Pub SAPO pushdown

Ninguém me espera no aeroporto

segunda-feira, março 27, 2017
Sempre que regresso de viagem e chego ao aeroporto de Lisboa tenho esperança de ter todo um mundo de gente à espera. Sempre gostei de ir buscar pessoas ao aeroporto, sendo um gesto de nada, acho que é uma bonita prova de amor ou amizade. E, por isso, tenho sempre essa esperançazinha de que haja cartazes, flores, fogo de artifício, um urso de peluche em tamanho gigante, uma flash mob, qualquer coisinha. Geralmente, não há nada. Não me lembro da última vez que alguém me foi buscar ao aeroporto o que, provavelmente, diz muito sobre a minha vidinha. Sei sempre que não haverá ninguém, mas não deixo de lançar sempre uma espreitadela discreta à multidão, em busca de uma cara conhecida, ao mesmos tempo que avanço decidida com a minha bagagem, muito ao estilo "pfffffff, posso perfeitamente apanhar um Uber, não preciso que ninguém esteja aqui à seca por minha causa". Quando estou do outro lado, quando sou eu à espera de alguém, gosto de ficar por ali a ver as reacções alheias, a assistir aos reencontros. Não sei se já se fez este estudo, mas tenho para mim que a zona de chegadas do aeroporto é provavelmente, uma das zonas de maior concentração de amor em Lisboa. E isso é fofinho. 

Levar alguém ao aeroporto também é uma coisa bonita. Há uma cena do "When Harry Met Sally" - uma das melhores comédias românticas de todos os tempos- , em que o Harry (Billy Crystal) diz à Sally (Meg Ryan) que quando se leva alguém ao aeroporto, isso significa o início de uma relação, e que é por isso que ele nunca leva ninguém ao aeroporto quando começa um namoro, porque se um dia deixar de o fazer sabe que haverá cobranças da outra parte. Uma visão um bocadinho exagerada, mas não deixa de ter alguma razão. Acho que quando deixamos de levar ou apanhar alguém no aeroporto, é porque a coisa já está meio morna, já não há aquela dor de ver a pessoa partir (provavelmente até estamos desejosos de a ver pelas costas) ou aquela ânsia de a ver regressar. E então não se vai. Há muito que vou sozinha para o aeroporto, há muito que volto sozinha do aeroporto. Há coisas piores na vida, e viajar é sempre bom (ir e, sobretudo, voltar) mas amachuca um bocadinho o coração. 

170 comentários:

  1. Ohhhh bebé da próxima vez que viajares vou-te buscar!

    ResponderEliminar
  2. Sim, é isso, exactamente. Eu vou, várias vezes, buscar e levar o meu 'namorido' ao aeroporto. Ele podia ir/vir sozinho, mas também considero ser uma prova de amor, pelo menos assim o considero, é como se dissesses: "vai, mas não te esqueças que vou estar aqui quando voltares". E dói tanto, mas tanto, ir ao aeroporto agora. Ainda me lembro quando pensava que uma ida ao aeroporto iria ser sempre uma coisa boa.. como a vida muda!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sem querer armar barulho mas serei só eu que detesto a "palavra" "namorido " ?? Ou é marido ou é namorado ou outra coisa qualquer .. agora "namorido" ?! Por favor , não :)

      Eliminar
    2. Também acho que ou é namorado ou é marido. Namorido nem entre aspas :)

      Eliminar
    3. Mesmo! Já não há paciência 🙄

      Eliminar
    4. Se não é marido porque não casou , se não é namorado porque vivem juntos há anos , porque não namorido ?? será melhor , " esta manha deixei a minha união de facto no aeroporto "

      Eliminar
    5. De acordo! Se vivem juntos, se estão efectivamente em união de facto, pode dizer marido sem qualquer pudor :p

      Eliminar
    6. Também detesto, mas pior ainda é chamar de "companheiro"!!
      Ou é namorado ou é marido! E vivendo juntos, passado alguns anos, não faz sentido chamar namorado.

      Eliminar
    7. Eu acho que as pessoas que dizem namorido são as que estão noivas. Porque não dizer noivo? É tão bonito :)

      Eliminar
    8. Deixem-se de coisas que o namorido é dela e ela chama como quiser, não acham?

      Eliminar
    9. Não inventem, 'tá bem? Ou é marido ou é namorado ou é noivo. Como se chama ao contrário?! Namolher? Namoposa?

      Eliminar
    10. Namoposa é muito bom!!!!!Pena já estar casada senão ficava já namoposa!!

      Eliminar
    11. Namoposa tá muito bom x)

      Eliminar
  3. Pode estar relacionado com a sua atitude perante a vida...A interpretação que tenho do que leio por aqui, é de uma pessoa muito independente e desenrascada, o que pode levar os outros a achar que não precisa de ninguém nem para esse miminho de sentir que alguém sente a sua falta.
    Faz-me lembrar uma amiga que sempre foi muito maternal em todos os relacionamentos que teve e tem. É a típica cuidadora e por isso penso eu criou alguns maus hábitos no núcleo mais intimo da vida dela de tal forma que neste momento, é ela que precisa que cuidem de tudo por ela e dá-me a sensação que não está a ter o retorno merecido pura e simplesmente porque os outros acham que ela não precisa...
    Quando esteve por cá, creio eu, o Parque Nascente, e se não estivesse a trabalhar tinha ido "receber" a Pipoca... para lhe dar o miminho e dizer que gostava de saber colocar na escrita o que sente com o seu sentido de humor. Gostei muito do artigo. Principalmente a parte que fala da concentração de amor no aeroporto e fez-me lembrar o filme "O amor acontece".
    Cândida

    ResponderEliminar
  4. Agora que falas nisto... Concordo! E agora que reflito nisso até me sinto feliz porque tem sempre que haver uma alminha que me leve ou busque ao aeroporto! Mas acho que é pelo facto de o aeroporto me ficar a 32 Km de casa... mas mesmo assim esta cena fez-me sentir importante!

    ResponderEliminar
  5. Agora fiquei com muita vontade de estar lá da próxima vez que chegares :)

    Eu já fui deixar e buscar de surpresa muita gente ao aeroporto. Adoro fazer surpresas, acho que sou até um bocadinho viciada nisso. Adoro ver o ar de surpresa seguido de felicidade das pessoas que mais gosto.

    ResponderEliminar
  6. Oh Pipoquinha, quanta nostalgia... um beijinho e um xi apertado

    ResponderEliminar
  7. Embora se goste de estar sózinho/a, por vezes as coisas mais banais, quando vividas em tempos que a sensibilidade está à flor da pele e à beirinha do canto do olho, essas coisas mais banais fazem-nos ficar carentes, pensativas, amachucadas.
    Beijinho Pipoca

    ResponderEliminar
  8. Se quiseres vou-te esperar na próxima vez. Para me reconheceres, vou de calças de ganha e camisa branca e levo um pacote de pipocas (vazio ou cheio depende do atraso no voo) na mão.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É verdade anónimo...mesmo assim não me respondeu. Não deve gostar das calças de ganga... Para a próxima digo que vou de fato e arrumo logo o assunto.

      Eliminar
    2. Ahahah...
      Haja gente com humor...e amor para dar.

      Eliminar
    3. "vazio ou cheio (...)" adorei! :)

      Eliminar
    4. Ninguém resiste a um texto onde o Amor é rei...e ainda menos a um cavalheiro. :)

      Eliminar
  9. Olá "Pipoca"!
    Viajo muiiiiiito pouco... mas compreendo e concordo perfeitamente a sua "dor".
    É tão bom, saber que há alguém que espera por nós!!!!
    Por isso, mando-lhe um abracinho e quando chegar, pense que a "gigi" lhe daria um abracinho! :)
    Beijinho

    ResponderEliminar
  10. Entendo perfeitamente e confesso que tenho também sempre essa expectativa dos baloes,flores e abraços. Normalmente se chego a horas de fim do dia tenho marido e filhos à espera, mas normalmente chego a horas de escola/trabalho e nem sempre é possivel ter todos. Ainda assim o marido faz por ir quase sempre, o que realmente é fofinho da parte dele, nem me tinha apercebido disso :)

    ResponderEliminar
  11. É um gesto muito bonito com toda a certeza!
    Cris

    www.lima-limao.pt

    ResponderEliminar
  12. Ontem vim de uma viagem e faço exectamente isso...estou sempre a ver se alguém está a minha espera ou se vejo alguém conhecido...é realmente um bom momento:) da próxima vez posso estar à espera da pipoca...não devo ser a pessoa que espera mas já não é mau;) posso levar um cartaz!

    ResponderEliminar
  13. Tão mas tão verdade! Os meus sogros viajam todos os anos e sempre que posso, tento ir buscá-los e levá-los. Numa das vezes que os fui buscar, enquanto estava à espera, vi um filho a correr em lágrimas para os braços do pai que provavelmente estava emigrado e não vi há algum tempo. Tive que me conter para não chorar também. Gosto muito de lá estar à espera e assistir a este amor todo.
    Numa outra vez em que fui eu a regressar, tinha a minha mãe à espera e confesso que, apesar de só ter estado fora uma semana, corri em lágrimas para os braços dela. Acho que é o facto de virmos por ali fora com o carrinho e ter alguém lá no fim à nossa espera que nos deixa moles.

    ResponderEliminar
  14. Eu tenho a sorte de ser sempre esperada no aeroporto pelo meu querido marido ! Faz 20 anos que somos casados e eu ,por motivos de trabalho e familiares, viajo bastante ...Ainda hoje como no início é sempre o mesmo "circo" acenar até mais näo ser possível na partida e comê-lo de beijos e abracos em cada regresso !! É piroso ...é lamechas ...queremos nós lá saber !!

    ResponderEliminar
  15. Ó mulher, na próxima viagem, deixa aqui o horário do avião que a gente vai-te buscar! Com flores, chocolates e tudo a que tens direito!

    ResponderEliminar
  16. bonito desabafo, mas também muito triste. partilho da tua opinião pipoca...

    ResponderEliminar
  17. Não me leve a mal, mas a Ana viaja tanto que a sua família/amigos tinham praticamente que se mudar para o Aeroporto :)

    Há uns tempos estava de partida para Amesterdão com amigos. Não consegui embarcar à ultima da hora. Mas ainda consegui arranjar um voo mais tarde. Quando cheguei ao aeroporto estavam lá os nossos amigos para nos receber e foi tão mas tão bom!! :)

    ResponderEliminar
  18. Adorei o teu texto. Já tive muitas idas ao aeroporto, às chegadas e às partidas, continua sendo dos sítios que mais me emociona...

    ResponderEliminar
  19. Oh Pipoca,

    Mas estou seguro que ainda assim o saldo é super positivo pois o filho mais a Disney seguramente deixaram o coração "pra lá" de a transbordar!
    Beijos amigos.

    ResponderEliminar
  20. " Há muito que vou sozinha para o aeroporto, há muito que volto sozinha do aeroporto" esta frase diz muito do que se passou na tua vida pessoal.. mostra alguma tristeza... Não sei expressar bem o que senti quando a li.... Mas é como dizes, há coisas piores...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sente a falta de alguém na sua vida ... Sente-se vazia ... é uma fase ... vai passar ...

      Eliminar
  21. "...tenho para mim que a zona de chegadas do aeroporto é provavelmente, uma das zonas de maior concentração de amor em Lisboa."
    TÃO ISTO! Adoro aeroportos e adoro ir esperar alguém.

    ResponderEliminar
  22. "Whenever I get gloomy with the state of the world, I think about the arrivals gate at (Heathrow) Airport. General opinion's starting to make out that we live in a world of hatred and greed, but I don't see that. It seems to me that love is everywhere." (in Love actually ) A melhor parte do filme ;)

    https://www.youtube.com/watch?v=bAD2_MVMUlE

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Foi disso que me lembrei, quando li o texto. Tão bonito...

      Eliminar
    2. Exactamente, de imediato recordei essa passagem do Love Actually.
      São sitios de muito amor, sim sra. Mas também de alguma solidão. Sabe sempre bem ter quem espere por nós.

      Eliminar
    3. E o melhor do filme é que vai acabar ali, em Heathrow, exactamente como começou, partindo dos actores do filme para as pessoas anónimas que deambulam pelo aeroporto. É maravilhoso, dos meus filmes favoritos. Nunca mais vi os aeroportos com os mesmos olhos.

      Eliminar
  23. Quando é a próxima viagem? Vou-te esperar. Beijinhos

    ResponderEliminar
  24. Também tive que me habituar a fazer uma série de coisas sozinha.
    A maioria das vezes o pensamento é (tem que ser) "gosto de ser independente, de ter a possibilidade de fazer as coisas sozinha, e de não depender de ninguém".
    Mas sim, há aqueles momentos em que nos ocorre como seria bom ter alguém connosco.
    É tentar não pensar muito nisso, e seguir em frente.

    ResponderEliminar
  25. Concordo consigo :) Por motivos profissionais viajo alguma coisa e o meu marido tb. Estamos casados há quase 10 anos e ainda não perdemos o hábito de nos irmos levar e/ou buscar, a não ser em casos em que não seja possível por impedimentos profissionais ou quando está um transito caótico :)
    Não ficamos ali a acenar eternamente à partida nem compramos flores ou peluches à chegada (até porque são normalmente viagens curtas de 3 ou 4 dias) mas é reconfortante sabermo-nos esperados e ver um sorriso quando as portas se abrem.

    ResponderEliminar
  26. Confesso que é dos meus sítios preferidos, aeroportos. E é inevitável esquecer a cena do love actually :)
    E concordo plenamente, os aeroportos são quase um termostato para as relações. Numa questão de segundos percebemos se é o amor da nossa vida que está ali a fazer check in ou se já não é bem isso e a partida já não nos causa assim tanta mossa...

    ResponderEliminar
  27. Pior que não ter ninguém à espera no aeroporto é mesmo não viajar de avião à 5 anos, como no meu caso. ahah.

    Mas também penso: há sempre coisas piores na vida. :)

    ResponderEliminar
  28. Pipoca estou contigo!
    PAssei 6 anos a viajar 2 a 3 vezes por semana e muitas alturas houve em que ninguém me levou ou buscou ao aeroporto.
    Lembra-me a cena inicial do Love Actually...

    ResponderEliminar
  29. Que post bonito! Ainda ontem falava ao meu filho, de 8 anos, do Amor Acontece e em como era importante o aeroporto, a espera de alguém que se ama ou a tristeza profunda de ver partir alguém cuja presença é fundamental nas nossas vidas. A tua análise está cheia de força e sentimento, no entanto, por vezes, é apenas uma questão prática: é mais simples ele ir/vir de uber do que acordar o puto às 4h da manhã para a ir levar/buscar...Mas e há sempre um mas, eu penso que com a paixão e saudade que sinto não o deixava ir/vir sem mim...Adoro aeroportos e adoro o frio na barriga de ver chegar quem se ama! E o que eu amo o meu homem!
    Sandra

    ResponderEliminar
  30. Também sinto isso, quando não tem ninguém a minha espera no aeroporto, o que é engraçado, no Brasil, minha família sempre está por lá. Aqui já é um bocadinho diferente e a sensação também. :)
    blogcolchaderetalhos.com

    ResponderEliminar
  31. A experiência de muitos anos de vida ensinou-me que nada é definitivo. Um dia, quando menos esperar, vai ter alguém a esperar ansiosamente a sua chegada, mesmo depois de uma ausência de apenas 24h! Tenho a certeza, que assim será, no momento certo.

    Miriam

    ResponderEliminar
  32. Sinto o mesmo. Faço pequenas viagens de 2 ou 3 dias com alguma frequência (a trabalho) e raramente me levam ou vão buscar. E por mais que diga a mim própria que é normal (afinal o marido está a trabalhar e uma ausência tão curta não justifica),fico sempre um pouco nostalgica.

    ResponderEliminar
  33. Algures por aí deve estar um gatão ansiosinho por te ir buscar ao aeroporto!... Beijinho e sê bem-vida! ;)
    Cláudia, Aveiro

    ResponderEliminar
  34. ok... para a próxima vez que for viajar quando estiver de regresso ligo ao CMTV para cobrir a sua chegada!...

    ResponderEliminar
  35. Só tem é que arranjar alguém que a vá esperar e não só!...

    ResponderEliminar
  36. Pipoca
    Não fique triste porque "Mais vale só do que mal acompanhada!"
    beijinhos fofinhos para a Pipoca mais doce!

    ResponderEliminar
  37. Este foi um dos seus post com os quais mais me identifiquei. Por razões profissionais também tenho que viajar com alguma frequência e sempre mas sempre, fico com aquela sensação é hoje, é hoje que me vão fazer a tal da surpresa tcharaaaan. Assim que passo os senhores dos SEF e sigo em frente fico há espera de...Mas não nunca aconteceu. Parece que já sabem que regresso sempre e que nunca há problemas de espécie alguma e que é natural chegar, apanhar o carro e ir para casa. Custa-me mais o regresso. Sério, ali vou eu a passar ao lado dos abraços e beijinhos dos cartazes, dos balões, das flores, até das lágrimas de alegria... eu e a minha mala de cabine a arrastar. Ponho o meu melhor ar de "não estou nem aí" e lá vou eu... mas de facto amachuca um bocadinho... é triste um bocadinho.

    ResponderEliminar
  38. Começa a avisar quando chegas de viagem e pode ser que, num desses regressos, tenhas essa tão desejada recepção com confetis e tudo :D

    ResponderEliminar
  39. Este texto é muito bonito, Ana :) Para mim, o local de chegadas do Aeroporto é um dos sítios mais comoventes, não só de Lisboa, mas de todo o Mundo! Independentemente de raça, género ou religião, as pessoas agem todas da mesma forma quando reencontram alguém amado. E observar isso é impagável :) Sem conhecermos as pessoas, quase ficamos felizes por elas, pela forma como se reencontram, se beijam, se abraçam, pela ansiedade na espera... Eu era capaz de viver um dia no Aeroporto só para poder observar este fenómeno :)
    Peça para a irem buscar! A um amigo, familiar... alguém :) Diga que a faz mais feliz! Não custa e torna a vida mais fácil :)

    ResponderEliminar
  40. Adoro ir buscar uma amiga que vive fora ao aeroporto. Normalmente, levo um cartaz (como se ela fosse perder no Aeroporto Sá Carneiro)... E cheguei a levar uma chouriça (do minho) colada à cartolina! Só não levei a máquina para registar a cara dela!
    Compreendo o que diz... O morno já não deixa lugar para esperas, nem fretes... Então, cada um vai no seu Uber. É prático, claro está. E, claro, nos dias de hoje temos mil coisas para fazer todos os dias, mas é nesses pequenos gestos que reside a importância das coisas.

    ResponderEliminar
  41. Esqueça isso Ana. Não guarde espaço para isso!!!!
    Mãos à escrita. Queremos saber tudo sobre a Disney!!! Viu o John Legend e tudo ....
    beijinhos 😘
    http://www.arapariganaaldeia.pt

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ainda bem que existem leitores assim.. A mim nada me interessa como foi a Disney, ou se viu o John Legend. Como se um texto deste género significasse necessariamente que a Ana Garcia Martins está infeliz, ou foi cortar os pulsos depois de o escrever. A introspecção, realmente, faz confusão a muita gente que prefere viver num mundo encantado. Desculpe Cátia, não quero de nenhum modo descarregar assim, apenas achei engraçado o facto de a sua perspectiva ser tão diferente da minha.

      Eliminar
    2. A minha "perspectiva" é a mesma da Cátia. Não se pode ter tudo, os recursos são escassos, não há almoços grátis, etc, etc, tantos chavões que servem aqui, mas o meu preferido é: "caganisso", pá! E come pipocas.

      Eliminar
    3. Mas onde é que neste texto a pipoca não "cagou nisso"? A vida continua. Estou a ver que alguns leitores ficaram mais incomodados com esta publicação do que a própria pipoca. E depois respondem "para a próxima vamos lá esperá-la". Não gente, não é isso que a pipoca quer, o texto é mais profundo que isso, mas vocês só percebem quando se trata de maquilhagem.

      Eliminar
    4. Conclordo consigo... este texto bonito da pipoca tb nos faz pensar a nós e nas pequeninas coisas da vida que por vezes nao valorizamos... Obrigado pipoca. beijinho

      Eliminar
    5. pessoalmente, gosto mais deste tipo de texto do que saber da Disney... vá à Abreu que lá contam-lhe tudo!

      Eliminar
  42. Fãs da pipoca, quem se junta para fazer mega espera na próxima viagem da pipoca??? SIIIIIIIMMMMM ;)

    ResponderEliminar
  43. A funcionária27 março, 2017 17:31

    É essa espreitadela na multidão não vá estar uma cara conhecida com um balão gigante de boas-vindas e é no Dia dos Namorados aquele 'pfff que dia estúpido', mas a secreta esperança de receber surpresas tamanho XXL de vários admiradores secretos. Ah ah ah

    ResponderEliminar
  44. <3 Ohhh. Revi-me, apesar de ter quase sempre alguém para mi ir buscar. É algo estranho, pois é como se os dias fora fizessem o tempo andar mais devagar e ficar logo de coração cheio quando se vê aquelas caras conhecidas.

    Um beijinho, Pipoca.

    ResponderEliminar
  45. Eu gosto de esperar pelos outros no aeroporto mas não gosto que me esperem.

    Nunca se sabe se o avião aterra na hora prevista ou se a bagagem demora muito tempo a chegar. E eu não gosto de fazer os outros esperar, caso esteja atrasada.

    Além disso todas as pessoas que me poderiam eventualmente esperar são muito stressadas e impacientes e seria um martírio para elas ficar à espera X minutos extra porque o avião se atrasou.

    Mais do que desejar que me esperem no aeroporto, eu desejo estar rodeada por pessoas mais calmas e carinhosas.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Lol, o que mais se sabe hoje em dia com as novas tecnologias é se o avião se atrasa, se já aterrou. Até uma mensagem com a porta de embarque recebe ! Olhe o google envia para si e para quem quiser, quando faz o checkin eletronico pode partilhar o voo com quem quiser e há uma app, a TripCase onde coloca as informações todas e partilha com quem quiser, mãe,pai,namorado que vão recebendo o estado do voo.

      Eliminar
  46. Força Ana! É sempre agradável, (ainda que por vezes demore a manifestar-se a leficácia) relembrar que "não há mal que dure sempre)..."; e que "depois da tempestade, vêm a bonança"(pelo menos resta-nos essa esperança)😘

    ResponderEliminar
  47. Durante uns 5 anos, viajei de aviao todas as semanas em trabalho e estava sempre a espera que alguem estivesse a minha espera. Sempre em vao, excepto uma vez em que o meu marido e filhos estavam la de supresa.
    Mas ha uns anos tudo mudou: saimos do pais e cada vez que voltamos, ha pelo menos pais e sogros a espera, com aquela ansia de nos ver (ok, e mais para ver os netos do que os filhos!) que eu adoro ver nas chegadas do aeroporto. E dos sitios mais felizes do mundo, recomendo vivamente passr uns minutos so a observer o que ali se passa.

    ResponderEliminar
  48. Por isso não me esqueço nunca de quando fui ver o meu então namorado à Alemanha (depois de não nos vermos por dois meses e quando a internet ainda não era o que é hoje) e do nosso reencontro, do sorriso com o qual ele me esperava, do abraço que demos. Tal como não me esqueço do seu regresso, dois meses depois, em que o fui buscar ao aeroporto de Faro, com uma direta em cima e quase 300 km no lombo. Já lá vão quase 14 anos e ainda guardo as memórias desses momentos :-)

    ResponderEliminar
  49. Ai Pipoca como me identifico contigo! Há muito anos que penso assim, e parece que tinha medo de o dizer. Acho uma GRANDE PROVA de amor e amizade. Eu faço isso a familiares e amigas. Ao meu amor não, porque felizmente, vou viajar sempre com ele. Tens o privilégio ENORME de viajar por isso pensa que é o lado " menos bom da coisa". Felicidades Pipoca.

    ResponderEliminar
  50. Adorei a publicação! Adorei mesmo. Acho que este tipo de publicações lhe ficam tão bem. Gosto, principalmente, da maneira como fala de um assunto destes de uma maneira tão leve e ao mesmo tempo tão profunda. Gostei mesmo. Parabéns.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Concordo! Acredito que a maioria das pessoas pensa que a pipoca tem uma vidinha de sonho: um blog de sucesso, trabalha por sua conta, viagens/roupas/cenas em geral á borla, um filho lindo e fofuxo e um corpão todo fit. Mas depois esquecem-se da Ana que é de carne e osso, que tem sentimentos, objetivos e fragilidades como todos nós. Parabéns por não ser apenas mais uma boneca deste mundo 'maravilhoso' dos blogs e por nos mostrar que nem tudo é cor de rosa.

      Eliminar
  51. Não seja por isso. É só avisares a data da próxima chegada, que nós, as tuas leitoras fofinhas, lá estaremos à tua espera!

    ResponderEliminar
  52. Verdade. A não ser em último recurso e porque "não dá mesmo mesmo mesmo..".. ir buscar alguém querido ao aeroporto é um acto de afecto muito bom.

    ResponderEliminar
  53. Estou a fazer Erasmus fora do país, o que fez com que passasse mais de três meses e meio sem ver a minha família (quando o "recorde" anterior ia sendo aí uma semana). Nos dias maus, era a visão deles, na véspera da véspera de Natal, me irem buscar ao aeroporto que me alegrava. :) e foram - e foi tão estranho, ao fim de vinte segundos parecia que só tinha ido embora por um fim de semana e pronto! sei que - se o meu futuro passar cá por fora e não por Portugal (o que é provável) estas esperas vão acabar. Não faz sentido, têm de fazer 100 ou 200km para ir ao aeroporto buscar-me! Mas enquanto existem... :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu também já fui de Erasmus, no ano passado, mas foram só os três meses do estágio de final de curso, o máximo que passei longe de casa também foi uma ou duas semanas nos anos de faculdade. Não sou uma pessoa muito sentimentalista, pelo menos em relação à família, sei sempre que vão estar por perto, e quando volto para junto deles é como se nunca tivesse saído. O meu regresso não foi muito diferente dos regressos da universidade ao fim de semana.

      Eliminar
  54. Já tive cenas dignas de um filme no aeroporto...
    Um namorado que correu para mim e pegou em mim ao colo, a minha cadela que fugiu do colo da minha avó e depois foi bonito apanhá la, chorei baba e ranho por outro que ia um semana para fora.
    Agora só tenho o metro à espera, quando regresso, o que já é bom, não gasto.no táxi :-).

    ResponderEliminar
  55. " Aeroportos já viram mais beijos sinceros que casamentos" :) alguém já o disse!!!

    ResponderEliminar
  56. Acho que talvez nós, mulheres, tenhamos (quase) todas esse fetiche com aeroportos... Eu tenho. E muito. É bué da estranha a sensação né?! O "pffff, posso bem fazer isto sozinha" e o olhar de esguelha, meio tímido, meio ingénuo, meio esperançoso... Sou dos Açores. Estudei e vivi uns bons anos em Lisboa. Fartei-me de viajar. De embarcar e desembarcar sozinha. Cansa um bocado. So... I'm with you. E como se isso não bastasse, ainda se me deu a grande paranóia de ter alguém que pare o avião por mim. Sim, como n' O Guarda-Costas... Já não fazem homens old-school como o Kevin Costner.

    ResponderEliminar
  57. Eu sempre tive essa esperança também. Houve alturas em que sonhei ter a banda filarmónica da minha terriola a tocar enquanto eu, pé ante pé, descia a rampa do aeroporto com o ar mais triunfante do Mundo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Já ganhou!!!
      :) :) :)
      Força Pipoca.

      Beijinho

      Eliminar
    2. O homem é casado.
      Já não se pode ser genuíno. :)

      Eliminar
    3. loool, muito bom
      faltaram as pombas a levantar voo a cada passada e o fogo de artificio por tras

      Eliminar
    4. loooooooooooool. ja ganhou este comentario!

      Eliminar
  58. Chorei a ler o seu texto... estou a passar por uma fase boa da minha vida, mas ao mesmo tempo, outra muito má :( e o que concluo é que devemos amar quem nos ama, cuidar quem nos cuida e tentarmos ser felizes o máximo possível.
    A Ana tem uma razão tão boa para estar feliz, basta olhar para o Mateus, que fofo...

    Sejam felizes!

    Rita Fialho

    ResponderEliminar
  59. Estou contigo pipoca! Adoro ir esperar, adoro que me vão esperar, gosto do ambiente, gosto de ficar sentada a observar enquanto espero. Apesar de com as atuais aplicações (flightradar, etc) já ser quase chegar e apanhar.

    ResponderEliminar
  60. Ainda hoje me lembrei do mesmo quando aterrei.Disse isso a uma amiga que vinha comigo. É um consolo ter alguém à espera quer no país novo onde aterramos, quer no nosso. Engraçado, acho que todos os independentes adoptam essa atitude em diferentes circunstâncias "pff não preciso que ninguém isto ou aquilo, Pff consigo dar conta de tudo sozinha (o)"

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Quando viajo sozinha, também adoro que me esperem, no destino ou no regresso a Portugal. Quando isso não acontece, sinto-me sempre assim pró miserável :(

      Eliminar
  61. Também adoro ficar a observar a reacção das pessoas. Os abraços, sorrisos, beijos...
    Sabe sempre bem quando alguém está à nossa espera. É tão bom rever os que amamos :)
    Como sempre digo, gosto muito de ir, mas gosto muito mais de voltar ;)

    blogdamariafrancisca.blogspot.pt

    ResponderEliminar
  62. Acontece-me tanto isso... Normalmente chego às segundas-feiras a Lisboa, cidade onde trabalho mas não tenho família e o que tenho são poucos conhecidos. Lá chego eu sozinha, passo por toda a gente que está lá à espera de outras pessoas, a olhar meia de lado... exatamente com essa sensação estranha...

    ResponderEliminar
  63. Sempre gostei de ter alguém à espera, desde os tempos de faculdade em que chegava todos os domingos de comboio a Sta. Apolónia. Uma das chegadas mais marcantes foi, grávida de poucos meses, a minha irmã no aeroporto com um cartaz que dizia " Susana + Bebé " que emoção! !

    ResponderEliminar
  64. Ana, quando vivi em Inglaterra, numa das vezes que vim a Portugal, as minhas amigas decidiram fazer-me uma surpresa e ir buscar-me. Com cartaz "estamos aqui e tudo"!!! Pois, cheguei eu e elas nada... Ahahaha! Atrasaram-se e eu cheguei primeiro! Mas tirei fotos com o cartaz, para que não haja dúvidas que ele existiu! ;)
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  65. Andar de avião é um meio de transporte como outro qualquer, no meu caso não faz qq sentido! Mas deve ser giro para que aquelas pessoas que trabalham/estudam fora e chegam ao aeroporto e abraçam as pessoas que amam!

    ResponderEliminar
  66. Este teu texto fez-me lembrar da música que me lembro quase sempre que entro num aeroporto ou numa estação de comboios.
    Penso que também gostarás de Maria Rita e a música é esta: https://www.youtube.com/watch?v=CU6id0U2hGA

    Adoro observar o amor e a vida à minha volta :)
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  67. Acho o mesmo pipoca, só discordo disso da relação morna! Fui 3 meses de erasmus e a minha espera só tinha a minha família! O meu namorado recebeu-me em casa e não quis ir ao aeroporto porque não queria "dar espetáculo" (moço tímido!) porque já sabia que ia haver muita emoção a mistura!

    ResponderEliminar
  68. Olha, como eu te entendo... A minha vida é uma solidão. E falo mesmo da VIDA, de tudo. Infelizmente não consigo ter grandes amigos,o problema deve ser meu!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não pode pensar assim. Tem de pensar que é uma fase e que vai mudar. Antes de mais, mude a sua forma de se ver e de estar perante a vida. goste de si acima de tudo. Os amigos veem por acréscimo.

      Eliminar
    2. Não pense assim, AME-SE! Também não consigo ter grandes amigos, mas cheguei à conclusão que o problema não é meu, mas sim do facto de eu ser muito sincera e não ser falsa, e a maioria das pessoas que se cruzarem na minha vida o serem, interesseiras, falsas, invejosas. Anime-se, e tenha esperança, ame-se e verá que a vida não é assim tão má. Beijos

      Eliminar
  69. Engraçado, penso tanto nisto!

    Sou emigrante, vivo em Madrid, e vou a Lisboa ver a família e os amigos bastantes vezes.

    Quando chego a Lisboa, das duas uma: ou meto-me no metro para ir ter com alguma amiga, e com o entusiasmo nem penso no assunto, ou então tenho o meu pai à espera para me dar boleia para "casa" (a dos meus pais). É a única pessoa que me vai buscar ao aeroporto com alguma frequência. E não vai com um cartaz mas faz questão de sair do carro e de me esperar nas chegadas.

    Quando chego a Madrid, o cenário é outro. É certo que sinto sempre um alívio ao aterrar e andar pelo aeroporto de Barajas porque esta cidade já é a minha casa - sinto-me um pouco um "peixe fora de água" quando vou a Portugal. Coisas de emigrante, fazer o quê? E também me sinto independente e poderosa, o que é uma sensação ótima. Mas ao mesmo tempo penso sempre na solidão associada a esse momento do regresso, em que não está NUNCA ninguém à espera. Uma vez mais, coisas de emigrante, que por muito que se sinta em casa cá fora não tem uma rede familiar e de amizades tão extensa como a do seu país de origem.

    A única vez que tive alguém à minha espera no aeroporto de Madrid foi durante uma brevíssima relação com um rapaz daqui, quando voltei de Lisboa depois do Natal. Lembro-me perfeitamente de ter comentado com ele "que estranho, até hoje nunca tive ninguém aqui à minha espera" e de ele ter respondido "pois a partir de agora vais ter sempre”… Que lindo, não é? É, teria sido se a coisa não tivesse descambado pouco tempo depois AHAHAH. Agora estou condenada à tristeza de não ter ninguém à espera E AINDA de me lembrar sempre dessa infeliz história. Que apareça já alguém que me vá buscar ao aeroporto, por favor! :p

    ResponderEliminar
  70. Leio o teu blog com frequência mas é a primeira vez que comento um post teu. Adoro a tua escrita. E este texto tocou-me muito por ter o meu pai a trabalhar no estrangeiro. Vou dar agora um pulinho a nova iorque para passar a Páscoa com ele e infelizmente ele não me vai poder receber à chegada mas quando voltar decerteza que ele me leva ao aeroporto :) e isso sabe muito bem. Aquele sentimento de ter alguém que nos é familiar a receber e nos dar carinho. beijinhos de uma leitora! :)

    ResponderEliminar
  71. Póneis fofinhos (onde me incluo) tem que se fazer uma mega espera à Pipoca :) Contudo, convém saber o horário do regresso :) Boas viagens :)

    ResponderEliminar
  72. Uma das coisas que gosto, quando vou ao aeroporto esperar algum familiar, é ficar a observar as pessoas que chegam e as pessoas que partem, ver as emoções quer do reencontro quer das despedidas.

    Uma vez, numa das minhas viagens, um grupo de amigos foi esperar-me ao aeroporto com cartaz e tudo. Espectacular a ideia e a diversão. O único senão é que o avião não conseguiu aterrar e tive que voltar ao local de partido e só voltei a viajar no outro dia de manhã e aí já não tinha ninguém a minha espera. Mas ficaram as fotos para recordar. :)

    ResponderEliminar
  73. Podia ter sido eu a escrever este texto! sinto tudo o que está aqui :) corajosa por admitir. adoro receber pessoas no aeroporto e fazer surpresas, mas comigo nunca aconteceu bjs grandes pipoca

    ResponderEliminar
  74. Um avião desses aterra sozinho no aeroporto???
    Mas anda tudo cego aí pra Lisboa???
    Anda pró norte e deixa esses cegetas...e tu vais ver como se trata um avião, carago!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ai senhor...vá-se tratar...a pipoca é no máximo...um ultra leve!!!!!

      Eliminar
    2. A mim não me choca a ideia que tem da Ana...Já a forma como se dirige,é no mínimo grosseira.
      Meu caro conterrâneo, nestas coisas palavras de trolha são o oposto do romantismo que se depreende deste post.
      Ora vá lá acima por os olhos num comentário " comme il faut". Faz toda a diferença! ;)

      Eliminar
    3. Sinceramente não achei nada de mal ao comentário e percebi perfeitamente ter-lhe chamado avião, já que se fala em aeroportos... Se lhe tivesse chamado boazona ou coisa do género era diferente. Realmente há pessoas que veem mal em tudo, mas bom.

      Eliminar
    4. PS:refiro-me ao comentário do anónimo das 15.28.:)

      Eliminar
    5. Não se trata de ver mal em tudo. Trata-se de usar uma linguagem brejeira que em nada abona a favor de alguém que pretende elogiar. Tão só.
      Acredite que na última frase só lhe falta o "filha " para embaraçar ainda mais os portuenses.
      Há momentos para tudo...e destinatários também, ao que parece.;)

      Eliminar
    6. Ah...o termo não foi usado por se tratar de um texto que menciona aeroportos. O termo foi usado pq sim.

      Eliminar
    7. Foi só um elogio...para animar a miúda...tenham lá calma!
      e sim chamei de avião porque condizia com o tema...foi só pra desanuviar...Pipoca defenda-me lá e diga-lhes que se riu qdo leu o meu comentário...?!

      Eliminar
    8. Caro conterrâneo, está perdoado! A sua resposta revela um homem com H grande.
      Desculpe a alusão ao trolha: ))

      Eliminar
    9. Já cá faltavam as ofendidinhas!!
      Pois olhe, não achei nada deselegante o comentário.

      Eliminar
    10. Eh pah sinceramente...foi a 1ª vez que escrevi um comentário e este será tb o último...já vi que há mto ressabiado/a por aqui...Sim sou Homem e sou do norte, venho cá porque até gosto e acho piada ao que a autora escreve...e o meu comentário foi só numa de tentar fazer rir com o lê e animar a autora pq achei algo em baixo...e depois levo com cada comentário mais sem sentido...mas serviu de lição...continuação de uma boa vida!

      Eliminar
    11. Anónimo28 março, 2017 16:27, por acaso é uma beta da Foz? Deve ser ou então uma espécie qualquer que desconheço no Porto. Falsa púdica, é o que é. Não me parece que chamar avião a alguém quando se fala em aviões embarace quem seja do Porto.

      Eliminar
    12. Minha gente, por acaso leram o que escrevi?
      Referia-me à diferença entre o tom do post e o do comentário. Só isso.
      Aprendam a interpretar.
      Fui claríssima.

      Eliminar
    13. Avc...tinha respondido tão bem da segunda vez.

      Eliminar
    14. AVC se a PMD publicou o seu comentário é porque até achou piada, caso contrario se achasse ofensivo ou brejeiro tenho quase a certeza que não o publicava. Portanto deixe lá as mimimimi de lado, não valem sequer o esforço na resposta... olhe eu cá fartei-me de rir e achei muito a propósito até.

      Eliminar
  75. O aeroporto desde há treze anos para cá, altura em que meus dois filhos emigraram, tem sido para mim uma mistura de emoções. Emoção de quando eles vêm me visitar, emoção de quando eles partem de novo,emoção de quando os vou visitar,e até emoção de ver as outras pessoas que esperam os seus entes queridos.
    Manuela

    ResponderEliminar
  76. JÁ estou habituada a que ninguém me vá buscar ao aeroporto e nem ligo. Mas adoro ver as pessoas a chegar e a reação desses e dos que estão para os receber. Chego a ficar muuiiito comovida ( tipo chorar também!).

    ResponderEliminar
  77. Tenho muitas saudades de ver o meu pai e o meu irmão à espera minha e do meu filho quando chegamos, depois de meses de ausência, ao nosso lar italiano. O meu pai infelizmente já não está, mas o meu irmão espera por nós a cada regresso, sempre, não importa o sítio ou a hora de chegada. E aquele abraço e a felicidade do meu filho por ver o zio são do melhor que existe nas nossas vidas.

    ResponderEliminar
  78. Dos melhores textos que eu li aqui no seu blog.
    Num tema à partida tão "desinteressante", conseguimos ver uma quantidade de sentimentos e emoções, mas nunca pena ou tristeza. Mostra sentimentos bons, com humor qb, e transporta-nos para O Amor Acontece.
    Sempre que o meu marido viaja, vou espera-lo ao aeroporto e gosto de observar as pessoas que me rodeiam. Mas adoro o olhar dele quando aparece e me vê. Várias vezes me disse que não valia a pena eu deslocar-me ao aeroporto para o ir buscar. Uma vez perguntei-lhe o que sentiria se eu não estivesse lá. Disse-me que perderia a sensação de aconchego.

    ResponderEliminar
  79. Concordo plenamente. Da segunda vez que andei de avião,fui só ali a Londres 4 dias com amigos,quando chegámos,sem saber,estava lá uma tia minha com uma caixinha de pastéis de Belém à nossa espera. <3 e que bem que soube,tudo.

    ResponderEliminar
  80. Eu não viajo muito de avião mas normalmente quando viajo levo o carro e fica no parque por isso à chegada cá não costumo ter gente à espera (mas costumo viajar acompanhada por isso não chego sozinha). Agora o que marca mesmo é chegar lá. Viajo para visitar família que está longe e é sempre muito bom ter no destino gente que não vemos há meses. E dói muito vir embora e deixar lá pessoas de quem gostamos.

    ResponderEliminar
  81. Ana, pensa pela positiva, a pessoa mais importante e que ias querer que te fosse buscar ao aeroporto estava contigo.

    ResponderEliminar
  82. Oh Pipoca, temos de começar a saber quando chega e quando parte, é a única hipótese. Ou então faça como o meu namorado, diga adeus a toda a gente que nem passadeira da fama. Eu já vou sempre um bocadinho atrás para não passar vergonhas, mas a verdade é que o pessoal retribui os acenos e faz a festa com ele.

    ResponderEliminar
  83. Tento nunca ligar muito a isso mas sim, sinto sempre o coração apertadinho quando não está ninguém no aeroporto para me esperar. Mas fui eu que combinei assim, ou tenho o carro no parque ou vou de metro, nem é uma questão. Mas fico sempre também à procura de pessoas que sei que não vão lá estar.
    Adoro o love actually, principalmente o fim mesmo por causa disso.
    Gostei de ir ao aeroporto buscar pessoas, sim, que eu não sou das que se vão buscar mas sou das que vão buscar e ir mais cedo e ficar ali sentada a ver os reencontros.

    ResponderEliminar
  84. O nosso aeroporto tem umas chegadas cinematográficas! Aquele palco com rampa pede mesmo uma homenagem com palmas ! Nunca senti isso em outro aereoporto !

    ResponderEliminar
  85. Eu como sempre tive q a fazer td sozinha na minha vida, pq qdo sao os outros a precisarem tenho que lá estar, qdo sou eu, até podem ir...mas atormentam tanto a minha existencia e me criam tantos problemas que agradeço que cada um fique na sua vidinha insipida, inodora e incolor; do que me venham atazanar a minha vida. Ainda hj de manha pensei nisso, e sinceramente eu me basto...adora fazer minhas coisas sozinhas, do meu jeito, sair e chegar qdo me apetece...Melhor isso do que fazerem e passarem a vida a jogar na minha cara.

    ResponderEliminar
  86. Pior que as chegadas ... há algo que me faz sempre chorar no aeroporto são as partidas, quando passamos a barreira e vemos tanta gente agarrada a chorar eu não me aguento , muitas vezes lá vou eu a chorar , imagino o sofrimento daqueles pais que estão a ir para longe dos filhos e dos conjuges ... parte o coração ...

    ResponderEliminar
  87. Precisamente por sentir isso, faço sempre questão de ir buscar toda a gente ao aeroporto (e bem que as chegadas às 19h na Portela são um infernooooo).
    Pais emigrados, Marido que só esteve fora uns dias, Irmã aventureira em trânsito, Amigos desirmanados e recém-chegados... sou uma "oferecida" de aeroporto, sejam pessoas que não vejo há meses ou há dias; porque sei que sabe tão bem uma festa por estarmos juntos outra vez. E agarro nos miúdos, claro, que já têm o bichinho com eles. Já eu viajo muitas vezes a horas tão palermas (e só com mala de cabine), que toca a andar para o metro ou para o Uber sem dar muito nas vistas. Mas é sempre especial quando estão à nossa espera. E não é preciso cartazes, nem flores, nem nada. Só aqueles abraços do tamanho do mundo.

    ResponderEliminar
  88. Querida Ana,

    quando for altura, abra o coracao e, certamente, nao faltara quem a queira ir buscar e levar ao aeroporto! Quem lhe de o devido valor e a faca sentir muito amada, todos os dias. Quando soube da separacao/divorcio, confesso que desejei ler um post sobre o assunto. Isto porque sou casada mas essa palavra mostrenga paira muitas vezes, como uma nuvem carregada antes de chover, sob a minha cabeca - DIVORCIO. Na altura quis saber porque e que o seu casamento acabou, se foi a Ana que o decidiu, como e que soube que era altura de parar de tentar. Rapidamente percebi que isso nao me diz respeito a mim, nem a todas as outras pessoas que por aqui passam. Agora, so desejo que seja muito feliz!

    PS - este teclado nao tem acentos

    ResponderEliminar
  89. No meu caso, que estive a trabalhar fora e vinha apenas 3x por ano a Portugal o aeroporto tornou-se um lugar a evitar. As chegadas fazem-me sempre lembrar de quando os meus pais me iam esperar, no meio de mts lágrimas e muita emoção. Deixa-me imensamente triste ver a realidade dura dos reencontros de pais e filhos, maridos e esposas, afastados uns dos outros por situaçãos diversas...

    ResponderEliminar
  90. Quando viajava a trabalho quase sempre por poucos dias, o meu marido ia sempre levar-me e pegar-me ao aeroporto, era natural, e nem pensávamos muito nisso. Depois ele foi para o Brasil por 3 anos e vinha a casa de 4 em 4 meses. Fui uma vez, a primeira esperar por ele...Foi tão emotivo, choramos tanto grudados um no outro, que algumas pessoas que estavam à espera se emocionaram também...Decidi que nunca mais o esperava ali...preferia esperar por ele em casa, com os filhos, fazendo a festa no nosso espaço. E levar?! isso nunca consegui...era tão doloroso, eu e as crianças ficávamos sempre destroçadas, ele tentava manter a compostura mas eram tantas as lágrimas e os abraços já com saudades que nunca conseguimos...Optamos para ser menos doloroso, não irmos ao aeroporto. Mas uma coisa é certa se existe lugar no mundo aonde o Amor é quase palpável é nas chegadas/partidas de um aeroporto. Espero que em breve tenha alguem à sua espera, para lhe dar conforto.

    ResponderEliminar
  91. Podia ser feita a analogia do aeroporto como na vida. Como a percebo. Também nunca tenho ninguém à minha espera, nos dois sítios. Percebi até há pouco tempo que só posso contar comigo. Difícil pensar nisto. Um grande beijinho Pipoca, este texto foi TOP.

    ResponderEliminar
  92. Ah, o Amor!
    Eu até sonhava com aquele abraço de pezinho no ar.

    ResponderEliminar
  93. Eu cá, só vou levar de quem não nutre simpatia alguma. Certifico-me que a pessoa foi mesmo, esperando que não volte. 😂

    ResponderEliminar
  94. Vim de viagem no dia 20 e pensei o mesmo na chegada. Achei que ia ter uma surpresa, mas zerinhos... na verdade nem durante a viagem tive pessoas a perguntar de estava bem ou nem por isso. Lá porque se publica uma ou outra foto no facebook ou Instagram de paisagem não significa que estejamos bem. Ooh well. :) Sempre fui sozinha paar o Aeroporto, porque moro tão perto que é ridículo, inclusive já fui a pé! E sempre voltei sozinha. Acho que isso faz de nós Mulheres que não precisam de ninguém, ou pelo menos é assim que os outros nos vêem.

    ResponderEliminar
  95. Nunca, em toda a minha vida, alguém me foi levar ou buscar ao aeroporto. Sempre fui sozinha, sempre regressei sozinha. E sempre que saio pela porta e vejo pessoas à espera de outras pessoas - com cartazes, flores ou apenas sorrisos -, fico um pouco triste por não ter também alguém à minha espera.

    ResponderEliminar
  96. não consigo não comentar.
    o meu namorado ao fim de 6 meses de namoro foi para Luanda, estadia de meses lá 3 ou 2 semanas cá .. andamos nisto 1 ano praticamente e lembro-me todas as vezes que o levava e que o ía buscar e no entretanto disto tive um amigo que foi de erasmus...
    e curiosamente no dia que ele veio para Portugal fui buscá-lo.
    um destes dias já sem esse frenezim no coração como nos outros tempos o homem foi a grecia e fui buscar a criatura ao aeroporto e tal como a pipoca fiquei ali a ver a observar, e pensei : isto dava para escrever tanto e pensar tanto, que uma psicóloga passava aqui o dia e fartava-se de aprender sobre relações humanas.
    nunca viajei sozinha em trabalho,
    mas quando chegava da faculdade no autocarro recordo a sensaçao de ver pelo vidro os olhares a cruzarem-se com quem ia lá dentro e eu com a minha mala, fugia para apanhar o primeiro taxi que me aparecesse.
    de facto, aquele abraço no aeroporto aos nossos sabe-nos pela vida, tanto na partida como nas chegadas.

    ResponderEliminar
  97. Durante muitos anos o aeroporto foi um local de felicidade para mim. Era o local de partida para destinos de férias que eu escolhia e quando regressava, regressava feliz. Até que o meu marido emigrou para Angola e comecei a encarar o aeroporto com um sentimento completamente diferente: a tristeza. Fui sempre levá-lo ao aeroporto, mas se pudesse passava essa parte, era extremamente doloroso vê-lo a partir com a mala na mão e a olhar para trás até que a vista deixasse de nos alcançar. Quando o ia buscar, tentava sempre estar lá à chegada para o abraçar. Entretanto ele já regressou e o sentimento que nutria pelo aeroporto alterou-se completamente depois disso. Agora, quando vou de férias, entro no aeroporto e sinto aquele aperto no coração, talvez uma mágoa... nunca mais voltou a ser o local da pura felicidade!

    ResponderEliminar
  98. No que toca a viagens considero-me uma pessoa super abençoada... tenho sempre quem me leve e quem me vá buscar... o meu Pai! Mesmo que seja para ir só ali a Madrid lá vai ele levar-me e buscar-me... não falhou uma única vez! E na Partida é sempre igual... parece que vou para a Guerra. No regresso parece que não me vê há uma eternidade... não há nada melhor que este Amor incondicional!
    Não fique triste Pipoca... quando menos esperar um dia tem alguém especial à sua espera.

    ResponderEliminar
  99. Eu tnh sempre a minha mãe :D

    ResponderEliminar
  100. Partilho do teu sentimento... mas vou sempre levar/buscar toda a gente mas quando viajo estao sempre todos muito ocupados... ok viajo com muita frequência ao contrario dos outros mas... e por isso ja nao pedia sempre mas de vez em quando iria "aquecer me" o coracao...😔😔

    ResponderEliminar
  101. Eu estou emigrada em Madrid e viajo com frequência para Lisboa. Uma vez uma amiga foi receber-me com pães de Deus da padaria portuguesa e eu só pensei "caramba... não queria que te incomodasses com isso!".

    ResponderEliminar
  102. Eu viajo todas as semanas em trabalho e não há vez que à chegada, não pense se não estará lá alguem à minha espera...E eu levo carro para o aeroporto!!! Mas é uma cena fofinha e a esperança é a ultima a morrer. Também fico à espera das flores e dos cartazes...todas as semanas.

    ResponderEliminar
  103. Ui, quantas vezes também já pensei/senti isso!
    Não tarda, vamos ter gente à nossa espera :)
    Beijinhos,
    Alexandra

    ResponderEliminar
  104. Tao eu. Tao certeiro. :( é triste e dá-nos um valente aperto no coracao, vez após vez.
    Beijinhos pipoquinha<3

    ResponderEliminar
  105. Pipoca, tem um programa de TV no Brasil que fala desse tema.
    Segue o link:http://gnt.globo.com/programas/chegadas-e-partidas/
    Tenho certeza que vc vai gostar!
    Dois beijinhos cariocas!

    ResponderEliminar
  106. Obrigada por este maravilhoso post, Pipoca!
    Desde já, peço desculpa destoar dos restantes comentários...
    Eu viajo muito de avião e acho que a minha família já deveria estar habituada às minhas chegadas e partidas cosntantes. Na verdade, os meus filhos já não vão ao aeroporto, mas intrigava-me que o meu marido continue a fazer questão de me ir levar e buscar quase sempre. Graças à Pipoca, a partir de hoje vou ver esse gesto com outros olhos!

    ResponderEliminar
  107. Confesso que tb tenho esta fantasia secreta.LOOOOOL. :)
    MC

    ResponderEliminar
  108. Trabalho numa companhia aérea, fiz a faculdade fora e desde que me lembro de ser gente as viagens e idas ao aeroporto sempre foram muitas.

    Na minha família, buscar/levar alguém ao aeroporto é quase uma demonstração de cuidado e carinho. É quase um ato de gentileza e cordialidade, cheio de um enorme afeto.
    E não há sentimento melhor que esse, pelo menos para mim. Aquela sensação de conforto e segurança, por regressar a casa e ver que está ali, à nossa espera, alguém que nos quer bem: ora o pai, ora uma amiga, ora um amigo... Vezes há também que não há ninguém, umas vezes custa mais do que outras...

    Uma das melhores memórias de infância, relacionada com as chegadas ao aeroporto, é de quando visitava o meu padrinho, nos EUA. Ele fazia questão de receber-me com flores, donuts, um balão e um peluche. Seguiam-se os abraços demorados e os beijos de muita saudade. Os tempos passaram, ficaram as flores e os donuts, mas acima de tudo ficou a presença e claro, os abraços e os beijos.

    E é nestas coisas simples que encontramos aquele calorzinho de carinho e conforto que tanto pede o nosso coração.

    Porque ir buscar ao aeroporto é uma forma de dizer, sem palavras, «Gosto muito de ti e estou feliz por estares de volta.»
    NS

    ResponderEliminar
  109. Na nossa ultima viagem há 3 semanas os meus pais levantaram-se ás 2 da manhã para nos levar ao aeroporto.Considerando que a minha mãe tem problemas relacionados com insónias e sono, e de certezinha que este acordar "pro cedo" lhe trocou os sonos durante 3 dias....foi priceless.
    A primeira vez que viajei sem o meu marido fui esperada com flores e balões, à filme.Foi só uma vez mas pronto....já lá vão 18 anos e lembro-me sempre desse momento quando regresso a lisboa via aviao.

    Hoje em dia não costuma haver esperas de aeroportos de parte a parte, mas sempre que alguém da familia chegada tem que viajar, já sabe que em casa vai ter á espera pão fresco, fruta,salada lavada, frango assado e sobremesa para ajudar ao regresso.É a nossa versão de ir esperar alguém ao aeroporto.

    ResponderEliminar

Teorias absolutamente espectaculares

AddThis