Pub SAPO pushdown

Páscoa: cinco sugestões para fugir à cozinha

quarta-feira, março 28, 2018
Então, riquezas da minha vida, já sabem o que vão andar a fazer nesta Páscoa? Vão laurear a pevide ou vão mesmo ficar por caselas? Se forem viajar (dentro ou fora deste nosso Portugal), boa para vocês. Se vão ficar por cá, tentem só assegurar que o almoço de domingo não é em vossa casa. Despachem essa tarefa para os pais, para os sogros, para os cunhados, mas vejam se se conseguem esquivar a passar 14 horas a cozinhar um cabrito ou lá o que é que a malta come neste altura. Lavem as vossas mãozinhas dessa função (repararam na subtileza da piada bíblica?). Bom, bom é pegar na família e irem todos almoçar fora, que assim ninguém tem trabalhinho e não faltam boas opções pascais, com direito a caça aos ovos e tudo. Ora atentem:


No Domingo de Páscoa há um belo de um almoço buffet no Lobby Bistro do hotel Sheraton, em Lisboa, que inclui uma zona de frios, pasta station, kids corner e pratos quentes como bacalhau assado, cabrito (cá está ele), galo, estufado com enchidos e ainda um buffet de sobremesas tradicionais da Páscoa. Mas há mais, calma. Por exemplo, uma caça aos ovos e muita animação para manter a criançada entretida e nós podermos comer à vontadinha. O valor deste descanso todo tem um preço: 48 euros já com bebidas incluídas (selecção de vinhos Sheraton, refrigerantes e água mineral). As crianças até aos seis anos não pagam e dos sete aos doze têm um desconto de 50%. O horário é das 12h30 às 16h00 e o contacto para reservas é o 213 120 000.



O restaurante Ipsylon, no hotel The Oitavos, em Cascais, também terá um brunch de Páscoa pensado pelo chef Cyril Devilliers, com live-cooking. Serão acrescentadas algumas opções especiais ao menu habitual e um kids corner para a miudagem, com pratos como strogonoff de frango, peixe-galo e, a melhor parte, crepes, waffles e chupa-chupa caseiros de marshmallow e chocolate. Haverá também um workshop sobre como fazer chocolate e também uma caça aos ovos. É obrigatório fazer reserva para este brunch (214 860 022), que vai acontece entre as 12h00 e as 16h00. Preço? 55€ por pessoa. As crianças dos 4 aos 12 pagam 15€ (o valor inclui o workshop, que tem início às 11h00).


O brunch do Ritz é um dos meus favoritos de todo o sempre e na Páscoa cheira-me que vai ser ainda melhor. Além do famoso buffet - com crepes, waffles, pães, croissants, ceviche, sushi, marisco, etc, etc, etc - vamos poder contar com ovos de chocolate especiais feitos por Diogo Lopes. Custa 56 euros por pessoa e vai acontecer entre as 12h30 e as 16h00. Contacto: 213 811 400


O hotel Myriad, no Parque das Nações, também vai ter um brunch de Páscoa no restaurante River Lounge. Não faltarão uma data de surpresas, animação musical e caça aos ovos. Preço: 58 euros por pessoa (crianças até aos 12 anos pagam 29€). Contacto: 211 107 600

Para quem quiser fugir ao ambiente de hotel, o Hard Rock Café pode ser uma opção. No sábado, dia 31, haverá um pequeno almoço especial para famíias, em formato buffet, com caça aos ovos e muitos doces. Contacto: 213 245 280

87 comentários:

  1. Pipoca quem pode pode... mas acho que estes preços são carotes para a maior parte das pessoas. Eu também irei almoçar fora, vou comer beom e pagar bem mais baratooo. Catarina

    ResponderEliminar
  2. Este post não é uma parceria?? Podias ter referenciado isso...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Se não está assinalado é porque não é.

      Eliminar
    2. Nunca se cansam, pois não?
      Que pequenez... armados em entidade reguladora do blog alheio.
      Warren Buffet (creio que foi ele) diz que não é a ambição que leva as pessoas a trabalhar no duro para conseguirem os seus objectivos, mas sim a inveja. Se assim for, Portugal deve estar ali a bater nos píncaros do barómetro do sucesso.

      Eliminar
    3. Pipoca além de lhe gabar a paciência; divirto-me mais com os comentários do que com os post's em si! Sei que é triste mas é a realidade! Nunca pensei ser possível tamanha pequenez, burrice, wtf.... concentrados num blog (não acompanho muitos mais)!!!

      Eliminar
    4. Esta gente burra não pensa que é necessário ter conteúdo - e quanto mais útil melhor - nem tudo tem que ser parceria! E não é preciso ir muito longe: a sra (ou sr) vai a um restaurante que adorou - postou uma foto no facebook identificando o mesmo - recebe comissão? Se assim fosse andávamos todos à pala!!! Santa ignorância!!!

      Eliminar
  3. Eu cá prefiro as 14 horas na cozinha do que gastar 50 num brunch em que ao segundo prato já não consigo enfardar mais nada! Ficam sempre a ganhar comigo! Nã Nã!

    ResponderEliminar
  4. A gravidez está a dar à Pipoca uma verve em termos de humor que a pessoa se atira para o chão a rir!
    Adorei a crónica inicial. Muito bom mesmo a piada ao cabrito que eu pensava assar em casa mas que decidi depois de ler o que aqui está exposto, não o fazer e ir a algum lado comê-lo. Isso de assar cabrito para a família tem muito que lhe diga e decididamente não vou alinhar nisso.
    Muito obrigada pela sugestões dos hotéis (essas não vou seguir) mas sim ade ir comer fora.
    Uma Páscoa Feliz!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Cabrito... Fico doente
      ao ouvir as pessoas falar em comer bebés. As imagens que me vêm à cabeça tornam muito difícil apreciar a páscoa ou o natal.
      :(

      Eliminar
    2. Comer bebés cabras, bebés porcos, bebes vacas e bebés carneiros!

      Eliminar
    3. Não sou Vegan mas também concordo com isto. Já me faz impressão certas coisas... comer bichos que eram seres vivos como nós.

      Eliminar
    4. Anónimo das 19:45, não é preciso ser-se vegan para sentir compaixão :). E olhe que é raríssimo as pessoas que não são vegetarianas confessarem que sentem desconforto por comerem animais, mesmo que muitas o sintam.

      Eliminar
    5. Concordo totalmente com o anónimo das 16:58. É chocante a leviandade com que se fala em comer animais que, embora não sejam tão inteligentes como nós (mas são-no tanto como uma criança de 3 anos), no sofrimento são exactamente iguais a um ser humano. E choram e gritam (literalmente) antes de serem mortos. Para mim, é excruciante só de imaginar, que diria comer!...

      Eliminar
    6. ''embora não sejam tão inteligentes como nós (mas são-no tanto como uma criança de 3 anos)''?????? Desculpe?! Desde quando é que uma criança é tão inteligente como um leitão?! Credo! Que argumento sem cabimento!!

      Eliminar
    7. Mas nós somos omnivoros..é normal comer outros animais. Mas tem sempre a opção insectos, boa proteína e se calhar esses não gritam!

      Eliminar
    8. Anónimo das 5:49, veja lá que não é preciso comer animais nenhuns (nem insetos) para viver uma vida longa e saudável.

      Eliminar
    9. Anónimo da 01:44, um cavalo adulto é mais inteligente que um bebé de meses, por exemplo. Ou seja, se acha que fator inteligência deve decidir se é certo ou errado matar, a vida de um cavalo teria mais valor que a de um bebé humano.

      Eliminar
    10. Sempre comi carne toda a vida, de há uns tempos para cá, faz me imensa impressão, não sei o que aconteceu, simplesmente não consigo compactuar com aquilo que um animal sofre para vir parar à mesa

      Eliminar
    11. Anon. 16:58 se não come cabrito come o que quiser, só não vejo o que isso tem a ver com o conteúdo!! Qualquer mesquinhice gera discussão!!

      Eliminar
    12. Anónima das 15:39, não vi discussão nenhuma, vi uma comentário a uma parte do texto. Além de que não considero a morte de milhares de animais uma mesquinhice.

      Eliminar
    13. Como pode chamar de mesquinhice o fato de algumas pessoas (infelizmente não todas) se importarem com o fato de que animais (filhotes, ainda por cima) precisam ser mortos para que o ser humano satisfaça um capricho.
      Na minha casa fizemos um almoço de Páscoa maravilhoso sem colocarmos animais mortos em nossos pratos.
      E não. Isso não é mesquinhice. É compaixão e respeito à vida.

      Eliminar
    14. Filipa e Lúcia: concordo totalmente. Há tanta falta de compaixão e empatia...

      Eliminar
    15. Que as pessoas tenham pena e vergonha da forma como os animais são tratados nas grandes indústrias para chegarem à nossa mesa, eu concordo e acho de louvar que hajam pessoas que consigam superar o egoísmo de comer carne em prol de um bem maior que é o bem estar animal. Agora dizer que é um barbaridade comer carne e que quem come são pessoas sem compaixão e empatia, enfim... é o que faz com que os vegetarianos sejam sempre mal recebidos. Começam logo por atacar quem é omnívoro, sem expor argumentação válida. Comer carne faz parte de ser humano. Por alguma razão temos dentes para tal, enzimas para tal.... um sistema digestivo adaptado a isso. Se falamos em condições de criação e etc, concordo plenamente que, como humanidade, ainda temos que evoluir bastante no que diz respeito ao respeito pelos animais. Agora uma vaquinha que viva feliz num prado até à hora da sua morte, qual e o mal? De certeza que tem uma vida bem mais feliz que nós todos que trabalhamos das 9 Às 17h, 30,40 anos da nossa vida non stop.
      Todos morremos, todos os animais são comidos e comem. Faz parte da vida.

      Eliminar
    16. Nós não fomos feitos para comer carne. Não temos caninos para tal e temos os intestinos longos e não curtos como os animais carnívoros. Por isso, a carne entra em estado de putrefação dentro do nosso corpo, antes de ser totalmente digerida.
      Não condeno quem come carne. Meu marido e meu filho comem e eu já comi durante muito tempo. Só não consigo entender como as pessoas podem comer, sem parar para pensar no caminho que o alimento percorreu antes de chegar ao nosso prato.
      As indústrias da carne, de laticínios e de ovos é muito cruel.
      Desafio qualquer pessoa a assistir ao filme "Terráqueos" (está disponível no Youtube) e continuar comendo carne.

      Eliminar
    17. Só não há falta de compaixão para deixar os velhotes no lar para morrer, para olhar para o vizinho do lado a passar fome, ou a levar porradinha do marido/mulher,... Cinismo e hipocrisia. Tratem-se pá.

      Eliminar
    18. Adoro comer carne e peixe e não estou a ver-me deixar de comer. Isto não invalida que não pense em como são tratados os animais. Claro que deveria haver uma maior fiscalização, ou melhor, nem devia ser preciso fiscalização, era uma maior consciencia para estas coisa: os animais não precisam de ser maltratados, nemde sofrer para serem postos no prato. Há forma menos crueis de o fazer e acredito que haja quem o faça.
      Se é uma questão de hábito, cultura, tradição, genética, não sei... eu não consigo deixar de comer carne.
      Não maltrato animais, adoro-os e tenho em casa um cão, um gato e uma coelha que convivem alegremente.
      Comer carne faz de mim uma vilã? Uma pessoa má? Não considero isso e quando esses são os argumentos do vegan/vegetarianos, desculpem-me, mas deixo de os ouvir.

      Eliminar
  5. Quem me dera Pipoca! Porque fazer almoços familiares é uma ideia muito romântica mas apenas em teoria porque na realidade é uma trabalheira descomunal! fazer a comida , as sobremesas, lavar loiça e limpar tudo! mil vezes almoçar fora, embora o dinheiro não dê para estes gastos.

    ResponderEliminar
  6. Ai Pipoca venho aqui pedir que escrevas um post destinado aos homens deste país que ajudem mais nas tarefas domésticas, incluindo almoços festivos!! O meu homem não faz nada, foi criado por uma mãe que nunca o obrigou a ajudar em casa e então eu ando estafada e só de ler este post os meus olhos brilharam! Quem me dera ter tudo feito, ir almoçar fora mais vezes e em casa ser ajudada. Eu cozinho, limpo lavo a loiça . Ele ajuda pontualmente... não sabe cozinhar. Nunca pensei que isto me afectasse tanto e à relação. Desculpa este desabafo, mais alguém?? Catarina

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Catarina, percebo a sua dor. O meu marido é dos jeitosos, dividimos as coisas equitativamente. Cozinhamos a meias, ele aspira, eu limpo, eu lavo a roupa, ele passa a ferro. Enfim, depende também da disponibilidade de cada um.
      Mas eu cresci numa casa em que o meu pai não fazia nada, nada, nada em casa! É a pessoa mais trabalhadora fora de casa (não duvide) mas a minha mãe passou anos a chatear-se com ele para que ele pusesse a roupa suja dentro do cesto (só para ter uma ideia). Sinceramente, acho que a culpa, em parte, é da minha mãe, simplesmente porque ela faz, as coisas aparece feitas e ele nunca teve de fazer nada para que elas acontecessem (aposto que o meu pai nem suspeita que algumas coisas têm de ser feitas, tipo o espelho da casa de banho deve ser limpo uma vez por semana).
      Nos dias em que o meu marido se da mais à preguiça (eu também tenho desses dias), eu simplesmente não faço as tarefas dele, a louça pode forçar por lavar durante a noite, ou as camisas engomadas podem estar a acabar, mas eu recuso-me a fazer como a minha mãe que tem tudo a seu cargo.
      Enfim, desculpe dizer isto, mas eu odeio a expressão “os homens ajudarem em casa”, eles não têm de ajudar, porque as tarefas domésticas não estão a cargo das mulheres. A responsabilidade é dos dois, exatamente a mesma. Eu acho que estas pequenas expressões reforçam o modo como a sociedade olha para estas questões.

      Eliminar
    2. Tamu juntas! Ou melhor estávamos... É assim, o meu marido nunca teve que mexer uma palha em casa da mãezinha. Eu também não me posso queixar porque tinha que fazer muito pouco, mesmo assim limpei sempre o meu quarto e aprendi a cozinhar e a passar. Inicialmente quando casamos eu fazia tudo... Mas quando vi que a relação estava prestes a azedar por causa disso tivemos uma conversa e as coisas mudaram. Continuo a fazer mais (ele não tem muito jeito com a roupa e trato sozinha dessa tarefa, mas por exemplo ele guarda a sua roupinha passada e arruma as suas roupas que não se passam tipo meias...) e nessa tarefa sinto-me sempre mais prejudicada mas pronto... De resto, jantamos algumas vezes fora mas mesmo assim no dia em que passo a ferro é ele que cozinha, se não sabe aprende... Primeiro podes dar umas dicas e começar por fazer coisas fáceis como grelhados. Vamos juntos às compras, que não sou burro de carga para andar a acartar a tralha sozinha. Ele tira a louça da máquina de lavar, põe a mesa... Uma vez por semana ou lhe calha limpar o pó à casa toda ou aspirar a casa toda, é à vez... claro que os wc's são comigo... Mas por exemplo ele está encarregue de lavar os pátios, levar o lixo, assar na churrasqueira e essas coisas para as quais também não tenho a maior queda!
      Resumindo, as coisas mudaram, para bem. Continuo a fazer mais que ele mas passamos do 10/90 para o 40/60...
      As coisas ficam muito mais fáceis e rápidas, já não ando sempre de mau humor por não ter tempo para mim. Enfim, é a falar que as coisas se resolvem!

      Eliminar
    3. Concordo. Quer um conselho? Deixe de lhe fazer tudo, quando digo tudo, é mesmo TUDO! Não limpe, não lave, não cozinhe. Sente-se no sofá e espere que as coisas aconteçam - tal como o homem o faz. Pode ser que lhe dê mais valor e muita força nessa hora, há coisas que se resolvem. :)

      Eliminar
    4. Concordo com estes comentários! Experimente não fazer NADA durante uns tempos e veja se a necessidade não aguça o engenho! Não sabe fazer arroz de pato? Faça omeletas com queijo! Mas a culpa é quase sempre das maezinhas. Disso não haja dúvidas!

      Eliminar
    5. A culpa é de quem desvaloriza quando eles fazem. “Ele não dá o mesmo mimo que eu que sou mãe” “ele não passa bem a roupa”, “ele demora a lavar a loiça”, “a comida dele não tem tempero”. Se numa empresa que nos denigre, baixamos os braços ou vamos embora, o mesmo acontece em muita casa. Façam o esforço de valorizar as diferenças e recompensar as tentativas.

      Adoro o blog da DriMiller, que é muito bem resolvida em relação a isso e divide as coisas com o marido.

      Marido nao ajuda, marido FAZ.

      Leopoldina Ramos

      Eliminar
    6. As mães têm culpa, mas as namoradas/mulheres também. Se fazemos sempre, se criticamos quando não fazem como nós, não podemos esperar grande coisa.
      O meu marido tem mais 2 irmãos, os 2 mais velhos. A minha sogra estragou/estraga tão pouco que ainda hoje (e os mais velhos já estão na casa dos 40) lhes tira as espinhas do peixe e não diz nada por eles não mexerem uma palha (tomam banho, a roupa fica no chão; lavam os doentes, a pasta fica aberta e por ali; nunca há uma mesa para pôr nem para levantar, ...). O meu marido felizmente teve uma visão mais razoável da coisa, mas tb porque levou um empurrão no início. Ele não fazia, eu também não fazia; ou então só fazia qd ele tb estava em casa para o "obrigar" a fazer tb. Várias vezes tive que ir "às escondidas" dar um jeitinho em qualquer coisa que não ficava tão bem, mas com o tempo foi lá. Hoje faz praticamente tudo (só a roupa é que não está no departamento dele) e até cozinha vários pratos melhor que eu.

      Eliminar
    7. Tb concordo q deve deixar de fazer as coisas p ele ver o q custa. Eu e o meu marido dividimos o tempo de tarefas a meio mas nao fazemos necessariamente as mesmas tarefas. Por ex: limpar o po sou sempre eu, mas ir buscar lenha e acender a lareira no inverno ou fazer churrasco no verao é com ele. Quando sinto q ele se está a desleixar um pouco, deixo de fazer. Por ex: ja cheguei a passar a ferro so a minha roupa e deixar a dele por passar umas 3 ou 4 vezes nos ultimos anos. Tb detesto a expressao ajudar em casa: ele nao ajuda, ele tem de o fazer pq é a sua responsabilidade. E mtas vezes é culpa das mulheres pq ele nao sabe fazer tao bem, e deixam andar. Outra dica:se ele nao sabe cozinhar podem fazer em conjunto, ele vai cortando batatas, e fazendo coisas simples consoante as indicaçoes. Outra dica: valorizar o tempo trabalhado, ou seja, se uma empregada domestica é paga 6€ á hora, entao se a esposa passa 4h no sabado a fazer a lida da casa e ele nao faz nada, entao ele paga 50% do custo, ou seja 12€. Sei de casos em q isto resultou pq eles nem tinham noçao do tempo q a esposa gastava em tarefas e qd tiveram q o pagar aí ja mudaram de ideias...

      Eliminar
    8. Adorei a ideia!!!

      Eliminar
    9. O meu faz tudo, quem ajuda sou eu....ahahah!!!!

      Eliminar
    10. Eu sou daquelas que não consegue parar enquanto não estiver tudo feito e ele colava-se um pouco nisso até que eu tive de ter uma ou duas conversas com ele. Tudo bem que enquanto ele limpa uma casa de banho, eu limpo o resto da casa (ele é do estilo de usar uma escola de dentes para limpar o cantinho que ninguém vê) mas noto que ele se tem esforçado. As únicas coisas que ele não faz é limpar o pó (é alérgico ao pó) e passar a roupa. Às vezes é só preciso ter uma conversa :)

      Eliminar
    11. Olhe na minha modesta opinião, nós (as mulheres) temos alguma culpa, pois temos sempre tendência a fazer tudo,depois reclamar e fazer novamente tudo sozinhas. Aqui em casa, felizmente podemos ter alguém para fazer algumas tarefas domésticas, mas mesmo assim com 2 filhos e um cão há sempre muito para fazer/ limpar/ arrumar. Por isso as tarefas estão claramente distribuídas por ambos e o homem já sabe que não vai receber nenhum Óscar no final, pois ele não está a ajudar, está a fazer a parte dele e eu a minha!

      Eliminar
    12. Não me leve a mal Catarina, mas acredita mesmo que o seu marido, que nunca partilhou consigo tarefas domésticas, vai mudar de atitude se a Pipoca escrever sobre isso (se é que ele lê o Pipoca). Não é mais fácil, prático e sobretudo lógico que seja a Catarina a falar com ele e levá-lo a mudar de atitude?

      Eliminar
    13. Eu acho que o problema começa na própria maneira de falar. "Ajudar" em casa. A palavra ajudar dá a entender que a mulher é que é a responsável por todo o serviço doméstico.
      O homem não precisa ajudar e sim partilhar, já que a responsabilidade é de ambos: homem e mulher.
      Pense nisso!
      Se meu homem não dividisse o trabalho doméstico comigo, eu já o teria despachado há muito tempo. Eu, hein! Que folga!

      Eliminar
  7. Lavo, passo, cozinho não... lolll

    Amei as propostas!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Hahahahahahshah Tá jóia!!

      Eliminar
  8. OK , AGM. .. ótimas sugestões para quem ande a nadar em €€€, ou saque do Credit card e depois logo se vê! Para o comum português é melhor optar pela tática da "vaquinha", todos levam os comes e bebes, cozinham na casa do (in)feliz contemplado... ficando as limpezas por partilhar ou a cargo do anfitrião! O que é fantástico para os que escapam! 😂

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ahahah pensei exatamente o mesmo... o anfitrião tem que ser rotativo, cada ano calha a um diferente, porque é sempre aquela chatice.

      Eliminar
  9. Adoro o Hard Rock!
    Cris

    www.lima-limao.pt

    ResponderEliminar
  10. Querida Pipoca falta na tua lista o restaurante Versailles em Belém. Vão fazer também almoço a um preço mais simpático :) e a comida é deliciosa!!

    ResponderEliminar
  11. A Páscoa é em casa!
    O cabrito é temperado de véspera e assa no forno com batatinhas coradas. O truque é colocá-lo bem cedo, a 170 graus e ir à vidinha. Depois, é virá-lo e deixar dourar do outro lado. Os avós trazem o arroz doce e o pão de ló. Os padrinhos as amêndoas, a vizinha costuma dar uns ramos verdes e umas camélias do jardim para alindar a entrada de casa e em troca leva um frasco de doce caseiro, o pai esconde os ovos e mais alguém há-de aparecer...e assim se passa a Páscoa na província, até chegar o padre para beijarmos a Cruz. É tão mais confortável do que ir "brunchar" com uma data de desconhecidos!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pois... muito poético mas e quem mora na cidade??

      Eliminar
    2. Aluga um airbnb no campo...

      Eliminar
    3. Ahahahahahah Ahahahahahah! Gostei!!

      Eliminar
    4. Melhor mesmo é nem celebrar a Páscoa. Só de pensar nessa ideia (que infelizmente passei na infância) de beijar uma cruz, até fico agoniada só de pensar nos micróbios, nojo.

      Eliminar
    5. Nao é preciso beijar mesmo, ha malta q simplesmente se faz o gesto mas nao chega mesmo a tocar c os labios na cruz. E ha malta como o meu marido q so la ta para o convivio e nesse momento vem ao jardim conversar c os amigos e n beija a cruz

      Eliminar
    6. Eu adorava o beijar a Cruz e toda a cerimonia á volta desse ritual, tenho muita pena que a minha familia depois dos meus avós morrerem , tenha deixado de ir á terra e nunca mais tive possibilidades de passar por isso.
      Sobre o acto de beijar, alguns beijavam outros só faziam o gesto.

      Mas só faz sentido se a pessoas gostarem de toda a reuniao familiar e sobre o gesto da casa ser abençoada . No meu caso , eu adorava.

      Eliminar
  12. Saudades do tempo em que a Páscoa era passada em Família. Em que comíamos o cabrito e na parte da tarde víamos os filmes bíblicos. Saudades do frenesim para estrear a roupa da pascoa, pk a roupa nova era só nas festividades, e viva o velho.
    Saudades do que lá vai e não volta.
    um beijinho e uma santa páscoa

    ResponderEliminar
  13. Incrível como em Portugal, as pessoas expoem em demasia e em público as suas fragilidades e só falam em dinheiro. Se não têm, não vão. Quando eu não tenho capacidade financeira para algo, não faço e passo à frente. Mas parem de falar somente sobre isso, parece que só pensam nisso e nunca no lado bom que sao as experiencias, o convivio, que envolva ou nao dinheiro. É incrivel como basta sentar para comer com colegas, um amigo, um familiar, e so falam quanto custou o garfo, o azeite, o vinho. Que tédio!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tem razão, fala se muito no dinheiro mas também não será por se ganhar cerca de 600/ 700€ apenas? Se as pessoas ganhassem TODAS bem acho que ninguém perderia tempo a falar no que se gasta ou no que não se pode.

      Eliminar
    2. Nao ganho muito mais que o salário mínimo e não falo sempre sobre dinheiro. Tenho mais coisas a dizer que as palavras “caro” e “barato”.

      Eliminar
    3. Isto faz lembrar um artigo que o Arrumadinho escreveu há 5 anos, chamado “Judite e Lorenzo”. Como o dinheiro e a inveja movem as pessoas.

      Eliminar
    4. Se eu tivesse uma carteira da Gucci e sapatos Valentino, não comia.

      Eliminar
    5. 17:58h,
      Repetindo o "mote" supra, diria, que comentário tão poético.. .seria de facto maravilhoso que todos nos pudéssemos alhear dos valores das coisas. . Talvez a anónima o possa fazer, que bom para si e para os seus, mas pense naqueles que lamentavelmente contam os euros ou cêntimos até ao fim do mês e deixe-se de "alucinar"!

      Obs. É incrível, acredite(se quiser) quem aufere o SMN, lembra-se permanentemente do dinheiro ou da ausência dele.... é a vida de muitos milhares ! Por isso não os ofenda, para si pode ser entediante a triste realidade alheia... pode sempre "passar à frente"!

      Eliminar
    6. Que ressabiada!, senhora 20:22 mude de trabalho se ganha pouco e odeia quem ganhe mais ou se lamente menos.

      Eliminar
    7. 17:58h:
      Porque será que as pessoas em Portugal são assim? Então não sabe? Pois eu não vivo assim tão mal mas compreendo o desabafo dos que o fazem, costuma-se dizer que cada um sabe de si.

      Eliminar
    8. Oh anonimo das 21:21 falar é facil, mas se fosse assim ninguem ganhava o salario minimo em portugal, mudavam tds p empregos q ganhavam mais. Q disparate. Eu agora estou bem, mas ainda me lembro de qd era miuda e a minha mae contava tostoes p me sustentar a mim e á minha irma sozinha, claro q se ela pudesse tinha arranjado um emprego a pagar melhor.

      Eliminar
    9. Criatura 21:21h,
      É notória a sua incapacidade de interpretação . .Falta-lhe também bom senso !😉 Se alguém
      Rema contra a maré , surge inevitavelmente o comentário da inveja, ressabiamento, tão mas tão "gasto" neste blogue,depois é cada tiro no escuro... até
      parece que conhecem a vida de quem comenta atendendo única e exclusivamente ao conteúdo dos comentários...Enfim, têm muito que aprender!

      Eliminar
    10. Incrível como um post sobre sugestões giras se torna uma central de lavagem de roupa. Sad!

      Eliminar
    11. anónima 21:21
      Uhm então quem ganha mal basta mudar de emprego é isso???

      Uhm mto bem...
      Sabe em média quanto ganha as educadoras do seu filho??se calhar devia pagar mais de mensalidade!! sabem quanto ganha as pessoas que apanham o lixo a nossa porta? talvez devessemos pagar mais contribuições ! sabe quanto ganha as pessoas que lhe servem o café ou a refeição que come? talvez devessemos pagar mais pelo café! sabe quanto recebe uma funcionaria de um hipermercado?????epah vá se lixar!

      Eliminar
    12. A minha avó sempre dizia que não era de bom tom falarmos de dinheiro, talvez porque lá está era de uma família privilegiada, mas compreendo perfeitamente que quem pouco tem, é obrigatoriamente forçado a falar de dinheiro, a contabilizar o valor das coisas, os comentários da anónima foram bastante infelizes, não interessa se tem muito, mas sim em não ser ofensiva para com a realidade dos outros

      Eliminar
    13. Bem respondido, anónimo das 11h27!

      Eliminar
    14. Para as anónimas que acham um tédio falar de dinheiro,que dizem que quem ganha pouco mesmo assim não se devia queixar, só lhes digo uma coisa: O dia de amanhã ninguém o viu, e podem estar hoje no pedestal e não compreender os que estão em baixo, mas no futuro ninguém sabe o que lhes poderá acontecer. Por isso não critiquem.

      Eliminar
    15. Ganho o SMN, ganho mal. Acho um tédio falar em dinheiro e concordo com o comentário original. As pessoas falam demasiado no preço das coisas, quer ganhem mal ou bem. Quando me sento à mesa com alguém, não quero saber se a louça é Vista Alegre ou Ikea, se a água é da torneira ou de um glaciar, quero conviver.

      Eliminar
    16. Conheço quem ganhe bem e mesmo assim reclama. Por isso concordo com o primeiro comentário.

      E já estão a rogar pragas! Boa sorte com isso!

      Eliminar
    17. Já dizia o Oscar Wilde que um cínico é aquele que sabe o preço de tudo e o valor de nada...

      Eliminar
    18. A vida da mts voltas. Desde q nasci ate aos meus 12 anos vivi mt bem, o meu pai era director financeiro numa grande empresa a ganhava bem. Depois abandonou-nos sem nada e a minha mae tinha de contar tostoes p sustentar a mim e á minha irma. Actualmente graças ao curso universitario consegui uma boa carreira e tou bem, mas sei

      Eliminar
    19. Então anónimo das 17:58, quer que fale de quê?! Diga lá, já que as pessoas não podem falar do que lhes apetece, diga o que podem falar... E viva a CENSURA, volta Salazar, estás perdoado!!

      Eliminar
    20. Outro anónimo04 abril, 2018 18:49

      Deduzo que o anónimo das 11.43 não tenha mais nada para falar a não ser do preço da amêndoa. Se só lhe apetece falar de dinheiro, isso é lá consigo e com quem convive consigo.

      Eu, por mim, costumo evitar conviver com as pessoas que adoram dizer o preço dos copos e da sobremesa. É maçador.

      Eliminar
    21. Obrigada Outro Anónimo! Concordo!

      Eliminar
  14. Toda a razão. Depois do almoço de Natal, nunca mais quero festividades destas em minha casa! Já tinha pensado nesta opção mas afinal vai ser em casa dos pais e dos sogros. Mas no Natal vai ser mesmo assim. Boa Páscoa

    ResponderEliminar
  15. Não esquecer que, para que estes almoços e buffets existam, alguém tem de estar longe da família para os fazer/cozinhar... Desabafo de mulher de cozinheiro que vai trabalhar na primeira Páscoa em que o garoto vai entender isto de andar à procura de ovos... :(

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu também não vou estar com a minha família na Páscoa,(trabalho na restauração) mas é vida, para uns se divertirem outros têm de trabalhar. É um pouco triste mas tem de ser.

      Eliminar
  16. Fim de semana de Páscoa com amigos em casa, à lareira, à conversa e descansadinhos da vida. Paz e sossego. Quanto à "ajuda" do marido, aqui fizemos uma tabela de divisão de tarefas, como eu tinha quando estudava e dividia casa com colegas. A minha sogra ao educá-lo não se lembrou que ele um dia iria à vida dele e iria precisar de saber fazer coisas. E cá estamos, sobrevivemos a isso, espante-se. Eu casei com o homem, bolas, não hei-de conseguir falar com ele e explicar-lhe que isto tudo é tarefa dos dois? Vá, boa Páscoa, mais amêndoas e menos stress.

    ResponderEliminar
  17. Não entendo. Mas alguém mesmo tem por tradição andar à caça de ovos?? De verdade? Tradição com quantos anos??? Com que objetivo? Eu tenho 40 anos e a única tradição é o beijar da Cruz em nossa casa, vizinhos e familiares; ouvir 15 vezes "Jesus ressuscitou! Aleluia, aleluia, aleluia." É o convivio claro! Mais os foguetes o dia todo.
    Vai.se à caça de ovos porquê? Não vão ao Google. Digam lá!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu tenho essa tradição, eu tenho... desde há 6 anos, desde que estou em França e descobri que todas as terrinhas fazem isso para os gaiatos num dos jardins.

      Mas nunca tinha ouvido falar antes...

      Eliminar
  18. Marta pCarvalho30 março, 2018 00:41

    Excelentes as opções que propoe, fora das comidas pesadas que estas datas geralmente impoem. Com o tempo e dinheiro que se gasta nestes almoços em casa, estas são excelentes dicas alternativas.
    A proposta do Hard Rock também é optima, um espaço diferente.
    Eu vou ficar por lisboa. Nestes próximos dias vou descansar e passear, na medida que a virose do meu filho o permita:). Ontem fartou-se de vomitar (e não está gravido, acho eu:). Hoje ainda esta com febre e por isso devem ser aqueles diazinhos da praxe até passar completamente.
    No domingo vou almoçar em casa dos meus primos e vou “lavar as mãos do cabrito”, para “não secar o bicho”:).
    Obrigada pela partilha.

    ResponderEliminar
  19. Eu dava tudo para ter família com quem conviver na Páscoa, infelizmente vivo só com a minha filha e nunca soube o que era isso de um domingo de Páscoa ou um almoço.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Anón. 10:38: Não fique triste, viva feliz com o maior bem que a vida nos dá, os nossos filhos. Eu tenho família mas estão todos longe, por isso também já não ligo muito à Páscoa, e pode crer que por vezes as pessoas da nossa família não são as melhores amigas, há de tudo. Seja feliz com a sua filha, e tudo de bom para ambas.

      Eliminar
  20. que lindo comentario. :) parabens! boa energia :)

    ResponderEliminar

Teorias absolutamente espectaculares

AddThis