem querer, jamais pisaria um de propósito) emanam um cheiro horrível! E quando cheiro coentros é deste bichinho que me lembro. Na minha terra chamamos-lhe carrapatos! Blhac!

      Eliminar
    3. O mais engraçado é que, uma das coisas que mais adoro comer na vida, é sopa de peixe e... amêijoas à Bulhão Pato!! Já tentei fazer com salsa e tudo, mas fica horrível!
      Prefiro pedir para não picarem os ditos cujos, assim é mais fácil de pôr de lado e com o sabor das amêijoas já fica disfarçado.
      Mas continuam a insistir! Oh Deus! :'(

      Eliminar
  26. Que mania essa das mães de nos tentarem enganar! Quando eu era mais nova tive uma coelha então decidi que nunca mais ia comer coelho na vida (decisão que se mantém até hoje) e não é que a minha mãe me tentava SEMPRE enganar dizendo que era frango?!

    http://entreosmeusdias.blogspot.pt

    ResponderEliminar
  27. A parte que eu gostei mais foi do "queres pêssegos??"

    ResponderEliminar
  28. Isto já parece a minha fobia por abelhas. Ninguém a percebe. Tal como (pessoas que gostam de cebola) não percebem como é que a pipoca pode não gostar. Não se consegue explicar, não se gosta e pronto. E quem não gosta nota logo, nem que seja em quantidades mínimas.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não percebi bem a comparação... A Inês come abelhas?! Percebo que tenha medo de abelhas, mas esta frase confundiu-me: "E quem não gosta nota logo, nem que seja em quantidades mínimas."

      Eliminar
    2. Tenha cuidado para não encontrar uma abelha no pastel de bacalhau.

      Eliminar
    3. Nunca experimentei pastel de abelha, mas esta semana que vem não escapa!

      Eliminar
    4. "que vem não escapa!"

      é vem ou bem? LOOOOOOOL !!!!!!!

      Eliminar
    5. Acho que o anonimo das 15:37 é que está com um visivel defice de compreensão..

      Eliminar
    6. Ai Pancrácia das 15:37, diga la o que é que não percebeu vá

      Eliminar
    7. Anónimo das 15:37, sem comentar estava melhor.

      Eliminar
    8. Anónimo das 11h12: Não como abelhas. A comparação baseava-se em coisas que não gostamos, seja alimentos, objectos, etc.
      A frase "E quem não gosta nota logo, nem que seja em quantidades mínimas." pode ser aplicada nos dois casos que referi. Eu não gosto de abelhas por isso noto logo mesmo que seja em quantidades mínimas (ou seja, uma). Não é correcto? Bom, abelhas e cebola à parte, isto tudo foi só para dizer que às vezes não sabemos porque não gostamos de algo (simplesmente não gostamos) e que as pessoas não aceitam isso porque não compreendem.

      Eliminar
    9. não brinquem porque na escola preparatória comprei uma sandocha de fiambre no bar da escola e fui picada por uma abelha...na língua!!!!juro pela minha saúde!!!!inchou tanto que precisei de levar uma pica senão sufocava...a abelha estava dentro da sandocha e zumbas,eu papei-a.É um misto de batata frita(pelo crocante,e fígado(que nojo....)

      Eliminar
    10. Ahhhhh Lúcia, já vou ter pesadelos hoje!

      Eliminar
    11. O/a anónimo/a das 15h37 deve ser do Porto e confundiu o vem do verbo vir com bem do berbo bir (à moda do Porto! x) )
      Mas esteve muito bem!!:D

      M.

      Eliminar
  29. Vai mamar uns almocinhos, ainda traz as marmitas, e queixa-se do cebolinha?
    Tem é de comer, calar e agradecer.

    (Nem é que aprecie pasteis de bacalhau, mas longe de mim fazer uma desfeita à mamã... Ou à sogra... Ja comi coisas bem piores só para manter a senhora feliz)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Cuidado. Não coma cocó para agradar e fazer feliz terceiros sim?

      Eliminar
    2. Ate agora nunca me puseram isso prato. Metaforicamente, ja comi muito...

      Eliminar
    3. A sério??? Come para agradar à sua mãe e à sua sogra?
      É adepta então do "Comer e calar". É com cada uma...

      Eliminar
    4. Ahahahaha!!! Anónimo do 12:31 AMEI!!!!

      Eliminar
    5. anónima das 12:31, comentário estúpido!

      Eliminar
  30. Eu não gosto de brócolos. Vegetal asqueroso.
    Mas quando vai à mesa, tem de marchar... Nem que seja para dar o exemplo ao mini.

    (E Ja me aconteceu não ter mais que comer... Quando a fome aperta...)

    ResponderEliminar
  31. Eu acho que isto é um hábito natural que as mães e as tias têm! A história mais semelhante foi com o meu irmão, que sempre disse não gostar de coelho. Um dia a minha tia cozinhou coelho e disse que era frango para ele comer. Não é que o rapaz comeu e ainda disse "está bem bom o frango"! Às vezes cola!

    ResponderEliminar
  32. Shame on you, dear mother! :-) Da minha mãe, desconfio sempre quando ela diz que o que vamos comer NÃO é COELHO. É sempre COELHO...
    Arre (estou a fazer uma introspeção de mãe...Não, nunca enganei o meu filho assim, a não ser quando ponho natas na comida e lhe digo que não ou quando faço feijão e lhe digo que não há assim mais nada na dispensa...) :-D

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Nunca enganou mas fez exactamente o mesmo.

      Eliminar
    2. Acho que a Sandra estava a ser irónica... Digo eu...

      Eliminar
  33. O meu tio não come carne, nunca comeu. A ideia da minha avó? Fazer sopa de carne, bem passada, de forma a que ele não notasse.

    ResponderEliminar
  34. Ai ai pipoca tens toda a razao.... nunca se deve enganar uma filha,ainda por cima uma mae que nos conhece desde sempre....
    entretanto a com cada comentario,realmente tens que ter muito estomago para leres tanto comentario parvo.
    cristina africa

    ResponderEliminar
  35. Pelos comentários dá perfeitamente para perceber que há muita gente como a sua mãe que acha que se pode enganar uma pessoa que tem aversão a um alimento. Porque pelo que a Ana descreve não se trata de não gostar é mesmo ter uma aversão a cebola.
    Eu não gosto de vários alimentos, mas alguns quando misturados com outros não me causam aversão. Outros são mesmo intoleráveis que mesmo disfarçados, camuflados, misturados não dão para tolerar. E depois existem pessoas que têm as pupilas gustativas e o olfato tão apurados e treinados que não há como as enganar.
    Conheço pessoas que se comem determinado ingrediente chegam mesmo a ter vontade de vomitar, mas há sempre algum experto a insistir. Ana passe a dizer que é alérgica à cebola.
    Isso de comer para agradar é a coisa mais estupida que já li, se a sogra lhes mandar rebolar no chão também rebolam só para agradar? Pode parecer uma coisa simples mas são estes pequenos detalhes que nos definem, fazer algo contra a nossa vontade ou forma de ser só para agradar alguém é pura e simplesmente dar graxa e ser hipócrita.
    Comer brócolos para dar o exemplo a um filho é uma coisa, comer brócolos para agradar a sogra é outra completamente diferente, só faltava no fim dizerem que estavam deliciosos e depois serem brindadas com uma pratada de brócolos salteados sempre que lá vão almoçar ou jantar com um sorriso a dizer-lhe fiz brócolos porque sei que adoras!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Estamos aqui a brincar, mas num registo mais serio, posso dizer-lhe que comer o que põem na mesa não é sinal de graxa mas sim de respeito, pelo custa pôr comida na mesa (e pelo trabalho que dá a confeccionar)

      Eliminar
    2. Isso é idiótico. Então se puserem um bife à frente ele tem de comer ou é desrespeito? Eu não gosto de muita coisa e como na mesma quando é preciso. Mas não tolero bacalhau. Mete-me nojo, dá-me seriamente vontade de vomitar. Vou comer e sentir-me mal só para mostrar que tenho respeito? Não, ter respeito é também ser-se sincero e dizer (de preferência antes da refeição ser confecionada) "Desculpa mas não consigo comer isto ou aquilo".

      Eliminar
    3. Num registo mais a sério posso dizer-lhe que num primeiro jantar em casa dos futuros ou potenciais sogros ou num jantar onde se é convidado e o ambiente não é informal se deve fazer um esforço para comer o que é colocado na mesa, no entanto, os anfitriões também devem ter o cuidado de quando não conhecem bem os convidados tentarem perceber os seus gostos e apresentar os chamados pratos consensuais e ter sempre uma opção, por exemplo uma maior variedade de entradas. Mas em casa da sogra, quando se diz sogra supõe-se que exista um casamento ou uma relação estável, é melhor dizer educadamente que não se gosta daquele ou outro alimento. Ninguém deve ser obrigado a comer o que não gosta, já bastam os sapos que engolimos em outras situações.
      No primeiro comentário referi-me a duas situações em particular expostas nos comentários anteriores. Existe sempre o bom senso, pois existiriam um sem fim de situações em que comer seria simplesmente a única coisa a fazer.

      Eliminar
    4. Isto são discussões filosóficas, e cada um sabe de si. Claro que ha excepções, se alguém for avisado que o convidado é vegetariano e mesmo assim faz Cabrito, mostra alguma ma fé, mas normalmente acho de bom tom comer o que apresentam na mesa. Ate porque muita gente faz cerimonia com a comida, e leva muito a serio a preparação da refeição e a dita. Ja fui comer a casa de pessoas que passavam diculdades, mas que fizeram o real sacrifício de me porem um banquete a frente, dentro das suas curtas possibilidades. Era o que mais faltava, recusar-me a comer porque sentia a cebola ou o coentro.
      Não tem a ver com cocós, ou com comer e calar, como eloquentemente referiram atrás, mas sim com outro tipo de valores que, claro, são pessoais e subjectivos

      Eliminar
    5. anónima das 18:30, até que enfim um comentário coerente.

      Eliminar
  36. Pára tudo!!! Pêssegos?? Onde é que a tua mãe arranjou pêssegos nesta altura do ano?

    ResponderEliminar
  37. Coitada da senhora......De minha casa já não levavas tupperwares com comida!!

    www.moncloset.com

    ResponderEliminar
  38. ... as mães são é peritas em gozar com a nossa cara!! ... comem-nos de cebolhada, portanto!!! :D

    ResponderEliminar
  39. O meu namorado é tal e qual assim! LOLOL

    ResponderEliminar
  40. ahahha igual aos filmes que tenho com a minha mãe!!!

    ResponderEliminar
  41. Esta história faz-me lembrar a minha avó, coitadinha. Sempre odiou maionese, sem nunca ter provado. Dizia, e diz, que lhe mete nojo. Quando era miúda, apanhei-a de costas e meti-lhe maionese no atum com feijão frade e misturei tudo muito bem. Ela comeu tudo e nem reparou, no fim perguntei "então avó, estava bom?" "Estava pois" "pois olhe que tinha maionese! está a ver como gosta!", palavra de honra que a senhora se levantou e foi a correr para a casa de banho vomitar! Claro que depois levei um raspanete como nunca tinha levado na vida...

    ResponderEliminar
  42. Deve haver uma base comum em todas as mães : ) Acho normal o que a tua fez : ) É coisa de mãe!

    http://mundodamafy.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  43. e os patés caseiros... que cheiram a cebola a 10 m de distancia, e quem fez continua a jurar a pés juntos que não colocou cebola... Paciência…

    ResponderEliminar
  44. Same here! Mas com canela!! Blhec

    ResponderEliminar
  45. Opa! Pessoas anónimas e irritantes...
    Será que não conseguem desfrutar do simples post da Pipoca? Criticam tudo! Ou não trata a mãe por "você", ou é porque chama mentirosa à mãe, blá blá blá.

    Sejam menos mesquinhas, irra!!!

    Pipoca, eu só como tu....Trato a minha mãe por "tu" porque eu quero e porque ela quer. Ela diz que quando tiver 70 anos e eu vou ter +/- uns 50 ela quer que a continue a tratar por tu hehe :)

    ResponderEliminar
  46. cada um que trate a mãe como quer!

    ResponderEliminar
  47. Eu adoro cebola e acho que se nota bastante, não me parece que seja daqueles alimentos que passem despercebidos. Tanto pelo sabor como pela textura. A mim, por exemplo, faz-me impressão comer tomate fresco pela sua textura e apesar de o misturar com outros alimentos (gosto do sabor) se por acaso o trinco directamente não é nada agradável. Cada um tem os seus gostos, ou os seus não gostos ;)

    ResponderEliminar
  48. Ah ah ah, coitadinha da tua mãe. Faz parte! A minha diz-me sempre que há frutos secos: "Come que aprendes a gostar" ou então espeta com nozes em todos as coisas que ela sabe que eu adoro para ver se me engana. Faz mesmo parte! Estão sempre na expectativa de não darmos conta para no fim dizerem: "Vês, vês, dizes que não gostas e toma lá que já marchaste o pastel de bacalhau todo e nem notaste. Isso é só manias!"

    Mas pronto, isto nos trintas já não nos enganam. São umas mentirosas fofinhas as nossas mães.

    ResponderEliminar
  49. Lá por ter trincado uma vez sem notar a cebola, não quer dizer que foi por não a ver.
    Afinal não devia ter cebola em todos os sitios, mas claro que se o comesse todo, ia encontrar n bocados, não?

    ResponderEliminar
  50. A minha avó utilizava a mesma técnica com as costeletas de borrego. Tentava sempre dizer-me que era porco. Mas ainda eu não tinha passado a porta da entrada de casa, já me estava a cheirar... Ficava fula!!!

    ResponderEliminar
  51. Pipoca,
    Adoro os posts que envolvem a mãe!
    Não há nada como as técnicas de distração das mães "queres pêssegos?"
    GENIAL!

    ResponderEliminar
  52. por cá sofro do mesmo .. mães ! ahahah
    beijinho pipoca*

    ResponderEliminar
  53. Chamar mentirosa à mãe...Algo que na cultura do meu pais de origem é inaceitável! Nem a brincar chamamos mentirosos aos nossos pais! Representa uma grande falta de respeito... Mas aqui em Portugal vejo que é tido como algo natural, chamar mentirosa ou bonita à mãe é igual...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Se a minha mãe me mentir posso chamar-lhe de mentirosa, ou não?
      Ou só porque é minha mãe, finjo que é verdade?

      Eliminar

Teorias absolutamente espectaculares

AddThis