Pub SAPO pushdown

Orgasmo para tod@s (mas mais para nós)

segunda-feira, fevereiro 13, 2017


Nunca como agora se falou tanto de feminismo, e ainda bem. Tirando posições absolutamente extremadas e que, muitas vezes, só contribuem para descredibilizar causas muito sérias, é bom que saltem para a mesa temas como a igualdade salarial, o equilíbrio no acesso às oportunidades laborais, o acesso à educação, a violência contra mulheres, a paridade de género nos mais variados âmbitos. Muito tem sido dito, muito tem sido feito, mas há um detalhe - um pequeníssimo detalhe - que tem escapado em todas as campanhas femininas. E que detalhe é esse? A desigualdade orgásmica. Ah, pois é. Não se riam, não encolham os ombros, que isto é um assunto sério. Felizmente, houve quem decidisse tratá-lo como tal.

Pois que a Durex (marca que todos sabemos estar associada à promoção do bem-estar sexual, oh yeah) achou que estava na hora de pôr tudo em pratos limpos e lançou um estudo sobre o orgasmo. Isso mesmo, essa coisa que todos querem atingir mas onde nem sempre chegamos. Os resultados foram revelados recentemente e, minhas amigas, as notícias não são boas para nós. A coisa começa logo  a enervar-me quando o estudo diz que continua a assumir-se que o prazer sexual masculino é o mais expectável (e aceitável) numa relação sexual. Oiiiiiiii? Come again (salvo seja)? Então mas se somos dois a brincar, porque é que há-de ser só um (ainda por cima o homem!) a levar a taça? Isto não é a final da Liga dos Campões, não tem de haver um vencedor inequívoco, um empate aplica-se aqui perfeitamente, saem todos felizes. Claro que isto é uma generalização. Claro que numa "corrida" pode haver só um a cortar a meta e que isso não implica que o outro não se tenha divertido também. Claro que hoje podemos dedicar-nos mais a um e amanhã invertem-se os papéis. Claro que isso tudo. Mas o que me preocupa é que 95% das mulheres assumem que nem sempre atingem o orgasmo mas que vivem alegremente com isso. A sério? Quer dizer, está bem que ganhar e perder, tudo é desporto, mas eu, pessoalmente, prefiro ganhar. Ou então, lá está, o tal empate técnico de que falava atrás. 

Este assumir, com relativa naturalidade, que o orgasmo é uma coisa "mais para os homens" e que não há problema se eles se... enfim, coiso, sempre, e nós só de vez e quando, é bastante revelador de que nos atribuímos um papel secundário no campo sexual (como em tantos outros na vida). O estudo diz que isto está ligado a um problema de comunicação na cama. Verdade que não temos de estar ali com grandes tratados sobre o tema (há coisas em que temos de ser mais pela prática e menos pela teoria), mas mais de metade das mulheres inquiridas admitiu que se sente desconfortável a puxar pelo assunto "orgasmo", a explicar o que lhe dá prazer, a dizer se gosta mais disto ou mais daquilo. O que é estúpido. Verdade que há homens que se estão bem nas tintas para isso mas, ainda pior, é haver quem ache que sabe o que está a fazer e ande ali completamente perdido. Quem nunca? Quem nunca deu por si a pensar "ai, filho, se soubesses como estás tãaaaaaao ao lado"? Mas calamo-nos. Guardamos para nós. Por vergonha, por não querer embaraçar o rapaz que se acha o rei do pipi, por medo que ele não goste da chamada de atenção, por tanta coisa. E, claro, quem sai a perder somos nós. 

Está cientfica e anatomicamente comprovado que eles têm mais facilidade no processo. É uma cena lá deles. Regra geral, nós precisamos de mais tempo, de mais envolvimento, de alguém que saiba manejar-nos (literal e metaforicamente).  E se eles não sabem, temos de dizer. Porque somos todas diferentes, porque o que funciona para umas pode não funcionar para outras, e porque eles até podem ser experientes e muito bem intencionados, mas se não lhes dissermos como funcionamos a coisa pode não se dar. Por isso, falemos! Se percebermos que eles estão a chegar a Moimenta da Beira quando o nosso pipi está em Faro, é preciso trazê-los de volta, ajudá-los a focarem-se e dizer, inequivocamente, o que é que queremos. Sem pudores, que não vale a pena (e eu acho que, muitos deles, até gostam de uma orientaçãozinha marota). Aliás, perguntei a alguns amigos homens o que acham sobre ter indicações na cama (se sentem o ego amachucado ou se até acham uma cena sensual) e as respostas foram:

- "Super, super sensual. Desde que os pedidos não passem por cozinhar ou levar o lixo à rua. Se for uma miúda confiante, diz o que quer. Se for insegura e uma seca, não."

- "Acho sensual e não é pouco. E, desde que não seja uma cena marada, faço! Ainda há muita moça envergonhada, mas cada vez menos. Acho lamentável, porque gosto bastante de apreciar o orgasmo feminino. É metade do meu!"

- "Acho uma cena super sensual. Durante um segundo podemos ficar a sentir "porra, não consegui descobrir sozinho", mas cada mulher é tão diferente que falar, às vezes, ajuda em tudo. Inclusivamente a atribuir um carácter de confiança e intimidade ao acto, o que o torna ainda mais sensual. Mas acredito que haja homens que ficam lixados, e muito. Infelizmente, as mulheres tendem a ficar mais caladas, mas acho que está a mudar. Noto isso quer por experiência, quer por conversas com amigas. Os homens também falam de cenas de sexo, mas não gostamos muito de admitir perante outros homens que precisámos de instruções delas".

- "Que digam o que é preciso. Desde que a actividade seja excitante, venha a dica"

- "Melhor que digam. Aquilo que faz uma mulher chegar lá é um mistério insondável, pelo que é melhor não estar a tentar adivinhar. Ganha-se tempo e pode-se voltar a ver a bola mais rapidamente"

- "Adoro processos ensino-aprendizagem. Tenho espírito de mestre-escola, não me incomoda minimamente que me guiem os passos. Não sei se me dá uma especial pica. Talvez não. Nem tira. Regra geral as mulheres não me guiam, não sei se tendem a calar por vergonha."

Como se pode ver por esta reduzida amostragem, os homens estão abertos ao diálogo, por isso FALEM. Claro que também pode ser porque são meus amigos e querem dar uma de moderninhos (e porque sabem que eu lhes infernizaria a vida caso me dissessem o contrário), mas prefiro acreditar que tenho por amigos tipos decentes e que se preocupam com o prazer feminino (além do latente sentido de humor presente em algumas respostas).

De volta ao estudo, se por um lado temos um terço das mulheres assumir que raramente ou nunca é capaz de atingir o orgasmo através de relações sexuais,  por outro quase metade das inquiridas confessa que se sentiu mais feliz depois de o conseguir fazer e mais de uma em cada três sentiu-se menos nervosa. 29% das mulheres relataram que tiveram uma maior qualidade de sono e 28% dos dois sexos concordaram que o orgasmo ajuda a libertar a tensão nos seus relacionamentos. Vantagens, senhores, só vantagens. Posto isto, porque é que andamos a ter muito menos orgasmos do que eles? Pior, porque é que nos sentimos confortáveis com isso?

Este estudo serviu de rampa de lançamento para a campanha #OrgasmsForAll que, basicamente, quer que todos sejamos capazes de dar e receber belos orgasmos. Todos, homens e mulheres (mas vá, mais nós, que estamos em défice). Associado a isto, está também um novo produto, o Durex Intense Orgasmic Gel (só o nome já dá vontade de ir a correr comprar). Como o nome indica, é um gel estimulante, clitoriano, desenvolvido para orgasmos mais intensos. Eu explico: basta massajar algumas gotas durante os preliminares e esperar pelo pequeno milagre que se seguirá, com sensações  de calor, de frescura e aumento de sensibilidade. Promissor, certo?

Estas pequenas coisas podem dar uma ajuda incrível e a maioria das pessoas inquiridas no estudo até admite que gosta de ter novas experiências com o seu parceiro, mas só um terço diz já ter usado este tipo de géis estimulantes. Ok, ainda vamos a tempo, não está tudo perdido. Vivendo, aprendendo e tendo mais e melhores orgasmos. Acredito que a parte da aprendizagem continua a ser um bocadinho subvalorizada. E que é preciso falar mais, sem pudores desnecessários. Também para isso a Durex lançou um site onde é possível ler mais artigos de especialistas em sexo, histórias pessoais sobre o orgasmo, etc. Vale a pena espreitar. E vale também a pena usarem a caixa de comentários para debater este assunto. Afinal, andamos ou não a ter menos orgasmos do que devíamos? Andamos ou não a falar de menos (logo nós, mulheres, sempre acusadas de falar de mais)?

*post em parceria com a Durex

55 comentários:

  1. Bravo. Finalmente alguém que fala neste tema sem "ses" e "mas". Top Ana obrigada!

    ResponderEliminar
  2. pessoas com blogs:
    ponham os olhos neste post! Isto sim é um óptimo exemplo de post de publicidade/parceria! Parabéns, Pipoca!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. totalmente de acordo!

      Eliminar
    2. Concordo a 100%

      Eliminar
    3. Estou muito de acordo com este comentário! =)

      Parabéns Pipoca!

      Eliminar
  3. Oh meus DEUSES! "Se percebermos que eles estão a chegar a Moimenta da Beira quando o nosso pipi está em Faro, é preciso trazê-los de volta, ajudá-los a focarem-se e dizer, inequivocamente, o que é que queremos" Demaaaaiiis. Ainda choro de tanto rir eheheheh Excelente. Tema muitíssimo bem tratado, com verdade, irreverencia, muito humor, muito atrevimento mas também muito cuidado. Quase nem dei pela publicidade, sorry!

    ResponderEliminar
  4. Pipoca concordo plenamente com tudo o que disseste. Durante anos, não tive um unico orgasmo com nenhum dos parceiros sexuais que tive. Acho q os homens estão muito preocupados com o seu prazer e esquecem q nós precisamos de muito mais para chegar lá.
    Hoje em dia tenho uma vida sexual muito boa, não tenho sempre orgasmos, mas grande parte das vezes consigo ganhar o jogo ao meu namorado ;) Pode dar mais trabalho, mas enquanto um homem tem só um orgasmo, nós podemos ter múltiplos.
    Eles só precisam é de ter paciência, de nos conhecer muito bem e de também gostarem muito de nós. E nós só precisamos de ter confiança e abertura para falar do assunto e saber guiar. Custa, mas é tão melhor.
    As mulheres q dizem q não se importam de não ter orgasmos estão tão enganadas. Minhas queridas, vocês não sabem o q estão a perder. Orgasmos é das melhores coisas que há para libertar o stress e os homens adoram dar-nos esse prazer.
    P.S. Não finjam orgasmos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Por outro lado, dado que temos esta dificuldade acrescida, é importante que conheçamos bem o nosso corpo e que consigamos chegar lá sozinhas, para depois ser possível guiar o nosso parceiro. Caso contrário, se nem nós próprias soubermos, como podem eles adivinhar? Só por sorte ;)

      Eliminar
  5. - "Melhor que digam. Aquilo que faz uma mulher chegar lá é um mistério insondável, pelo que é melhor não estar a tentar adivinhar. Ganha-se tempo e pode-se voltar a ver a bola mais rapidamente" Se eu me apercebesse que o meu parceiro estava numa de despachar para ir ver a bola, dava-lhe um real chuto na real bunda!!
    Posto isto...
    Pipoca... Eu não pago uma fortuna, para não falares dos Red Carpets!!!! :D

    ResponderEliminar
  6. Não sou propriamente a rapariga com mais experiência nesse campo. Tenho 27 anos e apesar de ter tido os meus casos (não muitos), só iniciei a vida sexual há pouco mais de um ano. Até aí, nunca ninguém me tinha "manejado" como deve ser, ah ah :P Era a miúda solitária, que gostava de estar sozinha e dava-se, na maioria das vezes, bem com isso. Até que conheci uma pessoa que mudou isto e opá, afinal não quero ficar só sozinha, quero ficar também com ele. Até o encontrar, sim, tinha algumas necessidades "biológicas" que, enfim, tinham que ser combatidas em modo solitário. E bem, eram razoavelmente satisfeitas, ah ah :P

    Mas com o rapaz, tudo mudou, claro. Não tive grandes receios e a verdade é que logo desde o início, tive mente aberta. Sim, era inexperiente (e isso notou-se principalmente na primeira vez, claro), mas o facto de ter sido virgem até aos 26 anos fez com que, com outra cabeça, mais madura, tivesse mente aberta para experimentar "coisas" logo de início e para falar com ele sobre a minha inexperiência e para irmos os dois explorando aquilo que eu gostava e aquilo que eu não gostava. Ajuda (e muito) o facto de nos darmos francamente bem e de nos complementarmos muito bem (e não só na cama).

    Resultado: com mais ou menos intensidade, posso dizer que tive sempre pelo menos 1 orgasmo.

    Serei sortuda ou a minha falta de experiência prévia faz com que não tenha bem noção do que é um orgasmo?

    Eu acho que sou sortuda, sinceramente. A verdade é que o rapaz só tem os seus orgasmos depois de eu ter pelo menos 1. A veradade é que nos preocupamos os dois com o prazer do outro e, no fim, ganhamos os dois. A verdade é que falamos sobre isto, sobre o que gostamos, sobre o que não gostamos, sobre as nossas fantasias. Inovamos, usamos geis (ou gels? Nunca sei) e outras coisas. E a verdade é que ganhamos os dois muito com isso.

    Sou uma sortuda porque não tive uma primeira vez (demasiado) estranha e até aí tive bastante prazer.

    Por isso sim, falar vale a pena :) Mesmo quando somos seres estranhos, habituados a estar sozinhos e que não se viam, até há pouco tempo, numa relação duradoura :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Excelente comentário 😃👏👍

      Eliminar
    2. para uma rapariga de 27, é francamente pouco obter pelo menos um orgasmo por coito!

      Eliminar
  7. Eu como homem moderno que penso que sou, estou sempre disponível para ouvir as indicações femeninas e não me importante nada com isso, é preciso mesmo é que venham de lá essas indicações. Para mim o prazer delas é fundamental, existe lá coisa melhor de que dar um orgasmo a uma mulher e ver a vossa cara de satisfação? Quem não se preocupa com isso é um atraso de homem, mas lá esta esta é só a minha modesta opinião.

    ResponderEliminar
  8. Ninguém comenta...foi tudo comprar o gel "milagroso"...:)

    ResponderEliminar
  9. Brutal Ana...finalmente alguém que fala sem tabus sobre o tema. Concordo plenamente com o que escreveu. Sou da opinião que temos que falar sobre o que gostamos. Obrigado e parabéns pelo texto

    ResponderEliminar
  10. Infelizmente este estudo veio confirmar o que sempre achei... eu acho que nos importamos menos com o facto de chegar lá ou não porque não damos tanto valor ao sexo. Verdade pura e dura. Oh pá sei lá, é tipo futebol, regra geral as mulheres ligam menos, mas claro que como em tudo na vida há exceções... Eu pessoalmente sou apologista de olhar pela qualidade e não pela quantidade e como acho que (regra geral) os homens estão sempre dispostos e as mulheres não estão sempre com pachorra para investir tudo e ir atrás do final feliz... sei que idilicamente não deveria ser assim, mas é... Como em tudo na vida. Mas pronto, se calhar sou só eu, mas estou a ser sincera, vai havendo diferentes fases na vida das pessoas e vamos mudando de perspetiva...no momento esta é a minha e já mudou diversas vezes... Às que são de um apetite voraz e atingiram o orgasmo todas as vezes que fizeram sexo, ou se não atingiram foi uma frustração: ALTAMENTE!!!

    ResponderEliminar
  11. Txiiiiiiiiiii, a Ana tem uma bolinha de cristal por aí?
    A minha bisnaguinha chegou hoje. Felizmente não me posso queixar muito da vida íntima que temos... Mas porque não apimentar um pouco???
    Numa de festejos do S. Valentim, este ano lembrei-me de comprar uma prenda mais económica e que servisse os dois... Et voilá...
    Vamos ver no que dá...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ora, chega o testemunho...
      Lolol, fiquei com cãimbras no momento em que as estrelas brilharam... Não era do gel, com certeza...
      Mas o momento OMG esteve igual. Pensei que pudesse ser mais rápido, ou mais fogoso... Mas não...

      Não acho que seja muito diferente de um que a ginecologista me recomendou há uns anitos - andei com uma amiga Cândida, que por passear comigo tanto tempo me deixou seca e sem vontades... A par com o tratamento, a médica falou-me do Prazelle. Pareceu-me que este Durex intense é a mesmíssima coisa, com a vantagem de ser ligeiramente mais barato, mas com menos quantidade.

      A mim pareceu-me que o homem me estava a esfregar um cubo de gelo, pelo que pode haver mulheres que não apreciem muito o efeito...

      Na minha opinião, vendem o produto como milagroso... Mas não lhe achei assim grande valor.

      Eliminar
  12. A falta de abetura (peço desculpa pela expressão =D) neste assunto é flagrante! Há uns meses falei com umas amigas que na teoria são todas despachadas e parecem muito atrevidas, mas fiquei a saber que...andam muito insatisfeitas. Porquê? Porque não falam, não perguntam, não experimentam coisa novas...(mesmo das mais básicas)

    Hoje em dia já me custa acreditar que as mulheres não vejam pornografia, não usem brinquedos, não se masturbem ou (simplemente) não assumam isso. Abaixo o tabu. Não significa espalhar coisas íntimas aos sete ventos. Significa comunicar com o parceiro ou amigas se assim se quiser e melhorar o que não satisfaz ;)

    Falei disso aqui: http://www.mariadaspalavras.com/falemos-sobre-sexo-277544
    na sequeência de uma despedida de solteira que meteu uma sessão de Tuppersex e a maior parte das mulheres presentes não sabia o que eram as coisas mais básicas.

    Beijinhos

    ResponderEliminar
  13. Parabéns por este excelente post Pipoca! Uma igualdade tão pouco tocado ou desejada mas que é tão necessária como outra qualquer! Eu diria que se houvesse mais mulheres a ter orgasmos também teríamos de aturar menos mulheres aborrecidas! =)

    www.anafernandes.ch

    ResponderEliminar
  14. Epa... ganda pipoca! Salva de palmas de pé sff!!

    ResponderEliminar
  15. SÓ 2 comentários? Este mulherio anda a assobiar pró lado no que toca ao seu prazer ou quê? Estão em modo hibernação/negação? Não entendo. Mesmo. Confirma-se, andamos a falar de menos neste assunto. E é triste, porque ficamos com a ideia de que se interiorizou a coisa de modo a que se o macho fica satisfeito, missão cumprida. Mau, mto mau... Outra coisa que não tem nada a ver com este post, mas pedia encarecidamente, Sweetest Pop: que comentasses os trapitos dos Grammys 2017. É que nunca vi igual. E só tu para essa função comentarista :)

    ResponderEliminar
  16. Adorei a última parte, muito "Sexo e a Cidade"! Além disso, este é o exemplo de como fazer publicidade em blogs, muito bem

    ResponderEliminar
  17. Parabéns, finalmente haja coragem de falar abertamente e dar a cara por um assunto'quase' tabu ou que as mulheres têm medo vergonha de divulgar. Está lá tudo, as vergonhas as inseguranças e a falta de conhecimento do seu próprio corpo e a falta de conhecimento do próprio parceiro que muitas ou quase sempre tem a ideia focada em si sem se ralar com mais nada, sem sensibilidade para perceber o corpo da mulher. Mas a mulher também tem culpa se aceita e guarda para si que não ficou minimamente satisfeita e que não atingiu o 'paraiso' ao chegar ao orgasmos. Tudo isto passa creio eu, por quem tem uma relação mais duradoura pela conversa e pela reivindicação. Mas também há mulheres que gostam de ter homem mas não estão nem aí para terem relações sexuais felizes; nem gostam sequer. Mas este assunto dá pano para mangas. Convém para o bem das mulheres e também dos casais que se fale abertamente e cada vez mais sobre o assunto. Queremos ter e ver, é pessoas verdadeiramente felizes e sexo é uma parte muito importante da vida; das nossas vidas.
    Parabéns.

    ResponderEliminar
  18. É de facto uma pena constatarmos que ainda há tanta mulher que "se nega o prazer". É preciso conhecer bem o próprio corpo, não ter vergonha de brincar sozinha e aí sim, ficamos aptas a "ensinar" outras pessoas a dar-nos prazer. Devemos recordar que poucas são as mulheres que conseguem orgasmos vaginais, ou seja, só com penetração. A estimulação clitoriana é fundamental! Depois é aproveitar bastante :)

    ResponderEliminar
  19. "O Rei do Pipi" AHAHAHAHAH!!! Merecias o Oscar por essa! Estás mais solta! (Na escrita) ;) Congrats!

    ResponderEliminar
  20. Caramba, se não atingisse o orgasmo desistia de ter sexo, deve ser uma frustação. Há muitas mulheres que além de não conhecerem o próprio corpo esperam que seja o homem a comandar a relação sexual e não procuram o próprio prazer. Eu tenho que me controlar para não atingir o orgasmo nos primeiros 60 segundos 😂

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Se voce nao tiver a cereja no topo do bolo, deixa de comer bolo por causa disso?

      Eliminar
    2. Quando a esmola é grande o pobre desconfia. Foi,é e será sempre mais facil ao homem ter um orgasmo. É anatomico, cientifico. Uma mulher nao é a mesma coisa. Há dias que pode andar de moimenta da beira a faro que ela não vai lá. Na mulher o cérebro interfere muito com a cspacidade de resposta ao estimulo e se ele nao está focado para isso não há gel que nos salve. Não acredito que as mulheres tenham orgasmos em todas as relações o que tenho comprovado na minha experiência profissional mesmo naqueles casais com a maior abertura para se falar de sexo. Fingir? Acho uma estupidez.

      Eliminar
    3. Anónimo, tenho orgasmo em todas as relações. Ou vá, em 100 vezes posso não ter 1 (mas honestamente não me lembro da última vez que não atingi o orgasmo). Talvez o meu clitóris seja mais saliente que o comum. Mas também comecei a masturbar-me cedo (13/14 anos) e conheço muito bem o meu corpo. Além disso numa relação sexual sou uma participante ativa e procuro o meu prazer, sei em que posições tenho orgasmos e faço-as sempre. Não espero que o meu parceiro me dê orgasmos, procuro os meus orgasmos. Também ajuda o facto de só fazer sexo quando estou verdadeiramente excitada. Com esse discurso duvido que tenha experiência profissional na área, mas caso tenha ser-lhe-á mais fácil entender as características das mulheres que atingem sempre o orgasmo do que descreditar os seus testemunhos.

      Eliminar
    4. O orgasmo é muito mais que a cereja no topo do bolo. Não atingir uma vez por outra OK, mas não atingir por regra deverá ser frustrante.

      Eliminar
  21. É mesmo disto que preciso !!! Ainda são algumas vezes sem orgasmo. Não é incompetência dele, mesmo . Acho que às vezes estou tão concentrada em chegar lá, que perco tudo o resto :)

    Lubrificantes nunca experimentei, mas agradeço que me contem experiências :) se me garantirem que funciona mesmo eu compro !

    ResponderEliminar
  22. Já agora, diga lá quais são as posições extremistas no que concerne ao feminismo. É que nunca a vi falar, por exemplo, do regresso da extrema-direita. É que a extrema-direita, ao contrário das feminazis, existe mesmo e está cada vez mais próxima do poder.

    ResponderEliminar
  23. Parabéns ao texto Pipoca, como sempre, imparável...
    Agora venho dar o meu testemunho relativamente ao "Milagroso" Gel.
    Visto não ter muito apetite sexual... não tanto como o meu marido ;), este foi comprar o referido Gel, a ver se fazia Milagres... pois... não fezzzzzzzzzzz :/ realmente tive as sensações de frescura, de calor, mas em fez de aumento de intensidade, tive foi a sensação de "adormecimento", como se tivesse levado uma anestesia....(como a dos dentistas, sim).
    Por isso, amores, cá para mim, se nós "Cabeça e corpo" não estivermos bem e a 100%, não há GEL que resolva!!! Beijos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Acabei de dar o meu testemunho...
      E também desiludiu um pouco. Parecia que o homem me esfregava um cubo de gelo...

      Nada como um lubrificante à base de água, simples, sem cheiros e sem sabores... Para mim é o que dá um bom final feliz à história!

      Eliminar
  24. Estou casada há 9 anos e posso contar pelos dedos de uma mão, quantas vezes não atingi o orgasmo. E não foi por falta de esforço dele... simplesmente há alturas que por algum motivo, não conseguimos mesmo lá chegar. No entanto o conhecimento do nosso corpo, tanto da nossa parte, como do nosso companheiro, é fundamental e posso dizer dizer que de há uns anos para cá, dificilmente tenho apenas um. Dois orgasmos são o normal numa relação sexual nossa menos demorada, e confesso que o meu marido adora que eu tenha vários. Ontem foram 3 e facilmente chego aos 4 e aos 5, pela forma como ele me conhece. Ainda assim,posso dizer que ao 4º já estou de rastos :)) Tudo isto para explicar, que com os meus ex namorados era muito raro atingir o orgasmo e eu já fiz parte desses 95%. Por isso não desistam, não tenham vergonha de falar e principalmente de se tocarem numa relação sexual.Conheçam-se e percebam como chegam lá e depois mostrem ao parceiro como fazê-lo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. 4 e 5? Eu vou até aos 3 e ao segundo já estou KO LOL Já tive alguns 10 numa relaçao sexual, mas honestamente o primeiro é sempre o melhor e se continuamos é por ele fazer questão, porque por mim 1 chega. :) :)

      Eliminar
  25. Alguém conhece sítios/pessoas que façam workshops sobre sexo?

    ResponderEliminar
  26. Tenho muita sorte em ter uma relação onde cada vez é uma historia, e chegamos os dois ao final feliz. Há que ter abertura, se não dá do modo A, dá do B...no caminho descobrimos que de Z também dá e olha...já faltam letras para acabar a historia. 25 anos bem realizados nessa campo pois vergonha nunca foi o meu forte (calma...dentro do que é o respeito pelo outro).
    Ana parabéns pelo texto, isto sim é uma parceria!

    ResponderEliminar
  27. Sai um Oscar para a Pipoca! "Se percebermos que eles estão a chegar a Moimenta da Beira quando o nosso pipi está em Faro, é preciso trazê-los de volta..."
    Brilhante Pipoca, brilhante!!!

    ResponderEliminar
  28. Eu masturbo me muitas vezes. Uma coisa normal e que muitas mulheres deviam começar por aí. Faço sexo com o meu marido e atinjo sempre o orgasmo. conheço bem o meu corpo. E importante explorarar mos o nosso corpo.

    ResponderEliminar
  29. Facto: há estudos a comprovar que as mulheres não têm sempre orgasmos. Todas as mulheres que comentam este blog têm orgasmos só de pensar no companheiro. LOL. Um bocadinho menos, se faz favor.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Devo ser uma ave rara então. Orgasmo sempre ;)

      Eliminar
  30. Por incrível que pareça continua a existir muita insatisfação no campo sexual e não julguemos que se prende apenas com uma faixa etária mais elevada, que ainda vê no sexo um assunto tabu. Temos a faixa etária dos 30 e 40 anos que tem tudo para ter uma vida sexual liberta de pudores e ativa e vêm-se muitas situações com pouco sexo e longe do pacote "tudo incluído"!
    Mais uma vez parabéns pela forma descontraída mas incisiva com que aborda os temas!

    ResponderEliminar
  31. Eu fico pasma quando penso no facto de tantas mulheres não terem orgasmos. Tenho sempre? Não (tal como lhe acontece a ele). Há dias bons e menos bons e há dias em que não se consegue e é bom na mesma partilhar aquela intimidade. Mas sem dúvida que partilhamos (pelo menos) um orgasmo em 99% das vezes. Nas vezes em que um dos dois não chega lá, simplesmente levamos na boa porque temos uma relação saudável e sem dramas nesse aspeto. Eu até brinco e digo que me fica a dever para a próxima. Não tem de haver a pressão de chegar lá mas muito menos tem de ser normal não chegar ao orgasmo. Mais, eu acho que um homem que não liga aos orgasmos da companheira não a respeita como mulher. Porque um homem "à séria" gosta de ter a mulher satisfeita, tal como uma mulher gosta de ver o parceiro feliz e satisfeito. Se não se preocupa com isso, ou precisa de um abre-olhos ou de um par de patins.

    ResponderEliminar
  32. Os Homens não são todos iguais, pelo menos aqueles que se vêm a sua parceira como igual... para mim não faz qualquer sentido que o prazer não seja a dois! Se assim não for falta qualquer coisa! A minha parceira não se queixa e não há vez que não tenha pelo menos um e (quase) sempre primeiro que eu! Faço questão que assim seja! Há algo melhor que ver a sua reacção? :)

    ps. não tenham pudor e falem, contem as vossas fantasias, façam o que vos apetece e gostam!

    ResponderEliminar
  33. Isso é tudo muito bonito, mas às vezes só quero mesmo é que meu marido se sirva de mim e me deixe dormir sossegada sem acordar os miúdos.

    ResponderEliminar
  34. Este tipo de posts sao sempre complicados, é impossivel ter uma conversa franca.
    E´ impossivel evoluir.

    Varios estudos, em varios paises, dizem vezes sem conta o mesmo; é constante.
    - que mais ou menos 1/3 das mulheres nunca teve um orgasmo.
    - que a maioria tem ás vezes sim/ás vezes nao, depende de muito factores.
    - que há um grupinho que tem sempre.
    - que há uma minoria das minorias que tem orgasmos multiplos.

    Mesmo assim , os comentarios a estes estudos, sejam em blogs ,jornais ou revistas ,sao inundados por mulheres que dao a entender que experienciam orgasmos cada vez que espirram. Afirmam que o segredo esta na masturbaçao,( pois mais ninguem se marturba, só elas) e que os orgasmos multiplos nao sao uma raridade no mulherio, mas sim uma banalidade .

    Eu acho isto uma pena.
    Acho que se perde muito em entrar neste jogo , em fez de se perceber os factos.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não percebo estes comentários de gente a insinuar que as mulheres que dizem que têm sempre orgasmos estão a mentir. Fui uma das que comentou que sim, tenho orgasmo em todas as relações sexuais. Na maioria das vezes só um, por vezes múltiplos. Que razão teríamos para mentir, aqui, sob anonimato? Não nos estamos a gabar junto das amigas. Eu acho muito triste esta tendência, que estou a descobrir este blog, de negar o orgasmo feminino.

      Eliminar

    2. Anónimo18 fevereiro, 2017 09:32

      Nao é tendência deste blog negar o orgasmo feminino, basta ir á net e ver os mais diversos estudos ao longo dos anos, em diferentes paises, promovidos por entidades diferentes (muitas delas instituiçoes respeitadas) e vai ver que os resultados rondam sempre o mesmo.
      No entanto os testemunhos que aparecem estao no especto oposto.
      Isto quer dizer o que?
      Que as fundaçoes e entidades que estudam os comportamentos sexuais nao acertam uma?
      Quer dizer que as mulheres mentem nos estudos?
      Quer dizer que as mulheres mentem nos comentarios?
      Quer dizer que sobre este tema as mulheres que fazem parte da minoria é que comentam ?
      Há algo que nao bate certo!!

      Isto nao é a para atacar a pessoa A ou B, pelo contrario, temos que convir que há algo aqui que nao faz sentido (e quando digo aqui nao é neste blog, mas neste tipo de discusoes no geral) e que assim não há evoluçao .

      Eliminar
    3. Por haver algo que não faz sentido não se passa automaticamente à suposição de que as mulheres estão a mentir. Nunca me passaria pela cabeça, face a uma mulher que diz ter orgasmo na maioria das suas relações sexuais, achar que ela está a mentir. A mim parece-me que a última opção parece ser a mais correta: talvez as mulheres que têm mais orgasmos (que são aquelas que, regra geral, são participantes ativas na relação sexual) sejam as que mais comentam estes tópicos.

      Note também que o facto de muitas mulheres não terem orgasmos frequentes pode ter a ver muito mais com a própria postura perante o sexo do que com a anatomia feminina. Ao falar sobre sexo com outras mulheres percebi que há as que gostam de ficar quietas e deixar o homem fazer o trabalhinho todo (isto foi-me dito mesmo assim) e outras que não sabem sequer se já tiveram um orgasmo (o que significa que não tiveram).

      Eliminar
  35. O titulo deste post é apelativo, talvez o melhor que já por aqui li mas ler o texto demora muito, gosto mais de rapidinhos.

    ResponderEliminar
  36. Eu tenho sempre orgasmos porque me masturbo ao mesmo tempo. Como já alguém disse há mulheres que esperam que o homem conduza todo o processo. Tive uma vez um orgasmo vaginal e acreditem que não é por falta de empenho deles. Acho que é mesmo díficil uma mulher ter orgasmos vaginais e muitas vezes estimula o clitóris na pele do parceiro. Simplesmente este é um tema tão taboo que nem as próprias mulheres falam dele. É dificil um homem estar a penetrar-nos e estimular o clitóris ao mesmo tempo, porque não fazermos isso nós próprias ? Também as mudanças de posição, ritmo dificultam o processo. Muita gente fala de forma genérica sem aprofundar a questão.

    ResponderEliminar

Teorias absolutamente espectaculares

AddThis