Pub SAPO pushdown

Se calhar vamos ter calma com isto do feminismo

segunda-feira, abril 06, 2015
Há uns dias estava a cortar as etiquetas de umas cuecas da Boom Bap que me ofereceram quando reparei numa delas, particularmente divertida. Publiquei a imagem no Instagram e montou-se logo todo um Carnaval:


Ora bem, o que para mim era uma singela etiqueta inofensiva e cheia de piada (sobretudo porque nunca tinha visto nada parecido) despertou uma onda de fúria feminista. Que "a marca é machista", "porque pressupõe que é a mãe que lava a roupa, quando pode perfeitamente ser uma tarefa feita pelo homem", "porquê mom e não dad", que "nem só as mães tratam da roupa", que tem de se "defender a igualdade de trato e oportunidades entre homens e mulheres", que era "uma questão de justiça social", e rebéubéu pardais ao ninho. Jesus. Eu acho que na pressa de se atacar e encontrar logo um preconceito de género, nem se tenta perceber bem as coisas e vá de arremessar as famigeradas pedras da discriminação. Calma, sosseguem essas mentes inquietas, nem tudo é anti-mulher! Em primeiro lugar, estas cuecas são de mulher, não são de criança. Uma pesquisa rápida ao site da Boom Bap dava para perceber isso mesmo, a marca só têm peças para homem ou mulher, os putos não são contemplados. Em segundo lugar, as cuecas não estão a dizer que lá em casa é a mãe que lava a roupa. O que elas estão a fazer é a chamar "mãe" à sua nova dona. Tipo, as cuecas são a filha e a dona das cuecas é a mãe, estão a ver? E por ser uma relação nova, entre uma mãe e umas cuecas que não se conhecem, estas últimas estão a explicar como é que gostam de ser lavadas. Não é uma imposição, não estão sequer a dizer que é a mulher que as vai lavar, estão só a dar uma explicação. É uma cena querida e fofinha, não há cá motivo para toda uma rebelião. Como diz o meu homem, isto é tipo a história do Pedro e do lobo. Por dá cá aquela palha grita-se logo que é machismo. Quando for mesmo a sério já ninguém vai ligar nenhuma. Acho que este tipo de comportamento só serve para descredibilizar muito trabalho sério e importante que se tem vindo a fazer ao longo dos anos. De repente, e por causa de insignificâncias como estas, corremos o risco de nos tornamos num bando de histéricas que reclamam por dois motivos: por tudo e por nada. Sobretudo por nada. Temos de escolher as nossas batalhas e perceber que - até pode parecer, mas -, o mundo inteiro não congemina contra nós.

170 comentários:

  1. Não sei o que é mais esquisito, umas cuecas a chamarem-me "mãe" ou uma marca que acha que isso é boa ideia. Eu sou feminista e acho que é preciso fazer barulho por muita coisa, mas esta etiqueta parece-me só palerma.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Absolutamente de acordo! Ele há com cada "publicidade"...

      Eliminar
  2. Por acaso desta vez não tens razão pipoca. A marca está mesmo a dizer à mãe para lavar a roupa com esses cuidados. A de homem diz exactamente a mesma coisa e não é a primeira vez que a marca é "atacada" por isso

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Melhor comentário. A análise da pipoca estaria certíssima se de fato as mesmas recomendações não estivessem também nas peças masculinas.

      Eliminar
    2. E depois? As mães já não podem lavar a roupa só porque é machismo? A Pipoca pode ter errado na análise mas a conclusão está certíssima. Até achei piada e sim, sou mulher e não posso com machismos.

      Eliminar
    3. Ó sr.a Anónimo das 19:23... ninguém está a dizer que as mães não podem lavar a roupa. O problema, é uma entidade exterior - neste caso, a marca - assumir por defeito que é esse o papel/dever de uma mãe/mulher, entende?

      Eliminar
  3. e é por isto que cá venho todos os dias - sem papas na língua :)

    ResponderEliminar
  4. Concordo contigo Pipoca! Não fui sequer ao site da marca mas percebi que se estava a referir à "dona" das cuecas. A nós, a quem visse primeiro... É uma espécie de boas-vindas dadas pelas cuecas como se de uma filha adotada se tratasse (frase estranha). Mas hoje em dia as pessoas vêem maldade em tudo, o que é que se há de fazer? Até num simples par de cuecas que tanto jeito nos dá. E afinal de contas, cortadas as etiquetas quem é que se importa? Poupem-me que eu preciso de ser poupada! Direitos iguais? Ok! Mas por favor, por favor, menos...

    Amigas do Closet
    http://amigasdoclosetblog.blogspot.pt

    ResponderEliminar
  5. "O que elas estão a fazer é a chamar "mãe" à sua nova dona. Tipo, as cuecas são a filha e a dona das cuecas é a mãe, estão a ver?"

    Hum, não sei bem se será assim, porque eu já vi roupa de outra marca (não me lembro qual) e tinha as instruções de lavagem normais e terminava com "or just handle it to mom". E interpretei na altura, como interpreto neste caso, que era a piada de dar à mãe a roupa para ser esta a lavar, já que faz melhor trabalho que nós filhos (mesmo que os filhos sejam já adultos). Na altura achei que era uma graçola e uma maneira de dar um toque "irreverente" a estas etiquetas. Não acho que seja hilariante, mas também não acho que deva dar lugar a histerismos...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ora nem mais, era isto mesmo que eu ia dizer mas já está dito :)

      Por um lado percebo quem viu nisto apenas a expressão de um estereótipo de género, mas por outro a Pipoca tem razão quando diz que é por esta barafunda injustificada que causas bem mais graves são depois desvalorizadas e o trabalho de sensibilização que é feito cai em saco roto (ah, e tal, não se pode dizer nada que aí vem o mulherio em histerismo).

      Acho que isto era apenas uma piada sobre o papel da mãe na vida das pessoas. Pode não ser a mais engraçada do mundo, mas era SÓ uma piada. E além disso, não poderá ter também uma leitura positiva? Tipo "O que farias tu sem a tua mãe, já nem a tua própria roupa sabes lavar?" ou "As mães sabem tudo sobre todas as coisas" ou ainda "Eu sou uma cuequinha tão chique, vê lá, não me entregues ao desleixado do teu pai ou ainda cabo cheia de manchas de líxivia". :D Calma minha gente, nem sempre o lado mau da coisa é o único que interessa ver. É só fundamentalismos...

      Eliminar
    2. Acho que não houve histerismos... Algumas pessoas acharam piada, outras não e simplesmente disseram que acharam o tom da "brincadeira" machista, só isso, nada demais... É ótimo que as pessoas possam falar o que pensam desde que não ofendam outros. Achei a etiqueta infeliz, respeito quem ache piada, mas não há histerismo em achá-la machista, o que também em nada enfraquece o discurso feminista e a legitimidade das discussões que realmente importam...

      Eliminar
  6. Desculpem lá mas a maioria normalmente prevalece e as marcas não são imunes a isto, sou mulher mas pensem lá no seguinte: quem é que normalmente lava o que quer que seja à mão? seja uma simples cueca ou peúga ? Nós, as mulheres! Não me lixem, não vejo mal absolutamente nenhum nem me sinto inferiorizada com esta campanha.

    Mas também tenho de ser sincera: não sou feminista, abomino feminismos e já fui "banida" da Maria Capaz :P lolll

    Sandra M.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Abomina feminismos? Sabe que é por causa do feminismo que pode votar. Que pode andar na rua (quase) à vontade, que há leis contra o assédio sexual e que violadores são postos na prisão. O feminismo é uma luta a favor da igualdade, o que é que tem contra isso?

      Eliminar
    2. Subscrevo.

      Eliminar
    3. Mas também tenho de ser sincera: não sou feminista, abomino feminismos e já fui "banida" da Maria Capaz :P lolll

      Pelo "abomino feminismos" nota-se que sabe do que fala e que tem a perfeita noção do que é o feminismo. Ou então não.
      Poucas coisas me dão tanta pena como ver alguém a falar arrogantemente do que não percebe. Uma mera pesquisa no Google sobre o assunto tomava-lhe 10 minutos da sua vida e, a não ser que não percebesse nada do que tinha lido, evitava que postasse pérolas como "abonimo feminismos" na Internet. Fica o conselho.

      Eliminar
    4. Não, Anónimo das 17:33, a Sandra claramente não sabe nada disso. E acho que não adianta vir para aqui tentar educá-la, que ela pelos vistos também abomina educação, conhecimento e cultura.

      Eliminar
    5. Fogo vocês são muitas! Uma legião de cabelinhos cortados, sem soutiens, com tufos de pelo a saírem por todos os lados? Não obrigada, prefiro coser meias :P

      S. M.

      Eliminar
    6. ai tanta crítica à Sandra... Então não é bom trabalhar um dia inteiro e chegar a casa e ir lavar peúgos à mão enquanto o nosso amantíssimo marido fica no sofá a coçar-se e a ver futebol? Depois dos peúgos há o jantar e o banho dos miúdos e o limpar a cozinha e o marido terá, certamente a liga inglesa e a espanhola e a italiana para todas essas horas... Eu também abomino feminismo! e parvoíce... ou se calhar só parvoíce!

      Eliminar
    7. Parece-me que a sua cabecinha anda para aí com os estereótipos todos baralhados, Sandra... O que não é de admirar, já se viu que ela não dá para grande coisa. Experimente ver uns canais noticiosos ou uns documentários enquanto cose meias, pode ser que a ajude!

      Eliminar
    8. Desculpem que vos diga mas quem está a trocar as coisas são vocês, feminino é tão mau como machismo. Não foi o feminismo que nos pos a votar, e nem devem ser as mulheres a fazer as tarefas domésticas todas nem os homens. Como se pode afirmar que o feminismo é a luta pela igualdade e o machismo é mau? Só por ai já estão a discriminar aa palavras, a feminina é boa a masculina é má. Looool tenham calma, as pessoas estão a ficar obssecadas com isto . Já agora adorei o texto pipoca :)
      luisa

      Eliminar
    9. Não acredito em tanta ignorância...Luísa e Sandra, vão, por favor, e imediatamente, pesquisar o significado de feminismo...sinto-me envergonhada com a falta de conhecimentos de algumas pessoas!

      Eliminar
    10. Luisa, desculpe lá, mas que ignorância.
      "Como se pode afirmar que o feminismo é a luta pela igualdade..." Com alguns conhecimentos de história, por exemplo.
      Compreendo que a palavra "feminismo" possa causar confusão por estar associada a feminino, mas isso não quer dizer que esteja relacionado com a superioridade das mulheres. Enquanto o feminismo procura a igualdade de direitos o machismo defende a superioridade dos homens.
      Podem ser contra, a favor, o que quiserem. Mas informem-se antes de dizerem as coisas só porque sim.
      Ana

      Eliminar
    11. São todas feministas, mas vem para aqui na boa atacar outra mulher por ter uma opinião diferente. Coerência é tão bonita de se ver =)

      Eliminar
    12. Luísa, comece por consultar o dicionário e perceber a definição de machismo e feminismo (e aprenda a soletrar obcecadas). Depois, quando já tiver percebido a diferença de conceitos, pesquise um pouco sobre o movimento feminista e aprenda qualquer coisa.

      Quanto à etiqueta, tem piada só.

      Eliminar
    13. Sandra, não se incomode. Defensores acérrimos de um feminismo que deixou, praticamente, de fazer sentido no mundo ocidental e do hemisfério norte são muitos. Esse feminismo tinha um contexto social e histórico que o sustentava e, de facto, muito se deve às sufragistas, às lutadoras mulheres das guerras mundiais, às mulheres e aos homens do Maio de 68 e a tantos outros cuja memória se perdeu.

      Devia ter uns 17 anos quando fui atacada pela febre do "feminismo": li o "Segundo Sexo" da Beauvoir, li todas as "feministas" a que pude chegar, inflamei-me com os fundamentalistas islâmicos, indignei-me com a história recente. Mas a febre durou pouco tempo e cedo percebi o quão já não fazia qualquer sentido esse "feminismo", o meu e o vosso mundo não é o da Beauvoir, não é, sequer, o das feministas portuguesas como as autoras das "Novas Cartas Portuguesas". E percebi, também que aquilo que queria, mesmo, mesmo, era que os seres humanos - todos - fossem tratados, e se tratassem, de forma igualitária, reconhecendo e celebrando as suas diferenças, pouco me importava o sexo.

      A este "feminismo" que se esforça por discriminar os homens, dessexualizar as mulheres e se apregoa como defensor das fêmeas do séx. XXI não conheço uma única proposta efectivamente realista, um único aspecto contemporâneo. E caso venham de seguida argumentar com a violência doméstica, os salários iguais, pergunto: porquê só relativamente às mulheres? Somos uma espécie superior, acaso com mais direitos? E por que não apregoar a justiça possível para todos, o respeito pelos direitos humanos? Humm? Ou não vos amolece o coração a forma como tantos homens e tantos seres humanos são tratados aqui mesmo à nossa porta? Deixo, ainda, mais duas perguntas às feministas aqui acima: o que é o "feminismo" neste lado do globo? Quais os factos que o sustentam e qual o seu objectivo? Aproveitem, argumentem e tentem convencer a audiência que aqui têm (ofender para argumentar cria muito ruído, já agora).

      Felicidades a todos


      Eliminar
    14. Vergonha alheia

      Eliminar
    15. Feministas não podem atacar ideias de outras mulheres? AHAHAHAHAH

      Eliminar
    16. P'lamordedeus, Luísa, consulte um dicionário urgentemente!

      Eliminar
    17. Já ponderaram explicar as vossas opiniões sem insinuar assim de leve que a pessoa é inculta ou um calhau ou apanhada das ideias? Sei lá, propor as vossas ideias, perguntar se fazem sentido, se têm algum contra argumento? Epa, no fundo discutir em vez de aparvalhar logo assim.

      É que depois o pessoal começa a dizer que anda toda a gente a passar-se da cabeça. E assim a partirem logo para cima de quem tem outras opiniões, não há muito como defender.

      Eliminar
    18. Anónimo das 22:16: que raio de lógica é essa? Está-me a parecer que é mais uma que não sabe o que é feminismo (pista: não é igual a "solidariedade feminina acima de tudo".). As opiniões diferentes merecem ser respeitadas, sim, quando são fundamentadas e com conhecimento do que se está a falar, o que não é o caso.

      Eliminar
    19. Ana Costa o feminismo luta por direitos iguais para todos. Relativamente às questões que colocou passo a responder: o género feminino ainda está em relativa inferioridade na sociedade (mas vamos falar neste momento apenas da portuguesa). Porque é que só se fala de violência doméstica quando acontece às mulheres? Porque acontece MUITO mais às mulheres. Porque é que se fala só relativamente às mulheres ganharem menos que os homens? Isso nem faz sentido, as mulheres ganham menos que os homens, não estou a ver como estão em desvantagem.
      Agora ainda bem que está informada, que fez as suas leituras e tomou a sua decisão. Eu fiz as mesmas e, apesar de não concordar com tudo (uma pessoa também pode ser de um partido político e não concordar com tudo o que dizem ou fazem), acho que a luta pela igualdade deve continuar. As mulheres ainda são vistas na sociedade como o género mais fraco. São assediadas, são violadas (e muitas vezes descredibilizadas pela roupa que levam ou pelo quanto beberam), são chamadas de putas muitas vezes quando ainda são adolescentes (sim porque já vi mulheres e homens crescidos a chamarem uma miúda de 13 anos de puta por ter um top mais aberto). De acordo com a lei somos todos iguais. Na prática nem por isso. E é isso que o feminismo quer mudar.
      Tirem da ideia que odiamos homens, conheço muitos homens feministas. Queremos trabalhar juntos pelo bem de todos :)

      Eliminar
    20. "E caso venham de seguida argumentar com a violência doméstica, os salários iguais, pergunto: porquê só relativamente às mulheres? Somos uma espécie superior, acaso com mais direitos? E por que não apregoar a justiça possível para todos, o respeito pelos direitos humanos?E caso venham de seguida argumentar com a violência doméstica, os salários iguais, pergunto: porquê só relativamente às mulheres? Somos uma espécie superior, acaso com mais direitos? E por que não apregoar a justiça possível para todos, o respeito pelos direitos humanos?"

      A luta pelo feminismo não anula automaticamente as outras lutas? Pelos direitos humanos, dos homens, das crianças, dos animais? Porquê lutar só pelos direitos das mulheres no que diz respeito à desigualdade salarial entre géneros? Porque acontece só às mulheres! As mulheres, SÓ POR SEREM MULHERES, ganham menos que os homens que ocupam os mesmos cargos e fazem o mesmo trabalho, aqui, no nosso mundo ocidental e no nosso país. Tentar corrigir esta desigualdade não havia de ter a ver com o feminismo porquê? A luta pela defesa das vítimas de violência doméstica não é dedicada apenas às mulheres. As campanhas de divulgação do problema e tentativa de prevenção de mais agressões e mortes são maioritariamente dirigidas às mulheres sim, porque a grande maioria das vítimas de agressão são mulheres, bem como todas (no nosso país) as vítimas mortais. Muitas destas mulheres vivem com medo do marido, na sua sombra, dependentes psicologica e monetariamente, o que raramente acontece a um homem. Porque é que esta luta não havia de ter a ver com o feminismo?
      Não, definitivamente não somos uma espécie superior e definitivamente não temos mais direitos e por isso é que existe o feminismo, para sermos iguais aos homens em valor e em direitos.
      "E por que não apregoar a justiça possível para todos, o respeito pelos direitos humanos?" Conhece alguém que não apregoe isto? Olhe que eu não.

      Eliminar
    21. Esqueci-me de referir, mas o meu comentário era em resposta à Ana Costa.

      Eliminar
    22. Para o anónimo das 23:34 e das 05:34, a minha lógica, é a mesma que muito bem foi explicada ali em cima pela Joana.

      "Já ponderaram explicar as vossas opiniões sem insinuar assim de leve que a pessoa é inculta ou um calhau ou apanhada das ideias? Sei lá, propor as vossas ideias, perguntar se fazem sentido, se têm algum contra argumento? Epa, no fundo discutir em vez de aparvalhar logo assim."

      Vem para aqui todas muito feministas ,a favor igualdade, e cenas e tais e depois respondem assim, com quatro pedras na mão, a fazer a outra de lerda, a diminuir opiniões diferentes das vossas.

      "Feministas não podem atacar as ideias de outras mulheres?" Isto parece-me um contrassenso, tendo em conta que o feminismo pressupõe a união das mulheres. Atacar? Não. Discutir, discordar mas oferecendo argumentos, mas sem insultar e chamar idiota a outra? Sim. Isso sim. Aqui o que mais vi foi mulheres a chamarem indirectamente outra mulher de burra por a opinião ser diferente. Acho que ninguém aprende nada a ser atacada.

      "Está-me a parecer que é mais uma que não sabe o que é feminismo (pista: não é igual a "solidariedade feminina acima de tudo".). As opiniões diferentes merecem ser respeitadas, sim, quando são fundamentadas e com conhecimento do que se está a falar, o que não é o caso."

      E quem veio aqui insultar, é o caso? As ditas defensoras do feminismo que se limitaram a insultar a outra parte? Sim, pareceu-me muito fundamentado.

      Se as mulheres nem se respeitam umas as outras (repito, respeitam, não estou a dizer concordar cegamente com o que outra mulher diz só por ser mulher) não estou a ver como esperam ser respeitadas pelos homens.

      Basicamente se em vez de só insultarem e dizerem para consultar o dicionário, tivessem a iniciativa de instruir a outra parte, apresentar lhe a sua opinião e argumentos, pudesse surgiu um bom debate. Assim não, surge só estupidez.

      Eliminar
    23. Anónimo das 15:16, se uma pessoa comenta idiotices ("feminino(sic.) é tão mau como machismo". Na mesma ordem de ideias e já agora, luta contra o racismo é tão mau quanto racismo...), porquê evitar apontar que tais pérolas são, efectivamente, estúpidas?

      E porque é que é admissível que um homem aponte coisas como estúpidas, sem que daí advenha mal ao género a que pertence, e já a uma mulher exigir que evite tais termos, sob pena de "arrastar" a classe inteira junto com ela? E essa das mulheres "esperarem" ser respeitadas pelos homens, como se estas fossem um bando de subalternas perante uma classe dominante à qual cabe decidir que grupos são dignos de "respeito", também está bonito. A pensar.

      Eliminar
    24. "Vem para aqui todas muito feministas ,a favor igualdade, e cenas e tais e depois respondem assim, com quatro pedras na mão, a fazer a outra de lerda, a diminuir opiniões diferentes das vossas."

      Anónimo das 15:16: Essas respostas que refere, a "fazer a outra de lerda", são justificadas no sentido em que essas comentadoras foram, de facto, lerdas. Ninguém lhes chamou nada acima de ignorantes e incultas. Ora bem, vir mandar bitaites (de forma arrogante, ainda por cima) para um post sobre feminismo sem saber o que o mesmo é, a dizer que é tão mau como o machismo e a dizer que as feministas são mulheres de cabelo curto que não se lavam e depilam não é ser ignorante e inculta? Repare que ninguém chamou a Ana Costa pelos mesmos nomes, e ela manifestou uma opinião diferente da nossa... a diferença é que foi educada e a sua opinião é fundamentada.
      Falando por mim, quando não sei do que estou a falar agradeço que mo digam, que é da forma que procuro ir saber mais sobre o assunto. O orgulho em ser ignorante é algo que nunca vou perceber.

      Eliminar
    25. Anónimo das 22:08 eu, como mulher e mais, como ser humano, espero ser respeitada por todo e qualquer homem. Não os vendo como classe dominante à qual cabe decidir que grupos são dignos de respeito, mas sim porque espero o mesmo respeito, de igual forma de homens e de mulheres. Assim como acredito que os homens devem ser respeitados na mesma medida que a mulher. Em nada o que eu disse inferiorizou a mulher como uma classe de subalternas, mas de alguma forma a leitora conseguiu ir buscar isso ao que eu disse. E são coisas assim deste género e por aí fora, em que se as mulheres, que partilham as mesmas lutas, andam à chapada umas com as outras por causa do feminismo, como é que querem ser respeitadas pelo resto? Ser levadas a sério em lutas em que nem entre elas se entendem. Se nós nem nos respeitamos umas as outras.....

      Anónimo das 23:55, mesmo que a pessoa em questão tenha sido ignorante e inculta e tenha dito a maior barbaridade do mundo, acho que a melhor abordagem não é insulta-la por isso, mas sim apresentar razões e opiniões fundamentadas mostrando o porquê de ela estar errada e os erros na sua opinião. Acho que era bem mais útil do que chamar idiota à pessoa e ficar por aí. Aprendia a pessoa em questão e aprendia o resto que pudesse ler esta conversa. Há pessoas e pessoas. Há pessoas que tem opiniões diferentes mas conseguem expressá-las bem, há pessoas com menos dom da palavra e que só disparatam ou dizem coisas que não caem bem ao resto. Mas não seria melhor tentar explicar a outra parte a essas pessoas. A própria leitora disse que quando não sabe do que está a falar agradece que lhe digam. A leitora em questão tinha graves falhas no conhecimento do que estava a falar, mas em vez de lhe dizerem como as coisas eram, explicar um pouco a importância, não, insultaram só e aconselharam a ir procurar. Nenhuma se ofereceu para explicar. E eu acredito que dizer "o feminismo é tão mau como o machismo" é no sentido do feminismo extremo, em que deixa de ser defesa dos direitos das mulheres e passa a ser ataque aos homens, da mesma forma que o machismo é ataque as mulheres.

      Eliminar
    26. Anónimo das 10:54, pode de facto acreditar que não vê o colectivo "homens" como classe dominante, mas as palavras que usa denotam outra atitude. Tal como pôr em causa, discutir, e apontar ignorância onde ela existe, não é o mesmo que "andar à chapada". Novamente, é normal que, entre um grupo de homens, mesmo que tenham todos a mesma "cor" politica, hajam desentendimentos, não? Porque é que desentendimentos entre um grupo de mulheres, resulta em automática perda de respeito? As palavras significam coisas, só isso. E as implicações do que se diz nem sempre são visíveis de forma consciente, pelo próprio.

      Eliminar
    27. Caro anónimo das 12:25, porque estamos a falar de direitos das mulher e nem nisso as mulheres se entendem. Não estamos aqui a falar de politica nem futebol. E eu não disse que isto resultava em perda de respeito. Perguntei como queriam ser respeitadas aka levadas a sério em assuntos em que nem elas se respeitam e entendem umas as outras. Só isso.
      Quanto as minhas palavras mostrarem que considero os homens a classe dominante, não sei onde foi buscar isso. Foi por dizer esperarem ser respeitadas? Se puder aponte, para não voltar a passar a mesma imagem.

      Eliminar
  7. Compreendo quem critica mas tal como tu, acredito que se reclama por tudo e por nada, muitas vezes por nada. Esquecendo este caso, li, não me recordo onde, uma teoria do género em relação ao trágico acidente de avião e a muitos outros que infelizmente têm acontecido, defendendo que as mulheres são vítimas e os homens culpados dos acidente de aviação.

    Quando se entra no extremo, e aqui cada qual fará a sua leitura de extremo, está a retirar-se credibilidade a tantos passos importantes dados por mulheres que realmente lutaram para que certas realidades (e ainda bem) mudassem.

    homem sem blogue
    homemsemblogue.blogspot.pt

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Também li esse artigo. Basicamente dizia que a maior parte das vitimas do acidente era mulheres, e portanto, era um atentado à mulheres e blablabla, certo? Confesso que tive para desistir a meio, aquilo eram baboseiras à balda.

      Não entendo como é que alguém tem tantos complexos que precisas de rebaixar uma tragédia daquelas a mais uma discussão-dos-sexos sem propósito algum.

      Depois quando se começam a ler artigos mais pensados sobre a luta pela igualdade (igualdade!), às vezes até se perde o interesse, naquela do "lá vem mais do mesmo".

      Eliminar
  8. Concordo em absoluto com o texto. Nada mais a dizer.

    ResponderEliminar
  9. Ahahah poupem-me! Esta etiqueta está na linha da piada, já conhecida, da etiqueta que diz "Give to your mother. She knows how to do it". É uma mera brincadeira. Preocupem-se com coisas realmente importantes como, por exemplo, ajudar a Pipoca a alcançar os 42km, I mean, os 42.000€.

    ResponderEliminar
  10. Pipoca ainda não reparou que algumas das suas leitoras muitas vezes criticam só por criticarem??? É um bocado falar só para não estar calado. Isso já se tornou regra por aqui. Sempre que leio um post seja sobre o que for já sei que a seguir vêm críticas porque sim e porque não.

    ResponderEliminar
  11. Então porque é que a roupa interior masculina tem exactamente a mesma etiqueta? Por essa ordem de ideias não deveria ter "dad" em vez de "mom"?

    ResponderEliminar
  12. Concordo que hoje seja muito difícil fazer comentário acerca do que quer que seja, mas se calhar as marcas, as pessoas, etc deviam pensar duas vezes nas coisas que dizem. O mundo de hoje mudou MUITO desde há uns cinco anos para cá. Cada vez se dá mais relevo à luta contra o racismo, contra a homofobia e contra o sexismo. Estas três coisas estão tão enraizadas na nossa cultura que a maior parte das pessoas acha normal dizer que "os ciganos são todos nojentos e iguais", acham normal dizer ao amigo "és um ganda paneleiro" e acham normal dizer "aquela vaca anda com uma saia muito curta, vê-se mesmo que é uma puta". As coisas estão a mudar felizmente. Mas ainda não mudaram o suficiente. Ainda há racismo, ainda há homofobia e ainda há sexismo todos os dias em todo o lado. Se calhar quando estas coisas deixarem de existir, quando tivermos todos mesmo os mesmos direitos se possam fazer piadolas. Até lá vai ser tudo visto de soslaio porque não tem graça gozar com o "underdog".
    Novamente repito, acho que há coisas que são levadas ao extremo sim. Mas até o mundo mudar vai ser assim.
    P.S. Acho que não vai ser por estas coisas que as feministas vão ser descredibilizadas ou vão deixar de fazer trabalho muito importante e deixar de lutar contra injustiças sociais. Eu sei que eu não vou deixar.

    ResponderEliminar
  13. Também acho que quando a marca diz "mom" não se refere à dona.. Refere-se sim à mãe da dona. Tal como o anónimo diz em cima, há outras marcas que também têm essa piada. De resto, concordo consigo. Não há pachorra para feministas patetas.

    ResponderEliminar
  14. ... minha nossa ... estas mulheres andam com problemas de afirmação pessoal de tal ordem que até o raio de uma etiqueta as melindra!!! ... tenham juízo, bando de mal resolvidas!!! ... a etiqueta é super cómica, suas grandessíssimas aborrecidas!!! ... :D

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Catarina, algo de muito errado está na sua vida se precisa de vir distribuir insultos gratuitos para a Internet :(

      Eliminar
    2. Não acredito que ninguém aqui esteja melindrada por causa de uma etiqueta, Catarina. Algumas pessoas apenas disseram não ter gostado, estão no direito delas, não? Quanto à comicidade da etiqueta, é muito subjetivo e não podemos esperar que todos achem graça das patetices que gostamos. Juízo, não recomendo, mas um pouquinho de educação fica sempre bem.

      Eliminar
    3. ... desculpem-me mas é que esta atual ultra sensibilidade para todo e qualquer tema/coisa/etiqueta/mariquice põe-me os nervos em franja!! ... screw them if they can't take a joke!! ...

      Eliminar
  15. Vamos lá pensar numa questão. A dita da cueca anda ali a aturar-nos um dia inteiro, em principio não deveria passar daqui, com todas as consequências boas e más se é que me entendem.O minimo que devemos fazer é tratá-las com carinho!!!
    Bem haja a quem tem uma mente mais aberta e não se deixa ofender por este tipo de questões sem interesse nenhum. Pipoca, são poucas as vezes que concordo contigo mas desta vez estou do teu lado a 100%.

    ResponderEliminar
  16. É bem verdade. As pessoas têm logo a tendência de se exaltarem sem perceberem primeiro as coisas. É verdade que nem toda a gente vai entender essa etiqueta como a Pipoca a entendeu, mas de qualquer forma acho que é preciso sabermos, e bem, escolher as coisas contra as quais queremos de facto batalhar!

    http://entreosmeusdias.blogspot.pt

    ResponderEliminar
  17. Isto faz-me lembrar o teu lado que tantas risadas me arrancam (confesso que o meu de eleição) de humor sarcástico e que é tantas vezes incompreendido e entendido ' ah ela tem é a mania '.
    O Planeta precisa de mais humor e que não seja tudo tão levado a sério.

    ResponderEliminar
  18. Tirando todo esse episódio à parte, se calhar não vamos ter calma com isto do feminismo. O feminismo é movimento que luta pelos direitos de toda a gente e cujo objetivo é a igualdade entre géneros e raças. Quando a mulher não tinha direito ao voto não havia calma. Hoje em dia as mulheres ainda sofrem de assédio sexual, são questionadas pela polícia acerca da roupa que usavam quando foram violadas, ganham menos que os homens e em muitas culturas são tratadas a baixo de cão literalmente. Por isso bora lá não ter calma com o feminismo. O feminismo não é o mesmo que a misandria que basicamente culpa os homens de todos os problemas. O feminismo quer resolver problemas e quer acabar com preconceitos estúpidos. As pessoas deviam deixar de olhar para feminismo como uma palavra feia. Se há pessoas que abusam e que são estúpidas? Pudera, há em todo o lado, em todos os movimentos, géneros, raças, credos, etc etc. Não culpem um movimento por umas quantas pessoas. Era o mesmo que eu dissesse que os homens são todos nojentos por uns quantos tratarem mal as mulheres.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Palmas para este comentário!

      Eliminar
    2. Muito bem!!! Concordo plenamente. Sem entrar no mérito da questão, até mesmo pq se trata de uma etiqueta palerma, acho fantástico que todos possamos manifestar nossas opiniões desde que não ofendamos os direitos alheios. Dizer que não gstamos de algo por entender que é machista não nos transforma em feminazis, minha gente. Tenham calma e vamos respeitar a opinião alheia, sem descredibilizar quem pensa diferente.

      Eliminar
  19. Não sei o q o(a)s outros(as) pensam, mas eu quando li a etiqueta, só me ri!! Lol

    ResponderEliminar
  20. Clap-clap-clap, pipoca. Mais uma vez disse tudo!

    ResponderEliminar
  21. Finalmente alguém que concorda comigo! E até vou mais longe e dizer que se deita foguetes ao ar sem razão em muitos outros temas de cariz social. Quando vi esta imagem no instagram nem imaginei que fosse dar aso a muita discussão destas mas enfim. E a etiqueta até é uma forma engraçada de dar as instruções de lavagem.

    Marta Rodrigues, Majestic xx

    ResponderEliminar
  22. Em vez de "Se calhar vamos ter calma com isto do feminismo", devia estar "Se calhar vamos ter calma com isto de usar o feminismo para nos indignarmos com uma simples piada escrita numas cuecas".

    Concordo com alguns dos leitores acima, o "mom" não é para a dona mas sim mais uma piada dentro do género "or give it to your mom, she knows how to do it", que se lê em algumas etiquetas. Não lhe acho particular piada, mas também não acho que o feminismo seja para aqui chamado. É SÓ uma etiqueta, de uma marca de roupa que ninguém é obrigado a comprar. Não gostam das políticas/opções/design/serviço de uma determinada marca/empresa? Não adquiram os seus produtos/serviços. Tão simples quanto isto.

    ResponderEliminar
  23. Eu cá sou feminista porque quero ser uma mulher independente, e não ter ninguém que mande em mim, muito menos uma cuecas que me dizem como lavá-las ahahah! Bom, mas honestamente, por mais feminista que seja e por mais "entrelinhas" que tenham certos produtos (porque há muitos conteúdos com teor sexista menos óbvio por aí, quer queiram acreditar ou não), penso que a única coisa errada com estas cuecas é o facto de a etiqueta sugerir lavá-las à mão - haja paciência para isso! :D

    ResponderEliminar
  24. "Se calhar vamos ter calma com isto do sufrágio feminino."

    Pipoca no séc. XIX

    (As etiquetas dizem "Mom", independentemente de serem peças para homem ou mulher.)

    ResponderEliminar
  25. Em relação a estes pequenos actos de machismo, gostaria que vissem este video, é espanhol mas acho que está muito relacionado com este post e da para pensar: http://youtu.be/Co_z_GbjbHY

    ResponderEliminar
  26. Esse tipo de comentários não são feminismo, são estupidez. O título deste post devia ser "se calhar vamos ter calma com isto da estupidez". É por causa de pessoas como essas, que o (verdadeiro) feminismo cada vez mais está a perder a seriedade e quem luta verdadeiramente pela igualdade de direitos, lixa-se.

    ResponderEliminar
  27. As feministas na maior parte das vezes dizem estar a lutar pela igualdade mas na verdade estão só a lutar pelos direitos das mulheres. E não é a mesma coisa. No inicio do movimento, quando haviam claras diferenças entre homens e mulheres (voto, acesso a emprego e educação) fazia todo o sentido lutar-se por esses direitos para as mulheres. Agora usam muitas vezes a palavra feminismo fora de contexto.
    Na visão geral, os homens é que violam, é que batem nas mulheres é que tratam as mulheres como objectos sexuais, quando na verdade também há mulheres que violam, batem nos homens e tratam os homens como objectos sexuais. Mas como são "papeis" atribuidos maioritariamente aos homens, pouco se fala nas mulheres que os desempenham. Assim como tomar conta da casa, lavar a roupa, cuidar dos filhos, são papeis tipicamente atribuidos ás mulheres, apesar de haverem homens que os fazem. Isto é apenas o prepetuar de estereotipos que já vem á seculos e séculos.
    Porque é que as feministas que falam mal dos homens, gozam com eles e os diminuem são recebidas com aplausos e quando é um homem a fazer isso a uma mulher é enxovalhado? Afinal é direitos iguais para ambos os sexos ou não?
    As mulheres devem ser ouvidas, respeitadas mas não mais que os homens. Tem que haver uma igualdade. E ainda há algumas discrepâncias entre homens e mulheres e deve lutar-se para essas acabarem, mas não devem ser as mulheres sozinhas a faze-lo. É importante haver um papel activo dos homens nessa luta, é importante que eles se interessem, compreendam e percebam o porque de lutarmos pelo que lutamos. Mas enquanto forem enxovalhados e vistos como o lobo mau e ninguém fizer nada para acabar com essa generalização acho que eles não se sentirão minimamente interessados em apoiar e respeitar as mulheres, como eles gostariam de ser respeitadas. Quando o raio de uma etiqueta que tem como intenção uma brincadeira levanta logo um festival de indignação, o que acharão os homens de tudo isso? E as outras mulheres que acreditam na igualdade e não que a mulher é a ultima bolacha do pacote?
    Como é que já chegamos ao ponto de qualquer piada ser ofensiva, mas ainda há meia dúzia de meses eramos todos Charlie?
    As pessoas tem que deixar de se levar tanto a sério.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Essas pessoas que "falam mal dos homens, gozam com eles e os diminuem" não são feministas e não lutam pela igualdade, são idiotas que usam um nome maior para fazer valer os seus próprios ideais, tal como os extremistas usam a religião. E já agora, onde é que estas pessoas são aplaudidas? Pergunto honestamente, não vejo isso a acontecer regularmente, ao contrário do que diz.
      Diz que o movimento no início fazia sentido, "quando haviam claras diferenças entre homens e mulheres". Isto mostra um grave desconhecimento do mundo em que vive. O mundo não é só o seu e o meu mundo, sabe? Há milhões de mulheres actualmente que não podem votar, estudar, conduzir e decidir sobre a própria vida e o próprio corpo, e nós, ocidentais, devemos sim falar por elas e mostrar ao nosso mundo como elas ainda vivem. O nosso mundo, esse onde as mulheres ainda não ganham o mesmo que os homens pelo mesmo trabalho no mesmo cargo.
      A visão geral é que os homens é que violam e que batem nas mulheres porque é isso mesmo que acontece. Não há como negar que a grande maioria dos violadores são homens e que a grande maioria das vítimas de violência doméstica são mulheres, ou há? Isto não quer dizer que não existam mulheres que violem ou agridam e que não devam ser punidas em conformidade, tal como os homens.
      "E ainda há algumas discrepâncias entre homens e mulheres e deve lutar-se para essas acabarem, mas não devem ser as mulheres sozinhas a faze-lo. É importante haver um papel activo dos homens nessa luta, é importante que eles se interessem, compreendam e percebam o porque de lutarmos pelo que lutamos." Completamente de acordo, e é por isso que a Emma Watson (esta sim, feminista a sério) lançou o movimento "He for She".
      Há pessoas mal intencionadas e mal formadas em todos os movimentos, ideologias políticas, religiões, etc. Ao invés de desprezarmos as lutas por causa de umas quantas pessoas que as mancham, devemos educar-nos para distinguir o certo do errado e a ideologia do indivíduo que (supostamente) a defende.

      Eliminar
    2. Eu peço desculpa pois no meu comentário eu queria mesmo fazer referência as mulheres ocidentais, e esqueci-me de o referir, e portanto dou-lhe toda a razão no que disse das mulheres que ainda não usufruem dos mesmo direitos das ocidentais. Mas acontece que no ocidente, e vamos ser sinceras, a maior parte das mulheres que lutam pelos direitos de igualdade, não lutam pelas mulheres que não podem votar, vestir-se como querem, conduzir, estudar etc. Era a essas que me referia. As que dizem que são feministas e a única coisa que as indigna é não ganharem o mesmo que os homens no mesmo cargo (grave falha, e era a esta e a outra deste tipo que eu me referia que o apoio dos homens é fundamental).
      E eu sei que é a grande maioria dos homens que bate e viola. Eu referi isso no meu comentário. Mas quando se fala do assunto, tem que admitir que muitas vezes é abordado de um prisma como se nenhuma mulher batesse ou violasse. E era só o que eu queria dizer.
      O que referiu da Emma Watson, foi muitíssimo bem lembrado! (passou-me completamente quando escrevi o comentário anterior). Mas basicamente sim, é isso. Todos juntos para atingirmos a igualdade, mais fácil e suavemente do que atirar pedras aos homens e ainda esperar obter respeito e compreensão da parte deles. E cometer o grave erro de em muitas "acusações" os meter todos no mesmo saco.
      O que eu escrevi foi precisamente em referência a essas pessoas mal formadas e mal intencionadas. E as que dizem que são feministas, mas que nem percebem bem aquilo que estão a dizer. Como por exemplo nos vários comentários que aqui estão. São todas muito feministas, mas não hesitam em se atacar umas as outras à mínima discórdia. Onde está a união necessária?

      Eu nada tenho contra o feminismo ou qualquer luta nesses termos. O que me mete confusão é muitas vezes a hipocrisia das pessoas.

      Quanto a pessoas que falam mal de homens e são aplaudidas? Havia uma cronista no The Guardian que estava constantemente a ataca-los mas só recebia bons comentários e "sim senhora". Não me lembro do nome, mas lembro me de ler artigos dela e artigos sobre ela.

      Eliminar
    3. "Mas acontece que no ocidente, e vamos ser sinceras, a maior parte das mulheres que lutam pelos direitos de igualdade, não lutam pelas mulheres que não podem votar, vestir-se como querem, conduzir, estudar etc. " Está muito enganada. Não fale pelas mulheres, ou pela maior parte dela. Posso garantir-lhe que quem luta pelos direitos das mulheres, luta pelos direitos de TODAS as mulheres.
      As pessoas têm de deixar de pensar que feminismo = odiar homens. Não é nada disso. O feminismo ajuda todos os géneros. Uma sociedade sexista, que é a que temos hoje em dia ainda, não é bom para ninguém. Os homens têm de ser muito homens, têm de gostar de futebol, não podem gostar de cozinhar, não podem usar maquilhagem ou então não são homens "a sério". Portanto quando se diz que o feminismo luta pela igualdade de género, é verdade. E sim, as mulheres do Ocidente são privilegiadas. Isto não significa que tenhamos ainda total igualdade de género, pois continuamos a ganhar menos que os homens (basta ir ver uma estatística), continuamos a ser assediadas na rua, continuamos a ser sexualizadas pelos media, continuamos a ser criticadas pelo corpo que temos. Não digo que isto não aconteça com os homens, mas não acontece tanto. Mas lutamos para que não aconteça com ninguém!

      Eliminar
    4. Mas ainda não percebeu que o meu comentário foi ÚNICA E EXCLUSIVAMENTE acerca das que falam falam e não fazem nada? Eu não englobei todas no mesmo saco por acaso?! Mania que as pessoas tem de ler mais do que o que as coisas dizem. De ir buscar cenas recondidas onde elas não existem. Eu não falei de si, nem da Emma Watson, nem da Rita ali em cima, pessoas que claramente estão por dentro do assunto e sabem do que falam. Eu só me referi as que tem mania que sabem, que lutam, que são bué feministas e vai-se a ver e não sabem nada. E não, não querem saber das mulheres do Médio Oriente ou de qq outras mulheres qe não estejam na sua zona de conforto. Geralmente são as mesmas mulheres que dizem que querem ser independentes e não ter nenhum homem a mandar nelas mas ao mesmo tempo estão à espera do princepe encantado que lhes faça mil surpresas e lhes abra as portas todas e seja o maior cavalheiro. Enquanto elas não mexem uma palha. São essas feministas de levar por casa a que me referi.

      Eliminar
  28. Ai pipoca o que foste fazer. Daqui a nada chegam as da amamentação também

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu sou da amamentaçao e achei piada...

      Eliminar
    2. Soraia do Rosário06 abril, 2015 22:14

      ahahah não aguento este comentário. Só por causa disto não saio daqui hoje :D

      Eliminar
    3. LOL muito bom!!

      Eliminar
    4. Só não percebo uma coisa, uma feminista é alguém que defende a igualdade de género e tudo mais, no entanto um machista é alguém que desvaloriza as mulheres pondo os direitos dos homens à frente dos delas...
      Para criticar um homem chama-se machista mas se um homem chama isso a mulher cai o carmo e a trindade trindade, que a pobre coitada luta pela igualdade de géneros...
      Foi só um desabafo, não me caiam agora em cima. Ou até caiam. É para o lado que durmo melhor

      Eliminar
    5. Anónimo das 22:54: Não há mal nenhum em admitir que não percebe. Mas, felizmente, hoje em dia o conhecimento está à distância de um clique, basta pesquisar as definições de 'machismo' e 'feminismo' na internet or ir à Wikipédia ler sobre o movimento feminista e fica logo a perceber!

      Eliminar
  29. Tanta histeria por causa de uma etiqueta!
    Deviam guardar a vossa indignação para o que realmente importa!
    Quando se avaria o carro, rebenta um pneu, falha o motor, ou whatever, em quem é que se pensa?
    Num homem!!!!
    Tentem mudar o que realmente importa, existem banalidades que não merecem o tempo que lhes é dado.
    Cuecas= problemas de lana caprina.
    E sim, sou mulher, independentíssima.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. aplaudo este comentário

      Eliminar
    2. Quando o carro se avaria penso sempre num homem: do reboque!
      Já quanto há um prego para pregar, um móvel para montar, sou eu mesma.
      Já fazer o jantar posso deixar para o homem da casa que o faz com distinção!
      vidademulheraos40.blogspot.com.

      Eliminar
    3. Anónimo das 19:25...clap, clap!
      Tanto alarido por umas cuecas. É uma mensagem engraçada, não vejo como pode ser ofensiva. Permitam-se a um bocado de sentido de humor e não baralhem as coisas. Não me sinto inferiorizada com isto nem ninguém tem que se sentir. Preocupem-se com coisas que realmente importam e estejam de bem com a vida!

      http://janeiroemparis.blogspot.pt/

      Eliminar
  30. Essas são as mulheres que chamam monstro a um homem que agride uma mulher (eu também acho montruoso atenção!), mas que hoje ao verem a noticia de uma filha esfaqueada pela mãe ao tentar defender o pai das agressões desta comentam "alguma coisa ele fez". Igualdade onde????

    ResponderEliminar
  31. Isso acontece porque a estupidez não tem género. Viva o sentido de humor!

    ResponderEliminar
  32. A cueca só tem uma frase. É preciso tanto alarido por uma simples frase? Credo. Arranjem um lápis azul e comecem a censurar tudo e mais algo. Ah e arranjem um manual para ensinar a tirar palas dos olhos e começarem a fazer interpretações sem verem maldade em tudo.

    ResponderEliminar
  33. Acho tao engraçado
    uma tshirt do meu bff diz na etiqueta "40 graus , apto p secar na maq" etc etc e dp diz " or give it to your mom' xD eu achei um maximo.ha pessoas q vivem p falar mal :)

    ResponderEliminar
  34. Bem...tudo isto por causa de uma etiqueta numas cuecas... É isso e a chucha do Mateus!
    Por amor da Santa!
    Pois eu digo que igualdade o tantas, eu cá gosto de cavalheirismos, e também sei mudar lâmpadas, pneus, ver o óleo do carro ou fazer buracos com o berbequim mas são tarefas que delego aos homens.
    Faz de mim menos mulher???? N me parece!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Filipa, lutar pela igualdade não quer dizer lutar para tornar os homens e as mulheres iguais, mas dar-lhes a oportunidade e a liberdade de o serem se assim o desejarem. Ninguém quer obrigar os homens a serem femininos ou as mulheres a serem masculinas.

      Eliminar
  35. É à custa do exagero e da falta de humor para entender uma simples piada publicitária que se vê por estas bandas (comentários) que as lutas feministas já começam a ser vistas como as greves do metro... Preocupem-se com causas feministas que valham realmente a pena ao invés de verem mal em tudo

    ResponderEliminar
  36. Concordo plenamente consigo, pipoca. Isto tem vindo a tornar-se uma histeria palerma. Nem tanto ao mar nem tanto à terra. Isto, para mim, tem tudo a ver com a "brainwash" que aquele blog Maria Capaz faz às pessoas, principalmente mulheres. Eu não discordo de tudo o que elas dizem, mas algumas coisas são extremistas. Tudo é visto como um ataque ao sexo feminino! Elas lutam pela igualdade feminina, rebaixando os homens! Concordo a 100% com o Anónimo das 19:04 "As feministas na maior parte das vezes dizem estar a lutar pela igualdade mas na verdade estão só a lutar pelos direitos das mulheres." Para tudo tem de haver um balanço, e eu sinceramente acho, que as pessoas hoje em dia têm de arranjar sempre algum motivo para criticar! Assim que eu vi esta sua fotografia no Instagram, percebi o sentido da frase, quando comecei a ler os comentários é que pensei no outro sentido que as pessoas tanto apontavam! Que mentes contorcidas! Obrigada por este post! Um beijinho!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu por acaso acho que este blogue é que pelos vistos tem um efeito de "brainwash" sobre algumas das suas seguidoras que têm de concordar com tudo o que aqui leem só porque sim.
      Já a plataforma Maria Capaz parece-me um conceito muito interessante, independentemente de uma ou outra perspetiva mais extremista que possa por lá passar. A prova disso é que a Pipoca também já percebeu e fez este post que, parecendo uma brincadeira, "pisca o olho" aos temas que a Maria Capaz veio fomentar.

      Eliminar
    2. Ana, o meu blog tem 11 anos e sempre falou dos mais variados assuntos. Este é só mais um.

      Eliminar
    3. não precisa de publicar.
      claro que não ponho isso em causa e acho este blogue muito bem sucedido!
      o que quis dizer é que, estando na "ordem do dia" (li que o Maria Capaz teve 2 milhões de visitas num mês!), é normal que estes temas, que podiam andar meio adormecidos, voltem a ser abordados, nem que seja a propósito das tais cuecas.
      em relação a algumas seguidoras "brainwashed" mantenho o que disse :)

      Eliminar
    4. Aleluia que leio e descubro que não sou a única a achar o Maria Capaz uma lavagem cerebral!!

      Eliminar
    5. "Elas lutam pela igualdade feminina, rebaixando os homens!" Tem exemplos, se faz favor? Links?

      Eliminar
  37. hahaha viva ao sentido de humor!

    http://my-sweet-daisy.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  38. É sempre por dois motivos, por tudo e por nada. Cristo!

    ResponderEliminar
  39. É estranho pensar que coisas pequenas como uma mensagem engraçada dá direito a um forrobodó desses. Eu gostei imenso desta etiqueta :D

    http://princesasemtiara.blogs.sapo.pt/

    ResponderEliminar
  40. Para mim feminismo rima com extremismo...para quê vermos tantas vezes os homens como nossos inimigos?podem ser nossos aliados e ajudarem nos a construir um futuro melhor para todos, não só para as mulheres. Um dia destes ainda vai haver mais umas quantas a queimar soutiens!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O feminismo não vê os homens como inimigos, o feminismo quer que os homens e as mulher tenham os mesmos direitos e o mesmo respeito na sociedade. Está a confundir com misandria, não é o mesmo.

      Eliminar
    2. Ainda estou para perceber onde é que a hipotética queima de soutiens implica ver os homens como inimigos. Se ainda fosse queimar boxers, mas, soutiens? Qual é a ideia? Roubar soutiens a travestis, e depois chamuscá-los em praça pública, é isso? Sim, de facto, os homens vitimas do roubo e destruição de peças de roupa perpetrada por tal vil ataque, não iriam achar piada... Fora isto, não percebo.

      Eliminar
    3. Anónimo das 16:03, vê se que não sabe o que aconteceu nos EUA em 68. A internet para si deve servir apenas para comentar as afirmações dos outros de forma muito pouco fundamentada.Um conselho: utilize a internet para aumentar a sua cultura geral. não custa nada,vá lá...

      Eliminar
  41. Eu sinceramente fiquei foi a olhar para o inglês... I prefer to be washed by hand. Is more exciting!

    Is? Onde está o sujeito? IT is...

    ResponderEliminar
  42. Acho a etiqueta engraçada e vejo as coisas deste modo: associamos mais experiência de vida às nossas mães e ainda mais às nossas avós.
    Quando saímos da casa dos nossos pais e vamos viver sozinhos, penso que a tendência será pedir alguns conselhos aos pais, especialmente às mães e avós, no que toca a tarefas domésticas.
    A bem da verdade, já são poucas as pessoas, homens ou mulheres, que lavam roupa à mão. Por vezes nem sabem como fazê-lo.
    A etiqueta diz isso mesmo: "se não sabes lavar roupa à mão, pede conselho à tua mãe (ou avó) que ela certamente terá mais experiência na matéria".
    Acho que se gerou aqui um tsunami por uma ideia tão simples e divertida.

    ResponderEliminar
  43. Que exagero! São - só - umas cuecas e é - só - uma piada! :D

    ResponderEliminar
  44. Feministas de meia tigela, é cada tiro cada melro. Já tive a sorte de passar uma noite entretida depois de dizer que gostava de ter sempre uma bebida, snack ou um miminho preparado quando o meu namorado cá chega a casa. Foi discussão à seria, chamaram-me nomes e tudo, anti-mulher e coitadinha do cérebro lavado pela "sociedade machista" (e eu achei imensa piada)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Parece que é ridículo gostar de se dar mimos dos homens. Parece que é ridículo uma mulher pura e simplesmente gostar de cozinhar para o marido, ou gostar de cuidar dele, como ele de outras formas cuida dela. Ao ridículo a que já se chegou.

      Dizer que a Joana é uma coitadinha com o cérebro lavado pela sociedade machista porque gosta de surpreender o namorado é só ridículo. Afinal não gosta dele? E não se demonstra amor nos pequenos gestos?
      Scalhar as mulheres que lhe disseram isso são as mesmas que se derretem todas caso cheguem a casa e o namorado tenha um chocolatinho, ou uma flor, ou o que seja para elas...

      Eliminar
    2. Que parvoíce. Eu, por exemplo, gosto de cozinhar. E gosto de cozinhar para o meu namorado (coitado, às vezes leva com cada experiência). Entre outras coisas. Tem a ver com cuidar e mimar, como bem disse o anónimo das 14.49, porque também o fazem por mim.
      Não me parece que isso faça de mim menos ciente da importância dos direitos das mulheres, como alguns defendem. Mesmo porque sou pessoa para "rodar a baiana" se me vêm cá com machismos. Acho que, como em tudo, o importante é ter discernimento.

      Eliminar
  45. É por causa destas e de outras, como estas que chego à conclusão que, Portugal ainda é um país muito atrasado. Onde ainda se pode observar uma manif de Marias de punho no ar a gritar abaixo o machismo.
    Está para nascer o homem a quem lavarei cuecas à mão, e também, a quem deixarei lavar umas cuecas minhas à mão.

    ResponderEliminar
  46. Desculpa, Pipoca, mas envergonha-me como mulher ler algo como "vamos ter calma com isto do feminismo". É o mesmo grau de estupidez de qualquer coisa como "vamos ter calma com isto dos direitos humanos". O problema é que estamos tão dessensibilizados para a discriminação feminina que achamos a associação do trabalho doméstico à mulher tão natural que passa por humor - e vêm mesmo dezenas de almas dizer que é uma questão menor. Talvez se na etiqueta das cuecas estivesse escrito "ou dá à empregada negra" já fosse diferente, não? Ou o racismo passa a ser inócuo por ser veiculado em cuecas? Sinceramente, que haja tantas mulheres a defender e relativizar a barbaridade que escreveste só prova que isto não é uma guerra entre sexos, mas uma guerra entre quadros mentais. O da estupidez daquelas e daqueles que, cheios de direitos conquistados à custa dos diversos movimentos feministas, podem cuspir pérolas para o ar, e aquelas e aqueles que percebem que, apesar da igualdade formal, há ainda tantas formas de sexismo - e pasme-se, algumas circulam nas cuecas.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tão, mas tão de acordo com este comentário!
      E já agora, esta coisa de os estereotipos de género serem tão naturais no dia a dia é responsabilidade nossa. Porque somos nós que educamos os nossos filhos. E quantas de nós tratam em casa rapazes e raparigas da mesma forma, relativamente às tarefas em casa? Quantas não dizem ainda hoje a um filho que choraminga "Credo, para de te portares como uma menina....", quantas de nós não pedimos aos maridos para nos darem uma ajudinha, em vez de lhes pedirmos para serem responsáveis pelas suas tarefas em casa, préviamente definidas e acordadas entre os dois?
      Esta é uma questão cultural. Ser feminista é algo que me faz muito sentido, porque eu quero que as minhas filhas e os meus filhos tenham uma vida plena, na qual se possam realizar em todas as vertentes da sua vida, com direitos e deveres iguais, apesar de serem pessoas completamente diferentes.
      Somos nós que nos limitamos a nós próprias. Não quero ter calminha nenhuma com isto do feminismo... :)

      Eliminar
    2. Então seguindo a mesma lógica da discriminação e do respeito mútuo and so on...suponho que acredite em meios termos e como tal vou-lhe perguntar se alguma vez (até a vou colocar em pé de igualdade com a Pipoca, veja só) diria a um crente, daqueles que quando algo corre mal é culpa do fulano, mas quando corre bem já foi Deus, daqueles que deixam que a religião lhes condicione o discernimento, para ter calma com isso? E não, não me estou a referir a atentados ou algo que se pareça.
      Como em tudo na vida, para as coisas funcionarem, tem de ser levadas a serio e com alguma sensibilidade...Há que ter noção de quando já é exagero ou de quando é realmente necessário.
      Eu estou grata ao movimento feminista mas nem por sombras agradecerei ou ficarei minimamente grata a pseudo feministas que se veem no direito de invadir estabelecimentos comerciais onde não é permitida entrada de mulheres (e antes que me venham falar novamente de igualdade, também não é permitido fumar em muitos locais e não é por isso que vejo fumadores invadir estabelecimentos e tentar vandaliza-los) nem a outras tantas que difamam por completo um movimento tão nobre e do qual sabem tão pouco.
      A Pipoca obviamente não é contra o feminismo, pelo contrário, apenas comentou uma simples etiqueta...vamos sim ter calma com este exageros.

      Eliminar
    3. Não compreendeu o meu comentário, lamento. E eu seguramente não compreendi o seu, pelo que penso não fazer muito sentido tentar responder-lhe. Sem stress!

      Eliminar
    4. E agora é que eu compreendi que o seu comentário era uma resposta ao de cima, e não ao meu... Desculpe. Lá está, sem stress!

      Eliminar
    5. Anónimo das 17h51: De novo, troque "proibida a entrada a mulheres" por "proibida a entrada a negros". Continua a ser inócuo?

      Eliminar
    6. Comparar vedar a entrada a mulheres com proibição de fumar é absurdo.

      A propósito desse tema, vejam o que um homem tem a dizer.

      http://contrapolaridades.blogspot.pt/2015/02/sou-feminista-ou-eu-nunca-entraria-num.html?m=1

      Eliminar
    7. Comparar a proibição de entrada a pessoas com a proibição de fumar é realmente absurdo, e nem entendo como não é óbvio. Proibir fumar = proibir comportamentos, transversalmente. Proibir a entrada a mulheres,a negros, judeus, deficientes, o que seja = discriminar pessoas. É assim tão difícil entender? E sim, o raciocínio é o mesmo. Basta trocar "proibida a entrada a mulheres" por "proibida a entrada a negros", como diz o anónimo mais acima.

      Eliminar
    8. Agora explique-me o que é que uma mulher vai fazer a uma barbearia...Acho totalmente desnecessário o burburinho que se fez à custa de uma coisa, à partida, tão óbvia. É como um adulto usufruir de um parque infantil, tecnicamente não pode e como tal existem placas a dizer que pessoas com mais de x anos não podem. Talvez seja um exemplo estranho e quem sabe estúpido, mas é só uma forma de dizer que existe discriminação ainda que em pequenos aspetos em todas as esquinas, e que há lutas maiores para combater em vez de perderem tempo com extremismos só porque sim. Algures alguém comentou que as "lutas" feministas já começam quase a ser encaradas como greves do metro e tem razao, tudo o que é demais cansa...
      Que eu saiba um negro poderia usufruir à mesma dos serviços disponibilizados no estabelecimento. Portanto, não seria a mesma situaçao.

      Eliminar
    9. E mesmo que eu não tenha interesse nenhum em frequentar uma barbearia, não posso ficar indiferente à discriminação óbvia que é proibir-me, só porque sou mulher, de entrar nesse estabelecimento.

      Eliminar
    10. Uma mulher pode ir a uma barbearia acompanhar o companheiro/amigo/pai pelos mais diversos motivos. E se uma mulher tiver o cabelo curto com um corte "à rapaz", não pode usufruir do serviço por ter uma vagina?

      Eliminar
    11. Os sinais dos parques infantis, fazendo uso da sua expressão, estão lá realmente por motivos técnicos. Porque os equipamentos são para crianças e quando usados por outros, que não crianças de determinada faixa etária, a segurança fica comprometida. E isto não é discriminação.

      Eliminar
    12. Eu compreendo o que querem dizer, mas lá naquele estabelecimento em particular que diversas mulheres invadiram, deixam entrar mulheres em casos como o de estar a acompanhar um filho ou pai, nesses casos sim. No entanto, para o resto não podem entrar. Não percebo o drama disso, para ser sincera.
      Também há cabeleireiras que só aceitam mulheres no estabelecimento, apenas não tem um sinal à entrada a dize-lo (sinal esse que funciona mais como marketing do que outra coisa)...por algum motivo existem cabeleireiros unissexo.
      Não vejo qual a necessidade.

      Eliminar
    13. Desculpe, mas se está a falar da mesma barbearia, não é permitida a entrada a mulheres de todo. Aqui tem um exemplo:
      http://dirigivel.blogspot.pt/2014/10/menina-nao-entra.html?m=1

      Eu não conheço nenhum estabelecimento que proíba a entrada a homens. Quer os cabeleireiros ou esteticistas que frequentei, mesmo que não ofereçam serviços para homens, não lhes proíbem a entrada. Não acho isso normal, nem os frequentaria se assim fosse.

      Eliminar
  47. Bem, quem quiser que lave as cuecas. Mas alguém avise a marca que se escreve "It's more exciting". Afinal, o feminismo fez com que eu pudesse estudar para alguma coisa.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Apoiada!
      Vinha aqui comentar precisamente isso. Isso e a falta de pontuação. Mas também acho que o "mom" era escusado. Até porque o pedido é feito pelas cuecas e o "mom" em princípio refere-se à mãe de quem usa as cuecas.

      Eliminar
  48. Portanto, para as feministas é impensável uma mulher lavar as próprias cuecas... uhm...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Jamais!! As hipóteses são: ter uma escravo que as lave, deitá-las fora após uso ou nem usar!!!

      Eliminar
    2. Eu diria que é mais que, para o anónimo, e para a marca do andrajo em causa, é impensável um homem lavar a roupa da família... UHM......

      Eliminar
  49. O que eu acho triste é a Pipoca ter que explicar uma simples etiqueta de umas simples cuecas... Ao que nós chegamos!!

    ResponderEliminar
  50. A culpa não é do feminismo. A culpa é do exagero, é da falta de abertura a novos horizontes, é da crescente crença que todos temos de que somos donos da verdade.
    À mensagem das cuecas não achei grande piada e interpretei exactamente como se fossem as cuecas a falar com a dona - se as de homem dizem exactamente a mesma coisa não sei, não conheço a marca, mas sinceramente estou-me borrifando. Perigoso não é haver mensagens destas na roupa, é haver tanta gente que acha que o feminismo acabou com o direito de voto e que vivemos num mundo muito bonito em que já existe igualdade. Se na sociedade ocidental existe igualdade? Talvez não a 100%, mas já muito foi alcançado. Só que o mundo não é só a bolhinha em que vivemos e por esse mundo fora existem mulheres que ainda são propriedade do marido, que não podem votar, que não podem trabalhar sem autorização do marido. É por essas mulheres que faz sentido existir feminismo, desde que canalizado para o que vale mesmo a pena - e não apenas para destilar veneno e sentirmo-nos muito cool.

    estenaoeumbloguedemoda.wordpress.com

    ResponderEliminar
  51. oh Senhores, quer dizer, Senhoras........... deixem-se dessas coisas. A cena resolve-se bem NÃO USEM CUECAS!
    Ás grandes feministas: até parece que é por grandes batalhas ganhas, grandes alterações de legislação, por os pedófilos serem presos, por as mulheres poderem votar, etc...etc.. que os homens que têm em casa as vão tratar melhor ou vão lavar as cuecas e as piugas, dar os banhitos aos catraios e afim...... não os "domestiquem", não lhes retirem as mãnhas que trazem da casa da mãe!! Deve ser a luta conjunta das feministas que os fazem mudar em casa.. é isso e o coelhinho da páscoa.

    ResponderEliminar
  52. É por isto que não podemos ter calma com o feminismo: http://www.publico.pt/mundo/noticia/governo-americano-intervem-a-favor-de-mulher-transgenero-espancada-e-violada-na-prisao-1691538

    ResponderEliminar
  53. Primeiro de tudo, gosto do texto da Ana Martins e concordo!
    Segundo, tanta conversa de feminismo e tal por causa de uma simples etiqueta de cuecas?
    Terceiro, resumindo e baralhando a etiqueta pede simplesmente para que esta peça seja delicada e linda, seja lavada com delicadeza, como só nós mulheres sabemos fazer, e não lavar na máquina que estraga as roupas interiores todas , as quais pagamos fortunas, e que passados uns dias estão com um mau aspecto terrivel, não vos acontece???

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. "Só nós mulheres"? Fale por si. Comigo, iam para a máquina de lavar com o programa a 90º, que era uma beleza.

      E só por curiosidade, como sugere um comentário mais a cima: se a mensagem fosse "Dê à sua empregada negra", também não havia problema nenhum? Racismo nas cuecas, por serem apenas cuecas, já passa?

      Eliminar
    2. "Se"... Mas não diz.. Sejamos sensatas! Mas o que é isto?! Já vamos em racismo e em teorias baseadas em "se".. SE a minha avó tivesse rodas, era um carro... Já viu?!

      Eliminar
    3. Pois não diz. Diz "apenas" uma mensagem sexista. Por alguma razão, no país onde, entre outros "mimos", mulheres têm o emprego em risco por engravidarem, difundir mensagens sexistas é menos grave.

      Eliminar
    4. Acho que não é isso que está a ser discutido. Não me vou estender muito neste comentário, porque acho ridículo algo como, " só por curiosidade, como sugere um comentário mais a cima: se a mensagem fosse "Dê à sua empregada negra", também não havia problema nenhum? Racismo nas cuecas, por serem apenas cuecas, já passa?".. E foi isso que me deixou pasmada... Como, de uma etiqueta que consideram sexista, se passa para um comentário sobre racismo... E mais... Como de uma mensagem na etiqueta de umas cuecas se passa, para além do racismo, para a discussão de cláusulas de contratos de trabalho. Deixe-me frisar que não sou a favor, de todo, dessas cláusulas, no entanto, acho incomparável este tipo de situações... Acho que o movimento de defesa dos nossos direitos, só sai a perder com este tipo de observações e com esta linha de pensamento... O gozo que não deve ser ver os ânimos a aquecer por causa de uma mensagem numas (imagine-se) cuecas...

      Eliminar
    5. Anónimo das 01:16, se é incapaz de entender que mensagens (por muito inocentes que aparentem ser), que veiculam preconceitos (racistas, sexistas, ou outros - porque ficou por explicar porque é que sexismo é menos grave...), têm impacto na sociedade e, em último caso, na legislação, não há de facto muito mais a acrescentar.

      Eliminar
  54. Adorei a etiqueta e o texto, claro! Para mim é uma etiqueta cheia de piada que só por ela apetece comprar as cuecas. É como o texto do maravilhoso champoo aussie "There's more to life than hair but it's a good place to start" :) adoro essas filosofias partilhadas com o consumidor. Estou a ver que há sítios (para não dizer países) que não resultaria muito bem. as fico contente por ser evoluída e perceber a piada e que existam mais perto de mim que também percebam. :D

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. "És gaja, logo, trata mas é da roupa, pá!!!" é evoluído com'ó catano! :D

      Eliminar
    2. É evoluída sim.
      Acima de tudo e das tarefas que um faz ou não faz, cada mulher e cada homem deve ter consciência do valor que tem! A partir daí não me venham com feminismos ou machismos, quando muitos não sabem do que se trata!
      Eu faço comida aqui em casa e também ponho a máquina a lavar e passo a ferro se necessário! Isso não faz de mim menos mulher ou diminuída em relação ao homem que aqui também habita! As minhas ideias estão bem definidas e eu sei acima de tudo o valor de tenho enquanto pessoa!
      Por isso, não peguem num assunto que até é divertido (cuecas) e não tragam para aqui os vossos fantasmas e as vossas inseguranças!
      Se os têm, que os reconheçam! Não são necessárias umas cuecas e uma frase para isso!

      Eliminar
    3. Feminismo e machismo confundidos? Outra vez?... Mas, e dicionários, senhores(as)? Pronto, ok...

      fe·mi·nis·mo
      Movimento ideológico que preconiza a ampliação legal dos direitos civis e políticos da mulher ou a igualdade dos direitos dela aos do homem.

      ma·chis·mo
      Ideologia segundo a qual o homem domina socialmente a mulher.

      in Dicionário Priberam da Língua Portuguesa

      Tá melhor? E repetir: o problema não é um indivíduo - homem ou mulher - escolher fazer tarefas domésticas; o problema, é social e mercantilmente instituir-se que X ou Y tarefa é DEVER de X ou Y sexo, independentemente da vontade do indivíduo em causa. E não, isto, não é evoluído, pelo contrário: uma vez que historicamente a sociedade tende a impor papeis sobre os sexos, é reaccionário. Entendido agora?

      Eliminar
  55. E quem não tem sentido de humor...não deve ser lavado a sério!!

    ResponderEliminar
  56. Mas ninguém tem nada mais interessante que fazer na vida? Irra.
    Vão mazé lavar cuecas e remendar peugos.
    Marketing top.

    www.ohcutxicutxi.blogspot.pt

    ResponderEliminar
  57. Lol é so uma etiqueta!!!!

    ResponderEliminar
  58. Oh Santo Cristoooo por favor livrai-nos de tanta gente estupida e moralista agora e na hora de escrever e interpretar algo que alguém escreve com humor! Uma vez mais PIPOCAAAAAA livra-te desta genteeeeeeeee...

    ResponderEliminar
  59. Bem, eu cá prefiro que seja a minha mãe a lavar as minhas cuecas do que o meu pai...

    ResponderEliminar
  60. Pessoalmente acho que o que a mensagem diz é: é melhor dares as cuecas a lavar á tua mãe porque na volta não te entendes com isto :) Serve para filhos e filhas.

    ResponderEliminar
  61. Eu devo ser um bocado ingénua...acho que se lesse isto numa etiqueta, poderia, simplesmente, achar divertido...jamais me poria com pensamentos sobre direitos das mulheres e feminismo e machismo e sei lá mais o quê... Parece que a malta anda com o complicómetro ligado, a cabeça não pára de pensar em coisas que não têm nada a ver. De certeza que quem criou esta etiqueta não imaginou que tal coisa iria proporcionar uma "discussão" sobre feminismo...

    ResponderEliminar
  62. Cortou a etiqueta, não cortou? Problema resolvido... Anda tudo doido!

    ResponderEliminar
  63. Não acho correcto o título da publicação. É a mesma coisa que dizer "vamos ter calma com a luta contra o racismo". A culpa de "histerismos" e exageros (que existem, neste e outros casos e só descredibilizam o movimento) NÃO É do feminismo! E mulheres que dizem "estas feministas...", deviam ter um pouco de noção e saber o que o movimento representa. Estudar um bocadinho, vá. Eu sou feminista. O feminismo é igualdade e liberdade de escolha. Se a mulher quer ser dona de casa e fazer todas as tarefas domésticas pode fazê-lo, desde que ninguém a obrigue ou diga "este é o teu lugar". Não, lugar de mulher é onde ela quiser. Da mesma maneira que eu posso gostar de moda, maquilhagem, depilação e pornografia e ser feminista. Ou o contrário, desde que não discrimine nenhuma irmã que seja assim. Dito isto, a etiqueta é fofa, ainda mais se é uma peça para mulher, seria estranho dizer "daddy".

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Muito bom comentário. Há aqui muitas comentadoras que deveriam lê-lo e interiorizá-lo. Tal como disse, o feminismo é a luta pela liberdade de escolha, pelo direito a sermos CEOs de empresas, educadoras de infância, mecânicas ou donas de casa (e o mesmo se aplica aos homens).

      Eliminar
    2. Gostei muito do seu comentário, só me indigna uma coisa. Se o feminismo é sobre igualdade e há mulheres que realmente gostam de lavar roupa, e lavar a loiça e tratar da casa, gostam de mimar o marido, whatever, sem ninguém lhes dizer "este é o teu lugar" "fazes isto porque és mulher", porque é que se alguma ousa sequer dizer "gosto mesmo de cozinhar para o meu marido" cai o carmo e a trindade da parte das "so called" feministas? Não está uma mulher no direito de gostar de cuidar do marido? É que na onda que aí anda hoje em dia, até quem diz que gosta de ter um chocolatinho para o namorado (como li ali em cima) já é crucificada e considerada uma vergonha para as mulheres. Não faz sentido

      Eliminar
    3. Tem toda a razão, Sara. Claro que existem essas pessoas, que se dizem feministas, mas depois dizem barbaridades dessas, oprimindo as mulheres que deviam defender. Quem é que não gosta de mimar a cara-metade? É até hipócrita criticar quem diz que gosta de fazer essas coisas. E outra coisa, quando um homem diz que adora cozinhar para a mulher é um grande fofo e quando uma mulher diz que gosta de cozinhar para o marido é criticada, como notou. Não faz sentido nenhum, realmente.

      Eliminar
  64. A etiqueta é bastante original! Defendo as mulheres sempre que dá mas... Quando os assuntos são realmente importantes nem querem saber e por causa dumas cuecas é isto...Não sou mãe de ninguém a não ser da minha roupa interior (e da minha gata) portanto ficaria feliz se me dissessem qual a preferência relativamente à lavagem :)

    http://isamirtilo.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  65. "There is no such thing as bad publicity" com tanta polémica a marca ainda sai mas é a ganhar :D

    ResponderEliminar
  66. Concordo cntg pipoca...esta gente tem que acalmar o "pito" - desculpem o desabafo!

    Beijinho » http://xibbycc.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  67. Epa vocês são completamente doentes.

    ResponderEliminar
  68. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar
  69. além da falta de bom senso da etiqueta, o inglês está incorrecto. é "it's more exciting" ou até "it is more exciting", nunca "is more exciting". ironicamente quem falava assim era o tarzan.

    ResponderEliminar
  70. Alguém pode por favor confirmar se as cuecas de homem não trazem uma mensagem semelhante, mas com "dad" em vez de "mom".. :D

    ResponderEliminar

Teorias absolutamente espectaculares

AddThis