Pub SAPO pushdown

Então e essa loucura toda com a Violetta, hã?

segunda-feira, setembro 15, 2014
Acompanhei de perto a histeria em torno da venda dos bilhetes para os concertos da Violetta porque tenho duas sobrinhas que eram capazes de vender um rim em troca de bilhetes. O meu homem ficou incumbido de tratar da compra dos bilhetes mas, como é um claro novato nestas coisas, apresentou-se na fila da FNAC às dez da manhã. Ah ah ah ah! Às dez da manhã, tão fofinho! A essa hora já a fila percorria os cinco andares dos Armazéns do Chiado e ocupava um bom bocado da rua. O meu homem subestimou, claramente, as centenas de mães esmeradas que às quatro da manhã já tinham o acampamento montando e eram capazes de morder em quem tentasse furar a fila. Ainda lá ficou uma hora, sem aquilo se mover um milímetro, mas acabou por desistir, partindo o coração das sobrinhas ternurentas. No dia seguinte pus-me eu em campo e consegui comprar bilhetes online. Sobrinhas felizes e zero filas. Enquanto pesquisava os bilhetes que queria, deparei-me com um bilhete VIP de 200€, coisinha pouca, que dava direito a um poster autografado e à "oportunidade de tirar fotografia num painel com imagens do elenco em tamanho real". Ah ah ah, pensavam que iam tirar fotografias com a própria da Violetta, seus pequerruchos inocentes? Claro que não! Pagam 200 euros, tiram fotos com um painel de cartão e já vão com muita sorte. Para porem os dedinhos em cima da (chata da) Violetta têm de pagar o bilhete ultra-mega-vip, e esse, meus bons amigos, custa 500 euros (not kidding!).
Hoje falava-se desta febre da Violetta e de outras do género, e uma amiga minha, que tem um bebé, dizia que não sabia se ia estar preparada para este tipo de coisas. Pois. Eu vou já avisando que
não estou, que é para depois não se criarem expectativas infundadas. Nunca pernoitei à porta de uma loja para conseguir bilhetes para o que quer que fosse, por isso também não me estou a ver a fazê-lo para alegrar a vida de um rebento. "Ah, coitadinhos, sua tirana castradora de sonhos, os teus filhos vão ser uns infelizes", estão já alguns de vocês para aí a dizer. Eu percebo que as crianças tenham sonhos. Eu própria tive os meus. E, dentro do possível, tentarei realizar os dos meus filhos. Até considero ir para uma fila às sete da manhã, mas não às três, que isso já me parece coisa de gente doida. Quero que os meus filhos sonhem e quero proporcionar-lhes o que conseguir, dentro das minhas possibilidades, mas também quero que percebam o conceito de razoabilidade. E passar a noite à porta da FNAC ou estar doze horas numa fila não é, para mim, razoável nem uma tremenda prova de amor.
Fazendo assim uma retrospectiva, nunca houve  alguma coisa que quisesse mesmo muiiiiito, muito ver. Está bem que no nosso tempo não havia tanta oferta, não havia Pandas, nem Violetas nem One Directions, por isso os nossos pais estavam mais a salvo desses fretes. Já mais crescida, aí sim, quis muito ir ver os U2, ou a Madonna ou os Coldplay. Mas aí fui eu para as filas ou pedi a alguém que me comprasse, nada cá dessas loucuras de ficar ali uma vida ou ir acampar para a porta de um estádio três dias antes de um concerto, em pleno Verão (e depois ver os paizinhos, que incentivaram os pequenos, a queixarem-se que os coitadinhos estão ali sem condições nenhumas). Se conseguisse óptimo, se não conseguisse paciência, também ninguém morria. Mas parece que hoje em dia sim. Hoje em dia morre-se se não se conseguir proporcionar uma ida a um concerto ou se tiver de se explicar a uma criança que a mãe não vai passar uma noite ao relento para lhe comprar bilhetes. Será a culpa é das crianças? Pois claro que não.



144 comentários:

  1. Hahaha, eu vou ver os Maroon 5, isso sim que é bom.

    ResponderEliminar
  2. Eu também presenciei a fila para os bilhetes da Violeta no Norteshopping.... um assombro. No início nem percebi o que se estava a passar, mas depois vi o cartaz gigante da Violeta e fez-se luz :).
    Nos tempos da minha adolescência também eu queria ver os Backstreet Boys quando eles foram a Lisboa. No entanto, a brincadeira saía cara e fiquei a "ver navios". É a vida :P

    Sem Jeito Nenhum Blog

    ResponderEliminar
  3. E os pais que levaram os seus rebentos para a fila? Que acharam giro tirar fotos às crianças enquanto estas estavam na fila, colocando-as nas redes sociais com legendas como «A minha X está a ter o melhor dia da vida dela! Ela merece isto tudo e ainda mais. Sou o melhor do pai do mundo!» Really? Levar crianças de 5 anos para estas filas?

    Xx

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Levar crianças de 5 anos para um concerto??

      Eliminar
    2. Eu vi pais com criancas de 5 anos na fila do Colombo, desde manha ate cerca das 19h. E sim, para comprar um bilhete para ela.

      Eliminar
    3. Eu vi crianças de 5/6 anos no concerto da Rihanna, no ano passado. Ridículo. Mais e os pais com cara de frete.

      Eliminar
    4. Na verdade, lá no fundo, quem quer ir ao concerto são os pais e usam os filhos como desculpa.

      Eliminar
    5. Cinco anos? A minha filha tem perto dessa idade. Já ouve falar na Violetta e quer malas e afins da dita, mas nunca viu um episódio. Sinceramente, não me parece para a idade dela.

      Eliminar
    6. E eu já vi crianças de 5 anos, e um pequeno rebento que não devia de ter mais de um aninho... Sabem onde? Na queima das fitas!!!!!!!!! O mundo está perdido

      Eliminar
    7. E crianças dessas idades em praças de touros, corridas de touros nas ruas, a assistirem a corridas de automobilismo no meio de pinhais com os carros a passarem a 50cm delas? Depois há "acidentes" e morrem ou ficam feridos... quem poderia imaginar??? Há gente que não devia poder ter filhos.

      Eliminar
    8. Crianças de 5 anos parece-me um exagero, mas imaginando que uma criança de 10 anos quer muito ir a esse concerto e implora, esperneia, etc... Acho boa ideia levá-la para a fila para ver o que custa passar para ir a um desses concertos.. Em vez de ser a mãe ou o pai a irem sozinhos pela criança.

      Eliminar
    9. Boa tarde.tenho 3 filhas uma delas tem 16 anos que gosta de ONE DIRECTION.ja o ano passado queria ir mas expliquei-lhe que era muito dispendioso porque somos do Porto e o concerto era em Lisboa.Este ano o concerto foi no Dragao disse-lhe que podia ir ,foi o primeiro concerto da vida dela.Fomos comprar os bilhetes mas ela foi comigo para perceber o que custa espera e para nos alternar -mos na espera.
      No dia la fomos para o concerto mas com o aviso que nao iamos nem de madrugada nem para o meio da confusao.Porque depois foi o que se viu na televisão
      pais histericos ,miudas descontroladas no meio do calor torrido e uma organizaçao que nao esteve no seu melhor.mas com a falta de civismo que se viu por la tambem era dificil fazer melhor.Para nós o maior incomodo foi a espera dentro do estadio o espetaculo foi bom divertimo-nos .E no fim a minha filha disse-me mãe tens razao da proxima ainda vimos mais proximo da hora do espetaculo.Resumindo e concluindo os miudos querem fazer tudo e ver tudo o que lhes da na gana ,cabe a nós pais decidir o que podem ou nao fazer porque somos mas experientes e temos mais descernimento do que eles.Oproblema e que os pais estao cada vez mais a ceder aos caprichos dos filhos porque acham que assim sao bons pais.

      Eliminar
    10. Querendo ou não é a loucura do momento tal como foi a hanna montana e outros do genero, a verdade é que os tempos modernos são diferentes dos nossos anos 80, eu não tenho memória de ter ídolos atores ou cantores antes dos 16 anos, queria muito ter ido ver os U2 mas o preço na altura era exorbitante 6 contos em 1990 era mesmo muito dinheiro e não fui, há coisas que marcam muito as pessoas e hoje olho para trás e arrependo-me de não ter ido, acho que até tinha o dinheiro suficiente e aquele espetaculo tinha muito sentido naquela altura como outros que consegui furar a 4 ou 5 musicas do final como foi o caso da Tina Turner no antigo estadio do sporting, é uma memória que guardo para o resto da vida porque era mesmo importante naquela altura. Hoje em dia há muito mais ofertas a todos os niveis e as crianças são levadas por essas avalanches de propaganda.
      Tambem tenho uma filha com 10 anos e já comprei bilhetes para ir com a irmã mais velha de 23, e eu vou ficar feliz por lhe proporcionar essa experiencia, só se vive uma vêz, hah, e não é preciso entrar em loucuras de esperar horas á porta das bilheteiras, há lugares para "quase" todos e quem realmente quer ir, sempre foi assim.

      Eliminar
  4. Os meus pais mandavam-me ir passear se lhes pedisse para irem comprar um bilhete a essas horas. Acho ridículo as filas de espera, acho ridículo o preço e acho ridículo os pais não saberem dizer "NÃO!".

    ResponderEliminar
  5. Acho um absurdo! Ver os pais a fazer isto por causa de um concerto... é ridículo. As crianças nao vão ficar traumatizadas! Parece o fim do mundo, mas nao é e as crianças têm de perceber isso. Mas continuo a achar que a culpa é dos pais que compactuam com isto...

    ResponderEliminar
  6. Filhos?! Há algo que não nos esteja a contar, pipoquinha? :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tirando o facto de me imaginar com mais do que um filho, não há nenhuma novidade nesse capítulo. =)

      Eliminar
    2. Ana, mas olha, conselho de amiga, não espere muito tempo, pq ficamos sempre criando desculpas e depois acabam por ter uma grande diferença de idade...e já não são os melhores amigos do mundo quando crianças, o melhor é ter seguidinhos. :)

      Eliminar
    3. ...ou seja,se a pipoca fizer questão de ter filhos espaçados, nah nah nah tem que ser tudo seguidinho...

      Eliminar
    4. Sabes o que é um conselho?! Exemplo de uma experiência vivida?! Não é uma ordem, eu heim, que gente mais parva...

      Eliminar
    5. Ridículo, eu e o meu irmão temos 7 anos de diferença e não nos largamos!

      Eliminar
    6. Realmente...
      A minha irmã é, praticamente, 10 anos mais nova do que eu e damo-nos muito bem. Sempre demos e mesmo quando ela era pequenina (4/5 anos) sempre foi um amor e prestativa.

      É engraçado ver as leituras que se tiram dos posts

      Eliminar
    7. Sou a anónima cusca de 15 Setembro, 2014 22:00.

      Obrigada pela resposta Pipoca :D

      E quando a ter seguidinhos para se darem bem, não caiam nessa! Eu e a minha irmã temos 1 ano e meio de diferença e sempre nos demos muuuuuito mal.

      Eliminar
    8. eu e a minha irmã temos 7 anos de diferença e eu dava a minha vida pela dela,sem pestanejar....a minha irmã é o amor da minha vida.

      Eliminar
    9. Neste sentido, tê-los seguidos é bom para os pais, que ficam logo com o assunto despachado. Assim, qdo crescem os pais tem mais tempo um para o outro e não passam "a vida toda" a trocar fraldas...

      Eliminar
  7. Parabéns pelo post! Penso exactamente assim! Claro que satisfazer os desejos dos filhos e tentar faze los felizes é bom mas este tipo de coisas nem é gostar deles, é apenas fazer parte de uma loucura que sendo nós adultos temos de tentar controlar. 500€ por bilhete os VIP! ahahahahaha :P

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Poi pensando que 500 Euros por mês têm muitas familias para viver, isto é no minimo ridiculo.......

      Eliminar
    2. 500 Euros!!!Realmente enlouqueceram...

      Eliminar
  8. Em 4,3,2,1
    Venham as mães extremosas , as melhores do mundo !!!

    ResponderEliminar
  9. não tarda anda aí toda nua e de língua de fora como a outra...nestas idades já ouvia pink floyd, xutos e sérgio godinho..ó céus..adolescentes fúteis..

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Acho que a Marta está a errar um bocadinho no target. O público da Violetta tem 5/6 anos (vá... até aos 10), o que chamaria tweens e não teens.

      Eliminar
    2. Olhe q não é bem assim.. Fui "apresentada" à violeta por miudas de 13 anos..

      Eliminar
    3. E devemos então bater palmas pelo seu excelente gosto musical?

      Eliminar
  10. Fazer filas ou acampar à frente de um estádio com os rebentos não faz de nós as melhores mães do mundo...pelo contrário! Concordo inteiramente contigo Ana, subscrevo tudo o que escreveste.

    http://thelusofrenchie.blogspot.pt

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Exactamente, ninguém é melhor mãe por isso! Aparentemente há pessoas que pensam que isto faz delas melhores pais...

      Eliminar
  11. Eu também era incapaz de estar tantas horas numa fila, acho que há limites para essas coisas xD

    ResponderEliminar
  12. Eu fico admirada com a quantidade de gente com capacidade financeira para uma coisa destas. Loucura total!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ora nem mais!!!

      Eliminar
    2. é o português no seu pior....

      Eliminar
  13. Minha querida pipoca e a primeira vez que escrevo no seu blog apesar de o visitar todos os dias (mais que uma vez)....🌺
    Concordo com tudo o que escreveu mesmo tudo ...e fui para a fila (uma hora e trinta ) do norteshoping para comprar um bilhete para a minha adorada sobrinha que não sabia que eu o ia fazer❤️💐....
    E o sorriso dela quando viu o bilhete!!Foi!!!❤️
    Dentro dos limites os sonhos são lindos🌸🌺😘
    Beijo grande....

    ResponderEliminar
  14. Mas ainda há bilhetes na ticketline, ou não?

    ResponderEliminar
  15. Acho que nada me irá chocar mais do que a febre Bieber. Tipo aquelas filas gigaaaaantes, e a choradeira e as miúdas de 16 anos tatuadas com o nome do moço (atitude "super normal na idade delas" dizia uma mãe que não deve saber que as tattoos são forever & ever). Hoje em dia parece moda esta histeria.. É giro passar lá horas e horas, nem que seja só para partilhar nas redes sociais! Há coisas que nunca entenderei..

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O que as pessoas não entendem é que as fandoms existem desde o tempo dos Beatles em que raparigas de 15 ou 16 anos desmaiavam quando os viam. Podem dizer que Beatles é música de qualidade, ao contrário de Bieber (o que concordo) mas isso justifica a loucura toda de pessoas a passarem-se por verem um grupo a tocar? O que estou a dizer é que a histeria, a adoração não é novidade nem atingiu novos limites. Simplesmente estamos mais a par desta histeria devido às redes sociais, internet, etc.

      Eliminar
  16. concordo plenamente!!!
    beijinhos

    ResponderEliminar
  17. Quem é a violetta? ahah

    ResponderEliminar
  18. Sei quem é a Violleta à pouco tempo e só me faz lembrar a Miley Cirus no papel de Hanah Montana. Também era a loucura da criançada. Em breve também vamos ver essa tal de Violetta toda peladinha em cima de uma bola de demolições (não sei o nome técnico daquela bola!)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Também não fazia ideia quem era essa tal de Violetta, mas quando soube pensei exactamente o mesmo...

      Eliminar
  19. Concordo inteiramente! E é por estas e por outras que os miúdos hoje em dia não sabem ouvir um não como resposta e a culpa é dos próprios paizinhos que lhes fazem as vontades todas!

    ResponderEliminar
  20. Se tiver dinheiro e tempo, nao me importarei nada de fazer o mesmo, para filhos ou amigos. Certamente que nao cansará tanto qt correr 10km às 7 da matina e não gastarei tanto, quanto gastaria na colecção da Adidas O/W 2015.

    A eterna mania de apontar o dedo aos outros, qd a nossa moral já é tão fraquita.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. PRIORIDADES... Cada um com as suas...

      Eliminar
    2. Ao anónimo das 00:52: espero que não tenha filhos. Por uma razão muito simples: alguém que não tem discernimento para perfecer a diferença entre o certo e o errado não está preparado para ser pai/mãe. Passo a explicar. Quando os pais se levantam ás "7 da matina" para ir correr, mostram aos filhos espírito de sacrífício e respeito pela saúde do corpo (e da mente, na verdade). Também por vaidade? Talvez. Mas o corpo agradece. Os que gastam dinheiro na coleção da Adidas ou similares, mostram que é preciso trabalhar para conseguir vestir aquilo que nos agrada (e não entre pelo caminho dos patrocínios e afins, porque se a Pipoca os tem é porque trabalha para isso). Ao levantarem-se às 4h da manhã para enfrentar filas de dias inteiros para ir ver uma pseudo-cantora/actriz mostra, não o amor que insinua, mas falta de bom senso. Quando o amor tem de ser demonstrado pela "adoração" a ídolos juvenis (e já se viu como eles descambam), que raramente servem de exemplo para a educação das crianças, então algo está errado. Sim, tenho uma filha que gosta da Violetta, mas que me conhece tão bem que nem levantou a hipótese de ir ao concerto. Mas garanto-lhe que não tem dúvidas do amor que a mãe nutre por ela!

      P.S.- E não, não sou uma das eternas defensoras da Pipoca. Nem sempre concordo com ela, mas neste caso acho que foi bastante assertiva.

      Conceição

      Eliminar
    3. E o termo de comparação aqui é qual mesmo? Ah, nenhum --'

      Eliminar
    4. Levantar para correr às 7h da manhã é um bem essencial e não se iguala a levantar às 3h da manhã para ir para uma fila. Correr às 7h da manhã pode ser um exemplo para um filho enquanto ir para uma fila por um bilhete que custa não sei bem quanto é apenas um luxo que hoje em dia se concede às crianças.

      Eliminar
    5. Mas o que é que o cú...tem a ver com as calças??

      A eterna mania de vir descarregar frustrações encima de terceiros.

      Eliminar
    6. O Anónimo das 00:52 dá uma opinião, faz uma comparação de forma a que vejam que cada um gasta o tempo/dinheiro naquilo que quer e já esperam que não tenha filhos pois será, por essa opinião, um mau pai (ou mãe)... Hehe incrível como esta gente anda sempre de "arma" no ar!
      Eu tenho duas filhas que adoram a Violleta e não tenho é dinheiro senão bem que as levava ao concerto no qual certamente nos iriamos divertir imenso e iriam recordar com dois sorrisos lindos e enormes na cara :D.
      Agora vá, podem disparar que já estou de mãos no ar ;)

      Eliminar
    7. É por estas e por outras que os meninos(as) fazem o que querem e, os pais, quando eles têm 9, 10 anos, se lamentam que já não sabem o que lhes hão de fazer. O problema é não existir mesmo uma escola para (certos) pais.Esta gente tem os valores todos alterados.: aqui del rei que os materiais escolares são caríssimos (mas compram-lhes cadernos de 3 euros cada, porque eles querem, porque tem a foto do não sei quem...) e os livros são caríssimos, mimimimi... (e são!) mas não se importariam de dar 200 euros, passar noites em claro e ao relento, porque isso ia fazer os filhos muito felizes (estudar realmente não faz...). Coitadas das outras crianças a quem os pais dizem NÂO, devem ser muito infelizes. O que eu aposto é que serão adultos muito mais resolvidos, pois aprenderam a aceitar a negação.

      Eliminar
    8. Totalmente de acordo com o anónimo das 17:42! Nesta altura do ano, toda a gente reclama. Ah e tal que o material é caro, que os livros são balúrdios, que se gasta rios de dinheiro para o inicio das aulas. Mas quando chega a hora de comprar bilhetes para a Violetta é uma alegria! 70€ pa deixar a minha criança feliz? Isso nem é nada, lindo lindo é o sorriso dela no fim! Tanta prioridade trocada..

      Eliminar
  21. Quanto? ? A isso chama-se extorsão!

    ResponderEliminar
  22. Mas quem é a Violetta? Vivo numa redoma :/

    ResponderEliminar
  23. Quando o amigo Bieber veio cá, ajudei a minha irmã a participar num passatempo para o conhecer. Ela foi uma das vencedoras e no dia do concerto lá estava ela, com as outras "sortudas", mais um grupo enorme de portadores do bilhete ultra-mega-vip! (incluindo o rebento da Ana Malhoa!) Mas vá, custava só 362 euros, pechincha! Diz a minha irmã que lá dentro eram mais de 50 pessoas, e que o tempo que tiveram ao lado dele foi apenas o suficiente para tirar uma fotografia.
    Mas... a peixeirada ocorreu do lado de fora do Pavilhão Atlântico, pelos senhores papás e mamãs. Os pais das meninas portadoras do bilhete só-VIP (que tinha custado para cima de 100 euros, mas que também só dava direito aos brindes, como os da Violetta) estavam revoltados. Pois que tinham sido enganados, pagaram não sei quantos euros e também deviam poder ir lá dentro! (gosto por peixeirada ou não se deram ao trabalho de ler o que compraram...?) A indignação vinha inclusive de mamãs espanholas, que se deslocaram a Lisboa de propósito para o evento! Com bilhete VIP, obviamente!

    ResponderEliminar
  24. Ok mas quem è a violleta??? Axo que nao emigrei para inglaterra e sim para a china!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E o Google, sabe? Basta pesquisar...

      Eliminar
  25. Acho ridículo, e acho graça que muitos se queixam com falta de dinheiro, mas para isso já há. Alguma vez no meu tempo os meus pais me davam 200 euros para 1 bilhete? Diziam logo, vê na televisão e contenta te,
    Não é os gaiatos que têm culpa, é os pais.
    http://rute-magiadecriar.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. ai esse português menina..

      Eliminar
  26. Ao comprar o material de escola da minha filha, 90% tinha a cara da Violleta, e ainda perguntei a minha filha de 7 anos se ela queria, ela olhou pra mim com uma cara lol ela destesta a essa miúda, ainda bem :)

    ResponderEliminar
  27. Concordo em absoluto! Acho que é para lá de idiota as figuras que alguns pais fazem neste tipo de ocasiões, Em vez de irem para a fila de madrugada, poderiam "perder" esse tempo a explicar-lhes a estupididezque isso seria apenas para conseguir um bilhete!!! Quando me lembro dos One Direction....(é melhor esquecer)!

    ResponderEliminar
  28. Uma desilusãozinha ou outra aqui e ali faz tanto pela educação das pessoas.
    Chorem, amuem, estão à vontade. Incha, desincha e depois passa.

    Susana

    ResponderEliminar
  29. Com 10 anos sonhei ir ver os Backstreet Boys a Lisboa mas, digamos que era bastante sensata para a tenra idade, nem sequer nunca pedi isso aos meus pais... Lá está, eram sonhos! A culpa não é dos miúdos, é dos pais que embarcam nessas loucuras!

    www.chamavalheumfigo.blogs.sapo.pt

    ResponderEliminar
  30. Parece que nos dias de hoje se mede o quanto se é bom pai ou mãe por os bens materiais que se dão aos filhos. Não acho ridículo comprar bilhetes para ir ver a violetta ou que quer que seja, mas sim, acho ridículo que se vá para uma fila ás 3 da manhã porque têm que ser os primeiros a comprar bilhete, os bilhetes estiveram á venda online e quem os tentou comprar conseguiu não era de todo necessário ir para a fila de madrugada. Preocupa-me que se ache normal pedir 200€ e 500€ por um bilhete para um espetáculo infantil. Preocupa-me também que se esteja a criar uma geração de pessoas habituada a ter aquilo que quer custe o que custar.

    ResponderEliminar
  31. God! Eu nem sabia quem era a Violeta antes deste post!
    A juventude está perdida... :D

    ResponderEliminar
  32. Bom dia!!

    Eu alem de concordar com a sua opinião...ainda sou um pouco mais extremista(diz a minha filha). Tenho uma filha de 8 anos, acompanho ou tento acompanhar tudo o que vê na TV, após ver 2 episódios da dita serie, sim porque dê o beneficio da duvida, acabei por decidir que não se vê a "FLOR" lá em casa.
    Foi complicado nos 1º s tempos, mas agora bem aceite. ;)

    ResponderEliminar
  33. Pois é, nesse campo não gosto de mandar bitaites! Afinal já me levantei tantas vezes de madrugada a ver o nascer do sol em vários pontos do mundo. Já dormi em aviões tentando poupar tempo e dinheiro numa viagem que muitos achariam monótona! Sei lá o que farei se tiver filhos...se for algo do tipo violeta, acredito que os fulminarei com o olhar...mas são gostos e desejos!

    ResponderEliminar
  34. E que bom que é ler isto escrito por uma mãe! Concordo totalmente Pipoca! Os miúdos tem de aprender a ouvir nãos, aliás os nãos devem fazer parte da sua vida, assim como alguns sins pois claro.
    Não é por deixarem de ir ver a Violetta ou a Ana Montana ou agora "monta na Ana", que morrem ou vão ter algum trauma grave. Acima de tudo estabelecer limites porque tal como diz e muito bem o Mário cordeiro "não se deve ser escravo dos filhos".

    ResponderEliminar
  35. A atual geração de pais mede o amor aos filhos pelos bens materiais que lhes dá, e está convencida de que os filhos lhes serão eternamente gratos por todos os sacrifícios idiotas que fazem. Os filhos, habituados a terem tudo e a exigirem tudo, no primeiro dia em que levarem uma nega, ou entram em depressão ou passam a odiar os pais.

    Infelizmente conheço muitos pais assim (quase toda a minha geração) e esta atitude só pode dar mau resultado.

    Cristina

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Concordo plenamente consigo e infelizmente é cada vez mais a realidade em que vivemos.

      Eliminar
  36. Não vejo qual é o problema. Se os pais têm disponibilidade, se têm meios para tal e se é algo que vai fazer a criança muito feliz, porque não? Não sou apologista de satisfazer todos os desejos de uma criança, mas imaginado que ir a este concerto é o que ela mais quer e não se dá mais nada o resto do ano.. Ou qualquer que seja a situação, sinceramente não vejo qual é o problema. Lembro-me de ficar na fila (não era criança, mas adolescente) para ir buscar o último livro do Harry Potter na fnac e poucas coisas me fizeram tão feliz como ter isso.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pois...o problema está ai, o expoente maximo da sua vida foi ter o ultimo livro do Harry Potter.
      É natural que ache que se deve alimentar estes histerismos e ficar 10 horas em filas para ter algo.

      Eliminar
  37. É necessáriom parar para pensar...já pensaram que todos os concertos que são para crianças e adolescentes custam para cima de balurdios...é extorção de dinheiro...a minha geração consegue ver bons concertos , bonjovi, madona , u2 abaixo dos 100 euros...mas a febre das crianças leva os filhos a estas loucuras , penso que o estado deveria carregar mais nos impostos...afinal ainda há quem de mais de 100 euros para a criancinha ver o concertos que aos 10 anos já nem se lembra...enfim..

    ResponderEliminar
  38. Pipoca também acho um exagero o tempo de espera a que alguns pais se sujeitam e o preço de alguns bilhetes. Mas, por momentos imaginei o Mateus na adolescência a questionar o preço das carteiras da mãe ou a colecção de sapatos. Se calhar, também vai achar que é de "loucos". :-) Todos nós cometemos exageros, faz parte.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Raquel A., estou mais do que preparada para o "mas porque é que eu não posso ter um brinquedo de 500 euros e tu podes gastar isso nuns sapatos????". A resposta é simples: "porque eu trabalho e tu não". Fica o assunto arrumado.

      Eliminar
    2. ahahahaha! E que remédio vai ter que acatar... Ainda me lembro quando o pai dizia "Vives na minha casa, não vives? Então, aqui mando eu". Isto a propósito das chegadas tardias à noite e já eu tinha mais de 20 anos ;)

      Eliminar
    3. Fica o assunto arrumado com essa resposta pipoca? Bem se vê que o mateus ainda é bebé. Quero ver isso na adolescência.

      Eliminar
    4. Exacto, conversa muito simples. Como quando os meus pais me deram um carrito pequeno em segunda mão (e já tive muita sorte) e eu disse a um anúncio (acho que da mercedes) "este é que era"... A resposta foi óbvia "quando trabalhares compras o que quiseres, com o teu dinheiro", agora que trabalho não compro o mercedes!!!

      Eliminar
    5. Sim, fica o assunto arrumado. No meu tempo de adolescente ficava, porque não há-de ficar agora? Porque os adolescentes são mal educados hoje em dia?!

      Eliminar
    6. Por acaso até concordo com a Pipoca. Em plena adolescência o meu irmão insistia em ir aparar o cabelo ao barbeiro todas as semanas. A minha mãe proibiu-o embora ela mesma fosse ao cabeleiro duas vezes por semana, facto esse que ele imediatamente fez questão de referir. A resposta era óbvia: Ela é que ganhava dinheiro e precisava do cabelo arranjado para o trabalho que tinha, ponto final. Claro que ele ainda insistiu mais umas vez mas a resposta foi sempre a mesma (a coerência é tão importante) e lá criou raízes na cabeça daquele adolescente. Resulta, portanto. :)

      Eliminar
    7. O Mateus até poderá não se contentar com a resposta, mas julgo que se a Ana e o Ricardo disserem "Não." ele tem de respeitar

      Eliminar
  39. O que me faz confusão nesta geração é a forma como tudo é perdoado e como os pais são submissos, principalmente com os adolescentes. Na nossa altura, se dissesse que ia fugir de casa porque não podia ter alguma que queria ouvia um "então vai que depois conversamos quando voltares!". Hoje em dia "ai meu Deus, não faças isso por favor, vamos ao psicólogo!".

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Subscrevo inteiramente. Tenho 51 anos, e quando era adolescente bastava a minha mãe abrir os olhos e eu já nem a cabeça levantava.
      Tenho dois filhos e sou mais tolerante do que a minha mãe, no entanto ainda muito exigente para os padrões da época em que vivemos.
      Também sou professora e fico literalmente com os cabelos em pé quando vejo estes pais modernos mas tão submissos, só me dá vontade de lhes dar uma estalada.
      Fico com os nervos em franja quando as minhas colegas me perguntam como é que eu consigo que os meus filhos comam peixe!!!!!!!!!
      Simples. Não comem o que está na mesa, não comem mais nada. As criadas pagam-se e eu sou mãe deles, não sou amiga deles. E digo que não sou amiga, porque eu dou a vida pelos meus filhos e os amigos por maiores que seja, não o fazem.
      Fico muito orgulhosa quando os meus filhos dizem que sabem que eu estou SEMPRE presente.

      Eliminar
    2. Semprechique apesar de ter "apenas" 35 anos revi-me nas suas palavras.
      Sou mãe de dois (12 e 7 anos) e cá em casa também temos regras muito mais rigidas que noutras casas de amigos (palavras de meu filho mais velho), mas não é por isso que o meu filho e os amigos dele preferem sempre que os trabalhos de grupo sejam cá em casa ou que seja eu a ir busca-los a algum lado!
      Cá em casa mando eu, claro que com as devidas explicações, que nunca gostei do "Não, porque eu digo". Explico e tento fazer entender, mas não é não!
      Na alimentação também é igual - come-se o que há, quer não quer não janta...
      Quando o meu "pre-adolescente" me vem com a conversa - a mãe do F... deixa e tu não tu, digo meio a brincar mas de forma a ele perceber: "as malas estão no sótão, é só meter a roupa lá dentro e perguntar à mãe dele quando é que te pode vir buscar!
      Eles amuam? Amuam! Gritam? Às vezes! Esperneiam? A mais nova, por vezes! E depois? Depois passa, que remédio!
      Vou às reuniões de pais e eu também fico de cabelos em pé, com os pais sempre prontos a desculpar os filhos e se há um problema de mau comportamento nunca são os filhos de ninguém... todos conhecem os filhos como a palma das mãos...
      Enfim, desculpem o desabafo, se calhar até inapropriado para o post em questão...

      Eliminar
  40. Oh! céus e eu que nem sonhava quem é a Violetta! Já fui cuscar, escusam de atirar pedras...e não, nunca fiquei nem ficarei em filas para o que quer que seja! :)

    ResponderEliminar
  41. A minha filha tem 11 anos e quer muito ir. Como sou uma mãe "muito querida" comprei um bilhete online para não estar na fila, mas só para perceberem esta loucura os bilhetes de 500€ (os 30 lugares da 1ª fila) já estavam esgotados.

    ResponderEliminar
  42. Acho uma loucura isto da Violetta... eu nem sequer sabia que ela tinha assim tanto sucesso. Mas hoje em dia é assim: os papás fazem tudo o que os filhos querem, não vá eles ficarem traumatizados, coitadinhos!!! Não percebo, mesmo...

    ResponderEliminar
  43. O disparate das filas foram os próprios pais que o fizeram. eu tal como a Pipoca comprei no dia seguinte pela net, e fui muito a tempo.
    Bjos

    Margarida

    ResponderEliminar
  44. 500 euros para um bilhete?? nem num festival com os maiores cabeças de cartaz os bilhetes custam tanto..a crise quando nasce não é para todos. a indústria infantil é uma exploração e uma chulice dos diabos!

    ResponderEliminar
  45. HA HA O que eu me ri com este post!! Mas concordo com tudo o que disse!

    ResponderEliminar
  46. O pior é que daqui por uns tempos já não se vai ouvir falar da Violetta (a não ser que ela se ponha a tirar roupa como as outras), e esta febre toda vai passar e foi só mais um concerto que os miúdos viram de uma artista que vai cair no seu esquecimento. Hoje quando pergunto a uma prima minha (agora mais crescida) "então o teu amigo Bieber?" já me responde "credo isso é tão passado, já não lhe acho piada", quando antes gritava por ele e chorava e sei lá mais o quê.

    ResponderEliminar
  47. Não concordo nada consigo, se os pais fazem isso é porque amam demasiado os seus filhos para lhes dizerem que não e tentam todos os dias lutar para dar uma vida melhor aos mesmos e se for preciso corriam este mundo e outro por nós por isso não vejo a admiração!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Acha que estar na fila 1 dia, ou 12 horas e gastar um balúrdio para um concerto é "dar uma vida melhor" aos filhos?! Sinto-me mal por poupar e sacrificar-me para poder comprar ao meu pequeno leite em pó, em vez de leite de pacote...!!

      Eliminar
    2. Amar demasiado é saber dizer não e impor limites quando tem que ser! Ceder a tudo não é amar demasiado.

      Eliminar
    3. Amar também é saber dizer não... e uma vida melhor dá-se com educação, amor e boas condições de vida para crescerem felizes e cientes do que é a vida. O resto é paisagem... toda a gente sabe que as crianças querem sempre isto ou aquilo. Há coisas que podemos ou queremos dar, outras que não e eles devem aprender a lidar e a viver com isso porque na vida nem sempre temos tudo o que queremos. Mas esta é apenas a minha opinião... e, como todas, vale o que vale.

      Eliminar
    4. Amam muito os filhos e não conseguem dizer que não?????!!!!!Amar muito os filhos é exatamente saber dizer não quando é preciso, para os preparar para os "nãos" que a Vida lhes encarregará de dizer. Se é mãe, coitados dos seus filhos, pois jamais saberão enfrentar um "não" da vida. Conheço muitos, infelizmente. E, como os pais são felizes por lhes terem feito todas as vontades......

      Eliminar
    5. Anónimo das 14:08 apetece-me abana-la até lhe dar um tilt qualquer no "cerevro" para ver se vai alguma coisa ao lugar. Eu acabei de ler que os pais tentam lutar todos os dias para dar uma vida melhor aos filhos? E isso inclui uma ida a um concerto? Julgava que uma vida melhor era saúde,educação,ter comida na mesa... Tem as prioridades todas trocadas no seu "cerevro".

      Eliminar
    6. Neste caso, está é a lutar para dar uma vida melhor à "Violetta".

      Eliminar
    7. AH AH AH desde quando é que comprar bilhetes para ir a um concerto tem a ver com amor ?

      Eu estou a rir-me mas fico bastante perturbada quando percebo que as/os pais como voces acreditam mesmo no que estão a dizer.

      Eliminar
  48. Ninguém está a dizer que vamos comprar um bilhete por 500 euros so para estar com a dita cuja mas para ir ao concerto há bilhetes a 40 euros não vejo a mal

    ResponderEliminar
  49. Concordo plenamente contigo. É simplesmente ridículo todo o histerismo (mais até dos papás do que das próprias crianças) para comprar os bilhetes. Imagino que por vezes aconteçam quase lutas greco-romanas entre papás caso algum dê um passo que possa indicar que quer/tenta passar à frente na fila Ah Ah Ah Ah :)
    Beijinho Pipoca

    ResponderEliminar
  50. Concordo consigo.
    Os pais não conseguem frustrar os filhos, fazem-lhe todas as vontades, mas depois são os primeiros a queixarem-se dos seus próprios filhos..."Ah e tal ele tá rebelde...não consigo dar conta dele", mas depois ao mesmo tempo vão para essas filas intermináveis para lhes fazer a vontade porque caso contrário eles ameaçam fugir de casa, e até podem ficar traumatizados ou coisa que os valha...

    um beijinho
    Lia
    http://opsidascoisas.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  51. Concordo em tudo pipoca, acho mtas vezes nem os filhos querem são os pais que querem, e assim se vai alimentando a máquina do consumo exagerado.

    A minha mais velha queria este ano ir ao nos alive ver os imagine dragons, mas com as notas do segundo periodo fizemos um acordo subia as notas e teria o bilhete, resultado subiu as notas que a fizeram transitar de ano mas em maio já os bilhetes estavam esgotados, ainda lhe disse para pesquisar se alguem teria para venda, mas ela conformou se e vitoriosa pelo esforço é vê la a iniciar o 10 ano, e ela que está a par desta onda violetta tb acha um exagero e até acha que serviu de lição o que se passou com ela.....é claro que eu como mãe ainda me sinti triste por não lhe ter conseguido cumprir o que foi combinado no entanto não lhe fez mal nenhum.

    ResponderEliminar
  52. Como diria o meu rico pai "Se fosse para trabalhar não estava lá ninguém"!! Muito menos 12 horas e de madrugada, era exploração!!!!

    ResponderEliminar
  53. Se queremos que o país e o mundo andem para a frente, importa que as gerações mais jovens percebam que não podem nem devem ter tudo o que querem. Nem é pelo espectáculo em si, isso ainda é o menos.
    Choca-me é que haja quem pague 500 euros só para poder estar um bocadinho com uma matrafona, que quase certamente nem fala Português e provavelmente até faz playback. Isso para mim é uma forma de exploração de criança, que não têm consciência das coisas nem personalidade ou gostos formados. Caberia aos pais, a meu ver, refrear a coisa com um pouco de bom senso.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não percebo como fala em bom senso se a própria utilizou a expressão "matrafona".

      Eliminar
    2. O que é que uma coisa tem a ver com outra?
      Só a vi em fotografias e pareceu-me uma matrafona, a começar pelas roupinhas, as típicas das protagonistas destas novelitas sul-americanas.
      É por eu ter dito isso que o resto que eu escrevi deixa de ser válido? Mesmo que tenham dinheiro para esbanjar, pagar 500 euros para conhecer uma pessoa é no mínimo humilhante, uma tremenda falta de amor próprio.

      Eliminar
    3. Posso garantir-lhe que as gerações mais novas em Portugal sabem bem que não podem ter tudo o que querem (não estou a falar das classes super altas). A maior parte tem um part-time aos 18 para pagar as propinas, se vão a festivais de Verão (eu vou) trabalham para isso e não pedem todos dinheiro aos pais como estou farta de ver aqui. Devem-se esquecer que a crise afeta a todos, não é só os adultos. Agora não mandem os pais (e crianças / jovens) para a praça pública quando conseguem uma coisa que querem, mesmo que seja um bilhete de 500 euros.

      Eliminar
    4. Boa tarde.
      Peço desculpa pela generalização. Não me estava a referir a pessoas de 18 anos, parece-me que essas, na generalidade, já estarão fora do âmbito de influência desta sanguessuga. Falava sobretudo dos menores de 13 anos e respetivos pais e como é evidente nem todos.
      Cada um gasta o dinheiro como quer, mas não deixa de me chocar que alguém se disponha a pagar 500 euros só para conhecer outra pessoa.

      Eliminar
  54. Eu acho uma estupidéz. os meus pais nunca me levaram a um concerto desse tipo, é verdade. mas nao é por isso que sou uma desgraçada ou outra coisa. É ridiculo ir-se acampar para um estádio para ver um banda.
    Eu amo ler, mas não acamparia para comprar o novo livro da minha saga preferida. É de loycos

    ResponderEliminar
  55. Acho ridículo os pais ainda incentivarem as crianças para esses concertos. No meu tempo não era nada assim, e não foi assim há tanto tempo. Onde é que já se viu dar 200€ ou 500€ por um bilhete de um concerto? Este Mundo e estes pais vão de mal para pior! Parabéns pelo post Ana. Um beijinho. Já te sigo há imenso tempo. Hoje apeteceu-me comentar :)

    ResponderEliminar
  56. Quando fui comprar o bilhete para os One Direction, no ano passado, saí da escola, não faltei a aula nenhuma, comi uma sandes e passei quatro horas na fila, mas fiquei lá eu e uma amiga, enquanto o meu irmão foi passear com a namorada pelo shopping, e a minha mãe foi trabalhar, e a fila não tinha nem metade da tamanho da da Violetta, aquilo até metia medo!

    ResponderEliminar
  57. Concordo plenamente consigo pipoca!
    Lúcia Salvador

    ResponderEliminar
  58. Eu nem sei quem é a Violetta (deve ser prima da Xana Toctoc ou algo que o valha), mas acho parvo a quantidade de dinheiro e tempo que se gastam nestas tretas. Os putos pequenos (1-5 anos) não se vão lembrar de practicamente nada quando crescerem. Ainda estão naquela fase gato, em que acham mais piada às caixas de cartão que aos brinquedos.
    Eu pelo menos não me lembro de quase nada que me aconteceu antes de entrar para a escola primária. Não, mentira. Lembro-me de cagar na alcatifa do quarto da minha mãe e de me obrigarem a comer pescada cozida no infantário :|

    ResponderEliminar
  59. Pipoca, concordo com a essência daquilo que escreveu, mas não se esqueça que no seu caso será sempre diferente, porque recebe convites para imenso espetáculos/concertos, logo não tem de fazer o esforço logístico e/ou financeiro em muitos casos. Vamos ver se isso não vai mudar a postura da ida do seu filho a eventos deste tipo.
    SL

    ResponderEliminar
  60. Os paizinhos são bem piores que os filhos. No "Cocó na Fralda" a Sónia fez uma referência a esse concerto e houve alguém que comentou uma coisa que me deixou ali entre o estarrecida e o estado de pena. Dizia a mamãe qualquer coisa como "tenho dois filhos que não perdem um episódio, queria tanto levá-los, mas fica tão caro... enfim, melhores dias virão :( ".

    Epá... tanta pena que a mulher tem e se calhar quando é para votar ou para ir a alguma manifestação para fazer qualquer coisa para esses dias melhores chegarem, tá quieto! A sério que alguma mãe fica assim tããão desgostosa por não poder levar os filhos ao concerto? Hello... eles sobrevivem sem isso!

    Resumindo: não tenho filhos mas só peço que quando os tiver Deus me dê juizo para os criar em condições, ensinar a diferença entre amor e consumismo. Parecem estar ligados no que à educação dos filhos diz respeito, mas não estão!

    ResponderEliminar
  61. Concordo! Acho um exagero! E é claro que como mãe farei de tudo para realizar os sonhos dos meus filhos, mas dentro das minhas possibilidades não caindo no ridículo! Haja bom senso!

    ResponderEliminar
  62. Essa Violetta devia era ser presa, por extorsão e exploração de menores.

    ResponderEliminar
  63. A minha filha de 7 anos adora a Violetta e gostava de ir ao concerto, porem quando vi os preços dos bilhetes expliquei-lhe logo que não podíamos ir pois tínhamos coisas prioritárias no que gastar o dinheiro, alem de que expliquei-lhe que grandes bandas vem a Portugal e não cobram essa exorbitância pelos concertos. Percebi que ficou frustrada (mais com a Violetta do que comigo!), porem abraçou-me e disse: eu não fico triste mamã! Recuso-me a gastar esse dinheirão com a Violetta (que cada vez esta mais rica a custa do consumismo infantil). Prefiro fazer um programa mais educativo e interessante com a minha filha, e bem sei que a frustração por não se ter tudo que se quer um dia será um trunfo para ela!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Parabéns "Elis".
      São exemplos como o seu que nos devem fazer acreditar que é possível evitar uma sociedade de autómatos, uma infantocracia de gente que prefere pagar a falta de tempo para estar com os miúdos em coisas como bilhetes de 500 euros.

      Eliminar
    2. Não podia estar mais de acordo.

      Eliminar
  64. Concordo totalmente com a Pipoca e mais...aposto que grande parte dos pais que estão horas para comprar bilhetes para concertos e gastam fortunas nisso, na altura de ir ou participar nas reunioes e eventos da escola dos filhos são os primeiros a argumentar:
    " eu não vou, não tenho vida para isso."

    ResponderEliminar
  65. Ninguém gosta ( nem eu ) mas já enchemos páginas e páginas com comentários.
    É isso que eles querem, se todos comentamos é porque estão a fazer qualquer coisa bem.
    Vêm estes cantores todos inocentes e cativam as mentes inocentes de uma geração inteira e pimba anos depois transformam-se em pseudo- porn stars, e a malta ( crianças que já não são crianças ) acha normal.

    ResponderEliminar
  66. Respostas
    1. É triste mesmo ver como em Portugal há crianças que vâo para as escolas sem uma refeiçâo diária e, no entanto, existem pais que podem dar tanto dinheiro para esses
      concertos. Na maioria das vezes nem com um pacote de leite contribuem para o Banco
      Alimentar , passam afastados dos voluntários para se tornarem "invisiveis". E depois culpam o governo. Boa noite para todos

      Eliminar
  67. Concordo plenamente com este texto.O mais grave no meio disto tudo segundo a minha opinião, é que a maioria desta gente (pais),faz imensos sacríficios para satisfazer o desejo ou desejos dos filhos,gastando fortunas e depois, berram quando o pão sobe 2 cêntimos.Berram quando ficam 20 minutos numa fila qualquer de uma repartição de finanças mas ficam 12 h á espera de compar 1 bilhete de um qualquer artista de meia tijela.Há crise para tudo, menos para os festivais e concertos (são centenas deles por ano em Portugal), menos para o futebol, menos para os telemóveis topo de gama, menos para os carros topo de gama, enfim são as contradições de uma sociedade sem rumo, sem princípios, sem valores!

    ResponderEliminar
  68. Custa-me entender como todos estes comentadores perdem tempo e gastam dinheiro com as Violetas e outras que tais.Peguem no tempo e no dinheiro e ajudem quem precisa

    ResponderEliminar
  69. Um país, dois sistemas. Dual como nunca foi. Uma tristeza.

    ResponderEliminar
  70. Eu ainda hesitei em comprar os bilhetes para a minha filha. Ainda por cima, quando me lembrei de os comprar, já tinham passado alguns dias e os mais baratos não estavam disponíveis. Mesmo assim, consegui uns por 55 euros cada (comprei online). Foi uma grande despesa, mas não me arrependo. É uma coisa que ela queria muito, vai ser uma surpresa especial. Claro que isto é uma coisa para se fazer de longe em longe, porque não sou rica, mas ela merece!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu comprei logo no 2° dia . também online, pois já previa que se deixasse passar mais alguns dias os mais baratos iam esgotar. Mesmo assim ainda consegui arranjar 9 bilhetes, para as minhas filhas e para as amigas delas.

      Eliminar
  71. Eu comprei os bilhetes online. É o sonho das minhas filhas... Uma de 12 anos e outra de 7

    ResponderEliminar
  72. Não acho que seja bem assim... Se os pais têm possibilidades para comprar os bilhetes, por que não?! Aliás eu propria comprei bilhetes para as minhas filhas ( Só que foi online). ☺

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pois eu também não percebo

      Eliminar
  73. A minha filha ta ansiosa por ir ver a violetta .
    Eu também já vi um concerto do Pedro abrunhosa em que estava lá um bebê

    ResponderEliminar
  74. A felicidade é relativa, posso educar e ao mesmo tempo mimar !
    Vou ao concerto com a minha filha de 5 anos, que não vê os episódios mas, canta todas as musicas da Violetta e pediu muito ao Pai natal 2 bilhetes , imagine para quem era o segundo...

    ResponderEliminar

Teorias absolutamente espectaculares

AddThis