Pub SAPO pushdown

Fora com o acordo ortográfico!

quarta-feira, agosto 17, 2011
Pela parte que me toca, resistirei ao acordo ortográfico até aos limites do impossível. Não é querer ser da velha guarda, menos ainda achar que estamos bem é parados no tempo, mas há mudanças que, simplesmente, não fazem sentido nenhum. Por exemplo, ontem estava a ler um livro e deparei-me com a seguinte frase: "(...)ela para para descolar um filamento de tabaco Golden Virgina (...)". Fiquei a modos que confusa, achei que fosse gralha, mas não. Antes do acordo, a frase seria "ela pára para descolar um filamento...", mas com o acordo, "pára" vira "para". Oiiiiii? Mas que sentido é que isso faz? "Pára" e "para" são palavras que se lêem (ou leem, segundo a porcaria do novo acordo) de forma diferente, por isso como é que, de repente, se transformam na mesma palavra? A sério, odeio o acordo, acho-o ridículo. Qual é a ideia? Facilitar a vida a quem não sabe muito bem onde pôr os acentos?

71 comentários:

  1. Também vou resistir ao acordo até à última! Mas não fazia a mínima ideia que essas regras sobre os assuntos tinham, também, sido alteradas. Quando li a frase pensei: "A Picoca escreveu duas vezes para"... Que acordo mais ridículo, sem dúvida!

    ResponderEliminar
  2. Também odeio o Acordo... é ridículo e sem nexo na maior parte dos casos... Duvido que algum dia me consiga habituar a ele....

    ResponderEliminar
  3. Um acordo supostamente para facilitar a aprendizagem do português mas que, pelos vistos, irá apenas contribuir para que nem os próprios portugueses consigam compreender a sua língua.

    ResponderEliminar
  4. Não sabia que o ''pára'' ia ficar sem o acento!!!! Não faz sentido nenhum....Tens a certeza disso???
    Para mim, a única alteração que vou ter em conta é a queda das letras que não se lêem nas palavras.... Dire(c)to,A(c)to....

    ResponderEliminar
  5. também sou completamente contra o acordo ortográfico. Recuso-me até à última a utilizá-lo. Não faz sentido, há palavras que perderam a sua essência, parecem ocas. Uma parvoíce.

    ResponderEliminar
  6. Somos um País de brandos costumes e vamos aceitando tudo o que nos impingem! Faz lá uma petição que sou o primeiro a assinar...

    www.diariodeumgajodivorciado.blogspot.com

    ResponderEliminar
  7. Se fosses disléxica ao que parece ias adorar o acordo. Mas de facto (fato), disléxica é coisa que não és mesmo. Mesmo!

    ResponderEliminar
  8. é ridículo. a terceira pessoa do singular do presente do indicativo do verbo parar sempre foi 'pára' exactamente para haver essa diferenciação. ainda que muitas pessoas caiam no erro do 'parámos' e 'parás'. agora para e para - leia-se pára e para - passarem a ser exactamente iguais é como tirar o acento ao é, de ser. gostava de ver os senhores criadores do acordo sem saberem diferenciar um verbo de uma conjunção.

    ResponderEliminar
  9. Até 2015 ninguém me vai obrigar a escrever com esse acordo ridiculo. Inês D

    ResponderEliminar
  10. Sou mesmo contra o acordo ortográfico! mas infelizmente já apartir de Setembro serei obrigada a fazer os meus trabalhos de faculdade com essas regras estúpidas. E sinceramente não sei como me vou sair...

    ResponderEliminar
  11. Este acordo é a prova que somos um país de parvos...comemos e não bufamos mesmo que seja merda ( desculpa a expressão ).

    ResponderEliminar
  12. Pipoca, ESTOU CONTIGO E NÃO ABRO!!! Apre, que não se auenta este acordo! Camarada, resistirei contigo até não poder mais! :) Bjnhs

    http://wwwpodepalcopt-ni.blogspot.com/

    ResponderEliminar
  13. os meses com letra minúscula, a falta de acentos, a falta do c para acentuar as palavras (ex: espetáculo).
    eu também vou ser das últimas a adoPtar o acordo!

    ResponderEliminar
  14. isso dos acentos é ridículo. é também ridículo que vá existir 'egito' e 'egípcio'. é ridículo que se vá escrever 'hás de'. é tudo ridículo e não sei quem teve a ideia de aprovar um acordo destes. como li em algum sítio, é normal que haja duas formas de escrever a mesma língua e não percebo porquê tanta vontade de uniformizar o português, se de qualquer modo ele vai continuar a ser escrito de diversas formas. provavelmente também houve vozes de discordância quando se começou a escrever 'farmácia' em vez de 'pharmácia', mas tenho pena do que estão a fazer ao Português.
    posto isto, acho que terei de frequentar uma formação sobre o novo acordo, porque apesar de não gostar, a verdade é que se vai começar a usar e eu de fa(c)to não sei usar o acordo.

    ResponderEliminar
  15. Já ouviu falar em palavras homógrafas? Existem há muito tempo e aprendem-se no ensino básico. Cor e cor, por exemplo? "Saber de cor a cor do mar". Ou molho e molho? "Entornei molho no molho de chaves". Ou rola e rola? "A rola rola no chão". Levantar agora um questão velha como se fosse nova é desconhecimento. Outros argumentos podem ser postos na mesa. Esse não.

    ResponderEliminar
  16. Certamente que para os ignorantes da escrita tudo ficou muito mais facilitado!

    ResponderEliminar
  17. Pois parece que o acordo é para os preguiçosos...é mesmo ridículo. Eu não consigo utilizá-lo!

    ResponderEliminar
  18. Pipoca, as férias fizeram-lhe bem: o blog já está a ficar com mais substância :)
    É bom ter uns artigos sobre maquilhagem e leituras de vez em quando!

    ResponderEliminar
  19. Acho que foi mesmo implementado para os resultados a Português parecerem melhores do que ultimamente estão... para mim, o acordo é vergonhoso.

    ResponderEliminar
  20. Pipoca, as férias fizeram-lhe bem: o blog já está a ficar com mais substância :)
    É bom ter uns artigos sobre maquilhagem e leituras de vez em quando!

    ResponderEliminar
  21. AH! e na minha (humilde) opinião, EGIPTO é um nome "próprio", não percebo o porquê de quererem tirar-lhe o "p"...

    ResponderEliminar
  22. É isso mesmo, parece-me que estamos a deixar aqueles que nunca souberam muito bem onde pôr os acentos a terem mais facilidade em escrever.

    ResponderEliminar
  23. Não sabia dessa mudança!! Que horror!! Eu ainda nem me dei ao trabalho de ver todas as mudanças, não concordo mesmo com este acordo da treta! E é como dizes, parece que foi feito para quem não sabe!

    ResponderEliminar
  24. Dessa não sabia...Está bonito, está!

    ResponderEliminar
  25. Comentadora a.i. das 11.53, facto não passa a ser fato, assim como óbvio não passa a ser óvio, assim como octogonal não passa a ser otogonal ou espectadores passa a ser espetadores. As palavras cuja consoante se pronuncia não a perdem.

    Quanto ao assunto da Pipoca, a comentadora que referiu as palavras homógrafas explicou muito bem o essencial da questão.

    Ah! De referir que sou totalmente contra este novo acordo, mas quando se tenta discuti-lo, há que fazê-lo sabendo aquilo que se está a dizer.

    ResponderEliminar
  26. Eu não escrevo mas se fosse jornalista/escritora/cronista ou afim organizava mais uma manifestação na Avenida com cartazes tipo: "Não ao acordo ortográfico!" "Os escritores unidos jamais serão vencidos!" Fica a dica. E já agora como leitora também participava.

    ResponderEliminar
  27. Percebo a ideia do acordo ortográfico, mas daí a aceitá-lo... Muito dificilmente me vou converter. Nem consigo ler o que já obedece ao dito cujo, só vejo um monte de erros.

    ResponderEliminar
  28. Confesso que venho aqui dar umas espreitas no teu Blog. Farto-me de rir por variadíssimos motivos. Mas agora, agora caíste-me em graças, mulher!
    Alguém que, finalmente, perceba a minha dor e odeie o acordo ortográfico.
    No outro dia, tive uma discussão saudável com um amigo em que ele me dizia que simplesmente não ia render-se aos encantos da nova escrita porque não estava a escrever 'de fato' mas sim 'de t-shirt e calça de ganga' lol

    Um bem haja, Pipoca.
    J.Zenida.

    ResponderEliminar
  29. Oi pipoca....adoro o seu blog,e nao poderia deixar d comentar sobre esse assunto.....sou brasileira e vivo aqui ha 11 anos,e ja nao consigo escrever "brasileiro"....as vezes m perco....tbm acho ridiculo mudar!!

    ResponderEliminar
  30. Não podia concordar mais, e acho que a última frase resume tudo...é que eu cá acho que em vez de facilitar vai é complicar muito, não faz sentido nenhum!!

    ResponderEliminar
  31. Também acho ridículo e horrível. Também irei resistir. Ou então, vou passar a escrever com erros por não aderir ao acordo.

    ResponderEliminar
  32. Estou totalmente de acordo consigo. Não conheço algumas das alterações do acordo, mas sei que alguns acentos deixam de ser utilizados, também sei que os "c" e os "p" como no caso de facto e de baptizado, também caiem (como eles dizem). Isto, para mim, só vem favorecer quem não sabe escrever e, depois admiram-se das negativas nos exames de Português!!!

    ResponderEliminar
  33. Ai, eu estou completamente de acordo, é assim quase como que vamos facilitar a vida ao preguiçoso!! Não que tenha nada contra a escrita brasileira, mas cada vez estamos mais parecidos com eles, e desculpem os mais susceptivies, mas afinal a lingua portuguesa, é de Portugal ou é do Brasil? Que acordo mais ridiculo, anda uma pessoa a tentar escrever no seu melhor portugues a tentar não dar erros ortográficos para depois vir esta nova regra estragar tudo pah! Eu fico triste, chateada, revoltada mesmo! já não bastava os "x's" nos SMS agora vêm nos roubar letrinhas e acentos?! Não gostei.

    ResponderEliminar
  34. Há mudanças e mudanças e esta do acordo ortográfico não faz sentido.

    ResponderEliminar
  35. O objetivo do Acordo é instituir uma ortografia oficial única da Língua Portuguesa, ou seja, revogar a existência de duas normas ortográficas oficiais distintas – uma do Brasil e outra dos demais países de língua portuguesa –, aumentando, assim, seu prestígio internacional. Afinal, o português já é a terceira língua mais falada na Europa e a quinta mais falada no mundo. Pela intenção de seus idealizadores, para unificar a língua portuguesa em todo o planeta –ou ao menos onde ela é utilizada– e fortalecê-la, consolidá-la.
    Creio que isso acontecerá a longo prazo. No entanto, a curto prazo o que causou foi uma confusão, modificando formatos já consagrados. o novo acordo foi criado para que o português concorra como a língua oficial da ONU.

    ResponderEliminar
  36. Eu já ando a tentar escrever com o novo acordo.

    Acho que ainda és do tempo em que se escrevia "sózinho", calculo... Na escola primária provavelmente escrevias assim... Então? Como escreves hoje?

    Se me vai custar escrever "para"(de parar) ou "leem"? Sim... Mas tem de ser.

    E mais uma vez: facto, o C não cai!!!

    ResponderEliminar
  37. AAAAARGG.. e não queiram comparar a escrita brasileira com a nossa... o que é que os c's e uns p's a menos fazem com que estejamos a escrever em português do brasil?? -.-'

    ResponderEliminar
  38. Concordo totalmente. Também sou o mais possível contra o acordo ortográfico!!!!

    ResponderEliminar
  39. Os brasileiros escrevem e falam de uma maneira, os portugueses escrevem e falam de outra maneira. portanto cada macaco no seu galho, e NÃO ao acordo ortográfico.

    ResponderEliminar
  40. Em teoria sou contra, estou sempre a pensar que os textos que ando a ler têm erros e está a custar-me realmente a adaptação.

    Por outro lado terei certamente de rever a minha postura.
    A minha filha de 10 anos vai agora para o 5º ano, não sabemos ainda se na escola se vai ou não abarcar o novo ocordo ortográfico - vai depender dos professores - pelo que numa cabecinha que ainda agora deixou de dar erros, existe uma grande probabilidade de não sabermos o que fazer - (nem quero imaginar como vou validar os TPCs)...

    Patrícia

    ResponderEliminar
  41. Concordo com a Margarida. Confesso que, a início, também eu era contra o acordo. Mas cheguei à conclusão de que é uma questão de hábito. De resto, antigamente também escrevíamos coisas como "côr" (côr amarela) / "cor" (sei de cor) e hoje escrevemo-las da mesma maneira e não é por isso que as confundimos ou que as pronunciamos de forma igual.

    ResponderEliminar
  42. ha gente que so sabe criticar a pipoca fogo!!!!!!!!!!!
    ide ver se chove ou vao fazer ginastica para erem como ela

    ResponderEliminar
  43. Eu digo e vou dizer sempre não ao acordo ortográfico, só um povo ignorante é que escreve como fala, que é o que acontece com este acordo!
    Nunca ouvi falar de nenhum acordo entre a Inglaterra e a América para facilitar a aprendizagem do inglês!

    Maria

    ResponderEliminar
  44. Não podia estar mais de acordo com este post Pipoca!!

    ResponderEliminar
  45. Concordo plenamente....contra o novo acordo ortográfico!!!!!

    ResponderEliminar
  46. Eu vou resistir ao AO até me dar o badagaio, e mesmo onde eu for parar irei continuar a escrever como aprendi. Não se trata de pertencer à velha guarda, trata-se de não aceitar ingerências externas na nossa cultura. Nós já mostrámos no passado sermos capazes de fazer evoluir a língua portuguesa, ou ainda estaríamos a escrever “pharmácia” e outros exemplos de que agora não me lembro. Agora imporem um acordo a todo um povo como facto (e não fato) consumado, sem sermos dados nem achado, merecem é que os mandem levar na peidola.

    ResponderEliminar
  47. Eu sou contra desde o princípio e há coisas que de faCto não fazem sentido (Egito - egípcio é uma das mais flagrantes), mas por exigências profissionais (sou tradutora), já escrevo pelas regras novas há algum tempo e devo dizer que a adaptação foi muito mais fácil do que eu pensava. Já me parece estranho ver escrito «aspecto» e coisas do género. Estranhei bastante ao princípio as minúsculas em meses e dias da semana, mas como lido diariamente com o inglês (onde já é assim há muito tempo) também não foi difícil entrar no esquema. A verdade é que nós temos uma fabulosa capacidade de adaptação e em menos de um mês eu estava a escrever pelas novas regras e raramente me surgem dúvidas. Ajuda ter um corretor ortográfico para o novo acordo, ao princípio. Depois de algum tempo, já é instintivo. Concorde-se ou não (e eu bem que assinei todos os abaixo-assinados e mais alguns!), ele está para ficar... Quero só com isto dizer que não vale a pena assustarem-se, porque vão ver que num instante interiorizam as novas regras. Ah, e parece que o português do Brasil sofreu tantas ou mais alterações como o nosso. Não é propriamente «abrasileirar» a língua, mas sim uniformizá-la, com cedências de parte a parte...

    ResponderEliminar
  48. O acordo ortográfico é a verdadeira aberração !!!..que eu saiba...a brasileiro nasceu do português e não o contrário....a língua mãe agora é que tem de ser ajustada à "lingua filha"...onde já se viu !!!

    ResponderEliminar
  49. Concordo e subscrevo na íntegra este post.
    O acordo é completamente descabido. Para mim, não se trata de evolução, mas de, mais uma vez perdermos a nossa identidade. Em vez de nos afirmarmos como um país, de convicções fortes, rebaixamo-nos perante os outros para sermos aceites.
    Ridículo, sem dúvida.
    Para uns, quem não adere, recusa-se a evoluir, para mim não aderir, é afirmar-me e defender uma das melhores coisas que ainda resta deste país, a língua de Camões.
    Parabéns pelo post.

    Beijinhos

    ResponderEliminar
  50. Eu também detesto este acordo. Não concordo nada. Tenho na ideia que foi feito por pessoal que estava sem fazer nada no escritório e decidiram mostrar que trabalham... mal, mas trabalham. Este acordo serve para as pessoas escreverem como se lê. Facilita quem não sabe escrever muito bem e tira o brilho à escrita portuguesa.

    ResponderEliminar
  51. Tou cutxigo e n abro Pipoca!!!
    Fu*K o novo acordo ortografico!!

    ResponderEliminar
  52. Concordo plenamente com a Pipoca. Eu também não sou contra a veolução linguística. Mas uma coisa é a evolução natural da língua - deixar de escrever pharmácia para escrever farmácia, por exemplo - que envolve mudanças que não sendo impostas por qualquer acordo criado por meia dúzia de literários muito bem conceituados (acredito que sim), mas sim mudanças que o próprio povo vai criando, naturalmente.
    Com este acordo acho que só acabamos por ridicularizar a nossa língua. Já repararam quando, na comunicação social se lê "O estádio reuniu mais de 1500 espetadores (espectadores)". Espetadores???? Wtf???

    ResponderEliminar
  53. Sou completamente contra. Basta pensar na percentagem de palavras alteradas em Portugal quando em comparação com as que mudaram no Brasil. Mas a língua nasceu onde? em Portugal ou nos outros países que a adoptaram? Acho natural que os outros países tenham tido outras influências não portuguesas e que a língua acabe por ir abrangendo essas culturas. Agora, não me venham fazer um infeliz acordo que não traz nada a ninguém a não ser gerar confusões ridículas numa triste tentativa de abranger toda a gente. E o pior é pensar que daqui a uns anos os meus filhos já não vão saber escrever como nós e sim desta maneira (?)...

    ResponderEliminar
  54. Sergio: "O objetivo do Acordo é instituir uma ortografia oficial única da Língua Portuguesa, ou seja, revogar a existência de duas normas ortográficas oficiais distintas – uma do Brasil e outra dos demais países de língua portuguesa –, aumentando, assim, seu prestígio internacional. Afinal, o português já é a terceira língua mais falada na Europa e a quinta mais falada no mundo. Pela intenção de seus idealizadores, para unificar a língua portuguesa em todo o planeta –ou ao menos onde ela é utilizada– e fortalecê-la, consolidá-la.
    Creio que isso acontecerá a longo prazo. No entanto, a curto prazo o que causou foi uma confusão, modificando formatos já consagrados. o novo acordo foi criado para que o português concorra como a língua oficial da ONU." desculpa lá mas o acordo não vem unificar a lingua portuguesa, vem matá-la.. onde é que já se viu deixar de ter acentos? onde é que já se viu não haver diferença entre "facto" e "fato"? Vê lá se achas esta frase correcta: "Ela é bonita, é um fato", pois a mulher é uma roupa; é a conclusão a que se chega com essa frase escrita com a palavra "fato" em vez de "facto"!! realmente faz todo o sentido --' sou contra, totalmente contra e ninguém me vai convencer do contrário.

    ResponderEliminar
  55. É tudo uma questão de hábito, meu povo!!!!!

    Não sejam casmurros!

    E com acordo ou sem acordo,tendo em vista alguns comentários, a grande maioria continua a não saber escrever, por isso...

    ResponderEliminar
  56. É isso mesmo, facilitar a vida a muita gente. Acho ridículo. É estragar a língua portuguesa e escrever à calão como os brasileiros.

    ResponderEliminar
  57. já somos duas, resistirei até ao fim!

    ResponderEliminar
  58. LIforever, eu já disse mas repito: palavras como "facto", "óbvio", "expectativa", "espectadores", etc, onde a consoante é lida, a mesma não se perde.
    Se quer falar do acordo ortográfico, informe-se antes sobre as alterações que serão feitas.

    ResponderEliminar
  59. Existe aquele teste em que se escreve uma frase e se repete uma palavra, como por exemplo a que escreves-te (do para para por) e o cérebro não consegue perceber que são duas palavras... Eu saltei um "para" e por isso a frase não fazia sentido...
    Querem lá ver agora que os resultados dos exames vão ser ainda piores porque andam a por as palavras todas iguais?

    ResponderEliminar
  60. marie:

    ainda que muitas pessoas caiam no erro do 'parámos'

    parámos não é erro nenhum, é a forma correcta do verbo parar da 1ª pessoa do plural no particípio passado. a acentuação aqui existe para distinguir de "paramos", forma da mesma pessoa mas no presente do indicativo. Oralmente ainda se distinguem.

    MAIS: o que regista ocorrências dos falantes não será alterado. Acto, facto, pacto, abrupto manterão as consoantes que marcam abertura de vogal precisamente porque este uso se verifica com relevância.

    Muitos dos casos de síncope não interferem com a compreensão da língua, como é o caso de ótimo ou batismo.

    Os restantes, que dizem respeito à acentuação, concordo que inicialmente podem causar estranheza, mas lá está, eu tenho lido livros onde se grafa "voluntàriamente" ou "sózinha" quando actualmente não se usa acentuação nenhuma. É ter em conta que simplesmente são palavras homógrafas e pronto. Bem mais graves são as oscilações terminológicas que se utilizam no ensino do português nas escolas e infelizmente isso não vejo suscitar tanta comichão...

    ResponderEliminar
  61. Don't get me started...
    Se eu começar a falar acerca disto nunca mais me calo!

    ResponderEliminar
  62. Acho triste que a discussão sobre o Acordo Orttografico enverede por questões nacionalistas do tipo: "o português brasileiro nasceu do português português" ou ainda "nunca vi língua mãe se adaptar à língua filha"... Na realidade, a língua mãe já não é falada desde o século XVI, em nenhum dos países falantes do português. O que falamos são variações dessa língua, adaptadas em cada país, região, localidade... Não estou questionando a validade das mudanças (tb acho algumas difíceis de aceitar), mas a direção perigosa que os argumentos colocados aqui estão tomando. Acho triste...

    ResponderEliminar
  63. Completamente out...Resistirei igualmente.

    ResponderEliminar
  64. Eu estou é para ver como vou escrever nos testes para o ano. Deve estar a 2 minutos do toque e eu a dar a volta ao raio do teste à procura de palavras BEM escritas, as quais vou ter de emendar para esta estupidez abrasileirada. Isto só beneficia os burros (perdão - pessoas dotadas de pouca inteligência), daqueles que escrevem "assério" e "por tanto". Afinal são menos erros que dão (hipoteticamente). Haja paciência -.-'

    Já agora, adoro o blog :)
    Ana Filipa

    ResponderEliminar
  65. A ideia é facilitar quem não se quer esforçar por aprender uma das mais belas línguas!

    ResponderEliminar
  66. Para o anonimo.....no meu comentario nao fiz nenhuma critica aos portugueses e muito menos chamar "nomes",sou brasileira com muito orgulho e detestei o seu comentario ao chamar "estupidez abrasileirada e burros".....ve q é uma pessoa anormal q da seus comentarios e nem nome tem..rsrsr.....como eu escrevi anteriormente tbm sou contra o acordo,acho q nada disso e´necessario!!Bjs pipoca e aos demais q aqui escreveram e nao deram comentarios ofensivas..

    ResponderEliminar
  67. [Rosa] Ou seja, é contra o acordo ortográfico de 1990, mas defende acerrimamente o de 1945? :)
    Então, por exemplo, como é que se safa hoje ao ler uma frase que diga: "Largou a colher para colher um ramo de salsa", ou "Lá fora, ele fora ver se o cão estava preso"?
    Pode ser contra à vontade, como é óbvio, cada um tem direito à sua opinião, mas precisa de conseguir esgrimir argumentos mais convincentes que esses... :)

    ResponderEliminar
  68. É evidente que as palavras homógrafas já existem (muito por causa de revisões ortográficas anteriores). Mas só porque, há algumas décadas atrás, alguém decidiu que "cor" e "côr" passariam a ser homógrafas, teremos de repetir a imbecilidade em nome de uma unidade impossível (se é que desejável) da Língua Portuguesa. A adopção do velho acordo ortográfico, cozinhado no 3º quartel do século passado, não é uma inevitabilidade. Assinem a Iniciativa Legislativa dos Cidadãos Contra o "Acordo" Ortográfico! Ainda há tempo para deter esta "conspiração de néscios"!

    ResponderEliminar

Teorias absolutamente espectaculares

AddThis