Pub SAPO pushdown

segunda-feira, agosto 22, 2011
Ontem fui almoçar a casa dos meus pais e tinha à minha espera uma missão espectacular. Abrir caixas de livros que andavam na arrecadação há que vidas e ver o que é que se aproveitava. Lá estavam todos os meus livros da escola, todos os apontamentos, todos os testes, todos os recadinhos das professoras ("é boa aluna mas muito faladora"). Entre outras grandes pérolas, descobri uma composição que escrevi numa aula de Português do 7º ano. O objectivo era descrever um colega da turma, e a mim calhou-me em sorte o Diogo.

"O Diogo é uma pessoa sobre a qual não posso escrever muito, visto que não o conheço muito bem. Fisicamente é baixo, tem cabelos e olhos castanhos e usa aparelho nos dentes. Devido a isso, fala um pouco à sopinha de massa. Psicologicamente não o posso descrever muito bem, pois são raras as vezes que falo com ele. É um bocadinho chato e infantil. Está sempre na brincadeira e na conversa, e está constantemente distraído. Não é muito comunicativo com as raparigas da turma, talvez por vergonha ou complexos sabe-se lá do quê. Talvez seja assim por os outros rapazes estarem sempre a gozar com ele e a chamar-lhe nomes por ele ser baixo e por a mãe dele dar aulas a crianças com problemas mentais. Resumindo e concluindo: não é das pessoas que mais gosto na turma, mas não é mau colega."

E pronto, foi esta a minha brilhante composição. Está explicado porque é que nunca recebi o prémio de Miss Simpatia na escola. E está também explicado porque é que o Diogo, com quem me cruzo várias vezes num café perto do trabalho, nunca me falou. Ainda deve estar sentido com o que escrevi sobre ele. Eu já nem me lembrava disto, e se a composição não tivesse também uma foto do Diogo, jamais associaria as duas coisas. Coitado do rapaz.

65 comentários:

  1. Bem, agora que publicaste a composição no blog, ele ainda deve ter ficado mais contente a gostar de ti. Eu a partir de hoje, começava a olhar de hora em hora para os pneus do carro ;-)))

    ResponderEliminar
  2. "Coitado do rapaz"? Coitada de ti! Que continuas má. Não só escreveste uma coisa péssima, e estúpida sobre um colega de turma - que, dizes tu, nem o conhecias muito bem; mas nem por isso te inibio de criticá-lo sem dó, nem piedade - como voltas a escrever, desta feita, para toda a gente ler.

    ...Se ainda fosse uma composição bem escrita e/ou minimamente criativa, engraçada, ainda se safava, mas nem isso!

    És uma má pessoa e tens orgulho nisso. Consegues meter nojo!

    À tua mãe morreu-lhe o filho errado.

    ResponderEliminar
  3. Será que o Diogo ainda se lembra disto? Ó Diogo, diz lá qualquer coisinha!

    ResponderEliminar
  4. De vez em quando gosto de publicar comentários de perfeitos atrasados mentais. Como o do anónimo das 15:25. Acho que é importante que se saiba que há gente desta à solta e capaz de andar em blogs a escrever coisas destas a alguém que não conhece de lado nenhum. De certeza que a sua mãe tem vergonha de ter criado um/a filho/a assim. Eu teria.

    ResponderEliminar
  5. Mas esta tudo doido?? que critiquem que nao gostem, agora misturar coisas como as que sao ditas no final da frase, acho demias
    Falo pk perdi toda a minha familia mt cedo sou orfa de pai e mae desde os oito anos e nao tenho ninguem nesta vida, acho k é de muito mau gosto o k escreveram.

    Liliana
    liliana_alexandra1@sapo.pt

    ResponderEliminar
  6. Sabes o que era realmente engraçado?? Era se por acaso essa composição fosse sobre o teu marido, era o maximo.

    Liliana

    ResponderEliminar
  7. o comentário deste anónimo era suficiente para eu vomitar uma semana seguida. sem parar.

    ResponderEliminar
  8. Liliana, se a composição fosse sobre o meu marido quando ele tinha 12 anos (que foi a idade com que escrevi esta composição) tinha, obviamente, muita graça. E ficaria a rir durante duas horas. As simple as that. Mas porquê, o Diogo é o seu marido?

    ResponderEliminar
  9. Há gente tão cruel. Pensar assim já é execrável, verbalizar é simplesmente assustador. Tenho medo destas pessoas... Não consigo imaginar a nojo que é ler coisas destas. Imagino que dê vontade de desistir de tal exposição. Mas que seja só por uns segundos. Não são pipoca-addicted, não concordo com tudo o que dizes/fazes, mas venho cá porque quero. E quero continuar a ter onde vir!

    Parabéns pelo cantinho,
    Ana

    ResponderEliminar
  10. Existem pessoas muito estúpidas e sem nada para fazer como esse anónimo das 15:25.

    Pipoca não ligues, não passam de comentários idiotas e que não merecem a tua atenção, nem a tua nem a de ninguem.

    ResponderEliminar
  11. Hoje nao fizes-te a crónica "Hoje deu-me para isto " =(

    ResponderEliminar
  12. Engraçado, eu também escrevi algo semelhante mas sobre uma colega minha que era deficiente e chamava-se Maria Clara.
    Coitada!

    ResponderEliminar
  13. Existe uma coisa que não percebo, se mete nojo, se é má e tudo isso, porque motivo se dão ao trabalho de cá vir??? Hum???

    Ah já sei, falta do que fazer e a única felicidade nas suas vidas é espezinhar os outros.

    Beijinhos ao anónimo que tem falta de amor e agora vai ter 500 mil comentários a cair-lhe :p

    Gila

    ResponderEliminar
  14. De facto, extremamente lamentável o que foi dito por alguém que nem tem a coragem de dar a cara ou o nome para proferir tais palavras. Nem toda a gente tem de gostar de nós, mas há formas e formas de se discutir o assunto. Se essa pessoa te conhece para dizer o que disse, devia tratar disso em particular, não publicamente.
    Que existe gente que é pura escumalha, disso não há dúvida e não vão mudar, mas ao menos podiam ter alguma dignidade e nível para discutir o que supostamente os incomoda.

    ResponderEliminar
  15. Se a Pipoca escrevesse sobre o marido, quando ele tinha 12 anos, provavelmente diria que era um bocadinho cromo, que tinha dentes de coelho (melhor seria se estivesse a usar aparelho), que andava sempre com uma bola debaixo do braço, suado, que usava joelheiras nas calças de ganga para esconder os buracos, que se usava fato de treino cinco vezes por semana, que era baixo e que tinha cabelo de totó. Mas agora que penso nisso, acho que todos os putos da minha escola eram assim. Aos 12 anos, em 1988, não era suposto ser-se assim?

    ResponderEliminar
  16. Anónimo das 15:25, INTERNE-SE! E já que vem aqui ao blog da Pipoca ouça mas é um pouco de música, veja umas fotos.. distraia-se um pouco, pode ser que a nuvenzinha negra que o assombra se dissipe um pouco... Pipoca...mais um triste...m'ar de beijinhos!

    ResponderEliminar
  17. Estou chocada com a capacidade que as pessoas têm para dizerem coisas destas. Enfim, Pipoca!

    ResponderEliminar
  18. Que bem que soube esta pausa no trabalho (um dia terrível...). Ri muito com a composição. É muito engraçado ler coisas que escrevemos há anos sobre determinadas pessoas.

    Qual é o problema se fosse o marido? O meu marido foi meu professor e no primeiro dia de aulas eu e uma amiga escrevemos bilhetes e mais bilhetes na aula dele, sobre ele! Ainda hoje me rio! Os filhos vão amar daqui a uns anos.

    E um pouco de sentido de humor, não?

    Maria

    ResponderEliminar
  19. Ai, o que me fizeste lembrar!!
    Eu também fiz uma destas para o meu pai!

    ResponderEliminar
  20. Ola pipoca!
    por varias vezes que queria escrever mas achei que n me devia meter no teu blog, pois é teu...
    Primeiro foi a parvoice dos exames do 12° Ano que me fez pensar que quem le o teu blog nunca deve ter ido para a faculdade senao sabia que la ninguem prepara nada nas aulinhas para os meninos e nos exames pode sair tudo,do programa ou nao! dou-te toda a razao! (a proposito n posso por acentos pk o meu teclado é frances, ops).
    Depois foi a historia da bicicleta, quase que te matavam porque andas a 200km/h nos passeios (LOL) eu ando sempre e ninguem me vai apanhar nas ruas!!!
    O comentario de hoje matou-me e fez-me comentar!
    A pobre pipoca arranjou um textinho fofo de "pikena", teve a paciencia de o escrever aqui e ainda vem um/a cromo/a falar do irmao dela! Ha gentinha sem moral nenhuma!
    Pipoca adorei como adoro tudo aqui!
    :D
    U rock

    ResponderEliminar
  21. O post está engraçado e não tem mal nenhum, anónimo das 15:25.
    O texto foi escrito por uma criança de 12 anos e, é verdade, publicado por uma mulher de 30, mas não vejo onde é que o Diogo se pode sentir melindrado com isto. Isso só acontece se ele continuar um rapazinho imaturo de 12 anos. Caso contrário, também achará piada a isto. Sabe, a capacidade de rirmos de nós próprios é uma grande virtude?
    Felizmente, nós mudamos muito desde a adolescência e, com certeza, o Digo não será hoje igual ao que era há tantos anos atrás. Se ele ler este post, provavelmente, vai achar piada a isto. Por que não?
    Eu ainda guardo uma composição parecida com esta, com a diferença que tínhamos de nos descrever a nós próprios e mencionar as alcunhas pelas quais os nossos colegas nos tratavam e dizer se concordávamos ou não (que exercício duro para se fazer aos 10 anos!). Anónimo, nesse texto eu refiro-me a mim mais ou menos como a Pipoca fala do Diogo. Usava óculos e isso era um grande motivo de gozo. Agora desafio os meus ex-colegas a gozarem com os meus olhos! (Lindos, deixe-me que lhe diga!)
    É triste que existam pessoas com tão má índole. Mas, se calhar, caro anónimo das 15:25, o seu problema é que continuam tão perdido/gozado/feio/inseguro como era aos 12 anos de idade.

    ResponderEliminar
  22. Oh, "pessoazinha" das 15h25, dedique-se à pesca, pode ser? Irra!

    Maura

    ResponderEliminar
  23. Um dia vou querer um anónimo só para mim. Olá se vou!

    ResponderEliminar
  24. Não houve, na minha modesta opinião, objectivo nenhum em por isto aqui Pipoca. Se eu fosse o Diogo não gostaria.

    ResponderEliminar
  25. nao pipoca o diogo nao é meu marido, ia achar graça mas nem conheço.

    nao tenho ninguem nesta vida e custa mt ver o escreveram

    bjs

    liliana

    ResponderEliminar
  26. ao anónimo: Fico chocada com a crueldade de algumas pessoas.... chocada!

    Pipoca parabéns por teres a capacidade de rir de ti própria e de partilhares isso connosco.

    S.

    ResponderEliminar
  27. Ao ler isto lembrei-me que no outro dia também andei a vasculhar no fundo do baú e deparei-me com uma composição do 6ª ano em que dizia "da 4ª classe para o 5º ano obtive um grande crescimento interior". Fiquei chocada com o meu grau de maturidade! Ehehe :)
    Adorei ler a tua composição, está espelhada nela honestidade, poder de observação e analise e personalidade - eu no 7º ano era capaz de pensar o mesmo, mas incapaz de o escrever/verbalizar. Imagino que 90% das pessoas são incapazes de o fazer mesmo aos 20, 30, 40, 50 anos... Para além de que eu era muito mázinha na altura e provavelmente seria eu que descriminaria o Diogo e ficava de bico calado, ao contrário de ti que te limitaste a analisar, mesmo com tenra idade. Gostei!!! :)

    ResponderEliminar
  28. Ó anónimo das 15:25...você é um CANCRO! Se não gosta não venha para aqui!

    Pipoca você é um máximo! Por favor, não pare nunca de despejar aqui o que lhe apetecer pois eu agradeço! O seu blog faz-me bem!

    Sandra

    P.S.:Aqui entre nós...se calhar o anónimo das 15:25 é o Diogo!

    ResponderEliminar
  29. Como eu gostava que um dia as pessoas deixassem de criticar os outros so pk nao sao capazes de ser assim e em vez disso passasem a amar-se como semelhantes.

    Seriamos mais felizes.

    Se alguem por aki souber onde se pode encontrar um pouco de amizade so k seja diga pk nem isso me resta

    Liliana
    liliana_alexandra1@sapo.pt

    ResponderEliminar
  30. Li agora "o tal comentário" e fiquei triste... A este anónimo deve ser difícil conviver consigo próprio, com tanto rancor, ódio, inveja... Esses sentimentos negativos pesam e corroem por dentro, mas como nada é permanente, e aos poucos tudo se transforma em serenidade e amor e paz, um dia vai sentir-se pleno. :-) É a única coisa que tenho para dizer e a única coisa que sinto ao ler coisas destas é pena e tristeza. HAJA ALEGRIA. :)

    ResponderEliminar
  31. "Hoje nao fizes-te a crónica "Hoje deu-me para isto ". Mas isto continua? Ninguém aprende a escrever?
    E relativamente ao anónimo que fala mal do texto, de facto, também não concordo que se tenha colocado isto aqui, não faz sentido. Mas a última frase do anónimo cai muito mal.
    A Sandra das 17:17 também é um bocado parva. Não utilize a palavra cancro em vão, certo? Ainda não lhe bateu à porta pois não?

    ResponderEliminar
  32. Ao anónimo das 15:25:
    Se achas que a Pipoca é uma pessoa má por ter publicado o que publicou e ainda ter orgulho nisso, o que faz de ti quando escreves-te "À tua mãe morreu-lhe o filho errado"???hum!?? Serzinho humano desprezível e cruel, talvez.
    Tanto ódio para quê, só te faz uma pessoa má e infeliz.
    A vida é curta, sê feliz.

    Pipoca tudo de bom.

    Mónica

    ResponderEliminar
  33. Muita engraçada esse tua composição pipoca. é bom ler estes textos do tempo da nossa inocência, en que não existem maldades apenas pura e linda ingenuidade.

    ResponderEliminar
  34. Olá,
    achei engraçado retomar esse texto, mas pouco adequado para publicar. Há pessoas que podem conhecer o Diogo, como eu, por acaso. E é muito desagradável estar exposto desta forma. Não acho que isso justifique calúnias ou falta de educação como o seu anónimo, mas a Ana Garcia Martins sabe que é uma mulher inteligente e concerteza vai perceber que foi um pouco além ao expor o nome da pessoa.

    ResponderEliminar
  35. SANTA PACIENCIA!
    oh pipoca espero que o blog te dê alguma "rentabilidade" porque bolas, se fosse apenas por gozo já há muito que teria deixado de escrever no teu lugar. cambada de parvos. chiça.
    nem me saem melhores palavras.
    e nao costumo comentar, e nem sempre acho graça ao que escreves mas acho mtas vezes e bolas, que há gente mesmo estupida!!!!! (ps: já agora aproveito para dizer - não que tenha qq interesse para o caso, mas "já agora"... - está muito bem escrito, para a idade, sem erros e via-se já o jeitinho para a coisa (aka escrita)!! ;)

    ResponderEliminar
  36. Quem aqui vem é porque gosta muito de ler a Pipoca. Caso contrário teriam outras coisas para ler ou fazer, não? Custa-me assistir a este descambar de comentários insultuosos de anónimos. Será inveja, desdém, azedice? Têm 2 soluções:
    1)se estão de férias aproveitem-nas! (para o ano podem não as ter)
    2)se já regressaram ao trabalho, alegrem-se (há muita gente sem emprego que gostaria tanto de estar no vosso lugar!)

    ResponderEliminar
  37. Mas se não gostam da Pipoca pq perdem tempo a vir aqui?!... ainda por cima gente parva... já li muita coisa em comentários, mas este é demasiado cruel...bolas!! é mesmo inconsciência!

    Maria Costa

    ResponderEliminar
  38. "À tua mãe morreu-lhe o filho errado"...como é que é possivel alguém escrever, PENSAR, uma coisa destas?

    A maldade das pessoas cada vez me assusta mais.

    Isabel

    ResponderEliminar
  39. Epah o anónimo das 15.25 de certeza que foi muito gozado na escola...
    Tenho muita pena de ti... és um infeliz!
    Não vejo maldade nenhuma neste post, ''vejo'' sim a ingenuidade de uma criança de 12 anos a descrever uma colega e que já demonstra aptidão para a escrita.

    ResponderEliminar
  40. Não vou falar do comentário do anónimo de que se fala, mas tão só pegar no comentário, tantas vezes repetido por aqui:
    "Existe uma coisa que não percebo, se mete nojo, se é má e tudo isso, porque motivo se dão ao trabalho de cá vir??? Hum???"
    As pessoas podem visitar blogues, ler livros de autores, ver filmes, etc. com os quais discordam ou não? Atenção, é óbvio que o comentário em causa foi infeliz; agora, quando se faz um comentário em que uma pessoa se demarca da posição da autora (de uma forma equilibrada, construtiva, etc.), que mal há nisso? É que aparece logo aqui muita gente que, quais psicanalistas, encontram logo uma razão para tal discordância: inveja (fosse o mundo a preto e branco...e todos infelizes). Além disso, também acontece aqui que a autora do blogue não é um ser imaculado, que usa sempre um discurso politicamente correcto, ético, etc. Manifesta as suas opiniões, com mais ou menos humor, com mais ou menos ironia, com mais ou menos arrogância e vedetismo, com mais ou menos simplicidade (mais raro) e esse é um direito que lhe assiste. Agora também os leitores têm o direito de decidir a posição que tomar em relação a isso.
    Felizmente há diversidade de opiniões, diversidades de personalidades. Perder o sentido crítico na forma como nos posicionamos na sociedade equivale a tornarmo-nos rebanhos.

    p.s. gostava de ver aqui este comentário publicado, uma vez que não fui incorrecto.

    J.

    ResponderEliminar
  41. "À tua mãe morreu-lhe o filho errado"... parece-me óbvio q a Pipoca é que é má... e pelos vistos é má desde o 7º ano... já este anónimo das 15:15 não... este anónimo é um docinho... daqueles com um licor bem amargo lá dentro!!!

    Parece q há pessoas que não sabem o q é ser-se realmente mau e cruel... caramba... por mto q odiasse uma pessoa era incapaz de lhe dizer uma coisa na destas!!!

    ResponderEliminar
  42. Acham isto mostrar talento para a escrita!?
    É uma composiçao normalissima escrita por alguem de 12 anos. Normalissima. Não revela talento algum a nao ser capacidade para criticar pessoas.

    ResponderEliminar
  43. Às vezes há coisas que, por se terem passado há que anos, podem parecer insignificantes. Mas se calhar para ele ainda és "aquela parvalhona que escreveu uma composição pouco simpática sobre mim". Pode ter sido no 7º ano, mas acaba por ser a primeira e única impressão que tem de ti. Mas se é teu antigo colega, acho que é sempre tempo de ir dizer um olá e pedir desculpa pela composição, até desvalorizando a coisa :)

    ResponderEliminar
  44. Realmente a composição é mázinha, há miúdos bem cruéis mas muda-se quando se cresce e ao olhar para estas pérolas só dá vontade de rir. Acho que todos enquanto crianças e adolescentes tivemos destas tiradas - não são motivo de orgulho mas dá para rir. Acho que a Pipoca tentou fazer-nos rir ao partilhar esta sua composição mázinha, que ela reconhece ser mázinha. Não há razão para se desejar a morte a ninguém ( a não ser que o anónimo seja o Diogo, vá).

    ResponderEliminar
  45. Meu Deus! já li muita parvoíce por aqui, mas aquele comentário do anónimo deixou-me parva! Mas como é possível alguém dizer semelhante barbaridade?!

    Pipoca! essa composição está qualquer coisa.. ahahah muito me ri :D

    ResponderEliminar
  46. Mas esta gente tá toda louca?
    Há anónimos muito estupidos e outros nem tão anónimos assim que não devem saber o que são realmente problemas na vida! Mais, infelizmente ou felizmente, não sabem o que é perder um irmão, ou qualquer outro ente mais chegado!
    Pessoas sem escrupulos...
    Tenho a certeza que o Diogo, se ler este post, até vai achar piada!
    Mais ainda... podia ser o Diogo, o Manuel, ou o Francisco!!
    Quantas "Marias" há na terra?
    Credo! Mas porque é que esta gente anda tão melindrada?
    Vão soltar essas raivas para um ginásio!!
    Vão dar uns socos num saco de areia!
    Bolas....

    ResponderEliminar
  47. Peço desculpa á CAP CREUS por ter utilizado a palavra cancro mas foi algo que me saiu...não volta a acontecer. E por acaso e infelizmente já me bateu á porta!

    Sandra

    ResponderEliminar
  48. Vou abrir uma banca e vender ansioliticos à malta!!

    ResponderEliminar
  49. Eu tinha medo de andar na rua depois de ler estes comentários.
    Cambada de anormais politicamente correctos.

    ResponderEliminar
  50. Pipoca realmente há pessoas muitoooo tristes e pobres de espírito!

    Eu imploro que volte a rubrica: "Blog, blog meu, haverá comentador mais parvo que o meu???"
    Com tanta gente má que anda por aí acho que merecemos umas boas gargalhadas à custa deles!

    ResponderEliminar
  51. Bem eu tambem nao acho a composiçao nada de especial mas não veo onde isso possa estar relacionado com a morte de um filho! Acho que foi um comentario porque desagravel, feito por alguem que nao tem moral nenhuma para falar de crueldade, para um pai nunca é um filho errado o que morre ou o que vive.. agora gente que faz comentarios do genero certamente leva os pais a pensarem se sera certo ter tido aquele filho, que se tornou um coitadinho que critica e chama alguem de mau sem ter noção da aberração que é.

    ResponderEliminar
  52. não gostei do texto da pipoca, nem do comentário do anónimo. roçam a vulgaridade e a maldade.

    ResponderEliminar
  53. Pipoca,
    muito sinceramente, acho que não devias ter publicado aquele comentário do anónimo das 15:25.
    Ainda assim, "Os cães ladram e a caravana passa."
    Boa semana.

    ResponderEliminar
  54. O Arrumadinho já tratou de se descrever na época, aos 12 anos. Relativamente a ti, já sabíamos que tinhas tomado o gosto da escrita. Agora seria engraçado... mas mesmo muito engraçado... se tu te descrevesses ou, melhor ainda, se possuísses a descrição que alguma alminha fez de ti!!! Era ou não era, Pipoca amiga!!

    Fazias as delicias dos teus pequenos póneis!!

    ResponderEliminar
  55. Pipoca pipoca, que paciência de santa que tu tens para aturar estas avestruzes, que mais não têm do que uma inveja maluca de ti. Também quem te manda ter roupa girissima? Quem te manda que qualquer trapinho te fique bem? Tens que entende que as pessoas têm que descarregar as suas frustrações em algum lado, e o eu blogue é o melhor local para isso! Why not? xD
    Quanto à tua composição acho-a simplesmente adorável, até porque quem não tem dessas coisinhas?

    ResponderEliminar
  56. Pipoca, não quer descrever a pipoquinha com 12 anos? Olhando para trás...como era a pipoquinha...a rainha lá do liceu...ou uma rata de biblioteca? :)

    ResponderEliminar
  57. Sim! Como seria a Pipoca aos 12 anos? Ah e lembrei-me agora (se não fosse pedir de mais) porque não anexar também uma foto (ao post)? Acho que seria O post!!

    Ficamos à espera!!

    ResponderEliminar
  58. Mais alguma coisinha? Boletim de vacinas, registo dentário, descritivo das notas...?

    ResponderEliminar
  59. Tudo o que quiseres, os teus pequenos póneis agradecem, Pipoca!!

    ResponderEliminar
  60. Pelo amor da Santa! A rapariga criou um blogue, dedica-lhe tempo e carinho...está mais que legitimada a publicar o que bem entender e lhe der na real gana!
    Eu achei piada, principalmente porque me senti transportada para os meus 12 anos, que, diga-se de passagem,ainda não estão muito longe...25 anos é uma idade simpática :)
    Quem gosta fica feliz, quem não gosta não lê, boa?
    Liberdade de expressão...
    E a modos que é só isto :)

    ResponderEliminar
  61. Por AMOR DA SANTA... Fica aqui o meu primeiro comentário neste blogue, que espreito de vez em quando, mesmo não gostando de todos os temas. Sr. Anónimo das 15.25, que deve ter nascido a escrever qual Pulitzer... GET A LIFE!

    ResponderEliminar
  62. Eu a pensar que no 7.º ano a pipoca era a santa protectora dos geeks, a alma caridosa dos introvertidos, o anjo da guarda dos anti-sociais e afinal era tão mazinha como qualquer miúda de 12 anos, daquelas que só tinha olhos para os lindinhos da turma e os que não obdecessem aos critérios de beleza e de popularidade mereciam ser tratados abaixo de zero...

    Calma, estou só a brincar. A verdade é que nessas idades qualquer motivo serve para chacota, e se bem que eu tenha sido muito alvo de chacota na escola também não era nenhum anjo e ocasionalmente também alinhava na troça alheia...

    Emfim, como tudo na vida, é crescer e aprender. Estou certo que se a pipoca soubesse na altura o que sabe agora, decerto que teria feito uma composição com mais compaixão e teria frisado que alguém que ensina crianças com problemas mentais é algo digno de ser louvor e não de troça.

    ResponderEliminar
  63. Falta de bom senso dá nisto!

    ResponderEliminar

Teorias absolutamente espectaculares

AddThis