Pub SAPO pushdown

A Dora

quinta-feira, fevereiro 20, 2014
Pelo Facebook descubro que a Dora - a outrora menina do "Não Sejas Mau Para Mim"- trabalha no McDonald's. É um jornal que o diz. A Dora fez sucesso com essa música no final dos anos 80. Depois desapareceu, afastou-se da música, foi mãe, dedicou-se a outras coisas. Regressou há um par de anos, despiu-se para uma revista, participou num programa de televisão, mostrou que sabe cantar, mas o pouco deu em nada. Imagino que, como toda a gente, a Dora tenha de comer, tenha contas para pagar. E a música não lhas paga. Não ficou parada à espera e, possivelmente, a acumular dívidas. Não foi para o Facebook dizer que a culpa é do Governo, que está a matar a cultura (como se fosse possível obrigar as pessoas a gostarem de música, livros ou artes plásticas, mesmo que até tenham dinheiro para os consumir). Fez-se à vida. Se lhe invejo a sorte? Não. Se ambiciono trabalhar num McDonald's? Também não. Mas sei que se não pudesse viver daquilo que gosto também me dedicaria a qualquer outra coisa. Ao que fosse, desde que isso garantisse a minha sobrevivência ou a do meu filho. Pelo Facebook vejo muitas piadas com o tema, muitas delas desdenhosas. E eu, que até tenho um humor particularmente macabro, não sou capaz de partilhar da piada fácil. A Dora precisa de trabalhar e foi trabalhar. Fez o que muitos portugueses - que tanto se queixam- não são capazes de fazer, por se acharem sempre merecedores de mais. Acredito que sejam. A Dora também o é, mas quem precisa, quem precisa mesmo, faz pela vida. Por isso, a Dora só merece o meu respeito. E o desejo que, um dia, possa voltar a viver daquilo que gosta.

123 comentários:

  1. Apoiada na íntegra!

    ResponderEliminar
  2. Não podia concordar mais. é uma mulher com M grande por ir à luta para garantir a sua sobrevivência e a da sua família. Pelo menos tem um trabalho digno e não anda a roubar ou a meter-se em caminhos difíceis.

    http://sarakingdom.blogspot.pt

    ResponderEliminar
  3. Claro que ir trabalhar no Mac nao é vergonha alguma mas convenhamos... uma coisa é termos 18 aninhos e ainda na casa dos pais trabalharmos num Mac, outra bem diferente é uma pessoa que representou até Portugal numa Eurovisão e já com 40 e tal anos ir trabalhar no MacDonalds! Com todo o mérito concerteza mas não me lixem! Nem ela deve gostar de lá estar!!!
    País de treta!
    Catarina Alves

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Mas ninguém está a dizer que gostaria de trabalhar no MAC ou que a própria Dora gosta do que faz. Como em muitos empregos na vida, uns gostam do que fazem e outros não se podem dar a esse luxo.
      Agora o que se está a realçar é que tendo 18 ou 50 anos as pessoas continuam a ter despesas, contas para pagar e, à falta de melhor, a Dora soube agarrar-se à oportunidade que lhe surgiu,sem se apoiar em falsos vedetismos de quem vai a uma festa e mete o croquete ao bolso.
      Fez-se à vida e merece todo o respeito.

      Eliminar
    2. Eu aposto que ela não deve gostar mesmo nada de lá estar. A vida dela deu, certamente, uma volta de todo o tamanho. E agora? vamos oferecer-lhe a corda?

      Como o anónimo aqui em cima o disse, ao menos não ficou agarrada à ideia do vedetismo nem vai às tais festas do croquete e leva farnel para mais tarde.

      Eliminar
    3. Catarina veja lá se consegue ter um bocadinho de "inteligência, inteligência pura"
      não me diga que só as meninas de 18 anos é que podem trabalhar em MAC's??? será?? então só porque tenho 50 e até existe uma vaga no MAC eu respondo não obrigada, tenho 50 anos e por isso não trabalho no Mac ou numa Pizzaria que isso é para meninas de 18 anos, vou para a fila do desemprego ou da reinserção social esperar que o estado me sustente.
      já agora diga-me lá qual é a importância de ter representado Portugal na Eurovisão??? o que é tão importante a Eurovisão?? que importância dá ao país??? que eu saiba ela representou mas ficou nos 1os lugares a contar do fim [como sempre]
      ao menos é digna, tem um trabalho de respeito [até lavar escadas ou limpar ruas é trabalho de respeito se é que não sabe] não chulou o estado, não se miserabilizou fez-se à vida, arregaçou as mangas e foi ganhar dinheiro de forma honesta e honrrada.

      cresça por favor porque se todos tivermos pensamentos e atitudes assim como a sua somos uma treta

      Eliminar
  4. Clap, clap, clap!
    Outra qualquer enfiar-se-ia na Casa dos Segredos ou outra coisa que tal.

    ResponderEliminar
  5. Ola pipoca concordo consigo , todo o trabalho honesto tem o seu merito. A Dora como qualquer pessoa tem as suas contas para pagar e soube nao ficar presa a falsos vedetismos!Espero que tudo lhe corra bem.



    '

    ResponderEliminar
  6. Agora é que disseste tudo. Há muito desemprego sim, muitas pessoas que de facto sofrem, procuram e não encontram emprego/trabalho, mas o que não falta em lado nenhum são pessoas a queixar-se, a culpar tudo e todos pela sua "má sorte" mas se for preciso nem se preocupam em procurar trabalho, ou pior, dão-se ao luxo de recusar ofertas.

    ResponderEliminar
  7. Nisto da hipérbole "a cultura morreu" o problema é que a certa altura começamos a acreditar nos nossos próprios exageros e a perder o sentido das proporções.

    ResponderEliminar
  8. Pela primeira vez comentei este blog, apesar de o seguir há anos. :)
    Concordo na íntegra! Também não tenho como ambição principal trabalhar no McDonald's, mas se um dia estivesse numa situação de desespero, porque não? É um trabalho tão digno como outro, e se pagarem ao final do mês é o que importa. Até eu, que considero com esse tipo de humor, neste caso critico quem não tem a mínima noção no que diz.
    Continua assim! :) *

    ResponderEliminar
  9. Trabalha no Mac e fazem piadas se fosse pá casa dos segredos já era a maior? Gente pobre... De espirito

    ResponderEliminar
  10. Concordo inteiramente. Precisa de trabalhar, arregaçou as mangas e foi á luta

    ResponderEliminar
  11. Concordo inteiramente com tudo o que escreveste. Com esta atitude da Dora fiquei a admirá-la muito. Infelizmente ela é uma excepção neste tipo pessoas em que a maioria acha que por ser famosa/conhecida tem a vida garantida (aliás se se fizer um inquérito a muito jovens e se lhes for perguntado «o que queres ser no futuro» muitos responderão: FAMOSO, como se famoso fosse uma profissão... Lol )

    ResponderEliminar
  12. Mete-me muito nojinho esta mentalidade tuguinha de rir da "desgraça" alheia. Ai estás na casa dos "entas" e até estavas toda boa quando posaste para a revista?! Então pega lá para aprenderes! É pa, esta inveja lusitana que parece que está gravada do ADN. Raios... que nojo!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não me parece que os comentários negativos sejam motivados pela inveja, muito pelo contrário. Aliás essa mentalidade tuguinha de atacar tudo com a "desculpa" da inveja é bastante irritante.
      De qualquer modo, palmas para a Dora.

      Eliminar
    2. Ai não é?! Então o que motiva alguem ficar feliz ( a jubilar mesmo!) por ver alguém que até já teve uma carreira e ( nao discuto a qualidade porque opinião é como os traseiros cada um tem o seu) que foi à eurovisão, ficar feliz por ver que não consegue singrar naquilo em que já teve sucesso? Deve ser por lhe quererem muito bem às tantas! Aliás, quando ela posou nua foi a mesma coisa, só faltou dizer que a mulher era prusti e que só andava atrás de dinheiro. que tinha todos os defeitos no corpo... ah ah ah pois tinha, tinha que era defeituosinha de boa! Agora já não é uma maluca que se despe por dinheiro, trabalha no Mac mas também não serve! Isto não é alimentar-se do mal dos outros? Não é viver demasiado preocupado com a vida dos outros? Não é espumar de tão invejosos? Porra, é por isso que eu cá ando com colar de alhos ao pescoço!
      E sim, o povo português alimenta-se da inveja, basta olhar a história, basta olhar o presente e perceber que o que nos moveu e move não é o querer ser mais e melhor , mas sim que o vizinho veja que afinal eu tenho tanto como ele, nem que seja só aparentemente.
      E agora vou fazer um maravilhoso bolo de banana e caramelo que isso sim é importante!

      Eliminar
    3. Nao è inveja. È pura maldade

      Eliminar
  13. É óbvio que a Dora indo trabalhar no McDonalds mostra que é uma mulher sem preconceitos quanto toca a fazer pela vida de forma digna e honesta. Se acho que uma mulher com o talento e a idade dela merecia melhor? Acho. Mas neste momento é o que há e apenas desejo que melhore para ela e para todos como ela (e eu) que se vêem em situações de trabalho precárias e ainda por cima completamente atolados de impostos que nos dão uma qualidade de vida mínima. Fazer piadas com situações destas é só estúpido.

    ResponderEliminar
  14. É o que costumo dizer. Claro que adoraria trabalhar em comunicação para o resto da vida, mas se tiver de fazer outra coisa, faço e ponto final. Tenho contas para pagar e não me cai nada ao chão.

    ResponderEliminar
  15. Só num pais mini tini como portugal é que isto é noticia... estamos mesmo a 20 anos de diferença dos países civilizados.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Adoro esta mentalidade de "só em Portugal é que ..." e "estamos longe dos países civilizados". Notícias como estas também se lêem nos tablóides americanos (por exemplo)! Aconselho o caro anónimo a viajar até aos EUA e observar a civilização deles que, de acordo com a sua opinião, está tão mais avançada que nós! E quem diz EUA, diz Reino Unido, França, Itália...

      Eliminar
    2. Tem razão, (é mais ou menos como o comentário ali do/a masterchef cá de casa), as pessoas não têm noção como nos outros países adoram ver os seus ídolos no chão, os americanos até dizem que adoram criar ídolos, só para vê-los cair.

      Eliminar
    3. Olhe que não é bem assim. Usando o exemplo já dado dos EUA, o "Sherminator" do American Pie (não me recordo do nome) foi apanhado a trabalhar como empregado de mesa em LA e fartaram-se de gozar com isso.

      Eliminar
    4. Lembro-me de ver no "The Sun" uma capa de uma atriz inglesa que estava a trabalhar numa loja de roupa em Nova Iorque, isso na altura foi super comentado e assunto de capa imensas vezes.. Por isso não, estas coisas não acontecem só em Portugal.

      Eliminar
    5. Ou algo tão simples como o facto de a actriz Hayden Panettiere ter comprado um vestido Tom Ford para usar nos Globos de Ouro, em vez de ter pedido emprestado a uma qualquer marca... A rapariga foi bastante criticada por ter simplesmente comprado um vestido que adorou... E não, não foi em Portugal.

      Eliminar
  16. Ora nem mais, trabalhar não é vergonha, pelo contrário. Pelo menos ela assume-o e fá-lo em Portugal.

    http://thelusofrenchie.blogspot.pt

    ResponderEliminar
  17. Eu acho graça aos falsos apoiantes e palmadinhas nas costas... mas quem é que quer ir trabalhar pro Mac a ganhar 500 Euros mensais por 8 h ao dia?? É revoltante seja a Dora o Papa ou outra pessoa qualquer!

    Sim estou em dia não! E até vou mais longe, preferia vender o corpito ou pedir esmola...

    Carla Santinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Isso já é contigo. Eu por acaso não.

      Eliminar
    2. Isso é contigo amiga. Cá para mim não. Antes passar fome que andar a vender o corpinho.

      Eliminar
    3. Há pessoas mesmo ridículas!! Qual é o mal de trabalhar no mac?? Se calhar se for no restaurante ou no café ali da esquina já não há problema pois não?? Prefere vender o corpo? Realmente, isso diz muito de si.
      Sabe quantas pessoas existem em Portugal LICENCIADAS a viver na rua?? Acha que essas pessoas não preferiam ter um emprego DIGNO que lhe pagasse as contas e lhe pusesse comida na mesa??

      Tenha juízo, e reze para não precisar, de facto, de vender o corpinho, pois nem no mac donalds arranjar emprego!

      Inês M.

      Eliminar
    4. Hum... Assim de repente, ocorrem-me algumas pessoas que não se importavam nada de ir trabalhar para o McDonald e ganhar o salário mínimo, na medida em que, por exemplo, estão há anos desempregados já sem subsídio ou um muito baixo, que conseguem um biscate uma vez de 2 em 2 meses, e que lhes rende € 50,00.

      E, assim de repente, não imagino nenhuma dessas pessoas a preferir vender o corpo (biscate por biscate, sempre ganhavam mais...)

      O que vale é que avisou que estão num dia não e isso tolda a capacidade de raciocínio de qualquer um! ;)

      Eliminar
    5. Se prefere estar com homens, ser espancada e apanhar doenças isso é consigo! Ou a senhora acha que vale 500Eur por cada vez que se deita com um homem??? Sinceramente.....

      Eliminar
    6. Há muitos sítios que até tem bom nome na sociedade e também pagam o ordenado mínimo e até muitas das vezes por mais do que 8h diárias a licenciados e tudo..não é o Mac que é o mau da fita!

      Eliminar
    7. Eu trabalho 8h/dia, por vezes mais 2/3 e ganho 560 euros!
      Ah, pronto, não é no MAC... se fosse ia já ali vender o corpo....
      Ah cada uma....
      Deves ganhar bem, por isso vê lá se seguras o emprego que tens, porque se o perdes ficas admirada com as propostas que te fazem!

      Eliminar
    8. Se num dia não afirma que preferia vender o corpo, imagino o que diria se estivesse num dia bom...
      Tenha vergonha na cara e reze para nunca precisar

      Vânia F.

      Eliminar
    9. Carla Santinhos...você é mesmo básica, em dia mau ou não!

      Eliminar
    10. Não se preocupe que como você há muitas...é um grande problema este o das mulheres hoje em dia o acharem que terem um buraquinho no meio das pernas as diferencia das demais e as faz chegar mais longe... se tivesse de dar comer á minha filha era a mulher mais feliz do mundo se me oferecessem um trabalho no mac ou a lavar escadas que fosse! Olhe pode smp ir para a casa dos Segredos....

      Eliminar
  18. Acho é que o Mac podia se calhar aumentar um pouco os seus preços finais, e se calhar com isso pagar melhor aos empregados, boa? Nisso ninguém fala...Estão se nas tintas todos, o que importa é ter a hamburger quase de borla a custa do sangue dos outros.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. CLAP CLAP CLAP

      Eliminar
    2. Posso estar enganada, admito que sim, mas não me parece que ganhem assim tão mal. E também não me parece que sejam "quase de borla", na medida em que vou comer hambúrguers a sítios "melhores" e menos fast-food que custam, em média, cerca de 2/3 mais que a média do menu no McDonald.

      Eliminar
    3. Uma empresa que factura "trillions and trillions per year" tem a obrigaçao de pagar melhor aos funcionarios.O McDonald's nao e' de todo uma empresa que esta' a' rasca e a lutar para se manter e sobreviver. E sim, ganhar 2.50Eur/hora e' completamente injusto quando deixamos o sangue e suor numa empresa que factura tanto como esta. Parabens a' Dora que nao tendo alternativa arregaçou as mangas e nao vive de subsidios sociais.

      (Peço desculpa pela falta de acentuaçao, o meu teclado nao tem acentuaçao)

      Eliminar
    4. Os funcionários da McDonald's não ganham todos o mesmo para a mesma função. Enquanto que no McDonald's dos Aliados podem ganhar X, no da Maia já ganham X+100. Tudo depende da empresa que gere. Nem todos os restaurantes são geridos pelo mesmo, portanto os salários destes funcionários variam.

      Eliminar
  19. Tenho visto muitos comentários por essa internet que estabelecem comparações entre a Dora que foi trabalhar para o McDonald's e o Fernando Tordo que emigrou para o Brazil. E que ela é que é forte que fica e faz qualquer coisa e ele é que sai e faz queixinhas e blá blá blá whiskas saquetas. Não há comparação possível. Duas décadas separam estas duas pessoas. Eu, quando tiver 65 anos, se tiver que emigrar outra vez, quero ter a leveza de espírito que observo agora no Fernando Tordo. Isto pode parecer fácil mas não é. Somos demasiado rápidos no gatilho, no que a julgar os outros diz respeito. Imaginem-se lá com 65 anos a dar esse passo. Podia fazer como muitos que por aí andam a reclamar da vida enquanto nada fazem para a mudar...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O único comentário com pés e cabeça.

      Eliminar
    2. viu as notícias de hoje sobre ele?então veja e vai mudar de opinião. As duas situações não podiam ser mais diferentes.

      Eliminar
  20. Pipoca, essa foi com luvas brancas! Há alturas para tudo, não é verdade? Quando é para brincar, brincamos, mas quando é para falar a sério, também cá estamos. Não tiro uma única virgula ao que escreveu... GRANDE SENHORA! Muito bem!

    ResponderEliminar
  21. Aplausos para si e para a Dora.

    ResponderEliminar
  22. Concordo com tudo!
    Os anónimos que falam na idade/fama da Dora e que "é muito mau" alguém como ela estar a trabalhar no McDonald's devem ser daqueles que se queixam muito da crise e que não há trabalho mas que recusam trabalhos porque 'merecem mais'. Quando se precisa não se recusa nem se pensa noutras coisas. Talvez um dia quando deixarem de contar com ajuda dos pais ou rendimentos da segurança social que os «burros» que trabalham em McDonald's e afins ajudam a pagar tenham que se sujeitar a trabalhos bem piores.

    -Liliana

    ResponderEliminar
  23. De certeza que Portugal começou em Guimarães?!
    Não terá sido em Coimbra, no "Portugal dos Pequeninos"?
    Ohhh povinho triste, baghhh... :-/

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. "pequenitos" NÃO! "Pequeninos"!!!

      Eliminar
    2. Só para tirar as dúvidas, é mesmo "Portugal dos Pequenitos"... digo eu, nascida e criada há trinta anos em Coimbra.
      Já agora: http://www.portugaldospequenitos.pt/

      Eliminar
    3. Por acaso é mesmo Pequenitos que diz na porta. Mas é comum dizermos Pequeninos

      Eliminar
    4. Anónimo das 02h14, ao menos tinha saído graciosamente da história, que não há mal nenhum em estar errado.

      Eliminar
  24. Absolutamente de acordo Pipoca! Fez-se à vida e é claramente um exemplo para muita gente! Trabalho num call center em vendas, faço isto há 3 anos e tenho uma colega que diz que tem vergonha de dizer às amigas onde trabalha e prefere então "inventar" e dizer que trabalha num escritório. Pois eu só lhe digo que vergonha é roubar! Não me envergonho deste trabalho e por muito pouco que receba ao fim do mês sabe-me bem, porque é sinal que sou útil, é sinal que estou viva e em forma e que posso trabalhar. O dinheiro não dá para grande coisa, mas dá para me ir mantendo enquanto não arranjo nada melhor.

    ResponderEliminar
  25. A Dora foi com bastante humildade fazer-se à vida e não ficar a lamentar que a vida não fez nada por ela.

    Mostrou que é uma mulher de armas. A sorte surgirá. Ao menos não fica a lamentar como tantas que por aí andam.

    ResponderEliminar
  26. Tens toda a razão! E é por esses (e são esses) que acham que merecem mais, que depois nos deparamos com pessoas que estão desempregadas há 4/5/8 anos... Como é possível? Quem tenha duas mãos para trabalhar pode sempre fazer qualquer coisa, desde que tenha vontade. Pode demorar algum tempo a encontrar, é verdade, mas anos e anos a fio?

    Acho que a Dora e qualquer pessoa que trabalha para se sustentar merece o meu respeito!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não fale do que não sabe! Nem sempre as coisas são assim tão lineares e há pessoas que ficam mesmo esses anos todos desempregadas. E num desespero brutal!

      Eliminar
    2. Gosto tanto destas certezas!! Cuspa para o ar, que com sorte (ou azar) ainda lhe cai em cima.

      Eliminar
  27. Sim Pipoca realmente o sonho de qualquer pessoa é aos 40 anos de idade e como cantora ir trabalhar num MAC! Olha eu nem lá vou, mas acho deprimente toda esta situação! Não é dizer mal do país como ja vi outros comentários, mas realmente algo vai mal e tem de mudar! Todos temos de mudar, parece me. Mesmo quem lá trabalha merece e deve ter melhores condições! Mas esta situação é atípica nao me lixem!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ai, Jesus, mas eu escrevo em chinês? Onde é que eu disse que é o sonho de qualquer pessoa, seja ela nova ou mais velha? Onde é que eu disse que a Dora está muito contente por ir trabalhar para uma McDonald's? De certeza que não está. De certeza que preferiria ganhar a vida a cantar ou a fazer qualquer coisa na área dela. Mas se não aparece nada e se ela precisa de trabalhar, vai fazer o quê? Parasitar? Esperar por subsídios? Viver à conta dos pais ou familiares?

      Eliminar
    2. O texto da Pipoca estava em russo e ninguém percebeu... só este este anónimo (22:34) iluminado.
      Nem a Pipoca nem ninguém acha que ir para o Mac é um pico de carreira, a questão é que, à falta de melhor, antes trabalhar em qualquer coisa do ir vender o corpo..... for God's sake!!!

      Eliminar
  28. Adorei pipoca.
    Infellizmente a crise toca a todos e temos é de puxar as mangas para cima e ala que já se faz tarde a trabalhar. É um trabalho como outro qualquer e o mais importante é que lhe paga as contas e mete comida na boca dos filhos.
    Conheco muita boa gente que tem, por exemplo o 6ª ano de escolaridade, e diz que não quer trabalhar no McDonalds porque quer algo melhor para a sua vida. E depois vejo essas mesmas pessoas a chorarem porque não têm dinheiro para isto ou para aquilo, que a culpa é do governo e bla bla bla. Trabalhar é que nada de nada.
    Eu desejo à Dora e a todas as pessoas na mesma situação que ela, toda a sorte do mundo e fica a esperança que um dia, um dia as coisas iram melhorar.

    ResponderEliminar
  29. Dona de um humor por vezes macabro, mas humana, dona também de um bom coração. :)

    ResponderEliminar
  30. Não podia concordar mais. Se fosse uma estrela decadente a viver de "esmola" e de caridade, era um "ai coitada" e "ai a cultura neste país", porque é uma mulher que arregaça a manga e põe as mãos ao trabalho, fala-se em "vergonha" e humilha-se. Grandes exemplos para dar aos mais novos e aos jovens que, por exemplo, se licenciaram e estão nessas caixas de supermercado fora. Antes em casa dos pais até aos 40 e a viver de tudo quanto é subsídio do que trabalhar num McDonald ou Pingo Doce - isto sim!

    Só me lembro de quando um dos meus professores (numa ilustre faculdade de Direito) perguntou ao um colega se ele não achava foleiro trabalhar numa pizzaria, com todo o desdém.

    Teria mais vergonha de trabalhar num jornal que me impusesse escrever esta notícia como se o fosse, do que de trabalhar no McDonald.

    ResponderEliminar
  31. Como sempre a Pipoca escreve de forma clara e perceptível a sua opinião.
    É exactamente igual à minha, no entanto seria capaz de a escrever tão bem.

    ResponderEliminar
  32. Não entendo....a mulher fez-se à vida,trabalha honestamente,não tem nada que se envergonhar porque ao contrário de muita gente,luta para andar de cabeça erguida e mesmo assim é criticada.só reforça a minha ideia que há quem considere certos empregos "inferiores"...e concordo plenamente com o diz sobre se acharem merecedores de mais,quando muitas vezes nem são. uma amiga minha fez a sua despedida de solteira num restaurante Chimarrão há cerca de dois anos,estavam lá 20 empregados,sabe quantos eram portugueses?nenhum,só o patrão........deixou-me a pensar na altura e cada vez percebo mais porquê.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pois mas devia ter lhes perguntado quanto ganhavam... aposto em ordenado mínimo e trabalharem como escravos e no fundo se calhar ainda achavam que lhes faziam um favor! É isso mesmo que os patrões adoram que pensemos...e ainda há pessoas que apoiam esta mentalidade "é um herói pelo menos não está a viver a custa.." Poupem-me!
      Catarina Alves

      Eliminar
    2. eu não preciso de perguntar quanto ganham,eu sei por experiência própria,trabalho no mesmo ramo. E claro que os patrões se aproveitam da necessidade dos empregados para fazerem o que querem,mas eu sei,e ganho mais que o ordenado mínimo,que muito pouca gente quer este tipo de trabalho,mesmo que estejam a passar sérias dificuldades!!eu fui a única portuguesa que a minha entidade patronal conseguiu contratar em 6 anos!!!!Todos merecemos um emprego que nos realize como pessoas,que nos satisfaça e que nos compense,de todas as formas possivéis,a nossa dedicação mas quando a necessidade fala mais alto,faz -se o que aparece,sem esquisitices,sem viver à conta dos que trabalham,ou gosta de saber que se levanta com as galinhas todos os dias,trabalha as horas que forem e que no fim do mês,os seus descontos vão para pagar a preguiça de alguns?????leia-se ALGUNS.

      Eliminar
  33. Assino por baixo!

    PS: Podem perder 1 minutinho a responder ao meu inquérito? É só mesmo 1 minutinho e por uma boa causa, please....

    http://pt.surveymonkey.com/s/W62CRT2

    thanks

    http://mefrancesca.blogspot.com

    ResponderEliminar
  34. Inteiramente de acordo Pipoca! Sou (mais uma) professora sem colocação e, a par de dois centros de estudos, trabalho num hipermercado. Se fizesses ideia das piadinhas que por lá se ouvem... :p

    ResponderEliminar
  35. É impossível não concordar contigo: a Dora precisa de comer e tem contas para pagar, logo teve que se sujeitar ao que aparecia à falta de querer emigrar à procura de melhor (digo eu...). Mas já emigrou (durante uma década, salvo erro) também para o Brasil. Não esqueçamos! De resto, devo ter sido a única que não vi uma única palavra depreciativa em relação ao emprego dela. Muito pelo contrário.

    "Não foi para o Facebook dizer que a culpa é do Governo, que está a matar a cultura..."
    Não gosto de ler nas entrelinhas, mas não sei se te estás a referir ao assunto da semana, o Tordo. Ou, em alternativa, a tantas outras pessoas do mundo do espectáculo que se queixam dessa realidade, que é preocupante. Olha estou-me a referir ao discurso da Rita Blanco quando recebeu o Prémio da Academia de Cinema Europeu, por exemplo.

    Convém não tratar os assuntos com muita leviandade: o que o Tordo se queixa ou tantos outros cantores, atores, etc. é a triste realidade de um país. Não está aqui em causa eu obrigar o Sr. Ferreira da estação dos CTT aqui ao lado de minha casa a deixar de ouvir Toy e passar a ouvir Tordo. A deixar de me "meter" os livros da Margarida Rebelo Pinto (sempre que vou aos CTT levantar uma encomenda) e passar a sugerir o Tordo-filho. Não podemos obrigar as pessoas a ir ao teatro ou a ir apoiar o cinema nacional, por exemplo, em vez de se entreterem a ver a deplorável casa dos segredos. Não, não podemos.

    Um país constrói-se pela cultura, por aquilo em que aposta. É claro que nos revoltam cortes e mais cortes na saúde. Mas deve igualmente revoltar-nos cortes na educação. E sim deve-nos revoltar os cortes na cultura. Deve-nos revoltar não haver dinheiro para apoiar espectáculos, para apostar no cinema nacional, em exposições, em arte, em tudo o que for capaz de gerar valor e riqueza para uma sociedade e para a construção de um país. Tanto comentário brilhante por esse facebook e não vi uma única alminha que conseguisse compreender os 65 anos de um Tordo: a revolta, muitas vezes, não é apenas pessoal ("ai que tenho uma mísera pensão de 200€").
    A indignação de um Tordo não é muito diferente da indignação de um jovem recém-licenciado: possivelmente saem ambos revoltados com o estado em que este país chegou. Difícil compreender isto?

    Não vejo muitas diferenças entre um Tordo e uma Dora para além do género musical e da idade: um emigrou, outra trabalha no Mac, ambos possivelmente teriam direito a RSI, mas não quiseram. Pessoalmente louvo ambos. Se estivesse nas suas posições, penso que optaria pela emigração. Não que trabalhar no Mac seja mais desprestigiante, mas sinceramente não me apeteceria (e, às vezes, ponho isso em causa) estar a contribuir para um país que está a ser governado sem rumo, em que todos os dias se corta em A, B e C e vai-se a ver a despesa aumenta a olhos vistos. O Passos contrata uma empresa para atender telefones por 20 e tal mil euros quando tem não-sei-quantos funcionários, os tais não-sei-quantos motoristas e por aí... Afinal há ou não há dinheiro?


    A questão é: isto só revolta o Tordo? Não nos deveria revoltar a todos nós? O mal provavelmente é esse: somos um povo demasiado brando.

    ResponderEliminar
  36. E eu achar que sou um bicho raro por pensar diferente da sociedade que se vive mas afinal tenho a pipoca a pensar como eu :-)

    ResponderEliminar
  37. E agora fora de contexto, mas tudo a ver, um conselho Pipoquinha, delega o Mateus ao Pai por esta noite.
    Depois de tudo o que passaste no ar e agora em terra, não há c* que aguente, bons sonhos!

    ResponderEliminar
  38. Grande mulher :D trabalhar é honesto por isso fez ela muito bem .
    Beijinhos

    uglyfashionexperience.blogspot.pt

    ResponderEliminar
  39. Parabéns Pipoca! Adorei o post!
    Também penso assim. Infelizmente há muita gente que só quer viver de subsídios ou de pseudo-vedetismo.

    É de louvar alguém que sem fazer alarido, procurou um trabalho honesto, e pelo que li, o faz com muito gosto e atenção! Não está lá de má cara, embora de certeza não seja o que ela deseja para a vida dela.

    Parabéns novamente a ti, à Dora, e a todos os que trocam o choradinho pela coragem de se fazerem à vida.
    A única coisa que cai do céu é a chuva...granizo, saraiva e neve!

    http://oquetenhoparavender.wordpress.com

    ResponderEliminar
  40. Parabéns, Pipoca, pelo texto! Parabéns, Dora, pela coragem!

    ResponderEliminar
  41. Só me resta mandar um abraço de felicitações à Dora!!!

    ResponderEliminar
  42. Eu não fazia ideia que a Dora trabalha no McDonalds e acho cruel fazerem piadas sobre isso. Tenho muito respeito por ela por se ter feito à vida, como qualquer pessoa, e não ter ficado "parada à espera e, possivelmente, a acumular dívidas. Não foi para o Facebook dizer que a culpa é do Governo, que está a matar a cultura (como se fosse possível obrigar as pessoas a gostarem de música, livros ou artes plásticas, mesmo que até tenham dinheiro para os consumir)" como disseste. Concordo plenamente contigo.

    ResponderEliminar
  43. Acho que fez muito bem. Quantas vezes já ouvi colegas minhas dizer "eu? trabalhar numa loja? Não tirei o curso para isso!" Bom, eu também não tirei o curso para isso, mas também não o tirei para viver às custas dos meus pais ou de subsídios e se precisasse de trabalhar, trabalharia no que conseguisse.

    Desejo-lhe sorte e que surjam oportunidades para voltar a fazer algo que lhe dê prazer.

    www.prontaevestida.com

    ResponderEliminar
  44. É isso mesmo Pipoca se fossemos todos como a Dora se calhar tinhamos um país e um mundo melhor. Estamos sempre a achar que somos melhores que o que nos aparece, que podemos gastar mais do que o que temos, que merecemos mais do que o vizinho do lado!!!!

    ResponderEliminar
  45. Pois de facto é preciso ter coragem pq neste país mto boa gente teria vergonha de o fazer. Tb me irrita os artistas acharem que lá por serem artistas têm de ter mais direitos que os outros ou que o estado lhes deveria amparar lá pq escrevem, ou cantam ou dançam, então e os testantes portugueses que todos os dias se fazem à vida??

    http://strawberryleopard.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  46. Eu nem sei quais são os comentários sobre a Dora, que nem sequer tenho facebook e é a primeira vez que sei deste assunto.
    Não sabia é que é tudo "gente fina" que não pode rabalhar no Mac. Mas afinal qual é o problema? Receber pouco? Pois, infelizmente é a realidade da maioria das pessoas deste país.
    Trabalho num escritório há mais de 10 anos, ganho 500 e poucos euros. Se fosse para o Mac ganhar mais e com a certeza que não era um contrato de meses, saía na hora. Não estou aqui por ser um escritório (muito mais fino do que trabalhar no Mac... ), estou porque o dinheiro é certo e o emprego também, não é um contrato que eu fique sempre a ver quando fico desempregada.
    Ou seja, é pouco dinheiro mas da-me estabilidade. Para mim é o pior desses contratos, hoje estão ali, amanhã não se sabe. Fora isso... qual o problema?
    Eu, dos 500 e poucos euros, ainda tenho de me vestir minimamente bem todos os dias - ao menos no Mac tinha uma farda...
    Sim, estou a exagerar um bocado, mas irrita-me esses falsos moralismos do trabalhar no Mac ou sitios assim.
    É trabalho, senhores. E honesto por sinal!

    ResponderEliminar
  47. Eu só não percebo é porque é que isto é notícia... No mais, tenho de concordar com o texto da Ana.

    http://oceanstocross.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  48. Não sei o que sinto com este post. Pareceu-me uma alfinetada ao Fernado Tordo e disso não gostei, confesso. Claro que gozar com a Dora, por esta estar a trabalhar no Mac é de uma imbecilidade completa, mas também gozaram e insultaram o Tordo por este ter emigrado. Sinto sempre um desconforto quando leio estes comentários a aplaudir quem faz pela vida sem culpar o governo e blá blá blá. Se por um lado acho bem que as pessoas tentem melhorar a sua vida mesmo que tenham que trabalhar no que não gostam, há uma resignação nisto que me repugna. Porque sim, a culpa do estado em que este país se encontra é de quem nos governa há muitos anos. Não gozo com quem "anda de cavalo para burro", mas também não louvo isso. Olha não gostei, pronto.

    ResponderEliminar
  49. Não podia concordar mais, uma mulher do catano esta Dora! Não por ir trabalhar para o Mack, mas por não ficar parada a espera e a deprimir.
    Se nos devemos queixar e ralhar e pintar a manta? sim devemos sem dúvida, mas também devemos ir a luta...
    E sim este país tem sido muito mas muito mau para todos nós.....

    ResponderEliminar
  50. Não devíamos obrigar ninguém a gostar de cultura, a fazer isto ou aquilo... Mas o governo tem a obrigação de subsidiar a cultura! O que é um país sem cultura? Não é nada, não tem nada para apresentar.
    E sim, estou consciente de todos os cortes que têm sido feito. Mas se nos tirarem a música, a pintura, o cinema, a literatura nacional... Sinceramente não temos nada de nos orgulhar.
    Muito triste.

    ResponderEliminar
  51. "Gosto" especialmente de como a autora do blog aproveitou a oportunidade para desdenhar daqueles de reclamam contra as medidas do Governo e batem o pé. Isto de pensar que o milhão de trabalhadores desempregados só está nessa situação porque quer, porque não "arregaçam as mangas" é, no fundo, dizer que os desempregados só estão nessa situação dramática porque querem; que os milhares de jovens qualificados (licenciados, mestres, doutoramentos) só estão desempregados porque não aceitam que o seu trabalho não seja remunerado ou o seja pelo salário mínimo. Jovens com famílias que são obrigados a emigrar porque...se queixam que querem uma vida melhor; que aqueles que recebem subsídio de desemprego ou RSI (e sabiam que a maioria dos que recebem RSI são crianças e pessoas com problemas de saúde que os impede de trabalhar?) são uns indigentes.

    Trabalhar na restauração do fast food, nos call centers, nas lojas, nas cadeias de supermercado não é desprestigiante. O que é desprestigiante são os salários de miséria - que tantas vezes não compensam os preços das cresces, dos ATL -, ao mesmo tempo que os patrões engordam os lucros, e aceitar sem revolta, sem luta, sem "queixas" a situação.

    E o que não prestigia este blog é a facilidade com que a sua autora aproveitou para mandar umas bocas ao tal milhão de portugueses que só está sem emprego porque ... "não são capazes" de trabalhar (apesar da maioria deles tê-lo feito a vida toda e estar desempregado porque este Governo decidiu empobrecer a maioria da população portuguesa, fazendo fechar empresas), sem conhecer o que é a realidade diária destas famílias.

    PS: relativamente à cultura, havia também muito a dizer, nomeadamente no apoio 0 ao cinema português, ao teatro, à cultura em geral - como está inscrito na lei fundamental no país e como fazem os governos dos países desenvolvidos.

    Ana

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. mas quais medidas do governo??? Como a Dora e o Fernando Tordo há centenas de milhares de desempregados. A questão aqui é que existem várias maneiras de abordar o problema a) com pragmatismo solucionar o problema de uma forma rápida de maneira a pagar as conta e a sobreviver sem ter de recorrer à caridade alheia (sob qualquer das formas que ela se apresente, RSI, subsidios etc, etc) b) queixar-se da vida viver da dita caridade c) vestir o papel de vitima aproveitando o protagonismo que a vida artistica lhe proporcionou mas fazer o mesmo que em a) ou seja fazer-se à vida.

      Eliminar
    2. Quais medidas do Governo?
      1) Aumentar brutalmente os teus impostos, enquanto diminuiu os impostos das grandes empresas;
      2) Cortar no subsídio de desemprego (que, caso não saibas, descontas todos os meses para ele, bem como para o subsídio de doença, pensão; o subsídio de desemprego não é caridadezinha, é fruto dos teus descontos);
      3) impedir que metade dos desempregados (muitos deles com mais de 45 anos, com enormes dificuldades em encontrar emprego porque têm mais idade, porque têm baixas qualificações, porque têm problemas de saúde, porque tiveram um emprego durante anos num determinado sector e nos últimos anos de carreira contributiva já não conseguem inverter a sua formação e experiência) não receba rendimento absolutamente nenhum - muitos com filhos;
      4) cortar nas pensões dos reformados, que descontaram uma vida toda e têm tantas vezes que assegurar que os filhos têm algo para comer e um tecto
      5) cortar nas bolsas de estudo, impedindo que milhares de jovens estudem;
      6), 7), 8) .... um pouco de pesquisa e de esforço para perceber como é que o Governo esmaga os trabalhadores e a população em geral para entregar às grandes empresas nunca fez mal a ninguém.

      Outro esclarecimento: os trabalhadores desempregados só são assim classificados porque procuraram emprego há menos de duas semanas. Podem ser todos mais burrinhos que tu e não se fazerem à vida tão bem como tu farias.

      Mas tenho dúvidas.

      Ana

      Eliminar
    3. Não percebo como é tão difícil compreender o comentário da Ana. Sucessivos cortes em salários por exemplo implicam menos rendimento disponível. Logo enquanto antes tinha dinheiro disponível para cumprir as minhas responsabilidades (pagar água, luz, gás etc) hoje sobra ainda algum dinheiro para ir a um concerto, teatro, cinema, exposição? Não sei em que pais está gente vive mas não é em Portugal com toda a probabilidade... Alguém vê notícias?! Alguém sabe a quebra de receitas que teve a lusomundo por exemplo? É claro que os filmes download retiraram muita clientela, mas eu bem que gostaria de ir ao cinema e hoje considero isso um luxo. Comprar um cd ou um livro é igualmente algo que já tem peso no orçamento. Ir a um concerto idem. Portanto, compreendo que estas sucessivas políticas do governo têm implicações nestas questões.

      Eliminar
  52. Breve resumo da minha "carreira" LOL:

    + de 30 anos
    licenciada
    pós-graduada
    efectiva 10 anos numa empresa
    cargo de responsável
    despedida
    18 meses a enviar centenas e centenas de CV para tudo e para todos
    3 entrevistas em 18 meses
    à 7 meses logista (sales adviser é mais bonito!!! :)! num centro Comercial

    a vida dá mmmuuuiiitttttaaaassssss voltas!
    :)




    18 meses desempregada = licen

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E se continuar sem saber distinguir o à do há bem que pode continuar a trabalhar como lojista. Não é minimamente aceitável que uma pessoa licenciada e pós-graduada cometa um erro tão crasso.

      Eliminar
    2. Para licenciada devia saber que "à 7 meses" é com h, ou seja, há 7 meses.

      Eliminar
    3. Agradeço o teor simpático dos comentários! Felicidades para os anónimos! :)

      Eliminar
  53. Bom dia a todos e á pipoca...
    Foi com grande desagrado que hoje de manhã quando vinha trabalhar, ouvi na minha rádio preferida inúmeros comentários + ou - depreciativos acerca do trabalho da Dora.. Fiquei triste e revoltada e mudei de estação.
    Ela trabalha, não tá a roubar que isso sim seria uma vergonha.

    ResponderEliminar
  54. Concordo contigo Ana!!
    é de louvar a Dora por arregaçar as mangas e ir à luta!!! Grande mulher...

    Beijinhos e excelente fim de semana
    Maria João

    ResponderEliminar
  55. ora nem mais! Está tudo dito!

    ResponderEliminar
  56. Uma comparação com o que ela faz, e com o que outros "iluminados fazem" está aqui http://www.brunojacinto.com/a21/2014/02/21/dora-trabalhar-mcdonalds-e-os-investigadores-em-antropologia/

    ResponderEliminar
  57. Ainda no outro dia o meu marido me fez a seguinte pergunta: estarias na disposição de ser empregada doméstica de alguém, se fosse preciso? E a minha resposta, imediata, foi: óbvio!
    Sou advogada, temos uma vida desafogada, mas temos 2 filhos e outro a caminho.
    Em caso de necessidade uma pessoa faz o que for preciso, acho isto evidente, desde que honestamente. E até estou em dizer, que em necessidade extrema, até desonestamente!
    A vida dá muitas voltas, mas nunca deixaria os meus filhos passar fome podendo ter um emprego como empregada doméstica, era o que faltava. Não seria seguramente a minha 1.ª, 2.ª ou 50.ª escolha, mas se tivesse que ser, se fosse essa a opção, não hesitava. E não me caiam os parente na lama, tenho a certeza!
    Quem faz comentários desses ou não faz ideia do que é necessidade ou é só parvo!

    ResponderEliminar
  58. O meu respeito a Dora e a este post!

    ResponderEliminar
  59. Sinceramente, Pipoca! Acha que a maioria das pessoas que estão desempregadas não lutam para ter um trabalho? Não fale do que não sabe e principalmente não fale de barriga cheia... isso é? Triste...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Penso que interpretou mal a intenção da Pipoca. O que ela quis dizer, e com razão, é que muitas pessoas nem sequer equacionam a hipótese de procurar certos trabalhos por achar que são trabalhos inferiores. Preferem ficar no desemprego do que lavar escadas. Lá está, nem todas são assim, mas a pipoca também não generlizou.
      Mas que há pessoas que pensam assim há, e eu conheço umas poucas.
      Já eu não penso assim. Faço de tudo para ir tendo algum dinheiro, como distribuir flyers, fazer chamadas ppublicitárias ou mesmo trabalhos de maior responsabilidade. tudo fora da minha área mas não me importo. Quero é trabalhar

      Eliminar
    2. concordo contigo rita, por essas e por outras é que o pais está na m*** que está . Anda meio mundo para tramar outro

      Eliminar
  60. Nem mais Pipoca, subscrevo tudo o que disse por baixo.

    ResponderEliminar
  61. Muito bem dito! Concordo plenamente!

    ResponderEliminar
  62. Cambada de hipócritas! Sabem lá o que é trabalhar num MacDonalds! Eu tambem não sei, mas não ouso opinar e falar do que não sei. Quem disse que o MacDonalds é para miudinhos???? Aaahhh... espera, a malta que trabalha nas torres luxuosas do Colombo e que andam vestidos como se fossem os CEO's da empresa devem ser os que ganham bem e estao bem de vida, afinal aparentam! Fiquem a saber que muitos dos que aparentam neste local ganham ordenado mínimo e têm péssimas condições contratuais, apesar de trabalharem em escritórios de luxo e ostentarem o que não têm!
    Este país e o seu povo envergonha-me!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Mas aposto que se lhes dessem a escolher entre ganhar 500 nesses trabalhos e ganhar 600 no Mc, preferiam continuar como estão.

      Conheço algumas pessoas desempregadas que preferem continuar a receber os subsidios de desemprego do que aceitar um emprego a ganhar menos do que o que recebem de subsidio.

      E aposto que metade das pessoas que agora dizem que no lugar da Dora fariam o mesmo...não o fariam ...é muito fácil falar

      Eliminar
  63. Ouviram as mais recentes notícias sobre o sr Tordo?eu já não tinha muita pena dele porque desde a notícia da sua partida,cheirou-me que ele só estava a fazer este alarido todo de se ir embora para ver se alguém se chegava à frente( é só a minha opinião) mas quando ouvi que não só vai ter um bom trabalho,como está hospedado num bom hotel e que alguém já desenterrou o facto de ter ganho MUITO dinheiro em 5 anos (nem ouvi quanto),fiquei quase totalmente convencida que esta história toda só tem um nome:hipocrisia.Afinal os míseros 200 euros de reforma a que teria direito não lhe faziam mesmo falta.Concordo plenamente com o que ele disse:este país está insuportável,sem dúvida.Mas ao contrário da Dora,que não veio para a comunicação social queixar-se e que ainda é criticada por ser honesta (ainda não recuperei do facto de ver que alguém preferia vender o corpo!!!!!),o sr Tordo vai para o calor tropical ganhar um salário com mais,pelo menos,um zero que o dela. Tivessem-lhe oferecido um tacho na política para ver se ele ia......quanto a ela,esperemos que seja só uma fase mais cinzenta,até porque as demonstrações de apoio que tem tido podem surtir efeito,nunca se sabe.

    ResponderEliminar
  64. eu já trabalhei no Mac , e já trabalhei num call center, e se tivesse de voltar, digo já que preferia o Mac!!! mil vezes!

    ResponderEliminar
  65. Desde quando é que uma pessoa ganhar o seu dinheiro honestamente é noticia?! Seja a Joaquina,a Dora,ou o João....
    Relativamente aos comentários aqui deixados é de chocar que existam pessoas que parecem sentir-se "superiores" perante um funcionário de um Mac,um colaborador de loja...em pleno sec.XXI!! E dps a forma como se generalizam as coisas...como se toda a gente fosse igual a toda a gente...as aparências iludem muito efectivamente..

    ResponderEliminar
  66. Muito bem Dora, é mesmo assim! Realmente não intendo esse desprezo que as pessoas têm quando o assunto é trabalhar na restauração. Gostam sempre de inferiorizar os outros.

    ResponderEliminar
  67. há por ai muita gente com o rei na barriga que reclama " é a crise lalallal" a crise está na cabeça de muita gente e muitos aproveitam-se dela para não mexer uma palha , é verdade que ela ( infelizmente) existe mas muita gente não trabalha porque não se que "assujeitar" a sair da sua zona de conforto , sinceramente acho que quando uma pessoa quer realmente trabalhar e precisa de trabalhar arranja seja a limpar escadas ou a servir cafés ... é um trabalho honesto como um outro qualquer . Para aqueles que gozam com ela : as lamentações NAO PAGAM AS CONTAS logo MUITO BEM DORA !!!

    ResponderEliminar
  68. Rapariga, desta vez acertaste mesmo, MESMO!!!! Só pelo esforço que a Dora está a fazer acredito que a sorte lhe vai aparecer...merece! Nem gosto da música e nem me lembro da pequena, mas só pela atitude: MERECE TUDO DE BOM!!

    ResponderEliminar
  69. Não percebo todo o burburinho em volta do facto da Dora estar a trabalhar no McDonald's... Afinal de contas é um trabalho honesto e se ela precisava do dinheiro para se sustentar e à sua família, então porque não? Se calhar se mais portugueses tivessem a "garra" dela de ir à luta e trabalhar (mesmo que não seja naquilo que queríamos) a taxa de desemprego estaria muito mais baixa...

    http://agirlsdream-blog.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  70. Subscrevo totalmente por baixo.
    Bjs, Susana

    ResponderEliminar

Teorias absolutamente espectaculares

AddThis