Pub SAPO pushdown

Quem tem medo de Virginia Woolf?

sexta-feira, abril 14, 2017

Na quarta-feira fui à estreia da peça "Quem Tem Medo de Virgina Woolf?" no Teatro da Trindade. Estava muito curiosa, não só pelo texto (um clássico incontornável) mas também, e sobretudo, pela Alexandra Lencastre. Acho-a absolutamente genial, uma das melhores actrizes portuguesas (ou mesmo a melhor) mas nunca a tinha visto em teatro, só mesmo televisão. E, meus amigos, a peça vale a pena por muita coisa, mas ela está incríveeeeeeeeeeeeeel. Aliás, estão todos, mas ela é mesmo, mesmo boa.

A peça, apesar de envolvida em muito humor e sarcasmo, não é nada levezinha, bem pelo contrário. É densa, é complexa, é meio neurótica, é tudo o que aquelas personagens são. Resumindo muito a história, isto passa-se em casa de um casal de meia idade, Martha (Alexandra Lencastre) e George (Diogo Infante), que recebe um outro casal, mais novo. É de madrugada, vieram todos de uma festa na universidade onde George dá aulas, e à medida que a noite e o álcool avançam vão-se envolvendo em conversas e jogos meio perversos e retorcidos, onde não se percebe muito bem o que é realidade e o que é ilusão. George e Martha revelam toda a tensão que existe na sua relação, todas as fragilidades, e isso acaba por se estender também aos convidados. Há muita discussão, muita tortura psicológica, muita corrosão, muito confronto, mas retirando todas as camadas percebe-se que, no meio daquela loucura toda, aquele casal faz todo o sentido. 

Confesso que saí um bocadinho perturbada da peça, há ali muita dureza, muita coisa que nos deixa a pensar. Mas também há o outro lado, mais subtil, mais irónico, que deve ser o que faz com que não saiamos todos a chorar do teatro. A personagem do Diogo Infante é absolutamente genial, com um sentido de humor tão retorcido como encantador.

Enfim, por todos os motivos e mais alguns, esta é uma peça obrigatória. Para ver até 11 de Junho no Teatro da Trindade.

12 comentários:

  1. Lembro-me da Alexandra Lencastre desde os tempos da Guiomar, na Rua Sésamo. Só conheço o trabalho dela em cinema e tem sempre densidade; nunca parece superficial. De certeza que dá uma fragilidade única à personagem! O Diogo Infante já vi em imensa peças e é sempre impressionante. Boa dica :) (e boa Páscoa, Pipoca)

    ResponderEliminar
  2. O teatro é sempre maravilhoso! Beijinhos*

    ResponderEliminar
  3. Esse não tive oportunidade e ir ver mas tenho muita curiosidade.
    Nesse dia fui ver o Caveman com o Jorge Mourato e aconselho vivamente. Eu sou daquelas pessoas de riso muuiiiito difícil e com um humor igualmente sarcástico e confesso que me ri bastante. É uma peça muito inteligente, muito divertida e retrata perfeitamente as diferenças entre os géneros. Fabuloso! A não perder.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Que ar de idiota que tem esse ator! nem cêntimo saia da minha conta
      quando o vejo na tv tenho logo que mudar de canal e nem sei pq!

      Eliminar
  4. Já foste ver Os 39 Degraus? Estou curioso e gostava de ler mais uma crítica antes de ir :P

    ResponderEliminar
  5. Selenne Dionne14 abril, 2017 23:59

    Mas já não a tinhas visto no "Um elétrico chamado desejo"?

    ResponderEliminar
  6. Adoro a Alexandra Lencastre enquanto atriz. Uma das melhores!! Agora como jurada em programas da tvi não se aguenta! Cai no exagero.... no ridículo. .. não consigo gostar

    ResponderEliminar
  7. Peça brilhante e atores fabulosos. A Alexandra está maravilhosa!

    ResponderEliminar
  8. Muito boa peça de teatro com uma Alexandra maravilhosa.

    ResponderEliminar
  9. "Um eléctrico chamado desejo" e "Plaza Suite" (os dois actores nesta última, também). São dois "monstros", lindos e inultrapassáveis.

    ResponderEliminar
  10. Vi-os no Plaza Suite! Absolutamente fantasticos , ambos. Já comprei bilhetes para ver este classico, claro.

    ResponderEliminar

Teorias absolutamente espectaculares

AddThis