Pub SAPO pushdown

Notícias que valem muito a pena #1

quinta-feira, janeiro 22, 2015

Mas as pessoas não sabem que depois de mortas já não vale a pena saírem de casa? Só dão trabalho, pá!

131 comentários:

  1. Que comentário tão triste o seu Dona Pipoca...
    Infelizmente, essa senhora estava a ser espancada pelo marido e fugiu para casa de uma amiga, o marido foi atrás dela e segundo a amiga, fizeram as pazes e voltaram os dois para casa. Hoje de manhã, a amiga da senhora alertou a policia porque não conseguia estabelecer contacto com a senhora que entretanto foi esfaqueada pelo marido de madrugada...
    Informe-se melhor do conteúdo das noticias eu já tinha visto esse belo titulo mas entendi porque infelizmente conheço a historia de perto :(

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obviamente que a Ana não se estava a referir ao conteúdo da notícia mas ao título. Se a frase estivesse bem pontuada ", morta em Setúbal, " não indiciava a ideia de que a senhora saiu de casa depois de morta.

      Eliminar
    2. A Pipoca não gozou a senhora, nem a situação. Apenas os maus jornalistas.

      Eliminar
    3. eu acho que a pipoca se está a referir ao modo como a noticia está escrita..

      Eliminar
    4. Espero que por conhecer a história de perto (ou melhor, ter conhecido) tenha, em algum momento, feito alguma coisa...

      Eliminar
    5. Este comentário e para a primeira resposta anônima!! Minha cara anomima, e será k é muito difícil perceber k nunca se pode fazer as pazes com monstros?? Vem sempre com lindas e maravilhosas desculpa elas (as agredidas) pensam k nunca mais voltam a fazer até k quando se apercebem já é tarde demais!!

      Eliminar
    6. O anónimo das 18h13 sabe que a violência doméstica é crime público, não sabe? Uma vez que conhece a história de perto, alguma vez fez uma denuncia, ou algo do género? Se calhar, o melhor mesmo é a "Dona Pipoca" não se informar melhor, pois no limite ainda vamos perceber que houve alguma cumplicidade no que acabou por acontecer...

      Eliminar
    7. Anónimo 09:48h, com o devido respeito, cale-se.

      Eliminar
  2. É sempre a mesma coisa. Nunca conta o mais importante da história.

    A morta tentou sair para ir a um casting do "The walking dead" ou era só para fazer buuuuu ao vizinho do 5º esq. que sempre lhe atazanou o juízo? Ficamos sempre com estas dúvidas existenciais! ;)

    Momentos em Cápsulas

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Mais valia estar calada.

      Eliminar
    2. Devia ter vergonha... se fosse a sua mae, gostava que alguém fizesse o comentário que fez? Por favor...

      Eliminar
    3. Q parvoíce...... Você Tem o q? 10 anos? É q mais valia MESMO estar calada....!

      Eliminar
    4. Adorei! O meu palpite é casting do "The walking dead" :)
      Ana

      Eliminar
  3. ahahahahahahahahahaahahahahah mt bom!

    ResponderEliminar
  4. Há pessoas lentas..... até à morte vão chegar tarde! (coitada da senhora)

    www.moncloset.com

    ResponderEliminar
  5. Parece-me que não tem nexo nenhum esse comentário pipoca. Já vi este titulo e não me levou a pensar que a senhora tentou sair de casa já morta, percebe-se muito bem o contexto, bah!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Se calhar só se percebe o contexto se o conhecermos.. Eu tive a mesma reação da pipoca, just saying

      Eliminar
  6. Comentário muito infeliz , se lesse o resto da notícia talvez percebesse o que realmente aconteceu .

    ResponderEliminar
  7. Apenas se aproveita o primeiro comentário anonimo..todos os outros perderam uma boa oportunidade para se calarem..

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Esse primeiro anónimo, sabendo de um crime público fez o quê? Vai agora ao funeral e vem dizer que conheceu de perto a história???
      E será que é preciso muito para se entender que a questão é o péssimo título,a falta de pontuação?Ninguém achou piada ao crime, nem a ela ter tentado fugir. Meu DEUUUUUSSS!

      Eliminar
    2. Oiça Lua, não venham agora as pessoas atirarem com "e fez o quê"? A Lua não sabe de nada.
      Ou agora os vizinhos são os culpados? Ou os amigos, que não conseguiram impedir que a mulher POR VONTADE PRÓPRIA voltasse para casa com o marido? Amarravam-na?
      A Lua não sabe de que forma tentaram protegê-la, não sabe de nada.
      A Lua teria feito o quê se conhecesse bem a história de perto? Dê lá o exemplo, já que é tão boa a dar respostas certeiras.
      Mas diga algo mesmo eficaz. Dizer que "fazia queixa" não vale, pois só quem conhece os mecanismos da lei sabe como funcionam as coisas, na prática (no sentido de não conseguirem evitar a morte de alguém, mas actuarem apenas extemporaneamente).
      Obrigada, Lua.

      Eliminar
    3. Atenção que eu estou a dizer que se DEVE, sempre, denunciar. Disse, e muito bem, é crime público.
      Mas sabem que isso, na maioria das vezes, na prática, não evitam os homicídios, não sabem? Eles acontecem na mesma, infelizmente. É só ler as notícias....

      Anónima 11:06

      Eliminar
    4. A Lua teria denunciado, é um crime público.
      E se os mecanismos não funcionam, se não é eficaz, isso não é culpa da Lua.
      A Lua não disse que ninguém fez nada, apenas questionou se o fizeram.

      A Lua não concorda OBVIAMENTE com qualquer tipo de crime.

      A Lua sabe ler e interpretar o que a Pipoca escreve. A Lua sabe que ninguém se riu nem gozou da situação em si.
      Esclarecido(a) anónimo?

      Passe bem.

      Eliminar
  8. soraiaguimaraes18@live.com.pt22 janeiro, 2015 19:40

    Apesar de a notícia não apresentar uma plena correçao na colocação do português, a Senhora em questão, que infelizmente já não permanece entre nós, abandonou o lar por ser vítima de violência doméstica! Porém, ao regressar foi morta pelo marido, devido ao processo de divórcio que decorria.
    Ao ler-se bem a notícia, compreende-se perfeitamente o contexto da mesma e o tema "violência doméstica" tem estado cada vez mais presente na sociedade portuguesa!
    Por estes motivos, não concordo muito que este post seja um bom motivo de matéria.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sim, nós percebemos e lamentamos a história....
      A questão é a porra do título, mal escrito, estúpido, incoerente!!!
      Toda a gente leu bemmmmmmm...

      Eliminar
    2. Não está mal escrito. Entende-se muito bem. A má vontade é que é muita.

      Eliminar
    3. A porra do titulo, comparada com a porra da morte.
      Sem dúvida, um post infeliz.

      Eliminar
    4. Para quem sabe escrever bem português, o título está mal escrito devido à falta de pontuação correcta. Nada mais.

      Eliminar
    5. Pois é... nisto o que realmente interessa é a pontuação!

      Eliminar
    6. Não é a questão de ser a pontuação o que mais interessa, mas por aqui se vê.
      Para mim é lamentável a noticia. É triste. Revoltante. Mas quando vi o título do post, vi logo a que se referia. Só isso.

      Eliminar
    7. O anónimo das 12:46 é que disse tudo agora.... Só se discute o que não interesse! Morre uma pessoa vítima de violência doméstica e o que realmente interessa é discutir a pontuação da notícia! Que mesquinhice de país

      Eliminar
    8. Sim, este post é apenas porque alguém não sabe escrever correctamente usando a pontuação correcta.
      Não é sobre um terrível e condenável crime.
      Com isso não se pode brincar.

      Eliminar
  9. Esta gente não entende que ninguém gozou com a notícia em questão, que note-se é bastante triste. Estava mesmo a referir-se ao triste "jornalismo" que infelizmente é praticado pela TVI24, Correio da Manhã, e outros que tais, que ao que parece não sabem contratar "jornalistas" que saibam escrever.

    ResponderEliminar
  10. Puxa! Eu fico atónita como uma brincadeira acaba nestes comentarios...obviamente que ninguem é indeferente à violência doméstica, que ainda por cima acaba de maneira tão violenta e irreversível!Mas que o título da notícia está comico, está!

    ResponderEliminar
  11. Pipoca, pode gozar com Maomé mas com violência doméstica não, ok? Vá, que a liberdade é muito bonita mas com respeitinho ;-)

    ResponderEliminar
  12. Menos... Não sabem o que é uma piada? Credo. Tanta gentinha dramática. A Ana não está a gozar com a situação em si, mas sim com o título da notícia! A falta de cuidado por parte dos profissionais.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Se fosse o título da notícia da morte da sua mãe, irmã, tia, amiga, certamente que nao teria disposição para piadas. Menos.

      Eliminar
    2. Se fosse minha mãe, tia ou irmã eu iria ficar possessa, não com um post num blogue que nem se quer refere a identidade da minha mãe, irmã ou tia, mas sim do mau jornalismo, do sensacionalismo criado em volta de notícias deste género.

      Eliminar
    3. Exato, pelos desenhos dos outros serem de Maomé (que para imensa gente é mais importante ainda que se fosse a mãe, irmã, tia, amiga), eles também não tiveram disposição para piadas (que digamos, bem mais ofensivas e prolongadas no tempo).

      Eliminar
  13. Não tem nada a ver o péssimo jornalismo ou escrita ou conteúdo..o tema em si não deveria ser forma de matéria..respeito porque infelizmente estas "notícias" voltam a surgir..

    ResponderEliminar
  14. Piada? Mas isto tem alguma piada! Poupem-me!

    Gente tão estúpida!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Estúpida é a pessoa que não entende que ninguém se está a rir da morte da senhora mas sim do mau jornalismo. Estúpida não, idiota mesmo!!

      Eliminar
  15. A maior parte dos que levaram este post a mal era, há duas semanas, Charlie.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Este discreto comentário passa despercebido mas é... De mestre.
      Susana

      Eliminar
    2. É verdade, tb acho...Há muito hipocrisia no que toca a liberdade. Eu tb sou contra a violencia domestica, mas qd vi aqui o titulo achei piada e nem sequer sabia do resto da noticia. Só falas púdicas.
      Quando ouvem a vizinha a pedir ajuda pk está a ser vitima vão ajudar ou metem-se em casa pk já diz o ditado "entre marido e mulher ninguém mete a colher"?!!!!

      Eliminar
    3. Já bem que dizia o outro "somos todos charlie, o tanas!". Já passou a novidade, já voltámos todos a ter mentes tacanhas....!

      Eliminar
    4. Toquei-me :)
      Não levei o post da pipoca a mal, só acho que não é dos mais felizes tendo em conta a história e desfecho por trás.
      AH, e nunca disse que era Charlie :)

      Eliminar
  16. Oh pah a sério, mas ainda não perceberam que é do TÍTULO que a Pipoca se refere?!? E ler melhor não... God!!!!

    ResponderEliminar
  17. Outra: " tentaram reanimar morto há dois dias"

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. isso não está mal escrito, é só uma notícia sobre um facto inaceitável....

      Eliminar
    2. Um facto mesmo inaceitável por parte das equipas de socorro!

      Eliminar
  18. A PONTUAÇÃO SENHORES: P O N T U A Ç Ã O!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sofia, o seu comentário também está a precisar de pontuação.

      Eliminar
  19. Oh pessoas tão frageis espalhadas por aqui: tenham calma. Guardem os comentários de ofendidos, ou será que não percebem que a Pipoca não está a gozar com a notícia mas sim com o modo como está escrito? Tantos "je suis charlie" e depois ficam ofendidos com isto. pipoca tu poe-te a pau!

    ResponderEliminar
  20. O povo português tem muita falta de humor, qualquer brincadeira os deixa chocados....e depois andaram todos há uns dias atrás a dizer "je suis charlie"

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Depois alguém ainda se passa e vamos todos numa de "je suis Pipoca". Mas tem toda a razão. Dois pesos, duas medidas.

      Eliminar
  21. Eu entendo que a Pipoca tentou fazer piada com o mau Português, mas tendo em conta a noticia por trás do mesmo, acho que a piada se ficou pela tentativa.
    Infelizmente, o tema "Violência Doméstica" sobrepõe-se largamente ao mau Português utilizado e é dificil rirmos de algo quando a sombra do outro é tão grande.
    A Pipoca, com a experiência de mais de 10 anos, já estaria à espera destas reacções diversas.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Plenamente de acordo.

      Eliminar
    2. #jesuischarlie-massóàsvezes!

      Eliminar
  22. A frase está certa... embora possa dar confusão ao ler.
    Mulher que foi morta em Setúbal ainda saiu de casa - talvez assim desse menos confusão.
    Ou então: Mulher assassinada em Setúbal ainda saiu de casa.
    De qualquer forma está certa.

    ResponderEliminar
  23. é o que digo..já não se fazem mortos como antigamente....
    criticas a cair em 3,2,1...lol

    (saliento que apenas brinquei com a "brincadeira" da Pipoca em relação ao mau jornalismo ; )

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Looool agora mandei uma gargalhada valente ehhehehe vá crucifiquem me loool

      Eliminar
  24. Agora só falta cá vir alguém comentar que a Ana devia passar pelo mesmo e blá blá blá ;)

    ResponderEliminar
  25. A Ana não está a gozar com a notícia obviamente, mas acho dispensável este post na medida em que o título é perceptível.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Concordo plenamente... é só mais um post para gerar polémica e trazer novamente à tona um tema (agora mais que nunca) actual que é a liberdade de expressão.

      Eliminar
    2. É perceptível porque exigimos pouco no que que toca ao respeito pela Língua Portuguesa! Ser perceptível não é sinónimo de estar correcto... Não me parece aceitável que haja constantemente erros do género - e outros bem piores! - na comunicação social.

      Eliminar
  26. Realmente, que notícia mais parva. Mas... ainda há jornalismo digno desse nome em Portugal?

    ______________________
    nuvem
    blog: nuvem

    ResponderEliminar
  27. Infelizmente temos muito jornalismo do "bom"

    ResponderEliminar
  28. Legenda perfeitamente dispensável. Mas não gostei mesmo.

    ResponderEliminar
  29. Oh Pipoca és o máximo!

    ResponderEliminar
  30. Às vezes a graça cai em desgraça...

    http://manual-da-moda.blogs.sapo.pt/

    ResponderEliminar
  31. Aposto que todos estes que aqui dizem que nao se goza com isto (que ela nem gozou), que isto não é matéria, que se fosse a mãe (para os outros Maomé é tudo), são os mesmos que encheram os seus facebooks de "Je suis Charlie". Enfim..as pessoas, como de costume, têm sensibilidades seletivas.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Bom dia. Não aposte sem certezas. Pessoalmente não sou Charlie nem nunca me intitulei como tal, nem isso é para aqui chamado.
      Não podemos falar da mãe dos outros ou da nossa ou de Maomé.
      O título da noticia é mau e a noticia por trás muito polémica. Daria para uns bons dias. Talvez seja melhor aceitarmos as opiniões dos outros (não somos obrigados a concordar é certo), mas julgá-las já será exagerado, não acha?

      Eliminar
  32. Que falta de coerência abunda por aqui. "Je suis Charlie!!!", diziam muitos à poucos dias atrás... Mas, afinal, só somos "Charlie" porque o alvo da piada era Maomé... Avaliando todos este comentários, se a piada fosse a violência doméstica (ou outro assunto que nos fosse sensível) todas as vitimas tinham merecido a morte, pois não se brinca com coisas sérias.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sabe falar francês, mas nem no português acerta.
      Se defende o post que brinca com o mau português, ao menos escreva "há poucos dias", por favor.

      Eliminar
    2. Estes "correctores automáticos" matam-me... eheheheh...

      Eliminar
    3. Olha... mais um "corrector automático"! Ou será o mesmo de sempre...? Eheheheh... Já agora sinta-se à vontade para "corrigir" algum erro que possa existir neste comentário :D

      Eliminar
    4. Anónimo das 10:24.
      Em relação ao Charlie (tem o nome gasto e daqui a uns meses ninguém se lembra dele) estamos a falar de fanáticos religiosos, que parecem defender tudo menos a religião que apregoam.
      Em relação a violência doméstica, é-nos mais próxima e lamentavelmente quase todos conhecemos casos onde ela vive. Não será um assunto para fazer piada, não concorda?

      Eliminar
    5. A morte é um assunto muito próximo e fazemos piada com ela (ou há quem faça), a violência doméstica, as doenças, as deficiências.
      Não é por isso que deixamos de condenar tais actos!

      Eliminar
    6. Por acaso foi a primeira vez que fiz o reparo sobre um erro ortográfico.
      Mas convenhamos que, num post como este (que critica, precisamente, ao mau uso da língua portuguesa), o anónimo pôs-se mesmo a jeito!

      Eliminar
  33. Olha aqui o #2:
    http://www.cmjornal.xl.pt/exclusivos/detalhe/assassinada_apos_queixa_na_policia.html

    Que maravilha! (salvo seja)

    ResponderEliminar
  34. Uau estamos taoooo sensiveis por ca hoje.....sao sempre assim ou so reparam mesmo nas piadas alheias?

    ResponderEliminar
  35. Acho que se percebe que a Pipoca está apenas a gozar com a forma como o titulo foi escrito, mas tenho de concordar um pouco que dado a sensibilidade do assunto é melhor pensar duas vezes. Infelizmente é um caso muito sério e triste.

    http://strawberryleopard.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  36. Onde é que andam os Charlie agora? Se fosses francesa se calhar já podias fazer sátira.
    Já alguém pensou que falta de respeito é a forma como apresentam o título? O mínimo que se pode fazer por uma vítima é noticiar a desgraça como deve ser e com respeito.
    E já agora se ninguém apontar estes erros eles irão continuar a persistir e a aumentar e daqui a nada ninguém sabe escrever corretamente.
    Uma gralha no meio de um texto ainda se admite agora num título? Por favor deviam ter mais respeito e mais atenção ao que publicam.

    ResponderEliminar
  37. É uma noticia pensada para watch dogs, não para watch kitties ;)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Também andou a ler a crónica do João Miguel Tavares :).

      Eliminar
  38. Credo, tanta gente sem um pingo de humor logo pela manhã...! E há gente que não deve muito à inteligência, de facto.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Bom dia Jo! Dormiu bem? Acordou bem disposta? Nada como uma boa piada para rematar um bom pequeno almoço, não? Leu o post da pipoca e já ganhou o dia? Ainda bem! Fico contente por si!
      Só espero que nunca algum/alguma conhecida nossa tenha de passar por situação semelhante, com uma Pipoca a tentar fazer piada do titulo no dia seguinte.
      Resto de bom dia!

      Eliminar
    2. Mto bom, Célia!

      Eliminar
    3. Bom dia Célia! Felizmente não preciso do post da Pipoca para ganhar o dia, mas tenho pena que cause tanta irritação a tanta gente logo pela manhã! Deve ser muito chato acordar de mau humor e pronto a implicar com tudo e com todos, sem parar dois minutos para pensar se interpretou correctamente o que leu ou se simplesmente vai começar a disparatar e a distorcer o que as pessoas escrevem ou dizem... (Acontece muito!) Claro que a situação a que a notícia diz respeito é lamentável. Aí estamos todos de acordo. Nem há espaço para discussão. É horrível, condenável... O que lhe quiser chamar. Mas o que tem este post da Pipoca a ver com essa situação? Gozou com a senhora em questão? Fez uma piada sobre violência doméstica? Não! Fez uma piada com o título de uma notícia e, quanto muito, ofendeu a pessoa que o escreveu... que acredito que seja um jornalista e que, à partida, deveria saber escrever correctamente e respeitar a Língua Portuguesa. Partiu do princípio que quem fosse ler este post seria minimamente inteligente para perceber isso. Parece que estava errada... E, muito honestamente, se algum dia um conhecido meu/uma conhecida minha tiver o azar de passar por algo semelhante, acredito que terei muitas outras preocupações que não os posts da Pipoca ou de quem quer que seja sobre o assunto... Um resto de bom dia também para si.

      Eliminar
  39. Essa tua observação foi só estúpida.

    ResponderEliminar
  40. Pois... somos todos pela liberdade de expressão, desde que não falem de nós, nem da nossa mãe, nem da morte, nem da religião, nem.... do nosso cão...
    Decidam-se, sim?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Nas costas dos outros vemos as nossas, não é assim que se diz?
      A sua reacção e comentário seria o mesmo se isto tivesse acontecido com alguém querido para si?

      Eliminar
    2. Seria certamente, até porque ninguém gozou com a morte da senhora, nem com a situação em si (a violência).

      Sou a primeira a brincar com as situações difíceis da minha vida, mas respeito quem não tem essa capacidade.
      Podemos não gostar que brinquem com os nossos e com as nossas dores, mas, lá está, temos de respeitar.

      Eliminar
  41. eu acho que o jornalista sabe o que escreveu, acho que o público entendeu, acho que a escrita imediata e até sensacionalista não tem que obedecer às (boas) regras gramaticais, porque a mensagem passou eficazmente e se estivesse bem escrita, talvez passásse despercebida...Mas, o que realmente acho, é que não podem continuar a morrer mulheres neste contexto, num país de "brandos costumes", de pessoas que não se rebelam por injustiça nenhuma. Os portugueses só ficam irados dentro do carro e pelos vistos, dentro de casa. As mulheres deste país que fazem das "tripas coração" para que nada falte à família, para ter a casa em ordem, para ajudar os pais, os sogros, os filhos e às vezes os netos...um país de católicos que não valoriza a mãe, a esposa, a mulher...chegamos a terras de Maomé?!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Penso que a Pipoca teria feito uma melhor escolha em falar sobre o caso em si, não sobre o título da mesma.

      Eliminar
    2. A escrita imediata e sensacionalista não tem de obedecer às boas regras gramaticais? Desde quando? Qual a lógica que sustenta essa afirmação?! As regras gramaticais existem para que todas as pessoas escrevam a mesma língua da mesma forma. Regras são regras, não são guidelines. Se um jornal, que chega às pessoas exclusivamente através da escrita, deixa de usar um português correcto em nome do sensacionalismo então não sei onde o português vai parar.

      Eliminar
  42. Bom Dia. Sou o anônimo que fiz o primeiro comentário das 18h13! Se fiz alguma coisa para impedir esta tragédia? Se sabia que é crime público?
    Ora bem, se alguém aqui sabe o que é passar e sofrer de violência doméstica, então saberá muito bem que em muitos casos não é fácil nos livrarmos destes monstros que nos dão cabo da vida e da esperança para o futuro só quem está, ou passa por estas situações é que sabe o que é lá estar dentro!!! Lá por ser crime público, todos falam que se tem de fazer alguma coisa mas ninguém faz absolutamente nada!!! Esta senhora ajudou a minha mãe e ainda ajudava durante muitos anos a minha mãe foi espancada pelo meu PAI!!! Quando a minha mãe foi a tribunal os vizinhos que prontamente nos disseram que se fosse preciso testemunhavam a favor da minha mãe, quando chegou a altura ninguém nos quis ajudar nem dar o testemunho porque tinham medo do meu pai!!!
    Teoria todos nós temos, mas quando se passa por estas situações aí caímos na realidade...
    Nós imploramos para ela não se ir embora, mas não a podíamos prender na nossa casa...infelizmente... e não podemos mandar na vida de ninguém, ajudamos, aconselhamos o divórcio, ela sair do país, falar com a policia... mas não somos nós que temos de ter a decisão nem de dar o passo, por nós ela já se tinha divorciado ou saído do pais á muito tempo, muito mesmo... e engane-se quem pensa que é assim tão fácil, nas classes mais "altas" o terror ainda é pior...á muito mais em jogo do que aquilo que pensam...
    Acreditem todos numa coisa, ninguém está a salvo de um dia isto acontecer a alguém que conhecemos de perto. Espero não criar tanto azedume com este comentário do que criei com o primeiro....
    A única coisa que eu queria dela era o carinho e amizade, era uma segunda mãe para mim, passei muitas noites em casa deles para fugir ao inferno da minha, e afinal ela é que foi....
    A vida ás vezes é muito injusta...mas é a vida...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tem toda, mas toda a razão. Só quem passa por estas coisas sabe como é difícil dar a volta. Tudo de bom para si, e espero que a dura realidade que viveu não condicione a sua maneira de ser, pois é muito difícil viver com estes "passados".

      Eliminar
    2. Concordo consigo são situações complicadas e muitas vezes quando alguém de fora denuncia a própria vítima acaba por desmentir e a queixa não avança.
      Agora o problema maior não são os nossos brandos costumes não se enganem, este tema é muito mais delicado do que isso, por incrível que pareça, salvo algumas exceções, as vítimas de violência doméstica têm um perfil psicológico que procura e chama exatamente a atenção de pessoas que têm perfil abusivo e dominador.
      E desenganem-se se pensam que só as mulheres são vítimas de violência doméstica, no caso dos homens o problema é ainda bem mais camuflado porque há menos informação, ainda mais vergonha e como normalmente assenta em violência psicológica é muito difícil de provar.
      A maioria das vítimas não foge da situação não é por medo, é porque no fundo acha que merece a situação em que vive, têm normalmente uma visão destorcida da realidade e o melhor que se pode fazer é leva-las a um psicólogo ou terapeuta.
      No caso das famílias abastadas estar muita coisa em jogo, não concordo não há dinheiro que compense levar uma vida miserável.
      Tenho pena que não tenha conseguido ajudar a sua amiga, mas a piada da Pipoca em nada diminui a importância da notícia realça a apenas que os meios de comunicação fazem tudo para ter mais audiência até desrespeitar as vítimas.

      Eliminar
  43. Pipoca Mais Doce, tratando-se de um caso tão recente e tão grave, lamento que tenha usado esta notícia para apontar um pormenor tão fútil em vez de se prender ao conteúdo, que é absolutamente terrível.

    ResponderEliminar
  44. Adoro pessoas que andam para aí a dizer que éramos todos Charlie, mas só com Maomé. Senhores, eu não gostava do Charlie Hebdo, achava tudo aquilo de muito mau gosto. É o meu direito expressar essa opinião, tal como tenho direito a dizer que também este post é de mau gosto. Faz parte da liberdade de expressão individual. O que não se pode fazer é cometer um crime como se cometeu em Paris por os jornalistas também praticarem a liberdade de expressão.
    Claro que podemos criticar o que aquela revista fazia (e faz). Não é por isso que somos menos Charlie, antes pelo contrário. Tentem perceber o que é a liberdade de expressão antes de dizerem disparates.

    ResponderEliminar
  45. Só para esclarecer os ignorantes: não denunciar um crime publico não é crime. Ninguém tem a obrigação jurídica de denunciar um crime de violência doméstica. Pode ter uma obrigação ética, moral, cívica, mas jurídica não. Dizer-se que quem sabe de situações de violência e não faz queixa é cúmplice (em sentido jurídico-penal) é falso. Creio que mais importante do que fazer queixa por outrem é ajudar a criar condições para que possa fazer queixa ela própria.
    A violência doméstica é muito triste, a falta de sentido de humor e os falsos moralismos também...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Para quem sabe tanto, deveria saber que há sim quem tenha a obrigação de denunciar os crimes-públicos, em sentido jurídico-penal.

      Se pensa que ver e calar até convencer a vítima fazer queixa é o melhor, eu discordo.
      E se pensa que toda a gente que comentou não sabe do que fala e está com falsos moralismos está a julgar mal e indevidamente.
      Só porque as pessoas não colocam aqui a sua história não significa que estejam a falar do que não sabem.

      Eliminar
  46. Independentemente do título da notícia estar incorrecto, considero que está matéria não deveria ter sido objecto de assunto no blogue. Penso que a violência doméstica pode e deve ser abordada mas não partindo do título de uma notícia

    ResponderEliminar
  47. Explicar piadas é uma coisa tão triste, mas pronto:

    A piada é o titulo
    A piada é o titulo
    A piada é o titulo
    A piada é o titulo.


    Cristina

    ResponderEliminar
  48. Pipoca se esse titulo esta assim tão errado de la um exemplo de um titulo correcto e com o mesmo conteúdo . A piada a meu ver foi um bocadinho forçada, ainda não é desta que a chamam para ir escrever para o IP.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. "A mulher vítima de violência doméstica em Setúbal ainda saiu de casa, mas em vão"
      SERVE?

      Eliminar
    2. "Antes de assassinada, a mulher ainda saiu/tentou sair de casa".
      Serve este?

      Eliminar
  49. As pessoas que mandam bitaites do género «ai agora já não somos charlie, hein?» se pensassem um bocadinho melhor estariam caladas. Eu não achei piada ao comentário da pipoca. Acho que para humor caiu ao lado e achei que foi um pouco infeliz. Não faço comentários a criticá-la porque não acho necessário e porque alguém há de achar piada e compreender o comentário da forma que penso que foi feito, sem malícia. Mas o facto de as pessoas não gostarem e virem aqui criticar também é ser charlie. Criticar e opinar sobre o comentário da pipoca é tao válido como o comentário em si, e ser Charlie há de funcionar para os dois lados caraças! Ser charlie não é fazer piadas com o que se quiser e depois nao querer receber comentários. Mas a pipoca não é burra, já devia estar preparada para os comentários. Deve estar a ter um dia chato e decidiu agitar as águas. Nada contra.

    ResponderEliminar
  50. Não querendo defender o seu colega jornalista que escreveu isso (mas já defendendo), eu entendi o que estava (mal) escrito. Para bom entendedor meia palavra basta!
    Eu não gozo com os meus colegas de profissão, mas entendo que este post ia dar regabofe aqui no estaminé!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Então só porque com meia-palavra se entende toca a deixar o brio profissional em casa e brincar "então achas que sabes escrever português?" ?!
      Ah...então está bem.

      Eliminar
  51. Célia Lopes, para si.
    Entenda que isto tudo surgiu por dois motivos:
    - Sensacionalismo barato de alguma imprensa;
    - Jornalistas que não sabem pontuar.

    Portanto, se fosse com a mãe, irmã, prima, avó de qualquer pessoa que entendeu o post, só teriam que se revoltar era contra quem já mencionei acima.

    Entendeu?
    Aqui a piada é o mau português, não é o sofrimento e o crime. O sofrimento e o crime foram explorados, mas não neste post.
    Haja paciência!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Haja paciência também para si, que com o rei na barriga, comentou uma dúzia de comentários.
      E ainda fazem das pessoas parvas! Óbvio que toda gente percebeu quer era o português e o título. Mas houve pessoas que, com todo o direito que lhes assiste, acharam o tema infeliz. Acharam a escolha da notícia infeliz. Só isso.
      Entendeu?

      Eliminar
    2. Entendi perfeitamente, desde o início, Já essas pessoas não! Não fiz ninguém de parvo, a verdade é só uma, a piada é o título e há quem não tenha percebido. Se são parvas ou não não sei!
      E comento as vezes que me apetecer, e isso não é ter rei na barriga, é ter opinião. Ou também querem limitar o número de vezes que uma pessoa comenta?
      O tema é infeliz, mas a culpa é minha? É da Pipoca? Não! É desses assassinos. É da imprensa sensacionalista que ainda por cima não sabe escrever.

      Ponto final, parágrafo, mudar de linha.

      Eliminar
    3. Lua, bom dia!
      Obrigado pelas suas explicações. É a sua opinião e deve, como tal, ser respeitada.
      Está a ver? Eu fiz-lhe algumas perguntas e a lua não parece ter tido "um pingo de humor" de sexta a sábado!
      Será que eu teria de cometer alguma gafe jornalística para que o encarasse assim, com humor?
      Uma boa semana para todas/os nós, é o que desejo.

      Eliminar
    4. Célia, gaste energias a defender as suas causas.
      Ao andar aqui a responder aqui a quem tem humor e entendeu a piada não vai evitar nenhuma agressão.
      Fez-me uma data de perguntas onde? É o anónimo lá de cima? Onde foi? Eu respondi, sem pingo de humor porque estava a responder a algo sério. Deveria tê-la gozado?Ah ok, desculpe lá então....
      Sinceramente acho este seu comentário completamente descabido. Já anda meio perdida nas palavras.

      Vá defender os seus ideais e pare de insurgir-se contra quem percebeu a piada e nunca se riu da situação ou da vítima.

      Eliminar
    5. Minha cara, não se chateie. Perguntei sim e em meu nome.
      Mas não vale a pena "falar" consigo pois não estamos no mesmo contexto.
      É perda de tempo para ambas e roupa eu lavo na máquina aqui de casa.
      Bom dia

      Eliminar
    6. Oh Célia, sinceramente, toque-se!
      É que não há pachorra, já ninguém entende o que é que lhe dói...

      Passe bem

      Eliminar
  52. Pipoca, devia criar uma coisa que era: quando as pessoas tentavam aceder ao link, era-lhes feita uma questão do género 'consegue distinguir um tom irónico de um tom sério? Sim ou Não'. E era logo feita a selecção natural de pessoas que vêm aqui e não têm a capacidade de perceber dois terços daquilo que lêem ... Acredite que lhe poupava o trabalho de ler comentários de quem não compreendeu 'patavina' do que quis dizer na publicação (e em 1000 outras em que eu me parti a rir, mas que a maioria das pessoas achou muito insultuosa) ... :D

    ResponderEliminar
  53. Tratando-se de um caso tão recente, a piada foi completamente desnecessária.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Concordo, vamos lá todos ligar para a TVI 24 a dizer-lhes isso.
      Acho mesmo que não fosse recente, dizer parvoíces para o país ver é condenável.

      Eliminar
  54. O que interessa a piada da pipoca ou estar mal escrito?! O que realmente é importante é a chamada de atenção para a gravidade e proporção da violência doméstica. ..... Ninguém merece passar por isso, seja direto ou indirectamente :(

    ResponderEliminar
  55. Esta Lua é cá uma seca...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ai sou? Então pode sustentar essa sua afirmação, por favor?
      Conte lá...

      Eliminar

Teorias absolutamente espectaculares

AddThis