Pub SAPO pushdown

Eu também sou grande apreciadora do Oscar Mayar

domingo, outubro 12, 2014
A New in Town esteve na ModaLisboa e quis saber o que é que a malta achou do desfile do Oscar Mayar. As opiniões foram óptimas e super fundamentadas, tirando um pequeno e quase insignificante pormenor: o Oscar Mayar não existe, foi inventado pela NiT. Vale a pena ver. =)


47 comentários:

  1. Tãããããão bom! :D

    ResponderEliminar
  2. Pena não ser uma ideia original. Ficava bem dar o crédito a quem teve a ideia originalmente.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não faço ideia de quem teve a ideia original.

      Eliminar
    2. Fizeram o mesmo na ny fashion week..procure no youtube..penso que foi no programa do jimmy fallon..mas não tenho a certeza

      Eliminar
    3. por favor pessoa, quantas e quantas vezes em quantos e quantos sitios e situações se fazem coisas semelhantes ao que a nit fez e que apresenta no vídeo. deixe-se desses falsos moralismos, pode ser? até porque lá por terem feito onde diz que fizeram, será que foi essa a primeira vez? pois. poupe-nos! já enjoa haver sempre alguma alma pobrezinha a vir dizer mal e criticar até a coisinha menos importante.

      Eliminar
    4. O Jimmy Kimmel é que faz isto no programa dele e é muito bom. Dá uma vista de olhos, Pipoca. https://www.youtube.com/watch?v=Y1-4xJdCt5U
      Acho muito bom que a NiT faça isto em português, quando a ideia é boa, não há mal nenhum copiar.

      Eliminar
    5. A questão do plágio não deve ser considerada insignificante. Pois. Um pequeno pormenor que pode ter grandes consequências.

      Eliminar
    6. Sim..jimmy kimmel... Nao estou contra a nit ter feito o mesmo..so estava a tentar ilucidar a pipoca perante a sua resposta..

      Eliminar
    7. A MTV fez o mesmo num festival, penso que foi no Alive em 2013. Se bem me recordo, só uma pessoa admitiu não fazer ideia do que lhe estavam a perguntar. De resto, todos conheciam as bandas fictícias, alguns até tinham preferência em relação ao melhor álbum...
      É sempre divertido!

      Eliminar
    8. Plágio???! Ahahahahahah, há pessoas que querem falar e não sabem mesmo o que dizer! E os apanhados?? De quem foi a ideia original e como ousam reproduzir por esse mundo fora?? Tristes....

      Eliminar
    9. oi??!!
      Não li em que parte do posto a Pipoca diz que era uma ideia original.

      Eliminar
    10. aiiii que drama, algo do género já foi feito lá fora. Por comentários e pessoas assim é que Portugal é um país "pequinino" e sem importância (tal como pessoas que escrevem "plágio" ahahahha). aiiiiii (suspiro pela falta de criatividade e pela pequenez alheia).

      Eliminar
    11. Se calhar pretendia que o comentador das 01:24 escrevesse pelágio, não?
      ainda assim, nunca foi referido que a Ana o tivesse cometido, mas que o comentador das 23:18 defendia que "quantas e quantas vezes em quantos e quantos sitios e situações se fazem coisas semelhantes".
      Isto é, plágio.

      Eliminar
  3. Toda a gente sabe que tanto em Portugal como em outras partes do mundo, basta alguém colocar um microfone à frente da cara de algum cidadão, fazer-lhe a pergunta mais pateta que existe e eis que este/a desata a debitar as maiores enormidades que existem! E para mais na Moda Lisboa onde todaaaaa aquela malta está sequiosaaaa de palco!!!!Enfim!
    Eu tb gosto muito das criações do Oscar Mayar!
    Até já vi criações dele na Primaz!!!lLOL!!!

    ResponderEliminar
  4. Ahahahahah, muito bom! "Gostei muito das cores extravagantes e das franjas..." Foi muito bom, a paleta de cores pastel!" Ahahahah

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Filipa:

      Escreveste o que eu ia escrever ahahahahahaahaahahahaahah muito bom :-)

      Eliminar
  5. Se eu já achava a cultura da moda em Portugal muito pobre, isto só prova o quanto a maior parte que corre para esses eventos e que se diz "expert", não percebe A MÍNIMA, de moda.

    Adorei!

    ResponderEliminar
  6. Melhor, acho muito difícil! Esta gentinha realmente quer dar opiniões não interessa do que, interessa é dar!

    ResponderEliminar
  7. Comprovam-se as minhas suspeitas: até podem perceber muito de moda (??), mas metade deles não faz a mínima ideia do que viu! :p

    ResponderEliminar
  8. Morri! Ahahah, o melhor é ver uma pessoa conhecida no meio desta entrevista. A NIT já ganhou.

    ResponderEliminar
  9. E o ar convicto de quem percebe mesmo da coisa?? A-do-ro!! Ahahahaha

    ResponderEliminar
  10. "Porque tanto ele como eu estudamos moda..."
    Deve ser um belo curso, que até ensina o que não existe!

    ResponderEliminar
  11. Pipoquinha como vou a apresentação do Pum no Norteshopping?
    Espero que tenha corrido tudo muito bem, infelizmente não consegui ir :(( tenho imensa curiosidade em ver-te.

    ResponderEliminar
  12. Engraçado...mas mais do mesmo!

    ResponderEliminar
  13. I-N-A-C-R-E-D-I-T-Á-V-E-L!!! A sério que não houve uma só pessoa que tenha perguntado "Mas quem é o Oscar Mayar?" Por favor diga-me que ao menos uma pessoa detectou a "falha", senão a minha réstia de crença na humanidade fica já aqui....

    ResponderEliminar
  14. A sério?!! AHAHAH :D

    http://agatadesaltosaltos.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  15. só prova os mentecaptos que frequentam este tipo de "eventos" cocó na cabeça !!!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Nao ha mais nada a acrescentar. Disse tudo!

      Eliminar
  16. Tão típico de gentinha que se quer mostrar importante lol.....

    ResponderEliminar
  17. Eu quase acreditei que o senhor existia mesmo, e a NIT estava só a ser mazinha lol!

    http://myviewpoint.blogs.sapo.pt/

    ResponderEliminar
  18. Bem me parecia que tinha visto um nome parecido em algum lado lol

    http://www.kraftbrands.com/oscarmayer/

    ResponderEliminar
  19. E pergunto eu: Esta gente sabe que está a passar no youtube? lol

    www.moncloset.com

    ResponderEliminar
  20. Devem treinar estas respostas ao espelho antes de sair de casa...

    ResponderEliminar
  21. Se calhar, os entrevistados, referiam-se à paleta de cores e brilhos da salsicha da OSCAR MAYER, verdadeiro ícone americano...

    ResponderEliminar
  22. É com o acento ao contrário? Pensava que isso era uma empresa fundada por jornalistas...

    ResponderEliminar
  23. Pipoca: está na altura de bater na bronca da praxe!

    http://5dias.wordpress.com/2014/02/06/o-meu-testemunho-pessoal-fui-praxado-praxei-hoje-sou-anti-praxe/

    O meu testemunho pessoal: fui praxado, praxei. Hoje sou anti-praxe.
    Publicado em Fevereiro 6, 2014 por João Labrincha
    Curiosamente, conheci a praxe como caloiro em 3 universidades diferentes.
    Aveiro
    Entrei na Universidade do Porto. Mas, nessa altura, as admissões não saiam online: eram afixadas num pavilhão da minha cidade-natal, Aveiro, onde grupos de trajados se acotovelavam para perceber se xs caloirxs encontravam os seus nomes nas listas, prontos a praxar – perdão: a fazer a faina, como lhe chamam, roubando a expressão a tão nobre arte aveirense.
    Quando dei por mim, uma simpática “veterana” estava a pintar-me a cara com dizeres homofóbicos e a encher-me de farinha, sempre de sorriso na cara – eu feliz por ter entrado e, por isso, ter direito ao ritual; ela porque certamente não tinha mais nada de interessante para fazer na sua vida pessoal e naquele local havia muitx caloirx ignorante de que, segundo os códigos de praxe/faina/trote/bla, não podiam ser praxadxs por quem não fosse do seu curso e universidade.
    A minha ansiedade e até algum medo misturavam-se com a excitação, que começou a decrescer quando fui levado com um grupo de caloirxs para a entrada de um centro comercial, colocado em roda e informado que teríamos que passar um pau de boca em boca, que ia ficando cada vez mais pequeno: nisto, uma caloira começa a chorar por não se sentir à vontade com o múltiplo contacto bocal e, após muita coacção, acabou por conseguir sair da roda. Tudo aquilo me fez pouco sentido. Enquanto nos diziam que não podíamos ser maricas, forçavam-nos a tocar com as bocas uns nos outros… Parecia mais uma actividade de pré-adolescentes hormonados do que um ritual de quem está para entrar na vida adulta. E, no geral, pareceu-me mais negativo do que positivo mas quis pensar que o problema fosse meu e que tivesse que fazer o esforço de me “integrar” – se toda a gente o fazia, talvez fosse eu quem estivesse a ver pela perspectiva errada…

    Porto
    Chegado ao Porto, decido voluntariar-me para ser praxado, porque mais nenhuma actividade de integração existia e, ao fim de alguns dias a deambular sozinho pela faculdade, pensei que pudesse tirar algum partido social da dita “tradição” (que no Porto nunca o foi) – até porque integrar-me no contexto de sala de aula era muito difícil, já que quase ninguém comparecia às mesmas no início do semestre, a fim de estarem presentes nos rituais de praxe.

    ResponderEliminar
  24. povinho a mostrar que é fashion e entendido...

    ResponderEliminar
  25. Giro, giro era terem feito estas perguntas aos nossos ''vips''. Isso é que era.

    Cláudia

    ResponderEliminar
  26. Com tanta convicção nas respostas, ninguém diria que ele não existe ahahahahahahah

    ResponderEliminar

Teorias absolutamente espectaculares

AddThis