Pub SAPO pushdown

Querem usar biquíni? Usem e pronto!

segunda-feira, abril 27, 2015
Estava aqui a ler este texto da Diana a propósito de uma polémica que me passou ao lado. Pois que parece que uma marca de proteínas, a Protein's World, fez um cartaz publicitário a um produto de emagrecimento com uma boazona em biquíni e a pergunta "Are you beach body ready?"


Pronto, foi o suficiente para se instalar o drama, o pânico, o horror. Entre cartazes vandalizados e mensagens endereçadas à marca a chamar-lhes tudo e mais alguma coisa, montou-se todo um carnaval. Depois de ler o texto no blog ia deixar todo um extenso comentário, mas decidi trazer o assunto para aqui. A Diana junta-se ao coro de vozes indignadas, mas como a conheço há milhares de anos e sei que se indigna com TUDO (os sumos detox, as corridas, a Padaria Portuguesa, a granola, os alunos do Liceu Francês, os sapatos de plataforma, a dívida do Passos Coelho), já lhe dou o devido desconto e relativizo bastante as suas queixas. Costumo dizer-lhe que baixou nela o espírito de um daqueles idosos de 87 anos que estão sempre contra tudo, seja bom ou seja mau. Mas não há ninguém que se indigne com tanta graça como ela, isso não há. Adiante. 
Que estamos na época da indignação generalizada eu já sabia. Todos os dias há sempre alguém à procura de um novo assunto para se indignar e, já agora, mobilizar as massas. Lança-se o barro à parede e, se pegar, espectáculo! Neste caso, o mulherio passou-se da cabeça por um produto de emagrecimento utilizar a imagem de uma miúda magra. Ahhhh, que grande surpresa,
nunca antes feito. Nunca antes se utilizaram miúdas magras para publicitar roupas, cremes, perfumes, alimentos, viagens, bancos e sei lá mais eu o quê. Mas em produtos de emagrecimento é que não, calma lá! O problema, dizem, foi a marca ter dado a entender que um "corpo para biquíni" é um corpo magro, como se só às magras estivesse reservado esse direito. Eu não vejo a coisa assim. Como é óbvio, a marca quer vender. Se é um produto para emagrecer, puxa pelo lado aspiracional da coisa, quer que as mulheres que têm peso a mais sintam que também podem ter um corpo parecido com o da modelo do anúncio e que, consequentemente, se sintam motivadas a comprar o produto. Mas não diz, em momento algum, que as gordas (desculpem lá, não vou estar aqui com rodeios, vou usar a palavra "gorda" e pronto) não podem ou não devem vestir um biquíni. Assim de repente, qual era a lógica de pôr uma pessoa com excesso de peso num anúncio destes?
Vamos lá ver uma coisa:  corrijam-me se estiver enganada, mas tirando por questões patológicas, as pessoas são gordas por dois motivos: porque comem mal e/ou em excesso (geralmente as duas coisas juntas) e porque não praticam exercício. Coisas que TODOS os médicos recomendam que se faça. Se há quem viva lindamente com isso e não tenha a mínima intenção de perder peso? Acredito que sim e estou-me nas tintas, façam o que quiserem. Agora, não me venham dizer que o excesso de peso está associado a um estilo de vida saudável. Sim, já sei que me vão inundar com exemplos de pessoas que vocês conhecem que têm 160 quilos e que estão óptimas, sem colesterol, sem diabetes, nada, mas eu não acredito que, a longo prazo, isso resulte em coisas muito positivas. E, por isso mesmo, parece-me normal que não usem pessoas gordas como modelos para certos tipos de publicidade. É claro que, em 90% dos casos, são usadas mulheres magras porque se assume que o estereótipo de beleza é esse, mas também porque não ter excesso de peso deveria ser a condição normal de qualquer pessoa que faça por isso. 
Agora, do mesmo modo que há quem se chateie por uma marca assumir que um corpo para biquíni é um corpo magro, a mim também me chatearia se me dissessem que um corpo para biquíni é um corpo gordo, tendo em conta todos os factores de risco que lhe estão associados. Muitas das mulheres que se passaram da cabeça contra a Protein's World usaram argumentos como "eu faço o que eu quero", ou "tenho orgulho no meu corpo", ou "ninguém me diz se posso ou não usar biquíni". Óptimo, então para que é que se irritam? Porque é que perdem tempo com merdas destas? Para que é que se desgastam? Porque é que se deixam intimidar por aquilo que os outros dizem ser um corpo para biquíni? Tem corpo para biquíni toda a gente que se sente confortável para o usar, é tão simples como isso. Quando eu tinha excesso de peso depois da gravidez ia para a praia de fato-de-banho porque não me sentia confortável com um biquíni, mas isso era eu. Do mesmo modo que quando era miúda e altamente complexada por ser um monte de ossos também só usava fato-de-banho. Em ambos os casos, era por EU não gostar de me ver. Se acho que hoje tenho um corpo parecido com o da miúda da foto? Não, longe disso, nem nunca lá chegarei, mas gosto do que tenho, com todos os defeitos e virtudes, e sinto-me suficientemente confiante para me enfiar num biquíni, mesmo que alguém possa achar o contrário. I don't give a shit. Aliás, se eu ligasse aos comentários que me deixam aqui diariamente sobre o meu corpo (do "estás obesa" ao "estás anoréctica"),n ão saía da cama. Quem se sente à vontade para usar um biquíni que o use sem medos, independentemente do tamanho, o que é que interessa o que os outros dizem? São todas emancipadas, e para a frente, e fazemos e acontecemos, mas depois cai o Carmo e a Trindade porque uma marca de produtos de emagrecimento usa, imagine-se, uma magra! Como se ser magro fosse uma coisa má ou vergonhosa, como se quem faz um esforço para ser saudável (porque implica esforço) merecesse ser apedrejado em vez de incentivado.
Estou fartinha de fundamentalistas e de falsos moralismos. Quantas pessoas gordas não perderiam uns quilos se pudessem, se fosse fácil, se não tivessem de fazer esforços, se houvesse um qualquer milagre que as transformasse do dia para a noite? Todas ou quase, diria. E quantas magras gostariam de ter excesso de peso? Nenhuma ou quase nenhuma, diria. As tabelas de peso, o IMC ou o nível de massa gorda não foram inventados para decidir quem pode ou não usar um biquíni, mas sim para ver se estamos dentro do peso recomendado, porque estar acima (ou abaixo) pode trazer-nos complicações de saúde. Estas merdas existem, são utilizadas por profissionais de saúde e não foram criadas para chatear as gordas ou para as obrigar a transformarem-se em modelos, mas sim para alertar para os riscos que daí podem advir. Mas agora está na moda irritarmo-nos todos muito com quem faz exercício, com quem gosta de ter um corpo fit, com quem faz uma alimentação saudável. Na minha opinião, isso só irrita quem se está a cagar para essas coisas e não quer ser relembrado para a importância de ter um peso saudável (não é ser magro, é ser saudável), uma alimentação saudável, um estilo de vida saudável. A mim também me irrita que as pessoas sejam, tantas vezes, negligentes com o seu corpo, mas é problema delas, não vou para a porta do McDonald's insultar quem se atira a três Big Macs e ainda arranja espaço para um Sundae. Se eu (repito, EU) prefiro ter um peso saudável do que peso em excesso, porque raio é que havia de dizer o contrário ou bater palmas a quem não tem cuidado nenhum com a sua saúde? E, repito, se toda a gente vive óptima na sua condição, para quê ralarem-se com insignificâncias como esta? É viver e deixar viver.

225 comentários:

  1. Sempre foi assim, todas as marcas de comidas light, de emagrecimento, de produtos de estética e etc usam um discurso que nos fazem sentir insuficientes. É preciso ter o corpo mais delineado e sem ponta de celulite para poder ir à praia de biquíni? Não.
    Só não podemos levar esses anúncios muito a peito, e em vez de procurar artigos com "fique pronta para o verão sem ter de fazer dieta e exercício" temos é que calçar as sapatilhas e dar um caminhada ou corrida, vigiar a tensão arterial e o colesterol e ajustar a nossa alimentação.
    Há espaço para todos os corpos, há gostos para tudo. Não podemos é pensar só em ter o rabo mais duro, a barriga mais seca e a pele mais lisa, porque se não cultivarmos a mente, nada disso vale.

    ResponderEliminar
  2. A publicidade não tem nada de novo, daí não conseguir entender a polémica.

    ResponderEliminar
  3. E de salientar que até as marcas de hamburguers usam modelitos linderrimas abençoadas pela genetica para as suas publicidades!!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Peço desculpa, e não me leve a mal. Mas porque é que as modelos têm de ser abençoadas pela genética?! Porque é que ninguém diz, as raparigas que têm cuidado com a alimentação, e que não dão desculpas para levantar o rabo do sofá? Eu infelizmente não sou geneticamente abençoada, já tive uns 15kg a mais, e agora a minha bênção é levantar o rabo da cama à 6h30 da manhã para trabalhar a não genética...

      Eliminar
    2. a genética tem importância claro. É muito mais fácil ter uma pernas elegantes se medir 1,80. O tamanho das ancas é determinado pela genética. A boa qualidade da pele e do cabelo também. Ter bons genes ajuda mas não é tudo. Há quem os tenha e desperdice outras que não foram bafejadas pelas sorte e à conta de empenho e dedicação alcançam resultados ótimos.

      Eliminar
    3. Catia Silva

      Porque se não for a genetica a sustentar 1,80 para 50 kg, elas já estavam mortas há muito tempo com falta de alimento.
      Não se chega ai saudavel com dieta e exercicio. as modelos não tem um IMC saudavel de raiz, elas o sao porque nasceram assim, as que nao forem assim e tentarem, morrem.

      Eliminar
  4. Por acaso se o produto é para emagrecimento suponho que se dirija às gordas ( pq se for para as magras é para as magras com patologia...tipo aquelas com IMC border line para baixo peso e continuam a esforçar-se e entrar em planos para perder ainda mais) acho que até tinha lógica ter um exemplar do público alvo no cartaz! Mas isto é só a minha opinião que não sou especialista em marketing e publicidade, que sou gorda e que não uso biquini porque não gosto, não quero e não me apetece e que se está nas tintas para o que cada um veste, come ou faz da sua vida.... é que a minha já me dá que entender

    ResponderEliminar
  5. Clap! Clap! Clap! Bravo ;)

    ResponderEliminar
  6. Adoro Ana! Muito bem dito mesmo! Adoro os teus posts! Mereces palmas!! CLAP CLAP CLAP !! :)

    ResponderEliminar
  7. ah granda pipoca!!!!

    Eu já fui muito gorda, vestia o 46 (atenção numero de lojas da terceira idade, que zara mango e afins não dava, nem vestidos).......hoje em dia visto o 38, mas com esperança de chegar ao 36

    quando vestia o 46 dizia: ai que raiva até o ar me engorda, não compreendo, é de familia, já a minha mae tem este corpo, é genetico, já disse que até o ar me engorda????? muita dieta fiz eu !!!! mas é o raio do ar, do ar e da agua!!!!

    Hoje visto o 38 e cheguei a conclusao que eu era um animal a comer..... muito comia eu, hoje vejo as gordas (sim que eu já não sou e nunca mais vou ser)e digo logo para o meu marido bolas muito come aquela, só para comida sao 2 ordenados

    não venham cá com cantigas que eu já fui do clube das gordas, o que engorda é a comida.... não venham cá com doenças e etc....... senão correm o mesmo risco que eu, já o meu filho tinha seis (sim 6) anos e eu ainda dizia.... estou forte porque tive um filho a pouco tempo

    cumptos
    marta p d

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A companhia do seu marido deve ser tão interessante....para quando está com ele perder tempo a contemplar e tecer comentários sobre o que os outros ( é só as outras???????) comem!!!! Valha-me Deus!

      Eliminar
    2. Por acaso conheço uma pessoa, que sempre foi gorda, mas diz que a culpa de estar assim foi da filha. Filha essa que tem actualmente 13 anos. Sempre que a ouço fico tão irritada.
      Muitos parabéns por perseguir os seus objectivos! Venha daí esse 36 ;)

      Eliminar
    3. anonimo - obg pela força

      Ana Oliveira - do texto que escrevi so se focou no meu marido..... e pelo seu comentário anterior olhe o que lhe digo, deixe de comer porque neste assunto nem Deus lhe vale... acredite

      cumptos
      marta p d

      Eliminar
    4. Marta p D não chamaria aquilo que escreveu texto....mas se assim o chama eu respeitarei e também lhe chamarei texto.
      Foquei-me no que diz sobre o marido porque foi o que me suscitou aquele pensamento. O resto que está escrito não me mereceu qualquer reflexão! E sou livre de refletir escrever o que eu quero! Se tem problemas com o que escrevi é porque mexi na ferida. Mas isso, lamento imenso, mas não é culpa minha!
      Aproveito para lhe dizer que fico muito agradecida pelos seus conselhos....se bem que não resvalam a couraça da minha indiferença contra a brejeirice alheia!
      Beijo e as maiores felicidades!
      P.S: Se precisar de assunto para conversar com o seu marido deixe ficar o seu email e eu enviar-lhe-ei detalhadamente o meu plano alimentar e de exercício fisico. Sou totalmente a favor da harmonia no matrimónio!

      Eliminar
    5. Acho que a Ana Oliveira está a precisar de limpar as gorduras do cérebro...

      Eliminar
    6. Ana Oliveira o seu discurso parece o de alguém de muito mal com a vida.

      Eliminar
    7. O que me receita para o efeito anónimo das 00:58 ( Marta p d?) ?

      Eliminar
    8. Ana Oliveira - Obrigada pelas suas palavras
      Em relação ao meu marido, não se rale.... chute para canto.... somos assim mas somos felizes!!!! vamos antes falar de gordas e magras BOA??????

      Ora bem o seu plano alimentar e de treino ....... agradeço mas não quero, é que não dá resultado, já o meu sim (passar dum 46 para um 38 é maravilhoso) a comer de tudo, até chocolates!!!!

      Sabe, a cabeça é quem manda e se não tem a capacidade de a controlar está tramada - é que vai ser gorda a vida toda, o que não é mau de todo o pior mesmo é ser parva !!!

      cumptos
      marta p d

      Eliminar
    9. Marta, que triste. Emagreceu, parabéns, sei o esforço que implica. Mas subiu-lhe o ego à cabeça, certo? Para se dar ao trabalho de olhar para o lado e comentar "aquela que come dois ordenados"...

      Eliminar
    10. Bem, oh Ana Oliveira, ainda bem que só tem conversas interessantíssimas e que não passa pela monotonia de fazer uma observaçãozinha reles como esta que a Marta faz com o marido... E que sorte a das pessoas que lhe são próximas, que não ouvem um "olha lá o que aquela/e tem vestido" ou "bem, olha aquele cabelo tão giro!" ou até algo tão típico de quem tem falta de assunto como o "olha lá o que aquele/a leva para comer!" De facto, muito mais interessante estar na sua companhia do que com o marido da Marta!

      Eliminar
    11. A questão nem são as quantidades de comida, é a quantidade daquilo que se come (proteínas/hidratos/lípidos). Estou a fazer um plano nutricional e desportivo, que se visse as quantidades de comida que como e o número de vezes que como ao longo do dia se calhar também se assustava. No entanto, já emagreci e perdi volume, comendo muito mais do que comia anteriormente...

      Eliminar
    12. Marta pd, "o que engorda é a comida.... não venham cá com doenças e etc"? :O
      Não há doenças que engordam, medicamentos, ect? Só a comida engorda?!

      O emagrecer fez-lhe mal, levou-lhe também alguns neurónio e empatia, falta-lhe muito disso. Falo como profissional de saúde, e magra, nunca precisei de dietas, a genética é lixada para uns e espetacular para outros... ai não, espera, sou eu que sempre comi pouco, not!!

      Que tristeza de comentário, que falta de solidariedade para com outros gordos, que falta de empatia, e de conhecimentos de saúde/medicina, quem não sabe o que diz, cala-se que faz melhor.

      Eliminar
    13. Anónimo das 20:38 (marta p d).. Antes de mais Bom dia
      Posso perguntar lhe que dieta fez? O que a ajudou?
      Obrigado

      Eliminar
    14. Anónimo da 01:38

      Eu não estou muito mal com a vida...eu estou péssima com a vida! A vida e eu não nos entendemos de forma alguma! Preciso de um psiquiatra, um psicólogo ou até mesmo uma bruxa ou um curandeiro? Alguém se oferece para me prestar tais serviços?

      P.S.: Na resposta ao Anónimo das 00.58 esqueci-me de referir que o cérebro tem um teor em lípidos (para o caso de não saber lípidos =gorduras) que não é desprezível. Os neurónios à semelhante de todas as outras células têm uma membrana da qual fazem parte, entre outras, os lípidos! Por isso aconselhem-me a tirar as gorduras do rabo, das coxas ou da pança se isso vos fizer felizes mas esse conselho relativamente ao cérebro em particular não obrigada!

      Eliminar
    15. Essa Ana Oliveira tem issues muito mal resolvidos... :/ ou então é só mais uma adolescente com acesso à internet :D

      Eliminar
    16. Eu também perdi 30 kilos, andei 4 anos cheia de mim e fazia esses comentarios sobre as outras, as gordas.E depois a porra da depressão atingiu-me forte por motivos que não vêm ao caso, e a porra dos medicamentos da porra da depressão masi a comida com que me entupi deram-me um estalo de luva branca na cara.Recuperei todo o peso perdido e mais algum.Eu que afirmava a rir que nunca voltaria a ser gorda!Eu que olhava com desdém para as outras...

      Eliminar
    17. Não que lhes interesse mas pronto vou fazer um resuminho da minha vida por fim a dar respostas às dúvidas que me parecem ter da minha vida.
      1- Adolescente já fui... neste momento estou à beira de me tornar uma enxuta jovem de 30 anos!
      2- Não sou um bocado gorda...sou bastante gorda e serei sempre gorda! Por isso lamento mas não me está a dar nenhuma novidade Marta.
      3- Todos os conhecimentos que fui transmitindo não baseados na minha formação académica! Não mando bitaites aleatórios. Sou médica, tirei o curso na Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa com uma média de 16,7. Depois do curso são várias as formações que tenho feito na área da nutrição e da fisiologia do exercício físico. Sou interna da especialidade de Ginecologia/Obstetrícia pelo que ganhos e perdas de peso são questões com que lido abundantemente.
      4- Assim de repente não me ocorrem assuntos que tenha por resolver....ah! esperem! Tenho que pagar a luz até dia 30! Mas ainda tenho 2 diazitos!
      5- Marta não sei se o seu plano resulta bem ou não... para mim se você gasta o 36 ou o 86 é-me igual ao litro. Os meus planos alimentares e de exercício físico foram elaborados especificamente para mim pelo melhor nutricionista português e pelo melhor fisiologista do exercício americano. A meu ver cumprem os objetivos: tenho umas análises irrepreensíveis ( e olho que ando há muitos anos a ver análises de pessoas dos 2 aos 102) , tenho uma capacidade e resistências físicas ao nível dos atletas de alta competição... pelo menos na natação é rara a competição de onde não saio medalhada.
      5- Não comento MESMO as pessoas à minha volta! Prefiro meter-me na minha vida e falar com as minhas companhias de assuntos que são interessantes a ambas as partes: tipo problemas nossos, alegrias nossas, discussão de notícias da atualidade, debates sobre literatura ecologia biologia medicina....
      6- Sejam felizes! Eu sou-o profundamente!

      Eliminar
    18. oh ana oliveira,
      quem é o teu medico? é que para ser o melhor do país e continuares gorda, como dizes muito gorda, caramba!!! um dos dois nao presta, nao quero crer que sejas TU

      Eliminar
    19. Marta P

      Se conhecesse varias pessoas saberia que há de tudo, as que comem por dois, as que comem pouco mas que comem mal, as que não comem nada , há de tudo.

      O seu testemunho é redutor, e os seus restantes comentarios foram muito agressivos e desnecessarios.

      Eliminar
    20. Eu perdi 30 kg com a dieta 10, voltei a engorda-los logo, em 2 anos.

      Tenho muita pena, mas tenho mais pena quando vejo este tipo de discurso da marta pd.
      Eu sei que vou voltar a perder os quilos outra vez, e tambem sei que não direi coisas assim. Mas não sei ao certo se a Marta percebe o que isso lhe fez á cabeça.

      Eliminar
    21. Anónimo28 abril, 2015 23:05

      Ela esta tem cuidado com a alimentação para ser saudavel(e pelos vistos esta a acontecer), não para ser magra.
      Pode nao acreditar , mas são coisas diferentes.
      Nem todas as dietas são para perder peso.

      Eliminar
  8. Confesso que estou um bocadinho farta desta guerra gordas versus magras. Parece que as mulheres se dividem entre Popotas, Olívias Palito e o “corpo/beleza real” da Dove (ainda estou para perceber este último conceito?!).
    Se eu estivesse à espera que a minha anca fosse igual à da modelo (tinha que remover ossos) ou a minhas mamas estivessem a olhar para o sítio certo para usar um bikini … nunca tinha posto os meus pezinhos numa praia. Portanto, mudo o que posso mudar, tapo o que não gosto, mostro o que gosto, uso um bikini que me favoreça e … vamos a la playa oh o-o-o-oh!!!

    ResponderEliminar
  9. Não concordo. Esta padronização, esta ditadura (que não é só ditadura da magreza, é acima de tudo para ter um certo tipo de corpo, tonificado, sem celulite, etc) é tão violenta para as mulheres que faz com que alguém como eu - que nem sequer tenho 50kg - não se sinta bem a ir à praia de bikini porque não tem a barriga lisa conforme os ditames sociais.

    Deve-se sim combater estas ideias de que um corpo de bikini é um certo tipo de corpo, e orgulha-me muito quem se insurge publicamente.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A verdade é que a maior parte das pessoas que é obesa não é saudável. Mas daí a achar-se que um corpo de praia é o corpo daquela mulher. Cada pessoa tem que se sentir bem como é. A publicidade de hoje em dia é violenta para com as mulheres (e homens). Temos que ter pernas magras, temos que ter barriga lisa e tonificada, temos que ter isto e aquilo. Eu peso 47 kg e tenho 27 anos e sempre que chega o verão sinto-me mal pq não tenho a barriga lisa. Não sou gorda, nem perto, mas tenho barriga e pernas flácidas (falta de tp para fazer exercício). Uso biquini na mesma e estou-me nas tintas. Mas que quando chega esta altura me começo a sentir complexada começo.

      Eliminar
    2. Não, essa ditadura que fala existe, sim, mas não é ela que a faz sentir mal para ir à praia de bikini. O que a faz sentir mal é você, os seus pensamentos, a sua auto-confiança. Eu não tenho aquele corpo da modelo e tenho barriga, sim senhor. Eu vou à praia de bikini porque não me interesso minimamente com o que a sociedade pensa que EU devo ser. Sou como quero e acabou.

      Não podemos culpar a sociedade por tudo. Temos de pensar, também, que no fim do dia, quem toma as decisões somos nós. E somos nós que escolhemos o que ouvir e em que acreditar.

      Eliminar
    3. Bem, isto está bonito. As mulheres são alvo de todo o tipo de fiscalização (do corpo e não só), e depois a culpa ainda é delas porque não escolheram o que ouviram. É claro que idealmente é assim, mas acha que, por exemplo, as raparigas que são anoréxicas ou bulímicas têm culpa da doença? Sabe que essas doenças são historicamente recentes e que são fruto da pressão que a sociedade exerce sobre as raparigas? Temos que ter cuidado com a leveza com que dizemos as coisas... somos todos fruto da sociedade, mas só alguns o conseguem ver claramente.

      Eliminar
    4. Concordo com "a miúda". Tenho 27 anos, nunca tive excesso de peso, mas também nunca fui magra. Na idade adulta já pesei desde 52kg a 62kg mas, como sou alta, não se nota assim tanto a diferença dentro desse intervalo. Se fizer exercício e comer bem, baixo logo de peso, se não fizer ambas as coisas, aumento logo, pelo que tenho oscilado sempre nos últimos 10 anos. Mas, durante esse tempo e com essas oscilações, sempre me senti bem comigo mesma. Sempre fui à praia de bikini. Nunca liguei a produtos milagrosos, dietas, cremes... sempre fiz o que me pareceu melhor A MIM e PARA MIM. Sempre tive auto-estima em relação ao meu corpo e a outros aspectos da minha vida. Por isso, concordo que quem se deixa influenciar, sentir mal, abalar, etc por essa suposta ditadura da moda, da beleza, das dietas é quem tem uma auto-estima baixa (e quem tenha companhias do mesmo género, porque dos meus amigos, namorado e família ninguém é nenhum modelo e vamos todos à praia como queremos, vestimo-nos como nos apetece e ninguém está a apontar nada disso uns aos outros).

      Eliminar
    5. A anorexia e a bulimia são distúrbios alimentares desencadeados por mil e uma razões, mais as que não se conhecem! Ninguém culpa a doença de ninguém e não pode fazer comparações com mulheres saudáveis, porque essas, sim, teem obrigação de tomar decisões sobre si mesmas e sobre o seu corpo. Teem que fazer mil e uma opções durante o que lhes acontece num só dia. Viver também não é fácil, mas há que levantar a cabeça orgulhosamente e seguir em frente! As mulheres que a ferro e fogo nos deixaram este património de liberdade merecem que assim seja!

      Eliminar
    6. A publicidade sempre foi assim. Ponto. O objetivo é VENDER. Não é educar a sociedade.

      Eliminar
  10. As pessoas com excesso de peso, apesar de dizerem que gostam do corpo que têm, sentiram uma facada na sua auto estima..
    Se elas realmente estivessem feliz com o seu corpo nem iriam reparar no anúncio..
    E nem vale a pena chatear porque isso só faz rugas

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A questão é que se sentiram a sua auto-estima diminuída foi por causa desta pressão social. E não sejamos hipócritas - não se trata de excesso de peso, não se trata só de pessoas obesas e com problemas de saúde, trata-se da grande maioria das mulheres que, não sendo gordas, não tem um corpo dentro do padrão, aquele que a imagem exemplifica. Quantas mulheres têm esse corpo? As que não o têm, as que apesar de terem um peso normal não têm esse corpo perfeito devem sentir-se mal por isso? Não me parece. Se sentem, é obra da sociedade.

      Eliminar
    2. Concordo. Não se trata apenas de peso, mas sim de um estereotipo de corpo que não se atingi apenas com uma vida saudável.

      Eliminar
    3. Eu não tenho o corpo da imagem, mas também na sou gordo, estou bem. Gostava de ter o corpo da imagem, mas no tenho e não me senti mal em ver e sabe porque anónimo das 21:06? Porque me sinto realmente bem com o meu corpo! Por isso não venham com tretas, as pessoas que dizem que se sentem bem com o corpo gordo que têm, na realidade não sentem. Já agora aproveito, uma vez que muitas pessoas atiram pedras à pipoca por ser "demasiado fit" para referir que acho fantástico que haja incentivos em tudo o que é sítio a vida saudável, para as pessoas se sentiram motivadas a tirar o rabo do sofá.

      Eliminar
    4. Anónimo das 22:23, eu fiz o comentário das 21:06, e desculpe mas não me compreendeu. Eu não falei das pessoas gordas, falei da grande maioria das mulheres, aquelas que, não sendo gordas, não têm o corpo da imagem. Fico contente por se sentir bem com o seu corpo, mas não acha que há algo de tremendamente errado quando mulheres com menos de 50kg, como falam nuns comentários mais acima, se sentem complexadas porque não têm a barriga lisa? Não está nada de mal com o corpo delas, e não se sentirem bem não é uma confirmação de que têm o "corpo errado". Quem está errada é a sociedade com a sua mania da padronização dos corpos.

      Eliminar
    5. O anuncio diz que só as pessoas que têm aquele corpo estao autorizadas a ir á praia de biquini.
      As outras mulheres não têm essa permissão.

      Isso é uma facada para todas nós mulheres, gordas, magras, altas, baixas, roxas ou amarelas.

      Eliminar
  11. Concordo plenamente!
    Cris

    www.lima-limao.pt

    ResponderEliminar
  12. Não deixa de ser engraçado como as pessoas defendem sucessivamente estas padronizações da mulher - ora é dizer que é um nojo não depilar as axilas (mas só é um nojo quando as mulheres não depilam, os homens não precisam), ora que temos ter calma com o feminismo quando uma marca assume que são as mulheres a lavar a roupa, ora quando se aceita a padronização do corpo feminino - mas depois não conseguem fazer a ligação e perceber o que todas estas coisas "insignificantes" (palavras da Ana) significam. Se calhar ler um livrinho chamado A Dominação Masculina e perceber como os dominados são os maiores cúmplices dos dominantes.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Bravo! Finalmente alguém com bom senso.

      Eliminar
    2. Tão, mas tão de acordo com este comentário.

      Eliminar
    3. Grande Bourdieu :D

      Eliminar
  13. Pergunta que não tem nada a ver: o que é que têm os alunos do liceu francês? Nunca percebi as piadas, iluminem uma pessoa!!

    ResponderEliminar
  14. Ana, concordo com tudo o que dizes, mas (como leitora assídua de há muitos anos e que raramente comenta) deixa-me acrescentar só uma ou duas coisas.

    As pessoas não são gordas apenas por comerem mal e em excesso ou por falta de exercício. Não é o meu caso (que, infelizmente, sou magra que nem um palito), mas tenho pelo menos um caso na família próxima e dois de pessoas amigas que são gordas por outros motivos.

    1º genética - fazem desporto que se farta, comem bem e de forma saudável e não emagrecem.

    2º doença - medicamentos para a epilepsia e/ou depressão tendem a "encher"a pessoa e perder esse peso ou inchaço, como muita gente diz, simplesmente não acontece. Em dois destes casos, as pessoas são inclusive acompanhadas por nutricionista, fazem mesmo MUITO exercício e continuam gordinhas.

    Quanto ao resto, concordo em absoluto. As pessoas têm sempre de reclamar, se não é por não terem cão, é por não terem gato. Provavelmente, se fosse uma gordinha no anúncio ainda seria pior - mas já viram, colocarem uma gorda no anúncio?! Assim, é uma magra, pronto! Também dá motivo para revolução.

    É mesmo como dizes - a pessoa tem é de se sentir bem e seguir em frente. Infelizmente, somos socialmente educados a reparar em coisas fúteis como celulite e gordurinhas a mais, quando deveríamos reparar em coisas bem mais importantes e que tornam as pessoas realmente bonitas.

    Beijinhos, continuação de boa escrita, boas corridas e tudo de bom para ti e para a tua família! ;)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sofia, pode definir "comem bem e super saudável"? É qye secalhar na sua boa intenção acham que estão a comer super saudável e não estão ...Abraço , Sofia Costa

      Eliminar
  15. Hã, hã Pipoca...

    Entendo tudo muito bem....mas digamos que há aqui um pouco de contradição!
    Se por um lado, cada um é como é e usa o que quer e bem entende e "toda" a gente respeita (o mundo está repleto de humildade, de facto...), por outro os gordos só são gordos "quase sempre" por dois motivos.............


    Beijinho irónico***

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Então? Tirando doenças (que eu referi), falta de exercício e má alimentação, quais são as outras grandes causas para a obesidade?

      Eliminar
    2. Ossos grandes!

      Eliminar
    3. Pesquise Perturbação de Ingestão Compulsiva (Binge Eating Disorder) e alimentação emocional.

      Eliminar
    4. Só as "doenças" são muitas, muitas causas... não vale a pena partir do princípio que a pessoa é uma couch potato que só enfarda e mais nada.

      e já ouvi várias vezes de professores meus (eu que sou aluna de Medicina) dizer que o excesso de peso (não a obesidade) até poderá ter um efeito protetor, ou que um IMC ligeiramente abaixo do "normal" é bem mais perigoso do que um ligeiramente acima. https://protonsforbreakfast.files.wordpress.com/2012/06/bmi-mortality.jpeg?w=450&h=351
      Na brincadeira, hoje até um professor me disse que devia criar uma "Sociedade protetora dos Obesos", visto que em caso de fome extrema mundial, eles, com o seu "metabolismo muito próprio", eram os que resistiriam e poderiam perpetuar a espécie humana! :P

      Fazem muito bem em fazer exercício e em comer bem, são a melhor medicina preventiva que há. Mas nunca se esqueçam que o exagero, como em tudo, faz mal. E que, para ser "saudável", não é preciso conseguir correr a Maratona...

      Eliminar
    5. Problemas de genetica ( que só por sim influenciam bastante)

      Eliminar
    6. Bem, primeiro não tem que ser necessariamente falta de exercício e má alimentacao. Nalguns casos, aliás na maioria dos casos, basta uma das situações para levar à obesidade. Em segundo há várias predisposições na expressão génica que não sendo entidades patológicas conduzem a uma doença que é a obesidade, Estou a falar por exemplo na expressão de hormonas estimuladoras do apetite que ficou provado pela comunidade científica estarem brutalmente aumentadas em pessoas obesas... Há muitos estudos publicados em revistas internacionais de renome na área médica e na área da nutrição sobre estas situações. Aliás há já alguns estudos a decorrer que visam procurar uma solução farmacologica para a obesidade cuja patofisiologia assenta nestas alterações geneticas/moleculares.

      Eliminar
    7. Predisposição hereditária

      Eliminar
    8. Uma pessoa que tem o corpo da Pipoca e nunca se considera suficientemente magra, tonificada ou perfeita, tem necessariamente uma doença de comportamento alimentar e uma imagem de si própria muito distorcida...

      Eliminar
    9. A Ana Oliveira pela primeira vez falou bem "Estou a falar por exemplo na expressão de hormonas estimuladoras do apetite que ficou provado pela comunidade científica estarem brutalmente aumentadas em pessoas obesas".
      Deixe-me que lhe diga que ter apetite para comer não é desculpa! Têm fome? Que comam uma maça, um tomate, uma salada... em vez de irem ao Mac comer Big Mac's! A comida saudável também mata a fome.

      Eliminar
    10. Nossa Senhora da Procrastinação eu também sou estudante de medicina, mas nunca tive uma aula que me dissessem que o excesso de peso poderia ser protector.. (Se calhar faltei a essa aula). Assim de repente nao vejo onde está a proteção.. (a n ser que estejamos a falar da camada de gordura que protege contra o frio). O que eu falei muito mais foi da gordura na parte abdominal, que é um grande fator de risco de doenças cardiovasculares, que o excesso de peso provoca sobrecarga nas articulações, levando a problemas osteoarticulares e a gordura por si só induz um estado pró-inflamatório que leva a problemas como doenças auto-imunes e aterosclerose.. Mas tou (mesmo) curiosa, pode dar exemplos em que o excesso de peso é protetor?

      Eliminar
    11. Ena pá Joana Sousa, a voz da sabedoria. Descobriu o ouro! Porque será que as pessoas realmente não comem maçãs em vez de mcdonalds? Realmente não faço ideia, por favor eduque-nos!

      Eliminar
    12. Existem inúmeras causas de obesidade, contudo as mais frequentes são a má alimentação e o sedentarismo. Existem doenças que também causam obesidade, mas não são as principais causas. Em Portugal 32% das crianças têm excesso de peso e 24% da população adulta também. Está mais que comprovado que o estilo de vida está relacionado com o excesso de peso. É só ver todos os estudos feitos sobre obesidade. E sim, estudos científicos devidamente comprovados, tanto que a OMS e a DGS se apoiam neles para lançar directivas.

      Eliminar
    13. Eu não disse que não referiu doenças, Pipoca...falei em contradição e o conteúdo de grande parte dos comentários dos leitores comprovam-lhe isso.....

      Eliminar
    14. Sofia f eu tb sou aluna de medicina. Estudo na ECS UM.. A nutrição é-nos lecionada por um nutricionista da faculdade de nutrição do Porto que nos apresenta uma pluralidade de estudos que comprovam eu uma vez estabelecida uma patologia ( neoplasia, pos-EAM, diabetes insulina dependentes...) aqueles que têm maior sobrevinda sãos os que têm imc correpondentes a escasso de peso. O D tb nos mostrou um artigo que mostrava que a generalidade dos obesos como tinha maior facilidade em engordar ( pq mtos são metabolizadores lentos) acabam por estar mais atentos ao que comem e fazer controlos analíticos mais apertados pelo que doenças tipo dislipidemias e diabtes tipicamente associadas ao excesso de peso acabam por se verificar numa escala desproporcionadamnte alta nos que tem IMC normal.
      Na bioquímica tb nós é dito que o pico de massa óssea e tanto maior se o IMC se situar entre o limite sup do normal e o excesso de peso.

      Eliminar
    15. Sofia F.

      Olhe que sim, Sofia, tambem já ouvi de estudos que falavam sobre vantagens do escesso de peso , mas não se referiam a obesos referiam-se a pessoas com excesso de peso, os chamados gordinhos.
      Tem menos doenças no geral, inclusive têm menos incidencia de parkinson, o que é fascinante, este é um estudo bastante interessante em que o excesso de peso é protetor, pesquise, vai-lhe abrir os horizontes sobre o papel da gordura no corpo humano.

      Eliminar
  16. É fácil falar quando se diz ''O que é que interessa o que os outros pensam?'', toda a gente dá esse conselho. Mas não é bem assim, as pessoas não têm um botão liga/desliga para ouvirem só as conversas/opiniões que lhes agradam... Custa quando somos discriminados por razões que nos fogem ao controlo. Quando parece que somos castigados só por termos nascido, e nem se trata apenas de peso.
    Eu tenho peito pequeno, aos 23 anos. Podia não me ralar, mas quando leio que já foram realizados MILHÕES de implantes mamários em todo o mundo, dá-me uma tristeza que eu não consigo controlar só de pensar que há pessoas que preferem arriscar a vida, podendo morrer na cama de operações só porque, pelos vistos, os homens preferem peitos maiores. Sujeitam-se a doses de anestesia e, no pós-operatório, tomam analgésicos e antibióticos, e tudo isto sem necessidade, só porque não querem ser comparadas a miúdas de 12 anos, porque pelos vistos ter as nossas mamas definem-nos como mulheres e só o somos com peitos grandes.
    Se calhar, devíamos viver independentes da opinião dos outros. Mas se é tão fácil fazê-lo então porque é que milhoões arriscam as suas vidas por um peito maior ou um rabo maior, como aquela ''modelo'' de bumbuns no Brasil? Porque é que existem distúrbios alimentares que afectam outros milhões? Porque infelizmente só existe um padrão de beleza, um tipo de mulher que nunca é criticada. Ela tem de ser loura de olhos claros (porque as louras é que são boas e valha-nos Deus ter olhos castanhos que só os claros é que são elogiados), bronzeada porque pelos vistos ser pálida é feio, tem de ser alta, tem de ser magra mas curiosamente ter gordura no rabo e peito, mas NUNCA celulite...
    Quando a sociedade TODA em geral deixar esta obsessão por estas características e percebermos todos que conseguimos ser felizes e viver vidas bem-sucedidas mesmo sendo morenas baixas de olhos castanhos com ancas, celulite e sem peito ou com uma qualquer outra combinação então acabará este movimento com estes padrões de beleza irreais...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A mania das mamas grandes nunca percebi. Tenho a tua idade, o peito pequeno, e sempre adorei e achei elegante. E se parece ser o consenso social que as mamas grandes são melhores, a verdade é que nunca ouvi isso de pessoas individuais, seja amigas ou namorados. Ninguém deveria fazer nada para agradar aos outros (quanto mais uma cirurgia), mas se isso é realmente importante não se esqueçam que os homens gostam de mamas, não lhes interessa muito o tamanho :)

      Já em relação ao bronze, à cor do cabelo e dos olhos, também não acho que seja assim tão rígido. E atenção, fui uma das que comentou a violência da padronização que é imposta às mulheres, só acho que felizmente o alcance da mesma não é tanto que só olhos azuis, cabelos louros e mamas grandes sejam considerados bonitos.

      Eliminar
    2. totalmente de acordo!

      mas sou loira e tenho olhos claros :p já que nao sou magra pronto :p (estou a brincar, nao me levem a mal!)

      Eliminar
    3. Não pense assim que está errada Anónimo! Tenho olhos castanhos e peito de tamanho médio. Acho os olhos castanhos muito mais bonitos que olhos claros, nunca trocaria os meus olhos por olhos azuis ou verdes. Estou satisfeita com o meu tamanho de soutien mas se tivesse de optar entre ter mamas grandes ou pequenas, não tenha dúvida que preferia pequenas pois são muito mais elegantes. Há gostos para tudo e grande parte destas "ditaduras" são as próprias mulheres que as fazem.

      Eliminar
    4. Anónimo das 05:05, deixe-me só rebolar aqui um bocadinho. Acho ótimo que considere os seus olhos bonitos, agora não venha cá dizer que olhos castanhos (regra geral) são mais bonitos que azuis ou verdes. E olhe que eu também tenho olhos castanhos... mas olhos claros são mais bonitos (regra geral). E em relação às mamas, deixe-me voltar a rebolar. Uma coisa é ter uns melões, outra coisa é ter um peito aceitável, tipo o da Ana PMD. Peito pequeno de miúda de 12 anos não é elegante e não assenta bem na maioria das roupas. Mas deixe-me, novamente, dizer-lhe que ainda bem que se sente bem assim.

      Eliminar
    5. Tenho 27 anos, o peito pequeno e jamais faria uma cirurgia para o aumentar. Adoro o meu peito, é pequeno, mas perfeitinho e está "sempre no sítio". Acho que um peito grande é mais difícil de "manter" com bom aspecto e mais desconfortável numa série de situações. Não trocava o meu por outro, apesar de saber que muitas mulheres na mesma situação se sentiriam desconfortáveis e o aumentariam :) quanto a isso "dos homens", isso é relativo... um homem que tenhas como namorado/marido vai gostar do "whole package" e daquilo que saibas fazer com ele e isso não se pode definir de forma objectiva como ter de ser um peito ou um rabo grande.

      Eliminar
    6. Por acaso uma das Mulheres que mais acho bonita é a Camila Pitanga e ela é morena e de peito bem pequeno. Eu adoro... Também sou morena e com peito pequeno, embora agora grávida ele esteja maior, mas gosto dele na mesma. Faço desporto porque gosto muito de jogar futsal etc e gostava de gostar mais de verduras... enfim!! Sou feliz...

      Eliminar
    7. Tenho cabelo escuro, olhos escuros e pele clara. Há quem não goste? Deve haver ( a minha cunhada diz que a Irina é feia...), mas neste trinta e tal anos não tenho tinha razões de queixa... pelo contrário.....lol

      Eliminar
    8. Tenho olhos castanhos e mamas pequenas e nunca me faltaram pertendentes! Aliás, sou a maior fã do estilo latino, adoro homens morenos, com olhos escuros e com sinais e narizes bem delineados, mas casei apaixonadíssima com um típico sueco! O amor não é só o que os olhos vêm e os olhos dos apaixonados são míopes.

      Eliminar
    9. Anónimo das 09:24 eu rebolo-me é perante a sua estupidez. Acho efetivamente olhos castanhos muito mais charmosos e bonitos que olhos claros, nunca trocaria nem usaria lentes e nunca me senti atraída fisicamente por um homem de olhos claros. Temos todas de gostar do amarelo? E relativamente às mamas, se ler bem o que eu escrevi, digo que o tamanho médio é o ideal obviamente mas que entre umas mamas muito grandes e umas mamas muito pequenas, escolhia - mas é que sem dúvida alguma - mamas muito pequenas!!

      Eliminar
    10. Para a anonima das 09:24 a sua ignorância deixa-me perplexa... Olhos castanhos são tão bonitos quanto os olhos claros. E quer se tenham "melões " ou um peito pequenino TODOS os peitos são aceitáveis... Já dizia o Albert EInstein "Há duas coisas infintas, o Universo e a estupidez humana, e não tenho a certeza em relação ao último" santa idiotce, Deus nos dê paciência para aturar isto...

      Eliminar
    11. A obesidade é um problema de saúde, ao contrário de ter peito pequeno (já o grande também pode causar dores de costas e alterações posturais). Não é uma questão de ser bonita ou feia, trata se de uma questão de saúde.

      Eliminar
    12. Pois eu uso copa E, odeio o meu peito e é raríssimo encontrar um vestido que fique decente. Tambem a oferta de sutiens é extremamente rarificada, e sao muito mais caros.
      Se tivesse escolha, diminuia pelo menos um tamanho de copa.

      Mas claro, eu sou so eu.

      Eliminar
    13. Santa paciencia para estes atritos sobre o tamanho das mamas.

      Eliminar
  17. A propósito do fitness e das corridas...eu estou a adorar essa moda.
    Ha uns anos , o meu marido cirurgião ortopedista operava os seniores de joelhos desgastadinhos e colunas cansadinhas... hoje tem um publico muito vasto (vejo esta gente toda a correr e imagino o dinheiro a cair na conta:)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Até as lesões são fashion.

      Eliminar
    2. Este comentário é de muito mau gosto...

      Eliminar
    3. Tão verdade! :) o meu irmão que também é cirurgião ortopedista diz o mesmo!

      Eliminar
    4. Coluna cansadinha é mais para neurocirurgiao, não?

      Eliminar
    5. Ahahah embora não partilhe o ponto de vista o seu comentário fez-me rir :)

      Eliminar
    6. Se o seu marido é médico ... Fica lhe muito mal e desilegante dizer tal disparate. Ah,.,, e deve ser gorda também .

      Eliminar
    7. Isto está bom para os ortopedistas, haja Deus!

      Eliminar
    8. ahaha amei o comentario :D

      Eliminar
    9. Uma pessoa que se congratula com a hipotética necessidade de operações por parte dos outros é mesmo muito triste.
      Tenho pena de si, da sua família e de todos os que têm de privar consigo, por pessoas com esse tipo de mentalidade realmente não fazem falta.
      Envergonhe-se sim?
      Ah, e se precisar de umas dicas para conseguir dar umas corridinhas diga, eu indico-lhe uns bons sites, já que falar consigo não, de todo... é que com essa inveja toda, pode arranjar motivação para se começar a mexer um pouquinho ;)

      Eliminar
    10. Compreendo o que a Anónima das 22:49 quis dizer. No fundo, a coisa das corridas agora está tão in que as pessoas que o fazem nem se preocupam em saber como o fazer da melhor forma (sim, porque isto não é só saír para a rua começar a correr) nem se é o tipo de desporto adequado para si. É como o gin e o hambúrger. Quem não bebe gin nem vai a restaurantes comer hamburgueres está out! Isto para dizer que, mesmo que correr se tenha torando uma moda (acho que é inegável) e apesar de ser um óptimo desporto, a verdade é que as pessoas não se podem esquecer que nem todos os desportos são adequados para toda a gente, há que parar para pensar primeiro e só depois aderir.

      Eliminar
    11. O seu marido só operava seniores??' Então não deve ser grande coisa, porque eu que tenho uma família cheia de rapazes, muito amigos e colegas homens sempre vi homens jovens a ser operados aos joelhos por causa do futebol (principalmente de salão). Claro que a maioria era operada por bons médicos em clínicas privadas...

      Eliminar
    12. Sim, sim sou muuito gorda :) e desIlegante tb...Se as pessoas se exercitassem com juízo e com ajuda de profissionais. Mas o que as pessoas fazem é comprar as roupas e os ténis mais fashion e para estar fashion...Estão a antecipar umas geração de cirurgias...

      Eliminar
  18. Ena pá, a Leididi! Ja foi o meu blog preferido, devorei-o de uma ponta à outra quando o encontrei. Mas por alguma razão, acabei por me fartar do constante negativismo, das constantes queixas sobre isto e sobre aquilo e esse post é so mais uma prova...

    Concordo absolutamente com tudo o resto!!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É triste, mas concordo em absoluto com o seu comentário. Pode ser que seja só uma fase má, mais depressiva, mais revoltada, mais desiludida com a vida, e que passe. Gostava realmente de ler o blog dela e espero sinceramente que seja (ou volte a ser) feliz.

      Eliminar
  19. Eu em Maio/14 pesava 87kg, toda a gente me criticava, olhava de lado. "Ah e tal estás gordinha! Tens de parar de comer!". As pessoas eram tão más que me fizeram odiar o meu próprio corpo! Decidi mudar as coisas e fazer uma reeducação alimentar, sinceramente por mim mas também para demonstrar aos outros do que era capaz. Fui perdendo peso, a anca desapareceu, o bum bum ficou muito menor, os peitos tb dominuiram imenso e a barriga nem se fala, desapareceu. Em Fevereiro deste ano cheguei ao meu peso ideal - 62kg. Os comentários que recebo agora? "Estás tão magra! Cadavérica! Pareces doente!" Ou seja.. os outros, aqueles que não interessam, terão sempre criticas a fazer! Irrita, mas temos de mostrar que a nossa auto-estima é o mais importante.. e achem-me doente, o que quiserem.. mas eu sou saudavel e feliz!!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Boa noite, Que reeducação alimentar fez?

      Eliminar
    2. a mim aconteceu-me a mesma coisa....... o que me deixava de rastos, pois até tive um grupo de vizinhas que pensavam que tinha uma doença oncologica.......
      foi a vida toda gorda, nunca me viram magra, é um choque muito grande....
      Agora já está tudo habituado :)
      é uma maravilha conseguir vestir roupa bonita, andar de saias sem ficar com o interior das pernas em sangue, conseguir andar bem, correr bem

      parabens

      Eliminar
    3. Cara anónima das 23:08, comigo passou-se o mesmo. Quando estava gordinha criticavam-me, emagreci foi a mesma coisa " Ah, estás a ficar com uma cara mais enrugada, etc etc. " Já não tenho paciência, e daqui em diante vou ser dura e não vou admitir mais criticas, antes de me criticarem vejam-se primeiro ao espelho, e só se for a Gisele ou outra giraça como ela é que eu admito criticas! Mas como a Gisele vive tão longe de mim, não vou ouvi-la certamente...

      Eliminar
    4. Sou a anónima que fez o 1o comentário, obrigada pelas palavras e por se identificarem comigo! :) Eu não segui dieta nenhuma em especifico, fui apanhando aqui e ali dicas de comida saudável e nutrição e optei por fazer daqueles planos de exercicio em casa, como nao tenho € pra ir ao ginásio (o youtube tem videos otimos!). Em casa todos riram de mim quando comecem, agora orgulham-se! Eu ainda tou na fase que nem sei bem o meu tamanho, depende muito dos modelos/marcas, mas é taaaaoooo bom vestir um 36 ou uma camisola S! A-doro! Tivesse eu possibilidades e tinha um roupeiro todo novo ahahaha beijinhos! :)

      Eliminar
  20. Discutir magreza vs gordura, ou caro vs barato é como discutir o sexo dos anjos. Cada um com a sua e deus com todas... A miúda do anúncio até pode pesar 150 kg que alguém que trabalhe bem com photoshop a põe assim, numa boazona de fazer parar o trânsito ou o metro. Todos os dias nas revistas e em blogs somos inundados com fotos trabalhadas, de mulheres irreais. Eu já tenho 32 anos e segurança suficiente em mim para não me deixar abalar com isso. Mas vejo a minha sobrinha que já com 15 anos, passa a vida com a porcaria da neura do peso. "Estou tão gorda blá blá blá. O pior é que me custa vê-la tão gira, alta e esbelta a sofrer com estas porcarias, porque ainda não tem maturidade para perceber o que é real do que é fictício e não percebe que um peso saudável leva tempo, e requer uma mudança de estilo devida, para sempre e não durante alguns meses. O que já enjoa é esta onda do saudável, suminhos detox para aqui, sementes disto e daquilo para ali, agora descobriram que o açúcar é veneno e deus nos livre ( a sério., achavam que era o quê????) e vamos todas carneirinhas passar 21 dias sem açúcar. Cada um tem legitimidade de optar pelo estilo de vida que quiser, se for adulto e consciente, pois será essa pessoa que terá as consequências positivas ou negativas do mesmo. No seu caso pipoca, agora que se entregou de corpo e alma à vida fit ficou uma chata, sempre a falar de corridas e reshapes e aulas com PTs e sei lá mais o quê. Uma coisa é querer motivar a malta outra é catequizar. Acredite, ninguém está assim tão interessado nas selfies de cara suada com os kms que cada um correu hoje. Mas eu entendo, todos precisam de festas no ego. E que se acuse a primeira que não posta fotos para virem um chorrilho de comentários do tipo: "linda, linda, linda", "estás um arraso".
    Outro é o caso da Catarina Beato. Adorava a escrita dela, e ainda simpatizo muito com a mesma mesmo sem a conhecer. Achei fantástica a perda de peso dela e o livro em que descreve o processo e fala da alimentação emocional está excelente. Mas lá está tudo o que é demais enjoa, e agora quer catequizar o mundo com papas de aveia e treinos tabata...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O seu comentário fez-me pensar... Tanta coisa contra as fundamentalistas e a Pipoca tornou-se numa espécie de fundamentalista deste seu novo estilo de vida. Não digo que seja incorrecto, mas dá que pensar.

      Eliminar
    2. Belo resumo daquilo que eu penso agora sobre dois blogs que adorava...

      Eliminar
    3. Tenho que lhe tirar o chapéu........o seu comentário é mesmo muito bom, concordo com tudo e do alto dos meus 36 anos posso dizer que tenho roupa com 15 anos que me serve perfeitamente, já tive um filho, sim tenho alguma gordura localizada, visto 36/38 e realmente acho-me uma mulher normal e atraente e podem continuar lá com a história da saúde, do fit, do detox etc e tal, que eu pretendo continuar com a minha vida normalíssima, faço caminhadas e zumba quando me dá na real gana, tenho o colesterol(mau) a 130 e a glicose 79....muito simples como normalmente, como diz a minha mãe....comida de gente......

      Eliminar
    4. Escreveu o que penso. Obrigada :)

      Eliminar
    5. Concordo tanto com este comentário! também dava a minha voltinha diária por estes blogs e de facto estão uma chatice de monotemáticos e todos iguais! ah, convém mencionar que tenho cuidado com a alimentação, faço exercício (algum pelo menos) e até massagens para tentar, sem obsessões, sentir-me bem comigo própria.

      Eliminar
    6. Quando diz "ninguém está assim tão interessado" fale por si. Eu adoro acompanhar a pipoca e acho fantástico que ela tenha optado por este estilo de vida. Aliás, nem eu nem ninguém tem nada que "achar", a pipoca faz o que quer e bem lhe apetece e se o anônimo não quer ver as selfies de cara suada com kms que correu, tem muito bom remédio, faça "unfollow" ;)

      Eliminar
    7. Pois é, fale por si, eu gosto muito deste estilo de vida fit, já o tenho há muitos anos. Sempre gostei muito de ler este blog, mas não me identificava com a Pipoca preguiçosa! Agora gosto mais!

      Eliminar
    8. Bii respire e relaxe. Compreendo que se sinta incomodado por eu ter tecido algumas críticas à Pipoca de quem gosta mas vamos lá trabalhar a nossa capacidade de encaixe: 1º O "ninguém" é uma força de expressão, é claro que muitas pessoas gostam, eu apenas referi que esse não era o meu caso; 2º Não me viu escrever no comentário que achava mal a Pipoca ter optado por um estilo de vida mais saudável, apenas falei em exageros e dei o meu feedback acerca dos conteúdos, como leitora assídua que sou; 3º Também não me viu com toda a certeza escrever que a Pipoca tenha de pautar as suas escolhas de vida pelo que os outros "acham". Era só o que faltava! Mas "achar" (de forma civilizada) podemos todos ou não? E obrigada pelo conselho mas sim, já tinha uma ideia de que quando não gostamos o remédio é deixar de seguir esse blog, acho que já uma ou duas pessoas usaram esse argumento por aqui. Já agora o meu nome é Inês e não anónima. Felicidades para si

      Eliminar
    9. Saúde a mais? Isso não existe. Felizmente há cada vez mais pessoas a preocuparem se com a sua saúde. Esperemos que daqui a duas gerações o panorama nacional mude.

      Eliminar
  21. Mas os produtos de emagrecimento não são só para gordas. Vejam -se os anúncios na TV, em que mulheres com peso normal, mas que não vestem o 32, aparecem com ar infeliz porque há um pneu que salta dos seus jeans 40.
    Olhamos para o espelho e queremos esculpir-nos. Porque aspiramos a um tipo de corpo, como o das modelos, mas que é utópico para a maioria das mulheres. Afinal, qual é a tua principal motivação para o exercício? É estares saudável ou ter um corpo o mais próximo possível da imagem que ilustra este post?

    ResponderEliminar
  22. Não podia estar mais de acordo.

    blogdamariafrancisca.blogspot.pt

    ResponderEliminar
  23. Oh que caraças, que esta gente indigna-se por tudo e por nada. Eu faço parte do clube das gordas! Se estou a tentar mudar? Sim, estou. Por querer ser mais saudável. Não me preocupa muito as xixinhas a mais... aliás, eu seria daquelas pessoas que nem iria reparar na senhora magra do anúncio. Enfim, querem insurgir-se por tudo e mais alguma coisa e acabam por cair no ridículo.

    ResponderEliminar
  24. Eu acho que o grande problema não foi o anúncio.. Publicidade típica, ok, toda a gente torce o nariz pelos motivos já enumerados nos comentários mas, lá está, é o típico. O problema foram as respostas e provocações da empresa depois disto começar..muito mal gerido..
    Maria M.

    ResponderEliminar
  25. Sem tirar nem pôr Ana. As magras também sofrem com comentários todos os dias do género: "Come "filha", come. Tens cara de fome. Tens falta é de comer", "estás tããããoo magra", "de frente parece q estás de lado, e de lado nem te vejo", "não precisas de sombrinha porque até passas entre a chuva",...
    Mas disto ninguém fala. Gozam e enxuvalham as magras para se defenderem da gordura q têm por não se privarem de nada (o que acontece a maior parte das vezes). Cada um tem o corpo que tem e ninguém tem nada a ver com isso e muito menos fazer comentários.

    ResponderEliminar
  26. Precisamente! O excesso de peso e a obesidade correspondem a uma sobrecarga osteo-articular brutal! Inquestionável!
    Mas a corrida também se afasta largamente de uma prática de vida saudável!

    ResponderEliminar
  27. hmmm, nao acho que o problema do anuncio seja usarem uma modelo magra , mas sim dizerem que "estar pronto para a praia" quer dizer parecer-se com a modelo.

    Ja o meu namorado me diz ha muito tempo "estares pronta para a praia? Basta vestir o bikini, esta' claro!"

    ResponderEliminar
  28. O meu marido é médico psiquiatra e eu também imagino o dinheiro a cair na conta quando leio certos comentários.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ahahah, boa resposta!

      Eliminar
    2. Não há por aí um marido médico para eu me encostar também?

      Eliminar
    3. O melhor comentário de todos!

      Eliminar
    4. Nem mais cara anónima, eu sou interna de Psiquiatria e já me imagino milionária daqui a uns anos :D

      Eliminar
  29. O problema não é só a magreza! Podiam muito bem ter posto uma mulher magra mas "normal", isto é, "não boazona". Não é que tenha inveja (quer dizer, claro que tenho, mas good for her, ainda bem que há pessoas assim) mas esta imagem está cheia de estereótipos de beleza: o peito, a anca, a cintura, as pernas finas...
    Posso ser magra e saudável e nunca vou ter o tipo de beleza considerado ideal. O problema é que nunca se vê uma modelo magra sem peito ou com anca larga, é sempre a mesma coisinha. Estar constantemente a ser bombardeada com estas imagens não traz nada de bom para a auto estima de uma pessoa.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A Giselle Bundschen não é mamalhuda e fartou-se de desfilar em lingerie e em roupa de praia! Há pessoas visualmente mais apelativas do que outras esta é a verdade! Há pessoas que nem sequer sonham o quanto são bonitas, não teem essa consciência, e como qualquer outra mulher também alimentam inseguranças de serem baixas ou gordas ou não terem o cabelo liso ou terem os lábios finos...as mulheres são mesmo assim...chatas!

      Eliminar
  30. Então, porque o corpo de mulheres é usado para vender tudo e mais sardinha frita, agora o que é "bem", é ignorar, assobiar para o ar, e ficar do lado de marcas, porque elas, coitadas, só querem vender coisas. Do ponto de vista de quem está interessado em entender a forma como a sociedade funciona, e em melhorar a vida de grupos sociais não privilegiados, não me parece que esse atitude dê grande resultado.

    Se calhar, são as pressões culturais, e desigualdades repressivas para com certos grupos sociais, que se denotam neste tipo de mensagem, o que "irrita" os críticos, e não propriamente a ânsia pelo físico perfeito. A vida e a sua análise não se resume a marcas e respectivos corpos danone.

    ResponderEliminar
  31. Esta conversa de dieta, exercício, super alimentos, planos disto, daquilo e do outro está a tornar-se tudo menos saudável. Falo da sociedade em geral. As pessoas estão a tornar-se obcecadas com esta temática e a perder a essência da coisa, a qual deveria ser inata! Já estou numa de que cada qual faça o que quiser e não me moía! Literalmente! Considero-me uma mulher normal, tenho curvas, não tenho grande gordura localizada, prático exercício e faço uma alimentação equilibrada, mas também tenho as minhas neuras e "birras" com direito a tudo! E não admito comentários relativos ao meu corpo, ou estilo de vida, a excepção do meu marido. Já me cansa o "estas mais magra", "o que e que estas a comer?" "isso e bom?"! Já cheguei ao ponto de pensar que esta gente não tem vida!
    Enfim, um desabafo, e espero não ser "batida" a custa dele!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Concordo plenamente consigo, anónima das 01:35h, e também já não admito a ninguém os comentários se estou mais magra ou mais gorda, só ao meu marido e filhos, de resto vou ser dura para quem me fizer comentários desses. Cansei-me de ouvir toda a vida " estás gorda, isso fica-te mal, etc..etc..." Porque muitas vezes essas pessoas que me criticavam não era para ajudar, mas sim para me deitar abaixo. Vão todas para o raio que as parta...!

      Eliminar
  32. Já começa a ser costume que protestos de cariz feminista sejam diminuídos na blogoesfera, quer por homens, quer por mulheres. Normalmente, os enjoadinhos olham paternalisticamente para quem se revolta, considerando que quem o faz será diminuído mentalmente, já que não possuem outros argumentos.

    Os infelizes dos cartazes não foram atacados por um bando de doentes mentais raivosos perante a imagem de uma mulher com um corpo que se encaixa num certo padrão de beleza, mas sim pela insinuação que o corpo feminino precisa de ser modificado para poder ser mostrado publicamente

    A marca não advoga nada de saudável, só achou que era fixe pressionar ainda mais as mulheres. E as pessoas acharam que a marca poderia ir puta que a pariu.

    Repare, foram cartazes a ser vandalizados, não pessoas a ser mortas a tiro nem a ser decapitadas.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. "A marca não advoga nada de saudável" concordo em absoluto!
      Aliás, pelo contrário..."Está preparada para se mostrar na praia?Nãooooo?Então tome lá comprimidos milagrosos que a coisa passa e vai ver que depois já pode entrar"

      Eliminar
  33. Já tenho dito: anda por aí muita auto proclamada feminista que tudo o que faz é envergonhar as mulheres.

    ResponderEliminar
  34. EU, repito EU concordo contigo mas não percebo então o porquê de tamanho texto, pois dá a entender que também estás indignada, nem que seja pela opinião de outras pessoas.
    Disse e repito, concordo com o que escreveste, não acho que o que a marca fez seja algo novo, a marca puxou a brasa à sua sardinha mas, as pessoas (seja a Diana, a Maria ou a Antónia) também tem direito à sua opinião.
    Simples!

    ResponderEliminar
  35. A liberdade de expressão serve precisamente para cada um manifestar a sua indignação/revolta/frustração (o que for) nestas e noutras situações mas, na minha humilde opinião, acho que há muita malta que só quer um motivozinho para montar um carnaval!

    ResponderEliminar
  36. Concordava com tudo isso se a modelo não estivesse photoshopada até às entranhas! Corpo magro é mais bonito. Sem discussão. Corpos constantemente manipulados é viciar as regras do jogo.

    ResponderEliminar
  37. Bem, eu não tenho excesso de peso, sou gorda mesmo, tenho noção disso. Também tenho noção de que a alimentação saudavel e o exercicio fisico são, sem dúvida alguma, a base para emagrecer, durante 4 meses diminui nos hidratos, deixei de comer doces e fastfood e comecei a fazer exercicio apenas 2 vezes por semana, traduziu-se em menos 19kg, Infelizmente, tenho pouco juízo e voltei a comer sem restrição e tive de sair do ginasio, logo, já aumentei alguns! Estou sempre em luta com o meu cerebro se sou feliz a emagrecer ou a comer. Vamos pôr os pontos nos "i's", sou gorda (prefiro esta palavra à palavra forte) porque "quero", porque não me esforço, porque sou fraca quando tenho bolos e enchidos á minha frente e porque sou demasiado preguiçosa pra sair do sofa e ir correr. Tenho consciencia disso. Ando em mentalização pra deixar de ser assim mas desta vez para sempre. Não é um caso de padronização, mas efetivamente notei imenso na facilidade de locomoção e nas dores de pernas e coluna no final do dia. Vamos a ser sinceras, não temos de ser paranóicas com o peso nem com as medidas perfeitas, mas toda, TODA a gente consegue emagrecer, umas com mais esforço outras mais lentamente, mas consegue-se. Sempre vesti vestidos curtos, calções e decotes, sempre tive mais auto-estima e bem estar com o meu corpo do que amigas minhas com menos 30kg, mas quando emagreci os tais 19kg, jeeezzzzz... era mesmo boa a sensação de entrar numa loja e qualquer trapo ficava tão bem...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oh pessoa e para quê ser tão dura consigo própria? Acha que se chamar de gorda e for dura e se insultar as coisas vão melhorar? É por estas merda que eu odeio publicidade como a de lá de cima. Porque faz com que as pessoas se odeiem pelos piores motivos, pelo seu corpo. Não faz mal NENHUM em querer mudar, desde que seja pelos motivos certos. Porque quer ser mais saudável. Porque se calhar ia ter um pouco mais de confiança. Mas o primeiro passo é aceitar o nosso corpo como ele é, é gostarmos de nós independentemente de todos os nossos defeitos. Depois disso não interessa, comer merdas todos os dias ou ter uma alimentação saudável é com cada um.

      Eliminar
    2. Não li nada no comentário da TD que se traduzisse em auto-insultos, ódio por si mesma ou falta de confiança, Anónimo das 15:46. Pelo contrário, parece-me uma mulher suficientemente confiante em si própria para saber que tem excesso de peso, porque é que o tem e o que deve fazer se o quiser perder. Admitir que não temos o corpo que gostaríamos de ter (e não estou a falar do corpo que a sociedade ou os media nos impingem, estou a falar do nosso corpo ideal, aquele com o qual seríamos mais felizes) porque somos fracos de vontade é - em grande parte dos casos - ser realista, não é ser demasiado "duro consigo próprio". Não vejo mesmo a auto-comiseração que o Anónimo viu no comentário, vejo alguém que se conhece bem a si própria e que está no caminho certo para uma desejada alteração do estilo de vida.

      Eliminar
    3. TD, clap clap clap! Espero que consiga cumprir o objectivo a que se propõe! E sei que vai conseguir, a partir do momento em que o quiser mesmo. A sua mentalidade já é um grande passo!

      Eu acho é que as pessoas gordas, se por um lado querem emagrecer, por outro têm demasiada preguiça para o concretizar, e depois ficam de mal com a vida, e com todos e com gajas boas de anúncios...
      Há muita gente que tem bastante dificuldade em emagrecer, principalmente quando o excesso de peso se deve a doença/medicação, mas uma grande parte é porque não tem disciplina e vontade! Quantas amigas minhas se queixam que têm uns quilos a mais mas não as vejo fazer o mínimo esforço para emagrecer? Não conseguem mudar nada nos seus hábitos alimentares e não são capazes de sair de casa para fazer exercício?
      Eu sei que custa admitir e ressalvo já que é apenas a minha opinião, tendo em conta alguns exemplos que me são próximos!

      Sinceramente gostei do seu comentário porque é das poucas que admite que é gorda porque até agora não fez nada para mudar!

      Ah... eu sou demasiado magra. E... como se fosse algo de outro mundo para algumas pessoas... sempre sofri com isso! Mas já comecei por fazer algum exercício para aumentar a massa muscular e fazer uma alimentação rica em alimentos que me ajudem a ganhar algum peso. E se até agora não o fiz foi porque sou preguiçosa e só comia porcarias que me só me faziam mal à saúde e não me ajudavam a ganhar 1 kg a mais!

      Um beijinho de uma "magra" para uma "gorda" *

      Boa sorte! ;)

      Aida

      Eliminar
    4. Não é preguiça! É muito difícil mudar de hábitos alimentares e passar semanas atrás de semanas em défice calórico. A comida quase se torna uma obsessão, pois grande parte da rotina diária gira à volta dela.
      Tenho imenso respeito por quem consegue seguir uma dieta e compreendo que não as consegue seguir durante muito tempo.

      Eliminar
    5. A questão é mesmo essa, SN, é que com dietas ninguém vai lá. Se o plano for "agora vou deixar de comer doces/gorduras/hidratos de carbono até perder peso" vai com certeza correr mal, porque, como diz, entramos em privação e a vontade de comer o que nos proibimos torna-se quase insuportável. A mudança tem de ser feita gradualmente e sem prazo de validade. Temos mesmo de querer mudar a forma como comemos para o resto da vida, reeducando-nos, aprendendo a gostar do que é saudável e fazendo disso a nossa nova rotina, sem privações.

      Eliminar
  38. É "apenas" publicidade!!! Nem sequer deve ser vista por muita gente...quem é que anda de Metro em Londres?! Lol

    (Ironia, ok?!)

    ResponderEliminar
  39. Por um lado a Diana tem razão: o cartaz não apela à saúde, mas sim à aparência física. Ou ser magro significa obrigatoriamente boa saúde? Conheço pessoa magras e que escolhem conscientemente o que vão comer e que têm colesterol elevado.

    De resto, desconhecia a polémica e não vejo nada de escandaloso.

    ResponderEliminar
  40. Quem desdenha quer comprar? Se realmente tivessem orgulho no corpo "rolicinho" que possuem, nunca ficariam tão fod... lixadas com tal anúncio.

    ResponderEliminar
  41. Concordo totalmente. Nunca comentei o blog, mas há uma primeira vez para tudo. Qual é a diferença entre este cartaz e as imagens de outra marcar qualquer? As modelos são magras, já se sabe disto há anos. Move on. É por causa da mensagem? É ofensiva? Acho que só ofende quem tem problemas com a sua imagem, porque para quem está bem resolvido, acho que esta treta passou ao lado.

    ResponderEliminar
  42. "Peso saudável" não quer dizer "de boa saúde, certo? Tu sempre foste magra, mas nem sempre estiveste saudável. Há uns tempos, dizias tu, o teu colosterol estava acima do que é suposto estar. E se calhar, ainda está.

    ResponderEliminar
  43. Entendo os diversos pontos de vista :)
    mas às vezes também me mói e me aborrece ser bombardeada por "tens que perder 10 kg para ser sexy" .. porra!
    Mas é marketing e enquanto resultar para alguém vamos continuar a ver estas abordagens.

    amariadaniela.blogspot.pt

    ResponderEliminar
  44. Quem é gorda e não vive bem com isso que feche a boca para não comer ou que vá correr e deixe de chatear meio mundo!
    E as que vivem bem com isso que continuem a serem felizes!
    Sandra

    ResponderEliminar
  45. No teu post dizes "(...) agora está na moda irritarmo-nos todos muito com quem faz exercício, com quem gosta de ter um corpo fit, com quem faz uma alimentação saudável." Acho que a questão aqui, pelo menos para mim, não está na alimentação saudável porque nem sequer é isso que o anuncio promove. A marca está a promover um conjunto de produtos para perder peso, entre eles cápsulas que substituem refeições, não para as mulheres se sentirem saudáveis - porque isso NÃO é saudável - mas sim para se sentirem aceites na praia. É essa a mensagem que está a ser passada. O cartaz não ia ter este impacto tão negativo se estivesse simplesmente a promover formas de alimentação saudável, não para ter um "beach body" mas para alertar as pessoas dos malefícios de uma alimentação com gorduras, açúcares e pouco ou nenhum exercício. A diferença entre estas duas abordagens é que uma é serviço público - como foi a reportagem da SIC "Somos o que comemos", por exemplo - e a outra é body shaming.

    http://allengirl.blogs.sapo.pt/

    ResponderEliminar
  46. A moda das dietas, corridas e afins já cansa mesmo.
    Não, não é (a maior parte dos casos) para ser mais saudável, é para ficar bem na foto.
    Tenho amigas que fazem exercicio várias vezes por semana, porque é in dizer que frequenta o ginásio e falar de sumos detox e depois enfardam como se não houvesse amanhã.
    Postam no face e dizem: "logo tenho de malhar o dobro".
    Isso é ser saudável?
    Ou então aquelas que vão ao gináseio e só comem "alfaces" (maneira de dizer). Contam as calorias todas, andam às compras de listinhas na mão a tentar encontrar ingredientes de que nunca ouviram falar, não almoçam em casa das mãezinhas "porque só fazem comidas calórias e não respeitam" - fossem minhas filhas e nunca mãe cozinhava uma batata para elas!
    Oh pá, querer ser saudável é uma coisa. Gostar de ter um corpo proporcional, muito bem, mas calma!
    Faço exercício, sim, quando me apetece, quando tenho tempo (não sacrifico o meu tempo de outras coisas, tipo estar com o meu marido, filhos, ou simplesmente ler, se assim me apetecer), faço refeições saudáveis, mas gosto de partilhar refeições com amigos e família. Como assados gordurosos (mas optimos) e até as sobremesas da mãe e da sogra. Não o faço diariamente, porque deixar de o fazer?
    Se tenho o corpo da miuda da publicidade? Nem um pouco :) Se gostava? NÃO! Mas não mesmo.
    Sim, gostava de ser mais definida e ter menos um bocadinho de barriga, mas sou saudável, por isso não troco a minha vida e o meu corpo só para estar mais definida e "boa" .... aos olhos de quem, mesmo?

    ResponderEliminar
  47. Ok vamos lá por partez...
    Para já magreza e saúde não são sempre compatíveis. Acho que qualquer pessoa pode perceber isto. Uma pessoa pode fazer desporto, pode ter uma alimentação diversificada e saudável e não ser magra. Pode até ter uns quilos a mais, pode ter o peso normal. Por isso a história de magra = saudável é um mito que já lá vai há muito tempo. Aliás não foi a própria autora que há uns meses se auto-intitulava de falsa magra? Isto porque era magra, mas não significava que era saudável.
    Agora é assim, ninguém tem nada contra pessoas magras. A sério, deixem-se disso. "Mas agora está na moda irritarmo-nos todos muito com quem faz exercício, com quem gosta de ter um corpo fit, com quem faz uma alimentação saudável. " Isto é treta. Fico feliz que as pessoas fiquem felizes com o seu corpo e estilo de vida! Eu odeio desporto e gosto de comer de tudo e sou feliz assim ponto. Agora o que eu não gosto é que perpetuem corpos femininos irrealistas. Não gosto que o corpo perfeito (o ÚNICO corpo perfeito) seja uma gaja sem estrias, sem um pingo de celulite, sem uma gordurinha, sem um único detalhe que a faça parecer humana. Não gosto que miúdas com 12 anos (ou menos) se comecem a sentir pressionadas para entrar em dietas e merdas quando não precisam. Não gosto que mulheres (ou homens) odeiem o corpo que têm e façam coisas extremas para conseguirem algo que podem não conseguir! Não gosto que pessoas tenham anorexia, bulimia ou qualquer tipo de "eating disorder" por não conseguirmos abrir os nossos horizontes um bocadinho e só considerarmos uma mulher perfeita como aquela que está lá em cima. É isto que se critica, não é o facto das pessoas escolherem vidas com exercício e alimentação controlada. Como você diz, façam o que quiserem. Mas então deixem as pessoas fazerem o que quiserem sem se sentirem envergonhadas, sem sentirem que estão a ser observadas e gozadas por tudo e todos.

    ResponderEliminar
  48. A minha luta ainda anda muito atrasada.
    É que eu ainda estou para perceber o que é isso de ser gorda.
    Peso 66kg e toda a gente me considera acima do peso. Há quem diga "gorda".
    Apesar de ter permitido que isso me entre na cabeça e me ataque a autoestima, na verdade, quando olho para alguém com 100kg não me acho uma pessoa gorda. Mas ao lado de uma de 45kg claro que sou gorda.
    Ainda me questiono em que é que fico?
    Mas uma coisa sei: há muitas magras que se odeiam porque já não conseguem ser felizes com nada, e há muitas gordas bem resolvidas com elas próprias e envergam biquínis com mais segurança que muitas magras.
    Ainda não cheguei lá.

    ResponderEliminar
  49. Olá Pipoca! Concordo que vivemos na época dos indignadinhos e isso é absolutamente irritante. Mas também não gosto deste tipo de anúncios (quem diz anúncios diz capas e artigos de revistas femininas) que põem uma pressão absurda sobre as mulheres para serem super mulheres, lindas, magras, maquilhadas, na moda, depiladas, de saltos altos, ao mesmo tempo que são as melhores mães, mulheres, amantes, filhas, trabalhadoras, etc., não me lixem, a realidade não é assim e ninguém é a uberwoman! É injusto que se ponha toda essa pressão sobre os ombros femininos. Claro que uma mulher bem resolvida e adulta (como tu e eu eheh) sabe relevar e usar um biquíni na boa mesmo que não tenha um corpo considerado "perfeito" por esses ditames de não sei quem, bem como passar os olhos nesses artigos do "como agradar ao seu homem na cama depois de trabalhar 8 horas, cuidar dos filhos e da casa" e rir-se a bom rir, enquanto manda mentalmente a revista, o artigo e o "jornalista" que o escreveu à merda. :) Mas o problema é que há muitas mulheres (sobretudo jovens, mas não só) que se deixam ir abaixo e deprimir por sentirem que, por mais que façam, nunca estarão à altura, e isso é triste, muito triste.

    Não posso concordar também contigo quando dizes: "Vamos lá ver uma coisa: corrijam-me se estiver enganada, mas tirando por questões patológicas, as pessoas são gordas por dois motivos: porque comem mal e/ou em excesso (geralmente as duas coisas juntas) e porque não praticam exercício." - Isto não é verdade Pipoquita. Só posso falar por mim porque dos outros não sei (e sim, há muitos gordos que dizem que não comem nada e depois é vê-los enfardar bacalhau com natas e mousse ao almoço todos os dias da semana), mas há um grande factor (senão o maior) que potencia a obesidade, que é a genética. Se te disser que por mais exercício que faça e bem que coma (mas bem mesmo) nunca baixo dos 70 quilos (meço 1,60mts), podes acreditar. Fico saudável, com bom ar, até acho que tenho um formato de corpo bonito, mas magro nunca há-de ser, porque eu (e as pessoas com a minha tendência para engordar) para emagrecer não posso comer NADA, tenho que ficar só a vegetais e honestamente, não estou para isso. É uma vida de sofrimento que ninguém merece nem se deve fazer de uma perspectiva de saúde. Por outro lado, se comer como 90% das pessoas come, isto é, de forma relaxada mas sem grandes excessos (uma sobremesa de vez em quando, um chocolate/gelado por semana, um prato mais calórico aqui e ali, uns copos de vinho ao fim-de-semana) e me desleixar nos exercícios facilmente passo dos 85 quilos. É triste, mas é assim, já aprendi a viver com isso. Mas não posso aceitar que ninguém me diga que sou gorda porque como mal ou em excesso e não faço exercício, porque isso não é verdade.

    ResponderEliminar
  50. Adorava que a Pipoquinha se pronunciasse acerca do... "Hit de Verão"?? da Campanha que a Luciana Abreu fez para a "Be Magri"! É demasiado mau para ser verdade...

    http://myviewpoint.blogs.sapo.pt/

    ResponderEliminar
  51. Olá querida pipoca,

    Também só me apercebi desse rebuliço todo aqui pelo blog, no entanto acho é que tem muito mais a ver com psicologia publicitária - que na minha opinião está a mudar e é muito importante que essa mudança seja notada - do que com outra coisa qualquer. As senhoras estão fartas de serem impingidas com toda aquela perfeição quando depois não conseguem atingi-la, independentemente do motivo pelo qual não o conseguem - nós mulheres conseguimos ser muito invejosas eheh - ainda mais quando há marcas a utilizarem mais "curvas" nos seus anúncios e a apregoarem, aos sete ventos, que as mulheres são bonitas de qualquer maneira - mas sem celulite, sim porque essa não entra em nenhum anúncio -.

    Beijinhos

    ResponderEliminar
  52. Como se encher o corpo de porcarias como estas fosse saudável.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Exacto! Ahaha. Tão básico. Right, Pipoca, o que ali se promove é saúde. Pois.

      Eliminar
  53. É claro que ninguém gosta de ter uns kgs a mais mas vivemos numa sociedade em que se impõe que o que é bonito é ser magro...várias lojas não têm tamanhos grandes e os modelos cada vez são mais pequenos. Acho que falta bom senso. Vive-se o culto do corpo quase como uma obsessão e isso é tão doentio como ter kgs a mais.

    ResponderEliminar
  54. Penso que tanta indignação se deveu ao copy que, associado à imagem da modelo, passa essa mensagem. A de que é preciso ter um corpo desses para se enfiar num biquíni. A campanha está mal feita e não me parece que o objectivo (vender) seja cumprido. No entanto, tenho de concordar tanto com o texto da Leididi como com o da Pipoca. Mas acho que a Pipoca se foca muito em dois tipos de pessoas: as obesas e as magras. Então e o resto onde é que se encaixa? Eu também me posso sentir ofendida com esta campanha (não sinto, porque me estou nas tintas), porque apesar de não ser gorda nem obesa, também estou longe de ter corpo de modelo.

    http://entreosmeusdias.blogspot.pt

    ResponderEliminar
  55. Na minha opinião o grande problema deste anuncio não é menina bonita e magra, mas o facto de estar a publicitar comprimidos para se atingir um objetivo que só se consegue atinge a longo prazo, uma alimentação cuidada e e atividade física (desde criança de preferência).

    ResponderEliminar
  56. Acabei de ler um estudo no qual aparece publicado que a genética é responsável por 50% do nosso peso.

    Just saying.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Posso dizer-me o nome e os autores sff? É interessante para mostrar a muita gente que conheço.

      Eliminar
  57. Eu percebo que o seu ideal feminino seja uma mulher com um óptimo sentido de estilo, sem pêlos, sem celulite, sem gordura, alta, com algumas mamas mas não demasiado, algum rabo mas não demasiado. É o seu e dos media. Não é o meu e não é o de muitas mulheres. Sou baixa, não sou gorda, mas não sou magra, tenho gordura, celulite, estou-me a cagar para a depilação na maior parte dos dias, odeio desporto. Adoro ler, adoro cinema e adoro música. Devo julgar pessoas que lêem menos de 10 livros por ano? Que desconhecem a nouvelle vague francesa? Que não conhecem a discografia completa dos Beatles? Pá não, cada um com a sua. Não tentem é empurrar o vosso ideal para cima dos outros. Não digam que a mulher perfeita é isto ou aquilo, porque isso NÃO EXISTE. Se vê pessoas a comer no mcdonalds nem pense nelas, ou acha que anda toda a gente a pensar no que é que você come?

    ResponderEliminar
  58. Muito bem dito Ana!
    Eu também não tenho o corpo da modelo (quem me dera!) mas depois dos 40 é mais difícil!
    Mas tento comer bem e praticar exercício. ser saudável e estar dentro do peso.
    E, sim. Uso biquini. Sempre.
    Nem sempre estou como gostaria mas vivo bem com o que tenho.
    Bjs,
    Paula
    vidademulheraos40.blogspot.com.

    ResponderEliminar
  59. Eu acho genial as pessoas questionarem-se e sim, queixarem-se e criticarem muitas destas novas modas. Também é o resultado do excesso de informação. Pelo menos diz-me que há ainda pessoas capazes de pensar por si mesmas e que não engolem tudo o que lhes é vendido. Ser saudável e ter um corpo esbelto tonificado não é a mesma coisa. A imagem "ideal" da mulher tem vindo a ser cada vez mais irreal. Não existe um corpo PREPARADO para a praia, todos a gente se devia sentir confortável independentemente do peso que tem. Body shaming é o que este e outros anúncios promovem. Claro, não é novidade nenhuma. Há pessoas com BMI normal mas que não têm corpos esculturais mas sim um corpo menos tonificado, aquela gordurinha nas zonas mais chatas, estrias, celulite etc etc. Enfim, não estão nem perto de ser obesas. E praticam exercício, o aconselhável para diminuir risco de muitas doenças, aumentar a capacidade cardíaca etc etc etc. Essas mulheres não estão em cartazes porque o corpo delas não é o ideal. Afinal? Em que ficamos? As crescentes críticas são fruto dessa enorme necessidade de festinhas no ego que as celebridades e figuras públicas têm desde que as redes sociais ganharam o peso que ganharam. Promover vida saudável é uma coisa, promover-se a si mesmo...not the same. Mesmo a Ana, com o ideal que quiser ter e seguir, todos os dias passa a mensagem que quer ter o corpo desta ou daquela. Acho que se gosta verdadeiramente do exercício quando é uma coisa pela qual não se tem que vangloriar todos os dias. As formas de promoção do mesmo estão ainda muito aquem do ideal quando o que se almeja é o corpo de outra pessoa. Mas enfim, opinião cada um com a sua, mas a verdade é que o que a Ana promove parece cada vez mais afastado da realidade. Tudo para as massas.

    ResponderEliminar
  60. Também li o texto Leididi e deixei lá um comentário. Concordo contigo e não entendo o porquê desta revolta com um anúncio igual a tantos outros.
    O problema da sociedade é só um - falta de personalidade dos seus indivíduos, cada vez mais as pessoas são um conjunto de modas e tendências em vez de serem genuínas e individuais. Fazem tudo para serem aceites, não têm convicções, ideias e vontades próprias, não se sabem impor e baseiam a sua autoestima e a sua existência com base no número de likes numa foto ou no número de pessoas que a convidam para jantar.
    As gerações seguintes serão ainda piores, estamos a educar crianças a quem fazemos crer que são especiais, as melhores em tudo e que merecem tudo, em vez de lhes ensinarmos que são iguais a tantas outras, apenas especiais para as pessoas que também são especiais para elas, que podem conseguir tudo mas que precisam de lutar por isso e que mesmo assim nem sempre irão conseguir.
    É claro que uma adolescente que sempre ouviu dizer que é a mais bonita do mundo, que é a melhor, a mais inteligente e que nunca ouviu um Não na vida, não irá sentir-se bem quando chegar aos 14 anos e e não ter as medidas 86/60/86 que vê no instagram de meia dúzia de famosas, é obvio que vai sentir pressão, mas só se deixará afetar por isso porque não tem uma personalidade forte e a cabeça arrumada.
    Sempre existiram pessoas com personalidades mais vincadas do que outras, mas nunca houve tanto adolescente com dificuldade de afirmação, tanto bullying e tanto efeito manada, para onde vai um os outros vão todos atrás.
    Parece que hoje em dia só existem dois tipos de pessoas as pro fit e as anti fit, o mundo não é preto e branco, nem toda a gente que é fit é radical e anda pregar o fit para todos e nem toda a gente que não é fit e não quer ser é contra quem é. Há muito espaço aí pelo meio.

    ResponderEliminar
  61. Compreendo o teu ponto de vista mas suponho que o que melindrou as pessoas com o anuncio não foi a modelo mas a mensagem que passa:corpo de praia ou ter o corpo pronto para a praia...
    Oi? Está alguém a fiscalizar a entrada das praias, a avaliar os corpos como quem avalia se a documentação está toda em ordem?
    e quem não tiver o corpo da imagem, não entra?
    Obviamente é usar a ironia, mas é usada de modo segregador, como se quem não tem aquele aspeto não tivesse direito a aparecer em publico na praia...
    (Claro que eu do alto dos meus 37 anos e do meu ligeiro excesso de peso mando-os todos á fava que não cedo a pressões destas, era o que me faltava...mas há muita miúda de 15 anos que é amplamente afetada por este tipo de statements!)

    ResponderEliminar
  62. Pois eu acho a miúda uma "brasa"!! E mais vale estar à espera do metro a olhar para uma brasa em "papel", do que a ler cartazes do bloco de esquerda com a Merkel em destaque, ou a tirar cerume dos ouvidos! Deixem a malta ir trabalhar descansada, as gordas que emagreçam ou não. Façam lá o que lhes apetecer, as magras que comprem implantes, as dentolas que coloquem aparelhos, as narigudas que façam rinoplastias e metam as facturas na adse! Nós queremos é ver o mulherio feliz e contente, para irmos à bola no domingo! Deixem a empresa em paz, a miúda é gira que se farta e então? Toda a gente adora raparigas, raparigas novas, raparigas bonitas, raparigas sorridentes! A juventude deve ser celebrada, porque passa num instante! A miúda é perfeita! Ainda bem que há miúdas perfeitas, nem que seja em papel!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Porque mulheres com corpos "não perfeitos" (de acordo consigo) não merecem ser celebradas? Mulheres mais velhas também não? LOL
      A Merkel (independentemente de se gostar da politica dela ou não) é uma mulher numa posição de poder com um país com uma economia super forte, mas uma modelo cujo mérito é ter um corpo fixe é que merece ser celebrada. Adoro isto.

      Eliminar
    2. É voce o publico alvo que vai comprar o produto ?
      Se for tem toda a razão em argumentar , se não , se calhar a sua opiniao nao interessa, pelo menos para a marca .
      Veja porno no telemovel quando for no metro, mamas por mamas vai dar ao mesmo.

      Todas as idades devem ser celebradas, isso inclui a sua ( veja o quanto eu sou muito mais generosa consigo, do que o senhor consigo proprio)

      Eliminar
  63. Para quem diz que não tem tempo, aqui vai um link com um treino de 25 minutos por dia, 5 dias por semana, para se acabarem as desculpas:

    https://www.youtube.com/watch?v=y5mPEpBT_TQ&list=PL1nU8b21s_Iaqeh43VfEmY5BqWz4c43hd

    (Ahahahah e com esta vos lixei, malta da falta de tempo!) :p

    Bons treinos, e relaxem que a vida cheia de rancor só vos faz é mal!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. (clap, clap, clap)

      Eliminar
    2. Voce pensa que lixou, pensa que sabe, pensa, pensa, pensa
      Porque acha que ser gorda esta simplesmente directamente ligado á comida e á falta de exercicio .
      Mas nao percebe o quanto esta por detras disso na maior parte das pessoas.
      O quanto emocional é o papel da comida para muita gente.

      Se pensasse chegaria ai, porque ir ao you tube, todas sabem ir, as gordas e as magras.

      Eliminar
    3. Para deixar de se ser gordo/a, é uma questão de se parar de comer em quantidades industriais, e coisas que fazem mal, e fazer nem que sejam estes tais 25 minutos por dia. Não digo que todos fiquem com o corpo da foto, porque simplesmente não é possível, mas tornem-se saudáveis.
      Um corpo tonificado e sem excesso de peso é mais bonito, ponto.
      Desculpas há muitas, problemas todos têm, mas alguns escolhem combatê-los, outros preferem enfiar a cara em bolachas.

      Eliminar
  64. Campanhas à parte, a questão é que aqui discute-se o ser gorda ou magra, como se houvesse apenas estas duas opções. E o peso saudável? Dizer que todas as gordas gostariam de ser magras mas que nenhuma magra gostaria de ter excesso de peso é uma tolice. Parece-me normal que as magras não queiram ter excesso de peso, mas é ridículo pensar que as gordas querem ser magras. Eu sou gorda e lamento, não tenho qualquer vontade de ser magra, mas sim de ter um peso saudável que me faça manter as curvas. Tenho amigas magras e assim de repente lembro-me já de 3 que já tentaram fazer dietas para engordar de tão pouco satisfeitas que estavam com o baixo peso e com o corpo que tinham. Querem ser gordas? Não. Querem ter um peso saudável e um corpo com curvas.
    Esta mania de se achar que todas as gordas têm inveja das magras, querem é ser magras, sonham em ser magras é um exagero de todo o tamanho. Acho que as gordas gostariam tanto de perder peso como as magras gostariam de o ganhar, de forma a ficarem todas com o peso que lhes fica bem.

    ResponderEliminar
  65. O conceito de beleza como outras coisas ligadas à vivência humana tem modas e também o conceito de bem estar tem modificado com os anos. A perfeição não existe e se alguns são favorecidos pela genética e outros não devemos começar por valorizar o individual e não a norma dos media porque muitas regras têm em grande plano o conceito comercial. O comércio dos "ginásios" e dos PT (sem qualquer desprestígio), dos cremes anti celulíticos, sumos detox barritas...O comércio dos sapatos para fitness e afins, a perseguição dos níveis ideais de colesterol e as dietas dos famosos. Nem tudo está certo nem tudo errado. Temos que valorizar o que temos de bom em nós, consciência daquilo que podemos melhorar sem excessivas iatrogenias, procurar hábitos saudáveis e fazer as coisas com prazer ou seja alguns estão bem indo todos os dias ao ginásio, porque não? Mas se não gostar vai menos vezes e pode preferir ler um livro numa esplanada...ou fazer uma massagem. Ir à praia de bikini deve ser feito adaptando o estilo à nossa maneira sem complexos mas também sem abusar...Não temos que nos preocupar por não termos aquela barriga perfeita se gostamos de apanhar sol. A flacidez irá aparecer algum dia a menos que se morra ou se violente a evolução natural do corpo. Não é um drama! Assim como outras coisas que nos acontecem. Claro que se formos indisciplinados na alimentação, obsessivos na forma como encaramos o corpo (que mais não serve além de materializar a alma), corrermos riscos para bronzear e adoptarmos hábitos de vida pouco saudáveis devemos ser contrariados, alertados e até mesmo criticados. O resto é excesso e com tanta polémica ainda um dia alguém se lembra de por as "mulheres todas de burka" para ver se não chateiam.

    ResponderEliminar
  66. Achei piada a este post porque, apesar de a Pipoca estar a escrever acerca das pessoas ficarem indignadas com tudo, parece ficar, de igual modo, demasiado incomodada. Adiante: Eu não sou magra, nem sou obesa. Concordo consigo quando refere que a maioria das pessoas gordas gostavam de perder uns quilos porque me insiro perfeitamente nessa categoria. Acho também que grande parte das pessoas gordas podiam não o ser, se tivessem outras maneiras de ser, outros hábitos (incluo-me nisto também). Mas não concordo com o facto de isto ser "apenas" publicidade. Longe, muito longe disso. Somos constantemente bombardeados com mensagens de marketing que acabam por nos influenciar bastante. E esta é uma delas, no sentido em que faz com que algumas mulheres ou raparigas, - se calhar, na opinião de alguns, com uma força menor, sendo que umas não fazem exercício, outras não controlam o que comem, entre outras e diversas possíveis causas - se sintam inferiorizadas (sendo elas gordas, magras, altas ou baixas) porque o cartaz afirma que um tipo de corpo - não habitualmente atingido mas que queremos porque, enquanto sociedade, o consideramos de "bonito" - é aquele que deve ser mostrado exclusivamente, o tal "bikini body". É óbvio que podemos argumentar que "se as pessoas se sentissem mesmo bem consigo mesmas, não iam criticar" mas quem é que nunca tem inseguranças? Quem nunca se sente vulnerável com todas estas questões do corpo? Não me refiro apenas à gordura ou à magreza, há imensos aspetos que trazem inseguranças às pessoas, de um modo ou de outro (particularmente mulheres, tendo em conta que vivemos num mundo dominado por homens, numa sociedade que cria padrões para a aparência quase inatingíveis para a maioria das pessoas). E daqui surgem vários problemas que podem ser traduzidos não só na falta de autoestima que muitas pessoas (por exemplo, adolescentes) têm, como em distúrbios alimentares e tantas outras consequências que podem culminar em desfechos infelizes. Assim, isto não é "só" um anúncio e as pessoas não deviam apenas "deixar andar", considerando que existem muitos indivíduos (que alguns outros vão considerar de "frágeis") que tomam isto de um modo sério, visto que é assim que a sociedade em que vivemos quer que se seja. E digo isto tudo porque no meu caso, com 17 anos como tenho agora, não devia viver num mundo que me encoraja a sentir feia só por não ter um corpo perfeito. (E não digo isto por ser gorda, tenho a certeza que se fosse magra também ia sentir que não tenho o corpo perfeito, porque, provavelmente, não ia ter o corpo "perfeito" porque, se calhar, ele nem existe, mas é assim que nos fazem pensar).

    ResponderEliminar
  67. A maioria destes comentários e textos de opinião que leio acerca das gordas/magras, só me faz baixar a cabeça e ter vergonha de todas as guerras para as quais muitos de nós contribuimos. Ora criticam as sementes, ora criticam os hambúrgueres, as pernas gordas e flácidas, as pernas finas e tonificadas, a mala da loja chinesa, a mala da Prada... É RIDÍCULO.

    Cada um de nós deveria, na minha opinião, dedicar a sua vida a melhorar os seus pontos "fracos". Seja ler mais, fazer mais exercício, ser mais produtivo no trabalho/escola, aperfeiçoar os dotes culinários, ver mais filmes, passar mais tempo em família... Tudo isto depende da vontade da pessoa e da importância que ela deposita em cada aspeto da sua vida.
    Para quê criticar quem não corre? Para quê criticar quem corre? Com certeza todos teremos aspetos a desenvolver e é nisso que nos deveríamos focar.

    Quanto à publicidade... Enfim! É, claramente, reflexo da padronização da beleza e não o podem negar. Por algum motivo estes atos publicitários são objeto de estudo de areas omo Psicologia, Filosofia e Sociologia. Digam o que disserem, na minha opinião, esta é a ponta de um iceberg chamado por muitos " A ditadura da beleza ".

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Adorei os dois primeiros parágrafos do seu comentário. Muita verdade aí dita!

      Eliminar
    2. Grande comentario, muito inteligente e sábio.

      Eu acrescento ainda que até o "falso saudavel" esta a tornar-se uma ditadura, que em nada se reflete na real saude do corpo.

      Eliminar
  68. Esta conversa deixou-me com fome...vou ali ao Burger king e já venho...

    ResponderEliminar
  69. Vira o disco... Toca o mesmo!
    Www.moncloset.com

    ResponderEliminar
  70. Eu até acho que os produtos , sejam quais forem, deviam ser adaptados ao seu publico alvo e não a outros publicos.
    Por isso o mais correcto seria por pessoas mais gordas neste tipo de produtos.

    ResponderEliminar
  71. Diga-me uma coisa pipoca, até a um ano atras (antes de mexer uma palha e de comer tudo e mais alguma coisa- palavras suas constantes neste blog) a pipoca era magra.

    Era magra porque ?

    Como é que pode uma mulher inteligente e com a sua experiencia fisica dizer isto :
    "Vamos lá ver uma coisa: corrijam-me se estiver enganada, mas tirando por questões patológicas, as pessoas são gordas por dois motivos: porque comem mal e/ou em excesso (geralmente as duas coisas juntas) e porque não praticam exercício."


    ResponderEliminar

Teorias absolutamente espectaculares

AddThis