Pub SAPO pushdown

O dia em que estive a "isto" de ficar sem um dedo

quarta-feira, maio 03, 2017

Foi uma daquelas situações de "foda-se-caralho-foda-se" repetido em loop, alto e bom som, ao mesmo tempo que atirei uma garrafa de água de litro e meio pelos ares. Vinha da cozinha lançada e confiançuda para ir buscar uma coisa à carteira, que estava na sala, e um mau cálculo do trajecto fez com que enfiasse um pé (o meu) num outro pé (o do sofá). Sabem aqueles nano segundos após batermos com uma parte do nosso corpo em algum lado, em que a dor não vem logo logo logo, mas sabemos que vai chegar em menos de nada e que vai ser fodido? Aqueles nano segundos que são coisa pouca mas suficientes para termos consciência do quão aguda será a dor que se avizinha e em que só queremos fazer um fast forward na nossa vida para não termos de passar por aquilo? Pronto, foi o que me aconteceu. 

Enfaixei um pé no sofá, percebi que
estava tudo lixado, atirei a garrafa de água e agarrei-me imediatamente ao pé, porque já sabia que vinha aí a dor mais lancinante da minha vida. Não me enganei. Uma dor aguda, uma dor filha da puta, uma dor que me mexeu com o sistema nervoso e que me fez ter vontade de arrancar o pé só para não ter de a sentir mais. Sim, houve ali um momento - curto, é certo - em que eu pensei que preferia não ter pé do que ter de suportar aquela dor abominável.

A pessoa que estava comigo desvalorizou, "ah, e tal, de facto é muito chato". Chato? Chato é ver o Você na TV quando só está o Goucha ou quando só está a Cristina. O que eu estava a sentir estava longe de poder ser adjectivado de "chato", era mais uma vontade de arrancar os olhos a alguém. Com um garfo. Porra, não foi a primeira vez que bati com o pé numa merda qualquer, mas nunca tinha sido assim, com aquela violência. Depois da sequência de "foda-se-caralho-foda-se", depois de me atirar para o chão agarrada ao pé, depois de praticamente ter uivado, arrastei-me até ao sofá (esse pequeno cabrãozinho que praticamente me ceifou um dedo) e fiquei a ver um filme, mas sempre com uma dorzinha marota ali a chatear. Até que o filme acabou, pus o pé no chão e.. ahhh, dor, muita dor e a desconfiança agravada de que me tinha metido em trabalhos. Fui dormir, acordei e fui brindada com um dedo completamente roxo, parecia que tinha andado à porrada com uma claque de futebol durante a noite. 

Claro que fiz o que uma boa hipocondríaca faz: fui para o Google e, perante diagnósticos cuja solução passava por uma eventual amputação, achei que era capaz de não ser má ideia ir passear o meu charme natural para as urgências. Lá fui, a rebentar de glamour, um pé enfiado nuns ténis, o outro enfiado numa havaiana, a rezar a todos os santos para não encontrar ninguém conhecido no hospital (e CLARO que encontrei). Entrada directa para a sala de RaioX e, milagre dos milagres, nada partido. Ainda assim, dedo ligado durante duas semaninhas, para ficar estabilizado, e uma coloração progressivamente mais e mais horrível. Neste momento sou, oficialmente, detentora do dedo mais feio do mundo. Digo-o sem orgulho.

O que é que tudo isto interessa? Nada, é só para perceberem que eu tenho uma vidinha tão mundana como as vossas e para que retirem daqui um grande ensinamento. Um ensinamento que, no fundo, fomos ouvindo durante toda a infância, da boca das nossas mães: não andem descalços que se aleijam.

75 comentários:

  1. Já me aconteceu também.... dedo mindinho serve só mesmo para isso.... as melhoras pipoca.. e olha desculpa lá mas fartei-me de rir da tua desgraça! beijinhos

    ResponderEliminar
  2. Been there done that...!
    É só das dores mais tramadas de todo o sempre!!!
    Cris

    www.lima-limao.pt

    ResponderEliminar
  3. Entao imagina estares com havaianas daquelas que tem um pouco de sola mais alta e ao abrires a porta do frigorifico ela embater diretamente nesse mesmo dedo (do meu pe) alem de deslocado praticamente me arrancou (literalmente arrancar é aqui o termo mais bem empregue) a minha linda unha...
    e como se nao bastasse toda a minha desgraça ainda tive de aturar o meu querido irmao a gozar comigo durante dias "nem a porta do frigorifico sabes abrir..." ou "coitada da porta estava tao sossegada e ..." entre outras..,
    por isso sou extremamente solidaria para consigo...
    as melhoras... bj

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. não havia necessidade de tanto pormenor..

      Eliminar
    2. Oh pah viva e deixe viver Marta. Cada um diz o que quer com a qualidade e na quantidade que quer.

      Eliminar
  4. Concordo em absoluto: é chato ver o Você na TV só com o Goucha ou a Cristina ahahah As melhoras Pipoca (eu cá tenho mais tendência para o pé da cama)!!

    ResponderEliminar
  5. Pics or it didn't happen! :)

    ResponderEliminar
  6. PMD desculpe mas ainda não parei de rir. Claro que não estou a rir da "desgraça" acontecida mas sim pelo texto uma vez mais EXTRAORDINARIO... opaaaa bom mas muito bom mesmo. Também eu não levo a letra o ensinamento da minha Mãe e há uns tempos numa esquina afiada de um azulejo do chão, descalcinha, "qual Leonor a ir para a fonte", desafiei esta esquina com um belissimo pontapé de unha grande do pé. Um horror, uma tragédia o caos e um chorrilho de palavras que não atenuaram a dor mas aliviaram a alma...Sei bem o que isso é e estou solidaria. O pior mesmo é colocar o pé nas belas das sandalocas que já vão apetecendo! Oh vidaaaa

    ResponderEliminar
  7. Ana, aqui em casa a sequência é: porra-merda-caralho-foda-se! E é bem terapêutico! ;)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu cá sou do Norte e a sequência é mesmo"caralho-foda-a-puta!!!Porra e merda são só elogios!

      Eliminar
  8. Eu senti dor ao ler este post é horrível as melhoras!

    ResponderEliminar
  9. É uma dor do caraças, é; já me aconteceu mais do que um par de vezes, é um facto. É mesmo de uivar, ganir, grunhir, o que queiram, mas...e estando solidária contigo e com a tua dor, parti-me a rir com o teu post. Desculpa, mas não resisti.
    Desejo umas rápidas melhoras.

    ResponderEliminar
  10. Hmmm... vou ser marota, posso? :P

    "a pessoa que estava comigo"... :D

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Cavalheiro do Aeroporto03 maio, 2017 15:18

      Não vale a pena fazer filmes porque não era um Cavalheiro com certeza. Um Cavalheiro nunca desvalorizaria a situação. Um Cavalheiro oferecia o ombro...e um crepe com Nutella.

      Nota mental: Comprar Nutella.

      Eliminar
    2. Vou apontar essa nota mental!

      Eliminar
    3. Mas que parvinho...

      Eliminar
    4. Cavalheiro do Aeroporto04 maio, 2017 10:43

      Vá, não seja assim. Se não gosta de Nutella pode sempre ser um bolinho de tofu.

      Eliminar
    5. Que feio insultar!

      Eliminar
    6. Cavalheiro, pimenta. Ofereça um de pimenta.

      Eliminar
    7. Cavalheiro do Aeroporto04 maio, 2017 21:40

      Percebo a ideia da pimenta mas prefiro o doce. Mesmo os mais amargos apreciam um bom doce.
      É a resposta adequada. ;)

      Eliminar
    8. Cavalheiro você além de educado tem bastante sentido de humor. Continue assim, fica bem a um Cavalheiro.

      Eliminar
  11. Seiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiii... Malfadados pés da cama, que também já me causaram esta agonia...

    ResponderEliminar
  12. Esta dor tramada que ninguem merece.. mas continuamos a voltar para o caraças do pê do sofa ! ou o canto da mesa ! aie esta dor tambem é terrivel !

    ResponderEliminar
  13. Fartei-me de rir. Desculpa lá. :P Texto delicioso.

    ResponderEliminar
  14. foda-se isso dói bué, agora imagina com unhas encravadas!

    ResponderEliminar
  15. Pior pior, só acontecer isso em plena lua de mel, na Tailândia e contra uma rocha. Foi a dor mais horrível de sempre! Passada uma hora tinha o dedo super inchado, roxo, e umas dores lancinantes. A uns 11 dias de regressar a Portugal e em plena Phi Phi vi a minha vida a andar para trás. Ali era difícil conseguir um raio X e acabei por nem procurar um médico, achei que aquilo acabaria por passar.
    Bem...gelo, muito gelo, mais umas coisas para dores, pé alto sempre que podia e o resto da lua de mel muito coxa.
    Cheguei a Portugal, fui ao hospital e claro, dedão partido. A médica disse logo que já não valia a pena fazer nada porque ele já estava a sarar sozinho.
    Ainda hoje, muito de vez em quando, lá vem aquela dorzinha aguda como recuerdo da Tailândia.

    As melhoras Ana! :)

    ResponderEliminar
  16. "Vinha da cozinha lançada e confiançuda". Lindo!

    ResponderEliminar
  17. História da minha vida. Já lixei 2 vezes o esquerdo e uma vez o direito. Um deles na praia, ficou o dedo preso da areia quando me sentava. Serei eternamente gozada por causa desta minha sina dos dedos mindinhos frágeis.😁😁

    ResponderEliminar
  18. Como eu compreendo...por aqui já tive duas situações do género: numa com a dor desmaiei e fui parar às urgências, não pelo dedo, mas pela pancadinha que dei com a cabeça na queda (não sou mariquinhas, tenho a meu favor o facto de ser hipoglicémica e ter acabado de acordar), e outra em que após um dia a coxear descobri que tinha o osso do dedo deslocado...sim agora raramente ando descalça :)

    Sónia

    ResponderEliminar
  19. As melhoras!
    E quando, em pleno verão, está a passar a ferro uma roupa (porque vai sair!), queima-se, a dor é tão grande que desmaia, cai, bate com a cabeça na pedra, "parte" a cabeça, acorda dali a pouco, levanta-se, cambaleia para o telefone para chamar alguém, tropeça na merda do fio do ferro de engomar, cai novamente agora contra uma parede, arrasa um braço do ombro ao cotovelo, lá se levanta de novo e chega ao telefone para chamar a ambulância! No meio disto tudo, muitos "foda-se-caralho-foda-se" quase grunhidos porque aqui a pessoa não suporta ver sangue...
    De vez em quando lembro deste episódio e saem umas gargalhadas.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ri com o post mas gargalhei com este comentário. Deve ter doído muito Célia mas rendeu-lhe uma história hilariante..eheheh!!

      Eliminar
    2. Ri com o post mas gargalhei com este comentário. Deve ter doído muito Célia mas rendeu-lhe uma história hilariante..eheheh!!

      Eliminar
    3. Celia, essa bate todas :). Muito bom.

      Eliminar
    4. Cavalheiro do Aeroporto03 maio, 2017 18:27

      3 frascos de Nutella para a Célia...

      Eliminar
    5. Cara Célia, é caso para dizer:" um azar nunca vem só", baixou aí qualquer coisa nesse dia, só pode👻

      Eliminar
    6. A parte positiva é que não pegou fogo à casa :D

      Eliminar
    7. CREEEEEEEEEDDDDDDDDDDDOOOOOOOOOO!!!!!!!!!!!! Assim, de repente, sai uma gargalhada mas... Valha-me Deus, mulher!

      Eliminar
    8. Sim, hoje dá para rir e tornou-se um óptimo desbloqueador de conversas também!!
      Cavalheiro do Aeroporto, agradeço a imensa amabilidade na sua oferta! Posso trocar a Nutella por... um crepe simples??? (não suporto Nutella, nem o cheiro...)

      Eliminar
    9. Ora bolas! E eu que ia falar das minhas agonizantes dores desde há mais de cinco meses para cá porque operei os joanetes (dois pés!). Mas acho que o q lhe aconteceu, Célia, supera quase tudo!

      Eliminar
    10. Cavalheiro do Aeroporto04 maio, 2017 21:38

      Célia, your wish is my command...

      Eliminar
    11. Célia,
      desculpe, mas não consegui parar de rir a bom rir só de imaginar a situação!!!É mesmo muito azar...

      Eliminar
  20. Uma vez, num passeio de aquapedestre para os lados do Alentejo, numa zona em que havia "rapidos" enfiei o pé numa rocha...os meus companheiros de passeio a quererem ajudar-me a sair daquela zona porque pensaram que eu nao estava a conseguir nadar contra a corrente...eu muito calma (mas muito nervosa) a pedir para que ninguém me tocasse e a tentar explicar que estava com um pé enfiado dentro de uma rocha e a fazer os possiveis para o desencarcerar e eles a tentarem puxar-me a força para me ajudar a nadar.Tu perdias um dedo, eu perdia um pé.Pronto.

    ResponderEliminar
  21. The story of my life!!!
    Há 3 anos, parti o dedinho.... na tábua de passar a ferro!!!
    Berrei de dores. Sento-me no chão a "ganir", tiro a meIa, e tinha o car*** do dedo todo saído pra fora - literalmente! Ao ver tal imagem, desmaio!
    Urgência do hospital. Partido. Lá se foram as férias de Natal. Tive de andar de muletas umas semanas :(

    ResponderEliminar
  22. Mais do que a forma fantástica como escreve os comentários são mais fantásticos ainda..muito me ri...sim porque gostamos de rir da desgraça alheia, desgraça boa como estas de bater com o dedinho...iihihihi

    ResponderEliminar
  23. Peço desculpa mas escangalhei-me a rir pela maneira como descreve a cena.
    É lixado! Também já me aconteceu mas não precisei de ir ao hospital, felizmente. E sim... também abri a boca e de que maneira ;)
    Agora a sério: ainda bem que não há nada partido e rápidas melhoras.

    ResponderEliminar
  24. Eu enviei o dedo do pé (meu) contra o pé (do marido)... Não sei se pode ser considerada auto violência doméstica...

    ResponderEliminar
  25. Azar do Car**** Ana!
    Boa recuperação e muito gelo no dedinho😘
    Ocorre mais vezes do que se imagina, tanto em homens como em mulheres e, sobretudo no verão,porque apetece andar sem chinelos...Pessoalmente já passei por situação idêntica, mas a caminhar na praia à beira de água, o meu dedão do pé direito ficou com a unha lascada, o verniz estalado... tal não foi a cacetada😭 valeu-me o filho mais velho...abstive-me da sequência Foda-se-Caralho-Foda-se, porque uma mãe deve sempre dar "bons exemplos aos filhos"😁

    ResponderEliminar
  26. É isso mesmo... tal e qual... revi a minha história, mas no meu caso o diagnóstico foi mesmo fractura... em pleno Verão... ninguém merece! As melhoras!

    ResponderEliminar
  27. Tive um namorado que saltou para dentro da piscina onde eu estava com os seus quase 90kg, aterrou em cima do meu pé e me partiu um dedo com o embate! Foi a pior dor da minha vida! Já não estamos juntos e fiquei para sempre com um dedo torto por causa dele...

    ResponderEliminar
  28. É que é isto mesmo! Na semana passada aconteceu-me o mesmo e parti o mindinho do pé direito. Aquele momento em que sabemos de imediato que tipo de dor vem depois de batermos é tal e qual como o descreveu.
    Muito bom texto, Ana.

    ResponderEliminar
  29. Aconteceu-me na primeira noite da lua de mel porque achei que ir às escuras até à casa de banho a meio da noite num espaço que não conhecia era uma FDP de uma boa ideia. O dedo infectou e lá andei 2 dias com o dito enfaixado, porque que um dedinho enfaixado é a coisa mais sexy que se pode pedir para uma lua de mel.

    ResponderEliminar
  30. Sei bem o que é isso, eu parti 3 vezes os dedos do pé esquerdo exatamente assim, e é uma dor horripilante :( Na primeira vez fiquei sem andar uma semana, nas outras nem ao hospital fui...o dedo ja estava tao torto que pensei olha que lixe...vai sarar sozinho.. lol

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu começava a andar só com calçado biqueira de aço!

      Eliminar
    2. Anónimo 04 maio, 2017 09:08
      Ahahahaha...só não uso pq ainda não encontrei para comprar :-D

      Eliminar
  31. Óh pá,o que eu me ri...
    A descrição está tão bem feita... :D

    ResponderEliminar
  32. E é bem verdade que uns "foda-se, caralho" em repeat mode fazem com a dor seja menos agonizante!

    ResponderEliminar
  33. O famoso "detector de móveis" em acção :(

    ResponderEliminar
  34. E eu a pensar que estas cenas dolorosas só me aconteciam a mim:) Há uns anos parti umas das falanges ao fechar uma janela...entalei o dedo com tal violência que a dor quase me fez perder os sentidos. Vi-a pintinhas pretas por todo o lado :) Fui passado 2 dias fazer rx pq o meu namorado me obrigou, foi lindo:) E ha uns dias a levantar a cabeça depois de me baixar para enviar roupa na maquina acerto em cheio na porta do armário que tava aberta. Que dores!!!até perdi o equilibrio, nossa:) As melhoras para esse dedo. Bjinhos*

    ResponderEliminar
  35. E uma lagriminha a cair durante o "ah, ah, foda-se, aahhh"? ;)

    ResponderEliminar
  36. Ui, o que isso dói!
    As melhoras Pipoca :)
    (mais um post de chorar a rir, desculpa Pipoca)

    blogdamariafrancisca.blogspot.pt

    ResponderEliminar
  37. Amei. Sente-se a dor e raiva na tua descrição. Bem sei do que falas mas eu fui parar com o costado ao hospital de.... crocks! E sim,...estava uma valente cambada de conhecidos que, habituados a verem-me SEMPRE de salto alto, se prontificaram a rir em primeiro lugar e só depois perguntaram o porquê de eu estar ali.
    Estou contigo. As melhoras.
    Beijinhos
    Sofia

    ResponderEliminar
  38. Miga Obg por este post👏🏼 Li em voz alta e o meu marido adorou, rimos meia hora seguida. Tens uma escrita 🔝Felicidades 😘

    ResponderEliminar
  39. Estou com dores só de ler. As melhoras!

    ResponderEliminar
  40. é por causa de textos como estes que ainda vou passando... Obrigada pela gargalhada! e as melhoras :)

    ResponderEliminar
  41. Há uns bons anos rachei o dedo mindinho do pé esquerdo que bateu contra a quina da perna duma mesa (e andava de chinelos !). Claro que fui logo para as urgências porque as dores eram muitas e não conseguia apoiar o pé no chão. Foi gelo, anti-inflamatórios e canadianas durante 3 semanas. E pronto ! Ah, mas não ... no ano seguinte (mais ou menos pela mesma altura) não é que aconteceu exactamente a mesma coisa mas desta vez no pé direito ? BAAAAAHHHHHH !!!! :-( :-( Isto deve ser algum karma com os membros inferiores porque depois disso já aconteceram mais "cenas" que até envolveram quebras de ossos ... enfim ... Estou MUITO solidária consigo e desejo-lhe as melhoras rápidas ! :-) Beijinhos. Isabel R.

    ResponderEliminar
  42. Mas andar descalço faz tão bem... :)
    As melhoras!

    www.trendylisbon.com

    ResponderEliminar
  43. Por favor, avisar da próxima vez para não ler o post em locais públicos e/ ou no trabalho.
    Não Consegui parar de rir e agora tenho os colegas a perguntar o que é que eu tenho, estou a rir de quê????!!!!
    Quase consegui imaginar a dor fora de série, mas não consigo parar de rir.
    Sorry!

    ResponderEliminar
  44. Raisparta o dedinho! Terrível. Dói horrores quando chocamos com móveis.


    Ms. Telita | Telita LifeStyleFacebookinstagramTwitter

    receitas no blog

    ResponderEliminar
  45. Sabemos que doeu muito porque usaste mais asneiras neste post que no blog inteiro!
    Ahahah

    ResponderEliminar
  46. Eu no supermercado quando vou de sandálias bato quase sempre com as rodas do carrinho nos dedos dos pés, só me apetece dar um grito mas não o faço com vergonha. Em casa também já bati muitas vezes em móveis, mas nada de grave, passa depressa. De modo que deixei de usar chinelos abertos, agora têm que ter alguma protecção na zona dos dedos, pois ou muito distraída.

    ResponderEliminar
  47. Há 2 anos, no almoço de 25 anos de casados dos meus pais, tive que ir com o meu pai ao carro buscar umas decorações à mala. O meu pai tirou-as e fechou a mala. Com toda a força. E eu tinha a mão lá (porquê??????). Partiram-se-me 4 dedos.
    Profissão: Pianista

    ResponderEliminar
  48. Eu acredito que o dedinho do pé é uma parte da anatomia humana muito subvalorizada pela medicina. É que acho que nunca senti tantas dores, mas daquelas insuportáveis, como quando tive uma unha do pé encravada. Parece insignificante mas é horrendo. Eu pensaria numa especialidade médica como a dedologia clínica dos pés. Dedólogos nos hospitais já!

    ResponderEliminar
  49. Aconteceu-me o mesmo à um ano, na ombreira da porta a saída do duche. Resultado: osso lascado, e um mês e tal a coxear até ao Chiado. O pior de tudo é quereres andar um pouco mais depressa e, não de custando nessa altura, começas a esforçar os tendões do pé. Por isso, aqui fica o conselho: não tentes andar depressa, não vai correr nada bem ;) boas melhoras!

    ResponderEliminar
  50. permita-me não gostar da sua linguagem de caralhada

    ResponderEliminar

Teorias absolutamente espectaculares

AddThis