Pub SAPO pushdown

terça-feira, maio 11, 2010
Há uns dois anos, quando estava a passar pelo maior desgosto de amor de todos os tempos, aquele que me estilhaçou o coração em dois milhões de pedaços, escrevi um texto em que dizia que não era feliz todos os dias. Não era e não fazia questão de o ser. Não tinha particular vontade de sair da cama, menos ainda de vir trabalhar, estar com pessoas, ensaiar conversas de circunstância quando tudo o que me apetecia era estar em silêncio. Não queria pôr cara alegre, porque alegre era tudo o que eu não me sentia. E havia quem levasse isso a peito, quem não estivesse habituado aos meus maus fígados, quem preferisse sempre a pessoa de resposta na língua e piada fácil. Pois. Não fui essa pessoa durante muito tempo e mesmo agora, olhando para trás, acho que alguma coisa se perdeu irremediavelmente. Ou isso ou fui eu que cresci e já não consigo olhar para a vida com o mesmo encantamento. A verdade é que continuo a não ser feliz todos os dias. E, quem disser que o é, só pode estar a querer camuflar qualquer coisa mais obscura. Casamentos, namoros, relações, seja lá de que género, dão trabalho. Sobretudo quando se acredita e se quer que as coisas funcionem. Quando nos estamos a lixar, aí todos os dias são felizes e despreocupados. Quando queremos saber, é lixado. Porque não deixa de haver a vontade de andar aos berros durante uma semana, não deixa de haver a vontade de enfiar a vida inteira nas malas, não deixa de haver a vontade de mandar tudo ao ar. Mas desistir, desistir mesmo, é coisa que custa. Porque por mais berros que se dêem, por maior que seja a vontade de voltar costas e deixar o outro a papaguear sozinho, quando se gosta respira-se fundo. Conta-se até 320. Faz-se um esforço de memória para relembrar só que é bom. E, sobretudo, sabe-se que o dia seguinte será sempre melhor, mesmo que à noite haja palavras tortas e costas voltadas. Sou feliz muitas vezes, quase sempre, mas não sou feliz todos os dias. E sim, às vezes é tamanha a embirração, tamanha a ira, tamanha a falta de paciência para o que não é bom, que dá mesmo vontade de atirar pratos ao chão e gritar "FARTEI-ME!". Nunca parti pratos, já me fartei algumas vezes. Mas nunca as suficientes para bater com a porta de vez. Fica só ali ligeiramente encostada até que um tenha a presença de espírito suficiente para a abir outra vez. Não sou sempre eu, é verdade, mas às vezes sou. Se não forem dois a ceder, de forma alternada ou ao mesmo tempo, a relação tem os dias contados. Sou magnânime nas discussões (estúpida, é a palavra), mas sou mais ainda na forma como as relevo. Como as procuro esquecer a bem da alegria geral. E nem sempre falar sobre tudo é o melhor. Dissecar cada pormenor, cada palavra, às vezes só contribui para o prolongamento da coisa, para mais um round de frases tortas, daquelas que saem da boca sem filtragem. Tantas e tantas vezes já dei por mim a dizer coisas fortes, a saber que estava a esticar a corda até aos limites do impossível. Da outra parte faz-se o mesmo, sem dó nem piedade, que nisto das palavras inconsequentes, daquelas que chegam a cem à hora, em formato seta, não sou só eu que tenho mérito. Quase sempre prefiro um abraço a uma conversa. Os efeitos tendem a ser mais imediatos e apaziguadores.
As relações não são fáceis, ser feliz todos os dias também não. É um investimento, uma aposta constante, um esforço. Sim, sim, sim, um esforço, digam lá o que disserem. Para que tudo corra pelo melhor, para que a felicidade impere a maior parte do tempo, para que se engulam alguns sapos, para que se aceitem algumas injustiças, para ouvir coisas boas e outras que nos partem ao meio de tão más e tão ingratas. Quando não há esforço há conformismo, e esse é o primeiro passo para o fim, para os muitos e muitos dias (meses, anos) de infelicidade total. Não faço ideia se me vai apetecer esforçar para sempre (nem acredito que alguém saiba) e já cá ando há tempo suficiente para saber que o "para sempre" é, tantas vezes, um "até que dê". E, sinceramente, mais vale um "até que dê" em pleno do que um "para sempre" miserável. Dizer que tudo são rosas é que é uma grande mentira. E vocês sabem que sim.

133 comentários:

  1. Gosto do que escreves, tanto que sou leitora assídua, porém nunca me identifiquei tanto com um texto teu. Está simplesmente brilhante =)

    Beijinhos, Jessy

    ResponderEliminar
  2. Como diria o Pedro Paixão...
    Ser feliz todos os dias cansa.

    Gostei do que li.

    ResponderEliminar
  3. Concordo plenamente, às vezes é difícil esquecer algumas palavras mais dolorosas mas moer no assunto constantemente é a morte do artista. É necessário estar sempre a moldar uma relação e por vezes, é difícil sim senhores.

    ResponderEliminar
  4. Muito bom, e verdadeiro. As relações não são fáceis, mas com jeitinho e muita paciência de lado a lado, vão durando. Tendo sempre a noção que os momentos felizes foram em maior número que os menos felizes.
    Gosto de ti, não te conheço mas és boa gente.

    ResponderEliminar
  5. Adore este textinho Pipoca ! Adoro as outras coisinhas que escreves (e que não deixam de ser adoráveis), mas este está especialmente muito agradável. Gostei ;)

    Quem é que é feliz todos os dias hum?! (Quem consome drogas e álcool não conta.. e os despreocupados também não)

    Beijinho

    ResponderEliminar
  6. Puxa Pipoca, não estou habituada a ler palavras tão sérias da tua parte. Nem costumo comentar, costumo ler, sorrir, e avançar. Mas hoje, tenho de dizer, que adorei o que li. Não pelas palavras certas no sitio certo, que já á usual. Nem pela essência, mais do que badalada. Mas pelo sentimento implícito. Toma lá sorrisos da Mulher que diz que não chora:)):))

    ResponderEliminar
  7. Força pipoquinha :)
    Sofia

    ResponderEliminar
  8. É mesmo isso pipoca! E este teu texto aplica-se não só às relações como a tudo na vida. Dizer que tudo são rosas, pois, já foi tempo disso. As pessoas têm medo de ser julgadas e pronto, está sempre tudo bem, os seus maridos são maravilhos e os seus bebés uns santos....

    ResponderEliminar
  9. Sou leitora já à bastante tempo, mas hoje não podia deixar de comentar.
    Podia ter sido eu a escrever isso, não posso com a hipocrisia de namorados perfeitos e relações perfeitas onde é tudo lindo e fantástico. A realidade não é assim e concordo contigo se não existir esforço e se engolir uns sapos de quando em vez acaba por não resultar.
    O "para sempre" é o "até um dia" e não mais que isso.

    Bjs,

    Cat

    ResponderEliminar
  10. Parabéns, conseguiu transpor para palavras aquilo que tantas vezes sinto e não consigo....
    Brilhante!

    ResponderEliminar
  11. Oh pipoca!!! Com esse post tornas te o meu dia um bocadinho melhor =P

    ResponderEliminar
  12. Mil vezes essa sinceridade acutilante do que a paz podre em que tanta gente vive e que confunde com felicidade ou amor. Há pessoas que vivem tanto tempo mergulhadas em aparências e no comodismo que perde o espírito crítico e a noção de que já nem é feliz!

    ResponderEliminar
  13. Não há dúvida de que as relações não são fáceis e que muitas vezes é necessário um esforço para lembrar o que é bom, a razão de estarmos juntos. Mas os momentos menos bons também fazem parte, daí termos de nos empenhar tantas vezes para as coisas chegarem a bom porto.
    Como não quero uma vida miserável, investirei no meu casamento "até que dê", mas espero que dê "para sempre".

    ResponderEliminar
  14. Magnifico texto.
    As relações dão trabalho, é preciso não desistir à primeira.

    ResponderEliminar
  15. As tuas palavras não podiam estar mais certas. Eu nunca pensei nos trabalhos que uma relação dá até ter de passar por eles. E desconfio piamente das pessoas que dizem ter relações em que está sempre tudo bem, que têm certezas de que é para sempre e que nunca discutem. Simplesmente é anti-natura ser assim!

    ResponderEliminar
  16. Ena! Já faltava um texto destes! Tens toda a razão.

    ResponderEliminar
  17. É isso mesmo. A tudo isto chama-se vida e viver. Importante é procurar a felicidade no nosso interior.

    ResponderEliminar
  18. Obrigada pipoca.

    Estava a precisar que alguém me explicasse, assim como se fosse muito burra (que se calhar sou, não todos os dias, mas alguns).

    Beijinho aí, queremos mais destes...

    ResponderEliminar
  19. Amei o texto, simplesmente lindo.
    É muito dificil continuar a tentar ser feliz, então quando chegam as crianças e os 10 anos de relação, entramos numa espiral, onde dou por mim a pensar muitas vezes...Calma, pensa no que gostas dele? Ainda gostas dele? e isso faz-me avançar para o dia seguinte.
    Na podemos desistir na primeira discussão, mas não podemos viver na discussão...
    Beijinhos
    Ana

    ResponderEliminar
  20. Se fosse eu o destinatário deste post eu leria "Eu quero estar aqui. Quero muito ficar. Deus sabe que tento fazer dar o meu melhor." E haveria de fechar os olhos e ir deitar-me um bocadinho, que eu quando me comovo, comovo-me com o corpo todo...
    Beijo e que sejas feliz! Sempre que dê!

    ResponderEliminar
  21. Muito verdadeiro. Parabens pela clareza de espirito!

    ResponderEliminar
  22. Que seja eterno enquanto dure, já dizia aquele gajo...;)

    ResponderEliminar
  23. Olá,

    Não é a 1ª vez que leio o que escreves. Confesso que nem sempre concordo com tudo, mas desta vez, poderia ter sido eu a escrever este post, mas concerteza que não ficaria tão bem escrito.

    Belo post.
    Paula

    ResponderEliminar
  24. Já te leio há bastante tempo. Nunca comentei. Se às vezes não concordo contigo, neste texto parece que estavas a escrever para mim. A sério.
    Tá aqui tudo, tudo o que eu acredito e tudo aquilo que tenho tentado relembrar a mim mesma nestes últimos dias em que a minha relação está a passar por um momento mais cinzento.
    Mesmo não te conhecendo pessoalmente, nem tu a mim, obrigado pelas tuas palavras. Gostei mesmo.

    E agora vou voltar às minhas palavras porque partilhamos a mesma profissão e hoje estava em branca total!

    J

    ResponderEliminar
  25. Anónimo do Marquês11 maio, 2010 14:22

    São os momentos mais tristes ou a reflexão sobre os mesmos que nos fazem escrever as coisas mais belas e sentidas. São palavras que manifestam a nossa vontade visceral e que espoletam um arrepio na espinha de quem lê. E apesar de cliché são estas variações de humor que dão o sentido à vida, que nos fazem esperar por um dia melhor, um dia em que sejamos verdadeiramente felizes, aquele momento eterno pelo qual ansiamos e o qual tememos que nunca chegue.

    Post soberbo! Felicidades...

    ResponderEliminar
  26. Olá Pipoca! Leio-te, sigo-te aqui, como muitos e muitos todos os dias, ás vezes gosto do que escreves, outras vezes não, que isto de agradar a gregos e a troianos nem o papa. Mas devo dizer-te que quando mais gosto de te ler, não é quando rodas a baiana e mostras a mulher com a resposta torta ali na ponta da lingua, que já passou por muito (pelo que leio aqui), embora escrevas de uma forma com que muito me identifico e à qual acho toneladas de graça. Quando gosto mais de te ler é quando mostras este teu lado, comum, simples, verdadeiro, sincero.
    E se ontem não gostei nada da piadola da paciência, hoje gostei muito de te ler (E dizes tu: Yah que bom para ti! Nem sabes como isso me deixa extasiante!)
    Desejo-te dias de felicidade ;)
    Beijo
    ME

    ResponderEliminar
  27. Desta vez tive que comentar!Acho que toda a gente se identificou com o que escreveste.

    Isso de preferires um abraço a conversa costuma ser mais típico dos homens não é =p?

    Eu preferia ser assim, mas gosto de deixar tudo bem resolvidinho para tentar que não se repita, pelo menos pelos mesmos assuntos (porque obviamente vão sempre surgir mais discussões). As mulheres às vezes são mesmo chatas =p!

    ResponderEliminar
  28. So true. Cada palavrinha. Disseste tudo. Tudo. Há dias que só apetece sair porta fora e largar tudo, desaparecer. Mas depois passa e vem a maré de rosas, não o mar...até à próxima crise.

    ResponderEliminar
  29. Já dizia alguém:
    "Aprendi que o para sempre, sempre acaba e o nunca mais nunca se cumpre...que me vou surpreender seja com os outros ou comigo, que vou cair e levantar-me milhões de vezes e ainda não vou ter aprendido tudo..."
    Muito bonito e verdadeiro o teu texto, leio-te muito de vez em quando ;-)mas quando esse de vez em quando acontece consegues surpreender-me pela positiva, ora irónica e humorada, ora mais verdadeira e sentimentalista, gostei!
    Bj e Felicidades para ti Ana, que é como quem diz Pipoca pós amigos ;-).

    ResponderEliminar
  30. Um texto bastante interessante! Gostei :)

    Concordo especialmente com este trecho:
    «As relações não são fáceis, ser feliz todos os dias também não. É um investimento, uma aposta constante, um esforço. Sim, sim, sim, um esforço, digam lá o que disserem. Para que tudo corra pelo melhor, para que a felicidade impere a maior parte do tempo, para que se engulam alguns sapos, para que se aceitem algumas injustiças, para ouvir coisas boas e outras que nos partem ao meio de tão más e tão ingratas. Quando não há esforço há conformismo, e esse é o primeiro passo para o fim, para os muitos e muitos dias (meses, anos) de infelicidade total.»

    ResponderEliminar
  31. É mesmo Pipoca!
    Ser feliz e amar passa mesmo por ter essa atitude perante a vida!

    Tem de haver equilíbrio!

    Quando aqui venho e não concordo plenamente com o que vejo... encosto a porta e venho ver como estão as coisas mais tarde. Sem agressões.
    Mas devo dizer que concordo em 95% das vezes! :D

    Apesar de nem sempre concordar contigo... respeito-te!

    Olha... desejo que sejas feliz em maior parte dos dias! Nos outros.... encosta a porta e volta mais tarde!

    beijiones

    ResponderEliminar
  32. Gostei muito de ler e concordo!

    Beijinhos,
    Sofia

    ResponderEliminar
  33. fogo pipoca, é mesmo raro comentar o blogue, até quando me parto a rir com algumas coisas, até quando gosto do que escreves.. mas este tocou-me de uma forma particular. é mesmo assim, não mudava uma única palavra a este texto.

    ResponderEliminar
  34. sou apologista do "até sempre... enquanto dura!" acho que esta deve ser a postura...
    terminei uma relação há pouco tempo, relação curta que deixou marcas mais profundas que na altura do fim não podia imaginar.. hoje estou de baixa e divido o meu tempo entre drunfos, choro e sono... algum dia hei-de despertar para um dia melhor! algum dia hei-de levantar o rabo desta cadeira onde me sento a ver a minha vida a passar! continuo a acreditar, e isso é importante! adorei o post, identifiquei-me com ele! és brilhante!

    ResponderEliminar
  35. Olá Pipoca,
    Já ando por cá à tempo suficiente para concordar com estas tuas palavras.
    Efectivamente o caminhar a dois é mesmo difícil...e, a felicidade, habilmente conduzida pelos humanos, não nos acompanha todos os dias.
    Ando numa fase má. Estou quase no ponto do conformismo. Mas tento, ainda, esforçar-me em encontrar o meu equilíbrio e, o da minha companheira.
    Sou diferente de ti em uma coisa...talvez por ser homem, as palavras tranquilizam-me mais que um abraço. Este, quando acontece... parece que deitamos os assuntos para longe...gosto de dissecar tudo na hora.
    Quando leio os teus artigos, no blog ou em outras publicações, pareces mais fútil...não o és...PARABENS e, já agora para o felizardo também.
    Bjo.

    ResponderEliminar
  36. gostei, sim senhora !

    ResponderEliminar
  37. Adorei! mt bom! Obrigada!:)

    "perdeu irremediavelmente." há pouco tempo coloquei exactamente essa expressão num e-mail de despedida q enviei. :) brutal, como as palavras são simples. ha coisas q so se podem dizer de uma maneira. (ponto)

    bj gde

    Catia

    ResponderEliminar
  38. Amei o texto, Pipoca. Quer pela forma, quer pelo conteúdo. É um privilégio aceder à riqueza de um texto como este, assim, de forma gratuita. Gostava muito que os casais com quem trabalho pudessem rever-se nestas palavras e invejo, sinceramente, a forma sublime como escreves. Um beijinho.

    ResponderEliminar
  39. Este texto podia ter sido escrito por mim (se tivesse o teu talento).
    Mas já cheguei à conclusão que são estes momentos menos bons que nos permitem saber se esta é mesmo a pessoa com quem (ainda e apesar de) queremos estar.
    Força aí Pipoca.
    Beijos.

    ResponderEliminar
  40. Estou arrepiada, estou emocionada, estou a chorar de alivio, sinto-me leve, muito leve mesmo.
    Não tens noção de como precisava de ler este texto neste dia, nesta hora em que parece que está tudo muito cinzento.

    Obrigada do fundo do coração!

    Desejo que Deus abençoe e ilumine sempre a tua vida.
    Beijos
    Marisa

    ResponderEliminar
  41. "As relações não são fáceis, ser feliz todos os dias também não. É um investimento, uma aposta constante, um esforço. Sim, sim, sim, um esforço, digam lá o que disserem. Para que tudo corra pelo melhor, para que a felicidade impere a maior parte do tempo, para que se engulam alguns sapos, para que se aceitem algumas injustiças, para ouvir coisas boas e outras que nos partem ao meio de tão más e tão ingratas."

    Perfeito.

    ResponderEliminar
  42. os momentos menos bons custam mais , pois...mas que disseste tudo ..disseste!

    ResponderEliminar
  43. Adoro o seu blog. Confesso que andava um pouco aziada com os comentários futebolísticos. Com este post voltou a admiração que tenho pelo que escreve. Por este texto se vê a pessoa humana e verdadeira por trás do blog.

    Beijinhos e felicidades!

    ResponderEliminar
  44. Gostei MESMO muito deste texto. Acabaste de "despir" uma relação saudável sem dó nem piedade. E gostei MUITO, porque a vida não é piedosa, é assim! :)

    ResponderEliminar
  45. Olá, Pipoca. Não podia estar mais de acordo. As relações são dificeis e dão trabalho, mas são os momentos dificeis que as fortalecem e se ultrapassarmos os maus momentos, somos capazes de ultrapassar tudo. Com muito amor, respeito, amizade e cumplicidade estou prestes a fazer 11 anos de casamento feliz (com altos e baixos) e um filho lindo de 10 anos que é a nossa razão de viver. Não desistam e lutem todos os dias, porque não podemos tomar nada por garantido!
    Beijinhos e continua a mimar-nos e a fazer-nos rir todos os dias!

    ResponderEliminar
  46. É por estes textos que nunca deixou de entrar no Pipoca Mais Doce. Porque ler isto é estar a ver-me a um espelho.
    E sem luta não valeria a pena andar aqui...
    E o melhor no meu da discussão acesa é pegar na mala e no carro e ir dar uma volta até os ânimos acalmarem... Umas horas mais tarde já o fogo está apenas em rescaldo e as pazes são a coisa mais produtiva que há depois de uma zanga... menos pelo é a fase em que já se consegue conversar de alguma forma... e fazer outras coisas.
    Mas olha, parabens mais uma vez. Será outro dos teus textos que faço questão de guardar.
    Um beijinho

    ResponderEliminar
  47. Sinto exactamente o mesmo que tu. Ao ler o teu texto, parecia estar a ver a minha vida a passar-me a frente.

    ResponderEliminar
  48. Olá pipoca,

    Este texto eu não podia deixar de comentar pois foi precisamente o teu texto de há 2 anos atrás, quando eu ainda nem conhecia o blog e andava a ver quem raio eras tu, que me fez continuar a seguir o teu blog. O texto de há 2 anos atrás, fez-me fazer um post num outro blog que tenho, muito meu, mto privado, mto anonimo onde falo precisamente desses sentimentos... porque me identifico TANTO com eles. Acho que no fundo, toda a gente porque tb acho que quem diz que é feliz todos os dias só pode estar a mentir... não se consegue. Eu tenho uma minha, que é a minha máxima... que é... eu não SOU feliz, mas nesta altura ESTOU feliz. Porque acho que felicidade não é um estado fisico mas um estado espiritual...e posso estar feliz neste momento e ao mesmo tempo saber que a felicidade é relativa e que no momento seguinte posso não estar... dizem que a vida é simples, nós é que a complicamos... é verdade, mas é uma complicaçao inevitável... amar é dificil, viver com outra pessoa é dificil... é preciso esforço sim... e nem sempre temos forças para esse esforço... às vezes a força falta... o para sempre hoje é muito dificil...não existe... ou é mto raro haver... até pode ser que seja, mas é melhor mesmo pensar... "até que dê". desculpa um coment. tao longo mas é um assunto que me toca bastante.

    Beijos

    Rita

    ResponderEliminar
  49. Belo post Pipoca!

    ResponderEliminar
  50. Eu leio isto e depois pergunto-me se os teus comentadores parvos não o lêem também, e se isto não é suficiente para perceberem que tu também és só e acima de tudo uma pessoa como qualquer outra... (com um nível de piada substancialmente acima da média, mas vá, apenas uma pessoa :P). Beijinho

    ResponderEliminar
  51. Costumo dizer "amo-te todos os dias mas não gosto de ti todos os dias, aliás há dias que nem te posso ver".Gosto muito do blog e viva o Benfica...ahhh o que me soube bem a vitória aqui a trabalhar em Brga. Beijos

    ResponderEliminar
  52. Eu não gosto de tudo o que escreve, tenho que admitir.
    Mas adorei este post.
    Foi um bom ensinamento. (:

    ResponderEliminar
  53. Gostei muito deste texto. Fiquei fascinada ao lê-lo e perceber que afinal não sou a unica a pensar às vezes "Estou farta", e a "bater com a porta".
    Este sábado aconteceu a "porta ficar encostada", e como também não somos de ficar chateados o resto do dia (felizmente!) a coisa resolveu-se passados 30 ou 40 minutos.

    ResponderEliminar
  54. Bom de ler. Melhor de pensar. Fantástico que o saibas antes do nó.

    ResponderEliminar
  55. Ser feliz dá trabalho...ai se dá!!!!
    Parabéns pelo texto e pela sinceridade dos teus sentimentos!
    beijinhos

    ResponderEliminar
  56. Sabes, ha tempos conversava com um amigo sobre as nossas relações: a minha e a dele.

    Ele tem uma, eu de momento não; ele invejava-me o facto de nao estar ligado a alguém, de fazer o que quero, de não ter chatices, discussões, desconfianças...

    Eu invejo-lhe precisamente isso. Prefiro o esforço, a andar simplesmente sem me preocupar...

    =)

    Um beijo e parabéns por tentares ser feliz ;)

    ResponderEliminar
  57. Já agora pipoca quero dizer o seguinte, fala alguém que já está numa relação de 10 anos.

    NUma relação temos que nos mentalizar de uma coisa. A paixão não é eterna essa passa e é quando passa que a coisa se complica. Não quero cair no lugar comum e dizer que tem que haver muito respeito, amizade, entrega etc etc mas digo porque é isso mesmo. Tem que haver cedencias de AMBAS as partes. Com base no respeito, amizade cumplicidades que se vão criando e outras coisas, surge o Amor. E o amor é uma construcção diária e só dura se quisermos(os dois) que dure.

    Beijo
    Sofia(Flor)

    ResponderEliminar
  58. é mesmo assim...ninguém é feliz um dia inteiro, numa relaçao. estou casada á 12 anos, namorei 6, só conheci este homem...e trabalho com ele...somos felizes, temos duas filhas e ainda o amo ao fim deste tempo todo e ele a mim...
    não estarás tu a confundir a fase do fim do encantamento e o medo da aproximaçao do casamento e suar te a rotina? Cheira-me que estás a ficar com medo...eu se fosse tu com toda essa independencia que tu tens continuava assim solteira e feliz...pelo menos por uns tempos...desculpa estar te a dizer isto mas uma relaçao nao se baseia só nos presentes que queremos receber. Nunca vais conseguir mudar a outra pessoa por mais q penses q melhora. Os defeitos, as coisas q nao gostas no outro só se vao realçar, acentuar e ou se aprende a viver com isso, a dois o entao está tudo estragado. Ninguem muda mesmo isso garanto te. beijinhos e força

    ResponderEliminar
  59. Oi
    Leio o teu blog já algum tempo sem nunca ter comentádo.

    Tb me identifico bastante com este texto que escreveste e sinceramente tb pensei q era só eu q passava maus bocados e com vontade de bater a porta e deixar tudo para trás mas afinal acontece a mta gente. Temos q lutar e viver cada dia como se nao existisse amanhã.
    Bjkas e td de bom para ti...
    Sara

    ResponderEliminar
  60. Este post tá simplesmente genial.
    O que eu gostava que determinadas pessoas percebessem que há que ceder, que o orgulho a nada leva e acima de tudo ninguém é felz todos os dias.
    Que uma relação tem que ser trabalhada. Que o barco tem que ser remado pelos 2 para o mesmo lado!
    Excelente!

    Beijinho

    ResponderEliminar
  61. Quando te "chateias" escreves ainda melhor;)

    Beijo

    ResponderEliminar
  62. Perfeito! Eu também não sou feliz todos os dias, mas sei que há pessoas que não compreendam isso.

    Também tenho as minhas lutas, as minhas discussões e muitas vezes digo coisas sem pensar, toda a gente diz...e já pus muitas vezes o meu orgulho de parte para tudo ficar bem, mas também há vezes que faço birra até ao fim. Gostava que houvesse um click na minha cabeça que me permitisse passar do estar mal para o estar bem em 5 segundos mas às vezes é tão difícil...

    Mas uma relação, qualquer tipo de relação, sem este tipo de situações que tipo de relação é?

    Faço minhas as tuas palavras...obrigada por este momento*

    ResponderEliminar
  63. Com certeza é preciso ceder, é preciso berrar (sem ninguém em volta) para aguentar as pekenas incompatibilidades de personalidade que por vezes surgem.
    Espero vir a ter um "para sempre" feliz no seu todo, em que por vezes seja preciso lutar para que no dia seguinte se volte a sorrir. A vida é assim em todos os campos...nem sempre o trabalho corre bem, nem sempre estamos bem de saúde...
    Adorei este texto e gosto do sentido de humor e ironia que colocas noutros:)

    ResponderEliminar
  64. Isso é tudo muito real e tens toda a razão. A vida não é perfeita e a dois é muito dificil. Temos que engolir muitas vezes muitas coisas, apesar de eu ( vou ser sincera) dar o braço a a torcer menos vezes que o namorado. Ele sim é muito calmo e tem um bom signo, lol, balança. Já o meu, ihhhhhhhhhh, tem cornos e tudo lol.

    Gostei do que li. Parabéns.

    ResponderEliminar
  65. Sabes? Gostei. Costumo ver o teu blogue mas muitas vezes não aprecio o tom com que abordas certos assuntos. O facto é que continuo a passar por cá e, quanto mais não seja, por este post valeu a pena. Gostei de ver esse lado mais "humano" da Pipoca.

    ResponderEliminar
  66. Grande texto, grande Pipoca! É desta tua maneira de abordar os assuntos que eu gosto! Continua assim.

    ResponderEliminar
  67. Tenho pena que os comentadores que não concordam sempre com o que escreves, que insultam, que não gostam do que escreves, mas só às vezes, parecem gostar somente, dos piores estados de espirito tristonhos e enfadonhos... e não sejam tão inteligentes e perpicazes, como selectivos nas escolhas do que lêm?!
    É claro que só podem sair pérolas, como esta e não só, da escrita da Pipoca!
    Não sabem/conseguem, ler/ver nas entrelinhas???

    Perfeito Pipoca!!! As always!!

    BJNHS a "M"

    ResponderEliminar
  68. Sim senhora! Não tiro nem ponho uma única vírgula! E não imaginas como isto se aplica à minha vida. Mesmo, mesmo! E a felicidade são momentos. É preciso é saber aproveitá-los todos!
    5*
    Bjsss emocionados e mais leves. Hoje é dia de abraço :)

    ResponderEliminar
  69. Fantástico.

    Simplesmente me vi em seu texto. Como um retrato que estou pintando a 9 anos. Não conhecia o seu blog, simplesmente veio como uma sugestão de leitura pelo Google Reader, e como encaichou perfeitamente nos momentos que estou passando.
    Saiba que sempre que eu relembrar este momento que estou passando em meu relacionamento vou acabar refletindo as suas palavras novamente.

    Abraços (que valem mais que uma conversa).

    ResponderEliminar
  70. Clap Clap Clap!
    Felicidades Pipoca :)

    ResponderEliminar
  71. Texto muito bom.

    Eu que estou a enfrentar o fim de uma longa relação, precisava de ler isto.

    Obrigadinha :)

    ResponderEliminar
  72. Clap clap clap. Beijinhos.

    ResponderEliminar
  73. Esta simplesmente, perfeito..... Sou leitora assídua do teu blog mas não costumo comentar. Mas a verdade é que adoro o facto de me conseguir rever nas coisas que dizes e pensar que eu própria podia escrever algumas destas coisas. Muitos Parabéns

    PS: adoro estes invejosos que cá vêm comentar. Fazem-me ganhar a terça feita
    GO PIPOCA!!

    ResponderEliminar
  74. mto bom sim senhora!

    ResponderEliminar
  75. Um até que dê... era expressão que me angustiava há uns anos atrás. Achava que o mundo teria de ser recheado de actos perfeitos e a união de pessoas teria de acontecer quando existissem condições ideais, houvesse entendimento perfeito entre as pessoas. Hoje, e volvidos muitos dissabores por deixar passar oportunidades, já entendo bem essa expressão e considero que faz todo o sentido. Antes feliz momentaneamente que infeliz a vida toda.

    ResponderEliminar
  76. Ás vezes, a rasão faz ricochete nos dedos..
    O texto é mais do que um texto. É um modo de ver a vida.
    Reflectir é bom, fazer os outros reflectir com as nossas palavras, é um dom. Parabéns!

    ResponderEliminar
  77. Depois de 7 anos de relacionamento e 2 filhas pelo caminho, sei que paixão é coisa que já não existe há muito. A maioria das vezes calamos o que sentimos, temos ressentimentos lá guardados no fundo, alguma vontade de mandar tudo ao ar. Eu e ele, claro. Só mesmo o amor (será isto o amor?) que sentimos nos mantêm numa luta diária para limar arestas e procurar a tranquilidade. Não me arrependo, não tenciono mudar, gosto daquele homem e gosto muito! Mas vale a pena, peninha, penita, pena.

    ResponderEliminar
  78. O post perfeito!
    A isto, nada mais a dizer...

    ResponderEliminar
  79. há dias mais difíceis numa relação. há outros mais fáceis. e há ainda todos os outros...

    só que no fundo "A actividade que eu mais amo e respeito é a actividade de manter."... e tu sabes que também é isso o mais difícil mas o mais bonito...

    http://nemvaleapenadizermaisnada.blogspot.com/2010/05/comecar-e-facil.html

    ResponderEliminar
  80. Ultimamente venho cá para fazer críticas negativas. Hoje é o oposto.
    Venho cá para te dizer que foi esse tipo de escrita que me cativou neste blog há uns anos atrás.
    Eu sabia que ainda estava aí... pena que esteja tão escondido e tão poucas vezes se manifeste.

    Espírito Crítico

    ResponderEliminar
  81. Pipoca: um dos teus melhores textos "sérios" que li no teu blog. Fantástico! E sim! ã somos felizes todos os dias, mas que esses dias felizes ultrapassem os maus, certo?
    Não há rosa sem espinhos.
    Bjos

    ResponderEliminar
  82. Ah, então foi aqui que a Miss Glitering veio buscar o texto emprestado... :-)))
    Admito que me deixaste de lagrimita no canto do olho, Pipoca. Porque eu sou assim, vivi o "até que dê em pleno", por duas vezes. Não consegui suportar a perspectiva de um "para sempre miserável". E por isso agora estou sózinha. As relações não são perfeitas e dão trabalho, é verdade... Mas o que seria a vida sem o amor?
    Obrigada pelo exemplo inspirador de que é possivel encontrar a felicidade (mesmo que não exista todos os dias) depois de se ter ficado com o coração partido em mil pedaços. Obrigada por com este texto me teres relembrado porque gosto tanto do teu blog.
    Desejo-te que sejas feliz o maior numero de dias possível :-)))

    ResponderEliminar
  83. Ah, então foi aqui que a Miss Glitering veio buscar o texto emprestado... :-)))
    Admito que me deixaste de lagrimita no canto do olho, Pipoca. Porque eu sou assim, vivi o "até que dê em pleno", por duas vezes. Não consegui suportar a perspectiva de um "para sempre miserável". E por isso agora estou sózinha. As relações não são perfeitas e dão trabalho, é verdade... Mas o que seria a vida sem o amor?
    Obrigada pelo exemplo inspirador de que é possivel encontrar a felicidade (mesmo que não exista todos os dias) depois de se ter ficado com o coração partido em mil pedaços. Obrigada por com este texto me teres relembrado porque gosto tanto do teu blog.
    Desejo-te que sejas feliz o maior numero de dias possível :-)))

    ResponderEliminar
  84. o texto tá excelente, continua....identifico-me na totalidade :)

    ResponderEliminar
  85. O primeiro texto teu que li até ao fim. O que acaba por ser um bom sinal: abriu-se uma porta para estar mais atenta. Gostei muito, impossível alguém não se identificar!

    ResponderEliminar
  86. Que texto fantástico!

    Parabéns!

    ResponderEliminar
  87. Olá!
    O dono da dor sabe o quanto dói... é possível viver todos os dias bem, fazemos nossas escolhas, sei que fácil não é , mas felicidade é poder estar em constante envolvimento com si mesmo, e quando temos um relacionamento é dividir e somar, passamos por crises, Tpm, e tudo aquilo que já sabemos, mas o importante é focar nas qualidades, pois se focarmos nos defeitos daí já era kkkkkk...
    Muito bom o que escrevestes , realmente expressa o que muitos sentem.
    Tudo é uma grande confusão de sentimentos , emoções, viver é estar em constante evolução!
    Bjs!
    Ser Estranho Ser!

    ResponderEliminar
  88. Grande post. Nem sempre é fácil explicar o que pensamos, muito menos conseguir escrever o que sentimos. Mas tens um dom de conseguir transmitir isso tudo pela tua escrita.
    Muito bom!

    ResponderEliminar
  89. Muito bom mesmo! Acho que é dos melhores textos que li por aqui..parece tão sentido...tão verdadeiro...(não que os outros não sejam :))..gostei mesmo!
    Monica

    ResponderEliminar
  90. Fantástico ! Se eu tivesse que descrever o meu casamento quase a completar nove anos, era desta forma que o fazia... um casamento, relacionamemto, ou lá o que lhe quiserem chamar é a empresa mais difícil de gerir, quase sempre a dar no duro e quase sempre na falência. Não acredito em contos de fadas, em príncipes encantados nem em princesas eternamente rendidas ao seu amor. Isso não existe ! A realidade é dura e a rotina rouba às relações a espontaneidade que estas precisam para sobreviver. Apetece bater com a porta ? tantas vezes... Mandar tudo à fava e depois logo se vê.
    Não podia estar mais de acordo quando dizes que às vezes é preferível não falar nos problemas e resolver a coisa assim só com um abraço... tantas vezes que eu digo ao meu homem, é pá pra quê esmiuçar tudo o que dissemos de cabeça quente? vamos mas é virar a página, que melhores dias virão... Não vale pena analisar tudo, dissecar tudo o que se disse quando afinal nem se queria dizer nada daquilo. A verdade também é que nós mulheres somos muito diferentes dos homens ! E ainda bem ! E também não acredito na felicidade plena, ( só quando olho para os meus filhos), não acredito em casamentos perfeitos e desconfio sempre daqueles casais que parecem estar sempre em sintonia. Não acredito pronto ! E também não acredito que se possa ser feliz todos os dias, isso é incompatível com a condição humana que é frágil, emotiva, e por isso mesmo mais emocional que racional.

    ResponderEliminar
  91. é memo isso..mesmo..brilhante..é tao dificil explicar por palavras as razoes do coracao..mas ta genial..a escrita..o discurso..o sentimento..o amor dura se durar enkuanto dura ja dizia o sergio godinho..muitos parabens por este texto e pela clarividencia..rita

    ResponderEliminar
  92. Fantástico texto, parabens.

    ResponderEliminar
  93. Agora sim, justificaste os teu 1235 seguidores! ;)
    Queremos ler mais destes! :)

    ResponderEliminar
  94. welcome back old pipoca :)

    ResponderEliminar
  95. Em estreia nos comentários.
    As relações são um "work in progress" e sim... todas têm dias menos bons e também nunca compreendi aquelas que nunca os têm (ou não os mostram). A minha funciona assim com os dias bons e os menos bons, tendo em conta que os bons ultrapassam os menos bons ;) Hoje é um novo dia, a casa não foi pelos ares e as pazes trazem sempre um pico de paixão :)
    Tudo de Bom.

    ResponderEliminar
  96. OLá pipoca! Há mto que não comento... Foi por posts como este que fiquei leitora assídua... (há quase dois anos ...)ultimamente andava um bocadinho "desiludida" .. mas continuava a vir na expectativa que "estes" posts voltassem, por isso só te posso dizer OBRIGADA! e WELCOME BACK! (valeu a espera ;P)
    Beijihos algarvios

    ResponderEliminar
  97. Gostei mesmo muito :)
    Se fossemos feliz todos os dias.. a vida não tinha tanta piada.

    www.designmimoso.blogspot.com

    ResponderEliminar
  98. Concordo com tudo o que dizes neste texto pipoca. Eu tambem me sinto assim, tambem passo por isso tudo que descreveste. precisa mm de le isto para descobrir q afinal nao sou a unica noiva ( q estava a dar em maluca ao pensar que era) que vive assim que se sente assim...Obrigada :) assim ja somos 2 eheheheh Beijinh

    ResponderEliminar
  99. O Português é tão fácil de contentar... escreves umas cenas e dizes que estás triste, pronto já és a maior. Pois é pipoca não podemos estar bem que a malta roi-se toda... DE vez em qdo mesmo que não seja verdade, vens aqui dizer umas cenas destas para a malta ficar contentinha.
    Agora que és mais conhecida é normal que não te queiras expor da mesma maneira e a malta não compreende. Mesmo que eu tenha crises conjugais etc etc não vou dizer a meio mundo porque não interessa. A roupa suja lava-se em casa... Mas as pessoas adoram uma boa desgraça e até aplaudem de pé.
    Não digas muitas vezes que estás bem e que vais a spas e viajar porque há muita inveja por ai e já não vales nada nem prestas para nada.

    ResponderEliminar
  100. Para todas as Pipocas

    Mas afinal o que é isto – Ser feliz?
    Foram muitas as vezes que quis que a porta de fecha-se de uma vez, que a corda partir-se.
    Até que um dia acordei e ouvi alguém dizer – Tem calma, mas o V morreu.
    Chorei?! Clamo que sim, Quis que todo o mundo morresse? Com certeza, se eu não era feliz mas ninguém podia.
    Até que um dia percebi que a felicidade não está na copa das árvores, mas sim numa pequena flor.
    Antes de fecharem a porta pensem bem, muito bem. As vezes é melhor contar até 362, várias vezes.
    MAS SE NÃO FOR NÃO EXITEM, viver numa relação que só causa dor não é vida para ninguém. Tenham amor-próprio.
    E se for o caso pesam desculpa, peçam um abraço sem palavras.
    Será que hoje já lhe disse que ele é importante, que o adoro, será que hoje lhe deu um beijo.
    Aproveitem muito, por que amanhã pode não ser dia para vocês.

    ResponderEliminar
  101. So true :)

    Muito Obrigada por partilhares e Parabéns :)

    ResponderEliminar
  102. A amuadinha diz: O DI É meu!II=DD

    ResponderEliminar
  103. No inicio tudo é bom e bonito, arrisco a dizer que nessa altura todos os dias se é feliz, mas com o passar do tempo, uiiii vêm as tais palavras menos boas/más, as amarguras, a porta encostada e a vontade de deitar tudo para o alto. Quem se atira ao mar, ou sabe nadar ou tem que aprender.

    ResponderEliminar
  104. Muito bom! Parabéns!

    ResponderEliminar
  105. E de repente... 300 mil comentários. Ora aí está. Não é que a tristeza e o sofrimento sejam mais populares, mas são sem dúvida sentimentos mais poéticos e inspiradores (podíamos aqui elencar uma série de grandes vultos da literatura, mas adiante). As pessoas revêem-se, naturalmente, porque a maior parte dos dias a vida custa como o raio que a parta! E a felicidade então?? Vai lá vai. Ter de enfrentar os nossos medos, inseguranças, disfuncionalidades já é missão para uma vida, né? E depois ainda nos termos de alinhar com alguém que também tem lá o seu feitio (quando já devia era estar feitinho à medida para o nosso corpinho). Mas enfim, vale a pena lutar por uma relação boa. Vale muito a pena protege-la, fazer com que resulte, apesar dos bloqueios de parte a parte.
    Depois do teu texto de há 2 anos "acabar.recomeçar", que era de uma clarividência desconcertante, este foi um dos que mais gostei. Ah, e aquele em que contavas como conheceste o homem da pipoca e te confessaste apaixonada! Lovely :)
    bjinhos

    ResponderEliminar
  106. É bom saber que ainda aí andas...

    ResponderEliminar
  107. olá pipoca, não conheço o blog a muito tempo, mas estou a adorar!
    ao ler esse post, fikei estupfacta, e apenas m recordei de tantas coisas e revi em tudo o k disseste...realmente nao é facil...

    ResponderEliminar
  108. escreves q é uma coisa parva ! *

    ResponderEliminar
  109. Era uma vez uma criança que acreditava poder, com o seu dedo, pintar o mundo. Encheu-o de cor e desenhou o sol. Mas, no seu coração de criança, sabia que nem todos os dias podem ser solarengos. Nem sempre temos o que queremos. Nem sempre fazemos o que gostaríamos. Nem sempre os outros são nossos amigos. Nem sempre os adultos sorriem. Por isso pintou a chuva. Com o seu dedo pequenino, salpicou o mundo de pequenas gotas de azul. E ficou triste: “Porque é que às vezes tem de chover?” – perguntou-se. Fechou-se no seu quarto e esqueceu o mundo por um bocadinho. Até que a mãe o foi chamar. “Não quero sair”, disse ele. Mas a mãe insistiu: “Aconteceu alguma coisa ao teu mundo…”. A criança, curiosa, saiu então do quarto e foi espreitar o mundo que desenhara. A chuva molhou a terra e dela brotaram lindas flores. E, no céu, do abraço entre o sol e a chuva, nasceu um lindo arco-íris. E a criança sorriu. Era pequena demais para perceber o mundo que desenhara, mas uma coisa ela entendera: ainda que o sol não possa espreitar sempre, da chuva nasce a esperança. Há sempre lugar para a alegria…

    Acredito que crescer e amadurecer é isto. Perceber que há dias bons e dias maus, mas uns precisam dos outros para existir. Perde-se a magia, é certo, aquela crença quase infantil de que o mundo e cor-de-rosa e vivemos num conto de fadas. Dói um bocadinho (a mim doeu-me muito!). Mas as histórias dos adultos também têm muitas coisas boas! Talvez não tenham tanta magia, mas podemos sempre dar-lhes finais felizes...

    Um beijinho cheio de cor!

    ResponderEliminar
  110. Adorei ler.
    Uma relação é assim, mútua, onde há espaço suficiente para que cada um se possa movimentar livremente.
    Respeito de parte a parte, sempre.
    Desistir, nunca. A não ser que não se queira mais investir na relação.
    Exige dedicação e sabedoria, porque só amor não chega.
    Pena, medo, reprezálias, mediocridade e conformismo, são palavras que a palavra Relação abomina.
    Sê feliz, mesmo que não seja todos os dias.

    ResponderEliminar
  111. Phonix Pipoca!

    O Papa que venha cá mais vezes!!

    Este textozinho revê-nos, a todos e a todas, até à transparência.

    um par de ternos beijinhos nos teus pezinhos,

    wwfan@iol.pt

    ResponderEliminar
  112. Isabel Figueiredo13 maio, 2010 16:53

    Simplesmente fantástico. É verdade que o Português gosta de coisas trágicas e com o mal dos outros podemos bem. Mas o que me fascina neste texto não é o facto de estares triste. É a maneira como consegues manifestar esse estado de espírito desta forma, tão clarividente, pura, cristalina.
    Por mim podes escrever sobre coisas cómicas, futilidades, viagens, livros, sapatos, Benfica (eu sou portista), trabalho, casamento, amor ou tristezas. Eu acompanho este blog não pelos temas que escreves mas pela maneira como o fazes.
    E sim, ser feliz não é nada fácil.

    ResponderEliminar
  113. Quem disse que se pode ser feliz todos os dias?!
    Apenas podemos tentar que os dias felizes sejam em maior número.

    Um abraço e que sejas feliz nos dias verdadeiramente felizes!

    ResponderEliminar
  114. Faço 4 anos de casada dia 20 de Maio e 1 ano de separada em Junho. Acho que esta primeira frase que te escrevo diz tudo! não há para sempre que não acabe como Nunca que não chegue. Se há truques ou fórmulas mágicas não as aprendi e a contagem até 320 foi tantas vezes até 500 quando, como bem dizes, se calhar menos palvras teriam sido a solução. Claro que tem que existir conversa mas acima de tudo o importante é a atitude, constructiva sempre que possivel.
    Enfim, é bom, vale a pena, mesmo que seja só enquanto dá!

    ResponderEliminar
  115. Pipoca!

    Faz parte da vida ter dúvidas, apesar do amor que 2 pessoas possam sentir uma pela outra existem sempre situações da vida que nada parece ter sentido, mas eu penso que sejam repentes, o sol não deixa de brilhar nesses dias.
    Vai em frente e não te esqueças que o AMOR supera tudo.

    :)

    Cláudia

    ResponderEliminar
  116. Olá,
    Não sou uma leitora assídua mas por vezes alegras o meu dia com as piadas dos teus comentários.
    Neste texto, conseguiste reflectir com seriedade todos os pontos que afectam as relações e o casamento. Apesar de eu não ser casada os exemplos que me rodeiam mostram que a felicidade é construída todos os dias, mas por vezes também temos de saber acabar com as relações quando elas nos fazem mais mal do que bem.
    Mas todas as relações implicam esforço e não podemos desistir ao primeiro problema.
    Desejo-te as maiores felicidades!

    ResponderEliminar
  117. Palavras sábias pipoca! Contornar cada problema como se fosse o primeiro, viver cada alegria como se fosse a ultima :)

    Bjs
    JOM

    PS: Ontem fui à Joana e ela disse-me q não te tinha enviado o email, pediu a alguém para o fazer... e alguém não o fez... um clássico! Passa lá e diz quem és... ela é óptima vais adorar!

    ResponderEliminar
  118. Um dos meus poemas preferidos a propósito deste post.

    "De tudo ao meu amor serei atento
    Antes, e com tal zelo, e sempre, e tanto
    Que mesmo em face do maior encanto
    Dele se encante mais meu pensamento.

    Quero vivê-lo em cada vão momento
    E em seu louvor hei de espalhar meu canto
    E rir meu riso e derramar meu pranto
    Ao seu pesar ou seu contentamento

    E assim, quando mais tarde me procure
    Quem sabe a morte, angústia de quem vive
    Quem sabe a solidão, fim de quem ama

    Eu possa me dizer do amor (que tive):
    Que não seja imortal, posto que é chama
    Mas que seja infinito enquanto dure." Vinicius de Moraes

    ResponderEliminar
  119. Quase podia ver-me aí nessas linhas..gostei muito.
    O que importa é mesmo viver; andar para a frente a passos pequenos ou mais espaços, com mais ou pouca vontade...mas com confiança suficiente para saber que podemos não ser felizes todos os dias mas ao menos tentamos caminhar para a felicidade que escolhemos a cada passo.
    beijinho (e sê muito feliz)

    ResponderEliminar

Teorias absolutamente espectaculares

AddThis