Pub SAPO pushdown

Está em marcha a operação "comer melhor"

quarta-feira, setembro 05, 2018

ACABOU! A-C-A-B-O-U! Declaro oficialmente encerrada a minha época de pequena lontra debulhadora que, nos últimos meses (quase um ano) se dedicou a enfardar tudo quanto lhe apetecia. Eu tinha dito que numa segunda gravidez seria muito mais ponderada com a comida, que tentaria ter uma alimentação mais equilibrada e diversificada mas... não aconteceu. A diversificação ficou-se pelo "como um Bounty ou um Kinder Cereali?". É verdade, tal como na gravidez do Mateus, também nesta acabei por não ter assim grandes cuidados. Podia ter comido menos doces e porcarias? Podia, mas não era a mesma coisa e não teria sido tão feliz. E como o peso estava controlado, como as análises estavam sempre todas ok, a pessoa acaba por se deixar levar por aquela falsa sensação de que pode comer tudo. Quer dizer, poder até pode, mas a factura paga-se depois.

Um mês e meio depois de ter sido mãe pela segunda vez, acho que está na hora de
acabar com o festival gastronómico que tem sido a minha vida. Tive a sorte de não engordar muito (talvez uns dez quilos, mas se tivesse sido uma gravidez de termo teria sido MUIIIIITO mais), mas ainda há aqui três ou quatro que não pertencem a este corpo. Não estou particularmente preocupada com esse tema, quando me apetecer logo volto ao ginásio e trato do assunto. Mas sinto, sim, que preciso de comer melhor. A gravidez serviu de desculpa para o enfardanço, o pós-gravidez também (tipo "ohhhh, tenho um bebé acabado de nascer, preciso de me empanturrar com bolachas para compensar o desequilíbrio hormonal"), mas Setembro trouxe a vontade de entrar nos eixos. Não estou de dieta, longe disso, estou só mesmo a tentar comer melhor e desintoxicar-me de todas as porcarias que comi nos últimos meses.

A ideia é reduzir LARGAMENTE o consumo de açúcares e também tentar comer menos proteína animal. Não, pessoas, não me vou tornar vegetariana, nem vegan, nem nada que se pareça. Não me importava, mesmo, mas tenho a força de vontade de uma alforreca sob efeito de sedativos, por isso não me estou a ver a abolir definitivamente a carne e o peixe da minha vida. Mas quero comer menos, sobretudo carne. Ser casada com alguém que segue uma dieta vegan ajuda bastante, porque é um bocado triste eu estar ali a aviar o meu bife e ele ao lado com a sua pratada de legumes, todo saudavelzinho e mimimi. E eu sei que o mês acaba de começar, mas ainda não comi carne nem peixe. Em termos logísticos, a coisa fica mais fácil cá em casa, porque não tem sido preciso cozinhar uma coisa para mim e outra para ele, comemos os dois o mesmo. Mas como acho que os pratos que ele faz são um bocado limitados (parece-me que está sempre a comer o mesmo, apesar de ele dizer que é  tudo SUPER diferente), tenho dado por mim a procurar receitas para ver se diversificamos as refeições.

Não sendo um ás da cozinha, é imprescindível que seja tudo fácil de fazer. A Bimby tem sido uma boa amiga, mas também tenho tentado fazer outras coisas mais básicas mas igualmente boas, aquilo a que eu chamo "tudo lá para dentro". Basicamente, é só arranjar uma base (alface, massa, arroz, etc) e depois atirar lá para dentro tudo o que houver à mão. No meio deste meu processo, fiquei a conhecer a Tipiak, que entrou recentemente em Portugal mas que é todo um sucesso lá fora. É uma marca francesa com aquelas coisas que agora estão muito na moda e que fazem parte de todos os menus saudáveis, como couscous, quinoa ou boulgour. A gama é bastante variada e, para mim, a grande vantagem, é que as doses já vêm divididas dentro das embalagens e são muito rápidas de confeccionar. Basicamente, é só agarrar nos pacotinhos e em cinco ou dez minutos, dependendo do produto, está pronto a comer.


Já experimentei alguns dos produtos da Tipiak e estou particularmente fã do Legùrmet, uma mistura de cereais e legumes. Cinco minutos ao lume... et voilá. Podem usar como acompanhamento ou mesmo para fazer um prato. Eu, como sou um bocado básica, tenho-me dedicado só ao "tudo lá para dentro", mas mesmo dentro disto dá para fazer imeeeeeensa coisa. A mais recente experiência foi super simples, num dia em que me apetecia qualquer coisinha mais leve: Legùrmet com um bocadinho de sal, um fio de azeite e depois tomate e pêssego. Claro que o Legùrmet é que foi a estrela do prato. Eu já gostava muito de couscous, quinoa e essas coisas todas, mas acho que esta mistura bate tudo o resto. Ainda assim, estou curiosa para experimentar os couscous com sabores ou a mistura de quinoa com boulgour

Todas estas opções acabam por ser uma boa alternativa (e menos calórica) à massa ou ao arroz que, regra geral, são os hidratos que cozinhamos mais. Enfim, para já estou empenhada na missão "comer saudável", por isso, se tiverem mais ideias e receitas fixes para fazer com estes produtos, digam de vossa justiça. =)

Post em parceria com Tipiak

53 comentários:

  1. Sou a única a achar este tipo de alimentos pré-elaborados tudo aquilo que devemos evitar numa dieta saudável? O mais saudável não seria olhar para os componentes deles e copiarmos nós o prato de raíz? Digam-me se estiver errada mas o pré-feito nunca me soa bem...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não são pré-elaborados. Pelo que percebi a quinoa, os cous cous e o resto vêm nestas embalagens e depois têm de ser cozidos. Como qualquer outra marca que venda este tipo de produto.

      Eliminar
    2. Ah bom sendo assim já é outra coisa, retiro o que disse ;-)

      Eliminar
    3. Hmmm, são de alguma forma processados. Os legumes devem ser liofilizados, depois não sei se lhes adicionam conservantes ou não. De qualquer forma, não é o mesmo que comer as coisas frescas. Mas para desenrascar não me parece muito má ideia. Para incorporar numa dieta saudável de forma regular, também tenho dúvidas como o primeiro anónimo.

      Eliminar
    4. Estas novas comidas da moda são um veneno as pessoas não têm noção mesmo...

      Eliminar
    5. Concordo. Quanto menos processado melhor. Devemos elaborar os nossos pratos de raiz e com muitos legumes biológicos.
      Temperos ao nosso gosto mas quanto mais simples melhor!!!

      Eliminar
    6. Antes de comprar, ler sempre os rótulos da composição, os ingredientes e data de validade.
      Não adianta anunciar um programa de comida saudável se não olharmos para percentagens de: lípidos (dos quais saturados) e hidratos de carbono (dos quais açúcares), sem esquecer a de sal.
      Estes 3 componentes são uma das chaves para verificar se o alimento embalado vale a pena ou não.
      Importante também consultar bom médico/nutricionista para saber qual a quantidade calórica a consumir por dia, de acordo com idade, altura e nível de atividade física.
      É mais informação para cada um conseguir (ou tentar) gerir as suas necessidades e à sua maneira.
      No que me diz respeito, quanto mais frescos e naturais/biológicos, melhor.

      Eliminar
  2. Comida saudável de pacotes?? Naaa! Naaa! Ide ao supermercado e comprai legumes vegetais hortícolas , isso sim é comida natural e saudável! E comer carne e peixe também faz bem! Catarina

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não faz bem ao planeta de certeza.

      Eliminar
    2. O planeta agradece comer do pacote! Mais plástico, mais papel,mais desperdício ..

      Eliminar
    3. Como a pipoca disse esta é uma alternativa mais saudável para substituir arroz e/ou massas...que por acaso também se encontram á venda em pacotes ou plástico!

      Eliminar
    4. Dieta mediterrânica é a melhor. É saudável, não excluí alimentos (de origem animal e vegetal). Está de acordo com a biologia humana (o ser humano é omnívoro). Esta é para o anónimo das 17.21.

      Eliminar
    5. http://www.alimentacaosaudavel.dgs.pt/biblioteca/dieta-mediterranica/

      Eliminar
    6. @Joana Santos: em que é que se baseia para dizer que a dieta mediterrânica é a mais saudável?
      https://www.health.harvard.edu/blog/move-over-mediterranean-a-vegetarian-diet-is-equally-good-for-health-201306056352

      Eliminar
    7. Anónimo das 17:21, se se informar ficará a saber que também não faria nada bem ao planeta se todos nos tornássemos vegetarianos. Sim, é fundamental reduzir o consumo de carne, mas isso não é o mesmo que exclui-la de todo da nossa alimentação. Reduzir a ingestão de carne traria muitos benefícios à nossa saúde e ao meio ambiente, mas, caso a população mundial se tornasse toda vegetariana, as consequências seriam dramáticas para a saúde pública, aumentando até a pobreza em determinadas regiões e tornando impossível a vida noutras.

      O Homem é omnívoro, haja moderação!

      PS: Não são teorias minhas! Leio bastante sobre o assunto e procuro não ser tendenciosa: pesquiso opiniões de ambos os lados (Vegetariano vs Não Vegetariano).

      Assinado: uma ex-vegetariana (foram 10 anos, mas o apelo do bife foi mais forte)!

      Eliminar
    8. Em estudos, em meta análises, em blogs de ciências, nutrição e biologia.

      Eliminar
    9. https://www.scimed.pt/geral/vantagens-da-dieta-mediterranica/

      Eliminar
  3. Ai que engordei uma grama na gravidez..., seriously??!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. tungas!! 😂😂

      Eliminar
    2. https://youtu.be/LKZJgY-5mlM

      Eliminar
    3. Na escola primária ensinaram-vos "um grama"?!

      Eliminar
    4. Na minha ensinaram. Era uma escola em que ensinavam português. Não me diga que na sua não? Oh-meu-deus.

      Eliminar
  4. Olá!

    Eu também iniciei uma nova fase da minha vida em vários aspetos, entre os quais a alimentação. Mais do que emagrecer, quero comer bem.

    Optei por comer muito poucos lacticínios: como um iogurte por dia e ovos ocasionalmente. Nada de queijos ou manteigas.

    Encontrei um produtor de farinha muito sério e faço o meu próprio pão, faço pão com farinhas de confiança e com o mínimo de glúten possível.

    Não como peixe e a carne é uma exeção.

    Sinto-me menos inchada e com maior resistência física.

    Não conhecia essa marca: vou experimentar!

    Bjs
    Margarida

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. "Margarida",o que põe no pão? Obrigada!

      Eliminar
    2. Ar! Zero gluten, Zero lactose! Zero tudo! 100% saúde 😆

      Eliminar
    3. Anónimo 05 setembro, 2018 21:24

      Não sou a Margarida, mas o que não faltam são opções:
      abacate com limão, manteigas de frutos secos, hummus, banana, doces de fruta, vegetais crus ou cozinhados, etc.
      E há muitos molhos, mais ou menos saudáveis.

      Eu sempre gostei de pão 'sem nada'. E adoro pães com diferentes farinhas, sementes, frutos e frutas secas e broas.

      Que bom que há gostos para tudo!

      Anónimo 05 setembro, 2018 23:00

      Acho muito bem que as pessoas procurem ser saudáveis na medida do possível. Eu, por exemplo, não quero aumentar as probabilidades de morrer mais cedo por culpa minha, por não tentar fazer melhores escolhas à mesa. Já dizia Hipócrates, o pai da medicina, "que o alimento seja o teu remédio". Também assim se poupa tempo e dinheiro com consultas, medicamentos, tratamentos etc.

      Eliminar
    4. Zero Gluten, zero Lacticínios e zero açúcar. É assim que deve ser!!!
      E ainda restam tantas coisas boas para comer. Temos é que as fazer .Ir ao supermercado comprar não é opção. Dá trabalho ....mas um pão, um bacon, um bolo, molhos, manteigas e leites vegetais feitos por mim sabem divinalment e bem. Não troco por nada !!!

      Eliminar
    5. Como se fax bacon em casa???

      Eliminar
  5. Pessoalmente, gosto de misturar os verdes (brocolos, espinafres,alho frances, rucula, etc), cenoura cozida, cebola picada, tofu (pode ser carne desfiada, se nao passa sem ela), frutos secos e terminar com um fio de molho de soja. Fica delicioso!Eu uso uma marca corrente destes cereais integrais porque, geralmente, sao muito mais baratos e o tempo de cozedura e exatamente o mesmo. Tambem os deixo de molho durante umas horas e so depois cozinho. Bom apetite!!! Joana

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Qual é essa marca? E posso encontra-la em que supermercado? Fiquei mesmo interessada. Obrigada! :)

      Eliminar
    2. Estes cereais há à pazada no supermercado. Há anos.

      Eliminar
    3. A marca é TIPIACK. Pode encontrar no Pingo Doce, Jumbo, talvez também no Continente. Tem várias alternativas (couscous, quinoa, tapioca...) entre outras como é o caso do legurmet que misturam outros sabores e temperos!

      Eliminar
  6. Já que entraram no mercado nacional era super porreiraço que fizessem o site também na versão portuguesa

    ResponderEliminar
  7. Isabel Silva didn't like this post.

    ResponderEliminar
  8. Está à venda nalgum supermercado específico ou em todos?

    ResponderEliminar
  9. Onde se pode comprar? O pingo doce não tem tipiak e o continente não tem o legurmet..

    ResponderEliminar
  10. Boa Pipoca, a sério! Fiz o mesmo desde há um ano e notei diferença, tal e qual como diz. Sem abolir nada mas apostar no saudável. Sinto-me muito melhor! E por acaso acho que experimentei isso que vinha numa amostra na Saber Viver e gostei. Vai ver que vai ser mais fácil do que com dietas restritivas. E a app da Nike para exercício também ajuda 😉

    ResponderEliminar
  11. "e que fazem parte de todos os menus saudáveis, como couscous, quinoa ou boulgour" - embora os adore e use com regularidade, a verdade é que não fazem parte de todos os menus saudáveis, nomeadamente aqueles que defendem uma alimentação mais à base de proteína, legumes e fruta, ou mesmo a dieta paleo (ou estilo de vida, como quiserem chamar). Aí são recomendados (a quinoa) com moderação, ou seja, não é algo para todos os dias, mas para consumir ocasionalmente. O couscous e o boulgour não serão de todo recomendados em muitos dos menus saudáveis de hoje em dia, nomeadamente os que defendem evitar o gluten - e, reforço, eu adoro couscous.
    Maria

    ResponderEliminar
  12. Pergunta honesta, sem qualquer tipo de julgamento ou acusação, mas nesses casos em que não cozinha para si, o que come o Mateus, também acaba por "seguir" a alimentação vegan?
    Beijinhos e felicidades

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Varia. Tanto come o mesmo do que nós como cozinhamos qualquer coisa para ele (carne ou peixe). E na escola come de tudo.

      Eliminar
  13. Também estou numa fase em que me sabe bem comida mais leve e saudavel.
    Nao tem a ver com dietas, mas com apetecer me sabores diferentes que depois me sabem bem e passo a preferir.
    Adoro cuscus e já conhecia uns da Tipiak, mas nao as de quinoa e legumes, excelente dica, vou experimentar

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Em certa sintonia, anónimo 05 setembro 23:53 :)
      Não conheço Tipiak mas tenho estado a descobrir, desde há um ano, que o meu estômago prefere proteína vegetal em vez de animal (carne ou peixe).
      Não sigo propriamente uma dieta mas estou mais atenta à reação aos alimentos.
      Nada melhor do que "ouvir" os sinais do nosso organismo.

      Eliminar
  14. Pipoca,

    E partilhar umas receitas vegetarianas? Eu agradecia muito! :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Devem existir 3478 sites com receitas vegetarianas...

      Eliminar
    2. Pesquisa no Google que foi assim que eu aprendi. Agora invento com o que tenho ..

      Eliminar
  15. Cozer quinoa e na wook fazer um salteado de cogumelos com um fiozinho de azeite e um alhinho picado e depois juntar bróculos cozidos al dente e por fim molho de soja e sementes de girassol e misturar a quinoa. Fica top, rápido e simples!!!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. 1. O utensílio chama-se wok, não traga para aqui a livraria online (Wook), que não tem nada a ver com isto.
      2. BrócOlos. Com dois oo.
      3. O "top" é mesmo a cereja no topo do bolo, deve ser o adjectivo mais parvo dos últimos cinco anos.
      4. Parabéns por, pelo menos, não confundir "cozer" com "coser". Já não é tudo mau.

      Eliminar
  16. Tenho a despensa sempre bem abastecida com Tipiak! Tem montes de variedades, é bom, e é super rápido de fazer. E ajuda a variar um bocado da massa/arroz/batata!

    ResponderEliminar
  17. Estas modernices comigo não pegam. Comer tudo mas com moderação. Sempre sopa de legumes, carne ou peixe, dose moderada cozinhadas com pouca gordura e pouco sal mas com ervas aromáticas, legumes e alguns hidratos, batata, massa ou arroz. Sempre fruta à sobremesa. o que nunca entra cá em casa são refrigerantes, natas, mostarda, maionese, álcool, gelados, chantilly e outras coisa que agora não me lembro mas porque temos a sorte de não gostar de nenhuma delas. somos magros e parece que saudáveis. Para os vegan ou vegetarianos cuidado com a falta de vitamina B12.

    ResponderEliminar

Teorias absolutamente espectaculares

AddThis