Pub SAPO pushdown

O Problema Não És Tu, Sou Eu

segunda-feira, outubro 13, 2014
No final do ano passado dei uma entrevista à revista CARAS e o título que escolheram foi qualquer coisa como "em 2014 vou lançar dois livros". A pressão estava lançada. Já andava a pensar neles, já estavam mais ou mesmo delineados, só me faltava mesmo escrevê-los. O primeiro foi o "Pum", a minha primeira incursão no mundo da literatura infantil. O segundo era mais voltado para os crescidos. Ou, melhor dizendo, para as crescidas. Depois de muitos anos a consumir O Sexo e a Cidade desenfreadamente, percebi que sempre dei por mim a responder às perguntas que a Carrie lançava no final de cada episódio. Algumas eram de fácil resposta, já tinha passado por aquelas situações, outras eram mais complicadas ou eram coisas que ainda não tinha vivido. Algumas dessas perguntas foram a base para o meu novo livro, que chega no dia 22 de Outubro. Tendo um público maioritariamente feminino, é normal que vá estando sempre atenta àquilo que vos preocupa. Sobretudo às mulheres que estão a entrar ou que já estão na casa dos trinta. E se nunca aparecer o homem certo?  Tenho filhos ou invisto na carreira? Como é que se lida com uma traição?  Como ser boa mãe, mulher, amiga e profissional? Estas são apenas algumas das 40 perguntas às quais respondo neste O Problema Não És Tu, Sou Eu

É um livro mais focado nas relações (e nas mentiras que vamos contando a nós mesmas), mas aborda vários outros temas que nos tocam. Há alguns dias perguntei-vos quais eram as grandes preocupações das mulheres de 30. Estava mesmo, mesmo na recta final do livro, mas acabei por incluir algumas das vossas sugestões, as que me pareceram mais pertinentes ou coisas nas quais não tinha pensado. Foram muitos meses de trabalho, algumas histórias recolhidas, muitas viagens na memória e nas minhas próprias vivências. Muitas vezes perguntam-me porque é que os textos mais pessoais ficam um bocadinho esquecidos no blog. Têm aqui a resposta: chama-se livro e é uma coisa que me dá tanto prazer como me consome tempo. Chegar ao fim é sempre incrível. Porque é mais uma página que se vira e porque, como é óbvio, escrevo para vocês e a vossa opinião é o que realmente interessa. Tal como explico no prefácio do livro, estou longe de ser uma guru ou saber tudo da vida. Há tanto que não sei. As minhas teorias, muito provavelmente, não vão mudar a vossa vida. São apenas opiniões com base na minha experiência (que é diferente da de toda a gente mas com pontos que se tocam) e com o registo que já conhecem: divertido, irónico, sério quando tem de ser. Se vos conseguir arrancar umas gargalhadas é perfeito. Se, pelo meio, vos conseguir deixar a pensar numa ou noutra coisa, então melhor ainda. =)


98 comentários:

  1. Adoro 😁 agora tens de vir a braga apresenta.lo 😉
    Parabens pipoca 😃

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Se a Pipoca viesse a Braga até organizavamos um jantar de fãs da Pipoca :p

      Eliminar
    2. Muito apoiado :)

      Eliminar
    3. Contem comigo :)

      Eliminar
    4. Eu dei a ideia de vir a braga se for preciso tb organizo o jantar 😁

      Eliminar
    5. Vans levá-la a taberna belga e provar a melhor francesinha 😃

      Eliminar
    6. Isso é que era uma boa ideia! :)

      Eliminar
  2. Vem meeesmo a tempo do meu aniversário!
    Mal posso esperar. Parabéns, Ana! :)

    ResponderEliminar
  3. Parabéns pipoca !! 2 livros num mês é obra!

    ResponderEliminar
  4. Já estou a dar santinhos de alegria!

    ResponderEliminar
  5. Parece-me interessante. Mais um projecto concretizado, muitos parabéns.

    ResponderEliminar
  6. Parabéns e boa sorte.

    www.prontaevestida.com

    ResponderEliminar
  7. Pronto, já tenho o próximo livro para ler! Parabéns e OBRIGADA!

    ResponderEliminar
  8. Tu és muito boss mesmo! :) Quando for grande está decidido: vou ser como tu!
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  9. Parabéns Ana! Mais um livro para nos deliciarmos com a tua escrita.

    http://thelusofrenchie.blogspot.pt

    ResponderEliminar
  10. Quero ler esse livro, já! eheh ;)

    ResponderEliminar
  11. Ja estou curiosa ♥

    Dilemmaqueen.blogspot.com
    www.facebook.com/dilemmaqueen13

    ResponderEliminar
  12. Muitos parabéns! Ansiosa por ler ;)

    Há um tema que gostava que de ver abordado no blog ou até mesmo no livro.

    Como se lida com um namorado/marido que já tem filhos de outra relação?

    É fácil? Como é que se gere? É algo difícil de ultrapassar?

    E pensar em ter filhos com esse mesmo namorado/marido?
    Diz o povo que aquela história de "os meus, os teus, os nossos" não é fácil...

    E eu estou em vias de entrar num relacionamento que já trás "brinde" e não sei que fazer...

    Obrigado e beijinhos,
    Ana Matos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. FOGE!!! ficas com a sombra da Ex. dele FOREVER (ou melhor, até ao fim da relação)

      Eliminar
    2. Esse tema a mim támbem me interessava e muito Pipoca se pudesses responder.
      Muitos parabéns pelos livros lançados e continuação de bons projectos.Beijinhos.

      Eliminar
    3. Pensa assim: se as mães por vezes sentem vontade de pendurar os filhos na "corda da roupa" quando fazem disparates... agora imagina o que vais sentir quando os filhos da outra fizerem birras nos restaurantes, adoecerem no dia em que vais de fim de semana romantico, te vomitatem no sofá...e por aí fora... no inicio até pode ser giro mas depois quando a Paixão que sentes pelo pai da criança começar a acalmar, o filho só atrapalha.

      Eliminar
    4. Que calculismo que para aqui vai... Que horror.

      Eliminar
    5. Ui... não é nada, mas mesmo nada fácil. E nem é tanto pelas criancinhas, porque com honestidade e respeito a coisa dá-se (uns dias melhor, outros pior... como em tudo na vida). O cerne da questão é mesmo a ex-mulher. Choca-me que hajam (cada vez mais) mães a usar despudoradamente os filhos para atingirem os ex e as respectivas, quando deviam ser as mais interessadas em salvaguardar os filhos. Há matéria para, no mínimo, uma enciclopédia. ..

      Eliminar
    6. Quando há amor tudo se ultrapassa. Sou divorciada e tenho dois filhos. O meu marido era divorciado mas sem filhos. Estamos juntos há oito anos. Têm havido dias muito bons e dias menos bons, mas tudo se tem resolvido. Os meus miúdos já tiveram discussões, já se zangaram, mas no fundo tudo foi ultrapassado. Quem não nos conhece acha que os meus miúdos são filhos dele e nenhum deles desmente.
      Se gosta mesmo do homem, vá em frente. Essas arautas da desgraça não merecem crédito. Já pensou que nas famílias tradicionais também existem discussões?
      IM

      Eliminar
    7. Oh Ana Matos, não se assuste! O veneno que por aqui vai.. O meu namorado tem um filho de 7 anos, estamos juntos à 5 e nunca tive problemas! A ex-companheira dele tb refez a sua vida, e sempre tivemos uma relação cordial. No inicio foi estranho, como é óbvio, mas ajuda quando os adultos sabem lidar com a situação e pensam mais no bem-estar da criança do que no que os levou a separarem-se. O R vive com a mãe, mas vem connosco sempre que lhe apetece, nunca houve datas "obrigatórias" e isso fez-lhe sempre perceber que era bem vindo a qualquer hora! E nunca fizemos tabu conversar sobre a mãe dele, não perguntamos nada mas se ele puxar o tema não mudamos de conversa. Às vezes há a conversa do "a minha mãe deixa fazer e tu não!", mas vamo-nos habituando a contornar isso.. E como eu adoro aquele miúdo!! :)
      Bem sei que cada caso é um caso.. mas com calma e cordialidade levamos bem a coisa.. Boa sorte para si! ;)

      Eliminar
    8. Ana Matos, não te digo para fugires a 7 pés, mas digo-te que tens de ter um arcaboiço relativamente forte para essa situação. Falo por experiência própria, claro. Quando não existe uma ex bem formada e que não aceita a rejeição é mesmo complicado. Claro que com o tempo, tudo se vai compondo mas os primeiros anos (sim, anos!) não são fáceis. Boa sorte! :)

      Eliminar
    9. A Pipoca pode responder a isso, tem essa experiência. Já passou pela fase do "filho do marido" e agora "filho do marido e filho do casal". São temas de facto interessantes de serem analisados mas acho que cada história é diferente

      Eliminar
    10. Eu não sei se esse tema já estará abordado no livro uma vez que o Arrumadinho tem um filho anterior ao relacionamento com a Pipoca... Pelo sim pelo não, se não estiver penso que a Ana é a pessoa indicada para falar da situação.

      Eliminar
    11. A sério, anónimos das 19:12 e das 20:05? Espero sinceramente que não tenham mais de 18 anos com essa mentalidade infantil e ridícula. Realmente, é melhor que não se aproximem de crianças nem dos outros nem vossas, porque claramente não têm estrutura mental para lidar com elas. Os meus pais divorciaram-se quando eu era pequena (4 anos) e ambos refizeram as suas vidas com outras pessoas mesmo já tendo uma filha, ainda por cima pequenita (que, no caso da minha mãe, vivia com ela e era prioridade absoluta na sua vida). Tanto o meu padrasto como as minhas duas madrastas (sucessivas, entenda-se) foram sempre impecáveis comigo, estivesse eu num dia bom ou mau. E sim, usei algumas vezes o argumento do "tu não és meu pai/minha mãe, não mandas em mim" numa birra ou outra. As crianças fazem isso e os adultos são estúpidos se se deixarem manipular/magoar por esse tipo de argumentação. Têm é que ter cabeça fria e dar o desconto. Quanto ao problema dos ex, bem, os maus pais como pessoas equilibradas e sãs da cabeça que foram, nunca me utilizaram como arma de arremesso entre si e muito menos queriam ser uma "sombra" na vida um do outro - cada um tomou o seu caminho. Histórias de terror também as há, mas certamente não é por causa das crianças, mas sim dos ex neuróticos e stalkers que por aí pululam. Quando há amor entre o casal não vejo porque é que o facto de existirem filhos de relações anteriores deve ser um impedimento, a meu ver não é, de todo. Aquilo dos "meus, teus e nossos" até dá origem a famílias bem giras, diversas e alegres. Tipo "família muito moderna". A sério malta, orientem-se.

      Eliminar
    12. Não é calculismo ou veneno, é o que é, é a realidade. Não façam um mar de rosas para depois a senhora ver como realmente são as coisas.
      No fundo dependerá de como for a ex e de como a relação tiver terminado, e não propriamente dos filhos. Relações que terminam por mútuo acordo, com ex equilibradas e que pensam no melhor para os filhos será tranquilo, haverá uma fase de adaptação normal. Não vê o caso da Júlia Pinheiro em que a enteada lhe chama "Mãedrasta", ou da ex-miss Portugal que se dá optimamente com o ex e a actual mulher dele?
      Quando as relações terminam mal, quando ainda há divórcios litigiosos a acontecer, quando o namorado deixa a ex pela própria (!), quando as ex não são mentalmente sãs e usam os filhos para se vingarem dos maridos, ui, deve ser da actual fugir, imagino, por muito amor que haja (alguém falou aqui em amor), só o amor não sustenta uma relação!!

      Eliminar
    13. "A pipoca é a pessoa indicada", por ter passado por isso. Mas não me parece lógico pedirem-lhe para se expor dessa forma, expondo a sua relação com o marido e com o filho deste, até porque a mãe da criança também pode ler o blog e se calhar não iria gostar de "se ver exposta" (à sua vida) dessa maneira.

      Eliminar
    14. Digo por experiência própria que não é nada fácil. É preciso muita maturidade para lidar com uma situação destas, coisa que, definitivamente, não devo ter. Penso que me irá custar para sempre. Eu não tenho filhos e não tenho nenhum interesse em aturar os filhos dos outros. Para mim será sempre o filho que tem com outra. Sim, tenho ciúmes disso. Além de que eu tenho interesse em estar com o meu namorado, não propriamente com o filho dele e as historinhas dele e impertinências. É complicado, se soubesse o que sei hoje nunca teria começado. .

      Eliminar
    15. É simplesmente contra-natura.

      Eliminar
    16. O meu marido separou-se da ex mulher há dez anos. tinha uma filha com 6 na altura. a menina foi sempre muito mimada. Mesmo muito. quando eu casei com o pai dela ela tinha 13 anos e a minha vida foi um inferno nessa altura. no entanto com muita paciencia e maturidade tudo se resolveu e damo-nos todos muito bem.

      Eliminar
  13. Acho sempre meio tonto estas "verdades universais" do genero mulheres coitadinhas que acham que sabem tudo e criticam os homens num rebanhismo que me incomoda, e sou mulher... enfim mas Parabéns.

    ResponderEliminar
  14. Parabéns Pipoca!!! Mesmo sem te conhecer pessoalmente sinto sempre um enorme orgulho por te ver concretizar mais um dos teus projectos e pela tua constante garra e força em continuar e ser feliz. Continua assim. :) E boa sorte para o que se seguirá.

    ResponderEliminar
  15. Ainda há pouco tempo falei disso no blog: http://daspalavras.blogs.sapo.pt/saber-se-ele-esta-interessado-com-3-53842

    E acho que NUNCA é demais lembrar, reler, ouvir outra vez. Somos umas tontas no que toca ao amor e queremos ver as coisas em cor-de-rosa...

    Parabéns por este livro que é de verdadeiro serviço público (espero conferir depois de ler).

    Maria das Palavras
    http://daspalavras.blogs.sapo.pt

    ResponderEliminar
  16. Precisamente no dia do meu aniversário, um presente perfeito, portanto! :p
    Parabéns por mais um projecto que, com certeza, terá muito sucesso, tal como todos os outros! A Pipoca é fantástica e quem passa por cá todos os dias, vai ficando e ficando e ficando, porque é impossível não gostar! :)
    E quando vier ao Porto apresentá-lo, lá estarei! :)
    Um grande beijinho*

    ResponderEliminar
  17. Versão e-book vamos ter, Ana!? Parabéns. Obrigada ;)

    ResponderEliminar
  18. Muitos parabéns!! Fiquei muito curiosa... Saindo de uma escritora como tu só pode estar genial! Vou ler de certeza :)

    Blog | Facebook | GIVEAWAY

    ResponderEliminar
  19. Parabéns! O próximo tem que ser sobre corridas, que motiva tanta gente :)

    ResponderEliminar
  20. Há uns valentes anos li um livro com os mesmos moldes e que realmente me abriu horizontes escrito pelos argumentistas do "Sexo e a Cidade", mais tarde fizeram até o filme baseado nesse mesmo livro. Chamava-se "Ele não está assim tão interessado". Aconselho sempre este gênero de livros porque desfaz muitos mitos que insistimos em criar.

    ResponderEliminar
  21. Parabëns Pipoca :) já li os outros e espero que este tenha um registo mais parecido com o teu primeiro livro que é, sem sombra de dúvidas, para mim o melhor!

    http://goingnorthtilnorway.blogspot.pt

    ResponderEliminar
  22. Complimenti!
    Simona
    http://lastramberia.wordpress.com/

    ResponderEliminar
  23. O titulo faz lembrar o livro da Sónia Morais Santos, "A culpa não é sempre da mãe".

    ResponderEliminar
  24. fiquei curiosa, vou ler de certeza ~
    beijinhos

    ResponderEliminar
  25. Parabéns Pipoca! Que seja um sucesso!!!
    (os pequenos cá de casa adoraram o "Pum")

    ResponderEliminar
  26. Algarve, vem ao Algarve pleeeeeeaase!!!

    ResponderEliminar
  27. Portanto, um livro que perpetua a ideia de que arranjar um homem está no centro da vida das mulheres.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não está no centro da vida das mulheres. Mas é a preocupação de muitas mulheres. Parece-me legítimo. Não pelo homem em si, mas pelo que isso pode representar: estabilidade emocional, família, etc.

      Eliminar
    2. Ou seja, estamos iguais desde que o mundo é mundo. Só que agora podemos votar, conduzir e vestir saias curtas sem sermos apedrejadas.
      Tudo gira em volta do macho homem.

      Eliminar
    3. Qual é o mal de uma mulher ter como um dos seus objectivos de vida arranjar um parceiro? Um parceiro que lhe permita uma vida a dois, e quem sabe a mais, preenchida emocionalmente. Não é por podermos votar e conduzir e usarmos calças, que temos de viver por nós próprias a vida toda. A procura da estabilidade emocional e de uma família, é uma característica natural do ser humano. Nem todos o desejam, é um facto, mas desejá-lo não é estar parado na pré-historia. Anular toda uma vida e uma identidade em prol de um homem, isso sim, é. São coisas bem diferentes.

      Eliminar
    4. Também não aprecio. Mas eu nunca gostei da série O Sexo e a Cidade :)
      Parabéns, em todo o caso!! A minha sobrinha adora o Pum! Acredito que este outro livro também terá sucesso para quem aprecia e género.
      Beijinhos

      Eliminar
    5. Como se os homens não procurassem uma mulher...
      Faz parte do nosso instinto mais primitivo procurar alguém para partilhar a vida, somos seres sociais.

      Eliminar
    6. WHAT?? Claro que estamos iguais desde o inicio do mundo, é isso que faz o mundo continuar, caso parássemos de procurar um homem (e vice-versa), a Humanidade extinguia-se!
      Coisas tão básicas e as pessoas não atingem nada, é preciso explicar tudo, cruzes!!

      Eliminar
    7. Pelos vistos foi a Sílvia quem não percebeu. É óbvio que os relacionamentos afetivos são importantes. O que não consigo perceber é a tendência para considerar "arranjar um homem" como uma coisa importantíssima, a necessidade de se lerem livros para tentar perceber os homens (como se os homens partilhassem todos das mesmas características, como se se pudesse efetuar tal exercício de reducionismo no que a pessoas diz respeito). Antes de sermos homens e mulheres, somos pessoas. Não leria um livro desse género da mesma maneira que nunca procurei "arranjar um homem" - quando aconteceu, aconteceu. E a melhor maneira para entender a pessoa com quem estamos é conhecê-la e confiar no nosso próprio julgamento, não é lendo livros para tentar entendê-la.

      Eliminar
    8. Sofia, compreendo-a. Mas nem todas as mulheres (ou pessoas, vá) têm a sua auto-confiança e discernimento. Algumas precisam de ajuda, seja de livros, de psicólogos, de gurus (!). Há pessoas que em determinados momentos da vida estão perdidas e procuram ajudar-se com qualquer coisa. Por isso há uma secção de auto-ajuda nas livrarias!
      Eu também não pretendo comprar os livros da Pipoca (sorry pipoca, mas a vida está difícil), assim como não compro livros de pediatras e dizer como hei-de criar o meu filho (pelos vistos nesses livros criam-se todos da mesma maneira, como se as crianças fossem todas iguais). No entanto, não julgo quem compra!

      Eliminar
    9. Além de que, "arranjar um homem" é uma coisa importantíssima como qualquer outra, ter uma carreira profissional, ter filhos, não fazer nada da vida, ter uma quinta e viver lá fechado, cada um sabe de si. E as prioridades cada um estabelece as suas! Digo eu, que não me importo com o que os outros querem, desde que não interfiram comigo!!

      Eliminar
    10. Subscrevo o comentário da Sofia. Partilho da opinião de que no campo dos relacionamentos afetivos/amorosos, "quanto mais se procura... menos se acha..."..." quanto mais uma mulher... se oferece/dá.... menos colhe..." , há que ter personalidade, não sofrer influências de terceiros(amiguinhos/as...por vezes da onça!), decidirmos pela nossa cabecinha....tudo deverá acontecer sem pressões... porque o que nos estiver destinado a nós virá (aplica-se a tudo na vida). Não obstante reconhecer o contributo que o livro da AGM poderá ter na " criação de Anticorpos"(a quem deles precise) contra relações falhadas..., creio que não será através de livros de aconselhamento que uma mulher "aprende" a " pescar" um homem, ou a proteger-se dos "trastes". Uma relação homem- mulher bem sucedida fica para além de qualquer descrição... e tantas já foram feitas de relações perfeitas... seus segredos... eficazes para uns casais, autênticos desastres para outros.

      Filipa

      Eliminar
  28. Queridos anónimos das 19h12 e 20h05:

    A SÉRIO?!

    Foge e um filho só atrapalha? São mesmo esses os vossos conselhos?
    Só rir! O que direi eu do meu padrasto que sempre foi um espetáculo comigo? Não deveria ele também de ter fugido?
    Só rir, é o que eu vos digo!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Joana Fonseca uma grande vénia para ti!!!! É que eu estava a ler os comentários daquela gentinha de mente pequena e só conseguia pensar que os pais e mães com filhos é que deviam fugir destes comentadores especiais. Com certeza gente assim não faz falta nenhuma na vida de uma criança ou de um pai. Com tempo para adaptação e amor tudo se resolve. Eu ganhei uma enteada-amiga-do-coração e as minhas filhas ganharam um padastro-super-amigo. Os ex são mesmo isso: EX. Se por algum motivo não entenderem isso é só esclarece-los.

      Eliminar
    2. Concordo em absoluto. A vida mudou tanto e hoje em dia as familias atipicas são mais que muitas, se tivermos esse tipo de fobia em relação a preencher a nossa vida pelo amor, é provavel que a nossa vida amorosa termine bem cedo, assim no final da relação com o namorado da adolescência. É que a seguir, a maioria das pessoas trazem 'bagagem', sejam homens ou mulheres.
      Penso que tudo na vida seja relativo e não devemos exagerar nos efeitos que pensamos ser negativos numa situação que não é tradicional.
      Eu tenho uma filha, o meu namorados tem 2 filhas, ambos temos ex's, afinal foge ele de mim ou eu dele?
      Acho sinceramente que o melhor é todos nos esforçarmos pela nossa felicidade e dos nossos filhos.

      Eliminar
  29. Qual Dr.Phil, qual Quintino Aires, daqui a nada é ver a Senhora dona Pipoca a abrir um consultório de psicologia , quem sabe sabe e má nada!

    ResponderEliminar
  30. Acho que já só falta escrever um livro sobre sexo, que lhe parece?

    ResponderEliminar
  31. Oh Pipoca eu sei que não nós conhecemos, nunca nós cruzamos mas, opá, eu adoro o teu trabalho, adorava fazer o que tu fazes, tenho a certeza que lutas e lutaste imenso para isso, acho fantástico seres o que és. Quando olho para ti, para o teu trabalho revejo-me, queria tanto fazer o que fazes. A sério, é um orgulho querer "ser como tu".
    Estás de parabéns, lidas com imensas coisas desagradáveis ao longo do tempo e és fantástica a nível profissional. Adoro :)

    Ana

    ResponderEliminar
  32. Existe muita inveja mesmo. Porque raio vos incomoda tanto a pipoca? Mais, porque perdem então o vosso tempo a vir aqui? Passem se ao estreito. Já não há paciência.

    ResponderEliminar
  33. Quero tantoooooo!!!😛parabéns Pipoca, estou ansiosa por ler!!!

    ResponderEliminar
  34. Estou ansiosa por lê-lo. Hoje estou bem no campo amoroso, aliás, muito bem, mas já tive os meus desgostos, e que desgostos.

    Parabéns por mais um livrinho Pipoquinha.

    http://agatadesaltosaltos.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  35. Parabéns Ana, tenho a certeza que vai ser um sucesso tendo em conta a tua escrita deliciosamente sarcástica, a tua ironia inteligente e sobretudo por causa do tema. Não, não, os homens não são o centro do nosso mundo, mas que dão pano para muita conversa, debate e dor de cabeça.. lá isso dão. Por isso o "sexo e a cidade" foi a série mais vista e adora de sempre.

    ResponderEliminar
  36. Bom dia Ana,
    Mais um desafio superado, as minhas felicitações.
    Um livro com um título sugestivo, que versa sobre uma temática bem complexa, senão das mais complexas... " as relações amorosas (hetero) ", já se publicaram milhares de livros sobre esse assunto intemporal e interminável, porque não mais um contributo?!, este de acordo com o que a Ana vivenciou, isto é By Pipoca !

    Bjo
    Maria do Mar

    ResponderEliminar
  37. Ora aí está um bom livrinho de aconselhamento (para estes lados as coisas não têm estado fáceis aliás, nada fáceis). Espero que corra tudo muito bem com o seu novo "mais novo"! :D

    ResponderEliminar
  38. Ui......um livro que promete!! Estou muito curiosa!!
    Parabéns!

    ResponderEliminar
  39. Muitos Parabéns!

    http://despertarosonho.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  40. Fez-me lembrar o livro - he's just not that into you, que deu origem a um filme com o mesmo nome. Quem sabe um dia... ahah para já, este está na lista de presentes de Natal para algumas amigas, e para mim!

    Parabéns Pipoca!

    http://ladocdavida.blogs.sapo.pt/

    ResponderEliminar
  41. Parabéns pelo mai novo!
    No entanto, permita-me fazer um reparo. A Ana já tem estofo e notoriedade suficientes para se descolar um pouco do blog, ou seja, ainda que este seja, à partida, a sua "identidade", parece-me que já não existe a necessidade de, nas suas obras literárias, colar ao seu nome "Autora do blog A Pipoca Mais Doce".
    Obviamente ajudará a incrementar as vendas, não tenho dúvidas disso, contudo julgo que a prejudica se tivermos em conta que, assim, irão sempre associá-la "àquela que escreve o blog" e não à escritora Ana Garcia Martins. O Pum é um bom exemplo da inutilidade de associar sempre o seu nome ao blog.
    Mas, mais uma vez, felicidades e parabéns pelo seu empreendedorismo.

    ResponderEliminar
  42. Conselhos do género e com sentido de humor é sempre bom!! Parabéns, Ana! ;)

    Style Statement

    http://www.style-statement.com/

    ResponderEliminar
  43. Gosto da analogia com o rabo da Kardashian :D Parabéns pelo livro, acredito que será um sucesso!

    www.chamavalheumfigo.blogs.sapo.pt

    ResponderEliminar
  44. É disto que a gente precisa, de um manual! :-)
    www.moncloset.com

    ResponderEliminar
  45. Que boa notícia! Mais um livro delicioso , que vou adorar ler.
    E claro tem que haver uma sessão de autógrafos no Porto.
    Parabéns e continuação de muito sucesso.

    ResponderEliminar
  46. Parabéns Ana!! Eu também tenho a certeza que vai ser um sucesso!! Beijinhos!

    Elena

    ResponderEliminar
  47. e sem a vírgula na capa do livro? :s

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A vírgula ficava estranha neste formato, pelo que a divisão frásica é feita pela diferença de cores do título. Mas não se preocupe, que a vírgula está na lombada, na contracapa e em todo o lado.

      Eliminar
    2. ahahah rio muito.

      Eliminar
  48. Vou identificar-me em muitas coisas, com certeza!

    ResponderEliminar
  49. Ana Parabéns pelo livro desejo sinceramente que seja um sucesso... nao é o meu género literário preferido mas quando for a uma livraria darei uma espreitadela na mesma!
    Queria deixar um conselho à ANA Matos. Por experiência própria va com calma e mesmo assim tem de colocar limites e ensinar os seus enteados que a base fundamental na vossa relação é o respeito mesmo que para ele lhe custe aceitar novos conjugues aos pais não nos pode fazer de saco de pancada ou manipular por isso! a minha relação quer com o meu enteado era simplesmente terrível porque sempre tentei ser amiga dele, ate que tive o meu próprio filho e sendo ele o mais novo imitava todo o que p mais velho fazia. Tive de dizer um basta! Apesar de so ter 8 anos disse lhe que não era mãe dele mas que apesar disso estaria aqui para o que ele precisasse mas que as coisas iam mudar que a partir daquele momento não iria admitir mais birras, mais manipulação ou mau comportamento quando estisse comigo porque se não me respeitasse eu também não o respeitaria a ele e ponha o de castigo sem qualquer problema! Ao princípio ignorou mas depois percebeu que estava a falar a sério e hoje as vezes ate me esqueco que não é meu filho. Tenho uma relação tao boa com ele como com o meu filho! uma vez li num artigo que "o os problemas dos nossos filhos nos trata mo los no psicologo, as nossas avos tratariam com uma palmada" Nao vou tao longe mas percebi que as vezes ser firme e não ceder apesar de todos nos dizerem que vao ficar traumatizados e é só uma fase e etc etc... as vezes é o melhor. ..

    ResponderEliminar
  50. Desejo muitas felicidades em mais este passo na tua carreira :)

    ResponderEliminar
  51. Opiniões são como as cerejas e desta vez, cá fica a minha: para a leitora Ana Matos, para a Pipoca e para as almas indignadas com mulheres à procura de homem ou mulheres que acham que lidar com crianças de relacionamentos anteriores é um mar de rosas:

    Ana Matos - o amor tudo consegue, mas entrar numa relação com bagagem de porão relevante (e quanto mais velhas as crianças, mais difícil) exige uma dedicação e uma abnegação que a vão fazer crescer muito, mas que também lhe vão dar muitos momentos de "mas porque é que eu me meti nisto". Mesmo com Exs bem formadas, mesmo com miúdos equilibrados, a sua rotina nunca vai depender só de vocês, nunca vai poder ser espontânea, nunca vai ser simples. Se com dois adultos a juntar mundos não é simples, com uma adulta a juntar mundo com uma família é bem mais complicado. Falo de experiência própria há 10 anos, já com um filho em comum. É muito, muito difícil. Principalmente lidar com as suas próprias expectativas de vida.

    Pipoca - muitos parabéns pelo livro. Há anos atrás tive de oferecer o "he's not that into you" a várias amigas que não viam a luz (se ele não manda mensagem NÃO É PORQUE ESTÁ TÃO CANSADO, COITADINHO!). Haver um livro com o mesmo tom em português é óptimo e somos todos muito mais parecidos do que gostaríamos de admitir, por isso os erros dos outros são um óptimo guia para os nossos.

    Almas indignadas com a redução da mulher a busca de homem: devem ser super-mulheres! A sério que nunca andaram atrás de ninguém? Que nunca sofreram horrores à espera de um telefonema/mail/indicação de vida? Que são assim tão satisfeitas com a vossa carreira que é o computador que vos aquece os pés à noite? Claro que nos realizamos nas relações amorosas. Claro que é bom ser independente. Não é isso que está em causa, são os momentos em que estamos tão apanhadas que não percebemos sequer a linguagem do senso-comum.

    Quanto mais pessoas a ler (e a escrever) sobre tudo e mais alguma coisa, melhor. Quanto menos dermos as nossas liberdades por garantidas, melhor.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Muito bem dito, não teria dito melhor! Aleluia, aguém com bom senso!

      Eliminar
    2. Não, nunca andei atrás de um homem. É suposto andar? Se um homem não me quer ou se não mostra o nível de interesse necessário, estou melhor sozinha. Isto parece-me básico.

      Eliminar
  52. PARABÉNS! Vai ser uma ótima compra de Natal.
    Sinceramente não gosto muito da capa... os desenhos são... estranhos. E a tua foto ali colada... bem. Mas isso não interessa. O que realmente importa é a minha louca curiosidade em lê-lo :) Felicidades!
    Susana Silva

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Por acaso gosto da capa, acho-a muito apelativa. Mas concordo que a localização da fotografia talvez não seja a melhor, mas ainda acerca da fotografia... Assim que vi pensei "A Ana está linda!" Esse azul fica-lhe super bem. E não sei porquê, mas achei que estava mesmo bonita, e parece mais nova e tudo, comparando com a fotografia do Estilo, disse ela. :) E claro...o livro já cá canta, venha o dia 22 de Outubro.

      Eliminar
  53. Ola pipoca!! Gostava de saber se vai haver um lançamento do livro em Lisboa, se houver tem de publicar o local e a hora para poder ir!! Beijinhos

    ResponderEliminar
  54. Soma e segue! Muitos parabéns :)

    ResponderEliminar
  55. Pipoca e um livro destinado para jovens a partir dos 18 anos! Gostaría imenso!!!!!

    ResponderEliminar

Teorias absolutamente espectaculares

AddThis