Pub SAPO pushdown

De olho nos bichos

sexta-feira, julho 04, 2014



Quem tem bichos sabe que temos de andar sempre com mil olhos em cima deles. São piores do que as crianças, só fazem disparates. O Manolo caminha a passos largos para os dois anos (credo, estou a envelhecer a olhos vistos!) mas continua um bebezão de todo o tamanho. Maluco, hiperactivo, a meter na boca tudo o que apanha. Ir à rua com ele é uma alegria, sempre a tentar que não coma papel, que não coma embalagens, que não coma beatas, que não coma TUDO o que lhe aparece à frente do nariz. Teimosinho que só ele. Ainda assim,  e felizmente, tem sido um cão saudável, porque também andamos em cima dele, vacinamo-lo, levamo-lo às desparasitações e temos todos esses cuidados obrigatórios quando se tem um bicho. Ainda para mais agora, que também há uma criança que convive com ele, que lhe puxa as orelhas e que leva lambidelas em troca. Melhores amigos.

Nesta coisa da saúde dos cães, há que ter especial atenção à Leishmaniose, uma doença provocada por um parasita do género leishmania que é transmitido por um insecto flebotomo(muito similar a um mosquito). É uma doença grave que, em muitos casos, pode não apresentar sinais clínicos e que leva à morte de muitos cães todos os anos. A zona mediterrânica é especialmente propensa à Leishmaniose e estima-se que em Portugal 22% dos cães sejam portadores da doença. Apesar disto, a prevenção é fácil e tem óptimos resultados. O programa Leispro é rápido, económico e um dos mais eficazes do mercado. É também o único que pode ser administrado via oral, directamente ou misturado na comida. O Manolo não é nada esquisito, tudo o que seja para comer lá vem ele todo contente, mas acho sempre mais fácil misturar os medicamentos na ração, assim como quem não quer a coisa. Informem-se sobre o Leispro junto do veterinário do vosso felpudo e nesta altura de férias não deixem de lhe comunicar para que destino vão, para que possam saber se é uma zona mais ou menos propensa à Leishmaniose. Não custa nadinha proteger os nossos maluquinhos. Levam-nos à loucura, mas são os maiores!

Saibam mais em http://www.prevencaoleishmaniose.pt

Post escrito em parceria com o Leispro

29 comentários:

  1. Muito oportuno o teu post! Não seria de esperar outra coisa, Pipoca. Só tens boas ideias! :)

    ResponderEliminar
  2. A minha vai levar por injeção quando fizer 15meses!! Não sabia dessa opção por xarope, tenho de me informar com a veterinária! Obrigada pela dica :)

    Blog | Facebook |

    ResponderEliminar
  3. Também tenho toda a atenção com a minha Vitória e a minha Pipoca. Hoje, por acaso, vou à vet com a minha mais nova :P Vou perguntar à Dra :)

    ResponderEliminar
  4. Pipoca, mas esse xarope protege os nossos bichos contra a leishmaniose ?
    É que eu falei com a vet da minha Luna e ela negou isso. Disse-me inclusive que a única coisa que protege mesmo é a vacina, que tem que ser dada em 3 doses com o espaço de 3 semanas cada uma.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. pois ..opiniões não se discutem... mas talvez a vet da Luna, tenha mudado de opinião com os últimos casos de sucesso e insucesso que se têm tornados públicos...e deve-se sempre usar um repelente de mosquitos..

      Eliminar
    2. Sou estudante de veterinária e os meus professores afirmam que a vacina não é 100% eficaz e muitos nem vacinam os seus próprios cães. Mas claro, para quem tem dinheiro (uma vez que é cara) e por descrago de consciência, podem sempre o fazer. O principal é usar a colerira scalibor (que tem acção repelente) e o advantix todos os meses que também tem acção repelente sobre o parasita. Evitar passear nas horas de maior actividade do mosquito, ao início do dia e no final do dia. O Leispro, é um novo medicamento no mercado e parece ter efeitos muitos bons na prevenção da Leishmaniose, vale a pena experimentar. Infelizmente, por mais cuidados que se tenham nenhum destes medicamentos são 100% eficazes e os nossos animais podem sempre adquirir a doença :( Falo por experiência própria.

      Eliminar
    3. Aqui por casa demos a vacina ao nosso cão, mas ele também usa a Scalibor. Quanto ao advantix já há cerca de um ano que deixámos de utilizar pois as pulgas/carraças/etc já criaram resistência. Desde essa altura começámos a pôr a pipeta mensal Activyl e nunca mais encontrei uma única pulga (e o meu cão vai todos os dias para uma zona de relva ao fim do dia portanto melhor teste não há).
      Mas, claro, cada veterinário tem uma opinião (e €€) e é uma chatice porque às tantas já não se sabe em quem confiar

      Eliminar
    4. Boa tarde, sou dona do oscar e ele mesmo com a vacina, dada a tempo e horas tudo certinho apanhou a leishmaniose!!! tenham muito cuidado porque não se brinca com esta doença!! se quiserem conhecer o nosso oscar e acompanhar a doença e a recuperação(assim espero) acompanhem co facebook na sua pagina, https://www.facebook.com/oscarleishmaniosecanina !! nenhum tratamento é 100% infalível e o oscar é a prova disso!!! Beijinhos Filipa Almeida

      Eliminar
  5. Exactamente Anónimo das 15:51. O xarope não evita é apenas preventivo mas falha muito. Tenho vários casos conhecidos. A vacina injjectavel sim, tem resultados mais eficazes mas mesmo assim também pode não resultar. Outra informação não muito correcta é a de que a doença pode não apresentar sintomas visíveis. Apresenta sim, são é muito diferentes. O mais frequente deles é o crescimento anormal das unhas, mas podem aparecer outros como várias feridas (sobretudo nas patas) que não cicatrizam, queda exagerada de pelo, perda de apetite, beber água desmesuradamente, hemorragias muito grandes do nariz, etc etc etc. Depois há outros órgãos que são muito afectados, sobretudo os rins e o fígado por isso o melhor mesmo é pedir um teste de despistagem ao v/ vet e vacinar. Depois é ter alguma sorte também... Há que dizer também que esta doença nem sempre leva à morte e que os nossos amigos podem viver uma vida inteira com ela e outros mesmo fazendo rodo o tratamento (carote...), estando até vacinados e tudo podem morrer apos 1 mês ou dois ou um ano ou dois... Assunto muito sério que deveria ser tratado também com muita seriedade e conhecimento total antes de se publicar fosse o que fosse!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Anónimo das 16.24, os dados de fármacovigilância não confirmam as suas afirmações em relação aos casos onde uma ou outra alternativa (xarope ou vacina) não foram eficazes. Os seus 'casos conhecidos' aparentemente não estão reportados. Em relação aos comentários que faz em respeitantes aos sintomas, evolução da doença, etc , talvez seja melhor informar-se junto do seu veterinário.

      Eliminar
    2. Carissimo Anonimo das 23.42 do dia 04.07, como poderá ler nos depoimentos abaixo de gente ligada à veterinária eu tenho razão em tudo o que escrevi. Claro que tudo o que disse foi baseado em aconselhamento/informações do meu veterinário. .Acosnselho-o a si a informar-se junto de quem sabe... alguns dos sintomas (não reportei todos), são sim tal qual eu descrevi e a evolução da doença também.

      Eliminar
  6. Eu também tenho uma rafeirinha, já com 7 anos mas que é em tudo parecida com o Manolo: uma vez cachorra, sempre cachorra! :-) A Emmy tem sempre as vacinas em dia e anda com scalibor, por ser de porte médio-grande. A vet já me tinha falado no programa de vacinações contre a malfadada Leishmaniose. Desconhecia este novo medicamento, mas vou-me informar. Quem os tem, tem por obrigação dar-lhes as devidas condições, em todos os aspetos!

    ResponderEliminar
  7. Anónimo(a) dono(a) da Luna! :) Passo a explicar isso das vacinas, não há no mercado nada que os proteja a 100%, mesmo quando se toma a vacina não deve dispensar as tradicionais pipetas e coleiras. O xarope é bom, bem mais económico, mas lá está mais uma vez tem de tomar tudo o resto. O facto de ter tomado todas as percussões não impede que o seu animal não contraia a doença...

    ResponderEliminar
  8. Boa tarde, eu sou de veterinária, e por acaso, ainda não há nada que proteja totalmente ao nossos animais felpudos, essa vacina, apesar de ser o mais perto que temos de prevenção da doença, não é totalmente eficaz, um dos meus professores nunca vacinou nenhum cão (e ele é doutorado em parasitologia), e até aconselha antes, a melhorar o sistema imunitário dos cães. De resto todos os xaropes, todas as coleiras, é para prevenir, para afastar o fleboto (que é uma especie de moscar e não mosquito :P). Outro maneira de proteger os nossos animais felpudos é não os deixarmos na rua a partir do entardecer, que é quando os malucos dos flebotos gostam de sair à rua e chuparem o sangue dos nossos meninos. Também convém, para além de os ter dentro de casa, ter as janelas com rede, para que estas possam estar abertas durante a noite, de modo a refrescar a casa. Beijinhos

    ResponderEliminar
  9. O que ajuda muito são as coleiras e pipetas repelentes de mosquitos. ^^
    Uma vez recolhi um cão da rua que tinha sido abandonado na rua. Mas tive que o levar para abater, porque tinha leishmania num estado muito avançado. Era o cão mais meigo deste mundo.

    ResponderEliminar
  10. Boa noite. O xarope pode-se dar a cachorros? a partir de que idade?

    ResponderEliminar
  11. informação interessante acerca deste xarope em www.prevencaoleishmaniose.pt

    ResponderEliminar
  12. Como veterinário recomendo o xarope sobretudo p/ cães pequenos.Nos de maior porte ou o xarope ou a vacina.Mas sempre acompanhado de coleira p/ afastar o mosquito ou pipetas.Assim consegue-se uma dupla protecção !

    ResponderEliminar
  13. Sou veterinária e na minha experiência o xarope é muito mais seguro no que diz respeito a reacções e efeitos secundários. Agora é mais barato e prático, porque os últimos estudos cientificos apontam para a mesma eficácia tomado 2 meses ao ano Junho ou Julho e Outubro, 1x ao dia durante esse mês. XAROPE COM SPOT ON Mensal.
    A leishmaniose é uma doença grave!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Boa noite, como é veterinária gostaria de lhe fazer uma pergunta. Há uns anos atrás, a minha cadela fez uma alergia enorme à coleira scalibor, fez umas feridas no pescoço tão grandes que demorou quase 6 meses a curar, motivo pelo qual sempre tive receio de lhe dar a vacina. Desconhecia a existência deste xarope. Acha que neste caso, o xarope seria seguro? Obrigada :)

      Eliminar
  14. A minha pequena é muito esquisita.
    Cada vez que usa algo contra bichos, apanha-os.
    Por isso, achei melhor não usar essa vacina. Também sobre conselho veterinário que me disse que era apenas prevenção ( e não assim tão barato!) e que podia fazer coisas eu mesma para prevenir, tal como referido no comentário da veterinária acima ;)

    ResponderEliminar
  15. O que a minha veterinária disse foi que nem a vacina nem o xarope são 100% eficazes e que para as raças mais pequenas como a minha Mel que é uma yorkshire era muito mais barato e mais seguro também!

    ResponderEliminar
  16. Fui informada por uma Professora minha (Veterinária doutorada em farmacologia) que a vacina pode proteger o animal mas não evita que ele seja portador da doença. Sendo a leishmaniose uma zoonose (transmissível a humanos) é fundamental ter muita atenção principalmente para quem tem crianças em casa. Se calhar, em alguns casos, é preferível não dar a vacina ou fazer exames regulares para despistar a doença.

    ResponderEliminar
  17. O meu levou a Canileish e agora todos os anos leva o reforço... Não facilito!

    ResponderEliminar
  18. Desde o ano passado que dou este xarope à minha Luna. Toma durante um mês, 3 vezes no ano (Fevereiro, Junho e Outubro). Não há nada 100% eficaz, é certo, mas sempre é melhor prevenir com o que podemos, do que não prevenir. Também lhe coloco as ampolas todos os meses da Advantix, visto que também ajudam a afastar esse mosquito maldito. Todo o cuidado é pouco quando se vive numa das zonas mais propensas à Leishmaniose,Peso da Régua (Interior Norte, com rio Douro ao pé), onde há rio, há mais probabilidade de existir. Perfeito era inventarem uma cura para a doença, mas infelizmente teremos ainda de aguardar para que isso possa vir a acontecer.

    ResponderEliminar
  19. Sou veterinário, e vivo numa zona com grande incidência de Leishmaniose.
    Tendo em conta a informação dos últimos congressos/palestras sobre o tema, não tenho quaisquer dúvidas em aconselhar a utilização do xarope em todos os cachorros a partir da primeira visita e em todos os cães adultos. Aconselho analise previa.
    Foi importante para a minha escolha, o facto de ser sem dúvida o mais eficaz em estudos de campo realizados em varias clinicas e que foram apresentados nos últimos meses. Realço também os poucos casos contra indicações ou efeitos secundários.
    Em cães muito grandes, por uma questão económica, aconselho a vacinação, que apesar da menor eficácia comprovada ainda é seguramente uma optima ajuda.

    ResponderEliminar
  20. Atenção que a leishmaniose é transmissível aos humanos daí que não seja recomendado levar os cães à praia, principalmente ao entardecer que é quando a mosca da areia (vector da doença) está mais activa. Se uma mosca da areia infectada picar um humano transmite a doença e é muito grave!

    ResponderEliminar
  21. Nunca mais puseste fotos do Manolo. E do Manolo com o Mateus!!

    ResponderEliminar

Teorias absolutamente espectaculares

AddThis