Pub SAPO pushdown

Como recuperar a fé na espécie humana

segunda-feira, outubro 17, 2016


Eu não sou uma pessoa muito crente nas virtudes do Homem. Tendo (quase) sempre a ver o copo meio vazio, há um lado meu meio negativo, que está sempre à espera do pior, que acha que já são poucas as pessoas com qualidades intrinsecamente boas. Mas depois, de quando em vez, lá vem a vida dar-me um sinal de esperança, como que a dizer que nem tudo está perdido e que ainda há gente muito espectacular.

Então o que aconteceu foi o seguinte. Na Maratona de Berlim, que corri há três semanas (e sobre a qual ainda não falei porque estou há uma vida à espera que o meu homem edite um vídeo que fiz) decidi levar um câmara GoPro comigo para ir registando a corrida. A ideia era fazer vídeos mais ou menos a cada dez quilómetros. Tudo certo, tudo muito bonito, fiz o primeiro vídeo ainda na partida e guardei a GoPro na minha bolsa de cintura. Eis que já estava a correr há uns três ou quatro quilómetros quando levo a mão à bolsa e...upssssssss, nada de GoPro. Foi-se! Não sei muito bem o que é que aconteceu ali, mas o certo é que já lá não estava. Voltar para trás era impensável. Eram milhares e milhares de corredores, o mais certo é que já tivesse sido espezinhada, por isso nem sequer pensei em parar e dei o caso como perdido. Não sou muito de chorar sobre o leite derramado, já não havia nada a fazer, por isso culpei-me ali uns sete minutos por ter sido estúpida e não ter tido mais cuidado, mas não podia fazer muito mais do que isso. 

Até que, um ou dois dias depois da Maratona
, e já em Lisboa, recebo uma mensagem no Instagram, de um rapaz alemão, a dizer que tinha encontrado a minha GoPro. Ooooiiiiii??? Como assim? Não só era estranho que a tivesse encontrado intacta, como era ainda mais estranho que me tivesse descoberto e ma quisesse devolver. Mas assim foi. Dei-lhe a minha morada e a GoPro já está comigo, sã e salva. Mas o mais giro disto tudo foi mesmo a carta que vinha a acompanhá-la e que explica todo o processo. Aqui ficam algumas partes:

"Olá Ana,

A história da tua câmara é uma das melhores que já me aconteceram nas 25 vezes em que corri a Maratona de Berlim. (...)

Fui um dos últimos corredores a partir, (...) e perto do quilómetro 2 (...) vi um pequeno cubo no meio da rua. Fiz alguns vídeos, tirei algumas fotos e ao quilómetro 8 entreguei-a à minha mulher, porque não a queria perder.

Depois disso começou uma verdadeira pesquisa forense entre mim e o meu filho Gerrit para localizar o dono da câmara. Eu sou especialista em Tecnologias de Informação e o Gerrit é um génio  em câmaras, vídeos e redes sociais. O Gerrit acedeu à câmara, encontrou o vídeo que fizeste na partida e num dos frames conseguimos ver que o teu dorsal terminava em 84. Vimos também que no dorsal estava escrita a palavra PIPOCA e através do Google percebemos que era uma palavra portuguesa. Entrámos no site da Maratona, pesquisámos todos os dorsais terminados em 84, vimos quantos deles eram portugueses ou brasileiros e descobrimos-te! Depois pesquisámos o teu nome no Google, chegámos ao teu Instagram e o Gerrit contactou-te! Amo a Internet!

Espero que a câmara chegue a Portugal sem sofrer grandes danos. (...) Esperamos ver-te em Berlim no próximo ano e toma bem conta da GoPro: no caso de já não a quereres, não a deites fora, podes sempre enviá-la para nós!"

História incrível, certo? Fiquei feliz por recuperar a GoPro, claro, mas fiquei ainda mais feliz por estas duas almas se terem dado a tanto trabalho para me descobrir, por terem encarado isto como uma missão. Obrigada, Carsten e Gerrit, por me terem feito recuperar um bocadinho da fé perdida. Vocês são os maiores!

118 comentários:

  1. Que máximo!
    Teve muita sorte, que história do caraças! *wooow*

    ResponderEliminar
  2. Tão bom quando isso acontece, alguém restaurar a nossa fé na humanidade. Aconteceu-me algo do género recentemente em Oslo. Perder algo e recuperar intacto pelas mão de um desconhecido. =)

    ResponderEliminar
  3. Adorei a história!!
    Muito bom saber que ainda há pessoas boas e que se interessam pelo bem dos outros sem esperarem algo em troca!

    ResponderEliminar
  4. Opaaaaaaaaa :') tão booom! =)

    Tens mesmo de voltar à Maratona de Berlim só para lhes dares um abracinho ou irem beber uma cervejinha no fim da Maratona! ahahaha :P

    ResponderEliminar
  5. Afinal o Mundo não está perdido, ainda há finais felizes! :)

    ResponderEliminar
  6. Wowww mas que excelente historia! Obrigada por partilhares :)

    ResponderEliminar
  7. Brutal!!!! História maravilhosa :)

    ResponderEliminar
  8. Que gesto memorável. Linda história!

    ResponderEliminar
  9. Existem histórias que nos reconfortam... Esta foi uma delas. Tive de aguentar as lágrimas porque são casos como este que me comovem... e muito. Não foi comigo, a Go Pro é tua e não minha, mas também lhes agradeço, porque mesmo sem os conhecer, acredito que devem ser pessoas muito especiais. Ainda bem que vão existindo por este mundo fora alguns de nós que ainda se pautam por boas acções. Bem haja a ti Ana, por partilhares este momento extraordinário connosco. Este dia cinzento ficou mais animado...

    Beijinhos, Maria

    ResponderEliminar
  10. Tenho uma história parecida. À 5 ou 6 anos atrás perdi uma pen, algures em Lisboa. Uns dias depois recebi um telefonema de um senhor que a tinha encontrado na estação de metro do Rato. Conseguiu através de um email que tinha guardado na pen encontrar o meu número de telemóvel e email e como se não bastasse ainda se ofereceu para ir levá-la ao meu local de trabalho. Haja pessoas destas!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Há 5 ou 6 anos

      Eliminar
    2. Há 3 anos atrás eu e o meu marido íamos na nossa rica vidinha, quando vimos um acidente a acontecer. Um carro, numa ultrapassagem mal feita, bate noutro sem culpa nenhuma e "dá à sola" rapidamente. Eu e o meu marido não pensamos duas vezes... entramos em "perseguição" ao carro, de forma a conseguir apontar a matrícula. Ainda demorou um pouco, porque o fulano não ia propriamente devagar. Depois de conseguirmos apontar matricula voltamos para trás, ao encontro do carro acidentado, e providenciamos a matricula à família (um casal e dois filhos). Para além disso, deixamos o nosso contacto para servir de testemunhas junto da seguradora. A cara deles era de total agradecimento e incredulidade ao mesmo tempo :).

      Eliminar
    3. Porque o que importa é corrigir o português da comentadora. Comentar o gesto tão simpático que o comentário relata é que não, que isto de abrir a boca quando só temos coisas boas para dizer é para os bonzinhos parvos que habitam esta terra e que fazem coisas altruístas.....

      Bonita história, Madalena. É sempre bom ouvir estas histórias!

      Eliminar
  11. ... tão, mas TÃO BOM!!!!

    ResponderEliminar
  12. ESpacatulaaaaaaaaar...gente de bem que de facto ainda nos faz acreditar que a vida não são só os telejornais desastrosos de todos os canais...

    ResponderEliminar
  13. Que história tão boa! Eu sei que isto pode soar a falso mas eu faria a mesma coisa! Acho que deverias tentar encontrar te com esse casal, será certamente uma "amizade" engraçada , pelo menos trocam experiências. Que giro!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não me soa nada a falso. Eu faria o mesmo.

      Eliminar
  14. Pipoca por brincadeira googlei esses dois nomes e voilá: a net diz foram dois colonizadores alemães do Séc. Passado. Foram 2 fantasmas que te ajudaram! lollll https://books.google.pt/books?id=GpW-zleaX1kC&pg=PA41&lpg=PA41&dq=carsten+e+garrit&source=bl&ots=6IL-8GxVNe&sig=BWEVCXT77u4AwPsKsHvix9-33L4&hl=pt-PT&sa=X&ved=0ahUKEwjK9raO--HPAhXCXhQKHQ_eDS0Q6AEIOjAD#v=onepage&q=carsten%20e%20garrit&f=false

    ResponderEliminar
  15. Este ano no Egipto o meu marido perdeu o bilhete de embarque no autocarro, antes do embarque. Éramos três ( eu o marido e o filho) e queríamos seguir os três no voo. Com a vigilância redobrada na egiptair não nos deixavam entrar sem o bilhete. Até que um senhor apresenta dois bilhetes ao comissário, um era o nosso. Ainda tenho muita fé na humanidade. Bonita história a sua Pipoca, de facto a internet é fantástica.

    ResponderEliminar
  16. Uma bela história!

    ResponderEliminar
  17. Esta história é especial pelo trabalho que estas pessoas tiveram para te descobrir mas existe muito de cultural também.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. sem duvida, acho que so mesmo um alemao se daria a tamanho trabalho de pericia e investigacao.

      Eliminar
    2. Só mesmo um alemão?
      Há pessoas boas em todo o lado, somente temos que ter a sorte de as encontrar (ou que elas nos encontrem a nós).
      Não classifique uma nação pelas acções de duas pessoas boas...

      Eliminar
  18. Pois, também já encontrei uma gopro no chão de um supermercado e não havia maneira de saber quem eram os donos. Só havia 2 videos no cartão e tratavam-se mutuamente por bebé e eram brasileiros. A câmara nem sequer estava registada.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Concluindo, uma go pro nova para o anónimo. Certo ou certo?

      Eliminar
    2. E que tal entregar no apoio ao cliente do tal supermercado?

      Eliminar
  19. Tão bom!! Agora tens q ir mesmo à maratona de Berlim de 2017!! ;)

    ResponderEliminar
  20. Que maravilha! É tão bom perceber que há pessoas fantásticas que se esforçam só em prol dos outros! E deve-lhes ter dado imenso gozo em conseguir descobrir de quem era! Adoro!

    ResponderEliminar
  21. Que história incrível!!! Realmente ainda há pessoas espectaculares que nos fazem acreditar que só beneficiamos em ser uns para os outros :-)

    ResponderEliminar
  22. Que história tão boa! Esperança na Humanidade restaurada por hoje!!

    ResponderEliminar
  23. Isto é incrivelmente fixe e assustador!! Qualquer pessoa com o mínimo de conhecimentos descobre o que quer na internet!

    ResponderEliminar
  24. Uau.. Para alem de ser um acto raro, são sempre historias para compartilhar e recordar, dignas de uma go pro

    ResponderEliminar
  25. Lindo!
    Até chorei.
    Parabéns a todos. É uma história e pêras!

    ResponderEliminar
  26. Muito bom ! Fico tão feliz quando a esperança na raça humana prevalece....

    ResponderEliminar
  27. Ainda á gente boa neste mundo....bem hajam

    ResponderEliminar
  28. Gosto tantoooo de ler estas coisas boas! História fantástica! Tu própria foste para lá de espectacular quando, sem pedires nada em troca, fizeste uma publicação que deu o pontapé de saída para a minha marca se apresentar ao mercado (bewee,o teu negócio da china...mentira é português nº24)e assim me mostraste que ainda podemos ter fé na espécie humana ;) Obrigado

    ResponderEliminar
  29. Maravilhoso,são infelizmente cada vez menos, mad ainda existem pessoas honestas! o empenho de pai e filho, merecem ser de facto que lhes agradeça in loco!(:

    MDM

    ResponderEliminar
  30. História fantástica! Até veio alegrar mais um pouco o meu dia de aniversário, frio, chuvoso e saudoso, que estou a passar na Suíça, longe do abraço dos pais que tanto queria abraçar e com o marido a trabalhar até muito tarde... vale-me a minha princesa (cadela) Luna. :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Parabéns Patrícia, também ontem foi o meu dia de aniversário!

      Manuela

      Eliminar
    2. Parabéns atrasados! :) A minha mãe está sempre a dizer que adorava ir à Suiça, e eu por acaso ando curiosa.

      Eliminar
  31. Keep Calm, há mais pessoas, seres humanos assim :)

    ResponderEliminar
  32. Que bom! Obrigada por partilhares e, quem sabe, inspirar pessoas que por aqui passam :)

    ResponderEliminar
  33. Formidável!! Eu guardo vários episódios do género, porque sou uma pessoa muito distraída e perco coisas a toda a hora e em qualquer lugar e felizmente posso confirmar que há pessoas muito queridas!

    ResponderEliminar
  34. Este ano em Setembro fui ao Mac de Vilamoura e o meu marido pediu me para guardar a sua carteira e eu como boa cabeça no ar esqueci me dela no banco pousada. Quando me apercebi já tinha passado um bom bocado voltamos para trás e a alma que a encontrou tinha entregue à gerente. Nunca lhe poderei agradecer o suficiente por me ter salvo a vida porque sim os olhos do meu marido eram balas a olhar para mim.

    ResponderEliminar
  35. Pipoca, devia deixar aqui o instagram deles ou facebook, para que os seus leitores também lhes pudessem dizer o quanto apreciaram este gesto... Eu gostava de o fazer, e não foi comigo. :)
    Acho que estes pequenos, GRANDES, gestos devem ser MUITO valorizados.
    Susana

    ResponderEliminar
  36. Pois...mas tinha que ser algo a ver com bens materiais...pipoca olhe que há coisas bem mais importantes que os bens materiais...desejo que a vida não lhe mostre isso da pior forma.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Quer mesmo falar sobre isso comigo?

      Eliminar
    2. É a primeirissima vez que comento, mas tem que ser.
      Gostava que me explicassem como existem pessoas assim. Existem mesmo seres humanos assim, ou isto é ficçao? É que o comentário do anonino é de um baixo nivel indiscritivel.
      Sabe anonimo, pior que morrer é nao viver! Creio que tenha uma vida muito etediante e o seu comentario deu me muita pena, sobretudo sobre um post sobre fé na humanidade....
      Pipoca, ja que em 10 anos é a 1a vez que comento, queria so pedir'lhe que nao de tanto tempo de antena a estes anormais..tem tanta gente que gosta de si, que lhe fazem perguntas coordiais e a essas nao responde com o mesmo vigor.
      é apenas uma sugestão...no seu lugar acabaria se vez com o protagonismo que da a gente má que as vezes ate lhes dedica um post.
      O blog é seu, eu gosto do que faz e desejo-lhe muita felicidades!

      Eliminar
    3. Então mas quando se perde algo, muito provavelmente será algo material não? Ai paciência...

      Eliminar
    4. Melhor comentário. Quando perdemos um amor acha que alguém o encontra na rua e o vem entregá-lo a casa? Ou um familiar. Ou a nossa saúde.
      O comentador queria deixar um boca à pipoca mas esta saiu-lhe ao lado. Sugiro que, da próxima vez, pense melhor antes de escrever...

      Eliminar
    5. Anónima das 16:54.
      Não sei sei escreveu com maldade ou não. Se foi com maldade tenho pena se si, se foi inocentemente será porque não conhece a Ana ou então é uma cabeça de vento.
      Mas sei que a Ana (Pipoca) não irá falar consigo sobre isso. No entanto tenho muita pena que ela não o faça. É caso para se dizer que a vida lhe iria mostrar a si que perdeu uma fantástica oportunidade para estar calada.

      Eliminar
  37. É muito triste o que vou dizer, mas creio que se a Pipoca tivesse perdido a Câmara numa corrida em Lisboa, o desfecho não seria o mesmo...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Já cá faltava.

      Eliminar
    2. A mim aconteceu-me algo do género em plena Lisboa, com um português. Eu e o meu marido parámos a mota no centro de Lisboa e fomos à nossa vidinha, num dia de semana, daqueles em que Lisboa está entupida de pessoas e carros. Quando viemos embora, cadê a chave? O certo é que o meu marido passa a vida a esquecer-se da chave na mota e nesse dia não foi excepção. Um senhor que trabalhava na zona passou, viu, guardou-a e quando nos viu ali de volta, aflitos, à procura em todo o lado, veio ter connosco, percebeu que éramos mesmo os donos da mota e devolveu-a.Pessoas boas e más há em todo o lado :-)

      Eliminar
    3. Já cá faltava mesmo, esta triste verdade, o meu filho esqueceu uma vez um telemóvel no banco de um táxi, e nunca foi entregue...

      Eliminar
  38. Adorei! De facto, existe gente boa neste mundo. Há histórias que nos deixam de coração cheio :)

    ResponderEliminar
  39. Uma sugestão: Agora para recompensá-los pela honestidade, envia-lhes uma carta de agradecimento com um miminho da cultura/tradição portuguesa e convida-os para visitar nossa bonita capital e quem sabe para participar cá numa maratona

    ResponderEliminar
  40. Histórias que devem mesmo ser partilhadas! Saber que há quem faça o bem, sem esperar nada em troca, só devia fazer os outros terem comportamentos equivalentes! Os chamados favores em cadeia

    ResponderEliminar
  41. a unica vez que me ligaram para me dizerem que tinham o meu cartão de fotos (do meu antigo telemovel, que eu guardava no porta-moedas)era um policia que tinha recuperado a minha carteira roubada e me fez passar a vergonha de ouvir: abrimos o cartão das fotos para verificar que era o seu, para recupera-lo tem de vir pessoalmente à esquadra. Vergonha porque ninguem me mandou ter tirado fotos "sensuais" para troca de msg com o meu namorado. A unica coisa boa desta história é que, a julgar pelos sorrisos dos senhores, proporcionei momentos felizes àquele pelotão ;)!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não quero agoirar, mas antes avisá-la: enviar/partilhar esse tipo de fotografias, mesmo que com uma pessoa em quem confiamos imenso, é um perigo. Tantos casos que eu já conheci de raparigas que viram as suas fotografias/vídeos tornados públicos quando o namoro acabou. Mesmo que as fotografias não tenham mal (em biquíni, por exemplo, que é algo que todas usamos), descontextualizadas e com poses mais atrevidas podem causar estragos quando vistas pelos pais, pela entidade patronal, etc. A sério, pense bem antes de tirar fotografias dessas.

      Eliminar
  42. Que história fantástica, pipoca!
    Já a mim, aconteceu o contrário.. perdi o telemóvel num autocarro apinhado de gente, quando dei conta ao sair ainda voltei atrás mas já lá não estava nada.. quando cheguei a casa estava o meu namorado super irritado, tinham enviado uma msg para o nr dele: "a idiota da tua namorada perdeu o tlm. Estava mesmo a precisar de um novo, obrigado!". Imaginem como ficámos!!! Ele tentou logo ligar de volta, mas já estava desligado.. na altura o tlm foi super caro, era um nokia recente (daqueles de teclado redondado), nunca mais fui capaz de dar muito dinheiro por um!

    ResponderEliminar
  43. Ana, há sim boas pessoas no Mundo! Em abril perdi o meu telemóvel...tinha a minha bebé 2 meses e nele tinha guardado as primeiras fotos dela e incusivé o video da minha cesariana....os primeiros momentos da minha pipoquinha :) Nessa noite chorei por ter perdido aquelas memórias...No dia seguinte eis que me ligam a dar boas notícias e assim recuperei aquelas imagens que para mim valem ouro! Dei um grande abraço ao sr e emocionei me :) Um grande beijinho!

    ResponderEliminar
  44. Aplaudo de pé!!
    (...felizmente não era português)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Felizmente? Não percebo.

      Eliminar
  45. Homem como sinónimo de humanidade? Ainda? Quando as mulheres são metade dela? Pipoca, como alguém de ciências da comunicação sabes que os discursos e as representações importam. E não, não é brigada do politicamente correcto.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sim, Homem como sinónimo de humanidade! Ou você também não é uma homo sapiens sapiens?! Eu sou feminista mas não sou comichosa... Btw, aquela moda de escrever "car@s senhor@s" é do mais pindérico que há!

      Eliminar
    2. De facto, está ultrapassado. A espécie humana, sempre.

      Eliminar
    3. É feminista e acha que Homem é sinónimo de humanidade? Ok, eu sou contra o racismo mas proponho que Branco seja sinónimo de humano. Não sejamos comichos@s nem pindéric@s, não é querida? As melhoras sinceras, de feminista para feminista.

      Eliminar
    4. Ahahah lê-se cada comentário aqui... Isto não tem a ver com moda, é Língua Portuguesa. Cara anónima feminista (a do comentário original): Homem, com maiúscula, enquanto «conjunto de todos estes seres vivos; espécie humana», sin{#ó|ô}nimo de Humanidade (cf. Dicionário da Língua Portuguesa Contemporânea, da Academia das Ciências de Lisboa). Não sabia? Fica a saber.

      Para a anónima das 11:09 (não sei se será a mesma): a comparação que apresentou é só... descabida. Aqui ninguém propõe coisa nenhuma. Falamos de regras da Língua Portuguesa.

      Eliminar
    5. Fantástico como há tanta gente a achar que feminismo não entra em questões de língua portuguesa. Entra e não é pouco. Eu fico revoltadíssima quando me tratam como homem. Ainda há uns dias o meu pc fez umas atualizações que levaram quase uma hora. Atualizou tudo, muito bem, mas continua a dizer "Bem-vindo" quando inicio sessão. E eu penso "Não é bem-vindo, é bem-vinda. Sou mulher, não homem". A quem isto não aquece nem arrefece, boa, mas a quem aquece ou arrefece (tipo eu e imensa gente) deve ser feita alguma coisa. Tipo: quando comprar um pc novo escolher o meu género (feminino) e a partir daí acabar a palhaçada de ele me tratar pelo masculino.

      Eliminar
    6. Pilar, na minha opinião tem uma certa razão no exemplo que deu. Isso havia de ser uma coisa facilmente configurável. Concordo que era mais correcto. Agora, daí até me irritar com isso... felizmente não é o meu caso. :) O que eu disse foi que a Língua Portuguesa obedece a determinadas regras (sendo no entanto sujeita a evolução, claro) e que portanto as feministas podem até não gostar muito mas é um facto que a Pipoca não escreveu nada de errado, bem pelo contrário. Homem (com H maiúsculo) designa homens e mulheres no geral e é um sinónimo de Humanidade. Isto não tem nada a ver com modas. Acho desnecessário abespinharem-se com uma coisa destas. E depois há gente que dá exemplos parvos (não foi o seu caso) que levam as conversas acerca do feminismo a caírem no ridículo. Como mulher, acho uma pena e um retrocesso no caminho que se tem feito.

      Anónima das 17:40

      Eliminar
    7. Anónima das 17:40: comparação descabida? Lamento que não tenha percebido. Mas permita-me dar-lhe uma notícia: as "regras de Língua Portuguesa" não são umas Escrituras reveladas, ok? Se tem tanta fé nos dicionários, convido-a a ver exemplos do que ainda há poucos anos aparecia como sinónimo de "cigano" nalguns deles. A forma como comunicamos não é produto da natureza, nem imutável ou imune a crítica. É uma pena que num blog escrito por uma mulher, numa "discussão" que provavelmente está a ser travada somente entre mulheres, isto não seja claro.

      Eliminar
    8. Anónima das 02:48, só me resta uma dúvida: escreveu o seu comentário antes ou depois do meu segundo comentário (aquele que escrevi às 22:37) ser aprovado e ficar, portanto, visível? Espero que tenha sido antes... Em qualquer dos casos, convido-a a (re)lê-lo. Fico-me por aqui :)

      Anónima das 17:40

      Eliminar
  46. adorei a historia :) é só de pessoas assim que o mundo devia ser feito!

    ResponderEliminar
  47. Ana, fácil...! Isso aconteceu porque foi perdida num país nordico. Em Portugal a câmara já era!;D

    ResponderEliminar
  48. Ana, fácil...! Isso aconteceu porque foi perdida num país nordico. Em Portugal a câmara já era!;D

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Então quer dizer que o dinheiro torna as pessoas boas, uma vez que precisam de menos e não cobiçam (tanto) o alheio. Isto é pura lógica, sem sarcasmo.

      Eliminar
    2. Não cara Barcelence... tem mesmo a ver com boa fé :)
      E quem viveu num país nórdico, percebe logo do que falo.

      Eliminar
    3. É mais um país da europa central, mas Partilho da mesma opinião, embora não o sendo, assemelha-se a um onde as pessoas são civilizadas.

      Eliminar
    4. Que horror! Em Portugal não há pessoas boas!? Há pouco tempo encontrei um telemóvel no chão de uma rua em Belém. Consegui ligar para um dos contatos, dei a minha morada à dona do tel. e a mesma veio a minha casa buscar o aparelho. Histórias destas não faltam no nosso país...não somos assim tão maus!

      Eliminar
  49. Uma história maravilhosa! Pipoca agora pode fazer uma carta a convidá-los para a maratona de Lisboa e assim conheciam-se :)

    ResponderEliminar
  50. Pipoca vou então aqui partilhar uma história que aconteceu com o meu irmão este Verão: Nós moramos no Algarve, mais propriamente em Almancil, e numa noite de Verão, em Albufeira, na Oura mais propriamente o meu irmão perdeu a carteira e pensou que lha haviam roubado.
    Até aqui tudo normal... Ele ficou sem a carteira, foi a polícia, mandou fazer todos os cartões, carta de condução, tudo o que era documentos de novo...
    Cerca de umas 3 semanas depois um dia de manhã eu vou ao correio e vejo lá um pacote vindo de Inglaterra endereçado ao meu irmão, feita cuscuvilheira fui abrir para ver o que ele tinha encomendado, qual não é o meu espanto quando abro o pacote e encontro lá dentro a carteira do meu irmão. Com TUDO lá dentro. E ainda uma carta lá dentro a explicar o que se tinha passado. O senhor encontrou a carteira do meu irmão caida no chão, disse que ainda a tentou encontrar a nossa casa pela morada da carta de condução e como não a axou levou a carteira para casa e enviou-a pelo correio. Pediu ainda descula pela demora a enviar a carteira. O meu irmão entrou em contacto com ele para agradecer e o senhor apenas pediu ao meu irmão que sempre que lhe fosse possível também ajudasse os outros.

    ResponderEliminar
  51. Espectacular!
    Ainda existem pessoas boas neste mundo :)

    ResponderEliminar
  52. Até fiquei arrepiada bonita história ainda existe gente condições!
    Em Portugal também eu tentava fazer o mesmo com a pequenina grande diferença que de informática percebo muito pouco 😂😂😂😂

    ResponderEliminar
  53. Uma vez no paredes de coura encontrei um telemóvel e comecei a ligar para os números mais recentes à procura do dono, lá consegui marcar um sítio para entregar. Mas confesso não ser assim tão boa pessoa, fiquei um bocadinho irritada por não ter direito a um fino de agradecimento :p

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A Sara é boa pessoa; essa gente é que não foi decente nem educada consigo. O defeito é delas, não seu :)

      Eliminar
  54. Ainda ha pessoas incriveis. Mas em Portugal também! Ha uns anos a minha mãe perdeu a carteira no continente em cascais e eu recebo uma chamada de uma senhora que a encontrou e ligou para o unico numero que encontrou na carteira para a devolver :-) Eu depois de um reveillon na Nazaré encontrei um telemovel na praia, dos antigos, sem codigo, consegui devolve-lo no dia de ano novo ainda na Nazaré à dona que ja não contava encontra-lo! Sim! Ainda vai havendo pessoas com bom carater neste mundo!

    ResponderEliminar
  55. :D Muito bom! E muito bom teres partilhado a história. É importante para percebermos que é difícil encontrar pessoas assim mas eles sempre andam aí.

    ResponderEliminar
  56. Adorei a historia! Também me aconteceu o mesmo com o meu primeiro Iphone, na altura pouca gente tinha... e deixei-o cair numa discoteca sem dar conta. dei conta 2 horas depois e um rapaz tinha devolvido o tlm ao bar. Acabei por encontrar quem era e paguei lhe um copo. ha seres humanos incríveis... vamos abrir mais os olhos e ajudar os outros <3

    ResponderEliminar
  57. Fiquei emocionada. Como sempre, aliás. Este ano também uns ingleses encontraram um telemóvel de uma prima, perdido em Londres. Descobriram que pertencia a uma portuguesa, enviaram-no para um amigo em Lisboa e trataram de entrar em contacto. Há gente tão boa neste mundo que vale por toda a má.

    ResponderEliminar
  58. Tão bom saber que há pessoas assim. Obrigada pela partilha!

    ResponderEliminar
  59. Isso merecia um convite para a Maratona de Lisboa e respectiva visita guiada à cidade.

    ResponderEliminar
  60. Um dia rompi uns collants e fui a um WC da faculdade trocar por uns novos. Como tinha anéis decidi tirá-los e pendurei-os no cabide da porta. Calcei os collants e vim embora e os anéis de ouro e águas marinhas ficaram no cabide da porta. A verdade é que alguma estudante simpática os encontrou e entregou no departamento. Nunca lhe agradeci, porque não deixou contacto, mas até hoje não me esqueci do gesto.

    ResponderEliminar
  61. Durante umas férias em espanha também bati num carro que estava estacionado. Contra a vontade dos meus amigos, deixei um papel com os meus contactos para que pudessem contactar-me quando chegassem ao carro. Vai daí que era um carro alugado e tinham seguro próprio... tinha-me livrado de uma reprimenda dos meus pais pois o carro deles não tinha nada e escusavam de saber e aos senhores não fazia diferença... mas fiz o mais correto e não me arrependo disso :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sortudos! Pois a mim, no estacionamento à porta de casa, enfiaram-me a porta do carro toda para dentro, e nem uma notinha a pedir desculpa deixaram. Sorte de uns, azar de outros. É a vida.

      Eliminar
  62. Estou tão comovida! Acho que vou chorar... Ai, não, espera, era só um cisco no olho.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tristeza...! E que tal ir pregar para outra freguesia?!?(;

      Eliminar
    2. Para dar uma resposta dessas mais valia estar calada, deve ser uma pessoa insensível.

      Eliminar
    3. Ai que piada... Oh, afinal é só uma triste qualquer.

      Eliminar
  63. Adorei saber que ainda existem pessoas assim...
    Hoje (por coincidência) perdi um equipamento caro e gostaria de ter a mesma sorte.
    Já agora adoro o seu blog.

    ResponderEliminar
  64. Realmente essa história aquece o coração! É emocionante pensar no trabalho que eles tiveram a tentar localizar o dono da câmara.

    Pipoca, espero que os tenhas recompensado com alguma prendinha!

    Eu já encontrei e devolvi de tudo: telemóveis, carteiras, jóias, agendas, até perco a conta. Quase sempre as pessoas dizem um "obrigado" rápido e adeuzinho. É tão frio e rápido que fico sem memória de nada.

    Nunca perdi nada portanto nunca tive a experiência de alguém me devolver alguma coisa.

    Mas rezo para que se um dia eu perder alguma coisa haja karma e alguém me devolva as coisas intactas.

    ResponderEliminar
  65. Fico contente por ler este comentario esta semana. Na última sexta-feira o meu marido perdeu um telemóvel numa loja. Quando demos por isso telefonamos. Ainda tocou por duas vezes mas à terceira chamada já estava desligado. Voltamos a loja e fomos ao apoio do shopping mas claro que ninguém devolveu o tlm. Há uns anos o meu marido encontrou um telemóvel na rua e conseguiu devolvê-lo mas agora não teve a mesma sorte.

    ResponderEliminar
  66. Lindo gesto! A mim aconteceu-me o oposto: encontrei uma carteira de homem, junto a um multibanco. Abri. Tinha todos os documentos e algum dinheiro. Fui levar à esquadra da PSP. Assim que o polícia abre a carteira e a revista, apercebe-se que é de um colega. Tinha o crachá da polícia lá enfiado e eu não vi. Bom, deixei a carteira e o meu contacto, a pedido deles. Mais tarde, o senhor agente ligou-me a agradecer, e disse-me que perder a identificação de polícia podia ter originado um tarantantam (até podia ter dado em processo disciplinar). E pronto! :-)

    ResponderEliminar
  67. Uma altura o meu pai, camionista, deixou cair a carteira ao sair do camião.
    Tinha cerca de 300 euros que o patrão lhe tinha dado para as despesas da viagem que ia iniciar.
    Ele ainda não tinha dado conta que tinha perdido, quando lhe ligam a dizer que encontraram a carteira no chão.
    O meu pai só pensou, lá se foi o dinheiro, mas não!
    A carteira tinha sido encontrada por um rapaz de 16/17 anos, que a entregou aos pais e encontraram o numero de telefone da empresa.
    O meu pai ofereceu (acho que) uns 20 euros ao rapaz, ele não queria aceitar, mas o meu pai disse-lhe que era para ele se lembrar que fazer bem aos outros, recompensa.

    ResponderEliminar
  68. Maravilhoso! Gesto muito lindo....
    Agora........desculpe mas eu necessito falar....«pelarmordasanta»...phonix até uma coisa gira como essa vira um rebosteio aqui? Meu Deus qta amargura em certas almas.

    ResponderEliminar
  69. Em 2009 fomos de férias ao Japão, depois de um dia a bater perna em Tóquio apanhamos um táxi para o hotel. Já no átrio do hotel, em direcção ao elevador, percebo uma agitação na recepção e um dos recepcionistas a correr na nossa direcção. Olho para trás e vejo que o meu marido estancou e está a perder a cor...tinha deixado a bolsa de cintura no banco do taxi...e dentro da bolsa tudo, passaportes, cartões e dinheiro. Como ele ficou sem reacção eu apanhei outro táxi para ir à zona onde tinhamos apanhado o último. Depois de duas horas de procura em vários pontos de táxi desisti e lá pelas 3 da manhã voltei ao hotel. Às 8 da manhã ligam para o nosso quarto da recepção a dizer ao meu marido que tinha uma visita. Desceu e era o taxista a entregar-lhe a carteira intacta (e tinha bastante dinheiro)... na manhã seguinte voltam a ligar da recepção a informar de mais uma visita para o meu marido no lobby... era outra vez o taxista, mas desta vez trazia uma bolsa de cintura nova, porque tinha percebido que o fecho da outra não fechava bem. Quisemos pagar pelo menos a bolsa nova que comprou para nós mas recusou.
    Iris

    ResponderEliminar

Teorias absolutamente espectaculares

AddThis