Pub SAPO pushdown

O guardador de lugares

sábado, julho 26, 2014
O título deste post podia ser o nome de uma obra do Alberto Caeiro, mas não. Se há fenómeno que me intriga é o das pessoas que vão mais cedo para a praia só para reservarem lugar. Eu chego todos os dias à praia às nove e tal da matina e já há uma data de chapéus montados com várias toalhas à volta. Os donos, esses, só chegam um par de horas depois. E o que eu me pergunto é: o que é que ficam a fazer entre a montagem do chapéu e o voltarem de novo para a praia? Vão para casa dormir? Tipo "eh pá, vou acordar às seis e vinte da manhã para ir pôr o chapéu à praia, mas depois volto para a cama, que uma 'ssoa tem de descansar os ossos". Porque é que não ficam logo na praia? Porque é que não dormem na toalha? Porque é que não aproveitam? Ou será que vão para casa aspirar, mudar a água aos periquitos e pôr a vidinha em ordem, sempre com a segurança de terem o seu metro quadrado de areal reservado? Mas que necessidade é esta de guardar lugar? A praia é enorme, mais 50 metros para a direita, mais 50 metros para a esquerda, o que é que interessa? "Ah, não, eu tenho de guardar o meu lugarito perto da passadeira que é para depois andar menos!", deve ser esta a lógica que impera. E que cai por terra quando andam a fazer piscinas entre casa e a praia para montarem chapéus de madrugada. Confesso que me apetece enervar esta gente. Todos os dias olho para aqueles chapéus e tenho um desejo retorcido de mudá-los de sítio. Ou de esconder as toalhas, tipo enterradinhas na areia. Só para a rambóia. Mas temo que isto seja gente que leva a vida demasiado a sério, por isso é melhor não atiçar as  feras. 



Diria que esta coisa de guardar lugar (na praia, em restaurantes, onde for) é uma coisa tipicamente portuguesa, mas já tive várias provas de que não. Quando fomos a Cabo Verde, em Março, havia 350 mil placas espalhadas por todo o lado a dizer que não era permitido reservar as espreguiçadeiras da piscina. Todos os dias lá chegávamos, cedo, e não havia uma para amostra. A piscina vazia, as espreguiçadeiras todas reservadas (o meu homem chegou a ir trabalhar para a piscina às sete da manhã e já havia toalhas a marcar lugar!). Várias vezes optámos por nos sentar no chão, mas um dia falei com a funcionária que distribuía as toalhas e disse-lhe que, apesar das proibições, ninguém respeitava. Respondeu-me que não podiam fazer nada, que as pessoas não cumpriam, e que eles também não diziam nada nem removiam as toalhas. Peguei em duas toalhas ao acaso, tirei-as de cima de duas espreguiçadeiras e fui entregá-las à funcionária. Disse-lhe que me ia sentar ali, e que quando os donos aparecessem ela podia devolver-lhes as toalhas. Passou um bom bocado e eis que chegaram os donos. Um russo mal humorado que achou absolutamente inacreditável que eu lhe tivesse removido a toalha. Expliquei-lhe que não era permitido reservar espreguiçadeiras, que havia várias placas a informar sobre a proibição (depois de ele me ter dito 18 vezes que não havia proibição nenhuma), e que não era justo as pessoas deixarem ali as coisas, irem-se embora durante horas e ninguém se poder sentar. Perguntou-me de onde era, disse-lhe que era de Portugal, e respondeu-me qualquer coisa irónica como: "you, portuguese, are very nice people… very nice people", acompanhando a frase de um polegar apontado para cima. Se forem à Rússia e vos tratarem abaixo de cão, já sabem que a culpa foi minha, que dei a imagem de que os portugueses são uns trambiqueiros usurpadores de lugares.

Será que custa assim tanto perceber que se as pessoas só ocuparem determinados espaços durante o tempo em que, efectivamente, os estão a utilizar, há sempre lugar para todos? Ninguém está um dia inteiro sentado numa espreguiçadeira, nem na praia, nem numa zona de restauração. Que mania esta, pá!

94 comentários:

  1. Normalmente só vejo esses guardadores de lugar à hora de almoço. Mas o que me aflige mais é a possibilidade de alguém ir ali e roubar as coisinhas. Não é que se perca grande coisa, mas eu tenho amor ao que compro!!

    Blog | Facebook |

    ResponderEliminar
  2. Mais uma a juntar às mesas "reservadas" em Monsanto...


    ;))***

    ResponderEliminar
  3. Concordo contigo! Sinceramente não se percebe...no outro dia fui jantar ao CC Dolce Vita estava cheio e, estive algum tempo com tabuleiro em mãos a procurar uma mesa livre porque estavam imensas pessoas a guardar lugar...deveria haver um pouco mais de respeito por parte das pessoas....

    ResponderEliminar
  4. Sou completamente contra a marcação de lugares. Por diversas vezes vejo-me obrigada a ser inconveniente para as pessoas perceberem, de uma vez por todas, que o mundo está reservado para todos. Há pouco tempo, num café, vejo três pessoas sentadas junto a uma mesa e duas cadeiras vazias ao lado, com as malas em cima. Chego, o café está à "pinha" e pergunto se posso retirar as duas cadeiras ao que me respondem "não, estão ocupadas". "Ok", disse, pensando estarem destinadas a duas pessoas que estavam, por exemplo, na casa-de-banho.
    Ficámos em pé.
    Volvidos 15 minutos, o café continuava cheio, sem uma cadeira disponível (excepto aquelas duas) e eu pergunto aos senhores que estavam a ocupar a "tal" mesa se as duas pessoas, a quem as cadeiras estavam destinadas, iriam demorar. Respondem, de forma arrogante, algo tão simples como: "não vêm, mas estão reservadas às malas". (inspira - expira) De forma delicada, depois de ouvir tal afirmação e sem trocar "galhardetes", agarro nas malas, coloco-as uma a uma em cada cadeira que lhes pertenciam e levo comigo as cadeiras.
    Riram. Acharam muita graça. Mas eu acabei por rir em último.
    Enfim...

    ResponderEliminar
  5. Entao e guardarem lugar para o carro com garrafões de água. Hein? Bonecos do cacete.. .

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Verdade???? Eu que pensava já ter visto de tudo nesta vida :P

      Eliminar
  6. Ainda hoje fui almoçar ao Forum Sintra e, enquanto andava de tabuleiro na mão com o meu pai à procura de mesa, estava um grupo de 3 pessoas a ocupar uma mesa ainda a decidir o que iam comer. E aquelas pessoas que comem e depois ficam 300 anos a ocupar a mesa só porque sim? Eu como e vou embora, quanto muito fica-se 5 ou 10 minutos na conversa, porque há outras pessoas a querer comer também. E aquelas pessoas (geralmente idosos) que à hora das refeições vão ocupar mesas para ler o jornal? Se fossemos começar a enumerar nunca mais saíamos daqui. O problema é que as pessoas não sabem viver em civilização e só vêem o próprio nariz, e isso não me parece que algum dia vá acabar.

    ResponderEliminar
  7. Estou num hotel em Espanha, cuja clientela se divide entre espanhóis, franceses e uns 10% de outras nacionalidades (portugueses incluso!), há toalhas a marcar as espreguiçadeiras!

    Mas aqui fala-se com o funcionário e ele retira. Muitas vezes nem é preciso que ele atua por si :)

    Lindo, lindo foi ontem uma francesa chegar, mandar vir com uma espanhola que "estava no seu lugar", a perguntar pela servilhette (escreve-se assim?), a outra "qué no entiendo! És mia!", vira-se a "francesa": ah é tua?! [AHAHAHAHAHAH] veio no charter dos franceses, mas era "portuguesa de Alcochete"!

    Lá lhe expliquei que tinha sido o funcionário que a tinha retirado e que era uma indelicadeza deixar as toalhas horas e horas a marcar espreguiçadeiras vazias, "é que nós fomos à vila..."

    [há lá coisa mais linda? Ir à "vila" e deixar as esperguiçadeiras marcadas?]

    Mas por aqui prevaricam igualmente alemães, espanhóis, portugueses, franceses... [recuso-me! chego e sujeito-me ao que há!]

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Alguma coisa contra os portugueses de Alcochete??!

      Eliminar
    2. Pronto... mais um ofendido!!

      Eliminar
  8. Quando li a parte hotel em Cabo Verde pensei logo "muito mau exemplo muito mau exemplo" xD pq querendo ou não, gostando ou não somos todos netos de Portugueses e há coisas que ficam no sangue loooooool mas Russos ...tsi tsi...marcar lugares .....afinal deve ser coisa de HUMANOS loool

    ResponderEliminar
  9. Acordar cedo só para deixar as coisas na praia e voltar para casa? Que trabalheira!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não sabemos se voltaram para casa. Podem ter ido às compras, à praça, podem ter ido marcar lugar para outros (filhos, netos), podem até ter ido trabalhar. Eles lá devem ter uma boa explicação para tal comportamento. Cabe aos responsáveis dos espaços acabar com isso; talvez possamos dar uma mãozinha fazendo pressão sobre eles (os responsáveis). Há espaços de restauração que têm indicação que as mesas só devem ser ocupadas para tomarem a refeição, a partir daí, temos o direito de exigir que as pessoas saiam.

      Eliminar
    2. Ahahah também é verdade. Mas pronto. Independentemente da razão, não deixa de ser injusto.

      Eliminar
  10. Nem mais. A mim isso também me dá muita azia. Mas confirma-se, acontece em todo o lado. Este ano, em Fevereiro, estive na Tailândia e aconteceu me o mesmo no nosso hotel. Fosse a que horas fosse eram mais as que estavam reservadas do que com pessoas. Um dia, claro, tirei as toalhinhas e instalei me confortável, não tardou veio de lá um senhor a dizer me que podia ficar lá, pois ela já estava de saída. O mais incrivel é que voltou para outra espreguiçadeira que tinha colocado quase dentro de água, ou seja estava a usar duas e ainda se sentiu no direito de me vir dizer que podia ficar com uma, o dito cujo também era russo. Valha me a Santa. Ahhhh já agora, outra coisa que também me consome é o desperdício de comida ao pequeno almoço. Deus meu, enchem o prato como se não houvesse amanhã e depois fica metade para ir para o lixo.

    ResponderEliminar
  11. Gostava tanto que toda a gente lê-se isto!! Concordo a 100%, não há nada mais irritante...

    ResponderEliminar
  12. Tens toda a razão: não acontece só por cá.
    Estive na Disney há dias e passei o cabo dos trabalhos à espera de mesa para me sentar com o meu filho, de tabuleiro na mão, enquanto outros conversaravam à mesa.

    ResponderEliminar
  13. Tão típicos e tão enervantes esses "guardadores de lugares"!

    Paciência Pipoca,
    diasdechocolate.blogs.sapo.pt/

    ResponderEliminar
  14. Ainda bem que explicaste.
    Eu pensava que era uma coisa mesmo portuguesa.
    Agora estou mais descansada. A estupidez é generalizada!
    vidademulheraos40.blogspot.com.

    ResponderEliminar
  15. Desculpa.. Mas como é que tu sabes se as pessoas foram dar uma volta a pé ou se efectivamente foi de propósito reservar lugar? Ou tu es daquelas pessoas que quando vai andar a pé na praia leva chapéu e tudo às costas? É que olhando para as fotos acima não consigo dizer se as pessoas estão na agua, a andar a pé ou outra coisa qualquer.. Como é que tu decifras tal coisa..?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ninguém vai dar uma volta durante duas horas. E eu vejo as pessoas a chegarem à praia com as coisas todas (menos com o chapéu e as toalhas, que já lá estão). Há muita gente a fazer isto, não é novidade.

      Eliminar
    2. Há muita gente que vai dar uma volta durante 2 horas ! A essa hora então é normal não? Fazer uma caminhada na hora mais fresca.. Agora é estranho se chegam com a parafernália toda a seguir xD

      Eliminar
    3. Quem não deixa assim as coisas abandonadas durante 2 horas sou eu. Mas cada um sabe de si.

      Eliminar
    4. Eu e o meu namorado corremos na praia todos os dias 2.30h. Deixamos as toalhas e a sombrinha no sitio. Mas percebo o que a pipoca quer dizer, todos vimos imensa gente a chegar com a «tralha» toda excepto o chapéu de sol e as toalhas. Mas também não há que ficar chateado, a praia é tão grande ... Cada um procede como quer ou como acha correcto.

      Eliminar
  16. Pipoca eu ja te começava a odiar por tanta pub e agora li te e adorei!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Odiar a Pipoca pela publicidade?
      A sério que isso lhe suscita ódio?
      Sabe o que faz a Pipoca, entende o trabalho dela?

      Eliminar
    2. calma amiga disse o que me ia na alma adoro o blogue mas sim odeio a PUB eu sei que é necessário mas prefiro ler as palavras da Ana percebeu ??

      Eliminar
    3. Eu estou calma, achei só que disse um disparate, e continuo a achar.
      E percebi sim, que não sou burra, nem ao ponto de só gostar de ler.

      Eliminar
  17. Em benidorm às 9 da manhã a primeira linha da praia junto ao mar já está totalmente ocupada com chapéus e cadeiras!

    ResponderEliminar
  18. Rita Sottomayor26 julho, 2014 19:14

    Estou neste momento a vegetar num resort na Grécia, em Creta. Um resort 5*,onde só são permitidos adultos, e sucede exactamente o mesmo! Nem há a desculpa de estar a guardar lugar para as criancinhas, nada (não que a ache aceitável, mas quando estamos a lidar só com adultos ainda me parece mais grave). Já em Dezembro, quando estive no Brasil, foi exactamente a mesma coisa. Um casal de Ingleses mesmo muito rudes tb se passaram quando lhes fui colocar as toalhas junto da senhora que as distribuia, que foi a primeira a dizer que se mais pessoas o fizessem se evitavam muitos problemas!

    ResponderEliminar
  19. Concordo a 200%. Se há coisa que me enerva solenemente é esta mania da marcação de lugar. É na cantina, nos restaurantes, na biblioteca... Haja paciência.

    ResponderEliminar
  20. Uma vez fiquei felicíssima com a Lua e as marés, precisamente porque odeio esta falta de civismo. Nem comem nem deixam comer.
    Assim sendo, eis que a maré subiu e os imensos lugares marcados ficaram debaixo de água!
    E foi risota geral, acho que gozo a muita gente que ali estava em "2ª fila" ver tudo a ser levado pelo mar. Haviam de ver horas depois eles a chegarem AHAH! Foi uma bela lição.
    Eu adorei!

    ResponderEliminar
  21. Parece-me que tu é que levas a vida um bocado a sério :)

    ResponderEliminar
  22. Ora aqui está uma grande verdade Pipoca!

    Vanessa S.
    De Saltos por Lisboa,
    desaltosporlisboa.blogspot.pt

    ResponderEliminar
  23. há praias que são muito pequenas (e cada vez mais)
    a mim não me choca nada que fiquem lá coisas a guardar o espaço enquanto se almoça por exemplo. não faz sentido recolher tudo para depois voltar a colocar lá.
    De manha quem guarda (e em Sesimbra acontecia isso), mas as pessoas iam ao café, compras e por aí a fora

    ResponderEliminar
  24. Não estou a dizer que não ha muita gente a fazer isso. Sei que ha. Mas penso que esta a generalizar. Ha muita gente que vai 3 ou 4 horas almoçar e se vai voltar novamente à tarde para a praia, não faz sentido estar a carregar com tudo. Eu sou uma dessas pessoas.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Vão almoçar às nove da manhã?

      Eliminar
    2. E demoram 3 ou 4 horas a almoçar?

      Eliminar
    3. E se forem tomar o pequeno almoço, às compras, plantar girassóis, alimentar kanguros australianos abandonados, levantar uma encomenda de cartas de tarot... É assim tao grave? Se ha 50 metros para a esquerda, 50 para a direita e cabem todos, porque é que te faz assim tanto prurido?

      Eliminar
  25. Pela segunda imagem.... Se forem 9 da manha entao aconselho as pessoas a irem reservar lugar as 4 da manha e não as 9.

    ResponderEliminar
  26. Pipoca, no ginásio, bem cedo e com vários cacifes vagos ao lado, uma senhora tinha porque tinha que por as coisas dela em determinado cacife. Um dia calhou de eu o usar, pois a senhora esperou que eu me vestisse e deixasse vago para o usar. Foi nesse dia que me apercebi da paranoia da senhora e confesso que depois mais vezes tinha o "cuidado" de usar aquele cacife... hihihihi

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. credo... isso é doença já... OCD!! :) hahaha cuidado que ainda te faz voodo ;)

      Eliminar
  27. Acho este guardar de lugares de uma falta de educação gigantesca, seja em que sítio for. Eu levo com isso todas as semanas na restauração dos centros comerciais e é uma pena constatar que se bebe muito pouco chá por aqui.

    ResponderEliminar
  28. Nunca tinha ouvido falar desse fenómeno, pelo menos não nas praias, porque nas piscinas já conhecia. Mas aqui nas praias do Oeste nunca vi disso, até porque seria arriscado, vinha uma rajada de vento e tinham de ir buscar o chapéu à praia vizinha.

    ResponderEliminar
  29. Isto costuma acontecer principalmente nas piscinas o que me irrita profundamente. Quando estou de férias levanto-me às 9 e pouco e vou tomar o pequeno almoço p'ra despois ir para a piscina ou praia e passando pela piscina já a vemos cheia, não de pessoas, apenas de toalhas, só passado umas 3 horas é que todas aquelas toalhas estão cheias. E depois durantes as horas de maior calor acontece o mesmo, muitos saiem da piscina e deixam a toalha para se virem sentar só 1500 horas depois...

    ResponderEliminar
  30. Na praia de Armação de Pêra também e ver os chapéus todos espetados na areia as 8 da manha com as toalhas a marcar lugar. Uma vez quando lá passei ferias, uns miúdos apoderaram-se de um chapéu e das toalhas, quando os donos chegaram foi uma confusão...mas eu fartei-me de rir:)))) nao suporto estas atitudes, mesmo nos centros comerciais quando as pessoas guardam a mesa enquanto alguém foi buscar a comida e depois andamos nos ali com o tabuleiro na mão a dar voltas e sem arranjar mesa!!!

    ResponderEliminar
  31. O ano passado estive três repito três semana num resort no Algarve todo finório. Vila sol mais precisamente. Tinha um apartamento num res chao perto da piscina. Nunca me consegui sentar uma única vez nas espreguiçadeiras. E algumas vezes tentei assim que me levantava mesmo antes do pequeno almoço. Nada. Irritei me mas tive que desistir. Vingava me às 7 da tarde......

    ResponderEliminar
  32. Acontece-me várias vezes entrar no metro, estar um lugar ocupado com uma mala e a dona/dono não retirar mesmo sabendo que existem pessoas que queiram se sentar. É má educação em geral.

    ResponderEliminar
  33. Ai e cá gosto de guardar lurgar!

    ResponderEliminar
  34. Bom demais:) E posso confirmar que não é só defeito tuga... Xico-espertismo é internacional mesmo.

    ResponderEliminar
  35. Eu costumo fazer isso, mas é entre ás 12 h e as 16H, enquanto almoçamos e não para reservar lugar é mais para não andar carregada com a tralha toda! Também não percebo qual é a lógica de o fazer tão cedo......Agora que penso nisso, acabei de chegar de férias e realmente quando chegava de manhã ( 9h / 9.30h) já havia imensos chapéus sem ninguém....mas pensei que fosse de malta que andava a caminhar!

    ResponderEliminar
  36. É engraçado como todas as pessoas que comenta são super correctas. Acabam a sua refeição no shopping e levantam-se imediatamente, já a pensar nos coitados que não têm lugar. Até comem mais depressa. Na praia também devem ir à agua em 30 segundos para voltar rapido à toalha, não vão ser considerados marcadores de lugar. Isto se não levarem com eles o guarda sol. E aposto que também ninguém aqui quando vai à casa de banho, ou está à espera de de alguem que demorou mais guarda um lugar. Incrivel. Os marcadores de lugar devem ser seres de outra especie que nao leem blogs. Uns seres estranhos, mas nos nao, credo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. melhor comentário de todos.
      Devem ser os mesmo que deitam papeis para o chão, não apanham o coco do chão e por aí fora. Os mal-feitores não lêem blogs

      Eliminar
    2. Eu pessoalmente no shopping fico no local onde jantei ou almocei o tempo que me apetecer, e não considero que isso sejam um desrespeito para alguem, eu paguei por uma refeição e usufruo do espaço o tempo que tiver que ser, e claro que já guardei um lugar para alguem, mas agora nao vou deixar as minhas coisas à praia ou à piscina para só voltar 2 ou 3 horas depois e não diga que as pessoas estão na àgua pois muitas vezes às 9 e pouco quase não está ninguem na praia quanto mais na àgua mas à sempre lá toalhinhas e outras tralhas, só mais tarde chegam os donos com sacos com comidas e outras coisas, não me diga que foram caminhar com aqueles sacos ou que foram com eles para a agua.

      Eliminar
    3. Pois eu assim que acabo a minha refeição num shopping levanto-me e levo o meu tabuleiro, arrumando-o.

      Na praia, comparar um ida à água ou mesmo um volta de meia hora a pé com quem pensa que a praia é sua, e por isso pode ocupar uma área durante tempo indeterminado, é pura e simplesmente estúpido.
      Por incrível que lhe pareça há sim muita gente educada, civilizada. E em vez de ironizar deveria aprender alguma coisa com elas.

      Eliminar
    4. É dar um desconto. Talvez a praia seja demasiado pequena e não haja espaço para todos, daí a revolta.

      Eliminar
    5. Eu nos centros comerciais guardo lugar enquanto a minha companhia vai buscar o almoço. Tenho um lugar livre a minha frente e está reservado. Algum problema com isso?

      Eliminar
    6. Riu-me imenso com estes comentários. Com a história do guardador de lugares concordo plenamente... é uma falta de respeito de todo tamanho. Mas também vamos lá ter calma, eu vou ao shopping ou a um restaurante almoçar e tenho que me "despachar" porque a Maria Cachucha está à espera de mesa? ah ah ah, por acaso... Se quisesse uma refeição express ia a um drive in.

      Eliminar
  37. No México, as 7h da manha já estavam quase todas as espreguiçadeiras ocupadas por toalhas, já as pessoas... Só mais perto das 9h...

    ResponderEliminar
  38. A falta de respeito é algo que me deixa de "cabelos em pé" e pronta a explodir.
    O povo português é muito comodista, e não pensa no próximo.
    E quando vamos a algum restaurante ou shopping, queremos sentar (cheios de larica) e estão meia dúzia de mesas horas e horas com gente só a empatar. GRRRRRR RAIVA

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A sua falta de (qualquer coisa) é que me deixa com os cabelos em pé. Eu vou a um restaurante, pago, e não posso ficar o tempo que me apetecer porque a Maria Cachuca e o Zé Bombas querem uma mesa ? Se quer uma refeição express porque não vai a um drive in? Ou então porque não chega mais cedo ao restaurante para poder usufruir da sua refeição e da sua mesa em paz?

      Eliminar
  39. Sei bem o que isso é! Todas as manhãs, bem cedo, vou caminhar para a praia e já lá estão imensas "marcações de lugar"! Acho vergonhoso! Já uma vez me envolvi numa discussão sobre as ditas marcações e, de facto, ninguém se compromete a dizer que tal não se deve fazer (nem o nadador-salvador, claro, que também não é para isso que ele lá está!). É uma questão de princípios e valores e esses, infelizmente, faltam a muito boa gente!

    ResponderEliminar
  40. Olá, aconteceu-me o mesmo no mexico, com a diferença de ter sido quase ameaçada por um bruto ingles, que me chamou "fucking french". Tinham "reservado 14 cadeiras para a familia toda....por favor, que gente louca, eu ri-me na cara dele, mas nao gostei da atitude de rufia, fiquei bastante incomodada.

    Marta C.

    ResponderEliminar
  41. Estou como o anónimo das 02:54: realmente esta gente que comenta é toda bem formada, nunca marcou os seus lugares na vida e blábláblá... Tudo gente fina! Fica bem dizer que está muito mal e é falta de educação. Vai na volta são os primeiros a a fazê-lo. façam como eu: nas férias vou para a praia às 7.30 da manhã. A praia está quase deserta, o calor aguenta-se melhor, o sol não faz mal e é o sossego completo (até porque com o calor não dá muito para "sornar" de manhã e se fosse para dormir até ao meio dia ficava-me por casa que sempre era muito mais em conta. Sim, via muitas pessoas a chegar à praia, nos resorts, à hora que eu saía, 11.30, 12h. Hora boa, portanto) e assim já têm lugares.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Conclusão: Marcadores de lugares não lêem blogs.

      Eliminar
  42. Na praia nunca tinha visto... Sou rapariga de cama e há anos que não me levanto cedo para ir à praia! Mas a cena das espreguiçadeiras nas piscinas é que achei surreal!!! Gosto de ir mesmo no final da tarde! Marcar mesa para a comida nos centros comerciais não é nada que me aflija... Experimentem espectáculos de entrada livre. Hoje vou ao Festival ao Largo e irei mais cedo para guardar lugar para a minha mãe, mas como ela já tem 70 anos, acredito que seja compreensível. Eu muitas vezes desde que consiga ver até me sento no chão.

    ResponderEliminar
  43. Costuma-se dizer que 'em terra de cego, quem tem olho é rei' e estes pequenos reis da areia marcam o seu território de madrugada, e quando chegam ao seu 'feudo' ( constituido por chapéu de sol, toalha e/ou cadeira de praia) com a sua comitiva, aí sentem mesmo que conquistaram o território! Pior é quando a comitiva começa a 'táctica da expansão' e quando damos por eles, estão em cima de nós! Detesto! Só me dá vontade de me lançar em 'ataque ao território', lol.
    O pessoal deve sentir-se REI por 'governar' aquele pequeno pedaço de areal, é o que é...

    ResponderEliminar
  44. Sempre que vou para a praia, de manhã, relativamente cedo, pouso as toalhas, sacos, abro o guarda-sol e vou dar uma volta a pé pelo areal. Dependendo da extensão da praia a caminhada pode durar 1h ou mais.

    ResponderEliminar
  45. Isso é assim no mundo inteiro, mas vá tentar deixar seu chapéu ou havaianas , qualquer coisinha numa praia pública no Brasil ou América latina... não inclui resorts, ok? Praias públicas, somente! Em cinco minutos um espertinho passa e adeus lugar, toalhinha.
    Nessa situação, tem que respirar fundo e relevar. Ou cair na briga e ir parar na polícia de biquíni :-)

    ResponderEliminar
  46. Enfim ... quanto a estes "cidadãos" que só pensam em si, qualquer que seja o lugar em que se encontrem... Temos que lhes mostrar que não é assim, pois claro! Fizeste bem em dar uma lição a esse russo. Acredito no adágio: "Água mole em pedra dura tanto bate até que fura".

    Deixa-me dizer outra coisa que não tem a ver com este teu post, mas refere-se ao dia 26 de julho. É um pequeno desabafo :) Tive pena que não escrevesses nada sobre o DIA DOS AVÓS. Bem sei que para o Mateus é o segundo ano que o comemora, logo não é uma novidade para ele ...

    ResponderEliminar
  47. Ana, por incrível que pareça o que lhe vou dizer, pode acreditar que é verdade. Muito turista tuga quando vai passar férias ao algarve deixa chapeu de sol montado na praia dias a fio! Realidade pura! Se reparar, quando chega à praia muitos ainda estão fechados exactamente porque estiveram lá a noite inteira. Haviam os algarvios todos de fazer o mesmo e os chicos espertos dos turistas nacionais ou internacionais nem tinham onde sentar o cuzinho na praia. Quanto aos complexos turisticos, a historia já é mais homogenea, a esperteza estende-se a várias nacionalidades de turistas. Os tugas só detêm a exclusividade da proeza nos areais! lololololol

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Já fui a várias praias algarvias à noite e nunca vi guarda sóis a marcar lugares para a manhã seguinte... Não é uma crítica, posso andar (muuuuuito) desatenta.

      Eliminar
  48. Ou então são pessoas como eu e a minha família, que chegamos a praia cedo, pomos as nossas coisas no lugar que mais gostamos, porque trocamos horas de sono pelo direito de o escolher, e depois vamos passear a beira mar, porque para mim isso é que é aproveitar a praia.
    Ou então preferia que fosse passear de sacos, mais guarda sol na mão e tudo porque outra pessoa que decidiu ficar mais tempo na cama do que eu não tem o lugar que quer?
    Cada um aproveita a praia como quer, e apenas porque você gosta de ficar na toalha a descansar, não significa que todos tem o mesmo gosto.

    ResponderEliminar
  49. Eu tive o mesmo problema na Jamaica e tinha de infelizmente fazer o mesmo... As 6 da manha colocar toalhas ou pertences a guardar as cadeiras. Se não o fizesse, aquilo nem espaço para um pe tinha! O mais curioso, é que eu existiam poucos portugueses no nosso hotel! Assisti a um Ingles aos gritos com um italiano porque o senhor lhe "roubou" o lugar. Infelizmente... muito triste!

    ResponderEliminar
  50. Ninguém confunde pessoas que foram passear com pessoas que deixam o chapéu e pertences não valiosos a marcar lugar.
    Como arranjo sempre confusão com essas coisas e quem fica mal-disposta sou eu, há anos que vou para praias mais "desagradáveis", com mais vento, ou sem bons acessos, para me escapar a esse inferno que é capaz de estragar o dia - pessoas que marcam, que estendem toalhas coladas a nós, que fazem barulho, que falam alto, que ouvem música... A melhor praia é um barco, mas infelizmente não está ao alcance de todos - nem ao meu. (E os idiotas em galapinhos que fundeiam mesmo à frente da praia? Uma pessoa vai nadar e bate com a cabeça no casco? É gostar mesmo de confusão, haja paciência...)

    ResponderEliminar
  51. Pessoalmente também me irrita mais ainda mais quando é em hotéis onde supostamente é proibido marcar lugares.
    Estive num hotel em Palma de Maiorca em que as piscinas só abriam depois do fecho do pequeno-almoço, remédio santo, ninguém marcava lugar porque não podiam.
    Já Tunísia o esquema é diferente, são os próprios funcionários do hotel que marcam as espreguiçadeiras para os hóspedes a troca de gorjetas mesmo sendo isso proibido, aconteceu-me chegar à praia às 8h, nem uma alminha se via e todas as espreguiçadeiras marcadas com farrapos e t-shirts velhas, peguei nas coisas e coloquei numas espreguiçadeiras ao lado, o funcionário do hotel veio reclamar e respondi-lhe que era proibido marcar lugar, ele ainda tentou argumentar mas veio um colega e disse-lhe não insistas são portugueses, fiquei a saber mais tarde que os portugueses eram os únicos a protestar com este tipo de comportamento, chegando mesmo a queixar-se à gerência. O mais parvo era que o hotel estava a meio da capacidade e havia espreguiçadeiras disponíveis para todos os hóspedes.
    No shopping não me chateia acho perfeitamente normal alguém marcar mesa enquanto outra pessoa vai buscar a refeição, porque raramente existem lugares em abundancia e ninguém gosta de ficar com a comida a arrefecer no tabuleiro.
    Já levantar-me cedo para marcar lugar na praia nem pensar para isso ficava logo lá.

    ResponderEliminar
  52. Não sei em que praia esteve, mas onde vou, há muitos anos ( para lá de 10) existe uma praia onde os guarda-sois são colocados pelos habitantes da zona no inicio da época balnear ou inicio de ferias e só saiem de lá no fim da epoca balnear ou ferias ( ou quando há mau tempo e a maré os levas bem para longe heheh) Para quem vai àquela praia pela primeria vez é estranho ver uma coisa daquelas, para quem vai para lá há mais tempo e tem amigos que ficam sempre na mesma zona é uma coisa normalissima, aqui não é tanto marcar o lugar mas marcar o lugar ao pé dos amigos que fez na praia ao longo dos anos...
    Nota: esta praia de que falo é muito perto da praia onde costuma fazer praia todos os anos com o seu marido... ;)

    ResponderEliminar
  53. Sabemos bem o que isso é, tal como escrevemos no nosso blog. São as chamadas reservas invisíveis, e já não há paciência para elas!

    ResponderEliminar
  54. Boa tarde...
    alguns casos até pode ser para guardar lugar, mas outros não, em varias estâncias turisticas por espanha fazem imenso isso, não para guardar lugar, mas porque por vezes são pessoas mais velhas que não querem andar para cima e para baixo com as coisas, deixam na praia até de noite para o dia seguinte...

    ResponderEliminar
  55. Por cá, nas zonas de piquenique junto à costa, se vais só mesmo na hora de almoço esquece. Já estão todas as mesas com uma toalha e um garrafão de água em cima a guardar lugar às 8h da matina!

    ResponderEliminar
  56. Também é um hábito que me inrrita imenso. Assim de repente lembro-me de 2 situações: uma vez em Palma de Maiorca uma família de portugueses que estava lá hospedada no hotel, e que iam para a praia mas deixavam umas 8 espreguiçadeiras junto à piscina das crianças ocupadas com as toalhas deles. Nunca disse nada porque sempre arranjei espreguiçadeira livre mas quase que sentia vergonha de eles serem portugueses porque lá no hotel não vi mais ninguém fazer isso. Outra situação foi no H2otel em Unhais da Serra, um hotel lindo, requintado, e a pessoa pensa que quem está lá hospedado há de saber comportar-se civilizadamente, mas afinal não. Resultado: todas as espreguiçadeiras ocupadas logo de manhã. Eu esperei meia hora para ver se alguém vinha para 2 espreguiçadeiras que só tinham toalhas (não havia mala, nem óculos de sol, nem protector, nada), ao fim desse tempo como ninguém apareceu tirei as tolahas e instalámo-nos. Dobrei as tolahas e coloquei-as lá dentro em cima de uma espreguiçadeira vazia junto à piscina interior. Não sei de quem eram, e ninguém se veio queixar, mas se viessem eu saberia responder à letra ;)

    ResponderEliminar
  57. Ingleses, alemães, russos reservam as espreguiçadeiras junto à piscina...devem ter insónias! Também já me aconteceu, em Tenerife, uma inglesa ter visto que eu me tinha sentado no chão e cedeu-me a espreguiçadeira dela, perguntou-me se percebia inglês, resposta afirmativa, deu-me as revistas que estava a ler (ia embora naquela dia), ficamos na conversa, foi mesmo muito simpática!

    Quando vou para a praia monto o meu estaminé e vou caminhar...já me aconteceu chegar a ter as minhas coisas dentro dos 60 tapa-ventos (sim, estou a exagerar) que uma família levou. Eu não tive lata de estender a toalha e ficar ali (toalha, saco....mais nada), mas eles tiveram lata de ocupar o "meu espaço"... devia ter a areia melhor! O que fiz? Peguei nas minhas coisinhas e fui para outro sitio, apesar de tudo era cedo e o que não faltava era espaço. Da parte deles nem um pedido de desculpa...nada...eu que não fosse andar, certo? Esta situação aconteceu em Portugal.

    ResponderEliminar
  58. Não são só os portugueses que fazem isto: o ano passado na Croácia nas melhores praias (todas sem areia, só com rochas e calhaus) os lugares melhores (mais direitos e minimamente mais confortáveis) toda a gente fazia o mesmo!
    O meu marido saís para correr às 6h30/7h da manhã e já estava tudo reservado!!!

    ResponderEliminar
  59. No entrangeiro chama-se "chair-hogs" e é uma questão amplamente debatida nos foruns de viagens...Já estive em vários resorts por esse Mundo fora e em cruzeiros e isto acontece sempre, sempre, sempre, independentemente da nacionalidade.Não é coisa tuga, te garanto ;)

    ResponderEliminar
  60. Falaram aqui em dar uma volta e blah blah...acho que ao que se esta a referir é a situação de alguém ocupar um espaço na praia, piscina, etc sem que o vá usar...Normalmente ocupa-se um lugar porque se vai fazer uso do mesmo...se durante 5 horas ninguém aparece, suponho que significa que não precisa daquele lugar e nos entretantos outras pessoa snão o podem usar...Obvio que uma pessoa se assim o desejar pode reservar um espaço o dia todo, que não vai usar.A minha boa educação é que não me permite fazer isso.Mas isso sou eu que sou parva :)

    ResponderEliminar
  61. Ninguém percebe, realmente. Eu também passei por isso em Palma de Maiorca, agora mesmo nas férias. Muito mas muito irritante. Já que há multas para tudo, façam uma para este tipo de comportamento também!

    http://mundodamafy.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  62. Mas bom, bom, é aquela malta que guarda o lugar na fila do supermercado!! Sim, sim, há malta que deve chegar ao Continente, pega num carrinho, coloca lá meia dúzia de coisas, põe o carro na fila mais próxima e depois, sai para fazer o resto das compras. Quando chegam - carregadinhos de coisas até às orelhas - despejam tudo no carro e acham que podem passar à frente de toda a gente!! É preciso uma lata! Comigo não funciona, pego no carro e desloco-o até passar o meu, se a pessoa calha de aparecer, faz aquela cara de admiração aparvalhada e eu empino o meu nariz à espera de comentários... Mas elas nunca comentam, para pena minha...

    ResponderEliminar
  63. Ao início da manhã, de facto, é estranho. A não ser que as coisas lá estejam desde o dia anterior. :) Contudo, não se trata de guardar lugar mas de não andar sempre carregado com o guarda-sol, a cadeira, a toalha, o livro, etc... Por exemplo, quem está na praia apenas nos horários seguros, deixa as coisas na praia das 11h às 16h e sempre poupa as costas. ;)

    ResponderEliminar
  64. Há algum tempo tive um discussão com um grupinho de 4 amigas no centro comercial Vasco da Gama. Estava tudo cheio (era hora de jantar e dia de concerto da Beyoncé) e eu fui comprar o meu jantarinho. Quando já estava com o tabuleiro na mão fui à procura de lugar, e só havia uma mesa de 4, com uma rapariga sentada. Sentei-me, e logo a rapariga me diz "está ocupada". Respondi-lhe que não havia reservas de mesa, estava muita gente e não era justo eu estar com o tabuleiro na mão à procura de sitio e ela ali sentada sozinha numa mesa de 4. Ela foi logo telefonar às amigas que estavam no macdonald's, e nem queiras saber o escândalo que foi! Que eu era rude, que a mesa estava reservada... Há gente que não se manca mesmo...

    ResponderEliminar
  65. Pior que isso: na passada quarta-feira fui ao Zoomarine. Cheguei às 10h, mal abriu. Assim que entrei, ao passar pelas mesas de merenda, estavam já todas marcadas com lancheiras. Todas. Às 10h da manhã. E muitas delas continuavam exactamente iguais às 15h e 16h. Ridículo.

    ResponderEliminar
  66. As fotos mostram chapeus de sol da delta e da nicola, hoje cheguei á praia para dar um mergulho e nem espaço tinha para ir das escadas de acesso á água, quanto mais para pousar a toalha...

    E lá estava, um chapéu da Avidesa a marcar lugar, estavam muitos mais mas foi com este que embirrei... Perguntei a quem estava á volta se eram donos do chapeu, como o dono não parecia estar fechei o chapéu e estendi a toalha.

    Depois pus me a pensar no que tinha feito... Realmente, tecnicamente esta gente não está a marcar lugar nenhum, isso não existe em nenhuma legislação que eu conheça. O que eles fazem é abandonar um bem no espaço público logo, julgo que como cidadão responsável e cumpridor da lei poderia pegar no referido bem e entrega-lo na esquadra da policia...

    Talvez daqui a uns tempos, se a idea pegasse, fosse a própria policia que, farta de aceitar chapéus e toalhas abandonadas tomasse providencia e pressionasse as câmaras colocar placas a proibir os jumentos de marcar lugar na praia.

    ResponderEliminar

Teorias absolutamente espectaculares

AddThis