Pub SAPO pushdown

In my solitude

segunda-feira, novembro 07, 2016

Quando no curso de fotografia nos pediram que escolhêssemos um tema para trabalhar, soube imediatamente que queria fazer alguma coisa à volta da solidão. É um estado e um sentimento que me atemoriza tanto quanto me fascina e, curiosamente, é algo que sempre senti e que sempre vi em Nova Iorque. Numa cidade com quase tantos habitantes como Portugal inteiro, com um ritmo absolutamente frenético, não há vez nenhuma em que não sinta que as pessoas são muito voltadas para dentro. Deve ser a única forma de se sobreviver ali, mas isso também acaba por fazer com que, de alguma forma, nos sintamos sozinhos, por nossa conta. Percebi mais isso há uns anos, quando passei lá três semanas e consegui entrar um bocadinho mais no modo de vida, mas acho que é uma coisa constante, muito palpável, tantas vezes difícil de digerir. Gosto de solidão. Mas de solidão pontual, escolhida, não constante, só aquela solidão confortável de quem pode suspender o mundo uns instantes porque ele espera. Em Nova Iorque andei à procura da solidão. Das solidões. Encontrei-a muitas vezes ou, pelo menos, interpretei-a como tal. Deixo-vos algumas das fotos que fiz.
















Fotos: Canon 5D Mark IV

85 comentários:

  1. FINALMENTE!!!!!!!!!!!!!!! Nestas fotos consigo finalmente ver a pipoca. Estas fotos tem alma, tem uma historia, vida. As outras fotos estavam ok, mas nao dava para adivinhar qual seria o fotografo. Estas sim, mostram alguem que consegue mostrar numa foto o que muita gente sente interiormente, como um espelho.

    Parabens e continua :)

    ResponderEliminar
  2. Adorei! Adorei tudo, o tema, as fotos, o objecto das fotografias, o facto de ser B&W. E a solidão também me fascina... Adorei, parabéns!

    ResponderEliminar
  3. De tudo o que já li neste blog, de tudo de magnifico que já fizeste, de facto, isto ultrapassa tudo! É de uma sensibilidade extraordinária.
    Parabéns Ana.

    ResponderEliminar
  4. A foto do homem despido no meio da rua é absolutamente desconcertante. Não faço cá ideia se a Pipoca percebe ou não percebe de fotografia em termos técnicos, e sinceramente, isso é o que menos me interssa aqui porque eu não percebo patavina de fotografia. A única coisa que sei é que a Pipoca consegue ter a sensibilidade para fotografar aquilo que, muitas vezes, nos escapa. Porque observa. E porque consegue absorver esse momento na sua câmara. Quanto ao tema, é de facto desconcertante. Que estas fotos nos ponham a pensar sobre isto e o que está ao nosso alcançe para minimizar este problema que é, não só das famílias destas pessoas, mas também da própria sociedade. Bem haja.

    ResponderEliminar
  5. Aiii...sente-se mesmo. E quando uma fotografia nos desconcerta e nos põe a pensar na história que conta, alcança o seu objetivo máximo. Obrigada Ana

    ResponderEliminar
  6. Estas fotografias são muito mais expressivas para além da tua escolha temática inicial. Algumas revelam com delicadeza outros subtemas que dariam uma boa reflexão. O tema em si é triste e comovente, depressivo até, mas as imagens estão muito boas.

    ResponderEliminar
  7. Sublime. Muitos Parabéns.

    ResponderEliminar
  8. Absolutamente fantásticas!!!
    Aquela foto do senhor de trompete arrepiou-me...

    ResponderEliminar
  9. Querida Ana, comece a colocar a sua assinatura nas fotografias, parabéns pelas imagens!

    ResponderEliminar
  10. Muitos parabéns pelo excelente trabalho. Adoro especialmente a foto da rapariga na esplanada, solidão causada pela tecnologia. Infelizmente é uma realidade cada vez mais frequente.

    Joana

    ResponderEliminar
  11. Boas fotos! :)
    Acho que nota-se bem o teu progresso. Estáa cada vez mais profissional e eu estou adorar ver esta evolução.
    Beijinho grande

    ResponderEliminar
  12. Estão fabulosas as fotos. Julgo que para se ser um bom fotógrafo, há uma qualidade essencial que tem que ver a sensibilidade pessoal para captar determinado momento é perceber que aquela vai ser uma grande foto. E a Ana tem essa sensibilidade. Parabéns.
    Joana

    ResponderEliminar
  13. Uma vez mais, excelentes fotos Ana, em que algumas espelham duras e infelizes realidades!):

    MDM

    ResponderEliminar
  14. Bem... tens aqui fotos brutalmente bonitas. Parabéns :)

    ResponderEliminar
  15. Belíssimo trabalho! Tb gostava de vê as fotos as cores

    ResponderEliminar
  16. Aparenta ser um caso de confusão entre solidão e miséria (humana, sobretudo)...

    ResponderEliminar
  17. Compreende-se muito bem o que queres transmitir.
    Muitos parabéns, as fotos estão no ponto!
    Também me lembrei da baixa de Lisboa, o que aqui retratas também se passa nessa zona. A diferença é se está só no meio de muita gente.
    Mais uma vez, parabéns!

    ResponderEliminar
  18. As fotos estão incríveis Ana. Incríveis ao ponto de, por momentos, também eu sentir a solidão de todos que fotografaste.
    Um beijinho, e continua a partilhar connosco estes momentos!
    Diana

    ResponderEliminar
  19. Parabéns !! Gostei muito !!

    Maria . Viena-Austria

    ResponderEliminar
  20. Olá Ana! Muito boas as fotos ;)
    Uma questão: pedes autorização às pessoas para fotografar? Elas aperceberam-se ou foi com zoom?
    É uma pgta q me coloco sempre neste tipo de fotos...

    Kisses

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu também ando sempre de máquina fotográfica atrás para ir fotografando, mas sou incapaz de fotografar pessoas, porque tenho receio, fico sempre com medo da reacção e não consigo fotografar à socapa! Tal como a Sofia Ferreira, é uma questão que me coloco perante este tipo de imagens. Poderá responder-nos, Ana? Gostaria que isto não fosse um problema para mim.

      Isabel

      Eliminar
    2. Em Portugal, creio que a legislação é clara. Niguém poderá ver exposta a sua imagem se não tiver dado o seu consentimento. Exceptuam-se alguns casos, como por exemplo, quando estamos a falar de pessoas que exercem cargos públicos, ou quando a imagem vier enquadrada na de lugares públicos. Creio que a Pipoca, já que agora expõe aqui publicamente muitas das suas fotografias, deveria indagar junto dos seus advogados se o pode efectivamente fazer. Eles, melhor que ninguém a poderão aconselhar. Já agora, aproveito para questionar se, nos cursos de fotografia que a Pipoca ou outras leitoras, frequentam, não abordam esta questão.

      Eliminar
    3. Fotografar uma pessoa é sempre um risco porque pode não ser receptiva a isso. Para publicação é necessária a sua autorização, sobretudo se o enquadramento a colocar como o sujeito da fotografia.

      Eliminar
  21. A solidão, quando não é opção, é fatal...a solidão mata. Bonitas fotos - quero dizer bem tiradas - retratam muito bem aquilo que digo. Parabéns Pipoca, mais uma faceta sua para partilhar connosco.

    ResponderEliminar
  22. Que fotos, pipoca! Eu não percebo patavina de fotografia, mas estas estão brutais! Pelo simples facto de transmitirem algo, nos fazerem pensar no que estará por detrás daquela situação.. por acaso tenho o hábito de observar as pessoas, gosto de ver a forma como andam, as suas expressões, e infelizmente há cada vez mais solidão na nossa sociedade. E saíres por Lisboa a fotografar a solidão por cá? Provavelmente seria interessante comparar..
    Rubina.

    ResponderEliminar
  23. Sou leiga na matéria, pois nada percebo de fotografia, contudo posso dizer que estas fotografias são tocantes, comoventes. Absolutamente extraordinárias!

    ResponderEliminar
  24. Curioso.. normalmente associa-se solidão ao estar só ou sem ninguém Então e aquela solidão em que nos encontramos cheias de gente? Em que estamos rodeados de pessoas e nos sentimos tão sós? Eu sinto-me assim muitas vezes e curiosamente adoro estar comigo própria, sozinha e muitas vezes rodeada pela Natureza.

    Excelente fotografia!

    ResponderEliminar
  25. Pipoca não tenhas ilusões. Vimos ao mundo sozinhos, e morremos sozinhos ( a morte é individual ou esse processo... não sei explicar melhor ). Estamos a céu aberto num Universo que desconhecemos, frio, escuro e assustadoramente gigante. Estamos sim de facto todos SÓS. Catarina

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. You must be fun at parties.

      Eliminar
    2. E não podias dizer isso em português? Está tão fora de moda essa pseudo fluência linguística para se dizer uma porcaria qualquer... but I rest my case :P

      Eliminar
    3. I see what you did there :P

      Eliminar
    4. Mas que mania escrever em inglês, é só para se armarem em finas, que pirosice, somos portugueses, escrevam em português. Eu também sei falar e escrever inglês mas NUNCA o faço pois não concordo, e acho ridículo.

      Eliminar
    5. Em algum sítio está que o anónimo é português? Just saying.

      Eliminar
    6. Não me parece de todo presunção. Vivemos numa sociedade muito exposta à influência anglófona, vemos séries e filmes em inglês, etc. Há imensas expressões que só têm sentido e piada em inglês. Get over it.

      Eliminar
  26. Que fotografias incríveis. O tema é de louvar, eu não teria coragem de o escolher. Parabéns Ana!

    ResponderEliminar
  27. Adorei o texto, as fotos e concordo plenamente com a Pipoca.
    Fotos fascinantes :)

    blogdamariafrancisca.blogspot.pt

    ResponderEliminar
  28. Brilhante, soberbo mesmo! A primeira de todas... magistral! A pista de gelo, o homem pequenino na imensidão do gelo, as árvores grandiosas, os arranha céus majestosos... e o homem sozinho e tão pequenino! Lindo.

    ResponderEliminar
  29. Todas as fotografias demonstram bem o tema. Mas a primeira, sendo a menos trágica, é, para mim, a mais poética. Parabéns!

    ResponderEliminar
  30. Lindas, lindas, lindas fotos!

    ResponderEliminar
  31. Muitas das fotos não mostram só solidão mas miséria e.... não só económica!

    ResponderEliminar
  32. Sendo eu leiga na matéria, logo dirão os entendidos que as fotos são más ou poderiam ser melhores.
    Mas a mim tocaram-me e deixaram-me com um sentimento de tristeza, pois revi-me um pouco também nos meus momentos de solidão.
    Por isso, para mim são maravilhosas. Tristes, mas maravilhosas.

    ResponderEliminar
  33. Gostei muito das fotos e acho que espelham bem a solidão.

    No entanto discordo quando dizes que há "solidão pontual, escolhida". Para mim, não é solidão. É escolhermos estar sós porque podemos fazer essa escolha. Optamos foi ficar sozinhos durante uma hora, um dia. Poque de outra forma não estaríamos sós. Muitas das pessoas que fotografaste parecem estar sós, não por opção, mas por circunstâncias da vida. E aí não é uma escolha, é uma situação da qual não conseguem fugir.

    Parabéns pelo trabalho!
    Paula


    Vida de Mulher aos 40"

    ResponderEliminar
  34. Acho que essas fotos só não conseguirão tocar, quem por natureza não se toque com nada, porque estão magnificas. A solidão pontual, voluntária é saudável, a outra não... e vê-se nessas fotos, essa outra.

    ResponderEliminar
  35. Espectaculares Pipoca!!! Muitos parabéns :)

    ResponderEliminar
  36. Este (agradavelmente) surpreendida. Nem precisava de texto.

    ResponderEliminar
  37. Fotos maravilhosas.
    Adorei, Ana.

    ResponderEliminar
  38. Engraçado como cada pessoa tem mesmo uma maneira muito própria de sentir cada coisa! Pata mim ny é sinónimo de liberdade pessoal e não de solidão. Para mim essa solidão que tu sentes é poder ser eu mesma sem julgamentos. Não senti nem por 1 min que estava sozinha ou só, senti que podia ser eu, que não ia ser julgada, que podia estar e ser o que quiser! Sempre que vou a ny sinto-me livre e isso é tão bom :)

    É verdade que as pessoas andam sempre com pressa e que por vezes nos sentimos pequeninos. Mas também é verdade que foi nessa cidade que mais desconhecidos me abordaram na rua simplesmente para perguntar se precisava de ajuda (quando andava com uma cara de perdida) ou para me dizerem que o meu casaco era espetacular ou só para me perguntarem como estava a correr o meu dia... foi nessa cidade que vi pessoas a darem esmolas e ao mesmo tempo perguntarem ao sem abrigo como é que ele estava e se precisava de mais alguma coisa! Eu acho que em ny sinto muita coisa, mas nunca solidão!

    Quanto às fotos, estão, na minha opinião de leiga, espetaculares :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Já não é a primeira vez que oiço que NYC tem gente muito simpática, preocupada e que "sai do seu caminho" para nos dar uma palavra. Acho isso incrível numa cidade de 10 milhões de pessoas. E só me deixa com mais vontade de lá ir.
      De qualquer modo, também entendo a solidão que a pipoca refere que acredito ser inerente de todas as cidades grandes e cosmopolitas.

      Eliminar
  39. Simplesmente sem palavras, de uma sensibilidade única, parabéns. Bjinho grande.

    ResponderEliminar
  40. An. 18:07: Quando li o seu comentário identifiquei-me com cada palavra, parecia que tinha sido escrito por mim. A única diferença é que não foi em NY ( não conheço) mas tenho as mesmas sensações quando ando sòzinha em qualquer cidade inglesa, e não lhe chamo solidão mas sim essa liberdade pessoal, sou eu mesma sem julgamentos, a simpatia e a educação das pessoas, sinto-me livre e é tão bom.

    ResponderEliminar
  41. Por acaso senti o mesmo quando fui a NY. Dai ter dificuldade de dizer que gosto de NY. É uma cidade cheia de tudo mas onde não me senti nem bem e nem confortável. E sim senti-me só. Completamente só. Boas imagens. É verdade que partes cidade são desertas de pessoas.

    ResponderEliminar
  42. Adorei as fotos! Parece que contam tantas historias e o efeito preto e branco encaixa perfeitamente no tema. Parabéns!

    ResponderEliminar
  43. A solidão apesar de poder ser um tema absolutamente fascinante, nem sempre é fácil de ser transmitido. Contudo, tu fizeste-o na perfeição. As fotos estão brutais Pipoca. Parabéns!

    http://lifeworklive.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  44. Estas fotografias estão espetaculares, muito: WOOOOOOOOWW!
    Obrigada pela oportunidade de poder visualizar um sentimento.

    ResponderEliminar
  45. O melhor post de sempre deste blog. Brilhante. Agora sim vi em si uma fotografa.

    ResponderEliminar
  46. Adorei as fotos!!
    Pipoca, não tiveste Sábado no Keep Chic no Espaço Guimarães?
    Fui lá para te ver mas não estavas... Ou se calhar estivemos lá a horas diferentes (com a minha sorte).
    Vais estar novamente no Norte? Gostava muito de puder tirar uma foto contigo :)

    ResponderEliminar
  47. Por curiosidade, o que é que o senhor de cuecas estava a fazer?

    ResponderEliminar
  48. Comovente. Emocionei-me.

    ResponderEliminar
  49. Nunca fiquei tão absordida pela solidão. Uma transmissão através da lente inacreditável. Uma transmissão dos sentimentos que não dá para explicar. Uma partilha do medo com o confortável do estar sozinho. Fantástico Ana

    ResponderEliminar
  50. As fotografias ficaram boas e traduzem bem o tema, contudo, e não querendo diminuir o empenho no trabalho, acho que reproduzir as fotografias a Preto e Branco é meio caminho andado para as tornar mais dramáticas. O preto e branco ajuda-nos a focar mais o tema porque não somos distraídos pelas cores. Do meu ponto de vista, acho que um trabalho a cores que consiga captar o espectador da mesma maneira que um trabalho a preto e branco, consegue superar sempre as nossas intenções e interpretações de terceiros, pois está mais perto da realidade; realidade essa que no caso da solidão é imensamente dura de consciencializar.

    vais bem! mas foca-te a cores, vai valer a pena.
    sofia

    ResponderEliminar
  51. A que mais gostei foi a foto do homem descalço só com uma meia e calcanhares desfeitos. Essa transmite solidão e devaneio. É incrivelmente triste. E nessa foto temos a certeza que não foi apanhado numa performance qualquer que nos induz em.erro, mas sim em degredo e solidão pura...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. concordo 100%

      Eliminar
    2. Mais o que solidão as imagens - quase todas - transmitem-me uma sensação de abandono e alienação

      Eliminar
  52. Há aqui fotos que arrepiam. Isso só pode ser bom.

    ResponderEliminar
  53. Ana, a primeira foto desta publicação está indescritivelmente bonita. :) Parabéns!

    ResponderEliminar
  54. Extraordinário trabalho! Muitos parabéns, Ana.

    ResponderEliminar
  55. Fabulosas fotografias! Transmitem na perfeição todo um sentimento de solidão e tristeza. Muitos parabéns Pipoca.

    ResponderEliminar
  56. Imagens muito boas e que nos tocam mesmo de verdade!

    ResponderEliminar
  57. Parabéns parabéns parabéns!
    Sílvia

    ResponderEliminar
  58. Gostei imenso destas fotografias! (=

    ResponderEliminar
  59. Parabéns. Adorei. Porque adoro a cidade, adoro esta solidão que só lá conseguirias captar com tanta intensidade. Deverias talvez também ter feito o trabalho do lado oposto. A multidão. Seria outro tema incrível para ser desenvolvido em ny. Fiquei com vontade de me inscrever no curso que fizeste! Obrigado :)

    ResponderEliminar
  60. Porque centrar tanto as fotos, a preto e branco tem sempre aquele drama que eh meio caminho andado para este tema mas se nao tivessem centradas ficariam mt melhor

    A primeira eh mt boa.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Porque motivo escreve "eh", quer dizer "é"?Não entendo como pessoas com instrução além do ensino básico cometem estes erros ortográficos...

      Eliminar
  61. As fotografias estão bem bonitas, mas que sentimento triste que transmitem :( Parabéns.

    ResponderEliminar
  62. As fotografias estão maravilhosas! Parabens!!!

    ResponderEliminar
  63. Gosto muito de muitas, mas a do homem semi nu está fabulosa. Poderia ser uma foto do holocausto... Já fiz viagens para fotografar, e o meu tema calha sempre o mesmo: a solidão.

    ResponderEliminar

Teorias absolutamente espectaculares

AddThis