Pub SAPO pushdown

Viver todos os dias cansa

terça-feira, março 25, 2014
Ando arreliada com isto da falta de tempo, dos dias que parece que não chegam para nada. Acordo cada vez mais cedo (obrigada, meu rico filho), continuo a deitar-me tardíssimo, não paro um segundo, e mesmo assim tenho sempre, sempre, sempre coisas em falta. São os 90261 mails que não consigo responder, são os meus livros que não estão a andar ao ritmo que queria, é a casa que está o caos,  são os 300 projectos nos quais me quero meter, é o Mateus que precisa de tempo de qualidade, são as corridas e as idas ao ginásio, são as consultas que tenho por marcar, é a papelada toda para organizar (o IRS está aí), são os livros e revistas e séries que se acumulam, é a tentativa de encaixar uma horinha para as unhas... vou apontando na agenda tudo o que tenho para fazer e cada vez que consigo riscar alguma coisa até elevo os bracinhos ao céu, mas por mais que vá despachando a lista não para de crescer. Ou os dias encurtaram ou sou eu que estou a tentar fazer muito mais do que aquilo que consigo. E depois é aquela sensação de que parece que estou sempre a fazer a opção errada. Se estou sentada a escrever sinto que devia estar antes a fazer uma máquina de loiça. Se vou ao ginásio penso que devia era estar ao computador. Se fico a arrumar a cozinha penso que devia era aproveitar e ir buscar o Mateus mais cedo. E é isto o dia todo, todos os dias. E depois vou para a cama e lembro-me que ainda me falta fazer mais isto, e aquilo, e ainda não sei o quê, e começo a ficar com os nervos esfrangalhados. E questiono-me se é suposto isto ser assim, esta sangria desatada, e para quê. Não sei se me aguentaria por lá muito tempo, mas para já, para já queria mesmo era mudar-me para o campo, para o Mateus andar à vontade, para o Manolo andar à vontade, para nós andarmos à vontade. Irra, que viver todos os dias cansa, já dizia o Pedro Paixão.

62 comentários:

  1. E eis que pela primeira vez comento algo!!! Sinto exatamente o mesmo! Estou agora a preparar aulas!!! Sim, sim, só agora porque o dia não estica e parece demasiado curto para tratar da escola, casa, filhos, marido, papelada etc... E agora a cereja em cima do bolo.... Daqui a quatro horas e meia toca a acordar!!!!!

    ResponderEliminar
  2. "Nunca te distraias da vida", já dizia o outro. Porque só quando ela está em risco é que nos lembramos que só vivemos uma vez.

    ResponderEliminar
  3. Pipoca estás a precisar de uma assistente! Ou de uma empregada doméstica! Ahahah

    ResponderEliminar
  4. Há tanto tempo que não escrevias nada assim aqui no blog ... Leio todos os dias o teu e ida Cocó, mas às vezes penso que teu está muito comercial e pouco humano,não é uma critica, mas estes textos ajudam a perceber que os nossos problemas são onde muita gente como nós. Eu não trabalho fora de casa sou uma extra terrestre em Portugal e mesmo assim acordo cedíssimo e tenho sempre muita coisa que queria fazer mais, e deu-me vontade de rir porque as minha unhas ficam sempre pata o final e acabam por não ficar. Agora estou a escrever isto e a pensar que devia estar a tomar banho e que me vou atrasar

    ResponderEliminar
  5. Aiii, a unica coisa que consigo comentar é que já levo 11 anos disso tudo tal e qual.
    Susana

    ResponderEliminar
  6. Muita gente tem dias assim, eu também! Ás vezes dou por mim a pensar..." se eu já quase que me auto-interno por causa do meu rico trabalhinho que me consome o tempo, energia e saúde, nem quero imaginar como será para aquelas pessoas que não têm recursos financeiros mas têm de preocupações semelhantes..." essas sim é que não devem conseguir dormir a pensar como vão passar mais um dia...

    ResponderEliminar
  7. Nem de propósito ontem li o texto "Viver todos os dias cansa" da tua agenda (já vou na segunda =)). Adoro aquele texto e adorei este. Força.

    12 LOVE

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Estava a pensar exatamente o mesmo mas li apenas hoje de manhã ahaha

      Eliminar
  8. Podes viver no campo mas perto da civilização e assim tens o melhor dos dois mundos. Tal como eu faço. Vivo em Alcabideche, temos a sorte de trabalhar perto de casa - por isso, Lisboa nem vê-la - temos tudo ao pé de casa, mas tempo, minha amiga, esse também nos falta. Mas pelo menos vivemos num sitio que é mais calmo sim. Lembra-te que já alguém disse "Podes fazer qualquer coisa, mas não tudo" (isto em português soa mal, é melhor o original que diz "You can do anything but not everyhting"). Sim, o Pedro Paixão tinha razão - esse é um dos meus livros preferidos. :D Bom dia!!!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Que engraçado, vivo em Alcabideche à 30 anos e não sabia que vivia no campo!! ;-)

      Eliminar
  9. Pára, Respira Fundo e Estabelece Prioridades ;)

    Sónia
    Taras e Manias

    ResponderEliminar
  10. Não és só tu Ana!
    Eu queixo-me do mesmo!
    E cada vez mais me preocupa este speed em que vivemos!

    ResponderEliminar
  11. Em muito tempo um post sincero e realista.

    ResponderEliminar
  12. Pois, parece que ter um filho muda mesmo muita coisa.
    Recordo-me de alguns textos da Pipoca que muitas mães comentavam esta mais patente "falta de tempo" que era vista por quem não era mãe como uma "falta de organização de prioriddes", incluindo até a Pipoca.
    Mas se quando não somos mães podemos andar a correr e sentir que não temos tempo para tudo, o sentimento de "culpa" é maior quando se tem um filho (ou mais, como eu).
    Sabemos que precisamos do nosso tempo, do nosso espaço, mas mesmo assim não deixamos de pensar quando estamos no ginásio, por exemplo, se não poderiamos antes ter ido buscar os miudos à escola e leva-los ao parque...

    ResponderEliminar
  13. Não vivo na cidade e tenho a mesma falta de tempo.
    Não percebo porque acham sempre que só as pessoas da cidade andam a mil!
    Saio da cama às 7h e nunca me deito antes da 1h!
    Muitos dias nem almoço, faço as compras às pinguinhas porque não consigo ir uma hora ao supermercado para grandes compras, quase não consigo ir cortar o cabelo, corro entre futebois e piscinas, jantares e tpc... qual é mesmo a diferença da cidade?
    Só se for o movimento ali da rua... é menor, sim, mas nem por isso o meu dia tem 25 horas!

    ResponderEliminar
  14. Eu, rapariga que sempre fugiu do campo a sete pés, dou por mim a imaginar-nos a viver por lá. Também ando farte de viver numa rodinha de hamster, sempre a correr para nada.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Mas afinal onde fica o campo :) Moro no Estoril e Alcabideche é aqui ao lado, mas alguém já disse que não é campo nem o era há 30 anos. Onde fica o campo pf. Ou extinguiu-se :)

      Eliminar
  15. Olá Pipoca,

    Infelizmente é verdade! Essa questão de nunca sabermos se tomamos a opção correcta tb me assola o pensamento.
    Se não brinquei com o meu João, sinto-me culpada, pq não lhe dei atenção suficiente.
    Se tenho tudo desarrumado, fico stressada.
    Se não organizei as roupas a tempo, fico arreliada, porque faltam as calças ou camisolas que o João mais gosta.
    Se não dei atenção suficiente à família, ora estou novamente de coração apertado.
    Dava para aumentar os dias para 48H "faxavor"?!

    Bj

    PS - Os seus textos são fantásticos! Obg

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Dias com 48h? credo, nem pensar... para fazer ainda mais coisas e conseguir deixar outras tantas por fazer...
      Nós mulheres temos de para de pensar que somos completamente necessárias. Sei por experiência própria. Já estive internada 1 semana por duas vezes e a miuda foi sempre vestida para a escola, alimentada, foi para a cama cedo, enfim... claro que quando voltei a casa tinha pilhas de roupa para lavar e passar, estava tudo desarrumado e tal, mas sobrevivemos todos.
      Susana

      Eliminar
  16. E depois acontece algo inesperado, como a mim que estou a recuperar de uma cirurgia e as coisas fazem se na mesma, com a ajuda de outros e uma pessoa cansa-se de estar de cama a ler e ver as kardashians na tv.
    Haja saúde, que o resto vem por acréscimo.

    ResponderEliminar
  17. concordo..acho que a Ana precisaria de uma assistente para tratar de algumas coisas..:) beijinho e não se preocupe pois é melhor estar super ocupada do que sentir que não faz nada e que não tem nada para fazer:)

    ResponderEliminar
  18. É tudo uma questão de prioridades minha querida :)

    ResponderEliminar
  19. Por mais coisas que se façam ficam sempre coisas por fazer. Deito-me sempre com a sensação de que faltou isto ou aquilo. Nessas alturas, recordo-me das melhores coisas do dia e deixo que o resto não me incomode durante o sonho. Amanhã é outro dia e fazem-se mais coisas.

    homem sem blogue
    homemsemblogue.blogspot.pt

    ResponderEliminar
  20. Eu já acho isso e ainda não tenho filhos... imagino quando tiver.

    www.prontaevestida.com

    ResponderEliminar
  21. Tens que dar uma de Carrie Bradshaw e arranjar uma assistente =p

    ResponderEliminar
  22. UMA PEQUENA AJUDA...
    http://fr.vente-privee.com/catalog/Salespace/Operation/4001690/site/1/2324311#catalog/Salespace/Operation/4001690/site/1/2324311

    http://araparigadoautocarro.blogs.sapo.pt/

    ResponderEliminar
  23. “Mantenha as coisas simples, o complexo falha.” Timothy Ferriss
    http://en.wikipedia.org/wiki/The_4-Hour_Workweek

    ResponderEliminar
  24. Pipoca, q tal uma empregada, fazer a pipoca as suas unhas, escolher entre correr ou gym p poder saborear a vida?

    ResponderEliminar
  25. Por favor...não penses em mudar-te para o campo! Enche o blog com publicidade (graças à evax já quase nem podia comentar) e arrenda uma vivenda no Restelo. És demasiado urbana! Eu vivi dois anos no campo e acredita que o campo cansa e o tempo esvai-se na mesma! Estava a endoidecer com tanta erva, tanta galinha, abelhas, baratas, gafanhotos e outras coisas próprias da vida do campo que não vêm nos filmes nem nos livros...Esquece as unhas, que de vez em quando precisam de respirar para fortalecerem, se não puderes ir ao cabeleireiro, faz um rabo de cavalo e prende-o com um acessorio bonito. Faz o maximo que puderes durante a manhã...as camas, as máquinas. Não te culpes se não estiveres no colégio às 16H00. No mundo ideal, os miúdos chegam mais tarde, cansados, tomam banho, jantam cedo e adormecem, para poderes ter um petit tete a tete com a cara metade. Faz uma sobremesa ao fds para o resto da semana. Faz um panelão de sopa de dois em dois dias, faz puré de maçã ou pêra de dois em dois dias! Pede à tua assistente doméstica para realizar tarefas que tu não podes mesmo fazer, lavar vidros e janelas, limpar máquinas e frigorífico, limpar o interior dos armários, se a pões a passar a ferro ela não terá tempo para mais nada. Enquanto esperas na consulta podes ir tirando notas de trabalho...o complicado mesmo é escrever, porque é uma actividade que exige concentração e silêncio!!
    Tem calma, não te deixes ir abaixo, porque só vai complicar as coisas! Eu também era como tu, dizia à minha mãe para não me aborrecer com coisas comezinhas porque ia ter um exército de empregados para tratarem dessas coisas...hoje dobro a língua, tenho um trabalho "tramado" e faço muitas "noitadas" em serviço, tenho filhos pequenos e tenho um marido maravilhoso, à moda antiga que não sabe (?) estrelar um ovo...e a vida não pára!! As mulheres portuguesas são do melhor que há na Europa! Força rapariga e beijinhos.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Estava a endoidecer com tanta erva, tanta galinha, abelhas, baratas, gafanhotos e outras coisas próprias da vida do campo que não vêm nos filmes nem nos livros...


      nitidamente você está a precisar de ler outros autores :-D

      Eliminar
  26. Obrigada por este texto, Ana. Sinto o mesmo. Revi-me sobretudo na parte em que mencionaste culpa por não estar a fazer outra coisa.

    ResponderEliminar
  27. Acho que são todas essas coisas por fazer que dão vontade de levantar todos os dias da cama. O importante é levar as coisas com calma :))

    Beijinhos,
    diasdechocolate.blogs.sapo.pt/

    ResponderEliminar
  28. Há pouco tempo atrás queixava-me do mesmo. Cansada de definir prioridades, um dia decidi que o meu tempo seria a minha maior prioridade, a minha maior riqueza, o meu maior luxo. E comecei também a respirar. A dar-me tempo para respirar.
    Dei por mim a focar-me apenas no essencial, no que verdadeiramente queria, no que verdadeiramente me era importante e acima de tudo no que e em quem amava.
    Faço por não me esquecer diariamente que TUDO PASSA, principalmente a vida e por isso mesmo merece ser passada com a máxima atenção. Ansiar por mais tempo ou desejar que pudessemos fazer isto ou aquilo é, ironicamente, a maior das perdas de tempo. Temos o tempo que merecemos. E não, não pudemos fazer tudo. Aceitar esse facto por si só já é um passo!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Também gostava de pensar assim! A pilha de roupa e de loiça é que não me deixa!
      ah, e um filhote de 1 ano para cuidar!

      Eliminar
  29. Ana,
    Percebo-te perfeitamente. És tu, eu, e milhares de mulheres a passar pelo mesmo.
    Chega a ser desesperante a falta de tempo para dormir, que é uma necessidade básica do ser humano.
    Chega a ser de cortar os pulsos, de faltar a respiração, o facto de não termos tempo para nós. Temos sempre tempo para os outros mas nunca para nós. É triste a realidade. É triste termos vontade e potencial para fazer tanta coisa e para abraçarmos tantos projectos que queriamos e afinal, nunca há tempo para nada!
    A vida é uma dádiva e nós não lhe damos o devido valor. Sempre tudo a correr, sem aproveitar nada. Sem viver. A sobreviver.
    Sinto o mesmo, cada dia é uma luta contra o tempo. E isso custa. E o pior é não saber como sair deste ciclo vicioso onde nos metemos. Mas sabes Ana? A culpa é toda tua, e minha, e de todas as pessoas que estão assim. Não sabemos travar. E depois quem se lixa? Nós. Mais ninguém.

    http://mundodamafy.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  30. Eu vivo no campo, e não é nem por isso que não sinto o mesmo!! Sempre com mil e uma coisas para fazer... e quando acordo todas as manhãs acordo com a sensação que dormi 5 minutos e super cansada... Mas pronto, é a vida!!

    ResponderEliminar
  31. Aiiii Ana andamos sempre na velocidade máxima. Pelo menos eu moro numa zona super calma e tenho à minha frente o Estádio Nacional, é em Queijas.Ao fim de semana correr no meio da natureza em plena Lisboa é um privilégio.
    Se quiseres ajuda para o IRS, diz. Sou TOC. Vai com calma, estabelece prioridades.

    ResponderEliminar
  32. Essa falta de tempo, esse escorregar de horas por entre os dedos é uma síndrome dos nossos dias, parece que andamos todos impelidos por um stress que nos consume.
    E quando sentimos a vida a sair do nosso controlo, a querermos fazer mais do que aquilo que podemos sentimo-nos ainda mais sem tempo…

    Viver no campo não ajuda grande coisa, acabamos por impelir stress na nossa vida de qualquer forma, a única vantagem é termos menos poluição e termos mais espaços verdes por oposição, apesar de termos muito mais do que é necessário, acabamos sempre por sentir falta de algumas coisas que só encontramos nas grandes cidades.

    A nossa geração não sabe ficar parada, estamos sempre à procura de algo para fazer e estamos permanentemente conectados, ligados ao mundo e por vezes desligados de quem está ao nosso lado e parece-me que as gerações seguintes ainda serão sofrerão mais com isto.

    Também faço listas de coisas a fazer, normalmente mentalmente, e é raro o dia em que chegue à hora de deitar e tenha comprido tudo, curiosamente as unhas ficam sempre para último lugar… deve ser crónico mas acho que deixamo-nos sempre para último lugar.
    Apesar de tudo acho que as mulheres sofrem mais com isto do que os homens, mesmo com divisão de tarefas nós acabamos sempre por ter a maior carga, mesmo que sejamos nós as responsáveis por isso, achamos sempre que podemos encaixar mais uma tarefa, mais uma atividade… depois pagamos a fatura…
    Um filho altera em muito as nossas rotinas e ocupa-nos muito tempo, não que isso seja mau, pelo contrário, faz-nos priorizar a vida e ver que se calhar gastamos muito tempo com coisas que não interessam, por outro lado vem a curiosidade, a avidez de querer fazer, conhecer, ir que nos leva a tentar arranjar tempo onde ele não existe… às vezes gostava de conseguir dormir apenas 4h por dia e não sentir falta de dormir mais, mas no fundo sei que mais tarde ou mais cedo o tempo que iria conseguir extra seria muito curto para tanta coisa para viver.

    Cada vez mais acredito na receita de viver um dia de cada vez. Hoje estou aqui, amanhã posso já não estar, por isso o importante é todos os dias ter tempo para fazer aquilo que é mais importante e que nos faz feliz.

    ResponderEliminar
  33. Ana: no campo ou na cidade o tempo é sempre o mesmo. Costumo dizer que se alguém souber onde se vendem dias com 48horas que me diga; não importa o preço, compro. Também eu tenho uma lista e nunca por nuca consigo diminuí-la. O tempo é, de facto, curto para fazermos tudo: para sermos mães, mulheres, donas de casa e profissionais. Ainda tenho um longo caminho de alterações na minha vida até poder dizer que me dedico apenas ao essencial; por agora fico-me com uma mulher a dias que limpa e arruma a casa e passa tudo a ferro; uma enorme ajuda que vale cada euro que lhe pago...

    ResponderEliminar
  34. Ah, a quimera da felicidade!!! Mas quem vos disse que vimos ao mundo para sermos "felizes" mentiu-vos desde o berço...A vida é esta angústia e este pulsar permanentes. Num dia de muita azáfama disse a um cliente meu que teria a eternidade para descansar, ao que ele me respondeu: "engana-se, no momento em que se morre começamos logo a sofrer", e eu pouco dada a esoterismos nao quis saber de mais nada.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Por acaso a reposta do Sr. dá que pensar!
      Mas ninguém disse que a vida era fácil e muito menos justa.

      Joana

      Eliminar
    2. Anónimo das 12:21 É muito pretenciosismo do seu cliente, como é que ele sabe, as pessoas adoram falar do que não sabem. Alguém veio do mundo dos mortos contar histórias? Eu não sei de nada. Só me irrita gente que sabe tudo.

      Eliminar
  35. Pipoca acho que está na hora de arranjar alguém para a ajudar, é impossível dar conta de tudo e não é mal nenhum contratar alguém.

    ResponderEliminar
  36. Como entendo isto tudo...e olha que com dois filhos, mesmo eles crescendo, a coisa não melhora...
    Coragem para aguentar, é só o que posso dizer, hão de vir dias mais calmos, é esta esperança que me faz continuar todos os dias. Beijinhos!

    http://thelusofrenchie.blogspot.pt

    ResponderEliminar
  37. Pois é pipoca, o tempo foge tao depressa... Eu tenho duas filhas uma de 3 anos e outra de 2 anos, levanto-me às 6.30 da matina, a maior parte dos dias estou a deitar-me e já são 01.00 da manhã, nunca consigo deitar-me no mesmo dia que me levanto! Levar as miúdas a escolas diferentes, entrar às 8.30 (quase que nunca consigo!) saio às 17h ir buscar as miúdas, leva-las a casa da avó e ir novamente trabalhar até às 20.30, sair, ir buscar as miúdas, chegar a casa, um pouquinho de brincadeira, banho, cama, passar alguma coisa a ferro, preparar as roupas; arrumar a cozinha do pequeno almoço; tomar um banho, por roupa a levar/secar, é uma autentica correria mas, sou feliz à nossa maneira, porque realmente o tempo é pouco, só temos o Domingo para estarmos o dia todo todos juntos mas, sabe tão bem! e como dizem as pessoas mais velhas e, disso lembro-me sempre que estou muito cansada e quase a escorregar la bem para o fundo...."já corri tanto e agora sobra tempo para tudo!" Beijitos grandes ao Mateus
    Carla Madeira

    ResponderEliminar
  38. Foi muito bom ler isto... excelente mesmo. Abdiquei de trabalhar há uns anos, muitos até. Só fiz bem. Tenho uma familia maravilhosa, mas estou presente 24h. Não quer dizer que outra mulher qualquer sentisse o mesmo com a minha opção, não, não de todo.

    ResponderEliminar
  39. Coitadinha de ti que tens uma vida tão má... Tenho tanta pena de ti que foste para Cabo Verde, Paris, Budapeste e não tens tempo para nada. Olha se tivesses um trabalho a sério!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não posso responder pela Pipoca, mas creio que as viagens são justamente uma forma de arranjarmos um bocadinho de tempo para darmos a nós próprias e aos nossos. Sim, a Pipoca é privilegiada por poder fazer estas viagens, mas estúpida seria se, tendo essa possibilidade, não as fizesse! Afinal, é mesmo o que levamos desta vida! Acho que o texto da Pipoca reflecte mesmo a sociedade em que vivemos, e que é uma verdadeira correria! Não temos, de facto, tempo para nada. Quanto ao trabalho da Pipoca, até podemos invejá-lo, por lhe permitir ter liberdade de horários ou ter acessibilidade a coisas que todas nós, mulheres, gostaríamos de ter mais vezes (as roupas, os cabeleireiros, os eventos, e por aí) mas, acha mesmo que ela não tem um trabalho digno como o seu? Não sou defensora de niguém, nem sequer conheço a Pipoca, só mesmo de me já ter cruzado várias vezes com ela na baixa e por já a ter cumprimentado na sua loja, mas realmente há comentários que me tiram do sério!

      Eliminar
    2. Nívea nos cotovelos, porra!

      Joana

      Eliminar
  40. Estou como tu pipoca. Ando a pensar sinceramente em mudar- me para o campo, não por gestão de tempo, mas por ter outra qualidade de vida. De respirar melhor. Ando fartinha desta cidade e olha que sou tua vizinha.

    ResponderEliminar
  41. Sinto a mesmaaaa coisa, que raiva!!!!!

    ResponderEliminar
  42. Olá pipoca. Preciso de ajuda , recentemente fiz franja e basicamente já estou cansada dela. Que dicas me podes dar para ajudar a renovar o meu look ?

    ResponderEliminar
  43. Aconselho-te a reformulares esse pensamento...
    Numa semaninha fartavas-te do campo. Aqui não há nada do que gostas!!!
    Não há transito nem vida social, não há eventos nem azafama no comercio, não há os últimos gritos da moda nem sítios para exibi-los, está-se muito mais longe da capital onde terás q ir às reuniões, ao estúdio, à loja e aos eventos.
    Aqui como raramente há filas de transito vais a qualquer lado em dez minutos, se morares dentro da vila/cidade então podes deixar o carro e andar sempre a pé porque é tudo perto. Não há centros comerciais, há supermercados e mercados agrícolas, ou se preferires e tiveres vocação sempre podes te dedicar à agricultura, mas aviso já que é coisa que nem sempre corre bem. Ah no inverno é lixado, faz mais frio que na cidade, as geadas são constantes e as tempestades também, sim vendavais daqueles muito semelhantes a tornados, e depois a chuva,semanas inteiras a chover até parece que estamos em Inglaterra, é tão chato que não da para fazer nada na rua. A lareira é a tua melhor amiga e se tiveres a sorte de trabalhar em casa podes contar com os meses de inverno agarrada a ela, basicamente tudo fora de casa morre no inverno.
    Tens a sorte de poder trabalhar a partir de casa, mas também tens uma loja... aconselho então a nunca te lembrares de abrir um negocio na vila ou na cidade de interior, o comercio está uma desgraça e há lojas a fechar todos os meses, são dias e dias sem entrar clientes, o poder de compra é escasso e as pessoas não estão a comprar futilidades, basicamente os cafés e pastelarias é que dão, a não ser que vás viver para uma cidadezinha turística, aí a partir de março os estrangeiros começam aparecer, e no verão os emigrantes, e lá nos safamos nas vendas, mas depois a partir de outubro é o desconsolo novamente,é que nem o natal é o que era.
    Em suma, conselho de amigo: o campo não é para meninas da cidade.

    ResponderEliminar
  44. É a vida...os dias nunca parecem suficientemente grandes para tudo o que às vezes há para fazer!

    ResponderEliminar
  45. Não, campo não! Só eu sei as saudades que tinha das idas ao Chiado...

    theportuguesepinkpie.blogspot.com

    ResponderEliminar
  46. viva!
    como a entendo... a vida aqui na província é bem mais calma sem duvida.
    falo por mim (a 45 min. de lisboa) em que não nos falta nada a não ser o tempo.
    queremos fazer, absorver, conseguir, aprender, resolver tudo o que nos aparece pela frente.
    só temos mesmo é de pensar no que realmente é mesmo importante na nossa vida e incluir nela só o que nos faz falta.
    já temos tanto para viver para quê sofrer por não sermos as melhores: mães, esposas, mulheres, irmãs, filhas, etc.
    viver devagar no campo é opção mas com moderação.
    até breve.

    http://homesalehome.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  47. Há 8 anos fiz isso, sai da cidade e vim para o campo !! Pensei que iria enlouquecer, pois achava que não conseguia viver num ambiente calmo . Hoje, não penso e não quero viver em Lisboa ... Os meus 3 filhos têm qualidade de vida ... e isso, é o mais importante !!

    ResponderEliminar
  48. Pipoca

    Quem escreveu q "viver todos os dias cansa" foi o Grande José Gomes Ferreira.

    Beijinhos
    Helena

    ResponderEliminar
  49. Que eu saiba no campo o dia também tem 24 horas... Assim como qualquer cidade/vila/freguesia/região do Mundo.

    ResponderEliminar
  50. O Português é muito pessimista e queixoso. Não percebo a associação do campo/mais tempo durante o dia. Que eu saiba os problemas arrastam-se independentemente do sítio onde estejamos. Força :)

    M.P

    ResponderEliminar
  51. Ando exactamente com essa mesma sensação... Tem sido casa-trabalho, trabalho-casa, sem tempo para mais nada, sem tempo livre para desfrutar do dia-a-dia...

    ResponderEliminar

Teorias absolutamente espectaculares

AddThis