Pub SAPO pushdown

Abril sem gordices

domingo, abril 05, 2015

Hoje é o meu quinto dia consecutivo sem tocar num doce. Chocolates, gomas, amêndoas, bolos, bolachas, foi tudo banido durante um mês. Hoje é só dia 5 e já tenho vontade de distribuir chapadas. Sobretudo em mim mesma, por ter tomado esta decisão estúpida. Ainda por cima na Páscoa. Burra, burra, burra. Não tem sido fácil lutar contra todas as coisas que me têm oferecido (a minha mãe decidiu fingir que não percebeu a proibição de comprar doces), mas tenho resistido estoicamente, quase com lágrimas de sangue.  Objectivo: tentar perceber que efeitos é que isto tem no corpo. Isto, exercício físico, muita água e uma alimentação mais equilibrada, coisa que comecei a fazer desde o início do ano. Não tenho feito grandes asneiras desde Janeiro, mas claro que vou prevaricando de quando em vez. Mas Abril vai ser um mês em que vou andar na linha. Sobretudo depois de ter visto a reportagem que passou na SIC na semana passada, "Somos o que comemos". Todos sabemos os malefícios do excesso de açúcar, mas tenho a certeza que esta reportagem pôs muita gente em alerta. É assustador a quantidade de açúcar que consumimos quase sem dar por isso. Sobretudo os miúdos. A mim, pelo menos, esta reportagem pôs-me a olhar para os rótulos de tudo com ainda mais atenção. E é por isso que um mês sem açúcares (para além dos que já estão naturalmente nos alimentos) não me vai fazer mal nenhum. Vai doer, quem me tira o chocolate tira-me tudo, mas é por uma boa causa. Pesei-me e fiz todas as medições no dia 1, no dia 30 logo vos digo se houve resultados. Se estiver tudo na mesma conto passar Maio enfiada na cama a enfardar todas as merdas que apanhar à mão. 

Nos entretantos, passou-se um ano desde que comecei a treinar com o Pedro, do Treino em Casa. Um ano e menos sete por cento de massa gorda. Uau! Desde Janeiro deste ano tenho perdido um por cento por mês e estou agora nos 18,7%. Ou seja, há um ano estava próximo dos 26%, o que não era propriamente espectacular. Uma diminuição de sete por cento num ano pode parecer pouco, mas a massa gorda é difícil de abater. Ganha-se num instantinho, mas para a aniquilar é do demónio. Ainda há muito trabalho para ser feito, mas sinto que estou no bom caminho. Agora ninguém me agarra. Excepto, talvez, as oito caixas de amêndoas que tenho ali na despensa. 

62 comentários:

  1. Também vi essa reportagem da sic! É assustador como, na maioria das vezes, nem temos noção daquilo que estamos a comer. Felizmente, tenho uma prima nutricionista que me vai dando umas dicas :)

    http://essencia-lidades.blogspot.pt

    ResponderEliminar
  2. Reduzir o número de ataques à gaveta da "desgraça", eu até consigo. Agora cortar o mal pela raiz e eliminar os ataques de loucura por chocolate... não dá! É uma ligação muito forte, que nenhum número da balança consegue quebrar! ;)

    momentosemcapsulas@blogspot.com

    ResponderEliminar
  3. Olá pipoca, não vi a reportagem da sic mas venho deixar o meu testemunho. desde nova que sou um bocado paranóica com dietas e balanças e houve uma altura da minha vida que também decidi cortar o açúcar. Vou-te dizer o que se vai passar contigo: vais sentir-me magnífica, maravilhosamente mais magra e com uma pele fantástica. Vai custar é verdade mas vai haver um momento que vais agradecer teres feito essa maluquice. Isto seria perfeito se tu conseguisses viver sem o açúcar para o resto da vida. Mas vamos ser francas, isso não vai acontecer. Assim que chegares a Maio e tocares num chocolate, vais ter uma grande recaída e o teu corpo vai entrar num modo de reposição estupida em que basicamente só te vai apetecer comer porcarias. Acredita em mim, não te ponhas com estas coisas e se te meteres, não contes aos teus leitores. Está provado que a privação do açúcar é muito dificil de manter e que a longo prazo, como quase ninguém consegue manter esse estilo de vida, não traz benefícios, bem pelo contrário. A moderação é o ideal. Pessoas como tu têm muito boas intenções, mas na verdade estão a motivar comportamentos de ortorexia. Devemos comer tudo com moderação! Ainda luto contra a bulimia nervosa e há milhares de pessoas como eu, que ninguém desconfia. Beijinho pipoca, espero que leias o meu post e espero que gostes. E come um ovinho da Páscoa, porque a Páscoa é só um dia no ano :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Por isso é que eu disse que vai ser só um mês, uma espécie de experiência. Depois, seguramente, voltarei a comer doces de forma moderada, tal como venho a fazer desde o início do ano. A verdade é que cortar no açúcar processado não faz mal nenhum, contrariamente a outras dietas que cortam radicalmente as proteínas ou os hidratos, porque continuamos a ter açúcar numa data de outros alimentos. A quantidade de açúcar que está na fruta, por exemplo, é suficiente para satisfazer as nossas necessidades diárias. Ou seja, não é uma irresponsabilidade anunciar que vou cortar nos chocolates, gomas e outras porcarias, muito pelo contrário.

      Eliminar
    2. O açúcar branco pode perfeitamente ficar para ocasiões especiais. Hoje em dia há açucares ótimos e que substituem, de forma saudável, o açúcar refinado.

      Eliminar
    3. É de louvar o que a pipoca está a fazer, a maior parte das pessoas nem sabe o perigo da comida processada, não me refiro só ao açúcar mas a todas as coisas já feitas que compramos. E cada vez mais se está a provar que a melhor dieta é a mais natural possível. Sem exageros claro! Boa sorte, também estou a tentfazer o mesmo mas anda difícil cortar no chocolate haha. O celeiro tem sido o meu melhor amigo :)
      Obrigada pela lucidez e paciência que tem pipoca :)

      Eliminar
    4. Hoje em dia?
      Quando era criançaa, só comia açucar mascavado, ou no máximo, do amarelo.

      Gajo que não come açucar nem aprecia doces

      Eliminar
  4. Olá pipoca, realmente é assustador como sem sabermos consumimos tanto açúcar. Esse desafio que te propuseste está a ser realizado também por uma youtuber brasileira, mas num período de 1 ano. Aconselho-te a cuscar.
    http://m.youtube.com/user/primeiragravidez
    Boa sorte com o desafio. Beijinhos

    ResponderEliminar
  5. A seguir cortas no glúten, na lactose...ainda a semana passada fui aconselhada a deixar o glúten, porque apesar de não ser alérgica nem intolerante, existem muitos testemunhos comprovados de que as pessoas também se sentem melhor sem comer glúten (não sei precisar números). E lá está, deixar de comer alimentos que gostamos de forma fundamentalista e obcecada não nos leva a lado nenhum. Pelo contrário, só nos faz sentir pior. Sim frutinha é bom..e esparguete de farinha de milho (sem glúten) também, mas... nem 8 nem 80. :)

    ResponderEliminar
  6. Eu já tinha alguns cuidados mas depois de ver a tal reportagem acabou-se: mousses de chocolate, barras de chocolates refrigerantes pão e queijo em demasia isso tudo cortei mesmo, fiquei chocada em saber que até o fiambre tem açúcar! Mas claro que em doses moderadas não posso cortar tudo mas por questões de peso e saúde assustei me mesmo com o que vi e vou reeducar a minha alimentação.

    Os miúdos de agora são gordos porque não se mexem ! Nós jogávamos à macaca ao elástico às escondidas e isso parecendo que não desmoía as porcarias que já havia na altura ( tenho 40 anos ).

    ResponderEliminar
  7. Pipoca posso fazer um comentário? Já há que tempos que andava a querer dizer isto mas o tema nunca é oportuno mas eu acho, e posso estar muito errada, mas eu acho que para o exercício tanto que fazes devias ter um corpo mais definido. Mais trabalhado. És magra isso vê-se a léguas, mas pareces um esparguete fininho ( palavra que não é critica nem parvoíce ) eu acho mesmo que és muito magrinha palito mas pareces que não tens musculo. Se calhar nem queres ter essa definição muscular e claro que não estou a sugerir ficares tipo miss musculo mas pronto acho estranho . Bjos Célia

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Lá está, tem a ver com a massa gorda. Eu tinha muita, só à medida que se vai perdendo é que o músculo começa a aparecer. Mas leva tempo, muito treino e muita disciplina. Eu já noto resultados comparativamente há um ano.

      Eliminar
    2. Tem a ver com a massa gorda e a massa magra Ana... Serve-te de pouco ficares com um BF baixíssimo, quando não existe músculo 'para "aparecer". A dita "definição"/"tonificação", só vai aparecer se o músculo crescer. Queres uma dica...se queres resultados estéticos consideráveis, alimenta-te bem e aposta em treinos de hipertrofia (à séria,e não com cotonetes ;) ) e menos no cardio. Agora se o teu foco actual é melhorar a performance de maratonista ao invés do resultado estético a história é outra...não se pode ter tudo...
      Beijinho e bons treinos :) Maria

      Eliminar
  8. Quantos litros de água tens bebido por dia? :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Existem nutricionistas que dizem que beber muita água também faz mal. Lá está, tudo o que é excessivo faz mal. Acho que 2 litros é demais.

      Eliminar
  9. Pipoca tu desculpa mas queixares te das gorduras é o mesmo mal comparado que alguém se colocar em frente ao ipo a choramingar que tem sinusite. É que não tem nada a ver mas pronto, oxalá não fiques um dia obesa para te lamentares de verdade.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Enquanto as pessoas não perceberem que a magreza não é necessariamente sinónimo de saúde vamos ter sempre comentários desinformados como este. Há um ano pesava o mesmo que peso hoje, mas tinha mais sete por cento de massa gorda. É óbvio que hoje sou mais saudável. Há pessoas muito magras que a nível de massa gorda estão proximas da obesidade.

      Eliminar
    2. É isso mesmo Pipoca. Eu sou magra, no entanto também tenho vindo a combater contra uma % de massa gorda como se fosse visivelmente gorda. Uma coisa não é sinónimo da outra.

      http://janeiroemparis.blogspot.pt/

      Eliminar
    3. Mas caramba, anónimo das 01h04 não viu a reportagem? Devia ter visto. Foi dito declaradamente por um médico que o facto de a pessoa ser considerada magra, não implica poder comer doces que nem uma louca. Acima de tudo é uma questão de saúde e das doenças que podem advir daí: diabetes, colestrol elevado, etc, etc.

      Eliminar
  10. Ana fazes bem. Desde que tive o cancro que me "enfiei" em livros de médicos especialistas em nutrição para entender um pouco a influência dos alimentos na nossa saúde. E açúcar (além das farinhas brancas e dos oleos processados) é um dos maiores vilões de todos os tempos. Para teres uma ideia, um dos principais exames que existem para detectar se temos tumores no corpo é o PET Scan. E o contraste que injetam no sangue é glicose pura. Os pontos que reagirem à glicose (um dos maiores promotores de tumores) são potenciais tumores malignos.

    Sou louca por chocolates mas agora substitui pelos mais naturais: cacau 70% e adoçados com açucar de coco. São ótimos e matam a vontade louca e descontrolada. Aprendi até a fazer brigadeiros funcionais e são otimos :).

    Beijinhos e força nisso. (ah, nao podias ter começado só amanhã?! Punires-te numa data como esta aumenta o cortisol, hormonio do stress e isso também pode causar açoes inflamatorias no corpo. É tudo uma questão de equilibrio e pesares o que te vai fazer mais mal. Uma dica extra é nao tomares refrigerantes de todo. Eles são venenos mesmo.)

    Good luck magrela

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O contraste introduzido na PET não é a glicose como a conhecemos e o facto de se ligar ao tumor demonstra apenas que as células malignas têm altas taxas metabólicas (por proliferarem a tanta velocidade) e precisam de substracto para se alimentar.

      Eliminar
    2. O cortisol tem exactamente uma acção contrária à inflamatória.

      Eliminar
  11. Bom dia. Realmente os açucares refinados são um veneno para o nosso organismo.
    Pipoca este fim-de-semana comecei novamente com as corridas, mas na aldeia onde moro, 1 km corresponde quase a 10 aí em lisbos, é que são só subidas a pique e descidas a pique.... Fiz 5 km em mais de uma hora. Hoje estou aqui no trabalho com umas dores nas pernas que nem imagina. Mas hoje vou novamente, mas só vou fazer 1 ou 2 kms.... Não é fácil.

    ResponderEliminar
  12. Pipoca, parabéns pela força de vontade. Eu admito que sou viciada em chocolate (e tudo o que é doce) e sim, é verdade que quando se tenta parar de enfardar se tem vontade de distribuir chapada.
    O açúcar é um vicio como outro qualquer .

    http://thesunnysideoflifeblog.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  13. Eu também tenho o mesmo problema. Sou uma falsa magra! Quem olha para mim diz que sou um esparguete, mas massa muscular não tenho nenhuma.
    Em relação à reportagem, preocupou-me por mim que adoro doces e tudo o que tenha açúcar! O meu marido também é bastante guloso o que não ajuda. Pelo menos cortámos em tudo o que é gaseificado cá em casa.
    Tenho uma filha com 2 anos e meio e ela é como eu, magra e tenho tido cuidado com o que lhe ofereço que possa ter açúcar. Ela é uma devoradora de fruta e come de tudo.
    Não sei se te acontece o mesmo, mas às vezes tenho umas picardias com os avós, porque lhe oferecem gomas, doces, chocolates, bolachas. Já lhes pedi para trocarem isso tudo por mimos, passeios no parque ou brinquedos. Prefiro ter um Toys R. Us no quarto do que a minha filha doente.
    Já fui chamada de Nazi e que coitadinha da menina que tem direito e que tem de gozar e aprender o que é a vida. Não a proibo totalmente, mas prefiro dar de 15 em 15 dias um docinho.
    Tenho uma amiga com 20 anos, que fui baby sitter dela. Confidenciou-me que aos 6 anos tinha 5 cáries e desvitalizou maior parte dos dentes. Aos 6 anos... Fiquei boquiaberta!
    Agora com uma segunda filha a caminho, estou duplamente preocupada com esta história dos açúcares e vou estar atenta. Acho que vou dar uso á Bimby e começar a fazer certas coisas em casa, como as bolachas, pão de forma, etc. pelo menos sei o que lá está.

    Bjs

    ResponderEliminar
  14. Estas decisões são sempre uma inspiração e se houver pelo menos uma pessoa a tentar ser mais saudável apenas por ler este texto, já valerá a pena. :) Eu vou tentar cortar nas porcarias (é tão difícil), prometo!

    http://entreosmeusdias.blogspot.pt

    ResponderEliminar
  15. Com força de vontade, consegue!

    http://adorosercomosou.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  16. Sempre me preocupei muito com a alimentação mas se antes olhava apenas as calorias, agora olho para toda a informação nutricional. É clichê, é verdade mas "somos o que comemos". Mesmo! E noto isso de cada vez que dou umas facadas na minha alimentação com pão, chocolates e coisas do género, Fico insuportável, mal disposta, enjoada, enfim...é tudo mau!

    ResponderEliminar
  17. Ora bem
    Comer hoje em diia é uma aventura. Antibióticos, fertilizantes, corantes e conservantes, não vamos fingir que o açúcar processado é o pior dos males.
    Isto acaba tudo numa alimentação sem excessos, porque todos os alimentos em excesso fazem mal (até as verduras). Isso dos herois e vilões da roda dos alimentos é um pouco como na política; o amigo de hoje é o inimigo de amanhã. Hoje anda tudo doido com sardinhas e cavalas, há uns anos atrás estas eram os demónios do prato, por serem... como diz a dona aqui da casa, gordices?
    É tudo uma questão de ter equilíbrio, e acima de tudo, comer o necessário para satisfazer o corpo, e também a alma, e ter prazer em comer. Se uma refeição é um sacrifício e uma provação, não vale a pena. Depois, fazer actividade física (nem que seja subir escadas ao invés de ir de elevador), uns exercícios enquanto se vê TV (aqui o je tem de pedalar enquanto vê um filme), e sim, evitar certas coisas, como aquelas refeições preparadas e congeladas.
    Não vale a pena estar a fazer dramas.

    Gajo

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Concordo. Evitar aquilo que já se sabe que faz mal: refrigerantes, doces, fritos, carnes vermelhas, refeições pré-feitas, muito sal, etc... mas se se comer de vez em quando, não vem daí mal ao mundo. Ter certos hábitos saudáveis: beber bastante água, comer frutas e vegetais, fazer exercício, etc. Tirando isso, é comer de forma diversa e equilibrada, ter por norma uma alimentação regrada, mas não fazendo dramas quando se "sai da linha". Eu mantenho esta lógica desde pequena, sempre assim fui habituada pelos meus pais e nunca fiz dietas ou cortes drásticos disto e daquilo... nunca oscilei muito de peso. Não sou magra, mas também não tenho excesso de peso (1,68m / 60kg), vou fazendo análises anualmente e está tudo bem, é o que me interessa :)

      Eliminar
    2. Era o que mais faltava, com todas as dores de cabeça que já tenho, ainda estar a medir a massa gorda e derivados. Já me basta controlar aqui que se tem de controlar a partir de certa idade (colesterol, ácido úrico, ...), para agora andar com picuínhices que fazem sentido apenas em pessoas com doenças ou em desportistas profissionais.
      Desde que um indivíduo se sinta bem (e cada um deve conhecer o seu corpo), siga

      (depois hé opções... não toco em molhos, mas simplesmente porque não gosto, é raro usar óleo, preferindo o azeite, colas e refrigerantes só de ano a ano... mas é mesmo por não apreciar. E sal, é directo da salina)

      Gajo (outra vez)

      Eliminar
  18. Concordo, acho que tudo tem a ver com equilíbrio, mas não condeno, e até apoio a decisão da Pipoca. Acho muito bem tentarmos ao máximo retirar os doces da nossa vida, principalmente aqueles que têm açúcar refinado, ou mesmo qualquer tipo de açúcar "artificial". O corpo habitua-se ao açúcar, começa a pedi-lo como uma droga. Eu própria noto isso, quanto mais como, mais vontade tenho e comer. E resistir a isto é como travar uma batalha : )

    http://mundodamafy.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  19. Desculpa pipoca, mas falando em rótulos, deverias ler os rótulos das bolachinhas que já mostraste aqui e verás que é só açucar e ingredientes artificiais. E as "maria" e papinhas que dão aos bebés?!!! AÇUCAR. Quando há opções muito mais saudáveis!

    ResponderEliminar
  20. Fui só eu que achei a reportagem extremamente alarmista?
    É que as tantas já nem sabia o que podia comer, ora se não se pode comer açúcar ou sal, beber leite, comer iogurtes líquidos ou com pedaços, cereais de pequeno almoço entre outros alimentos, sobra o que?!
    Vamos todos começar a deixar a comida insonsa e ''alimenta-mo-nos'' apenas de água?
    Concordo que se deva ter uma alimentação regrada e que se deve moderar o excesso de alguns alimentos, mas nem 8 nem 80.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Insonsa é a comida que não é sonsa? x)

      Eliminar
    2. Não é alarmista, é informada.
      não deve comer açúcar nem sal; claro que não.
      não deve beber leite nem derivados (por razões de saúde além de éticas);
      os cereais de pequeno-almoço são o maior erro que pode cometer todas as manhãs.

      Ter atenção à origem da carne e do peixe que consome e privilegiar alimentos de origem biológica e não achar que "fruta" é tão saudável como legumes... enfim, por algum motivo a gastronomia japonesa é das mais saudáveis do mundo (e não estou a falar de sushi, muito menos essa porcaria panada que nos impingem por aí).

      Arroz selvagem e legumes, caldos, chás e água como base de alimentação. E tudo o resto, quando o rei faz anos, de preferência apenas em anos bissextos. Comida de verdade, identificável e feita por nós. Dá mais trabalho, mas não é difícil.

      Eliminar
    3. Às vezes fez-me melhor figura depois de fazer uma pesquisa... Isto da Internet não serve só para ler blogs.

      http://www.flip.pt/Duvidas-Linguisticas/Duvida-Linguistica.aspx?DID=3839

      Eliminar
    4. E também vale para o anónimo das 12.51. Não há duplo hífen em alimentamo-nos.

      Eliminar
    5. Pessoas que levam tudo a sério...

      Eliminar
    6. Adorei a comida que não é sonsa, o que me ri xD

      Eliminar
    7. Anónimo das 16.21, mais sentido de humor.

      Eliminar
  21. esta conversa deu-me vontade de dar uma trinca no meu coelhinho de chocolate :)

    ResponderEliminar
  22. Vi essa reportagem e a única duvida com que fiquei foi: substituimos por quê?
    Óbvio que os refrigerantes e os cereais substituimos por água e pão, mas o fiambre? Os iogurtes? É complicado privarmo-nos de tudo... as crianças nao podem comer pão com fiambre vão comer com quê? Manteiga? Não é muito pior..? Fico confusa com o que afinal se pode comer...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Comida de verdade. Cada vez acredito mais no estilo de vida paleo

      Eliminar
  23. Admiro a decisão! Já ficava muito contente se conseguisse não comer um único docinho durante uma semana... De facto, não nos faz bem nenhum! :)

    ResponderEliminar
  24. A Pipoca é a maior se conseguir, eu acho que esses extremos só servem para nos deixar muito mal humoradas. Uma vez tentei uma detox de uma semana só aguentei 5 dias, senti-me a pessoa mais infeliz do mundo. Dá para emagrecer, mas também se recupera facilmente. Tem de haver o meio termo, a mim apetece-me comer um pacote inteirinho de amêndoas, como 2 ou 3 e pronto ta feito de amêndoas para o dia.
    Boa sorte!!

    ResponderEliminar
  25. Pelos vistos foi uma boa peça para chamar a atenção e relembrar a muita gente a importância da alimentação. Mas quero acreditar que se trata de uma reportagem com entrevistados escolhidos a dedo. Ou então eu e os que me rodeiam somos todos suprasumos da informação e inteligência. Falam como se estivessem a transmitir a última bomba de informação mas quero acreditar que a maioria das pessoas sabe que beber 1L de coca-cola por dia só pode fazer mal, mas está-se nas tintas naquele momento para esse facto (mais ou menos como eu quando como um pacote de bolachas de rajada em alturas críticas). A sério que é novidade para a maioria da população que comer chocolates todos os dias, beber aos 4 e 5 refrigerantes diários e enfardar cerelac é prejudicial à saúde? Sobretudo em crianças? Ou que a sopa, alimentos não processados são infinitamente mais saudáveis? Ou que a publicidade feita a muitos dos produtos com jovens magras e bonitas ou miúdos felizes e sorridentes é enganosa porque se formos olhar para o rótulo vê-se toda uma panóplia de ingredientes que seriam bons era abolidos da dieta? Ou gente que não percebe como é que os filhos com estes hábitos associados a sedentarismo podem ter começado a ficar chubby, se até bebem tanto "chá gelado"?
    Oh well, ainda há um longo caminho a percorrer.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Madalena, também fiquei perplexa com um dos pais, até ter sido alertado pela médica para o facto de os filhos terem peso na ordem dos três digítos, que afirmou sempre ter considerado uma opção saudável os filhos beberem litros de ice tea. E continuo a dar por mim a pensar o que é que estas pessoas lêem, o que vêem, o que ouvem, com quem convivem ou conversam; sou só eu que penso que não é necessário andar no supermercado de nariz enfiado nos rótulos para se fazer uma alimentação saudável? Que eu e a Madalena e os que a rodeiam a mim e a si não somos suprasumos da informação e inteligência mas apenas gente com algum senso comum? E que educámos, ou nos educaram, o paladar para que comer seja satisfazer com gosto e prazer as óbvias necessidades alimentares? Que o longo caminho a percorrer de que fala passa por rever as "nossas" prioridades" enquanto seres humanos?

      Eliminar
  26. High five, Pipoca! Já somos duas a resistir! Freneticamente! (e a qualquer minuta a distribuir chapadas...)

    Boa páscoa!
    Inês
    http://maniadostupperwares.blogs.sapo.pt/

    ResponderEliminar
  27. Olá Ana!

    Vou comentar com perfil anónimo porque me é muito difícil expor o assunto com identidade própria.

    Eu sempre lutei contra o excesso de peso. Cheguei mesmo a engravidar com 100kg, após ter perdido 14 (imagine!). Cheguei às 38 semanas com 128kg. Felizmente, a minha bebé nasceu saudável, mas eu tive complicações profundas. Nada que tivesse deixado sequela, mas poderia ter sido feio.

    Após o parto, continuei gorda. Perdi logo 14kg, mas mantive-me entre os 112 - 116 durante estes últimos 3 anos.

    Em novembro, já vítima de uma depressão reativa, com ataques de pânico por fobia de morte súbita, tomei a decisão mais drástica da minha vida: acabar com o meu sofrimento. Cortei o açúcar todo. Não há açúcar. Ponto final. E também não há gorduras.

    Pelo meio, veio o Natal, o dia de Reis, o Carnaval, aniversários de família, Páscoa, etc. Nestes dias, permiti-me tocar em uma ou outra coisa, mas com uma regra: nunca mais comeria doces às escondidas. Tudo o que eu comesse, seria submetido ao escrutínio social. Foi o bastante.

    Volvidos 4 meses e 3 semanas, eu já perdi 30 kg. E tenciono continuar! Faltam-me 20 kg para chegar ao meu objetivo. Mas aquele graaaande passo, o primeiro, eu já dei.

    E não me vou pôr com epifanias, a dizer que a minha vida mudou, que sou outra, que nunca mais volto ao peso que tinha, porque tenho muito medo da primeira dentada. Há pessoas que se viciam em álcool e sabem que não podem beber o primeiro copo. Eu, bem... Eu sou viciada em açúcar e não posso ingerir o primeiro. Prefiro recusar todo o açúcar e gorduras do que voltar a sentir-me um trapo que se esconde em casacos que mais parecem cortinados.

    Um beijinho. :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Joana Vasconcelos?

      Eliminar
    2. :) Não.

      Ninguém conhecido. Uma anónima mesmo. Só que, por ser uma situação de tanta exposição, não quis colocar o meu nome como habitualmente faço. Cumprimentos!

      Eliminar
  28. À malta dos fundamentalismos, que não comem açúcar, lactose, carne, peixe, glúten e sei lá eu mais o quê: viver mata, sabem? Ninguém escapa, por muito que nos esforcemos. Até o Manoel de Oliveira morreu!
    Por isso comam o mais saudável que possam, que fazem muito bem - mas deixem-se de extremismos, sim?

    ResponderEliminar
  29. A minha opinião é, nada de extremismos. Somos humanos e não máquinas. E se somos humanos tb temos que ser inteligentes ao ponto de comer de tudo com moderação e consciência.
    Eu agradeço todos os dias ter comida na mesa. Os extremismos ou fundamentalismos, sem açucar, sem gluten,sem lactose, sem…sem….são hoje quase uma luxúria. E que tal comer aquilo que a terra nos dá.

    ResponderEliminar
  30. Ola Ana,

    Ainda antes da gravidez, uma vez quando começaste a fazer exercício em 2011 ou 2012, não tinhas a massa gorda algures nos trinta e pouco? Tenho uma leve lembrança disso (porque também sou magra mas depois a massa gorda era o ai jesus). Se sim, ainda é mais incrível já ires nos 18, deve ser uma otima sensação. Eu ja te acho otima assim, mas percebo o que alguem comentou de nao pareceres muito definida. Eu também não, e acho que a genetica também aqui tme algo a dizer. Ha quem sem fazer exercicio e com a massa gorda mais elevada tenha um ar muito mais firme e tonificado que eu que me mato diariamente.

    ResponderEliminar
  31. Pois que aqui fica escrito que no próximo mês farei a mesma experiência! Quando decidi ter mais e melhor cuidado comigo comecei a sentir melhorias aos poucos, no entanto, sei perfeitamente que continuo a fazer asneiras (esporádicas) que só me prejudicam. Mas o raio do chocolate é do Demo mesmo! Uma vez que no início deste mês comecei a ter ainda mais cuidado com a alimentação, experimentar fazer um mês sem gordices parece-me um bom acrescento! ;)
    Força estamos contigo!!
    Cris

    www.lima-limao.pt

    ResponderEliminar
  32. Pipoca, estou contigo, comecei foi dia 6 :) quando mencionaste os alimentos que não vais tocar durante o mês de abril referiste bolachas. Retiraste todo o tipo ou aquelas de chocolate e todos os extras?
    Força, vai valer a pena, se bem que considero que já só precises manter.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. fiquei com esta mesma dúvida Ana

      Eliminar
  33. Por falar em alimentação saudável, não há nenhum espaço em Lisboa onde se vendam paes/bolachas/bolos vegam e sem glúten ? Como a sweet baby cakes em LA ??

    ResponderEliminar
  34. O dia 30 já passou e ainda não disseste como correu o abril sem gordice. Aguardo ansiosamente.

    ResponderEliminar

Teorias absolutamente espectaculares

AddThis