Pub SAPO pushdown

Dêem-me lá aqui uma ajudinha

terça-feira, setembro 30, 2014
Quais é que acham que são as grandes questões que preocupam uma mulher na casa dos trinta?

213 comentários:

  1. Tomar a decisão de ter filhos, ou de ter mais filhos.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Concordo! Estar a passar da idade...

      Eliminar
  2. Carreira e se for solteira qdo encontrará o tal :)

    ResponderEliminar
  3. Se não te namorado, ainda, o medo de ficar solteirona.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Voto nesta! Tenho umas amigas que vivem em constante desespero por ainda não terem uma relação. Pessoalmente, não consigo compreender. Mas não é só o medo de ficar solteira, em geral, não percebo o medo que as pessoas têm de um bocado de solidão. Noto isto em diversos aspectos, o medo de ir sozinho ao cinema, ou de jantar sozinho, ou mesmo na praia, quando a mesma está completamente vazia, mas quem chega tem a péssima tendência de se colar a quem já lá está, como se não houvesse todo um areal.

      Eliminar
    2. A sério? Ainda alguém tem medo de ficar 'solteirona'? Que engraçado que nos homens, ser 'solteirão' é até considerado uma virtude...

      Eliminar
    3. Eu fiz 30 há poucos dias, tenho uma relação estável há já bastante tempo e não posso nunca dizer que não tenho medo de ficar sozinha. Estou segura na relação e não tenho medo de ser abandonada, mas tenho medo, sim, de um dia ficar sozinha. Por qualquer circunstância da vida. Assusta-me pensar que não terei ninguém com quem partilhar o dia a dia, nem filhos, nem companheiro. Conseguem imaginar? Conheço muitas mulheres já com alguma idade que vivem sozinhas e é impossível não notar o seu ar triste.

      Eliminar
    4. homem solteirão virtude?
      não acho

      Eliminar
    5. As valentes que acham que vai ser festa a vida toda só porque não têm que aturar um hpmem, e dobrar meias, quando tiverem 50 anos e tooodas as amigas, ou quase todas tiverem uma famíla, e a própria família está virada para o seu ninho, que venham cá vomitar postas de pescada que ser solteirão é uma virtude e que não há problema em ser soltirona. Como diz o anónimo das 08:50, é triste chegar todos os dias a cas e não ter a quem, simplesmente, dizer boa noite, com quem comentar o noticiário, ou o dia de tabalho. Depois que se vão os pais e os amigos estão todos casados ou com as suas vidas e acabam as borgas, a vida pode ser bastante triste.
      Eu nem sou solteirona, lá casei aos 31 anos, mas conheço mulheres que estão a chegar aos 50 e que não casaram e que os convites diminuem bruscamente depois que toda a gente casa ou tem filhos.
      Tenho duas tias solteironas que viveram sempre "encostadas" às irmãs.. mas eram muitas..e os sobrinhos compensaram a falta de filhos. Quando não há irmãos ou sobrinhos ou amigas chegadas tona-se complicado.
      A meu ver é sempre bom ter uma companhia no final da vida, seja um homem chato a quem temos de dobrar as meias, uma amiga na mesma situação, ou uma irmã! Não acredito que alguém goste da solidão e de ser livre para sempre, no fim vai sempre faltar alguuma coisa. É para o que estamos destinados.

      Eliminar
    6. Não percebi essa de dobrar as meias (???).

      Eliminar
    7. Anónimo discordo em absoluto, até com 60 anos se pode ter companhia quando se quer e estar solteira :)

      Agora aturar um chato só pra lhe coser as meias?? lolllll

      Eliminar
    8. Anónimo das 17:08, pois eu posso-lhe dizer que a pessoa mais feliz que eu conheço é a minha tia solteirona e que nunca quis ter filhos, actualmente com 62 anos. Passa a vida a viajar ao mais puro estilo backpacker e nunca ninguém sabe exactamente em que país é que ela está. Mas quando vem a Portugal (1 ou 2 meses por ano, no máximo) adoro estar com ela... tem sempre histórias fantásticas para contar. Uma pessoa com uma experiência de vida e força inigualáveis... dá 1000 a 0 a muito jovem por aí. Para mim ela é uma inspiração.

      Eliminar
    9. E nem é preciso chegar aos 30. Tenho uma amiga com 28 anos que anda apavorada em ficar sozinha... Conheceu um moço que a deixa confusa, mas não sai dali porque acha que não vai encontrar mais ninguém. Lá está, deve ser a pressão dos 30....

      Eliminar
    10. Pois, anónimo das 00:13, mas acha mesmo que com as reformas miseráveis de algumas idosas dá mesmo para ter esse estilo de vida?!

      Eliminar
  4. Eu tenho 29 anos por isso acho que posso ajudar : )
    - Ter ou não ter filhos? Quando?
    - Casar? Ainda não casei? Será que vou casar um dia?
    - Será que algum dia vou conseguir ter uma carreira de sucesso, que me tranquilize o suficiente e que me deixe pensar em filhos?
    - Celulite! Galopante com a idade...

    Espero ter ajudado!

    http://mundodamafy.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Bem, assino por baixo! É mesmo isto, mas substituia a celulite pelos cabelos brancos (tenho 1 mas está escondido e quase não o vejo lol) e as rugas de expressão que começam a espreitar ;)

      Eliminar
  5. Nos tempos que correm, sem dúvida a carreira.

    ResponderEliminar
  6. Estabilidade laboral e relacional.

    ResponderEliminar
  7. Que daqui a pouco chega aos 40 :P ahah

    ResponderEliminar
  8. Varizes, Celulite e homens

    ResponderEliminar
  9. Cabelos brancos ahah....

    ResponderEliminar
  10. A maioria:
    - A falta de dinheiro (e, consequentemente, de independência);
    - Duas décadas, mais coisa menos coisa, de romances falhados e cabrõezinhos;
    - Ainda não ter filhos e, mesmo querendo, não ter perspectivas de vir a tê-los;
    - Ser forçada a emigrar e deixar para trás os pais já idosos e a precisar de mimos e cuidados;
    - A Lei da Gravidade.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tenho 34 anos e concordo em tudo!

      Eliminar
  11. Tenho 30 anos, sou casada e trabalho! A questão em que mais penso neste momento é: devo engravidar agora ou não? Quero muito ter filhos, o relógio biológico está a dar horas, mas tenho muito medo de que um de nós fique desempregado, não sei se devo esperar por maior estabilidade profissional (se é que existe!)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não existe.. se vais estar á espera de isto ou aquilo do trabalho, esquece..
      Faz estas contas:

      1º cenário - Estabilidade no trabalho.. já a tens? Se sim.. porque não engravidas?, se não.. é para quando? 1 ano, 2 anos.. não haverá?? Mais certo é q não, porque o "efectivo hà muito que deixou de existir"
      2º cenário - Mudas de emprego.. não podes engravidar logo, fica mal. esperas 1 ano.. mas.. é melhor não, estou a progredir na carreira. Esperas outro ano. Quando dás por ti estás com uma belaa profissão com 35 anos e sem filhos.

      Eu tenho 1 e outro a caminho e é a melhor coisa que tenho e que fiz.. mas admito que tenho ajuda externa (avós e avôs)..
      Continuo a dizer que não vale a pena esperar.. onde comem 1, comem 2 e 3.

      Eliminar
    2. Essa é a frase que mais ouço para me convencer a ter filhos, a do onde come um...como se eu não soubesse que infantario+colegio+roupa+medicos+ amsi tarde os estudos, ajuda para inicio de vida...extras.... não fosse propriamente mais prato de esparguete menos prato de esparguete...Li algures que 40% do orçamento familiar vai para os filhos...40%!

      Eliminar
  12. Tenho 29 e concordo com o que foi dito:
    - Carreira,
    - Estabilidade laboral e relacional,
    - Ter filhos? Quando?
    - Casar? Quando?
    - Maldita celulite, desaparece!!!

    ResponderEliminar
  13. 1 - ter/ não ter/ quando ter filhos;
    2 - quando surgirá a realização profissional;
    3 - todas as questões relacionadas com o PDI, incluindo os cabelos brancos que crescem de forma galopante!
    4 - enfim...

    ResponderEliminar
  14. homem / mulher... acho que começa a aparecer a eterna questão.. qual o sentido da vida? não será inútil andarmos todos atrás de uma carreira/dinheiro/reconhecimento quando tudo isso nos tira exactamente aquilo que mais nos falta faz? o que é verdadeiramente importante?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Isso já eu me apercebi desde o início dos 20's lol. Claro que é inútil, foquemo-nos no que importa verdadeiramente (nós e o namorado/família/amigos)!

      Eliminar
  15. Engordar demais ou dever engordar (as pessoas são mazinhas quando querem, sendo nós gordas ou magras!); casar ou não; não ter ainda filhos; não ter estabilidade profissional; aquela vontadinha de mudar totalmente de vida, mas ter medo e/ou faltar coragem; o medo de agir como adolescente quando há uma nova paixão no caminho; celulite; rugas e primeiros cabelos brancos; a depilação!!!, pois é, nem todas têm dinheiro para a definitiva e com pouco tempo ninguém quer parecer um orangotango e há que confessar que sem pêlos no corpinho, qualquer uma se sente logo melhor!!!: vontade de realizar um sonho de criança, mas faltar "qualquer coisinha assim", problemas de saúde (quando se começam a ver amigos e amigos com doenças graves); divórcio (quando se começam a ver os amigos por esses caminhos); falta de dinheiro para coisas mínimas - um livro, uns sapatos, um corte de cabelo, um perfume... um miminho que só as mulheres compreendem!

    Carla Sofia

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. voto nesta:) tenho 30 anos sou casada e tenho dois filhos. Engordar é realmente um dos itens que tenho medo:) estou a brincar. A única coisa que me preocupa é o facto de não saber que tipo de pessoas serão os meus filhos, se serão felizes se terão saúde... tudo o resto é paisagem

      Eliminar
  16. Pois é, há duas décadas atrás, para mim, era arranjar tempo para ir cortar o cabelo ao mesmo cabeleireiro de sempre que fecha às 19h e que não trabalha aos fins de semana. Problema que hoje em dia não tens!

    ResponderEliminar
  17. A gravidade, parece que tudo o que estava antes empinado e arrebitado começa a sofrer os efeitos da força maligna que é a gravidade, pelo menos é a queixa que mais ouço, ainda estou nos 22 por isso não sou grande ajuda.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sai daqui Tulipa negra, Tulipa do mal :D
      Tenho 32 anos e tudo continua arrebitado e empinado, mas que custa manter custa...

      Eliminar
  18. Estabilidade emocial. Carreira vs filhos. Se for solteira: ficar para tia ou nao.

    Olhaoladobomdavida.blogspot.com

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O dilema carreira vs. filhos faz-me confusão. Os filhos não são tanto responsabilidade do pai como da mãe? Não têm ambos a mesmíssima responsabilidade de os criar? Algum homem tem que optar entre carreira e filhos?

      Eliminar
    2. Anónimo das 01:43h, isso seria a situação ideal... Mas, no fim de contas, sabemos bem para quem é que sobra, não é?

      Eliminar
    3. Mas não tem que sobrar. Eu nunca teria uma relação com um homem que não tivesse a perfeita noção que todo o trabalho com a casa e os filhos é responsabilidade dos dois. Para o meu namorado, esse é até um não-assunto: é-lhe óbvio que é assim, pois não há diferença entre os géneros que dite que o encargo deve ser da mulher.

      Eliminar
    4. Mas há uma coisa que nunca haverá igualdade, é sempre a mulher que anda 9 meses grávida. E conheço poucos casos em que consigam estar a 100% no trabalho. E se for um cargo com responsabilidade acrescida é difícil conciliar..

      Eliminar
  19. O metabolismo abranda aos 30? engordamos mais facilmente?

    Devo começar a pensar ter filhos? é que se quiser ter dois ou três, depois fica muito tarde, não?!

    Anynha Bulu

    ResponderEliminar
  20. hum eu não devo ser mulher tenho 39 e ainda ando a pesca... lol ;)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pois eu também tenho 39 e também estou assim à pesca não sei bem de quê, porque não sei o que procuro!

      Eliminar
  21. Ter dinheiro e já se pensa na reforma ( eu pelo menos ).

    Meninas já agora uma coisa, arranjar um manfarrico há sempre, o pior é que pode não ser o que queremos mas pronto...

    ResponderEliminar
  22. Ora bem na casa dos trinta já pensei se ainda poderei ter uma casa mesmo boa, um belo de um carro, se ainda poderei ajudar a minha família, se o tal ainda irá aparecer porque tem sido só monstros loll também por culpa minha mas pronto...

    Espero ter ajudado :)

    ResponderEliminar
  23. Consciencializar-se que o tempo não para...

    ResponderEliminar
  24. Olha querida na casa dos 30 e em Portugal pensa se que era bom mesmo que calhasse o Euromilhões e aí sim haveria tempo para questões existenciais. Pobre não pensa, eu não penso! Bjinhos

    ResponderEliminar
  25. Tenho 29... serve? :) Não ter a carreira sequer minimamente definida... é que o resto não depende exactamente só de nós...

    ResponderEliminar
  26. Ter filhos, ou não ter? Arriscar mudar de emprego ou ficar "sogadita"??

    ResponderEliminar
  27. o complexo da super mulher e a pressão para ser perfeita em tudo: ter um marido e relação impecável, ter filhos perfeitos e educados e dedicar-lhes tempo de qualidade, ter uma carreira de sucesso, socializar e estar com os amigos, dedicar tempo aos pais e avós, andar sempre arranjada e bonita (não vale faltar ao ginásio)... E se lhe falta alguma das coisas, haver logo alguém que lhe vem chamar a atenção.. UFA! esgotante. Acho que o desafio é poder ser menos.

    Sofia

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Gostei deste comentário.
      Tenho 35 anos (casada e com 2 filhos de 11 e 7 anos) e sinto isso mesmo. A pressão que todos, incluindo nós, pomos em nós próprias: do seu boa em tudo: boa profissional, boa amiga, boa esposa, boa amante, boa mãe, boa vizinha...
      Não nos podemos queixar-nos de nada, porque afinal somos "tão novas", não podemos estar cansadas pelo mesmo motivo, temos de andar sempre arranjadas (sim, porque queremos), mas também porque vêm logo as bocas "já não vais para nova, ele ainda arranja outra" ou "assim não arranjas ninguém". Temos de ser magras, bonitas e sempre a sorrir!

      Eliminar
    2. Acho que foi a melhor resposta até agora. As mulheres têm que ser perfeitas... fui mãe há 5 meses e estou qs de regresso ao trabalho. É uma pressão enorme para estar bem, manter a vida social, não estar gorda, ser mãe perfeita que estimula as crianças para qd chegarem à escola primária já saberem ler e escrever,etc. Eu tenho 34 anos e são estas as mnh preocupações.

      Eliminar
    3. Discordo que seja um problema dos 30. Mas já acho que é o grande problema da mulher nos dias que correm. É transversal, porque exigem cada vez mais, que sejamos perfeitas em diversos aspectos. Seja ao 20, aos 30, aos 40...e por aí fora.

      Eliminar
    4. Olá, peço desculpa mas vou discirdar. Não quero ser perfeita, não quero que a minha filha seja perfeita e muito menos ter uma vidinha perfeita e que assim transpareça para o resto da familia/amigos.
      Eu acho que não é preciso andar arranjada ou ser magrinha ou ter muitos amigos e estar em todas as festas, devemos sentirmos bem connosco e com o que fazemos, torna as coisas mais fáceis.
      Em termos de preocupações para quem está na casa dos 30, acho que depende da fase da vida em que nos encontramos, no meu caso, em que já sou casada e tenho uma filha, a preocupação prende-se ao facto se é altura de lhe dar um mano/mana. Em relação a trabalho actualmente estou empregada e sei que por cá ficarei com possibilidades de evolução, sem que uma gravidez seja um empecilho.
      Acho que devemos é ser felizes e viver ;)

      Eliminar
  28. O casar ou não casar... porque fica caro e não há dinheiro
    Ter filhos... porque ficam muito dispendiosos e o casal está a trabalhar a mais de 100 km de distancia um do outro e não há perspetiva de ficarem mais proximos, sem familia alargada por perto que possa dar apoio
    Enfim... são as minhas questões primordiais.

    Filipa

    ResponderEliminar
  29. Ter 34 e pensar: Onde está a estabilidade emocional? Onde está a estabilidade financeira? Parte menos relevante: Onde está o marido? Onde estão os filhos? Isto realmente deixa-me a pensar que nem pra tia sirvo (como não tenho irmãos) ou é algo que é para levar com tranquilidade e há-de acontecer eventualmente? Muitas questões surgem aos trintas :)

    Filipa

    ResponderEliminar
  30. De certeza que a maioria das respostas será: Ou filhos, ou carreira, ou homem!
    A minha única preocupação é ainda não ter filhos!!!
    Não me preocupa não casar, mas não ter filhos! Não fico desesperada só de pensar em ficar solteira para sempre, mas não ter filhos, assusta-me.
    Os filhos são a única "coisa" para sempre. Acho que aquelas que ficam para tias são tão solitárias.... e eu nem para tia fico que não tenho irmãos.
    É isso. Chateia-me que precise de encontrar o tal principe encantado que não existe para ter filhos. Já estou a pensar na adoção ou num banco de esperma. Daqui a nada, mando congelar os óvulos.
    Carreira não me preocupa, haja trabalho seja no que for!

    ResponderEliminar
  31. Pensar que os 20's passaram num piscar de olhos, e podiam ter sido melhor aproveitados, e se assim foi o medo de chegar aos 40 noutro piscar, antes de cumprirmos a lista coisas que TEMOS de fazer, é grande...os filhos, o marido, etc. ...a pressão, meu Deus, a pressão...

    ResponderEliminar
  32. Os trinta de hoje em nada se comparam aos trinta de outrora.
    Uma mulher ou um homem olha ainda esta idade como um pre estagio para a idade adulta.

    ResponderEliminar
  33. Quando tinha trinta anos a única coisa que me preocupava era de como me sentia maravilhosa. Meninas concentrem se no que realmente importa

    ResponderEliminar
  34. Casada ou não? Com filhos ou não? Solteira e com filhos?

    ResponderEliminar
  35. Conforto do lar em Portugal com emprego mal pago ou emigrar?

    ResponderEliminar
  36. http://cvc.instituto-camoes.pt/contomes/19/texto.html

    Fica a dica... ;)

    ResponderEliminar
  37. Sem dúvida que pelo que oiço diariamente de mil amigas minhas, o pior mesmo é verem o tempo a passar, quererem ter filhos e não conhecerem homens minimamente interessantes (e os que são, estão casados ou numa relação estável)! Como conhecer homens livres e interessantes? A questão chave para a maioria, sem dúvida!

    ResponderEliminar
  38. Lista infindável! Como eu calculava antes de abrir. As mulheres, mesmo nos 30, se não tiverem grandes questões que as preocupem, arranjam!!

    ResponderEliminar
  39. Estar desempregada e não encontrar trabalho. Geralmente dão né resposta do " demasiado qualificada).

    Preocupação sobre o futuro do meu filho de 3 anos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Geralmente dão como resposta "é demasiado qualificada". Teclado em escrita automática... Desculpem.

      Eliminar
  40. Não conseguir ter filhos

    ResponderEliminar
  41. - Para quem quer ter filhos claro.. qual o momento certo para ter.
    Eu quando tinha 20, dizia que teria o 1º filhote aos 30, entretanto chegaram os 30 e tal não pôde acontecer, pois não tenho estabilidade financeira para nos mantermos aos 2 (sem folias) quanto mais com uma criança...
    os 31 já cá estão... a familia pergunta... agora digo que será aos 35 :):)

    - Se é tarde para arriscar um rumo que nos traz Paixão a nível profissional.






    Sónia
    www.tarasemanias.pt

    ResponderEliminar
  42. Os 30 anos...
    ... Nova para umas coisas, já com alguma idade para outras.
    ... A pressa de estabilizar a vida profissional para arrancar na vida pessoal (casar, ter filhos, investirmos em nós próprios).
    ... O peso que esse idade acarreta em nós e de nós para a sociedade.
    Tenho 27 anos e arranquei há meses com um projecto meu. Sinto que, para os projectos que quero realizar, preferia que os 30 anos ficassem um pouco mais longe.

    ResponderEliminar
  43. Trabalho, emprego, salário mínimo, desemprego.

    ResponderEliminar
  44. Ora bem como já vou com 36, aqui vai .... Nunca me senti tão bem comigo mesma, verdade não é nenhum escândalo e sim tenho um filho de 4 anos e perguntam porquê? Olha porque gradualmente deixei de me preocupar com aquilo que os outros pensam acerca de mim, cada vez mais relativizo as coisas.... aceito o que não tem solução... solucionado está!
    Sim já estive montes de tempo desempregada quase 4 anos ....sim já fiz trabalho pouco remunerados e de escravidão.... sim mas nunca desiste...
    Hoje sou muito mais segura e feliz comigo mesma do que quando tinha 20.
    O que me preocupa, actualmente, que o meu filho cresça saudável e feliz e que brinque muito muito ...porque é muito bom ser criança.
    Um abraço.

    ResponderEliminar
  45. Ora bem, vamos lá
    - A instabilidade profissional e económica,
    - O o stress que o primeiro ponto causa por causa das contas para pagar
    - A chamada independência que passa de bestial a uma dor de cabeça por causa dos dois pontos anteriores.
    - A pressão da sociedade para o casamento (As perguntas" Ainda não te casas-te?; " Quanto casas?" e " Casamento não está nos teus planos porquê?" deviam de ser proibidas com direito a coima.
    - O viver-se sempre rodeada de gajas boas, tonificadas, sempre em forma nas televisões, outdoors, revistas...quando nós não temos tempo nem money para isso.
    - O constante engolir de sapos porque infelizmente chegamos aquele ponto que temos de ponderar o que dizemos e o que fazemos senão não faltam dedidnhos apontados a dizerem " Já tens idade para te controlares"...
    - Se não tiveres namorado, olham para ti com aquele ar de " vais ficar para tia se não te mexes!"
    - Será tarde para seguirmos "aquele" sonho?
    - Alimentação...passa tudo para light, sem sal, 0% porcento, magro, diet...

    Oh...estes são alguns do que me vêm à cabeça...

    ResponderEliminar
  46. Era de levar estes medos todos à Assembleia da República portuguesa! Muito grave e triste as respostas que estão a ser dadas. Infelizmente, a realidade da qual eu faço parte e medos com os quais também me confronto! Como entretanto virão as eleições e estão previstas (ou estavam) medidas de natalidade era interessante partilhar os receios de todas estas portuguesas. Partilhar o clima de insegurrança em que vive a mulher portuguesa, alguma coisa este blog poderia fazer nesse sentido já que tem tantos leitores!
    Bjs, Raquel

    ResponderEliminar
  47. Querer ter tudo: carreira em progresso, relação apaixonada, filhos limpinhos e educadinhos, casa perfeita e arrumada, corpo de miss, saídas com os amigos sem olheiras no dia seguinte....
    O problema é que nos convenceram que tinhamos (e temos) direito a ter tudo mas esqueceram-se de nos dizer tambem que não é possivel ter tudo ao mesmo tempo. Há escolhas a fazer e esse é o grande dilema dos 30!
    Isso e a aproximação dos 40!!!

    ResponderEliminar
  48. Acho que na casa dos trinta a sanidade mental das mulheres depende:

    - Gerir equilíbrio filhos / casal;
    - Cuidar bem do corpo e da saúde;
    - Mimar-se muito, delegar e deixar-se do "eu consigo fazer tudo e tudo depende de mim";
    - Existir satisfação/realização/empenho/brio no trabalho (que pode nem ser o melhor do mundo).

    ResponderEliminar
  49. Ter filhos ou não ter...

    ResponderEliminar
  50. Emigrar ou ficar a cuidar dos pais, casar com o namorado de há décadas ou arranjar coragem para o mandar à fava, ter filhos ou não ter, ter tempo para mim ou viver para a carreira e ou para os outros?... envelhecer ainda não é preocupante, porque hoje em dia com trinta anos e algum cuidado, ainda se tem muito bom aspecto. O que é preocupante é a falta de perspectivas, o pensar no futuro, a instabilidade...sem isso temos as pernas cortadas, vive-se o imediato como se pode e quase não se pode pensar em mais nada.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sim esta de emigrar também me assalta frequentemente... Sim? Não? Quem sabe...

      Eliminar
  51. Depende. Se for solteira, quer arranjar marido. Se for gorda, quer ser magra. Se for desempregada, quer encontrar trabalho. Se for invejosa, quer o que a vizinha tem. Se estiver doente, quer ficar saudável. Se for estúpida, então não pensa. Se for infeliz, quer ser feliz. Se tiver um casamento problemático, quer divorciar. Cada mulher é um caso. Se for uma mulher inteligente, não cede a pressões e aproveita o melhor que a vida tem para lhe oferecer, e aí temos mulher de bem com a vida :)
    http://coeurdartichautbyannabelle.blogspot.pt

    ResponderEliminar
  52. É uma idade em que o maior problema de uma mulher é ter definitivamente de responder ás tais questões:
    Quero ter filhos?; É isto que eu quero para o resto da minha vida?; Estou feliz assim?..

    Aos 30 pondera-se o resto da vida.

    Eu, com 34 anos e mãe de um filho e com outro a caminho.

    ResponderEliminar
  53. Estabilidade profissional (que não existe) e ter filhos (e condições para os criar).

    ResponderEliminar
  54. Bem como quarentona que sou, posso dizer que o que preocupava mais era, a carreira profissional, o ter filhos ou não, a maldita da celulite que a partir dos meus 35 anos começou a surgir e os cuidados que devemos ter a nível de pele para quando chegarmos aos 40 não nos assustarmos com a perde do tão famoso colageno.

    Mas sinceramente nos dia que correm acho que a maioria se preocupa com a carreira profissional, algo tão difícil de conseguir e de manter uma estabilidade financeira.
    Bjs

    ResponderEliminar
  55. Encontrar o equilíbrio entre a mulher de carreira, a mãe, a pessoa. Encontrar o equilíbrio entre o cansaço, o exercício necessário e a celulite e peso que teimam em não desaparecer. Precisar de ter mais de 24h num dia.

    ResponderEliminar
  56. Concordo com a Anónima - 30 Setembro, 2014 23:59

    O maior problema de uma mulher de 30 anos, ou outra idade qualquer, é a pressão social que a sociedade faz sobre elas. Se não tem marido tem de arranjar, se tem marido há que ter filhos, e se tem um porque não outro? E depois a carreira profissional, uma pessoa tira um curso superior, aplica-se, dá o litro todos os dias mas não é reconhecido, a desculpa é a crise, já tens sorte de ter emprego houve-se por aí, como se isso não fosse um direito constitucional. E depois claro ainda tem de se vestir bem com um ordenado do piorio, e estar sempre impecável mesmo que não se tenha dinheiro para ir ao cabeleireiro ou à esteticista e tempo para fazer as coisas devidamente em casa, sim como alguém disse atrás uma mulher sem pelos sente-se logo melhor. Há e claro há que manter tudo no sítio mesmo quando de repente se engorda só de respirar e a celulite teima em tomar conta do corpo.
    E depois estar sempre feliz, porque ninguém gosta de gente infeliz, que não tenha vida social agitada e sempre algo interessante para contar.
    A nossa vida pode de ir de mal a pior mas há que ter sempre um sorriso nos lábios e estar prontas para festa.
    Não é fácil, sendo os 30 anos um momento em que nos sentimos ainda jovens mas ao mesmo tempo com responsabilidades, para uns é mesmo uma questão de ter emprego e independência para outros é querer ter uma casa maior, um carro, uma viagem, tudo coisas que almejamos aos 20 poder ter e que aos 30 parecem, para a grande maioria, longínquas ou impossíveis.

    ResponderEliminar
  57. Tou quase a fazer 31, e aquilo em que mais penso é: filhos! espero por uma altura financeiramente mais estável? ou isso não existe e arrisco logo? e se espero? e se depois o tempo passa e quando dou por ela, não consigo engravidar? e se temos problemas de infertilidade? tenho que fazer tratamentos. Mas a legislação portuguesa não permite certos tratamentos de fertilidade a casais que não se encontrem casados. Então caso primeiro? Mas eu nunca quis casar! Então tento engravidar primeiro, se não conseguir caso-me para poder fazer tratamentos? não me parece muito romântico!!!
    e a celulite? uma pessoa treina que se farta para ir às meias maratonas e mesmo assim ela não sai dali? e os cabelos brancos? se aos 25, cada vez que aparecia um eu cortava-o, agora se fizer o mesmo, fico careca!!

    ResponderEliminar
  58. Eu acho que aos 30 a maioria das mulheres já pensa na questão dos filhos, principalmente se forem solteiras.
    Nos homens isso não acontece porque podem ter filhos até muito mais tarde.
    Nas mulheres, a partir dos 35 anos já é gravidez mais de risco, e a partir dos 40 ainda se torna mais difícil.
    Quando uma mulher chega aos 30 e está sozinha, pensa que ainda é preciso encontrar alguém, ainda passam uns anos até estar estável com essa pessoa e pensarem em ter filhos, e os anos passam a voar.
    Hoje em dia, também penso que muitas trintonas devem sonhar com independência, pois ainda há quem não tenha estabilidade profissional e por isso ainda viva em casa dos pais.
    No meu caso, tenho 30 anos, sou casada, tenho uma filha, tenho um emprego estável, e por isso estou como queria, apesar de obviamente sonhar que podia ter uma carreira mais brilhante, uma casa maior, um carro topo de gama, mas isso são sonhos que todos quereríamos...

    ResponderEliminar
  59. Tenho 29, casei em Junho e o que me preocupa agora, realmente, é encontrar algo que eu ame realmente fazer. Já tenho estabilidade no trabalho mas não estou nada feliz com o que faço. Consequentemente, a decisão de ter filhos fica adiada...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Preparem-se porque a realização profissional é uma ansiedade que se prolonga para os "...entas" ;-)

      Eliminar
  60. Sucesso profissional e pessoal(filhos,casamento).

    ResponderEliminar
  61. Ter 34 anos e ainda não ter tido filhos! Acho que se ouve cada vez mais falar de menopausas precoses e de dificuldade em engravidar.
    Os sinais do tempo na pele e de já não sermos 'meninas'...

    ResponderEliminar
  62. Constituir família? Casar? Receio de ficar para tia? Mudar de rumo profissionalmente?
    Por aí...

    ResponderEliminar
  63. Preciso de me sentir mais realizada a nivel laboral.

    ResponderEliminar
  64. Tenho 34 anos e as minhas preocupações além de achar que estou a envelhecer à velocidade da luz, é o facto de andar sempre a contar tostões para ver se o ordenado chega até ao fim do mês e a rezar para não aparecer nenhum despesas extra. Sou pressionada todos os dias para ter filhos, mas como posso ter filhos se ando a contar patacas? E depois também não tenho vontade nenhuma. Daqui a nada já passou o tempo e se depois me arrependo? E se me arrependo de ter? Gostava de abrir o meu negócio mas tenho medo, e se corre mal e fico com dívidas? ..........

    ResponderEliminar
  65. Não conseguir construir a sua vida, longe da casa dos pais.
    Não poder viajar porque o trabalho é sempre incerto, se há dinheiro é porque há trabalho logo não temos direito a férias. Quando não temos trabalho temos de gerir o pouco que se poupou.
    Aos trinta o que mais desejo é ter uma vida.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. :'( "Aos trinta o que mais desejo é ter uma vida." Engoli em seco e chorei. Eu também desejo o mesmo.

      Eliminar
  66. Bom, eu sou mesmo um caso à parte...Quanto cheguei à meta dos trinta, já tinha um filho com 14 anos e estava casada o mesmo número de anos... :-D Fui mãe muito cedo (era uma pita, como diz agora o meu filho-tinha apenas 17 anos). Por isso, as minhas maiores preocupações prendiam-se com questões profissionais. Sabia, como sei, que ter uma vida estável é o essencial. Agora, com 39, o meu menino tem 22, eu e o meu marido somos felizes e, muito embora não vivamos no meio do luxo, as nossas vidas profissionais são estáveis.
    Já plantei uma árvore (no meu minúsculo jardim das traseiras) e até já escrevi um livro, que apenas serva para recordar uma parte específica da minha vida e só para eu ler... LOL! É melhor que nada, certo? :-D

    ResponderEliminar
  67. Com 29 anos, a grande preocupação neste momento é ter ou não o 1º filho ( falo por mim)

    ResponderEliminar
  68. Com 34 anos e uma filha de 2, a minha maior questão é o medo de ficar sem emprego. O mais desmoralizante é ter um emprego sem grande progressão na carreira e pouco cativante. O que mais me inquieta é a decisão de ter outro filho, quero, mas a capacidade financeira é limitada! O que menos me preocupa é o corpo...vivo melhor com o meu corpo hoje aos 34, do que aos 20. Aos 30 deixei de ser complexada!

    ResponderEliminar
  69. que cor do verniz usar hoje

    ResponderEliminar
  70. Chegar aos 33 anos, desempregada...querer ter mais um filho e não ter estabilidade financeira para isso. As doenças que começam a chegar às pessoas próximas.

    ResponderEliminar
  71. Ora no meu caso, tenho 33 anos, e um filho com 4, sou casada, tenho um emprego estável (penso eu - nunca se sabe o dia de amanhã), uma casa que construímos como queríamos (é claro que gostaria de ter piscina e outro tipo de luxos, mas já está óptima assim) e temos saúde. A grande questão que me preocupa neste momento é se conseguirei acompanhar o crescimento do meu filho e quero muito que ele no futuro se orgulhe da mãe que tem (não sou aquela mãe fofinha que deixa fazer tudo e que não dá uma palmada). Outra GRANDE questão é a de ter ou não o 2º filho, se dependesse só de mim e se tivesse financeiramente mais estável, teria a casa cheia de crianças. :-)

    ResponderEliminar
  72. Pelos vistos as preocupações das meninas dos 20 e tais/30 são aos minhas, que tenho 41, lol. Carpe diem!

    ResponderEliminar
  73. Como ser boa profissional, mãe presente, mulher apaixonada, mulher com estilo e dona de casa primorosa em 24 horas ?

    ResponderEliminar
  74. 32 anos. Um marido. Zero filhos. Preocupa-me se ainda vou a tempo de ter a família numerosa que desejo. Se vou saber fazer deles pessoas decentes e felizes, se vou conseguir seguir as minhas convicções e viver mais com menos e se vou manter as minhas prioridades sempre no sítio certo: o Amor primeiro. E, pelo caminho, encontrar a solução para fazer aquilo que me dá prazer e viver disso.

    ResponderEliminar
  75. É a primeira vez que me atrevo a comentar o seu blog apesar de ser uma seguidora religiosa!
    Se calhar o motivo mais forte porque me tento a comentar é porque é essa a verdadeira coisa que acho que me mudou e transformou.
    Já tenho 31 anos, já? Sim, digo já porquê?
    Porque tenho uma relação à 9 anos deveras complicada e "estranha" para mim e para a maioria das pessoas...
    O certo é que julguei que durante estes 9 anos as coisas fossem acontecendo normalmente, namorava, iria certamente viver com ele, o casamento seria o próximo passo, depois de termos a casa composta, e depois sim teríamos o filho, os filhos.
    Namorámos (atente-se ao facto de estar conjugado no passado, já revela algo), conseguimos ter tudo na nossa casa que desejamos.
    Pois... O casamento não veio e não parece vir de forma alguma... (eu sempre quis tanto e nunca foi abordado por ele), obviamente que o filho/os filhos são assuntos que nunca são abordados... (porquê? A estabilidade vai ser sempre relativa)
    Vivi sempre à sombra das minhas vontades e vivi com todo o afinco os projectos que por acaso tivemos em comum ou mesmo apenas os dele, em que o apoiei sempre e incondicionalmente.
    Eu senti-me mudar com os 30 anos, sou mais decidida, determinada e posso não saber bem o que quero, mas sei perfeitamente o que não quero!
    E eu não quero esta vida de nulidades, quero mais e outras coisas...
    Se antes esperava pelos 30 para poder dar passos importantes, hoje penso ser incapaz de casar e ter filhos e mais importante, não sou capaz de viver mais anos assim.
    O que me importa é resolver-me emocionalmente, conseguir profissionalmente ser sempre independente e auto-suficiente.
    Eu sinto-me com 31 anos! Assumo e vivo com os meus cabelos brancos, as minhas rugas e o meu peso inconstante...
    Mas nada disto é importante quando sentimos que foram 31 anos bem vividos.
    Eu quero vivê-los, gastá-los, usá-los... Sinto-me perdida entre o hábito que é continuar nesta relação e nesta vida e no que posso ser se tomar a decisão da minha vida...

    Mas... mas eu hei-de-me encontrar....

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Está há 9 anos e não é feliz porque ele não quer casar? o ter filhos , se ele não quer e você quer, pode fazer toda a diferença se deve continuar com ele ou não...ama esse homem? ou o hábito faz com que se mantenha com ele?

      Eliminar
    2. Ás vezes mais vale estar realmente sozinha do que estar com alguém que nos faz sentir sozinha... é bem pior a desilusão de esperar por algo e isso não acontecer do que vivermos sem a essa ilusão...aproveita o que a tua vida tem de bom ( porque de certeza que tem) e esquece quem te faz mal...

      Eliminar
    3. Sara, acho que neste teu comentário está bem claro que não és feliz nessa relação, mas tens medo de tomar uma decisão precisamente porque está há 9 anos com o teu namorado. Acho que não deves pensar nos 9 anos que passaram. pensa nos anos que tens à tua frente e toma uma decisão com o coração e todas as tuas forças. Penso que neste momento estás a decidir com base no medo. Medo do que há para al´´m dessa relação, medo do que vais encontrar. medo de pensares que afinal estavas bem. Mas isso não devia ser problema. Tu sabes o que deves fazer. não tomes essa decisão com base no medo que sentes.
      Dizes que te dentes perdida por não saberes ao certo o que podes ser se tomares essa decisão. Quem achas que podes ser? Serás tu. Livre e enfim descoberta. E não refiro livre enquanto solteira, mas aquele sentimento de liberdade interior que temos quando alcançamos algo. Quando somos realmente felizes.
      Escrever ajuda-nos. Acho que todos devíamos escrever os nossos objectivos. O que queremos fazer na nossa vida e quando. Tudo se torna mais claro e em vez de apenas andarmos por aqui, a vaguear por ruas e ruelas sem destino certo, sabemos ao que vamos e tomamos decisões com base nisso. Mas não decidas com medo do que vem. decide tendo em conta o potencial da tua vida. Afinal, vai tudo correr bem. de uma forma ou de outra, fica tudo bem. Porque fazemos por isso e é disso que todos andamos à procura. Não tenhas medo e não penses muito. Escreve os teus objectivos de vida, pensa em como te vês daqui a 10 anos e decide.

      Eliminar
    4. Não me sinto feliz não porque ele não queira casar.... ou ter filhos.... mas porque há um desencontros de objectivos e sonhos...
      O diálogo inexistente faz-me questionar mais ainda se são as minhas inseguranças ou a minha (ainda) falta de maturidade em lidar com problemas conjugais....
      Claro que gostava de casar... (hoje já não faço questão), claro que gostava de ter filhos... (hoje não sei se conseguiria ter um filho, por achar que falta a união entre os pais que deve haver).
      Eu deixei de nos imaginar com 80 anos, sentados e ver TV... Porque acho que a minha vida e a dele não se encontram lá à frente...
      Não sei se é compreensível alguém ter medo de seguir em frente achando que será o melhor... como saber se é o passo certo a dar ou uma questão de "crise que os casais passam"....
      Será que é amor... ou é hábito... Acho que é essa a questão....
      Tudo veio com os 30 anos, acho que psicologicamente nós mulheres sentimos esta idade pesar na consciência...
      Eu estou diferente... sinto isso e sei que as outras pessoas vêm isso também, hoje acho que podia descrever tão bem a minha personalidade.
      E confesso gosto tanto e muito mais como sou agora, sinto-me bem com o meu eu, com o meu silêncio, até com o meu barulho... Quero ser feliz, sentir-me feliz e saber que se existir por ventura uma outra pessoa, ela saiba exactamente aquilo que eu sou e do que gosto, que me conheça e que mesmo assim saiba sempre que eu vou ser sempre o "eu" e ele o "ele" e o não menos importante o "nós".

      Eliminar
    5. Anónimo01 Outubro, 2014 15:20

      Sandra01 Outubro, 2014 15:30

      Obrigada por conseguirem expressar tão bem por palavras aquilo que estou a sentir, ou melhor até...
      E obrigada também por de certa forma escreverem as palavras certas no momento certo.

      Eliminar
    6. há muitas interrogações. 9 anos é muito tempo, ainda era novinha quando começaram, pode haver alguma falta de maturidade se esta foi a relação séria que teve, não dou a certeza absoluta...mas o que a vida me ensinou e tenho 29 anos e uma relação de 4 anos, é que as relações não são fáceis, e fazer uma relação durar muitos e bons anos, exige sempre trabalho, nada será como nos primeiros anos, a paixão vai-se e por vezes nessa altura as relações acabam. Uma paixão, segundo o que li, pode durar anos, não 9, mas dura muito tempo... Estão ambos dispostos a lutar e tentar dar a volta? Converse com ele e diga o vai dentro de si, os seus medos e receios, se ele não quiser ouvir ou não quiser saber, siga a vida, se ele achar que devem lutar, fazer diferente, pode sempre lutar. mas não perca tempo com a vida, pois pode ser feliz agora, e não adie mais, conversem e decida, são muitos anos, há muita coisa vivida, que pelo menos que fique a amizade, mas faça o favor de ser feliz! :)

      Eliminar
    7. Anonimo 15:20
      Falei com conhecimento de cousa (uma causa muito igual á tua)...eu alem de saber o que não queria sabia perfeitamente o que queria, ser feliz...já passaram 3 anos, acabei de fazer 32 anos, e a 'crise' Dos 30 só me deu coragem, tudo o que veio depois foi tudo melhor...don't worry be happy

      Eliminar
    8. Sara... Como sei o que sente... O que é estar emocionalmente refém de uma relação que não tem futuro e que há muito devia ter acabado. São anos e anos a deixar arrastar algo q não nos preenche mas que tentamos compreender. A liberdade de iniciar uma nova etapa vs a insegurança de passar a estar realmente só... Ainda mais só. O começar uma nova relação do zero... Se a nova relação sequer surgir. É tão difícil mas tão óbvio o que temos a fazer... Só precisamos da força para isso. E onde é que ela está?

      Eliminar
    9. Nesta tenho mesmo de me meter. Se não está feliz, acabe com essa relação JÁ. Eu sei que custa, sei que é um peso enorme, e sei que vai "desiludir" muita gente. Pais, amigos, etc. Ninguém vai estar à espera. Mas se não há comunicação e encontro de objetivos, não vale a pena arrastar isso nem mais um dia. Quanto mais tempo arrastar, mais compromete a possibilidade de vir a ser realmente feliz. O nosso trabalho até pode ser bestial mas se a vida pessoal e íntima não estiver bem, de que serve? Sei o que é estar numa relação longa por comodidade... Não é fácil por um ponto final e tenho consciencia de que só o fiz porque apareceu outra pessoa... Isto já aconteceu há mais de 2 anos e eu continuo a atravessar um período de felicidade como nunca antes vivi. Encontrei o homem com quem quero estar, com quem quero passar o resto dos meus dias, com quem me sinto bem, com quem quero fazer tudo. Tem de se dar a si própria a oportunidade de encontrar a sua metade, porque ela existe! E não é, de todo, a pessoa com quem está agora, como se percebe... Tem 31 anos, está na altura certa para virar a sua vida ao contrário. Se tivesse filhos era pior, assim não tem nada a perder, só a ganhar. Acredite em mim: vale a pena dar um murro na mesa e MUDAR. A vida não é uma linha recta: https://www.youtube.com/watch?v=Na4C-GCNVyc

      Eliminar
    10. Sou casada há bastantes anos e digo-lhe: não perca mais tempo. Fecha-se uma porta. abre-se uma janela! Vejo mtas pessoas da sua idade embarcarem na primeira relação qe encontram cm receio de ficarem pra tias. Não o faça, acredite em si. Mais vale casar mais tarde e ser feliz p o resto da vida d qe ter pressa e dar asneira. O qe n falta no país e n mundo são jovens casadas cm vidas cor de rosa d fachada e uma grande dose d frustração escondida. Essas sim são umas desgraçadas que vivem p as aparências. Não o faça minha cara amiga. Namore mt e c mts, tdos os q forem necessários até encontrar quem a ame e a felicidade que merece!

      Eliminar
  76. quando tinha 30 anos a minha única preocupação era a roupa que ía vestir para sair à noite...agora que tenho 42 anos só me preocupo se a minha filha adormece e não tenho tempo de lhe dar banho e o jantar :)). Para as meninas trintonas solteiras fica um conselho: ele anda por aí...é só preciso estar atenta e não acharmos que tem q ser o Clooney ou o Pitt...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Acreditamos que sim mas onde encontra-los??????????Alguma dica util?Já tentei deixar ao sabor do destino,já tentei conhecer pessoas novas mais ativamente...E nada!E nem sequer ponho a fasquia muito alta,imagina que andava à procura de um príncipe encantado.........

      Eliminar
  77. Depois dos trinta comecei a ter a real noção do tempo. Eu estou mais velha e as pessoas que me são mais próximas, inevitávelmente, também. Depois dos trinta comecei a viver com uma angústia de perder alguém e ter de lidar com essa perda.
    Apesar de ser a ordem natural das coisas, nunca ninguém estará preparado para perder alguém que ama.

    ResponderEliminar
  78. Estar no meio-termo da vida: não se ser assim tão nova para sonhar muito alto (porque há condicionantes) nem demasiado velha para nos acomodarmos.

    ResponderEliminar
  79. Para mim com 29 anos é:
    Ter ou não ter filhos?
    Será que algum dia vou conseguir ter uma cerreira profissional que me concretize?
    Já estou quase nos 30, será que estou a ficar velha?

    ResponderEliminar
  80. Faço terapia a algumas pessoas e, entre estas e outras preocupações mais pessonalizadas ou mais generalizadas, gosto muito quando esta aparece: ser independente, estar bem consigo e com a sua vida social/profissional, MAS encontrar uma relação que não seja sentida como um peso, um esforço, uma interferência na liberdade pessoal conquistada.

    ResponderEliminar
  81. Ser mãe e ser boa profissional e, depois de ser mãe, continuar a ser boa profissional. Ah, e descobrir como eu e o meu namorado vamos arranjar dinheiro para comprar uma casa e deixar de vez de sermos arrendatários (por favor, não começem uma discussão por causa disto).

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Recorram a casa dos bancos :) empréstimo a 100%, conseguem mais facilmente obtê-lo e até € para obras caso a casa precise! ahhhhh e spreads mais baixo! vá informar-se juntos dos bancos ou até de imobiliárias!

      Eliminar
    2. Costumo andar de olho, obrigada! O problema é muitas vezes os sítios... Mas obrigada pela dica novamente!

      Eliminar
    3. Pois, as zonas por vezes é que não são bem aquelas que queremos. Mas vai encontrar sim : não desista :)
      **

      Eliminar
  82. E a ti, Pipoca, o que te apoquenta na casa dos 33?

    ResponderEliminar
  83. Para mim, acabadinha de fazer 30, julgo que a maior é lidar com alguma frustração de ainda não ter atingido os objectivos profissionais que tinha estabelecido... aliás, nem lá perto!!!

    Em segundo lugar e estando prestes a completar o 1º ano de casamento, é gerir o "quando" ter filhos... enquadrá-los no dia-a-dia, pensar se quero mesmo, como vai ser o "depois"...

    São as minhas principais preocupações :)

    ResponderEliminar
  84. As verdadeiras questões que preocupam de uma mulher na casa dos 30, não sei quais são! A verdadeira questão desta mulher na casa dos 30 (a viver no 3º andar) é ser feliz! É viver com mais calma. É aproveitar o hoje, relembrando o bom do ontem, pensado no amanhã, mas não dando muita importância ao depois de amanhã.

    ResponderEliminar
  85. Os sonhos tornam-se mais reais! A vida no dia-a-dia será sempre diferente do que até aí tínhamos sonhado. não necessariamente pior, mas apenas mais complicada, mais difícil de gerir.

    ResponderEliminar
  86. Prendem-se necessariamente com o facto de ter filhos (chegando aos trinta...) e a nivel profissional (estabilidade financeira e profissional).

    cf

    ResponderEliminar
  87. Para além do que já foi dito: uma relação estável; vida profissional; filhos; envelhecer (gravidade). Eu com 36 anos, não casada mas com 19 anos de uma vida a dois, sem filhos e um emprego a recibos verdes. Sinto e cada vez mais a vida a correr mais rápido, tão rápido que até assusta e preocupa-me, sinto um medo cada vez maior de perder os meus pais, de perder as pessoas que amo, sinto medo dos problemas de saúde que começam a aparecer. E os filhos que não tenho, mas que gostaria de vir a ter, pelo menos 1. Mas sempre que penso, " e se fosse este ano", surge sempre algum problema que nos impede de avançar. E é isto...

    ResponderEliminar
  88. Ora, boa pergunta. Para mim, que já estou nos 38, diria que esta década é de grande transição, entre querer ter a vida perfeita (incluindo trabalho, homem, filhos, casa, etc) e pensar como vai ser o futuro (da relação, do trabalho, dos filhos e do meu corpo/saúde)
    Queremos ter tudo, fazer tudo - termos uma bela carreira e termos tempo para namorar; termos filhos e tratarmos de nó;: manter os amigos, estar com a família; cultivarmo-nos para não estagnar intelectualmente... Enfim, é uma lista sem fim, com desejos que se anulam uns aos outros por falta de tempo. Desafio: COMPATIBILIZAÇÃO - aprender a viver melhor, com menos stresses e com mais qualidade, numa conjuntura politico-economico-social-etc lixada. Perceber o que realmente precisamos nem sempre é assim tão óbvio, quando temos que fazer escolhas.

    ResponderEliminar
  89. se não tem filhos a preocupação é ter filhos. até aos 30 acha-se sempre que há tempo para os fazer, mas depois dos 30 o relógio/alarme biológico começa mesmo a tocar. se não se tem alguém no momento para potencial pai aí a coisa complica mesmo.

    outra preocupação, esta é uma fase em que normalmente entra uma depressãozinha, até aí foi tudo a correr, secundário, universidade, emprego. nesta altura já se está no emprego há algum tempo, mas e se não é o que pensávamos ser? e agora? dá para recomeçar uma nova vida? dá para mudar de área depois de ter feito um mestrado naquilo que achávamos que era o melhor pra nós? vale a pena arriscar um salário razoável pelo incógnito?

    é isto

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Concordo... até aqui é sempre a rolar e parece que temos todaaaaa a vida pela frente. Depois entram os 30... e agora? porque é que ainda não tenho capacidade financeira para viver sozinha? como é que cheguei aos 30 sozinha? vou ficar assim para sempre? tou a envelhecer, aqueles de que eu gosto também, e se me faltam? ....

      Eliminar
  90. Apetece-me dizer só isto! beijinhos para todas e sejam felizes :)

    Forever trust in who we are and nothing else matters (Metallica) ! Acreditem em vocês.**

    ResponderEliminar
  91. O Verão e as mamas descaídas =p o ar começa a engordar =) e talvez o facto de já não conseguir dormir até as tantas e não ficar com remorsos =p Socorro estou nos 30 também é uma das preocupações =p

    ResponderEliminar
  92. A mim (38 anos) preocupa-me o não saber se vamos ter paz durante muito mais tempo. Preocupa-me saber que há fome, sede e doença que facilmente se poderão espalhar. Preocupa-me a chegada de uma catástrofe natural. Preocupa-me a ameaça de estados islâmicos sobre pessoas inocentes, ataques terroristas quando estamos a levar a vida dentro da rotina de todos os dias. Preocupa-me que se não mudarmos globalmente de filosofia/modo de vida este planeta não sobreviverá.
    Cláudia.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Certo. Também partilho dessas preocupações. Contudo, permita-me salientar, que se tratam de questões (ou que deveriam ser) transversais a qualquer idade. Não é necessariamente o "drama" dos 30 - ainda que os tenha nessa faixa etária :)

      Eliminar
  93. Os filhos, a carreira, e um pouco de si. Estar perto dos 40 pode assustar certas mulheres, e acho que os 30 são bem aproveitados. Acho que são uma idade bonita, e com um certo nivel de confiança :)

    ResponderEliminar
  94. - ver os meus pais a envelhecer
    - carreira
    - constituir familia

    ResponderEliminar
  95. Ter 34 anos,estar casada há 2, ter namorado 12,estar a ponderar seriamente divorciar-me (com poucas dúvidas sobre isso pois parece-me inevitável) e estar num impasse sem saber se hei-de antes ter os dois filhos c q eu e o meu actual marido sonhamos para ficar logo despachada e pronto, acabava-se essa angústia (depois sim poderia dedicar-me a procurar a minha cara metade) ou se devo perseguir o sonho da happy family e esperar até encontrar o amor da minha vida para ter os filhos com ele e constituir uma família estruturada. Medo de arrependimentos futuros!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Se existe uma incompatibilidade entre si e o seu marido e se já não há nada a fazer (eu defendo que se deva sempre tentar e não desistir das pessoas), então não caia na asneira de ter filhos com essa pessoa. Espermatozóides existem ao virar da esquina.

      Eliminar
    2. Minha cara, esperar encontrar o amor da sua vida?! E ainda pondera ter filhos com o homem que está casada e que não ama? A verdade é que já não lhe sobra muito tempo para ter dois filhos, mas quer estar ligada dessa forma a uma pessoa que me parece que já não suporta? Não entendo como ainda pensa nisso.

      Eliminar
    3. Desculpe que lhe diga, que cabecinha tão oca... divorcie-se e deixe lá a gravidez para outro relacionamento ora! ainda tem tempo. Ai estas senhoras...

      Eliminar
    4. Ja ca faltava a brigada da moral e bons costumes.........LOL Devem ter ca umas vidinhas realizadas...........................E se parassem de dar palpites sobre a vida alheia?Acho que ninguem vos pediu opiniao.Caramba,parecem beatas do pau oco.Cada um tem as suas duvidas,so que nem todos tem coragem para as partilhar justamente graças a pessoas como vos,que estao tao cheias de certezas.Os excasais podem continuar amigos e darem se super bem.

      Eliminar
    5. Ooooo que comentário mais futil e infeliz, valha-nos Deus! "espermatozóides ao virar da esquina"??? Nem comento... A primeira leitora tem é de se lembrar que pode sempre adotar, com ou sem marido! Ser mãe, digo-lhe, é do melhor que há e se realmente isso é uma prioridade para si então não se deve preocupar em ter que arranjar um homem à pressa. Faça-o com amor e com alguem em quem confie, mesmo que não seja o homem da sua vida, mas seja sincera e abra-se com o seu marido ou com quem venha a conceber o desejado filho. Puritanismos são disfarces de quem não soube buscar a felicidade. Seja feliz e faça dos seus futuros filhos biológicos ou não pessoas felizes. Não se prenda a convencionalismos quadrados. A vida é curta e simples, não a complique.

      Eliminar
    6. Anónimo das 04:18, não é a brigada dos bons costumes porque se fosse diria para continuar casada, certo? Mas acho que é vida para alguém viver como vive (supohnho que seja a pessoa que fez o comentário inicial)?

      Eliminar
  96. Existe sim o drama dos 30, principalmente neste período problemático do país. Estou prestes a fazer 30 anos o meu namorado já os fez e a realidade? A realidade é uma relação de 8anos, não termos dinheiro para vivermos juntos, quanto mais pensar em termos filhos, sem falar do casamento. Para fugir a este drama todo a minha escapatória às típicas perguntas como por exemplo quando casas, quando tens filhos, respondo que não estou nem aí para casar e que ter filhos poderá não ser uma opção. Quando na verdade é tudo mentira! Sonho com um casamento e com filhos mas tudo não passa de um sonho. Já me dou por feliz quando tiver dinheiro para vivermos juntos.
    E pensar nos meus pais com a minha idade que já tanto fizeram e eu? Bem eu tirei uma licenciatura, mestrado, trabalhei em empregos precários e nisto vão 30 anos passados e tanto para fazer…….

    ResponderEliminar
  97. A chegar aos 31 as minhas preocupações principais são a carreira e os filhos (que ainda não tenho). Confesso que quando fiz 30 também decidi mudar a minha alimentação e cuidar mais do corpo e mente.

    :)

    ResponderEliminar
  98. Ter filhos.
    Pensar nas consequências, tendo em conta o meu trabalho (que já é mais associado a homens, uma gravidez seria mesmo má...), pensar que não tenho uma situação financeira boa e posso ficar pior...Ver o tempo passar, saber que não posso ficar a vida toda a pensar nestas coisas todas....brrrrrrrrrr

    ResponderEliminar
  99. Tenho 36 anos e um namorado giro que se farta mas não o amo,estou é farta de procurar o homem da minha vida e por agora resignei-me.Mas não quero ficar por aqui,não desisto de ser feliz.Para mim o mais importante é mesmo ter filhos e até já pensei que o meu namorado seria um bom candidato pois também quer ter filhos e gosta de crianças(para alem de que é lindo claro).O que me trava é pensar que os meus filhos depois vão ser sujeitos à separação.Quanto a condições financeiras,tenho alguma segurança no meu trabalho.Já o meu namorado não,o que significa que teria sempre de sustentar os meus filhos sozinha.Conselhos, alguns?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Avançar com o plano dos filhos? É um grande dilema mesmo...

      Eliminar
    2. É o segundo comentário (assim só a passar os olhos) que vejo de alguém que está com alguém que não ama e que pensa em ter filhos com essa pessoa!! Mas está tudo louco ou só eu é que não acho isto normal?

      Eliminar
    3. O mais assustador, é que já não é a primeira comentadora que, se mostra infeliz com uma relação, antevendo o seu final, mas que se calhar primeiro faz um filho. E tenho medo que pessoas assim, tratem a questão dos filhos quase como um capricho.

      Eliminar
    4. Medo destas mulheres que estão infelizes numa relação e ainda assim querem ter filhos do namorado!! Coitadas das crianças, puro egoísmo e falta de neurónios!

      Eliminar
    5. Porque não? Se o desejo é comum e se podem desempenhar um bom trabalho de equipa não há que hesitar, verdade? Os bons pais não têm que estar casados ou sequer viver juntos! Ridículas estas moralistas preconceituosas que continuam a fazer juízos de valor sem nada saberem da vida! Se todos forem felizes, é o que importa, o amor acontece de muitas formas. Não se pode ligar a opiniões mesquinhas e invejosas de quem vive sob o jugo do socialmente correcto. As "novas famílias" são bem mais saudáveis do que muitas "tradicionais". Evoluam minhas amigas!

      Eliminar
    6. Medo? Do quê? De que elas depois vão atrás do seu marido? jajaja Bem possível que venha a acontecer... é melhor fecha-lo em casa querida. jajaja

      Eliminar
  100. Sem duvida, a carreira! Que coisa com ps filhos, ainda tem 10 anos pela frente!!!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ou mais até! No meu tempo é que se tinham os filhos antes dos 30 senão...Hoje as miudas modernas tem outra visão mais evoluída da vida e já não vão em conversas.Sabem o que querem,quando querem e como querem! Não ha ca pressas desnecessárias. Li alguns comentários e até me assustei com senhoritas que pensam que são velhas aos 40!Esqueçam isso.Os vossos 35 eram os nossos 25!Acreditem no que vos digo,não se armem em antiquadas e vivam descontraídas e livres que o que tiver de ser será.

      Eliminar
  101. No meu caso, que não tenho filhos, é sem duvida ver os pais envelhecer e sentir que quando eles falecerem... fico sozinha!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pensei que era a unica aos 30 anos a ter este medo, de perder pais e ficar sozinha, como se me sentisse uma criança. No meu caso mãe pois pai já não tenho. Todos os dias peço para que ela dure o máximo de tempo possivel, com saúde, mais 30 anos de preferencia. Medo da solidão, sem dúvida.

      Eliminar
    2. Sou filha única. Se ficar sem pais fico mesmo sozinha. Às vezes sonho com isso e acordo desesperada. Os pais são os únicos que estão cá sempre, para o bem e para o mal, para a saúde e para a doença, aconteça o que acontecer. Aterroriza-me poder ficar sem eles...

      Eliminar
    3. Também sou filha única, com 31 anos.Tantas vezes que penso nisso. Acho apenas que nunca o tinha verbalizado ou ouvido/lido de outra pessoa. Assustador, de facto. Mas a mim também me preocupa muito pensar que, um dia, se os meus pais precisarem de mim (por questões de saúde, por exemplo), posso não ter possibilidade de estar lá para eles como eles merecem (o quotidiano actual é muito veloz e as vidas profissionais não se compadecem de dilemas pessoais). E eles não têm mais ninguém. Penso muito nisso. Amor de pai e mãe é incondicional. Não me permito falhar para com eles.

      Eliminar
    4. concordo. Os pais, são os únicos que ao chamarmos... põe o dedo no ar, e veem a correr. vê-los envelhecer... enfim, tenho a sensação que os filhos existem para que esta dor (a de os perder) não seja tão dura. e, quem não os tem (filhos)?

      Eliminar
  102. Ana, 32 anos. Não saber o que gosto de fazer e achar que não tenho jeito para nada embora me considerem uma excelente profissional, ODEIO o que faço. Não ambicionar ter filhos nem sonhar com o casamento. Não saber se não querer casar e não ter filhos é uma mentira em que acredito profundamente pela minha falta de sorte no campo amoroso. Ganhar celulite e barriga e não conseguir perde-la LOL

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Também ODEIO o que faço. Mas não desisto de tentar mudar. É preciso ter muita resiliência para não nos acomodarmos porque dá trabalho mudar, às vezes parece que estamos a embater contra uma parede e que não há escapatória. Mas eu acredito que haja.

      Eliminar
  103. Fiz 31 em junho! Só pensei..neste momento posso já ter mais passado que futuro! Concordo com quem disse: momento de mudança!

    ResponderEliminar
  104. A pressão social de explicar a meio mundo que não se quer ter filhos (porque toda a gente se acha no direito de vir perguntar) e levar com a conversa sobre como se está errada... A pressão social que espera um certo tipo de vida da mulher de 30 e não nos sentirmos bem nela... NO fundo, os dois são a mesma coisa!

    ResponderEliminar
  105. A maior dificuldade será mesmo encontrar trintões ( ou até quarentões ! ) disponíveis ! ! ! ! Não há homens ! ! ! !

    ResponderEliminar
  106. 1) que os meus pais não cheguem a conhecer os netos; 2) ficar sozinha no mundo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Caramba, isto fez-me chorar. É isto mesmo.

      Eliminar
    2. SIM. Mais que isso: que os meus FILHOTES não tenham o prazer de conhecer os meus QUERIDOS PAIS!

      Eliminar
  107. Eu tenho 29 anos e agora, estou quase nos 30! Os 29 anos foram elucidativos de que os 30 haveriam de custar LOL E eu, que nunca me tinha preocupado com a idade, agora porque trabalho imenso, faço imensas noites, trabalho muitas e muitas horas por semana, penso: daqui a uns anos o meu "homem" vai parecer ter 40 e eu 50!!
    Confesso que é um tema que me agonia um pouco:
    - envelhecer precocemente, ou seja ter 30 e parecer mais velha
    - não ter tempo de qualidade suficiente para investir numa relação
    - quando decidir engravidar, a "maquina" se recusar a funcionar
    - ter filhos e não ser uma Mãe presente
    - depois de tudo, daqui a uns 4,5,6... anos não ter emprego
    - não perder peso com a facilidade dos 20 (lol)
    - saúde! eu sei que com 30 aninhos ninguém pensa nisso, no entanto, é a idade das doenças auto-imunes e companhia... e para quem fuma desde os 18? já lá vai mais de 1 década de vicio...

    Dá que pensar :D
    Beijinhos
    IC

    ResponderEliminar
  108. Arranjar um HOMEM que preste!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não está fácil para as solteiras... :-( As casadas que se cuidem!!! E bastante!

      Eliminar
    2. Ter um segundo filho ou não!Sempre achei que não há nada como um casal poder concentrar toda a sua atenção num só rebento.Vejo por exemplos na família e à nossa volta.Filhos únicos são príncipes/princesas como não há igual!E nada de me chamarem egoísta se fazem favor!Cada um é como é e acabou por isso shiuuu!

      Eliminar
  109. Ser uma boa mãe. Os sinais dos tempos que estão prestes a aparecer (rugas, cabelos brancos e afins). Não ser nem nova nem velha para o mercado do trabalho. As doenças que possam começar a surgir. Manter a forma. Ser feliz

    ResponderEliminar
  110. Aos 37 não ter um emprego que me faça feliz, não ter filhos nem antever que os venha a ter, ver os meu pais envelhecer, não ter atingido praticamente nenhum dos objetivos que imaginei e tracei para mim quando estivesse na casa dos 30...e parecer-me que o tempo está a passar tão depressa que nunca os conseguirei atingir.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É isto mesmo!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

      Eliminar
  111. sem contar o ser boa mãe? honestamente, preocupa-me
    - não conseguir dormir;
    - conseguir pagar as contas e chegar ao fim do mês com 20 euritos para dar um corte no cabelo;
    - a pele de adolescente;
    - a roupa que tenho para passar;
    - não ter tempo para mim;
    - o peso e não o conseguir comer;
    - a minha incontrolável fome;
    - as mamas descaídas;
    - ficar sem a minha mãe.

    ResponderEliminar
  112. Tenho 35 anos, não tenho filhos e não quero. Tenho um bom emprego, dou me a alguns luxos e a minha relação sentimental está por um fio.
    nunca pensei dizer isto, mas tenho medo de acabar sozinha.

    ResponderEliminar
  113. Não me realizar a nível pessoal! E acho que isto inclui tudo...

    ResponderEliminar
  114. E verdade que o corpo muda... :-( E não e para melhor.

    ResponderEliminar

Teorias absolutamente espectaculares

AddThis