Memória de peixe

14.6.13
Eu já tinha lido em vários sítios que a gravidez provocava algum esquecimento e confusão mental, mas não levei a coisa muito a sério. Até, claro, ter começado a misturar datas, a ir à cozinha buscar qualquer coisa e, a meio do caminho, esquecer-me do que ia fazer, ou dizer uma coisa e estar a repeti-la ao fim de cinco minutos. É um bocadinho assustador sentir-me assim, meio alzheimeriana, mas tenho fé que isto depois passe. Ainda assim, sei que mesmo no pico da minha destrambelhice, jamais baterei o meu homem no que toca a esquecimentos. Às vezes sinto que casei com a Dori. Já perdi a conta à quantidade de vezes que se esqueceu ou que não encontra a carteira, os óculos de sol, o cartão do trabalho, o livro que estava a ler, etc e tal.  Sempre que saímos de um café ou de um restaurante tenho de passar revista à mesa para garantir que não ficou lá nada. Porque o homem levanta-se e lá vai à sua vida, deixando tudo para trás. Se chega a uma loja pousa os óculos no balcão, como se estivesse em casa, e depois vem-se embora e eles lá ficam.  O que vale é que tem tanto de despassarado como de sortudo, porque quase sempre volta a encontrar as coisas que perde. O caso mais recente que comprova que é uma pessoa cheia de sorte foi há poucos dias. Estávamos a sair de casa e eis que me parou com um "espera lá, não sei da chave do carro". Ah, porque também convém explicar que o homem é pouco dado a porta-chaves, anda com as chaves soltas, uma coisa que dá imenso jeito, e quando chega a casa pousa-as em qualquer lugar. Tanto pode ser logo no hall como na mesa da cozinha ou no escritório. Bom, mas estava eu a dizer que, pela enésima vez, não sabia das chaves do carro. Ao fim de sete minutos, e já a exasperar, comecei também eu a revolver a casa toda. Acho que até dentro do frigorífico eu espreitei, porque com a Dori nunca se sabe. Ficámos, sem exagero, uma meia hora à procura da porcaria da chave, até que resolvemos desistir. Ainda assim, quando chegámos à rua, sugeri-lhe um "vai lá ao carro ver se, por acaso, não deixaste para lá a chave". Já sei do que a casa gasta. Acho que ainda o vislumbrei a encolher os ombros, como quem diz "também não sou assim tãaaaaaaaaaao despistado", mas só para não me ouvir, lá foi ele. E, claro, lá estava a chave. Caída no tapete. Portanto, esta pessoa acha perfeitamente normal sair do carro, não o trancar, não trazer a chave e só o descobrir no dia seguinte. E tem a imensa sorte de não ser assaltado. De facto, há coisas fantásticas...

28 comentários:

  1. Ainda por cima em Lisboa... O homem está mesmo cheio de sorte! Mas ai dele que perca o Manolo!!!

    ResponderEliminar
  2. No aniversário do meu senhor ofereci-lhe um Ipad topo de gama (que deu cabo das minhas poupanças). Ele ficou histérico de alegria (há meses que não falava noutra coisa). No dia seguinte deixou-o no restaurante...Não falei com ele durante dias e quando me lembro até tremo de nervoso...

    ResponderEliminar
  3. Eu sou igual ao teu homem no que toca a esquecimentos... Entretanto engravidei e piorou ainda mais. A criança já está cá fora há um ano e não vejo melhorias. Sou a mulher dos post its e dos lembretes no tm... E mesmo assim...

    ResponderEliminar
  4. Isso não é novidade cá em casa....
    Está sempre tudo perdido!
    A última vez que perdeu os óculos foi de vez...antes disso, já os tinha dado por perdidos mais de 20 vezes, sem exagero. Bastava entrar em qualquer lado para os perder. Perdeu-os num supermercado, pousou para pagar e alguém os levou!!

    ResponderEliminar
  5. A mim tb já me aconteceu: deixei as chaves no lugar do "pendura" td a noite... temos, realmente, muita sorte!

    ResponderEliminar
  6. Conheço um senhor que ia de mota com a mulher à pendura, a mulher caiu, e ele não se apercebeu, andou 10 kms, só quando chegou ao destino é que reparou. Depois teve que voltar para trás, a ver se a encontrava...
    Cá em casa, eu sou a pior, perco tudo, a toda a hora, sou a "Arrumadinha"... Bom fds!

    ResponderEliminar
  7. O respectivo já deixou...a porta do carro mal fechada. Toda a noite. Assim, para quem passasse ver.
    O lema de vida dele poderia ser: na Damaia nunca me hão-de partir um vidro.

    ResponderEliminar
  8. E eu a pensar que a Dori morava era cá em casa!! Gostava eu era de ter a tua paciência e bom humor. A mim ferve-me até a alma, principalmente em alturas importantes.
    Mas confesso que ler escrito dessa forma, até lhe encontro alguma (pouca) graça! :)

    ResponderEliminar
  9. Olá pipoca,
    Vou já avisando que os esquecimentos de grávida se vão agravar depois do bebé nascer...mas não devido a hormonas ou outras questões que tais, é mesmo devido ao n.º de noites perdidas e neurónios queimados. A tua memória nunca mais vai voltar a ser o que era... mas pronto isso não importa nada. porque afinal de contas há um motivo maior...

    ResponderEliminar
  10. O meu homem é pior... deixa as chaves na própria da ignição e não foi uma, nem duas, nem três, nem quatro... nem...
    :|

    ResponderEliminar
  11. Quanto à memória de peixe durante a gravidez... só para dizer que se amamentar, isso piora! Não lhe parece possível agora... mas vai ver. Mas não se preocupe que depois volta tudo ao normal, graças a Deus!
    Já o seu marido, tem de facto muita sorte em ninguém lhe ter levado o carro... O meu (marido) uma vez conseguiu fazer isso, mas depois conseguiu trancar o carro - naquele tempo em que os carros se trancavam com a mão no puxador e carregando o trinco para baixo. Foi um filme para tirar a chave lá de dentro!

    ResponderEliminar
  12. LOL o que eu me ri! Eu sou o oposto, lembro-me sempre de tudo tudo lol. Mas Bomboco é um pouco Dori.

    ResponderEliminar
  13. sorte,sorte,é a da minha chefe,que deixou o iPhone em cima do capôt do carro do marido.O bendito iPhone ez a travessia de Sete Rios ao Campo Grande sempre em cima do capôt e chegou inteiro ao estacionamento :)

    ResponderEliminar
  14. Sou igual ao senhor teu esposo, sem tirar nem por, tenho é menos sorte, mas pronto. E o resto da minha família também como eu e o senhor teu esposo, é capaz de ser dos genes, tem cuidado com o Mateus xD

    Beijinhos aí em casa

    ResponderEliminar
  15. Eu já deixei a chave na fechadura da porta do carro... Foi uma vizinha que ma veio entregar. O seu marido ainda não está assim tão mal :)

    ResponderEliminar
  16. Andas de facto muito esquecida, pois, há relativamente pouco tempo escreveste um post precisamente sobre os esquecimentos do teu homem lol

    ResponderEliminar
  17. "...porque com a Dori nunca se sabe..." Adorei esta parte!!!

    ResponderEliminar
  18. LOL adorei porque eu também sou a que tem que verificar se O meu sr Dori não deixa nada nas mesas dos restaurantes e cafés. Também tem essa ideia que está em casa em todos os balcões e pousa lá tudo o que tem, carteira, óculos e Iphone..porque andar com as coisas nos bolsos é uma chatice! Quantas vezes já deixou carteira e Iphone no carro e não lhe acontece nada!

    ResponderEliminar
  19. De facto tem bastante sorte.
    Cá em casa já se conseguiu fechar o carro e voltar a abrir sem se aperceber que se estava a fazê-lo e deixar o carro aberto durante uma semana e também não ter sido assaltado. ;)
    Cris

    ResponderEliminar
  20. Bom.. isso acontecia-me frequentemente (e deixava a chave na ignição) no meu primeiro carro!Como não precisava da chave p trancar o carro, a pobre viatura chegava a ficar um fim-de-semana inteiro na rua, com a chave na ignição. a sorte é q era um chaço tal q ninguém lhe pegava mesmo estando ali tão a jeito! Resolvi o assunto, exigindo p o meu segundo (e actual) carro, um q tivesse fecho automático com as chaves. O problema, é q depois de vários anos a não precisar das chaves p trancar o carro, ponho automaticamente as chaves na mala e já se sabe o que me espera SEMPRE q saio do carro: pelo menos uns 5 minutos de sacos e malas na mão à procura da maldita chave!

    ResponderEliminar
  21. Mas ele não é "O" Arrumadinho? Não pode esquecer-se e perder assim as coisas!

    ResponderEliminar
  22. Onde é que já ouvi estas histórias... A revista às mesas em restaurante, ver se a chave não ficou na porta, certificar-me que as chaves não caem para o meio dos sofás!!! E o comando da televisão? Meu deus... :)

    ResponderEliminar
  23. O meu bate todos, Quando liga para o banco a cancelar os cartões ,pq pela enesima vez perdeu a carteira, já não lhe dão importância e dizem que é melhor esperar uns dias lol

    ResponderEliminar
  24. Pipoca acho que as grávidas não são esquecidas, acho é que são distraídas é que andamos sempre a pensar no bebé mesmo inconscientemente e pronto o resto escapa-se, pelo menos acho que foi isso que me aconteceu lá no sec. passado em 1990. Não quero ser má mas os esquecimentos não vão melhorar depois da gravidez, mas a Pipoca depois conta...

    Maria do Rosário

    ResponderEliminar
  25. Smart Nudge... vai procurar na net e depois podes agradecer-me!!! lol ;)

    ResponderEliminar
  26. Pois o meu respectivo conseguiu superar isso...
    Devido a uma avaria no fecho central do carro dele, só consegue trancar o carro rodando a chave na fechadura, assim conseguiu a proeza de deixar a chave na fechadura da porta do condutor durante um fim de semana inteiro e só reparou quando foi para o trabalho na segunda.E o carro estava só estacionado à porta de um restaurante bastante movimentado.
    Também já fez o mesmo com a porta de casa, deixou as chaves do lado de fora durante a noite toda, várias vezes.Enfim...

    ResponderEliminar
  27. Ah!Ah!Ah! Sei perfeitamente do que sofres. A minha mãe é a versão feminina do teu marido, com a agravante que quando perde alguma coisa acha sempre, mas sempre que ma deu. No outro dia íamos a sair de casa e, cadê a chave do carro? pois, mamãe não sabia da chave do carro, 1º culpada?! Eu! "Tu tens a chave do carro, vai lá procurar nas tuas coisas!" Claro que não tinha, porque a ultima pessoa a andar com o carro tinha sido ela, e porque nesta casa só há uma chave, a chave suplente já foi perdida em combate prai no século passado.
    Procuramos a casa toda, com a agravante que eu tinha um avião para apanhar, já estava atrasada e era ela que me ia levar ao aeroporto.
    As tantas, já eu ligava aos meus primos todos a ver quem estava mais perto para me levar ao aeroporto, quando ela me diz assim "Vou ali às motas (um stand de motas em frente ao sitio onde ela tinha o carro estacionado) ver se eles tem a minha chave". Pois que sim, que tinham encontrado a chave no chão ao lado do carro e tinha guardado a chave.
    Eu, se perco um cêntimo nunca mais o encontro, ela, até pode perder o visa e passados 10 minutos tem um sr. policia a telefonar e a dizer que o vem trazer a casa. True Story.

    ResponderEliminar
  28. Hehehehehe

    O meu marido é igualzinhoooo hehehehehehe

    ResponderEliminar

Teorias absolutamente espectaculares

AddThis