Pub SAPO pushdown

Uma entrevista, um documentário e uma série para ver na Netflix

quarta-feira, fevereiro 14, 2018
Se eu leio cada vez menos a culpa é da Netflix. Se eu me deito todos os dias tarde e a más horas, a culpa é da Netflix. Aquilo é como deixar um gordo à solta numa loja de doces (sim, disse "gordo", processem-me), uma pessoa nem sabe muito bem para onde se virar, quer apanhar tudo. Ele é séries, ele é filmes, ele é documentários, ele é tanta coisa boa ali à mãozinha de semear. Às vezes perco uma hora só a decidir o que quero ver, tamanha a escolha. Não, fofis, não tenho patrocínio nenhum da Netflix, pago a minha continha como o comum dos mortais, mas aquilo revolucionou tanto a minha vida que merece todos os louvores e mais alguns. É isso e o Spotify. Que, by the way, também pago. Só estou a fazer a devida ressalva porque sei que há sempre meia dúzia de almas que só leva as minhas opiniões a sério caso eu não esteja a ser paga. Se estiver, esqueçam, é automaticamente mau, buuuuuu, fora, é cocó. 

A-di-an-te. Só partilhar aqui convosco algumas coisinhas que tenho andado a ver e que acho que também vos podem interessar. Entendam isto como eu a querer fazer de vós melhores pessoas. Pessoas que têm cenas fixes para partilhar com os colegas à hora de almoço. Pessoas que tanto falam do Benfica-Rio Ave como daquele documentários super hipster que viram ontem à noite. Claro que se depois vos perguntarem quem é que vos falou disso, não digam "vi no blog da Pipoca", porque isso é super a puxar para baixo, tira-vos logo metade do charme (sobretudo se forem homens). Leram na Monocle, está bom? Então cá vai:


O David Letterman, que apresentou o Late Show na CBS durante uns 150 anos, saiu do ar em 2015 e voltou agora neste formato exclusivo para a Netflix. Chama-se "O Meu Próximo Convidado Dispensa Apresentações" e são entrevistas com malta daquela mesmo, mesmo fixe. Só saíram dois episódios ainda. O primeiro foi com o Obama (pumba, começar logo assim à bruta), o segundo com o Clooney (achei mais fraco) e os próximos com a Malala Yousafzai, o Jay-Z, a Tina Fey e o Howard Stern. O David Letterman está como peixinho na água a entrevistar esta gente toda, e as conversas vão alternando entre o estúdio e o exterior (tipo, a casa dos entrevistados ou coisa assim). Vale mesmo a pena e só me irrita que os episódios ainda não estejam todos lançados. 



Andava eu na minha busca por documentários quando bati com os olhos neste e pareceu-me logo bom. É mesmo. Foi realizado pelo Jon Alpert (que tem mais Emmys do que eu tenho sapatos) que, ao longo de mais de 40 anos, foi fazendo várias visitas a Cuba e entrevistando sempre as mesmas pessoas. Tudo isto sem meios nenhuns, só com uma câmara. É muito bonito ver a relação que ele foi desenvolvendo com os entrevistados ao longo de tantos anos e acaba por se ter uma óptima e muito realista perspectiva histórica, sociológica e económica da evolução (ou não) de Cuba. Nem sequer faltam entrevistas exclusivas a Fidel Castro (que tinha um sentido de humor do caraças). O documentário tem um lado humano incrível, muito assente nas amizades que o Jon Alpert fez por lá. Das melhores coisinhas que vi nos últimos tempos.


Foi um meme brasileiro qualquer no Instagram que me chamou a atenção para a série, qualquer coisa como "quando és a única pessoa que não viu A Casa De Papel e não percebes nada do que estão a falar". Fiquei a perceber que era uma "cena" que estava a acontecer e lá fui procurar. Pronto, tudo lixado. Em dois dias marcharam os 13 episódios da primeira temporada (uma hora cada um, atenção), é daquelas tipo "24", não dá para ver um episódio hoje e outro daqui a uma semana, esqueçam. Se se vão meter nisto, façam-no num fim-de-semana, estou a avisar. A série é espanhola e, originalmente, passou na Antena 3. Entretanto, a Netflix comprou os direitos e decidiu dividir a coisa em duas temporadas. Buuuuuuuuuu! A primeira tem os tais 13 episódios, a segunda tem 6. E, claro, quando chegam ao fim da primeira e percebem que a segunda só chega lá para Abril, têm vontade de enfiar uma faca no fígado logo ali, porque não dá (repito, NÃO DÁ), para ficar sem saber como aquilo acaba (vi-me obrigada a andar a pesquisar noutros sites até a encontrar. E encontrei). Então, basicamente "A Casa de Papel" é sobre um grupo que decide realizar o maior assalto da história, à Casa da Moeda, com um plano praticamente infalível. Pelo meio, são feitos não sei quantos reféns e está-se mesmo a ver que está o caos montado. E pronto, não posso contar mais nada. Mas acho que nunca na vida tinha torcido tanto pelos "maus".


E vocês, o que é que andam para aí a ver? Partilhem tudo, não sejam lambões, temos de ser uns para os outros.


67 comentários:

  1. Eu recuso-me a assinar netflix, por vários motivos, alguns deles o conteudo das suas séries que defendem aquilo a que chamam de "Agenda Progressista", "Progressivismo", "Tornar o que é anormal, em normal.".

    Nada contra quem vê, mas esta é a minha opinião sobre a Netflix. Tal como a Disney, com as suas mensagens ingénuas para passar informações para as crianças, com a cumplicidade dos pais que não vêem mal nenhum em nada.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ahahahaha este comentário é real? Agenda progressista?! Ahahahaha "tornar o que é anormal em normal". Isto é de chorar a rir...

      Eliminar
    2. A caixa de comentários deste blog é um autêntico case study...

      Eliminar
    3. Pode desenvolver por favor? Nomeadamente a parte "tornar o que é anormal em normal"? Curiosidade genuína.

      Eliminar
    4. Já ouvi chamar muita coisa a falta de dinheiro, mas nunca tinha ouvido isto! Rebuscadote. Parabéns anónimo das 10.38!

      Eliminar
    5. E se for outro serviço de streaming já pode? Amazon por exemplo? Ou a agenda progressista é só na Netflix? Ou se optar antes por sites fajutos e sem pagar? O problema é a empresa que está por trás do serviço, ou afinal são as mensagens subliminares das séries? E se as séries forem baseadas em livro pode? Ou a indústria livreira também está nesse esquema do progressismo? Não veja nada, não leia nada, excepto a Bíblia e links manhosos de fb sobre teorias da conspiração.

      Eliminar
    6. Toda a gente sabe que o progresso mina sociedades. Não queremos cá modernices, não é verdade?
      *facepalm*

      Eliminar
    7. Oh com caraças!

      Eliminar
    8. A seita da igreja evangélica invadiu o blog da Pipoca!!!!!!!!! LOL já levei n vezes com estas bojardas do A DISNEY É SATANICA porque Pocahontas significa espírito do Mal...porque o gato da madrasta da Cinderela se chama Lúcifer e ela está sempre a chamá-lo (invoca-lo) LOL e ainda a pérola de uma das torres do castelo da pequena sereia ser um pénis! Oh pah como se diz por cá: CUIDADO!!! Eles andem aí!!!!

      Eliminar
    9. Mete mais tabaco, pá!!

      Eliminar
    10. Epa fogo... acho que a Netflix vai fechar portas por sua causa 😢

      Eliminar
    11. Faz muito bem! Temo muito pelo futuro da Humanidade. O que lhes irá acontecer agora que têm acesso à fogo, à luz, à água potável, à escrita, às redes sociais? Espero que a abdução à qual V.Exa. foi submetida(o) seja um farol na sua vida. Quero agradecer à nave espacial em especial e aos seus ocupantes em particular, por se terem sacrificado com este ser humano ma-ra-vi-lho-so.
      Julgo que foi um dos grandes percursores da ideia (fenomenal) de queimar pessoas nas fogueiras (Idade Média), de ser a favor das histórias da Bíblia (Velho Testamento é do melhor!!! Qual Netflix, qual quê, pá, aquilo é bordoada em gajas, violações em massa, gajos sodomizados) coisa impossível de traumatizar qualquer ser humano. E quanto à Disney? Esse sacana, pá que fez a minha mãe chorar baba e ranho com a história da morte da mãe do Bambi? Um rato que dança?! Onde na Bíblia existe tanta mentira? Onde?!?
      Aos ET’s que levarem esta pessoa, porque é que não ficaram com ela?! Não podiam tornar a “anormal” em “normal”? Ou começaram a rir e ainda por cima deixaram-na em Portugal?! Cobardes. É só o que tenho a dizer. Et’s co-bar-des!!!!

      Sugestões para o resto do pessoal:
      The act of Killing
      Best Enemies
      The Mask you live in
      The true cost
      Finding home
      My Beautiful Broken Brain

      Maria Lopes

      Eliminar
    12. Ah, ah, ah, brilhante este anónimo das 11h36 :)

      Eliminar
  2. La Casa de Papel está muito bem conseguida; e também papei os 13 epis.em menos de 2 dias. Depois revirei a internet e lá encontrei os restantes epis. que esperar até Abril ou Maio (ou Dezembro, como li algures) era coisa de me dar uma crise de ansiedade e n/há cá ansiolíticos que me assistissem. De modos que vi tudinho e depois ainda li críticas e mais teorias, e revirei o instagram dos actores todos... só para fazer dourar um bocadinho este bem estar que a série me proporcionou.

    Gostei muito deste post, pena só teres nomeado 3 títulos, mais e mais e mais? Tanta coisa que posso/podemos estar a perder.

    Clara

    ResponderEliminar
  3. Percebo bem o que dizes. No outro dia tinha o meu livro ao colo, manta nas pernas e todo um cenário preparado para horas de leitura, MAS antes de começar a ler caí no erro de fazer um zapping e PIMBAS, estava a dar o primeiro episódio do "This is us", ora como já tinha ouvido falar imenso da série pensei "é hoje". Abortei a leitura e entrei num caminho sem volta em que a cada segundo livre vou ver mais uns episódios. ADORO!!!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Quando chegar à 2ª temporada vai ficar a gostar mais. É uma série tão bonita, com pormenores e a maneira de contar a narrativa tão bonita, chorar com momentos alegres e outros mais tristes, ficar a adorar o Jack, o Randall e toda aquela família... Conhecê-los melhor.. A família Pearson podíamos ser nós. This is us... :)

      Eliminar
  4. Oh Pipoca, substitua lá o gordo por guloso! Quem é que não conhece magerrimos gulosos perdidos em lojas de doces?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Mas magros na loja de doces parece que estão a comprar para oferecer. A imagem não tem tanta piada. Também podia ser um gordo a comer um sundae após um menu XXl no Mac. Ele há tantos ( e tantas)... É gula? Claro que sim. Mas visualmente é excesso de peso.

      Eliminar
  5. Obrigada pela partilha.
    Em termos de documentários, e para quem se interessa por música, e pelo mundo do jazz em particular, há dois muito bons no Netflix: “What happened, Miss Simone?” (sobre a Nina Simone) e o “Chasing Trane” (sobre o John Coltrane).

    ResponderEliminar
  6. Oh não tens parceria com a Netflix? Continua a dar-lhes umas borlas, pode ser que te contactem.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Óbvio! Então mas acha que eu escrevi este post para quê? Ando aqui a dormir, querem ver?

      Eliminar
    2. CARAÇAS, JÁ NINGUÉM TEM CÚ PARA ISTO!!!
      Começo a achar que é sempre o mesmo triste a fazer estes comentários. Que nojo, a sério.

      Eliminar
    3. oh.. gente tão invejosaaaaaaaaaaa!

      Eliminar
  7. Pipoca, se gostas de séries históricas, aconselho vivamente The Crown, se gostares de séries um bocadinho mais sci-fi e com a nostalgia dos anos 80, tens MESMO que ver Stranger Things.

    ResponderEliminar
  8. Só para avisar que "A Casa de Papel" tem 15 episódios!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pois tem. Mas como a Ana disse, a Netflix dividiu em duas partes. Tendo a 1ª parte, 13 episódios e a 2ª, os restantes 6. Basicamente, são 15 episódios mas divididos em 19.

      Eliminar
  9. Adorei o documentário com o Jon Alpert e o facto de ele saír detrás da camera e establecer uma ligação com aquelas mesmas pessoas ao longo dos anos. Linda história!
    Outro documentário que adorei, ainda que a cozinha não seja o meu forte foi o Chef´s Table, em que cada episódio é dedicado a um Chef internacional da chamada alta cozinha. Genial, o amor, a capacidade de trabalho, o empenho e a singularidade de cada um destes personagens oriundos de cada canto do mundo e cada um com um propósito, mas todos tão genuínos! Aviso que só a fotografia já engorda!

    ResponderEliminar
  10. A Netflix é simplesmente espetacular, concordo!!
    Vi Gypsy porque recomendaste num post há umas semanas e ADOREI! Por favor, com ou sem parcerias continua a dar sugestões!! :)

    Recomendo "Dope", "Shot in the Dark" e "Mindhunt - Unabomber", gostei muito mesmo! Não sei se já viste.

    Beijinhos

    ResponderEliminar
  11. Eu não vejo televisão! Não há pachorra para ver "gajas" aos gritos a repetir números de telefone de 10 em 10 segundos, comentadores de bancada todos os dias, filmes repetidos durante anos e anos e séries só de quando em vez na RTP2!
    Não tenho alternativa em ver Netflix, antes de adormecer! É o meu Xanax, ainda que também me aborreça o espaço interminável entre temporadas. Agora estou a seguir um policial sueco e a achar muita graça àquela malta!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não tenho alternativa! lol
      1º na televisão há a RTP2, que não tem passatempos com meninas aos gritos
      2º há TV Cabo para quem prefere pagar
      3º há youtube de grátis
      4º há sites piratas
      5º sim, o netflix também entra
      mas é um dislate dizer que 'não tenho opções'

      Eliminar
  12. Há um documentário interessante para quem gosta de futebol, que se chama "Les Bleus" e que aborda a selecção francesa de futebol entre 1998 e 2016 - sim, na última parte do documentário, aparece lá a "nossa" final.
    Para quem aprecia politica internacional, também gostei do documentário Mitt Romney, com o mesmo nome.
    Para quem é mais entusiasta de séries, bom, há lá de tudo.
    Recomendo as seguintes: "Love" - sobre relações amorosas do século XXI, com Los Angeles como pano de fundo; cada episódio tem cerca de 25 minutos, bom para descontrair; com argumentos fortes e personagens complexas: "The Americans", "Bloodline", "Killing" e "Ozarks".
    Mas, claro, cada um sabe do que mais gosta.
    PS: Pipoca, muito boa a referência à Monocle. Melhor, melhor, só mesmo uma referência à Good Life (é igual à Monocle, mas em francês, logo, mais restrita eh eh eh).

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. The Americans é muito bom!

      Eliminar
  13. Toma lá os restantes episódios da Casa de Papel e não digas que vás daqui sem nada :)
    https://www.cuevana2.tv/

    Já viste o Orange is the New Black?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada, do fundo do coração.

      Eliminar
  14. Pipoca e a "Altered Carbon" já viste?? Tão viciante!!!

    ResponderEliminar
  15. As últimas:
    The Good Place (engraçadita)

    Las Chicas del Cable (série espanhola passada nos anos 20 com personagens um pouco esterotipadas, mas ainda assim porreira)

    Dix Pour Cent (disponível na minha conta Netflix em França, não sei se foi lançada em PT - trata do dia-a-dia de uma agência de actores em Paris)

    Marseille (chamaram-lhe o House of Cards francês porque se debruça sobre a política e a corrupção, mas fica por aí. Tem um twist final inesperado - pelo menos para mim e quero ver a segunda temporada que sai a 23 de fevereiro)

    ResponderEliminar
  16. Dark. La Mante. Lovesick. The Killing. Das mais recentes que vi e adorei. Estava doida para ver "Altered Carbon", adoro distopias, sci-fi, etc, mas achei péssima.

    ResponderEliminar
  17. Ainda a chorar o Gipsy mas o Easy também é bom

    ResponderEliminar
  18. Obrigada Ana! Andava eu à espera de mais uma série Netflix que me enchesse as medidas... boas sugestões!!!

    ResponderEliminar
  19. La casa de papel sim,sim,sim vicio!!!! Ontem deitei-me tão tarde!!! Só me falta o ultimo!!! ai ai pode crer também já estou a torcer pelos maus :) :) Se gosta de series de época veja Versailles, é sobre avida do rei Luis IX, sem ser excepcional é muito interessante. Os Medicci (the masters of florence) também é excelente !! the crown que já falaram aqui também muito bom.

    ResponderEliminar
  20. Pipoca, tens que ver THE DEUCE!!! (TV series)

    ResponderEliminar
  21. "The Affair" é mt fixe também ;)

    ResponderEliminar
  22. Apesar de não ser do netflix, recomendo vivamente big little lies! Viciante!
    Também estou viciada na LA Casa de Papel. Quase a terminar!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Adorei o Big Little lies e o livro em que é baseado. Todos os livros dela. Vale mesmo a pena ler. «O segredo do meu marido» é espectacular!

      Eliminar
    2. Li há uns meses «O segredo do meu marido». Esta semana vi Big Little Lies e só no final é que descobri que a série é baseada num livro da mesma autora. :)

      Eliminar
    3. Li ainda «Dez anos depois» dela. Também vale a pena ler! Beijinho

      Eliminar
    4. Big little lies é muito mas muito bom! Westworld e a última temporada de Black Mirror também são top para quem gosta do género. Mas nada bate Handmaid´s Tale :)

      Eliminar
  23. Brooklyn Nine Nine, Jane the Virgin, Abstrato, The Client List, Jeremy Scott the people's designer, Iris

    ResponderEliminar
  24. Ando a ver Black Mirror e viciei em New Girl... mas quero muito começar La Casa de Papel, já ouvi falar dessa série em tudo quanto é sítio. Quando tiver um fim-de-semana mais livre, vai ser para isso

    Beijinhos, Ensaio Sobre o Desassossego

    ResponderEliminar
  25. Série estou a adorar "grace and frankie" 2 casais na casa dos 70 anos acabam eles a assumir um romance de há 20 anos querendo até casar, elas ficam a viver juntas.


    "Névoa " , "dark" ( é em alemão mas é top), " the end of the fucking world".

    Filme gostei deste último filme " quando nós nos conhecemos"

    Documentário tenho alguns na lista mas ainda não vi.

    ResponderEliminar
  26. Pipoquinha, vê Dark!! Muito muito muitooooo bom!!!!! Fotografia e banda sonora óptimas!!

    ResponderEliminar
  27. Damnation, vi no fds e gostei. Nunca tinha reparado nesta série, mas não desiludiu.

    ResponderEliminar
  28. Eu cá só acho que o Anónimo, à quantidade de comentários, não deve fazer nada na vida. Que raio de nome tb..."Anónimo"...Eu se calhar tinha vergonha... Ah, não tenho Netflix!

    ResponderEliminar
  29. Obrigada pela partilha, Ana! Adorei o Broadchurh. Está mesmo muito bem feito.
    Beijinho e não dá para não aceitar os comentários das parolitas mediocres?! :)

    ResponderEliminar
  30. Pipoca, os episódios da série La Casa de Papel já estão todos disponíveis. Não tens que esperar até Abril.
    Para mim foi uma agradável surpresa, uma série espanhola estar tão bem feita...
    Podes também dar uma vista de olhos à série Las Chicas del Cable, pode ser que gostes. Nem que seja pelo Yon Gonzalez :)

    ResponderEliminar
  31. Marta o carvalho14 fevereiro, 2018 22:14

    Tenho de ver estes documentarios p poder comentar o Benfica sem stresses:)
    Tenho visto lacasadel papel e filmes com o meu filho (Pele...).Estou a ler "eu sou o meu maior projecto", um livro de uma senhora muito inspiradora(M GloriaRibeiro" q q abriu a 1a empresa de headhunting em Portugal ha 30 anos.. Mt inspiradora:)

    ResponderEliminar
  32. Li agora no Público que há um novo espectáculo do Chris Rock disponível desde ontem.

    ResponderEliminar
  33. Cavalheiro do Aeroporto15 fevereiro, 2018 11:44

    The Sinner e Peaky Blinders (que não me canso de recomendar)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Comecei a ver agora o Peaky Blinders!! Estou a adorar.

      Eliminar
  34. Cavalheiro do Aeroporto15 fevereiro, 2018 14:58

    A Casa de Papel está na Netflix portuguesa? Não encontro...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Cavalheiro do Aeroporto15 fevereiro, 2018 19:50

      Ja encontrei. Money Heist.

      Eliminar
  35. La casa de papel - onde???? 2ª temporada e últimos episódios da primeira, onde?? por deus, onde? uma pessoa não aguenta tanta ansiedade.

    ResponderEliminar
  36. Dr. Foster, espetacular :)

    ResponderEliminar
  37. Pipoca, recomendo vivamente "A Pecadora" é uma série viciante. Mindhunter, Stranger Things, Alias Grace.

    ResponderEliminar
  38. Há pessoas que não tem nada que fazer se não criticar credo!!! Bis por mais artigos assim! Não ligues a gente mal resolvida pipoca beijo

    ResponderEliminar
  39. Há uns meses para cá pus-me a ver uns videozitos do Last Week Tonight, assim como quem não quer a coisa, e dou por mim rindo desalmadamente com o john oliver e um conhecimento invejável sobre a maneira como funciona a NRA e a política americana quanto a seguros de casas em casos de danos de água (temas fáceis portanto).
    Como se não bastasse pus-me ao fim do dia a ver um episodio da primeira temporada de The Blacklist, e aquela série fez-me refém (estou a falar de três horas de sono porque necessito de ver o próximo episódio como quem necessita de um banho de água fria depois de ver o Zac Efron sem camisola).
    Perceba-se: programas que nada têm a ver um com o outro mas que rapidamente se tornam guilty pleasures que nos roubam horas e horas do dia

    ResponderEliminar

Teorias absolutamente espectaculares

AddThis